P. 1
Modelo de Modalidade - Gestão de Pequenas Organizações

Modelo de Modalidade - Gestão de Pequenas Organizações

|Views: 2.602|Likes:
Publicado porErica Resende

More info:

Published by: Erica Resende on Mar 12, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/23/2013

pdf

text

original

Sections

  • LISTA DE FIGURAS
  • LISTA DE QUADROS
  • RESUMO
  • 1 INTRODUÇÃO
  • 1.1 Justificativa
  • 1.2 Objetivo Geral
  • 1.3 Objetivos Específicos
  • 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
  • 2.1 Gestão
  • Figura 1: A dinâmica do processo organizacional
  • 2.2 Pequenas Organizações
  • 2.3 Estratégia
  • 2.4 Recursos Humanos
  • Figura 2: O processo de comunicação
  • Figura 3: Os diferentes estilos de poder
  • 2.5 Marketing
  • Figura 4: Variáveis de cada área do composto de marketing
  • 2.6 Produção
  • Figura 5: Processo de transformação da produção
  • 2.7 Recursos Materiais
  • Figura 6: Fluxo das atividades de administração de materiais
  • 2.8 Administração Financeira
  • Figura 7: Quadro da Demonstração do Resultado
  • Figura 8: Modelo de Balanço Patrimonial
  • 2.9 Diagnóstico
  • 2.10 Gestão de Restaurantes
  • 3 METODOLOGIA
  • 4 DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO
  • 4.1 Descrição do negócio
  • 4.2 Caracterização da empresa
  • 4.2.1 Histórico
  • Figura 9: Fachada do Cascata’s Restaurante
  • 4.2.2 Estrutura Organizacional
  • Figura 10: Organograma funcional do Cascata’s Restaurante
  • 4.3 Situação atual
  • 4.3.1 Descrição da situação atual
  • 4.3.2 Diagnóstico e Sugestões de melhorias
  • Figura 11: Gráfico das vantagens do Cascata’s Restaurante
  • Quadro 1: Diagnóstico da área de gestão
  • Quadro 2: Diagnóstico da área de estratégias
  • Figura 12: Gráfico do relacionamento interpessoal do Cascata’s Restaurante
  • Figura 13: Gráfico dos fatores de motivação do Cascata’s Restaurante
  • Figura 14: Gráfico do relacionamento com a chefia do Cascata’s Restaurante
  • Quadro 3: Diagnóstico da área de recursos humanos
  • Quadro 4: Diagnóstico da área de marketing
  • Quadro 5: Diagnóstico da área de produção
  • Quadro 6: Diagnóstico da área de recursos materiais
  • Quadro 7: Diagnóstico da área de administração financeira
  • 4.4 Plano de propostas de melhorias
  • Figura 15: Objetivo e planos de ação - Proposta 1
  • Figura 16: Detalhamento dos recursos – Proposta 1
  • Figura 17: Objetivo e planos de ação - Proposta 2
  • Figura 18: Detalhamento dos Recursos - Proposta 2
  • Figura 19: Objetivo e planos de ação – Proposta 3
  • Figura 20: Detalhamento dos Recursos - Proposta 3
  • Figura 21: Objetivo e planos de ação – Proposta 4
  • Figura 22: Quadro do detalhamento do orçamento - Proposta 4
  • Figura 23: Objetivo e planos de ação – Proposta 5
  • Figura 24: Detalhamento dos Recursos – Proposta 5
  • 4.5 Implementação
  • 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  • APÊNDICE
  • ANEXOS

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

GESTÃO DO CASCATA’S RESTAURANTE

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

HELEN CRISTINA ARAÚJO

GOIÂNIA, GO 2008/ 2

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

HELEN CRISTINA ARAÚJO

GESTÃO DO CASCATA’S RESTAURANTE

Relatório Final de Estágio Supervisionado do curso de Administração da Universidade Católica de Goiás. Orientadora: Silvana de Brito Arrais Dias, M. Sc.

GOIÂNIA, GO 2008/ 2

AUTORIZAÇÃO

Autorizo a aluna Helen Cristina Araújo, do Curso de Administração, matrícula 200410230399, a depositar a versão final do seu Relatório de Estágio Supervisionado após ter sido submetido à avaliação da Banca Examinadora. Modalidade de Estágio: Gestão de Pequenas Organizações. Tema do Estágio: Gestão do Cascata’s Restaurante.

Goiânia,......./......../..........

-----------------------------------------------------------------------------Profª. Silvana de Brito Arrais Dias, M. Sc.

_____ de ______________ de ________ BANCA EXAMINADORA Profª. Prop. Sc. M. Sc. Ricardo Resende Dias. Silvana de B. Arrais Dias. Orientadora do Estágio Supervisionado Prof. Membro da Banca Examinadora Maria Coraci Borges Vieira. Membro da Banca Examinadora . M. Goiânia.HELEN CRISTINA ARAÚJO GESTÃO DO RESTAURANTE CASCATA’S Este Relatório foi julgado adequado para a obtenção da aprovação na disciplina Estágio Supervisionado do curso de Administração do Departamento de Administração da Universidade Católica de Goiás. Os registros de avaliação foram feitos na Ficha de Acompanhamento do aluno e na Ficha de Avaliação da Banca Examinadora.

. Aos meus pais. minha irmã. pessoas que sempre apoiaram e financiaram minha educação. pelo incentivo e presença nos momentos difíceis.DEDICATÓRIA A Deus. À Danielle. que me deu forças para continuar firme no meu propósito de estudo.

Rildo e toda sua equipe. pelo apoio. pelo carinho e colaboração prestados. À Professora Silvana de Brito Arrais Dias. A todos os meus amigos. em especial à Sâmia Caetano da Silva Neto e Yanna Thaís Ferreira Teodoro. apoio e contribuição para o término deste estágio. que contribuíram de forma imprescindível para a realização deste Estágio. .AGRADECIMENTOS À Maria Coraci. pela amizade sincera. dedicação e paciência na orientação do estágio. Agradeço sinceramente a todos que de uma forma ou de outra tornaram possível a conclusão deste curso. À Daniele Ibiapino e sua família.

o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer.“Nas grandes batalhas da vida.” Mahtama Gandhi .

..........................................................77 4...............................................................................................................1 Histórico ...............2 Pequenas Organizações.............................................................................................................41 2......................2 Objetivo Geral ....................................................1 Justificativa ...........3 Situação atual .......................123 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS.....................................154 ..............................3 Objetivos Específicos...........64 2.....................................................................................17 2..........74 4.......................22 2.................................................................................................................................4 Plano de propostas de melhorias.......................................................................9 Diagnóstico ...................................2 Diagnóstico e Sugestões de melhorias ...............38 2................................................................................131 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.......................................................................................3 Estratégia...............................................................77 4.......................................................1 Gestão .................12 1..........14 2...........................................................................................................................................6 Produção...........................................................................................................................3..........73 4.................................................................................................................................12 1..............68 3 METODOLOGIA........132 APÊNDICE ..........90 4.............5 Implementação .................................137 ANEXOS...........................71 4 DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO............1 Descrição do negócio.........................................................7 Recursos Materiais ..........13 1................................51 2............................................................................................................................................................................75 4.10 RESUMO .......9 LISTA DE QUADROS ......................................................2 Caracterização da empresa ........................2...........................................58 2......................................................................................................................................................................................................................................................................2 Estrutura Organizacional.19 2............................................................11 1 INTRODUÇÃO................10 Gestão de Restaurantes .....73 4...........................................3........................................................................................................................................................................2..............................................................4 Recursos Humanos..........................................SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS.....................................................................14 2................................1 Descrição da situação atual ......................................................................................................13 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA..........................5 Marketing ..................................................................................76 4.105 4...................................................................................8 Administração Financeira.....................

........................................................95 Figura 15: Objetivo e planos de ação .....Proposta 3 ...........................................................122 ..........Proposta 1 ..106 Figura 16: Detalhamento dos recursos – Proposta 1 ...........................................................Proposta 4 ...............53 Figura 7: Quadro da Demonstração do Resultado.................................................95 Figura 14: Gráfico do relacionamento com a chefia do Cascata’s Restaurante..............106 Figura 17: Objetivo e planos de ação ................................................................61 Figura 9: Fachada do Cascata’s Restaurante......................................116 Figura 22: Quadro do detalhamento do orçamento ........................................................90 Figura 12: Gráfico do relacionamento interpessoal do Cascata’s Restaurante..............60 Figura 8: Modelo de Balanço Patrimonial ..118 Figura 23: Objetivo e planos de ação – Proposta 5 ............................Proposta 2 .........................................................................................77 Figura 11: Gráfico das vantagens do Cascata’s Restaurante ......................75 Figura 10: Organograma funcional do Cascata’s Restaurante ..............................................35 Figura 4: Variáveis de cada área do composto de marketing ....................120 Figura 24: Detalhamento dos Recursos – Proposta 5...113 Figura 20: Detalhamento dos Recursos ..........................................................108 Figura 18: Detalhamento dos Recursos ..............................33 Figura 3: Os diferentes estilos de poder .............43 Figura 6: Fluxo das atividades de administração de materiais.................................................LISTA DE FIGURAS Figura 1: A dinâmica do processo organizacional.....................40 Figura 5: Processo de transformação da produção .........................................................................94 Figura 13: Gráfico dos fatores de motivação do Cascata’s Restaurante ...................................................Proposta 2 .................115 Figura 21: Objetivo e planos de ação – Proposta 4 ...................................................................108 Figura 19: Objetivo e planos de ação – Proposta 3 .................16 Figura 2: O processo de comunicação..............................................

.......................................................................................................................................96 Quadro 4: Diagnóstico da área de marketing.....104 .....98 Quadro 5: Diagnóstico da área de produção ...................................................................91 Quadro 2: Diagnóstico da área de estratégias.........................................................................................102 Quadro 7: Diagnóstico da área de administração financeira.................100 Quadro 6: Diagnóstico da área de recursos materiais ...............92 Quadro 3: Diagnóstico da área de recursos humanos ....................................LISTA DE QUADROS Quadro 1: Diagnóstico da área de gestão............

com o intuito de aperfeiçoá-la.RESUMO Tendo em vista a importância das pequenas empresas para a economia e para a sociedade. Com os resultados obtidos. foi possível descrever a situação atual da empresa. foi escolhido o Cascata’s Restaurante como objeto de estudo. apresentando propostas de melhorias que contribuíssem para o seu desenvolvimento no mercado. bem como realizar o diagnóstico das suas áreas funcionais. Palavras-chave: restaurante. diagnóstico. propiciando seu desenvolvimento. . A pesquisa foi desenvolvida com base no método de abordagem indutivo. Para embasamento teórico do estudo foram utilizadas citações de diversos autores. observações não participantes e questionários aplicados a uma amostra de 67% do universo da pesquisa. O objetivo deste estudo foi analisar a gestão da empresa escolhida. melhorias. Ao final são apresentadas as considerações finais sobre o estudo. sobre assuntos que foram considerados importantes para a compreensão do estudo. uma pequena empresa que está em constante luta para sobrevivência e permanência no mercado. e os instrumentos de coleta de dados foram: entrevistas semi-estruturadas realizadas com o gestor e a proprietária da organização.

propondo ações de melhoria. as empresas com estrutura menor ficam prejudicadas e para garantir a permanência no mercado. Nesse contexto. foi feita uma revisão da literatura sobre os assuntos necessários para a elaboração do relatório. Nessa situação. Apresenta a justificativa e os procedimentos metodológicos que foram adotados para alcançar os objetivos propostos. precisam de uma administração eficaz. com objetivo de aperfeiçoá-la promovendo o desenvolvimento organizacional. Inicialmente. o Cascata´s Restaurante. 1. mas também para a economia nacional. Cabe ressaltar que. a má qualificação da gerência é um dos fatores que levam essas instituições à mortalidade. visto que esta pretende crescer e obter sucesso no alcance dos objetivos. a fim de fundamentá-lo teoricamente e posteriormente diagnosticar os problemas identificados. Outro ponto que merece ser destacado é que. Promover o crescimento e o desenvolvimento dessas empresas é essencial não só para a sociedade onde elas estão localizadas. o cenário atual é marcado pela competição acirrada entre as organizações. . o presente estágio justifica-se dado sua relevância para a empresa analisada. Dessa forma. o estágio aborda a gestão de uma micro empresa.1 Justificativa A sobrevivência das pequenas organizações no mercado atual está cada vez mais comprometida. Sendo assim. Este aspecto faz com os processos administrativos necessitem ter alto poder de flexibilidade e adaptação.12 1 INTRODUÇÃO As organizações de micro e pequeno porte representam uma parcela significativa do total de estabelecimentos no Brasil. O fato é que. é de fundamental importância entender a dinâmica das micro e pequenas empresas a fim de melhorar a administração das mesmas. as mudanças nunca aconteceram tão rapidamente e nem com tanta intensidade como na época atual.

sem nenhum conhecimento específico. . É bem verdade que a maioria dos gestores desse tipo de organização age por intuição. modelos e ferramentas de administração. Identificar fatores de ameaça à organização. 1. considerando a contribuição para o crescimento profissional e a abertura de novas oportunidades de atuação no mercado. pois o crescimento de uma pequena organização implica no desenvolvimento da sociedade como um todo.2 Objetivo Geral O estudo visa conhecer e aperfeiçoar a gestão do Cascata’s Restaurante com o intuito de propiciar o desenvolvimento da empresa. diagnosticando-os eficazmente. A contribuição teórica está na exigência de estudo dos conceitos. 1. Identificar ferramentas e técnicas de gestão que possibilitem o alcance dos objetivos organizacionais. A praticidade está no fato de que existem milhares de pequenas empresas no país. fornecendo embasamento teórico e solucionando possíveis dúvidas a respeito das normas e procedimentos científicos exigidos. Enfim. Propor ações de melhoria. É importante.13 Além disso. visto que este representa um instrumento de consulta para os alunos na elaboração de monografias.3 Objetivos Específicos Analisar o modelo de administração utilizado pela organização. trata-se de um estudo prático e importante. Cabe ainda ressaltar a relevância acadêmica do projeto. a nível pessoal. e este poderá oferecer conceitos que servirão de base para otimização dos seus processos de gestão. apontando os que são mais adequados para a realidade da empresa. é de grande interesse a realização do estudo.

abordados neste estágio. p. descreve-se a área do marketing.” . Panno. define-se o que vem a ser gestão. devido à abrangência e complexidade do fenômeno em questão. Posteriormente. Primeiramente. A seguir. da liderança e do controle dos recursos organizacionais. eficaz e efetiva. 2. foram escolhidos de acordo com a estrutura da empresa em estudo. da organização. Além disso. apresentando uma visão geral sobre suas funções e principais questões. por meio do planejamento. Feito estes relatos. faz-se um breve discurso sobre pequenas organizações e seus pontos característicos. ou administração.14 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Este capítulo aborda os principais conceitos e definições encontrados na literatura pesquisada que serviram de base para os estudos. 385) “Administração é o processo de consecução dos objetivos organizacionais de uma maneira eficiente. Apresenta-se também as áreas de recursos materiais e da produção. Estas definições se complementam. realiza-se a caracterização das diversas áreas funcionais da administração. levando em consideração a relevância dos mesmos para o alcance do objetivo do trabalho. analisa-se a função recursos humanos. discute-se o que é estratégia. análises e reflexões das informações coletadas. Inicialmente. Kloeckner (2005. Encerra-se com a fundamentação teórica sobre o setor da empresa . enfatizando seus principais instrumentos e funções. quais são suas concepções e quais os passos para sua implementação. De acordo com Caravantes.1 Gestão Existem vários conceitos a respeito da palavra gestão.restaurante. enfatizando as técnicas de gestão utilizadas nesse ramo. A seguir. destaca-se a importância da função Financeira para o sucesso empresarial. destacando a importância das pessoas no processo administrativo. o conceito e as características de um diagnóstico. Os aspectos específicos de cada função administrativa. O capítulo explora ainda.

não alcançando os resultados esperados. podem se respaldar nas atividades básicas da administração: planejar. A realização sistemática das funções descritas anteriormente forma um ciclo. além da utilização de seus conhecimentos e habilidades. nas organizações de serviços públicos. sem um fim determinado. justifica-se a presença dos gerentes nas empresas. Muitos gestores realizam várias combinações ao mesmo tempo e por isso se perdem. todas reunidas para um mesmo fim. a habilidade de harmonizar os objetivos pessoais de cada membro da corporação com os objetivos organizacionais. Nota-se também que. ou seja. atribuir as responsabilidades e os recursos entre os membros da organização visando a eficácia organizacional. O ideal seria que estas atividades seguissem a seqüência definida. a arte de administrar envolve o agrupamento de pessoas diferentes. o processo de gerir uma empresa envolve primordialmente a definição dos objetivos. no comércio. é preciso traçar os objetivos corretos e cumpri-los (eficácia) e utilizar os recursos da melhor maneira possível (eficiência).7) salienta: Vivemos em uma civilização onde o esforço cooperativo do homem é a base fundamental da sociedade. nos hospitais.” Para atingir níveis satisfatórios de eficiência e eficácia. Além disso. antes de fazer certo as coisas é preciso saber a coisa certa a fazer. a organização não existe. É óbvio que.15 A partir da análise desse conceito observa-se que. Essa dinâmica do processo administrativo está retratada na Figura 1. Porém. Com base nesse fato. mas na realidade não é o que acontece. A tarefa básica da Administração é a de fazer as coisas por meio das pessoas. p. organizar. nas universidades. Eles precisam ter. liderar. a eficácia com que as pessoas trabalham em conjunto para conseguir objetivos comuns depende principalmente da capacidade daqueles que exercem função administrativa. Chiavenato (1993. É como afirma Stoner. visando a permanência no mercado (efetividade). os administradores. alocar recursos antecipadamente para o alcance de fins determinados. e controlar. Seja nas indústrias. Freeman (1999. influenciar as pessoas para a realização das tarefas estipuladas. além de outras. comparar o planejado e o executado. .5) “Nenhuma quantidade de eficiência pode substituir a falta de eficácia. nas instituições militares ou qualquer outra forma de empreendimento humano. p.

A condução racional da execução das mesmas é um fator chave para atingir o sucesso. não se trata de uma tarefa fácil. “Novas formas e modelos de organização serão necessários. O cenário atual é marcado por mudanças carregadas de ambigüidades e desafios. E isso só é possível através da administração. A sofisticação da tecnologia. trata-se do melhor meio de realização das tarefas empresariais.” (CHIAVENATO. pode-se concluir que a gestão de uma organização. p. 18). Nesse ambiente. somente obterão destaque as empresas que forem capazes de . 1993. Freeman. seja ela de qual tamanho for. Ambiente Externo PLANEJAR ORGANIZAR CONTROLAR LIDERAR Seqüência ideal das atividades dos administradores Realidade das atividades dos administradores Figura 1: A dinâmica do processo organizacional Fonte: Adaptado de Stoner. No entanto. p. imprescindível para os novos tempos. o crescimento da concorrência e outros fatores. a internacionalização da economia. e uma nova mentalidade dos administradores. requer o desenvolvimento de uma série de atividades. 1999.7. obrigam cada vez mais as empresas a utilizarem a gestão das incertezas.16 Enfim. a globalização.

MOORE. . criativos e competentes. com a finalidade de enquadramento tributário. “Elas oferecem contribuições excepcionais. são abordadas as características da gestão no ambiente das pequenas organizações. definir o que é uma pequena organização não é algo fácil. 2. A dimensão de tamanho é bastante complexa: o que é pequeno para alguns pode ser não ser para outros.” (LONGENECKER. volume de vendas. de inovar e de sonhar. seguro da força de trabalho e volume de depósitos. 1997. utilizam o critério da receita bruta anual para classificar uma organização quanto ao tamanho. Serviço de apoio às micro e pequenas empresas. ele também é fundamental para a empresa estudada. PETTY. médias empresas. dentre outras. mas sim o mais adequado ao propósito organizacional. introduzem inovações. por exemplo. O conceito varia de acordo com os padrões e as concepções de cada ponto de vista. Ainda segundo Longenecker. para isso precisarão de gestores flexíveis. valor dos ativos. instituição filantrópica. Petty (1997. Não há o melhor critério.34) Porém.2 Pequenas Organizações Não há dúvida de que as pequenas organizações vivem um momento de reconhecimento e valorização no mercado. estimulam a competição. O processo de gestão pode ser desenvolvido em diversos tipos de empresa: fundação. Sendo assim. Moore. grandes empresas. p. na medida em que fornecem novos empregos. prefere utilizar a quantidade de funcionários para enquadrar o porte de uma organização.28) existem cinco principais critérios de tamanho para classificar uma organização: número de empregados.17 se reinventar. p. Já o SEBRAE. Nunca se discutiu tanto sobre a atuação e contribuição delas para a sociedade e para a economia. auxiliam as grandes empresas e produzem bens e serviços com eficiência. Os legisladores brasileiros. A seguir.

inclusive a considerada neste trabalho.18 Uma característica muito comum nessas organizações é a estrutura organizacional centralizada. as pequenas organizações passaram a lidar mais freqüentemente com as descontinuidades ambientais. garantir a permanência delas no mercado é possibilitar o desenvolvimento econômico e social do país. A maioria encerra suas atividades pouco depois do primeiro ano de existência. o ciclo de vida desse tipo de organização não é muito longo. p. onde há uma interposição de funções. encontram-se competindo num mercado internacionalizado. Esse fato propicia uma gestão problemática e com probabilidade de fracasso no alcance dos objetivos propostos. 80) ressalta: “Os dirigentes das empresas de pequeno porte são centralizadores. as facilidades de concessão de crédito junto ao BNDES e ao Banco do Povo. No decorrer dos anos.” Outro aspecto fortemente presente nas organizações de pequeno porte é a dificuldade de alocar certos recursos como: mão-de-obra especializada. Por isso. ou seja. p. tais como: a instituição do SIMPLES. com raríssimas exceções. O advento da globalização tornou as organizações cada vez mais próximas e competitivas. Entretanto. No Brasil. Dessa forma. Nesse contexto. o empresário é responsável por várias atividades ao mesmo tempo. 2001. às mudanças. rápida e inteligentemente. PIRES.” (CASAROTTO FILHO. Enfim. o processo de . algo por que trabalhar. o governo nacional adotou e está adotando medidas de incentivo ao desenvolvimento das micro e pequenas empresas. dentre outros. Jardim (2004. como também os recursos financeiros e humanos são escassos para a adoção de tecnologias utilizadas por grandes empresas. as pequenas organizações. sejam elas de qualquer dimensão ou setor. capital. “Então. tecnologia. elas precisam buscar o equilíbrio entre flexibilidade e controle. que consiste na unificação de vários encargos federais em um único imposto. dentre outras ações. as empresas. defender e deixar de herança para os filhos. 25). e isso só é possível através de uma gestão eficaz. Nesse cenário. representam aquela parcela da população que anseia ter um negócio próprio. obtêm destaque as organizações que estão mais próximas do mercado e que respondem.

p. Dessa forma. tais como: descobertas tecnológicas. ou seja. A estratégia é vista. é o conjunto de decisões que direciona a empresa para o posicionamento no mercado. De acordo com Ansoff. Sob tais condições. p. o caminho de curso no qual as decisões organizacionais se baseiam. o que é apresentado no item 2. estabelecimento da diretriz . novas exigências tributárias. como o posicionamento único da organização no mercado. a arena fundamental onde ocorre a concorrência. Marcondes. A empresa precisa formular estratégias. Peter. também. necessário o desenvolvimento de novas propostas.3 Estratégia Estratégia é um dos termos mais discutidos no meio empresarial. dentre outras que surgem no ambiente dinâmico atual. segue cinco passos: análise do ambiente. Faz-se.1): A estratégia competitiva é a busca de uma posição competitiva favorável em uma indústria. Segundo Porter (1989. sempre que estiver enfrentando mudanças internas e externas.19 formulação de estratégia começou a fazer parte do cotidiano das mesmas. McDonnell (1993.” Diz-se então que a estratégia é a direção. as regras e os valores antigos não serão mais suficientes para enfrentar os novos desafios. p. A estratégia competitiva visa estabelecer uma posição lucrativa e sustentável contra as forças que determinam a concorrência na indústria. considera-se que estratégia é o complemento destes conceitos. Isso se deve ao fato de que a literatura de administração estratégica é bastante ampla e a cada dia acrescentam-se novos conceitos que contribuem para a compreensão do termo. 2. continuamente. por longo prazo. Sendo assim. mudanças de objetivos. O processo de implantação de estratégia. estratégia é um conjunto de regras de tomada de decisão para orientação do comportamento de uma organização.3.8).70) “Basicamente. então. César (2005. baseado em Certo. optou-se por apresentar sobre a importância da estratégia para o futuro das organizações. a fim de obter vantagem competitiva.

pois envolve mudança de paradigmas. A última fase.20 organizacional. podendo. O processo de formulação da estratégia envolve a identificação das ações que serão executadas para a realização dos objetivos organizacionais.” Sendo assim. Todos esses aspectos permitem que as empresas definam e conheçam seus negócios. ou seja. os valores. Para que esse passo se cumpra com sucesso é preciso que os implementadores tenham claramente definidas todas as etapas da estratégia. segmentação de mercado. Trata-se de um processo difícil. Ao mesmo tempo. . a visão. para isso torna-se essencial o conhecimento das diversas ferramentas administrativas disponíveis. Marcondes. p. enfim. os fatores críticos de sucesso. como análise de SWOT. A análise do ambiente consiste no levantamento das ameaças e das oportunidades. Peter. de acordo com Certo. Deve-se analisar. os objetivos e as metas organizacionais.11). necessita do comprometimento de todos os níveis hierárquicos. ele precisa ter perspectiva e habilidade para gerenciar as estratégias implementadas. formulação da estratégia. assim. que trata do controle estratégico é definida como “um tipo especial de controle organizacional que se concentra no monitoramento e na avaliação do processo de administração estratégica para melhorá-lo e assegurar-lhe um funcionamento adequado. vencer o concorrente. garantindo o êxito dessa tarefa. César (2005. o ambiente interno e identificar as forças e as fraquezas da organização. Estabelecer a diretriz significa determinar a missão. É importante formular corretamente a estratégia. os fatores externos que influenciam a empresa como um todo. entra em conflito com as atividades operacionais. implementação de estratégias e controle estratégico. A fase da implementação da estratégia coloca em prática todas as ações estabelecidas anteriormente no processo de formulação. também. o gestor necessita conhecer os sistemas de informações gerenciais disponíveis e suas aplicações à administração estratégica. diagnóstico etc. carece de recursos e informações.

As decisões estratégicas representam a relação do futuro da empresa com o seu meio ambiente. A partir daí. p. Lampel (2000. As estratégias de liderança no custo e de diferenciação buscam a vantagem competitiva em um limite amplo de segmentos industriais. define a organização. Elas precedem as demais decisões e. que são consideradas genéricas. A administração estratégica deve estar integrada as demais áreas do negócio. Percebe-se. desenvolvimento de novos produtos. por isso. dentre elas a de Recursos Humanos. . porque podem ser utilizadas em qualquer negócio: liderança no custo.10) há três tipos de estratégias. é possível justificar sua importância para as empresas. principalmente para a organização tratada. enquanto a estratégia do enfoque visa a uma vantagem de custo (enfoque no custo) ou uma diferenciação (enfoque na diferenciação) num segmento estreito. é imprescindível ressaltar a importância dessa ferramenta para as organizações. enfim. A seguir são abordados os principais pontos dessa função organizacional. trará resultados também diversificados. pode-se dizer que as estratégias de custo e diferenciação são mais gerais e amplas da empresa. p. Cada uma envolve ações e metodologias diferenciadas e. focaliza o esforço. Mintzberg. as pessoas são as principais responsáveis pela implementação da estratégia. são determinantes para o desempenho da empresa. Ahlstrand. que a discussão sobre estratégia é bastante vasta. Seu uso na gestão empresarial contribui como uma poderosa ferramenta de crescimento e sucesso profissional. enquanto que a de enfoque é restrita a um segmentoalvo escolhido. Porém. conseqüentemente. diferenciação e enfoque. Dessa forma. expansão etc. Afinal. Na visão de Porter (1989. Elas variam de acordo com os objetivos traçados para cada área da empresa.22) destacam quatro principais vantagens da implementação da estratégia: ela fixa a direção. traz consistência.21 Existem diversos tipos de estratégias: penetração de mercado. Tudo isso possibilita concluir que a estratégia define a coisa certa a fazer.

