Você está na página 1de 24
  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil DEC 4930 – ESTRUTURAS

DEC 4930 – ESTRUTURAS METÁLICAS

PROF. DR. CARLOS HUMBERTO MARTINS

MATERIAL DE APOIO AULA 04 – SISTEMAS ESTRUTURAIS PARA COBERTURAS ( PARTE I )

5ª. SÉRIE DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

2010

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS

COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS

COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS

COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS

Classificação

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS EM ESTRUTURAS METÁLICAS

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES Projeto
Projeto que será desenvolvido em sala
Projeto que será
desenvolvido em sala

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil MODELO DE GALPÃO QUE IREMOS
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
CENTRO DE TECNOLOGIA
Departamento de Engenharia Civil
MODELO DE GALPÃO QUE IREMOS TRABALHAR PARA O PROJETO
DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins
  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES •
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES •

• A cobertura “SHED” (cobertura denteada) é utilizada em construções relativamente baixas e com grandes vãos (l > 30 m) proporcionando facilidades na iluminação e ventilação do espaço coberto, prestando-se assim à aplicação em oficinas, pequenas fábricas, supermercados, etc.

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES Viga
Viga mestra treliçada
Viga mestra treliçada

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES •
•

• Em virtude da características dos seus vínculos, as vigas Vierendeel são mais deformáveis do que as vigas treliçadas.

Vigas Vierendeel : são vigas compostas de barras resistentes na forma de quadros, unidas entre si por meio de ligações rígidas, que devem resistir às forças normais e cortantes e também aos momentos fletores.

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES Exemplos

Exemplos de vigas Vierendeel

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES Exemplos

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil Viga Vierendeel a partir

Viga Vierendeel a partir de um Perfil I “Standard” Padrão Americano

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil Viga Vierendeel a partir

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES Principais

Principais características das coberturas em arcos

• O sistema estrutural em arco permite vencer grandes vãos com um consumo mínimo de material. Esta economia deve-se ao fato do arco apresentar esforços de flexão relativamente baixos, se comparados com os apresentados por vigas e treliças sob mesmas condições de vão e carregamento.

• Aparentemente o arco atende a todas as coberturas, existindo algumas já construídas com vão da ordem de 80 m. Entretanto não é indicado nas situações onde possam ocorrer ações horizontais de grande intensidade ou onde possam ocorrer deslocamentos horizontais e recalques significativos nos apoios.

• Quanto à sua forma, os arcos podem ter diversas classificações mas, em estruturas metálicas, devido às facilidades de fabricação, a forma mais empregada é a circular e em alguns casos especiais a forma parabólica.

• Podem ser fabricados em perfis de alma cheia ou treliçados. Os de alma cheia são adequados aos vãos pequenos ( l < 20 m), enquanto os treliçados destinam-se aos vãos maiores.

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES DEC

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
GALPÃO METÁLICO – ESQUEMA TRIDIMENSIONAL

GALPÃO METÁLICO – ESQUEMA TRIDIMENSIONAL

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
PÓRTICO TRANSVERSAL SOB AÇÃO DO VENTO
PÓRTICO TRANSVERSAL SOB AÇÃO DO VENTO

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

• A figura anterior ilustra um esquema de um galpão metálico, formando pela associação de elementos lineares e sistemas planos.

As terças são vigas longitudinal ( com comprimento de vão em torno de 6 m) dispostas nos planos de cobertura e destinadas a transferir à estrutura principal as cargas atuantes naqueles planos, tais como peso do telhamento e sobrepressões e sucções devidas à ação do vento. As cargas de vento (V) produzem nas terças flexão reta em torno do eixo de maior inércia, enquanto as cargas gravitacionais (G) produzem flexão oblíqua. O espaçamento das terças é definido pelo vão das chapas que compõem o telhamento e situa-se em geral na faixa entre 2 a 4 m.

• O cobrimento das faces laterais dos galpões é em geral também executado com chapas corrugadas de aço, as quais se apóiam nas vigas de tapamento lateral. Essa vigas destinam-se também a transferir as cargas de vento das fachadas às estruturas principais através do apoio dessas vigas diretamente nas colunas dos pórticos principais. Para reduzir o vão das vigas de tapamento são instalados os tirantes de tapamento, os quais mobilizam a viga longitudinal superior e o contraventamento longitudinal no plano do telhado para transferir as cargas de vento às colunas principais.

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

O sistema portante principal é o pórtico transversal formado pela associação rígida entre a treliça de cobertura e as suas colunas. Esse pórtico deve resistir à ação do vento nas fachadas longitudinais e na cobertura além das cargas gravitacionais.

Os sistemas de contraventamento são feitos por barras associadas geralmente em forma de X compondo sistemas treliçados. Esses sistemas são destinados principalmente a fornecer estabilidade espacial ao conjunto, além de distribuir as cargas de vento. Por exemplo, o contraventamento no plano da cobertura é essencial para estabilidade lateral do banzo superior da treliça, comprimido por ação das cargas gravitacionais. A flambagem desses elementos comprimidos pode se dar no plano horizontal ( ou plano da cobertura) e o contraventamento nesse plano serve para reduzir os seus comprimentos de flambagem e, portanto, para aumentar a resistência à compressão.

• Na próxima figura está ilustrado também um possível esquema estrutural longitudinal do galpão, caracterizado pelas ligações viga-pilar. Neste caso, é essencial a adoção do contraventamento vertical entre pilares para oferecer rigidez na direção longitudinal ao conjunto e para absorver as cargas de vento atuando nas fachadas transversais e transferi-las à fundação.

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

PLANTA DA COBERTURA SEM E COM CONTRAVENTAMENTO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

VIGAS LONGITUDINAL MOSTRANDO O CONTRAVENTAMENTO ENTRE PILARES

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

COMPONENTES CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES : UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
COMPONENTES
CENTRO DE TECNOLOGIA
Departamento de Engenharia Civil
COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
COBERTURAS E
GALPÕES :
COMPONENTES

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : TERÇAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

As terças podem ser dimensionadas como vigas biapoiadas ou como vigas contínuas.

O dimensionamento como viga contínua conduz a perfis mais leves, entretanto, acabam não contribuindo para a redução do custo final da obra :

- devido a seu comprimento, ou por ser superior ao comprimento de fabricação dos perfis usuais, exigindo a execução de emendas de oficina ou de campo, que encarecem o custo do elemento

-ou por encarecer os custos de transporte e içamento.

O dimensionamento como viga biapoiada permite uma padronização das terças de todos os vãos, como comprimentos sem emendas, fáceis de transportar e de montar. Por tais motivos este é o esquema estrutural usualmente empregado.

Quanto ao tipo dos perfis a serem empregados, a escolha é função do tipo de telha, intensidade das ações e do vão a vencer.

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • COBERTURAS E GALPÕES : ESQUEMAS ESTÁTICOS EM TERÇAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : ESQUEMAS ESTÁTICOS EM TERÇAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA
COBERTURAS E GALPÕES : ESQUEMAS ESTÁTICOS EM TERÇAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
• CONTÍNUA • BIAPOIDADA ( MAIS USUAL) ESQUEMA ESTÁTICO DAS TERÇAS
• CONTÍNUA
• BIAPOIDADA ( MAIS USUAL)
ESQUEMA ESTÁTICO DAS TERÇAS

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • COBERTURAS E GALPÕES : AÇÕES MAIS COMUNS EM TERÇAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : AÇÕES MAIS COMUNS EM TERÇAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE

Peso Próprio do Perfil : possuiu distribuição uniforme segundo o vão, e seu valor depende das dimensões e do tipo de perfil escolhido, sendo obtido de catálogos dos fabricantes.

Peso Próprio das Telhas : também com distribuição uniforme segundo o vão, o seu valor é obtido pela multiplicação da largura de influência (espaçamento entre terças) pelo respectivo peso da telha a ser utilizada.

Sobrecarga : com distribuição uniforme segundo o vão e com valor obtido pelo conceito de área de influência.

Sobrepressão ou sucção devidas ao vento : esta ação é sempre perpendicular ao plano da cobertura e a aplicação às terças é feita com distribuição uniforme segundo o vão. O valor nominal é determinado pela largura de influência multiplicada pelo valor obtido, para sucção ou sobrepressão, segundo a NBR 6123 (1988) – Forças devidas ao vento em edificações.

Carga concentrada : Para cobrir a possibilidade de que durante a montagem ou manutenções possam ocorrer carregamentos não previstos, como o peso de operários sobre as terças ou empilhamento de várias telhas. O valor nominal desta ação pode ser fixada pelo calculista, sendo usual o valor de 1,0 kN, aplicado no meio do vão.

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

LIGAÇÃO ATRAVÉS DE CHAPA GUSSET

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil LIGAÇÃO ATRAVÉS DE CHAPA

Nas ligações dos nós de uma treliça é comum o uso de chapas de ligação (Gussets), às quais as peças são conectadas

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins Outro
DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins
Outro exemplo Gusset
  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

LIGAÇÃO ATRAVÉS DE CHAPA GUSSET

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil LIGAÇÃO ATRAVÉS DE CHAPA
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil LIGAÇÃO ATRAVÉS DE CHAPA

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES :

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA

Departamento de Engenharia Civil

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Civil COBERTURAS E GALPÕES : COMPONENTES

DEC 4930 – Estruturas Metálicas – 1º. Semestre 2010 - Prof. Dr. Carlos Humberto Martins