P. 1
Salão de Beleza

Salão de Beleza

|Views: 802|Likes:
Publicado porMarcia Garcia

More info:

Published by: Marcia Garcia on Jan 21, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/11/2013

pdf

text

original

Salão de Beleza, Cabeleireira e Barbearia

Salão de Beleza, Cabeleireira e Barbearia Consiste em: Vistoriar a estrutura físico-funcional quanto ao número de ambientes, dimensão, quantidade, instalações elétricas e hidráulicas, iluminação e ventilação, estado de conservação e higiene
Protocolo das Ações de Vigilância Sanitária 52

Salão de Beleza, Cabeleireira e Barbearia dos ambientes (sala de espera, sanitários, área de limpeza de instrumentais, área de esterilização, copa, sala para manicure/pedicure, sala para cabeleireiro, depilação, procedimentos de podologia, área de abrigo dos resíduos sólidos), outros sendo que, no caso de não existir algum ambiente citado, ou seja, no caso de haver ambiente único para vários procedimentos, fazer as devidas anotações; verificar a existência de acesso independente para transporte de materiais e resíduos, sistema de esgoto, sistema de abastecimento de água tratada, reservatório de água potável, armazenamento do lixo, tipo de revestimento das paredes, teto, piso e bancadas; conferir a quantidade de instrumentos e os procedimentos de desinfecção/descontaminação, lavagem e esterilização e o seu armazenamento, o estado de conservação e limpeza dos equipamentos e mobiliários, a existência de proteção descartável nas bacias de pés e mãos, procedimentos de lavagem das toalhas e seu acondicionamento, antes e após o uso; verificar a documentação (identificação, licenças, formação do proprietário e dos demais profissionais). Perfil profissional: Equipe composta por profissionais de nível médio ou superior, com capacitação em Ações Básicas de VISA e/ou capacitações específicas na área. Referência legal: Material necessário: Kit inspeção (vide páginas 4 e 5). EstabEstabelecimento de Ensino Primeiro, Segundo e Terceiro Grausimento de Ensino Primeiro, Segundo e Terceiro Graus Consiste em: Consiste na identificação do estabelecimento responsável legal, capacidade instalada, número de alunos matriculados, horário de funcionamento, localização e vias de acesso, documentação (Alvará Sanitário) e, em vistoriar a estrutura físico-funcional, de acordo com as atividades desenvolvidas. Verificar a estrutura física e operacional das diversas áreas, observando as dimensões, ventilação, iluminação, condições de higiene e conservação ambiental, dos equipamentos, mobiliários e utensílios e, especificamente: salas de aula: número, localização, tipo de piso (resistente e antiderrapante), teto e paredes, ruído; sanitários: para ambos os sexos e separados - para alunos e para funcionários/professores, com lavatórios, lixeiros, papel toalha e sabonete líquido; áreas de alimentação - depósito, cozinha, copa/refeitório/cantina: preparo dos alimentos de acordo com o Manual de Boas Práticas e uso de equipamento de proteção individual, tipo de piso (antiderrapante), teto e paredes, portas e janelas com proteção contra insetos e roedores, água quente para higienização das louças, talheres e utensílios,

o Cópia do contrato ou comprovante de coleta seletiva de resíduos infectantes. desinfecção e esterilização. Perfil profissional: Equipe composta por profissionais de nível médio ou superior. guia de pagamento da anuidade do conselho de classe. . vestiários com sanitários e chuveiros. escadas e elevadores. o Cópia da prova de habilitação. capacidade e procedimentos de limpeza. se for o caso. professores e funcionários. espaços culturais auditórios e anfiteatros: com climatização adequada e disponibilidade de saídas de emergência. com capacitação em Ações Básicas de VISA e/ou capacitações específicas na área. a facilidade de acesso a rampas. botijão de gás (em área externa). equipe profissional qualificada e registrada nos respectivos Conselhos de Classe. o sistema de abastecimento de água . o Relação das especialidades ou das atividades desenvolvidas pelo estabelecimento. quando for o caso. o Cópia do Alvará de Licença para Estabelecimento (concedido pela Secretaria Municipal de Fazenda). odontológico. áreas de atendimento à saúde existência de espaços conforme as atividades desenvolvidas (consultório médico. o Relação dos recursos complementares disponíveis. não necessitando de renovação anual. identidade do responsável técnico e seu vínculo com a empresa. sala de administração de medicamentos): com ambientes. terceirizada ou não. equipamentos e materiais adequados e suficientes. com o registro das medidas educativas e assistenciais adotadas e os encaminhamentos efetuados. o Cópia do Alvará de Licença para Estabelecimento (concedido pela Secretaria Municipal de Fazenda). lixeiros. o Cópia do Contrato Social atualizado. bebedouros. Observar os boletins de atendimento à saúde e os relatórios de avaliação e acompanhamento de morbidade nos últimos meses. através de bebedouros por alunos. * Quando houver cantina ou lanchonete. identificar o(s) estabelecimentos de referência utilizados. controle de qualidade (laudos das análises) e facilidade de acesso à ingestão. Caso não haja atendimento à saúde. o Informações relativas ao horário de funcionamento. nos casos de emergência. Referência Protocolo Orientações Técnico-Sanitárias para Salões de Cabeleireiros. pisos adequados. Institutos de Beleza e Esteticismo: o Formulário de requerimento padrão. Verificar ainda. Avaliar. preenchido e assinado pelo responsável técnico. quadras de esporte: alambrados de proteção. quando for o caso. mobiliários de fácil limpeza. o Roteiro de auto-inspeção e descrição dos métodos de limpeza. uso de equipamentos de proteção individual. Os documentos exigidos para o seu requerimento são: o Formulário de requerimento padrão. áreas de recreação pátios. cardápio variado e balanceado. o tipo de esgotamento sanitário (ligado à rede pública ou outro) e o acondicionamento e destino final dos resíduos sólidos e qualquer situação ou exposição a risco de acidente. quando for o caso. escoamento pluvial. esta deve obedecer às normas e padrões estabelecidos para a manipulação e comercialização de alimentos. reservatórios.dispositivos de retenção de gordura em suspensão (exaustão). Já o Termo de Assentimento Sanitário (para Pessoa Física) é pessoal e intransferível.origem.

o Armazene separadamente utensílios de trabalho. é necessário. peeling. prescrever e supervisionar esses procedimentos. o Organize seus kits em quantidade suficiente e proporcional à sua clientela. PASSO A PASSO PARA A HIGIENE DO ESTABELECIMENTO . o Instale lavatórios equipados com dispositivo de parede para sabonete líquido e papel toalha. o responsável técnico poderá ser um profissional da área de beleza. etc. o Descrição da especialidade ou da atividade profissional que será desenvolvida no local. o Mantenha uma pia exclusiva para limpeza de material de trabalho. escovas de cabelo. o Torne o ambiente claro e ventilado. Todos os produtos devem ser estocados em prateleiras. depilação definitiva a laser. armários ou sobre estrados.LIMPEZA. bacias. são procedimentos que devem ser executados somente por médicos. o Relação descritiva dos equipamentos e aparelhos existentes para os atendimentos que prestará no local. alimentos e produtos de limpeza. o Cópia de contrato ou comprovante de coleta seletiva de resíduos infectantes. o Utilize lixeiras com tampa acionada por pedal e revestida por saco plástico em todos os setores do estabelecimento. pedicure.o Prova de habilitação profissional do requerente. Também um tanque exclusivo para a limpeza do material de higienização. drenagem linfática. que responderá pelas atividades e serviços prestados ao público. manicure. desinfecção e esterilização preenchido e assinado pelo responsável técnico. aplicação de toxina botulínica. para que os funcionários lavem as mãos antes e após cada atendimento. como aplicação de produtos e métodos que possam causar repercussões sistêmicas no usuário (ex: intradermoterapia. cubas e outros.). Para obter mais detalhes. Para os demais serviços que não foram citados acima. o Aplique revestimento liso e impermeável em piso. DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO: . preenchimento de rugas com ácidos. como panos de chão. O Responsável Técnico é o profissional comprovadamente habilitado. paredes e teto. estimulação russa e podologia deverão ter como responsável técnico um médico regularizado junto ao CREMERJ para orientar. dermabrasão. De acordo com o Artigo 10 do Decreto 23915/04. como: alicates. As atividades em que se utilizem quaisquer práticas invasivas. os estabelecimentos que executam atividades de esteticismo facial e/ou corporal. quando for o caso. o Informações relativas ao horário de funcionamento. como por exemplo: cabeleireiro. o Roteiro de auto-inspeção e descrição dos métodos de limpeza. ORIENTAÇÕES GERAIS o Mantenha a higiene das instalações do estabelecimento. como limpeza de pele. cosméticos. maquiador e outros. espátulas. consulte os Artigos 12 e 21 da Resolução SMG 693/04.

durante 15 a 30 minutos. formando kits individuais por cliente. permanece mais tempo em contato com a superfície e elimina os germes. como sangue ou secreções. em estufa tipo Forno de Pasteur com termômetro acessório. O ideal é fazer uso de uma escova apropriada para retirar resíduos mais aderidos. vapor e alta pressão. incluindo vírus muito resistentes e bactérias em forma de esporos. vem a fase de enxágüe com água abundante e. Os instrumentais devem ser acondicionados em embalagens apropriadas. temos a certeza de que o instrumental está livre de qualquer contaminação. São recomendados os seguintes produtos: a) Álcool a 70% . Limpeza é a retirada das impurezas mais grosseiras. com o uso de água e sabão. Por meio da esterilização. Este processo pode ser feito através de calor seco ou calor úmido. b) Hipoclorito de sódio a 1% . associando temperatura de 121oC a 137ºC. A utilização de luvas de borracha grossa como proteção. O QUE DEVE SER ESTERILIZADO . enxaguar. Os instrumentais devem ser colocados em: caixas de aço inoxidável ou alumínio com tampas. piso. como o papel grau cirúrgico. a secagem do material em papel toalha. Logo em seguida. Calor Seco: Neste método de esterilização utiliza-se calor à temperatura de 170oC por uma hora ou à temperatura de 160ºC por duas horas. ou ainda detergente. cadeiras. Desinfecção é a eliminação das formas mais frágeis de microorganismos dos materiais e também do ambiente (bancadas. COMO REALIZAR Lavar o material com água e sabão. Esterilização É a eliminação de qualquer forma de microorganismo de um material. desde que seja cumprida a legislação seguindo a orientação do fabricante. macas. O álcool medicamento a 70% é indicado para anti-sepsia da pele. de acordo com as orientações do fabricante e da legislação em vigor. por fim.obtém-se diluindo 10 ml de cloro puro (com registro na ANVISA e rótulo indicando sua origem) em um litro de água limpa. Outros produtos podem ser utilizados.São etapas importantes para tornar o local de trabalho seguro e aliar beleza à saúde. É necessária a utilização de luvas de borracha durante a desinfecção. formando kits individuais por cliente. Calor Úmido: É o método no qual se utiliza a autoclave.concentração ideal. O álcool saneante a 70% é indicado para desinfecção de superfícies. embalar e encaminhar para autoclave ou estufa. secar. paredes e teto). e outros invólucros de acordo com a legislação sanitária.

y Lavar com água e sabão. sabão e hipoclorito de sódio a 1%. Bacias para manicure e pedicure: y Usar protetores plásticos e descartáveis.Alicates. esterilizadores e equipamentos com lâmpada ultravioleta NÃO ESTERILIZAM os instrumentais de metal. CUIDADOS COM O MATERIAL Escovas. pentes e pincéis: y Remover os pêlos e fios de cabelo após cada uso. portanto não podem ser reaproveitadas de um cliente para o outro. y Lavar o recipiente de imersão com água e sabão e hipoclorito de sódio a 1%. pinças de metal e outros instrumentais metálicos devem ser esterilizados. Toalhas: y São de uso individual. y Secar. y Guardar escovas. y Lavar com água. y Providenciar coleta especial para resíduos pérfuro-cortantes. passar. e enxaguar bem. . A esterilização é a única forma de prevenir a transmissão de doenças infecto-contagiosas por meio desses instrumentos. Os kits devem ser etiquetados com a data de esterilização e de validade e abertos somente na presença do cliente. tesouras. Fornos elétricos. y Após a utilização. afastadores. pentes e pincéis em recipientes limpos. Espátulas de madeira. y Devem ser lavadas com água e sabão. Lâminas e similares: y Material de uso individual. formando espuma abundante. devem ser desprezados em recipiente de paredes rígidas e com tampa. lixas para pés e unhas: y Material de uso individual e único. embalar em saco plástico e guardar em local limpo. devendo ser descartado após o uso. único e descartável. y Deixar por 30 minutos de molho em solução de hipoclorito de sódio a 1%. y Deixar por 30 minutos de molho em solução de hipoclorito de sódio a 1%.

tinturas. caso sejam de tecido. marca. Todos os cosméticos devem possuir nº de registro ou de autorização da ANVISA/Ministério da Saúde. Produtos cosméticos podem conter ácido fórmico como conservante em sua fórmula. porém não há vacina contra a do tipo C. Atualmente existe a vacina contra hepatite B. lote. desde que em baixas concentrações e devidamente licenciados pelo órgão competente (ANVISA/ Ministério da Saúde). A hepatite C pode levar até 30 anos para se manifestar e seu tratamento é demorado. É um vírus pouco resistente no ambiente. Pode causar câncer. podendo levar à insuficiência hepática e até mesmo à cirrose. conteúdo. . y Utilizar somente produtos dentro do prazo de validade. o risco de contaminação deve ser sempre considerado. e as normas de esterilização e descarte de materiais seguidas à risca. maquiagem e outros cosméticos: y Utilizar somente produtos com o rótulo de identificação do fabricante. O vírus da hepatite C pode sobreviver por até 72 horas no material contaminado e sua disseminação se dá por instrumentais contaminados. Esmaltes. xampus. prazo de validade. ceras. y Seguir instruções de uso do fabricante. y Após o uso. DOENÇAS QUE PODEM SER TRANSMITIDAS: AIDS: Causada pelo vírus HIV. Porém. y Manter os produtos em suas embalagens originais. A adição clandestina de formol em qualquer produto constitui transgressão às normas sanitárias em vigor e risco à saúde. composição do produto. Atinge o sistema de defesa do indivíduo abrindo caminho para que outras infecções (infecções oportunistas) se instalem pelo organismo. HEPATITES B e C: São duas doenças causadas por vírus que atacam o fígado. Também pode ser transmitida por instrumentais pérfuro-cortantes não esterilizados e contaminados com sangue ou por agulhas e seringas reutilizadas. finalidade e instruções de uso. contendo: nome do produto. devem ser descartados ou lavados. Requer muitas vezes transplante de fígado. por se tratar de uma doença incurável. y Realizar teste de contato com os produtos utilizados. y Perguntar ao cliente sobre a ocorrência de alergias. fabricante/importador. IMPORTANTE: A quantidade de cera que restar após cada aplicação deve ser descartada. Agulhas e seringas devem ser descartadas após o uso.Lençóis e protetores de cadeira e de macas y Material de uso individual por cliente.

A transmissão pode ocorrer ao se compartilhar materiais contaminados. Devido à sua localização. espátulas e outros instrumentais. de 13 de janeiro de 2004: Este Decreto dispõe sobre o Licenciamento Sanitário a que estão sujeitos os salões de cabeleireiros. Penetra na pele por meio de feridas e atinge o sistema nervoso. É transmitido por instrumentos pérfuro-cortantes. protetores de cadeira e de maca. Causa lesões e coceira na pele e pode ser transmitida pelo compartilhamento de toalhas. atingem principalmente pele e unhas. objetivando a proteção de sua saúde e a de seus clientes. é mais comumente transmitida pelo compartilhamento de escovas. lençóis e protetores de cadeira e de macas que não foram devidamente limpos ou descartados. podologia e estabelecimentos congêneres. pentes e pincéis. lixas de unha e de pés. Gera coceira mais intensa no pescoço e atrás das orelhas. É extremamente resistente no ambiente. como toalhas. IMPETIGO: Bactérias da própria pele causam esta doença. toalhas. entre outros instrumentos. protetores de maca e de cadeira. esteticismo. sobretudo em indivíduos com a saúde debilitada. lençóis. tais como alicates e tesouras contaminados. LEGISLAÇÃO BÁSICA APLICADA y Decreto 23915. institutos de beleza. Ocorrem lesões em forma de bolhas com pus que se rompem e se tornam feridas. MICOSES: Causadas por fungos. Cria normas e procedimentos específicos para a proteção da saúde dos usuários. Aqui o profissional encontrará as regras higiênico-sanitárias específicas para sua área de atuação. pode ocorrer em regiões do corpo com pêlos. é causada por um ácaro. lençóis e protetores de cadeiras e de macas que não foram devidamente higienizados ou substituídos. .TÉTANO: É causado por uma bactéria chamada Clostridium tetani. uma vez que se apresenta em forma de esporo (como se possuísse uma ³capa´ ao seu redor). Informe qual é a sua atividade e vacine-se gratuitamente contra a hepatite B e contra o Tétano. são transmitidas por meio de toalhas. lençóis. PEDICULOSE: Causada por piolho. Recomenda-se uso de luvas e cuidados higiênicos específicos para cada material. ESCABIOSE: Popularmente conhecida como sarna.

. os estabelecimentos de esteticismo e beleza que devem solicitar o licenciamento junto à Vigilância Sanitária Municipal.60. Ressaltamos que a licença concedida pela Vigilância Sanitária Municipal é obrigatória para o funcionamento destes estabelecimentos e realização destas atividades. Lei 3273/01 e NT-COMLURB 42. y RDC 306/04. Artigo 1o. pois certifica ao público que o estabelecimento cumpre as normas higiênico-sanitárias necessárias. no âmbito da Vigilância Sanitária Municipal. Esta Resolução regulamenta em seu inciso V. O Termo de Licenciamento deve permanecer em local visível. encontram-se especificados os tipos de licenciamento sanitário.01: Determinam critérios para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde (materiais pérfuro-cortantes).y Resolução SMG 693 de 17 de agosto de 2004: Dispõe sobre o licenciamento de estabelecimentos de interesse à saúde. No Artigo 2o.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->