P. 1
Direito Penal

Direito Penal

|Views: 1.665|Likes:
Publicado porAdriano Damião

More info:

Published by: Adriano Damião on Dec 26, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/13/2013

pdf

text

original

DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal

PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL

1. (Delegado Polícia Civil/RJ/CEPERJ 2009) Ensina JORGE DE FIGUEIREDO DIAS que “o princípio do Estado de Direito conduz a que a proteção dos direitos, liberdade e garantias seja levada a cabo não apenas através do direito penal, mas também perante o direito penal” (DIAS, Jorge de Figueiredo. Direito penal: parte geral. tomo I. Coimbra: Coimbra Editora, 2004, p. 165). Assim, analise as proposições abaixo e, em seguida, assinale a opção correta.
I- O conteúdo essencial do princípio da legalidade se traduz em que não pode haver crime, nem pena que não resultem de uma lei prévia, escrita, estrita e certa. II- O princípio da legalidade estrita não cobre, segundo a sua função e o seu sentido, toda a matéria penal, mas apenas a que se traduz em fixar, fundamentar ou agravar a responsabilidade do agente. III- Face ao fundamento, à função e ao sentido do princípio da legalidade, a proibição de analogia vale relativamente a todos os tipos penais, inclusive os permissivos. IV- A proibição de retroatividade da lei penal funciona apenas a favor do réu, não contra ele. V- O princípio da aplicação da lei mais favorável vale mesmo relativamente ao que na doutrina se chama de “leis intermediárias”; leis, isto é, que entraram em vigor posteriormente à prática do fato, mas já não vigoravam ao tempo da apreciação deste.

determinados delitos, praticados por cidadãos que possuem menor âmbito de autodeterminação diante das circunstâncias do caso concreto, principalmente no que se refere às condições sociais e econômicas do agente. Pode-se afirmar que: a) todas as assertivas estão corretas. b) somente duas das assertivas estão corretas. c) somente duas das assertivas estão erradas. d) estão erradas as de número II e III. e) somente a de número I está errada.

3. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) A Constituição Federal expressamente previu no art. 5º, XLV, que “nenhuma pena passará da pessoa do condenado”, alçando a status constitucional o princípio do nullum crime sine culpa (não há crime sem culpa). Nessa perspectiva, afirma-se:
I. Ao vedar toda forma de responsabilidade pessoal por fato de outrem, a Constituição expressou o princípio segundo o qual a aplicação da pena pressupõe a atribuibilidade psicológica de um fato delitivo à vontade contrária ao dever do indivíduo. II. A culpabilidade deve ser analisada sob três perspectivas, quais sejam, da responsabilidade pessoal, da responsabilidade subjetiva e da função de limitação e garantia do cidadão ao poder punitivo estatal. III. A teoria psicológica da culpabilidade pauta-se pela idéia de que a culpabilidade não passa de um mero vínculo de caráter psicológico, que une o autor ao fato por ele praticado, sendo que o dolo e a culpa são espécies dessa relação psicológica que tem, por pressuposto, a imputabilidade do agente. IV. Para a teoria finalista da culpabilidade, dolo e culpa são “corpos estranhos” na culpabilidade, que consistiria na reprovabilidade da conduta ilícita de quem tem capacidade genérica de entender e querer e podia, nas circunstâncias em que o fato ocorreu, conhecer a sua ilicitude, sendo-lhe inexigível comportamento que se ajuste ao direito. Assinale a alternativa CORRETA: a) Somente a alternativa II é verdadeira. b) Somente as alternativas II e IV são verdadeiras. c) Somente as alternativas I, II, III são verdadeiras. d) Somente as alternativas I e III são verdadeiras.

a) b) c) d) e)

Apenas uma proposição está errada. Estão corretas apenas as proposições I, IV e V. Estão corretas apenas as proposições I, II, III e IV. Todas as proposições estão corretas. Apenas três da proposições estão corretas.

2. (Delegado Polícia Civil/RJ/CEPERJ 2009) Costuma-se afirmar que o direito penal das sociedades contemporâneas é regido por princípios sobre crimes, penas e medidas de segurança, nos níveis de criminalização primária e de criminalização secundária, fundamentais para garantir o indivíduo em face do poder penal do Estado. Analise as proposições abaixo:
I- O princípio da insignificância revela uma hipótese de atipicidade material da conduta. II- O princípio da lesividade (ou ofensividade) proíbe a incriminação de uma atitude interna. III- Por força do princípio da lesividade não se pode conceber a existência de qualquer crime sem ofensa ao bem jurídico protegido pela norma penal. IV- No direito penal democrático só se punem fatos. Ninguém pode ser punido pelo que é, mas apenas pelo que faz. V- O princípio da coculpabilidade reconhece que o Estado também é responsável pelo cometimento de
www.prolabore.com.br

4. (Delegado Polícia Civil/MG/2003) Marque a alternativa que não pode ser considerada uma consequência do Princípio da Lesividade: a) Proibir a incriminação atitudes internas. b) Proibir a incriminação de comportamentos socialmente toleráveis. c) Proibir a incriminação de estados existenciais. d) Proibir a incriminação de condutas desviadas. e) Proibir a incriminação de comportamento que não exceda o âmbito do próprio autor.

1

DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal

5. (Delegado Polícia Civil/MG/2003) Assinale o princípio que não deriva do Princípio da Legalidade a) Irretroatividade da lei penal. b) Subsidiariedade. c) Taxatividade. d) Culpabilidade. e) Fragmentariedade. 6. (Delegado de Polícia Civil/PI/ NUCEPE/ UESPI/2009) Com relação aos princípios penais, assinale a opção correta. a) O princípio da humanidade das penas proíbe, em qualquer hipótese, a pena de morte no ordenamento jurídico brasileiro. b) O princípio da especialidade consagra que a lei penal geral deve afastar a lei penal especial naquilo em que elas forem conflitantes. c) O princípio da legalidade permite a criação de tipos penais incriminadores através da edição de medidas provisórias. d) Segundo o princípio da intervenção mínima, o direito penal deve atuar como regra e não como exceção. e) Segundo o princípio da intranscendência, a pena não pode passar da pessoa do condenado.
(Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Considerando os princípios constitucionais penais e o disposto no direito penal brasileiro, julgue os itens subsecutivos.

10. Considere que um indivíduo seja preso pela prática de determinado crime e, já na fase da execução penal, uma nova lei torne mais branda a pena para aquele delito. Nessa situação, o indivíduo cumprirá a pena imposta na legislação anterior, em face do princípio da irretroatividade da lei penal. 11. Na hipótese de o agente iniciar a prática de um crime permanente sob a vigência de uma lei, vindo o delito a se prolongar no tempo até a entrada em vigor de nova legislação, aplica-se a última lei, mesmo que seja a mais severa. 12. (Delegado de Polícia Civil/PA/2006/ CESPE Julgue os itens seguintes, com relação aos princípios constitucionais de direito penal. I A decisão acerca da regressão de regime deve ser calcada em procedimento no qual sejam obedecidos os princípios do contraditório e da ampla defesa, sendo, sempre que possível, indispensável a inquirição, em juízo, do sentenciado. II A vigente Constituição da República, obediente à tradição constitucional, reservou exclusivamente à lei anterior a definição dos crimes, das penas correspondentes e a conseqüente disciplina de sua individualização. III O princípio da presunção de inocência proíbe a aplicação de penas cruéis que agridam a dignidade da pessoa humana. IV Em virtude do princípio da irretroatividade in pejus, somente o condenado é que terá de se submeter à sanção que lhe foi aplicada pelo Estado. A quantidade de itens certos é igual a a) 1. b) 2. c) 3. d) 4. 13. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) Cabe ao legislador, na sua propícia função, proteger os mais diferentes tipos de bens jurídicos, cominando as respectivas sanções, de acordo com a importância para a sociedade. Assim, haverá o ilícito administrativo, o civil, o penal etc. Este último é o que interessa ao direito penal, justamente por proteger os bens jurídicos mais importantes (vida, liberdade, patrimônio, liberdade sexual, administração pública etc.). O direito penal a) tem natureza fragmentária, ou seja, somente protege os bens jurídicos mais importantes, pois os demais são protegidos pelos outros ramos do direito. b) tem natureza minimalista, pois se ocupa, inclusive, dos bens jurídicos de valor irrisório. c) tem natureza burguesa, pois se volta, exclusivamente, para a proteção daqueles que gerenciam o poder produtivo e a economia estatal. d) é ramo do direito público e privado, pois protege bens que pertencem ao Estado, assim como aqueles de propriedade individualizada. e) admite a perquirição estatal por crimes não previstos estritamente em lei, assim como a retroação da lex gravior. 2

7. Quanto ao concurso de pessoas, o direito penal brasileiro acolhe a teoria monista, segundo a qual todos os indivíduos que colaboraram para a prática delitiva devem, como regra geral, responder pelo mesmo crime. Tal situação pode ser, todavia, afastada, por aplicação do princípio da intranscendência das penas, para a hipótese legal em que um dos colaboradores tenha desejado participar de delito menos grave, caso em que deverá ser aplicada a pena deste. 8. Segundo a jurisprudência do STF, é possível a aplicação do princípio da insignificância para crimes de descaminho, devendo-se considerar, como parâmetro, o valor consolidado igual ou inferior a R$ 7.500,00.
(Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Acerca dos princípios constitucionais que norteiam o direito penal, da aplicação da lei penal e do concurso de pessoas, julgue os itens abaixo.

9. Prevê a Constituição Federal que nenhuma pena passará da pessoa do condenado, podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação de perdimento de bens ser, nos termos da lei, estendidas aos sucessores e contra eles executadas, até o limite do valor do patrimônio transferido. Referido dispositivo constitucional traduz o princípio da intranscendência.
www.prolabore.com.br

DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal

14. (Delegado de Polícia Civil/MA/2006/FCC) Tem efeito retroativo a lei que a) elimina circunstância atenuante prevista na lei anterior. b) comina pena mais grave, mantendo a definição do crime da lei anterior. c) torna típico fato anteriormente não incriminado. d) não mais incrimina fato anteriormente considerado ilícito penal. e) acrescenta circunstância qualificadora não prevista na lei anterior. 15. (Delegado de Polícia/PB/IPAD/2006) No Direito Penal Brasileiro, segundo a doutrina majoritária, a aplicação da analogia: a) é o mesmo que interpretação analógica. b) é possível, quando baseada no princípio da eqüidade. c) não é possível devido ao princípio da legalidade. d) é possível e necessária para preencher as lacunas da lei. e) é impossível em toda e qualquer circunstância. 16. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) Sobre a teoria, interpretação e aplicação da norma penal, é CORRETO afirmar: a) a interpretação analógica é aquela que abarca os casos análogos, conforme uma fórmula casuística gravada no dispositivo legal, não sendo admitida em direito penal. b) as normas penais que definem o injusto culpável e estabelecem as suas conseqüências jurídicas são passíveis de aplicação analógica. c) normas penais em branco impróprias são aquelas em que o complemento se encontra contido em outra lei emanada de outra instância legislativa. d) o criminoso na realidade não viola a lei penal, e sim a proposição que lhe prescreve o modelo de sua conduta, que é um preceito não escrito.
A LEI PENAL NO TEMPO

espaço aéreo correspondente ao alto-mar é alcançado pela legislação penal brasileira, caracterizando um dos casos de territorialidade.

2. (Delegado de Polícia Civil/MS/2006/FAPEC) O Delegado de Polícia Carlos lavra durante o plantão do 1º. Distrito Policial da Capital de 15/01/2005 um boletim de ocorrência referente a uma agressão a faca praticada por Cláudio contra Josias. O fato ocorre na festa de aniversário de Cláudio, cerca de vinte minutos antes deste completar a maioridade penal, em virtude de uma briga havida entre ambos, sendo verdade que Cláudio desfere oito facadas no tórax e abdômen de Josias. Cláudio foge do local e Josias é socorrido à Santa Casa local, aonde vem a óbito 5 horas após a internação. O Delegado de Polícia João da Silva deverá: (A Delegacia de Homicídios investiga crimes contra a vida e a Delegacia Especializada de atendimento à Infância e Juventude a conduta de menores) a) Registrar o fato como crime de lesão corporal seguida de morte e enviar o boletim de ocorrência para a Delegacia Especializada de atendimento à Infância e Juventude. b) Registrar o fato como ato infracional de homicídio e enviar o boletim de ocorrência para a Delegacia Especializada de atendimento à Infância e Juventude. c) Registrar o fato como ato infracional de homicídio e enviar o boletim de ocorrência para a Delegacia de Homicídios. d) Registrar o fato como crime de homicídio e enviar o boletim de ocorrência para a Delegacia Especializada de atendimento à Infância e Juventude. e) Registrar o fato como crime de homicídio e enviar o boletim de ocorrência para a Delegacia Especializada de Homicídios. 3. (Delegado de Polícia Civil/PI/NUCEPE/ UESPI/2009 Com relação à lei penal no tempo, assinale a alternativa correta. a) A lei penal mais benéfica é portadora da retroatividade, mas não da ultratividade. b) A lei penal mais benéfica é portadora da ultratividade, mas não da retroatividade. c) Uma lei penal em prejuízo do réu só poderá retroagir antes de iniciado o processo penal. d) A lei penal incriminadora é portadora da ultratividade. e) A lei penal descriminalizadora é portadora da extratividade.

1. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Sobre a aplicação da lei penal no tempo e no espaço marque a opção verdadeira. a) Ninguém pode ser responsabilizado por crimes previstos em leis excepcionais ou temporárias após o decurso do lapso temporal destas, pois ocorre o que chamamos de abolitio criminis indireto. b) Em relação ao tempo do crime o direito penal brasileiro adotou a teoria do resultado, onde se considera consumado o crime no momento em que este é consumado. c) A lei brasileira pode ser aplicada em todos os crimes praticados contra o Presidente da República em qualquer lugar do mundo. Tal possibilidade é baseada na aplicação do princípio da Soberania do Estado. d) Um fato criminoso que ocorra em uma aeronave comercial brasileira que esteja sobrevoando o
www.prolabore.com.br

3

DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal

4. Delegado De Polícia Civil – MS – 2006 – FAPEC Em 15/12/2005, ocorre em toda região norte do país forte estiagem, ocasionando situação de calamidade pública pela falta de chuva. As reservas de água dos Estados afetados alcançam níveis baixos, faltando inclusive água potável para a população. Em virtude do período anormal, é editada lei que tipifica a conduta de uso desnecessário de água. Em 15/01/2006 a estiagem acaba, com a chegada de chuvas, normalizando por completo o abastecimento da água na região afetada, ocasionando a autorevogação da lei que tipificou a conduta de uso desnecessário de água. Em 18/12/2005, João da Silva é flagrado lavando seu carro e responsabilizado por tal conduta. Em 15/01/2006, o processo referente à conduta de João da Silva está em fase de instrução criminal. a) Por força dos efeitos da abolitio criminis o processo é arquivado imediatamente. b) O processo continua seu curso normal, mesmo com a revogação da lei. c) Por força dos efeitos da novatio legis in mellius e do abolito criminis simultaneamente o processo é arquivado imediatamente. d) Por força dos efeitos da novatio legis in mellius o processo é arquivado imediatamente. e) N. D. A. 5. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – A lei temporária não possui ultratividade. II – Retroatividade é a aplicação de uma lei penal benéfica, já revogada, a um fato ocorrido durante o período da sua vigência. III – De acordo com o STF, se o agente inicia a execução do crime permanente sob a vigência de uma lei e a consumação só ocorre quando já em vigor nova lei, mais rigorosa, esta deverá ser aplicada, ainda que prejudicial ao agente. a) Estão corretas todas as alternativas. b) Estão erradas todas as alternativas. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. d) Está correta apenas a alternativa I. e) Está correta apenas a alternativa III. 6. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Analise as alternativas a seguir. Todas estão corretas, exceto a: a) O ordenamento penal brasileiro é aplicável, em regra, ao crime cometido no território nacional. O Brasil adotou o princípio da territorialidade temperada: aplica-se a lei brasileira ao crime cometido no Brasil, mas não de modo absoluto, pois ficaram ressalvadas as exceções constantes de convenções, tratados e regras de direito internacional. b) Quanto ao tempo do crime, o Código Penal brasileiro adotou a teoria da atividade, isto é, considera-se praticado o crime no momento da ação ou omissão, ainda que seja outro o momento do resultado.

c) A prescrição, antes de transitar em julgado a sentença final, começa a correr do dia em que o crime se consumou. d) A lei excepcional ou temporária, embora decorrido o período de sua duração ou cessadas as circunstâncias que a determinaram, aplica-se ao fato praticado após a sua vigência. 7. (Delegado da Polícia Civil – RO – 2009 – FUNCAB) A respeito das regras que tratam da aplicação da lei penal, disciplinadas no Título I do Código Penal, é correto afirmar que: a) a pena cumprida no estrangeiro em nada interfere na aplicação da pena imposta no Brasil pelo mesmo crime. b) pela teoria da ubiquidade, considera-se praticado o crime no momento da ação ou omissão, bem como no momento em que se produziu o resultado. c) a lei excepcional ou temporária, uma vez findo o período de sua duração ou cessadas as circunstâncias que a determinaram, não poderá retroagir para atingir os fatos ocorridos durante a sua vigência. d) a lei penal mais grave aplica-se ao crime continuado ou ao crime permanente, se a sua vigência é anterior à cessação da continuidade ou da permanência. e) a lei posterior favorável ao agente aplica-se aos fatos anteriores, exceto quando já decididos por sentença condenatória transitada em julgado. 8. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) Assinale a opção correta com relação à lei penal no tempo e no espaço, à interpretação da lei penal e à imputabilidade penal. a) Caso uma empresa do ramo de madeireiras, após cometer toda ordem de crimes ambientais, tenha IP aberto contra si, a perquirição estatal deverá voltarse contra crimes ambientais em tese praticados por pessoa jurídica, não podendo alcançar qualquer sócio ou diretor, pois não há, na legislação pátria, suporte jurídico para a chamada teoria da dupla imputação. b) Considere a seguinte situação hipotética. Gilberto, atualmente processado por crime não violento contra a liberdade sexual praticado, em tese, antes da Lei n.º 11.106/2005, que revogou o inciso VII do art. 107 do CP (rol das causas extintivas da punibilidade), requereu que fosse reconhecida a causa extintiva, haja vista que casara com a dita vítima. Nessa situação, conforme o entendimento mais recente do STF, o juiz deverá indeferir o pedido de Gilberto, já que o aludido inciso só poderia ser aplicado se já não estivesse, atualmente, revogado pela Lei n.º 11.106/2005. c) Considere a seguinte situação hipotética. Bira, auxiliado por Giovane, sequestrou sua própria vizinha. Ocorreu que, em virtude de a família da vítima se negar a pagar o resgate, passaram-se mais de 15 dias desde o início do cativeiro. Nesse termo, 4

www.prolabore.com.br

é CORRETO afirmar que: a) São espécies de extra-atividade da lei penal a retroatividade in malam partem e a ultra. Assinale: a) se somente a afirmativa I estiver correta. desde que o crime figure entre aqueles que. A LEI PENAL NO ESPAÇO 1. e) as embarcações e aeronaves brasileiras. for mais benigna. o território brasileiro não será considerado local de ocorrência da conduta. dentro de uma embarcação da Marinha Mercante Brasileira. aumentando a pena do crime em questão. c) O entendimento do STF a respeito da posse de drogas para consumo pessoal não implicou abolitio criminis. compete ao juízo das execuções a aplicação de lei mais benigna. Ficam sujeitos à lei brasileira. onde quer que se encontrem. pois o homicídio só se consumou quando a vítima já havia completado 14 anos de idade. (Delegado de Polícia Civil/MG/2007) Sobre a lei penal. não será aplicada a lei nova em virtude da obrigatória aplicação da lei mais benéfica.prolabore. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) Assinale a alternativa que apresente local que não é considerado como extensão do território nacional para os efeitos penais. 11. já tendo completado os 14 anos de idade. d) Caso um cidadão alemão. houve uma despenalização. d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. do Distrito Federal. d) Segundo a teoria da atividade. para o tipo. a) Transitada em julgado a sentença condenatória. Ficam sujeitos à lei brasileira.atividade.com. durante o período em que a vítima esteve sob a custódia dos réus. se o autor de tiros for menor de 18 anos de idade à época dos tiros. achando-se aquelas em pouso no território nacional ou em vôo no espaço aéreo correspondente. Manoel. d) Em matéria de prescrição. assinale a alternativa incorreta acerca da aplicação da lei penal. 10. efetuou um disparo contra um adolescente que completaria 14 anos no dia seguinte. b) se somente a afirmativa II estiver correta. de acordo com a posição sumulada do STF. www. d) aeronaves ou embarcações estrangeiras de propriedade privada. III. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) Relativamente ao tema da territorialidade e extraterritorialidade. o aumento da pena não é aplicável. c) A abolitio criminis equivale à extinção da punibilidade dos fatos praticados anteriormente à edição da nova lei e faz cessar todos os efeitos penais e civis da sentença condenatória transitada em julgado. e) No sistema jurídico brasileiro. mercantes ou de propriedade privada. embora cometidos no estrangeiro os crimes contra a administração pública. entendida como exclusão. e) A lei penal mais benigna possui retroatividade e ultratividade. II. analise as afirmativas a seguir. com 22 anos de idade. quando em território estrangeiro ainda que julgados no estrangeiro. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2006) Nos item a seguir é apresentada uma situação hipotética acerca das normas pertinentes à parte geral do Código Penal seguida de uma assertiva a ser julgada. mercantes ou de propriedade privada. por tratado ou convenção. b) A lei temporária é exceção ao princípio da irretroatividade da lei penal. a pena é aumentada caso a vítima seja menor de 14 anos de idade. no crime de homicídio doloso. a serviço do governo brasileiro.br 2. Nessa situação. em tese. também temporária. que se achem. respectivamente. sendo ela ultra-ativa. a teoria adotada pelo Código Penal é a da atividade. c) as embarcações e aeronaves brasileiras. b) A lei penal temporária é inaplicável a fatos ocorridos em sua vigência quando a lei posterior. pois o navio estava ancorado em águas estrangeiras. não poderá ele responder pelo delito. não se pune o aborto). de natureza pública. 9. c) se somente a afirmativa III estiver correta. a) aeronaves ou embarcações brasileiras. 5 . Ficam sujeitos à lei brasileira. Sabe-se que. no espaço aéreo correspondente ou em alto-mar. e) se todas as afirmativas estiverem corretas. onde quer que se encontrem. b) as aeronaves e as embarcações brasileiras. contribua para que sua esposa. quando em território estrangeiro. embora cometidos no estrangeiro os crimes contra o patrimônio da União. de Território ou de Município quando não sejam julgados no estrangeiro. os crimes praticados em aeronaves ou embarcações brasileiras.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal ou seja. o Brasil se obrigou a reprimir. (Delegado da Polícia Civil/FUNIVERSA/DF/ 2009) Considerando a legislação penal e a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF). ancorada em porto holandês (local onde. das penas privativas de liberdade. assim como para determinação do tempo do crime. por quem está a seu serviço. mas nessa situação. I. não sendo possível outras formas de expressão do direito. a lei é a expressão máxima do positivismo. pratique o abortamento. mercantes ou de propriedade privada. ainda que a vítima morra depois de ele ter completado a maioridade penal. foi publicada lei nova (com vigência e eficácia imediata). o adolescente faleceu. francesa. Em razão das lesões provocadas pelo disparo. de Estado. e estas em porto ou mar territorial do Brasil.

4. no tipo penal em atendimento ao princípio da legalidade. por tratado ou convenção. a) A existência do resultado é essencial para a caracterização de todo e qualquer tipo de crime. Está correta apenas a alternativa III. pois a vítima deu causa ao acidente. não possuindo qualquer importância nos crimes comissivos já que estes só admitem a sua prática pela ação. (Delegado de Polícia/PR/UFPR/2007) Diz o artigo 5º do Código Penal: "Aplica-se a lei brasileira. embora cometidos no estrangeiro. vigoram as regras da ultra-atividade mesmo ante a superveniência de lei mais severa no decorrer da execução do delito. do espaço aéreo e das águas fluviais e marítimas. 2. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – Para os efeitos penais. permanecendo. b) Não ficam sujeitos à lei brasileira os crimes cometidos no estrangeiro contra a administração pública. (Delegado Civil/FUNDEP/2008/MG) Com relação à lei penal no tempo e no espaço. É aplicável a lei brasileira aos crimes praticados à bordo de embarcações estrangeiras de propriedade privada que se encontrem em alto-mar. por quem está a seu serviço. ou seja. já que em ambas o elemento subjetivo do tipo penal é remetido para o conceito da culpabilidade. são submetidos à lei brasileira os crimes cometidos dentro da área terrestre. considere as seguintes afirmativas: 1. 2 e 4 são verdadeiras. por tratado ou convenção. III – A sentença penal estrangeira pode ser homologada no Brasil para sujeitar o condenado ao cumprimento de pena. (Delegado Polícia Civil/BA/2006/ Consulplan) Carlos capaz e imputável. o Brasil se obrigou a reprimir. c) Carlos responderá por crime preterdoloso. ficam sujeitos à lei brasileira sempre www. c) Somente as afirmativas 1. a) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras. d) Para os crimes permanentes. onde quer que se encontrem. Como regra. 3. onde quer que se encontrem. o Brasil se obrigou a reprimir. termina por atropelar um transeunte que imprudentemente atravessa a rua. b) A teoria finalista do crime possui os mesmos elementos de caracterização do fato típico da teoria causalista. não podendo a pena cumprida no estrangeiro atenuar a pena imposta no Brasil. tratados e regras de direito internacional. d) A omissão só é relevante nos crimes omissivos impróprios. de natureza pública ou a serviço do governo brasileiro. têm-se extintos apenas os efeitos penais das sentenças condenatórias. sem prejuízo de convenções. por tratado ou convenção. dirigindo seu veículo com velocidade incompatível para a localidade.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 3. d) Carlos não responderá por crime. o Brasil se obrigou a reprimir.com. Assinale a alternativa correta. obrigatoriamente. II – A extraterritorialidade incondicionada aplicase aos crimes que. os crimes que. que for o fato punível também no país em que foi praticado. os efeitos civis. b) Somente as afirmativas 1. por fato positivo. b) Carlos responderá por crime culposo. devendo o resultado ser previsto. CLASSIFICAÇÃO DOUTRINÁRIA DOS CRIMES a) b) c) d) e) Estão corretas todas as alternativas. especialmente considerando o disposto no Código Penal em que toda ação ou omissão é considerada causa do resultado tido como ilícito.prolabore.R. inclusive alcançando o dispositivo fatos pretéritos objetivamente julgados. assinale a afirmativa CORRETA. Está correta apenas a alternativa I. a) Apesar de pela a abolitio criminis se deixar de considerar determinado fato crime.br 6 . de natureza privada. consideram-se como extensão do território nacional as embarcações e aeronaves brasileiras. e) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.A 5. 4. impondo a imputação dos fatos anteriores. e) N. cometidos por brasileiros no estrangeiro. contudo. Estão corretas apenas as alternativas II e III. Consideram-se extensão do território nacional as embarcações e aeronaves brasileiras. c) A ocorrência de causa superveniente relativamente independente não isenta de responsabilidade criminal o agente. 1. ao crime cometido no território nacional". 2. Estão erradas todas as alternativas. 2 e 3 são verdadeiras. Ficam sujeitos à lei brasileira. Sobre a lei penal no espaço. desde que individualmente tidos como criminosos. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Sobre o conceito de crime marque a opção verdadeira. Marque a alternativa correta: a) Carlos responderá por crime doloso. d) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras. c) Os crimes que.

Para a concepção formal. e) A tipicidade conglobante inclui as causas de justificação no próprio tipo. sob ameaça de aplicação de pena. como a família. (Delegado Civil/FUNDEP/2008/MG) Com relação aos elementos subjetivos do tipo penal. b) A tipicidade conglobante verifica se a conduta inicialmente típica está afetando o bem jurídico. o fenômeno é tratado por uma visão legislativa. a conduta ativa ou omissiva manifestada pelo sujeito ativo é penalmente irrelevante sempre se dirigindo a fins lícitos e somente faz surgir responsabilidade criminal quando dá causa a resultado lesivo desejado por inobservância de dever objetivo de cuidado. embora previsto subjetivamente em ambos os casos. d) A culpa no conceito penal é caracterizada pela existência apenas de imprudência e negligência.V . o dolo e a culpa estão situados na culpabilidade. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Em relação à classificação doutrinária dos crimes. No seu conceito analítico. mas assumindo o risco de produzir o resultado danoso previsível.F . assinale a alternativa correta. não. FATO TÍPICO 1. desejando produzir determinado resultado.V . o público ou a sociedade. ou seja. logicamente. Então. espontaneamente organizada no sentido de um comportamento comum contra pessoas ou coisas. c) O dolo indireto ou eventual pode gerar a responsabilização criminal do agente. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Ainda sobre o crime. à adoção da concepção finalista.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 3.V .F c) F . sendo a primeira caracterizada quando o agente fica aquém dos cuidados que deveria ter. o autor de um fato típico e antijurídico que tenha sido levado à sua prática por erro escusável de proibição. impossível se torna acolher o conceito bipartido de crime. b) A distinção entre dolo eventual e culpa consciente reside na aceitação do resultado que.“crime não transeunte” é o que não deixa vestígios.V . b) O finalismo. ( ) “Crime transeunte” é o que deixa vestígios. Acerca dos desdobramentos desta última teoria. c) Há atipicidade conglobante nos casos em que uma norma ordena o que outra parece proibir. c) É conhecido como dolo direto de primeiro grau aquele relacionado aos fins propostos e aos meios escolhidos pelo agente para a prática de delito. não é considerado um criminoso. antijurídica e culpável. d) Há atipicidade conglobante nos casos em que uma norma parece proibir o que outra fomenta.V . é possível inferir que o Direito Penal não estabeleceu distinção entre crime e contravenção penal. ( ) “Delitos vagos” são aqueles que têm por sujeito passivo entidades sem personalidade jurídica. (Delegado da Polícia Civil/FUNIVERSA/DF/ 2009) Segundo a concepção material. www. antijurídico e culpável. ( ) Nos chamados “delitos de resultado” o tipo penal prevê um resultado típico. necessariamente. é: a) V . 7 4. c) denunciação caluniosa. causalista ou social da ação delituosa. sem ter a menor ideia de que o que pratica é ilícito.V .V . ( ) “Crime multitudinário” é o praticado por uma multidão em tumulto.V d) F .V . b) A diferença essencial do dolo eventual e da culpa consciente é que nesta existe a previsibilidade do resultado. para quem adota essa teoria. (Delegado Polícia Civil/MG/2003) marque a alternativa errada a) A tipicidade conglobante verifica se a conduta inicialmente típica está violando a norma.F . enquanto naquele. marque a opção verdadeira.prolabore. nem sempre considerou o crime como fato típico.F e) É correto afirmar que a estrutura analítica do crime se liga. ( ) O “crime falho” é também denominado “quasecrime”. crime é tudo aquilo que a sociedade entende que pode e deve ser proibido. natural ou material vinculado à conduta pelo nexo causal. d) extorsão mediante seqüestro. c) Para a teoria causalista. assinale a alternativa INCORRETA.F . portanto a intenção de realizar determinado dano. a) Pela teoria bipartida.V b) V . crime é a conduta proibida por lei. 5. marque V ou F. A seqüência correta.com. a) A culpa imprópria se refere à hipótese de ocorrência da discriminante putativa do erro evitável pelas circunstâncias. 2. a) O crime doloso somente é aquele no qual o agente pratica uma conduta positiva ou negativa. e a segunda quando o agente vai além de onde deveria estar. d) No crime culposo. prevalece o entendimento de que crime é uma conduta típica. b) homicídio simples. d) Da concepção analítica de crime.br . de Hans Welzel. de cima para baixo. Tanto no crime quanto na contravenção não é cabível a fixação da multa de maneira isolada. conforme as afirmações a seguir sejam verdadeiras ou falsas.F . possuindo. 3. mediante aplicação de sanção penal. somente ocorre na hipótese dolosa. sendo caracterizado quando o agente pratica a conduta sem um elemento volitivo específico. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Um exemplo de crime complexo em sentido estrito é o de: a) corrupção ativa.

inciso I. d) Está correta apenas a alternativa I. independentemente de serem esses efeitos ou resultados desejados ou indesejados pelo autor. II – A causa antecedente relativamente independente exclui a imputação penal. Com base nesse relato. d) culpa inconsciente. b) culpa consciente pela previsibilidade aliada a previsão do resultado. b) responderá por crime culposo. em serviço. atravessa a rua. embora prevendo o resultado. 8. 7.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 4. e) dolo alternativo pela previsão do resultado aliada a sua vontade livre e dirigida a um fim. c) o desabamento do teto é causa superveniente absolutamente independente da conduta de “Alpha”. b) Estão erradas todas as alternativas. 11. que exclui o nexo causal entre esta e o resultado “morte”. podendo agir para evitar o resultado. que não distingue entre causa. a) Estão corretas todas as alternativas. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III d) Está correta apenas a alternativa I. c) dolo indireto. vem a falecer exclusivamente em conseqüência de um desabamento do teto. e) Está correta apenas a alternativa III. é CORRETO afirmar: a) o dolo direto de segundo grau compreende os meios de ação escolhidos para realizar o fim. c) dolo eventual pela previsibilidade aliada do resultado aliada a uma ação dirigida a um fim. d) O agente prevê o resultado e assume o risco de o mesmo ocorrer. e) dolo específico. 10.prolabore. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) “Alpha”. c) no dolo de primeiro grau. dirigindo seu veículo com velocidade compatível para a localidade. adotou somente a teoria da vontade. II – Pelo resultado que agrava especialmente a pena. age com a) dolo eventual. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) Sobre o dolo. sabedor do perigo. assinale a alternativa correta. que exclui o nexo causal entre esta e o resultado “morte”. d) o Código Penal pátrio. porquanto: a) o desabamento é causa concomitante relativamente independente da conduta de “Alpha”. c) O agente não prevê o resultado.com. e) Está correta apenas a alternativa III. capaz e imputável. neste último. b) o desabamento é causa superveniente relativamente independente da conduta de “Alpha”. o agente tem a previsão do resultado. imprudentemente. ninguém pode ser punido por fato previsto como crime. esperando sinceramente que não ocorrerá. Delegado de Polícia/PB/IPAD/2006 Com relação a culpa inconsciente. pois a vítima deu causa ao acidente. (Delegado da Polícia Civil/BA/IFBA/2008) Rapaz. 9. o Código Penal brasileiro adotou a teoria da causalidade adequada. a) Estão corretas todas as alternativas. b) age com culpa consciente aquele químico que manipula fórmulas para produção de alimentos sem as devidas cautelas relativas à contaminação. III – A diferença entre a culpa consciente e o dolo eventual é que. e) O agente prevê e deseja o resultado.br d) o desabamento é causa concomitante absolutamente independente da conduta de “Alpha”. d) dolo direto pela previsibilidade do resultado aliada a assunção do risco da sua ocorrência. www. não o aceita como possível. com intenção de matar. e) responderá pelo crime por dolo eventual. pois o mesmo era imprevisível. No exemplo dado. ao contrário da primeira. no artigo 18. o agente busca indiretamente a realização do tipo legal. causando lesão à saúde dos consumidores. incluindo os efeitos secundários representados como certos ou necessários. não impede que o delinqüente mate terceiro na sua presença. (Delegado Polícia/PB/IPAD/2006) Conceitua-se: a) culpa inconsciente pela previsão do resultado. 8 . Este. continua a atuar e acaba. o rapaz a) responderá por crime doloso. põe veneno na comida de “Beta”. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. b) Estão erradas todas as alternativas. é correto afirmar que “Alpha” responderá tão-somente por tentativa de homicídio. desse modo. apesar de ser o mesmo previsível. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – Em relação ao nexo causal. que exclui o nexo causal entre esta e o resultado “morte”. III – Responde por homicídio o delegado de polícia que. d) não será responsabilizado pelo crime. termina por atropelar um transeunte que. senão quando o pratica dolosamente. b) culpa consciente. quando já está tomando a refeição envenenada. a) O agente prevê o resultado. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – Salvo os casos expressos em lei. só responde o agente que o houver causado dolosamente. no entanto. 6. seu desafeto. Delegado De Polícia Civil – MA – 2006 – FCC Quem. b) O agente não prevê o resultado. 5. condição e ocasião. que exclui o nexo causal entre esta e o resultado “morte”. mas espera sinceramente que o mesmo não venha a ocorrer. c) responderá por crime preterdoloso.

b) só pode ocorrer durante os atos preparatórios. d) nos crimes formais. passa a percorrer as fases do crime. Para tanto. por força de morte natural – infarto fulminante. e) nos crimes materiais. (Delegado Polícia Civil/BA/2006/ – Consulplan) Oscar pretendendo matar Carlos. que estava deitado de bruços.prolabore. ainda em sede de inquérito policial e feita diretamente ao Delegado de Polícia. e) lesão corporal gravíssima.A 9 . uma estrada vicinal escura por onde Carlos caminha todas as noites de retorno para casa. b) Por ineficácia absoluta do meio empregado. Oscar não responderá por tentativa de homicídio. Praticado o crime de roubo. DESISTÊNCIA VOLUNTÁRIA. ocorre o arrependimento posterior. Vê quando Carlos surge na esquina. pois sua intenção era matar Carlos. (Delegado De Polícia Civil/MS/2006/ FAPEC) Carlos pretende matar seu desafeto João. b) nos crimes falhos. Na data em que resolve matar o inimigo. e) só há tentativa em crimes materiais. desgostoso com José. 14 da Lei 10. e) N. que crimes admitem sua forma tentada? a) Os crimes culposos. pois Joca já estava morto. qualificado pelo modo de execução – emboscada. pois o que conta é o dolo. b) Amolda-se ao tipo penal descrito no art. d) Os crimes qualificados pelo resultado. (Delegado de Polícia/PB/IPAD/2006) Com relação ao instituto da tentativa. Ocorre que José já estava morto há horas. não obteve êxito na sua pretensão. admitindo-se. d) Amolda-se ao tipo penal descrito no art.826/03 – Estatuto do desarmamento. www. pega a arma. para verificar o melhor local para executar seu nefasto plano. 121 CP – homicídio doloso -. para conhecer seu caminho. dirige-se até a residência deste. assinale a alternativa correta: a) sua caracterização só se perfaz após a conclusão do iter criminis. inicialmente cogitando essa idéia. visto que a arma (revólver) estava descarregada. O arrependimento eficaz e a desistência voluntária podem ocorrer nos crimes nos quais exista violência ou grave ameaça. caminhando tranqüilamente. qualificado pelo modo de execução – emboscada c/c art.826/03 – Estatuto do desarmamento. Escolhe o melhor local. adquirindo uma arma de fogo sem documentação para esse fim. 5. apenas: a) II e III b) I e II c) I e IV d) III e IV 2. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Considere as seguintes afirmativas: I. IV. 121 CP – homicídio doloso -. III. c) Por absoluta impropriedade do objeto. 14 inciso II – crime tentado. b) crime impossível. Joca descarrega todos os projéteis de sua arma de fogo nas costas de José. c) É conduta atípica. passando-se a considerar extinta a punibilidade do citado ilícito. bastando que os fatos que descrevem a conduta criminosa não sejam reunidos no caso concreto.28. Lá chegando. O crime impossível só pode ser caracterizado quando a impossibilidade de ocorrência do ilícito é de ordem absoluta. II. Carlos é abordado por um policial que por ali passava e estranha sua atitude. São corretas. vai até o local ermo e fica escondido atrás de uma árvore. 4. (Delegado de Polícia – PB – IPAD – 2006) A desistência voluntária só ocorre: a) na tentativa imperfeita. Avançando nas fases.R.br 3. d) tentativa de homicídio. c) homicídio.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal CRIME IMPOSSÍVEL. Passa também a seguir João dissimuladamente por vários dias. d) Oscar responderá por disparo de arma de fogo (art. passa a se preparar. A tentativa de crime é admitida em qualquer espécie de crime. 7. ocorrendo neste caso a tentativa de crime. desde que o resultado inicialmente pretendido não venha a ocorrer. e) Os crimes unissubsistentes. e a arma é encontrada. c) Os crimes materiais. portanto a validade da mudança do animus do agente. havendo a devolução integral da coisa subtraída. A conduta de Carlos: a) Amolda-se ao tipo penal descrito no art. (Delegado de Polícia – PB – IPAD – 2006) Joca. (Delegado de Polícia – PB – IPAD – 2006) Quanto à tentativa. 6. No entanto. ARREPENDIMENTO EFICAZ. Marque a alternativa correta: a) Oscar responderá por tentativa de homicídio. Ocorre que antes de sacar a arma. TENTATIVA e) Amolda-se ao tipo penal descrito no art. b) Os crimes cometidos com o obrigatório concurso de pessoas. apodera-se de um revólver e aciona o gatilho reiteradas vezes.com.Lei de Contravenções Penais). 12 da Lei 10. d) a interrupção dos atos executórios antes da consumação do resultado caracteriza a desistência voluntária. respondendo o agente pelos fatos efetivamente ocorridos. c) na tentativa perfeita. não se admitindo a relativa. c) não há tentativa nos crimes de consumação antecipada. Oscar não responderá por tentativa de homicídio. Joca incorreu em crime de: a) vilipêndio de cadáver. ARREPENDIMENTO POSTERIOR. 1.

concorreu culposamente para o crime de peculato praticado por outrem. se precede à sentença irrecorrível. desistiu do intento de matá-la. 11. realizou. Processado criminalmente. apontando-lhe a arma municiada. e) configura homicídio consumado. que já estava morto. sem que na realidade trouxesse dentro de si uma nova vida em formação. e dos motivos determinantes da conduta delituosa. III – Para o reconhecimento do crime impossível. seu desafeto. no curso da apelação. e) mantida a pena prevista para atos dessa natureza. 14. foi condenado a cumprir pena de seis meses de detenção. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2006) Considere-se que Mariana. o parcelamento do débito. em si própria. d) fases pelas quais passa o delito.com. extingue a punibilidade. não produz qualquer efeito. vez tratar-se de uma circunstância atenuante genérica. até a prolação da sentença. que Cláudio já estava morto por parada cardiorrespiratória ocorrida minutos antes de ter sido atropelado. após fazer pontaria para atirar na cabeça de Maria. não se opera a extinção da punibilidade. Está correta apenas a alternativa I. em razão de ataque cardíaco. c) atos de consumação do delito. d) a reparação do dano realizada após o recebimento da denúncia ou queixa e antes do julgamento traz reflexos no campo punitivo. e) da intensidade do dolo. se lhe é posterior.prolabore. II – O flagrante provocado ou preparado e o flagrante esperado não são puníveis de acordo com Súmula do STF. o crime é impossível em razão da absoluta impropriedade dos objetos sobre os quais incidiram as condutas de Mariana e de Jorge. supondo estar grávida. (Delegado da Polícia Civil/BA/IFBA/2008) Um homem atira visando matar outro. Todavia. 10 9.br . comprou um revólver e postou-se frente a frente com a esposa. por ato voluntário do agente. especialmente da primariedade e da reincidência. somente tem aplicação aos delitos patrimoniais dolosos. pois a reparação do dano por Márcio ocorreu após a sentença condenatória. 15. Estão corretas apenas as alternativas II e III. previsto no art. pune-se a tentativa com a pena correspondente ao crime consumado. esse funcionário terá a) extinta a punibilidade. b) diz respeito a crime de homicídio tentado. b) atos preparatórios antecedentes ao delito. d) da valoração dos antecedentes do agente. Está correta apenas a alternativa III. c) configura o que se denomina de "crime de ensaio". b) praticado crime de corrupção. (Delegado Polícia Civil/BA/IFBA/2008) Um funcionário público concorre culposamente para a apropriação de dinheiro proveniente dos cofres públicos. funcionário público. diminuída de um a dois terços. Todavia. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Considere a seguinte situação hipotética. 16 do Código Penal. c) reduzida a pena de um a dois terços. 16. c) da maior ou menor periculosidade do agente. tendo em conta os dados constantes do processo. d) é a chamada "tentativa branca". 13. manobras abortivas. www. A redução de pena decorrente da tentativa deve resultar a) do iter criminis percorrido pelo agente em direção à consumação do delito. a reparação do dano. pretendendo matar sua esposa Maria. (Delegado da Polícia Civil/BA/IFBA/2008) Por iter criminis compreende-se o conjunto de a) atos de execução do delito. b) da prevalência das circunstâncias atenuantes sobre as circunstâncias agravantes. sem diminuição de pena. Nessa situação. reparou o dano causado. e) atos de cogitação. 10. Guardou a arma e retirou-se do local. reparado o dano ou restituída a coisa. posteriormente. Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – Nos crimes cometidos sem violência ou grave ameaça à pessoa. Delegado de Polícia Civil/MA/2006/FCC) Salvo disposição em contrário. Sebastião responderá por tentativa de homicídio. do grau da culpa. a) b) c) d) e) Estão corretas todas as alternativas. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2006) Sebastião. com 55 anos de idade. mas o restitui antes da sentença penal irrecorrível. Estão erradas todas as alternativas. imprescindível que o meio seja absolutamente ineficaz ou que o objeto seja absolutamente impróprio. 12. após a sentença condenatória de primeiro grau. Verificouse. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) Sobre a reparação do dano no direito penal. c) tratando-se de peculato culposo. Jorge ao ver Cláudio. Márcio. a pena será reduzida de um a dois terços. d) reduzida a pena de metade. vez que deu início à execução do delito. b) nos delitos tributários. Em ambas as hipóteses apresentadas acima. caído em via pública. aproveitou a situação para atropelá-lo dolosamente. Essa situação a) configura crime impossível ou de tentativa inidônea. Nessa situação. é CORRETO afirmar: a) o arrependimento posterior. não acarreta conseqüências na seara punitiva. após o oferecimento da denúncia. Diante de tal fato.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 8.

pois houve desistência voluntária. adotada por nosso Código Penal. ingressa por uma porta aberta no interior da residência da vítima. com a intenção de subtrair jóias. já que esta pressupõe necessariamente uma agressão injusta. a consciência potencial da ilicitude e a exigibilidade de conduta diversa. (Delegado Civil / Fundep / 2008 / MG) Considerando o conceito e a evolução dogmática da teoria do crime. Quando vai desferir a facada mortal. d) A legítima defesa pode ser caracterizada mesmo quando o agente que a invoca não estava sob risco pessoal direto. que é a infração penal a que a lei comina. atuando na proteção e defesa de terceiro. conforme a teoria da ratio essendi. b) responderá por invasão de domicílio. é CORRETO afirmar a) que. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – O agente aponta a arma para a vítima. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. b) Estão erradas todas as alternativas. ILICITUDE E SUAS EXCLUDENTES b) c) d) falar em causas justificantes legais. A vítima sobrevive: hipótese de tentativa perfeita. d) Está correta apenas a alternativa I. Nesse caso. afasta-se do local do crime. Delegado de Polícia Civil/MA/2006/FCC) José. isoladamente. assustado com a aproximação de pessoas. para a teoria social da ação. função incidiária da ilicitude. a) Estão corretas todas as alternativas. c) Durante operação policial. 2 e 5. que. a ação é concebida como o exercício de uma atividade final dirigida concretamente a fato juridicamente relevante. pois houve arrependimento eficaz. d) não responderá por nenhum crime. (Delegado de Polícia Civil/PI/NUCEPE/ UESPI – 2009) Analise as afirmações seguintes relativas à parte geral do Direito Penal. A vítima começa a gritar e o agente. b) É possível reconhecer estado de necessidade contra legítima defesa dita putativa. mas resolve ir embora do local sem nada levar. e) Responde por crime doloso. 3) Com relação à imputabilidade penal. 2) O direito brasileiro admite dois tipos de infração: o crime. 1) A tipicidade formal é a adequação da conduta ao fato descrito na lei como infração penal. 4) Quando uma pessoa reage a um ataque espontâneo de uma cão pit bull. III – O agente dispara três tiros contra a vítima. pode-se www. José a) responderá por tentativa de furto. 4 e 5 e) 1. determinado agente mata potencial criminoso. ou ambas alternativa ou cumulativamente. uma vez que aquele pressupõe situação de perigo não causada pelo agente.prolabore. Este deverá ser absolvido pela ocorrência do estrito cumprimento de dever legal e não pela legítima defesa. que é a infração penal que a lei comina pena de reclusão ou de detenção. afastando a ilicitude do fato típico praticado pelo agente. 18.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 17. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Considerando as excludentes de antijuridicidade marque a opção FALSA. 2. para não ser gravemente lesionada. a) Não se pode admitir argüição de legítima defesa real contra legítima defesa real. 2 e 4 d) 3. imaginando-a morta. apodera-se de um objeto. pena de detenção ou de multa. A vítima sobrevive: hipótese de desistência voluntária. b) Não responde por crime nenhum. que.br 4. dominado pelo medo. já que estava cumprindo com seu dever funcional. está reagindo em estado de necessidade. II – O agente desfere duas facadas na vítima. 3. atende pedido de terceiro e vai embora. desfere dois tiros e. Já no interior da moradia. porque é inexigível comportamento diverso. desde que prevista em lei a modalidade culposa. 1. 5) O estado de necessidade putativo é uma excludente da ilicitude. por ferirem estas o princípio da legalidade. (Delegado Polícia Civil/MG/2003) O autor que. o estado de necessidade é justificante. e) não responderá por nenhum crime. e a contravenção. Estão corretas apenas: a) 1 e 3 b) 1 e 4 c) 1. mas não em causas supralegais. c) Não responde por crime nenhum. e) Está correta apenas a alternativa III. exercendo a tipicidade.com. d) Não responde por crime nenhum. para a teoria diferenciadora. sai correndo. porque trata-se de caso fortuito. quer alternativa ou cumulativamente com a pena de multa. c) responderá por furto consumado. que são elementos da culpabilidade normativa pura a imputabilidade. o Código Penal brasileiro adotou o sistema biopsicológico ou misto para justificar a inimputabilidade penal nos casos de doença mental e de embriaguez involuntária e o sistema psicológico no caso dos menores de 18 anos. porque incorreu em erro de proibição indireto. quer isoladamente. 11 . excede os limites da Legítima Defesa: a) Responde por crime culposo. A vítima sobrevive: hipótese de tentativa imperfeita.

adotada por nosso Código Penal. O estrito cumprimento do dever legal pressupõe que o agente atue em conformidade com as disposições jurídico-normativas e não simplesmente morais. é CORRETO afirmar a) que. por erro. considere as seguintes afirmativas: 1. c) que. é exemplo de exercício regular de direito. b) não exclui a culpabilidade. a) O agente que. conforme a teoria da ratio essendi. 6. já que esta pressupõe necessariamente uma agressão injusta. para a teoria social da ação. c) exclui a culpabilidade. (Delegado de Polícia – PR – UFPR – 2007). já que a ordem é ilegal. sem o consentimento do paciente. 3 e 4 são verdadeiras. (Delegado Civil/Fundep/2008/MG) Considerando o conceito e a evolução dogmática da teoria do crime. 4. a ação é concebida como o exercício de uma atividade final dirigida concretamente a fato juridicamente relevante. e) Somente as afirmativas 1. 7. disparar contra seu agressor. pode-se falar em causas justificantes legais. 9. alvejar um terceiro inocente. já que estava cumprindo com seu dever funcional. a consciência potencial da ilicitude e a exigibilidade de conduta diversa. c) Durante operação policial. não se admitindo tamanha excludente se a atuação destinar-se a proteger direito alheio. se não manifestamente ilegal à ordem. Não pode alegar estado de necessidade quem tinha o dever legal de enfrentar o perigo.As causas de exclusão de ilicitude. d) A legítima defesa pode ser caracterizada mesmo quando o agente que a invoca não estava sob risco pessoal direto. d) Somente as afirmativas 1. involuntário e inevitável. devem ser entendidas como cláusulas de garantia social e individual. quando este estiver correndo risco de vida. mas. c) Na legítima defesa. b) A atuação em estado de necessidade só é possível se ocorrer na defesa de direito próprio. III – A reação contra ataque de animal que se encontra na rua. Está correta apenas a alternativa III. toda vez que o agente se utilizar de um meio desnecessário. 8. 3. Está correta apenas a alternativa I. previstas no artigo 23 do Código Penal. atuando na proteção e defesa de terceiro. e) Não é possível legítima defesa real contra quem está em legítima defesa putativa. feita por um médico. afastando a ilicitude do fato típico praticado pelo agente. por estrito cumprimento do dever legal. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) Assinale a opção correta no que concerne às descriminantes. Estão erradas todas as alternativas. 2. este será também imoderado. II – A intervenção cirúrgica. d) exclui o dolo. 2 e 3 são verdadeiras. exercendo a tipicidade. é exemplo de estrito cumprimento do dever legal. www. constitui legítima defesa. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – A denúncia à autoridade da ocorrência de um crime. b) que. Estão corretas apenas as alternativas II e III. 10. 3 e 4 são verdadeiras. para a teoria diferenciadora. por ferirem estas o princípio da legalidade.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 5. porque não há potencial conhecimento da ilicitude do fato. uma vez que aquele pressupõe situação de perigo não causada pelo agente. sem que seja incitado por ninguém. c) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras. b) É possível reconhecer estado de necessidade contra legítima defesa dita putativa.com. (Delegado da Polícia Civil/SC/2006/ACAFE) A prática de fato definido como crime por obediência à ordem ilegal de superior hierárquico: a) exclui a ilicitude. não responderá por qualquer consequência penal ou civil. Este deverá ser absolvido pela ocorrência do estrito cumprimento de dever legal e não pela legítima defesa.br 12 . a) b) c) d) e) Estão corretas todas as alternativas. função incidiária da ilicitude. b) Somente as afirmativas 2.prolabore. religiosas ou sociais. mas não em causas supralegais. Sobre as excludentes. a) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Considerando as excludentes de antijuridicidade marque a opção FALSA. no exercício profissional. em legítima defesa. determinado agente mata potencial criminoso. a) Não se pode admitir argüição de legítima defesa real contra legítima defesa real. o estado de necessidade é justificante. Assinale a alternativa correta. Atua em legítima defesa quem repele ataque de pessoa inimputável ou de animal descontrolado. Considera-se em estado de necessidade quem pratica o fato mediante a existência de perigo atual. d) Não é possível a legítima defesa contra estado de necessidade. d) que são elementos da culpabilidade normativa pura a imputabilidade.

Estão corretas apenas: a) 1 e 3 b) 1 e 4 c) 1. (Delegado de Polícia Civil/PI/NUCEPE/ UESPI – 2009 Analise as afirmações seguintes relativas à parte geral do Direito Penal. Entretanto. Somente a vida ou a integridade física são abrangidas pelo instituto da legítima defesa. (Delegado da Polícia Civil/BA/IFBA/2008) Um funcionário saiu em perseguição a um estudante que acabara de cometer um furto. supondo que um vai agredir o outro. 2 e 5. c) São requisitos para configuração do estado de necessidade a existência de situação de perigo atual que ameace direito próprio ou alheio.br 13 . 23 do Código Penal pode ser entendido como numerus clausus. causado ou não voluntariamente pelo agente que não tem dever legal de afastá-lo. b) O policial ao efetuar prisão em flagrante tem sua conduta justificada pela excludente do exercício regular de direito. de fato típico por força do desempenho de obrigação imposta por lei. d) Trata-se de estrito cumprimento de dever legal a realização. que não provocou por sua vontade. e a contravenção. b) potencial consciência da ilicitude e c) exigibilidade de conduta diversa. 14. 4 e 5 e) 1. quer alternativa ou cumulativamente com a pena de multa. segundo a Teoria Finalista da Ação: a) imputabilidade. (Delegado de Polícia Civil/MG/2007) Com relação às causas excludentes de ilicitude. 2 e 4 d) 3. 4) Quando uma pessoa reage a um ataque espontâneo de uma cão pit bull. está reagindo em estado de necessidade. ou se o bem preservado for de valor inferior ao sacrificado. e) se encontrava em estado de necessidade. 5) O estado de necessidade putativo é uma excludente da ilicitude. b) Não se reconhece como hipótese de legítima defesa a circunstância de dois inimigos que. 2) O direito brasileiro admite dois tipos de infração: o crime. visto que não existe legítima defesa da honra. 3) Com relação à imputabilidade penal. que é a infração penal a que a lei comina. não incidirá a excludente. é correto afirmar que o funcionário a) se encontrava em pleno exercício regular do direito. 15. direito próprio ou alheio de valor superior que o sacrificado exclui-se a ilicitude. Sobre esse fato. o Código Penal brasileiro adotou o sistema biopsicológico ou misto para justificar a inimputabilidade penal nos casos de doença mental e de embriaguez involuntária e o sistema psicológico no caso dos menores de 18 anos. d) A obrigação hierárquica é causa de justificação que exclui a ilicitude da conduta de agente público. b) O Código Penal adotou a teoria diferenciadora para definir a excludente de ilicitude do “estado de necessidade”.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 11. (Delegado de Polícia Civil/MG/2007 Quanto às causas de justificação é CORRETO afirmar que: a) Na administração da justiça por parte dos agentes estatais é meio legitimo o uso de armas com o intuito de matar individuo que tenta evadir-se de cadeia pública. o estudante saca de um revólver e começa a atirar no funcionário que responde à agressão sofrida. 13. que é a infração penal que a lei comina pena de reclusão ou de detenção. c) se encontrava agasalhado pelo instituto da legítima defesa. pena de detenção ou de multa. d) não se encontrava em nenhuma causa de exclusão de ilicitude. 1) A tipicidade formal é a adequação da conduta ao fato descrito na lei como infração penal.prolabore. nem podia de outro modo evitar. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Analise as alternativas a seguir e assinale a correta. ou ambas alternativa ou cumulativamente. isoladamente. quer isoladamente. Durante a perseguição. Assim sendo. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2006) A lei não permite o emprego da violência física como meio para repelir injúrias ou palavras caluniosas. 16. c) São elementos da culpabilidade. b) perigo que ameace direito próprio ou alheio. é CORRETO afirmar que: a) Não existem causas supralegais de exclusão da ilicitude.com. d) O oficial de justiça que executa uma ordem judicial de despejo age no exercício regular de um direito. c) Pode ser causa de exclusão da ilicitude o consentimento do ofendido nos delitos em que ele é o único titular do bem juridicamente protegido e pode dele dispor livremente. se os bens em conflito forem equivalentes. c) conhecimento da situação justificante e d) não provocação voluntária da situação de perigo pelo agente. pelo agente. para não ser gravemente lesionada. uma vez que o art. a) São requisitos da legítima defesa: a) existência de um perigo atual. www. vindo a ferir mortalmente o seu agressor. se alguém pratica o fato para salvar de perigo atual. 12. sacam suas armas e atiram pensando que estão se defendendo. b) se encontrava no estrito cumprimento do dever legal.

em uma rua movimentada da cidade. Nessa situação hipotética. Em uma tarde de sábado. Nessa situação. d) Fere o princípio da igualdade de tratamento perante a lei. ao tratar a inimputabilidade penal. Plínio seria imputável e até mesmo punível. seguida de uma assertiva a ser julgada. b) João flagrou sua esposa. Camila foi alvo de uma tentativa de sequestro. ingeriu considerável quantidade de bebida alcoólica e. c) Ocorre uma descriminante putativa sempre e quando o indivíduo imagina estar praticando um crime menos grave e na verdade pratica um mais grave. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Marque a opção verdadeira. Nessa situação hipotética. que estava no local do ocorrido. e) Somente tem aplicação na teoria psicológica da culpabilidade. o referido segurança agrediu Lúcia. c) A embriaguez voluntária e a menoridade penal são excludentes da imputabilidade. Plínio. (Delegado Polícia Civil/MG/2003) O conceito de co-culpabilidade a) Sustenta atenuação de pena. caso Plínio fosse maior de dezoito anos. 4. uma vez que a ninguém é dado o direito de argüir o desconhecimento de lei. d) A coação moral irresistível e o erro de proibição são excludentes da culpabilidade. à luz da legislação penal. Nessa situação hipotética. Delegado Polícia/PB/IPAD/2006 O Código Penal adotou que teoria para basear a culpabilidade? a) Teoria normativa pura da culpabilidade. e) O princípio da insignificância exclui a ilicitude. d) Teoria limitada da culpabilidade. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Nos próximos item. é apresentada uma situação hipotética a respeito da aplicação do direito penal. Marcos. Antônio. marque. veículo automotor. de dezenove anos de idade. segundo a atual jurisprudência do STJ. a) O resultado que torna mais grave a pena só pode ser imputado a quem praticou a conduta dolosamente. jamais de um contrato de trabalho. Delegado De Polícia Civil – PI – NUCEPE – UESPI – 2009 Com relação às excludentes da tipicidade. que. CULPABILIDADE 1. d) Lúcia estava furtando em um supermercado quando foi flagrada pelo segurança do estabelecimento. 14 17.prolabore. da ilicitude e da culpabilidade. é correto entender que o marido de Maria não cometeu nenhum crime. com um amante chamado José. 2. a) O estrito cumprimento do dever legal e a obediência hierárquica são excludentes da ilicitude.com. por constituir o referido ofendículo uma situação de legítima defesa. em velocidade correspondente a mais de três vezes a velocidade da via. imediatamente. a opção correta. sem autorização. Nessa situação hipotética. ou sequer ciência de seus pais. na frente da casa em que moravam. a) Pedro cercou sua casa de fios elétricos sem nenhuma indicação visível. tarde da noite. é perfeitamente possível o entendimento de que houve legítima defesa sucessiva. considere que a sigla STJ se refere ao Superior Tribunal de Justiça. e) Maria foi obrigada pelo seu marido a manter com ele conjunção carnal. pois a abnegação em face do perigo só é exigível quando corresponde a um especial dever jurídico. sendo imputado o crime com menor pena. Diante desse fato. c) Teoria da graduabilidade da culpabilidade. Assinale a alternativa em que a afirmação está correta. tentou entrar na casa de Pedro e acabou falecendo em virtude da descarga elétrica sofrida. e esse incidente resultou na morte de sua www. 3. e) Teoria psicológico-normativa da culpabilidade. d) O erro de proibição não é admitido no direito penal brasileiro. que veio a falecer em decorrência disso. Pedro não poderá sofrer nenhuma reprimenda por parte do Direito Penal. reagiu dando tiros em José. Nesse sentido. há uma situação hipotética seguida de uma afirmação que deve ser julgada. Cida. o direito penal brasileiro adotou o critério biopsicológico. a título de homicídio por dolo eventual. revidou com socos e pontapés. Plínio colidiu frontalmente com um poste de iluminação pública. sob nenhuma condição e em nenhum caso. Maria. pois o Código Penal faz distinção expressa entre os direitos passíveis de proteção pelo instituto da legítima defesa. advindo de lei. é possível inferir que Bruno não tinha o dever legal de enfrentar o sequestrador. conduziu. c) Marcos contratou Bruno como segurança particular de sua filha Camila. não reagiu porque temeu por sua própria vida. imediatamente após a comemoração de seu aniversário de dezessete anos de idade. b) Deve ser aplicado quando o sujeito demonstrar plena capacidade de autodeterminação. em tese. Na tentativa de segurá-la até a chegada da polícia.br . b) Pelo entendimento doutrinário dominante. Nessa situação hipotética. b) Teoria extremada da culpabilidade. em face das condicionantes sociais. namorada. c) Deve ser aplicado quando o sujeito não possuir capacidade de autodeterminação. não se admite a legítima defesa da honra. que estava sentada no banco de passageiros. em um condomínio fechado do Distrito Federal. já que o direito penal brasileiro fez a opção pela teoria do resultado. b) A coação moral irresistível e a legítima defesa são excludentes da culpabilidade.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal (Delegado Polícia Civil/Funiversa/DF/2009) Em cada uma das alternativas a seguir. posto que há a configuração do exercício regular de direito. Após perder o controle do veículo.

7. (DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL – SC – 2006 – ACAFE) A Teoria Limitada da Culpabilidade preconiza que: a) tal como na Teoria Extrema da Culpabilidade. ser apenas reduzida a pena ou aplicada medida de segurança de tratamento ambulatorial aos casos de semiimputabilidade. b) Somente as afirmativas 2. d) a sua consciência se viu abalada pela embriaguez. dolo e culpa. (Delegado Polícia Civil – SC – 2006 – ACAFE) Com referência aos elementos constitutivos do crime. III Na culpa consciente. em regra. tipicidade. Assinale a alternativa correta. c) mesmo que o dolo seja afastado.IV d) III – V 8. todas as alternativas estão corretas. e) O critério normativo é exceção no sistema brasileiro que. c) São elementos da culpabilidade para a concepção finalista a imputabilidade. a) A embriaguez preordenada só agravará a pena quando completa. (DELEGADO DE POLÍCIA – PR – UFPR – 2007). pelo álcool ou substância de efeitos análogos. respondendo ele parcialmente por seus atos. ao pretender que a ação seja entendida como conduta socialmente relevante. 10. quando a discriminante putativa surge em face do erro sobre a ilicitude do fato. nas discriminantes putativas sempre subsiste o dolo e a absolvição decorre de sua inevitabilidade. proveniente de caso fortuito ou força maior. não excluem a culpabilidade. ante sua semi-imputabilidade. exceto se forem estados emocionais patológicos. e) ele é inimputável. por embriaguez completa. por desenvolvimento mental incompleto ou retardado. 2. É isento de pena o agente que. São relativamente inimputáveis os menores com idade compreendida entre 18 e 21 anos. d) São elementos da culpabilidade para a teoria normativa pura a imputabilidade. a embriaguez voluntária ou culposa.Sobre a imputabilidade penal. e) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras. Todas as afirmações corretas estão na alternativa: a) II . era. 6. 9. mesmo quando causarem completa privação dos sentidos e da inteligência. d) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras. trabalha com o critério biológico para aferição da imputabilidade penal. 3. razão pela qual se embriaga dolosamente. b) A emoção e a paixão. EXCETO: a) Para a teoria normativa. com o intuito de praticar os pretendidos atos criminosos. DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL – MG – 2007 Considerando as teorias acerca da culpabilidade.III b) I . entretanto. ao tempo da ação ou omissão. ao passo que a previsibilidade subjetiva é elemento da culpabilidade. para a teoria normativa. (Delegado Civil/Fundep/2008/MG) Quanto à imputabilidade penal. inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato. entretanto. podendo remanescer. www. assinale a afirmativa CORRETA. I A previsibilidade objetiva do resultado da conduta é elemento da tipicidade culposa. a) Somente as afirmativas 1. age amparado na "actio libera in causa". c) a sua embriaguez voluntária dolosa é causa de diminuição de pena. d) o erro de tipo essencial vencível (ou evitável) é sempre causa excludente do dolo da conduta do agente. considere as seguintes afirmativas: 1. a culpa.II . a culpabilidade é constituída pela imputabilidade.prolabore.br 15 . exigibilidade de conduta diversa. ficando sujeitos às normas estabelecidas na legislação especial. Diante dessa situação. se aplica a medida de segurança de d) internação. revelando maior censurabilidade da conduta já que o agente coloca o estado de embriaguez como primeiro momento da execução do crime. c) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. IV Não há concorrência de culpas no direito penal. II O potencial conhecimento da ilicitude do fato. c) Em todos os casos de inimputabilidade. b) A teoria social da ação. b) a ele se aplica a teoria da actio libera in causa. V O erro de proibição exclui a ilicitude da conduta. É isento de pena o agente que. sempre remanescerá a culpa do agente.com. o agente tem a previsão do resultado. 2 e 3 são verdadeiras. 3 e 4 são verdadeiras. mas não tem coragem suficiente para isso.III . a doutrina penal reconhece que a) ele não responderá pelos crimes cometidos. integra a culpabilidade.III c) II . 4. analise as afirmações a seguir. a consciência potencial da ilicitude e a exigibilidade de conduta diversa. Não excluem a imputabilidade penal a emoção ou a paixão.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 5. deslocou o dolo e a culpa do tipo para a culpabilidade. (DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL – BA – IFBA – 2008) Um jovem pretende roubar transeuntes no centro da cidade. ilicitude e culpabilidade. podendo. b) o erro de tipo essencial sempre é causa excludente da tipicidade. a potencial consciência sobre a ilicitude do fato e a exigibilidade de conduta diversa.

Existem dois para-quedas a bordo. assinale a alternativa incorreta. não há que se falar em substituição da pena por medida de segurança consoante o princípio da reserva legal. seja evitável. b) A coação irresistível e a obediência hierárquica são causas de exclusão da ilicitude. por erro inevitável. supondo. seja inevitável. que recai sobre elemento constitutivo do tipo legal de crime. continua agindo e admitindo a sua eventual produção. se escusável. c) A real consciência do injusto penal é pressuposto elementar da culpabilidade. d) A desinternação é sempre condicional. b) No erro mandamental vencível. c) sempre exclui o dolo. a) Segundo a teoria finalista. (DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL – MS – 2006 – FAPEC) João e Paulo sobrevoam uma lavoura com um pequeno avião utilizado na pulverização de veneno. exclui a culpabilidade. o sujeito representa o resultado como de produção provável e. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Sobre o erro de tipo essencial. d) Erro essencial vencível. se houver previsão legal dessa modalidade. Em dado momento o avião apresenta pane mecânica. por conseguinte. b) permite a redução da pena. b) No crime de omissão de socorro. c) O réu considerado inimputável será absolvido e conseqüentemente será aplicada a ele uma medida de segurança que não possui limite de tempo mínimo nem máximo. Aos semiimputáveis somente há previsão de redução de pena e.com. João agiu em: a) Descriminante putativa por erro de proibição. somente se torna relevante para o Direito Penal caso o agente tenha o dever de agir. nas circunstâncias. c) Estado de necessidade real. pode a pena do mesmo ser substituída pela aplicação de medida de segurança. Delegado de Polícia – PB – IPAD – 2006 Antônio. 3. pensando que José é funcionário público de secretaria de vara judicial. pede para que o mesmo “corra” com seu processo. e põe-se a cair. 12. embora não queira produzi-lo. e) Caracteriza o erro de proibição a conduta do agente que se apossa de coisa alheia móvel. b) As medidas de segurança destinam-se exclusivamente aos inimputáveis. c) Considera-se em estado de necessidade quem pratica o fato para repelir injusta agressão. necessitando eles de especial tratamento curativo. a consciência acerca da ilicitude do fato e da exigibilidade de conduta diversa são elementos normativos da culpabilidade. devendo ser restabelecida a situação anterior se o agente. a) O erro de tipo. e para tanto promete em troca vantagem indevida. haver apenas um para-quedas. é correto afirmar que: a) exclui o dolo somente quando for evitável. pratica fato indicativo de periculosidade. 13. c) No erro vencível que recai sobre os limites de uma causa de justificação. Delegado Da Polícia Civil – FUNIVERSA – DF – 2009 Acerca da culpabilidade e da ilicitude. 16 . b) Erro incidente sobre circunstância de tipo incriminador. antes do decurso de cinco anos. quando inevitável. mas permite a punição por crime culposo. DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL – FUNIVERSA – DF – 2009 A respeito da tipicidade penal. atual ou iminente. e) No erro vencível que recai sobre a existência de uma causa de justificação.prolabore. ter sido abandonada pelo proprietário. Ocorre que José não é funcionário público. d) Não há excludentes de ilicitude previstas na Parte Especial do Código Penal. (Delegado Polícia Civil/MG/2003) O Direito Brasileiro admite a punição por culpa a) No erro de proibição direto vencível. 4. e) A legítima defesa é causa excludente da culpabilidade. assinale a alternativa correta. imaginando. joga Paulo para fora da aeronave. e) Descriminante putativa por erro de tipo. DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL – MG – 2007 Em relação aos inimputáveis e às medidas de seguranças é correto afirmar que a) Sendo adequado às circunstancias pessoais em que se encontre o sentenciado.br ERRO DE TIPO 1. www. exclui o dolo e a culpa. a qualquer tempo. se for inevitável. d) No erro vencível que recai sobre os pressupostos de uma causa de justificação. d) No dolo eventual.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 11. Assinale a alternativa correta: a) Antônio cometeu crime de concussão b) Antônio cometeu crime de prevaricação c) Antônio cometeu crime de corrupção passiva d) Antônio cometeu crime de corrupção ativa e) O erro de tipo excluiu o crime de corrupção ativa 2. a imputabilidade. João. o desconhecimento da norma penal. e supondo-se em estado de necessidade. d) sempre exclui o dolo e a culpa quer seja inevitável ou evitável.

incide em erro de proibição. que excludente é possível alegar ao seu favor? a) A excludente é o erro de tipo inevitável. Somente as proposições I e IV estão erradas. Todas as proposições estão corretas. responderá por: a) lesão corporal contra Maria. como se tivesse atingido Maria. residente em Teresina. tendo total desconhecimento de que esta substância fosse proibida no Brasil. como se tivesse atingido João. se inevitável. Somente uma das proposições está errada. depois de se desequilibrar no momento em que puxava o gatilho. isenta de pena. ERRO DE PROIBIÇÃO A 2. d) X arromba uma porta e acerta. (Delegado Polícia Civil/MG/2003) Caracteriza o Erro de Proibição Escusável a) O erro de compreensão culturalmente condicionado. III. II.Erro de tipo consiste na ausência ou na falsa representação da realidade.Em situação de erro determinado por terceiro. como em seu país de origem. segundo a doutrina penal brasileira. d) O erro mandamental é aquele que recai sobre o mandamento contido nos crimes omissivos próprios ou impróprios. prontamente atendeu ao pedido. Somente duas das proposições estão erradas. V. que também é chamado de aberratius ictus. c) X atira em Y. e) A excludente é o erro na execução. que afirmou que a arma estava descarregada . c) A excludente é o erro de proibição.O cidadão holandês que. 4. que estava ao lado de João. c) O erro de tipo acidental incide sobre dados irrelevantes da figura típica e não impede a apreciação do caráter criminoso do fato. c) tentativa de homicídio contra Maria. aceitou o convite. Pedro. que afasta o potencial conhecimento da ilicitude do fato. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Acerca das disposições constitucionais e legais aplicáveis ao processo penal. Nesse caso. Delegado Polícia Civil/SC/2006/ACAFE Raul. c) culpabilidade. 8. pois na Argentina tal substância circula livremente. Sendo Juan. e) X pretendendo atirar em Y. acreditando que Y era um ladrão que invadira sua casa para furtar.br . somente responderá pelo crime este terceiro. IV. c) O erro de eficácia. se evitável. e Juan. imaginando www. analise as proposições abaixo e. porém. (Delegado Polícia Civil/MG/2003) Ocorre ABERRACTIO ICTUS quando a) X atira em Y. b) A excludente é o erro de tipo evitável. EXCETO: a) A finalidade precípua do erro de tipo essencial é a de afastar o dolo da conduta do agente. 17 1. Y que nela se apoiava. em sua primeira visita ao Brasil. acreditando que Y era Z . b) tentativa de homicídio contra João. d) A excludente é o erro de proibição. que afasta o dolo e a culpa. apreendido com tal mercadoria. b) ilicitude. julga atuar conforme o direito. excluir a culpabilidade pela prática da conduta. em seguida.Em situação de erro provocado por terceiro. desembarca com pequena quantidade de droga ilícita para consumo pessoal. por supor juridicamente permitida sua atuação. brasileiro.Incorre em erro de proibição quem. em circunstâncias excepcionais. d) tipicidade. b) X atira em Y. d) O erro de vigência. d) lesão corporal contra João. quando convidou o amigo.com. como se tivesse atingido João. mas permite a punição por culpa. Juan. 7. assinale a opção correta. 19 anos. de um sexto a um terço. entusiasmado com a possibilidade de conhecer o Brasil.prolabore. (Delegado de Polícia Civil/PI/NUCEPE/ UESPI/2009) Juan. poderá diminuí-la. acerta Z. solicitou que trouxesse consigo 10 vidros de lançaperfume (cloreto de etila). (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) legítima defesa putativa exclui a a) punibilidade em abstrato. Porém. pode ser classificada adequadamente como erro de tipo e pode. que afasta a ilicitude do fato. sem intenção. que afasta o dolo. e. b) O erro de subsunção. a) b) c) d) e) que tal fosse permitido entre nós. em tese. julgue os itens a seguir. e) O erro de punibilidade. recebeu um convite de seu amigo Pedro. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) 68 O erro sobre a ilicitude do fato. b) Para a teoria extremada ou estrita da culpabilidade o erro que recai sobre uma situação de fato é erro de tipo. Delegado Polícia Civil – MG – 2007 Quanto ao erro em matéria penal todas as alternativas estão corretas. com a intenção de matar João. enquanto o erro que recai sobre os limites de uma causa de justificação é erro de proibição. para passar as férias no Delta do Parnaíba. 6. como se tivesse atingido Maria. 3. argentino residente em Córdoba/Argentina.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 5. (Delegado Polícia Civil/RJ/CEPERJ 2009) Sobre a Teoria do Erro. I. erra o tiro e causa lesão corporal em Maria. Tal modalidade de erro. fundada e concretamente. Somente as proposições IV e V estão corretas. razão pela qual o agente responderá por crime culposo. desfere-lhe um tiro. e) punibilidade em concreto. se culpa existir (erro evitável) e desde que o tipo penal de que se trate preveja a forma culposa. não se pune o provocador que agiu com negligência. depois de ser induzido em erro por Z.

