P. 1
Aula 1 de - Generalidades - Normas de Tubulações (1)

Aula 1 de - Generalidades - Normas de Tubulações (1)

|Views: 915|Likes:
Publicado porPedro Paulo

More info:

Published by: Pedro Paulo on Jan 11, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/14/2013

pdf

text

original

NORMAS E CÓDIGOS DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS

1

NORMAS E CÓDIGOS DE TUBULAÇÃO

2

Definem as diretrizes básicas de projeto, construção, montagem, testes e fabricação de tubulações e seus componentes. Não são de uso mandatório, nem isentam seus usuários da responsabilidade, porém retratam a consolidação da boa prática de engenharia das diversas entidades normativas nacionais e internacionais. Já as normas regulamentadoras (NR’s), tem força de lei e podem tornar obrigatório o uso de uma determinada norma de engenharia.

NORMAS E CÓDIGOS DE TUBULAÇÃO As principais entidades normativas são: ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas ANSI – American National Standards Institute API – American Petroleum Institute ASME – American Society of Mechanical Engineers ASTM – American Society for Testing Materials BSI – British Standards Institution CEN – Comité Européen de Normalisation ISO – International Standard Organization MSS – Manufacturers Standard Society 3 .

Estes padrões foram desenvolvidos e contemplam o conhecimento de várias associações americanas: ASA .The American Society of Mechanical Engineers MCAA .American Standards Association ANSI .United States of America Standards Institute 4 .Mechanical Contractors Association of America MSS – Manufacturers Standardization Society of the Valve and Fittings Industry USAS .American National Standards Institute ASME .NORMAS E CÓDIGOS DE TUBULAÇÃO Em 1921 foi organizado o comitê B16 com objetivo de unificar e desenvolver padrões para flanges e acessórios e mais tarde para válvulas e juntas.

Atualmente as normas tem a denominação ASME ANSI B31.3 A medida que as normas foram sendo revisadas mudaram sua designação para ASME. Durante o processo de transição as normas exibiam os dois selos (ANSI/ASME ou ASME/ANSI) ASME/ANSI).3 => ASME B31. 5 .ANSI & ASME A ANSI era a entidade normativa nacional norteamericana responsável pela certificação e reconhecimento das normas na área de tubulações industriais nos Estados Unidos A entidade responsável pela atualização e emissão dessas normas é o ASME .

ASME Os principais conjuntos de normas utilizadas para projeto e padronização de tubulação são: ASME B16 (padronização .“standard”) ASME B31 (código de projeto – “code”) 6 .

7 .

8 .

9 – Conexões de aço para solda de topo. •B16. •B16.20 – Juntas metálicas para flanges.5 – Flanges e conexões flangeadas de aço até 24”.47 – Flanges e acessórios flangeados de aço de grande diâmetro (26” a 60”).21 – Juntas não metálicas planas para flanges.ASME As principais normas do ASME B31 utilizadas para projeto e padronização de tubulação são: •B16.10 – Dimensões de válvulas industriais de aço e ferro fundido. de anel e encamisadas.1 – Flanges e acessórios flangeados de ferro fundido. •B16. •B16. •B16. espiraladas. •B16. 9 .

10 .

ASME As principais normas do ASME B31 utilizadas para projeto e padronização de tubulação são: •ASME 31.1 – Tubulações em instalações de de vapor (“Power Piping”). (“Process Piping”).3 – Tubulações em unidades de •geração •ASME •processo • ASME B31.4 – Oleodutos e outras tubulações para transporte de líquidos (“Pipeline Transportation Systems for Liquid Hydrocarbon and Other Liquids”) 11 • ASME B31. B31.8 – Sistemas de tubulações para transporte e distribuição de Gas (“Gas Transmission and Distribution Piping Systems”) .

• Materiais. • Pressão de projeto. • Padrões (standards). • Condições de projeto.ASME As oito principais categorias que os código B31 cobrem são: • Escopo. ensaios e testes testes. • Fabricação e montagem 12 • Inspeção. • Flexibilidade e intensificação das tensões. .

barras. fundidos. forjados. chapas.ASTM Entidade que estabelece especificações de material aplicáveis a diversos tipos de componentes: tubos. COMPOSICÃO QUÍMICA PROCESSO DE FABRICAÇÃO PROPRIEDADES MECÂNICAS ESPECIFICAÇÕES ASTM CONTROLE DE QUALIDADE TENSÕES ADMISSÍVEIS 13 EMPREGO DO MATERIAL CRITÉRIOS DE PROJETO . etc.

