P. 1
6º Ano - AvaliaÇÃo

6º Ano - AvaliaÇÃo

4.0

|Views: 15.782|Likes:
Publicado pormenesesmoreira

More info:

Published by: menesesmoreira on Nov 20, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/10/2015

pdf

text

original

ESCOLA BÁSICA 2.3.

SOPHI

A

D E

MELLO BREYNER

Educação Moral e Religiosa Católica Ficha de Avaliação: 6º Ano

Nome: ______________________________________________________ N.º: ____ Turma: ____ Prof.: _______________ Enc. de Educ.: _________________ Classificação:

________________

I Lê com atenção o texto e responde às questões que se seguem. “Na janela em frente da janela do meu quarto, no prédio do lado de lá da rua, a minha vizinha cose à máquina. Através da sua varanda consigo ver tudo o que lá se passa. Acho estranho tudo isto. (...) Como se explica que eu saiba tanta coisa dos romanos, e dos mouros, e não saiba nada da minha vizinha. (...) Como se explica que eu saiba que Isabel era o nome da mulher de D. Dinis e não saiba nem o nome da minha vizinha.”
Alice Vieira

1. No texto, o que é que a personagem considera “estranho”? Assinala com um (X) a resposta que te parece mais adequada:  Ter um prédio à frente da sua janela;  A vizinha coser à máquina;  Saber tanta coisa e não saber o nome da vizinha;  Aprender escola; tanta coisa na

2. “Saber o nome” dos outros é muito importante para uma boa relação. No entanto, além do nome, existem outros elementos que te ajudam a conhecer melhor quem te rodeia. Enumera alguns aspectos que consideras importante conhecer sobre os teus colegas. __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________

II
1

1. “A Disciplina de EMRC ajuda-te a crescer “Para ser Feliz. Onde podes encontrar a frase sublinhada? _____________________________________________________________________________

2. “O que eu quero, principalmente, é que vivam felizes...” Certamente, recordas-te desta expressão de Sebastião da Gama. Refere duas regras apontadas por este professor, poeta e escritor para o bom funcionamento de uma aula. __________________________________ __________________________________

3. Ao longo deste ano e na Disciplina de EMRC irás descobrir muitos assuntos de interesse. Nas seguintes afirmações, assinala aquelas que te parecem verdadeiras (V) ou falsas (F). Ao longo do ano vou descobrir que: ___ a vida defendida; humana deve ser ___ a vida humana não tem valor; não devem ser

___ devo promover o respeito pelo outro; ___ ___ ___ o perdão me torna feliz; crescendo, desenvolvo minhas capacidades; nasci para ser feliz; as

___ os outros respeitados;

___ a vingança é preferível ao perdão; ___ crescendo, sou incapaz de melhorar as minhas capacidades; a minha vida não tem sentido.

___

V

4. Existem valores que a Pessoa deve procurar viver e promover. Descobre alguns desses valores, completando o “crucigrama”:

D

R A D

P C

I L G

O B

P R D Ç

A

O

III 1. A Pessoa deve nascer e crescer numa Família ou num ambiente, que na sua vez, lhe proporcione afecto e amor. Concordas com esta afirmação? Justifica a tua resposta. _____________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________
2

________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ Lê com atenção os textos que se seguem e responde às questões. A cegonha está associada a lendas de muitas civilizações do Mediterrâneo. Uma delas associa a sua imagem ao nascimento dos bebés, por causa de alguns dos seus hábitos. Por exemplo, as cegonhas são migratórias, isto é, retornam no início da Primavera e foram sempre vistas como símbolos dessa estação. Ora em muitas culturas, o início da Primavera era o dia tradicional para cerimónias de casamento. Como o regresso das cegonhas ocorria geralmente 9 meses depois, coincidia mais ou menos com o nascimento dos bebés concebidos na lua-de-mel. Por isso se dizia que “as cegonhas traziam os bebés”. Além disso, as cegonhas têm a tendência de regressarem ao mesmo ninho. Por isso, se associa a cegonha ao casamento e ao nascimento dos filhos.

2. A famosa “história da cegonha”, embora se saiba que não passa de uma lenda, pretende transmitir alguns elementos que devem estar presentes na concepção de um filho/a. Completa por isso, o seguinte texto, recorrendo ao “banco de palavras”. acasalam instinto expressão relacionar amor reprodução

“Todo o ser vivo provém de outro ser vivo. A este processo de transmissão da vida, chamamos ___________________. Ao contrário de outros seres vivos, que ___________________ apenas por ___________________, a Pessoa é a única capaz de se ___________________ com outra por ___________________. Por isso se afirma que o nascimento de um filho/a deve ser ___________________ do amor vivido pelos pais.”

Declaração Universal dos Direitos do Homem Artigo 1.º: Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Artigo 3.º: Todo o indivíduo tem direito à vida

3

Artigo 25.º: (1) Toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente para lhe assegurar e à sua família a saúde e o bem-estar, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário, ao alojamento, à assistência médica e ainda quanto aos serviços sociais necessários, e tem direito à segurança no desemprego, na doença, na invalidez, na viuvez, na velhice ou noutros casos de perda de meios de subsistência por circunstâncias independentes da sua vontade. (2) A maternidade e a infância têm direito a ajuda e a assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimónio, gozam da mesma protecção social.
Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, 10/12/1948 (adaptado)

Declaração dos Direitos da Criança Princípio 3.º: Desde o nascimento, toda a criança terá direito a um nome e a uma nacionalidade. Princípio 6.º: A criança tem direito a amor e compreensão para crescer e se desenvolver como pessoa. A criança deve crescer num ambiente de afecto e de segurança moral e material, sob o cuidado e responsabilidade dos pais ou de outros educadores em sua vez. Salvo em condições muitos especiais, a criança não deve ser separada dos pais e da família. A sociedade deve proteger e cuidar especialmente da criança sem família.
Assembleia das Nações Unidas, 20/11/1959 (adaptado)

Convenção sobre os Direitos da Criança Artigo 6: (1) Os Estados Partes reconhecem à criança o direito inerente à vida. (2) Os Estados Partes asseguram na máxima medida possível a sobrevivência e o desenvolvimento da criança. Artigo 7: A criança é registada imediatamente após o nascimento e tem desde o nascimento o direito a um nome, o direito a adquirir uma nacionalidade e, sempre que possível, o direito de conhecer os seus pais e de ser educada por eles.
Adoptada pela Assembleia Geral nas Nações Unidas em 20/11/1989 e ratificada por Portugal em 21/09/1990

3. Transcreve dos textos dez (10) direitos que assistem a cada Pessoa desde o seu nascimento.
__________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________

Vós é que formastes o meu interior, me tecestes no seio da minha mãe. (...) Nada em mim Vos escapou quando, no silêncio, era formado para a vida. Os
4

Vossos olhos contemplavam-me ainda em embrião, e todos os meus dias eram contados até antes de eu nascer.
Salmo 139

Jesus exclamou: “Reparai nestas flores... Se Deus as reveste com esta beleza, muito mais se preocupa convosco. O vosso Pai sabe bem o que precisam”
Lucas 12

4. Na perspectiva cristã, a origem do amor e da vida provém de Deus, que confia a cada Pessoa as mesmas capacidades. De acordo com a mensagem dos textos, escolhe com um (X) as frases que consideras verdadeiras.  Deus conhece muito bem cada um de nós.  Deus é indiferente à situação de cada um.  Deus acompanha a história de cada Pessoa, porque o Seu amor não tem limites.  A história de cada Pessoa passa despercebida aos olhos de Deus.  Deus é comparado por Jesus a um Pai que se preocupa com cada um dos seus filhos.  Apenas as flores são revestidas de beleza, porque valem muito mais que a Pessoa.  A vida humana tem um valor incalculável e inestimável.  A vida humana não tem nenhum valor.  Deus confia a cada a Pessoa a tarefa de gerar a vida com responsabilidade.  A Pessoa pode dispor da sua vida e da vida dos outros como quiser, sem responsabilidade. Bom trabalho!

