“Mesa Redonda do artesanato e da produção familiar”

Xapuri – outubro de 2011

ROTEIRO MESA REDONDA XAPURI
Xapuri 18 de Outubro de 2011

Horário 8:30 8:45

Atividade Abertura: Secretaria de Produção e Meio Ambiente (Leide Aquino)

Apresentação dos representantes das entidades e grupos presentes

9:00

Apresentação dos resultados da ação do CONDIAC (diagnóstico 15 min. e quadro fortalezas e desafios como resultado de uma oficina realizada no município de Xapuri pelo CONDIAC/GIZ 10 min.) Carol - Karin

9:30

Apresentação das linhas de trabalho e programa das entidades locais e estaduais relacionadas ao artesanato e agroindústria (5 min. cada uma) Secretaria de Produção e Meio Ambiente (PMX), SEPN, IDM, CONDIAC, SEF, SEP MULHER.

10.30 11:00

Intervalo Apresentação da sistematização das necessidades e demandas de ação (resultados da oficina acima mencionada) – Análise e complementação (público e integrantes da mesa)

Definição das atividades para apoiar ao sector artesanal (entidades e avaliação pelo público)

Definição dos responsáveis e prazos (entidades, secretaria e artesãos e cooperativas) 12:30 Encerramento (CONDIAC –PMX)

1

PARTICIPANTES
Nome Maria Araujo de Aquino Amine Carvalho Santana Romulo Brando Lázara Marcelino de Souza Francisca Feitosa da Silva Julia Feitosa da Silva Jose Maria Barbosa de Aquino Fernanda R. dos Santos Peixoto Silton Melo Entidade / Grupo Secretaria de Produção e Meio Ambiente – Pref. Xapuri (PMX) Coord. Geral Instituto Dom Moacir (IDM) – Núcleo Xapuri Secretaria Estadual de Pequenos Negócios (SEPN) Secretaría Estadual de Políticas para as Mulheres (SEP Mulher) Instrutora – Secretaria da Floresta (SEF) Secretaría de Ação Institucional (SAI) Secretaria Estadual da Floresta (SEF) Coordenadora de Turismo – Prefeitura de Xapuri Consorcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Alto Acre e Capixaba (CONDIAC) Secretária – Coop. Mãos de Mulher Coop. Mãos de Mulher Cooperativa de Mulheres de Xapuri (COMAX) Presidente Cooperfloresta Gerente Executivo – Coop de Marceneiros de Xapuri Coop. Mãos de Mulher Cooperativa de Mulheres de Xapuri (COMAX) Associação de Moradores da Reserva Extrativista Chico Mendes de Xapuri (AMOPREX) Associação de Moradores da Reserva Extrativista Chico Mendes de Xapuri (AMOPREX) Prefeitura de Xapuri Fundação de Cultura – Prefeitura de Xapuri Secretaria Estadual da Floresta (SEF) GIZ – CONDIAC CONDIAC 2

Gelcilene Pereira da Silva Elecí Pedrosa Quintão Elizette Lunardi Dionisio B. Aquino Aldemor F. da Silva Hma. Inés Zenilda Batista de Souza Antonio Teixeira Mendes

Sebastião Nascimento de Aquino

Haroldo Zaine Sarkis Judson Aparecido da Silva Francisco de Assis Karin Naase Carol Carlo

APRESENTAÇÃO DO DIAGNOSTICO DE ARTESANATO - XAPURI

 Subsidiar informações técnicas sobre o artesanato e

produção agro artesanal a nível familiar no território do Alto Acre e Capixaba para orientar as entidades locais na tomada de decisões sobre intervenções de apoio a empreendimentos nestas áreas.

21/10/2011

21/10/2011

 Análise de informação secundaria  Coleta de dados nos 5 municípios – questionários e

entrevistas com pessoas chaves (artesãos e lideranças de associações e sindicatos), técnicos das Prefeituras.
 Xapuri: 10 pessoas (4 de Mãos de mulher, 4 de

COMAX, 1 saboaria e 1 entalhe)
 Dados sobre produção, comercialização, organização e

apoio.
21/10/2011
21/10/2011

50 40
30%

40%

 Artesanato no município não

30

 As motivações principais para inserir se no artesanato

20% 10%

20 10 0

é uma atividade principal

Agricultor/ Artesão recoletor

Do Lar

Outras

 A contribuição do artesanato à renda familiar é baixa.

