Você está na página 1de 7

Cópia não autorizada

JUN 1995

NBR 13403

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas
Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210 -3122 Telex: (021) 34333 ABNT - BR Endereço Telegráfico: NORMATÉCNICA

Medição de vazão em efluentes líquidos e corpos receptores Escoamento livre

Copyright © 1995, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Procedimento Origem: Projeto 01:602.02-008/1993 CEET - Comissão de Estudo Especial Temporária de Meio Ambiente CE-01:602.02 - Comissão de Estudo de Poluição das Águas NBR 13403 - Flow measurement of liquid effluents and water bodies - Open flow - Procedure Descriptors: Flow measurer. Liquid effluent. Pollution. Environmental Válida a partir de 31.07.1995 Palavras-chave: Medidor de vazão. Efluente líquido. Poluição. 7 páginas Meio ambiente

1 Objetivo
Esta Norma fixa as condições exigíveis para a identificação do método mais adequado para a medição de vazão em efluentes líquidos e corpos receptores.
Nota: Não são do escopo desta Norma o dimensionamento e o detalhamento dos métodos.

2.5 Estratificação térmica Presença de camadas de temperaturas diferentes nas massas líquidas. 2.6 Fluxo Movimento da massa líquida, quantificado pela vazão. 2.7 Lâmina líquida A altura da massa líquida em um escoamento. 2.8 Lâmina líquida aderente ao vertedor Lâmina que não apresenta ar entre a parede do vertedor e a massa líquida. 2.9 Método da calha Palmer-Bowlus Método que utiliza calha construída de forma a convergir o fluxo em uma garganta (que tem comprimento do fundo em nível aproximadamente igual a um diâmetro da tubulação), com condições tais que permitam ao fluxo deixar a garganta com velocidade supercrítica. A seção de controle deve ser estabelecida na garganta. 2.10 Método da calha Parshall Método que utiliza dispositivo com seção convergente, com fundo em nível, seção estrangulada ou garganta, com fundo em declive e seção divergente, com fundo em aclive. A vazão deve ser determinada a partir da leitura, em escala, da lâmina líquida na seção convergente.

2 Definições
Para os efeitos desta Norma são adotadas as definições de 2.1 a 2.29. 2.1 Agentes contaminantes Aqueles que, ao serem introduzidos no meio, resultam em concentrações nocivas à saúde humana, animal e vegetal, como organismos patogênicos, substâncias tóxicas perigosas ou radioativas. 2.2 Agentes poluidores Aqueles que, ao serem introduzidos no meio, resultam em interferências prejudiciais aos usos preponderantes das águas, do ar e do solo, previamente estabelecidos. 2.3 Carga hidráulica no vertedor Altura atingida pela massa líquida, a contar da cota da soleira do vertedor. 2.4 Escoamento livre Escoamento quando o líquido, em qualquer ponto de superfície livre, apresenta pressão igual à atmosférica. O escoamento ocorre sempre por gravidade.