5

ESCOLA BÁSICA 2.3. SOPHI

A

D E

MELLO BREYNER

Educação Moral e Religiosa Católica Ficha de Avaliação: 6º Ano

Nome: ______________________________________________________ N.º: ____ Turma: ____ Prof.: _______________ Enc. de Educ.: _________________ Classificação:

________________

I Enquanto a chuva Escorrer na minha vidraça E furar o telhado Daquele farrapo de homem que além passa, Enquanto o pão Não entrar com a justiça Lado a lado Mão a mão, Nem Jesus vem Andar pelos caminhos onde os outros vão E o mundo for o espaço Onde cabe Um só abraço, Então, Jesus virá E será A flor de tudo, O Redentor Universal (Quando o Homem quiser será Natal).

Um dia, Quando for Natal (E já não for Dezembro)

Manuel Sérgio

1. Indica duas condições sugeridas pelo texto para que o Natal aconteça todos os dias. _____________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ 2. “O Natal é um acontecimento marcante da sociedade actual”. Justifica esta afirmação, completando o texto com a ajuda do banco de palavras.

tradições social laços Jesus Cristo fraterno religioso irmãos familiar cultural solidaried ade

O Natal é um acontecimento __________________ porque celebra o nascimento de __________________, Filho de Deus nascido homem. Desta forma, Deus manifestou o seu amor por todos os homens, convidando-os a relacionarem-se . O Natal é entre si como um verdadeiros __________________ também acontecimento

__________________, uma vez que é o momento ideal para que a Família se encontre, reveja e partilhe o que de mais importante a une: os __________________ de amor familiar. Por último, o Natal é um acontecimento __________________ e __________________, já que nessa época a sociedade parece perceber que é possível construir um

mundo mais justo e __________________, através de pequenos gestos de amizade, partilha e __________________. Não admira, por isso, que a época natalícia seja marcada com tantos __________________ e símbolos culturais, isto é, que fazem parte de muitas __________________ do povo português.

3. Explica porque razão o Natal é a festa da “Fraternidade Universal”. _____________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ 4. Existem diversos organismos que defendem a dignidade da pessoa humana e contribuem para a construção de um mundo mais fraterno. Identifica algumas dessas instituições, fazendo corresponder a respectiva sigla ao nome equivalente e vice-versa.
AMI    Organização das Nações Unidas Organização das Nações Unidas para a Educação, Assistência Médica Internacional Fundo Internacional de Auxílio às Crianças das Nações Amnistia Internacional Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Organização Mundial de Saúde

UNICEF  Ciência e Cultura AI FAO Unidas OMS  

 

 

ONU  Agricultura UNESCO 

5. Além destes organismos, muitas têm sido as pessoas que conseguiram melhorar o mundo. Associa a cada nome o gesto que o tornou famoso.

Luis Braille Mahatma Gandhi Raoul Follereau Florence Nightingale Martin Luther King Madre Teresa Calcutá de

     

  

o homem que libertou a Índia e ensinou ao mundo a força da não-violência inventor do sistema universal de leitura e escrita para cegos a “Senhora da lanterna” que dedicou a sua vida aos outros

 o grande amigo dos doentes da lepra  o defensor da não violência contra o racismo  a “Teresa dos abandonados”, dos pobres e dos doentes

6. De certo modo, também tu podes contribuir para um ambiente mais solidário na tua escola. Indica três atitudes concretas de solidariedade que podes assumir no meio em que vives. 1. __________________________________________________________________________ 2. __________________________________________________________________________ 3. __________________________________________________________________________ II

Eu tinha 12 anos e tinha um amigo. Não me recordo do seu nome, mas sei que era meu amigo porque um dia, quando brincávamos (e éramos crianças) só ele soube apanhar e soube oferecer-me uma flor. No dia seguinte, trazia uma roda de borracha, um pneu autêntico e minúsculo de um dos seus carros de corrida. Era tão pequeno que cabia na palma da minha mão, mas os sulcos do pneu verdadeiro fascinaram-me. Eu não disse que o queria, não disse sequer que o achava bonito. Mesmo assim ele deu-mo: “Toma, é para ti. Deume uma flor e depois um pneu. Então, eu pensei que a amizade era uma coisa muito bela. Queria dar-lhe também - o quê? - uma erva, uma pedra, o quê? Pequenos objectos que afinal ele também podia apanhar, mas talvez oferecidos por mim lhe parecessem mais belos. Perguntei-lhe: “O que queres?” “Queria que me contasses uma história.” Eu sabia muitas histórias. Umas, de as ter ouvido; outras, de as ter imaginado. Mas receava que alguém já lhas tivesse contado. Então comecei a modificar, a transformar as histórias minhas conhecidas, na esperança de que ele não as reconhecesse.
Maria Alberta Menéres - A Chave Verde ou os Meus Irmãos

