P. 1
O Valor Social e Econômico da Água na Sub-Bacia do Rio Seridó

O Valor Social e Econômico da Água na Sub-Bacia do Rio Seridó

|Views: 31|Likes:
O presente trabalho trata sobre o valor social e econômico da água na sub-bacia do Rio Seridó no trecho compreendido entre as barragens Boqueirão e Passagem das Traíras.
O presente trabalho trata sobre o valor social e econômico da água na sub-bacia do Rio Seridó no trecho compreendido entre as barragens Boqueirão e Passagem das Traíras.

More info:

Categories:Types, Research, History
Published by: Francimar de Araújo Galvão on Mar 04, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/04/2012

pdf

text

original

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

Disciplina: GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO AMBIENTAL DISCIPLINA: GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS Professora: Rita Alves Silva Aluno: Francimar de Araújo Galvão Cidade: Jardim do Seridó-RN Telefones: (84) 3472-2887 – (84) 9911-7607

O VALOR SOCIAL E ECONÔMICO DA ÁGUA NA SUB-BACIA DO RIO SERIDÓ. A microrregião do Seridó Oriental está incluída justamente na Bacia Hidrográfica Piranhas-Açu, que faz parte da Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Oriental, constituída pelas bacias hidrográficas dos rios que deságuam no Atlântico – trecho nordeste- estando limitada a oeste pela bacia do Rio Parnaíba e ao sul pela região hidrográfica do São Francisco. Essa bacia é bastante dinâmica, pois, é composta de um conjunto de rios temporários e, dois rios principais que são perenizados graças a existência de grandes reservatórios de água com vazão suficiente para garantir a perenização dos rios Piranhas (açude Coremas) e Açu (Barragem Armando Ribeiro Gonçalves). A Microrregião do Seridó Oriental faz parte da Sub-bacia do Rio Seridó, caracterizada por problemas de regularização de vazões emanadas da ausência ações planejadas que permitam o uso pleno das disponibilidades hídricas existentes. Os principais reservatórios da Sub-bacia Seridó são, o Açude Boqueirão de Parelhas com capacidade para acumulação de 89.000.000 (oitenta e nove milhões de metros cúbicos), e, a Barragem Passagem das Traíras, localizada na divisa dos municípios de Jardim do Seridó e São José do Seridó, com capacidade para a acumulação de 48.800.000 (quarenta e oito milhões e oitocentos mil metros cúbicos) de água. Esses dois reservatórios, construídos ao longo das duas últimas décadas do Século XX são administrados pelo Governo do Estado do Rio Grande do Norte, através da Secretaria Estadual de Meio-Ambiente e Recursos Hídricos. Os últimos anos do Século XX, foram marcados pelo predomínio de escassez de recursos hídricos como conseqüência do predomínio de anos secos, tendo essa sub-bacia sofrido fortemente com essa situação que contribuiu fortemente para a derrocada econômica da área e, proporcionado a formação de um conceito de certa forma egoísta por parte das populações urbanas que passaram a exigir que o volume de água armazenado nos açudes públicos fossem usados tão somente para o atendimento das demandas da população das cidades. Somente como forma de dar respaldo ao que se demonstra no presente estudo, em 1999, em diagnóstico elaborado durante a criação do Plano de Desenvolvimento Sustentável do Seridó (2000) fora observado que, no que em particular se refere ao Seridó, a demanda está sendo atendida de forma extremamente precária, tanto em relação à demanda rural difusa (consumo doméstico e dos animais, ao nível das fazendas) como à demanda urbana municipal (consumo doméstico e serviços urbanos..).
1 SGAS 603 conj. C - CEP: 70.200-630 - Brasília/DF - Tel. (61) 3218-8331 www.posead.com.br - academico@posead.com.br

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU
Disciplina: GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS

O mesmo estudo (2000, p. 58) apontava que, “os açudes privados e comunitários se encontravam, em sua grande maioria, em agosto de 1999, ou totalmente vazios ou com escassa margem de água armazenada”. Nesse contexto, a água terminava sendo um gênero de grandiosa necessidade e dotada de um valor econômico estupendo, considerando que em muitas comunidades dispersas o acesso se dava justamente através do sistema de distribuição através carros-pipas, um serviço oneroso para os cofres públicos e de péssima qualidade, tanto em termos de estrutura de distribuição (caminhões), quanto no que diz respeito à qualidade do produto fornecido. É também nesse momento que os sistemas de dessalinização de água são implantados na região, tendo como metodologia de funcionamento o pagamento pelo uso da água, onde fora atribuído um valor ao produto, demonstrando pela primeira vez aos usuários rurais que, para terem acesso a uma água de boa qualidade teriam que pagar uma taxa mensal, cujo pagamento era feito às associações de usuários de água, criadas na época justamente para servirem de instrumento legal para a gestão dos sistemas de dessalinização. Em verdade, essa gestão até hoje não se tornou autônoma, pois, os sistemas de dessalinização são bastante onerosos necessitando que, haja uma participação direta do poder público na operacionalização para garantir o funcionamento dos mesmos. A partir de 2004, inicia-se um ciclo de maior incidência de invernos, tornando possível um maior aproveitamento do potencial hídrico da sub-bacia, principalmente devido ao fato de que, pela primeira vez a Barragem Boqueirão de Parelhas atingiu uma lâmina de transbordamento, o que veio a possibilitar uma gestão plena de suas águas. No entanto, os problemas de escassez observadas nos anos anteriores, foram determinantes para que a opinião pública, predominantemente, as populações urbanas se mobilizassem no sentido de impedir que o recurso hídrico reservado pudesse ser explorado em benefício do desenvolvimento das populações ribeirinhas situadas a jusante do reservatório citado. Como forma de agilizar a gestão dos recursos hídricos a serem liberados para a perenização do trecho do Rio Seridó com águas da Barragem Boqueirão fora formada uma comissão gestora. No entanto, alguns dos membros dessa comissão eram, na verdade, lideranças políticas do município de Parelhas, e, diante disso, passaram a defender os interesses da população urbana e, dessa forma, adotaram uma postura de entravamento das ações e propostas e, por isso, uma atitude que poderia ter contribuído para melhorar as condições de vida da população rural, terminou sendo dificultada por uma parcela da população que defendia que, o reservatório deveria servir somente para o atendimento das demandas urbanas. Vale enfatizar também a ausência de estrutura operacional da secretaria de estado responsável pela gestão dos açudes. A Barragem Passagem das Traíras, é considerada hoje um dos exemplos de gestão de águas na região pois, ainda no ano 2002 fora criada uma associação de usuários de água do reservatório, através da qual fora criado uma cláusula que garante a 10.000.000 de metros cúbicos, tendo se determinado que, a partir de tal volume a perenização é cortada para que seja garantido o abastecimento de Jardim do Seridó, município cuja população urbana é abastecida por tal reserva hídrica, através de um sistema adutor. Diante desse planejamento, que fora minuciosamente elaborado por técnicos da Agência de Desenvolvimento do Seridó no ano 2002, com a participação de usuários, que integram a associação, se pode trabalhar com
2 SGAS 603 conj. C - CEP: 70.200-630 - Brasília/DF - Tel. (61) 3218-8331 www.posead.com.br - academico@posead.com.br

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU
Disciplina: GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS tranqüilidade, pois, existe a garantia de uma exploração racional do reservatório. Os usuários a montante podem desenvolver suas atividades produtivas com a certeza de que não terão prejuízos, acontecendo o mesmo com os usuários da jusante. Esses dois exemplos são demonstrativos de situações em que os recursos hídricos desde que sejam explorados de forma racional e, acima de tudo planejada, serão essenciais para o desenvolvimento de uma região, considerada por muitos como atrasada em termos econômicos. De um lado, um reservatório com grande potencial mas, que, até hoje não exerceu a sua função em plenitude devido aos conceitos enraizados na população urbana, o que demonstra as limitações da sociedade em termos de conscientização. Por outro lado, um reservatório com potencial menor, mas, que, graças, a uma ação resultante de um planejamento estrategicamente elaborado, consegue exercer uma função bem mais importante. Diante disso chegase a conclusão de que, mesmo sendo um recurso natural limitado, a água, se bem gerenciada, pode gerar benefícios econômicos capazes de tornar possível o alcance de boas condições de vida para a população que faz uso da mesma. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE. Secretaria de Planejamento e Finanças SEPLAN. Plano de Desenvolvimento Sustentável da Região do Seridó do Rio Grande do Norte. Diagnóstico, Volume 1. Caicó-RN, 2000.

.

3 SGAS 603 conj. C - CEP: 70.200-630 - Brasília/DF - Tel. (61) 3218-8331 www.posead.com.br - academico@posead.com.br

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->