recomenda-se a utilização das Tabelas 1 e 2. 2. 2. Devem. deve ser superior a 4000. que possui abertura por onde o fluxo passa. submersa a montante. 2. medidas da tensão induzida na corrente líquida ao passar por um campo magnético. 2. 3 Condições gerais Como orientação na escolha dos métodos de medição. 2. a vazão.27 Traçadores radioativos Método que utiliza a emissão de ondas ultra-sônicas para.22 Remanso Diminuição da velocidade do fluxo. emitir radiação gama.18 Método do vertedor (ou vertedouro) Método que utiliza dispositivo. que consiste em observar-se o tempo necessário para um objeto flutuante deslocar-se em um trecho de comprimento conhecido.25 Traçadores corantes Substâncias químicas que apresentam cor e/ou fluorescência introduzidas no escoamento.12 Método magnético (eletromagnético) Método que utiliza. em determinado trecho. 2. a partir destas. medir a velocidade média de um escoamento.14 Método dos orifícios. introduzido perpendicularmente às linhas de corrente. somente no caso de yx ser inferior a 56% do diâmetro. devido à presença de uma singularidade.15 Método dos tubos horizontais Método que utiliza tubo horizontal jorrando livremente. bocais e tubos curtos Método que utiliza dispositivos com uma abertura de forma geométrica regular. sem auxílio de coagulante e floculante.20 Perda de carga Variação do nível da linha de energia entre dois pontos em um escoamento. A velocidade apresenta. São empregados sais solúveis. Nota: O número de Reynolds. .21 Regime turbulento Movimento de massa líquida. 2. em qualquer instante.Cópia não autorizada 2 NBR 13403/1995 2.19 Método volumétrico Método que verifica o tempo necessário para acumular determinado volume. 2. por meio da sua correlação com o número de rotações de uma hélice ou conchas de um dispositivo chamado molinete. águas residuárias ou outro líquido. 2. Substâncias químicas com características radioativas introduzidas no escoamento. A vazão deve ser determinada por meio da sua relação unívoca com a lâmina líquida (yx) na saída do tubo. 2. em paredes de reservatórios e tanques ou em uma placa colocada transversalmente ao fluxo em canais.24 Sorção Termo geral para os processos de absorção e adsorção.28 Vazão Volume de líquido que escoa. A vazão deve ser determinada a partir da leitura da carga hidráulica no vertedor. 2.11 Método dos flutuadores Método para determinação da velocidade. de forma a determinar a velocidade e/ou concentração e. para determinar a vazão. quimicamente estáveis e inócuos ao meio ambiente. 2. para escoamento turbulento. por meio de sensores ultra-sônicos adequadamente posicionados.26 Traçadores químicos Substâncias químicas introduzidas no escoamento. de forma a determinar a velocidade e/ou concentração. 2. em um período de tempo de 1 h. de forma a determinar velocidade e/ou concentração. um componente transversal à direção do fluxo. por meio de uma seção. de preferência. caracterizado pelo movimento desordenado das partículas. na unidade de tempo. de forma a determinar a velocidade e/ou concentração. 2.23 Sólidos sedimentáveis Aqueles que se sedimentam em condições de tranqüilidade nas águas.13 Método do molinete Método que utiliza a determinação da velocidade de um fluido. 2. 2. A razão deste volume pelo tempo é a vazão.17 Método ultra-sônico (acústico) 2.16 Método dos traçadores Método que introduz substâncias químicas no escoamento.29 Vórtice Torvelinho ou intenso movimento espiral de parte da massa líquida. 2.

Vazão esperada e métodos recomendados para escoamento livre Vazão (L/s) Métodos Volumétrico Flutuador Vertedor triangular Vertedor retangular Calha Parshall Molinete Traçadores Ultra-sônico Eletromagnético Calha Palmer-Bowlus X X X X X X X Até 1 X X 300 a 1000 1000 a 5000 Acima de 5000 1a5 X X X 5 a 30 30 a 300 X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X Tabela 2 .Principais vantagens e desvantagens dos métodos de medição Itens Erros (%)(A) Custo Operação Tipo de medição(B) (tempo) Interferentes Calibração Tipo de vazão na operação periódica do medida aparelho Métodos Volumétrico Vertedor Calha Parshall Molinete Flutuador Orifícios. bem operados e com boa manutenção. A medição contínua indireta torna-se possível com a instalação de aparelhos registradores de níveis associados à calibração do sistema com qualquer método.Cópia não autorizada NBR 13403/1995 3 Tabela 1 . (B) . exceto o volumétrico e o dos flutuadores. bocais e tubos curtos Traçadores Ultra-sônico Eletromagnético Até 5 De 2 a 5 De 2 a 5 Até 2 Até 3 Até 3 Até 5 Até 20 Baixo Baixo Médio Alto Baixo Baixo Simples Simples Simples Descontínuo Descontínuo Descontínuo Não Sim Não Sim Sim Sim Não Não Não Sim Não Sim Média Instantânea Instantânea Média Média Instantânea Especializada Descontínuo Simples Simples Descontínuo Descontínuo Variável Especializada Descontínuo Alto Alto Especializada Descontínuo Especializada Contínuo ou descontínuo Simples Simples Descontínuo Descontínuo Sim Sim Sim Sim Sim Sim Média Média Média Tubos horizontais Calha Palmer-Bowlus (A) Até 3 Até 3 Baixo Médio Sim Não Sim Não Instantânea Instantânea Esta precisão é definida para aparelhos corretamente instalados.