” .2) define: A administração de recursos humanos (ARH) refere-se às práticas e às políticas necessárias para conduzir os aspectos relacionados às pessoas no trabalho de gerenciamento. executadas por um ou mais indivíduos na instituição. P.7) A administração de recursos humanos (ARH) consiste no conjunto de técnicas adotadas para gerenciar o trabalho das pessoas que compõem a organização. eles precisam ser administrados. cargo é o “conjunto de funções assemelhadas e/ ou complementares. à avaliação.4 Recursos Humanos Atualmente. p. Assim como qualquer outro recurso organizacional. “Como recursos. os recursos humanos precisam ser adequadamente gerenciados.22 2. ou seja. as capacidades e o empenho dos seus recursos humanos. recrutamento e seleção. Em suma. Estas não existiriam se não fossem as habilidades. já que são considerados sujeitos passivos de ação organizacional. através das pessoas. Conforme Carvalho.” (CHIAVENATO. as pessoas são a razão de ser das organizações. merecem destaque: descrição e análise de cargos. Descrição e análise de cargos A prática de descrever e analisar os cargos traz benefícios até mesmo para as pequenas organizações. facilitando a função de coordenar os esforços da empresa. à remuneração e ao oferecimento de um ambiente bom e seguro aos funcionários da empresa. organização. Dessler (2003. na prática. A arte de administrar só acontece.19). avaliação de desempenho do funcionário e administração de salários. p. considera-se que a ARH estuda os instrumentos necessários para atrair. 1999. visto que possibilita o esclarecimento dos deveres e das responsabilidades próprias de cada membro. Entre as diversas políticas de recursos humanos existentes. Da mesma forma. direção e controle de suas atividades. manter e desenvolver os talentos humanos. especificamente à contratação. O cargo é plural. ao treinamento. treinamento e desenvolvimento. Nascimento (1993. para cada cargo pode haver uma ou várias pessoas numa mesma empresa. o que envolve planejamento.

Segundo Pontes (1986. análise de cargo “é o estudo que se faz para coligir informações sobre as tarefas componentes do cargo e as especificações exigidas do seu ocupante. enquanto a descrição do cargo se concentra mais no seu conteúdo. “é um processo de duas mãos: ele comunica e divulga oportunidades de emprego. 1999. que aborda candidatos diferentes dos que estão trabalhando na empresa. que atua sobre o quadro de pessoal da própria organização. Chiavenato (1999. 32). observação etc. as relações de comunicação com outros cargos e as principais responsabilidades do cargo. é possível fazer o recrutamento e a seleção de pessoal. p. “A descrição de cargo é um retrato simplificado do conteúdo e das principais responsabilidades do cargo. duas podem ser destacadas: o recrutamento interno. ao seu ocupante. p. Feita a descrição do cargo. como faz. e o externo. em termos físicos e psicológicos. onde foi feito um levantamento dos requisitos e das atividades essenciais para sua ocupação. A escolha do método mais adequado irá depender da função analisada.” Sendo assim. p. a análise considera a identificação dos requisitos necessários. o sumário das atividades a serem desempenhadas. quando faz.” (CHIAVENATO. O levantamento de informações para a descrição de cargos pode ser feito através de vários métodos: entrevistas. uma descrição de cargo contém o título do cargo. onde faz e por que faz. torna-se necessário analisá-lo. Recrutamento e Seleção O recrutamento surge da necessidade de preencher um cargo.” Segundo o mesmo autor. normalmente. 176) define que.91) Dentre as diversas fontes de recrutamento existentes. Trata do conjunto de técnicas que visa atrair pessoas qualificadas a ocupar um cargo disponível. Ela define o que o ocupante faz.23 Descrever um cargo significa enumerar todas as atividades e responsabilidades atribuídas ao seu ocupante. . ao mesmo tempo em que atrai os candidatos para o processo seletivo. questionários. A partir da descrição e análise do cargo.

as características pessoais e profissionais. “Só é possível recrutar a pessoa certa se soubermos antecipadamente o perfil desejado. Após recrutar. O recrutamento e a seleção de pessoal apenas têm a função de chamar e escolher. contribuindo para a elevação da sua produtividade.114) Desse modo.” Esta fase se justifica pelo fato de que.24 através de vários meios: anúncios de jornais.. é como afirma Lacombe (2005. no entanto. isto é. as pessoas para a ocupação do cargo. 1993. Vale a pena ressaltar que. inúmeros candidatos extremamente diferenciados entre si concorrendo às vagas oferecidas pela empresa. as pessoas são individuais e possuem capacidades.” Por isso.164) diz que “A seleção caracteriza-se pela investigação. o que não é suficiente. p. uma pessoa bem recrutada permite que a empresa produza bens e serviços de forma mais eficiente.66). de outro. dos melhores candidatos. . através do treinamento e desenvolvimento do novo funcionário. completar o processo. informando os requisitos indispensáveis ao ocupante desse cargo. “(. ou seja. possibilita que sejam eliminados custos posteriores de demissão de pessoal. porém. O êxito no processo de recrutamento depende desse perfil bem definido. respectivamente. a descrição do cargo e dos requisitos dos candidatos precede o recrutamento.) de um lado temos a análise do cargo a ser preenchido. escolher os que mais se enquadram no perfil exigido. Aquino (1980. Cada tipo de recrutamento traz vantagens e desvantagens que devem ser analisadas e balanceadas pela administração. comparadas aos requisitos impostos aos ocupantes do cargo pretendido.” (CARVALHO. considera-se que a seleção é baseada nas características próprias dos candidatos. junto aos aprovados pelo recrutamento. p. é preciso selecionar os melhores candidatos. agências de emprego.. É também um processo de pesquisa. No entanto. realizada com maior profundidade. é correto afirmar que. p. NASCIMENTO. É necessário. indicações de empregados da empresa etc. habilidades e conhecimentos diferentes. Além disso.

25

Treinamento e desenvolvimento Uma vez recrutado e selecionado o melhor candidato ao cargo, deve-se treiná-lo, ensiná-lo e educá-lo segundo as normas, rotinas e procedimentos da empresa em que irá trabalhar. Dessler (2003, p.140) entende que “Treinamento é o conjunto de métodos usados para transmitir aos funcionários novos e antigos as habilidades necessárias para o desempenho do trabalho.” De acordo com o mesmo autor (2003, p. 150), “Desenvolvimento gerencial é qualquer tentativa de melhorar o desempenho gerencial pela divulgação de conhecimentos, mudança de atitudes ou aumento de habilidades.” Dessa maneira, oferece oportunidade de crescimento pessoal ao colaborador, tornando-o mais qualificado e eficiente, em benefício da própria organização. Atualmente, muitas empresas têm investido em treinamento e desenvolvimento de pessoal, com o objetivo de aumentar a produtividade do negócio, por meio da melhora do desempenho e da integração de seu funcionário. O desenvolvimento também propicia uma melhora no clima organizacional. Quando os empregados obtêm desempenhos melhores, o espírito de equipe e o sentimento de confiança são elevados em toda a empresa. É como reforçam Milkovich; Boudreau (2000, p.32), “As atividades de desenvolvimento são um meio poderoso para aumentar a eficiência e a justiça interna da organização, especialmente quando integradas a outras atividades de RH.” É importante observar que, o funcionário influencia a percepção que o comprador tem do produto, através do serviço prestado. Dessa forma, se o profissional está bem treinado e motivado, proporcionará um melhor atendimento ao cliente, satisfazendo-o ao máximo e garantindo a qualidade total. A avaliação de desempenho contribui fortemente para o desenvolvimento do colaborador, possibilitando, conseqüentemente, seu aperfeiçoamento profissional e, também, a eficiência empresarial.

26

Avaliação de desempenho Avaliação de desempenho (AD) é o conjunto de técnicas utilizadas a fim de obter informações sobre o desenvolvimento do colaborador na realização de seu trabalho. Carvalho; Nascimento (1993, p.242) afirmam que: “A AD constitui-se numa série de técnicas com a finalidade de obter informações sobre o comportamento profissional do avaliado durante o seu desempenho no trabalho.” Pode-se afirmar que o processo de avaliação de desempenho depende que padrões de desempenho (responsabilidade, assiduidade, eficiência etc) sejam anteriormente fixados. Além disso, o funcionário deve receber o feedback do seu desenvolvimento, permitindo que as falhas sejam eliminadas e que o desempenho melhore. Existem vários métodos de avaliação de desempenho: relatórios escritos ou verbais, escalas gráficas, pesquisa de campo, dentre outros. Cabe à própria empresa se adequar ao melhor método, ou seja, aquele que mais se adaptará às suas condições de trabalho. Nas organizações de pequeno porte, a prática de avaliação de desempenho é, usualmente, informal. Sendo assim, sistemas e tecnologias de avaliação não são muito utilizados, até porque a realidade dessas empresas não permite implantá-los. Enfim, trata-se de uma importante ferramenta de gestão de pessoas, que assim como qualquer outra deve ser bem gerenciada e controlada. Aquino (1980, p.200) sustenta que:
A avaliação de desempenho não é uma questão de método, mas de postura da chefia diante do instrumento e do subordinado. De nada adianta montar um excelente método de avaliação se as chefias não têm condições de usálo, honesta e inteligentemente.

A avaliação de desempenho constitui um aspecto importante para a administração salarial. O resultado alcançado pelo funcionário, combinado com outros fatores, irá influenciar na determinação da remuneração paga ao mesmo.

27

Administração de salários Normalmente, todas as pessoas inseridas em uma organização são, devidamente, remuneradas pela execução de suas atividades. Carvalho; Nascimento (1993, p. 19) preconizam: “a cada cargo ou determinado conjunto de cargos compete uma remuneração justa em contrapartida aos trabalhos realizados na empresa.” Administrar os salários significa determinar racionalmente quanto cada funcionário irá receber pelo seu trabalho. A eqüidade é fundamental para a determinação salarial. Dessa maneira, os salários internos devem ser comparáveis aos das empresas concorrentes. O empregado deve sentir que seu salário é justo, pois é o oferecido pelo mercado. Outro requisito crucial para uma boa administração salarial, é a avaliação de cargo, que consiste na análise dos diversos cargos existentes na empresa, atribuindo-se valores a cada um. Dessler (2003, p.195) afirma: “A avaliação do cargo é uma comparação formal e sistemática de cargos para determinar o valor de um cargo em relação ao outro.” Essa avaliação pode basear-se em diversos fatores, como: responsabilidades, habilidades e esforços. No entanto, a técnica de administração de salários é criteriosa e importante. “É erro comum determinar o salário de um funcionário apenas pela avaliação de seu desempenho, esquecendo-se que antes de avaliarmos como ele desempenha uma função, temos de avaliar o que ele desempenha.” (TOLEDO, 1974, p.73). Dessa forma, o desempenho e a produtividade devem estar relacionados, também, com a descrição do cargo. Os salários serão administrados de acordo com as normas e procedimentos empresariais. Todas as movimentações internas (promoções, transferências, dentre outras), que incorrem em ajustes salariais, sejam para aumento ou diminuição, devem ser planejadas, para evitar que o orçamento e o desempenho da empresa sejam prejudicados. É bem verdade que, para administrar os diversos salários existentes em uma organização é necessário definir a política salarial que será adotada, com o propósito de facilitar a atividade da administração.

bem como o grau de motivação dos colaboradores. quando comparado ao do mercado ou ao das outras pessoas dentro da organização. Trata-se de um desafio. por melhores salários a fim de satisfazer não só suas necessidades fisiológicas ou de sobrevivência. Aquino (1980. psicológico e social. é essencial considerar seus aspectos internos (capacidade da produção. visto que manter uma política salarial que motive as pessoas não se constitui uma tarefa fácil. reter e motivar bons profissionais. Lacombe (2005. mas também para se realizarem socialmente.190) relata que: “Para o estabelecimento de política salarial. educação. Uma política . produtividade da mão-de-obra.28 Política Salarial Estabelecer uma política salarial significa definir diretrizes. adquirir status e reconhecimento na sociedade. Ele também possui valor emocional. o salário torna-se peça fundamental para atrair. algumas medidas devem ser consideradas. caminhos a serem seguidos para o estabelecimento do salário. seja ela de qualquer nível hierárquico. para definir a política salarial torna-se necessário analisar os fatores externos à organização. O valor emocional do salário está no fato de que o trabalhador faz. dentre outros). Além disso. tais como: economia. dentre outros. O efeito psicológico do salário ocorre. que interferem na determinação da política salarial.147) salienta: “As pessoas tendem a se auto-avaliar com benevolência e a julgar que merecem uma remuneração maior do que aquela considerada pela empresa. a partir do salário recebido. No contexto de uma economia marcada pela má distribuição de riquezas. tecnologia. uma avaliação do seu eu e do seu valor profissional. constantemente. porque as pessoas julgam o salário que recebem inferior ou injusto.” Dessa forma. p. cultura.” As pessoas lutam. p. demografia. É importante observar que o salário não possui apenas valor econômico. É indispensável a realização de uma análise dos ambientes externo e interno da empresa e dos fatores motivacionais daquele grupo específico de trabalho.

então. ao salário. “Os benefícios são costumeiramente vistos como salário indireto. monetários ou não. existem os benefícios de lazer (convênios com clubes. automóvel.192) destaca os seguintes: assistência médica.” Tratase então. levando a improdutividade e ineficiência administrativa. p. visto que determina os aspectos que irão compor remuneração.192). agregar benefícios. A política salarial influencia nos salários e benefícios dos funcionários. a empresa deve ter condições de manter essa concessão. social. assistência odontológica. transporte.” . renovando o espírito da equipe. que proporcionam momentos de descontração e divertimento. Torna-se necessário remunerar. viagens. restaurante. as pessoas precisam ser agradadas e os benefícios são úteis para isso. cartão de crédito.29 salarial bem definida garante a produtividade dos colaboradores e. para que não haja críticas e nem paternalismo. No Brasil. shows etc). caso contrário. p. convênios com farmácia e cooperativa. a da empresa também. por si só. Dependendo das políticas estabelecidas. Conclui-se.151): “Portanto. No entanto. a concessão de benefícios deve corresponder à necessidade do funcionário. de uma poderosa ferramenta motivacional. que os benefícios têm a finalidade de satisfazer e motivar os colaboradores de uma organização. conseqüentemente. Além desses. Dentre os vários tipos de benefícios existentes. Benefícios Vivemos numa época em que o salário. para que esse fim seja atingido as vantagens de cada benefício devem ser clara e objetivamente comunicadas. ou seja. enquanto são mantidas na organização. Segundo Aquino (1980. festas. Além disso. É como afirma Lacombe (2005. No entanto. a assistência médica e transporte são os mais comuns. Aquino (1980. não é mais suficiente para satisfazer os membros dentro de uma organização. poderá desmotivar a mão-de-obra. emocional ou psicológico ao salário. p. o líder pode escolhe agregar valor econômico. É um meio de a empresa suplementar a renda do trabalhador.

é de fundamental importância para que as empresas. No caso de uma liderança autoritária e excessivamente burocrática.236) diz que. “O clima organizacional reflete o grau de satisfação do pessoal com o ambiente interno da empresa. Lacombe (2005. onde predomina a harmonia. Sendo assim. descrença. ou negativo.” (GRAÇA. conclui-se que o clima organizacional pode ser um fator pró ou contra o bom desempenho e a capacidade de competir da empresa. pode-se afirmar que ele está relacionado com a qualidade de trabalho tal como percebida pelos funcionários. inclusive a estudada. rotatividade enfim. p. cumplicidade entre os membros.” Dessa forma. Contudo. interfere no clima organizacional da empresa. mantenham seus funcionários bem motivados. “É que o clima afeta o comportamento organizacional que. representam um poderoso instrumento de motivação humana. 1999. mas também da ação da empresa para com eles. o efeito é contrário. proatividade. Clima Organizacional O clima organizacional refere à percepção coletiva que os funcionários têm da organização em que estão inseridos. dessa forma. revolta. tudo que externaliza a insatisfação do indivíduo com o ambiente de trabalho. Um bom clima organizacional é criado por uma liderança competente. O clima organizacional pode ser positivo. comunica eficazmente. absenteísmo. A decisão de conceder ou não benefícios afeta o nível de satisfação dos funcionários. marcado pelo egoísmo. por sua vez. Este estilo gerencial provoca a diminuição da satisfação dos funcionários. que promove o desenvolvimento profissional de seus subordinados. p.24) . enfim características que demonstram um alto nível de motivação. Dessa forma. afeta o próprio desempenho dos negócios. quando adequadamente concedidos. oferece condições ambientais e estimula o trabalho em equipe.30 É possível notar que os benefícios. prejudicando o clima organizacional. ele não depende apenas dos empregados. honestidade.

à empresa.260) afirma: “Em geral. é processada a admissão. A maioria das empresas possui um formulário próprio em que são relacionados os documentos que o novo empregado deve apresentar antes da sua admissão. a adequação do funcionário ao cargo. Lacombe (2005. A admissão também envolve a integração do indivíduo na empresa.93) coloca: Terminado o processo de seleção. p. Cabe ressaltar que cada organização possui sua rotina própria do processo de admitir um funcionário. os documentos exigidos e a logística do processo (onde começa e termina) variam de empresa para empresa. e por último. p. Dessa forma. permitindo sua socialização e adaptabilidade à cultura organizacional. Todos os esforços devem se direcionar para evitar a demissão. Dessler (2003.” . Os modelos de requisição de pessoal. posteriormente. inicialmente. 170) afirma: “O processo de admissão visa ajustar o elemento ao cargo. Muitas demissões começam com más contratações. a melhor maneira de lidar com uma demissão é evitá-la. pode-se perceber a importância de recrutar. Ambas as atividades mudam a rotina dos funcionários que não estão envolvidos diretamente na operação. dependendo de como cada operário reage às situações. se isso for possível. seu registro de acordo com a legislação trabalhista. Essa mudança pode ser positiva ou negativa.” A demissão consiste no desligamento do funcionário da empresa na qual está inserido. selecionar e desenvolver as pessoas certas. a procura por profissionais no mercado.31 As operações de admissão e demissão de pessoal interferem no clima organizacional. Admissão e Demissão A admissão de pessoal trata do ingresso do candidato no quadro de administração da empresa. Engloba. p. Aquino (1980. a penúltima etapa do processo que começa com o recrutamento e termina com o contrato definitivo após o período de experiência. ao setor de trabalho e à chefia requisitante. que começa com a comunicação do resultado ao candidato e o pedido de apresentação dos documentos exigidos pela empresa e pela legislação. no momento certo. para o demitido e para a sociedade. à organização. Caracteriza-se como sendo um processo problemático para a organização.

também é ruim para a empresa não tomar algumas providências simples que evitam a propagação de uma imagem negativa. Desse modo.99) A comunicação da decisão de demitir algum funcionário aos colaboradores que estão admitidos deve ser cautelosa. p. pensamentos. acontece o . Nenhuma atividade organizacional acontece na prática. também. As pessoas envolvidas no processo precisam interpretar e compreender as palavras comunicadas.32 A decisão de demitir deve ser bem fundamentada e. É uma forma de atingir os outros com idéias.” No entanto.6).4) definem comunicação como sendo “a transferência de informação e compreensão de uma pessoa para a outra. fatos. torna-se essencial compreender melhor como funciona o processo de comunicação dentro de uma organização. posteriormente. transmite-se a mensagem. é importante fazer com que o funcionário mantenha uma boa imagem da empresa. Newstrom (1996. envolve primeiramente o desenvolvimento de uma idéia. trata-se de um processo que exige troca de entendimentos. sentimentos e valores. Além disso. Muitos dos problemas enfrentados pelas empresas estão relacionados à ausência ou à ineficácia da comunicação. Newstrom (1996. e não somente a emissão ou a recepção de informações. é necessário codificar essa idéia em palavras. ainda segundo Davis. se não houver comunicação. percebe-se que a comunicação envolve no mínimo duas pessoas: uma que seja a emissora e outra a receptora. p. para que a comunicação se complete. então. 2005. símbolos ou em outros meios de transmissão. a seguir. O processo da comunicação. a fim de evitar a desmotivação e futuros conflitos. uma mensagem. Davis. p. Comunicação A comunicação está fortemente presente nas instituições atuais.” (LACOMBE. “Da mesma forma que não convém a um empregado sair mal da empresa. o processo não será completado. Caso contrário.

na verdade. ou informar as instruções de trabalho. 1996. Essas barreiras devem ser eliminadas ou. p. mas. A princípio. dentre outras. Difícil é fazer com que o colaborador entenda e coloque em prática essas informações recebidas. fazer reuniões para comunicar decisões. é fácil. muitos gestores têm dificuldade de desenvolver uma boa comunicação no ambiente de trabalho. decodifica-se a idéia. barulhos e ruídos no ambiente de comunicação.7. estabelecer manuais de regras e políticas internas. Newstrom. de forma que ela possa ser compreendida. tais como: emoções humanas. parece um processo óbvio e simples. para que ocorra a compreensão correta da mensagem. O ato de. A figura 2 ilustra esse modelo de processo de comunicação.33 recebimento da mensagem. . Mensagem Emissor Desenvolver Codificar Barreiras Transmitir Ponte de sentido Receptor idéia Receber Decodificar Aceitar Usar Retorno para a comunicação de duas vias Figura 2: O processo de comunicação Fonte: Adaptado de Davis. interpretações diferentes da original. p. quando possível. Milkovich.475) afirmam: O alto escalão da empresa pode acreditar que está comunicando mensagens essenciais sobre estratégias. já que eles próprios não se sentem ouvidos. Contudo. e por último. simplesmente. inovações e qualidade dos produtos. mas os empregados podem simplesmente não estar ouvindo. transformadas em forças positivas ao processo. Boudreau (2000. existem várias barreiras que impedem o processo da comunicação.

Newstrom (1992. adaptabilidade. os líderes têm cooperação. É o fator humano que ajuda um grupo identificar para onde ele está indo e assim motivar-se em direção aos objetivos. ele se sente envolvido e por isso as executa melhor. Socialmente. ou seja. Vergara (2003. que são aquelas pessoas capazes de levar outras a contribuírem da melhor forma com os objetivos traçados pela empresa. conclui-se que a comunicação melhora o desempenho e a satisfação no trabalho. persistência e iniciativa.75) destaca que fisicamente.76). Quando o indivíduo compreende claramente suas tarefas. também. na teoria dos estilos de liderança existem três modos de conduzir as pessoas: autocrática. A primeira teoria defende que existem traços físicos. intelectuais. Ela é responsável por conduzir esse e todos os outros processos organizacionais. p. Conforme Davis. o líder precisa ter aparência. É o líder que coloca as coisas em ordem e direciona as pessoas na realização de suas atividades. O democrático debate as diretrizes da empresa com seus . Intelectualmente. determinando o fracasso ou sucesso no desempenho das tarefas. Liderança Todas as organizações precisam de líderes.75) destaca três dessas teorias: a dos traços de personalidade. Vergara (2003. é ele quem tem toda autoridade e responsabilidade de tomar decisões.34 Dessa maneira. de uma boa liderança. E os traços relacionados com a tarefa consistem no impulso de realização. a dos estilos de liderança e a de liderança situacional. por esse motivo existem diversas teorias a seu respeito. habilidades interpessoais e administrativas. p. autoconfiança e elevado nível de inteligência. o líder deve ter entusiasmo. Uma comunicação bem sucedida depende. energia e força física. p.150): “Liderança é o processo de encorajar e ajudar os outros a trabalharem entusiasticamente na direção dos objetivos. Ainda de acordo com Vergara (2003. democrática e liberalmente.” Liderança é um tema bastante vasto e rico. O líder autocrático é centralizador. estatura. sociais e relacionados com a tarefa que definem a personalidade de um líder. p.

. mas também dos seus seguidores e da situação. Na teoria da liderança situacional é destacada não só a figura do líder.” ESTILO DE PODER Autocrático Democrático Liberal Líder Líder Líder Subordinado Subordinado Subordinado Líder Grupo Todo ÊNFASE Subordinados Figura 3: Os diferentes estilos de poder Fonte: Adaptado de Davis. Newstrom. não se pode falar em líderes sem falar em liderados. ou seja. Essa dinâmica está claramente representada na Figura 3. 1992.78).35 subordinados. descentraliza a autoridade e solicita a participação do grupo no processo de tomada de decisões. essa teoria “desfoca a atenção da figura do líder para o fenômeno da liderança. Já o líder liberal evita ter responsabilidades. p. Segundo Vergara (2003. p.162. os funcionários tomam as rédeas do negócio. não se pode falar em poder sem falar sobre quem ele é exercido. a empresa fica em situação de caos. Alerta que ela é uma relação.

não existem características nem estilos pré-estabelecidos para os líderes. Para que uma técnica sirva como ferramenta educativa libertadora deve ser utilizada em função de temas específicos. com objetivos concretos e aplicados de acordo com os participantes com os quais esteja trabalhando (www. conseqüentemente.36) refere-se às dinâmicas de grupo como sendo um conjunto de procedimentos mediante os quais possa ser mantida a ordem no grupo. tornase necessário ser um líder situacional.br (acessado em 15/09/08 às 16:15) são: Objetivos: o que se quer alcançar com a aplicação das dinâmicas. para a obtenção do sucesso nos objetivos estabelecidos.36 Segundo essa última teoria. p. Sendo assim. com o fim de obter sucesso nos objetivos para os quais foram traçadas. é importante destacar que: Uma técnica por si mesma não é formativa. meios pelos quais os grupos são guiados com determinada finalidade. onde a única certeza são as mudanças. As dinâmicas de grupo constituem um exemplo dessas técnicas. aumentam a produtividade e a eficiência da empresa. É bem verdade que no ambiente atual. . mas sim situações.pucrs. No entanto. aquele capaz de se adaptar as situações com rapidez e flexibilidade.pucrs. Os principais elementos das dinâmicas de grupo segundo www. Além disso. o líder precisa conhecer as diversas técnicas de recursos humanos disponíveis. Dinâmicas de grupo As dinâmicas de grupo são instrumentos que possibilitam manter a organização no grupo e. acessado em 15/09/08 às 16:15). Minicucci (1987.br. gerar um processo de aprendizagem. ou seja. que permitem o melhor gerenciamento de seus colaboradores. contingências. também. que os levam a agir de forma diferente. pode-se afirmar que as dinâmicas de grupo nada mais são do que técnicas. nem tem um carter pedagógico.

interage com outros indivíduos. A função recursos humanos é extremamente importante e estratégica para as organizações atuais. etc. vídeo.109) ratificam: Quando utilizadas de maneira apropriada e dentro de um ambiente social normal. os recursos humanos são considerados uma função de apoio ao marketing. que conhece e desenvolve bem as políticas de recursos humanos. os sentimentos e o que se aprendeu. avaliando o que foi visto. as técnicas têm o poder de ativar as motivações e os impulsos individuais estimulando os elementos das dinâmicas interna e externa e acionando o grupo na direção de seus objetivos. quando corretamente realizadas. enfim. Tempo determinado: tempo aproximado de duração da técnica selecionada. som. garante-se um aumento da perpetuidade e da rentabilidade organizacional. sugere melhorias. Descrição: procedimentos utilizados para que a dinâmica se desenvolva com sucesso. o que ajudará a ter uma previsão do material e do tempo para o desenvolvimento da técnica.37 Recursos: materiais que são necessários na execução e na aplicação da dinâmica (TV. . Orientador: quem aplica as dinâmicas. Raudabaugh (1962. O ser humano cria. De modo geral. As pessoas são responsáveis por oxigenar as veias do negócio.5. Beal. orienta e guia o grupo. inclusive para a empresa estudada. pode-se concluir que a maneira de gerir o talento humano determina o sucesso ou o fracasso da empresa. Se há uma boa liderança. Bohlen. promovem o desenvolvimento dos colaboradores de uma empresa por meio da ampliação dos conhecimentos pessoais e coletivos. Todas as pessoas inseridas na organização são essenciais na construção da sua marca. Conclusões: reflexões que permitem resgatar a experiência. p.). as dinâmicas de grupo. e da mudança de atitudes. elabora produtos. presta serviços. conseqüentemente. Número de participantes: quantidade de pessoas que participarão da dinâmica. pratica ações que trazem vida para a empresa. Sendo assim. papel. Ambiente: o local próprio para a aplicação da dinâmica. Enfim. que é estudado no item 2.

mesmo que indiretamente.. eles precisam tomar uma série de decisões. Para o administrador de uma empresa.) visa atender simultaneamente aos desejos e necessidades dos consumidores e aos objetivos econômicos da empresa mediante a oferta de um produto ou serviço. visando alcançar determinados objetivos de empresas ou indivíduos e considerando sempre o meio ambiente de atuação e o impacto que essas relações causam no bem-estar da sociedade. orientadas para a satisfação dos desejos e necessidades dos consumidores.5 Marketing Para muitas organizações. A maioria das pequenas organizações não tem essa área formalizada em seus organogramas. o marketing é considerado apenas como propaganda ou as vendas da empresa. cada vez mais. . como definir as características do produto. Porém. até as mais minuciosas. visando alcançar os objetivos de lucratividade da empresa. Bulgacov (1999. Porém.150) sugere que o marketing “(. que variam desde as mais gerais. Para isso.38 2. A prática de marketing exige a adoção de diversas técnicas específicas.. p.” A partir desses conceitos. Isso porque. utilizam as ações e as técnicas de marketing. define-se marketing como o conjunto de atividades voltado para a satisfação das necessidades dos clientes. O marketing está. De acordo com Las Casas (2006. p. o estudo da área de marketing possibilita definir formas de influenciar a demanda por seus produtos ou serviços. a ação da concorrência e os problemas do mercado têm pressionado as organizações a adotarem essa ferramenta. ganhando importância na administração das empresas.10): Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca. todas elas. como escolher a cor da embalagem. trata-se da área responsável pela criação e o atendimento dos desejos e necessidades do consumidor. inclusive a organização estudada.

localização geográfica. e esses compradores são individualizados em gostos e preferências. que realizam diretamente as transações com clientes. a segmentação representa uma ferramenta fundamental para a empresa estudada. TV. através da análise das diferenças psicológicas. ou seja.35) as empresas alcançam seus mercados-alvo através de três canais de marketing: canais de comunicação. poder de compra. canais de distribuição. será o mercado-alvo da empresa. revistas. sociais e econômicas existentes entre eles. como são os atuais. fazendo com que ela se perca no alcance de seus objetivos. Segundo Kotler (2000. p.” Dessa forma. Por esse motivo. p. . Dessa forma. O segmento escolhido será o mercado em que a organização irá atuar.39 Uma empresa não consegue atender satisfatoriamente todos os seus clientes em mercados amplos e diversificados. Internet.” Segmentar um mercado significa definir um grupo de compradores para o produto ou serviço da empresa. que possibilita concentrar os esforços de marketing. pode comprometer a precisão do marketing da empresa. Identificar compradores com comportamentos de compra homogêneos é o grande desafio da segmentação de mercado. Trabalhar com todo o mercado. p. com a massa. que permitirão o alcance dos objetivos organizacionais traçados. dentre outros). é comum que ela adote a técnica segmentação de mercado. e canais de venda. atitudes de compra e hábitos de compra similares. pois ajuda a identificar oportunidades de mercados-alvo atraentes. Segmentação de mercado A segmentação de mercado é uma técnica específica da área de marketing. propiciando um melhor atendimento ao consumidor. Cobra (1992. que permitem a entrega do bem ou serviço tangível ao cliente.278) ressalta “O mercado é constituído de compradores. Kotler (2000. que transmitem mensagens a seus compradores através dos meios de comunicação (rádio. a segmentação se justifica pelo fato de que o mercado atual é bastante diversificado e heterogêneo. 278) afirma que: “Um segmento de mercado consiste em um grande grupo que é identificado a partir de suas preferências.

p. promoção e preço.40 A divisão do mercado em segmentos exige a utilização de compostos de marketing diferentes e adequados aos desejos e necessidades dos clientes-alvo escolhidos. É importante que haja interação entre as ferramentas para que os objetivos sejam. Composto de marketing O composto de marketing reúne várias ferramentas utilizadas pela empresa a fim de alcançar mercados-alvo escolhidos. Cada área do composto tem seu conjunto de variáveis específicas. . que estão retratadas na Figura 4. ponto-de-venda. o que facilitará as decisões de marketing e possibilitará aumentar a fidelização dos clientes.45). Produto Bem físico Serviço Características Nível de qualidade Acessórios Instalação Instruções Garantia Linhas de produtos Embalagem Marca Ponto-de-venda Objetivos Tipo de canal Exposição de mercado Tipos de intermediários Tipos e localizações de lojas Como lidar com transporte e armazenagem Níveis de serviços Recrutamento de intermediários Administração de canais Promoção Objetivos Composto de promoção Vendedores Tipos Números Seleção Treinamento Motivação Propaganda Alvos Tipos de anúncios Tipos de mídia Definição de texto Promoção de vendas Publicidade Preço Objetivos Flexibilidade Nível do ciclo de vida do produto Termos geográficos Descontos Condições especiais Figura 4: Variáveis de cada área do composto de marketing Fonte: McCarthy. Existem várias maneiras de satisfazer as necessidades dos consumidores. Perreault Jr (1997.45. p. 1997. alcançados e estejam alinhados com a missão do negócio. Kotler (2000. reduzem todas as variáveis para quatro básicas que formam o composto de marketing: produto. p.37) refere-se ao composto de marketing como sendo “o conjunto de ferramentas de marketing que a empresa utiliza para perseguir seus objetivos de marketing no mercado-alvo”. Perreault Jr. porém McCarthy.

