Você está na página 1de 26
R esolução das atividades complementares M atemática M19 — Geometria Analítica: Pontos e Retas p.

Resolução das atividades complementares

R esolução das atividades complementares M atemática M19 — Geometria Analítica: Pontos e Retas p. 08

Matemática

M19 — Geometria Analítica: Pontos e Retas

p. 08 1
p. 08
1

(MACK-SP) Identifique a sentença falsa:

O ponto (0, 2) pertence ao eixo y.

b) O ponto (4, 0) pertence ao eixo x.

a)

c) O ponto (500, 500) pertence à bissetriz dos quadrantes ímpares.

d) O ponto (80, 280) pertence à bissetriz dos quadrantes pares.

O ponto ( 3 1 1, Resolução: O ponto ( 3
O ponto (
3
1 1,
Resolução:
O ponto (
3

3 1 1 ) pertence à bissetriz dos quadrantes pares.

3 3 1 1 ) pertence à bissetriz dos quadrantes pares. 1 1, 3 1 1

1 1,

3 1 1 ) tem as coordenadas iguais.

pares. 1 1, 3 1 1 ) tem as coordenadas iguais. Logo, pertence à bissetriz dos

Logo, pertence à bissetriz dos quadrantes ímpares.

2
2

(

(

a)

0,

b) 0,

9

(FURRN) O ponto P, do eixo Oy, eqüidistante dos pontos Q(2, 0) e R(4, 2) é:

)

5

c) (0, 4) d) (0, 3) d(P, Q) 5 dd(P, R) 2 ( 4 0
c)
(0, 4)
d)
(0, 3)
d(P, Q) 5
dd(P, R)
2
( 4
0
)
2
2
1
(2
2
y)

y

2

4y 5 16

y

5 4

P(0, 4)

e)

(0, 0)

12

11 )
2

Reso lução:

P(0, y); Q(2, 0); R(4, 2)

 

(

2

2

0

)

2

1

(0

2

y)

2

4

1

y

2

5

16

1

44 2 4y 1

3
3

(Unitau-SP) Sabendo-se que o ponto Q(1 2 a, b 1 2) pertence ao quarto quadrante do plano

cartesiano, pode-se concluir que os possíveis valores de a e b são:

a)

{a IR | a 5 0} e {b IR | b , 1}

d)

{a IR | a , 22} e {b IR | b , 1}

b)
b)

{a IR | a , 1} e {b IR | b , 22}

e)

{a IR | a 5 21} e {b IR | b 5 2}

c)

{a IR | a . 1} e {b IR | b . 22}

Resolução:

No quarto quadrante, devemos ter:

• abscissa positiva: 1 2 a . 0 a , 1

Portanto, {a IR | a , 1} e {b IR | b , 22}.

• ordenada negativa: b 1 2 , 0 b , 22

4
4

(Vunesp-SP) Os vértices da base de um triângulo isósceles são os pontos (1, 21) e (23, 4) de um

2,3

sistema de coordenadas cartesianas retangulares. Qual a ordenada do terceiro vértice, se ele pertence ao eixo

das ordenadas?

Resolução:

B(3, 4)

d(A, C)

5

d(B, C)

Resolução: B( � 3, 4) d(A, C) 5 d(B, C) A(1, � 1) C(0, y) 2

A(1, 1)

C(0, y)

2 2 (21) 1 (y 1 1) 2 1 1 y 1 2y 1 1
2
2
(21)
1
(y
1 1)
2
1 1
y
1
2y
1
1
10y
5
23
⇒ y
5
2 5 3 2 1 (y 22 4 ) 2 5 9 1 y 2
2
5
3
2 1
(y
22 4 )
2
5
9
1
y
2
8y
1
16

2,3

5
5

(UFU-MG) São dados os pontos A(2, y), B(1, 24) e C(3, 21). Qual deve ser o valor de y para que o

2 14

triângulo ABC seja retângulo em B?

3

Resolução:

 

A

O triângulo ABC é retângulo em B.

 

Logo, o lado

AC é a hipotenusa.

 
 

B

Logo, o lado A C é a hipotenusa.     B C Usando o teorema de

C

Usando o teorema de Pitágoras, temos:

A, B

[d(A, C))] 5

2

[(

d

)]

2

1

[(

d B, C

)]

2

(

 

(3

2

2)

2

1

(

2

1

2

y)

2

)

22

y

2

1

2y

11

2

5

y

2

1

8y

 

1

5 (

17

2 2 2 ) (1 2 2) 1 ( 2 4 2 y) 14 1
2
2
2
)
(1
2
2)
1
(
2
4
2
y)
14
1
13
y
5 2
3

1

2

)

2

( 2 (3 2 1) 1 ( 2 1 1 4)
(
2
(3
2
1)
1
(
2
1
1
4)
p. 09 6
p. 09
6

(UESPI) Se os pontos P(1, 2), Q(3, 5), R(6, 7) são os vértices de um triângulo, então o triângulo é:

c)
c)

d)

isósceles e não-retângulo eqüilátero

e)

escaleno

a)

b) retângulo e não-isósceles

isósceles e retângulo

Resolução:

Desenhando o triângulo no plano caartesiano:

y R 7 Q 5 P 2 1 3 6 x
y
R
7
Q
5
P
2
1
3
6
x
2 2 d(P, Q) 5 (3 2 1) 1 (5 2 2) 5 13 2
2
2
d(P, Q)
5
(3
2
1)
1
(5
2
2)
5
13
2
2
d(P, R)
5
((6
2
1)
1
(7
2
2)
5
50
2
2
d(Q, R)
5
(6
2
3)
1
(7
2
5)
5
13
Co mmo d(P, Q)
5 d(Q, R)
d(P, R) e d(P, R)

2

d(P,

Q)

2

1

d(Q, R)

o triângulo PQR é isósceles ee não-retângulo.

2

,

7
7

(UFAL) Sejam o ponto P(2, 1) e o ponto Q, de abscissa 4, localizado no 1 o quadrante. Se a distância de

Q a P é igual à distância de Q ao eixo das abscissas, então Q é o ponto:

5 4 ) a) ( 2 , ( 5 ) b) 4, 2
5
4 )
a) (
2 ,
(
5 )
b)
4,
2

Reso lução:

c)

d)

(4, 3)

(2, 4)

y d(Q, P) 5 a ⇒ 2 a Q 4 1 a 2 2a 1
y
d(Q, P)
5 a
2
a
Q 4
1
a
2
2a
1
2a
5
5 ⇒
a
5
1
P
(
5
)
Logo, Q 4,
0
1
2
3
4
x
2

e)

(4

2

2)

2

1

(a

2

1)

2

11

5

2

5 a

2

5

8
8

a)

(11, 4)

(Unicruz-RS) O ponto médio do segmento (23, 7) e (11, 15) é:

c)

(4, 5)

b)

(8, 4)

d)

(8, 11)

Resolução:

 
 

2

3

1

11

x

y

M

5

5

2 7 1 15
2
7
1
15

5

5

4

11

M(4, 111)

M

2

e)
e)

(4, 4)

a

(4, 11)

9
9

M(4, 111) M 2  e) (4, 4) a (4, 11) 9 (FEI-SP) Os pontos X

(FEI-SP) Os pontos X, Y e Z possuem as seguintes coordenadas no plano cartesiano: (0, 0), (m, 8),

c)

d)

n 5 3 m 5 5

e)

n 5 2

(n, n 1 3).

Se Z é o ponto médio do segmento XY , então:

m 5 2

b) m 5 1

Resolução:

X(0, 0); Y(m, 8); Z(n, n


n

nn

5

1

0

1

m

3

2

5

0

1

8

2

1 3)

2n

2n

5

5

m

2

m

n

5

5

2

1

10
10

Calcule os comprimentos das medianas de um triângulo cujos vértices são os pontos A(0, 0),

B(4, 26) e C(21, 23).

Resolução:

A(0, 0) M 1 (x, y) C(�1, �3) M 3 (u, v) M 2 (z,
A(0, 0)
M 1 (x, y)
C(�1, �3)
M 3 (u, v)
M 2 (z, t)

B(4, 6)

2 1 1 0 1  x 5 5 2 2 2  ( 1
2
1
1
0
1
x
5
5
2
2
2
(
1 3
M
2
2 ,,
2
1
2
3
1
0
2
3
y
5
5
2
2
2
2
1
1
4
3
z
5
5
2
2
(
3
9
)
M
2
2
2
3
2
6
2 ,
22
9
t
5
5
2
2
2
0
1
4
u 5
5 2
2
⇒ M
3 (2,
2 3)
0
2
6
v 2 3
5
5
2

)

2 2 ( 3 ) ( 9 ) 3 10 d(A, M )) 5 2
2
2
(
3
)
(
9
)
3
10
d(A, M ))
5
2
0
1
2
2
0
5
2
2
2
2
2
2
(
1
)
(
33
)
9
2
d(B, M )
5
2
2
4
1
2
2
(
2
6
)
5
1
2
2
2
2
) ) 22
d(C, M )
5
(2
2 2
(
1
)
)
1 2
(
3
2 2
(
3
5 3
3
11
Determine as coordenadas dos pontos que dividem em três partes iguais o segmento de extremidades
(22, 21) e (3, 2).
Reso lução:
segmento de extremidades (22, 21) e (3, 2). Reso lução: ( � 2, � 1) (x,
segmento de extremidades (22, 21) e (3, 2). Reso lução: ( � 2, � 1) (x,
segmento de extremidades (22, 21) e (3, 2). Reso lução: ( � 2, � 1) (x,
segmento de extremidades (22, 21) e (3, 2). Reso lução: ( � 2, � 1) (x,

(2, 1)

(x, y)

(z, t)

(3, 2)

z 2

2

t

)

2

2

e

(

4

33

1

3

1

x

x 5

z

2

2

(I)

y

5

(II)

z

5

(III)

Das equações (I) e (III):

2x

2

x

2

1

5 2 2

2z

5

3

Das equaçõees (II) e (IV):

) .

2y

2

y

5

2

1

0

t

22t

5 2 1

5 2

e

t

5

1

Resolvendo o sistema, obtemos:

 

1

4

x

5 2

3

e z

5

3

Os pontos procurados são:

(

2 1

Resol vvendo o sistema, obtemos:

y

3 , 0

, 1

t

5

2 11

y

2

(IV)

12
12

(UFPE) Dado um triângulo ABC, calcule as coordenadas (x, y) do vértice A, sabendo-se que B(1, 1) e que

25

Reso lução:

Seja o triângulo ABC da figura:

os pontos médios dos lados BC e AC são respectivamente (21, 22) e (1, 0). Indique o valor do produto x ? y.

B(1, 1) (�1, �2) (1, 0)
B(1, 1)
(�1, �2)
(1, 0)

C(x C , y C )

A(x, y)

   

1

1

x

C

21

2

2

55

5

2 1 1 y C
2
1
1
y
C
 

2

1

 

2

3

1

x

55

0

5

2 2 5 1 y
2
2
5
1
y
 

2

x

y

x

y

C

C

5

5

5

5

5

5

2 3

2 5


C(

2

A(5, 5)

3,

2

5)

Logo, x

? yy 5 5 ? 5 5 25

13
13

a)

(25, 0)

(Fafi-BH) O baricentro do triângulo ABC de vértices A(25, 25), B(1, 5) e C(19, 0) é:

b) (215, 0)

A( 2 5, 2 5), B(1, 5) e C(19, 0) é: b) ( 2 15, 0)

(5, 0)

d)

(15, 0)

Resolução:

  2 5 1 1 1 19 x 5 5 5 G 3 
2
5
1
1
1
19
x
5
5 5
G
3
5
 G(55, 0)
2
1
5
1
0
 5
y
5 0
G
3
p. 16
14
(Cesgranrio-RJ) A equação da reta mostrada na figura a seguir é:
a)
y
b)
3x 1 4y 2 12 5 0
3x 2 4y 1 12 5 0
3
c) 4x 1 3y 1 12 5 0
d) 4x 2 3y 2 12 5 0
O
x
�4
e) 4x 2 3y 1 12 5 0
Resolução:
x
y
1
2 4
0
1
5
0
2
12
1
4y
2
3x
5
0
3x
2
4y
1
12
5
00
0
3
1

15
15

(Unifor-CE) Na figura, tem-se um triângulo eqüilátero de lado 6 e cujos

vértices A, B e C situam-se sobre os eixos cartesianos. A equação da reta suporte do lado BC é:

a) x 1 y 2 3 5 0 b) x 1 3 y 2 3
a) x
1
y
2
3
5
0
b) x
1
3
y
2
3
3
c) 33 x
2
y 1 3
3
 
d) 3
d)
3

x

1

y

2 3 3 3 5
2
3
3
3
5

0

5

0

5

0

e)

3x

1

y

2

 

5 0

y C O x A B
y
C
O
x
A
B

Reso lução:

Se cada lado de um triângulo eqüillátero mede , então a medida de sua alturaa é h 5

 3
3

2

. Como

5

BC :

6, temos h x 5 y 1 3 0 1 0 3 3 1
6, temos h
x
5
y
1
3 0
1
0
3
3
1
3 3 . Então, A( 5 0 ⇒⇒ 3 x
3
3
. Então, A(
5 0 ⇒⇒
3 x

2

1

33, 0), B(3, 0), C ( 0, 3 3 ). y 2 3 3 5
33, 0), B(3, 0), C
( 0, 3
3
).
y 2 3
3
5 0
16
16

(UFG) Sejam P(0, 0), Q(0, 2), R(2, 2) e S(2, 0) pontos do plano cartesiano. Sejam A e B pontos médios

dos segmentos QR e RS, respectivamente.

a) Represente, num mesmo plano cartesiano, os pontos P, Q, R, S, A e B, destacando o triângulo APB.

b) Mostre que o triângulo APB é isósceles.

c) Determine a equação da reta que passa por A e B.

x 1 y 2 3 5 0 2 2 b) d(P, A) 5 (1 2
x 1 y 2 3 5 0
2
2
b) d(P, A)
5
(1
2
0)
1
(0
2
2)
5
1
1
4
5
5
2
d(P, B)
5
(2
2
0)
2 11
(1
2
0)
5
4
1
1
5
5

Logo, PA

5 PB e o triângulo PAB é isósceles.

c) Equação da reta que passa poor A e B:

1

2

1

 

2

1

1

5

0

x

1

y 2

3

5

0

x

y

1

 

Resolução:

a) Plano cartesiano

y A(1, 2) Q R B(2, 1) P S x
y
A(1, 2)
Q
R
B(2, 1)
P
S
x
17
17

(Fuvest-SP) A tabela mostra a temperatura das águas do oceano

Atlântico (ao nível do equador) em função da profundidade.

Admitindo que a variação da temperatura seja linear entre duas medições consecutivas quaisquer feitas para a profundidade, qual a temperatura

prevista para a profundidade de 400 m?

10,5 °C

Resolução:

100

21

1

 

400

t

1

5

0

4t

2

42

5

0

t

5 10,5 °C

500

7

1

 

Profundidade

Temperatura

 

(m)

(°C)

superfície

27

 

100

21

 

500

7

1

000

4

3

000

2,8

18
18

(Faap-SP) Uma reta de demanda estabelece a relação entre o preço de venda p de uma unidade de

um produto e a quantidade q que se deseja comprar. Um distribuidor de relógios de mesa estima que, se o preço for R$ 80,00, ele poderá vender 1 000 unidades; se o preço subir para R$ 86,00, venderá 700. Quantos relógios ele poderia vender se o preço fosse R$ 90,00?

a) 580

c)
c)

500

e)

860

b) 900

d) 730

Resolução:

Pelos dados, temos: q p 1 000 80 700 86 x 990
Pelos dados, temos:
q
p
1 000
80
700
86
x
990
p A B 90 86 C 80 x 700 1000 q
p
A
B
90
86
C
80
x
700
1000
q

Os pontos A, B e C estão alinhados, logo::

x 90 1 700 86 1 1 000 80 1
x
90
1
700
86
1
1 000
80
1

5

0

6

x

2

3

000

5

0

 

6

x

5

3

000

x

5

50

00

19
19

(PUCC-SP) Na figura abaixo tem-se representada, em um sistema de eixos cartesianos ortogonais, a

rota de uma aeronave, de uma cidade M a uma cidade N, passando sobre as pequenas cidades A e B.

y (km) N B A x (km) M
y (km)
N
B
A
x (km)
M

Se os quatro pontos pertencem à reta de equação 4x 2 3y 1 1 200 5 0, a

distância entre as cidades A e B, em quilômetros, é aproximadamente:

a)

50

c)

800

e) 8 000

b)
b)

500

d)

5 000

Resolução:

O ponto A tem ordenada y 5 0.

4x 2 3y 1 1 200 5 0 4x 2 0 1 1 200 5 0 x 5 2300 km

Daí: A(2300, 0)

O ponto B tem abscissa x 5 0.

4x 2 3y 1 1 200 5 0 0 2 3y 1 1 200 5 0 y 5 400 km

Daí: B(0, 400)

A distância entre A e B é igual a:

d 5

Portanto, d

(0 1

30 0)

2

1 (400 2 0)

2

55 500 km.

90 000 1 160 000
90
000
1
160 000

5

20
20

Determine k, sabendo que a inclinação da reta que passa pelos pontos A(k, 3) e B(21, 24) é 45°.

Resolução:

2 4 2 3 m 5 tg 45° 5 1 5 1 ⇒ k 5
2
4
2
3
m
5
tg 45°
5
1
5
1 ⇒
k
5
6
2
1 2
k
21
(PUC-SP) Determine a equação da reta de coeficiente angular igual a 2 4
5
P(2, 25).
4x 1 5y 1 17 5 0
Resolução:
4
m
5 2
; P(2,
2 5
)
5

e que passa pelo ponto

y

1

5

5 2

4

5

(x

2

2

)

5y

1

25 55 24x

1 8

4x

1 5y 1 17 5 0

k 5 6

22
22

(Esam-RN) A equação da reta que tem coeficientes angular e linear, respectivamente, iguais a

a

)

x

1

3y

2

5

5

0

c

)

b )
b
)

2x

2

3y

2

3

5

0

d

)

Resolução:

y 5 mx

1 n

y 5

2

3

x

2

1

2x

y

2

5

3y

1

22x 1

3y 5 2x

3

2

3

5

2

3

0

2x

2 3y 2

e

)

3

y

5

5

0

2

3 x

3 2 e 21 é:

23
23

(UERJ) Um atleta está treinando em uma pista

v (m/s) 4 2 O 10 t (s) 5
v (m/s)
4
2
O
10 t (s)
5

retilínea e o gráfico ao lado apresenta dados sobre seu movimento. A distância percorrida pelo corredor, no intervalo entre

0 e 5 s, é igual à área do trapézio destacado. Calcule essa

distância.

12,5 m

Resolução:

Se o gráfico representativo da velocidade está contido em uma reta, a função horária da velocidade tem a forma v(t) 5 at 1 b

Do

gráfico, temos:

t

t

5

5

0

10 s

v

v

5

5

2 m/s

4 m/

ss

2

4

5

5

b

10a

1

b

Substituindo b por 2, obtemos: 4 5 10a 1 2, ou seja, a 5 1

5 .

Logo, v(t)

5

1

5

t

1 2

A base maior do trapézio mede (para t 5 5 s):

v(5)

1

5

5

?

5

1

2

5

3

(B

1

2

b)h

Portanto, S

A distância é de 12,5 m.

5

S

5

(

3

1

2

2

)

?

5

55 12,5

24
24

(FGV-SP) Quando uma família tem uma renda mensal de R$ 5 000,00, ela consome R$ 4 800,00 por

mês; quando a renda é R$ 8 000,00, ela consome R$ 7 200,00.

a) Chamando de X a renda mensal e de C o consumo, obtenha C em função de X, sabendo-se que o gráfico

de C em função de X é uma reta.

C(X) 5 0,8X 1 800

b) Chama-se poupança mensal da família (P) à renda mensal menos o correspondente consumo. Obtenha P

em função de X e encontre os valores da renda para os quais a poupança é maior que R$ 1 000,00.

X . 9 000

Resolução:

a) A sentença que define a função é do tipo C(X) 5 aX 1 b, uma vez que o gráfico de C é uma reta. Pelo enunciado:

4 800

7 200

5

a

?

5 000

1

b

(I)

5

a

?

8 000

1

b

(II)

Fazendo (II) 2 (I): 3 000a 5 2 400 a 5 0,8 Substituindo a por 0,8, em (I):

4 800 5 0,8 ? 5 000 1 b b 5 800 Então: C(X) 5 0,8X 1 800

b)

P(X) 5 X 2 C(X) e C(X) 5 0,8X 1 800, então:

P(X) 5 X 2 (0,8X 1 800) ou P(X) 5 0,2X 2 800 P . 1 000 0,2X 2 800 . 1 000 X . 9 000

p. 17 25 (Vunesp-SP) A figura mostra os gráficos de uma função exponencial y (
p.
17
25
(Vunesp-SP) A figura mostra os gráficos de uma função exponencial
y
(
5
y 5 a x e da reta que passa pelo ponto
0,
) e tem coeficiente angular 10 7
.
3
A
5
Pelo ponto C ( 1 2 , 0 ) passou-se a perpendicular ao eixo x, que corta os gráficos,
( 0,
3 )
B
respectivamente, em B e A.
C
x
Supondo-se que B esteja entre A e C, conforme mostra a figura, e que a medida
1
2
8
do segmento AB é dada por
21 , determine o valor de a.
4
Resolução:
y
1
2 ⇒
10
1
5
50
x
5
y
5
?
y 5
7
2 1
3
21
r
2
(
50
)
(
)
8
Logo, A
, B
11 2 , y
e d(A, B)
5
5
A
1 2 ,
21
21
( 0,
3 )
B
2
22
8
(
1
50
5
1
2 1
)
(
)
2
2
y
21
2
21
C
0
x
8 50
1
5
2
y
y 5
2
r 1
2
21
21
(
)
De acordo com a figura:
Então, B
1 2 , 2
5
100
10
5
r: 1 y
2
5
(x
2
0) ou y
5
x
1
Como
B
per
ttence ao gráfico da função y
5 a x ,
3
7
7
3
1
1
2
5
a
2
a
5
4
r 2 : x
5
2
{A}
5 r
r
1
2

26
26

(UFSM-RS)

y A(0, 12) P(x, y) B(8, 0) O x Resolução:
y
A(0, 12)
P(x, y)
B(8, 0)
O
x
Resolução:

A figura mostra um retângulo com dois lados nos eixos carte- sianos e um vértice na reta que passa pelos pontos A(0, 12) e B(8, 0). As dimensões x e y do retângulo, para que sua área seja máxima, devem ser, respectivamente, iguais a:

a)
a)

b)

4 e 6

5 e

9

2

c)

d)

5 e 7

4 e 7

e) 6 e 3

Os pontos A, P e B estão alinhadoss, logo: 0 12 1 3 x y
Os pontos A, P e B estão alinhadoss, logo:
0
12
1
3
x
y
1
5
0
24
2
2y
2
3x
5
0
y 5
12
2
2
8
0
1
A
5 x
?
y
(2)
retângulo

x

(1 ))

Substituindo (1) em (2), vem:

A 5

(

x 12

3

2

x

)

2

A

5

2 3

2

x

2

1

12x

A

5 2

3x

2

1

24x

Par aa que a área seja máxima, temos:

x v

5

2 b

2a

x

v

55

2 24

2

?

(

2 3

)

5 4

Substituindo x

As dimensões do retângulo sã oo 4 e 6.

5

4 em (1), vem: yy

5 12 2

3

2

?

4

y

5

6.

p. 24 27
p.
24
27

(UERN) Seja M o ponto de intersecção das retas de equações x 2 y 2 6 5 0 e 3x 1 y 2 2 5 0.

A equação da reta paralela ao eixo das abscissas, passando por M, é:

a) x 2 2y 5 10

c)

x 5 2

e)
e)

y 5 24

b) y 5 2

d)

x 5 24

Reso lução:

 

x

2

y

2

6

5

1

3x

1

y

2

2

5

 

4x

2

8

5

x

2

y

22

6

5

0

2

2

y

2

6

5

0

M(2,

2 4

)

 

0

0

0

y

5

x

5

2 4

2

A equação da reta ““horizontale que passa por M é y 5 2 4.

0

28
28

(UFPA) Escreva a equação da reta que passa pelo ponto P ( 1 2 , 21 ) e é perpendicular a uma reta que

forma com o sentido positivo do eixo do x um ângulo cuja tangente é 5

2 .

Resolução:

m

5

2

5

(

1

1

)

P

m

m  5 2

2

2 ,

?

m

 5 2 1

2

5

2

y y

1

y 1

2x

1

5

1

5 2

1

5y

m (x

2

5

4

(

x

5

2

2

0

x )

2

1

2

)

2x 1 5y 1 4 5 0

29
29

(UMC-SP) Dois barcos navegam durante um nevoeiro, segundo as direções das retas r e s, num

1

2y

2

6

5

0 e s:

x

3

1

y

3

5 2, pode-se afiirmar que:

sistema de coordenadas cartesianas.

Sendo r: 2x

a) O ponto possível de colisão é

b) O ponto possível de colisão é

(

(

2

3 ,

2

3

2

2

3 ,

) .

2

d) O ponto possível de colisão é (3, 0).

2

3

) .

Não poderá haver colisão.. 2 d) O ponto possível de colisão é (3, 0). 2 3 ) . c)

c) O ponto possível de colisão é (0, 3).

Resolução:

Ponto de intersecção:

2x

x

3

1

1

2y

y

3

5

55

6

2

x

x

1

1

y

y

5

5

3

6

Não há ponto de colisãão, pois as retas são paralelas.

p. 25 30
p. 25
30

(UFSM-RS) Sejam r: x 1 qy 2 1 5 0 e s: px 1 5y 1 2 5 0 duas retas perpendiculares entre si. Então,

é correto afirmar que:

a ) p 5 2 5 c ) p 5 1 q q p b
a
)
p 5 2
5
c
)
p 5
1
q
q
p
b )
5 5
d
)
p
?
q
5 2
1
q
Resolução:
p
5 2
1 e m
5 2
m r
q s
5

e

)

p

?

q

5

5

Para as retas sere mm perpendiculares:

(

1

m

r

?

m

s

5 21

2

q

2

5

pp

5 21

5q

p

5q

p 5 2

 

q

p

)

5 21

5 25

31
31

(UFPI) A equação da reta perpendicular à reta y 5 2x 1 1 e que passa pela intersecção das retas

c)
c)

d)

7x 2 7y 2 4 5 0 7x 1 7y 2 6 5 0

e)

22x 1 2y 2 5 5 0

2x 2 3y 2 1 5 0 e 3x 2 y 2 2 5 0 é:

a) 2x 1 2y 1 7 5 0

b) 5x 2 5y 1 1 5 0

Resolução: r u s P t Observando que u ⊥ t, temos: ? m 5
Resolução:
r
u
s
P
t
Observando que u
⊥ t, temos:
? m
5 2
1
(
2
1)m
m t
u
u

Reta t:

y

5 2x

1

5 2

1

m

u

1

5

1

m

Coorden aadas do ponto P , intersecção das retas r e .

s

2x

3x

2

2

3y

y

2

2

2

1

5

5

0

0

t

5 2

1

Resolvendo o sistem aa, temos x

5

5

7

e y

5

1 7 , ou seja, P

(

5

7 ,

1

7

) .

E qquação da

reta

u

: y

2

 

7y

2

7x

2

1

7

5

1

(

x

2

1

77y 2 4 5 0

5

7x

2

5

5

7

)

Em questões como a 32, a resposta é dada pela soma dos números que identificam as alternativas corretas.

s y r C O A x B t
s
y
r
C
O
A
x
B
t

1

2

e 22.

32
32

(UEM-PR) Considere as retas r, s e t, dadas no gráfico ao lado.

Sabe-se que a equação de r é 2y 5 x 2 3, que os pontos B e C são simétricos em relação ao eixo das abscissas, que as retas r e s são paralelas e que t é perpendicular a r. Nessas condições, é correto afirmar:

(01) O ponto A sobre o eixo x, intersecção de r e t, é (2, 0).

C

é

(

0,

3

2

) .

(02) O ponto

(04) A distância entre r e s é 3.

(08) Os coeficientes angulares das retas r,

(16) A equação da reta t é y 5 22x 1 6. (32) A equação da reta horizontal que passa por A é x 5 0. (64) A equação da reta vertical que passa por A é x 5 3.

1

2

,

s

e

t

são, respectivamente,

2 1 8 1 16 1 64 5 90

Resolução:

r: 2y

5 x

2 3

y 5

1

2

x

2

3

2

m

r

Como as r eetas

A reta t é perpendicular à reta r.

m

r

e

s

são paralelas, temos m

r

11 2

? m

t

5 21

m

r

?

m

t

5 21

t

5

1

2

5 m

5

1

s 2 .

5 22

(01) Falsa. A reta r intercepta o eixo x quanndo

y

5

0

.

2

?

0

5

x

2

3

x

5

3. Logo, A(3, 0).

(02) Verd aadeira. A reta r intercepta o eixo y quandoo

x

2

y

5

0

.

5 0

2

3

2

( 0,

B

2 3

y

5

2

2

)

3

Então,

trico de

C

. Como o p oonto

C

é simé-

em relação ao eix

3

2

)

.

oo das abscissas,

(

0,

(04) Falsa. A reta s tem coeficiente angular 1 2 e

passa pelo pponto C 0, 3

s: y

2

2

3

1

 

5

2

2

2 (x

.

0)

(

)

x

2

2y

1

3

5

0

 

(

 

3

)

 

2

 

2

0

 

2

( 2

3

)

1

3

2

?

 

2

   

1 2 1

(

2

2)

2

 
6 5
6
5
 
 

5

.

 

t

2 3)

y

 

A distância do ponto B 0,

d ((B, s)

5

6

5
5

5

5

à reta

5

s

é:

(08)

(16)

Verdaadeira

Verdadeira

. Equação da reta :

y

Falsa. A equação da re tta horizontal que passa por

A

Verddadeira.

2 00 5 22(x

é y

5 22x

1 6

(32)

5 0.

(64)

São corretas as afirmativas 2, 8, 116 e 64, somando 90.

33
33

(FGV-SP) No plano cartesiano, considere a reta r de equação 2x 2 y 1 3 5 0. Seja t a reta

(

3

5

21

5

Cálculo do coeficiente angular da reta t, peer- pendicular a r

m

m

t

5 2 1

2

r

?

m

t

5 21

Equação da reta , passando pelo ponto

t

)

P(

2

1, 5)

y

2 5