EXERCÍCIOS DE FÍSICA – MECÂNICA

1 – (UELONDRINA-PR) Em 1984, o navegador Amyr Klink atravessou o Oceano Atlântico em um barco a remo, percorrendo a distância de, aproximadamente, 7000km em 100 dias. Nessa tarefa, sua velocidade média foi, em km/h, igual a: a) 1,4 b) 2,9 c) 6,0 d) 7,0 e) 70 2 – (UFPE) Um terremoto normalmente dá origem a dois tipos de ondas, s e p, que se propagam pelo solo com velocidades distintas. No gráfico a seguir está representada a variação no tempo da distância percorrida por cada uma das ondas a partir do epicentro do terremoto. Com quantos minutos de diferença essas ondas atingirão uma cidade situada a 1500km de distância do ponto 0? a) 5 b) 4 c) 3 d) 2 e) 1

3 – (PUC-SP) Duas bolas de dimensões desprezíveis se aproximam uma da outra, executando movimentos retilíneos e uniformes (veja a figura). Sabendose que as bolas possuem velocidades de 2m/s e 3m/s e que, no instante t=0, a distância entre elas é de 15m, podemos afirmar que o instante da colisão é: a) 1 s b) 2 s c) 3 s d) 4 s e) 5 s

80 rps. A figura adiante representa a situação em que a fita começa a se desenrolar do carretel A e a se enrolar no núcleo do carretel B.96 a 2.32 a 0.80cm/s. e) varia de 11.5 m.80 rps. b) 110 km/h. o carro percorre 15m. mantendo-o em sua trajetória retilínea. ele só evitará atingir o animal.92 a 4. 7 – (FEI-SP) Uma esfera de aço de massa 200g desliza sobre uma mesa plana com velocidade igual a 2m/s. 25m/s) num trecho retilíneo de uma rodovia quando.5 horas. Se na primeira hora ele viajar com velocidade média de 80 km/h. o diâmetro externo do rolo de fita vale 5. 6 – (MACKENZIE-SP) Um motorista deseja fazer uma viagem de 230 km em 2. o motorista vê um animal parado na sua pista. Entre o instante em que o motorista avista o animal e aquele em que começa a frear. que permanece imóvel durante todo o tempo. 5 – (FUVEST-SP) Num toca fitas. Com a fita completamente enrolada num dos carretéis. Se o motorista frear o carro à taxa constante de 5. A que distância da . c) varia de 1.4 – (FUVEST-SP) Um carro viaja com velocidade de 90 km/h (ou seja. a) 15 m.0cm. O diâmetro do núcleo dos carretéis vale 2. b) 31. d) permanece igual a 1. no mínimo. d) 77. c) 100km/h.5 a 28. d) 90 km/h. a fita F do cassete passa em frente da cabeça de leitura C com uma velocidade constante v=4. o número de rotações completas por segundos (rps) do carretel A a) varia de 0. subitamente. se o tiver percebido a uma distância de. e) 85 km/h.0m/s2.25 m.8m do solo. b) varia de 0.40 rps.0cm.5 m.92 rps. Enquanto a fita é totalmente transferida de A para B. c) 52.8 rps. A mesa está a 1. a velocidade média no restante do percurso deve ser de: a) 120 km/h. e) 125 m.

e) 24. O deslocamento sofrido pelo automóvel de 0 a 8s foi de (em m): a) 2. c) 8. b) 4.25m b) 0.: despreze o atrito.75m d) 1. nos 30s. A diferença entre as distâncias percorridas pelos dois móveis.mesa a esfera irá tocar o solo? Obs. d) 16. Considere g = 10 m/s2 a) 1. b) 60 m c) 120 m d) 180 m e) 300 m 9 – (UNIRIO) O gráfico a seguir mostra a velocidade de um automóvel em função do tempo.2m 8 – (UELONDRINA-PR) Dois móveis partem simultaneamente de um mesmo ponto e suas velocidades estão representadas no mesmo gráfico a seguir.0m e) 1. .5m c) 0. é igual a: a) zero.

