P. 1
Sofonias, as Torres Gêmeas e o Dia da Ira

Sofonias, as Torres Gêmeas e o Dia da Ira

|Views: 345|Likes:
Um breve comentário sobre o Livro de Sofonias
Um breve comentário sobre o Livro de Sofonias

More info:

Categories:Types, Research, History
Published by: João Batista Azevedo Jr on Jan 19, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/16/2014

pdf

text

original

SOFONIAS, AS TORRES GÊMEAS E O DIA DA IRA Há alguns dias encontrei dois conhecidos que falavam de maneira apreciativa sobre

a inerrância da Bíblia, o que me faz supor que ambos pertençam a uma das muitas denominações cristãs fundamentalistas, adeptas da interpretação literal das Escrituras Sagradas. Como exemplo desta inerrância, um deles citou o livro do profeta Sofonias, que teria previsto a destruição das Torres Gêmeas do World Trade Center em New York, que aconteceu em 11/09/2001. Esta afirmativa despertou minha curiosidade pois, mesmo sem conhecer profundamente a história do povo judeu, estava ciente de que a maioria dos profetas havia vivido entre 500 e 700 AC. Portanto, Sofonias teria previsto um evento que ocorreria uns 2500 anos depois! Se verdadeiro, seria algo realmente extraordinário. Todas as citações bíblicas contidas neste resumo foram retiradas de textos disponíveis no site “The Unbound Bible” (http://unbound.biola.edu/), a saber: (a) em português, da Almeida Atualizada 1 , e; (b) em latim, da Vulgata Clementina 2 . Israel na época de Sofonias: Para entender corretamente textos bíblicos é necessário levar em conta o contexto histórico em que foram escritos. Sofonias (em hebraico Zephanja, que significa “o Senhor esconde” ou “o Senhor protege”) fez suas profecias durante o reinado de Josias (640 – 609 AC), provavelmente antes de 622 AC. Durante os reinados de Manassés e Amom, antecessores de Josias, o reino de Judá foi um aliado submisso da Assíria. Como exemplo desta submissão, pode ser citado o fato de que as tropas de Manassés participaram de operações militares dos reis assírios Esarhaddon (reinou 680–669 AC) e Assurbanipal (reinou 668–627 AC). O reino de Judá beneficiou-se economicamente do aumento de comércio que resultou da unificação política de todo o Oriente Médio sob a influência assíria. Porém, a influência de outras culturas fez-se sentir também na religião, incluindo a própria corte. O processo de consolidação do monoteísmo judaico regrediu e outras divindades, além de JAVÉ, continuaram ou voltaram a ser cultuadas; o texto bíblico menciona, entre outras, Asherah 3, Baal 4, Astarote 5, Quemós 6 e Milcom. 7Os locais de culto a estes deuses estrangeiros, espalhados pelo território de Judá, eram denominados “lugares altos”. Até mesmo o santuário real passou a abrigar uma variedade de deuses estrangeiros; o sol, deidades astrais e Asherah eram ali cultuados, juntamente com JAVÉ.
Nota contida no site “The Unbound Bible” esclarece que: “Imported from the CrossWire Bible Society's "The Sword Project"Bible Modules.” 2 Nota contida no site “The Unbound Bible” esclarece que: “Imported from the text provided at VulSearch. The base text is that edited by Colunga and Turrado (Madrid, 1946). Typographical errors have been corrected, and spelling and puctuation have been modernized. It is believed that the text found in Colunga and Turrado was and is in the public domain, and that only the various introductions and other editorial material would ever have been under copyright, none of which are included in this text." 3 Deusa semítica, deusa mãe, consorte do deus supremo, também denominada Elath (“a Deusa”) ou Qudshu (“Santidade”); identificada variavelmente como consorte de El, Baal ou Yahweh. 4 Deus venerado por muitos povos antigos do Oriente Médio, especialmente entre os cananitas, que o consideravam o deus da fertilidade; também chamado Príncipe, Senhor da Terra, Senhor da Chuva e do Orvalho, Senhor dos Céus. 5 Deusa da guerra e do amor sexual, cultuada por muitos povos antigos do Oriente Médio , também denominada Astarte, Athtart, Ashtart; principal divindade de Tiro e Sidon, denominada Rainha dos Céus pelos cananitas. 6 Antiga divindade semítica, considerado pelos moabitas como o deus supremo. 7 Divindade nacional dos amonitas, talvez possa ser também identificado com Moloch, ao qual crianças eram sacrificadas pelo fogo.
1