Isso exige negociações diretas e indiretas através de associações de classe. corretamente. p.32). Chambers. Segundo Slack. comparando com os dos concorrentes. fornecedores. 2.127) afirma: Administrar convenientemente a ação da concorrência é um dos grandes desafios ambientais. Kotler (2000. adaptar-se e até mesmo inovar para poder vencer a batalha do mercado. A área de marketing oferece as informações e orientações necessárias para a produção dos bens e serviços de uma empresa. a função produção em uma organização “representa a reunião de recursos destinados à produção de bens e serviços. oferece produtos substitutos rivais. que constitui a razão da sua existência. Trata-se de um dos alicerces que sustentam uma empresa. Concorrência O ambiente de marketing é formado por várias forças que influenciam a empresa: demografia. Johnston (2002. Cobra (1992.6 Produção A produção é uma das áreas centrais da organização.36) considera como concorrente àquela empresa que. que é descrita no item a seguir. assim. segundo o comprador. considera-se o marketing uma função de apoio à área da produção. reais e potenciais.41 O aumento da concorrência tem obrigado as organizações a decidirem estrategicamente sobre as variáveis do composto de marketing. ponto-de-venda. Por isso. A concorrência constitui um desses fatores do ambiente em que uma organização opera. porque tem a função de prover bens e serviços para os clientes. está crescendo. economia. tecnologia e outras.” . p. interferindo. produto e promoção influenciam na competitividade das empresas. Sendo assim. as necessidades dos consumidores. na permanência delas no mercado. De qualquer maneira é graças à atuação da concorrência que uma empresa tende a organizar-se. As decisões sobre preço. Quando a empresa analisa seus pontos fortes e fracos. de forma que possa satisfazer. p.

quando.9) lembra que o processo de transformação sofre influências do ambiente interno (outras áreas funcionais da empresa) e do externo (economia.42 A área da produção lida com diversas questões problemáticas. Moreira (2000. que os recursos estejam sendo usados de forma eficaz e que a qualidade desejada seja obtida. em produtos ou serviços prontos para serem consumidos ou adquiridos. Laugeni (2001. A administração da produção e operações. tais como: o que. “diz respeito àquelas atividades orientadas para a produção de um bem físico ou à prestação de um serviço”. para quem e onde produzir. consomem recursos e nem sempre agregam valor ao produto final.36) referem-se “ao uso de recursos para mudar o estado ou condição de algo para produzir outputs. de acordo com Moreira (2000. como qualquer outro. De acordo com Martins.9) refere-se ao controle como “a designação genérica que se dá ao conjunto de atividades que visa assegurar que programações sejam cumpridas. o mesmo autor (2000. política.” Sendo assim. como. em produtos acabados e/ ou serviços. Esse processo é bem retratado na Figura 5. O processo de transformação. Em suma. com o que. porquê. na tentativa de transformar insumos. constitui objetivo da Administração da Produção/ Operações a gestão eficaz dessas atividades. p. competição e tecnologia) à organização. através da transformação. tais como matérias-primas. deve ser devidamente controlado. p. Slack. Johnston (2002.” Além disso. p. pelos consumidores (outputs). quanto. pode-se dizer que qualquer produção envolve o processo de transformar recursos de entrada (inputs). p.” Todas as operações de produção são conduzidas através de um processo de transformação. Chambers. Quando falam de transformação. respectivamente. p.5) “Como tais atividades. a APO pode ser entendida como o conjunto de todas as atividades da empresa relacionado com a produção de bens e serviços.1). para que se alcance os fins desejados. que padrões sejam obedecidos. A arte de identificar e escolher as melhores soluções para estes problemas denomina-se Administração da Produção (APO). .

se adequadamente utilizadas. administração de estoques e controle da qualidade. p. . O projeto de um produto ou serviço. planejamento e controle da produção. ou seja.43 INFLUÊNCIAS E RESTRIÇÕES INSUMOS PROCESSO DE CONVERSÃO PRODUTOS E/ OU SERVIÇOS SUBSISTEMA DE CONTROLE Figura 5: Processo de transformação da produção Fonte: Moreira. Estas ferramentas são diversas. auxiliam na eficácia organizacional. realiza-se um projeto preliminar. tecnologias de processo. porém.143). então. Chambers. localização e arranjo físico das instalações. Produtos e serviços O sucesso de uma empresa depende. é importante gastar tempo desenvolvendo projetos nesse âmbito. A seguir faz-se a triagem. 2000. que possui todo conteúdo e processos necessários para a realização da idéia gerada no início. O projeto. Posteriormente. principalmente. trabalho humano. segundo Slack. da sua capacidade de oferecer produtos ou serviços que satisfaçam e até superem as expectativas dos seus clientes. começa com a geração do conceito. a seleção das melhores idéias.9 Para solucionar os problemas da área da produção existem diversas ferramentas disponíveis que. p. Johnston (2002. de uma idéia que realmente satisfaça as necessidades dos clientes. Sendo assim. a seguir destacam-se: os projetos de produtos e serviços.

definir a maneira como esses bens e serviços serão produzidos. ou seja. os custos de produção e a satisfação do cliente. Uma das questões essenciais do projeto de tecnologias de processos é a automação. Gaither.156) relatam que: Os projetos de automação talvez tenham de esperar em novos e pequenos negócios. Tecnologias de processo Todas as empresas utilizam algum tipo de tecnologia de processo para a produção.” Pode-se dizer. devido à dinâmica do ambiente no qual se encontra inserido. Chambers. satisfazendo melhor seu cliente e obtendo melhores resultados. o projeto do produto afeta diretamente sua qualidade. Devido à escassez de capital e habilidades técnicas e de .241) definem tecnologias de processos como sendo “as máquinas.97) destacam: “(. O projeto de produtos e serviços é. equipamentos e dispositivos que ajudam a produção a transformar materiais. então. Frazier (2002. refere-se às tecnologias necessárias para transformar os diversos recursos da organização em saídas.. p. Decidir por implantar processos tecnológicos mais ou menos avançados não é uma tarefa fácil. p. Gaither. Por último.. portanto. as características detalhadas de cada produto ou serviço oferecido. Após ter definido as características dos produtos ou serviços que serão disponibilizados. a produção pode projetar as tecnologias de processo.). Frazier (2002. antecipadamente. Slack. crucial para o sucesso na competição global. p.44 passa por um processo de avaliação e melhoria para verificar sua efetividade. Este tipo de projeto está sujeito a alterações constantes. que o projeto de produtos e serviços permite que a organização determine. informações e consumidores de forma a agregar valor e atingir os objetivos estratégicos da produção. que está sempre exigindo que as empresas adaptem seus produtos e serviços às mudanças.” Dessa forma. faz-se o teste ou a simulação do protótipo com o objetivo de chegar ao projeto final. Johnston (2002. de forma a atingir os resultados planejados.

Johnston (2002. parte da produção e distribuição de produto pode ser contratada junto a empresas fornecedoras. os serviços e os processos. assim como a da que está analisada. As tecnologias de processo exigem o planejamento da capacidade da produção. bem como todas as tecnologias e métodos por eles utilizados. primeiramente. p. Moreira (2000. transportadoras e de distribuição. onde cada um saiba o que fazer e como fazê-lo. É composto por vários elementos separados. O objetivo do projeto de trabalho é criar um ambiente produtivo e eficiente. Assim como os produtos. com que os objetivos da produção sejam alcançados.284) afirma que: O projeto de trabalho diz respeito exatamente à especificação dos conteúdos e dos métodos associados a cada um desses trabalhos. representa o máximo que uma empresa pode oferecer de produtos ou serviços em situações normais de atividade. assim. Em outras palavras. “é o nível máximo de atividade de valor adicionado em determinado período de tempo que o processo pode realizar sob condições normais de operação”. segundo Slack. fazendo.45 engenharia. p. definir o tamanho racional da produção da empresa. Slack.276) relatam que “O projeto de trabalho não é uma decisão simples.344). Sendo assim. o trabalho das pessoas envolvidas na produção também deve ser projetado. deve ser automatizada à medida que se adquire maturidade e capacidade para projetar e implementar o processo de tecnologia. Johnston (2002. Chambers. Trabalho humano O projeto de trabalho engloba todas as atividades que influenciam a forma como os funcionários trabalham. Chambers. p. A forma de gerenciamento dos recursos humanos influencia diretamente na eficiência e na eficácia das funções organizacionais. a produção das pequenas organizações. A partir da determinação da capacidade é possível adequar a demanda do produto ou serviço à operação da empresa. A capacidade. para determinar qual o melhor processo é preciso. Desse modo. embora .

. Por isso. analisando a relação custo-benefício que tal decisão trará. controlar e planejar o trabalho. serviços públicos de infra-estrutura. Laugeni (2001. e outros fatores. quanta autonomia. e/ ou onde se fará a administração do empreendimento. p. influenciarão na tomada da decisão. definem o trabalho das pessoas na produção. como. onde serão fabricados os produtos ou prestados os serviços. Por essa razão. ou seja. “Localizar significa determinar o local onde será a base de operações. medir. por quem. p. Enfim. para realizar projeto de trabalho é preciso tomar uma série de decisões. onde. procura-se analisar. é imprescindível planejar a implantação de uma empresa em determinado local. proximidade com os mercados consumidores e rede de transportes. Para Moreira (2000. a gerência do projeto de trabalho preocupa-se com a relação homem-trabalho.94). esses fatores são: proximidade de pessoal qualificado. em quais condições ambientais. quando tomados em conjunto. materiais e fornecedores. que envolvem a definição de quais tarefas serão realizadas.175). as atividades que um indivíduo faz dentro da organização. E. Localização As decisões a respeito da localização são estratégicas para o negócio.46 relacionados. Projetar o trabalho humano é tão essencial quanto projetar a localização geográfica de uma empresa.” A determinação da melhor localização envolve a identificação de alguns fatores que. que. qualidade de vida e serviços. Segundo Martins. facilidades de isenção de taxas e impostos. e como esta relação influencia a produtividade da empresa. assim como todos os projetos. de certa forma. eles devem ser realizados no sentido de satisfazer às necessidades dos consumidores.” Sendo assim. quanta habilidade e em qual seqüência o trabalho será executado. localização dos concorrentes.

por processo. mas também por todas as organizações que desejam satisfazer melhor seu cliente e obter vantagem competitiva. O projeto de localização estuda a posição geográfica de uma organização.110). para que não haja prejuízos e o lucro não fique sacrificado. que estão reunidos de acordo com a semelhança. Cada um desses aspectos implica em custos para a empresa. Chambers. Laugeni (2001. é necessário selecionar o tipo de arranjo. ocorre o deslocamento dos materiais em busca dos diferentes processos. Arranjo físico de instalações O arranjo físico é uma da partes mais notórias de uma organização. o projeto de localização deve estar alinhado com os objetivos estratégicos traçados pela organização. existem quatro tipos básicos de arranjo físico: posicional. A localização deve ser verificada.201). Já no arranjo físico por processo. ou seja.200) colocam que: “definir o arranjo físico é decidir onde colocar todas as instalações. Slack. p. a decisão de localização deve ser bem projetada. não só pela organização estudada. Sendo assim. afetando os custos e interferindo na eficácia da produção.” Para projetar o arranjo físico. Ele determina a maneira como os recursos produtivos fluem na operação. celular e por produto. processos do mesmo tipo ou similares estão localizados juntos. Enfim.112) caracterizam o arranjo físico posicional como sendo aquele em que há o deslocamento das máquinas e dos outros recursos transformadores até o local de execução das atividades. . Martins. máquinas.47 Percebe-se que existem vários aspectos a serem analisados. p. Ainda segundo Slack. segundo os mesmos autores (2001. p. equipamentos e pessoal da produção. p. Johnston (2002. A preocupação com o posicionamento dos recursos de transformação da empresa ocorre na realização do projeto de arranjo físico das instalações. Johnston (2002. Chambers. de modo a contribuir para o sucesso no alcance dos resultados.

p. Define-se a seqüência que irá permitir o melhor fluxo e a maior produtividade. Porém.. Chambers. taxas altas de acidentes. O mesmo autor (2000.. Johnston (2002. onde se encontram todos os recursos necessários para a produção. p.260). cada empresa estabelece o momento mais apropriado de implantar o projeto de arranjo físico.48 Slack. Sendo assim. possibilitando o alcance dos objetivos da produção com eficiência.259) afirma. adequando-o aos seus processos. ineficiência de operações.338) “Planejamento e controle da produção é a conciliação do potencial da operação de fornecer produtos e serviços com a . O estudo deste tipo de projeto é fundamental para a organização analisada. “O arranjo físico por produto é usado quando se requer uma seqüência linear de operações para fabricar o produto ou prestar o serviço (. O planejamento e o controle da produção (PCP) são decisões fundamentais para que a produção ocorra na prática. que diversos fatores podem levar as empresas a utilizar o projeto de arranjo físico: novas instalações.)” (MOREIRA. não basta organizar. Planejamento e controle da produção As atividades da produção precisam ser planejadas e controladas para que os objetivos traçados sejam alcançados. produtos ou serviços. pois possibilita determinar os fluxos necessários para cada processo existente na empresa.205) definem o arranjo físico celular como sendo aquele em que os recursos são pré-selecionados a movimentar-se em apenas uma parte da específica da operação (célula). p. Para Slack. planejar e controlar a produção. Sendo assim. mudanças no produto ou serviço. 2000. Johnston (2002. é preciso. p. também. a organização dos recursos produtivos ocorre de acordo com os produtos ou serviços que estão sendo transformados. também. dentre outros. recursos. Chambers. O projeto de arranjo físico facilita a organização dos processos e das atividades da empresa. de forma a aumentar a eficiência e eficácia organizacional. racionalizando o tempo de realização das tarefas e aumentando a produtividade.

da melhor maneira possível.” (MARTINS. é preciso verificar se os estoques irão ser suficientes para apoiar esse planejamento feito. Sendo assim. Administração de estoques Quase todas as atividades de uma empresa mantêm algum tipo de estoque. Ao planejar a produção. periodicamente. 2001. também. e manter ou melhorar o nível de atendimento ao cliente. p. a administração de estoques é essencial para que o planejamento e controle da produção aconteçam. de forma improdutiva. eles devem ser administrados.49 demanda de seus consumidores. visto que permitem a coordenação e aplicação dos recursos produtivos. “A programação detalhada da produção depende do tipo de operação. de forma a atender. De acordo com Moreira (2000. Sendo assim. e são utilizados métodos e técnicas distintos em cada situação. ela precisa ter um sistema de informações interno que relate.463): Entende-se por estoque quaisquer quantidades de bens físicos que sejam conservados. Desse modo. os planos por ela estabelecidos.” Trata-se da definição do que será produzido em um período de curto prazo. os dados que serão necessários para a realização do PCP. reduzir os estoques e os custos operacionais. p. Para assegurar o funcionamento eficiente do PCP é necessário que a empresa esteja integrada com as outras áreas funcionais. LAUGENI. pois ao mesmo tempo em que podem representar segurança para situações de incerteza. Cabe a cada empresa utilizar o método que achar mais adequado.392) os objetivos do PCP são: permitir que os produtos tenham a qualidade especificada. de acordo com o que foi planejado. podem. fazer com que as máquinas e pessoas operem com os níveis desejados de produtividade. Além disso. É o conjunto de atividades diárias que garante que a operação ocorra de forma contínua. existem várias técnicas que determinam a quantidade a ser produzida. O planejamento e o controle da produção são essenciais para o sucesso da empresa em estudo.237) Segundo Moreira (2000. representar riscos de prejuízo para uma organização. constituem . p. por algum intervalo de tempo.

como matérias-primas e componentes que aguardam utilização na produção. no caso de organizações de pequeno porte. uma empresa. Chambers. principalmente. Controle da qualidade Vivemos numa época em que os clientes estão. . como a estudada. Johnston (2002. e o excesso de estoque gera custos de armazenamento e de perda. que não terão o produto no momento em que desejam. Sendo assim.50 estoques tanto os produtos acabados que aguardam venda ou despacho. Em um ambiente carregado de incertezas. Desse modo.387) dizem que a abordagem do lote econômico de compra “tenta encontrar o melhor equilíbrio entre as vantagens e as desvantagens de manter estoque. o gerenciamento de estoques tornou-se uma ferramenta crucial para garantir o sucesso. a empresa pode manchar sua imagem e perder diversos outros clientes. adequando-os à realidade da empresa. também. A boa administração dos estoques só tem a contribuir para o a sobrevivência de uma empresa. que trabalham com recursos limitados. Administrar e controlar estoques não constitui uma tarefa fácil. informados e exigentes. Sendo assim.” Além disso. Slack. torna-se necessário determinar um lote econômico de compra. Por esse motivo. A falta de estoque gera custos de falta. as empresas que não se preocuparem em satisfazer totalmente esses clientes estão fadadas ao desaparecimento. torna-se essencial obter e aplicar conhecimentos de gerenciamento de estoques. Além de administrar os estoques. como o atual. O controle da qualidade é essencial para a competitividade e a permanência no mercado. a falta de administração de estoque pode levar à insatisfação dos clientes. deve gerenciar a qualidade de seus produtos e serviços. uma quantidade ideal que gere menos custos para a empresa. cada vez mais. ou seja. p.

Além disso. que é comum nas organizações do seu porte. Campos Alt (2001. realmente. p. 2. Controlar a qualidade significa verificar se o que foi planejado está.559) define controle da qualidade como “um processo que nos permita medir o nível atual de qualidade de um produto. existem diversas ferramentas na área da produção que. então.51 A qualidade consiste justamente nessa preocupação em satisfazer o cliente. que reduza ao máximo as perdas e os custos com materiais e maximize os resultados e a satisfação dos clientes.” A função produção tem a responsabilidade de disponibilizar bens e serviços de qualidade para seus clientes internos (colaboradores) e externos. obtendo melhores resultados. ir além do que foi pedido. possibilita que se cobre um preço de venda maior.” No entanto. sendo executado. compará-lo com um padrão desejado e agir para corrigir os desvios.551). A organização e os pontos característicos da área de materiais são descritos a seguir. O conhecimento dessas ferramentas permite que a empresa estudada administre melhor o problema da escassez de recursos. colaborando.93) consideram recursos materiais como sendo. como um todo. p. para que tanto os objetivos da organização quanto os da sociedade. Martins. além de atender as especificações dos consumidores é necessário superar suas expectativas. p. contribuem para o sucesso da organização. Segundo Slack. “os itens ou componentes que uma empresa utiliza nas suas operações do dia-dia. Para produzir bens e serviços de qualidade é necessário ter uma boa administração dos recursos materiais. Johnston (2002. Esse aspecto garante a fidelização e a manutenção do cliente na empresa. na . alavancando as vendas e aumentando o lucro da empresa. Moreira (2000. sejam atendidos. a fim de satisfazer os consumidores. “qualidade é a consistente conformidade com as expectativas dos consumidores. Enfim. Chambers. se bem conhecidas gerenciadas.7 Recursos Materiais Os recursos materiais são fundamentais para a existência de uma organização.

p. na compra do bem.52 elaboração do seu produto final ou na consecução do seu objetivo social. Clientes Transporte Sinal de demanda Identificar fornecedor Expedição Armazenagem do produto acabado Comprar materiais Transportar Recebimento de armazenagem Movimentação interna . em sua distribuição ao consumidor final. constituindo os estoques da empresa. Seus objetivos são: maximizar a utilização dos recursos da empresa e fornecer o nível requerido de serviços ao consumidor”. transporte interno e acondicionamento. estão inclusas nesta área funcional da empresa. A Figura 6 possibilita entender melhor esse fluxo formado pelas atividades de administração de materiais. em sua armazenagem como produto acabado e. Dessa forma.” O crescimento da concorrência e dos custos tem pressionado as organizações a buscarem novas maneiras de gerir seus materiais. p. em seu transporte durante o processo produtivo. Segundo Arnold (1999. finalmente. Campos Alt (2001. todas as atividades que visam prover os recursos necessários para a produção de um bem ou serviço.5): A administração de recursos materiais engloba a seqüência de operações que tem seu início na identificação do fornecedor. em seu recebimento. De acordo com Martins. Como tal são adquiridos regularmente.26) a administração de recursos materiais “é uma função coordenadora responsável pelo planejamento e controle do fluxo de materiais. de forma a obter a máxima eficiência e eficácia.

235): A função compra é um segmento essencial do departamento de materiais ou suprimentos.65). verificar se recebeu efetivamente o que foi comprado e providenciar armazenamento. Emitir pedidos de compra. No entanto. (MARTINS E CAMPOS ALT. armazenamento e distribuição física de materiais. Aprovar a fatura para pagamento do fornecedor. por menor que seja. Fazer um acompanhamento para garantir que os prazos de entrega sejam cumpridos.53 Figura 6: Fluxo das atividades de administração de materiais Fonte: Martins. Campos Alt. onde qualquer detalhe. Encontrar fornecedores potenciais. selecionar o fornecedor certo. Conforme Arnold (1999. Por outro lado. também. acabe prejudicando ou parando a produção. A área de compras. acarretam custos para sua manutenção. planejá-las quantitativamente e satisfazê-las no momento certo com as quantidades corretas. p. baixos níveis de estoque podem fazer com que a empresa trabalhe num limiar arriscado. p. . 2001. Determinar o preço correto. p. deve estar atenta ao nível de estoque da organização. destacam-se as atividades: compra. recebimento. pois embora altos níveis de estoque possam significar poucos problemas com a produção. 2001. Função compras Trata-se de uma função verdadeiramente estratégica para o negócio que deseja se manter no mercado atual.209) para realizar compras são necessárias as seguintes atividades: Receber e analisar as requisições de compra. Segundo Dias (2006. emitir solicitações para cotações. de modo a possibilitar que a empresa dê continuidade em suas atividades organizacionais. É através dessa função que os materiais são repostos adequadamente. que tem por finalidade suprir as necessidades de materiais ou serviços. Selecionar fornecedores. p. Receber e aceitar as mercadorias.5 É possível perceber que o campo da administração de recursos materiais é bastante amplo e envolve várias atividades que contribuem para o sucesso de uma empresa. receber e analisar cotações.

2001. Procurar sempre dentro de uma negociação justa e honrada as melhores condições para a empresa. Enfim. se os recursos de informática e os equipamentos de carga e descarga são apropriados. 299). Após comprar os materiais. p. A função compras é de fundamental importância para a empresa estudada.54 Para Dias (2006. a boa compra permite que a empresa tenha uma vantagem competitiva no mercado. também. principalmente em condições de pagamento. permitindo que a encomenda chegue.299) “O setor de recebimento desempenha as funções de desembalagem dos bens recebidos e verificação das quantidades e condições quantitativas. obedecendo a padrões de quantidade e qualidade definidos. ao processo de produção. porque possibilita que se compre com a qualidade e a quantidade correspondentes as suas expectativas. aumentando seu potencial de crescimento e lucro. sem prejuízos ou desvios. com menores custos. Tudo isso contribuirá para um bom recebimento de materiais. p. pois à medida que os custos são minimizados. p.” Sendo assim. a organização pode oferecer condições de preço mais satisfatórias aos clientes. a empresa deve preocupar-se com as formas de recebê-lo e armazená-lo. Segundo Dias (2006. não só porque permite fazer melhores cotações. ao receber os produtos comprados a empresa precisa verificar se seu espaço físico é adequado. contribuindo para o alcance dos objetivos estabelecidos. 236) os objetivos básicos da função compras seriam: Obter um fluxo contínuo de suprimentos a fim de atender aos programas de produção. mas. Recebimento e Armazenamento O recebimento garante que o bem entregue esteja em conformidade com as especificações da compra. . Coordenar esse fluxo de maneira que seja aplicado um mínimo de investimento que afete a operacionalidade da empresa. se o pessoal e os procedimentos estão devidamente normalizados (MARTINS E CAMPOS ALT. Comprar materiais e insumos aos menores preços. de forma a assegurar que eles estarão disponíveis no momento e no local determinado.

visto que. ou seja. já transformados.203). correspondente aos materiais que. mais próximos dos clientes. Esta fase. garante a racionalização na maneira de estocar o bem. do produto bruto. que podem ser internamente. racks. a armazenagem assume grande importância na melhoria da utilização do espaço físico. e empilhamento. na fábrica. e de produtos acabados. na produção. aquela feita para atender o usuário. de acordo com o produto e suas especificações. p. Além de permitir que o material seja guardado com qualidade. agregando valor ao seu produto. Cabe ressaltar que. o armazenamento é um instrumento de competição. agrega valor de lugar e tempo ao produto. é ser entregue ao cliente. . como em locais externos. intermediária. que fica disponível para os clientes no momento em que desejarem. No caso da organização em estudo. parcialmente. Enfim. prateleiras. possibilitando reduzir o espaço e guardar maior quantidade de material. as técnicas mais utilizadas para a armazenagem de produtos são: caixas. os materiais são conduzidos à armazenagem.55 Depois de recebidos. Todo movimento de transporte que visa levar o produto até o consumidor final é denominado distribuição física. Distribuição Física A distribuição física refere-se à última fase do fluxo de materiais antes da utilização do produto pelo consumidor. Cada organização estabelece sua própria técnica de estocagem. também. entram. O objetivo final do bem estocado. Segundo Pozo (2007.23) trata-se do “processo que envolve a administração dos espaços necessários para manter os materiais estocados. mesmo que indiretamente. p. Ainda conforme Dias (2006. pois permite que a empresa atenda prontamente seu cliente.205) afirma que existem três tipos de estocagem: de matéria-prima. é essencial para o êxito organizacional. o armazenamento não é por prazo indeterminado.” Dias (2006. p.

p. possivelmente. atacadistas e varejistas – é denominado canal de distribuição. no menor tempo possível e ao menor custo.” Os produtos são distribuídos através de canais de distribuição. organização e controle efetivos para as atividades de movimentação e armazenagem que visam facilitar o fluxo de produtos. Segundo Ballou (1993. de acordo com suas estratégias estabelecidas. No entanto. unicamente. formando uma cadeia estratégica de suprimento e abastecimento da produção. que visa integrar todas as atividades organizacionais. como transporte de materiais. trata-se de todas as empresas e pessoas que participam do processo de entrega de produtos acabados aos clientes. Logística Muitos consideram logística.375) “O caminho particular pelo qual os produtos passam – por centros de distribuição. que envolve todas as atividades da empresa.” A eficiência da distribuição contribui para a formação e manutenção da imagem institucional de uma empresa. Segundo Arnold (1999. p.312) consideram distribuição como sendo “o conjunto de atividades entre o produto pronto para o despacho e sua chegada ao consumidor final.” Sendo assim. p. permitindo melhor controle e maior integração entre os setores. aos menores custos. Campos Alt (2001. O papel da logística é proporcionar ao cliente produtos que satisfaçam suas necessidades.17): A logística empresarial estuda como a administração pode prover melhor nível de rentabilidade nos serviços de distribuição aos clientes e consumidores.378) “O objetivo da administração da distribuição é criar e operar um sistema de distribuição que atinja o nível exigido de atendimento aos clientes. através de planejamento. Cabe a cada empresa determinar seu tipo de canal de distribuição. A administração de recursos materiais e a distribuição física se unem para formar o que se chama de logística.56 Martins. que fica conhecida por agregar rapidez e confiabilidade aos seus produtos. trata-se de um termo bastante amplo. Ainda de acordo com Arnold (1999. . p.

as empresas que aplicarem os conceitos logísticos estarão desenvolvendo formas de continuar competindo e sobrevivendo. que são as atividades de armazenagem. p. Essas atividades podem ser primárias. contribuindo. Desse modo. . ao mesmo tempo. planejamento e sistema de informação. através da logística. ou seja. manuseio de materiais. ou seja. então. em termos de preferência do cliente. suprimentos. embalagem.57 A partir do momento que está satisfazendo o cliente. A administração de recursos materiais ocupa lugar de destaque na organização em estudo. p. que será abordada a seguir. no tempo oportuno. englobando: os transportes.28) afirma que “uma empresa pode alcançar uma posição de superioridade duradoura sobre os concorrentes. No ambiente atual. pois se destina a suprir a empresa dos materiais imprescindíveis para o seu funcionamento. que a boa gestão de materiais é uma poderosa ferramenta de competitividade. Pode-se afirmar. a manutenção de estoques e o processamento de pedidos. no local determinado e na qualidade exigida. Pozo (2007. de suporte para o desempenho das atividades primárias. determinar quanto manter em estoque de modo que não sacrifique o lucro organizacional e. fundamentais para a consecução da logística. na quantidade adequada. torna-se necessário integrar a administração de recursos materiais com a administração financeira da empresa.21) considera que várias atividades da empresa são consideradas importantes para que os objetivos logísticos sejam alcançados. que proporciona a redução de custos e a otimização do desempenho empresarial. assim. satisfaça às necessidades do consumidor. a empresa está obtendo vantagem em relação ao seu concorrente.” O mesmo autor (2007. ou de apoio. Um dos maiores desafios das organizações atuais é manter o equilíbrio entre o nível de estoques e os recursos financeiros disponíveis. para o que os objetivos organizacionais sejam alcançados.