4. a vazões baixas. tanto para vertedores triangulares como retangulares. como forma. b) pode ser utilizado mesmo com grandes concentrações de materiais em suspensão.1 Método volumétrico 4. 4. d) nos casos em que há elevado teor de sólidos sedimentáveis. d) só deve ser aplicado em trechos retos e com escoamento regular.1 Vantagens oferecem a mesma precisão.1 Vantagens As vantagens são as seguintes: a) pode ser empregado com precisão para seções grandes e/ou irregulares. b) suscetibilidade a avarias causadas por materiais flutuantes afetam a equação de vazão.1 Vantagens As vantagens são as seguintes: a) é um método prático. os vertedores triangulares oferecem maior precisão.1.2.Cópia não autorizada 4 NBR 13403/1995 4 Condições específicas 4. Já para vazões estimadas entre 30 L/s e 300 L/s.2. e) há necessidade de acesso para medir a carga hidráulica a montante do vertedor. especialmente. 4. b) há impossibilidade de medições contínuas de vazão.4. c) para se evitarem problemas de erosão e construção. fora da influência da curvatura da superfície líquida. devido à necessidade de aplicação de um coeficiente para se obter a velocidade média na seção. os vertedores triangulares e os retangulares As vantagens são as seguintes: a) não apresenta problemas significativos de assoreamento. natureza da parede e largura da abertura do vertedor em relação ao canal. 4.4 Método de calha Parshall 4. . c) apresenta menor perda de carga que o método do vertedor.1 Vantagens As restrições são as seguintes: a) deve-se evitar lâmina líquida aderente ao vertedor e manter carga hidráulica maior que 0. d) há impossibilidade de medições contínuas de vazão. b) apenas determina vazões médias. Para vazões acima de 300 L/s.1 Vantagens As vantagens são as seguintes: a) é um método rápido para pré-avaliação. simples ou com lastro. é função das profundidades da massa líquida e do tipo do regime de escoamento. sendo aplicável. ou seja. c) deve-se ter facilidade para instalação do recipiente coletor.2 Restrições As vantagens são as seguintes: a) os vertedores triangulares de parede delgada são os mais precisos. os vertedores retangulares são mais indicados por possuírem coeficientes de vazão mais bem definidos. b) as medições contínuas de vazão são possíveis quando um registrador é acoplado à calha Parshall. devido à sua precisão. deve ser de 0.2 Restrições As restrições são as seguintes: a) só deve ser usado para pré-avaliação quando não for possível o emprego de outro método. faz-se necessária uma limpeza constante. e) é uma medida precária.05 m. c) o tipo de flutuador. deve ser necessária leitura de escala em duas seções. 4.2 Método dos flutuadores 4. 4.2 Restrição Quando a calha for usada afogada.5 Método do molinete 4. 4. b) as determinações contínuas de vazão são possíveis quando um registrador é acoplado ao vertedor. 4. 4. econômicos e fáceis de instalar. baixo custo e simplicidade de operação.2 Restrições As restrições são as seguintes: a) deve-se conciliar o volume do recipiente com a vazão esperada. Para vazões menores que 30 L/s. quando o nível de água a jusante for suficientemente elevado para influenciar o escoamento. A determinação do coeficiente adequado é incerta. b) é o mais recomendável. sempre que possível. altura relativa da soleira.3.50 m.3.1.5. a carga hidráulica máxima aceitável.4.3 Método do vertedor Classifica-se segundo muitos fatores.