1. Que tipo de relação descreve o texto? _____________________________________________________________________________ 2. Enumera algumas características da amizade vivida entre as personagens.
 __________________________________  __________________________________

__________________________________

__________________________________

3. Uma relação de amizade pode sofrer alguns atentados. Dos exemplos que se seguem assinala aqueles que, na tua opinião, podem prejudicar uma relação de amigos.
 Mentira;  Honestidade  Boato;  Egoísmo;  Sinceridade;  Intriga;  Vaidade;  Falsidade;  Maledicência;  Dedicação;  Inveja;  Violência.

4. Quando uma amizade é rompida, podem ser várias as consequências e atitudes assumidas. Indica aquelas que te parecem mais (V) ou menos (F) apropriadas.
___ Eu sou perfeito(a)! Tenho sempre razão e não vai ser agora que me vou humilhar! ___ É lamentável perder um(a) amigo(a) desta maneira. Sinto-me mal comigo mesmo(a)! ___ ___ Não me importo com nada nem com ninguém! Amigos, há muitos! Afinal, reconheço a minha parte de culpa nesta situação. O melhor é dialogar.

___ Nem pensar! Ele ou ela é que tem de me vir pedir desculpa! Era o que faltava! ___ O erro foi meu, afinal! Por isso, posso muito bem ir ter com ele ou ela e pedir desculpa! ___ ___ Ele ou ela não perde pela demora. Na primeira oportunidade, vingo-me! Devo compreendê-lo(a)! Afinal, mesmo sem querer, magoei-o(a).

Então, Pedro aproximou-se e perguntou-lhe: «Senhor, se o meu irmão me ofender, quantas vezes lhe deverei perdoar? Até sete vezes?» Jesus respondeu: «Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. *** Se te recordares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. *** Ouvistes o que foi dito: Olho por olho e dente por dente. Eu, porém, digo-vos: Não oponhais resistência ao mau. Mas, se alguém te bater na face direita, oferece-lhe também a outra. Se alguém quiser discutir contigo para te tirar a túnica, dá-lhe também a capa. E se alguém te obrigar a acompanhá-lo durante uma milha, caminha com ele duas. Dá a quem te pede e não voltes as costas a quem te pedir emprestado. *** Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, crucificaram Jesus e os malfeitores, um à direita e outro à esquerda. Jesus dizia: «Perdoa-lhes, Pai, porque não sabem o que fazem.»

5. Na “crucigrama” que se segue descobre as atitudes sugeridas por Jesus para reatar uma relação de amizade:
B E G T R D I M E T O C L R R S N D I A E Z G D T N C Á C D L A D Ã D N E R

6. Completa a história que se segue, de modo a concluíres os assuntos que foram abordados nas aulas: Um jovem sonhou que entrava numa grande loja. Havia um anjo por detrás do balcão. Perguntou o jovem: “Que vendes aqui?”. O anjo respondeu delicadamente: “Tudo o que desejes”. Então o jovem começou a lista dos seus pedidos: o fim de todas as guerras do mundo, mais justiça para os explorados, tolerância e generosidade para com os emigrantes, mais amor nas famílias, trabalho para os desempregados... O anjo interrompeu-o: “Lamento muito, meu jovem. Não me compreendeste bem. Nós aqui não vendemos frutos, mas apenas sementes. ______________________________________________________________________________ __ ______________________________________________________________________________ __ ______________________________________________________________________________ __ ______________________________________________________________________________ __ ______________________________________________________________________________ __

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->