” Dessa forma. Segundo Braga (1989. assim. a função financeira tem um papel muito importante no desenvolvimento de todas as atividades operacionais. contribuindo significativamente para o sucesso do empreendimento. Para obter informações financeiras.6) afirmam que: “O objetivo da administração financeira é maximizar a riqueza dos acionistas. de seus proprietários.58 2. em resultados quantitativos. revistas técnicas. que o auxiliam no processo de tomada de decisão e na elaboração de planos e orçamentos. é de suma importância que o administrador detenha um bom conhecimento e entendimento da área financeira de seu negócio. a situação financeira da organização. p. . contribuindo. Para as informações externas. Demonstrações Financeiras As demonstrações financeiras contêm informações imprescindíveis para o administrador de uma empresa. para a sua sobrevivência e permanência no mercado.23): A função financeira compreende um conjunto de atividades relacionadas com a gestão dos fundos movimentados por todas as áreas da empresa. seminários e encontros do setor. Cherobim.57) essas informações podem ser internas (sobre a empresa) ou externas (sobre o ambiente). Encontrada em qualquer tipo de empresa. ações da concorrência e situação do mercado internacional. as fontes são jornais. admite-se que a gestão financeira eficaz ocasionará o desenvolvimento e prosperidade da empresa. Cherobim. Essa função é responsável pela obtenção de recursos necessários e pela formulação de uma estratégia voltada para a otimização do uso desses fundos. percebe-se que a administração financeira permite o estudo dos melhores meios de obter recursos para financiar operações e atividades da empresa. decisões de política econômica. Sendo assim.8 Administração Financeira Um dos principais objetivos de qualquer organização é obter um lucro que justifique os investimentos iniciais feitos pelos proprietários e credores da empresa. Lemes Junior. Sendo assim. Elas expressam. Rigo (2002. sócios e colaboradores internos e externos. Já as informações internas são obtidas nas demonstrações financeiras. p. Rigo (2002. o administrador pode utilizar várias fontes. tais como: tendências do mercado. Ainda segundo Lemes Junior. p.

isto é. as demonstrações financeiras mais importantes são: a Demonstração do Resultado do Exercício.266) Sendo assim.” A Demonstração do Resultado do Exercício.52) confirma: “Nessa demonstração é evidenciada a formação do lucro ou prejuízo do exercício social. 2007. trata-se de um relatório financeiro que fornece.59 “As demonstrações financeiras constituem um conjunto formal de informações sobre as atividades financeiras das empresas e objetivam o resumo e a documentação das movimentações econômicas e financeiras. “A Demonstração do Resultado do Exercício é uma demonstração contábil que apresenta o fluxo de receitas e despesas.” (LEMES JUNIOR. Para a empresa em estudo. as operações de aumento ou de redução do patrimônio de uma empresa no período de exercício. CHEROBIM.266). investidores. demonstrando se a empresa está em situação de lucro ou de prejuízo. conforme o modelo apresentado na Figura 7. para os clientes externos (fornecedores. RIGO. também. Braga (1989. que resulta em aumento ou redução do patrimônio líquido entre duas datas. realmente. p. p. resumidamente. o Balanço Patrimonial e o Fluxo de Caixa. inicia-se com a Receita operacional bruta e dela deduzem-se custos e despesas. p. de acordo com Hoji (2007. mediante a confrontação das receitas realizadas e das despesas incorridas.) uma fotografia em que aparecem os valores de todos os bens e direitos que formam o Ativo da empresa.39) define Balanço Patrimonial como sendo: (. p. não só para os colaboradores da empresa. cabe a cada um deles utilizar as que. Braga (1989. O Balanço Patrimonial constitui outra demonstração financeira relevante para a organização estudada. o principal objetivo das demonstrações financeiras é a divulgação. credores. dentre outros)..” (HOJI. de todas as dívidas e compromissos a pagar .6) Dessa forma. “deve ser apresentada de forma dedutiva. mas. 2002. para apurar o lucro líquido”. p. Existem diversas demonstrações financeiras disponíveis para os gestores de uma instituição.. os apoiarão na visualização e na compreensão do negócio.

..) (...... A Figura 8 indica um modelo genérico de Balanço Patrimonial utilizado pelas empresas. (......... (.. (. Westerfield. 19t2 RECEITA OPERACIONAL BRUTA Deduções da receita bruta RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Custo dos produtos vendidos LUCRO BRUTO Despesas operacionais Despesas com vendas Despesas gerais e administrativas Honorários da administração Despesas financeiras Receitas financeiras Outras receitas operacionais Outras despesas operacionais LUCRO OPERACIONAL Resultados não operacionais Resultado da correção monetária do balanço LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA Provisão para o imposto de renda Participações estatutárias LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO Figura 7: Quadro da Demonstração do Resultado Fonte: Braga (1989. 19t1 . (. ativo realizável a longo prazo.... (.. .......) (..) (. Jaffe (1995.... Ross....) .. aplicações de liquidez imediata.. que são direitos realizáveis após o término do exercício ..42) afirmam que “O balanço tem dois lados: no lado esquerdo.. (. (. ... O balanço indica o que empresa possui e como tudo isso é financiado. p.. .... ....... (....52)......) .) (.... estoques etc. Pode-se concluir...) ..) (. p.) . (.) (... e no lado direito vemos os passivos e o patrimônio dos acionistas...... que o Balanço Patrimonial indica a situação do patrimônio... ...) (..) .) (....” O ativo de uma instituição pode ser classificado em: ativo circulante.. ...) ..) ...) . estão os ativos......60 que constituem o Passivo (recursos de terceiros)...) ...... do conjunto de bens e direitos (ativo) e de obrigações (passivo) de uma empresa em determinada data....... então. duplicatas a receber.. isto é. tais como: caixas e bancos. (....) (... e o total dos recursos pertencentes aos proprietários denominado patrimônio líquido (capital próprio).) ..) .. (.... que são todos os bens e direitos que se convertem em dinheiro a curto prazo..

Estrangeiros ..... (...... PERMANENTE ...........) (.... . . ...... edifícios. .... ... ... Lucros acumulados ... representado pelos investimentos (como por exemplo. ..) ......... Reservas de lucro . instalações. gastos de reorganização.49 O fluxo de caixa é a demonstração utilizada para representar o movimento de entrada e saída de capital da organização.... (........... . . como: depósitos judiciais. Diferido ... (. 13:21) o fluxo de caixa: ....) . . ..... ........ 1989. Segundo Cavalcante (04/05/08.... ....... Debêntures . .. REALIZÁVEL A LONGO PRAZO .......... . .) .. .. ..... ... 2007.. incentivos fiscais. ..... . ... . ...61 seguinte e com a mesma natureza dos direitos do ativo circulante.. títulos. ........ participação acionária em empresas coligadas.. PATRIMÔNIO LÍQUIDO .. .... Capital social integralizado .. dentre outros).. Empréstimos compulsórios Depósitos para incentivos fiscais ..... .. ... (. ... .... máquinas e equipamentos etc) e pelo diferido (gastos de implementação de sistemas e métodos. p.. . ..... ..... . (HOJI. valores mobiliários e impostos a recuperar... Financiamentos ......... .... .... ..) .. Nacionais ...... .. Duvidosa Títulos e valores mobiliários Estoques Despesas do exercício seguinte . TOTAL DO ATIVO Disponibilidades Caixa e bancos Aplicações de liquidez imediata Clientes Duplicatas a receber Duplicatas descontadas Outros créditos Prov..... ...... Reservas de capital ...... Coligadas e controladas ... . ..... ... taxas e contribuições Outras obrigações a pagar Provisões diversas Participações estatuárias Dividendos a pagar EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 19t2 19t1 ... .. .. pelos imobilizados (terrenos.. .... .. p/ créd....... . liq. .......... num determinado período. . ... Investimento . Imobilizado .. . Reservas de reavaliação . . ..... . TOTAL DO PASSIVO Figura 8: Modelo de Balanço Patrimonial Fonte: Braga. .... . Outras obrigações e provisões RESULTADOS DE EXERCÍCIOS FUTUROS . ..260-262) ATIVO CIRCULANTE 19t2 19t1 PASSIVO CIRCULANTE Fornecedores Empréstimos e financiamentos Estrangeiros Nacionais Encargos a apropriar Impostos...... . e ativo permanente....... ....... ........) ........ ...... dentre outros)..... (...... p.........

mas também. . p. com o objetivo de melhorar o planejamento de suas ações. A demonstração do fluxo de caixa é importante. e. De investimento: são fluxos de caixa associados com a compra e venda de ativos imobilizados. um mês etc. O planejamento é essencial para todas as atividades empresariais. também. principalmente. De financiamento: resultam de operações de empréstimo e capital próprio. Também envolve as operações de venda ou compra de ações.62 É um instrumento de controle que tem por objetivo auxiliar o empresário a tomar decisões sobre a situação financeira da empresa. ou se há necessidade de capital de giro para financiar as operações. que resultará numa correspondente entrada ou saída de caixa.81-82). Tomando ou quitando empréstimos tanto de curto prazo (títulos a pagar) quanto de longo prazo. sempre considerando um período determinado. que proporciona ao gestor uma visão antecipada das sobras e faltas de recursos financeiros. e participações societárias. Enfim. Planejamento e Controle Financeiro É por falta de planejamento e controle financeiro que muitas empresas não conseguem permanecer no mercado. De acordo com Gitman (1997. os fluxos de caixa de uma empresa podem ser divididos em três fluxos: Operacionais: são os fluxos de caixa – entradas e saídas . Trata-se de outro importante instrumento de análise e avaliação de uma empresa. não só para a análise da situação atual da empresa. para a realização do planejamento e do controle dos recursos financeiros. mas.diretamente relacionados à produção e venda dos produtos e serviços da empresa. se eles serão suficientes para tocar o negócio no período determinado. Consiste em um relatório gerencial que informa toda a movimentação de dinheiro (entradas e saídas). que pode ser uma semana. fornecem informações. as demonstrações financeiras constituem ferramentas essenciais para os gestores de uma organização. para as atividades da área financeira. visto que. pois informa aos interessados se os recursos financeiros da empresa estão aumentando ou diminuindo.

vendas. que possibilita otimizar os excessos de caixa e estimar necessidades futuras de financiamento.230) Em suma. O orçamento é um instrumento de planejamento e controle financeiro. pode-se dizer que os orçamentos expressam.63 Segundo Hoji (2007. além de permitir reduzir as situações de risco. p. o desenvolvimento e os resultados de todos os planos das unidades operacionais e órgãos administrativos da empresa. 1989.417). que o auxiliarão a otimizar o desempenho organizacional. p. gastos gerais. recursos humanos. através do fornecimento . as políticas de compras. p. p. as quais todas as organizações atuais estão sujeitas. em quantidades físicas e valores monetários. comparar os planos com os desempenhos reais e fornecer um meio para a realização de um processo de feedback no qual o sistema pode ser transformado para que se atinja uma mais perfeita atuação. que “traduz. definindo as responsabilidades pela gestão dos recursos e geração dos resultados de determinado período.418): O planejamento orçamentário visa ao conhecimento antecipado de resultados e serve de guia para ações a serem executadas pelas unidades da empresa. visto que permite o melhor gerenciamento de todas as áreas funcionais. Os responsáveis por cada um desses orçamentos devem implementá-los de acordo com os planos de ação e acompanhá-los com base em um sistema de informações estruturado. quantitativamente. visto que controlar significa comparar o que foi planejado como o que foi executado. A administração financeira precisa estar sustentada e orientada por um planejamento e controle de seus recursos. Para isso o gestor necessita conhecer e entender os instrumentos financeiros. 2007.” (BRAGA. produção. O controle está relacionado com o planejamento. Sendo assim. Braga (1989. que corrija os eventuais desvios (HOJI. A sobrevivência e o crescimento de uma empresa são conseqüência de uma gestão eficaz de seus recursos financeiros. qualidade e tecnologia de uma organização.230) complementa: O planejamento é necessário para fixação de padrões e metas. pode-se admitir que o estudo da administração financeira exerce um papel de extrema relevância para a existência da organização estudada. O controle permite obter informações com rapidez.

p. buscando alternativas para melhorar o seu desempenho. percebe-se que o diagnóstico apresenta a situação real que a empresa está vivenciando. com o objetivo de detectar os fatores que contribuem e os que impedem seu crescimento. Para realizar um diagnóstico empresarial. o diagnóstico empresarial se tornou uma poderosa ferramenta de identificação de fatores que possam implicar na sustentabilidade da organização.45) define diagnóstico como sendo um instrumento para análise e identificação de problemas. 2. os ambientes com os quais a organização está relacionada e suas variáveis relevantes devem ser analisados. O ambiente externo à empresa A compreensão de que o ambiente externo influencia fortemente na gestão de uma organização. envolvendo as principais áreas de uma empresa. é imprescindível que o gestor de uma empresa obtenha conhecimento e entendimento desse assunto. O bom conhecimento dos aspectos da área financeira. Berti (2001.45) todos esses problemas devem ser estudados com detalhes. Sendo assim. e de todas as outras áreas organizacionais é fundamental para a elaboração do diagnóstico empresarial. p. é fundamental para a tomada de decisões e para o futuro de um negócio. de acordo com a prioridade estabelecida pela empresa.9. Segundo o mesmo autor (2001. Dessa forma. tema que é discutido no item 2. Considera-se que existem dois principais ambientes que influenciam a gestão de uma organização: o externo e o interno. .9 Diagnóstico No ambiente globalizado no qual vivemos.64 de dados e informações cruciais para a tomada de decisão e para a condução da empresa. para se definir o plano de ação corretiva.

a organização precisa avaliar esses componentes do ambiente externo. Por exemplo.. p. O componente político: compreende os elementos relacionados a decisões governamentais. crenças. estilo de vida.) pode oferecer para a empresa oportunidades e ameaças. esforços para tentar obter aprovação de projetos. O componente social: refere-se às características da sociedade na qual se situa a organização..92): o ambiente externo “(. César (2005. as empresas devem procurar aproveitar as oportunidades. aproveitar os que lhe proporcionarão benefícios e tentar evitar os que poderão vir a lhe prejudicar. .” Os mesmos autores (2005.65 Segundo Certo. ou seja. O componente tecnológico: inclui novas abordagens para a produção de mercadorias e serviços. taxas de emprego. dentre várias outras leis aprovadas. Peter. dentre outros. a fim de manter sua sobrevivência e crescimento no mercado. Exemplos desses elementos incluem tipo de governo. adaptar-se a elas. taxas de inflação. taxas de juros.) formado por componentes que normalmente têm amplo escopo e sobre o qual a organização não tem nenhum controle. distribuição geográfica e mobilidade de uma população fazem parte do componente social. as regras ou leis que todos os membros de uma sociedade devem seguir. Níveis educacionais. Para Oliveira (2002. Lei de Defesa da Concorrência. p.27) esse ambiente externo é aquele “(.27) propõem que o ambiente externo é composto dos seguintes componentes: O componente econômico: que indica como os recursos são distribuídos e usados no ambiente. a tendência contemporânea de utilizar robôs na tentativa de melhorar a produtividade. tributos e receitas de consumidores... com procedimentos e equipamentos novos. bem como procurar amortecer ou absorver as ameaças ou. idade. tais como: PIB. Marcondes.” Enfim. progressos na aprovação de leis etc. Nesse contexto. costumes. São exemplos desse componente: Lei de Proteção ao Consumidor. O componente legal: consiste na legislação aprovada. p. simplesmente.

dentre outras atividades produtivas. referentes à segmentação do mercado e estratégias do composto de marketing (preço. os pontos fortes e fracos da empresa deverão ser determinados diante de sua atual posição produto versus mercado. p. práticas de recrutamento. controle de estoques. dentre outros. regras etc. hierarquia de objetivos. Aspectos financeiros.. promoção). produto. como por exemplo. Aspectos de pessoal. que englobam aquisição de matéria-prima. política. lucratividade. O ambiente interno à empresa É extremamente necessário que uma empresa tenha o domínio do ambiente interno. relações trabalhistas.66 O diagnóstico empresarial compreende a análise. Peter. uso da tecnologia. do ambiente interno à empresa.29) o ambiente interno “(. Marcondes.) é o nível de ambiente da organização que está dentro dela e que normalmente tem implicação imediata e específica em sua administração”. tais como: estrutura da organização. atividades e oportunidades de investimentos. praça. Aspectos de produção. não só do ambiente externo. Segundo Certo.. que é apresentado a seguir. que incluem liquidez. p. Aspectos de marketing. Para Certo. Marcondes. César (2005. sejam elas concorrentes diretas ou apenas concorrentes potenciais. César (2005. Cabe a cada empresa identificar os aspectos que podem ser considerados como pontos fortes e os que são classificados como pontos fracos para o seu . Essa análise deve tomar como perspectiva para comparação as outras empresas de seu setor de atuação. mas. procedimentos.31) os aspectos importantes do ambiente interno de uma organização são os: Aspectos organizacionais. p. ou seja. Oliveira (2002. pois seus componentes são os mais facilmente perceptíveis e controláveis. Peter. também.101) complementa: A análise interna tem por finalidade colocar em evidência as deficiências e qualidades da empresa que está sendo analisada. se comparados aos do ambiente externo. programas de treinamento.

” (KOTLER. Oportunidades: são as variáveis externas e não controláveis pela empresa. a Análise de SWOT. Pontos fracos: são as variáveis internas e controláveis que provocam uma situação desfavorável para a empresa. p. em relação a seu ambiente. em relação a seu ambiente. 98) Segundo Oliveira (2002. Quanto mais informações. quando bem estruturada. conclui-se que a análise eficiente e efetiva dos ambientes. forem coletadas. de cada item. Ameaças: são as variáveis externas e não controláveis pela empresa que podem criar condições desfavoráveis para a mesma. que podem criar condições favoráveis para a empresa. dos ambientes de uma organização. Sendo assim. analisando as possíveis causas desses pontos fracos. traz à organização que a utiliza um conjunto de informações importantes para a tomada de decisões. a fim de aplicar ações que possibilitem melhorar a sua produtividade. opportunities. 2000. mais completa será a análise. pontos fracos e fortes. é essencial para que boas estratégias possam ser definidas e para que os objetivos traçados sejam alcançados. pois permite o entendimento da realidade organizacional.67 desenvolvimento. “A avaliação global das forças e fraquezas. weaknesses. por meio de uma ferramenta denominada Análise de SWOT. sendo usado como base para sua gestão e para seu planejamento estratégico. que devem ser particularmente analisados e monitorados.89): Pontos fortes: são as variáveis internas e controláveis que propiciam uma condição favorável para a empresa. Análise de SWOT A Análise de SWOT tem o objetivo de possibilitar a análise de cenários. p. tanto interno quanto externo à organização. dos termos em inglês strenghts. Foi possível notar que os ambientes (interno e externo) trazem para as empresas oportunidades e ameaças. desde que a mesma tenha condições e/ ou interesse de usufruí-las. Enfim. foi possível concluir que as análises efetuadas sobre os fundamentos do diagnóstico empresarial são imprescindíveis para a empresa estudada. ou seja. Enfim. threats. . oportunidades e ameaças é denominada análise SWOT.

Em se tratando de restaurantes não é diferente.19) salienta: Há os que o freqüentam apenas para alimentar-se na hora do almoço. Sua administração. pode-se dizer que a gerência do restaurante deve agir no sentido de oferecer produtos que atendam os desejos dos seus clientes-alvo. em que o serviço é assumido em sua maioria ou quase totalidade pelo cliente. tais como manobrista ou sala de espera. Um restaurante é um estabelecimento que tem o objetivo de preparar e servir alimentos e bebidas. 2004. possibilidade de usar vales-refeição ou cartões de crédito. O público-alvo de um restaurante é bastante diversificado e pode ser segmentado em diversos grupos de clientes. para a fundamentação deste estágio. um ambiente.68 Após entender sobre diagnóstico e sobre cada uma das diversas áreas funcionais que compõem uma organização. destaca-se o restaurante do tipo selfservice. p. que é abordada no item posterior. compreender a gestão de restaurantes. evidentemente com a intenção de reduzir custos. dentro do conceito que se propõe executar. cada um com diferentes conceitos e composições. que o escolhem pela proximidade do emprego ou da residência. p. do preço. Maricato (2001. 2004.13). aumentando a rapidez no serviço.” (FONSECA. por conseguinte. dirigir e controlar os recursos necessários para alcançá-los. organizar. ou ainda pela prestação de serviços acessórios. e. os preços. um tipo de comida. um tipo de serviço e outros diversos aspectos (FONSECA. da rapidez no atendimento. tipo de culinária. bem como as atividades de planejar.10 Gestão de Restaurantes A gestão de qualquer tipo de organização envolve o estabelecimento de objetivos.27) . Existem diversos tipos de restaurantes. p. Todo restaurante pressupõe um público-alvo. 2. “Esta modalidade surgiu para atender a necessidade de alimentação mais variada e rápida. buscando sempre superar suas expectativas. torna-se essencial. Para a realização deste estágio. qualidade na cozinha. também. envolve a capacidade de alocar recursos para atingir objetivos. Homens de negócios saem mais tarde para almoçar. têm mais tempo e exigem mais requinte. Assim sendo.

que inspeciona seus produtos e serviços. é necessário a elaboração do planejamento do cardápio. 2004.69 Nesse tipo de restaurante. o controle de pragas. para a satisfação dos seus clientes. como. mas. enfim. (www. São as cores. Foskett (1999. o modo como eles são manipulados e higienizados.” Nesse caso. Além disso. as pessoas.gov. informando ao cliente o que o abastecedor tem a oferecer. a fim de esclarecer sobre os cuidados durante a manipulação dos alimentos. Ceserani. Para isso estabeleceu um manual de boas práticas para serviços de alimentação. pode-se ter informações gerais sobre como é feita a limpeza. Segundo Kinton. p. o treinamento de funcionários.167). Nele. tanto internos quanto externos. ou seja. O bom planejamento do cardápio contribui para a produtividade da empresa e. o abastecedor é o restaurante. o que fazer com o lixo e como garantir a produção de alimentos seguros e saudáveis. também. anvisa. o que será servido. quando. os cheiros. ou seja. Outro aspecto relevante dos restaurantes do tipo self-service é a questão do ambiente. ou lista de alimentos.287) o “cardápio. a ANVISA exige que os serviços de alimentação implementem os Procedimentos Operacionais Padronizados (POP) relacionados ao controle integrado . em que quantidade. mas o ambiente gerado por todo o conjunto humano e físico. a decoração. o cardápio precisa ser bastante variado para atender a um público cuja fidelidade é grande. se não acarretam riscos à população que deles se utilizam. os procedimentos de higiene e controle de saúde dos funcionários. da água utilizada. Os restaurantes são fiscalizados pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). com o objetivo de averiguar se estão em condições de consumo. devese programar. O Manual de Boas Práticas é um documento que descreve o trabalho executado no estabelecimento e a forma correta de fazê-lo. p. para quem e com qual finalidade será servido. Vale ressaltar que a ANVISA fiscaliza não só os alimentos. não só os aspectos decorativos. é um meio de comunicação. todos os aspectos ligados à percepção do lugar que determinarão se o ambiente é agradável e harmônico ou não (FONSECA. acessado em 09/05/08 às 19:32). também.br. com o objetivo de informar aos funcionários o que deve ser feito e aos clientes o que estará disponível. Dessa forma. previamente.

oferecem serviços de atendimento. A gastronomia nasceu desse prazer e definiu a atividade de cozinhar como uma arte. 2001. um restaurante de pequeno porte. crescente de pessoas. também. e higiene e saúde dos manipuladores. para a sociedade na qual estão inseridos. Desse modo. cada vez mais. mas o que é prestado na cozinha. o problema está na gestão ineficaz do empreendimento. a comida servida por esses estabelecimentos proporciona prazer para os que dela desfrutam. É como uma receita de bolo. para garantir a satisfação dos clientes. para que os objetivos traçados fossem alcançados. equipamentos e móveis.” (MARICATO. para que se desenvolva e obtenha sucesso.br. “Num restaurante. higienização do reservatório. os responsáveis por fazê-la. que é apreciada por uma demanda. O serviço de atendimento nos restaurantes deve ser organizado e eficiente. higienização de instalações. entender os aspectos da gestão de restaurantes é essencial para que o negócio não só se mantenha no mercado. o atendimento inclui não só o serviço de salão. O capítulo a seguir descreve os métodos e as técnicas que foram utilizados para a realização deste estágio. no tempo e nas condições em que chegam à mesa. Enfim. apresenta como os dados necessários para o desenvolvimento das atividades propostas foram coletados e analisados. Como os POP são documentos aprovados pelo estabelecimento. p. . acessado em 09/05/08 às 19:32). Na maioria das vezes. mas também. que deve ser seguida rigorosamente. pois geram empregos e renda e. tem muita dificuldade de permanecer no mercado. por meio do responsável. contribuindo assim. Dessa forma. O Procedimento Operacional Padronizado (POP) é um documento que descreve passo-a-passo como executar as tarefas no estabelecimento. além de produzirem refeições. para que tudo vá bem. Os restaurantes são importantes para a economia. anvisa.70 de vetores e pragas urbanas. O POP destaca as etapas da tarefa. os materiais necessários e a freqüência em que deve ser feita. Além disso. (www. principalmente. tal como o estudado. é dever de cada manipulador segui-los.gov. na elaboração dos pratos solicitados. Cabe destacar que os restaurantes são estabelecimentos que. visto que são essenciais para o atendimento de uma das necessidades básicas do ser humano: a alimentação.95).

como a filosofia. Os questionários foram elaborados de forma clara e objetiva para que os objetivos do trabalho fossem atendidos. elemento fundamental do processo do conhecimento realizado pela ciência para diferenciá-la não só do senso comum. Quanto ao procedimento. as questões foram desenvolvidas livremente. “Reúne o maior número de informações detalhadas. optou-se por examinar os fatos através de técnicas de observação. a arte. foi semi-estruturada. Santos (2002. sendo assim o pesquisador não interagiu com o objeto de pesquisa. visando apreender uma determinada situação e descrever a complexidade de um fato. No entanto. p.” Dessa forma. a organização em estudo foi analisada com o devido rigor. Contém perguntas fechadas em sua maioria.77) “O método indutivo vai permitir. A partir da metodologia utilizada. porém não foi descartada a possibilidade de que perguntas abertas sejam articuladas. A entrevista. um instrumento fundamental de coleta de dados.71 3 METODOLOGIA O método consiste na elaboração de caminhos lógicos e racionais a serem seguidos. a partir de observações. p. tendo em vista o objetivo a ser alcançado. Todos os fatos observados foram anotados. e os dados foram levantados da forma mais minuciosa possível.” (LAKATOS. . a religião. Trata-se de um conjunto de procedimentos lógicos e de técnicas operacionais que permitem o acesso às relações causais constantes entre os fenômenos. MARCONI. com o objetivo de obter deduções gerais para as demais empresas do ramo. pois serviram de base para o desenvolvimento do estágio. mas também das demais modalidades de expressão da subjetividade humana. inferir condições e situações gerais esperadas. Segundo Parra Filho. foi utilizado o método monográfico por se tratar do estudo de uma determinada instituição. em seguida foi feito o relacionamento entre eles a fim de chegar-se a conclusões generalizadas. em primeiro lugar foram feitas observações de fenômenos particulares. A observação ocorreu de forma não participante. 102): A ciência utiliza-se de um método que lhe é próprio. 2004. ou seja. O estágio foi organizado com base no método indutivo. p. o método científico. questionários e entrevista. de acordo com a direção que se considere adequada. levantamentos de determinados fatos. e os mais significativos foram destacados. valendo-se de diferentes técnicas de pesquisa. De acordo com Severino (2007. 274). determinadas situações.

p. que apresenta a análise dos dados levantados. juntamente com seu orientador. revistas. Desse modo. dessa maneira. O processo de tabulação foi utilizado a fim de facilitar a visualização e a apresentação das informações. A utilização de tais instrumentos permitiu a melhor visualização da situação atual para que as conclusões fossem mais claras e objetivas. .” É importante ressaltar que. a Internet foi uma ferramenta de consulta bastante útil.72 Com referência à natureza das fontes utilizadas. a partir da metodologia descrita anteriormente. composto de doze funcionários. O próximo capítulo trata do desenvolvimento do trabalho. Após a análise dos dados a apresentação foi feita através de tabelas e gráficos para os administradores da instituição estudada. Os dados foram levantados pelo próprio pesquisador. auxiliando no alcance dos objetivos. definida pelo critério de acessibilidade. Trata-se de um universo pequeno. e para analisá-los utilizou-se da metodologia qualitativa. e também a alta administração da empresa. sendo assim oito dos doze colaboradores foram considerados objeto de estudo. a análise das informações fornecidas pelos entrevistados foi feita através de interpretações e reflexões do autor do projeto. e representou 67 % do universo escolhido. formada por dois empresários. redes eletrônicas. No uso das técnicas de entrevistas e questionários. essa análise foi feita fora do ambiente da empresa para não envolver as percepções. que consiste na consulta de livros específicos para obter-se um conhecimento prévio do assunto em questão. foi realizada a pesquisa bibliográfica. algumas informações relevantes somente são publicadas no meio eletrônico. jornais.48) “Pesquisa bibliográfica é o estudo sistematizado desenvolvido com base em material publicado em livros. permitindo a obtenção de melhores resultados. Porém. foi possível entender e diagnosticar a organização estudada. isto é. O universo da pesquisa abrange todo corpo organizacional. sentimentos e conhecimentos dos membros da organização. material acessível ao público em geral. A amostra foi do tipo não probabilística. Para Vergara (2000.

