P. 1
Curso - Sistema de Registro de Preço (SRP)

Curso - Sistema de Registro de Preço (SRP)

4.5

|Views: 6.267|Likes:
Curso de Formação de Pregoeiros. Módulo Sistema Registro de Preços. Instrutor: Leandro Bolzan de Rezende (lb_rezende@yahoo.com.br), multiplicador de pregoeiros pela ENAP/MPOG.
Curso de Formação de Pregoeiros. Módulo Sistema Registro de Preços. Instrutor: Leandro Bolzan de Rezende (lb_rezende@yahoo.com.br), multiplicador de pregoeiros pela ENAP/MPOG.

More info:

Categories:Types, Speeches
Published by: Leandro Bolzan de Rezende on Nov 08, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/18/2013

pdf

text

original

Sistema de Registro de Preços

Leandro Bolzan de Rezende 1º Ten Int Multiplicador Pregoeiros MPOG/ENAP MPOG/

CONSIDERAÇÕES INICIAIS
Conceito conjunto de procedimentos para registro formal de preços relativos à prestação de serviços e aquisição de bens, para contratações futuras. futuras. (inc I, art. 1º Decreto 3931/2001). art. 3931/2001) Abrangência Órgãos da administração federal direta, fundos especiais, autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União. (art. 1º União. (art. Decreto 3931/2001) 3931/2001)
2

CONSIDERAÇÕES INICIAIS
Como funciona? O órgão gerenciador faz uma licitação do tipo pregão ou concorrência para registro de preços, onde coloca suas necessidades e de eventuais órgãos participantes, e a partir deste momento cria uma ata de registro de preços. preços. Órgão gerenciador Órgão participante Ata de Registro de Preços
3

CONSIDERAÇÕES INICIAIS
O que é ata de registro de preços? Documento vinculativo, obrigacional, com característica de compromisso para futura contratação, onde se registram os preços, fornecedores, órgãos participantes e condições a serem praticadas, conforme as disposições contidas no instrumento convocatório e propostas apresentadas. apresentadas. (Inc II, art. 1º Decreto 3931/2001) art. 3931/2001)

4

CONSIDERAÇÕES INICIAIS
O que é órgão gerenciador? Órgão ou entidade da Administração Pública responsável pela condução do conjunto de procedimentos do certame para registro de preços e gerenciamento da Ata de Registro de Preços dele decorrentes; decorrentes; (Inc III, art. 1º Decreto 3931/2001) art. 3931/2001)

5

CONSIDERAÇÕES INICIAIS
O que é órgão participante? Órgão ou entidade que participa dos procedimentos iniciais do SRP e integra a Ata de Registro de Preços. (Inc IV, art. 1º Decreto Preços. art. 3931/2001) 3931/2001)

6

APLICAÇÃO
Quando será adotado o SRP? Art. Art. 2º. Será adotado, preferencialmente, o SRP nas seguintes hipóteses: hipóteses: I quando, pelas características do bem ou serviço, houver necessidade de contratação freqüentes; freqüentes; II quando for mais conveniente a aquisição de bens com previsão de entregas parceladas ou contratação de serviços necessários à Administração para o desempenho de suas atribuições; atribuições;

7

APLICAÇÃO
III quando for conveniente a aquisição de bens ou contratação de serviços para atendimento a mais de um órgão ou entidade, ou programa de governo; e entidade, governo; IV quando pela natureza do objeto não for possível definir previamente o quantitativo a ser demandado pela Administração. Administração. Parágrafo único. Poderá ser realizado registro de único. preços para contratação de bens e serviços de informática, obedecida à legislação vigente, desde que devidamente justificada e caracterizada a vantagem econômica. (Decreto 3931/2001) econômica. 3931/2001)
8

APLICAÇÃO
8. Vê-se assim que o disposto no inciso IV do art. 2º do Vêart. Decreto 3.931/2001, que prevê a possibilidade de se adotar o 931/2001, sistema de registro de preços quando não for possível definir previamente o quantitativo a ser demandado pela Administração, não pode ser entendido como uma autorização para que a Administração não defina, ainda que de forma estimativa, as quantidades que poderão vir a ser adquiridas durante a validade da ata de registro de preços. preços. Não é razoável acreditar que o Decreto, com tal dispositivo, tenha objetivado autorizar a Administração a não selecionar a proposta mais vantajosa para aquisição dos bens e/ou serviços e a descumprir princípios constitucionais. (ACÓRDÃO constitucionais. 1100/ 1100/2007 PLENÁRIO)
9

APLICAÇÃO
a) realize levantamento das necessidades mensais de consumo de materiais de expediente e de informática da Unidade Central e de suas subunidades; subunidades; b) adote o processo licitatório na modalidade "pregão" para aquisição de forma centralizada de materiais de expediente e de informática da Unidade Central e das subunidades, considerando o levantamento mencionado no subitem anterior; anterior; (ACÓRDÃO 2732/2008 - PLENÁRIO) 2732/
10

A LICITAÇÃO
Que modalidade de licitação será utilizada? Poderão ser usadas as modalidades de concorrência e pregão. (art. 3º Decreto 3931/2001) pregão. (art. 3931/2001) Que tipo de licitação será realizada? Será realizada a licitação do tipo menor preço. preço. (art. (art. 3º Decreto 3931/2001) 3931/2001) Excepcionalmente poderá ser adotado, na modalidade de concorrência, o tipo técnica e preço, preço, a critério do órgão gerenciador e mediante despacho devidamente fundamentado da autoridade máxima do órgão ou entidade. (§1º art. 3º Decreto entidade. art. 3931/2001) 3931/2001)
11

ÓRGÃO GERENCIADOR
O que cabe ao órgão gerenciador? §2º Caberá ao órgão gerenciador a prática de todos os atos de controle e administração do SRP, e SRP, ainda o seguinte: (art. 3º Decreto 3931/2001) seguinte: (art. 3931/2001) I convidar os órgãos e entidades para participarem do SRP; SRP; II consolidar as informações relativas às estimativas; estimativas; III promover todos os atos necessários à instrução processual; processual; IV realizar a pesquisa de mercado; mercado; V confirmar o termo de referência (quantidade e objeto); objeto);
12

ÓRGÃO GERENCIADOR
VI realizar o procedimento licitatório, bem como a assinatura da ata e encaminhamento de cópia para demais órgãos participantes; participantes; VII gerenciar a ata de registro de preços; preços; VIII se for o caso, renegociar ou aplicar penalidades; penalidades; IX realizar reunião prévia com os licitantes, a fim de informar eventuais peculiaridades do processo, se for o caso; caso;
13

ÓRGÃO GERENCIADOR
Pode se concluir que o grande problema verificado na condução do Pregão Eletrônico [...] -Sistema de Registro de ...] Preços foi a não-elaboração de um orçamento adequado, nãoresultante de ampla pesquisa de mercado, para definir os preços máximos que a Funasa estaria disposta a pagar pelos produtos licitados. Frise-se que, se o Pregão não tivesse sido licitados. Friserevogado [...] além da Funasa outros órgãos/entidades ...] poderiam se utilizar da Ata de Registro de Preços para a aquisição dos produtos ali registrados. (ACÓRDÃO 2463/2008 registrados. 2463/ PLENÁRIO)

14

ÓRGÃO PARTICIPANTE
O que cabe ao órgão participante? Manifestar interesse de participar do registro de preços, providenciando o encaminhamento da estimativa de consumo. (§3º art. 3º Decreto consumo. art. 3931/2001) 3931/2001) Informar ao órgão gerenciador sobre eventuais diferenças entre o licitado e o que o fornecedor está entregando ou realizando. (Inc IV, §4º, art. 3º realizando. art. Decreto 3931/2001) 3931/2001)
15

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS
Qual o prazo de validade da ARP? art. art. 4º. O prazo de validade da Ata de Registro de Preço não poderá ser superior a um ano, computadas neste as eventuais prorrogações. prorrogações.

16

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS
9.2. responder ao interessado que, no caso de eventual prorrogação da ata de registro de preços, dentro do prazo de vigência não superior a um ano, não se restabelecem os quantitativos inicialmente fixados na licitação, licitação, sob pena de se infringirem os princípios que regem o procedimento licitatório, indicados no art. 3º da Lei nº 8.666/93; art. 666/93; 7. Na verdade, a prorrogação da ata de registro de preços com o restabelecimento dos quantitativos iniciais provoca a modificação do objeto da licitação e a conseqüente alteração das condições pactuadas, pactuadas, não sendo possível afirmar que a proposta vencedora permanece vantajosa para a Administração, uma vez que somente o contratado, e nenhum outro fornecedor do mercado, participa da negociação para alteração das quantidades previstas no edital. (ACÓRDÃO 991/2009 edital. 991/ PLENÁRIO)

17

A LICITAÇÃO
Pode ser feito RP por lote? SIM. SIM. Quando for comprovado a viabilidade técnica e economicamente será admitido a subdivisão em lotes. Deve-se evitar a contratação, lotes. Devenum mesmo órgão, de mais de uma empresa para execução de um serviço. (§único e caput art. 5º serviço. art. Decreto 3931/2001) 3931/2001)

18

EXECUÇÃO DO CONTRATO
E se o licitante não tiver a quantidade? Art. Art. 6º Ao preço do primeiro colocado poderão ser registrados tantos fornecedores quantos necessários para que, em função das propostas apresentadas, seja atingida a quantidade total estimada para o item ou lote, observando-se o observandoseguinte: seguinte: ... (Decreto 3931/2001) 3931/2001) Quando o produto ou serviço do segundo colocado for comprovadamente melhor que do primeiro, é permitida o registro de preços diferentes. diferentes. (§único, art. 6º Decreto 3931/2001) art. 3931/2001)
19

EXECUÇÃO DO CONTRATO
Feito o registro, é obrigatória a aquisição? Art. Art. 7º A existência de preço registrados não obriga a Administração a firmar contratações que deles poderão advir... (Decreto 3931/2001) advir... 3931/2001) Cabe ressaltar que não convêm aos órgãos participantes e gerenciador licitarem uma quantidade excessiva, em virtude da não obrigatoriedade de contratação. contratação.
20

CARONA
Quem não entrou como órgão participante pode utilizar a ata de registro de preços? SIM. SIM. Qualquer órgão da Administração, mediante consulta prévia, poderá utilizar a ata de registro de preços. (art. 8º Decreto 3931/2001) preços. (art. 3931/2001) Os interessados deverão manifestar a intenção de utilizar a ata com o órgão gerenciador. (§1º, art. gerenciador. art. 8º Decreto 3931/2001) 3931/2001) Cabe ao órgão gerenciador consultar o licitante para verificar o interesse do mesmo em fornecer. fornecer. (§2º, art. 8º Decreto 3931/2001) art. 3931/2001)
21

CARONA
9.2. determinar ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão que: que: 9.2.2. adote providências com vistas à reavaliação das regras atualmente estabelecidas para o registro de preços no Decreto n.º 3.931/2001, de forma a estabelecer limites para a 931/2001, adesão a registros de preços realizados por outros órgãos e entidades, visando preservar os princípios da competição, da igualdade de condições entre os licitantes e da busca da maior vantagem para a Administração Pública, tendo em vista Pública, que as regras atuais permitem a indesejável situação de adesão ilimitada a atas em vigor, desvirtuando as finalidades buscadas por essa sistemática, tal como a hipótese mencionada no Relatório e Voto que fundamentam este 22 Acórdão; Acórdão; (ACÓRDÃO 1487/2007 PLENÁRIO) 1487/

CARONA
9.2. determinar ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão que: que: 9.2.1. oriente os órgãos e entidades da Administração Federal para que, quando forem detectadas falhas na licitação para registro de preços que possam comprometer a regular execução dos contratos advindos, abstenhamabstenham-se de autorizar adesões à respectiva ata; ata; 35. 35. Diante do exposto e, também, em homenagem ao princípio da busca pela proposta mais vantajosa para a Administração, entende-se entendepertinente determinar à Funasa que não utilize os preços registrados por meio do Pregão [...] para a aquisição de servidores de rede, sem que fique ...] cabalmente demonstrado que esta é a opção mais econômica para a Administração. Administração. (ACÓRDÃO 2404/2009 SEGUNDA CÂMARA) 2404/

23

CARONA
1.1. Determinar à Caixa de Financiamento Imobiliário da Aeronáutica (CFIAe) que: [...] CFIAe) que: ...] 1.1.3 faça constar nas contratações realizadas mediante adesão a ata de registro de preços, que nos respectivos processos licitatórios realizados preços, pela unidade: unidade: a) que a contratação a ser procedida seja acompanhada de justificativa que atenda ao interesse da administração, sobretudo quanto aos valores praticados, praticados, conforme preceitua o art. 3º, § 4º, inciso II, do Decreto n.º art. 3.931/2001 (Acórdão n.º 555/2007 - TCU 1ª Câmara, subitem 2.3.2); 931/ 555/ b) justificativa contendo o diagnóstico da necessidade da aquisição; aquisição; c) ampla pesquisa de mercado, em equipamento equivalente ou similar, mercado, de forma a atender o disposto no § 1º do art. 15 da Lei n.º 8.666/1993; art. 666/1993; (ACÓRDÃO 1219/2008 SEGUNDA CÂMARA) 1219/
24

CARONA
Quanto o órgão extraordinário pode comprar? O órgão que utilizar a ata de registro de preço, sem estar inserido como órgão participante, não poderá exceder a 100% dos quantitativos registrados 100% na ata. ata. Ou seja, órgão extraordinário não poderá fazer 25% 25%.

25

CARONA
RefiroRefiro-me à regra inserta no art. 8º, § 3º, do Decreto nº 3.931, de 19 de art. 931, setembro de 2001, que permite a cada órgão que aderir à Ata, 2001, individualmente, contratar até 100% dos quantitativos ali registrados. No 100% registrados. caso em concreto sob exame, a 4ª Secex faz um exercício de raciocínio em que demonstra a possibilidade real de a empresa vencedora do citado Pregão 16/2005 ter firmado contratos com os 62 órgãos que aderiram à 16/ ata, na ordem de aproximadamente 2 bilhões de reais, sendo que, inicialmente, sagrou-se vencedora de um único certame licitatório para sagrouprestação de serviços no valor de R$ 32,0 milhões. Está claro que essa 32, milhões. situação é incompatível com a orientação constitucional que preconiza a competitividade e a observância da isonomia na realização das licitações públicas. públicas. (ACÓRDÃO 1487/2007 PLENÁRIO) 1487/

26

A LICITAÇÃO
O que deve constar no edital de RP? O artigo 9º do decreto 3931/2001 fala sobre as 3931/ obrigatoriedades do edital. edital. I especificação do objeto; objeto; II estimativo das quantidades; quantidades; III preço unitário máximo; máximo; IV a quantidade mínima a ser cotada; cotada; V locais, prazos de entrega, forma de pagamento, e, nos casos de serviços, toda a rotina para execução dos mesmos. mesmos.
27

A LICITAÇÃO
VI o prazo de validade do registro de preços; VII os órgão ou entidades participantes; VIII modelos de planilhas, minutas de contratos, no caso de prestação de serviços; serviços; IX as penalidades. penalidades. Quando o edital prever o fornecimento em locais diferentes, é facultada a exigência de apresentação de proposta diferenciada por região, de modo que aos preços sejam acrescidos os respectivos custos, variáveis por região. (§2º, art. 9º, Decreto região. art. 3931/2001) 3931/2001)
28

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS
A ARP precisa ser assinada? O art. 10 estipula que após a homologação, art. respeitada a ordem classificatória, o órgão gerenciador convocará os fornecedores para assinarem a ata de registro de preços, que, após cumpridos os requisitos de publicidade, terá efeito de compromisso de fornecimento nas condições estabelecidas. estabelecidas. evolução: evolução: certificação digital
29

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS
Faça constar dos Editais de Pregão com Registro de Preços orçamento estimativo nos Termos de Referência e preço máximo admitido, bem como publique o resultado do certame e convoque os licitantes vencedores à assinatura das Atas de Registro de Preços; Preços; (ACÓRDÃO 914/2008 PRIMEIRA CÂMARA) 914/

30

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS
A ata pode ser alterada? SIM. SIM. O preço pode ser reduzido ou aumentado em decorrência de mudanças dos preços praticados no mercado. mercado. Se o preço subir, o que fazer? Se, por mudanças do mercado, o preço inicialmente registrado fique muito abaixo do praticado, o fornecedor pode solicitar ao órgão gerenciador, com a devida justificativa, o aumento justificativa, do valor registrado. (§1º, art. 12 Decreto 3931/2001) registrado. art. 3931/2001)
31

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS
A revisão de preço registrado, prevista no art. 12, § 1º, do art. 12, Decreto 3.931/2001, decorrente da elevação anormal no 931/2001, custo de insumos, exige a apresentação de planilhas de composição do preço do produto, com todos os seus insumos, assim como dos critérios de apropriação dos custos indiretos, que comprovem o desequilíbrio da equação econômicoeconômicofinanceira da proposta. proposta. 9.1. julgar irregulares [...] as contas de [omissis], condenando...] omissis], condenandoos ao pagamento solidário das importâncias a seguir indicadas [...]; (ACÓRDÃO 2861/2009 PRIMEIRA CÂMARA) ...] 2861/

