P. 1
PLANEJAMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL II DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA - Atlas - Professor Fábio Dias Silveira

PLANEJAMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL II DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA - Atlas - Professor Fábio Dias Silveira

|Views: 10.008|Likes:
Publicado porFábio Silveira
PLANEJAMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL II DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA - Atlas - Professor Fábio Dias Silveira.
Para o 1º Semestre
PLANEJAMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL II DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA - Atlas - Professor Fábio Dias Silveira.
Para o 1º Semestre

More info:

Published by: Fábio Silveira on Feb 10, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/07/2013

pdf

text

original

Centro Educacional Atlas

PLANEJAMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL II DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Profº Fábio Dias Silveira

2012 1

INDICE O Estudo da História na “Era Tecnológica” Justificativa Conteúdo Programático Instrumentos de Avaliação e Aprendizagem Referencia Anexos: Proposta Atlas 03 04 05 08 08 09

2

O Estudo da História na “Era Tecnológica” O ser humano desde sua acensão na cadeia alimentar a partir do período neolítico, vem numa constante evolução em seu conhecimento. Primeiro começou se organizar em grupos, mais tarde teve e necessidade de se tornar sedentário e graças a mulher desenvolver a agricultura 1. A partir disso, observando o meio ambiente o homem começou a aprender com o seu meio e começou a inventar e produzir ferramentas para transformar o seu meio ambiente, se adaptando a ele e o adaptando para si, (BOFF, 1995). Para que isso fosse possível, foi necessário que o homem desenvolvesse sua capacidade de aprender a partir sua convivência com os outros e com seu próprio meio. Com isso o Ser Humano começou a desenvolver ferramentas, iniciou esse trabalho a partir de materiais rústicos, como as pedras lascadas, dai por diante em cima dos materiais rústicos, o Homem teve a necessidade e aperfeiçoá-los cada vez mais para facilitar se trabalho e ganhar tempo2. Por isso que hoje vivemos em um mundo pós moderno que ficou conhecido como “”Era Tecnológica”, cada vez mais o Homem necessita de mais tempo livre e maior qualidade de vida e é esse o papel da tecnologia, proporcionar maior tempo livre e qualidade de vida. Portanto devemos compreender que o estudo da História se torna necessário, a partir da necessidade do homem de mudar e se aperfeiçoar. É a partir do estudo da História que aprendemos como o Homem evoluiu e como este foi capaz de chegar a essa era cada vez mais isolado no topo da cadeia evolutiva, acertando e errando; com essas experiencias é quem adquirimos o conhecimento para evoluir, construir, inventar e viver melhor em sociedade. Objetivo Geral O Ser Humano e a capacidade de aprender com seu meio e varias fomas de de sociedades e culturas, tempos e espaços históricos. Objetivos Específicos Auxiliar ao estudante para que ele compreenda a necessidade de se estudar História.

1 AQUINO, Rubim Santos Leão de; FRANCO, Denize de Azevedo; LOPES, Oscar Guilherme Pahl Campos Lopes. História das Sociedades: Comunidades Primitivas as Sociedades Medievais, Editora Ao Livro Tecnico. Rio de Janeiro 1980. 2 CONECTIVA. História do Linux, disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=qvIUSIjZ4Ok, acessado em 03 de fevereiro de 2012.

3

Promover a partir do estudo da História formas para que o estudante tenha melhor qualidade de vida. Utilizar das tecnologias para enriquecer o ambiente educacional. Propiciar ao educando uma nova forma de pensar, de se desenvolver e de planejar sua construção para o futuro a partir do estudo da História.