73 4 DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO Neste capítulo. na sociedade atual. cada vez mais. viajantes. Primeiramente. eram as mulheres as responsáveis por cozinhar dentro de casa. A competitividade está. No entanto. exigindo que os estabelecimentos atendam rigorosamente às exigências do mercado no qual está inserido. Após isto. Além disso. não podendo mais executar esse serviço. Apresenta-se também. Nesse contexto. tempos atrás. acirrada. como: altos executivos.1 Descrição do negócio As pessoas estão. Encerra-se com a descrição dos resultados alcançados a partir das propostas implementadas. estrutura organizacional. A concorrência tende a aumentar. onde são levantadas as causas dos problemas enfrentados por ela. . através da estruturação de um plano específico individual. famílias. todos os seus aspectos internos. descrevem-se as características da organização estudada. Cada cliente possui suas características e necessidades próprias. aborda-se a discussão sobre todas as atividades desenvolvidas para que os objetivos traçados fossem alcançados com sucesso. concorrência etc. operários. crescentemente. eles possuem algo em comum: a busca pela comodidade. ou seja. tendendo a se alimentar fora de casa. dificultando a sobrevivência destas empresas no mercado. Os restaurantes atendem públicos bastante diversificados. justifica-se o crescimento expressivo do ramo de restaurantes. a maioria delas passou a ter um trabalho remunerado. dentre outros. O funcionário dos dias de hoje precisa controlar seu tempo e aproveitá-lo da melhor forma. A seguir. a fim de obter resultados mais efetivos. estruturais e sistêmicos: funcionários. constantemente. bem como o seu diagnóstico. 4. propõem-se ações de melhoria para cada problema identificado. Permanecerão e se desenvolverão as que trabalharem com maior eficiência e qualidade. faz-se a descrição do negócio no qual a organização está inserida. a situação atual do funcionamento da organização. Porém.

Centro. CNPJ: 26931659/0001-55. Telefone: (62) 3233-5730. esse crescimento aumenta a competitividade e exige que as empresas aperfeiçoem a gestão para permanecerem vivas. agilidade.2 Caracterização da empresa Razão Social: Cascata’s Restaurante Ltda. Uma gestão eficaz conhece todos os fatores que influenciam a organização. o item 4. Goiânia-Go.74 A revolução da tecnologia. Inscrição Estadual: 52200896663.2 descreve com mais detalhes os dados que caracterizam a empresa estudada. o que possibilita a melhor compreensão dos aspectos internos que interferem no seu funcionamento básico. Números de funcionários: 12. confiança e qualidade. número 295. assim. garantindo. Goiânia-Go. com o surgimento de sistemas informatizados de gestão. Eles estão cada vez mais numerosos e eficientes. possibilitou automatizar os restaurantes. Ramo de atividade: restaurantes. a fazer parte da vida das pessoas. Setor Coimbra. Capital Social: R$ 24. cada vez mais. Desse modo. 4. . Os fornecedores representam outro ponto importante na descrição do ramo. Porém. O processo de escolha do fornecedor é árduo e adota critérios minuciosos para desempatar o resultado. o aprimoramento dos serviços oferecidos aos clientes. Nome de fantasia: Restaurante Cascata’s.880.00. Localização da filial: Estação de Goiânia Feiras e Eventos. Localização da sede: Rua endereço Rua Izaira Abrão. tais como: pontualidade. Participação Societária: 50% para cada sócio. O ramo está em ascensão e tende. trata-se de um negócio indispensável para a existência da sociedade. Enfim. Clientes: funcionários das firmas ao redor e público dos Camelódromos de Campinas.

2. apesar do aumento expressivo dos concorrentes. Trata-se de uma sociedade empresária limitada. que foi incorporada por duas novas sócias em 2006: Maria Coraci Borges Vieira e Fernanda Borges Vieira. de dois para sete restaurantes somente nas proximidades. dentre outros. Regra. Fornecedores: diversos tais como: Goiás Carnes. 4. A empresa está estrategicamente localizada próximo aos Camelódromos de Campinas. Coca Cola. Figura 9: Fachada do Cascata’s Restaurante . depende da cotação de preços feita no período da compra. Tipo de serviço oferecido: self-service. em 2006. em uma área de 600 m2. obteve um crescimento considerável na demanda.1 Histórico O Cascata’s Restaurante foi criado em 1994 para comercializar e prestar serviços de alimentação para consumo local.75 Concorrentes: sete restaurantes self-service localizados ou na mesma rua ou nas paralelas. Após a expansão e o desenvolvimento da região.

presta informações sobre tributos e taxas. A área comercial tem a função de atender e recepcionar os clientes. a armazenagem de produtos e cuida dos assuntos de pessoal e finanças da empresa. nos sábados. analisa e aprova as decisões tomadas pelo gestor da empresa. Sendo assim. através da qualidade. a administração esteve cada vez mais preocupada em satisfazer a demanda crescente por seus produtos. Esta se localiza na Estação de Goiânia Feiras e Eventos. 4. dessa forma.2. O Cascata’s Restaurante possui ainda uma filial inaugurada recentemente. A contabilidade é terceirizada e tem a função de assessorar o gerente na execução de suas atividades. saladeiras e auxiliares de cozinha estão incluídas neste setor. encargos sociais. em 2007. As cozinheiras. A gerência corresponde à área onde as decisões globais da organização são tomadas. e onde as estratégias são formuladas. identificando o nível de satisfação em relação às refeições oferecidas e aos serviços prestados. . A administração faz as compras. folha de pagamento de pessoal. representada legalmente apenas por uma das sócias.2 Estrutura Organizacional Funções dos órgãos: A diretoria. o planejamento das atividades operacionais é feito. abre apenas nos dias de funcionamento da feira. interagindo com a área da produção na solução de eventuais problemas. domingo e eventualmente nos feriados. Dessa maneira. A produção é a área onde ocorre a preparação e a elaboração do alimento.76 Desde então. pode-se obter competitividade e adequar-se às necessidades dos clientes. sendo assim. os atendentes estão inseridos nesta área da empresa.

77

Diretoria

Contabilidade

Gerência

Comercial

Produção

Administração

Figura 10: Organograma funcional do Cascata’s Restaurante Fonte: a autora

A estrutura organizacional do Cascata’s Restaurante é considerada informal, pois não há um organograma formalmente estabelecido. Sendo assim, os níveis hierárquicos foram definidos de acordo com a rotina das atividades exercidas pelos colaboradores. A relação de subordinação foi apenas declarada verbalmente pela gerência, sem qualquer documentação escrita que comprove a declaração. A seguir pode-se obter uma visão mais completa do funcionamento da organização, visto que se descreve detalhadamente os métodos, os sistemas e os controles que são realmente utilizados pela administração no seu cotidiano.

4.3 Situação atual
4.3.1 Descrição da situação atual Gestão A gestão da empresa apresentada se caracteriza por ser familiar e empírica. Sendo assim, a responsabilidade de administrar cabe, unicamente, ao marido da proprietária, que utiliza critérios de experiência para exercer suas atividades.

78

Sendo assim, é óbvio que o administrador dispõe de total liberdade e confiança para tomar as decisões e realizar suas atividades. A proprietária tem um papel ativo na empresa, visto que é a responsável por realizar as compras dos componentes necessários à produção e, também, por fiscalizar, pessoalmente, a equipe da cozinha, para evitar gastos desnecessários com materiais. As atividades de planejar, organizar, dirigir e controlar são básicas da administração. No Cascata’s Restaurante, essas tarefas são realizadas pelo próprio gestor e não existem métodos e técnicas pré-determinados para a realização dessas tarefas. O planejamento das ações organizacionais é informal e semanal. O gestor divulga verbalmente aos seus colaboradores todas as atividades que deverão ser realizadas no decorrer da semana. A organização e a direção dos diversos recursos e esforços que existem dentro do Cascata’s Restaurante são realizadas de forma racional, para que auxiliem a gerência no alcance dos objetivos. A atividade de controle é feita mensalmente. A gestão realiza vários controles internos, tais como: controle do movimento bancário, dos estoques, dos horários e férias dos funcionários, dentre outros. Todos eles são feitos manualmente, em cadernos separados para cada tipo diferente. É fato que, o ato de gerir um negócio não é algo fácil. Por esse motivo, o gestor decidiu nomear uma gerente para as áreas comercial e da produção. Dessa forma, ele poderia estar mais livre para as questões administrativas e estratégicas. O gerente geral dispõe de total autoridade para tomar decisões globais da empresa. Até as decisões da gerente nomeada precisam da sua aprovação. Trata-se, no entanto, de uma gestão centralizada. Os objetivos constituem um aspecto essencial para a atividade da gestão, pois eles definem o rumo, o caminho a se seguir. O principal objetivo da empresa é atingir lucros crescentes através da máxima satisfação dos clientes. Todas as atividades são executadas da maneira mais eficiente possível, visando alcançar esse objetivo traçado.

79

Enfim, trata-se de uma gestão simples, que está, constantemente, em busca de resultados eficazes e efetivos, através da eficiência operacional, a fim de garantir sua permanência no mercado. Posteriormente, descrevem-se as estratégias utilizadas pela gestão a fim de facilitar o funcionamento da organização e de auxiliar no alcance dos objetivos. Estratégias A estratégia, na visão de Porter (1989, p. 10), apresenta três tipos genéricos: custo, diferenciação e enfoque. As estratégias de custo e diferenciação são mais gerais, enquanto que a de enfoque é mais específica da empresa. Ao observar o Cascata’s Restaurante, percebe-se a utilização da estratégia baseada na diferenciação. Sendo assim, busca-se o diferencial na realização de todas as atividades existentes na organização. A diferenciação está no aspecto da qualidade oferecida, no atendimento e na produção de refeições. Dessa forma, pode-se dizer que a organização tem seu foco para os clientes que estão à procura de comida de qualidade. Além disso, existe uma preocupação permanente da empresa com os aspectos da higiene pessoal e ambiental, para demonstrar sua qualidade aos clientes, com o intuito de atraí-los e retê-los. As estratégias genéricas podem levar uma empresa à expansão, manutenção ou penetração de mercado, dependendo dos objetivos organizacionais. A expansão está ligada ao crescimento e desenvolvimento da empresa no mercado em que atua. Já a estratégia de manutenção relaciona-se com a permanência de posição no mercado. E a penetração de mercado visa a entrada no mercado através de estratégias fortes e imbatíveis. Neste caso, a diferenciação levou à expansão de mercado. O restaurante começou a se expandir em 2007, através da abertura de uma nova filial na região central de Goiânia. A idéia foi aproveitar a oportunidade da criação da Feira da Estação para alcançar o objetivo de aumentar a lucratividade do negócio.

Desse modo. oito dessas são do quadro de efetivos. dirige e controla as atividades relativas à área de recursos humanos. rigorosamente. os membros da empresa não têm esses aspectos internalizados. foram e são essenciais para a implementação de estratégias no Cascata’s Restaurante. através da conscientização dos funcionários. valores e fatores críticos de sucesso do Cascata’s Restaurante não foram claramente definidos pela gestão. Todos os procedimentos que eles utilizam para exercer suas respectivas funções estão relatados no item a seguir. O quadro de pessoal da empresa é composto de doze pessoas sendo que. A tomada de decisão não se baseou em nenhum instrumento de pesquisa de mercado ou qualquer outro do tipo. que essa estratégia foi estabelecida de acordo com a intuição e percepção de mercado da gestão da empresa. Pode-se considerar que a empresa realiza várias atividades pertinentes da área de RH. Ele as controla. A formulação das estratégias é feita pelo gestor. porém. . no entanto. que são essenciais para uma melhor perspectiva de futuro gerencial. que se preocupa em implementá-las de acordo com o ambiente no qual está inserido. As outras quatro são terceirizadas. A missão. das 7:30 às 15:30. também. Recursos Humanos No Cascata’s Restaurante não existe um órgão formal de Recursos Humanos. trabalham apenas nos sábados e domingos. é o próprio administrador quem planeja. Dessa maneira. visão. Os funcionários. a qualidade poderia ser mantida e o reconhecimento da marca não seria colocado em risco. Para que a idéia desse certo foi preciso padronizar as políticas e as atividades.80 Cabe ressaltar. trabalham de segunda a sábado. pois são os dias em que a filial funciona. Sendo assim. organiza. na sede do restaurante. não de forma sistemática e formal.

cartazes são fixados na parte da frente do restaurante. é necessário treinar esse funcionário para que realize suas atividades com eficiência. o administrador procura integrar esse novo funcionário à empresa. Há. regulariza-se a situação junto à Contabilidade. certos requisitos que são particulares a determinadas funções. por exemplo. dos outros funcionários. Além disso. que são arquivados para o caso de posteriores contratações. bem como das funções que ele deverá executar. Nesse período. o gestor faz entrevistas com os candidatos selecionados a fim de coletar mais informações sobre os mesmos e fundamentar sua decisão sobre quem contratar. A partir do momento que surgem vagas na empresa. Porém. dos valores. Esse treinamento não é técnico. que procura selecionar aquelas pessoas que respondem aos requisitos exigidos pelo cargo.81 O recrutamento é feito de acordo com a necessidade de contratação. Quando se trata do cargo de cozinheiro. ou quando são necessárias mais pessoas para realizar o trabalho. A seguir. que realizam função semelhante. as pessoas deixam seus currículos. enquanto que para o cargo de atendente esse requisito já não é exigido. A análise do currículo é feita pelo próprio administrador. à medida que as vagas internas vão sendo desocupadas. mesmo sem esses cartazes. constantemente. Após decidir quem contratar. há apenas a observação da execução dos outros funcionários. contribuindo para o aumento da produtividade do negócio. enfim. é preciso que a pessoa tenha experiência em cozinhar para restaurantes. em caso afirmativo. através da apresentação da estrutura. Vale salientar que a admissão só é formalizada após um período de noventa dias de experiência. Então. divulgando a necessidade de funcionários para trabalhar na empresa. esse candidato é adequado ao cargo que pretende ocupar. da organização como um todo. os currículos são acessados e analisados. Os requisitos básicos que todos os aspirantes aos cargos devem ter são: responsabilidade. assiduidade e dedicação. . Normalmente. o administrador verifica se. também. realmente.

o corte de produtos hortifrutigranjeiros. como o próprio nome diz. também. receber deles os valores referentes ao consumo das refeições oferecidas pela empresa e. antes da abertura do estabelecimento. a limpeza. atuam como auxiliares de cozinha. Nessa área existem quatro funcionários. Como administrador. enfim. gerente comercial e de produção. atendente. contabilizar o valor monetário que possui em caixa. o preparo de saladas e molhos. ajudando no que for preciso. um churrasqueiro e uma auxiliar de cozinha. no final do dia. sendo duas cozinheiras. são responsáveis por atender os clientes. trituração. churrasqueiro. cocção e finalização de alimentos. A equipe da cozinha é responsável pelo processo de preparação. a elaboração de pratos. Além disso.82 Os cargos existentes no Cascata’s Restaurante são: gerente geral. Ao churrasqueiro cabe a limpeza e a preparação de carnes para espetos. O gerente geral exerce. auxiliar de cozinha. é responsável por recepcionar os clientes. são exemplos de atividades realizadas pela equipe da cozinha: a higienização e limpeza dos alimentos. Quando o movimento é maior. ele toma as decisões gerais necessárias para o funcionamento da organização. que serão servidos aos clientes. cortando alimentos. dentre outras. quando já realizaram a limpeza e a organização do salão. Nesta função. As atendentes. O marmiteiro corresponde à pessoa que faz o acondicionamento do alimento escolhido pelo cliente dentro do recipiente adequado. administrador. existem duas funcionárias. Sendo assim. lacrando-o de modo a conservá-lo em . controla as atividades de todos os funcionários e realiza os controles administrativos e financeiros. também. normalmente. caixa e marmiteiro. as funções de administrador e de caixa. a gerente auxilia na execução do trabalho. cozinheiro. ele ainda opera o caixa da empresa. desossamento e corte de carnes. Na parte de atendimento. lavando as vasilhas. As atendentes da empresa. preparando e servindolhes bebidas. além de cuidarem da limpeza e da organização do ambiente em que as refeições são servidas. A preparação dos alimentos para a composição dos pratos é função das cozinheiras e auxiliares de cozinha.

e. por exemplo: uma promoção. posteriormente. assim. ele controla a execução do trabalho dos funcionários que ficam no salão do restaurante. Como marmiteiro existe apenas uma pessoa. como foi dito anteriormente. existem duas pessoas. e uma nova decisão. . O gerente supervisiona as áreas: comercial e da produção do Restaurante. Como em toda empresa. existem conflitos entre os colaboradores. churrasqueiro e auxiliares. Comercialmente. também. para que. uns possam substituir os outros. também. o líder procura solucioná-los o mais rápido e eficientemente possível. gerenciando a qualidade e controlando a armazenagem de alimentos para a produção. no Cascata’s Restaurante. Além de ser responsável por pesar a comida que o consumidor colocou no prato. administra o estoque dos produtos de limpeza utilizados pelos mesmos. Como gerente da produção. para que. O gerente geral designou um gerente para auxiliá-lo no controle das atividades da organização. evitando. A comunicação na empresa é bastante informal. eles não assumam proporções maiores e prejudiquem o andamento das atividades. Enfim.83 condições de consumo. quando há necessidade de noticiar algo diferente para a equipe. Já na parte de atendimento. O objetivo da liderança é que todos conheçam como cada trabalho é realizado. como. orientando e corrigindo o que for necessário. pode-se perceber que todas as atividades são designadas de modo que uns auxiliem os outros na execução de seus trabalhos. O líder realiza reuniões sem datas e avisos prévios. que o serviço seja prejudicado. no caso de falta de algum funcionário. o funcionário é responsável pela assistência e coordenação das atividades da equipe da cozinha: cozinheiras. Apesar de serem funções distintas as pessoas que ocupam as duas funções realizam as atividades de ambas de acordo com a necessidade da empresa. a mudança ou a criação de uma norma. No entanto.

que são consideradas de propriedade das mesmas. Essa área funcional da organização é apresentada a seguir. No entanto. Cabe ainda ressaltar que. atualmente. fora do seu alcance. pois são consideradas caras e. Marketing A área de marketing é a responsável pela criação e pelo atendimento das necessidades e desejos do consumidor. apenas com um feedback do gerente geral. a gestão do Cascata’s Restaurante busca atender às necessidades dos clientes externos à empresa. . a empresa não adota nenhuma técnica formal que avalie o desempenho do seu funcionário na realização do seu trabalho. recebem gorjetas de alguns clientes. através do desenvolvimento das atividades de marketing. é claro. (tais como: rádio. a organização apenas concede ao seu funcionário o vale transporte. O empresário do Cascata’s Restaurante pouco se preocupa com técnicas mais sofisticadas de marketing. outdoors e outras). quando está fora do ambiente da empresa (negociando com fornecedores ou pagando contas bancárias.84 A política de remuneração é composta pelo pagamento de salário fixo para todos os funcionários. O desempenho dos colaboradores é avaliado informalmente. dependendo do resultado alcançado. visando alcançar os objetivos de lucratividade da empresa. além de. por exemplo). jornais. esporadicamente. conceder o benefício de usufruir dos serviços do próprio restaurante. pelo próprio administrador-geral. que contribua para o alcance dos objetivos traçados. as atendentes. Quanto aos benefícios. Além de procurar satisfazer os clientes internos. Todo esforço da liderança é feito no sentido de proporcionar um ambiente de trabalho agradável. por esse motivo. que pode ser positivo ou negativo. A divulgação da empresa é feita verbalmente.

No mercado de restaurantes. Além disso. alguns consumidores solicitam. quando os funcionários da TV Brasil Central (TBC) estão realizando alguma reportagem na região. mostrando a verdade a seus clientes. realiza. tendo em vista a variedade de instituições. procura sempre inovar o cardápio. que freqüentam o restaurante de segunda a sexta. higiene. eles fazem permuta com a empresa. conhecendo e recepcionando os clientes. transmitindo-lhes carinho. para o alcance dos seus objetivos. segurança e confiabilidade. . oferecendo pratos diversificados a cada dia. O Cascata’s Restaurante busca a excelência no atendimento ao cliente por meio da qualidade das suas refeições. depende da quantidade requerida. a competição pelo mercado tem se tornado. acirrada. conseqüentemente. raramente. cada vez mais. anotando suas sugestões e ouvindo suas críticas. O gerente geral está sempre presente. reduzindo o preço da refeição ou oferecendo sobremesas como cortesia. As informações da área de marketing do Cascata’s Restaurante. e ainda assim. que é descrita a seguir.85 No entanto. estará contribuindo para a satisfação dos consumidores e. Enfim. apóiam e orientam a área de produção do mesmo. a empresa preocupa-se em divulgar seus produtos e serviços de forma transparente. trocam suas refeições por alguns minutos de propaganda na rede TBC de televisão. A empresa estudada não faz entregas de marmitas para os clientes. considerando os clientes assíduos. procura-se cobrar preços compatíveis com a qualidade oferecida. Dessa forma. Outra forma de manter o consumidor do Cascata’s Restaurante sempre satisfeito é por meio das promoções que a empresa. iluminação e ventilação. ou seja. regularmente. a gestão da empresa. apenas quando. Além disso. exigindo muito cuidado com o atendimento ao cliente. da eficiência e da gentileza de seus serviços e da ambientação adequada com limpeza.

no final do mês. A empresa prepara em torno de trinta tipos de pratos diferentes por dia. colocadas na estufa para o uso dos clientes. sendo as sobras recolhidas pela cozinha. tal como o arroz que vira bolinho de arroz. existem outros cujas sobras não podem ser reaproveitadas. Encerra-se o processo com o fechamento do horário comercial. Após a cocção é feita a decoração dos alimentos prontos (preparados e cozidos) nas bandejas e cubas. a quantidade e a data em que foi retirada. também. que definem.86 Produção A área da produção é central para qualquer empresa. . pela proprietária e a gerente de produção da empresa. sendo estas. Todo item que entra e sai do estoque é registrado em um caderno. Outra atividade do processo de cocção é a manutenção permanente dos alimentos na estufa para não faltar suprimento ao consumidor. fritar e outros procedimentos específicos) carnes. nesse caso. Esse controle é feito. que contém: a nomenclatura da mercadoria. A cocção é feita pela cozinheira e corresponde ao ato de coser (abrangendo. higienizados e preparados. vegetais e outros alimentos que precisam ser transformados do estado de alimentos crus para serem consumidos. posteriormente. A área da produção é a responsável por preparar e fabricar as refeições para os consumidores. os pratos que serão servidos para os clientes. cereais. semanalmente. as ações de assar. A seguir. são retirados do estoque os alimentos que farão parte do cardápio diário para que sejam. No entanto. Existem alimentos cujas sobras podem ser reutilizadas no outro dia. a cozinheira prepara a lista dos materiais que serão necessários para que esses pratos definidos estejam disponíveis para os clientes. alguns alimentos devem passar pelo processo de cocção. No Cascata’s Restaurante não é diferente. devidamente. estas são descartadas no lixo. Após ter a informação dos pratos que deverão ser servidos. junto à proprietária da empresa. Após a preparação. O cardápio é elaborado pela cozinheira. pois tem a função de prover produtos e serviços para seus clientes.

. Fogão Industrial: equipamento utilizado na preparação das refeições servidas pelo o restaurante. a quantidade a ser produzida. que verifica se todos os procedimentos de manipulação e higienização dos alimentos estão sendo corretamente realizados pelas funcionárias. Frízeres: equipamento que mantém os alimentos congelados. e à medida que a demanda de clientes vai aumentando. controlar as fofocas e conversas paralelas no decorrer da produção. para além de auxiliar a proprietária na verificação dos procedimentos realizados de manipulação e higienização dos alimentos. É instalado em cima do fogão e da chapa. No Cascata’s Restaurante utilizam-se os seguintes equipamentos de processamento de materiais: Picadeira de Legumes: corta os alimentos em tamanhos padronizados e em pouco tempo. descartes e outros trabalhos de manipulação e cozimento de alimentos. também. cabe ressaltar que o administrador possui uma câmera instalada na cozinha. também. Evita-se as perdas de produção. sua vantagem está ligada à conservação dos alimentos. corte. por meio do aperfeiçoamento das atividades de limpeza. é o consumo de energia. Exaustor Industrial: equipamento responsável por controlar a fumaça feita pela a preparação dos alimentos na cozinha e no salão do restaurante.87 A proprietária definiu uma quantidade inicial de refeição a ser produzida. aumenta-se. O controle da qualidade é feito pela própria proprietária. Além disso. e proporciona um melhor local de trabalho e ambiente para os consumidores. É uma máquina de corte. Como é um produto elétrico a restrição que recai sobre ele. deixando-os todos padronizados. que proporciona maior agilidade no corte dos alimentos. tornando-os durante maior tempo consumível. pois não o deixa esfumaçado. no decorrer do processo de cocção. e se não está havendo desperdícios. de potência maior que a tradicional para atender a demanda do restaurante.

Normalmente. Chapa de Carnes: é função de um funcionário do restaurante controlar a chapa. a compradora faz uma cotação e escolhe os que oferecem menores preços. podendo. com base na lista dos insumos necessários para a produção das refeições. no entanto. que têm como função manter os alimentos em temperatura determinada. Recursos Materiais A área de recursos materiais do restaurante estudado é a responsável por prover os componentes necessários para a produção das refeições servidas ao público. seus recursos materiais. da melhor forma. . Estufa: equipamento elétrico de disponibilização dos alimentos. as compras são realizadas por meio de representantes. engloba várias atividades. As compras são efetuadas pela proprietária da empresa. A seguir. Panela industrial a vapor: que agiliza o processo de cozimento do arroz e de outros alimentos. o Cascata’s Restaurante procura administrar. a mercadoria é armazenada no seu devido lugar. Balança: equipamento que faz a pesagem do alimento servido pelo cliente.88 Câmaras frias e geladeiras: equipamentos elétricos. colocar carnes. também. Os fornecedores do restaurante não são fixos. tais como: compra. acontecem. faz-se pedido de refrigerantes. Para produzir refeições de qualidade. compras pessoais ou por telefone. recebimento. duas vezes por semana. O recebimento dos materiais necessários para a produção. por exemplo. melhores prazos de entrega e qualidade. e oferecê-las prontas para os consumidores do restaurante. armazenamento e distribuição de materiais. é feito pela gerente de produção. que verificam se a quantidade recebida está conforme a que foi solicitada. Sendo assim. permitindo que eles se mantenham quentes no momento em que os clientes forem consumi-los. elaborada por ela mesma e pela equipe da cozinha. para maior conservação dos alimentos. Cada tipo de material tem uma rotatividade de compra diferente. a fim de obter melhores resultados e a satisfação dos clientes. na maioria das vezes. também. A área de materiais da empresa é descrita a seguir. ser feito pela proprietária ou pelo gestor da empresa.

89

O restaurante possui um depósito de matérias-primas não perecíveis, que é feito em prateleiras, sendo as perecíveis guardadas em câmaras frias e congeladores. Existe ainda, outro estoque que armazena materiais utilizados para a limpeza do local no qual as refeições são servidas. Este último estoque, também, é feito em prateleiras. Além de administrar seus recursos materiais, a gestão do restaurante procura gerir seus recursos financeiros, para que possa obter melhores resultados, otimizando assim, seu desempenho. A área de finanças da empresa estudada é descrita a seguir. Administração Financeira A área financeira tem um papel muito importante no desenvolvimento de todas as atividades operacionais, contribuindo significativamente para o sucesso da empresa. A organização estudada não faz planejamento financeiro. Todas as decisões relacionadas com essa área (investimentos, financiamentos etc) são tomadas com base no empirismo da gestão. Além disso, o controle financeiro do Cascata’s Restaurante não é sistematizado, faz-se apenas a contabilização manual das entradas diárias para verificar se as vendas estão aumentando, diminuindo ou na média normal do dia. O Cascata’s Restaurante não utiliza documentos para demonstrar sua situação financeira, tais como: balanço patrimonial, balancete, fluxo de caixa, demonstração do resultado do exercício, dentre outros. O estabelecimento vende refeições à vista, em forma de cartões de crédito e débito, cheque, ticket e vales-refeição. Porém, o administrador abre contas em nome daqueles clientes que solicitam ou em nome de empresas que fazem convênio com o restaurante, cujo acerto é feito quinzenalmente ou no final de mês, dependendo do acordo feito com o consumidor. Enfim, a administração financeira é exercida com o auxílio da GO Contabilidade, que fornece informações a respeito de tributos e taxas, folha de pagamento, encargos sociais e outras dessa categoria e que, também, é responsável pela escrituração e apuração dos resultados obtidos pela empresa.

90

Todas as áreas funcionais do Cascata’s Restaurante foram descritas, com a finalidade de possibilitar a realização do seu diagnóstico e para que fossem propostas as devidas sugestões de melhorias, fins estes que são abordados no item a seguir. 4.3.2 Diagnóstico e Sugestões de melhorias O diagnóstico organizacional é um instrumento utilizado para fazer o levantamento da situação geral de uma empresa. Sendo assim, aborda os pontos fortes e fracos da organização, bem como suas ameaças e oportunidades, com o objetivo de identificar as causas dos seus problemas e de aplicar melhorias. No Cascata’s Restaurante o diagnóstico foi realizado por meio da aplicação de um questionário, no qual foram entrevistados oito dos doze colaboradores da organização, e também por meio da realização de entrevistas semi-estruturadas e de observações não participantes, permitindo-se constatar o apresentado a seguir, especificado separadamente por áreas. Gestão A partir da metodologia utilizada foi possível constatar que a gestão do Cascata’s Restaurante é empírica e informal, ou seja, não dispõe de técnicas e métodos específicos para exercer suas funções, mas sim de experiências e intuições.

Preço 5% 5% 10% Qualidade do produto Qualidade no atendimento imagem da empresa equipe de trabalhadores criatividade 19% 14% clima interno

24%

23%

Figura 11: Gráfico das vantagens do Cascata’s Restaurante Fonte: Dados da pesquisa realizada em Abril de 2008.

Sendo assim, o gestor tem apresentado dificuldade para planejar e controlar as diversas atividades que a empresa possui. Mesmo tendo nomeado um gerente para

91

auxiliá-lo no controle das áreas da produção e comercial, o administrador ainda está sobrecarregado de tarefas. Sendo assim, sugere-se uma melhor distribuição das funções, delegando mais autoridade e responsabilidades para os colaboradores e, principalmente, para o gerente. As maiores vantagens da empresa, segundo o questionário aplicado à amostra de oito do total de doze colaboradores, são: qualidade do produto, imagem da empresa e equipe de trabalhadores, como mostra a Figura 10. Sendo assim, nota-se que a gestão exerce um bom papel junto aos colaboradores e que está preocupada com a qualidade e com sua imagem para satisfazer seus clientes. Além disso, trata-se de uma gestão aberta a sugestões que possam melhorar o funcionamento do negócio. O comércio no setor de Campinas é intenso e tende crescer cada dia mais. Esse fato representa uma oportunidade para o restaurante pesquisado, visto que a grande maioria do seu público é formada pelos funcionários dessas empresas. Ao mesmo tempo, é possível notar que novos restaurantes estão sendo constituídos na região, representando uma ameaça para a gestão do Cascata’s Restaurante.
Quadro 1: Diagnóstico da área de gestão

Área funcional Oportunidades Ameaças Pontos fortes

Gestão Intensificação do comércio no setor Campinas Abertura de novos restaurantes na região Gestão aberta às sugestões de melhoria Empresa com qualidade de produtos, boa imagem e boa equipe de trabalhadores Dificuldade nas atividades de planejamento e controle Gestor tem dificuldade de delegar autoridade e responsabilidades para os colaboradores Melhor distribuição de autoridade e responsabilidades para colaboradores e gerente

Pontos fracos Causas

Sugestões de melhoria

Fonte: a autora

representando . e. Quadro 2: Diagnóstico da área de estratégias Área funcional Oportunidades Ameaças Pontos fortes Estratégias O número crescente de pessoas almoçando fora Aumento da inflação e do preço dos alimentos Diferenciação proporcionando higiene e qualidade de produtos e serviços Expansão de mercado Conscientização dos funcionários e padronização das atividades Diretriz organizacional não foi. os fatores críticos de sucesso. visão. os valores. claramente. claramente. aumentando a rentabilidade da empresa. o que possibilitou atender públicos-alvos diferentes. a filosofia da organização não foi. está. devido à higiene do ambiente e dos colaboradores da empresa. como responsável pela formulação das estratégias organizacionais. definida Falta de conhecimento da gestão Definir clara e objetivamente a missão. A diferenciação constitui um ponto forte para a empresa. preocupado em controlá-las por meio da conscientização dos funcionários e da padronização das atividades. a visão. O gestor. os funcionários não têm internalizado a missão. no Centro de Goiânia. No entanto.92 Estratégias As principais estratégias do Cascata’s Restaurante são: diferenciação e expansão de mercado. os objetivos e nem as metas da empresa. positivamente. devido à qualidade do atendimento e das refeições. valores e fatores críticos de sucesso da empresa Pontos fracos Causas Sugestões de melhoria Fonte: a autora Sendo assim. também. definida pelo administrador. A estratégia de expansão foi consolidada a partir da abertura de uma filial.

Constatou-se que. A gestão da empresa precisa estar atenta aos fatores externos ao elaborar suas estratégias. a maioria dos colaboradores é do sexo feminino. ou . Pessoas mais jovens são mais flexíveis e abertas para aceitar regras e imposições. quanto ao perfil. apenas 14% das pessoas que trabalham na organização têm o segundo grau completo. a maioria dos colaboradores (57%) tem de um a seis meses de empresa. o que pode ser visto como um fator impeditivo para o crescimento da empresa. O universo pesquisado abrangeu todo corpo organizacional. as substituições são decorrentes de pedidos de demissão dos próprios funcionários. O crescente número de pessoas almoçando fora. 71% possuem o primeiro grau incompleto e 15% o segundo grau incompleto. valores e fatores críticos de sucesso do restaurante. ou seja. mas entende-se que atende à necessidade do estudo. por exemplo. Esses dados levam a conclusão de que há um maior índice de pessoas jovens na empresa. sendo que da porcentagem restante. Em relação à idade. contribui para o aumento da demanda do restaurante. Esse dado demonstra que o grau de instrução da maioria dos colaboradores é baixo. a tabulação dos questionários permitiu que o perfil dos funcionários da empresa fosse traçado e. enquanto que o aumento da inflação e do preço dos alimentos ameaça as estratégias da organização.93 um empecilho ao seu crescimento. o que significa que o tempo médio de permanência dos empregados na organização é pequeno. Além disso. verificou-se que 57% dos funcionários estão na faixa entre 19 e 23 anos. A amostra representou 67% do universo escolhido. também. o que explica a facilidade que o líder tem para estabelecer normas e procedimentos. Sugere-se como melhoria a clara e objetiva definição da missão. que seu clima organizacional fosse medido. na maioria das vezes. A amostra é do tipo não-probabilística. oito dos doze colaboradores da empresa. Quanto ao tempo de trabalho. Recursos Humanos Na área de recursos humanos. Do mesmo modo. composto de doze funcionários. Foi observado que. pode-se dizer que o índice de rotatividade da empresa é grande. visão. Vale lembrar que o questionário aplicado conteve nove perguntas fechadas e três perguntas abertas.

enquanto que 29%. é a motivação. Apenas 14% classificaram o relacionamento interpessoal como sendo excelente. possibilitou obter dados para medir a percepção dos colaboradores em relação ao clima organizacional. observa-se que 57% dos funcionários o consideram excelente. com relação a se tratar de um emprego seguro. que os impedem de cumprir o horário de trabalho. e dentre eles os que mais se destacaram foram: gostar do que faz. Levando-se em conta o relacionamento entre as pessoas inseridas na empresa. foi questionado sobre o relacionamento com a chefia da empresa. Foram listados vários itens que poderiam ser considerados fatores de motivação da empresa. Outro fator influenciador importante para o clima organizacional. 71% dos colaboradores concorda totalmente. o que propicia um melhor clima organizacional para a empresa. consideram-no ruim. e . Esses dados demonstram que as intrigas existentes entre os colaboradores. Esse dado demonstra que poucos se sentem ameaçados a serem demitidos.94 porque receberam melhores propostas de remuneração. conforme mostra a Figura 11. Pela análise da Figura 13. ser valorizado e reconhecido e ser ouvido. ainda causam empecilhos para o bom relacionamento entre eles. identificou-se que 57% dos funcionários consideram esse relacionamento bom. ou por problemas familiares. O questionário aplicado na organização. mesmo que sejam um pouco amenizadas pelo gestor. Foi observado que. 14% 29% Excelente Bom Ruim 57% Figura 12: Gráfico do relacionamento interpessoal do Cascata’s Restaurante Fonte: Dados da pesquisa realizada em Abril de 2008. como mostra a Figura 12. Além disso. também.

A falta de um treinamento técnico e formal não tem causado problemas para a organização. . No entanto.95 43% deles o consideram bom. os funcionários realizam todas as atividades eficientemente e com qualidade. Clima organizacional 16% 11% Estabilidade no emprego 11% Gostar do que faz Imagem da empresa 21% Relação com a liderança 25% 5% 11% Ser valorizado e reconhecido Ser ouvido Figura 13: Gráfico dos fatores de motivação do Cascata’s Restaurante Fonte: Dados da pesquisa realizada em Abril de 2008. quanto ao processo de seleção. foi identificado como uma das maiores causas para o alto índice de rotatividade da empresa. tem sido eficaz. respeitando-os e motivando-os a gostarem do trabalho. O processo de recrutamento do Cascata’s Restaurante. O líder está sempre em busca da satisfação dos seus subordinados. nota-se que não existem técnicas para selecionar os candidatos. 57% 43% Excelente Bom Figura 14: Gráfico do relacionamento com a chefia do Cascata’s Restaurante Fonte: Fonte: Dados da pesquisa realizada em Abril de 2008. O fato de que o administrador baseia-se apenas na intuição para decidir sobre quem contratar ou não. até o dado momento. contribuindo para que os objetivos sejam alcançados. Esse dado demonstra que a liderança exerce um bom papel na empresa. ouvindo-os.

Essa avaliação ocorre de forma subjetiva. Quadro 3: Diagnóstico da área de recursos humanos Área Funcional Oportunidades Recursos Humanos Amplo mercado de trabalho Mão-de-obra desqualificada Mão-de-obra jovem. avaliado. Os funcionários têm uma boa imagem da empresa. Treinamento contribui para a eficiente realização das atividades.96 O trabalho dos funcionários do Cascata’s Restaurante é. reforçado pelo excelente relacionamento com a chefia. mesmo assim. Existe uma parcela significativa que considera o relacionamento entre os membros da equipe ruim Intrigas e problemas de comunicação entre funcionários Planejar a aplicação de técnicas de dinâmicas. Os processos de admissão e demissão são devidamente formalizados. mas. contribui para que os empregados se sintam motivados e colaborarem com o alcance dos objetivos organizacionais. O tempo de permanência dos funcionários na empresa é pequeno (alta rotatividade) Falhas no processo de seleção (não existem técnicas para selecionar os candidatos) Ameaças Pontos fortes Pontos fracos Causas Sugestões de Melhoria Melhorar o processo de seleção da empresa Fonte: A autora . verbal e constantemente. flexível e que se sente segura e realizada no trabalho. que promovam a integração entre os colaboradores Geração de novos postos de trabalho na região Bom clima organizacional. Constante avaliação de desempenho dos funcionários. sem a adoção de parâmetros especificados que permitam medir o potencial humano da organização.

Trata-se de um ponto fraco do restaurante. mas de todos os outros setores da economia. rádio. novos postos de trabalho estão sendo gerados em empresas. que promovam a interação e a união entre os funcionários. Para contornar esse ponto fraco e a concorrência. que Goiás vem mantendo um ritmo de crescimento empresarial acelerado. o que representa um fator de ameaça para o Cascata’s Restaurante. Com o objetivo de melhorar o gerenciamento dos recursos humanos da empresa. somente por meio da propaganda boca-a-boca.97 Foi possível notar que a empresa está atenta a Legislação Trabalhista e que toma as devidas precauções quanto aos processos de admissão e demissão de funcionários. para que sua imagem não fique prejudicada. bem como a adoção de técnicas para melhor selecionar os candidatos às vagas oferecidas pela organização. sugere-se que a empresa aproveite a oportunidade da existência de várias técnicas de marketing no ramo de restaurantes. fazendo com que se torne necessário ofertar salários maiores para atrair os melhores profissionais. não só do setor de restaurantes. e analise a viabilidade da utilização de outros meios de fazer propaganda dos seus produtos e serviços oferecidos. raramente. Várias pessoas do interior de Goiás ou até mesmo de outros estados migram para a cidade. No Cascata’s Restaurante. também. Marketing O marketing é essencial para que qualquer organização se mantenha no mercado. outdoors. geralmente. É importante observar. para que não tenha que arcar com os custos de uma ação trabalhista fora do orçamento e. No entanto. causado pela falta de capital para financiar a utilização de técnicas mais sofisticadas. também. que está cada vez mais forte em seus métodos de divulgação. percebe-se que a gestão faz a divulgação da imagem da empresa. essa mão-de-obra chega desqualificada. parcerias com hotéis etc. cada vez mais. sugere-se a aplicação de técnicas de dinâmica em grupo. O mercado de trabalho em Goiânia é bastante amplo. da distribuição de cartões e. por propaganda na televisão. Isso significa que. em busca de melhores empregos e de crescimento profissional. como banners. . o que representa uma oportunidade para o Cascata’s Restaurante.

para marmitas investir em outras formas de divulgação Fonte: a autora Pode-se perceber que a empresa estudada. O gestor está sempre presente. estará desenvolvendo uma forma de obter capital de giro para investir na melhor divulgação do negócio. enfim. explorar mais a entrega de marmitas. recebendo as pessoas. Realização de promoções. também. Pouca divulgação Quase não faz distribuição da imagem da de refeições empresa Falta de capital de A gestão não divulga a giro entrega de marmitas Obter capital de giro. Concorrência forte em métodos de divulgação Aumento da demanda de clientes que não podem se deslocar até o local do restaurante. o fornecimento de refeições para outros comerciantes. podendo. por falta de divulgação. perder a oportunidade de atender aquela clientela que não pode se deslocar até o local do estabelecimento para satisfazer a . Quadro 4: Diagnóstico da área de marketing Área Funcional Marketing Crescimento expressivo do ramo de restaurantes. Existência de várias técnicas de marketing no ramo de restaurantes. quase não faz a distribuição de marmitas. Dessa forma. a realização de serviços de festas e buffet. Inovação do cardápio. a empresa pode.98 Como o ramo de restaurantes tem apresentado um crescimento expressivo e várias possibilidades de diversificação. A possibilidade de diversificação no ramo. por meio do Divulgar e aperfeiçoar o incremento das sistema de distribuição de vendas. Oportunidades Ameaças Pontos fortes Pontos fracos Causas Sugestões de Melhoria Informalidade da concorrência. Saturação do mercado. assim. Excelência no atendimento. incrementar suas vendas.

da realização de promoções e da inovação do cardápio. pode-se dizer que a quantidade a ser produzida é definida de forma a gerar o mínimo de desperdícios. acrescenta a essa quantidade o proporcional ao aumento da demanda. que fica disponível para os clientes no momento em que desejarem. aumentar sua produtividade. cocção. são os considerados essenciais para que a produção de um restaurante ocorra. os clientes. devido ao surgimento de muitas empresas do setor. o gerente está sempre presente. conseqüentemente. resultando em um melhor desempenho das atividades produtivas da empresa. Sendo assim. estará agregando valor ao seu produto. Inicialmente. e. visando melhorar o rendimento das refeições e. A organização em estudo procura. massas. a equipe da cozinha produz a quantidade mínima de cada alimento. positivamente. como a organização em estudo. representando assim. quase não há perdas de produção na empresa. Além disso. recebendo. pratos quentes e frios para . com as fiscalizações constantes. posteriormente. intimidando aquelas empresas que estão legalmente corretas. Além disso. pessoalmente. oferece saladas. E os equipamentos de processamento de materiais utilizados nesse processo. O Cascata’s Restaurante oferece produtos bastante diversificados. desta forma. e a qualidade de suas refeições é. O mercado de restaurantes encontra-se saturado. controlada pela proprietária. Além disso. seus pratos variam muito no decorrer da semana. Produção A produção de refeições do Cascata’s Restaurante segue todo o processo de transformação: preparação. uma ameaça ao Cascata’s Restaurante. que é baseado na experiência das profissionais responsáveis por esse processo. Sugere-se que o restaurante divulgue e aperfeiçoe seu sistema de distribuição de marmitas. contribuindo para que eles continuem a consumir na empresa e para que recomendem o estabelecimento a conhecidos. atender as necessidades dos seus consumidores por meio da excelência no atendimento. constantemente.99 necessidade de alimentação. a informalidade da concorrência tem aumentado consideravelmente. conservação e distribuição (nas estufas térmicas).

Elaborar planilhas de controle de estoque. a empresa procura atender sugestões de seus consumidores para a elaboração de seu cardápio. As mercadorias são consumidas muito rapidamente e a proprietária está insegura quanto à rotatividade de certos produtos de estoque. Não houve a implementação dos Procedimentos Operacionais Padronizados. Existência de várias técnicas de controle de armazenagem de materiais. Exigências legais difíceis de serem cumpridas. Falta de uma rotina formal e constante. devido ao conhecimento tardio a respeito dessa lei. Realizar pesquisa e orçamento para contratar uma orientação legal especializada na implantação dos procedimentos operacionais padronizados exigidos pela ANVISA. Pontos fortes Pontos fracos Recebimento de uma multa na Dificuldade de última fiscalização da Vigilância controle de estoques. Causas Sugestões de Melhoria Fonte: a autora No entanto. notou-se certa dificuldade quanto ao controle de estoques. Os produtos oferecidos são bastante diversificados. O processo produtivo é bem desempenhado. Quase não há perdas de produção. controlada. Sanitária. Os equipamentos utilizados são os considerados essenciais ao processo de produção. constantemente. conforme exige a Legislação Sanitária.100 agradar seus clientes. Quadro 5: Diagnóstico da área de produção Área Funcional Oportunidades Ameaças Produção Surgimento de novas tecnologias. e de uma técnica eficaz de controle de estoque. Além disso. principalmente aqueles que são fiéis. A qualidade das refeições é. . A quantidade produzida é definida de modo a não gerar desperdícios. tais como: os materiais de limpeza.

e. Algumas exigências legais representam uma ameaça à produção e. posteriormente trará vantagens para a empresa. higienização do reservatório. controle integrado de vetores e pragas urbanas. equipamentos caríssimos dentre outras. são sancionadas pelas autoridades públicas sem considerar se os pequenos empresários têm condições de cumpri-las. higiene e saúde dos manipuladores. no caso da empresa estudada. No entanto. . cardápios em braile. até o presente momento. ou seja. também.101 Esse ponto fraco é causado pela falta de uma rotina formal e constante de controle de estoque. por meio da adoção de planilhas de controle de armazenagem separadas para cada um dos estoques da empresa. manobristas. banheiros de deficientes. equipamentos e móveis. A utilização de equipamentos modernos que facilitam o dia-a-dia da cozinha tende a ser cada dia maior. uma para o estoque de materiais não perecíveis e outra para o de mercadorias perecíveis. em sua última fiscalização na empresa. conforme a Legislação exige. Exigências. um caderno que não contém todas as informações necessárias para auxiliar a gestão no exercício dessa atividade. até a própria existência dos restaurantes. Existem várias técnicas de controle de armazenagem. podendo acarretar altos custos. seguranças. pela ineficácia da técnica de controle de armazenagem utilizada pela empresa. Muitas leis na área da segurança alimentar são difíceis de serem cumpridas. O surgimento de novas tecnologias constitui uma oportunidade para a produção do restaurante. que auxilie na formalização dos procedimentos utilizados no seu processo de produção. tais como: cadeiras especiais para gordos. Desta forma. possibilitando melhorar a produtividade e a qualidade da administração do negócio. sugere-se que o controle de estoque seja feito diária ou semanalmente. nenhuma providência foi tomada em relação a tal fato. a princípio. evitando assim. o recebimento de outras multas e o prejuízo da sua imagem e do seu funcionamento. multas por ruídos. O Cascata’s Restaurante recebeu uma multa da Vigilância Sanitária. é indispensável que o Cascata’s Restaurante busque uma orientação especializada. devido à falta de implementação dos POP (Procedimentos Operacionais Padronizados) para a higienização de instalações. mas.

outros. O armazenamento de mercadorias apresenta condições de temperatura. Para tornar o processo de aquisição mais adequado. feijão e carne. o que automaticamente corrigirá o giro desses produtos e otimizará esse processo. higiene. exigem compras diárias. devido à natureza perecível. sugere-se uma revisão na rotina de compras de alguns produtos da empresa. podem ser armazenados por tempo maior. Nos últimos dois anos os preços do trigo. segundo os critérios estabelecidos por lei. a crise dos alimentos ameaça a área de recursos materiais dos restaurantes.102 Recursos Materiais Quanto à área de recursos materiais observou-se que a aquisição de alguns produtos ocorre de maneira a gerar um giro de estoque inadequado. a negociação em seu processo de compras. carne e outros . No entanto. É bem verdade que. dispensando compras duas vezes por semana. tais como: arroz. Quadro 6: Diagnóstico da área de recursos materiais Área Funcional Oportunidades Ameaças Pontos fortes Pontos fracos Causas Sugestões de Melhoria Fonte: a autora Recursos Materiais Vasto mercado fornecedor de matérias-primas Crise dos alimentos básicos. espaço físico. arroz. Recebimento de materiais em conformidade com as especificações de compra. Porém. cenoura. A aquisição de alguns produtos está causando um giro de estoque inadequado para a empresa Rotina de compras cansativa e cara Revisão na rotina de compras desses produtos O recebimento de materiais é eficaz. facilitando assim. feijão. pois garante que o produto entregue esteja em conformidade com as especificações da compra. iluminação adequadas. milho. ventilação. O ramo de restaurantes é beneficiado pela grande quantidade de fornecedores de matérias-primas existentes no mercado. alguns produtos da empresa. Adequado armazenamento de mercadorias. Alta dos custos das bebidas. como os refrigerantes.

para garantir a confiança de seus fornecedores e evitar futuras dívidas. todos os documentos necessários para as devidas exigências legais. corretamente. reduzindo.103 alimentos básicos aumentaram consideravelmente. fornecendo-lhe. a gestão preocupa-se em pagar seus compromissos na data prevista. que pode ser reduzido por meio da adoção de critérios para conceder créditos para os consumidores. E. Ao realizar o diagnóstico notou-se. seus riscos financeiros. que acontece por falta de conhecimento e de tempo. conseqüentemente. apenas com base no empirismo e na intuição. e obtenha conhecimentos sobre planejamento financeiro que possam ser úteis e práticos para o desenvolvimento da empresa. o restaurante não faz o registro de suas despesas. sugere-se que a gestão aproveita a oportunidade da existência de vários cursos na área de finanças. prejudicando. Para solucionar esse problema. o aumento dos seus preços. a fim de não perdê-lo. conseqüentemente. sugere-se. assim. Além disso. no entanto. Outro ponto fraco da área financeira do Cascata’s Restaurante é a concessão excessiva de abertura de contas na empresa. A gestão concede crédito para qualquer cliente que solicita. pois não tem nenhum controle estruturado e. de obter melhores resultados. O fato é que houve um aumento na demanda por esses alimentos e a oferta não acompanhou esse aumento da demanda. também. também. não utiliza documentos para demonstrar sua situação financeira. evitando prejuízos e aumentando a lucratividade. que a empresa tem uma boa relação com seu contador. Administração Financeira Observou-se na empresa. assim. o que a impede de tomar decisões mais precisas e. provocando a escassez e. que as atividades da área financeira são realizadas sem um planejamento prévio. assim. Existem vários métodos de controle financeiro. Essa flexibilidade em excesso está trazendo um elevado grau de inadimplência para a organização. o abastecimento da produção dos restaurantes. . a sistematização de alguns métodos de controle e de demonstrações financeiras que auxiliem a empresa a identificar e controlar seus gastos.

Quadro 7: Diagnóstico da área de administração financeira Área Funcional Aumento da renda dos consumidores Administração Financeira Existência de Existência de vários métodos vários cursos de controle e na área de financeiro finanças Aumento de tributos. apenas ajudam a aumentar a informalidade. taxas e da burocracia no ramo Gestão preocupada em honrar seus compromissos financeiros Falta de registro Alto índice de das despesas inadimplência Concessão excessiva de crédito para os clientes Adoção de critérios para conceder créditos para os consumidores Oportunidades Ameaças Pontos fortes Pontos fracos Causas Boa relação com a contabilidade Falta de planejamento financeiro Falta de conhecimento e de tempo Sugestões de Melhoria Fonte: a autora Falta de controle estruturado e de documentos que demonstrem sua situação financeira Administração do Sistematização tempo para de alguns obtenção de métodos de conhecimentos controle e de sobre o assunto demonstrações financeiras Porém. assim. constituindo um fator que deve ser aproveitado pela empresa estudada para melhorar seu faturamento e. paguem cada vez mais. fazendo com que as empresas. Enfim.104 O aumento da renda dos consumidores contribui para o aumento do consumo nos restaurantes. também. o aumento de tributos. sua lucratividade. Além disso. a perda de competitividade dessas organizações no mercado. que influenciarão a gestão de uma organização e que exigirão mudanças em todas as áreas organizacionais. esses aumentos obrigam os restaurantes a aumentarem seus preços. taxas e da burocracia no ramo. foram detectados pontos fracos que precisam ser diagnosticados por meio das aplicações das sugestões de melhorias. . provocando. e algumas destas serão devidamente planejadas no item seguinte. sempre haverá pontos. Na empresa estudada. tanto internos quanto externos. corretamente registradas. estimulando a concorrência desleal e.