1

Com a morte de Assurbanipal, o poder da Assíria declinou rapidamente. Josias iniciou então um vigoroso movimento de independência e restauração, cujo principal aspecto era religioso. Esta reforma principiou com o expurgo dos cultos estrangeiros em Jerusalem, e depois nas demais cidades e regiões. Durante a renovação do templo em Jerusalem foi encontrado um livro, até então inédito, cujo autor seria Moisés; de acordo com a maioria dos estudiosos, trata-se de uma edição do Deuteronômio. 8 Um dos mais zelosos promotores da reforma, e conselheiros do rei quanto a este assunto, foi Sofonias, cujos escritos constituem documentos importantes sobre o reinado de Josias. Josias perseguia a restauração da autoridade davídica sobre todo o domínio do antigo Reino Unido de Israel e Judá, e a retirada da Assíria facilitou suas ambições — até que ele se envolveu de modo fatal na disputa de outras potências pelo espólio do império assírio. A morte de Josias em 609 representou um golpe para seu programa de reforma religiosa, bem como para seus planos políticos. Embora o sincretismo religioso avalizado pela realeza, como nos tempos de Manassés, não tenha reaparecido, há evidência de que o culto a divindades estrangeiras voltou a ser praticado. Conteudo: O livro de Sofonias contem apenas três capítulos, e sua estrutura lógica está descrita nos parágrafos seguintes. 1:2-2:3 A ameaça do “dia do Senhor”, um dia da ira (“dies irae”) no qual o julgamento do Senhor descerá sobre Judá e Jerusalem, como castigo à degeneração da vida religiosa (1:4-7a); a punição se estenderá a todas as classes de pessoas (1:7b-13) e será uma terrível catástrofe (1:14-18); portanto o povo de Israel deve arrepender-se, fazer penitência e buscar o Senhor (2:1-3). 2:4-15 A irá do Senhor cairá não somente sobre Jerusalem, mas também sobre todos os povosfilisteus (4-7), moabitas e amonitas (8-11), etíopes (12), assírios e ninivitas (13-15). 3:1-8 O profeta menciona Jerusalem novamente e assegura que os aristocratas, administradores da lei, profetas e sacerdotes receberão o julgamento mais severo. 3:9-20 Profecia consoladora, uma visão do futuro Reino de Deus, no qual todas as nações do mundo, unidas em uma só fé, adorarão um único Deus e receberão as dádivas do Reino Messiânico.

8

Sobre o reinado de Josias, veja 2 Reis 22-23 e 2 Crônicas 34-35.

2

Livro de Sofonias Almeida Atualizada
1. A palavra do Senhor que veio a Sofonias, filho de Cuche, filho de Gedalias, filho de Amarias, filho de Ezequias, nos dias de Josias, filho de Amom, rei de Judá.
I

Vulgata Clementina
1. Verbum Domini quod factum est ad Sophoniam, filium Chusi, filii Godoliæ, filii Amariæ, filii Ezeciæ, in diebus Josiæ, filii Amon, regis Judæ. ira (“dies irae”) no qual o julgamento do Senhor 2. Congregans congregabo omnia a facie terræ, dicit Dominus : 3. congregans hominem et pecus, congregans volatilia cæli et pisces maris : et ruinæ impiorum erunt, et disperdam homines a facie terræ, dicit Dominus. 4. Et extendam manum meam super Judam et super omnes habitantes Jerusalem : et disperdam de loco hoc reliquias Baal, et nomina ædituorum cum sacerdotibus ; 5. et eos qui adorant super tecta militiam cæli, et adorant et jurant in Domino, et jurant in Melchom ; 6. et qui avertuntur de post tergum Domini, et qui non quæsierunt Dominum, nec investigaverunt eum. 7. Silete a facie Domini Dei, quia juxta est dies Domini :