é a procura de uma renda (50%) e porque gostam de fazer (30%)  O aprendizado foi mais formalizado, 64% aprenderam as técnicas através de instrutores/as e 36% aprenderam através de meios alternativos (TV, revistas)
De 10,1 em diante 40%

Para o 50% dos artesãos esta é de 10% .
 A grande maioria são mulheres (90%)
21/10/2011

 40% estão 10 anos ou mais

De 5,1 a 10 anos

20% 10% 20% 10% 0 10 20 30 40 50

De 2,1 a 5 anos De 1,1 a 2 anos De 0 a 1 ano

no artesanato

21/10/2011

3

 Produção variada

Decoração Souvenirs Mesa Cozinha Accesórios de moda Escritório Banho Vestuário Cama Cosméticos e higiene pessoal

24% 18% 18%, 12% 12% 6% 3% 3% 3% 3%

 Incorporação de elementos da região (figuras e

materiais)
 Técnicas: costura fuxico, crochê, modelagem de massa

e látex
10 15 20 25

0

5

 Produção cooperada (90%) trabalho em conjunto, não

tem geração de empregos.
 Matérias primas utilizadas: tecidos, fios, massas

e corantes naturais, produtos naturais para sabonetes, látex, madeira
21/10/2011

 Produção permanente  Espaços para a aprendizado e produção (cooperativas

e Oficina – Escola)
21/10/2011

 Perspectivas em quanto à produção: incrementar a

 Vendas principalmente no município: (56%) vende

produção, aprender novas técnicas e desenvolver novos produtos.
 A principal dificuldade é a falta de capital de giro para

só no município, (31%) vende também em outros municípios.
 Acesso a pontos de exposição e venda (80%)  Venda a vista

a compra de materiais e acrescentar a produção.
 Potenciais produtos: Palha de buriti, palha de milho,

fibra de banana e couro vegetal

 Valor da venda por mês: 90% fica entre R$. 200 e só

10% acima de R$ 500 (entalhe)
21/10/2011 21/10/2011

 Ações de promoção

de vendas:

40 35 30 25 20 15 10 5 0

36 % 27 %

36 %

 Presença de duas cooperativas: Mãos de Mulher e

Cooperativa de mulheres de Xapuri (COMAX)
Esposição de Participação Encomendas produtos em Feiras

 Gestão cooperada dos recursos

 Principal dificuldade na comercialização: falta de

valorização do artesanato (56%)

21/10/2011

21/10/2011

4

APRESENTAÇÃO LINHAS DE AÇÃO DE ENTIDADES
PREFEITURA DE XAPURI:  Apoio as cooperativas e grupos de produtores da área urbana, como das comunidades e seringais  Acompanhamento às capacitações, produção e organização de feiras  Espaços para a comercialização, adequação do mercado municipal  Preocupação: Como envolver os artesãos da cidade e os grupos de produtores da área rural nos treinamentos INSTITUTO DOM MOACIR:  Parceria na educação profissionalizante  Andamento de curso de marcenaria, dificuldades de acesso a madeira certificada  Três pessoas estão fazendo especialização em desig em madeira  Trabalham com captação de recursos  Vai ser construída uma escola técnicas em Brasiléia (capacidade para mais de 3000 alunos) SECRETARIA ESTADUAL DA FLORESTA:  Parceria da SEF na Reserva florestal de Xapuri  Apóio as mulheres na utilização de produtos da agricultura familiar (preparação de doces)  Apóiam o manejo florestal comunitário  Apóiam Planos de desenvolvimento comunitário (PDC´s) orientados a melhorar a alimentação e a renda SECRETARIA ESTADUAL DE POLITICAS PARA AS MULHERES:  Cinco eixos da Secretaria, um deles é a organização socioprodutiva das mulheres  Encontram-se na fase de elaboração de projetos  Participam nas ações de outras entidades – parcerias com outras secretarías  Recebem demandas dos grupos de mulheres SECRETARIA ESTADUAL DE PEQUENOS NEGOCIOS:  O segredo é a articulação  O público alvo são as pessoas que tem perfil cadastro único (pessoas que recebem até 3 salários mínimos por família).  Podem ser grupos organizados e não formalizados  A SEPN atua como agente de formalização, formação, instrumentalização e microcrédito  Em Xapuri tem convênio com a Saboaria, fábrica de vassouras. CONDIAC:  Estabelecimento de parcerias com outras entidades  Apóio para a realização de feiras  Trabalho na área de cadeias produtivas e fortalecimento das organizações

5

DEFINIÇÃO DE PROPOSTAS E ATIVIDADES

META PRODUÇÃO Garantir a quantidade, qualidade e variedade do produto.

