P. 1
Projeto Preventivo Violencia Domestica

Projeto Preventivo Violencia Domestica

|Views: 232|Likes:

More info:

Published by: Lucimara Siolari de Mico on Jan 19, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/02/2015

pdf

text

original

PROJETO

“CONTRUINDO REDES PROTETIVAS NO COMBATE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA”

DADOS DA ENTIDADE PROPONENTE Departamento Municipal de Saúde CNPJ: Rua Fone/Fax (CEP 86790-000 E-mail: Diretora Municipal de Saúde E-mail: Vigilância Epidemiológica Nome E-mail Coordenadora da Atenção Básica Nome E-mail Coordenadora de Saúde Mental Nome: Lucimara Siolari de Mico E-mail: psicodemico@yahoo.com.br 1 – INTRODUÇÃO Como uma das estratégias de produção de saúde, ou seja, como um modo de pensar e de operar articulado às demais políticas e tecnologias

Portanto falar sobre Violência domestica é um tema que vem sendo a cada dia mais abordado como uma questão de saúde. de fato. Essa perspectiva exige que a atenção à saúde tenha um caráter multiprofissional e interdisciplinar. Assim desenvolvida. espera-se que essa prática promova a humanização do atendimento às necessidades das vitimas de Violência Domestica. histerias de várias formas. na rede de serviços em saúde. o que interessa considerar aqui é a Violência Doméstica através do exercício da maldade. A violência domestica é capaz de prejudicar o bom desenvolvimento emocional de seus membros. 2006). sobrinhos e até o cachorro da casa. desta forma evidenciase que este tema demanda ampla atenção por parte da saúde e dos profissionais de saúde. a fim de que o sofrimento e adoecimento das vítimas de violência sejam encaminhados de forma resolutiva. garantindo a notificação da Violência Domestica pelos profissionais de saúde e responsabilizando-se pelas possíveis implicações legais e éticas a . mas. drogadicção. tortura e crueldade. incluindo os filhos. além de aproximar. Durante a formação técnico/acadêmica destes profissionais raramente são incluídos temas específicos sobre Violência Doméstica. o que envolve trabalhar interdisciplinar e intersetorialmente questões que envolvem as diversas dimensões da qualidade de vida (Brasil. e incidindo sobre as condições de vida dos sujeitos e coletividades. alcançando o espaço para além dos muros das unidades de saúde e do sistema de saúde. a equipe de saúde aos usuários vitimados. toda sorte de excessos capazes de perturbar o bom andamento das coisas familiares e dos membros que a compõem. netos. tendo como foco aumentar a participação dos indivíduos e populações na compreensão e modificação dos determinantes do processo saúde-doença. Entretanto muitos profissionais desta área se apresentam desconhecedores e inseguros para abordarem e trabalharem uma problemática tão complexa. a Promoção da Saúde contribui na construção de ações que possibilitam responder às necessidades sociais em saúde. vitimas de violências que reproduzem aprendizagens inadequadas. chantagens emocionais. no território onde vivem e trabalham.desenvolvidas no sistema de saúde. em uma relação de confiança. cônjuge. enfim. Essas formas de intervenção devem envolver ações e serviços que operem sobre os efeitos do adoecer. Normalmente essas situações dizem respeito ao alcoolismo.

