Estudo Radiográfico da Articulação Coxofemoral.

Articulação Coxo Femoral.
É a articulação formada entre o osso ilíaco ou coxal através do acetábulo com a cabeça do fêmur. Também denominada de articulação do quadril por grande número de especialistas, é admiravelmente construída para combinar movimentos relativamente livres com sustentação e transmissão de peso.

Conhecimento Anatômico .

.

necessita para a sua localização de qualquer um dos diferentes métodos a seguir.Métodos para localização da articulação coxofemoral. por ser profunda e protegida por fortes cápsulas e envolvida por músculos poderosos. . A articulação coxofemoral.

‡ No meio da linha imaginária entre a crista ilíaca e a sínfise púbica. Três a 4 cm abaixo da bissetriz do ângulo mais inferior está a articulação. cruza-se uma cruzaperpendicular. cruzacruza-se uma transversal. Três centímetros abaixo desse cruzamento. formam-se quatro formamângulos.‡ No meio da linha imaginária entre a espinha ilíaca ânteroânterosuperior e a sínfise púbica. . ³sobre esta linha´. encontraencontra-se a articulação do quadril.

está a articulação. . em uma região coincidente com 3 cm acima do trocanter maior. encontraencontra-se a articulação coxofemoral. ‡Sentindo-se a pulsação da Sentindoartéria femoral. 2 a 3 cm para cima e 7 a 8 cm para dentro.‡ A partir da localização do trocanter maior em rotação interna da perna. Este método deve ser aplicado com estes números no adulto.

.

Radiografia do quadril com projeção ânteroânteroposterior. . Essa modalidade de projeção reproduz o acetábulo. o terço proximal da diáfise do fêmur. o trocanter maior e o ângulo de inclinação do colo do fêmur com relação à diáfise. a cabeça e o colo do fêmur.

.

.

posicione os braços ao lado do corpo ou sobre a parte superior do tórax ‡ Localize o Colo Femoral e alinhe-o em alinhe- Relação ao RC e à linha média da mesa e/ ou do filme. ‡ Assegure-se de que não há rotação da pelve. Assegure‡Faça rotação internar da perna afetada entre 15 a 20º.‡ Com o paciente em decúbito dorsal. .

5 a 5cm distal do meio do colo femoral. Prender a respiração durante a exposição. direcionado para 2. O colo femoral pode ser localizado cerca de 3 a 5 cm medial e de 8 a 10 cm distal da EIAS. coxofemural ‡DFoFi mínima de 100 cm ( 1 Metro) ‡ Colimação Colimar 4 lados na área de interesse. ‡ Raio central perpendicular. ‡ Respiração. . penetrando no nível da art.‡ RC perpendicular ao filme.

Corpo do ilio A B N H D Grande trocanter I J G F B.Art.Trocanter menor M J. .Fossa do acetábulo. Sacro Ilíaca G.Cabeça do fêmur D.A.Linha terminal H.Teto do acetábulo C.Lagrima radiografica L. N.Colo do fêmur E.Tuber isquiático.Fóvea da cabeça do fêmur I.Fêmur corpo F.Forame obturador E C L M.

. E A PERNA DO LADO COMPROMETIDO É RODADA MEDIALMENTE A 15º ATÉ 20º. COM AS PERNAS ESTENDIDAS. que deverão ser observados: 1. O PACIENTE É POSICIONADO EM DECÚBITO DORSAL. OU APENAS SUA PONTA É REPRODUZIDA.Aspectos importantes. ESSE GRAU DE ROTAÇÃO COMPENSA A ANTEVERSÃO NORMAL DO COLO DO FÊMUR E POSSIBILITA QUE ELE SEJA REPRODUZIDO NA ANTERIOR. NA POSIÇÃO NORMAL O TROCANTER MENOR É SOBREPOSTO.

2.NA RADIOGRAFIA. O ESPAÇO ARTICULAR DO QUADRIL DEVERÁ ESTAR BEM PRESERVADO: O ESTREITAMENTO DESSE ESPAÇO INDICA DEGENERAÇÃO DA CARTILAGEM. .

. ÁREAS SUBCONDRAIS ESCLERÓTICAS. ESPAÇOS ARTICULAR ESTREITADO E PRESENÇA DE OSTEÓFITOS NAS MARGENS ARTICULARES INDICAM DOENÇA ARTICULAR DEGENERATIVA.AS MARGENS ÓSSEAS DA CABEÇA DO FÊMUR E A FOSSA DO ACETÁBULO DEVERÃO SER VISTAS COMO LISAS E BEM DEFINIDAS.3.

COMO NECROSE AVASCULAR. A DESTRUIÇÃO DA CONGRUÊNCIA NORMAL DA ARTICULAÇÃO PODERÁ SER CAUSADA POR VÁRIAS PATOLOGIAS.A CONFIGURAÇÃO ESFEROIDAL DA ARTICULAÇÃO DO QUADRIL DEVERÁ SER APARENTE. ARTITE REUMATÓIDE. DOENÇA ARTICULAR DEGENERATIVA E TUMORES DESTRUTIVOS.4. .

O ADELGAÇAMENTO OU A AUSÊNCIA DESSA IMAGEM RADIODENSADA INDICA EXISTÊNCIA DE PROCESSO METABÓLICO ANORMAL. A MAIOR DENSIDADE DO CÓRTEX DA DIÁFISE DO FÊMUR É BASTANTE PRONUNCIADA.GERALMENTE. .5. COMO OSTEOPOROSE.

UMA APARENCIA ESMAECIDA OU DISMINERALIZADA PODE INDICAR ANORMALIDADE NO PROCESSO DO METABOLISMO. . NORMALMENTE SÃO CLARAS E BEM DELINEADAS.AS IMAGENS DAS TRABECULAS DA CABEÇA E DO COLO DO FÊMUR.6.

O ÂNGULO NORMAL DE INCLINAÇÃO DO COLO DO FÊMUR COM RELAÇÃO À DIAFISE VARIA DE 125 ATÉ 135 GRAUS. .7. ANGULOS INFERIORES CARATERIZAM DEFORMIDADE EM VARO. E ÂNGULO SUPERIORES CARACTERIZAM DEFORMIDADE EM VALGO. NO EXAME DE FRATURA DO COLODO DO FÊMUR.

A melhor evidência proporcionada pela extremidade proximal do fêmur.Alteração trabeculares. delgadas e delicadas. . Na osteoporose ocorre redução no número e na espessura ou densidade das trabéculas. nas radiografias são reproduzidas como esparsas. onde a arquitetura trabecular é facilmente distinguida.

.

.

próxima ao joelho se possível. como demonstrado. 4. posicione a área afetada do quadril para que essa fique alinhada ao RC e à linha média da mesa e/ o filme.Posição do Paciente 1. colocando o colo femoral quase paralelo ao filme. com a sola do pé contra a parte interna da perna oposta.Centralize o colo femoral em relação a LCM. 3-Abduza o fêmur a 45º a partir da vertical. . .Com o paciente em decúbito dorsal. 2.Flexione o joelho e o quadril do lado afetado.

O RC é perpendicular ao filme. .DFoFi 100 cm .Raio central . . direcionado ao meio do colo femoral -Ou perpendicular. penetrando na articulação do quadril a ser examinado.

24x30 Sentido Transversal Colimação Faça a colimação dos quatros lados na área de interesse.Fatores técnicos. . Tamanho do filme. Respiração Prender a respiração durante a exposição.

2 1 1.Cabeça do fêmur 3.Acetábulo 2. 6Colo .Tuberosidade Isquiática.Trocanter maior 6 35- 5.Trocanter menor 44.

.

) Essa modalidade de projeção reproduz a cabeça e o colo do fêmur.Radiografia do quadril com projeção lateral. o terço proximal da diáfise e os trocanteres maior e menor. Tipo rã (perfil. .

 . Dessa forma o fêmur é reproduzido na medial e lateral. sendo que o menor estende-se ligeiramente para baixo. Com a projeção lateral. que deverão ser observados. os dois trocanteres são reproduzidos com a sobreposição do colo do fêmur.Aspectos importantes. observados. rotação lateral.  Com o paciente em decúbito dorsal. e abdução. O trocanter menor é visto numa posição anterior e o trocanter maior numa posição. o quadril é posicionado em flexão. Assim. na estendemargem medial do fêmur. isso altera em 90º a reprodução do fêmur.

não é reproduzido. O ângulo de inclinação do colo do fêmur.   A área da cabeça do fêmur é bem reproduzida. e o ângulo de anteversão é reproduzido com distorção. A imagem radiográfica do acetábulo é idêntica à da radiografia feita com projeção AP. nenhum dos dois é pássível de exame com esse tipo de radiografia. com relação á diáfise. portanto. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful