P. 1
Relatório de glicose(1)

Relatório de glicose(1)

|Views: 1.356|Likes:
Publicado porzerocp22

More info:

Published by: zerocp22 on Feb 16, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2013

pdf

text

original

Coordenadoria de Biotecnologia Curso de Bioquímica

Prática: Consumo de glicose por células de levedura Alunos: Gabriel Moura, Ivanilson, Jeremias Soares e Victor Baetas Turma: QM161 Professores: Ana Paula e Cristiano Riger Data da realização da prática: 06/06/2011 Data da entrega do relatório: 13/06/2011 Avaliação:

Critério: Apresentação Introdução Objetivos Métodos Resultados Discussão Bibliografia Total:

Nota:

.4 Métodos...................................................................................................................................................Índice: Introdução..........................................................9 Bibliografia.............................................................................................................................8 Conclusão.............................................................................................................................................................................................................................................................................6 Resultados..................................................4 Materiais........11 ............. equipamentos e reagentes................................................7 Discussão...3 Objetivos.....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................10 Anexo..................

sendo assim. inclusive. Em determinadas condições. à morte. servindo também de matéria-prima para a biossíntese de outras biomoléculas. Industrialmente é obtida a partir do amido. no metabolismo. pois as células a usam como fonte de energia e intermediário metabólico. por sua vez. ela apresenta seis átomos de carbono e um grupo aldeído. A elevação (descontrole) da taxa de glicose no sangue (hiperglicemia) resulta da falha na secreção e/ou ação da insulina (hormônio produzido no pâncreas. é intitulada como uma aldohexose (Fórmula Molecular: C6H12O6) Fórmula estrutural: Alfa Beta Cadeia Aberta A principal diferença entre a alfa e beta glicose é a posição da hidroxila do Carbono 2 em relação à hidroxila do Carbono 1 e.I – Introdução: Os carboidratos são as biomoléculas mais abundantes na natureza e desempenham uma grande variedade de funções. a hidroxila fica “acima” do plano do anel e o polissacarídeo formado pela associação de moléculas de betaglicose é a celulose. A glicose é o carboidrato mais importante da biologia. de fonte e reserva de energia. apresenta cadeia aberta. A sua degradação química durante o processo de respiração celular dá origem a energia química (armazenada em moléculas de ATP . é uma das principais fontes de energia e fornece em torno de 4 calorias de energia por grama. sabor adocicado (o que seria uma característica geral dos carboidratos). .aproximadamente 30 moléculas de ATP por moléculas de glicose). gás carbônico e água. responsável justamente pelo controle da taxa de glicose no sangue) e é um sintoma da doença chamada diabetes. A Glicose é encontrada nas uvas e em vários frutos. como função estrutural. assim. A alfaglicose apresenta a hidroxila “abaixo” do plano do anel e o polissacarídeo formado pela associação de moléculas de alfa-glicose é amido. Dentre os principais carboidratos destaca-se a glicose. a glicose é armazenada no sangue (e a concentração de glicose no mesmo é controlada pelo fígado). No organismo humano. na beta-glicose. a distribuição das cargas na molécula. Ela provoca uma série de complicações no organismo que podem levar. O nome glicose tem origem no grego e significa doce.

II – Objetivos: Quantificar glicose através do método do DNS. Tartarato duplo Na/K 30%p/v em NaOH 0.5% (27. 1 pipeta de 5mL e 1 pipeta de 10mL (3) Beckers 50mL (3) Pró-pipetes (10) cubetas (1) agitador de bandeja (1) pipeta automática Ponteiras amarelas (1)bastão de vidro (1) Erlenmeyer de 250 mL (1) bexiga de aniversário verde (1) estante de tubos Fermento biológico seco Pedaços de Parafilm Equipamentos: Banho-Maria (100°C): De Leo & Cia Ltda.4mol/L): Solução de Glicose 0. ® .8M) Material: (15) tubos de ensaio grandes (4) Pipetas de 1mL. III – Materiais e reagentes: Dosagem de glicose pelo método do DNS: Soluções: Solução padrão de glicose 10 mM Solução de DNS (DNS 1%p/v.