. produção e finanças. Funcionários e Estagiária. Cabe ressaltar que as propostas escolhidas têm a finalidade de aperfeiçoar a gestão e o funcionamento da empresa.105 4. valores e fatores críticos de sucesso definidos. Tais propostas foram consideradas as mais importantes e prioritárias para a otimização da empresa. Dentre as diversas sugestões de melhorias apresentadas no item anterior foram escolhidas propostas nas áreas de gestão estratégica. recursos humanos. a realização de pesquisa e orçamento para a contratação de uma orientação legal especializada na implantação dos procedimentos operacionais padronizados exigidos pela ANVISA. de acordo com a necessidade da organização. para que seus objetivos sejam alcançados. baseado na missão. permitindo que o gestor conheça e defina seu próprio negócio e estabeleça as atividades e as funções necessárias para o seu melhor funcionamento. colaborando. valores e fatores críticos de sucesso da empresa Data: 18 / 08 / 2008 Envolvidos: Proprietários. e. e. na área de produção propõe-se a sistematização de planilhas de controle de estoque. as ameaças e as oportunidades de cada uma de suas áreas funcionais. Na área de gestão estratégica propõe-se a definição clara e objetiva da filosofia da empresa. assim. bem como propor ações que colaborem para o seu desenvolvimento. na área de finanças propõe-se a sistematização de alguns métodos de controle e de demonstrações financeiras. PROPOSTA DA ÁREA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Definir a missão. também. Objetivo geral: Esta proposta tem o objetivo de direcionar a empresa.4 Plano de propostas de melhorias A partir do diagnóstico realizado no Cascata’s Restaurante foi possível levantar os pontos fortes e fracos. na área de recursos humanos a elaboração de planejamento para aplicação de técnicas de dinâmicas que promovam a integração entre os colaboradores. visão. visão.

visão. visão. visão. valores e fatores críticos de sucesso. Implementar a proposta junto a proprietários e funcionários. a definição da missão. Tipos de recursos Pessoas Material Financeiro Descrição Estagiária. De acordo com os dados coletados na situação atual e no diagnóstico deste estágio. Buscar aprovação dos proprietários para a missão.Proposta 1 Responsável Estagiária/ Proprietários Estagiária Estagiária Estagiária/ Proprietários Estagiária Estagiária/ Proprietários/ Funcionários Metas Agosto de 2008 Agosto de 2008 Agosto de 2008 Agosto de 2008 Agosto de 2008 Agosto de 2008 Os recursos necessários para a execução da proposta da área de gestão estratégica são básicos em seus aspectos. Emoldurar as bases estabelecidas em um quadro. Definir a missão. Analisar os dados coletados na situação atual e no diagnóstico deste estágio. Figura 15: Objetivo e planos de ação . Figura 16: Detalhamento dos recursos – Proposta 1 A formulação da base para o melhor funcionamento da empresa. A empresa não terá custos na implementação desta proposta. valores e fatores críticos de sucesso definidos. Computador. propõe-se para o Cascata’s Restaurante as seguintes bases: . ou seja. valores e fatores críticos de sucesso da empresa. Proprietários e Funcionários. é indispensável para garantir a sua sobrevivência e o seu crescimento sustentado. Sendo assim. sendo necessário apenas as pessoas que trabalham no restaurante e materiais. é fundamental que a organização em estudo divulgue-os para que sejam internalizados pelos seus gestores e funcionários.106 Planos de ação Ações Conscientizar os proprietários sobre a importância da proposta para o melhor funcionamento da empresa. papel e um quadro. caneta. conforme detalhado na Figura 16.

e expandir seu negócio na área comercial de Goiânia. por meio da proposta descrita a seguir. como uma empresa de elevado grau de qualidade e atendimento ao cliente. Comprometimento. que estes conflitos sejam empecilho para seu crescimento e desenvolvimento no mercado. Respeito. é primordial que a gestão do Cascata’s Restaurante resolva os conflitos existentes entre seus funcionários. em um ambiente confortável e agradável. . Valores Responsabilidade. por meio da abertura de novas filiais na região. Lealdade. visando a satisfação plena de sua clientela.107 Missão Produzir e comercializar refeições com o máximo de sabor e qualidade. Visão Consolidar-se no mercado de fornecimento de refeições. Fatores Críticos de Sucesso (FCS) Qualidade dos produtos oferecidos. Além de formular as bases para seu melhor funcionamento. Honestidade. evitando assim. Localização de fácil acesso. Relacionamento com o cliente.

pedaços de papel. Proprietários e Funcionários. Objetivo geral: a proposta de planejar a aplicação de técnicas de dinâmicas de grupo tem a finalidade de dirimir os conflitos existentes entre os colaboradores do Cascata’s Restaurante.Proposta 2 Responsável Estagiária/ Proprietários Estagiária Estagiária Estagiária/ Proprietários Estagiária Estagiária/ Funcionários/ Proprietários Metas Agosto de 2008 Agosto de 2008 Setembro de 2008 Setembro de 2008 Setembro de 2008 Setembro de 2008 Tipos de recursos Pessoas Material Descrição Estagiária. A implementação desta proposta não acarretará custos para a empresa. Um rolo de barbante. pirulitos e bexigas. Financeiro Figura 18: Detalhamento dos Recursos . de forma que os mesmos possam contribuir para um melhor clima organizacional e para o sucesso da empresa.Proposta 2 . caneta. Escolher as dinâmicas mais coerentes com as características dos colaboradores da empresa. fita adesiva. Aplicar as dinâmicas conforme a ordem estabelecida. Pesquisar sobre dinâmicas de integração de grupo. Estabelecer a ordem de aplicação das dinâmicas. Planos de ação Ações Buscar aprovação da direção da empresa para o desenvolvimento da proposta. lápis preto. Figura 17: Objetivo e planos de ação .108 PROPOSTA DA ÁREA DE RECUROS HUMANOS Planejar a aplicação de técnicas de dinâmicas de grupo Data: 22 / 08 / 2008 Envolvidos: Proprietários. Funcionários e Estagiária. Apresentar as dinâmicas escolhidas e definir as melhores formas de aplicação (como? quando? onde? por que?).

Tais dinâmicas são descritas a seguir. Nesse contexto. propõe-se para o Cascata’s Restaurante a aplicação de dinâmicas de integração entre grupos.109 A falta de integração entre funcionários afeta drasticamente a qualidade e a produtividade no trabalho. e assim sucessivamente. Número de participantes: 8 colaboradores. ou fica frouxa. Esta pessoa deve segurar uma parte do barbante. de modo que não fique frouxo. DINÂMICA 1: TEIA DE ARANHA Tempo estimado: 10 minutos. O próximo passo será pedir que um ou dois deles solte(m) o barbante. DINÂMICA 2: FALANDO DOS OUTROS PELAS COSTAS Tempo estimado: 15 minutos.br. acessado em 22/08/08 às 16:22).com. Número de participantes: 8 colaboradores. até o último participante. como recurso para amenizar o problema em referência. e jogar para outro colega distante. Data prevista: 09/09/2008.cdof. aspectos fundamentais para a formação de um clima organizacional positivo e para o bom desempenho da empresa. A seguir. Descrição: todos os participantes devem ficar em círculo. será necessário que uma pessoa segure a ponta do barbante e jogue o rolo para outra pessoa que esteja no lado oposto ao seu. A teia se desmancha. a estagiária fará as devidas reflexões sobre a importância da cooperação no trabalho desenvolvido por eles no diaa-dia (www. As técnicas de integração trabalham a interação e a comunicação do grupo. Objetivo: mostrar a importância da união e da cooperação em um trabalho de grupo. Data prevista: 10/09/2008. Material: um rolo de barbante. Então. . possibilitando que os aspectos de suas relações interpessoais sejam compartilhados.

110 Objetivo: mostrar às pessoas que é muito mais fácil e errado falar as coisas pelas costas. para assim. Ganha o jogo o subgrupo que acertar o maior número. As pessoas devem usar todos os adjetivos no masculino e não haverá identificação de quem escreveu. acessado em 22/08/08 às 16:22). informará o subgrupo vencedor e abrirá um espaço para . que sorteará os papéis pedindo para que cada um fique com um papel que não seja o seu. a estagiária deverá pedir para que cada um retire o papel de suas costas. leia suas qualidades ou defeitos escritos (ver como as pessoas lhe enxergam) e guarde consigo para lembrar-se de continuar com as características boas e tentar melhorar as ruins (www. planos futuros. e explicará que cada subgrupo deve ler em voz alta o conteúdo de cada papel. do que admitir sua concepção. em letra de forma. após a contagem dos pontos. Depois. a estagiária. Descrição: a estagiária deverá colar um pedaço de papel nas costas de cada participante. Terminada a tarefa de escrever sobre si mesmo. Os componentes do subgrupo em questão dizem em voz alta de quem é o papel. pedirá para que eles saiam andando pelo salão e escrevam uma palavra nas costas de seus companheiros. cada participante dobrará seu papel e entregará à estagiária. Material: pedaços de papel.br. algo sobre si mesmo. caneta e fita adesiva.com. A seguir. etc…). o que não gostam. a estagiária dividirá o grupo em dois subgrupos. DINÂMICA 3: ADVINHA DE QUEM É O PAPEL? Tempo estimado: aproximadamente 15 minutos. Objetivo: Integração do grupo. Data prevista: 11/09/2008. que seja do interesse do grupo (sobre o que gostam. Finalmente. Ao término. Material: papel e lápis preto. Número de participantes: 8 colaboradores. definir cada um. Descrição: a estagiária deverá distribuir uma folha em branco e um lápis e pedir que cada participante escreva.cdof.

e cada um pode continuar chupando. dará a seguinte orientação: sem sair do lugar em que estão. Encerra-se a dinâmica. A seguir.com. Descrição: a estagiária pedirá que todos os colaboradores do Cascata’s Restaurante fiquem em círculo e de pé. Data prevista: 17/09/2008. Objetivo: reflexão da importância do próximo em nossa vida. todos devem chupar o pirulito! A estagiária aguardará até que alguém tenha a iniciativa de imaginar como executar esta tarefa.111 as pessoas se colocarem quanto a percepção que tiveram ao ler o conteúdo (www. em seguida. Número de participantes: 8 colaboradores. DINÂMICA 4: AUXÍLIO MÚTUO Tempo estimado: aproximadamente 10 minutos. os demais irão oferecer e todos poderão chupar o pirulito. Número de participantes: 8 colaboradores. automaticamente. com o braço estendido. . distribuirá um pirulito para cada participante e solicitará que o desembrulhem. Objetivo: reflexão da importância do próximo em nossa vida. acessado em 22/08/08 às 16:22). o pirulito que lhe foi oferecido (www. que só há uma: oferecer o pirulito para a pessoa ao lado! Assim.br.com. apenas levado para a direita ou esquerda. Material: aproximadamente 10 pirulitos. que não pode ser dobrado.cdof. se quiser. Então.ancorarh. acessado em 22/08/08 às 17:00). A estagiária recolherá os papéis e.br. Data prevista: 16/09/2008. dará os seguintes comandos: todos devem segurar o pirulito com a mão direita. a mão esquerda fica livre. DINÂMICA 5: OS PROBLEMAS Tempo estimado: aproximadamente 10 minutos.

para que o objetivo de dirimir os conflitos existentes entre colaboradores seja. nos dias 09.112 Material: aproximadamente 10 bexigas. Descrição: a estagiária orientará ao grupo de funcionários da empresa em estudo que forme um círculo. tem sido um desafio para a empresa. fofocas. inimizade. posteriormente. Técnica esta que é descrita a seguir. Além disso. Aos poucos a estagiária pedirá para alguns dos participantes deixarem sua bexiga no ar e sentarem.. 10 e 11/09 e. No entanto. os restantes continuam no jogo. é importante lembrar que a estagiária planejou as dinâmicas contando com a participação de todos os oito colaboradores efetivos da empresa. se preparando para o final do expediente. e dirá para o grupo que aquelas bexigas são os problemas enfrentados por eles no dia-a-dia. amizade etc. pois estes correspondem aos dias nos quais os funcionários têm maior disponibilidade de tempo. Enfim. etc. depois com os outros participantes sem deixar a mesma cair. urgentemente. intrigas. distribuirá uma bexiga vazia para cada participante. cooperação. que a auxilie a alcançar resultados. Quando a estagiária perceber que quem ficou no centro não está dando conta de segurar todos os problemas pedirá para que todos voltem ao círculo e então conscientizará todos sobre a importância da união. solucionado pela gestão do Cascata’s Restaurante. solucionar os conflitos organizacionais não representa o único ponto fraco que precisa ser. eficazmente. . alcançado. às 15:00 horas.cdof. A tarefa de controlar estoques. A seguir. Cada um deverá encher a sua bexiga e brincar com ela jogando-a para cima. Vale ainda ressaltar que as técnicas descritas anteriormente serão realizadas no ambiente no qual as refeições são servidas. as dinâmicas serão aplicadas no decorrer da segunda e da terceira semana do mês de setembro. nos dias 16 e 17/09. por se tratar do horário em que os funcionários estão livres. acessado em 22/08/08 às 16:22). também.com. tais como: desinteresse. para a resolução dos problemas cotidianos (www.br. competições. necessitando de uma técnica mais eficiente e eficaz.

Preencher as planilhas a partir dos dados coletados. Coletar os dados necessários para o preenchimento das planilhas desenvolvidas. por meio da adoção de planilhas que proporcionem à gestão um controle mais eficaz e seguro da entrada e saída dos produtos em estoque. sendo uma destinada aos materiais não perecíveis e outra para os perecíveis. Implementar as planilhas no Cascata’s Restaurante. Funcionários e Estagiária. sobre a utilização das planilhas. ou o funcionário responsável. Objetivo geral: esta proposta tem o objetivo de aperfeiçoar o controle de estoques do Cascata’s Restaurante. . Todas elas conterão: A nomenclatura da mercadoria. uma para carnes e outra para hortifrutigranjeiros.113 PROPOSTAS DA ÁREA DE PRODUÇÃO Sistematização de planilhas de controle de estoques Data: 02 / 09 / 2008 Envolvidos: Proprietários. Figura 19: Objetivo e planos de ação – Proposta 3 Responsável Estagiária Estagiária/ Proprietários/ Funcionários Estagiária Estagiária/ Proprietários Estagiária/ Proprietários/ Funcionários Estagiária/ Funcionários/ Proprietários Metas Setembro de 2008 Setembro de 2008 Setembro de 2008 Setembro de 2008 Setembro de 2008 Setembro de 2008 As planilhas de controle de estoques serão separadas para cada um dos estoques da empresa. Instruir o administrador. Esta última se subdividirá em duas planilhas. Planos de ação Ações Desenvolver planilhas de controle de estoques para o restaurante de acordo com a suas necessidades. buscando sua aprovação. Apresentar as planilhas desenvolvidas à direção da empresa. A unidade na qual será contabilizada.

o valor que estiver na célula do saldo ficará em vermelho. Todos os dados contidos no caderno de controle de estoque utilizado pela gestão da empresa atualmente (nomenclatura da mercadoria. são mantidas em estoque de cada produto. ou seja. É interessante destacar que essas planilhas permitirão a identificação dos produtos que precisam ser ressupridos. O estoque inicial. sinalizando que será necessário pedir ou comprar mais deste item. a quantidade já existente em estoque de cada mercadoria. automaticamente. que serão devidamente conferidas com os termos do pedido de compra. de acordo com o preenchimento dos dados que a pessoa responsável fará. O estoque mínimo será estimado de acordo com a percepção dos proprietários a respeito das quantidades mínimas que.114 A quantidade mínima de cada produto a ser mantida em estoque como forma de segurança contra incertezas no suprimento da demanda. serão acrescentadas. os outros campos contêm fórmulas e seus valores vão sendo ajustados. quantidade consumida e data de saída) serão transferidos para as planilhas. O saldo em quantidade de cada produto. aquelas consideradas necessárias para um controle eficaz. As quantidades de materiais que entram e saem do estoque. Quando o saldo em quantidade dos itens estocados for menor ou igual à quantidade mínima estimada. atualmente. é importante destacar que o registro das entradas de materiais no estoque será feito com base nas notas fiscais dos produtos. A quantidade média de cada item em estoque no determinado período. e novas informações. E o registro das saídas de produtos será realizado de acordo com a quantidade requisitada e entregue ao solicitante. Os únicos campos que necessitarão ser preenchidos são as entradas e saídas. quando a quantidade média de cada item em estoque será calculada. . Além disso. sendo que o fechamento da planilha será realizado quinzenalmente. As entradas e as saídas das planilhas de controle de estoque serão registradas diariamente.

da Microsoft. Funcionários e Estagiária. inclusive pelo gestor da empresa. por meio da busca de uma orientação especializada na implantação dos procedimentos operacionais padronizados exigidos pela ANVISA. a estimativa da necessidade de materiais para o período seguinte. trata-se de um programa conhecido por todos.Proposta 3 Para o desenvolvimento da proposta de sistematização de planilhas de controle de estoque será necessário que a empresa tenha o programa Excel. instalado em seu computador. Realização de pesquisa e orçamento para contratar uma orientação legal especializada na implantação dos procedimentos operacionais padronizados exigidos pela ANVISA Data: 23 / 09 / 2008 Envolvidos: Proprietários. e a facilidade no acompanhamento do nível de estoque. papel e caneta. Proprietários e Funcionários. e com preço acessível de aquisição. A escolha pelo uso do Microsoft Excel se justifica pela facilidade e a simplicidade em sua utilização. Objetivo geral: esta proposta tem o objetivo de auxiliar a gestão do Cascata’s Restaurante na formalização dos procedimentos utilizados no seu processo de produção.115 Enfim. Não haverá custos na implementação desta proposta. se tornando no momento. o prejuízo da sua imagem e do seu funcionamento. Computador. se comparada a outros softwares de gestão. evitando assim. a opção mais viável. pode-se dizer que a implementação das planilhas de controle de estoque proporcionará ao Cascata’s Restaurante a informatização do controle de dados de estoque. Além disso. abrangendo tanto a entrada quanto a saída de materiais. de forma a evitar sobra ou falta de materiais. . Figura 20: Detalhamento dos Recursos . Tipos de recursos Pessoas Material Financeiro Descrição Estagiária.

que devem estar acessíveis aos funcionários e disponíveis à autoridade sanitária. Contratar a orientação da empresa selecionada. Figura 21: Objetivo e planos de ação – Proposta 4 Responsável Metas Outubro de 2008 Outubro de 2008 Outubro de 2008 Outubro de 2008 Outubro de 2008 Outubro de 2008 Estagiária Estagiária Estagiária/ Proprietários Estagiária/ Proprietários Estagiária/ Proprietários/ Funcionários Estagiária A ANVISA. à higienização do reservatório. também. a fim de evitar posteriores prejuízos. Com o objetivo de auxiliar a gestão do restaurante em estudo na resolução dessa questão. ao controle integrado de vetores e pragas urbanas. Buscar empresas especializadas em consultoria gastronômica para realizar orçamentos do curso de implantação dos procedimentos exigidos da ANVISA. urgentemente. não só no âmbito financeiro.116 Planos de ação Ações Conscientizar os proprietários sobre a necessidade da contratação de uma orientação especializada para auxiliá-los a desenvolver seus procedimentos operacionais padronizados. e à higiene e saúde dos manipuladores. para que esta selecione a empresa que oferecerá o melhor custo-benefício. Apresentar o orçamento realizado para a alta direção da empresa. Sendo assim. é de extrema importância que o Cascata’s Restaurante implante. desde 2005. equipamentos e móveis. seu próprio manual de boas práticas e seus procedimentos operacionais utilizados. quando solicitado. mas. exige que os restaurantes disponham de um manual de boas práticas e de procedimentos operacionais padronizados relacionados à higienização de instalações. a estagiária pesquisou três empresas que prestam serviços de consultoria na . no âmbito moral. Descrever os resultados obtidos com a implantação do curso. Acompanhar a realização do curso de implantação dos procedimentos exigidos pela ANVISA no restaurante.

realizam um diagnóstico dos serviços oferecidos pelo restaurante. podendo este valor ser divido em até cinco vezes. e à elaboração do manual de boas práticas de fabricação. que são especializados na área. que oferece quarenta e oito horas de treinamento para o restaurante implantar o seu manual de boas práticas. a fim de verificar se o manual desenvolvido está sendo colocado em prática corretamente. e o investimento total. Vale ressaltar que o curso teórico permite a participação de no máximo quatro colaboradores e um proprietário e o seu conteúdo diz respeito ao controle de perigos. no estabelecimento para levantar e diagnosticar os procedimentos já utilizados pelo restaurante. Oito horas desse treinamento são destinadas à elaboração do manual. sendo este divido em quinze horas teóricas e trinta e três horas práticas. que acontecem na unidade do SEBRAE em Goiânia.00 (oitocentos reais). por profissionais específicos. O treinamento teórico é ministrado em um total de cinco encontros. os consultores da empresa. varia de sessenta a noventa dias. cadastrados no PAS (Programa Alimentos Seguros).117 área alimentar e oferecem cursos e profissionais especializados para ajudar os restaurantes na formalização dos procedimentos exigidos pela ANVISA. necessário para a sua efetivação é de R$ 800. que realizam sete visitas. incluindo curso teórico e prático. Quanto ao treinamento prático. verificando o que não está conforme as normas da ANVISA. Primeiramente. pelo SEBRAE GO. ao final dos treinamentos teórico e prático. Já as quatro horas restantes são para a auditoria que é realizada no restaurante. fora do ambiente da empresa. especializada em serviços de nutrição. com duração de três horas cada. A seguir. Serviço de Apoio às Pequenas e Médias Empresas de Goiás. este é realizado por profissionais especializados (nutricionistas e engenheiros de alimentos). O prazo de implantação do manual de boas práticas. uma vez por semana. às boas práticas de fabricação fundamentais e seus requisitos complementares. que é feita pelo especialista. Outra empresa pesquisada pela estagiária foi a Cereal. de três horas cada. A primeira empresa pesquisada foi o SEBRAE GO. esses profissionais emitem um relatório contendo propostas de melhorias para os pontos que não estão conforme a .

financeiro. se gasta trinta dias úteis para a implantação e o investimento varia de R$ 2500. baseados nesse relatório realizam o manual de boas práticas e os procedimentos operacionais padronizados da empresa.00 a R$ 3000.00 R$ 85.Proposta 4 . ou o treinamento pode ser contínuo. A Cereal. Esse treinamento pode ser temporário. consultoria e auditoria) R$ 800. financeiro Pessoas. desenvolver o manual de boas práticas e desenvolver os procedimentos e instruções de trabalho.00 R$ 2500. na empresa Qualidade Real. Investimento Empresa Prazo de implantação 60 a 90 dias 30 dias úteis Horas de curso teórico 15 horas De 8 a 10 horas 720 horas consultoria e auditoria Horas de Recursos necessários Pessoas. financeiro Pessoas. realizado quinzenalmente ou mensalmente.00 (a três mil reais). oferece um treinamento a respeito das boas práticas de fabricação e a elaboração do seu manual para os profissionais do restaurante. durante o período que a empresa estipular. que oferece uma consultoria virtual. também. e. o que atualmente representa R$ 415. pesquisou-se.118 lei. Em média. Quanto aos valores e ao tempo de implantação do manual de boas práticas pela empresa Cereal.00 parcelamento? Faz /Número de vezes Sebrae Cereal Qualidade Real 33 horas??? O quanto a empresa necessitar ????? Não possui Sim/ 5 vezes Sim/ 3 vezes 30 dias Não disponíveis Figura 22: Quadro do detalhamento do orçamento . de acordo com a disponibilidade da empresa. finalmente. estes variam de acordo com o porte e com os problemas encontrados na empresa. por período indeterminado. que é no valor de um salário mínimo por mês. Além dessa. computador Total (Curso teórico. realizado uma vez por semana em no máximo uma hora por dia. até enquanto a empresa estiver pagando a mensalidade cobrada para esse tipo de serviço. também. incluindo vinte e quatro horas por dia de informações para realizar o treinamento.00 (quatrocentos e quinze reais). no entanto este treinamento é opcional e pago a parte do serviço de elaboração do manual.00 (de dois mil e quinhentos reais) a R$ 3000.

Funcionários e Estagiária.00 (oitenta e cinco reais). cabe ressaltar que. Buscar desenvolver métodos de controle para as finanças do restaurante de acordo com suas necessidades. o manual de boas práticas é desenvolvido pelo próprio gestor do restaurante. Objetivo geral: a proposta de sistematizar alguns métodos de controle e de demonstrações financeiras tem o objetivo de auxiliar a gestão da empresa a identificar e controlar seus gastos. Feito este orçamento. PROPOSTAS DA ÁREA DE FINANÇAS Sistematização de alguns métodos de controle e de demonstrações financeiras Data: 08 / 10 / 2008 Envolvidos: Proprietários. a empresa disponibiliza modelos de documentos já formalizados por outras empresas para dowload e consultores que poderão sanar as dúvidas obtidas na leitura ou na realização do manual e dos procedimentos. na empresa Qualidade Real. cabe à direção do Cascata’s Restaurante analisar o serviço mais viável em todos os aspectos (financeiros. a empresa apenas assessora sua elaboração. buscando sua aprovação. com trinta dias de prazo para conclusão. de disponibilidade de tempo etc. evitando prejuízos e aumentando sua lucratividade. Responsável Estagiária Estagiária Estagiária/ Proprietários Estagiária/ Proprietários/ Funcionários Metas Outubro de 2008 Outubro de 2008 Outubro de 2008 Outubro de 2008 . Apresentar os métodos desenvolvidos à direção da empresa. O valor do curso é de R$ 85. sobre a utilização dos métodos. Planos de ação Ações Conscientizar os proprietários sobre a importância de formalizar alguns métodos de controle financeiro. ou o funcionário responsável. Sendo assim.).119 Além disso. Instruir o administrador. e o que proporcionará um maior custo-benefício para a empresa.

120

Coletar dados para alimentar os métodos desenvolvidos; Implementar os métodos de controle financeiro no Cascata’s Restaurante.
Figura 23: Objetivo e planos de ação – Proposta 5

Estagiária Estagiária/ Proprietários/ Funcionários

Outubro de 2008 Outubro de 2008

A área de finanças é extremamente importante para o bom funcionamento de uma empresa, não é possível uma empresa sobreviver sem que haja uma devida organização e controle das informações básicas necessárias à gestão financeira do negócio. A empresa estudada não utiliza nenhum controle financeiro e, por isso, não tem conhecimento de quanto gasta e recebe e de quanto sobra para fazer investimento. Dessa forma, propõe-se a estruturação de quatro métodos, considerados básicos e ideais para, inicialmente, realizar o controle financeiro da empresa: a planilha de contas a pagar, a planilha de contas a receber, a planilha de controle de conta corrente e a planilha de fluxo de caixa, vide Apêndice D. A planilha de contas a pagar é composta dos compromissos financeiros que a empresa assume perante terceiros baseados em documentos como: notas promissórias, duplicatas, bloquetos de cobrança bancária dentre outros. Esta planilha conterá: O nome do credor, ou seja, a pessoa física ou jurídica que tem créditos a receber da empresa; A data na qual a compra foi efetuada; O valor da compra; A data de vencimento do compromisso; O valor efetivamente pago pela empresa; A data do pagamento; Juros pagos caso haja atraso no pagamento; Descontos concedidos, caso o pagamento seja feito com antecipação da data de vencimento; Total a pagar no final do período estipulado. Já a planilha de contas a receber registra todo crédito que a empresa tem a receber em determinado período, permitindo à gestão o conhecimento de todos os

121

compromissos a vencer, suas datas e valores bem como o seu montante, a partir do registro dos seguintes dados: O nome do cliente, ou seja, a pessoa física ou jurídica que deve créditos à empresa; A data na qual a compra foi efetuada; O valor da compra; A data de vencimento do compromisso; O valor efetivamente pago pelo cliente; A data do pagamento efetuado; Juros pagos caso haja atraso no pagamento; Descontos concedidos, caso o pagamento seja feito com antecipação da data de vencimento; Total a receber no final do período estipulado. Vale ressaltar que o período das duas planilhas acima, de contas a pagar e de contas a receber, será mensal, e que todos os seus campos necessitarão de preenchimento manual, exceto os campos: total a pagar e total a receber, pois conterão fórmulas que permitirão o preenchimento automático dos mesmos. A planilha de controle de conta corrente registra todos os movimentos de entrada e saída de capital da conta corrente da empresa, bem como o saldo restante ao final das operações. Ela será desenvolvida para que seu registro seja mensal e poderá ser preenchida com base no extrato da conta bancária do restaurante. Sendo assim, é essencial que esta planilha contenha: O valor do saldo do período anterior restante na conta corrente; A data na qual ocorreu a operação de crédito ou de débito na conta corrente; A operação que ocorreu na conta corrente (débito ou crédito proveniente de quais credores ou clientes?); O valor que entrou na referida data; O valor que saiu na data analisada; O saldo atual restante ao final das operações; Saldo total ao final do período analisado.

122

Os campos saldo atual e saldo total são os únicos que conterão fórmulas que permitirão o preenchimento automático, sendo que o restante necessita ser alimentado manualmente. A planilha de fluxo de caixa registra as entradas e saídas de recursos monetários da empresa em um determinado período, proporcionando ao administrador a capacidade de estimar a quantidade de recursos que a empresa gera e a quantidade que ela necessita para arcar com seus compromissos financeiros. Tal planilha deverá ser preenchida diariamente e conterá: Saldo inicial existente em caixa no dia; Entradas, que conterão os subitens: contas a receber, saque em conta corrente e outros recebimentos; Saídas, que conterão os subitens: pró-labore, vale transporte, contas a pagar, aluguel, salários, contador e outros pagamentos; Saldo do dia, o saldo total ao final das operações de entradas e saídas do período. Lembrando que o campo saldo do dia não necessitará ser preenchido manualmente, pois conterá uma fórmula que proporcionará a realização automática do seu cálculo. Pode-se dizer, então, que quando tais planilhas forem implementadas, a empresa poderá ter a real certeza de seus gastos, podendo, assim, alocar melhor seus recursos e monitorar o seu desempenho financeiro. Recursos Tipos de recursos Pessoas Material Financeiro Descrição Estagiária, Proprietários e Funcionários; Computador, papel e caneta; Não haverá custos na implementação desta proposta.