ASTM A106 – Especificação para tubos sem costura de aço carbono acalmado. ASTM A105 – Especificação para componentes forjados de aço carbono (flanges por exemplo).ASTM Exemplos: ASTM A53 .Especificação para tubos sem e com costura de aço carbono de qualidade corrente. 14 ASTM A216 – Especificação para componentes fundidos de aço-carbono para altas temperaturas. para uso em altas temperaturas. .

15 . reparo e reaproveitamento de sistema de tubulações em serviço. API RP 570 – Inspeção. API STD 598 – Inspeção e teste de válvulas industriais. Exemplos: API SPEC 5L – Especificações de material para tubos de condução de aço. sem costura e com costura.API Entidade que estabelece normas aplicáveis à indústria do petróleo para serviço “offshore” (instalações marítimas) e “onshore” (instalações industriais terrestres).

Aplicável a projeto.ISO Organização normativa internacional que tem ganho muita força nos últimos anos. Válvulas ISO 15649 – Tubulação na indústria do petróleo e gás natural. ISO 17292 –Válvulas esfera para a indústria do petróleo. flangeadas e soldadas. Parte I foi baseada no API 5L. tentando estabelecer normalização de consenso mundial. globo e retenção para diâmetros menores que 100 mm. montagem e teste. (API 600). Válvulas . inclusive para a indústria do petróleo e gás (BS-5352 e API 602 602). ISO 14313 –Válvulas para oleodutos e gasodutos (API 6D). Exemplos: ISO 3183 – Especificação de tubos de aço para uso na indústria do petróleo e gás. ISO 10434 – Válvulas gaveta. em especial na indústria do petróleo. 16 ISO 15761 – Válvulas gaveta. construção.

MSS SP-69 – Seleção e aplicação de suportes de tubulação. MSS SP-58 – Materiais. MSS SP-54 – Exame por radiográfica. projeto e fabricação de suportes de tubulação. flanges e conexões. de um modo geral não foram padronizados ainda pela ANSI ou ASME.MSS Entidade ligada aos fabricantes de componentes industriais. estabelecendo padrões que. aplicada a válvulas. MSS SP-53 – Exame por partícula magnética. flanges e conexões conexões. aplicada válvulas. MSS SP 6 – Acabamento de faces de flanges. 17 .

No Brasil utilizam principalmente nos casos de utilizam-se válvulas. .BSI Entidade normativa nacional britânica. BS-1873 – Válvulas globo para indústria do petróleo. BS-1868 – Válvulas de retenção para uso na indústria do petróleo petróleo. tem sido gradativamente substituídas por aquelas normas. não cobertas pelo API. 18 BS-5351 – Válvulas esfera para indústria do petróleo. ASME ou ISO. Cancelada e substituída pela norma ISO 17292. Por isso mesmo.

a qual todos os seus componentes devem estar dimensionados para resistir. Qualquer exceção deve ser explicitada claramente nos documentos de projeto de modo a evitar possíveis erros numa futura modificação. Cada espec tem uma curva limite de pressão x temperatura. Exemplo: espec para tubulação de água. 19 . Esse documento é referente a um sistema de tubulação a ser utilizado para um dado serviço.ESPECIFICAÇÃO OU PADRONIZAÇÃO DE MATERIAIS DE TUBULAÇÕES (ESPEC) Documento onde são apresentados os principais componentes de um sistema de tubulação e as suas características.

juntas de vedação. parafusos ou estojos de flanges. espessuras de parede. montagem e testes. conexões. limites de uso. 20 . flanges.ESPECIFICAÇÃO OU PADRONIZAÇÃO DE MATERIAIS DE TUBULAÇÕES (ESPEC) Contém as características principais dos componentes das tubulações: válvulas. derivações. peculiaridades de fabricação.

21 ii ii ii ii .

22 .

23 .

24 .

25 .

VÁLVULAS 26 .

LIMITES DE TEMPERATURA Organização Determinam os limites da espec referentes ao componente mais fraco do sistema de tubulação. O limite de temperatura (máxima e mínima). coincidindo. 27 . portanto com o “rating” do mesmo. está associado ao flange. Em geral. componentes e ao fluído. está associado ao material básico.

pipingdesign pipingdesign. http://www. http://www. http://www.asme asme.cenorm cenorm.eng-tips.be/cenorm/index.com.com.iso iso.htm .com 28 http://www.com (Fórum de http://www.eng engenharia internacional).PÁGINAS DA INTERNET http://www.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->