a praticarem as habilidades e comportamentos preventivos e proativos. O Município de Lobato executa o Programa Saúde da Família com uma Equipe de saúde da Família. o que acarreta inúmeras dificuldades na área biopsicosocial. O município não possui muitas frentes de trabalho. 01 Fisioterapeuta. sendo que. o que de fato predispõe esses usuários a incorrerem na Violência Domestica. tendo sua arrecadação principal oriunda de recursos Federais e Estaduais. 01 Auxiliar de Enfermagem. situa-se cerca de 470 km da Capital Curitiba e 60 km de Maringá. 08 Agentes Comunitárias de Saúde. para terem condições de encaminhar as vitimas ao serviço de saúde onde o profissional capacitado irá realizar a notificação. prevalecendo à cana-de-açúcar e a agropecuária. o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0. no Estado do Paraná.300 habitantes. predominando a população de bóias-frias. e não violência embasada nos direitos constitucionais. . para o autocuidado e segurança pessoal e de medidas para a identificação de sinais e sintomas de violências. crianças e adolescentes através de oficinas educativas. encaminhamento e acompanhamento desses casos. viabilizando o resgate e o desenvolvimento de uma cultura de saúde integral. Região Sul do Brasil. Possibilitando através destas ações a consolidação de Redes Protetivas no combate a Violência Domestica. Possui uma população estimada de 4. 2 – JUSTIFICATIVA O município de Lobato está localizado na região Noroeste. 01 Enfermeira. em especial o uso de substancias psicoativas. O objetivo do projeto é instrumentalizar teoricamente o profissional de saúde sobre o Tema Violência Domestica e através de tecnologia leve oportunizar as mulheres. 01 Médico. 01 Psicólogo. paz.795. 20% da população se encontram em situação de pobreza. no espaço comunitário e escolar. 01 Psicólogo Coordenador de Saúde Mental. a qual é composta por 01 Coordenador. 01 Nutricionista e 01 Assistente Social.que estão sujeitos.

Portanto. no tocante a capacitação dos profissionais de saúde e das equipes técnicas o projeto pretende abranger uma microrregião do Noroeste do Paraná. Infância e Família. com a finalidade de contribuir para melhoria da qualidade de vida. Substancias Psicoativas e Vitimas de Violência Domestica e Sexual. gerando conflitos e agravos psicossociais. Colorado. O aumento da Violência Doméstica no mundo justifica a criação de novas políticas públicas que possam adequar os recursos sociais a essa demanda. Conselho Tutelar. estimando uma . e principalmente ao público vitimado pela Violência Domestica. Este projeto vem como uma proposta de atenção comprometida de fato com o desenvolvimento de novas formas de cuidado. Estes são acompanhados pelo Serviço de Saúde Mental e Serviço Social do Departamento de Saúde. Santa Inês e Nossa Senhora das Graças. Centro de Convivência do Idoso. Vale ressaltar que o Serviço de Saúde Mental iniciou em Outubro de 2010 um mapeamento e cadastramento de Usuários de Psicotrópico. Observamos em nossa região que grande parte da população vitima de Violência Domestica se encontra a margem da sociedade. Santo Inácio. Paranacity. Educação. Departamentos Municipais de Saúde. composta pelos municípios de Lobato. garantia de direitos e cidadania. Assistência Social/CRAS.O projeto terá a parceria dos técnicos da Prefeitura do Município de Lobato. Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente e Conselho Municipal dos Direitos do Idoso – CMDI. Itaguajé. A implantação deste projeto irá fortalecer e complementar as ações da ESF destinadas a comunidade local. levando ao desenvolvimento de Transtornos mentais graves com internamentos psiquiátricos recorrentes e um alto índice de tentativas de Suicídio. através da utilização de tecnologia leve. Estes municípios fazem divisas territoriais uns com os outros. muitas vezes segregados em suas residências por serem incompreendidos e/ou por não perceberem que possuem competências a serem compartilhadas. APMIF – Associação de Proteção a Maternidade. por temerem represálias e principalmente por não acreditarem na perspectiva de um novo modelo de vida. Conselho Municipal de Saúde – CMS. os quais em sua grande maioria se recusam a formalizarem a notificação.

possa contar com apoio respeitoso a ela como ser humano digno de direitos e deveres.487 (Cinqüenta e dois mil quatrocentos e oitenta e sete habitantes). . montar um sistema de vigilância a estes casos. com supervisão permanente.Sensibilizar e capacitar os gestores e trabalhadores de saúde em Violência Domestica e Sexual. buscando discutir e disponibilizar as experiências e dados levantados. apoio e amparo legal para os profissionais que atendem pessoas em situação de violência. . assistência social. expectativas e incertezas. incorporando-o ao sistema de vigilância a saúde existente na Unidade. . . 3 – OBJETIVO GERAL Promover formação e educação permanente na prevenção.Contribuir para a ampliação dos conhecimentos e das habilidades dos profissionais dos serviços de saúde. favorecendo o processo de construção de redes protetivas no combate a Violência Domestica. educação. cuidado e informação. segurança e justiça para a prestação e serviços adequados e de qualidade as mulheres em situação e violência sexual. anseios e temores.Fortalecer as ações em rede para promoção e proteção dos direitos sexuais e reprodutivos de adolescentes no município. .Criar um espaço onde a mulher possa compartilhar suas duvidas. OBJETIVOS ESPECIFICOS . crianças e adolescentes em situação de violência na cidade de Lobato e microrregião. .Levantar e documentar a estrutura e os recursos disponíveis para as mulheres.Ampliar os registros de violência domestica e sexual.população total de aproximadamente 52.

Fortalecer o protagonismo juvenil RESULTADOS ESPERADOS I – Capacitação das equipes para a identificação dos casos de violência a seu adequado encaminhamento. . justiça. definida quanto a conteúdo e periodicidade. formando redes de proteção. . Assistência Social. . Direitos Humanos e outros). II – Criação da rede primarias de vigilância as violências. V – Articulação e integração das diversas fontes de dados em parceria com a segurança. para divulgação e subsidio de planejamento e intervenção em saúde. Conselhos Tutelares. Justiça. Delegacias. Educação. IV – Implantação/implementação do Sistema de Informações de Violências – curto prazo. crianças e adolescentes nos serviços de saúde publica. analisar. e apresentação em relatórios. Assistência Social. articulada com as políticas de prevenção e atenção integral as vitimas. Direitos Humanos. visando compreender. VI – Aquisição de equipamentos pelo Departamento Municipal de Saúde. III – Analise dos dados relativos aos atendimentos realizados nos serviços. subsidiar e monitorar o planejamento e a execução das ações de enfrentamento da violência domestica e sexual contra mulheres.Realizar investigação cientifica. após levantamento de necessidades se houver..Articular e promover ações com outros setores (Segurança. entre outros.

227. III – Apoiar programas e projetos pré-escolares e escolares visando melhorar o desenvolvimento das crianças em situação de risco e vulnerabilidade as violências e acidentes. de 9 de setembro de 2011. atitudes humanizadas e para identificação. . articuladas e integradas com a atenção primarias e com assistência social. adotaremos como estratégia de ação norteadoras no desenvolvimento do projeto ações de promoção da saúde e proteção as pessoas em situação de violências e suas famílias. IV – Intervenção de apoio e suporte as famílias em risco e vulnerabilidades. I – Criação e/ou qualificação de programas e projetos de articulação da rede de atenção integral e proteção as pessoas em situação de violência e suas famílias. notificação e cuidado em relação as violências.VII – Implantação das fichas de notificação de acidentes e de notificação de violência domestica sexual e outras violências. VI – Comunicação social e na mídia. VIII – Manutenção e aperfeiçoamento das atividades de monitoramento da morbimortalidade por violências. V – Intervenções em ambientes e entornos escolares. 5º e 6º. IX – Monitoramento dos fatores de risco de violências. conhecimento da prevalência de fatores de risco em escolares. foram elencadas nos seus arts. II – Capacitação de gestores e profissionais de saúde para o desenvolvimento de habilidades técnicas. ESTRATEGIAS As categorias preconizadas na Portaria nº.

prevenção e combate a Violência Domestica. Secretários Municipais de Saúde. oportunizando a pratica de habilidades e comportamentos preventivos e proativos. Caso algum município de nossa microrregião não tenha interesse em . Cursos. Palestras. Oficinas e Dinâmicas Grupais. através do Departamento Municipal de Saúde tem seus serviços organizados da seguinte forma: 4 – METODOLOGIA As ações serão desenvolvidas através de Reuniões. Educação. prevenção e combate a Violência Domestica. Nossa proposta de ação visa à qualificação de Profissionais das Políticas Municipais de Saúde. Secretários Municipais de Educação.VII – Monitoramento e avaliação de programas e projetos de vigilância. utilizando-se de recursos da Pedagogia Problematizadora. possibilitando a construção de competências na compreensão. Secretários Municipais de Assistência Social. O município de Lobato. para o autocuidado e segurança pessoal e de medidas para a identificação de sinais e sintomas de violências. Concomitante a este processo será elaborado e desenvolvido um projeto em conjunto com as Secretarias municipais de Educação. os quais serão repassados aos alunos da rede escolar através de oficinas educativas. Iniciaremos o projeto realizando uma reunião central com representantes da Área Técnica Sobre Violência Domestica da 15ª Regional de Saúde de Maringá. os quais serão reprodutores do processo de compreensão. prevenção e apoio as vitimas de violências e acidentes. adolescente e mulheres ao serviço de saúde a fim de que seja realizada a notificação por profissional competente e de forma a ampliar essas informações a população em geral. para terem condições de encaminharas crianças. Assistência Social e Controle Social. Esta terá a finalidade de formalizarmos a adesão dos mesmos ao projeto a ser desenvolvido e firmarmos a responsabilidade de cada município no sentido de disponibilizar meios para que seus participantes possam alcançar o objetivo proposto. Conselhos Municipais de Saúde dos sete municípios que integram nossa Microrregião.

Fem. com carga horária de 60 (sessenta) horas divididas em 06 (seis) encontros presenciais e 06 (seis) encontros não presenciais para a elaboração de atividades pertinentes ao curso.000___ FONTE: IBGE – Censo Demográfico – Resultados da Amostra QUADRO 1 – População residente por faixa etária e sexo do Município de Lobato. Execução. Março e Abril será desenvolvida uma capacitação em Violência Domestica para implementar a aplicação das Oficinas Educativas. Para a aplicabilidade e efetivação das ações de combate a Violência Domestica disponibilizaremos aos profissionais envolvidos um Curso de Elaboração. onde serão disponibilizadas 06 (seis) vagas para cada município que compõe a microrregião de Lobato-Pr.participar do projeto sua vaga será ofertada para outro município próximo a Lobato. o qual será desenvolvido nos meses de Novembro. através de uma abordagem Sistêmica.000 RURAL 1. No mês de Fevereiro. Assistente Social. Enfermagem. a titulo de esclarecimento e embasamento teórico para os profissionais envolvidos na consolidação da rede protetiva de combate a Violência Domestica.000 TOTAL_ 3. Psicologia e Sociologia. Durante a execução do projeto serão desenvolvidas varias palestras com profissionais especialistas na área da Violência Domestica: Advocacia.2010 ____________________________________________ POPULAÇÃO Total URBANA 2. Dezembro e Janeiro. INFORMAÇÕES POPULACIONAIS Anexar Tabela com informações populacionais de acordo com o ultimo senso Exemplo: POPULAÇÃO CENSITARIA SEGUNDO A ZONA . 12 12 Total 24 . Avaliação e Monitoramento de Projetos e Oficinas Temáticas. Faixa Etária <1 Número de Pessoas Masc. 2011.

. disponibilizar serviços de notificações. crianças e adolescentes o diagnostico da situação do enfrentamento da problemática. 2011. .Analise da situação (conhecer o fenômeno da violência domestica contra mulheres. Anexar o Pacto AÇÕES E METAS .Atendimento (efetuar e garantir o atendimento especializado e em rede as mulheres. Número de casos notificados por Agravo Fonte SINAN QUADRO 3 – Pacto pela Saúde do Município de Lobato.>60 Total FONTE SIAB MUNICIPAL OU OUTRA RECOMENDADA PELO PROJETO QUADRO 2 – Diagnostico Epidemiológico de Doenças e Agravos do Município de Lobato. . . capacitar profissionais e implementar serviços). o monitoramento e a avaliação do plano e a divulgação de todos os dados e informações a sociedade civil). crianças e adolescentes em situação de violência).Mobilização e articulação (fortalecer as articulações microrregionais e locais de combate e pela eliminação da violência domestica: comprometer a sociedade civil).Defesa e responsabilização (atualizar a legislação. as condições e a garantia de financiamento do plano. combater a impunidade. 2010-2011.

