EXERCÍCIOS DE FÍSICA – MECÂNICA

1 – (UELONDRINA-PR) Em 1984, o navegador Amyr Klink atravessou o Oceano Atlântico em um barco a remo, percorrendo a distância de, aproximadamente, 7000km em 100 dias. Nessa tarefa, sua velocidade média foi, em km/h, igual a: a) 1,4 b) 2,9 c) 6,0 d) 7,0 e) 70 2 – (UFPE) Um terremoto normalmente dá origem a dois tipos de ondas, s e p, que se propagam pelo solo com velocidades distintas. No gráfico a seguir está representada a variação no tempo da distância percorrida por cada uma das ondas a partir do epicentro do terremoto. Com quantos minutos de diferença essas ondas atingirão uma cidade situada a 1500km de distância do ponto 0? a) 5 b) 4 c) 3 d) 2 e) 1

3 – (PUC-SP) Duas bolas de dimensões desprezíveis se aproximam uma da outra, executando movimentos retilíneos e uniformes (veja a figura). Sabendose que as bolas possuem velocidades de 2m/s e 3m/s e que, no instante t=0, a distância entre elas é de 15m, podemos afirmar que o instante da colisão é: a) 1 s b) 2 s c) 3 s d) 4 s e) 5 s

se o tiver percebido a uma distância de.5 m. c) 52. o carro percorre 15m. mantendo-o em sua trajetória retilínea.5 m.4 – (FUVEST-SP) Um carro viaja com velocidade de 90 km/h (ou seja. o diâmetro externo do rolo de fita vale 5. A figura adiante representa a situação em que a fita começa a se desenrolar do carretel A e a se enrolar no núcleo do carretel B. c) varia de 1. Se na primeira hora ele viajar com velocidade média de 80 km/h.8m do solo. d) permanece igual a 1. a) 15 m. Entre o instante em que o motorista avista o animal e aquele em que começa a frear. ele só evitará atingir o animal.25 m. no mínimo. b) varia de 0. c) 100km/h. e) 125 m. subitamente. d) 77.0m/s2. b) 31.80 rps.32 a 0. Enquanto a fita é totalmente transferida de A para B.80 rps. a fita F do cassete passa em frente da cabeça de leitura C com uma velocidade constante v=4. o motorista vê um animal parado na sua pista.8 rps.96 a 2. 25m/s) num trecho retilíneo de uma rodovia quando.0cm.40 rps. O diâmetro do núcleo dos carretéis vale 2. d) 90 km/h. 7 – (FEI-SP) Uma esfera de aço de massa 200g desliza sobre uma mesa plana com velocidade igual a 2m/s. b) 110 km/h.92 a 4. 5 – (FUVEST-SP) Num toca fitas.5 horas.0cm. A mesa está a 1. A que distância da .80cm/s. que permanece imóvel durante todo o tempo. Com a fita completamente enrolada num dos carretéis.5 a 28.92 rps. Se o motorista frear o carro à taxa constante de 5. e) varia de 11. 6 – (MACKENZIE-SP) Um motorista deseja fazer uma viagem de 230 km em 2. e) 85 km/h. a velocidade média no restante do percurso deve ser de: a) 120 km/h. o número de rotações completas por segundos (rps) do carretel A a) varia de 0.

0m e) 1. c) 8.mesa a esfera irá tocar o solo? Obs.75m d) 1.: despreze o atrito.5m c) 0. e) 24. é igual a: a) zero. nos 30s.25m b) 0.2m 8 – (UELONDRINA-PR) Dois móveis partem simultaneamente de um mesmo ponto e suas velocidades estão representadas no mesmo gráfico a seguir. b) 4. A diferença entre as distâncias percorridas pelos dois móveis. Considere g = 10 m/s2 a) 1. d) 16. O deslocamento sofrido pelo automóvel de 0 a 8s foi de (em m): a) 2. b) 60 m c) 120 m d) 180 m e) 300 m 9 – (UNIRIO) O gráfico a seguir mostra a velocidade de um automóvel em função do tempo. .

com sua velocidade diminuindo. Sabendo que o vagão se desloca em trajetória retilínea. O plano horizontal. c) A para B. com sua velocidade aumentando. e) B para A. A tração no fio que une os blocos A e B tem módulo: a) 10 N b) 15 N c) 20 N d) 25 N e) 30 N . não oferece atrito. representados na figura a seguir têm massas iguais. com sua velocidade diminuindo. com velocidade constante. onde se apóiam A e B. A.0kg. d) B para A. m=3. com velocidade constante.10 – (UELONDRINA-PR) Um observador vê um pêndulo preso ao teto de um vagão e deslocado da vertical como mostra a figura a seguir. a roldana tem massa desprezível e a aceleração local da gravidade pode ser considerada g=10m/s2. b) B para A. B e C. ele pode estar se movendo de: a) A para B. 11 – (UELONDRINA-PR) Os três corpos.

Se o atrito entre os carrinhos e o assoalho puder ser desprezado. um estudante utiliza dois carrinhos. permanece em repouso graças a força de atrito entre o corpo de 10kg e a superfície de apoio. pode-se afirmar que a força que está aplicada sobre o segundo carrinho é: a) F b) MF/(m + M) c) F(m + M)/M d) F/2 e) outra expressão diferente. Ao se por a locomotiva em movimento.12 – (ITA-SP) Fazendo compras num supermercado. c) desce em movimento uniforme e retilíneo. Após o início da descida. e todas as demais fontes de atritos podem ser desprezadas. a máxima aceleração que ela pode imprimir ao sistema formado por ela e pelo vagão vale: a) 3g/5 b) 2g/3 c) g d) 3g/2 e) 5g/3 15 – (FUVEST-GV – SP) O sistema indicado na figura a seguir. de massa m. onde as polias são ideais. O coeficiente de atrito estático entre as rodas da locomotiva e os trilhos é . Empurra o primeiro. Podemos afirmar que o valor da força de atrito é: a) 20N b) 10N . empurra outro de massa M sobre um assoalho plano e horizontal. O coeficiente de atrito dinâmico 3 entre o escorregador e a roupa da criança é e a aceleração local da 3 gravidade é 10m/s2. como é o movimento da criança enquanto escorrega? a) não há movimento nessas condições. horizontal. d) desce em movimento retardado até o final. o qual. 14 – (FUVEST-SP) Uma locomotiva de massa M está ligada a uma vagão de massa 2M/3. com uma força F. b) desce em movimento acelerado. sem que suas rodas patinem sobre os trilhos. por sua vez. ambos sobre trilhos horizontais e retilíneos. 13 – (PUC-SP) Uma criança de 30kg começa a descer um escorregador inclinado de 30° em relação ao solo horizontal. e) desce em movimento retardado e pára antes do final do escorregador.

O módulo da força do plano sobre o bloco é: a) 1100 N b) 500 N c) 100 N d) 300 N e) 900 N . sustentando um corpo de 400N de peso.0 e) 8.0 17 – (PUC-MG) A figura mostra um bloco.0cm quando se prende à sua extremidade um corpo de peso 12N. em cm.0 d) 7. como na figura 1. a) 4. tendo agora em sua extremidade o peso de 10N.0 c) 6. sem atrito. como na figura 2. o alongamento da mola é.0 b) 5. é fixa ao topo de um plano inclinado de 37°. apoiado num plano horizontal. sofre alongamento de 8. A mesma mola. de peso igual a 700N. presa a um suporte. Neste caso. que passa por um sistema de roldanas consideradas ideais. por meio de uma corda inextensível.c) 100N d) 60N e) 40N 16 – (FATEC-SP) Certa mola.

104 d) 8. B e C de mesma massa m.6. O corpo B está suspenso simultaneamente por dois fios.103 .103 e) 1.104 c) 1. um automóvel de 800 kg com velocidade constante de 72km/h se aproxima de um fundo de vale.4.0. a força de reação da estrada sobre o carro é.6. conforme esquema a seguir. suspensos por fios ideais como representado na figura.4. em newtons. um ligado a A e outro a C.105 b) 2. Podemos afirmar que a aceleração do corpo B será: a) zero b) g/3 para baixo c) g/3 para cima d) 2g/3 para baixo e) 2g/3 para cima 19 – (UELONDRINA-PR) Em uma estrada.18 – (FUVEST-SP) Um sistema mecânico é formado por duas polias ideais que suportam três corpos A. aproximadamente: a) 2. Dado: g=m/s2 Sabendo que o raio de curvatura nesse fundo de vale é 20m.

8kg. é: a) 10 m/s b) 8 m/s c) 5 m/s d) 12 m/s e) 16 m/s 21 – (FEI-SP) Uma força F paralela à trajetória de seu ponto de aplicação varia com o deslocamento de acordo com a figura a seguir.0m.20 – (PUC-SP) Um avião de brinquedo é posto para girar num plano horizontal preso a um fio de comprimento 4. Sabendo-se que a massa do avião é 0. sem que ocorra o rompimento do fio. Sabe-se que o fio suporta uma força de tração horizontal máxima de valor 20N. a máxima velocidade que pode ter o avião. Qual é o trabalho realizado pela força F no deslocamento de 1 a 5 m? a) 100J b) 20J c) 12J d) 15J e) 10J .

O gráfico adiante ilustra a altura do pacote em função do tempo. percorrendo a distância d = AB . e) mgh/4d. a 6m do chão. podemos afirmar que a quantidade de energia dissipada entre os pontos A e B da trajetória é de: a) 120. d) mgh/2d. é: a) zero. supondo-a constante. sua velocidade é 2m/s e sua altura em relação ao solo é 10m.8 KJ b) 120 KJ c) 39. Considerando g=10m/s2. sem velocidade inicial. de um ponto A situado 20m acima do solo.2 KJ d) 40 KJ e) 40. b) mgh.22 – (FUVEST-SP) Um pequeno corpo de massa m é abandonado em A com velocidade nula e escorrega ao longo do plano inclinado. verifica-se que sua velocidade é igual a gh . Ao passar por um ponto B. Ao chegar a B. Pode-se então deduzir que o valor da força de atrito que agiu sobre o corpo. A potência aplicada ao corpo pela empilhadeira é: a) 120 W b) 360 W c) 720 W d) 1200 W e) 2400 W . c) mgh/2. um pacote de 120 kg. 23 – (PUC-SP) Numa montanha russa onde os atritos não são desprezíveis.8 KJ 24 – (FUVEST-GV – SP) Uma empilhadeira elétrica transporta do chão até uma prateleira. um carrinho de massa 400kg parte.

(ITA-SP) A figura a seguir ilustra um carrinho de massa m percorrendo um trecho de uma montanha-russa. Na base B. o menor valor de h para que o carrinho efetue a trajetória completa é: 3 R 2 5 R 2 2R 5gR 2 3R a) b) c) d) e) 26 – (VUNESP-SP) Um bloco de massa m desliza sem atrito sobre a superfície indicada na figura a seguir. Desprezando a ação de forças dissipativas em todo o movimento e adotado g=10m/s2. a máxima deformação da mola é de: a) 40cm b) 20cm c) 10cm . em forma de um quadrante de circunferência de raio R=1. Desprezando-se todos os atritos que agem sobre ele e supondo que o carrinho seja abandonado em A. a velocidade mínima v que deve ter para alcançar a altura h é: a) 2 gh b) c) 2 gh gh 2 gh d) 2 e) 2 2 gh 27 – (FATEC-SP) Um objeto de massa 400g desce. por uma rampa. choca-se com uma mola de constante elástica k=200N/m.25 . a partir do repouso no ponto A.0m.Se g é a aceleração da gravidade.

0cm 28 – (PUCCAMP-SP) Um carrinho de montanha russa parte do repouso do ponto A e percorre a pista sem atrito.0 c) 10 d) 12 e) 15 29 – (UNIRIO) A figura a seguir representa um carrinho de massa m se deslocando sobre o trilho de uma montanha russa num local onde a aceleração da gravidade é g=10m/s2.0m/s.0cm e) 2. sem perder o contato com a pista é: a) 5.0 m/s b) 4. A máxima altura h do ponto A. teremos no ponto Q uma velocidade de módulo igual a: a) 5.0 m/s e) Zero.0 m/s d) 2. Considerando que a energia mecânica do carrinho se conserva durante o movimento e.d) 4.8 m/s c) 4. .0 b) 8. Dado: g=10 m/s2. o módulo de sua velocidade é 8. para que o carrinho passe por B. esquematizada a seguir. em metros. cujo raio de curvatura é 10m. em P.

por um fio fino. para mantê-la em equilíbrio é: a) 0.30 – (FEI-SP) No macaco hidráulico representado na figura a seguir.04m2.4 g d) 0. Ela está completamente mergulhada em água e presa.2 g b) 0.0g de água é de 1. É sabido que o volume de 1. sabe-se que as áreas das secções transversais dos vasos verticais são A1 = 20cm2 e A2 = 0. como mostra a figura a seguir.6 cm3 tem massa m1=1.6 g . a um dos braços de uma balança de braços iguais.3 g c) 0. Qual é o peso máximo que o macaco pode levantar.0g.0cm3.5 g e) 0. Então a massa m2 que deve ser suspensa no outro braço da balança. quando fazemos uma força de 50N em A1? a) 100 N b) 1000 N c) 200 kgf d) 1000 kgf e) 10000 kgf 31 – (FUVEST-SP) Uma esfera de volume 0.

conforme a figura a seguir.0g/cm3. A densidade do líquido C é: a) 0.0. c) 2. encontram-se em equilíbrio três líquidos não miscíveis. em cm. b) 1.103N/m2.32 – (PUCCAMP-SP) recipiente representado pela figura contém um líquido homogêneo. Os líquidos A e B têm densidades respectivamente iguais a 0. vale: a) 10 b) 20 c) 30 d) 35 e) 40 33 – (MACKENZIE-SP) Num tubo em U. d) 3.80g/cm3 e 1. e) 5.7 g/cm3.4 g/cm3.6 g/cm3.2 g/cm3.75g/cm3. com densidade de 0. . de extremidades abertas. a profundidade do líquido (h).9 g/cm3. A diferença de pressão hidrostática entre um ponto no fundo do recipiente (M) e outro na superfície (N) vale 3. incompreensível e em equilíbrio. Adotando g=10m/s2.

.00 d) 1.34 – (VUNESP-SP) Um bloco de madeira. A massa específica média dessa madeira. Supondo que a velocidade da bola imediatamente antes de ser golpeada seja desprezível e que a sua massa valha aproximadamente 270g.5m/s. c) 2.5m/s. b) 1.56 c) 1. passando os dois a deslocar-se com velocidade v. e) 5. Ao alcançá-lo. calcule o valor de v.00g/cm3.5m/s.0kg. em direção a um carrinho parado. igual a: a) 3/4.0m/s.5m/s. b) 2. O patinador mais rápido persegue o outro.0 b) 29 c) 80 d) 120 e) 290 36 – (FUVEST-SP) Dois patinadores de mesma massa deslocam-se numa mesma trajetória retilínea.0m/s. em uma cortada do Negrão (titular da Seleção Brasileira de Voleibol). em g/cm3. com uma velocidade horizontal v=4m/s.44 e) 1. a) 1. o carrinho iniciará um movimento com velocidade.56 35 – (CESGRANRIO-RJ) De acordo com um locutor esportivo. fica com 44% de seu volume fora d'água. . quando posto a flutuar livremente na água. em unidade do S. é: a) 0. de massa igual a 6. a bola atinge a velocidade de 108km/h. aproximadamente: a) 8. cuja massa específica à 1.5m/s e 3.I.0kg é atirada de uma altura h=0. 37 – (FUVEST-SP) Uma quantidade de barro de massa 2. como mostra a figura adiante. Se todo o barro ficar grudado no carrinho no instante em que o atingir. com velocidades respectivamente iguais a 1. então o valor do impulso aplicado pelo Negrão à bola vale. Desprezando o atrito. em m/s. salta verticalmente e agarra-se às suas costas. d) 3.45m.44 b) 0.