32

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS
Se o preço baixar, o que fazer? O órgão gerenciador deve convocar o fornecedor, visando a negociação para adequação ao preço praticado. (Inc I, §2º, art.12 Decreto praticado. art. 3931/2001) 3931/2001) E se o fornecedor não quiser negociar? Caso o fornecedor não quiser negociar, ele será liberado do compromisso assumido e os demais fornecedores serão convocados visando igual oportunidade de negociação. (Inc II e III, §2º, art. 12 negociação. art. Decreto 3931/2001) 3931/2001)
33

EXECUÇÃO DO CONTRATO
E se o fornecedor não tiver condições de cumprir o compromisso? Caso o fornecedor, por motivo de aumento comprovado de preço praticado pelo mercado, não puder cumprir o compromisso firmado pela ata de registro de preço, o mesmo será liberado do acordado, sem aplicação de penalidades, desde que seja comunicado antes do pedido de fornecimento. fornecimento. (Inc I, §3º, art. 12 Decreto 3931/2001) art. 3931/2001)
34

EXECUÇÃO DO CONTRATO
E quando ninguém puder fornecer o acordado? Não havendo êxito nas negociações, o órgão gerenciador deverá proceder à revogação da Ata de Registro de Preços, adotado as medidas cabíveis para obtenção da contratação mais vantajosa. (§4º, vantajosa. art. art. 12 Decreto 3931/2001) 3931/2001)

35

CANCELAMENTO DE REGISTRO
Quando o fornecedor terá seu registro cancelado? O art. 13 lista os motivos para cancelamento de art. registro de preços. preços. I descumprir as condições da ARP; ARP; II não retirar a NE, no prazo estipulado, sem justificativa; justificativa; III não reduzir o preço em caso de redução do praticado no mercado; mercado; IV por razões de interesse público. público.

36

CANCELAMENTO DE REGISTRO
Como se dá esse cancelamento? §1º O cancelamento de registro, nas hipóteses previstas, assegurados o contraditório e a ampla defesa, será formalizado por despacho da autoridade competente do órgão gerenciador. (art. 13 Decreto gerenciador. (art. 3931/2001) 3931/2001)

37

CANCELAMENTO DE REGISTRO
O fornecedor pode pedir o cancelamento? §2º O fornecedor poderá solicitar o cancelamento do seu registro de preço na ocorrência de fato superveniente que venha comprometer a perfeita execução contratual, decorrentes de caso fortuito ou de força maior devidamente comprovados. (art. comprovados. (art. 13 Decreto 3931/2001) 3931/2001)

38

RESUMO
Quais são as vantagens do Sistema de Registro de Preços? - não obrigatoriedade de compra - almoxarifado virtual - utilização de outros pregões - diminuição de processos - economia maior volume de compra - evitar fracionamento de despesas Intenção de Registro de Preços (IRP) (IRP)

39

RESUMO
Tal sistema permite a redução de estoques, devido à entrega parcelada, com economia de espaço, pessoal e recursos financeiros. Além do mais, teria também evitado, caso adotado, os problemas com o fracionamento irregular de licitações nas compras de cartuchos, pois permitiria ao Administrador livrar-se das dificuldades de planejamento de compras, em razão de demandas variáveis e/ou sazonais, especialmente em estrutura administrativa dotada de poucos recursos gerenciais como é o caso da DRT. Com a adoção do SRP, que utiliza concorrência ou pregão, o fracionamento deixaria de existir, pois é permitido licitar nessas modalidades tudo que se precisa consumir em um exercício. Tais vantagens são ampliadas com o uso da modalidade pregão, tornada obrigatória para a Administração Federal a partir da edição do Decreto 5.450/2005. (ACÓRDÃO 665/2008 PLENÁRIO)

40

RESUMO
Com o intuito de evitar o fracionamento de despesa, despesa, vedado pelo art. 23, § 2º, da Lei nº 8.666/1993, utilizarart. 23, 666/1993, utilizarse, na aquisição de bens, do sistema de registro de preços de que tratam o inciso II. e §§ 1º e 4º, do art. 15, II. art. 15, da citada Lei, regulamentado pelo Decreto nº 2.743 de 21. 1998. 21.8.1998. (DECISÃO 472/1999 - PLENÁRIO) 472/ Convém verificar a possibilidade de adotar o sistema de registro de preços, previsto no art. 15 da Lei nº art. 8.666/1993, a fim de agilizar e facilitar as compras de 666/1993, gêneros alimentícios da merenda escolar. (ACÓRDÃO escolar. 653/ 653/2003 - PRIMEIRA CÂMARA)
41

Sistema de Registro de Preços
Leandro Bolzan de Rezende 1º Ten Int Multiplicador Pregoeiros MPOG/ENAP MPOG/

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->