crianças e adolescentes de violências.ATORES ENVOLVIDOS Os atores envolvidos no planejamento.Equipe Saúde da Família – ESF – Medico. Acompanhamento do atendimento prestado a vitima: mulheres. dentro de um fluxograma estabelecido no departamento de saúde para melhor qualidade do serviço prestado. . Boletins da Policia Civil e Conselho Tutelar.Protagonismo Juvenil (promover a participação ativa de crianças e de adolescentes na defesa de seus direitos e comprometê-los com o monitoramento da execução da Rede Protetiva de Combate a Violência Domestica). Enfermeira.Vigilância em Saúde – Enfermeira. SINAN e SAI.Prevenção (assegurar ações preventivas contra a violência. SIAB. não expondo o vitimado. . monitoramento e avaliação do projeto: . SIM..Serviço de Saúde Mental – Psicólogos. Médicos. Acompanhamento e monitoramento dos registros da rede de proteção municipal criada os registros de atendimentos da Atenção Primaria. . Técnicos em Enfermagem.Serviço de Assistência Social – Assistente Sociais . crianças e adolescentes sejam educados para o fortalecimento de sua autodefesa). Coletas de dados dos seguintes sistemas de informações municipais: SIH. Utilizaremos como forma de monitoramento e avaliação o aumento do numero de agravos notificados de violência domestica e sexual. possibilitando que mulheres. . . – MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO O Projeto “CONSTRUINDO REDES PROTETIVAS” NO COMBATE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA será avaliado continuamente pela Coordenação Geral do Projeto. execução. Auxiliar de Enfermagem e Agentes Comunitários de Saúde.

TOTAL CONTRAPARTIDA DO MUNICÍPIO: - - Despesas com transporte e hospedagens aos palestrantes.Serviço Administrativo – Assistente Administrativo 5 – PLANO DE APLICAÇÃO DISCRIMINAÇÃO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS QDADE CUSTO CUSTO TOTAL R$ Pessoa Jurídica (palestras. infra-estrutura e disponibilização da Equipe Técnica Local para organização e realização do evento. curso e capacitação) Material de Consumo Gêneros Alimentícios (almoços e lanches) Material Pedagógico Material Gráfico (certificado e folder).. 6 – CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Atividades Reunião de apresentação do Projeto e Termo de Adesão e Compromisso com os Secretários da Microrregião Reunião com Equipe Técnica da Microrregião responsável pelo Combate a Violência Domestica para definição dos temas das Palestras e organização da capacitação NOV X DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT X X X X . bem como outras despesas que se fizerem necessárias.

Execução. 20 de outubro de 2011.Curso Elaboração de Projetos Palestra Capacitação em Violência Domestica Oficina Educativa e Avaliação da Oficina – nível local Avaliação do Curso de Elaboração. REFERÊNCIAS . Avaliação e Monitoramento de Projetos. Capacitação em Violência Domestica Palestra Oficina Educativa e Avaliação da Oficina – nível local Oficina Educativa e Avaliação da Oficina – nível local Palestra Oficina Educativa e Avaliação da Oficina – nível local Confecção de cronograma para continuidade das ações da Rede Protetiva Avaliação Geral do Projeto c/ Equipe Técnica dos Municípios que compõem a Microrregião de Lobato Palestra Final X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X Lobato.

Internet.psiqweb.Ballone GJ. Ortolani IV . in.med.br/. revisto em 2005 . disponível em http://www.A Família e Transtornos Emocionais. PsiqWeb.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->