P. 1
Contrato de Trabalho com Vínculo Empregatício X Contrato de Trabalho sem Vínculo Empregatício

Contrato de Trabalho com Vínculo Empregatício X Contrato de Trabalho sem Vínculo Empregatício

|Views: 3.538|Likes:
Publicado porJulia Dell'Orto

More info:

Published by: Julia Dell'Orto on Dec 16, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/08/2013

pdf

text

original

Contrato de Trabalho com Vínculo Empregatício X Contrato de Trabalho sem Vínculo Empregatício

Os Contratos de Trabalho com vínculo empregatício (os famosos
“carteira assinada”) são aqueles em que devem ser cumpridas várias exigências: registro na carteira de trabalho do empregado (CTPS), pagamento de salário, concessão de férias anuais mais 1/3 do salário vigente, pagamento de décimo terceiro salário, pagamento de salário-família, remuneração das horas extras realizadas, depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviços (FGTS), recolhimento do INSS, fornecimento de Vale-Transporte, Vale Refeição, etc. Eles se dividem em:   Por Prazo Indeterminado Por Prazo Determinado

Prazo Indeterminado: É a regra, o contrato mais comum. O contrato por prazo indeterminado prevê o dia do início em que o empregado começa a trabalhar, mas não estabelece o prazo ou qualquer condição que determinará o término de sua vigência. Este tipo de contrato é presumível. Duração: Indeterminado. Rescisão (mais comuns):  Dispensa sem justa causa (o empregador não declina o motivo da demissão) Direitos Rescisórios: Saldo de Salário; Aviso-Prévio; 13º salário proporcional; FGTS + 40 % de multa; Férias vencidas e não gozadas. Dispensa por justa causa (falta grave prevista no art.482 CLT)
“Art. 482 - Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador: a) ato de improbidade - desonestidade; b) incontinência de conduta ou mau procedimento; c) negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador, e quando constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o empregado, ou for prejudicial ao serviço; d) condenação criminal do empregado, passada em julgado, caso não tenha havido suspensão da execução da pena; e) desídia (negligência, preguiça, desleixo, desatenção) no desempenho das respectivas funções; f) embriaguez habitual ou em serviço;

Duração: 24 (vinte e quatro) meses. h) ato de indisciplina ou de insubordinação. subordinado a forma como devem ser realizadas. a contratação por Prado Determinado é celebrada com fixação antecipada de seu tempo de duração. mediante salário. recepcionista. k) prática constante de jogos de azar. 13º salário proporcional. numa autêntica relação vivenciada por patrão / empregado. com cumprimento de horário e seu comparecimento contínuo no local de trabalho. Rescisão:  Cessação pelo término do contrato (extinção natural) Direitos Rescisórios: FGTS. salvo em caso de legítima defesa. própria ou de outrem. O registro é obrigatório. Férias Vencidas e não gozadas. ou ofensas físicas.” Direitos Rescisórios: Saldo de Salário.  Demissão Direitos Rescisórios: Saldo de Salário. desde que cumpridas as exigências legais para sua legitimidade. onde um determina e o outro cumpre. nas mesmas condições. Prazo Determinado: Diferentemente do Contrato de Trabalho por Prazo Indeterminado. É o contrato a ser utilizado para aqueles empregados fixos. serão aplicadas as mesmas regras previstas para a rescisão do contrato de  . com fixação do seu termo final. i) abandono de emprego. a exemplo de secretária. Obrigatoriedade da empresa de aguardar 6 meses entre a data do término deste contrato e um novo contrato por prazo determinado com o mesmo trabalhador. férias vencidas e não gozadas. j) ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa. atendente etc.g) violação de segredo da empresa. Férias (na proporção de 1/12 por mês de serviço ou fração superior a 14 dias) Como ele é configurado? Quando existe contratação de uma pessoa que cumpra ordens. Rescisão antecipada do contrato – sem justo motivo (com previsão contratual): Se houver cláusula no contrato por prazo determinado que permita a ambas as partes a rescisão antecipada e imotivada do contrato. exceto para o contrato de experiência que é de 90 dias. ou seja.

natal etc. ou seja. atividades empresariais de caráter transitório. o trabalhador for contratado novamente? O contrato se transforma automaticamente em contrato por prazo indeterminado. Existem 3 hipóteses:  serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo. o mesmo deverá indenizar o empregador nos mesmos moldes anteriores. logo após o prazo máximo de 2 anos e antes do período de 6 meses de carência. cujo contrato por prazo determinado encerrou-se no limite máximo de 2 anos. adota-se. além dos demais direitos trabalhistas.: empresa que fabrica produtos sazonais: fogos. como regra geral. o disposto no artigo 479. o mesmo precisa ser expresso e por escrito. Se o empregador quiser contratar novamente o mesmo trabalhador. . Caso seja o empregado que rescindir o contrato antes do término. que prevê indenização no valor igual à metade da remuneração a que teria direito se o contrato fosse cumprido até o final. Ex. O contrato tem duração é de 90 dias (não 3 meses)   O que acontece se ele for prorrogado além dos 2 anos? Ou se. Como ele é configurado? Para ser válido o contrato. da Consolidação das Leis do Trabalho.: substituição de empregados em férias. contrato de experiência. o empregador poderá admitir o trabalhador através de um contrato por prazo indeterminado. Ex. terá que aguardar o intervalo de 6 meses entre este e o novo contrato por prazo determinado. aviso prévio e multa de 40% sobre o montante do depósito do FGTS (parte do empregado). Para não ser obrigado a esperar o prazo de 6 meses.trabalho por prazo indeterminado.  Rescisão antecipada do contrato – sem justo motivo (sem previsão contratual): Inexistindo essa previsão. ovos de páscoa.

Exemplo: Representante Comercial Prestação de Serviços x Contrato de Trabalho O que afasta o contrato de prestação de serviços da relação de emprego é. por sua natureza. ou seja. continuado e assalariado. . há outras características que afastam a relação de emprego. típicos de rescisão sem justa causa nos contratos de prazo indeterminado. Embora nossa legislação também comporte o trabalho subordinado nas modalidades de trabalho sem vínculo empregatício. por pessoa que tem o poder de organizar. não caracterizam relação de emprego. próprias do trabalho subordinado. é que quando estes contratos cessam descabem pagamentos de aviso prévio e multa de 40% do FGTS. sem qualquer subordinação hierárquica. a independência técnica do prestador em relação ao tomador dos serviços e a impessoalidade. controlar e disciplinar suas atividades. Trabalho Autônomo Como o próprio nome sugere. trabalho autônomo é aquele prestado por profissional independente no ajuste e na execução de seu trabalho. Atenção: é comum o empreendedor contratar uma pessoa com características próximas da ora tratadas.Observação: A vantagem de celebrar contrato por tempo determinado. do avulso e do temporário. Consiste em atividade pessoal e habitual. ou seja. Os Contratos de Trabalho sem vínculo empregatício são contratos de trabalho que. não trazem em seu objeto as características determinantes do vínculo empregatício. como é o caso do trabalhador eventual. em que o profissional normalmente se relaciona com vários clientes. mas na verdade estão presentes os elementos que caracterizam o vínculo empregatício. essencialmente. quando possível.

nem sempre estas alternativas afastam as . Após a análise da legislação específica de cada um dos contratos. O grande marco doutrinário que diferencia uma locação de serviço de um contrato de trabalho é a subordinação. obrigatoriamente. um prazo determinado para acabar. Para MARTINS (2002. uma margem para o administrador do serviço. Em uma análise preliminar. o empresário está diante de uma decisão difícil. O contrato de trabalho é.. nos contratos de trabalho o empregador define a modalidade de atuação concreta do trabalhador. caberia ao gestor uma análise final. O mercado brasileiro tem demonstrado uma preferência pelos contratos de prestação de serviços. de duração. o que configura a subordinação deste no desenvolver de suas atividades. concluído por tempo indeterminado (princípio da continuidade da relação de emprego). em realizar uma análise de risco. que não se exaure numa única prestação.Quanto à sua duração. bem como os aspectos de sua legislação específica. o contratante pagará. Antes de tomar a decisão sobre qual o tipo de contrato adotar. em que é pago o preço e entregue a coisa”. como ocorre com a compra e a venda. O gestor deve preocupar-se. No entanto. O primeiro deles é o aspecto financeiro. pois aquele pacto é um contrato de trato sucessivo. também. Nos contratos empregatícios há uma prerrogativa diretiva do empregador. cuja expectativa recai sobre o resultado. em regra. o contratante avalia a complexidade do serviço a ser contratado. No entanto. além dos custos diretos. já que nos contratos de prestação de serviços. O risco jurisdicional e a complexidade da legislação trabalhista é um incentivo para que as empresas busquem alternativas no momento de contratar. Assim. antes da tomada de decisão. 39) “. e de uma avaliação financeira. p. pode-se imaginar que todas as contratações diretas são mais vantajosas financeiramente. do risco. nem sempre a contratação direta dos funcionários representa um ganho financeiro. já que no momento em que se cumpre o objeto considera-se encerrado o contrato. um dos requisitos do contrato de trabalho é a continuidade na prestação de serviços. CONSIDERAÇÕES FINAIS (Coisas legais de falar) Ao contratar funcionários para realizar um trabalho ou optar pela contratação de uma empresa prestadora de serviços que execute as mesmas tarefas. Esta prerrogativa não ocorre nos contratos de prestação civil de serviços. onde a prestação se resume a um fazer predeterminado.. que envolve inúmeros aspectos. Já os contratos de prestação de serviços têm.

2008 Resumo da Legislação Trabalhista. levando-se em conta todos os aspectos legais. Utfpr. Igor Teixeira Braga. 2011 Dos direitos dos Empregados Contratados por Prazo Determinado. A análise de cada cláusula contratual pode ser um diferencial determinante para tomada de decisão. Cabe ao administrador. Assim. Alexandre José Granzotto . avaliando se os eventuais ganhos financeiros imediatos são relevantes diante dos riscos relacionados à contratação.empresas dos riscos jurisdicionais. Juris Away. para realizar uma contratação de sucesso passa a ser necessária uma análise cuidadosa de cada contratação e de cada contrato. Bibliografia: Análise de Riscos em Contratos de trabalho e de prestação de serviços. gerente ou empresário perceber todos estes fatores no momento de decidir por um ou outro tipo de contrato. uma vez que sempre há a possibilidade de equiparação à relação de emprego. tributários e financeiros. Leslie de Oliveira Bocchino e Lauro e Elias Neto.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->