Em seguida. retirou-se alíquotas de 0.1 0. Colocou-se o erlenmeyer sobre agitação com a bexiga tapando a boca do mesmo.0 1.0 1. agitou-se vigorosamente até formação de suspensão homogênea. colocando-os em banho de gelo.9 0.5 0.1mL do sobrenadante. em outros tubos.9 0.1 0. 30 e 45 minutos. Aqueceu-os em banho-maria à 100°C por 5 min.7 0.0 1. DNS e glicose 10mM conforme a tabela abaixo. Centrifugou-se as amostras por 10 minutos. padrão de glicose 10 mM Sol glicose [?] desconhecida sol.9 0.0 1. com pipeta automática.1 0.5 - 0. transferiu-se para um tubo de ensaio e colocou-se em banho de gelo como o tempo 0.0 1. Aguardou-se que os tubos esfriassem .6 0. DNS 1 2 3 4 5 6 T0 T15 T30 T45 1.3 0. e retirou-se 5mL em tempos sucessivos de 15. Pipetou-se água destilada. Esperou-se 5minutos após o último tubo. Tubo no Água destilada sol. Pipetou-se 5mL da suspensão.9 0.9 0.0 0.0 1. obtendo-se um volume final de 10 mL em todos os tubos.5%. para interromper o consumo glicolítico. em seguida acrescentou-se 8 mL de água em cada tubo. .4 0.1 0.8 0.1 1. homogeneizou-se os tubos.0 1.0 1.2 0.0 1.0 Tabela 1: Alíquotas das soluções reagentes.Espectrofotômetro: Spectronic (rº) Genesys(tm) 5 Centrífuga Excelsa Baby: Modelo: 206-R Marca: FANEM IV – Métodos: Dosagem de glicose pelo método do DNS: Colocou-se 1g de fermento em um erlenmeyer de 250 mL e adicionou-se 70 mL de glicose 0.

295 0.331 0. Então. pois este foi ultrapassado em 2 minutos. dois dos resultados saíram com valores inesperados.000 0. Porém.450 0. pode-se calcular a concentração aproximada da solução de glicose desconhecida. ainda com este equívoco.192 . O que é feito mediante ao Fator de Calibração Média (FCM).316 0. Na absorbância. [ ] Solução padrão de glicose (mmol/L) Absorbância (540 nm) 0. pode-se dosar a concentração de glicose desconhecida a partir das amostras de concentração 10mM deste açúcar redutor. fez-se a leitura espectrofotométrica da absorbância (a 540 nm) de cada um dos tubos. O método constitui em reduzir o DNS (composto de coloração amarelo forte) a ácido 3-amino-5nitrosalicílico (composto de coloração laranja amarronzado). VI – Discussão Dosagem da glicose pelo método do DNS: Mediante a interação com DNS (ácido 3. utilizando o tubo 1 “branco” como referência de calibração para o aparelho ® V – Resultados Dosagem da glicose pelo método do DNS: Tubos (n°) 1 2 3 4 5 6 T0 T15 T30 T45 Tabela 3: Absorbâncias das soluções padrões diluídas de glicose.220 0.Tampou-se os tubos com Parafilm e homogeneizou-se os tubos.260 0.133 0. Os cálculos para tais estão em anexo.515 0. o que foi devido ao tempo de espera que os tubos foram deixados em banho-maria. oxidando o grupo aldeído do açúcar a grupo carboxílico. e é este composto gerado a partir da ação do açúcar redutor que absorve luz a 540nm.5-dinitrosalicílico).

Traduzido por W. solução de glicose). VIII – Bibliografia Referências digitais:  <http://www.usp. Bioquímica. 4ª Ed.feq.unicamp. Lodi & A.br/~cobeqic/tBT04.br/docente/srmarana/exerciciosquim. Referências bibliográficas:  LEHNINGER. a concentração desconhecida de uma solução com o mesmo soluto e solvente das analisadas pelo aparelho (no caso.pdf> acessado em 08/06/2011 às 19:30h. mediante às absorbâncias apresentadas por intermédio da análise espectrofotométrica.pdf> acessado em 08/06/2011 às 19:20h. Editora Sarvier. R. São Paulo. Albert Lester. 1996.  STRYER. Simões.iq.VII – Conclusão Pode-se calcular. Lubert. Princípios de Bioquímica. 3ª Ed. Rio de Janeiro. A.  <http://www2. Editora Guanabara Koogan. 2002. .

6= 2 . Vf 10 . Vf 10. 0. Vi = Cf . Cf Cf = 1 mmol/L 2) Tubo 2 Ci . Cf 2 = 2 . Vf 10 . Cf 6 = 2 . 0. 0.IX – Anexo Dosagem de glicose: a) Cálculo da concentração de glicose nos tubos: 1) Tubo 1: Ci .4 = 2 . 0. Vi = Cf .2 = 2 . Cf Cf = 2 mmol /L 3) Tubo 3: Ci . Vi = Cf . Cf Cf = 3 mmol/L 4) Tubo 4: Ci . Vf 10 . Cf Cf = 4 mmol/L . Cf 8 = 2 .8= 2 . Cf 4 = 2 . Vi = Cf .

220 [?] glicose = [?] glicose = = 2.103466667 (mmol/L)-1 Abs [?] glicose = 0.5) Tubo 5: Ci .12628866 mmol/L [?] glicose ~ 2. Vf 10 . Vi = Cf .1 mmol/L . Cf 10 = 2 .0= 2 . 1. Cf Cf = 5 mmol/L b) Cálculo da concentração desconhecida de glicose: FCM = FCM = FCM = 0.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->