no método da diluição.2 Restrições As restrições são as seguintes: a) a vazão a ser medida não pode apresentar variações bruscas. c) a dimensão e posição relativa deste na estrutura devem ser tais. as perdas por sorção em áreas represadas devem ser minimizadas. b) para efluentes industriais sujeitos a variações de temperatura.6.3. 4. deve ser suficientemente longo. c) o método por concentração é mais preciso que o de velocidade. respeitando as exigências do método empregado. Este é aplicado de forma contínua.1 a 4.3. b) apresenta simplicidade de operação. c) deve ser garantida ótima homogeneidade do traçador para o método por concentração d) a amostragem.7. bocais e tubos curtos Classifica-se quanto à forma. 4.7.3. b) o método por velocidade exige um comprimento a jusante do ponto de aplicação que possibilite minimizar erros de cronometragem. 4. d) no caso de minimolinete e micromolinete.30 m para o molinete. dimensões e posição relativa à estrutura. b) seu uso é limitado pela presença de sólidos suspensos. deve ser cuidadosa. Assim.2 Restrições As restrições são as seguintes: a) a medição é restrita à velocidade da corrente.6. .2 Restrições As restrições são as seguintes: a) há necessidade de manter as paredes do medidor com rugosidade constante e livres de obstruções.7. g) o tempo de injeção. h) o método por diluição exige maior quantidade de traçador que o por velocidade. h) exige operação especializada.Cópia não autorizada NBR 13403/1995 5 b) há possibilidade de utilização do mesmo equipamento em diversos locais.1. devendo estar sempre acima de 0. pode haver interferências na medição de vazão. b) o método por concentração não necessita de conhecimento da seção transversal.7 Método dos traçadores Os métodos dos traçadores por velocidade ou por concentração têm muitos requisitos comuns. 4.7.3.7. O traçador é aplicado de forma intermitente.6 Método dos orifícios. f) deve-se ter cuidado na escolha do traçador. c) a altura mínima do nível d'água está limitada em 0.2 Restrições 4. bocal e tubo curto estabelece a diferença entre eles.3. e) qualquer dos dois métodos introduz agentes poluidores no meio.20 m/s. c) as medições contínuas de vazão são possíveis quando um registrador é acoplado ao molinete.3. quando necessária. 4.1.1 Método de traçadores químicos 4. f) não deve ser aplicado na presença de grandes concentrações de sólidos suspensos. quando existir possibilidade de obstrução e assoreamento. ou seja absorvido por eles. g) não deve ser aplicado em regimes turbulentos. O método por velocidade baseia-se na cronometragem do tempo em que o traçador percorre uma distância conhecida. e) deve ser aplicado em trechos retos.7.1 Vantagens As vantagens são as seguintes: a) permitem determinação em escoamento turbulento. b) há impossibilidade de medições contínuas de vazões diretamente. Os tipos de traçadores estão apresentados em 4. 4.5. de forma que ele não sedimente os sólidos presentes na correnteza ou no leito do canal. 4.3 Traçadores As vantagens são as seguintes: a) possui baixo custo. dependendo da substância utilizada. de forma a obterem-se duas amostras consecutivas no ponto de controle com concentrações iguais. 4.1 Vantagens As restrições são as seguintes: a) o método por velocidade necessita de seção transversal uniforme e constante. que evitem a formação de vórtice. 4. A relação entre o comprimento e o diâmetro da abertura do orifício. de forma a evitar represamento do traçador. pois não é possível detectá-las.1 Vantagem É um método de baixo custo e simples operação. de acordo com a aferição do molinete. devese consultar as restrições específicas do aparelho.7.7. em conseqüência da alteração nas condições da mistura. O método por diluição baseia-se na comparação de concentrações do traçador.