PROPOSTAS  Cursos técnicos para desenvolver outros produtos    Acompanhament o à produção atual  

ATIVIDADES Capacitação em fibras e sementes de buriti e bananeira Orientação sobre manejo do buriti Assessoria em design Análise da produção atual (qualidade, chances no mercado, desenho, cadeia de produção) Dois cursos em tecnologia de alimentos (Cachoeira, Equador, Rio Branco, seringal floresta) Criação de um catálogo de venda (divulgação)

RESPONSÁVEIS ENTIDADESGRUPOS SEBRAE ?/ SEPN

OBSERVAÇÕ ES Artesãos definem datas

Cooperfloresta/SEF

SEBRAE ?/SEPN SEBRAE?/Consultori a/ SEPN/ CONDIAC/PMX

Consultar com SEBRAE sobre sua participação

SEF/PMX/AMOPRE X

 Parcerias com provedores produtores  Facilitar licenciamento (madeira)  Apoiar o funcionamento do empreendimento (cooperativa dos marceneiros)  Conhecer o mercado  Conhecer o perfil do grupo (artesãos)  Explorar os potenciais turísticos

As atividades ainda não foram definidas

6

META

PROPOSTAS  Organizar feiras locais e regionais 

ACTIVIDADES Feiras de artesanato e feiras natalinas (Xp, Bs, Epi, Rio Branco)

COMERCIALI ZAÇÃO Efetuar uma boa comercializaç ão da produção através do uso adequado de estratégias de comercializaç ão, divulgação de pontos de comercializaç ão e calendário de feiras estabelecidas.

RESPONSÁVEIS ENTIDADESGRUPOS  CONDIAC, prefeituras, cooperativas, SEBRAE, SEPN  PMX, CONDIAC, SEPN, SEF, COOPERFLORE STA, SEMA, SEAPROF, Comitê Chico Mendes, FEM CONDIAC/GIZ

OBSERVAÇÕ ES Data: 3-6 de novembro

Semana Chico Mendes (Xp) (Expo-ambiente) (venda, difusão, cultura e discussão)

18-22 de Dezembro

 Usar os meios de comunicação para a divulgação (radio, folders, blog, sitio, jornais).  Organizar um calendário de feiras  Plano de gestão dos pontos de venda  Conhecer o mercado local e regional – estudo participativo do mercado  Inserção dentro da linha de trabalho da economia solidaria

Capacitação em comunicação

31 de outubro e 1 de novembro

As atividades ainda não foram definidas

ORGANIZA ÇÃO Cooperativas e associações trabalham plenamente.

Cursos de gestão de negócios (livro caixa, tributos, divisão cotas partes, ponto do equilibro do negocio) Capacitação em gestão de negócios (atitudes pessoais, compromisso com a produção).

SEPN, PMX, CONDIAC/GIZ

Os artesãos marcam a data

CONDIAC/GIZ

23 de outubro / novembro

7

ENCAMINHAMENTOS:
1. Foi acordado que não seria possível atender todas as demandas e formular propostas para todas elas. Por isso foram identificadas as propostas prioritárias, para dar inicio ao trabalho. As demais devem ser trabalhadas numa segunda etapa. O SEBRAE devera ser consultado com relação a sua contribuição já inserida no quadro. A Prefeitura de Xapuri como o apoio pontual do CONDIAC fará o acompanhamento das atividades estabelecidas Deve-se marcar uma nova data de reunião para revisar e completar o planejado, convidando as entidades que não puderam assistir a esta reunião.

2.

3.

4.

Epitaciolândia, 21 de outubro de 2011

8

ANEXO FOTOGRAFICO

9

10

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful