P. 1
Caixa de areia

Caixa de areia

|Views: 425|Likes:
Publicado porcleudivanbotafogo

More info:

Published by: cleudivanbotafogo on Feb 07, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/24/2014

pdf

text

original

ST-614 Tratamento de Esgoto

Prof. Dr. Ariovaldo José da Silva

Caixas de Areia

1

Fig.1. Grade com remoção manual

2

cascalhos. silte. 1986) 3 • • . a areia é rolada ao longo da soleira dos tubos até a ETE. A remoção de areia dos esgotos tem por finalidade evitar a abrasão nos equipamentos e nas tubulações. tais como: tubulações. etc. Com as velocidades habituais. tanques. orifícios. etc e. Nesses casos. areia. principalmente a transferência de lodos. tais como: pedriscos. escórias. em suas diversas fases (Jordão e Pessoa. é possível restringir o tamanho de uma unidade de separação de areia conduzindo apenas a parte inferior da seção de vazão para a caixa de areia (IMHOFF & IMHOFF.FINALIDADE DAS CAIXAS DE AREIA • Do ponto de vista sanitário a areia contida nos esgotos é todo material pesado. facilitar o transporte líquido do sistema. 1995). sifões. eliminar ou reduzir a possibilidade de obstrução nas unidades dos sistemas.

3 Conj. Fig. Grade e Caixa de Areia . Ciclone para remoção de areia 4 Fig.FUNCIONAMENTO DAS CAIXAS DE AREIA • Condicionando-se o fluxo de esgotos a areia pode ser retida em coletada em dispositivos apropriados. 2.

após o gradeamento.30 m/s. Para dimensionamento. A velocidade deve ser condicionada a 0. são dotadas de um alargamento brusco da seção transversal do canal.4 mm. o material retido são partículas cujo diâmetro variam de 0. Velocidades superiores poderão resultar em arraste de partículas e velocidades inferiores pode resultar na deposição de matéria orgânica.1 mm a 0.FUNCIONAMENTO DAS CAIXAS DE AREIA • Na prática.2 mm. As caixas de areia são constituídas de câmaras intercaladas no fluxograma de um sistema de tratamento. provocando odores desagradáveis devido à decomposição do lodo. Normalmente. 5 • • . adota-se a remoção de partículas com diâmetro mínimo de 0.

A proporção ente a vazão de ar e a vazão média de esgotos. 6 • • . A centrifugação é adotada em dispositivos que induzem nos esgotos movimentos que permitem separar as partículas pesadas.003% a 0.Unidades de Retenção de Areia Mecanizadas • São adotados dispositivos patenteados condicionados aos fenômenos: centrifugação e aeração. A aeração é geralmente adotada nas ETEs de lodos ativados que empregam sistemas de aeração por ar difuso devido à utilização do mesmo sistema de suprimento de ar.004%. especificamente estabelecida para determinados diâmetros. por meio de força centrífuga. geralmente é mantida entre 0.

com.Fig.sanidro.br) 7 . 4 Desarenador Circular Desc-San – Fonte: Sanidro (www.

com.br) 8 . 5. Alimentação elétrica 3. Bomba de sucção Fig.LEGENDA: 1. Acionamento 4. Desarenador Retangular DES-SAN Fonte: SANIDRO (www. sanidro. Silo de estocagem (opcional) 2. Guarda-corpo 6. Raspadores de superfície 7. Vertedor 5. Pista de rolamento 8.

lavadores da areia retida. de parafusos sem fim. especificamente projetados. A remoção mecânica. Pode-se conjugar com dispositivos de remoção. que removem continuamente a areia acumulada em depósitos. Os dispositivos mais comuns são: esteiras. é realizada por dispositivos transportadores de areia. os projetistas utilizam sistemas extras ou desvios por meio de tubulações (by-pass). retornando o líquido para o afluente da unidade. “air lift”. A remoção manual exige a paralisação da unidade. Para tanto. 9 • • . caçambas. ou bombas especiais. raspadores.Dispositivos de Remoção de Areia • • A remoção de areia pode ser realizada manual ou mecanicamente.

1975. 10 .Fig. Adaptado por Jordão e Pessoa. Removedor de areia mecânico com operação manual.6.

7. Sistema de coleta e lavagem de areia. Adaptado por Jordão e Pessoa (1975). 11 .Fig.

d) 12 . Q = AVc onde A corresponde a área superficial do tanque de sedimentação e Q é a vazão do esgoto decantado. A velocidade de sedimentação é equivalente a taxa de aplicação superficial (m3/m2.Dimensionamento • Considera-se a velocidade final Vc dimensiona-se o tanque de sedimentação de forma que todas as partículas com velocidade igual ou maior do que Vc sejam retidas e removidas.

µ: viscosidade do fluído.Dimensionamento • Em sistemas de fluxo contínuo. combinando com a ρs: densidade da partícula. a velocidade. lei de Stokes: g ( ρ s − ρ )d 2 Vc = 18µ ρ: densidade do fluído. d: diâmetro da partícula g: aceleração da gravidade 13 . o tempo de detenção e a profundidade do tanque de sedimentação é relacionado por: Vc = profundidade(m) tempo de det enção( s ) • A fração (Xr) de partículas com velocidade de sedimentação (Vp´) removidas é dada por: Xr = Vp Vc • A eficiência de sedimentação obtida em determinado tempo de sedimentação pode ser obtida por ensaio em peneiras.

Curva para Análise de Velocidade de sedimentação Fração de Partículas com velocidade menor do que a velocidade estabelecida. X X = (1 − X c ) + ∫ Xc Vp Vc 0 dx Velocidade de Sedimentação 14 .

: Velocidade de sedimentação válida para partículas com gravidade específica ≥ 2.(m/min) part.0-1.Sed. 15 .8 36 OBS. ∅ 0.2-0.4 0.15 0.Caixa de Areia – Fluxo Horizontal Tabela 1. Dm: profundidade máxima na caixa de areia.15 mm Perda na seção de controle (%) em relação a profundiade do Tolerância a turbulências na entrada e saída Valores Variação Tipicos 45-90 60 0. ∅ 0. A finalidade de dimensionar a perda na seção de controle implica na operação da calha Parshall.9 30-40 2Dm-0.(m /s) Veloc.Horiz.3 0.6-0.3 1. L: comprimento teórico da caixa de areia.5L 1.65.20 mm part. Parâmetros para Projeto Parâmetro TDH(s) 3 Veloc.

15 mm (100 mesh). 1 ft2/Mgal.407 m2/m3.Caixa de areia de seção quadrada e fluxo horizontal • São projetadas com base na vazão de pico.555(º F – 32) 16 .d = 0. para remover 95% das partículas de ∅ 0.d 1 ºC = 0.

Os difusores de ar são locados cerca de 0. 1991) Padrão de fluxo helicoidal em uma caixa de areia aerada. Poço de acúmulo de areia cerca de 0.6 m acima do plano normal a base. Fig. com paredes inclinadas.Caixa de Areia Aerada • São projetadas para remover partículas de 0. 17 .45 a 0.9 m de profundidade. 8 Seção transversal de uma caixa de areia aerada (Metcalf &Eddy.2 mm (60 mesh) ou maiores com TDH de 2 a 5 minutos baseado na vazão máxima horária.

20 Quantidade de Areia (m3/103 m3) Valores Variação Tipicos 2-5 3 1. k2 = 1. Garra e Caçamba Exemplo de Dimensionamento: Dimensionar uma caixa de areia aerada para tratamento de esgoto municipal sabendo que: a vazão média é 0.0 Comprimento (m) 7.0.25.50 e que a rede não recebe contribuição de efluentes industriais.2 . Considerar: k1 = 1.5 m3/s. 1991) Parâmetro TDH(min) Dimensões Profundidade (m) 2. Parâmetros para Projeto (Metcalf & Eddy.m de compr. 18 .4.5 0. 9 Dispositivo para remoção da areia.5:1 Relação comprimento/largura 3:1 .0 Fig.0 Largura (m) 2.) 0.5:1 04:01 2.Caixa de Areia Aerada Tab.5 .0.5:1 3 Fornecimento de ar (m /min. Desprezar infiltração na rede.5.0 .20.2.0 Relação largura/profundidade 1:1 .7.04 .

2 × 2 = 2.94 s s Determinar o volume da caixa de areia (duas câmaras funcionando simultaneamente.Calcular a vazão máxima ou vazão de pico m3 m3 Qmáx = 0.2:1 e L/B = 3:1 sendo: B a largura e h a profundidade.18) 3 1 m s V = × 0.2 m 19 .5 ×1. exceto em intervalos para limpeza) TDH adotado: 3 min (ver tabela na pág.50 = 0. B = 1.6 m 3 2 s min Dimensões das câmaras para relação B/h = 1. 18).4 = 7.94 × 60 × 3 min = 84.4 m L = 3B = 3 × 2. Adotar profundidade de 2 m (ver tabela na pág.25 ×1.

ver tabela na pág.16 10 m s d d Observe que o volume de areia é estimado com base na vazão média de esgoto.4 m3/min. = 7.m = 2. 20 .5 x86400 x0. 18 Ar req.9 m 3 / min Estimar a quantidade de areia retida diariamente (adotar 0.2 m × 0. tabela na pág.m (em relação ao comprimento da câmara). 18) s m3 m3 m3 Areia retida = 0.05 m3/103 m3.05 3 3 = 2.Calcular o volume de ar necessário Adotar 0.4 m 3 / min .

A separação de mat. É possível separar matéria orgânica da areia. Gera-se um vórtice livre devido ao fluxo de entrada tangencialmente ao topo da unidade.Caixa de Areia – Tipo Vortice O esgoto entra e sai tangencialmente Uma turbina mantêm a velocidade constante. O efluente sai pelo centro ou “olho” da unidade. 1 2 21 . Areia é separada por gravidade dentro do cilindro de fluxo rotativo. A areia sedimenta por gravidade num cesto rotativo e pode ser removida por bombeamento e enviada para um hidrociclone para remover mat. Orgãnica ocorre através do fluxo pela ação de força centrífuga. orgânica remanescente.

7. 4 Parâmetros para Projeto Parâmetros TDH (s) Dimensões Diâmetro (m) Altura (m) Efic. (%) 0.4.4.30 mm 0.74 . 3 Parâmetros para Projeto Valores Variação Típico 30 Tab.15 mm > 95 > 85 > 65 Tipo 1 Tipo 2 22 .24 mm 0. (%) 0.88 Efic.88 > 95 > 85 > 65 Parâmetros TDH (s) Dimensões Diâmetro (m) 1.88 2.22 .24 mm 0.32 Altura (m) 2.30 mm 0.4.74 .91 .Caixa de Areia – Tipo Vórtice Tab.15 mm Valores Variação Típico 30 0.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->