4) Mesmo que o autor não realize atos de execução. d) Está correta apenas a alternativa I. se inescusável. quer aos partícipes. só é punível se o crime chega a ser ao menos tentado. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – A descriminante putativa isenta de pena. assinale a afirmativa incorreta. c) No desvio subjetivo de conduta há verdadeira quebra da teoria monista respondendo os partícipes conforme a intensidade volitiva e atuação no crime praticado pelo autor. d) Ocorre o concurso de agentes tanto nos delitos culposos quanto nos dolosos. porém. poderá diminuí-la. adotou a Teoria Monista extremada com relação ao concurso de pessoas. (Delegado Civil/Fundep/2008/MG) Considerando o concurso de pessoas. autores e partícipes respondem pelo mesmo crime e. o partícipe recebe uma causa de diminuição de pena por ter sua culpabilidade diminuída.com. não se comunicam entre co-autores e partícipes. a) Em nenhum caso o estado de embriaguez pode isentar de pena o agente. d) é autora intelectual do furto. www. consequentemente pela mesma pena em abstrato. analise as seguintes afirmações. d) Considerando o inegável aspecto subjetivo e individual presente no direito penal não se pode admitir a comunicabilidade de características pessoais entre os agentes reunidos em concurso de pessoas. no momento da fixação da pena. b) Estão erradas todas as alternativas. 5) Na autoria colateral. 18 . b) é co-autora no furto. quer no que diz respeito aos co-autores. se escusável. especialmente considerando o sacrifício de um valor para resguardar outro. respondendo cada um individualmente. e) não será responsável pelo furto. CONCURSO DE PESSOAS 1. e) Jorge – autor intelectual de crime executado por Mago – responde enquanto partícipe (pena menor do que a do autor). de acordo com elas. c) O crime passional torna lícita a conduta do agente uma vez que a ocorrência da violenta emoção caracteriza o estado de necessidade. por ser acessória. nele adentra usando a cópia da chave e furta várias jóias dos patrões da namorada. o vínculo subjetivo entre os participantes e a identidade de infração penal. b) Para a configuração do concurso. 3. Só Mago responde enquanto autor do delito. III – O erro de proibição. de um sexto a um terço. b) Conforme a regra geral. mas não há isenção de pena quando o erro deriva de culpa e o fato é punível como crime culposo. isenta de pena. a) Estão corretas todas as alternativas. Admite-se. ressalvadas as disposições expressas em contrário. subjetivas. é indispensável o nexo de continuidade delitiva. (Delegado de Polícia Civil/PI/Nucepe/ UESPI/ 2009 Com relação ao tema concurso de pessoas. 4 e 5 c) 2 e 3 d) 2. 1) O Código Penal. existe concurso de pessoas devendo todos os autores responder conjuntamente pelo resultado delituoso. recebe seu namorado que se aproveitando do “vacilo” dela.prolabore. c) é a única pessoa responsável pelo furto. na ausência de seus patrões. nesse caso. Estão corretas apenas: a) 1. d) O Código Penal brasileiro prevê expressamente a possibilidade da autoria mediata nos casos de ocorrência de erro determinado por terceiro. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Marque a opção verdadeira. (Delegado da Polícia Civil/BA/IFBA/2008) Empregada doméstica. 4.br 5. considera-se praticado o crime contra a vítima pretendida e não contra a vítima efetiva. coação moral irresistível e obediência hierárquica. a empregada doméstica a) deve ser responsável pelo furto como partícipe. a relevância causal de cada conduta. Com base nesse caso. se aproveitando da ausência de pessoas no apartamento. furta uma cópia da chave do apartamento onde ela trabalha. 2) No concurso de pessoas. II – O erro sobre a pessoa não isenta de pena e. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. Dias depois. no entanto. é correto afirmar: a) Os partícipes responderão por crimes diferentes dos crimes dos autores. e) Está correta apenas a alternativa III. 3) São requisitos do concurso de pessoas nos crimes dolosos: a pluralidade de condutas e participantes. a) A participação está condicionada à eficácia causal e à consciência de participação em ação comum e. 3 e 4 e) 1 e 5 2. no art. as condições e circunstâncias de caráter pessoal do agente. exceções nas quais podemos visualizar a utilização da teoria dualista. uma vez que o direito penal brasileiro pugna necessariamente pela imposição integral de responsabilidade criminal ao indivíduo. ele. 2 e 4 b) 3. c) O Direito Penal Brasileiro adotou a teoria monista na íntegra para basear seu concurso de agentes. é possível punir o partícipe. de acordo com a teoria monista adotada pelo nosso Código Penal. (Delegado de Polícia – PB – IPAD – 2006) Sobre concurso de pessoas.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 5. b) Em relação ao concurso de pessoas o Código Penal Brasileiro fez opção clara pela teoria monista. 29.

as penas de multa são aplicadas de acordo com as regras aplicáveis às penas privativas de liberdade. 2 e 3 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. 8. a polícia identificou a autoria do crime. de um sexto a dois terços. idênticos ou não. Delegado Polícia Civil – MA – 2006 – FCC Pedro (funcionário público) convidou Paulo (comerciante) para subtraírem um computador de uma repartição pública. O concurso de pessoas pode dar-se por ajuste. Na data combinada. e) Pedro responde por peculato doloso e Paulo por peculato culposo. logrando subtrair um grande número de jóias de elevado valor comercial. Diante do narrado. incide nas penas a este cominadas. cometidos com violência ou grave ameaça à pessoa. vindo a adentrar na residência. Nesse caso. devendo Antônio responder como partícipe e Marcos e Alexandre como co-autores do delito. onde se limitou. a) Pedro responde por peculato doloso e Paulo por furto. aumentada. e) amigo é autor intelectual do roubo. d) Quando se tratar de crime continuado em que os crimes sejam dolosos. se iguais. aumentar a pena mais grave até o triplo. autor direto. auxiliando-o no arrombamento de uma porta para a prática de um furto. observados os artigos 70. de forma consciente e deliberada. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) Relativamente ao concurso de crimes. Luiz. cumplicidade.prolabore. 2. Nessa situação. d) Ambos respondem por furto. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2006) Antônio. concorre para o crime. se serve de pessoa inimputável para a prática de uma conduta ilícita é responsável pelo resultado na condição de autor mediato. se idênticas. 4. somente uma delas. (Delegado concurso de afirmativas: Polícia/PR/UFPR/2007) Sobre o pessoas. Após intensa investigação. mais tarde repartidos entre ambos. Ocorre a hipótese de autoria bilateral ou transversa quando o sujeito ativo obtém a realização do crime por meio de outra pessoa. considere as seguintes 1. Nada impede o concurso de pessoas nos crimes e contravenções de mão própria ou de mera conduta por instigação ou auxílio. 71 e 74 do Código Penal. b) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras. 2 e 4 são verdadeiras. c) Somente as afirmativas 1. a) Somente as afirmativas 1. b) amigo é partícipe do roubo. salvo se a ação ou omissão é dolosa e os crimes concorrentes resultam de desígnios autônomos (hipótese em que as penas aplicam-se cumulativamente). c) Ambos respondem por peculato doloso. apenas. b) Pedro responde por furto e Paulo por peculato doloso. na medida de sua culpabilidade. em qualquer caso. aplica-se ao agente a pena de um só dos crimes. b) Na presença de um concurso formal. c) ladrão é o único autor do crime de roubo. ou a mais grave. é correto afirmar que o a) ladrão responde pelo crime de roubo e o amigo terá a pena diminuída de um a dois terços por participação de menor importância.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 6. Assinale a alternativa correta. mas aumentada.br . aplica-se ao agente a mais grave das penas cabíveis ou. pratica dois ou mais crimes.com. Ambos ingressaram na referida repartição pública e subtraíram o computador. para os quais forneceu um veículo e as ferramentas a serem utilizadas na empreitada criminosa. idealizou e planejou a subtração de jóias de uma grande joalheria. a pena pode ser diminuída. Se a participação for de menor importância. de um sexto até metade. CONCURSO DE CRIMES 7. 19 www. as quais foram devidamente repartidas entre os três indivíduos. pois tinha ciência do crime a ser praticado. 9. é correto afirmar que houve concurso de pessoas para a realização da figura típica. e) No concurso de crimes. o juiz poderá. auxílio material ou moral em qualquer etapa do iter criminis. 3. Quem. que pratica o fato sem culpabilidade. imputável. ele é preso e diz à polícia que o amigo sabia de tudo. de qualquer modo. No dia do roubo. pedindo que ele guarde segredo. (Delegado da Polícia Civil/BA/IFBA/2008) Um ladrão comenta com um amigo que vai assaltar o Banco "Y" na manhã de segunda-feira. Luiz responderá apenas como partícipe do delito pois atuou em atos diversos dos executórios praticados por Pedro. ignorando que Pedro é funcionário público. c) Quando se tratar de crime continuado. Marcos e Alexandre executaram com êxito o furto. 10. a observar Pedro. Paulo concordou. d) ladrão é autor e o amigo é co-autor. mediante mais de uma ação ou omissão. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Considere a seguinte situação hipotética. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Quem. com 43 anos de idade. contra vítimas diferentes. assinale a afirmativa incorreta: a) O concurso material ocorre quando o agente. Nessa situação. e) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras. aderiu deliberadamente à conduta de Pedro. Marcos e Alexandre em sede de Inquérito Policial. instigação. indiciando Antônio. traçando as coordenadas da ação com Marcos e Alexandre. 11. se diversas. durante a subtração dos objetos. 1. em qualquer caso.

Nesse caso. o bis in idem. www. pela qual. analise as afirmativas a seguir. deflorando-a. I. DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL – MG – 2007 Com relação ao concurso de crimes é CORRETO afirmar que: a) Se.com. e) se todas as afirmativas estiverem corretas. assinale a alternativa INCORRETA: a) a pena de detenção deve ser cumprida em regime fechado. III. indicam aquela que deverá regulamentar o caso concreto. c) O Código Penal adota para o crime continuado a teoria da unidade real. nem da mais completa para a menos completa.prolabore. Francisco irá responder pelo crime de estupro em concurso formal com o delito de lesões corporais. em serviços ou obras públicas. desta forma. não bastando que se comparem abstratamente as descrições contidas nos tipos penais. ou organiza a cooperação no crime ou dirige a atividade dos demais agentes. CONCURSO APARENTE DE NORMAS 1. 2. DAS PENAS EM ESPÉCIE 1. no regime fechado. c) o condenado por crime contra a administração pública terá a progressão de regime do cumprimento de pena condicionada à reparação do dano que causou. a materialização de mais de um resultado típico implicará punição por todos os delitos. A solução do conflito aparente de normas dá-se pelo emprego de alguns princípios (ou critérios). c) se somente a afirmativa III estiver correta. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Ocorre conflito aparente de normas penais quando ao mesmo fato parecem ser aplicáveis duas ou mais normas (ou tipos). pois a conduta do agente só é enquadrada na norma incriminadora especial. os quais. b) Na hipótese da aberratio ictus com unidade complexa aplica-se a regra do concurso material. devidamente constatadas em laudo pericial. A pena será ainda agravada em relação ao agente que coage ou induz outrem à execução material do crime. 3. A norma especial pode descrever tanto um crime mais leve quanto um mais grave. à prática de conjunção carnal. lesões leves. por um dos crimes. semi-aberto ou aberto. Em razão do emprego da violência. b) a execução da pena em regime semi-aberto será feita em colônia agrícola. deve-se seguir o critério do concurso material. somando-se as penas previamente individualizadas. Nessa situação. para os demais será cabível a substituição de que trata o art. exceto a: a) O princípio da especialidade determina que o tipo penal especial prevalece sobre o tipo penal de caráter geral afastando. imputável. d) o trabalho externo é admissível. 44 do Código Penal. ou à devolução do produto do ilícito praticado. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Considere que um indivíduo penalmente responsável pratique três homicídios dolosos em concurso material. Constitui um dos princípios empregados no concurso aparente de normas: a) o da reserva legal. Francisco. mediante violência. Acerca do princípio da especialidade. d) No concurso material. embora também estivesse descrita na geral. fixado pelo juiz no momento da prolação da sentença.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 2. d) O princípio da especialidade é o único previsto expressamente no Código Penal. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Considere a seguinte situação hipotética. todas as alternativas estão corretas. b) se somente a afirmativa II estiver correta. a pena tornar-se superior à que resultaria do cúmulo material. quando ao agente tiver sido aplicada a pena privativa de liberdade. II. os vários delitos constituem um único crime. 4. o da subsidiariedade. Sobre as penas privativas de liberdade. d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. da aplicação da regra do concurso formal. não suspensa. 5. d) o da presunção da inocência. ao tempo em que afastam a incidência de certas normas. pois é este sempre mais benéfico. c) o da irretroatividade maléfica. b) Para se saber qual norma é geral e qual é especial é preciso analisar o fato concreto praticado. o da consunção e o da alternatividade. Assinale: a) se somente a afirmativa I estiver correta. A pena será ainda agravada em relação ao agente que promove. ainda. Os princípios que solucionam o conflito aparente de normas. b) o da especialidade. segundo a doutrina penal são: o da especialidade. a mulher experimentou.br 20 . (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) Relativamente ao concurso de crimes. A pena será ainda agravada em relação ao agente que instiga a cometer o crime alguém nãopunível em virtude de condição. c) A comparação entre as leis não se faz da mais grave para a menos grave. acercou-se de uma mulher e a constrangeu. industrial ou estabelecimento similar.

devendo ser cumprida em penitenciária. desde que a aludida reincidência não seja oriunda da prática do mesmo crime e a medida seja socialmente recomendável. 3. marque a opção verdadeira. julgue o item seguinte.com. a) Estão corretas todas as alternativas. A ementa do acórdão acima. do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. isto é. uma vez que tal alteração modifica sensivelmente a natureza da sanção imposta. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2006) Ainda em relação a normas pertinentes à parte geral do Código Penal. quando esta não for apreendida nem periciada. (Delegado Civil – Fundep – 2008 – MG) Com relação às penas. Rid Silva – RT 568/338). b) Sanção substitutiva. b) A prestação pecuniária não pode ser fixada em valor inferior a um salário mínimo somente se destinando à vitima ou seus dependentes nos casos de comprovado dano material e pode ter o valor pago deduzido do montante de eventual condenação em ação de reparação cível. b) A fixação da pena é obtida seguindo o chamado sistema trifásico. observando-se o sistema progressivo. assinale a opção correta. e) Está correta apenas a alternativa III. esta é irreversível e não havendo o seu cumprimento deverá ser feito a execução do eventual prejuízo cível. perseguido e preso em flagrante por terceira pessoa. d) Está correta apenas a alternativa I. função pública ou mandato eletivo. quando aplicada pena privativa de liberdade por tempo igual ou superior a um ano. o CP não prevê nenhum requisito para a progressão de regime vinculado à reparação do dano ou à devolução do produto do ilícito praticado. a aplicação da causa de aumento de pena do emprego de arma. II – A reincidência não influi no prazo da prescrição da pretensão punitiva. excluindo-se a utilização da execução penal. c) Na hipótese chamada de roubo frustrado em que o agente subtraia coisa da vítima. jamais. c) Uma vez realizada a substituição da pena privativa de liberdade pela pena restritiva de direitos. 2. www. EFEITOS DA CONDENAÇÃO E EXECUÇÃO PENAL 4. não sendo possível. semiaberto ou aberto. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. no roubo. 3. é efeito específico da condenação penal destinado exclusivamente aos crimes funcionais. O ordenamento jurídico em vigor veda a conversão da pena de multa em detenção. são três as espécies de penas: privativas da liberdade. d) Efeito automático da condenação. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) Levando em conta as disposições do CP e a interpretação do STF.prolabore. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – A gravidade em abstrato do crime não constitui motivação idônea para a imposição de regime mais severo do que o permitido segundo a pena aplicada. “Apesar de não constar da sentença. d) A pena privativa de liberdade caracteriza a chamada prisão penal ou definitiva. por constituir o confisco delas um dos efeitos da condenação” (TJSC – Ac. b) É possível a substituição de pena de réu reincidente (reincidência genérica) que for condenado por crime não violento com pena igual ou inferior a quatro anos. b) Estão erradas todas as alternativas. que é possível. logo após. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Sobre as penas. ocorre crime na modalidade tentada. de natureza sancionatória. colônia agrícola ou industrial e casa do albergado. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Perante o Código Penal vigente. restritivas de direitos e multa. primeiro é fixada a pena base. e seu valor deve ser inscrito na dívida ativa se não for paga pelo condenado solvente.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 2. c) Pena alternativa. sendo estas as três fases características. fechado. assinale a afirmativa CORRETA. a) A substituição de pena privativa de liberdade por pena restritiva de direitos pode acontecer em todos os casos onde a pena aplicada seja inferior a 4 (quatro) anos e o condenado possua bom comportamento carcerário. III – Para o STJ é possível a adoção do regime prisional semi-aberto aos reincidentes condenados a pena igual ou inferior a quatro anos se favoráveis as circunstâncias judiciais. sobretudo no STF. DA APLICAÇÃO DA PENA 1. mas seja. exceto no concurso com outros crimes culposos e em sendo o agente reincidente. d) Pode ser substituída a pena privativa de liberdade pela pena restritiva de direito ao crime culposo independentemente do quantum de pena aplicado. c) A suspensão condicional da pena pode ser concedida ao reincidente em crime doloso apenado com pena de multa isolada ou em substituição à pena privativa de liberdade. que esse crime atinja bens particulares. – Rel. 21 . ou seja. a) A perda de cargo. depois as agravantes e atenuantes e depois o regime de pena a cumprir. e) Apenas bens públicos são objeto material do crime de peculato. a) Mostra-se pacífico nos tribunais.br 1. A multa é considerada dívida. Des. diz respeito a: a) Efeito específico da condenação. com integral recuperação da res. devendo ser cumprida em estabelecimento adequado. as armas não devem ser restituídas aos réus. d) Nos crimes contra a administração pública.

II. com a intenção de matar Getúlio. Plínio. no entanto. perempção. inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento. Nessa situação. seguida de uma assertiva a ser julgada. Segundo essa lei. 7. Nessa situação. analise as afirmativas a seguir: I. A prescrição é sempre considerada de forma abstrata. b) se somente a afirmativa II estiver correta.br 8. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. ou seja. 4. pela morte do agente. Assinale: a) se somente a afirmativa I estiver correta. cuja ação penal. pela renúncia do direito de queixa e pela anistia só ocorrem nos crimes de ação penal 22 . durante o período diurno.prolabore. para o condenado que tenha mais de setenta anos de idade. graça ou indulto. Delegado Polícia Civil/Funiversa/DF/2009 A lei de execução penal prevê que haverá excesso ou desvio de execução sempre que algum ato for praticado além dos limites fixados na sentença. Leandro. d) sentenciado. após ser enterrada. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) Relativamente à extinção da punibilidade. Em cada um dos próximos itens. trabalhar fora do estabelecimento prisional. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Um cidadão condenado a pena de reclusão de 15 anos pela prática de um homicídio deve. do Título IV do Código Penal. obrigatoriamente. A renúncia do direito de queixa. b) Superintendência de Organização Penitenciária. b) Estão erradas todas as alternativas. Haverá revogação obrigatória do livramento condicional se o liberado for irrecorrivelmente condenado. O agente que pretende atingir o indivíduo A e acaba por acertar o indivíduo B não pode ser responsabilizado criminalmente. ministrou veneno a este. que sofreu lesões corporais leves. quanto aos outros. pela anistia. de forma que ela morreu em face da asfixia. 2. 2. No entanto. julgue os itens seguintes. definidos nos capítulos I. acarreta a extinção da punibilidade. considerando o dolo específico. ao tempo da ação ou da omissão. a soma das sanções. é apresentada uma situação hipotética. nos crimes contra os costumes. na modalidade culposa. d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. em serviços de natureza privada. atirou uma pedra em direção à janela de vidro da casa de Roberta. pela prescrição. Extingue-se a punibilidade. pelo período de quatro a seis anos. Nos crimes conexos. acerca do tratamento do erro no direito penal. independente da natureza dos desígnios ou vontades. 3. por perturbação de saúde mental. de modo que Leandro responderá apenas por tentativa de homicídio. O concurso formal difere do concurso material uma vez que naquele temos uma unidade na prática da conduta. A extinção de punibilidade pela decadência. II e III. III – A pena de detenção pode ser cumprida em regime inicial fechado se o condenado é reincidente em crime doloso. iniciar o cumprimento da pena em regime fechado.com. já que após a declaração definitiva de responsabilidade criminal do indivíduo o Estado já exerceu seu direito de punir. Plínio responderá por lesão corporal leve. III. por ser pública condicionada. bem como a absoluta ausência de tipicidade da conduta. Presumindo que a vítima já falecera. aplicando-se sempre a mesma lógica na aplicação da pena. c) Conselho Penitenciário. a agravação da pena resultante da conexão. com a intenção de cometer crime de dano. enquanto neste existe pluralidade de ação ou omissão. ou o oferecimento de perdão pelo querelante. e) se nenhuma afirmativa estiver correta. a extinção da punibilidade de um deles impede. IV. vindo posteriormente a ser apurado que a quantidade de veneno ministrada à vítima não fora suficiente para a sua morte. dentre outros motivos. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Considere as seguintes afirmativas: I. III. por erro de pontaria. e pelo casamento do agente com a vítima. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE 1. c) se somente a afirmativa III estiver correta. a) Estão corretas todas as alternativas. No chamado sursis etário. d) Está correta apenas a alternativa I. e) Está correta apenas a alternativa III. há a suspensão condicional da execução da pena privativa de liberdade. não pode suscitar o incidente de excesso ou desvio de execução o(a) a) Ministério Público. não superior a quatro anos. decadência ou perempção. Leandro a enterrou no quintal de sua casa. era. por crime ou contravenção. 6. e) Patronato. www. podendo. ocorreu erro sobre o nexo causal.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal (Delegado Polícia Civil/AC/CESPE 2008) A respeito de suspensão condicional da pena e livramento condicional. II. acertou Gilda. não podendo mais ser declarada a extinção de punibilidade. qualquer que seja a pena cominada. desde que mediante prévia autorização judicial. em normas legais ou regulamentares. II – As condições de caráter pessoal não se comunicam quando elementares do crime. nos crimes de ação privada. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – É inimputável o agente que. 5. dependerá de representação da ofendida Gilda.

b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras. isoladamente.prolabore. julgue os itens subsequentes. EXCETO: a) A publicação da sentença de pronuncia. I Ocorre o concurso material quando o agente. que sejam objetos do mesmo processo. considere as seguintes afirmativas: 1. não é considerada para a concessão de outros benefícios. b) 3. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – Os crimes omissivos próprios não admitem concurso formal. a) Somente as afirmativas 2. são elas impostas distinta e integralmente. b) Estão erradas todas as alternativas. 23 . quanto à pena de multa. determinada pelo CP. e produz efeitos relativamente a todos os autores do crime. II A pena unificada para atender ao limite de trinta anos de cumprimento. a interrupução relativa a qualquer deles estende-se aos demais. (Delegado Polícia Civil/RO/2009 – FUNCAB) Considerando as assertivas abaixo. a prescrição regula-se pela pena imposta na sentença. quando não há recurso da acusação. c) Somente as afirmativas 1. Assinale a alternativa correta. isoladamente. III – O cumprimento de pena no estrangeiro pelo agente é causa suspensiva da prescrição. aplica-se o sistema de cumulação material. A quantidade de itens certos é igual a a) 2. mediante mais de uma conduta. é regulada conforme o prazo estabelecido para a prescrição da pena privativa de liberdade. Porém. (DELEGADO DE POLÍCIA – PR – UFPR – 2007) Sobre a prescrição. III e IV b) apenas I e II c) apenas II e III d) apenas I. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. Nesse sentido. 4. d) Está correta apenas a alternativa I. no que se refere à prescrição. 7. a prescrição regula-se pela pena imposta na sentença. o tempo em que o agente cumpre pena no estrangeiro e o prazo de suspensão condicional do processo são causas suspensivas ou impeditivas da prescrição. VI No concurso de infrações. A prescrição da ação penal regula-se pela pena concretizada na sentença. é apresentada uma situação hipotética a respeito da aplicação do direito penal. executar-se-á primeiramente a pena mais grave. c) 4. c) É termo inicial da prescrição da pretensão executória a data do trânsito em julgado da sentença condenatória para a acusação. antes do trânsito em julgado da sentença penal para a acusação. a extinção da punibilidade incidirá sobre a pena de cada um. regulando-se pela pena aplicada. b) A prescrição da pena de multa.br 5. 3 e 4 são verdadeiras. 4. o início ou continuação do cumprimento da pena e a reincidência. d) A pronúncia é causa de suspensão do prazo prescricional. idênticos ou não. No caso de evadir-se o condenado ou de revogar-se o livramento condicional. 6. DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL – MG – 2007 É correto afirmar sobre a prescrição no direito penal.com. São corretas: a) I. Quando se tratar de crime continuado. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Nos próximos item. 2. II e IV 3. ou seja. d) 5. considere que a sigla STJ se refere ao Superior Tribunal de Justiça. 3. c) A prescrição. a extinção da punibilidade incidirá sobre a pena de cada um. a) A reincidência é causa que interrompe a prescrição. seguida de uma assertiva a ser julgada. b) A prescrição superveniente ou intercorrente ocorre após o trânsito em julgado para a acusação ou após o improvimento de seu recurso. II. e) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras. e) O recebimento da denúncia ou queixa interrompe o curso da prescrição. e) 6. as penas mais leves prescrevem com as mais graves. assinale a alternativa correta.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal privada. quando esta for a única cominada ou aplicada. não se computando o acréscimo decorrente da continuação. não se computando o acréscimo decorrente da continuação. d) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. d) Nos crimes conexos. II – No caso de concurso de crimes. 2 e 4 são verdadeiras. e) Está correta apenas a alternativa III. V No caso de concurso de crimes. situação em que as penas são cumuladas. que é voltado apenas para as penas privativas de liberdade. a) Estão corretas todas as alternativas. IV Quando se tratar de crime continuado. www. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) Em relação ao concurso de crimes e à extinção de punibilidade. III Havendo um concurso formal de crimes. pratica dois ou mais crimes. considerando a natureza própria deste e a previsão expressa da lei penal. sem que se fale no sistema da exasperação. São exemplos de causas interruptivas da prescrição: a decisão confirmatória da pronúncia. como o livramento condicional ou regime mais favorável de execução. é regulada pela pena aplicada. a prescrição é regulada pelo total da pena aplicada na sentença condenatória.