A. com sua velocidade diminuindo.0kg. d) B para A. Sabendo que o vagão se desloca em trajetória retilínea. B e C.10 – (UELONDRINA-PR) Um observador vê um pêndulo preso ao teto de um vagão e deslocado da vertical como mostra a figura a seguir. 11 – (UELONDRINA-PR) Os três corpos. com sua velocidade diminuindo. b) B para A. com velocidade constante. c) A para B. m=3. a roldana tem massa desprezível e a aceleração local da gravidade pode ser considerada g=10m/s2. não oferece atrito. ele pode estar se movendo de: a) A para B. A tração no fio que une os blocos A e B tem módulo: a) 10 N b) 15 N c) 20 N d) 25 N e) 30 N . representados na figura a seguir têm massas iguais. O plano horizontal. com sua velocidade aumentando. e) B para A. onde se apóiam A e B. com velocidade constante.

o qual. ambos sobre trilhos horizontais e retilíneos. 13 – (PUC-SP) Uma criança de 30kg começa a descer um escorregador inclinado de 30° em relação ao solo horizontal. como é o movimento da criança enquanto escorrega? a) não há movimento nessas condições. onde as polias são ideais.12 – (ITA-SP) Fazendo compras num supermercado. c) desce em movimento uniforme e retilíneo. Após o início da descida. pode-se afirmar que a força que está aplicada sobre o segundo carrinho é: a) F b) MF/(m + M) c) F(m + M)/M d) F/2 e) outra expressão diferente. a máxima aceleração que ela pode imprimir ao sistema formado por ela e pelo vagão vale: a) 3g/5 b) 2g/3 c) g d) 3g/2 e) 5g/3 15 – (FUVEST-GV – SP) O sistema indicado na figura a seguir. horizontal. Se o atrito entre os carrinhos e o assoalho puder ser desprezado. sem que suas rodas patinem sobre os trilhos. e) desce em movimento retardado e pára antes do final do escorregador. Ao se por a locomotiva em movimento. b) desce em movimento acelerado. d) desce em movimento retardado até o final. Empurra o primeiro. O coeficiente de atrito estático entre as rodas da locomotiva e os trilhos é . de massa m. empurra outro de massa M sobre um assoalho plano e horizontal. e todas as demais fontes de atritos podem ser desprezadas. Podemos afirmar que o valor da força de atrito é: a) 20N b) 10N . permanece em repouso graças a força de atrito entre o corpo de 10kg e a superfície de apoio. por sua vez. um estudante utiliza dois carrinhos. com uma força F. O coeficiente de atrito dinâmico 3 entre o escorregador e a roupa da criança é e a aceleração local da 3 gravidade é 10m/s2. 14 – (FUVEST-SP) Uma locomotiva de massa M está ligada a uma vagão de massa 2M/3.

de peso igual a 700N. sofre alongamento de 8.0 b) 5. como na figura 1. por meio de uma corda inextensível. é fixa ao topo de um plano inclinado de 37°. A mesma mola.0 17 – (PUC-MG) A figura mostra um bloco. em cm.0 c) 6. presa a um suporte. o alongamento da mola é. Neste caso. sustentando um corpo de 400N de peso. a) 4. O módulo da força do plano sobre o bloco é: a) 1100 N b) 500 N c) 100 N d) 300 N e) 900 N .c) 100N d) 60N e) 40N 16 – (FATEC-SP) Certa mola. tendo agora em sua extremidade o peso de 10N. apoiado num plano horizontal. sem atrito. como na figura 2.0 d) 7.0cm quando se prende à sua extremidade um corpo de peso 12N.0 e) 8. que passa por um sistema de roldanas consideradas ideais.

suspensos por fios ideais como representado na figura.104 d) 8. um automóvel de 800 kg com velocidade constante de 72km/h se aproxima de um fundo de vale.18 – (FUVEST-SP) Um sistema mecânico é formado por duas polias ideais que suportam três corpos A. Dado: g=m/s2 Sabendo que o raio de curvatura nesse fundo de vale é 20m. B e C de mesma massa m.4. um ligado a A e outro a C.105 b) 2. conforme esquema a seguir. aproximadamente: a) 2.103 . O corpo B está suspenso simultaneamente por dois fios.6.6. em newtons. Podemos afirmar que a aceleração do corpo B será: a) zero b) g/3 para baixo c) g/3 para cima d) 2g/3 para baixo e) 2g/3 para cima 19 – (UELONDRINA-PR) Em uma estrada.104 c) 1. a força de reação da estrada sobre o carro é.0.103 e) 1.4.

a máxima velocidade que pode ter o avião.0m. Qual é o trabalho realizado pela força F no deslocamento de 1 a 5 m? a) 100J b) 20J c) 12J d) 15J e) 10J . sem que ocorra o rompimento do fio. é: a) 10 m/s b) 8 m/s c) 5 m/s d) 12 m/s e) 16 m/s 21 – (FEI-SP) Uma força F paralela à trajetória de seu ponto de aplicação varia com o deslocamento de acordo com a figura a seguir.8kg. Sabendo-se que a massa do avião é 0.20 – (PUC-SP) Um avião de brinquedo é posto para girar num plano horizontal preso a um fio de comprimento 4. Sabe-se que o fio suporta uma força de tração horizontal máxima de valor 20N.

é: a) zero.22 – (FUVEST-SP) Um pequeno corpo de massa m é abandonado em A com velocidade nula e escorrega ao longo do plano inclinado. verifica-se que sua velocidade é igual a gh . podemos afirmar que a quantidade de energia dissipada entre os pontos A e B da trajetória é de: a) 120. Ao passar por um ponto B. de um ponto A situado 20m acima do solo. O gráfico adiante ilustra a altura do pacote em função do tempo. sem velocidade inicial. e) mgh/4d. Ao chegar a B. d) mgh/2d.8 KJ b) 120 KJ c) 39. Pode-se então deduzir que o valor da força de atrito que agiu sobre o corpo. A potência aplicada ao corpo pela empilhadeira é: a) 120 W b) 360 W c) 720 W d) 1200 W e) 2400 W . 23 – (PUC-SP) Numa montanha russa onde os atritos não são desprezíveis. c) mgh/2. Considerando g=10m/s2. percorrendo a distância d = AB . um pacote de 120 kg.8 KJ 24 – (FUVEST-GV – SP) Uma empilhadeira elétrica transporta do chão até uma prateleira. um carrinho de massa 400kg parte. a 6m do chão. sua velocidade é 2m/s e sua altura em relação ao solo é 10m. supondo-a constante.2 KJ d) 40 KJ e) 40. b) mgh.

(ITA-SP) A figura a seguir ilustra um carrinho de massa m percorrendo um trecho de uma montanha-russa. por uma rampa. a velocidade mínima v que deve ter para alcançar a altura h é: a) 2 gh b) c) 2 gh gh 2 gh d) 2 e) 2 2 gh 27 – (FATEC-SP) Um objeto de massa 400g desce. o menor valor de h para que o carrinho efetue a trajetória completa é: 3 R 2 5 R 2 2R 5gR 2 3R a) b) c) d) e) 26 – (VUNESP-SP) Um bloco de massa m desliza sem atrito sobre a superfície indicada na figura a seguir. Desprezando a ação de forças dissipativas em todo o movimento e adotado g=10m/s2. choca-se com uma mola de constante elástica k=200N/m.25 . a máxima deformação da mola é de: a) 40cm b) 20cm c) 10cm .Se g é a aceleração da gravidade. Na base B. Desprezando-se todos os atritos que agem sobre ele e supondo que o carrinho seja abandonado em A. a partir do repouso no ponto A. em forma de um quadrante de circunferência de raio R=1.0m.

0cm 28 – (PUCCAMP-SP) Um carrinho de montanha russa parte do repouso do ponto A e percorre a pista sem atrito. Dado: g=10 m/s2. sem perder o contato com a pista é: a) 5.0m/s. cujo raio de curvatura é 10m. . em metros.8 m/s c) 4. para que o carrinho passe por B. teremos no ponto Q uma velocidade de módulo igual a: a) 5. o módulo de sua velocidade é 8.d) 4.0 m/s b) 4.0cm e) 2. A máxima altura h do ponto A. em P. esquematizada a seguir.0 c) 10 d) 12 e) 15 29 – (UNIRIO) A figura a seguir representa um carrinho de massa m se deslocando sobre o trilho de uma montanha russa num local onde a aceleração da gravidade é g=10m/s2. Considerando que a energia mecânica do carrinho se conserva durante o movimento e.0 m/s e) Zero.0 b) 8.0 m/s d) 2.