vale: a) V/4. em relação ao solo. Qual é o ângulo máximo formado pelo fio com a vertical? a) 30° b) 45° c) 60° d) 75° e) 90° 39 – (UFPE) Um corpo de massa M em repouso explode em dois pedaços. Em um choque perfeitamente elástico e frontal. e) zero. dirigida para a esquerda. b) 3V. contra um corpo de massa 0. Após a colisão. d) 2. 38 – (FEI-SP) Um projétil de 450g é disparado horizontalmente com velocidade 20 m/s.000kg. . o corpo sobe até uma altura h.4m/s sobre trilhos horizontais sem atrito até colidir com outro vagão B. dirigida para a direita. um dos pedaços com massa 3/4M adquire a velocidade V. de massa 10. A energia cinética final do vagão B vale: a) 100J. inicialmente em repouso.c) 5/4. 40 – (FUVEST-SP) Um vagão A. para a direita. dirigida para a esquerda. b) 200J. Como conseqüência. A velocidade adquirida pelo outro pedaço. d) 3V. o vagão A fica parado. e) 3. move-se com velocidade igual a 0.45kg suspenso por um fio de 2m de comprimento. c) V/4.000kg. em relação ao solo. dirigida para a direita. de massa 20.

0 kg. A carga suspensa pesa 60N.50 kg. apoiada no cutelo C da estrutura a seguir. a) A. e) B. a barra homogênea AB pesa 40N e é articulada em A. b) A.5 kg. um corpo de 1.3 N b) 33. e) 1600J. de 0. deve-se suspender em: Adote g = 10 m/s2 e despreze os pesos dos ganchos. A tração no cabo vale: a) 133. d) B.6 N e) 199.6 N d) 66. d) 800J. A relação entre as distâncias x e y é: a) x/y = 1/3 b) x/y = 1/4 . um corpo de 0.9 N 42 – (MACKENZIE-SP) Para se estabelecer o equilíbrio da barra homogênea. 43 – (MACKENZIE-SP) Observando a figura a seguir.c) 400J. um corpo de 1. vemos que os corpos A e B que equilibram a barra de peso desprezível.0 kg.5 kg. um corpo de 1.3 N c) 166. c) A. são também utilizados para equilibrar a talha exponencial de polias e fios ideais.5 kg. (secção transversal constante). 41 – (FAAP-SP) Na estrutura representada. um corpo de 1.

como mostra a figura adiante. que força deverá ser feita na corda 1 para levantar uma massa de 200kg? a) 500 N b) 800 N c) 200 kgf d) 500 kgf e) 800 kgf . presos a paredes em A e B. Pode-se afirmar que o módulo da força que tenciona o fio preso em B. vale: P a) 2 P b) 2 c) P d) 2 P e) 2 P 45 – (FEI-SP) No sistema a seguir.c) x/y = 1/8 d) x/y = 1/12 e) x/y = 1/16 44 – (FUVEST-SP) Um bloco de peso P é suspenso por dois fios de massa desprezível.

32 kg b) 20 kg c) 10 kg d) 100 N e) 200 N 48 – (FUVEST-SP) Considere um satélite artificial em órbita circular.46 – (CESGRANRIO – RJ) Na figura a seguir. uma esfera rígida se encontra em equilíbrio. apoiada em uma parede vertical e presa por um fio ideal e inextensível. Sendo P o peso da esfera e 2P a força máxima que o fio suporta antes de arrebentar. Duplicando a massa do satélite sem alterar o seu período de revolução. o ângulo formado entre a parede e o fio é de: a) 30° b) 45° c) 60° d) 70° e) 80° 47 – (FEI-SP) Sabendo-se que o sistema a seguir está em equilíbrio. . qual é o valor da massa M quando os dinamômetros indicam 100N cada um? a) 17. o raio da órbita será: a) duplicado.

que hoje é de 27. o raio médio da órbita da Lua estará 50% maior do que é atualmente.0 dias. 49 – (ITA-SP) Estima-se que.2 dias.5 m/s2 .2 dias. 50 – (FEI-SP) Considerando que na Terra a aceleração da gravidade é de 10 m/s2. qual é a aceleração da gravidade g' em um planeta que possui a mesma massa e metade do diâmetro da Terra? a) g' = 10 m/s2 b) g' = 20 m/s2 c) g' = 5 m/s2 d) g' = 40 m/s2 e) g' = 2. c) reduzido à metade.3 dias.1 dias. seu período. seria: a) 14. e) o mesmo. Naquela época. em alguns bilhões de anos. b) 18.3 dias. c) 27. d) reduzido à quarta parte. e) 50.b) quadruplicado. d) 41.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful