Você está na página 1de 10

apoio:

(ARC GOUGING AND CUTTING) PROCESSO DE CORTE A


GRAFITE
Flavio M. Pereira da Silva flavio- martins@ig.com.br
Edson Francisco da Silva edsonfrsilva@hotmail.com
Orientador: Luiz Gimenes Jr gimenes@infosolda.com.br

INTRODUÇAO tocha pode resultar em ponto de


carbono, (e mudanças metalúrgicas
Corte a arco com eletrodo de carbono indesejáveis) em alguns materiais.
(CAC-A), a remoção é realizada por Aumentando a dureza de produtos
meio físico do metal base ou metal de fundidos e matérias tratados pelo ar.
solda usando um eletrodo de carbono,
arco elétrico e ar comprimido. No APLICAÇÕES
processo de corte a grafite o calor é
intenso entre o eletrodo de carbono e a O processo CAC-A pode ser usado para
peça de trabalho, derretendo uma parte preparar chapas para solda, fornecendo
do metal base, ou solda.
um ângulo oblíquo ou entalhe
Simultaneamente um jato de ar passa
pelo arco com um volume e velocidade satisfatório, Veja Fig. 13.29. Também
suficiente expusando o material pode goivar uma costura atrás antes de
fundido. Esta sequência pode ser soldar o segundo lado, Figo. 13.31.
repetida até a obtenção do chanfro ou Fornece meios excelentes de remover
corte exigido. soldas defeituosas ou soldas deslocadas.
O processo (CAC-A) não depende de Tem muitas aplicações boas em
oxidação para manter o corte, é capaz
de cortar metais que o OFC não corta; indústria de fabricação de metal,
aço inoxidável, muitas ligas de cobre e fundição, Fig.13.30, construção,
ferro. mineração, manutenção e reparos em
O material pode ser removido geral.
aproximadamente cinco vezes mais
rapidamente por goivagem a arco que
por rebarbação. Um chanfro de 3/8
(9,525mm), por exemplo, pode ser
goivado a uma velocidade de mais de 2
fpm (609,6 mm por minuto). A
profundidade do corte pode ser
controlada bem próxima, e a escória da
solda não inclina ou impede a ação da
ferramenta cortante. O Custo de
operação do equipamento de goivagem
geralmente é menor do que o martelo
rebarbador, e o equipamento de
goivagem também requer menos
espaço. Superfície goivada limpa e lisa,
e também pode ser soldada sem 13.29 junta de topo chanfrada
nenhuma preparação adicional. parcialmente pelo processo de corte a
O processo tem várias desvantagens. grafite
Porém. Não é tão bom comparando a
outros processos de corte, que
necessita de grande volume de ar
comprimido. Operação imprópria da

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 1
apoio:

requer um porta eletrodo e cabo com

isolamento especial à pega do eletrodo

é coberto com camada de cobre, leva a

corrente, e conduz o ar comprimido e o

dirigi ao metal fundido, nota fig. 13.32.

Além disto, deve ter um gatilho para

liberar o ar quando for necessário.

Fig. 13.30 excesso de metal sendo


removido pelo processo de corte a
grafite

PORTA ELETRODO E CABO

Este pode ser utilizado manualmente 13.31 goivagem de uma solda interna
do tanque, bem como a preparação da
ou mecanizado, é frequentemente solda externa

usado como um processo manual. Este

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 2
apoio:

Fig. 13-32 tocha típica para goivagem 13.33 Goivagem mecanizada,


manual. fornecendo o curso automático ao
longo da emenda.

TIPOS DE ELETRODOS
O tipo mais comum de tocha manual é
Deve ser usado eletrodo com mostrado na fig.13.32, onde o eletrodo
revestimento especial de cobre; estão é mantido em uma cabeça giratória. As
disponíveis vários tipos diferentes. O tochas são geralmente resfriadas a ar,
tamanho do eletrodo de grafite vai mas aquelas que são aplicadas alta
influenciar o tamanho da ranhura e a corrente são resfriadas a água.
profundidade do corte. O eletrodo chato Estão disponíveis três tipos de tochas
fixa e também varia a erosão no metal mecanizadas. O tipo muito simples é
de solda. O eletrodo está disponível de montado em um carro da máquina,
? ”(3,175mm) a ¾” (19,05mm) de más requer alimentação manual do
diâmetro. eletrodo (fig.13-33). Uma versão mais
refinada do carro monta-se uma tocha
que emprega uma mola que carrega o
dispositivo e mantém uma distancia
constante entre a tocha e a peça obra
provendo uma profundidade uniforme
na ranhura. A terceira e o tipo mais
sofisticado tem controles eletrônicos
que regula a voltagem e prove
ranhuras com tolerância de
profundidade de ± 0,025 in (±
0,635mm).
A especificação do tipo de eletrodo e
corrente recomendada para goivagem

em diferentes metais são resumidos na tabela 13-20 e discutido nos parágrafos


seguintes.

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 3
apoio:

TABELA 13-20. TIPOS DE ELETRODO E


POLARIDADE RECOMANDADA PARA GOIVAGEM
ELETROD
MATERIAL FONTE
OS
DC DCEP
AÇO
AC AC
DC DCEP
AÇO INOX
AC AC
AC AC OU DEEN
FERRO
FUNDIDO DCEP(ALTA-
DC
AMPERAGEM)
LIGAS DE AC AC OU DCEN
COBRE DC DCEP
LIGAS DE
AC AC OU DCEN
NIQUEL
Manual AWS, sexta edição, seção 3ª.

AÇO: eletrodos de corrente continua (dc) são usados com corrente continua (dc) no
pólo positivo para baixa liga e aço inoxidável. Se corrente continua (dc) não está
disponível corrente alternada (ac) com eletrodo de corrente alternada (ac) pode ser
usado. Para está aplicação, a corrente alternada (ac) tem 50% da eficiência da
corrente continua (dc).
FERRO FUNDIDO: eletrodo de corrente alternada (ac) são usados com corrente
continua (dc) na polaridade negativa ou com corrente alternada (ac) com a metade da
amperagem para todo o ferro fundido, incluindo maleável e ferro fundido nodular.
LIGAS DE COBRE: são usados eletrodos corrente continua (dc) com corrente
continua (dc) pólo positivo em amperagem máxima se o conteúdo do cobre das ligas
não for acima de 60% . Para ligas especiais sub-aquática, usar eletrodos de corrente
continua (dc) com corrente continua (dc) polaridade negativa. Se o conteúdo do cobre
for acima de 60% , ou se o metal base for extremamente grande, usar eletrodos de
corrente alternada (ac) com corrente alternada (ac). Com 99,9% no eletrodo de grafite
tem que ter uma vareta de aço no centro do eletrodo.
LIGAS DE NIQUEL: usar eletrodos de corrente alternada (ac) com corrente alternada
(ac).
LIGAS DE MAGNÉSIO: eletrodos de corrente continua (dc) são usados com corrente
continua (dc) pólo positivo, superfície goivada deve ser escovada antes da solda.
LIGAS DE ALUMINIO: são usados eletrodos de corrente continua (dc) com corrente
continua (dc) no pólo positivo. É obrigatório escovar antes da solda. Os eletrodos tem
que estar afastados em 4” para a qualidade do trabalho.
LIGAS ESPECIAIS: titânio, zircônio, hafnium e suas ligas podem ser cortadas por
goivagem. É necessário uma operação de limpeza minuciosa após a goivagem se
estes materiais forem soldados.

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 4
apoio:

TABELA 13-21. Fonte de Força para Goivagem


Tipo de Tipo de fonte de
Observação
corrente força

Moto-gerador de
tensão variável,
retificador, ou Recomendado para todo tamanho
DC
equipamento com de eletrodo.
resistente a rede
elétrica.
recomendado somente para
Moto-gerador
DC eletrodos acima de 1/4" in. De
tensão constante
diâmetro.
somente usado quando empregar
AC transformador eletrodos de corrente alternada
(AC).
fornecer satisfatoriamente
corrente continua (DC) com
transformador retificador de três
fases. Corrente continua (DC)
AC-DC retificador para fonte de fase simples não é
recomendado. Corrente alternada
(AC) para fonte de força AC-DC é
suficiente se for usado eletrodos
de corrente alternada (AC).

FONTE DE FORÇA

É possível goivar com corrente alternada (ac) este método não é o preferido. Uma
fonte de corrente continua (dc) de capacidade suficiente no mínimo de 60 ciclos, ou
retificador com uma geração motora vai dar os melhores resultados. Com corrente
continua (dc) é operado dcep (eletrodos reais).
Tensão do arco com arco goivando normalmente extende-se de quase 35 para 56

volts. A lista da tabela 13-21 recomenda a fonte de força, e a lista da tabela 13-22

recomenda quantidade de corrente.

É recomendado que a fonte de força tenha proteção para sobrecarga na saída do


circuito. Surge altas correntes no arco durante o processo de goivagem e estas
correntes podem sobrecarregar a fonte.

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 5
apoio:

TABELA 13-22. Margem recomendada para corrente de goivagem


Tipo de eletrodo e fonte corrente máxima e mínima.

eletrodos tamanho
3,968mm 4,762m 6,35mm 7,937mm 9,525mm 12,7mm
5/32in m 3/16in 1/4in 5/16in 3/8in 1/2in
150 - 200 - 600 -
eletrodos (DC), fonte DCEP 90 - 150 250 - 450 350 - 600
200 400 1000
150 - 200 -
eletrodos (AC), fonte (AC) - - - - 300 - 500 400 - 600
200 300
eletrodos (AC), fonte 150 - 200 -
- - - - 300 - 400 400 - 500
(DCEN) 180 250

Tabela 13-23. Consumo de ar para Goivagem


tamanho máximo do pressão consumo
aplicação
eletrodo (psi) (cfm)
6,35mm 1/4in tarefa intermitente, tocha manual 40 3
6,35mm 1/4in tarefa intermitente, tocha manual 80 9
9,525mm 3/8in finalidade geral 80 16
19,05mm 3/4in tarefa pesada 80 29
tocha mecanizada semi-
15,875mm 5/8in 80 25
automática

SUPRIMENTO DE AR

Normalmente as pressões de ar para a goivagem ficam entre 80 a 100 psi. Onde não
há linha de ar comprimido disponíveis para a goivagem, é executado com tochas
apropriadas para o trabalho leve, podendo operar com cilindros de gás com pressões
abaixo de 40 psi. Pressões acima de 100 psi às vezes são utilizadas, mas não fornece
nenhuma vantagem na eficiência da remoção do material.
A tubulação da linha de ar deve ter pelo menos ¼ de polegada. Para tochas manuais e

mecanizadas, com exceção das tochas com controle de tensão. Estes requerem tubos

com o diâmetro no mínimo de ½ polegada. Exigências típicas da lista da tabela 13-23

para fonte de ar comprimido.

CONSIDERAÇÕES METALÚRGICAS prejudicial, tanto para absorção de


carbono, resistência à corrosão, ou a
O uso correto do eletrodo de grafite distorções. As mudanças metalúrgicas
para goivagem não causa produzidas pelo processo são similares
aparentemente nenhum efeito às do processo de soldagem a arco;

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 6
apoio:

isto é, uma camada fina endurecida, de goivagem. Os depósitos de carbono


pode aparecer em alguns metais, mas ao longo do chanfro são causados pela
a zona de fusão da soldagem posterior falta do arco do eletrodo contra a peça.
reduz a dureza. A contaminação de A escória aderida na face do chanfro
cobre pelo eletrodo de cobre não é são resultados da pressão insuficiente
detectada. do arco. A distância incorreta do arco
A penetração é menor com o corte a torna progressivamente o chanfro raso
grafite do que o corte com o oxigênio, ou profundo.
desta maneira o corte a grafite produz
menor distorção. A usinagem do aço PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA
baixo carbono não endurece o aço e o
corte a grafite não é afetado. A Todo processo no qual o metal líquido
superfície do ferro fundido e do aço
temperado não pode ser usinada. é espelido para cima obviamente
Esta cama dura é de aproximadamente
0,006in (0,15mm) de espessura, apresenta perigo. O operador do
podendo ser facilmente removida por
ferramentas de corte e penetração. processo de corte a grafite deve seguir

DIAGNOSTICANDO as práticas de segurança na soldagem

A maioria dos problemas encontrados da seção 15.1 e particularmente deve


na goivagem são comuns. Por
exemplo, o depósito de carbono no ter atenção para fagulhas. Materiais
chanfro é geralmente causada pela
falta de ar para expulsar a poça de inflamáveis devem ser removidos da
fusão. Um arco instável faz com que o
operador trabalhe lentamente, área de trabalho, proteções de telas
geralmente é causado pela corrente
insuficiente. Um chanfro irregular onde devem ser instaladas e o operador
o arco oscile de um lado para o outro,
onde ocorre o superaquecimento do deve usar roupas de proteção,
eletrodo, é normalmente causado pela
corrente contínua polaridade negativa. incluindo proteção auricular se o
A ação do arco intermitente resulta em
chanfro de superfície irregular é trabalho for exposto ao barulho.
também causado pela baixa velocidade
Este processo, o qual é comercializado
GOIVAGEM E CORTE DE GRAFITE desde 1950 é capaz de cortar ou goivar
qualquer material metálico, estes são
O processo de corte a grafite é capaz particularmente o atrativo para o uso
de cortar e goivar a maioria dos metais em aço inox e ligas não ferrosas os
através do uso do arco concentrado no quais não podem ser cortadas ou
qual o metal derretido é localizado goivadas pelo processo oxigás, estes
numa área específica. O metal começarão a ser cortados
derretido é imediatamente removido instantaneamente sem a necessidade
pela alta velocidade do gás ionizado ou de um pré-aquecimento.
grafite emitido através do orifício O processo de corte a grafite pode ser
restrito. O corte a grafite opera em usado manualmente ou
temperaturas de 18.000°F a 25.000°F. mecanicamente. As primeiras tochas
eram mecanizadas e operadas com

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 7
apoio:

altas correntes (100-1000 Amp), com o permite em algumas tochas fornecer o


gás argônio ou nitrogênio, mais correto alinhamento da distância para o
recentemente, tochas manuais são corte quando o operador ajusta o copo
desenvolvidas para operar entre 20 a na peça e move a tocha ao longo da
125 Amp. e usam nitrogênio ou ar linha de corte. A copo de arraste faz
como ionizante. isso facilmente para que o operador
A energia fornecida para o processo de mantenha a distância correta.
corte a grafite e goivagem tende a O conjunto formado pelo eletrodo, o
tensões mais altas que a fonte de orifício e a tocha. O eletrodo é
alimentação. Maiores energias revestido com uma camada de cobre.
fornecidas também incorporam O arco emitido a partir da camada na
circuitos para ativar ou desativar a qual gradualmente é consumida com o
ionização, ajustes de corrente e um uso, e estes necessitam ser repostos.
arco piloto para iniciar a transferência Atocha contém um orifício no qual
do arco para a peça. Estas unidades restringe a passagem do arco. Vários
também são circuitos de trava de tamanhos de orifícios são encontrados
segurança para prevenir que o onde o menor dos diâmetros opera
operador tenha contato com a alta com menor amperagem e produz maior
voltagem se o eletrodo for exposto. restrição do que diâmetros maiores. Os
Uma vez a máquina ajustada para bocais se desgastam gradualmente
determinada operação, o operador devendo ser trocados frequentemente.
segura a tocha próximo da peça e O corte a grafite pode ser usado para
aperta o gatilho. O arco piloto iniciará e goivar. A principal diferença é o
dentro de poucos segundos o arco tamanho do orifício que é o maior do
principal iniciará o corte. que o utilizado para corte e a tocha
Para chapas acima de ½”, o processo trabalha num ângulo maior do que 30
de corte a plama é mais rápido do que graus e menor do que 90 graus como
o oxigás e produz superfícies muitos no corte. Goivagem pode ser usado
boas. Cortando, o orifício deve ter para todos os metais e particularmente
acima de 1/8” de distância da chapa e para o alumínio e aço inox quando o
a tocha move-se ao longo da chapa oxigás é insuficiente para
com velocidade constante para contaminação do carbono.
produzir o corte. A copo de arraste

As faíscas emitidas pelo corte a plasma, podem provocar incêndio;


conseqüentemente, o material combustível e os solventes devem ser retirados da área
onde será efetuado o corte. O arco do plasma emite-se a radiação intensa, visível,
infravermelha e ultravioleta que pode ser prejudicial aos olhos e à pele. A mesma
proteção do olho e de pele usada normalmente para a soldagem com o processo TIG
(gás inerte tungstênio), deve ser usada.

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 8
apoio:

Fonte de alimentação típica para plasma com cabo e tocha.

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 9
apoio:

Corte manual por plasma em chapa de aço

Bibliografia:

Welding Handbook, American Welding Socielty, 8th edition 1995, vol. 1 2 3 e 4, USA.

www.infosolda.com.br/nucleo/downloads/nr.pdf 10