5 g e) 0. como mostra a figura a seguir.0cm3.6 g . Então a massa m2 que deve ser suspensa no outro braço da balança. a um dos braços de uma balança de braços iguais. É sabido que o volume de 1.04m2.3 g c) 0.2 g b) 0.30 – (FEI-SP) No macaco hidráulico representado na figura a seguir. para mantê-la em equilíbrio é: a) 0.0g de água é de 1.6 cm3 tem massa m1=1. quando fazemos uma força de 50N em A1? a) 100 N b) 1000 N c) 200 kgf d) 1000 kgf e) 10000 kgf 31 – (FUVEST-SP) Uma esfera de volume 0. Qual é o peso máximo que o macaco pode levantar. Ela está completamente mergulhada em água e presa. sabe-se que as áreas das secções transversais dos vasos verticais são A1 = 20cm2 e A2 = 0. por um fio fino.4 g d) 0.0g.

de extremidades abertas. em cm.32 – (PUCCAMP-SP) recipiente representado pela figura contém um líquido homogêneo. c) 2. d) 3. conforme a figura a seguir.4 g/cm3.6 g/cm3.75g/cm3.2 g/cm3.0. com densidade de 0. encontram-se em equilíbrio três líquidos não miscíveis.9 g/cm3. Os líquidos A e B têm densidades respectivamente iguais a 0. b) 1. vale: a) 10 b) 20 c) 30 d) 35 e) 40 33 – (MACKENZIE-SP) Num tubo em U. A densidade do líquido C é: a) 0. e) 5. a profundidade do líquido (h). Adotando g=10m/s2.80g/cm3 e 1. incompreensível e em equilíbrio.7 g/cm3.0g/cm3.103N/m2. . A diferença de pressão hidrostática entre um ponto no fundo do recipiente (M) e outro na superfície (N) vale 3.

é: a) 0. então o valor do impulso aplicado pelo Negrão à bola vale. .00g/cm3. e) 5. cuja massa específica à 1. em unidade do S. Se todo o barro ficar grudado no carrinho no instante em que o atingir. em g/cm3.0kg é atirada de uma altura h=0.5m/s e 3.0m/s.44 e) 1. o carrinho iniciará um movimento com velocidade.00 d) 1. fica com 44% de seu volume fora d'água. de massa igual a 6.0m/s..56 35 – (CESGRANRIO-RJ) De acordo com um locutor esportivo. em uma cortada do Negrão (titular da Seleção Brasileira de Voleibol). calcule o valor de v.45m. aproximadamente: a) 8.5m/s. passando os dois a deslocar-se com velocidade v. com uma velocidade horizontal v=4m/s.0kg.56 c) 1. b) 2. Desprezando o atrito. d) 3. a bola atinge a velocidade de 108km/h. Ao alcançá-lo.0 b) 29 c) 80 d) 120 e) 290 36 – (FUVEST-SP) Dois patinadores de mesma massa deslocam-se numa mesma trajetória retilínea. O patinador mais rápido persegue o outro. b) 1. a) 1.5m/s. Supondo que a velocidade da bola imediatamente antes de ser golpeada seja desprezível e que a sua massa valha aproximadamente 270g.34 – (VUNESP-SP) Um bloco de madeira.5m/s. A massa específica média dessa madeira. salta verticalmente e agarra-se às suas costas. 37 – (FUVEST-SP) Uma quantidade de barro de massa 2. c) 2.44 b) 0. em direção a um carrinho parado.I. quando posto a flutuar livremente na água. em m/s.5m/s. como mostra a figura adiante. igual a: a) 3/4. com velocidades respectivamente iguais a 1.

para a direita. o corpo sobe até uma altura h. Como conseqüência. de massa 10. Após a colisão.4m/s sobre trilhos horizontais sem atrito até colidir com outro vagão B. dirigida para a direita. b) 200J. move-se com velocidade igual a 0.c) 5/4. b) 3V. dirigida para a esquerda.000kg. . dirigida para a direita. de massa 20. e) 3. A energia cinética final do vagão B vale: a) 100J. o vagão A fica parado. e) zero. em relação ao solo. Qual é o ângulo máximo formado pelo fio com a vertical? a) 30° b) 45° c) 60° d) 75° e) 90° 39 – (UFPE) Um corpo de massa M em repouso explode em dois pedaços.45kg suspenso por um fio de 2m de comprimento. d) 3V. inicialmente em repouso. em relação ao solo. dirigida para a esquerda. d) 2. contra um corpo de massa 0.000kg. c) V/4. um dos pedaços com massa 3/4M adquire a velocidade V. 40 – (FUVEST-SP) Um vagão A. 38 – (FEI-SP) Um projétil de 450g é disparado horizontalmente com velocidade 20 m/s. Em um choque perfeitamente elástico e frontal. A velocidade adquirida pelo outro pedaço. vale: a) V/4.

A tração no cabo vale: a) 133. um corpo de 1. vemos que os corpos A e B que equilibram a barra de peso desprezível. A relação entre as distâncias x e y é: a) x/y = 1/3 b) x/y = 1/4 .6 N d) 66. e) 1600J.5 kg.0 kg. 43 – (MACKENZIE-SP) Observando a figura a seguir. (secção transversal constante).3 N b) 33. um corpo de 0. são também utilizados para equilibrar a talha exponencial de polias e fios ideais. b) A.5 kg. d) 800J.5 kg. c) A.50 kg. de 0. a barra homogênea AB pesa 40N e é articulada em A.9 N 42 – (MACKENZIE-SP) Para se estabelecer o equilíbrio da barra homogênea.0 kg. deve-se suspender em: Adote g = 10 m/s2 e despreze os pesos dos ganchos. 41 – (FAAP-SP) Na estrutura representada. e) B. apoiada no cutelo C da estrutura a seguir. um corpo de 1.c) 400J.6 N e) 199. A carga suspensa pesa 60N.3 N c) 166. um corpo de 1. d) B. a) A. um corpo de 1.

que força deverá ser feita na corda 1 para levantar uma massa de 200kg? a) 500 N b) 800 N c) 200 kgf d) 500 kgf e) 800 kgf . Pode-se afirmar que o módulo da força que tenciona o fio preso em B. vale: P a) 2 P b) 2 c) P d) 2 P e) 2 P 45 – (FEI-SP) No sistema a seguir.c) x/y = 1/8 d) x/y = 1/12 e) x/y = 1/16 44 – (FUVEST-SP) Um bloco de peso P é suspenso por dois fios de massa desprezível. como mostra a figura adiante. presos a paredes em A e B.

Sendo P o peso da esfera e 2P a força máxima que o fio suporta antes de arrebentar. o ângulo formado entre a parede e o fio é de: a) 30° b) 45° c) 60° d) 70° e) 80° 47 – (FEI-SP) Sabendo-se que o sistema a seguir está em equilíbrio.32 kg b) 20 kg c) 10 kg d) 100 N e) 200 N 48 – (FUVEST-SP) Considere um satélite artificial em órbita circular. o raio da órbita será: a) duplicado. Duplicando a massa do satélite sem alterar o seu período de revolução. . apoiada em uma parede vertical e presa por um fio ideal e inextensível.46 – (CESGRANRIO – RJ) Na figura a seguir. qual é o valor da massa M quando os dinamômetros indicam 100N cada um? a) 17. uma esfera rígida se encontra em equilíbrio.

2 dias. o raio médio da órbita da Lua estará 50% maior do que é atualmente. b) 18. seu período. Naquela época.1 dias.3 dias. que hoje é de 27.5 m/s2 . d) reduzido à quarta parte. qual é a aceleração da gravidade g' em um planeta que possui a mesma massa e metade do diâmetro da Terra? a) g' = 10 m/s2 b) g' = 20 m/s2 c) g' = 5 m/s2 d) g' = 40 m/s2 e) g' = 2. e) 50. d) 41. em alguns bilhões de anos. seria: a) 14.0 dias. 50 – (FEI-SP) Considerando que na Terra a aceleração da gravidade é de 10 m/s2.3 dias. c) 27.2 dias. e) o mesmo. 49 – (ITA-SP) Estima-se que. c) reduzido à metade.b) quadruplicado.