P. 1
Anatomia do Membro Inferior

Anatomia do Membro Inferior

|Views: 4.330|Likes:
Publicado porFCiências
Anatomia do Membro Inferior
FCiências
www.fciencias.com
Anatomia do Membro Inferior
FCiências
www.fciencias.com

More info:

Published by: FCiências on Dec 31, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/23/2013

pdf

text

original

Membro inferior

Professor : João Pinheiro Assistente: Alexandra André

• Introdução
– Cintura pélvica ou anca – Fémur – Perna (dois ossos), tíbia e perónio – Pé com 26 ossos repartidos pela tarso, metatarso e dedos

• O membro superior é constituído por quatro segmentos
– Osso coxal, que no seu conjunto forma a bacia – Fémur, com um só osso – Perna, com dois ossos, tíbia e perónio – Pé

• Osso coxal constitui sozinho o esqueleto da anca • Formado por tês peças
– Ilion – Isquion – Púbis

Osso coxal, face externa

Face externa – Porção média apresenta uma cavidade articular, cavidade cotiloide – Constitui com a cabeça do fémur a articulação coxo-femural – Para cima visualiza-se uma superfície ligeiramente concava, fossa ilíaca externa

Face interna •Divide-se em duas partes, superior e inferior •Linha inominada faz a divisão da face interna

Linha inominada

A área que fica para cima é a fossa ilíaca interna e a que fica para baixo é o buraco obturado

Face interna do osso coxal

Os dois ossos coxais unidos à frente pela sínfise púbica e separados atrás pelo sacro, com que se articulam, constituem a bacia ou pélvis

Os dois ossos coxais articulam-se com o sacro articulações sacro-iliacas. Por intermédio do púbis constituem a sínfise púbica Articulações sacro-iliacas Entre o sacro e o osso coxal Classificação Anfiartrose

Superfície auricular

Do lado do sacro e do osso coxal encontra-se a faceta auricular

Face posterior do sacro

Diferenças anatómicas entre a bacia feminina e masculina
Bacia feminina em relação à bacia masculina •Adaptada à dinâmica do parto •Paredes da bacia menos resistentes •O estreito superior é mais aberto •Escavação pélvica é mais larga •Sínfise púbica menor altura •Corpo do púbis é mais largo •Ângulo infra-púbico é mais aberto •Grande chanfradura ciática é mais aberta e menos funda

Fémur A coxa é constituída pelo fémur que articula em cima com o osso coxal e em baixo pela tíbia e rótula Caracterização do osso Osso longo , par, e simétrico dirigindo-se obliquamente para baixo e para dentro

•A extremidade que apresenta uma superfície articular em forma de cabeça é superior •Das duas tuberosidades existentes na extremidade superior, a maior é anterior

Fémur direito - face anterior

Extremidade superior Cabeça do fémur, é constituída por dois terços de uma esfera, no centro apresenta uma depressão – fosseta do ligamento redondo Grande trocânter, situa-se por fora do colo Pequeno trocânter, situa-se na porção posterior e inferior do colo
Fémur direito – face posterior

Os trocânteres estão ligados pela linha intertrocantérica, encontrando-se anteriormente a linha intertrocantérica anterior e posteriormente a linha intertrocantérica posterior

Colo anatómico, encontra-se situado entre a cabeça e os trocanteres Extremidade interna corresponde à cabeça do fémur

Extremidade externa termina ao nível do grande e pequeno trocânter (nível das linhas intertrocantéricas ) Colo cirúrgico, separa o corpo da extremidade superior do fémur

Extremidade inferior Apresenta anteriormente uma superfície articular – troclea femural

Face posterior, duas porções ósseas – côndilos femorais – separados pela chanfradura intercondiliana

Fémur direito – face anterior

Fémur direito – face posterior

Extremidade inferior do fémur - anteriomente , fossa supratroclear onde se articula a porção superior da rótula

Fossa intercondiliana

Face posterior

Cada condilo apresenta seis faces: •Face superior •Face inferior, anterior e posterior, articula-se com a cavidade glenoideia da tíbia •Face externa do condilo interno e a face interna do condilo externo formam a chanfradura intercondiliana - inserção dos ligamentos cruzados •Face interna do côndilo medial, apresenta a tuberosidade – inserção do ligamento lateral da articulação do joelho •Face externa do côndilo lateral, apresenta a tuberosidade externa, para o ligamento lateral da articulação do joelho

Rótula

1 – face anterior da rótula

1 - face posterior da rótula 2 – crista vertical 3 – faceta medial 4 – faceta lateral

Pequeno osso, encontra-se anteriormente à articulação do joelho, articula-se com o joelho. Orientação : Porção mais afilada é inferior Superfície articular á posterior (apresenta duas faceta em que a maior é externa) Apresenta duas faces, dois bordos e um vértice Face anterior, apresenta numerosos orifícios vasculares Face posterior, divide-se por uma crista vertical em duas facetas – faceta lateral e a faceta medial Vértice (Apex patelar), dá inserção ao tendão rotuliano Bordos e a base, inserem-se músculos e tendões

Articulação coxo-femoral Une o fémur ao osso coxal, articulação mais potente do corpo humano, devido às forças a que se encontra sujeita - enartose Superfícies articulares •Lado do fémur, superfície esférica – cabeça do fémur – apresenta uma depressão, fosseta do ligamento redondo •Lado do osso coxal, cavidade – cavidade cotiloideia Cavidade cotiloideia ou acetábulo •Porção não articular, constituindo o fundo da cavidade •Porção articular, periférica
4

Cavidade cotiloideia ou acetábulo 1 – acetábulo 2 – porção não articular 3 – porção articular 4 – labrum 5 – ligamento transverso do acetábulo 6 – cápsula articular

•Cabeça do fémur, é revestida por uma camada de cartilagem hialina, em que a espessura diminui do centro para a periferia, •O acetáblo apresenta cartilagem hialina em que a espessura aumenta do centro para a periferia Labrum acetabular, cordão fibrocartilaginosa que se encontra situado no rebordo da cavidade cotiloideia Meios de união As superficies articulares são mantidas pelas em contacto pela cápsula articular, que é reforçada pela por ligamentos: •Ligamento ílio-femoral •Ligamento ísquio-femoral •Ligamento pubo-femoral

O ligamento ílio-femural é especialmente forte. Este ligamento suporta a maior parte do peso do corpo.

Estende-se da porção púbica do rebordo do acetábulo para a porção inferior do colo do fémur. O ligamento pubo-femural e o ligamento ílio-femural formam um conjunto ligamentoso em forma de N conhecido por ligamento em N de Welcker.

Ligamento redondo Ligamento independente, une a cabeça femoral à chanfradura ísquio-púbica

1 – ligamento redondo 2 – raiz anterior do ligamento 3 – raiz posterior do ligamento 4 – raiz média do ligamento

Sinovial Formada por duas poções, sinovial propriamente dita que corresponda à cápsula articular e bainha sinovial do ligamento redondo

Luxação Congénita da anca

A cabeça do fémur não se encontra correctamente colocada na sua cavidade (acetábulo); É bastante comum principalmente bebés; nas raparigas,

Trata-se com um aparelho ortopédico que normalmente resolve o problema.

•Também podem ocorrer luxações em acidentes de carro

Coxartrose

• Doença de carácter degenerativo da articulação coxo-femoral; • Provoca dor e rigidez da anca e limita o movimento da anca; • É muitas vezes acompanhada de deformações do acetábulo e da cabeça do fémur.

Fractura do colo do fémur

• Frequentes nos idosos, e são raras em pessoas sem osteoporose; • Na maioria das vezes é devido a quedas; • Sinais evidentes: rotação externa do membro em que a rótula e o pé apontam lateralmente devido à rotação de 90 graus; encurtamento da perna 2 a 3 cm; dor na zona inguinal ; • Tratamento: artroplastia; osteossíntese com parafusos e placa.

Tratamento das fracturas

Artroplastia:

Osteossíntese:

1- a cartilagem da articulação vai desaparecendo, gastando-se; 2- remoção da cabeça do fémur 3- colocação da cabeça do fémur

Tíbia

A perna é constituída por dois ossos •Tíbia, lado medial •Perónio, lado lateral Encontram-se separados pelo espaço interósseo •É um osso longo, par e simétrico Orientação •A extremidade superior é mais volumosa

Face anterior da perna direita

Extremidade superior •Volumosa, apresenta duas superfícies articulares •Cavidades glenoides da tíbia, uma externa outra interna •A articulação das superfícies articulares é feita com os condilos femorais

1- cavidade glenoide externa 2 - cavidade glenoide interna 3 – superfície interglemoideia 4 – espinha da tíbia 5 - superfície anterior 6 – superfície posterior

Extremidade superior da tíbia As duas cavidade glenoides, encontram-se separadas pela superfície interglenoideia

Os tubérculos, na porção média e a chanfradura que os separa constituem a espinha da tíbia

Duas superfícies triangulares irregulares onde se inserem os ligamentos cruzados, anterior e posterior da articulação do joelho

Face anterior do joelho – joelho em flexão

Face posterior do joelho - extensão

Articulação do joelho e da perna A articulação do joelho é constituída por:
•Fémur •Tíbia •Rotula

Pode ser dividida em duas articulações
Fémur e rotula, femoro-rotuliana, trocleartrose

Tibía e fémur, art. Femoro-tibial, condilartrose

Face anterior do joelho direito

O pé constituído por 26 ossos divididos em seis grupos •Tarso com sete osso dispostos em duas fileiras •Metatarso, com cinco metatársicos •Dedos, em número de cindo dedos, constituído por três falanges

Tarso Constituído por sete ossos Fileira posterior, constituída pelo astrágalo em cima e calcâneo em baixo Fileira anterior, indo de fora para dentro: cuboide escafoide 3º cuneiforme 2º cuneiforme 1º cuneiforme

Face dorsal do pé

Astrágalo Situa-se entre os ossos da perna e o calcâneo Superiormente, faceta articular em forma de roldana Astrágalo articula-se com a tíbia, peróneo, calcâneo e escafoide

Face antero-interna, articula-se com o calcâneo
Face externa, triangular de base superior, articula-se com o maléolo peroneal

Articulação do tornozelo Articulação que se encontra entre a perna e o pé Classifica-se: Troclartrose

Superficies articulares Do lado de pé, na face superior do astrágalo, a troclea Do lado da perna as extremidades inferiores da tíbia e perónio

Região Femoral

Região Crural

Região Crural

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->