1:2-2:3 A ameaça do “dia do Senhor”, um dia da descerá sobre Judá e Jerusalem 2. Hei de consumir por completo tudo sobre a face da terra, diz o Senhor. 3. Consumirei os homens e os animais; consumirei as aves do céu, e os peixes do mar, e os tropeços juntamente com os ímpios; e exterminarei os homens de sobre a face da terra, diz o Senhor. 4. E estenderei a minha mão contra Judá, e contra todos os habitantes de Jerusalém; e exterminarei deste lugar o resto de Baal, e os nomes dos sacerdotes de ídolos, juntamente com os sacerdotes; 5. e os que sobre os telhados adoram o exército do céu, e aqueles adoradores que juram ao Senhor, e juram por Milcom; 6. e os que deixam de seguir ao Senhor, e os que não buscam ao Senhor, nem perguntam por ele. 7. Cala-te diante do Senhor Deus, porque o dia do Senhor está perto;

1:4-7a – O julgamnto do Senhor será devido à degeneração da vida religiosa

3

pois o Senhor tem preparado um sacrifício, e tem santificado os seus convidados. 8. E no dia do sacrifício do Senhor castigarei os oficiais, e os filhos do rei, e todos os que se vestem de trajes estrangeiros. 9. Castigarei também naquele dia todos aqueles que saltam sobre o umbral, que enchem de violência e de dolo a casa do seu senhor. 10. E naquele dia, diz o Senhor, far-se-á ouvur uma voz de clamor desde a porta dos peixes, e um uivo desde a segunda parte, e grande estrépito desde os outeiros. 11. Uivai vós, moradores de Mactes, porque todo o povo de Canaã está arruinado; todos os que pesam a prata são destruídos. 12. E há de ser que, naquele tempo, esquadrinharei a Jerusalém com lanternas, e castigarei os homens que se embrutecem com as fezes do vinho, que dizem no seu coração: O Senhor não faz o bem nem faz o mal. 13. Por isso as riquezas deles se tornarão em despojo e as suas casas em desolação; e edificarão casas, mas não habitarão nelas; e plantarão vinhas, mas não lhes beberão o vinho. 14. O grande dia do Senhor está perto; sim, está perto, e se apressa muito; ei-la, amarga é a voz do dia do Senhor; clama ali o homem poderoso. 15. Aquele dia é dia de indignação, dia de tribulação e de angústia, dia de alvoroço e de assolação, dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de densas trevas, 16. dia de trombeta e de alarido contra as cidades fortificadas e contra as torres altas. 17. E angustiarei os homens, e eles andarão como cegos, porque pecaram contra o Senhor; e o seu sangue se derramará como pó, e a sua carne como esterco. 18. Nem a sua prata nem o seu ouro os poderá livrar no dia da indignação do Senhor; mas pelo fogo do seu zelo será devorada toda a terra; porque certamente fará de todos os moradores da terra uma destruição total e apressada.