Assinale: a) se somente a afirmativa I estiver correta. em razão de conduta ocorrida em 1. agosto tem 31 dias. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) João e Marcos decidem furtar uma residência. Município. b) 17 de novembro de 2006. a referida pena privativa de liberdade findará no dia a) 16 de novembro de 2006. www. c) se somente a afirmativa III estiver correta. durante as festividades de ano-novo. as frações de dia. Ambos decidem ali mesmo repartir os bens que pegaram na casa e seguir em direções opostas. são contados conforme o Código de Processo Penal. c) 18 de novembro de 2006. Enquanto está pegando os objetos de valor. Horas depois. Nessa situação. d) na data do cometimento do crime anterior e termina cinco anos depois de cumprida ou extinta a pena do crime anterior. Estado. João escuta um barulho e percebe que a empregada tinha ficado na casa e estava na cozinha bebendo água. este o chama de tarado e diz que nunca teria concordado com o que João fizera. utiliza uma pedra de mármore para quebrar o crânio da empregada. na cidade do Rio de Janeiro. por terem natureza processual. e a coisa furtada é de pequeno valor. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) Relativamente aos crimes contra o patrimônio. e) se todas as afirmativas estiverem corretas. o juiz pode substituir a pena de reclusão pela de detenção. setembro tem 30 dias e outubro tem 31 dias. não se aplica aos prazos prescricionais ou decadenciais. Ao contar o que fez a Marcos. nem nas restritivas de direito.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 8. ter por termo inicial data anterior à da denúncia. mediante grave ameaça. O mês é contado de determinado dia à véspera do mesmo dia do mês seguinte. a) Os prazos de natureza penal são improrrogáveis e insuscetíveis de interrupção ou suspensão. Usando sua habilidade. É isento de pena quem comete qualquer dos crimes contra o patrimônio em prejuízo do cônjuge. cidadão não reincidente em crime doloso. Estes. Considera-se qualificado o dano praticado com violência à pessoa ou grave ameaça. às 22:00 horas do dia 20 de julho de 2006.prolabore. mas que agora uma outra realidade se impunha e era preciso silenciar a testemunha. sob hipótese alguma. a prescrição da pretensão executória será de dois anos e não poderá. a ter conjunção carnal com ele. Assinale a alternativa que identifica os crimes que cada um deles praticou. nas penas privativas de liberdade. c) na data do cometimento do crime anterior e termina com o trânsito em julgado da sentença condenatória do crime anterior. (Delegado da Polícia Civil/SC/2006 – ACAFE) A contagem do prazo da reincidência inicia-se: a) com o trânsito em julgado da sentença condenatória do crime anterior e termina cinco anos depois de cumprida ou extinta a pena do crime anterior.741/2003. analise as afirmativas a seguir: I.com. isto é. a) João: furto qualificado e estupro. DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL – MA – 2006 – FCC Carlos foi recolhido ao cárcere para cumprir pena de 4 meses de reclusão. empresa concessionária de serviços públicos ou sociedade de economia mista ou ainda por motivo egoístico ou com prejuízo considerável para a vítima. 2. foi condenado a nove meses de prisão pela prática do crime de ameaça. No crime de furto. Tentam forçar as janelas e verificam que todas estão bem fechadas. João vai até a empregada (uma moça de 35 anos) e decide constrangê-la. 2. com emprego de substância inflamável ou explosiva (se o fato não constitui crime mais grave).º de janeiro de 2010. com a empregada e deixá-la amarrada e amordaçada (mas sem sofrer qualquer outro tipo de lesão corporal). ambos são presos com os objetos. entretanto. III. e) 20 de novembro de 2006. b) Os prazos do Código Penal são computados incluindo-se o dia do começo. O ano é contado de certo dia até a véspera de dia de idêntico número do mesmo mês do ano seguinte. Logo após consumar a conjunção carnal. Vigiam o local até que os proprietários deixem a casa. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Analise as alternativas e assinale a correta. b) na data do cometimento do crime anterior e termina cinco anos após o trânsito em julgado da sentença condenatória do crime anterior. c) Na contagem dos prazos de natureza penal deve ser utilizado o calendário comum. d) 19 de novembro de 2006. b) se somente a afirmativa II estiver correta. João termina de pegar os objetos de valor e vai ao encontro de Marcos. na constância da sociedade conjugal. considerando as normas penais aplicáveis. Marcos retorna à casa e mesmo diante dos apelos de João que tenta segurá-lo.br 1. com exceção de uma janela no terceiro andar da casa. pedindo a Marcos que fique vigiando e avise se alguém aparecer. se o criminoso é primário. Esta regra. João escala a parede e entra na casa. d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. 24 . DIVERSOS PARTE ESPECIAL 1. Considerando que julho tem 31 dias. desde que não haja emprego de grave ameaça ou violência à pessoa ou que a vítima não seja idosa nos termos da Lei 10. Lúcio. não importando seja bissexto qualquer deles. II. d) Não são desprezadas. Marcos: furto qualificado e homicídio qualificado. contra o patrimônio da União. excluindo-se o dia do começo. 3.

d) O emprego de veneno nem sempre poderá ser considerado como qualificadora. a) Segundo a jurisprudência do STJ.br 25 . II. Carlos Cristiano é o único salvavidas do clube e sabe a responsabilidade de seu trabalho. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Marque a opção verdadeira. Acordou às 15 horas. ou seja. com os gritos dos sócios do clube que tentavam reanimar uma criança que entrara na piscina e fora parar na parte funda. II e III 3. ao invés de voltar do almoço na hora. existindo o que chamamos de circunstancia privilegiadora. temos uma hipótese de causa de diminuição de pena. d) Homicídio doloso. estupro e homicídio simples. pois dormira muito tarde após as comemorações do reveillon. o uso de arma de brinquedo é equiparado ao uso de arma de fogo. Assim. b) O chamado pacto de morte. II e IV c) I. João: furto simples e estupro. aquele o é pelo animus laedendi. após provocação da vítima. pois. na modalidade de ação comissiva por omissão. c) O aborto praticado em feto que não tinha viabilidade de vida é plenamente permitido pela legislação penal brasileira. III e IV d) I. Embora houvesse outras pessoas na piscina. mas naquele dia 2 de janeiro estava particularmente cansado. Marcos: furto simples e homicídio qualificado. com um intervalo de uma hora para o almoço do salva-vidas. Marcos: furto qualificado. qualificando o crime de roubo. b) Nenhum crime. já que o objeto jurídico tutelado é o valor coletivo e não os bens particulares. e a piscina do clube funciona de terça a domingo. quando duas ou mais pessoas reúnem-se para praticar o suicídio jamais pode gerar a responsabilidade criminal de alguém. anulando todos os efeitos da condenação criminal. 5. previstos no Código Penal Brasileiro. São corretas. estupro e homicídio qualificado. passando a deter o animus de inverter a condição de propriedade sobre a coisa após detê-la em seu poder. marque a opção verdadeira. configurando uma das hipóteses supralegais de estado de necessidade e é conhecido como aborto eugênico ou eugenésico. Marcos: furto simples e homicídio qualificado. d) De acordo com a doutrina pátria. apenas: a) II.com. Quanto ao elemento subjetivo a lesão corporal seguida de morte difere essencialmente da tentativa de homicídio. para a caracterização do crime de apropriação indébita o agente deve agir inicialmente com boa-fé sobre a coisa. pois isso dependerá de ele ser utilizado por meio insidioso ou cruel. Assinale a alternativa que indique o crime praticado por Carlos Cristiano. A ação penal neste caso poderá ser incondicionada ou condicionada à representação. de 9 às 17 horas. estupro e homicídio simples. b) A extorsão mediante seqüestro é crime de natureza permanente e sendo crime contra o patrimônio tem sua consumação quando o valor do resgate é efetivamente pago. O clube abre diariamente às 8hs. na modalidade de ação omissiva. uma vez que o objeto jurídico tutelado é indisponível. IV. a) Homicídio culposo. A lesão corporal dolosa sempre apresenta ação penal pública. passando a praticar atos típicos de proprietário. III. pois várias crianças utilizam a piscina diariamente e muitas dependem da sua atenção para não morrerem afogadas. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Considere as seguintes afirmativas: I. onde o Estado perdoa o indivíduo voluntariamente. Infelizmente. estupro e homicídio qualificado. c) Omissão de socorro. Sempre que a lesão corporal é praticada sob influência de violenta emoção. www. III e IV b) I.prolabore. e) Homicídio doloso. Marcos: furto qualificado. 6. O perdão judicial é uma das forças de extinção da punibilidade. decidiu tirar um cochilo. a) O homicídio híbrido ocorre sempre que reunimos em um mesmo fato uma pluralidade de vítimas e de circunstâncias qualificadoras de natureza subjetiva. pois é nesse momento que ocorre o concreto dano ao patrimônio. João: furto qualificado e estupro. 4. mesmo que haja sobreviventes e um deles tenha praticado os atos executórios. João: furto simples.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal b) c) d) e) João: furto qualificado. c) A ação penal nos crimes contra o patrimônio é sempre pública. Normalmente. não foi possível reanimar a criança. independente da natureza da mesma. sempre entre 12 e 13 horas. (Delegado Polícia Civil/CE/2006) Considerando os crimes contra a pessoa. Carlos Cristiano trabalha com atenção e dedicação. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) Carlos Cristiano trabalha como salva-vidas no clube municipal de Tartarugalzinho. ninguém percebera que a criança estava se afogando. enquanto este é caracterizado pelo animus necandi.

122 do CP. Estabelecida essa verdade no inquérito policial. em estado puerperal. o pagamento do título antes do recebimento da denúncia. na modalidade induzir ao suicídio. É casado com uma belíssima mulher. João. as seguintes alternativas estão corretas. c) Por infração ao art. João passa a instigá-lo ao suicídio. a criança falece. visando derrubar o banquinho. desde que dela se valha. mantendo vítima em erro. que se enquadram às situações emanadas do tipo. d) todas as pessoas. b) Funcionário público que. João. assinale a alternativa incorreta. João empresta uma corda para que José ceife a própria vida. nas modalidades induzir. José dirige-se a um bosque. c) para a ocorrência do crime de induzimento. comete o crime de peculato mediante erro de outrem. 11. Delegado de Polícia – PB – IPAD – 2006 Sobre os crimes contra a vida. 122 do CP. contra a mesma vítima em um mesmo contexto fático responde por crime continuado. que estava à espreita observando a ação de José. c) Só gestantes podem ser autoras do crime de aborto. fazendo nascer em sua mente a idéia de suicidar-se. homicídio doloso qualificado pelo motivo torpe. que o ama muito. d) Suicídio é crime hediondo. a) No estelionato mediante emissão de cheque sem fundo. a) Genitora que mata seu filho em estado puerperal comete crime de infanticídio. instigar e auxiliar ao suicídio. podem ser vítimas dos crimes de violência doméstica. não importando que esteja ele afastado da função pública que exerça. d) Para a configuração do crime de corrupção passiva. 313 do Código Penal. e) Homicídio privilegiado não pode receber qualificadora objetiva.br 26 . não sendo o crime necessariamente bilateral.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 7. 10. com aumento de pena pelo motivo egoístico. b) o agente que provoca várias lesões corporais. EXCETO a) a mãe que. segundo orientação do Supremo Tribunal Federal. instigação ou auxílio ao suicídio. sendo irrelevante a consumação da lesão efetiva. apropria-se de quantia de dinheiro que lhe foi entregue no exercício de sua função. apanha um galho e empurra um dos pés do banquinho. Delegado Civil/Fundep/2008/MG Com relação aos crimes contra o patrimônio. fazendo com que este tombe. com aumento de pena pelo motivo egoístico. b) João atropela seu filho por encontrar-se dirigindo em excesso de velocidade. José morre asfixiado. c) No crime de peculato culposo. DELEGADO CIVIL – FUNDEP – 2008 – MG Quanto aos crimes contra as pessoas. Delegado de Polícia Civil/MS/2006/FAPEC José está desempregado. na modalidade auxiliar ao suicídio. pois adquire em proveito próprio coisa que sabe ser produto de crime. caberá ao Delegado de Polícia indiciar João: a) Por infração ao art. inserido no art. de natureza grave e gravíssima. 122 do CP. passa a induzir José ao suicídio. Por fim. e) Por infração ao art. 8. o vizinho. e passando do auxílio moral para o auxílio material. responde por infanticídio e não por homicídio. Devido às lesões. será indispensável que a vítima seja determinada e tenha capacidade de discernimento. 121 § 2º I do CP. www. interessado em manter relacionamento amoroso com Ana. é necessário apenas que o sujeito passivo pratique ato suscetível de produzir efeito jurídico. 122 do CP. a) Configura a concussão a exigência feita por funcionário público para si.. podendo as penas ser aumentadas de 1/3 se o crime for cometido contra pessoa portadora de deficiência. na modalidade instigar ao suicídio. de vantagem indevida. mulheres ou homens. sendo a pluralidade de vítimas circunstância avaliada apenas na dosimetria da pena. mata filho de outra pessoa pensando ser o próprio. extingue a punibilidade. Para tanto João invoca a péssima situação financeira de José. d) Por infração ao art. a reparação do dano precedente à sentença irrecorrível é causa de extinção da punibilidade. assinale a alternativa correta. Ocorre que pelo declive do terreno o banquinho não cai. não é imprescindível a concomitante ocorrência do delito de corrupção ativa. amarra a corda em um galho alto. b) Por infração ao art. 9. d) Responde por receptação dolosa o agente que encomenda o furto de determinada obra de arte. b) Para que se consume o crime de abuso de incapazes. na enfermaria do hospital. em prejuízo próprio ou de terceiro. Após fazer nascer em José a idéia do suicídio. por três crimes. assinale a afirmativa INCORRETA. e percebendo que ela ama muito José.prolabore. João incidiu em homicídio privilegiado. com aumento de pena pelo motivo egoístico. com aumento de pena pelo motivo egoístico. sobe em um banquinho e passa a movimentar-se. incentivando a idéia mórbida pré-existente.com. de nome Ana. DELEGADO CIVIL – FUNDEP – 2008 – MG Com relação aos crimes contra a administração Pública. doente e sua família passa por necessidades financeiras agudas. c) Responde o agente por um único latrocínio ainda que de seu roubo resulte a morte de mais de uma vítima. logo após o parto.

prolabore.Um indivíduo. algum crime foi cometido? Sendo a resposta positiva. deve. julgue os itens abaixo. 2º caso: Sim. Após muita persuasão. de graves sofrimentos físicos www. Hoje. 2º caso: Sim. no último final de semana. d) 1º caso: Não. Violação Sexual Mediante Fraude. e) Uma das formas de prevaricação ocorre quando o funcionário público deixa de punir erro de seu subordinado. sob juramento. 13. ao acordar.Caio e Tício. considerando a descrição típica. enquanto Alice responderá por homicídio doloso na sua forma eventual. em tese. responder por homicídio privilegiado. b) Carlos responderá por homicídio doloso na sua forma direta. Posse Sexual Mediante Fraude. o indivíduo responderá pelo crime de maus-tratos. decide ir à Delegacia e registrar o fato. (Delegado Polícia Civil/RJ/CEPERJ 2009) Considerando os delitos contra a pessoa. em movimento de ato reflexo. com quem pretende fazer sexo. IV. que veio a falecer em virtude dos ferimentos ocasionados pelos projéteis disparados pela arma de Bruno. conheceu Aline na festa do dia de seu aniversário de 12 anos e. amarrou sua esposa ao pé da cama. trata-se de fato atípico. postaram-se de emboscada. d) A condescendência criminosa ocorre quando o funcionário público facilita a fuga de preso. Ação Penal Pública Incondicionada.culpa). no dia seguinte. ou seja. mediante o uso de arma de fogo. porque terá sua ação excluída pelo ato reflexo. que excluirá o próprio tipo. a) Carlos responderá por homicídio doloso e Alice por homicídio culposo. I. para livrar um doente. b) 1º caso: Não. Estão certos apenas os itens a) I e III b) I.No homicídio preterintencional. ambos trancaram-se em um quarto hermeticamente fechado e Caio abriu a torneira de um botijão de gás. Delegado de Polícia – PB – IPAD – 2006 Com relação aos crimes praticados por funcionários públicos contra a administração em geral. Para isso. 27 . Delegado de Polícia – PB – IPAD – 2006 Alice segura seu bebê de 2 meses em seu colo. Lá Leomar realiza seu intento e fez sexo anal com Priscila. 2º caso: Sim. sem possibilidade de cura. Nessa situação.Mário e Bruno. Ambos atiraram na vítima. 2º caso: Sim. c) somente Carlos responderá. grita e levanta os braços. e será por homicídio culposo. mas se prostitui desde os seus 10 anos de idade sem o conhecimento do seu namorado. II. entre eles a piedade e a compaixão. 2º caso: Leomar resolve ir a uma boate gay. é correto afirmar que Mário e Bruno são coautores do homicídio perpetrado. Violação Sexual Mediante Fraude. decidiram morrer na mesma ocasião. II e V d) II e IV e) IV e V 15. qual delito foi praticado e qual o tipo de ação penal prevista para cada um deles? a) 1º caso: Sim. Ação Penal Pública Incondicionada. Ação Penal Pública Incondicionada.com.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 12. onde conhece Priscila. Ação Penal Pública Condicionada à Representação. V. deixando seu bebê cair. que compreende também os interesses individuais do agente. Ação Penal Pública Incondicionada. Para tanto. Ação Penal Pública Incondicionada. e conseqüentemente falecer. e) somente Carlos responderá. exige vantagem indevida de particular. Ação Penal Privada. Leomar decide colocar uma substância na bebida de Priscila. III. pratica a eutanásia com o consentimento da vítima. Alice. Carlos se aproxima e dá um susto nela. a) O peculato-apropriação e o peculato-desvio são crimes de mão-própria porque só podem ser praticados por funcionários públicos. b) O peculato-estelionato é o peculato mediante erro de outrem e se caracteriza pela fraude. Pergunta-se: em cada caso. é seu namorado. a título de correção. Estupro de Vulnerável. Estupro. assinale a alternativa correta. e que não viu que a mesma carregava uma criança – ou seja. que. 14. pretendendo matar Nilo. o agente responderá por culpa com relação ao resultado morte. e Carlos. d) ambos serão absolvidos. c) A concussão ocorre quando o funcionário público. todavia. Ação Penal Pública Incondicionada. atualmente com 20 anos. desde então. III e V c) I. e será por homicídio doloso. apenas Tício morreu. havia ausência absoluta de possibilidade de previsão da gravidez de Alice por parte de Carlos. 2º caso: Sim. Aline resolveu “ceder” aos encantos de Abreu e fez sexo com ele.O agente que. Aline tem 13 anos. Pelas suas costas e sem que Alice perceba. Estupro. ignorando cada um o comportamento do outro. um transformista. Estupro de Vulnerável. que. pela total ausência de previsibilidade que excluirá o elemento subjetivo do tipo (neste caso . e) 1º caso: Sim. que desmaia e é levada por ele para o quarto de um cortiço a 200 metros do local. (Delegado Polícia Civil/RJ/CEPERJ 2009) 1º caso: Abreu. Assinale a alternativa correta. também havia ausência absoluta de possibilidade de visão de que Alice carregava uma criança. trata-se de fato atípico. Aplicando o raciocínio que Carlos nunca soube da gravidez de Alice. Nessa situação. c) 1º caso: Sim. apenas no exercício da função. deixando-a em um quarto escuro e fétido. já que agiu por relevante valor moral. Caio deverá responder por participação em suicídio. Estupro de Vulnerável.br e morais. Nesse caso.

d) Maria é autora intelectual do furto. grave. deixa a porta aberta da casa onde trabalha. e ali furta vários objetos de valor econômico. d) O agente cometeu o crime de homicídio. gravíssima.prolabore. c) a conexão teleológica que qualifica o homicídio ocorre quando é praticado para ocultar a prática de outro delito ou para assegurar a impunidade dele. passa a negociar o preço do resgate.R. onde os moradores estão dormindo. (Delegado Polícia Civil/BA/2006/ Consulplan) Segundo o artigo 129 do CPB. gravíssima. c) A embriaguez incompleta proveniente de caso fortuito ou força maior. e) N. este reage com violência à prisão. b) Paulo ao atuar sobre a vontade de Mauro. em concurso com furto. é CORRETO afirmar: a) a natureza jurídica da sentença concessiva do perdão judicial. segundo orientação sumulada do Superior Tribunal de Justiça. Marque a alternativa correta: a) Maria ao deixar a porta aberta. lesão corporal de natureza: a) Grave. 17. a incapacidade para as atividades habituais por mais de 30 dias.R. levíssima. b) A embriaguez não acidental incompleta. em concurso com roubo. ou seja. e) Leve.A 18. 28 . (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) Sobre o crime de homicídio. seu desafeto. respectivamente. Marque a alternativa correta: a) Carlos responderá por furto qualificado pelo emprego de arma. Depois de prender o indivíduo. d) a futilidade para qualificar o homicídio deve ser apreciada subjetivamente. Marque a alternativa correta: a) Paulo é co-autor do crime previsto no artigo 122 do Código Penal que dispõe: “Induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxilio para que o faça”. Marque a alternativa correta: a) Pedro responderá por tentativa de Extorsão Mediante Seqüestro. Marque a alternativa correta: a) Pedro responderá por latrocínio. b) Pedro responderá por homicídio simples. grave. Com o intuito de vingança.A www. e) N.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 16. c) O agente agiu com abuso de autoridade. c) Pedro responderá por homicídio. leve. gravíssima.R. pela opinião do sujeito ativo. e) Pedro responderá por homicídio qualificado. caracterizam. b) Grave. Depois de tê-la no cativeiro por mais de 24 horas. d) Carlos responderá por furto privilegiado. c) Paulo responderá como autor no crime do artigo 122 do Código Penal.A 22. (Delegado Polícia Civil/BA/2006/Consulplan) Carlos portando uma arma de fogo. é condenatória. entre na casa e furta várias jóias. b) Maria é co-autora no furto. (Delegado de Polícia Civil – BA – 2006 – CONSULPLAN) Um agente policial sai em perseguição a um indivíduo que acabara de cometer um assalto com uso de um revólver. que antes lhe aplicara uma surra. 19. atirando contra o agente. d) Pedro responderá por homicídio qualificado. resolve subtrair o relógio do morto. que por sua vez reage. às 2 horas da manhã.R. d) Pedro responderá pelo crime de Extorsão Qualificada. e) N. desfere tiros em João. responderá como partícipe no crime do artigo 122 do Código Penal. aproveitando-se do “vacilo” de Maria. atirando contra o assaltante.com. b) existe a possibilidade da coexistência entre o homicídio praticado por motivo de relevante valor moral e o homicídio praticado com emprego de veneno. d) A conduta de Paulo é atípica.R. a suicidar-se. ferindo-o de morte. d) Grave. (Delegado de Polícia Civil – BA – 2006 – CONSULPLAN) Maria. c) Maria é a única pessoa responsável pelo furto. b) O agente agiu no exercício regular do direito.A 24. c) Grave. c) Carlos responderá por furto qualificado pela escalada.A 23. que se encontra em estado de depressão. c) Pedro responderá pelo crime de Extorsão Mediante Seqüestro Qualificado. e) N. e) N. Delegado De Polícia Civil – Ba – 2006 – Consulplan Paulo instiga Mauro. (Delegado Polícia Civil/BA – 2006 – Consulplan) Pedro encontra João. Depois. (Delegado Polícia Civil/BA – 2006 – Consulplan) Qual modalidade de embriaguez exclui a imputabilidade? Marque a alternativa correta: a) A embriaguez não acidental completa. (Delegado Polícia Civil/BA/2006/Consulplan) Pedro seqüestra Maria. não subsistindo efeitos secundários. no homicídio culposo. Seu namorado. entra em uma casa sem nenhum obstáculo. b) Pedro responderá por Extorsão Mediante Seqüestro Simples. e) N.br 21.A 20. matando-o. Marque a alternativa correta: a) O agente agiu em estado de necessidade. vindo Mauro a morrer. Pedro é preso. d) A embriaguez preordenada. leve. empregada doméstica. deve ser responsável pelo furto como partícipe. grave. b) Carlos responderá por furto simples. gravíssima. inadvertidamente. Ocorre que durante a negociação.R. deformidade permanente e o perigo de vida.

[A] sente-se seguro e confiante para seguir com seu intento e. pela parte ou por seu procurador. 29. até serem vendidos a terceiros. seu amigo de infância. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) [A]. Rapidamente. em algumas hipóteses. punir penalmente o aborto culposo.099/95. no barracão oferecido por [B]. 129. intencionalmente. caixa em um famoso banco privado. que ansiosamente aguardava do lado de fora do mencionado prédio. transportassem os bens subtraídos. identifica-se na recepção e diz ao porteiro que havia esquecido sua carteira de motorista. por furto qualificado por abuso de confiança. [A] despede-se do porteiro e vai ao encontro de [B]. do Código Penal. incide em a) Desobediência. crime de menor potencial ofensivo. ao tentar tirar a própria vida. e expõe a ele sua intenção de praticar um delito de furto de vários aparelhos eletrodomésticos em conhecida loja da capital. valendo-se da facilidade que o seu cargo lhe proporciona. c) No Código Penal brasileiro. o homicídio. empenhando arma de fogo. não sendo possível. efetivamente. Nesse momento. Delegado De Polícia Civil – Pi – Nucepe – UESPI – 2009 De acordo com os crimes contra a pessoa. nessa situação. c) Quando a injúria consiste na utilização de elementos referentes à raça e à cor deve ser afastado o Código Penal e aplicada a lei específica que trata do crime de racismo. [A]. d) João. e. sofre apenas lesões leves. e) Não constitui calúnia. funcionário público. havendo a necessidade que o agente efetue a devolução da coisa. d) Favorecimento pessoal. na discussão da causa. segundo o Código Penal. www. Nesse caso. Delegado De Polícia Civil – Pi – Nucepe – UESPI – 2009 Com relação aos crimes contra a honra. que o crime de homicídio seja qualificado e privilegiado ao mesmo tempo. João responderá pelo crime de lesão corporal leve. pessoa dele conhecida. é possível o instituto da exceção da verdade no crime de calúnia e no crime de injúria. Qual o crime praticado por [B]? a) Furto. pois iria viajar para o interior do estado para aproveitar a folga do feriado. instigação ou auxilio ao suicídio estabelecido no art. porém esta. a) Segundo o Código Penal. tendo. é CORRETO afirmar: a) as escusas absolutórias previstas nos delitos contra o patrimônio constituem causas de isenção de pena e se comunicam no concurso de agentes. 29 . em nenhuma hipótese.br d) [A] responde por apropriação indébita e [B]. o seu acesso liberado naquele prédio público. cujo espaço físico seria ideal para a guarda dos bens furtados.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 25. Nesta situação. e) O crime de ameaça. c) Favorecimento real. pois a sua pena máxima é de 6 (seis) meses. e [B]. abrindo uma janela que dava acesso para a rua. e a ação penal é pública incondicionada. (Delegado Polícia Civil/MG/2003) O autor que impede o Oficial de Justiça de cumprir a reintegração de posse do imóvel. 28. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) Sobre os crimes contra o patrimônio. é fato atípico. que se caracteriza pela subtração da coisa fungível apenas para usufruí-la momentaneamente. assim.com. b) Resistência. Qual o crime praticado por [A] e por [B]? a) [A] e [B] respondem por peculato-furto. [B] sabe que [A] assumiu as funções recentemente na empresa pública. e) Desacato. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) [A] vai ao encontro de [B]. b) não se admite a figura da delação premiada nos crimes contra o patrimônio. lesionou o seu próprio pai. 122 do Código Penal. caput. d) o possuidor da coisa não pode ser sujeito ativo do crime de furto. marque a alternativa correta. será crime hediondo. c) Usurpação de função pública. para que. c) o furto de uso. [A] confessa a [B] que somente não levará adiante sua intenção criminosa em razão de não possuir um local adequado para deixar os bens objeto da subtração. assinale a opção correta. tipificado no art. d) Segundo o Código Penal. o aborto só é punido na modalidade dolosa. b) João induz e auxilia Maria a suicidar-se. é de menor potencial ofensivo. a ação penal passa a ser pública incondicionada. e que ali voltara para buscá-la. resolveram subtrair um notebook e uma impressora da companhia de abastecimento de água na qual [A] exerce suas funções. João deverá responder por tentativa do crime de induzimento. a) É possível. Após essa promessa. quando da injúria real (ou qualificada) resulta lesão corporal. b) [A] e [B] respondem por furto mediante fraude. c) [A] e [B] respondem por furto qualificado por abuso de confiança. b) Receptação.prolabore. o entrega a [B]. juntos. segundo a Lei 9. uma vez que se encontra na posse da coisa ou exerce algum direito inerente à propriedade. d) Exercício arbitrário das próprias razões . [B]. para a doutrina e jurisprudência majoritárias. que ficou por vinte e cinco dias impossibilitado de realizar suas ocupações habituais. oferece-lhe um barracão. com a finalidade de ajudar o amigo de infância. 27. 30. não admite os institutos da retratação e do perdão judicial. 26. b) O crime de injúria. subtrai os aparelhos eletrodomésticos e os acomoda. Durante a conversa. em um feriado. difamação ou injúria a ofensa irrogada em juízo. dirige-se para o local onde o computador portátil e a impressora se encontravam guardados e.

João empregou violência ou grave ameaça contra Maria. difamação e injúria têm as penas aumentadas de um terço quando praticados contra funcionário público. não tem qualquer importância o fato de a casa. é possível falar em tentativa de latrocínio quando a vítima morre. onde ocorreu o furto. 35. ( ) Na “emboscada” o sujeito ativo aguarda ocultamente a passagem ou chegada da vítima. marque V ou F. há crime de latrocínio consumado quando o homicídio se consuma. com a intenção de que esta morra. 30 . e é considerado crime hediondo.V . 32. Diante desse fato e de acordo com o Código Penal. a causa de aumento de pena do repouso noturno (art.com.F . ( ) A multiplicidade de golpes de arma branca contra a vítima não qualifica. não sendo este crime considerado hediondo. por si só. consoante o STF. pois praticou relação sexual com menor de 14 anos.V b) V .F .V . DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL – PI – NUCEPE – UESPI – 2009 João. 13 anos de idade. o sujeito ativo primeiro ameaça a vítima para depois efetuar a subtração. II – Para o STF. não obsta ao prosseguimento da ação penal. Está correta apenas a alternativa I. Está correta apenas a alternativa I. e é considerado crime hediondo. c) João praticou o crime de violação sexual mediante fraude. III – Os crimes de calúnia. porém fez uso de fraude para persuadi-la a praticar conjunção carnal. Estão erradas todas as alternativas. pois o crime foi praticado sem violência ou grave ameaça à pessoa. Em nenhum momento. marque a alternativa correta.V . b) João praticou o crime de estupro presumido. e) João praticou o crime de estupro de vulnerável. Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – De acordo com o STF e o STJ.F d) V . 155 § 1°) não pode ser aplicada nas hipóteses de furto qualificado (art. www.prolabore. é: a) F . Está correta apenas a alternativa III. que se encontra desprevenida. que apresenta a mesma pena do crime estupro na sua forma tradicional. a) b) c) d) e) Estão corretas todas as alternativas. manteve conjunção carnal com Maria. Está correta apenas a alternativa III. 33. 155 § 4°). ( ) O homicídio é crime comum. restará sempre configurado o furto qualificado pelo abuso de confiança. para o reconhecimento da causa de aumento do repouso noturno. o crime de homicídio pelo emprego de meio cruel.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 31. Estão corretas apenas as alternativas II e III. e) O crime de roubo e o crime de extorsão são crimes materiais. A seqüência correta. no crime de furto. b) Na hipótese do empregado subtrair um objeto do seu empregador.V . II – As lesões corporais culposas admitem o perdão judicial. indique a alternativa correta. c) No crime de roubo impróprio.F . a) b) c) d) e) Estão corretas todas as alternativas. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Em relação ao crime de homicídio. para o fim de atacá-la. estar habitada e seu morador dormindo.br ( ) A causa privilegiadora do “relevante valor moral” é incompatível com o homicídio cometido com o emprego de veneno. e o sujeito ativo não consegue subtrair os seus bens.F . que apresenta pena mais grave do que o crime de estupro na sua forma tradicional. portanto a consumação só ocorre com a produção do resultado.V . após o recebimento da denúncia. conforme as afirmações a seguir sejam verdadeiras ou falsas.V . Estão corretas apenas as alternativas II e III. Delegado De Polícia Civil – Pi – Nucepe – UESPI – 2009 Com relação aos crimes contra o patrimônio. a) Para doutrina majoritária. d) João praticou o crime de estupro de vulnerável. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – O agente induz a vítima a pular em um lago. sendo este crime considerado hediondo.V c) F . ainda que não realize o agente a subtração de bens da vítima. O agente responde por tentativa de induzimento a suicídio. ( ) O “outro crime" de que fala a qualificadora do homicídio sob o inciso V do § 2º do artigo 121 (conexão teleológica) do Código Penal somente pode ser executado pelo agente do homicídio. a) João praticou o crime de estupro presumido. É inerente a esse recurso a premeditação. III – O pagamento de cheque emitido sem provisão de fundos. A vítima sobrevive milagrosamente e sai ilesa da água. 19 anos de idade. Estão erradas todas as alternativas. em razão de suas funções. d) Para o supremo tribunal federal. de cima para baixo.F .F . pois praticou relação sexual com menor de 14 anos.V 34.

de que tem o funcionário público a posse em razão do cargo. (DELEGADO DE POLÍCIA – PR – UFPR – 2007) Sobre os crimes contra o patrimônio. “caput”. ainda que não realize o agente a subtração de bens da vítima.prolabore. 39. ainda que fora da função ou antes de assumi-la. 3 e 4 são verdadeiras. em contraste com o mais elementar sentimento de piedade humana.00 (cinco mil reais).000. diminuí-la de um a dois terços. 2 e 3 são verdadeiras. independentemente da sua obtenção. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Considere a descrição típica contida no artigo 316. sempre de natureza pública. após o fato. segundo orientação predominante da jurisprudência. Nossa lei penal comum não tipifica o furto de uso. do Código Penal: “Exigir. Há crime de latrocínio tentado quando o homicídio se consuma. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Analise as alternativas e assinale a correta. vantagem indevida. a vingança por si só não leva necessariamente ao reconhecimento da qualificadora da torpeza. d) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras. sem poder consumar a subtração patrimonial que almejava. Assinale a alternativa correta. que se consuma com a obtenção da vantagem indevida. responde. No homicídio. de que tem o funcionário público a posse em razão do cargo. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Analise as alternativas e assinale a correta. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) Analise as alternativas a seguir.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 36. b) Somente as afirmativas 1. sempre de natureza pública. fazendo tudo o que podia para matar. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) O objeto material do crime de peculato apropriação pode ser: a) dinheiro. valor ou qualquer outro bem imóvel ou móvel. mas em razão dela. no qual se pressupõe que o particular livremente ofereça ou prometa a vantagem. b) O latrocínio (roubo qualificado com resultado morte) é uma modalidade especial de homicídio. de natureza pública ou privada. 3. d) nenhum crime. de natureza pública ou privada. 38. O homicídio privilegiado não é considerado crime hediondo. d) O crime de furto de coisa comum é de ação penal pública incondicionada. exaurindo sua capacidade de vulneração da vítima. c) dinheiro. “Ariel” responderá por: a) crime de furto de coisa comum. direta ou indiretamente. para si ou para outrem. valor ou qualquer outro bem móvel. (Delegado Polícia Civil/SC/ACAFE/2008) “Ariel”.” Sobre o exposto. 3 e 4 são verdadeiras. d) dinheiro. levando bens avaliados em R$ 5.com. www. b) dinheiro. a) Somente as afirmativas 1.br . “Benoir”. b) c) d) O homicídio é delito formal. com 60 anos de idade. 4. todas as alternativas estão corretas. c) crime de apropriação indébita. exceto a: a) É pacífico na doutrina que o objeto material do crime de concussão é a vantagem (presente ou futura). em concurso com tentativa de roubo. 2. de que tem o funcionário público a posse em razão do cargo. pois é isento de pena (imunidade penal absoluta). Para a configuração do crime de furto é imprescindível a presença do elemento subjetivo diverso do dolo "para si ou para outrem". valor ou qualquer outro bem imóvel ou móvel. não necessariamente de caráter patrimonial. d) No delito de concussão o particular é constrangido a entregar a vantagem indevida. b) No crime de concussão o Estado é o sujeito passivo principal e o particular é o sujeito passivo secundário. 42. e) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. arromba a joalheria de seu pai. O crime de extorsão é crime material. c) Somente as afirmativas 2. exceto a: a) Na tentativa perfeita ou acabada de homicídio o agente esgota o processo de execução desse crime. Todas estão corretas. 31 37. b) crime de furto qualificado pelo rompimento de obstáculo à subtração da coisa. ou sujeitar o condenado somente à pena pecuniária. c) Sendo o agente primário e de pequeno valor a coisa roubada. de madrugada. c) Reputa-se consumado o crime de concussão com a mera exigência da vantagem indevida. 40. a) No crime de estelionato dois podem ser os sujeitos passivos: a pessoa induzida ou mantida em erro e terceira pessoa que sofre a lesão patrimonial. c) O crime de homicídio não pode ser causado por omissão. poderá o juiz substituir a pena de reclusão aplicável por detenção. considere as seguintes afirmativas: 1. Preso. a) Tentativa cruenta de homicídio é aquela que causa sofrimento desnecessário à vítima ou revela uma brutalidade incomum. por homicídio simples consumado. de que tem o funcionário público a posse em razão do cargo. d) As circunstâncias legais contidas na figura típica do homicídio privilegiado são de natureza subjetiva. É isento de pena quem comete apropriação indébita em prejuízo do cônjuge na constância da sociedade conjugal. 41. b) Quem mata o dono da coisa. valor ou qualquer outro bem móvel. com 21 anos de idade. diferente do que ocorre no delito de corrupção ativa.

para determiná-lo a praticar. que se sabe inocente. como as originárias do emprego de violência ou grave ameaça. e o aborto humanitário. empregado para salvar a vida da gestante. 47. b) funcionário público se apropria de dinheiro. 32 www. b) O crime de autoacusação falsa constitui-se na conduta de acusar-se perante a autoridade de crime ou contravenção inexistente ou praticado por outrem. b) agente público solicitar ou receber vantagem para praticar ato irregular. a prática de crime. e) funcionário público dá às verbas ou rendas públicas aplicação diversa da estabelecida em lei. 49. Apresentado o título ao banco na data acordada. emprestando-lhe. 48. ainda em que fora da função. e) agente público exigir vantagem para praticar ato irregular. a entregasse a uma terceira pessoa. ou desviá-lo. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) O roubo nada mais é do que um furto associado a outras figuras típicas. Delegado Polícia Civil/BA/IFBA/2008 Constitui crime de advocacia administrativa o fato de um a) agente público empregar de violência ou grave ameaça para obter vantagem para si ou para outro. ainda. com o qual Joaquim disparou contra o próprio peito. não constitui ilícito penal. não pode responder por coação no curso do processo. permitido para impedir a continuação da gravidez de fetos ou embriões com graves anomalias. não houve compensação por insuficiente provisão de fundos. Nessa situação. um revólver municiado. julgue os itens a seguir. o aborto eugênico. João entregou a Manoel certa quantia em dinheiro para que. empregado no caso de estupro. de que tem a posse em razão do cargo. em proveito próprio. assinale a opção correta. público ou particular. Ao fim do prazo. c) funcionário público se apropria de dinheiro ou de qualquer outro bem móvel do particular de que tinha a posse. No que tange a habeas corpus. imputável. e) Exigir dinheiro a pretexto de influir em ato praticado por funcionário público. por si só. não tendo resultado qualquer dano à integridade física de Joaquim. 50. d) indivíduo oferece ou promete vantagem indevida a funcionário público. mas Manoel responderá por tentativa de participação em suicídio. 46. Por circunstâncias alheias à vontade de ambos. advogando. não se configura o crime de emissão de cheques sem fundos (estelionato). em tese. julgue os itens a seguir. d) O crime de favorecimento real constitui prestar a criminoso auxílio destinado a tornar seguro o proveito do crime. d) indivíduo retardar ou deixar de praticar ato de ofício para satisfazer interesse ou sentimento pessoal. mas deverá responder por crime de ameaça. realizou uma compra de produtos alimentícios em um supermercado e. a conduta de Joaquim. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Considere a seguinte situação hipotética. Francisco. a) O crime de denunciação caluniosa consiste em imputar a alguém. penalmente responsável. tendo se utilizado do dinheiro para gastos pessoais. jurisdição e competência. desprovido de fundos suficientes no momento da compra. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) O Código Penal brasileiro permite três formas de abortamento legal: o denominado aborto terapêutico. sem razão do cargo. apadrinhando ou pleiteando favorecer um interesse particular alheio perante a administração pública e valendo-se de sua condição de funcionário. c) A pessoa que ameaça testemunha. Nessa situação. 45. o entendimento doutrinário e a jurisprudência dominantes é no sentido de que. para que esta omita informação no curso de inquérito policial. em prazo determinado. Nessa situação. omitir ou retardar ato de ofício. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Considere a seguinte situação hipotética.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal No que tange à parte especial do Código Penal.br . Manoel se apossou do montante. pois se a imputação for de prática de contravenção penal restará configurado apenas um crime contra a honra. vantagem indevida. para si ou para outrem. quando imaginou poder cobrir o deficit. pois. pode ser praticado por qualquer pessoa. o armamento apresentou falhas e a munição não foi deflagrada. 44. não tendo havido fraude do emitente. Delegado da Polícia Civil – BA – IFBA – 2008 O crime de peculato é praticado quando o a) funcionário público exige. Manoel. instigou Joaquim à prática de suicídio.prolabore. 43.com. independentemente do grau de parentesco. efetuou o pagamento com um cheque de sua titularidade para apresentação futura. (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Considere a seguinte situação hipotética. valor ou qualquer outro bem móvel. Este crime é comum. constitui o crime de exploração de prestígio. a conduta de Manoel caracteriza o crime de apropriação indébita. direta ou indiretamente. Delegado Polícia Civil/Pi/Nucepe/UESPI/2009 Sobre os crimes contra a administração da Justiça. defendendo. no exercício da função. c) funcionário público patrocinar interesse privado.

b) prevaricação. como perito oficial. sem importância. 57. www. d) falsa perícia. Delegado Polícia Civil – SC – 2006 – ACAFE Analise as afirmações a seguir.prolabore. acuse o juiz de prevaricação.Ill d) III – IV 56. Todas as afirmações corretas estão na alternativa: a) I . pode-se afirmar: a) Não há. não se admite a retratação. na oposição do ato legal. d) constrangimento ilegal. a) Nos crimes de calúnia e difamação. assinale a alternativa correta. o perigo deverá ser concreto. será torpe o motivo se for daqueles insignificantes. b) receptação. c) Basta que o funcionário público retarde ou deixe de praticar indevidamente ato de ofício. elabora laudo ideologicamente falso. provocou diretamente a injúria. a) violência e grave ameaça. comete o crime de extorsão. b) violência ou ameaça. a) Pratica apropriação indébita.com. apropriandose das quantias correspondentes. o ofendido não foi condenado por sentença irrecorrível. que guarde em sua casa um aparelho de som de sua propriedade até que volte de viagem. pratica: a) corrupção passiva. c) É impunível a calúnia contra os mortos. c) O pagamento de cheque emitido sem provisão de fundos. c) apropriação indébita. a necessidade de satisfazer interesse ou sentimento pessoal. quando João já estava viajando. como se fosse seu. documento que pode dar causa a procedimento criminal contra a vítima ou contra terceiro. mediante solicitação ardil de teste experimental ou mediante artifício que leve a vítima a descer do carro. b) O crime de extorsão mediante restrição da liberdade da vítima possui o mesmo elemento subjetivo do crime de extorsão mediante sequestro. Delegado Polícia Civil/BA/IFBA/2008 No crime de resistência. 55. Delegado Polícia Civil/SC/2006/ACAFE João pede a Raul. na discussão da causa durante uma audiência. Raul vende o aparelho de som para terceira pessoa. e não furto mediante fraude. DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL – FUNIVERSA – DF – 2009 A respeito dos crimes contra o patrimônio. c) falsidade ideológica. é admitida se. haja assumido o dever legal de impedir o resultado. Delegado Polícia Civil – BA – IFBA – 2008 Em relação ao crime de prevaricação. b) Exige a lei. e) violência e ameaça. 52. assinale a alternativa correta. 33 . c) grave ameaça. seu amigo de longa data. e) Basta que o funcionário público exija para si ou para outrem vantagem indevida. é necessário que haja. ll No crime de homicídio. na conduta do agente que subtrai veículo posto à venda.III c) II . como garantia de dívida. d) Basta que o funcionário público satisfaça interesse alheio. e) Caso um advogado. mediante suborno. para configuração do delito. no crime de calúnia. 53. para configuração do delito. desprovido de discernimento. lV Só responderá pelo crime de omissão de socorro o agente que. d) No delito de injúria. abusando da situação de alguém. ou praticálo contra disposição expressa de lei. Delegado Da Polícia Civil – SC – 2006 – ACAFE O funcionário público que. Dias após ter recebido o aparelho de boa-fé. totalmente desproporcional em relação ao crime. lll No crime de perigo para a vida ou para a saúde de outrem. instigação ou auxílio ao suicídio. após o recebimento da denúncia. o crime de calúnia estará amparado pela imunidade judiciária. 54.br e) Há estelionato. Delegado Polícia Civil/Funiversa/DF/2009 Acerca dos crimes contra a honra. d) Aquele que exige ou recebe.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 51. l Quem induz um alienado mental. não obsta o prosseguimento da ação penal. antes da conduta omissiva. mas o crime de homicídio.IV b) I . e não furto. constituindo o fato imputado crime de ação privada. A conduta de Raul se adequa à prática do crime de: a) furto. de forma reprovável. d) estelionato. b) A exceção da verdade. a se suicidar não comete o crime de induzimento. quem preenche e desconta cheques que lhe tenham sido confiados para pagamento a terceiros. o juiz poderá deixar de aplicar a pena se o ofendido. o dolo específico em satisfazer interesse ou sentimento pessoal.

pretendendo haver para si o computador portátil de Suzana. há uma situação hipotética seguida de uma afirmação que deve ser julgada. c) Facilitação de contrabando e descaminho. e) Caio responderá pela tentativa de homicídio. d) Márcio cometeu o crime de roubo simples. Delegado Polícia Civil/RO/2009/Funcab Márcio. 62. praticados por funcionário público. colocam-se combinadamente em um desfiladeiro. c) Agente que falsifica assinatura em cheque alheio. matadores profissionais. e) prevaricação. mas não haverá aumento de pena para Caio. Suzana. recebeu ajuda de Carmem. Dentro da casa. com aplicação da causa de aumento de pena pelo emprego da arma de fogo. configura o crime de: a) corrupção passiva. Nessa situação hipotética. todos os envolvidos responderão pelo latrocínio. esperando Pedro passar para eliminá-lo. descontado por descuido do banco. 61. DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL – FUNIVERSA – DF – 2009 Em cada uma das alternativas a seguir. 34 . caso seja impossível verificar quem foi o responsável pelo disparo que o matou. segundo a doutrina majoritária.prolabore. violência arbitrária e usurpação de função pública. b) Caio colocou-se no quintal de uma casa para vigiar a rua enquanto seus comparsas invadiam o lugar para subtrair bens. sob pena de feri-la. Quando Pedro se aproxima. por ser o estado puerperal uma circunstância incomunicável. b) Concussão. ambos responderão em autoria colateral por homicídio tentado. apontando arma de fogo devidamente municiada. b) Márcio cometeu o crime de roubo simples em concurso material com o crime de porte de arma de fogo. contrabando ou descaminho e tráfico de influência. efetua vários disparos de arma de fogo e acaba atingindo o ombro da vítima e também toda a lataria do carro desta. mas em razão dela. d) violência arbitrária. entrega o bem e Márcio consegue fugir de posse do objeto almejado. para si ou para outrem.com. a conduta do agente de dar cheque em pagamento a dívida de jogo ou a atividade de prostituição. enfermeira do hospital. d) É crime de estelionato. Assinale a alternativa que tipifica a situação descrita. aproxima-se desta e. c) Caio responderá por tentativa de homicídio em concurso formal com o crime de dano. exige a entrega do objeto. a) Caio responderá pelo crime de lesão corporal. 63. c) Márcio cometeu o crime de roubo. DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL – RO – 2009 – FUNCAB Imagine a seguinte hipótese: Caio. violação de sigilo funcional e desacato. comete o delito de estelionato. além de ser crime formal. peculato e prevaricação. d) concussão. os dois disparam. b) O emitente de um cheque que para não cumprir com seu pagamento subtrai o título do credor e o destrói pratica o crime de supressão de documento. um dos invasores surpreendeu a todos ao sacar uma arma e matar o proprietário. c) excesso de exação. 60. Nessa situação hipotética. cada qual de um lado. em concurso material com o crime de tentativa de disparo de arma de fogo. não exige para sua consumação a obtenção do resultado pretendido pelo agente. DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL – BA – IFBA – 2008 A alternativa em que são apontados crimes contra a Administração Pública. b) peculato mediante erro de outrem. Estelionato. na modalidade de fraude no pagamento. Dora responderá por infanticídio enquanto Carmem responderá por homicídio doloso. indique a alternativa CORRETA: a) O crime de extorsão não admite tentativa já que. direta ou indiretamente. sentindo-se ameaçada. DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL – MG – 2007 Com relação aos crimes contra o patrimônio. vantagem indevida. d) Caio responderá pelo crime de lesão corporal em concurso formal com o crime de dano. www.br d) e) Corrupção passiva. A conduta descrita pode ser tipificada da seguinte forma: a) Márcio cometeu o crime de roubo circunstanciado. é a a) Corrupção ativa. Para tanto. Nessa situação hipotética. c) peculato. b) prevaricação. Delegado Polícia Civil/Funiversa – DF – 2009 Se Marcos exigiu de Maria o pagamento de um tributo que ele sabia ser indevido. em concurso formal próprio com o crime de porte de arma de fogo.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 58. matando-o. Assinale a alternativa em que a afirmação está correta. e) Márcio cometeu o crime de roubo qualificado pela causa de aumento de pena do emprego de arma de fogo. Delegado Da Polícia Civil – RO – 2009 – Funcab A conduta de solicitar ou receber. e) corrupção ativa. com a agravante do emprego de arma. a) João e José. c) Dora resolveu matar seu filho recém-nascido logo após o parto. roubo e peculato. ele cometeu o crime de a) concussão. já que não houve disparo da arma de fogo que portava. 64. restando absorvida por este a falsidade. ainda que fora da função ou antes de assumi-la. 59. b) Caio responderá por tentativa de homicídio em concurso material com o crime de dano. com a intenção de apenas atingir fatalmente Lúcia.

em razão da função. Paulo pretendia matar seu desafeto André. indispensável a qualificação de funcionário público. II – Pratica concussão o funcionário público que solicita para si. previsto no art. Assinale a alternativa correta. 4 e 5 d) 3. que estava em um show acompanhado da esposa. é correto afirmar que Henrique responderá por fratricídio. em razão de suas funções. considerando que Paulo disparou uma única vez. vantagem indevida. 2 e 3 b) 1. 3. valendo-se da qualidade de funcionário. d) Está correta apenas a alternativa I. Ciente de que poderia acertar Marta. Nessa situação hipotética. . interesse privado perante a administração púbica. a concussão se consuma com a simples exigência da vantagem indevida. c) No crime de homicídio. direta ou indiretamente. exige o número mínimo de três pessoas. 288 do CP. 1) O crime de formação de quadrilha para prática de crimes hediondos e equiparados não é crime hediondo. Por se tratar de delito de mera atividade. cuja guarda lhe foi confiada. a retorsão imediata. d) Está correta apenas a alternativa I. a) Somente as afirmativas 1. em tese. o crime de estelionato e não de falsificação de moeda. b) Estão erradas todas as alternativas. d) No crime de injúria. (Delegado Polícia Civil – Pi – Nucepe – UESPI – 2009) Analise as afirmativas abaixo. da Parte Especial. consistente em outra injúria. Paulo disparou contra André acertando-o letalmente e ferindo Marta levemente. relativas aos crimes contra a paz pública. que pode ser total ou parcial. 2 e 4 c) 1. assinale a alternativa correta. O tipo descrito no artigo 318 do Código Penal (facilitação de contrabando ou descaminho) admite tentativa quando se tratar de conduta comissiva. segundo a Lei 8. 4 e 5 e) 2. mas dispensa a probabilidade de dano para a administração pública. ao funcionário. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – O crime de quadrilha ou bando. diretamente. 4 e 5 68. do Código Penal. 35 . Marta. b) O crime de ameaça somente se procede mediante queixa.com. A obtenção dessa vantagem constitui exaurimento do crime. previstos no Título I.(DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL – RO – 2009 – FUNCAB) Acerca dos crimes contra a pessoa.072/90 (Lei dos crimes hediondos). em parte. que deixe de realizar o seu dever de oficio. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – Comete prevaricação o policial que se apropria de valores de preso. a) A internação da vítima em casa de saúde ou hospital é considerada causa de aumento de pena no crime de sequestro. equivocou-se e matou seu irmão. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. 2. 2) Falsificar. não autenticada. testamento particular constitui a prática de crime de falsidade de documento particular. Nessa situação hipotética. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. não pratica nenhuma conduta típica.br 67. e) A ação penal no crime de difamação praticado contra funcionário público. III – A consumação do crime de abandono de função exige que o tempo de abandono seja relevante. 2 e 3 são verdadeiras . 4) O agente público que deixa de cumprir o seu dever legal de vedar ao preso o acesso ao aparelho celular comete um crime funcional. pratica o crime de falsidade de documento particular. 69. O peculato é crime próprio no tocante ao sujeito ativo. é causa que sempre diminui a pena. a fé pública e a administração pública. considere as seguintes afirmativas: 1. 5) O particular que solicita. c) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras . d) Somente as afirmativas 1. sem prometer ou oferecer qualquer vantagem. 66. É inadmissível o concurso de pessoas estranhas ao serviço público. o emprego de veneno é considerado causa que sempre aumenta a pena. III – A diferença básica entre a falsidade ideológica e a falsidade material é que naquela altera-se a forma do documento.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal d) e) Henrique. Incide no crime previsto no artigo 321 do Código Penal (Advocacia administrativa) o agente que patrocina. 4. b) Estão erradas todas as alternativas. e) Está correta apenas a alternativa III. construindo um novo ou alterando o que era verdadeiro e nesta altera-se o conteúdo. e) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras . II – A utilização de papel-moeda grosseiramente falsificado configura. e) Está correta apenas a alternativa II. Estão corretas apenas: a) 1. 3 e 4 são verdadeiras . 65. 3) A pessoa que altera fotocópia de carteira de identidade. somente se procede mediante representação do ofendido. desejando matar seu pai. é correto afirmar que ele responderá pelos delitos de homicídio e lesão corporal leve em concurso formal imperfeito.prolabore. b) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras. (Delegado de Polícia – PR – UFPR – 2007)Sobre os crimes praticados por funcionário público contra a administração em geral. www. que é uma espécie de falsidade material. a) Estão corretas todas as alternativas. a) Estão corretas todas as alternativas.

III. de forma livre. caput e § 1o. www. unissubjetivo. § 1o). (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – O auto-aborto é crime próprio. adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais (art. um ao outro. punido com penas de advertência. Está correta apenas a alternativa III. I. instantâneo. Nessa situação. Está correta apenas a alternativa I. a própria posição topográfica da circunstância privilegiadora parece indicar que ela não se aplicaria aos homicídios qualificados. in fine). influi no prazo da prescrição da pretensão punitiva. exatamente. b) epidemia com resultado morte (art. material. a) Na legislação brasileira. § 2o. falsificação. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) De acordo com a Lei 8. § 1o-A e § 1o-B e homicídio qualificado (art. § 3o. unissubjetivo e plurissubsistente. d) latrocínio (art. até que Márcio findou por se suicidar. III. cada qual começou a puxar o gatilho contra sua própria cabeça. e plurissubsistente. por serem de caráter subjetivo. III. 33. corrupção. e) O crime de quadrilha ou bando é formal e autônomo. a participar de roleta russa. LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR 1. § 3o. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) Assinale a opção correta com relação à interpretação da lei penal. Estão erradas todas as alternativas. d) A reincidência. pagamento de 700 (setecentos) a 1. simultaneamente. (popularmente conhecida como maconha) a outrem sem objetivo de lucro e para consumo conjunto constitui o seguinte crime: a) posse de drogas sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar para consumo pessoal (art. responde por um único latrocínio. de dano. falsificação. 270).072/90. in fine). II. doloso. adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais (art. à confiança que a população deposita em sua moeda. sendo a pluralidade de vítimas circunstância avaliada na dosimetria da pena. exceto se adquirida de terceiro de boa-fé. b) conduta equiparada ao crime de tráfico de drogas (art. 267.343/2006). § 1o-A e § 1o-B. epidemia com resultado morte (art. homicídio qualificado (art. §3º. § 3o. a qual pode ser definida como bem intangível. § 1o). (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Em crimes de moeda falsa. Em hora e local combinados.prolabore. 158. mas sua consumação depende da realização dos crimes ulteriores visados. Além disso. in fine). resolveram testar suas respectivas sortes. para roubar o caixa. 121.com. instigando. § 3o. é ERRADO afirmar que: a) É admissível a receptação de receptação. § 1o). invade mercearia matando seu proprietário e mais dois empregados. b) O crime de extorsão mediante seqüestro consumase no momento em que a privação da liberdade da vítima se completa. § 2o) e envenenamento de água potável ou de substância alimentícia ou medicinal (art. I. 273. II. instantâneo. IV e V). Estão corretas apenas as alternativas II e III. adultos. 157. II. prevista no CP como agravante genérica. Delegado Polícia Civil/MG/2007 Considerando as alternativas abaixo.343/2006) punido com pena de detenção seis meses a um ano. e) latrocínio (art. fugindo em seguida com res furtiva. 2. 28. sem prejuízo das penas de advertência. corrupção. mas a fé pública. c) latrocínio (art.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 70. IV e V). § 2o. 121. 267. complexo. doloso. que corresponde. c) A reincidência penal não pode ser considerada como circunstância agravante e. pois não se pune a autoeliminação da vida. b) Considere a seguinte situação hipotética. e homicídio qualificado (art. como circunstância judicial. in fine). 267. dos crimes contra a pessoa e a paz pública. de forma livre. material. § 2o. 121. III. Diego e Márcio. 157. 157. Diego não responderá por nada. II – A extorsão mediante seqüestro é crime comum. 73.br . da Lei 11. permanente. § 2o). a jurisprudência predominante do STF é no sentido de reconhecer como bem penal tutelado não somente o valor correspondente à expressão monetária contida nas cédulas ou moedas falsas. epidemia com resultado morte (art. a) latrocínio (art. tornam-se incompatíveis com o privilégio. comissivo. 157. prestação de serviços à comunidade e medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo. prestação de serviços à comunidade e medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo. 121. unissubjetivo e plurissubsistente. I. não se mostra possível a existência de um homicídio qualificadoprivilegiado.500 (mil e quinhentos) diasmulta. caput e § 1o. formal. extorsão qualificada pela morte (art. Estão corretas todas as alternativas. c) O agente que. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) O oferecimento da substância entorpecente Cannabis sativa L.I. IV e V). assinale a alternativa que não apresenta um crime considerado hediondo. a) b) c) d) e) d) A apropriação indébita de coisa furtada não é possível ainda que desconheça o agente sua origem. diante de um revólver municiado com apenas um projétil. 36 71. III – O peculato é crime próprio. II. § 2o. uma vez que as causas qualificadoras. 273. da Lei 11. 72. IV e V) e extorsão qualificada pela morte (art. 158. e homicídio qualificado (art.

e instaura o competente inquérito policial para cabal apuração dos fatos. inclusive com perícias fiscais e contábeis. 28. d) Previsto no art. 37 . Assinale: a) se somente a afirmativa I estiver correta. punido com pena de reclusão de cinco a quinze anos e pagamento de 500 (quinhentos) a 1. mediante autorização do Ministério Público. Contudo. por ser lei equiparada a crime hediondo. que define crime contra a ordem econômica e cria o Sistema de Estoque de Combustíveis. A conduta de João resta provada. as circunstâncias da prisão. c) se somente a afirmativa III estiver correta. produzir bens ou explorar matérias primas pertencentes à União. insuscetível de graça. Segundo a lei 9. o local e as condições em que se desenvolveu a ação criminosa. da Lei 11. posse de drogas sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar para consumo pessoal (art. 4. que constitui crime contra a ordem econômica. e) Previsto no art. II. José da Silva para o carro. O Delegado Cláudio deverá indiciar João pela prática de crime: a) Previsto no art. e para tanto deixa de lançar operações comerciais de venda de derivados de petróleo que realizou em livro fiscal obrigatório. José não percebe que o sinal estava vermelho e atropela Maria de Souza. sai do veículo e retira Maria do meio da via. e) se todas as afirmativas estiverem corretas. b) se somente a afirmativa II estiver correta. 1º da Lei 8176/1991. que define crime contra o patrimônio. liberdade provisória e livramento condicional.500 (mil e quinhentos) dias-multa. causando-lhe sofrimento físico ou mental em razão de discriminação racial ou religiosa. b) se somente a afirmativa II estiver correta. 5. pretende suprimir o pagamento de tributos. a autoridade de polícia judiciária relatará sumariamente as circunstâncias do fato. c) Previsto no art.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal c) d) e) cultivo de plantas destinadas à preparação de pequena quantidade de substância ou produto capaz de causar dependência física ou psíquica para uso pessoal (art. José não poderia ser preso em flagrante porque prestou socorro à vítima e só não permaneceu no local porque corria risco pessoal. Ao passar por um cruzamento. recebe todas as suas conseqüências.343/2006) é inafiançável.500 (mil e quinhentos) dias-multa. 7º da Lei 8137/90. d) O crime de tortura só pode ser cometido por funcionário público no exercício da função.503/97 (Código Nacional de Trânsito). 33. www.503/97 (Afastar-se o condutor do veículo do local do acidente.prolabore.br indulto. e) se todas as afirmativas estiverem corretas. justificando as razões que a levaram à classificação do delito. José praticou o crime do art.com. 3. não restando dúvida da atividade criminosa de João. O Delegado Cláudio recebe a notitia criminis dessa conduta de João.343/2006). da Lei 11. Delegado de Polícia Civil – MS – 2006 – FAPEC João da Silva. José retorna para seu veículo e se evade do local. anistia. d) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. 2º da Lei 8176/1991. Uma vez encerrado o prazo do inquérito. assinale a alternativa correta: a) O condenado a pena de detenção cumprirá sua pena em regime integralmente fechado. 6. da Lei 9. 1º da Lei 8137/90. que constitui crime contra as relações de consumo.343/2006). III. III. que constitui crime contra a ordem tributária. Com base no relato acima. II. ao ver um grupo de pessoas vociferando e gritando “assassino!”. §1º. proprietário de uma rede de postos de gasolina. b) Previsto no art. tráfico de drogas (art. b) Como lei equiparada a crime hediondo que é.343/2006) punido com penas de advertência. punido com penas de detenção de seis meses a dois anos e pagamento de 500 (quinhentos) a 1. c) O regime prisional do condenado será o inicialmente fechado. sendo parado alguns metros adiante por uma patrulha de policiais militares que o levam preso em flagrante à Delegacia de Polícia. O crime de tráfico de drogas (art. na modalidade de usurpação.343/2006). d) se todas as afirmativas estiverem corretas. José praticou o crime de lesão corporal culposa grave na direção de veículo automotor. da Lei 11. c) se somente a afirmativa III estiver correta. Assinale: a) se somente a afirmativa I estiver correta. em tarefas de investigação. 28. para fugir à responsabilidade penal ou civil que lhe possa ser atribuída). (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) José da Silva dirigia seu automóvel em velocidade acima da permitida e de forma imprudente. “pega!” e “lincha!”. (Delegado Polícia Civil/AM/ FGV 2010) Relativamente à Lei de Drogas (Lei 11. analise as afirmativas a seguir: I. e não havendo diligências necessárias pendentes de realização. prestação de serviços à comunidade e medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo. Delegado Polícia/PB/IPAD – 2006 Com relação à Lei de Tortura (lei 9455/97). logo é crime formal. indicando a quantidade e natureza da substância ou do produto apreendido. a conduta. da Lei 11. é permitida a infiltração por agentes de polícia. que vem a sofrer uma fratura exposta na perna direita e fica mais de 30 dias impossibilitada de desenvolver suas ocupações habituais. A fim de socorrer a vítima. 305. e) Não é considerado tortura. a qualificação e os antecedentes do agente. Em qualquer fase da persecução criminal relativa aos crimes previstos na Lei de Drogas. analise as afirmativas a seguir: I. constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça. 33. 4º da Lei 8137/90.

a aplicação da pena de multa. no interesse da sua entidade. 11. e) A pena do crime de tortura é aumentada se o crime é cometido mediante sequestro. b) O Delegado responderá. a prisão temporária será cabível. (Delegado Polícia Civil/RJ/CEPERJ 2009) Relativamente à legislação penal extravagante. e) N.R. (Delegado Polícia Civil/RJ/CEPERJ 2009) Acerca dos crimes contra a ordem tributária e econômica. Ao chegar na Delegacia. as sanções do art. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) A Lei n. www. 11. o serventuário da justiça.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 7. inserindo-se no chamado direito penal sancionador. em alguns aspectos. não exclui a aplicação das restrições contidas na Lei de Crimes Hediondos. c) Constitui crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente submeter à tortura criança ou adolescente sob sua autoridade. economia popular.137/1990. que contraria determinação de autoridade competente. para os efeitos da Lei nº 4898/65.R.A 13. assinale a afirmativa incorreta.343 da causa de diminuição da pena para o traficante primário. e) N.R.343 a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos.343. tomou conhecimento que alguns policiais. a) Considera-se autoridade. 8. c) O Delegado responderá por crime de tortura.A 12. com emprego de violência causaram em um preso. desde que a infração seja cometida por decisão de seu representante legal. Delegado de Polícia. deixa o Plantão para jantar. Em caso de crime hediondo. 10. poderá haver a responsabilização penal da pessoa jurídica. b) Não constitui crime. sendo certo que o ordenamento jurídico brasileiro adotou o sistema legal. tido como perigoso. e que quem deu o cigarro para Carla foi ele. d) De acordo com a doutrina.605/98. julgue os itens a seguir. pelo prazo de 30 dias. o coautor ou partícipe. os sistemas de definição dos crimes hediondos são o legal. c) constitui crime contra a economia popular celebrar ajuste para impor determinado preço de revenda ou exigir do comprador que não compre de outro vendedor. c) a previsão na Lei n.343 (posse para consumo pessoal) não são consideradas de natureza penal propriamente dita. em se tratando de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente. causando-lhe sofrimento mental.A 14. e) a conduta de pichar e grafitar edificação ou monumento urbano configura crime previsto na Lei nº 9.br . d) À sanção administrativa. o misto e o judicial. a) Nos crimes previstos na Lei n. inovou. DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL – BA – 2006 – CONSULPLAN O autor do crime de Abuso de autoridade estará sujeito: a) Somente à sanção administrativa. d) João responde por uso de entorpecentes.com. Por qual crime ambos respondem? Marque a alternativa correta: a) Ambos respondem por uso de entorpecentes. Marque a alternativa correta: a) O Delegado. mediante representação da autoridade policial. em razão de discriminação religiosa. sem parecer técnico oficial favorável e licença expedida por autoridade competente. assinale opção incorreta. sofrimento físico como forma de castigo. de pronto. que através de confissão espontânea. b) Ambos respondem por tráfico ilícito de entorpecentes. João confirma que a droga era dele. civil e penal. no tratamento penal do traficante e no do usuário. terá sua pena reduzida de um a dois terços. de bons antecedentes e sem ligações criminosas. Ocorre que o Delegado se omitiu em apurar as condutas dos policiais. ensejará. c) Somente à sanção penal. sendo CORRETO afirmar: a) é vedada expressamente a todos os delitos tipificados na Lei n. a conduta de introduzir espécime animal no País. b) a recusa injustificada do agente em submeter-se ao cumprimento das medidas educativas previstas no art. e) N. com os policiais. c) João responde por tráfico ilícito de entorpecentes e Carla por uso de entorpecentes. por crime de lesão corporal. b) Somente à sanção civil.prolabore. 28 da Lei n. relações de consumo e o meio ambiente. d) A execução de serviço de alto grau de periculosidade. revelar à autoridade policial ou judicial toda trama delituosa. resultando em lesão corporal de natureza grave. (Delegado Polícia Civil/AC/CESPE 2008) Acerca das leis penais especiais. prorrogável por igual período em caso de extrema e comprovada necessidade. (Delegado Polícia Civil/BA – 2006 – Consulplan) João e Carla foram presos por estarem fumando maconha. b) Constitui crime de tortura constranger alguém com emprego de grave ameaça. 11. 11. 38 9. d) O Delegado só responderá por falta disciplinar. isoladamente. d) segundo decisão do Supremo Tribunal Federal. nova Lei de Drogas. constitui crime contra as relações de consumo e não mera infração administrativa.343/2006.º 8. 11. 11. Em crimes ambientais. juntamente. 28 da Lei n. Delegado Polícia Civil/BA/2006/Consulplan Otávio. guarda ou vigilância. cometidos em quadrilha ou coautoria. responderá por crime de lesão corporal. De volta à Delegacia. mas mera infração administrativa.

se o agente não possuir carteira de habilitação.741/2003). III – Ter o agente cometido a infração facilitada por funcionário público no exercício de suas funções é circunstância agravante prevista na Lei n. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) [B] é parado em uma blitz policial quando é flagrado transportando no porta-malas de seu veículo uma espingarda desmontada.613/98) ocultar a propriedade de bens provenientes diretamente de crime de roubo.º 9. d) Está correta apenas a alternativa I. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – Constitui crime contra a ordem tributária suprimir ou reduzir tributo. a suspensão parcial ou total de atividades. d) crime de prevaricação. permitindo que o juiz reduza a pena. para dirigir veículo automotor. de 22 de dezembro de 2003). d) crime de posse de arma de fogo. II – É circunstância agravante específica dos crimes tipificados no Código do Consumidor. www. emprego ou trabalho. c) crime de porte de arma de fogo. III – É crime punido com reclusão.826.605/98) são a prestação de serviços à comunidade.º 9.º 9. negar a alguém. 10. de notícia sobre os fatos e a condenação. e) Está correta apenas a alternativa III. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. A conduta de [B] configura: a) crime impossível por impropriedade absoluta do objeto. d) Está correta apenas a alternativa I. 20. da pessoa jurídica. subvenções ou doações é de 5 (cinco) anos. a) Estão corretas todas as alternativas.º 9. 16. d) Está correta apenas a alternativa I. a) Estão corretas todas as alternativas. a pena aplicável a todos os homicídios culposos passa a ser a dele. acondicionada em um saco plástico. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – É crime de “lavagem” (Lei n. previsto no art. de 22 de dezembro de 2003). de acordo com o Estatuto do Idoso (Lei n. II – O baixo grau de instrução ou escolaridade do agente é circunstância que atenua as penas previstas na Lei n. tem a duração de seis meses a cinco anos. 18. estabeleça o regime aberto.prolabore. a interdição temporária de direitos.com. II – A Lei n. previsto no art. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) Agente fiscal que solicita de contribuinte vantagem para deixar de lançar contribuição social devida comete a) crime de corrupção passiva. III – O Código de Defesa do Consumidor permite a cumulação das penas privativas de liberdade e de multa com a publicação em órgãos de comunicação de grande circulação ou audiência.º 9. a prestação pecuniária e o recolhimento domiciliar. b) Estão erradas todas as alternativas. 19. e) Está correta apenas a alternativa III. relativas à proteção ao meio ambiente. 10. II – A lesão corporal culposa praticada na direção de veículo automotor tem a pena aumentada de até dois terços. 14 do Estatuto do Desarmamento (Lei n. b) segundo a orientação do Superior Tribunal de Justiça pode haver a responsabilização isolada do ente coletivo. conceda o perdão judicial ou substitua a sanção privativa de liberdade por restritiva de direitos para o autor que colabore espontaneamente com as autoridades. ou contribuição social e qualquer acessório. ter o agente cometido à infração para facilitar a execução de outro crime. Está correta apenas a alternativa III. b) crime contra a ordem tributária. b) Estão erradas todas as alternativas. sendo desnecessária a demonstração da atuação dos administradores em proveito da pessoa jurídica.826. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. b) crime impossível por inidoneidade absoluta do meio. b) Estão erradas todas as alternativas. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – A penalidade de suspensão ou de proibição de se obter a permissão ou a habilitação. 17. por motivo de idade. III – Como o Código de Trânsito impôs pena distinta ao homicídio culposo em relação ao homicídio culposo do Código Penal. às expensas do condenado. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. sendo o primeiro lei posterior.(Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – As penas restritivas de direitos previstas na Lei de Crimes Contra o Meio Ambiente (Lei n.605/98. c) crime de excesso de exação. b) Estão erradas todas as alternativas.º 10. (Delegado Polícia Civil/GO/UEG 2008) Sobre a responsabilidade penal ambiental. c) a suspensão de atividades da pessoa jurídica será aplicada quando estas não estiverem obedecendo às disposições legais ou regulamentares.605/98. 39 . a) Estão corretas todas as alternativas. é CORRETO afirmar: a) o prazo máximo previsto em caso de aplicação à pessoa jurídica da pena restritiva de direito consistente na proibição de contratar com o Poder Público e dele obter subsídios. e) Está correta apenas a alternativa III.613/98 prevê a delação premiada. a) Estão corretas todas as alternativas.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 15. d) a lei brasileira exclui de responsabilidade penal as pessoas jurídicas de direito público. .br d) e) Está correta apenas a alternativa I. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. mediante a venda de mercadoria por preço inferior ao oficialmente tabelado. 12 do Estatuto do Desarmamento (Lei n. 21.

realizou a prisão de um indivíduo. ao dirigir veículo automotor sem habilitação. ao dirigir veículo automotor sob a influência de álcool. porquanto o fato deixou de ser rotulado como crime tanto do ponto de vista formal quanto material. penalmente responsável. referentes aos dispositivos aplicáveis ao tráfico ilícito e ao uso indevido de substâncias entorpecentes. com preços distintos afixados em cada uma delas. Nessa situação hipotética. Lúcio será punido pela figura do homicídio culposo em sua forma simples. sem a figura cumulativa da embriaguez ao volante. www. a exemplo daquele que. fixe a pena prevista no tipo. deu ensejo ao capotamento do veículo e à morte de um dos passageiros. lavagem de capitais e tortura. 29. 23. 28. não havia ordem judicial de prisão nem situação flagrancial que justificassem a medida contra a pessoa detida. onde se recusou a submeter-se ao teste do bafômetro. policial militar em serviço. é obrigatório que o magistrado. caberá ao delegado de polícia a autuação em flagrante de Ronaldo. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Julgue os itens seguintes. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Considere a seguinte situação hipotética. Lúcio. indubitavelmente.com. utiliza o seu veículo para a prática de um crime. Justino. ao tráfico de drogas. atropelou e matou um pedestre. Logo após o acidente. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) É admissível a denominação de crime de trânsito para a conduta de dano cometida com dolo. Flagrado pela polícia ao vender uma lata do produto para um adolescente. 27. Cláudia. a complementação está expressa em Portaria do Ministério da Saúde. 24. sendo a Justiça Militar competente para processá-lo e julgá-lo. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2006) Lei especial define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Considere a seguinte situação hipotética. 26. em via pública. sem que se exija prova da efetiva probabilidade de dano. 31. bem como constatou-se que Cláudio. ao julgar a nova infração. Nos crimes tipificados na lei antitóxicos. ou seja. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2006) Considere a seguinte situação hipotética. mesmo que remanescente o crime de uso indevido de drogas. trazia consigo anotações e valores que o ligavam. bem como à lei que disciplina os procedimentos relativos às infrações de menor potencial ofensivo. 32. o comerciante foi apresentado à autoridade policial competente. 25. estarão excluídos os benefícios da lei atinente aos juizados especiais). (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) No caso de réu reincidente em crime de trânsito. O comerciante Ronaldo mantém em estoque e frequentemente vende para menores em situação de risco (meninos de rua) produto industrial conhecido como cola de sapateiro. Cláudio. Nessa situação hipotética. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Considere a seguinte situação hipotética. sem atender às formalidades legais pertinentes. penalmente responsável.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 22. Nessa situação hipotética. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Em relação à legislação que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro.br 40 . (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2006) O delito de tráfico ilícito de entorpecentes refere-se a norma penal em branco estando seu complemento contido em norma de outra instância legislativa. associada à suspensão da permissão ou habilitação de dirigir veículo automotor. acondicionada em pequenas trouxinhas. julgue os itens . mantendo-o encarcerado por 2 dias. Lúcio foi conduzido à delegacia de polícia. por conduta definida como tráfico de substância entorpecente. prescrevendo-se para todas as figuras típicas penas de reclusão ou de reclusão e multa. 30. sendo que em seu poder ainda foi encontrada quantidade significativa da mesma droga. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Com relação às legislações pertinentes aos crimes de abuso de autoridade. penalmente responsável. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Considere a seguinte situação hipotética. Justino incorreu em crime de abuso de autoridade.prolabore. foi flagrado fazendo uso de um cigarro artesanal de maconha. intencionalmente. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Os crimes de entregar a direção de veículo automotor a pessoa não habilitada e de falta de habilitação se aperfeiçoam com a simples conduta. Nessa situação. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) A conduta de porte de drogas para consumo pessoal possui a natureza de infração sui generis. Cláudia responderá por homicídio culposo em concurso material com o delito de falta de habilitação. Nessa situação hipotética. julgue os itens subsequentes. mesmo desempregado. Cláudio responderá pelo crime de tráfico de entorpecentes e.