9. d) não é afetado por condições de remanso.8.7. .8.3 Método de traçadores radioativos 4.9.1 Vantagens As vantagens são as seguintes: a) é o método mais rápido de detecção por traçador.7.Cópia não autorizada 6 NBR 13403/1995 4. 4. 4. f) com eletrodos ortogonais. à deposição de material na membrana isolante.2. d) as duas seções transversais que contêm os medidores (transdutores) devem ter a mesma distribuição de velocidade (canal em regime uniforme). As vantagens são as seguintes: a) há possibilidade de medições contínuas e instantâneas. c) não é recomendável para massas líquidas que apresentem cor.7.2 Restrições As vantagens são as seguintes: a) pode-se obter alta precisão.2 Método de traçadores corantes 4.8 Método ultra-sônico Os tipos usualmente mais utilizados são contador-propagador (time-of-flight) e reflexão (Doppler). pode-se determinar também a direção do fluxo. à presença de sólidos suspensos. 4. via telemetria. g) não obstrui os canais. e) tem rápido período de resposta (menor que 1 s). Podem ser instalados em estação acústica permanente ou por meio de aparelhos portáteis 4.3. e a remanso.3. c) exige manutenção e limpeza dos eletrodos. d) não tem partes móveis.2 Restrições As vantagens são as seguintes: a) não necessita de equipamento especial para a detecção do traçador utilizado. e) não interfere no fluxo. b) não introduz agente poluidor no meio líquido. 4. c) os traçadores radioativos são detectáveis em concentrações muito baixas. f) é sensível a vórtices.3.7. 4.1 Vantagens g) a variação da turbidez na massa líquida altera a calibração realizada. à presença de gases.1 Vantagens As restrições são as seguintes: a) possui alto custo. 4. ou quando não é desejável perfurar as paredes do canal. b) para traçador fluorescente.3.7. material flutuante. d) é suscetível à presença de campos elétricos e magnéticos na área. b) possui baixo custo.2 Restrições As restrições são as seguintes: a) há necessidade de calirações por meio de outros métodos.2. exceto para o traçador fluorescente. há necessidade de aparelho especial para sua detecção (por exemplo: fluorômetro). c) há necessidade de proteção radiológica aos operadores. d) introduz agente contaminante no meio. h) particularmente útil no caso de fluidos corrosivos.3. b) há necessidade de pessoal qualificado e credenciado por órgão governamental.001 m/s. b) a velocidade mínima detectável é 0. c) o crescimento de plantas aquáticas causa interferências.9 Método eletromagnético 4.3. As restrições são as seguintes: a) a principal fonte de imprecisão é a perda por adsorção do material traçador.3. à estratificação de temperatura. O primeiro é utilizado para águas limpas e o segundo. para a estação acústica permanente.2 Restrições As restrições são as seguintes: a) o aparelho de detecção é específico e de alto custo. b) é um método preciso. c) é tolerante ao crescimento vegetal aquático.1 Vantagens c) há possibilidade de transmissão dos resultados a qualquer parte.3. e) transmissores de estações de rádio podem causar interferências. b) apresenta alto consumo de energia.7. 4. b) exige operação especializada. dependendo da substância utilizada. para águas com materiais em suspensão.

b) para manter precisão.1 Vantagens As vantagens são as seguintes: a) a calha Palmer-Bowlus pode ser instalada em sistemas existentes.11.1 Vantagem 4. c) deve ser construída uma curva de calibração para cada calha. . a) há necessidade de cuidados para evitar fugas sob o aparelho. f) a razão entre a largura do campo operador e a altura da lâmina líquida a ser medida deve ser maior que dois e menor que dez.10. d) o líquido deve jorrar livremente. em um comprimento pelo menos igual a seis vezes o seu diâmetro. a contar da entrada da calha. ser reto. b) a perda de carga é menor que para vertedores e calha Parshall. 4. 4.2 Restrições As restrições são as seguintes: As restrições são as seguintes: a) é difícil medir com precisão a lâmina (ye). b) o tubo deve ter borda bem definida.2 Restrições A curva que relaciona ye /d com a vazão Q é válida para qualquer diâmetro d. trapezoidal e poligonal. c) a deposição de sólidos é desprezível (autolimpeza). d) cada calha só serve para um diâmetro de tubulação. devido à superfície do jato ser curva e instável. quando da sua utilização.10 Método dos tubos horizontais 4. quando o fundo é isolado. O princípio de operação é similar ao da calha Parshall.11 Método da calha Palmer-Bowlus A calha Palmer-Bowlus pode ser construída com forma retangular. 4. 4. quando o fundo não é isolado. perfeitamente horizontal e ter diâmetro constante.10. a altura da lâmina líquida a montante não deve exceder 90% do diâmetro da tubulação e o ponto de medição a jusante deve ser a 50% do diâmetro. apresenta erro de 3%. c) o tubo deve.Cópia não autorizada NBR 13403/1995 7 e) turbulência e vórtices causam interferências.11. e menor que 200. como rede de esgotos. d) usado sob condições adequadas.