1:7b-13 – O julgamnto do Senhor se extenderá a todas as classes de pessoas

quia præparavit Dominus hostiam ; sanctificavit vocatos suos. 8. Et erit : in die hostiæ Domini, visitabo super principes, et super filios regis, et super omnes qui induti sunt veste peregrina ; 9. et visitabo super omnem qui arroganter ingreditur super limen in die illa, qui complent domum Domini Dei sui iniquitate et dolo. 10. Et erit in die illa, dicit Dominus, vox clamoris a porta piscium, et ululatus a Secunda, et contritio magna a collibus. 11. Ululate, habitatores Pilæ : conticuit omnis populus Chanaan, disperierunt omnes involuti argento. 12. Et erit in tempore illo : scrutabor Jerusalem in lucernis, et visitabo super viros defixos in fæcibus suis, qui dicunt in cordibus suis : Non faciet bene Dominus, et non faciet male. 13. Et erit fortitudo eorum in direptionem, et domus eorum in desertum : et ædificabunt domos, et non habitabunt ; et plantabunt vineas, et non bibent vinum earum. 14. Juxta est dies Domini magnus : juxta est, et velox nimis. Vox diei Domini amara : tribulabitur ibi fortis. 15. Dies iræ dies illa, dies tribulationis et angustiæ, dies calamitatis et miseriæ, dies tenebrarum et caliginis, dies nebulæ et turbinis, 16. dies tubæ et clangoris super civitates munitas, et super angulos excelsos. 17. Et tribulabo homines, et ambulabunt ut cæci, quia Domino peccaverunt ; et effundetur sanguis eorum sicut humus, et corpora eorum sicut stercora. 18. Sed et argentum eorum et aurum eorum non poterit liberare eos in die iræ Domini : in igne zeli ejus devorabitur omnis terra, quia consummationem cum festinatione faciet cunctis habitantibus terram.

1:14-18 – O julgamnto do Senhor será acompanhado de uma catátrofe

4

II

2:12 Etíopes

1. Congregai-vos, sim, congregai-vos, ó 1. Convenite, congregamini, gens non amabilis, nação sem pudor; 2. antes que o decreto produza efeito, e o 2. priusquam pariat jussio quasi pulverem dia passe como a pragana; antes que venha transeuntem diem, antequam veniat super vos sobre vós o furor da ira do Senhor, sim, antes ira furoris Domini, antequam veniat super vos que venha sobre vós o dia da ira do Senhor. dies indignationis Domini. Quærite Dominum, omnes mansueti 3. Buscai ao Senhor, vós todos os mansos 3. da terra, que tendes posto por obra o seu juizo; terræ, qui judicium ejus estis operati ; quærite buscai a justiça, buscai a mansidão; porventura justum, quærite mansuetum, si quomodo abscondamini in die furoris Domini. sereis escondidos no dia da ira do Senhor. 2:4-15 A irá do Senhor cairá não somente sobre Jerusalem, mas também sobre todos os povos 4. Pois Gaza será desamparada, e 4. Quia Gaza destructa erit, et Ascalon in Asquelom assolada; Asdode ao meio-dia será desertum : Azotum in meridie ejicient, et Accaron eradicabitur. expelida, e Ecrom desarraigada. 5. Ai dos habitantes da borda do mar, da 5. Væ qui habitatis funiculum maris, gens nação dos quereteus! A palavra do Senhor é perditorum ! verbum Domini super vos, contra vós, ó Canaã, terra dos filisteus; e eu vos Chanaan, terra Philisthinorum ; et disperdam te, ita ut non sit inhabitator. destruirei, sem que fique sequer um habitante. Et erit funiculus maris requies 6. E a borda do mar será de pastagens, 6. com cabanas para os pastores, e currais para os pastorum, et caulæ pecorum ; rebanhos. 7. et erit funiculus ejus qui remanserit de 7. E será a costa para o restante da casa domo Juda : ibi pascentur, in domibus Ascalonis de Judá, para que eles se apascentem ali; de ad vesperam requiescent, quia visitabit eos tarde se deitarão nas casas de Asquelom; pois o Dominus Deus eorum, et avertet captivitatem Senhor seu Deus os visitará, e os fará tornar do eorum. seu cativeiro. 8. Eu ouvi o escárnio de Moabe, e os 8. Audivi opprobrium Moab, et ultrajes dos filhos de Amom, com que blasphemias filiorum Ammon, quæ escarneceram do meu povo, e se exprobraverunt populo meo, et magnificati sunt engrandeceram contra o seu termo. super terminos eorum. 9. Portanto diz o Senhor dos exércitos, o 9. Propterea vivo ego, dicit Dominus Deus de Israel: Tão certo como eu vivo, Moabe exercituum, Deus Israël, quia Moab ut Sodoma será como Sodoma, e os filhos de Amom como erit, et filii Ammon quasi Gomorrha : siccitas Gomorra, campo de urtigas e poços de sal, e spinarum, et acervi salis, et desertum usque in desolação perpétua; o restante do meu povo os æternum : reliquiæ populi mei diripient eos, et saqueará, e o restante da minha nação os residui gentis meæ possidebunt illos. possuira. 10. Hoc eis eveniet pro superbia sua, quia 10. Isso terão em recompensa da sua blasphemaverunt et magnificati sunt super soberba, porque usaram de escárnios, e se populum Domini exercituum. engrandeceram contra o povo do Senhor dos 11. Horribilis Dominus super eos, et exércitos. attenuabit omnes deos terræ : et adorabunt 11. O Senhor se mostrará terrível contra eum viri de loco suo, omnes insulæ gentium. eles; pois aniquilará todos os deuses da terra, e adorá-lo-ão, cada uma desde o seu lugar, todas as ilhas das nações. 12. Também vós, ó etíopes, sereis mortos 12. Sed et vos, Æthiopes, interfecti gladio pela minha espada. meo eritis.

2:8-11 - Moabitas e amonitas

2:4-7 - Filisteus

2:1-3 – O povo de Israel deve arrepender-se, fazer penitência e buscar o Senhor

5

III

IV

13. Ainda ele estenderá a mão contra o 13. Et extendet manum suam super Norte, e destruirá a Assíria; e fará de Nínive uma aquilonem, et perdet Assur, et ponet speciosam in solitudinem, et in invium, et quasi desertum. desolação, terra árida como o deserto. Et accubabunt in medio ejus greges, 14. E no meio dela se deitarão manadas, 14. todas as feras do campo; e alojar-se-ão nos omnes bestiæ gentium ; et onocrotalus et ericius capitéis dela tanto o pelicano como o ouriço; a in liminibus ejus morabuntur : vox cantantis in voz das aves se ouvirá nas janelas; e haverá fenestra, corvus in superliminari, quoniam desolação nos limiares; pois ele tem posto a attenuabo robur ejus. descoberto a obra de cedro. 15. Hæc est civitas gloriosa habitans in 15. Esta é a cidade alegre, que vivia em confidentia, quæ dicebat in corde suo : Ego sum, segurança, que dizia no seu coração: Eu sou, e et extra me non est alia amplius : quomodo fora de mim não há outra. Como se tem ela facta est in desertum cubile bestiæ ? omnis qui tornado em desolação, em covil de feras! Todo o transit per eam sibilabit, et movebit manum suam. que passar por ela assobiará, e meneará a mão 3:1-8 O profeta menciona Jerusalem novamente e assegura que os aristocratas, administradores da lei, profetas e sacerdotes receberão o julgamento mais severo. 1. Ai da rebelde e contaminada, da cidade 1. Væ provocatrix, et redempta civitas, opressora! columba ! 2. Não escuta a voz, não aceita a 2. non audivit vocem, et non suscepit correção, não confia no Senhor, nem se disciplinam ; in Domino non est confisa, ad aproxima do seu Deus. Deum suum non appropinquavit. 3. Os seus oficiais são leões rugidores no 3. Principes ejus in medio ejus quasi meio dela; os seus juízes são lobos da tarde, que leones rugientes ; judices ejus lupi vespere, non nada deixam para o dia seguinte. relinquebant in mane. 4. Os seus profetas são levianos, homens 4. Prophetæ ejus vesani, viri infideles ; aleivosos; os seus sacerdotes profanam o sacerdotes ejus polluerunt sanctum, injuste santuário, e fazem violência à lei. egerunt contra legem. 5. O Senhor é justo no meio dela; ele não 5. Dominus justus in medio ejus non faciet comete iniqüidade; cada manhã traz o seu juízo iniquitatem ; mane, mane judicium suum dabit à luz; nunca falta; o injusto, porém, não conhece in lucem, et non abscondetur ; nescivit autem a vergonha. iniquus confusionem. 6. Exterminei as nações, as suas torres 6. Disperdidi gentes, et dissipati sunt estão assoladas; fiz desertas as suas praças a anguli earum ; desertas feci vias eorum, dum ponto de não ficar quem passe por elas; as suas non est qui transeat ; desolatæ sunt civitates cidades foram destruídas, até não ficar eorum, non remanente viro, neque ullo ninguém, até não haver quem as habite. habitatore. 7. Eu dizia: Certamente me temerás e 7. Dixi : Attamen timebis me, suscipies aceitarás a correção; e assim a sua morada não disciplinam ; et non peribit habitaculum ejus, seria destruída, conforme tudo o que eu havia propter omnia in quibus visitavi eam : determinado a respeito dela. Mas eles se verumtamen diluculo surgentes corruperunt levantaram de madrugada, e corromperam omnes cogitationes suas. todas as suas obras. 8. Quapropter exspecta me, dicit 8. Portanto esperai-me a mim, diz o Dominus, in die resurrectionis meæ in futurum : Senhor, no dia em que eu me levantar para o quia judicium meum ut congregem gentes, et despojo; porque o meu intento é ajuntar nações colligam regna, et effundam super eos e congregar reinos, para sobre eles derramar a indignationem meam, omnem iram furoris mei : minha indignação, e todo o ardor da minha ira; in igne enim zeli mei devorabitur omnis terra. pois esta terra toda será consumida pelo fogo do meu zelo. 3:9-20 Profecia consoladora, uma visão do futuro Reino de Deus, no qual todas as nações do mundo, unidas em uma só fé, adorarão um único Deus e receberão as dádivas do Reino Messiânico.

3:1-8 – Nova menção à Jerusalem

2:13-15 - Assírios e ninivitas

6

9. Pois então darei lábios puros aos povos, para que todos invoquem o nome do Senhor, e o sirvam com o mesmo espírito. 10. Dalém dos rios da Etiópia os meus adoradores, a saber, a filha dos meus dispersos, trarão a minha oferta. 11. Naquele dia não te envergonharás de nenhuma das tuas obras, com que te rebelaste contra mim; porque então tirarei do meio de ti, os que exultam arrogantemente, e tu nunca mais te ensoberbeceras no meu santo monte. 12. Mas deixarei no meio de ti um povo humilde e pobre; e eles confiarão no nome do Senhor. 13. O remanescente de Israel não cometerá iniqüidade, nem proferirá mentira, e na sua boca não se achará língua enganosa; pois serão apascentados, e se deitarão, e não haverá quem os espante. 14. Canta alegremente, ó filha de Sião; rejubila, ó Israel; regozija-te, e exulta de todo o coração, ó filha de Jerusalém. 15. O Senhor afastou os juízos que havia contra ti, lançou fora o teu inimigo; o Rei de Israel, o Senhor, está no meio de ti; não temerás daqui em diante mal algum. 16. Naquele dia se dirá a Jerusalém: Não temas, ó Sião; não se enfraqueçam as tuas mãos. 17. O Senhor teu Deus está no meio de ti, poderoso para te salvar; ele se deleitará em ti com alegria; renovar-te-á no seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo. 18. Os que em tristeza suspiram pela assembléia solene, os quais te pertenciam, eu os congregarei; esses para os quais era um opróbrio o peso que estava sobre ela. 19. Eis que naquele tempo procederei contra todos os que te afligem; e salvarei a que coxeia, e recolherei a que foi expulsa; e deles farei um louvor e um nome em toda a terra em que têm sido envergonhados. 20. Naquele tempo vos trarei, naquele tempo vos recolherei; porque farei de vós um nome e um louvor entre todos os povos da terra, quando eu tornar o vosso cativeiro diante dos vossos olhos, diz o Senhor.

9. Quia tunc reddam populis labium electum, ut invocent omnes in nomine Domini, et serviant ei humero uno. 10. Ultra flumina Æthiopiæ, inde supplices mei ; filii dispersorum meorum deferent munus mihi. 11. In die illa non confunderis super cunctis adinventionibus tuis, quibus prævaricata es in me, quia tunc auferam de medio tui magniloquos superbiæ tuæ, et non adjicies exaltari amplius in monte sancto meo. 12. Et derelinquam in medio tui populum pauperem et egenum : et sperabunt in nomine Domini. 13. Reliquiæ Israël non facient iniquitatem, nec loquentur mendacium, et non invenietur in ore eorum lingua dolosa, quoniam ipsi pascentur, et accubabunt, et non erit qui exterreat. 14. Lauda, filia Sion ; jubila, Israël : lætare, et exsulta in omni corde, filia Jerusalem. 15. Abstulit Dominus judicium tuum ; avertit inimicos tuos. Rex Israël Dominus in medio tui : non timebis malum ultra. 16. In die illa dicetur Jerusalem : Noli timere ; Sion : Non dissolvantur manus tuæ. 17. Dominus Deus tuus in medio tui fortis, ipse salvabit : gaudebit super te in lætitia, silebit in dilectione sua, exsultabit super te in laude. 18. Nugas, qui a lege recesserant, congregabo, quia ex te erant : ut non ultra habeas super eis opprobrium. 19. Ecce ego interficiam omnes qui afflixerunt te in tempore illo : et salvabo claudicantem, et eam quæ ejecta fuerat congregabo : et ponam eos in laudem, et in nomen, in omni terra confusionis eorum, 20. in tempore illo quo adducam vos, et in tempore quo congregabo vos. Dabo enim vos in nomen, et in laudem omnibus populis terræ, cum convertero captivitatem vestram coram oculis vestris, dicit Dominus.

A profecia de Sofonias não se diferencia muito de outras, tais como Amós ou Habacuque, e o argumento é aquele comum a todas as exortações proféticas: ameaças de um julgamento iminente, exortação ao arrependimento, promessa de salvação messiânica.
7

3:9-20 – Profecia consoladora, visão messiânica

Torres (embora não especificamente queda ou destruição de duas torres) são mencionadas em 1:15-16 e em 3:6, evidentemente no contexto de ameaça do julgamento divino caso não fossem corrigidos os desvios na prática da religião. É óbvio que forçar a aplicação destes versículos à destruição das torres do World Trade Center é algo que contraria o senso comum e despreza a história e a mensagem do texto bíblico. É certo que Sofonias não predisse o atentado de 11/09/2001, mas é historicamente verdadeiro que seus escritos inspiraram um belíssimo hino religioso. Trata-se do “Dies irae”, que se acredita ter sido escrito por um monge franciscano no século XIII; em geral atribui-se a autoria a Tomas de Celano, companheiro de ordens, amigo e biógrafo de São Francisco de Assis. Na tradição cristã “Dies Irae” é o dia do Juízo Final, em que Deus irá separar os eleitos e os condenados, chamando os primeiros para sua glória e lançando os demais ao fogo eterno. No hino, que era usado nas missas de requiem, uma alma suplica a misericórdia de Deus neste dia. Os versos, em latim medieval, são mostrados abaixo, juntamente com a tradução para o português. Para ouvir “Dies Irae” executado como canto gregoriano, clique aqui.

DIES IRAE – HINO MEDIEVAL CANTADO NAS MISSAS DE REQUIEM 1 Dies iræ! dies illa Solvet sæclum in favilla Teste David cum Sibylla! Quantus tremor est futurus, quando judex est venturus, cuncta stricte discussurus! Tuba mirum spargens sonum per sepulchra regionum, coget omnes ante thronum. Mors stupebit et natura, cum resurget creatura, judicanti responsura. Liber scriptus proferetur, in quo totum continetur, unde mundus judicetur. Judex ergo cum sedebit, quidquid latet apparebit: nil inultum remanebit. Quid sum miser tunc dicturus? Quem patronum rogaturus, cum vix justus sit securus? Rex tremendæ majestatis, qui salvandos salvas gratis, salva me, fons pietatis. Recordare, Jesu pie, quod sum causa tuæ viæ: ne me perdas illa die. Dia da Ira, aquele dia Em que os séculos se desfarão em cinzas, Testemunham David e Sibila! Quanto terror é futuro, quando o Juiz vier, para julgar a todos irrestritamente! A trompa esparge o poderoso som pela região dos sepulcros, convocando todos ante o Trono. A morte e a natureza se aterrorizam ao ressurgir a criatura para responder ao Juiz. o Livro escrito aparecerá em que tudo há em que o mundo será julgado. Quando o Juiz se assentar o oculto se revelará, nada haverá sem castigo ! Que direi eu, pobre miserável? A que Paráclito rogarei, quando só os justos estão seguros ? Rei, tremenda Majestade, que ao salvar, salva pela Graça, salva-me, fonte Piedosa. Recordai-vos, piedoso Jesus, de que sou a causa de Vossa Via; não me percais nesse dia. 8

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

Quærens me, sedisti lassus: Resgatando-me, sentistes lassidão, redemisti Crucem passus: me redimistes sofrendo a Cruz; tantus labor non sit cassus. Que tanto trabalho não tenha sido em vão. Juste judex ultionis, Juiz Justo da Vingança Divina, donum fac remissionis Dai-me a remissão dos meus pecados, ante diem rationis. antes do dia Final. Ingemisco, tamquam reus: Clamo, como condenado, culpa rubet vultus meus: a culpa enrubesce meu semblante supplicanti parce, Deus. suplico a Vós, ó Deus Qui Mariam absolvisti, Ao que perdoou a Madalena, et latronem exaudisti, e ouviu à súplica do ladrão, mihi quoque spem dedisti. Dai-me também esperança. Preces meæ non sunt dignæ: Minha oração é indigna, sed tu bonus fac benigne, mas, pela Vossa Bondade atuais, ne perenni cremer igne. Não me deixeis perecer cremado no Fogo Eterno. Inter oves locum præsta, Colocai-me com as ovelhas et ab hædis me sequestra, Separai-me dos cabritos, statuens in parte dextra. Ponde-me à Vossa direita; Confutatis maledictis, Condenai os malditos, flammis acribus addictis: lançai-os nas flamas famintas, voca me cum benedictis. Chamai-me aos benditos. Oro supplex et acclinis, Oro-Vos, rogo-Vos de joelhos, cor contritum quasi cinis: com o coração contrito em cinzas, gere curam mei finis. cuidai do meu fim. A maioria dos estudiosos acredita que as duas estrofes abaixo não fazem parte da composição original e foram acrescentadas para adequá-la ao uso litúrgico Lacrimosa dies illa, Lacrimoso aquele dia qua resurget ex favilla no qual, das cinzas, ressurgirá, judicandus homo reus. para ser julgado, o homem réu. Huic ergo parce, Deus: Perdoai-os, Senhor Deus Pie Jesu Domine, Piedoso Senhor Jesus, dona eis requiem. Amen. Dai-lhes descanso eterno, Amém! Referências: "Book of Zephaniah." Encyclopædia Britannica. Encyclopædia Britannica Online. Encyclopædia Britannica Inc., 2012. Web. 18 Jan. 2012. <http://www.britannica.com/EBchecked/topic/656582/Book-of-Zephaniah>. Faulhaber, M. (1912). Sophonias (Zephaniah). In The Catholic Encyclopedia. New York: Robert Appleton Company. Retrieved January 14, 2012 from New Advent: http://www.newadvent.org/cathen/14146a.htm Henry, H. (1908). Dies Iræ. In The Catholic Encyclopedia. New York: Robert Appleton Company. Retrieved January 14, 2012 from New Advent: http://www.newadvent.org/cathen/04787a.htm "Judaism." Encyclopædia Britannica. Encyclopædia Britannica Online. Encyclopædia Britannica Inc., 2012. Web. 18 Jan. 2012. <http://www.britannica.com/EBchecked/topic/307197/Judaism>.

9

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->