d) é exigível que seja “intenso” apenas quando o agente for ascendente ou descendente da vítima. Delegado Polícia Civil/SC/2006/Acafe Analise as afirmações a seguir. Delegado Polícia Civil/RO/2009/Funcab Sobre a Lei nº 4. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Considere que um agente policial. sob o mesmo argumento. Oferecida a denúncia e proposta a suspensão condicional do processo. e) o crime de abuso de autoridade consistente no atentado à liberdade de locomoção admite tentativa.455/97. A intenção do policial era obter a confissão da vítima em relação a um suposto caso extraconjugal havido com sua esposa.br documento comprobatório de ocupação lícita e residência certa. Delegado Polícia Civil – Sc – 2006 – Acafe As pessoas jurídicas serão responsabilizadas. além de declarar a efetiva necessidade. civil e penal. Alice não aceitou o benefício. tendo em vista os motivos da infração e suas conseqüências para a saúde pública e para o meio ambiente. os mesmos montantes foram simuladamente emprestados a empresas de sua titularidade. I Para adquirir arma de fogo de uso permitido o interessado deverá. III Com a Lei no 10. ou de seu órgão colegiado. está correta a alternativa: a) Todas as afirmações são falsas.com. Lucas responderá pelo crime de lavagem de dinheiro. efetuem a prisão ilegal de um cidadão. a posse irregular de arma de fogo de uso permitido passou a ser tipificada em um tipo penal distinto daquele que incrimina o porte. Delegado Da Polícia Civil – SC – 2006 – Acafe Na Lei da Tortura.prolabore. independentemente de sua condição de militar e de o fato ter ocorrido em área militar. nos casos em que: a) a personalidade jurídica representar um obstáculo ao ressarcimento de prejuízos causados à qualidade do meio ambiente. independentemente da condição de particular do coautor. 39. 41 . ambos responderão pelo crime de abuso de autoridade. penalmente. c) a ação penal nos crimes tratados por essa lei é pública incondicionada. o “sofrimento” físico ou mental ao qual foi submetido a vítima: a) sempre é exigível que seja “intenso”. ele forjou pagamentos a um suposto prestador de serviços de advocacia e. d) houver gravidade do fato típico. e apresentar www. nos casos de abuso de autoridade. previamente. comprovar a idoneidade. relativas ao registro. ficando registradas como de sua propriedade enquanto não forem vendidas. não se imporá qualquer sanção. 40. no interesse ou benefício da sua entidade. capacidade técnica e aptidão psicológica. sendo que em relação Alda. que é policial militar. acompanhado de um amigo estranho aos quadros da administração pública. b) Todas as afirmações são verdadeiras. quem exerce cargo. II A empresa que comercializa armas de fogo. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Considere a seguinte situação hipotética. penalmente responsável. utilizando para isso as instalações do quartel de sua corporação. Nessa situação hipotética. As enfermeiras Alda e Alice foram apontadas como autoras de uma omissão de socorro na forma prevista na parte especial do Código Penal. Visando ocultar valores provenientes da atividade ilícita. somente caberá a condenação a Alice. Lucas. infligiu intenso sofrimento físico e mental a um civil. Rui. Apenas Alda aceitou a proposta e cumpriu as obrigações impostas. autoras. co-autoras ou partícipes do mesmo fato. d) a ação penal depende de representação do ofendido. a conduta de Rui. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Considere a seguinte situação hipotética. para os efeitos dessa lei. 38. 36. colheram-se provas suficientes da culpabilidade das duas enfermeiras em relação ao crime de omissão de socorro. c) é exigível que seja “intenso” apenas quando o agente for funcionário público. Ao receber o termo circunstanciado. emprego ou função pública de modo definitivo e mediante remuneração. Nesse caso. comanda uma intensa e lucrativa rede de receptação e venda de veículos roubados. 37. c) Somente uma afirmação é verdadeira. 35. que regula o processo de responsabilidade administrativa. b) o processo administrativo disciplinado na referida lei será sempre sobrestado para o fim de aguardar a decisão da ação penal ou civil. o promotor de justiça ofereceu propostas de transação penal para cada uma das profissionais. Concluída a instrução criminal em relação a esta. posse e comercialização de armas de fogo e munição.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 33. Lei n0 9.898/1965.826/2003. b) excluir. b) nem sempre é exigível que seja “intenso”. d) Somente uma afirmação é falsa. após. que concordou com a transação penal. Nessa situação hipotética. 34. (Delegado Polícia Civil/ES/CESPE 2011) Considere a seguinte situação hipotética. Nessa situação hipotética. é correto afirmar que: a) considera-se autoridade. acessórios e munições responde legalmente por essas mercadorias. mas com pleno conhecimento da condição funcional do primeiro. a responsabilidade penal das pessoas físicas. Alice alegou que era inocente e não aceitou a transação penal. c) a infração penal seja cometida por decisão de seu representante legal ou contratual. mediante violência e grave ameaça. que será exercida por meio de petição dirigida à autoridade policial. caracteriza o crime de tortura na forma tipificada em lei específica. Diante dessas afirmações.

quem exerce cargo. Nos termos da lei. d) Caio responderá pelo crime de constrangimento ilegal em concurso de agentes com Antônio. a) Somente as afirmativas 2.Em relação à Lei 4. agente policial lotado em sua Delegacia. Assinale a alternativa correta. na sala ao lado. b) Somente as afirmativas 1. pomares e rebanhos da ação predatória de animais. submete-se ao procedimento estabelecido na Lei n° 9. desde que. Sobre o tema. Qualquer outro crime praticado conjuntamente com o abuso de autoridade será por ele absorvido. 44. Constitui abuso de autoridade qualquer atentado aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício profissional. 4. também conhecida como Lei Antidrogas. Considera-se autoridade. 2. Delegado Da Polícia Civil – RO – 2009 – Funcab A respeito da disciplina normativa prevista na Lei nº 11. a) Somente as afirmativas 1. a denúncia poderá ser oferecida sem o laudo prévio.prolabore. que exige que decorra do fato delituoso perigo de dano. e) na defesa prévia. Os antecedentes e a situação econômica do réu são critérios para a orientação da autoridade competente para a aplicação da sanção. d) no crime de tráfico ilícito de entorpecentes. 2. submete Tício. preso em flagrante. paisagístico) e artificial (espaço urbano construído). Assinale a alternativa correta. e) Somente as afirmativas 1. respectivamente: a) Caio será punido por sua omissão na forma da Lei nº 9. 3 e 4 são verdadeiras . considere as seguintes afirmativas: 1. (Delegado de Polícia – PR – UFPR – 2007)Sobre o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9. Caio nada fez para impedir tal conduta. Delegado Polícia Civil/RO/2009/Funcab Caio. (Delegado Polícia – PR – UFPR – 2007).343/2006. de natureza civil ou militar. 42. c) Caio não praticou crime algum e Antônio cometeu o crime de tortura. c) a conduta daquele que traz consigo droga sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar para uso próprio. a) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras .605/98 dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente. 4. 2 e 4 são verdadeiras . as pessoas jurídicas serão responsabilizadas administrativa e civilmente. e) Caio não praticou crime algum e Antônio responderá pelo crime de abuso de autoridade. c) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras . 2 e 4 são verdadeiras . é correto afirmar que: a) a infiltração de agentes de polícia é expressamente vedada na investigação dos crimes previstos nessa lei. quando solto. d) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras . b) nos crimes tratados por essa lei. considere as seguintes afirmativas: 1. derrogou o artigo 32 da Lei de Contravenções Penais no tocante à direção sem habilitação em vias terrestres. O abuso de autoridade poderá acarretar a suspensão do cargo.455/1997 e Antônio não responderá por crime algum. Assinale a alternativa correta. e) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras . já exista laudo definitivo confirmando a natureza da substância. e) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras . considere as seguintes afirmativas: 1. c) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras .br 4. função ou posto e a conseqüente perda de vencimentos e vantagens nesse período. 45. Delegado de Polícia. b) Somente as afirmativas 1. b) Caio será punido por sua omissão na forma da Lei nº 9. 2 e 3 são verdadeiras . 2. d) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras . no momento da sentença. por ser seu subordinado. não sendo possível sua responsabilização penal. somente poderão ser arroladas testemunhas e requeridas diligências. turístico.898/65 (Abuso de Autoridade). A lei objetiva a proteção do meio ambiente em sua dimensão global. www. 2 e 3 são verdadeiras . e de 60 (sessenta) dias. A prática de homicídio culposo na direção de veículo automotor tem a pena majorada se o agente estiver sob a influência de álcool ou substância tóxica. emprego ou função pública. água. Pode-se afirmar que Caio e Antônio cometeram as seguintes condutas. ar). cultural (patrimônio artístico. o inquérito policial será concluído no prazo de 30 (trinta) dias se o indiciado estiver preso. O artigo 309 do Código de Trânsito Brasileiro. 3. 42 . desde que legal e expressamente autorizado pela autoridade competente. percebe que. não sendo aplicável o concurso formal ou material. como forma de aplicarlhe castigo pessoal. abrangendo o meio ambiente natural (solo.455/1997 e Antônio responderá pelo crime de tortura. 2 e 3 são verdadeiras . (Delegado Polícia/PR/UFPR/2007) A Lei 9. Constitui circunstância agravante ter o condutor do veículo cometido a infração quando sua profissão ou atividade exigir cuidados especiais com o transporte de passageiros ou de carga. A prática de homicídio culposo na direção de veículo automotor e lesão corporal culposa na direção de veículo automotor são crimes de ação penal pública incondicionada. Não é crime o abate de animal quando realizado para proteger lavouras. pois a pessoa jurídica não tem capacidade de culpabilidade. Antônio. 3. a sofrimento físico mediante violência. 3.099/95. 43. c) Somente as afirmativas 1. b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 41. para os efeitos da lei.com.503/97). d) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras . ainda que transitoriamente e sem remuneração.

Delegado Da Polícia Civil – FuniversA – DF – 2009 Acerca dos crimes contra a fauna e a flora. sem que o terceiro pratique. a) Pune-se criminalmente a pesca praticada em período no qual seja esta proibida ou praticada em lugares interditados por órgão competente. d) Destruir ou danificar floresta considerada de preservação permanente em formação não infringe norma de proteção contra a flora. juntos. c) o crime tributário pode ser praticado inclusive na modalidade culposa. necessário se faz o porte de arma emitido pela Polícia Federal. além do que.137/1990. assinale a opção correta. Nesse caso. a) O instituto da prescrição não é compatível com a natureza não penal das medidas socioeducativas. IV As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente sujeitarão só os infratores. pois o delito não se consumou no exterior. www. para que as futuras gerações também tenham oportunidade de desfrutar os mesmos recursos que se tem hoje à disposição. que a) o dolo exigido na prática do crime é o dolo específico e não o genérico. com competência legal para aplicar a sanção necessária. portanto. Delegado Da Polícia Civil – Funiversa – DF – 2009 Em relação ao meio ambiente e ao dever de preservá-lo pelo poder público e pela coletividade. b) Considere que um indivíduo tenha divulgado e publicado.br 48. Delegado Polícia Civil/Funiversa/DF/2009 Um empresário não-inscrito no cadastro fiscal comercializa. A sanção civil depende do ajuizamento da ação correspondente a ser proposta pela vítima. uma vez que o empresário não era inscrito no cadastro fiscal. que. e) o crime é de mera conduta e. uma vez que se trata de crime material e ocorreu o resultado quando o empresário deixou de recolher o tributo no prazo estabelecido em lei. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) Acerca do direito de representação e do processo de responsabilidade administrativa civil e penal. é obrigada a promover apuração imediata ― mediante processo administrativo. mercadorias sujeitas à incidência do ICMS sem emitir notas fiscais e sem recolher o tributo no prazo estabelecido em lei. é obrigatória a devida licença ou autorização. b) Para o exercício da caça. pessoas físicas. A quantidade de itens certos é igual a a) 1. acerca do crime contra a ordem tributária previsto na Lei n.com. efetuem. I O desenvolvimento sustentável tem por conteúdo a manutenção das bases vitais da produção e reprodução do homem e de suas atividades. b) 2. A respeito dessa situação hipotética. civil e penal. julgue os itens a seguir. mas o acesso ao material tenha-se dado além das fronteiras nacionais. a figura típica. ou seja. c) Caso um policial e outra pessoa. 49. quando efetuada com arma de fogo. garantindo igualmente uma relação satisfatória entre os homens e destes com seu ambiente. II Qualquer pessoa que constate a infração ambiental poderá dirigir representação à autoridade competente. a justiça competente para o processo e o julgamento do feito será a estadual. assinale a alternativa incorreta. ao tomar conhecimento dela. c) Proíbem-se as práticas que impedem a procriação da fauna sem licença. e) O autor do abuso de autoridade está sujeito a responder pelo ato nas esferas administrativa. assinale a opção incorreta. não pertencente aos quadros da administração pública e com conhecimento da condição de autoridade do policial. seu resultado ocorreu desde a data da não-inscrição do empresário como contribuinte no cadastro fiscal. d) o fato subsumi-se ao tipo previsto na lei de referência como consumado. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). c) 3. uma prisão ilegal. assegurado o direito à ampla defesa ― sob pena de coresponsabilidade. 50.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 46. o auxílio de terceiro para o cometimento do delito de abuso de autoridade. nos casos de abuso de autoridade. e) Configura crime contra o meio ambiente introduzir espécie animal no país sem parecer técnico oficial favorável e licença expedida por autoridade competente. expedida pela autoridade competente. e) 5. b) o fato enquadra-se na tentativa do crime tributário. 47. d) 4. pela Internet. a) O direito de representação será dirigido ao MP competente para dar início à ação penal contra a autoridade apontada como culpada.º 8. há mais de 2 anos. b) A representação será encaminhada à autoridade superior àquela acusada de ter cometido o abuso. não podendo ser dirigido ao juiz ou à polícia. III O estudo prévio de impacto ambiental não encontra proteção na esfera administrativa. é correto afirmar. V Incumbe ao poder público preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético do país e fiscalizar as entidades dedicadas a pesquisa e manipulação de material genético. responderão ambos por abuso de autoridade. a sanções penais e administrativas. 43 .prolabore. d) É admissível a participação. independentemente da obrigação de reparar os danos causados. diretamente. se for o caso. fotografias pornográficas envolvendo crianças e que essa ação tenha ocorrido em cidade brasileira.

direta ou indiretamente. c) o crime contra a administração pública. sem autorização e em desacordo com determinação legal. c) Em caso de condenação por tráfico de drogas. mas da família. b) Na hipótese de indeferimento do pedido de liberdade provisória do referido indivíduo. Vitor foi surpreendido. haverá. temporariamente. A internação provisória do menor não pode extrapolar o prazo de 60 dias estabelecido pelo ECA. conforme disposto expressamente na legislação de regência e na CF. 51. por policiais militares. considerará a personalidade e a conduta social do preso. José é flagrado portando essa arma de pequeno calibre. Deverá a Autoridade Policial: a) Com escora no art. e mandá-lo ao cárcere por ser crime inafiançável. de determinados crimes. José é garçom. e) A conduta de portar arma de fogo foi abolida. temporariamente. www. calibre 22. O magistrado. era. como condição ou preço para a prática ou a omissão de atos administrativos. De acordo com a situação hipotética acima. autuar José em flagrante por posse de arma de fogo de calibre permitido. em razão da dependência. d) Com escora no art.com. 14 da Lei 10826/03. pois teve um desentendimento com João. dirimir a controvérsia. que venha a ser formulado por seu advogado. e) Com escora no art. O STF tem adotado orientação segundo a qual há proibição legal para a concessão da liberdade provisória em favor dos sujeitos ativos do crime de tráfico ilícito de drogas. está vinculado a pareceres e relatórios técnicos. 14 da Lei 10826/03. autuar José em flagrante por porte de arma de fogo de calibre permitido. 44 . d) e) porém. a) Em caso de condenação. mas admite o sursis. e) o tráfico ilícito de substâncias entorpecentes ou drogas afins. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) A prática do crime de lavagem de dinheiro é atribuída ao agente que dissimula a natureza e a origem de bens. mas apenas pretensão educativa. 12 da Lei 10826/03. autuar José em flagrante por porte de arma de fogo de calibre permitido. portanto adquire a arma para se defender de João.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal c) d) e) Em se tratando de menor inimputável. segundo o STF. pelo Estatuto do Desarmamento. 16 da Lei 10826/03. autuar José em flagrante por crime assemelhado a porte de arma de fogo de calibre proibido ou restrito. Todavia. incluindo a exigência direta ou indireta. assinale a opção correta. da comunidade e da sociedade em geral. de qualquer vantagem. com numeração de série raspada. indiferente a quantidade da substância entorpecente apreendida. dificultando o rastreamento de sua origem. b) Com escora no art. e não pode. com a numeração raspada. c) Com escora no art. sendo um revólver Taurus. e assim procede. ou sob o efeito de droga. o juiz. um revólver calibre 22 e cinco munições. e arbitrar fiança por ser crime afiançável. Esses crimes não abrangem a) o terrorismo. e passa a portar esse armamento oculto às vestes. b) A conduta de ser proprietário de arma de fogo não foi abolida. com o Estatuto do Desarmamento e com a jurisprudência do STF. c) A posse pressupõe que a arma de fogo esteja fora da residência ou local de trabalho. pelo Estatuto do Desarmamento. e arbitrar fiança por ser crime afiançável. e apresentado ao Delegado de Polícia plantonista. O crime de tráfico de drogas é inafiançável. d) Vitor praticou a conduta de possuir arma de fogo. b) a extorsão mediante sequestro. primário. marca Rossi. sendo. inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento. o citado indivíduo terá a sua pena diminuída se. costumando chegar em casa ao alvorecer. (Delegado Polícia Civil – MS – 2006 – FAPEC) José compra. calibre 38. na fixação da pena. e uma garrucha. as quais eram de sua propriedade. perigoso traficante morador da região. pois teme que a arma seja produto de algum furto ou roubo. violação ao princípio da nãoculpabilidade. com base na livre apreciação de outros elementos de convicção. ao tempo da ação ou da omissão. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) Considerando que um indivíduo. e mandá-lo ao cárcere por ser crime inafiançável. em atitude suspeita. e mandá-lo ao cárcere por ser crime inafiançável. proveniente de caso fortuito ou força maior. tenha sido preso em flagrante pela prática do delito de tráfico de drogas. inexiste pretensão punitiva estatal propriamente. em uma feira livre e sem qualquer documentação. no momento da reavaliação da medida socioeducativa imposta. direitos ou valores provenientes. que lograram êxito em encontrar em poder do mesmo duas armas de fogo. José resolve raspar a numeração da arma de fogo. 54. autuar José em flagrante por posse de arma de fogo de calibre permitido.prolabore. para si ou para outrem. e trabalha até de madrugada. dentro de um veículo estacionado na via pública.br 53. que é dever não só do Estado. assinale a opção correta de acordo com a legislação pertinente à matéria e com a jurisprudência do STF. d) os crimes contra a ordem tributária. (Delegado Polícia Civil/RN/CESPE 2008) Em 17/2/2005. 12 da Lei 10826/03. 52. a) Vitor praticou a conduta de portar arma de fogo com numeração suprimida.

visando proteger seu rebanho da ação predatória do animal. A pessoa jurídica poderá ser alcançada administrativa. c) Em cada comarca haverá no mínimo um Conselho Tutelar composto de 3 (três) membros escolhidos pela comunidade local. I Constitui abuso de autoridade qualquer atentado à incolumidade física do indivíduo. d) Nenhum adolescente será privado de sua liberdade senão em flagrante de ato infracional ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente. da autoridade culpada. não estando. (Delegado Polícia Civil – SC – 2006 – ACAFE) Com relação ao Estatuto da Criança e do Adolescente. Contudo.º 4. de natureza civil.898/65. abata espécime da fauna silvestre brasileira sem autorização do órgão competente. Delegado Polícia Civil/Funiversa/DF/2009 Com a finalidade de impulsionar as vendas e atrair consumidores. (Delegado Polícia Civil/AM/UNIFAP 2006) I – Caracteriza abuso de autoridade levar à prisão ou nela deter quem se proponha a prestar fiança. b) 2. 56. atraído pelo anúncio. somente após a concretização do negócio. a competência para processar e julgar os crimes contra a fauna é da justiça federal. b) A internação antes da sentença pode ser determinada pelo prazo máximo de 81 (oitenta e um) dias. e) que a conduta adotada pela empresa Construlegal configura mero inadimplemento civil.º 4. II – As penas de multa. a) Estão corretas todas as alternativas. o fato é atípico. diante de uma ocorrência policial dessa natureza e não havendo causas de aumento de pena. ocorrendo. A quantidade de itens certos é igual a a) 1. e) Está correta apenas a alternativa III. João. a autoridade policial competente deverá lavrar termo circunstanciado. Em regra. conforme disposição da Constituição Federal.º 4. 57. exclusivamente. em face da incidência de delito de menor potencial ofensivo. de acordo com a Lei n. d) 4. c) Estão corretas apenas as alternativas II e III. nos limites de sua propriedade rural. no interesse ou benefício da sua entidade. anúncio de venda promocional de cimento com entrega imediata do produto. permitida em lei. IV Poderá ser promovida pela vítima do abuso de autoridade a responsabilidade civil ou penal. Assim. civil e penalmente nos casos em que a conduta ou atividade lesiva ao meio ambiente seja cometida por decisão de seu representante legal ou contratual. sujeitos às medidas do Estatuto da Criança e do Adolescente. III A ação penal pelo crime de abuso de autoridade é pública condicionada à representação.898/65. perseguir. uma vez que a proteção ao meio ambiente. Nessa situação. 55. enquadrada nas infrações penais cometidas contra o consumidor. d) Está correta apenas a alternativa I. em desacordo com as prescrições legais pertinentes. ou militar. ou ambas.com.DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal (Delegado Polícia Civil/TO/CESPE 2008) Acerca das disposições expressas na legislação ambiental. III – Para os efeitos da Lei n. ao juiz competente a prisão ou detenção de qualquer pessoa. portanto. de detenção e de perda do cargo podem ser aplicadas cumulativamente. civil e penal nos casos de abuso de autoridade. Constitui crime cuja pena é de seis meses a um ano e multa matar. d) que. apanhar ou utilizar espécimes da fauna silvestre. é dever da União. imediatamente. 59. Considere que um fazendeiro. tratando-se de infração penal.898/1965. www. 62. (Delegado Polícia Civil/PA/2006/CESPE) Julgue os itens subseqüentes. 58. prática comercial não tipificada como criminal. que regula o direito de representação e o processo de responsabilidade administrativa. a consumação da infração penal com a publicação enganosa. b) que a conduta do comerciante configura propaganda enganosa. A ação penal para todos os delitos previstos na lei que dispõe acerca das sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente é. 63. para mandato de 2 (dois) anos. julgue os itens a seguir. Com base nessa situação hipotética. sendo passível apenas de multa. pois a legislação ambiental expressamente prevê essa excludente. ou de seu órgão colegiado. emprego ou função pública. é correto afirmar a) que o comerciante cometeu delito de afirmação falsa ou enganosa contra as relações de consumo. após a decisão do Supremo Tribunal Federal que reconhece a impossibilidade de prisão civil. 61. considerase autoridade quem exerce cargo. a empresa Construlegal fez publicar. 60. nativos ou em rota migratória. a alternativa correta é: a) São penalmente imputáveis os menores de 18 (dezoito) anos. c) que. ainda que transitoriamente e sem remuneração. relativos à Lei n. efetuou a compra de 100 sacos do produto. os consumidores que. ele tomou conhecimento de que o comerciante não detinha o produto para entrega imediata.br II Constitui abuso de autoridade deixar de comunicar. no presente caso. caçar. 45 . acreditando no anúncio.prolabore. b) Estão erradas todas as alternativas. em jornal de grande circulação. o crime praticado pelo comerciante é passível tãosomente da pena de multa. só poderão ser considerados sujeitos passivos do delito. efetuaram a compra. c) 3. permitida uma recondução. pública incondicionada.

C 12.B 08 .C 02 . DA APLICAÇÃO DA PENA 01 .B 02 .D 05 .Errado 04 .E 09 – Errado 04 .E 11 .A 04 .E 05 .A 05 .A 10 .A 16 EFEITOS DA CONDENAÇÃO E EXECUÇÃO PENAL 1-D 02 .B 14. PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL 01 .D 07 .Errado 07 .C 07 . CLASSIFICAÇÃO DOUTRINÁRIA DOS CRIMES 01 .B 06 .C 04 .Certo 05 .DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal RESPOSTAS 1.B 07 . ERRO DE TIPO 01 .A 03 .B 03 .D 09 .Certo 15 .B 12 .Errado 16 .B 08 .B 9.E 14 .B 2.B 10 .A 02 .D 11 .B 04 . ARREPENDIMENTO EFICAZ.B 18 – A 7. DESISTÊNCIA VOLUNTÁRIA.B 10 .A 03 .C 13 .C 05 .Certo 10 .D 05 .C 02 .D 03 .B 05 .E 06 .C 05 .B 05 – A 4.D 13 -A 06 .D 03 – B 04 .B 5.D 09 .Certo 06 .C 07 .Errado 07 .br 04 .E 11 . 04 . ILICITUDE E SUAS EXCLUDENTES 01 .E 04 .A 13.B 14 .A 17 .Errado 11 .A CRIME IMPOSSÍVEL.B 04 .E 03 .C 04 . ERRO DE PROIBIÇÃO 01 .D 02 . ARREPENDIMENTO POSTERIOR. A LEI PENAL NO ESPAÇO 01 .B 10 .D 09 .D 16 .A 02 – A 03 .Errado 04 . TENTATIVA 01 .D 06 .C 07 .D 6.E 11 .A 06 .D 12 .Certo 08 . CONCURSO DE PESSOAS 01 .Certo 03 .A 13 .D 08 .B 03 .C 10 – Certo 05 .Errado 10 .com.D 08 .E 06 .Errado 04 .C 10.B 02 .A 05 .C 03 .A 02 . CONCURSO APARENTE DE NORMAS 01 .C 18 Certo 8.C 08 .C 08 .B 15 .Certo 12 .prolabore. CULPABILIDADE 01 .A 07 .B 08 .Certo 15. CONCURSO DE CRIMES 01 .D 03 .D 03 .B 05 .D 09 .Errado www.C 03 .E 02 .C 03 .D 11.Errado 15 .D 09 .D 02 .B 04 .D 3.Certo 16 .Certo 05 .B 02 .C 07 .B 09 . FATO TÍPICO 01 .B 12 . DAS PENAS EM ESPÉCIE 01 .B 46 .B 08 .D 08 .A 14 .C 17 .Errado 06 .B 06 .E 02 .D 02 .E 13 .B 11 .A 11 . A LEI PENAL NO TEMPO 01 .B 02 .E 02 .

E 31 .prolabore.B 59 .D 49 .Certo 33 .A 51 .C 11 .Errado 2 .B 22 .A 42 .E 27 .Certo 4 .DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL-MG Curso de Exercícios Direito Penal 17.Errado 03 .E 53 .C 72 .A 36 .Errado 57 .D 47 .C 64 .B 38 .C 30 .C 02 .C 63 .E 65 .D 25 .A 67 .C 18 .D 57 .Certo 32 .A 3-B 10 .C 13 .E 26 .A 50 .C 48 .E 02 .Certo 17 .A 55 .Errado 58 .Certo 56 .C 32 .Certo 34 .C 28 .D 19 .C 23 .B 70 .A 52 .A 43. DIVERSOS 01 .B 39 – B 46 .A 40 .E 18.Errado 6 .D 20.com.br 47 .C 51 .B 33 .D 20 .E 25 .E 68 .B 14 .D 54 .B 40 .A 03 .C 07 .C 62 .D 45 .Certo 59 .Errado 37 .B 29 .A 38 .D 11 .A 23 .B 60 .B 26 .B 9 .B 7-B 16 .Certo 36 . LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR 1-A 8-C 15 .C 39 .C 71 .A 10 .D 49 .D 35 – A 44 .A 27 .E 6-D 15 .D 37 .D 41 .C 24 .B 56 .E 20 .Errado 48 .C 28 .E 66 .D 05 .A 12 .Certo 3 .Certo 52 .C 19 .Errado 29 .A 34 .A 61 .A 50 .E 02 .A 69 .A 8-B 17 .C 43 .Certo 60 .E 45 .E 21 .A 12 .Errado 31 .Certo 4-D 13 .C 21 .D 55 .Certo 53 .Certo 5 .C 42 .D 62 .C 5-C 14 .C 58 .E 04 . A 44 .Errado 30 . PARTE ESPECIAL 01 .E 24 .A 06 .A 08 .B 46 .B 61 . EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE 01 .D 63 – A www.C 9-D 18 .D 73 .Certo 47 .B 22 .C 41 .Certo 35 .A 19.Errado 54 .Certo 16 .Errado 7 .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->