• •

Justificativa O estudo da história surge da necessidade humana de compreender conceitos presentes, onde estes muitas vezes não se encaixam em uma proposta de vida individual, mas como a sociedades é composta pelo coletivo é fato que temos de nos organizar como tal. Como diz Russealt, que o ser humano aprendeu a viver em sociedade e que este aprendeu a abrir mão de parte de sua liberdade para que o outro também a tenha e que por natureza o Homem não é totalmente livre 3, nos beneficiamos da História para que compreendemos de que como se deu e para qual finalidade o Ser humano evoluiu e criou ser próprios paradigmas afim da necessidade de evoluir. Para isso o estudo da História é que vai observar o passado e de forma critica vai compreendê-la para que o Ser Humano possa viver na construção de um mundo melhor.
… precisamos compreender-nos, enquanto homens lidados à Civilização Ocidental, para que nossa percepção das transformações vividas na sociedade em que atuamos fortaleça em nós a consciência de nosso poder de transformar o Mundo em que possamos caminhar a passos firmes e seguros para a construção de um novo Mundo... Nossa proposta é caminharmos juntos procurando conhecer as diversas as diversas formas de o homem manifestar vida, e assim encontrarmos dados para refletir sobre a forma de compreender e explicar o mundo.4

Contudo, como AQUINO cita, é a partir do conhecimento da História que o Ser Humano aprende sobre seu passado, corrige a a si mesmo e constroi sua própria história e pré constrí as diretrizes de um mondo melhor para quem esta por vir. Aprende com o passado o que ocorre no presente e constrói a partir disso um futuro planejado.

3 ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do Contrato Social, Ed. Ridendo Castigat Moraes, eBooksBrasil.com, Disponível em: www.jahr.org. Acesso em 4 de fevereiro de 2012. 4 AQUINO, Rubim Santos Leão de; FRANCO, Denize de Azevedo; LOPES, Oscar Guilherme Pahl Campos Lopes. História das Sociedades: Comunidades Primitivas as Sociedades Medievais, Editora Ao Livro Técnico. Rio de Janeiro 1980. pp 3.

4

Conteúdo Programático

6º ANO 1º Bimestre: Cultura e Trabalhos Primeiros Agrupamentos Humanos. nos • • Descoberta do fogo à e desenvolvimento das primeiras tecnologias, (Neolítico). A mulher e o desenvolvimento da da agricultura e a arte de polir. (Paleolítico). A arte rupestre e a criação da escrita, (Mesopotâmia). Descobrindo o desconhecido e as influencias da natureza e do sobrenatural. Marcação e a contagem do tempo. A Pré História e os indígenas do Brasil. O surgimento das sociedades e das cidades. Cultura e organização nas cidades. O surgimento do trabalho. Os escribas e os sacerdotes. Os escravos na história do mundo. Escravos, mulheres e cidadãos. A Grécia antiga. A Roma antiga. Mitologia Grega. Mitologia Romana. A Arte Grega. A arte Romana. Ética e o surgimento do Direito Grego e Romano. As três Religiões Semitas. A religião e a Idade Média O Mundo Islâmico Conflitos Religiosos.

• • • 2º Bimestre: Cultura e Trabalho nas Primeiras Cidades e Impérios da África, Oriente Próximo e Américas. • • • • • • 3º Bimestre: A cidadania e o Legado Cultural Grego Romano. • • • • • • • • • • • •

4º Bimestre: Religiões e o Ocidente.

7º ANO 1º Bimestre: Da Idade Média à Idade Contemporânea. • • • • • Surgimento do Capitalismos. Dominação e Capitalismos. De servo ao assalariado. Imagens: da imagem publicidade.

religiosaa

2º Bimestre: Mercado e a Expansão do

A Navegação e suas Tecnologias. 5

Ocidente.

• • • • • • • • • • • • • • • •

A Europa como potencia mundial. Revolução comercial. Colonias e força de Trabalho. Mercantilismo. Renascimento. Reforma religiosas. Escravidão nas Américas. Monarquia Europeia. Absolutismo Europeu. Sociedade e politica africana. Trafico negreiro. Colonias e metrópoles ocidentais. Latifúndios e Mineração. Senzala, abolição e surgimento das favelas. Família gênero e vida privada. Sociedade do Brasil Colonial. Revolução Inglesa. Produção e mercado mundial. As cidades mercantis.

3º Bimestre: Colonias e Escravidão Africana.

4º Bimestre: Mundo Industrial.

• • •

8º ANO 1º Bimestre: A construção da Ética e da Cidadania na História. • • • • • • • 2º Bimestre: Liberalismo e as Colonias da América. • • • • • • • 3º Bimestre: Brasil Imperial • • • • Direitos e deveres na Inglaterra do século XVII. Cidadania e politica. Direitos e Deveres. Direitos naturais. Revolução francesa. Liberdade e igualdade. Iluminismo. Federação e federalismo. Colonias Inglesas e Independência nas Américas. A construção da América. Independências das colonias espanholas. Liberalismo e Independência. Processo de independência do Brasil. Independência e a nova politica republicana. Constituição de 1984. O período regencial. O segundo reinado. Politica imperial. 6

• • • 4º Bimestre: Nacionalismo na América do Século XIX. • • • •

Trabalho e cidadania no Brasil imperial. Escravidão no brasil no seculo XIX. Imigração europeia no Brasil. Estados Unidos. América latina. Bolivarismo. Pan-americanismo.

9º ANO 1º Bimestre: O Mundo é o Progresso • • • • • • • • • 2º Bimestre: • • • • • • • • • • • • • • • 4º Bimestre • • • Capital e cultura da prosperidade. Politica e Economia, antes, durante e pós-guerra. Revolução Russa. Rússia e Politica Czariana. Rússia e a Guerra Civil. Império e República. As primeiras realização da republica no Brasil. Coronelismo Republica Velha e a República do Café com Leite. Crise de 1929. Nazismo e fascismo. Era Vargas. O Nacionalismo no Brasil. II Guerra Mundial. O Brasil e a II Guerra. O Muro de Berlim e seu Impacto Social. O Mundo Pós-guerra. A Guerra Fria. A Descolonização dos países africanos e asiáticos. Décadas de 60 e 70, O Brasil pós-guerra. Os movimentos sociais no Brasil. Democracia: Dutra e Jango. Ditadura Militar. Fim da Guerra Fria. Nova Democracia. O Brasil, sua politica, sua sociedade e sua economia no senário mundial.

3º Bimestre:

7

5

Instrumentos de Avaliação e Aprendizagem Avaliações escritas e orais; Atividades individuais e em grupo, Atividades domesticas, Disciplina e aprendizagem, Ferramentas Multimídias: vídeos, áudios, internet, Site do Professor: www.fabiodiassilveira.com, Referências AQUINO, Rubim Santos Leão de; FRANCO, Denize de Azevedo; LOPES, Oscar Guilherme Pahl Campos Lopes. História das Sociedades: Comunidades Primitivas as Sociedades Medievais, Editora Ao Livro Tecnico. Rio de Janeiro 1980. CONECTIVA. História do Linux, disponível v=qvIUSIjZ4Ok, acessado em 03 de fevereiro de 2012. em: http://www.youtube.com/watch? Moraes,

• • • • • •

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do Contrato Social, Ed. Ridendo Castigat eBooksBrasil.com, Disponível em: www.jahr.org. Acesso em 4 de fevereiro de 2012. COLEÇÃO PITÁGORAS. Manual do Professor/História, 2012.

BIBLIOTECA NACIONAL. Revista de História, edições: Outubro, Novembro Dezembro de 2011 e Janeiro de 2012.

5 Quadro tendo como referencia os parâmetros do manual do professor da Coleção Pitágoras do Ensino Fundamental do ano de 2012.

8

Anexos

Distribuição dos conteúdos de História no Ensino Fundamental Anos finais
TEMA GERAL: O ser humano, suas diferentes culturas e formas de organização política e socioeconômica em vários tempos e espaços históricos 6 ANO TEMA: tempos diferentes, trajetórias diferentes? Cultura e trabalho dos primeiros agrupamentos humanos à formação dos primeiros impérios e dominações na África, no Oriente Próximo, na europa e na América LIVRO 1 Capítulo 1: Tecnologia para garantir a sobrevivência • • • Unidade 1: Cultura e trabalho nos primeiros agrupamentos humanos Com pedra, pau e fogo: técnicas para dominar a natureza de caçadores e coletores a criadores e agricultores das representações rupestres à escrita

Capítulo 2: A relação com o desconhecido e o sobrenatural • Para que serve a religião? • Só o ser humano tem religião: as primeiras manifestações religiosas • dos rituais e narrativas mitológicas às representações das divindades • A marcação e a contagem do tempo Capítulo 3: Os primeiros habitantes do Brasil • O povoamento inicial das terras brasileiras • Os caçadores e os coletores • Os agricultores e os ceramistas Capítulo 4: Das aldeias às primeiras cidades e impérios • Viver na cidade: o espaço urbano e suas adaptações • O surgimento das cidades • Cada cidade, uma cultura, uma organização • Quando a religião e a política se misturam Capítulo 5: As relações de trabalho nos primeiros grandes impérios • trabalhar para quê? e para quem? • escribas e sacerdotes: categorias sempre importantes • Quem construiu o quê? • escravos e livres: era assim em todo lugar? LIVRO Capítulo 6: Cidade: espaço2 privilegiado para o exercício do poder político

UNIDADE 2: Cultura e trabalho nas primeiras cidades e impérios de África, Oriente Próximo e América

UNIDADE 3: A cidadania e o legado cultural greco-romano

• • •

Quem vive na cidade é cidadão? A polis: o centro da vida grega A cidade imperial romana

Capítulo 7: O poder da arte e da religião entre gregos e romanos • Um mundo de deuses e heróis • Viver com arte e arte de viver • Sabedoria e justiça: ideais e valores para gregos e romanos Capítulo 8: A origem e os fundamentos das três grandes religiões do Ocidente • Moisés, Jesus Cristo e Maomé: o que há de comum entre eles? • Judeus, cristãos e muçulmanos: tão próximos e tão distantes!

UNIDADE 4: As

9

grandes matrizes religiosas do Ocidente

Capítulo 9: A força das religiões entre os povos do Ocidente • A formação da cristandade europeia: uma religião para todos? • A formação do mundo islâmico

8 Ano TEMA: Uma nação para todos? O modelo liberal-burguês de viver, trabalhar e exercer o poder político
LIVRO Capítulo 1: Direitos e deveres na Inglaterra do século XVII • Cidadania e política: exercício de todo o dia • direitos e deveres hoje: o que são? • direitos naturais: de onde vem essa história? • Inglaterra no século XVII: Começo de uma nova era? UNIDADE 1: A contestação à ordem e a construção da cidadania Capítulo 2: Cidadania e liberdade na Revolução Francesa • Liberdade e igualdade: ideias e propostas de ontem e de hoje • Iluminismo e noções de liberdade • Uma revolução contra o Absolutismo ou contra a miséria? • A reinvenção da cidadania: novo conceito para um novo tempo • da intenção ao gesto, liberdade e terror Capítulo 3: Liberalismos e socialismos no século XIX • em nome da liberdade e da igualdade, mais uma vez • napoleão, o imperador que virou mito • Mudanças e manutenção na ordem: a contrarrevolução e as revoluções burguesas • Socialismos: entre a teoria e a prática, de Marx ao movimento operário Capítulo 4: Estados Unidos da América: liberalismo e federalismo • Federações e federalismo • As ideias liberais em prática: a independência das Colônias inglesas na América • Liberalismo e federalismo na Constituição americana UNIDADE 2: Liberalismos e contestação à ordem colonial nas Américas Capítulo 5: Independência e fragmentação na América espanhola • Um sonho de unidade • Guerras de independência na América espanhola • novas nações, liberais ou independentes? Capítulo 6: Limites do liberalismo no processo de independência do Brasil • de América portuguesa a Brasil • Contestações à ordem e liberalismos na colônia • O período joanino: rumo à independência • Independência: permanências e mudanças LIVRO Capítulo 7: Poder e nação no Brasil imperial • A Constituição de 1824: entre o absolutismo e o liberalismo • O período regencial e as novas demandas de direitos • Segundo reinado: a consolidação de um modelo de nação para o Brasil? • As representações da nação imperial

UNIDADE 3: Brasil: a construção de uma nação Capítulo 8: Trabalho e cidadania no Brasil imperial imperial • Cidadania, escravidão e trabalho livre • direitos políticos e direitos civis: o que vem primeiro? • Ser escravo no Brasil do século XIX • A imigração e os novos sujeitos do mundo do trabalho

Capítulo 9: Modelos americanos de inserção no capitalismo mundial • estados Unidos: o surgimento de uma potência • América Latina: nacionalismos e dependência

10

UNIDADE 4: Nacionalismos na América do século XIX

Capítulo 10: Bolivarismo e pan-americanismo: propostas de uma América unida • O bolivarismo: América Latina unida, ontem e hoje • O pan-americanismo: o domínio estadunidense

9 ano
TEMA: dois caminhos, dois extremos? As crises, os embates e as adaptações do modelo capitalista liberal no Brasil e no mundo no século XX LIVRO Capítulo 1: Da prosperidade à destruição: como a Europa caminhou para a Primeira Guerra Mundial • A força do capital e a cultura da prosperidade • A cultura da prosperidade na europa • disputas, armas e nacionalismos: a europa a caminho da guerra • As ilusões desfeitas no palco da guerra UNIDADE 1: Poder e Capítulo 2: A Revolução Russa: por essa nem Marx esperava exclusão no mundo do • A rússia czarista: entre a miséria social e a prosperidade do capital progresso • da guerra externa à guerra civil • Os arranjos de um sistema em implantação Capítulo 3: Brasil: da República do progresso ao domínio dos coronéis • do Império à república: mudar para permanecer • em nome do progresso: as primeiras realizações da república brasileira • É do município e do estado que se governa a república: a força dos coronéis • A força e o poder do café na república Velha • A república dos excluídos Capítulo 4: O Estado interventor: a solução para a crise do capitalismo liberal • O papel do estado na economia • Crise de 1929: de repente, o mundo capitalista percebeu-se em rede • O mercado que gerou a crise não foi capaz de superá-la Capítulo 5: Nazi-fascismo: a caminho de uma nova guerra UNIDADE 2: • neonazismo e nazismo: esperança ou intolerância? Intervencionismo e • O pessimismo que tomou conta da europa autoritarismo no mundo • Crer, obedecer e combater: valores e propaganda nazi-fascistas em crise • Uma guerra que parecia inevitável Capítulo 6: Trabalhismo e populismo no Brasil de Vargas • A relação do estado com o povo • ecos da crise na periferia do capitalismo • O estado da ordem no Brasil de Vargas • O Brasil e a Segunda Guerra Mundial LIVRO 2 Capítulo 7: O jogo do poder em um mundo bipolar • Muro para quê? • Um mundo a ser reconstruído • Uma guerra diferente • A descolonização afro-asiática: mais países, mais aliados? • Anos dourados ou anos rebeldes? Capítulo 8: Nacionalismo e internacionalismo no Brasil pós-guerra • A memória coletiva sobre o Brasil pós-guerra UNIDADE 3: Poder • nacionalismo pragmático e nacional desenvolvimentismo e cultura no mundo • A mobilização e a cultura de massas no Brasil pós-guerra • Populismo e a experiência democrática de dutra a Jango Capítulo 9: Em nome da ordem: a ditadura militar no Brasil • representações de uma ditadura • Os militares no poder: garantia da legalidade? • A cultura do medo • O progresso puxado pelo estado • A distensão política Capítulo 10: Cultura e cidadania na transição democrática brasileira • Uma transição combinada • A Constituição cidadã: direitos e deveres que nem sempre se concretizam • A busca da estabilidade econômica

11

UNIDADE 4: Cidadãos Capítulo 11: Tempos recentes: entre o local e o global • Fim da Guerra Fria: caem as cortinas, abrem-se as fronteiras de O capital não tem mais pátria um mundo multicultural • • Identidades culturais no mundo globalizado • Brasil: interações com capitalismo mundial

Distribuição Semestral de Conteúdos 6 ano
1.o Semestre N.o aulas

Capítulo 1: Tecnologia para garantir a sobrevivência • Com pedra, pau e fogo: técnicas para dominar a natureza • de caçadores e coletores a criadores e agricultores • das representações rupestres à escrita
1 Bimestre UNIDADE 1: CULTURA

8

E TRABALHO NOS PRIMEIROS AGRUPAMENTOS HUMANOS

Capítulo 2: A relação com o desconhecido e o sobrenatural • Para que serve a religião? • Só o ser humano tem religião: as primeiras manifestações religiosas • dos rituais e narrativas mitológicas às representações das divindades • A marcação e a contagem do tempo Capítulo 3: Os primeiros habitantes do Brasil • O povoamento inicial das terras brasileiras • Os caçadores e os coletores • Os agricultores e os ceramistas Capítulo 4: Das aldeias às primeiras cidades e impérios • Viver na cidade: o espaço urbano e suas adaptações • O surgimento das cidades • Cada cidade, uma cultura, uma organização • Quando a religião e a política se misturam Capítulo 5: As relações de trabalho nos primeiros grandes impérios • trabalhar para quê? e para quem? • escribas e sacerdotes: categorias sempre importantes • Quem construiu o quê? • escravos e livres: era assim em todo lugar?

11

08

2º Bimestre UNIDADE 2: CULTURA

08

E TRABALHO NAS PRIMEIRAS CIDADES E IMPÉRIOS DE ÁFRICA, ORIENTE PRÓXIMO E AMÉRICA

07

7 Ano

Distribuição Semestral dos conteúdos
1.o Semestre Capítulo 1: Trabalho e dominação: servidão à terra e submissão ao capital • O ser humano e o tempo do trabalho • da dominação pela terra à força do capital • relações de trabalho: servidão e assalariamento • O poder da imagem: da religiosidade medieval ao mundo da propaganda N.o aulas

1 Bimestre

U NIDADE 1: T ERRA E CAPITAL, DO MEDIEVO AO MUNDO ATUAL

08

12

Capítulo 2: Mercado, riqueza e as técnicas de acumulação de capital • esse tal “mercado” e o valor das coisas • revoluções comerciais: mercado local e mercado global • Mercadores, banqueiros e burgueses: o mundo dos negócios ontem e hoje Capítulo 3: A tecnologia a serviço da expansão do mercado: as Grandes Navegações • A tecnologia das navegações: mares e infomares 2 Bimestre • representações europeias do mundo: medo, realidade e fantasia • A tecnologia das navegações e a ampliação das fronteiras UNIDADE 2: TRABALHO E europeias PODER NA ESPANÇÃO DO • O predomínio luso: a construção de um império mercantilista OCIDENTE Capítulo 4: Encontro de culturas no processo da expansão europeia • renascimento: o novo homem europeu? • reformas religiosas: novas teologias, novos caminhos • (des)encontros nas Américas: escravidão, catequização e imposição Capítulo 5: O jogo do poder: centralização e descentralização • A centralização monárquica na Europa Ocidental • O absolutismo e a consolidação dos estados europeus • Um caso de descentralização na época do absolutismo

11

08

08

07

8 ano

Distribuição Semestral dos conteúdos do 9.o ano
1.o Semestre

1 Bimestre UNIDADE 1: A contestação à ordem e a construção da cidadania

Capítulo 1: Direitos e deveres na Inglaterra do século XVII • Cidadania e política: o exercício de todo dia • direitos e deveres hoje: o que são? • Os direitos naturais: de onde vem essa história? • Inglaterra no século XVII: começo de uma nova era? Capítulo 2: Cidadania e liberdade na Revolução Francesa • Liberdade e igualdade: ideias e propostas de ontem e hoje • Iluminismo e noções de liberdade • Uma revolução contra o absolutismo ou contra a miséria? • A reinvenção da cidadania: novo conceito para um novo tempo • da intenção ao gesto: liberdade e terror Capítulo 3: Liberalismo e socialismo no século XIX • em nome da liberdade e da igualdade, mais uma vez • napoleão, o imperador que virou mito • Mudanças e manutenção na ordem: a contrarrevolução e as revoluções liberais • Socialismos: entre a teoria e a prática, de Marx ao movimento operário

N.o aulas 6

10

10

13

2 Bimestre UNIDADE 2: Liberalismos e contestação à ordem colonial nas Américas

Capítulo 4: EUA: liberalismo e federalismo • Federações e federalismo • As ideias liberais em prática: a independência das colônias inglesas na América • Liberalismo e federalismo na Constituição americana Capítulo 5: Independência e fragmentação na América espanhola • Um sonho de unidade • Guerras de independência na América espanhola • novas nações, liberais ou independentes? Capítulo 6: Limites do liberalismo no processo de independência do Brasil • de América portuguesa a Brasil • Contestações à ordem e liberalismos na colônia • O período joanino: rumo à independência • Independência: permanências e mudanças

10

6

5

9 ano

Distribuição Semestra dos conteúdos
1.o Semestre Capítulo 1: Da prosperidade à destruição: como a Europa caminhou para a Primeira Grande Guerra • Progresso e prosperidade • A força do capital e a cultura da prosperidade • disputas, armas e nacionalismos: a europa a caminho da guerra • As ilusões desfeitas no palco da guerra • A imposição da paz e o pós-guerra Capítulo 2: A Revolução Russa: por essa nem Marx esperava • revolução: na teoria e na prática • A rússia czarista: entre a miséria social e a prosperidade do capital • da guerra externa à revolução • Os arranjos de um sistema em implantação Capítulo 3: Brasil: da república do progresso ao domínio dos coronéis • em nome do progresso • do império à república: mudar para permanecer • em nome do progresso: as primeiras realizações da república • É do município e do estado que se governa: a força dos coronéis • A força e o poder do café na república Velha • A república dos excluídos Capítulo 4: O Estado interventor: a solução para a crise do capitalismo liberal • O papel do estado na economia • Crise de 1929: de repente, o mundo capitalista percebeu-se em rede • O mercado que gerou a crise não foi capaz de superá-la
N.o aulas

6

1 Bimestre UNIDADE 1: PODER E EXCLUSãO NO MUNDO DO PROGRESSO

5

5

2 Bimestre

1 0

14

UNIDADE 2: INTERVENCIONISMO E AUTORITARISMO NO MUNDO EM CRISE

Capítulo 5: Nazifascismo: a caminho de uma nova guerra • neonazismo e nazismo, esperança ou intolerância? • O pessimismo que tomou conta da Europa • Crer, obedecer e combater: valores e propaganda nazifascista • Uma guerra que parecia inevitável Capítulo 6: Trabalhismo e populismo no Brasil de Vargas • A relação do estado com o povo • ecos da crise na periferia do capitalismo • O estado da ordem no Brasil de Vargas • O Brasil e a Segunda Guerra Mundial

7

1 0

15

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->