Figura 24: Detalhamento dos Recursos – Proposta 5

Os recursos utilizados para implementar a proposta de sistematizar alguns métodos de controle e de demonstrações financeiras se restringem em pessoas e materiais básicos, como: papel, caneta e computador.

a fim de possibilitar uma melhor visualização para os proprietários. Com a aprovação e o apoio dos proprietários. produção e finanças da organização em estudo. todas as bases definidas foram apresentadas para a gestão da empresa. recursos humanos. Posteriormente. para o alcance do objetivo geral do estudo. após elaborar o plano detalhado das cinco propostas de melhorias descritas acima. PROPOSTA DA ÁREA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Definir a missão. visão. no dia 21 de agosto de 2008.5 Implementação Várias sugestões de melhoria foram apresentadas no decorrer do diagnóstico do Cascata’s Restaurante. visão. para apenas cinco destas sugestões foram desenvolvidos planos de propostas de melhorias. A seguir. . Para a execução desta proposta. até mesmo. o que será feito no item a seguir. que as aprovou imediatamente. funcionários e. apresenta-se os resultados alcançados a partir das propostas desenvolvidas nas áreas de gestão estratégica. a estagiária estabeleceu a missão. e. na qual foi discutido a respeito da importância e da relevância da mesma para o melhor funcionamento da empresa. No entanto. cabe à estagiária relatar os resultados obtidos a partir da implementação de tais propostas na empresa em estudo. primeiramente. valores e fatores críticos de sucesso do Cascata’s Restaurante ocorreu com êxito. a estagiária pode emoldurar essas bases em um quadro. valores e fatores críticos de sucesso do Cascata’s Restaurante. 4. devido à importância e prioridade das mesmas para o desenvolvimento do negócio. visão. foi feita uma reunião de conscientização com os proprietários. para os clientes. de acordo com as informações fornecidas pelos próprios proprietários e os dados coletados no decorrer da situação atual e do diagnóstico deste estágio. conseqüentemente.123 Enfim. A seguir. valores e fatores críticos de sucesso da empresa A implementação da proposta de definição da missão.

Para isso. não apenas para ser visualizado por todos. na qual a aprovação foi obtida. A curto prazo. notou-se que os mesmos puderam entender com mais clareza por que e para quê precisam desenvolver suas atividades rotineiramente. valores e fatores críticos de sucesso do Cascata’s Restaurante foi colocado no ambiente em que as refeições são servidas. quanto dos clientes internos. foi implementada com sucesso. aumentará a credibilidade e fidelidade tanto dos clientes externos do restaurante. foi feita outra reunião. futuramente. na qual as bases de funcionamento do Cascata’s Restaurante estabelecidas pela estagiária foram. . apresentadas e explicadas para que. presteza e excelência. Quanto aos funcionários. mas também. o quadro da missão. a proposta trará resultados positivos. detalhadamente. para ser lembrado. Os proprietários sentiram que o sonho. a essência e as características do Cascata’s Restaurante foram traduzidos no quadro das bases de seu funcionamento. com certeza. também. O primeiro passo para a implementação da proposta foi buscar a aprovação da direção da empresa para planejar a aplicação de dinâmicas de grupo nos funcionários. no dia 25 de agosto de 2008. no dia 28 de agosto de 2008. a fim de solucionar os conflitos existentes entre eles. A longo prazo. PROPOSTA DA ÁREA DE RECUROS HUMANOS Planejar a aplicação de técnicas de dinâmicas de grupo A proposta de planejar a aplicação de técnicas de dinâmicas de grupo para os colaboradores do Cascata’s Restaurante. entendido e internalizado.124 O próximo passo foi conscientizar os colaboradores do restaurante. Isto aconteceu em uma reunião promovida pela estagiária. os mesmos as internalizassem. pode-se dizer que tal proposta trouxe motivação para todos da empresa. com qualidade. Além de direcionar os proprietários no processo de tomada de decisões. visão. a proposta. Enfim.

apenas sete pessoas. a fim de selecionar as que melhor se adequariam aos colaboradores da empresa em estudo. Pode-se dizer que a aplicação das dinâmicas ocorreu conforme o planejado. porque a mesma colaboradora que faltou o trabalho não quis participar da dinâmica. destacando a importância da cooperação e da união nos trabalhos em equipe. 11 de setembro de 2008. com a aprovação da gestão. Ao final de cada dinâmica foram feitas as devidas reflexões e conclusões. mas a mesma continuou resistente. posteriormente. e abriu-se espaço para discussões sobre o quanto um precisa do outro para alcançar algum objetivo e o quanto é fundamental cooperar e ter responsabilidade diante das atividades atribuídas a cada um. Todas elas objetivaram a integração e o conhecimento do grupo. o administrador tentou forçar a funcionária a participar da técnica. No entanto. às 15:00. O único ponto falho na implementação desta proposta foi quanto ao número de participantes das dinâmicas. no local e no horário estabelecidos. nos dias 09. por se tratar da mais complicada e fofoqueira do grupo. no dia 05 de setembro de 2008. Nesta reunião ficou definido que as dinâmicas seriam aplicadas no salão onde as refeições são servidas. e no terceiro dia. .125 A seguir. nos dias 16 e 17/09. no segundo dia de aplicação. em 10 de setembro de 2008. também. para apresentar-lhes as dinâmicas selecionadas e estabelecer o local e as datas nos quais as dinâmicas poderiam ser aplicadas. Todas as técnicas foram aplicadas nas datas. ela contou apenas com sete participantes. participaram. de forma que não impedisse o funcionamento das atividades organizacionais. A estagiária contava com a participação dos oito colaboradores efetivos do restaurante. Neste dia. 10 e 11/09 e. a estagiária reuniu com os proprietários do restaurante. Após definir as dinâmicas que melhor se enquadrariam no perfil dos funcionários da empresa. pois uma colaboradora não compareceu ao trabalho por motivos pessoais. se preparando para o final do expediente. A ordem de aplicação das técnicas de dinâmicas foi estabelecida aleatoriamente. a estagiária pesquisou sobre dinâmicas de integração de grupos em sites específicos. horário no qual os funcionários estão livres.

É bem verdade que a maturidade do grupo somente será alcançada no decorrer do tempo. Os envolvidos nos conflitos entenderam que cada pessoa é diferente da outra e que a união se realiza não pelo nivelamento das diferenças. coletivo e enriquecendo seus potenciais. pois sempre terão problemas entre os colaboradores para solucionar. as dinâmicas desenvolveram um processo coletivo de discussão e reflexão. ou seja.126 Então. propuseram à estagiária que aplicasse outras dinâmicas para os seus funcionários. a proposta atingiu o objetivo para o qual foi traçada. é necessário que os próprios proprietários continuem a desenvolver esta proposta. solucionar os conflitos existentes entre os colaboradores do restaurante. Enfim. melhorando o clima organizacional da empresa. primeiramente. No entanto. a estagiária procurou desenvolver planilhas que não . ela concordou em apenas assistir os outros funcionários participando da dinâmica do dia. pois perceberam a animação. mas sim pela complementaridade delas. ampliando o conhecimento individual. Os proprietários estiveram presentes no decorrer da aplicação de todas as técnicas de dinâmicas e se sentiram bastante motivados. Inclusive. Conclui-se então que. no dia 16/09/08. Muitos colaboradores se abriram durante a aplicação das técnicas e os conflitos existentes entre eles foram resolvidos. o envolvimento e a satisfação de seus colaboradores. no qual todos os funcionários puderam se conhecer melhor e se integrar. e não contarão sempre com a presença da estagiária. a colaboradora participou e se desculpou pela forma como tinha resistido na dinâmica passada. e ainda proporcionou motivação e uma integração maior entre os mesmos. Na aplicação da dinâmica seguinte. quando mais técnicas forem aplicadas. PROPOSTAS DA ÁREA DE PRODUÇÃO Sistematização de planilhas de controle de estoques Para que a proposta de sistematização de planilhas de controle de estoques fosse implementada.

127 fossem difíceis de serem utilizadas e preenchidas. na reunião do dia 25 de setembro de 2008. no momento. implementada no restaurante Cascata’s. Para implementar esta planilha. e nem será feito na empresa. pois se tratam de alimentos que necessitam de instrumentos para serem medidos. por isso. no dia 01 de outubro de 2008. compreenderam como elas deveriam ser utilizadas e com qual objetivo elas foram desenvolvidas. devidamente. No entanto. a fim de apresentar e explicar as planilhas desenvolvidas. Auxiliaram. buscando a aprovação por parte desta. os proprietários solicitaram que a planilha aceita por eles. que foram estipulados de acordo com a experiência dos mesmos. a fim de facilitar seu preenchimento. os proprietários mostraram entendimento das planilhas. Tais planilhas estão apresentadas no apêndice C. Nesta reunião. em um momento futuro o restaurante pretende adotar esse tipo de controle e. a de controle do estoque de alimentos nãoperecíveis fosse contabilizada semanalmente e não diariamente. adotará a planilha desenvolvida. primeiramente. por esse motivo o controle destes não é. não convinha adotar planilhas para controlar o estoque dos hortifrutigranjeiros e das carnes. pesados e. também. ou seja. . Posteriormente. Porém. no dia 25 de setembro de 2008. pois estes serão os responsáveis por preencher as planilhas. a estagiária na determinação dos estoques mínimos dos alimentos por eles utilizados. os proprietários argumentaram que. para registrar todo movimento de entrada e saída deste tipo de alimento no estoque da empresa a partir do mês de outubro. como tinha sido proposto pela estagiária. Sendo assim. pode-se dizer que a planilha de controle do estoque de alimentos nãoperecíveis foi. e que atendessem às necessidades da empresa. foi feita uma reunião com a diretoria do restaurante. Além disso. a estagiária instruiu o gerente da empresa e o próprio proprietário a respeito da utilização das mesmas.

Notou-se. não só com a finalidade de evitar a aplicação das penalidades devidas. Nesta fase.128 A seguir. a estagiária. utilizar e interpretar as planilhas. Contratação de uma orientação legal especializada na implantação dos procedimentos operacionais padronizados exigidos pela ANVISA É fundamental que as organizações estejam de acordo com as normas legais exigidas nas suas áreas específicas de atuação. Por fim. Mas. pois várias empresas deixaram de oferecer os serviços de implantação do manual de boas práticas pelo fato de que a legislação já está vigente desde 2005 e a maior parte das empresas já terem realizada a implantação. também. mesmo com esta dificuldade. Para executar tal proposta. primeiramente. para evitar denegrir a imagem organizacional de cada uma delas perante seus clientes e a sociedade. pesquisou empresas que prestam serviços na área de alimentação e que oferecem cursos e/ou consultorias referentes à implantação do manual de boas práticas e dos procedimentos operacionais padronizados. facilidade dos responsáveis para preencher. conforme a ANVISA exige. mas. Desta forma. nesse período. visto que a auxiliará no cumprimento de uma norma legal exigida desde 2005. a estagiária encontrou certa dificuldade. foi possível fazer orçamento de três . Sendo assim. foi feito um levantamento de todos os itens existentes em estoque até o dia 30 de setembro de 2008 para constar no campo estoque inicial da planilha desenvolvida. pode-se dizer que a efetivação do uso das planilhas constituiu uma ferramenta de apoio para o Cascata’s Restaurante. pode-se dizer que a proposta de contratar uma orientação legal especializada na implantação dos procedimentos operacionais padronizados exigidos pela ANVISA só tem a beneficiar a empresa em estudo. a estagiária acompanhou o preenchimento das planilhas na primeira semana para esclarecer as dúvidas e auxiliar no que fosse necessário. que permitirá implantar na prática da organização mecanismos mais ágeis e seguros de registro e controle de toda movimentação de estoque.

tais como: curso teórico. os gestores solicitaram o adiamento da implementação da proposta para o início do ano seguinte. Por isso. Feito o orçamento. e muitas vezes sem consistência. consultoria e auditoria. a estagiária se reuniu com a diretoria do restaurante. deste ano. proporcionando. para obter informações precisas a respeito. no momento. recusaram-se a implementar esta proposta no presente momento. dando prioridade às operações diárias. nesta reunião. para participar do curso que a empresa escolhida oferece. e apresentou a proposta desenvolvida. devido à falta de capital e de tempo.129 empresas. No entanto. assim. mesmo que ainda não implementada. PROPOSTAS DA ÁREA DE FINANÇAS Sistematização de alguns métodos de controle e de demonstrações financeiras Em muitas empresas de pequeno porte. o ano de 2009. no dia 15 de outubro de 2008. dos valores a pagar e a receber do dia. os proprietários colocam a organização e o controle de suas finanças em segundo plano. visto que orientou seus gestores na procura por empresas que os auxiliassem na implantação dos aspectos exigidos pela ANVISA. percam tempo buscando informações anotadas em diversos lugares. já beneficiou o Cascata’s Restaurante. dia 14 de outubro de 2008. os proprietários escolheram a empresa SEBRAE para implantar o manual de boas práticas e os procedimentos operacionais padronizados do Cascata’s Restaurante. à gestão do Cascata’s Restaurante mais opções de escolha. do curso de implantação do manual de boas práticas estava previsto para uma data muito próxima. pois o início da última turma. pois o custo de implantação é bastante acessível e inclui benefícios. dificultando a prévia preparação e programação da empresa para participar deste curso. Além disso. pode-se dizer que a proposta em questão. Por fim. como é o caso do Cascata’s Restaurante. é comum que estas empresas. por exemplo. . Nesta reunião.

. Ele declarou que. pode-se dizer que as planilhas desenvolvidas para sistematizar o controle das finanças do Cascata’s Restaurante serão implementadas no momento certo. conseqüentemente. contas a receber. no entanto. no dia 09 de outubro de 2008. Sendo assim. atualmente. desta vez. o gestor solicitou que a implementação das planilhas ocorresse em um momento futuro. primeiramente. também. novamente. porém. e não de empecilho. quando o mesmo estivesse mais preparado e capacitado para utilizálas. desenvolvidas para auxiliá-la no controle das finanças do restaurante.130 Sendo assim. Feito isto. a fim de conscientizá-los sobre a importância da proposta para o desenvolvimento do negócio. Caso contrário. elas seriam apenas um documento a mais. no dia 16 de outubro de 2008. para que a gestão do Cascata’s Restaurante superasse a dificuldade de controlar as finanças da empresa. a estagiária se reuniu. com o intuito de apresentar as planilhas de contas a pagar. possui muita dificuldade de controlar suas finanças e que realmente necessita desses métodos. Para implementar a proposta de sistematizar alguns métodos de controle e de demonstrações financeiras. que necessita entender melhor da área e que para isso já está procurando se capacitar por meio de um curso superior em Administração de Empresas. na melhora de seu desempenho financeiro. para o desenvolvimento organizacional. a estagiária procurou desenvolver planilhas financeiras que fossem simples e fáceis de utilizar. e que fossem instrumento de auxílio. declarou. Nesta reunião. a estagiária se reuniu com os gestores do restaurante. quando elas puderem ser corretamente utilizadas e preenchidas. despesas e receitas e. com a diretoria da empresa. e não auxiliariam a gestão na identificação de seus gastos. de controle de conta corrente e de fluxo de caixa.

. Foi possível constatar que a maior dificuldade do Cascata’s Restaurante consiste em planejar e controlar as atividades das suas áreas funcionais. vivencia-se uma realidade competitiva bastante difícil. em que as mudanças são constantes. os fatores de ameaça à organização. Notou-se que várias são as fraquezas da empresa estudada. contribuindo. O modelo de administração utilizado pela organização foi analisado. assim. cada vez mais. também. os problemas diários que surgem na empresa. das empresas alta capacidade de flexibilidade e adaptabilidade para obter sucesso. Sendo assim. foram identificadas as ferramentas e técnicas de gestão que possibilitam o alcance dos objetivos organizacionais e. eficazmente. os benefícios advindos da realização da fundamentação teórica deste estágio devem ser considerados. para um efetivo crescimento profissional. tornando mais fácil a conciliação entre a teoria e a prática. permitiu que a importância do assunto teórico tratado fosse compreendida. este estágio constituiu uma ferramenta de auxílio para a gestão no aprimoramento de seus conhecimentos. Nesse contexto. no entanto. também. Além de possibilitar a revisão das teorias estudadas no período de graduação. foram propostas ações de melhoria para o restaurante em estudo. justifica-se a importância do conhecimento das técnicas e ferramentas das diversas áreas da administração. Neste sentido. a criatividade e o talento do empresário merecem destaque.131 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS Atualmente. o diagnóstico foi realizado. Pode-se considerar que as atividades desenvolvidas durante a realização deste estágio permitiram o alcance dos objetivos traçados. como forma de solucionar. inicialmente. e. exigindo. possibilitou propor melhorias para seus diversos outros problemas atuais. por fim. pois contribuíram para que ela sobrevivesse e se mantivesse no competitivo e árduo mercado de restaurantes. além disso. e.

Tony. MCDONNELL. Roberto. Administração de recursos humanos: uma introdução. PIRES. São Paulo: Atlas. Joe M. Rio de Janeiro: Zahar Editores. São Paulo: Atlas. José Carlos.). Reynaldo Cavalheiro. 13:21. São Paulo: Atlas. Administração: teorias e processos. www.132 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANSOFF. Nelson. Logística empresarial: transportes. São Paulo: Atlas. Anélio. 1993. CARAVANTES. 2001. ARNOLD. Manual de gestão empresarial. Paul. BULGACOV. Administração de Recursos Humanos. BOHLEN. Rede de pequenas e médias empresas e desenvolvimento local: estratégias para conquista da competitividade global com base na experiência italiana. RAUDABAUGH.com. H. Sérgio (Org. administração de materiais e distribuição física. R. George M. MARCONDES. BERTI. Luiz Paulo do. São Paulo: Atlas. 2001.br. AQUINO. Cléber Pinheiro de. Liderança e Dinâmica de Grupo. São Paulo: Ícone. J. Antônio Vieira. 1999. CERTO. Fluxo de Caixa. PANNO.sebrae. Neil J. 04/05/08. 1993. Diagnóstico empresarial: teoria e prática. São Paulo: Atlas. . Edward J. Geraldo R. 1980. São Paulo: Atlas. Fundamentos e técnicas de administração financeira. Ronald H. BEAL. 6. 2. 1999. CARVALHO. CASAROTTO FILHO. Cláudia C. Samuel C. 1989. 2005. Luis Henrique. Igor. ed. Administração de materiais: uma introdução. PETER. BALLOU. São Paulo: Pioneira. Mônica C. ed. CAVALCANTE. NASCIMENTO. BRAGA. KLOECKNER. J. CESAR. São Paulo: Pearson Prentice Hall. 1962. Implantando a administração estratégica. 1993.

Comportamento humano no trabalho: uma abordagem organizacional. Marcos. 2002. 2006. Tecnologias Gerenciais de Restaurantes. 8. ed. GITMAN. 5. Idalberto. 1999. FONSECA. São Paulo: Pioneira. Administração de recursos humanos. 1997. estratégias financeiras. São Paulo: Editora SENAC. Comportamento humano no trabalho: uma abordagem psicológica. 2005. ed. 1996. Administração financeira e orçamentária: matemática financeira aplicada. São Paulo: Atlas. São Paulo: Pioneira. . COBRA. Keith. Lowrence. GAITHER. 2. Administração de Materiais: princípios. 1992.133 Ana Maria Roux. ed. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos. Greg. 6. São Paulo: Editora Harbra. Clima organizacional: uma abordagem vivencial. São Paulo: Atlas. Masakazu. HOJI. São Paulo: Pioneira Thomson Learning. DIAS. 7º ed. Marco Aurélio P. ed. Administração de marketing. FRAZIER. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall. DAVIS. NEWSTROM. ed. ______________________________. São Paulo: Prentice Hall. John W. 2003. 1993. 4. CHIAVENATO. 1992. Marcelo Traldi. orçamento empresarial. São Paulo: Makron Books. GRAÇA. Norman. Hélio. Princípios de administração financeira.ed. 2. 2004. São Paulo: Atlas. 2007. J. 3. Introdução à Teoria Geral da Administração. 2. conceitos e gestão. ____________________. Administração da Produção e Operações. Brasília: Funadesp. Administração estratégica: planejamento e implantação da estratégia. Gary. ed. Rio de Janeiro: Campus. DESSLER. 1999.

KOTLER. 2005. Marina de Andrade. São Paulo: Atlas. LONGENECKER. 4. Eva Maria. MARTINS. MOORE. BOUDREAU. São Paulo: Saraiva. Safári de estratégia: . Victor. São Paulo: Pearson Prentice Hall. 2001. RIGO. Jerome. William. MARICATO. LAS CASAS. 2001. ed. Como montar e administrar bares e restaurantes. São Paulo: Makron Books. LEMES JÚNIOR. E. São Paulo: Atlas. Administração de pequenas empresas. MARCONI. MINTZBERG. São Paulo: Saraiva. Victor. 1997. ed. Justin G. Fernando Piero. Philip. Henry. Recursos Humanos: princípios e tendências. John W. 2004. David. CAMPOS ALT. Administração Financeira: princípios. 3. J. São Paulo: Editora SENAC. Metodologia Científica. Ana Paula. Administração de marketing. 2000. fundamentos e práticas brasileiras. Cláudio Miessa. FOSKETT. CHEROBIM. CESERANI. PETTY. 1999. Administração de marketing: conceitos. Petrônio Garcia. LAUGENI. São Paulo: Atlas. Rio de Janeiro: Campus. Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais. MCCARTHY. Joseph. George T. Marketing essencial: uma abordagem gerencial e global. William D. Antônio Barbosa. MILKOVICH. São Paulo: Livraria Varela. São Paulo: Atlas. Percival. MARTINS. LAKATOS. Bruce. planejamento e aplicações à realidade brasileira. PERREAULT Jr. Administração da produção. São Paulo: Saraiva. Enciclopédia de serviços de alimentação. Francisco José Masset. LACOMBE. Paulo Renato. Administração de Recursos Humanos. Petrônio Garcia. 2006. 2000. 1997. 2002. Alexandre Luzzi.134 KINTON. LAMPEL. 2001. Carlos W. AHLSTRAND.

2000. CHAMBERS. 18. Administração Financeira. ed. 1987. São Paulo. PONTES. 2007. POZO. FREEMAN. Agostinho. ed. e atual. Metodologia do Trabalho Científico. 2002. São Paulo: Atlas. Administração da Produção. SEVERINO. OLIVEIRA. JAFFE. metodologia e práticas.rev. 2002. STONER. ed. ed. ed. PORTER. PARRA FILHO. 1999. São Paulo: Atlas. 2000. JOHNSTON. São Paulo: LTr. Vantagem Competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Administração de cargos e salários. R. Hamilton. SANTOS. 5. Djalma de Pinho Rebouças de. 1986. 5. João Almeida. TOLEDO. Administração. Planejamento estratégico: conceitos. SLACK. WESTERFIELD. . 14. 1974. 2002. Administração de recursos materiais e patrimoniais: uma abordagem logística. Michael E. 23. Metodologia Científica. B. Jeffrey F. São Paulo: Futura. 2. Robert. F. São Paulo: Atlas. ed. James A. ed. ed. Porto Alegre: Bookman. São Paulo: Cortez Editora. Daniel A. Administração da Produção e Operações. Edward R. Flávio de. Dinâmica de grupo: teorias e sistemas. São Paulo: Atlas.135 um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Stuart. 6. Nigel. 1995. ROSS. Stephen A. Atlas. São Paulo: Editora Pioneira. Prentice Hall do Brasil. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Campus. ed. Randolph W. ed. 1989. Administração de pessoal: Desenvolvimento dos recursos humanos. MOREIRA. 2007. 5. Antônio Joaquim. 4. MINICUCCI. São Paulo: Atlas. 2. Domingos.

http://www. 16:22. 16:15. 3. 09/05/08.br/mj/subsidios-dinamicas-01. .anvisa. http://www.com. ed. __________________________.com. 3. 2003.pucrs. ed.cdof. 22/08/08. Dinâmicas de grupo.br/divulga/public/alimentos. São Paulo: Atlas. Gestão de Pessoas. Jogos e dinâmicas de grupo.gov.136 VERGARA. Cartilha sobre boas práticas para serviços de alimentação.br. 22/08/08. Sylvia Constant.br. 15/09/08. São Paulo: Atlas. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. http://www. http:// www.php.ancorarh. 19:32. Dinâmicas. 2000. 17:00.

137 APÊNDICE .

1. 01 Data Identificação da Entrevista 22/02/08 Início 10:00 Duração 120 minutos Entrevistadora Helen Cristina Araújo Entrevistado Rildo Elias Vieira Função do entrevistado na Empresa Administrador Área em questão Dados e Gestão da empresa Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Pontos Relevantes de questionamento Nome fantasia/ Localização/ contatos/ CNPJ/ Inscrição Estadual/ participação societária Ramo de negócio/ Histórico da empresa Tipo de prestação de serviço/ Público alvo Número total funcionários/ Área física (quantos m2) Principais Fornecedores/ Principais concorrentes Qual a estrutura organizacional? Tipo de imóvel (próprio ou alugado) Capital social Como são formuladas as estratégias? Por quem elas são formuladas? Como são planejadas as atividades? Quem as planeja? .138 Apêndice A Modelos dos Roteiros de Entrevistas. Roteiro de Entrevista nº.

Roteiro de Entrevista nº. quem faz. 02 Data Identificação da Entrevista 27/03/2008 Início 13:30 Duração 120 minutos Entrevistadora Helen Cristina Araújo Entrevistados Rildo e Maria Coraci Função do entrevistado na Empresa Administrador e sócia respectivamente Área Funcional em questão Recursos Humanos Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Pontos Relevantes de questionamento É feito Recrutamento e Seleção? Quem faz? Qual o perfil esperado dos candidatos? Utiliza-se treinamento? Como ele é feito: cursos e palestras.139 2. interno ou externo. . quem treina? Quando é feito? Como é promovido o Desenvolvimento dos funcionários? Quando? Utiliza-se Descrição e análise dos cargos? Quais são as Qualificações necessárias para cada cargo? Utiliza-se Avaliação de desempenho? Quando? Por quê? São concedidos benefícios? Quais? Por quê? Qual o processo de admissão e demissão? Descrição das atividades de cada funcionário.

140 3. 03 Data Identificação da Entrevista Início Duração Entrevistadora Helen Cristina Araújo Entrevistados Rildo e Maria Coraci Função do entrevistado na Empresa Administrador e sócia respectivamente Área Funcional em questão Marketing Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Pontos Relevantes de questionamento Como é feita a divulgação da imagem da empresa? Quem se preocupa com essa parte? Porque vocês não adotam outros tipos de propaganda da empresa? Como são as vendas da empresa? O restaurante faz entregas? A empresa faz promoções? Qual é o diferencial do Restaurante cascata’s? Como vocês vêem os concorrentes? Qual o relacionamento com eles? A empresa tem clientes assíduos? O que é feito para mantê-los? . Roteiro de Entrevista nº.

04 Data Identificação da Entrevista Início Duração Entrevistadora Helen Cristina Araújo Entrevistados Rildo e Maria Coraci Função do entrevistado na Empresa Administrador e sócia respectivamente Área Funcional em questão Recursos Materiais Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Pontos Relevantes de questionamento Como e onde são armazenados os alimentos? Quem faz as compras de produtos para a organização? Como faz? Como são escolhidos os fornecedores? Como é feito o recebimento de materiais? Quem faz o recebimento de materiais? O que é conferido no recebimento de materiais? Existem procedimentos formais de compras? E de recebimentos? Quais são os insumos necessários? Como são obtidos? .141 4. Roteiro de Entrevista nº.

Roteiro de Entrevista nº. 05 Data Identificação da Entrevista Início Duração Entrevistadora Helen Cristina Araújo Entrevistados Rildo e Maria Coraci Função do entrevistado na Empresa Administrador e sócia respectivamente Área Funcional em questão Produção Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Pontos Relevantes de questionamento Como é elaborado o cardápio? Quem elabora? Em que se baseia a elaboração do cardápio? Como é definido o quanto produzir? Quantos tipos de pratos são preparados por dia? O que é feito com as sobras? Sobra muito? Quais são os equipamentos utilizados na produção? Quais são os tipos de produtos oferecidos? Há controle de estoques? Onde é feito? Como é feito? Qual é o processo de produção? Porquê esse processo? Quais são as exigências legais nessa área? .142 5.

balanço. Roteiro de entrevista nº.143 6. 06 Data Identificação da Entrevista Início Duração Entrevistadora Helen Cristina Araújo Entrevistados Rildo e Maria Coraci Função do entrevistado na Empresa Administrador e sócia respectivamente Área Funcional em questão Finanças Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Pontos Relevantes de questionamento Como estão as finanças da empresa? E quanto a inadimplência? O gestor utiliza: DRE. financiamento e as outras nesse aspecto? Quem as toma? . como? O gestor oferece algum documento para a contabilidade? Qual? Com que freqüência? Como é formado o preço de venda? Baseia-se no mercado? Ou existe algum método próprio? Como são feitas as contas do total de despesas da empresa? Quais são as condições de pagamento da empresa? Como são tomadas as decisões de investimento. fluxo de caixa ou algum outro tipo de demonstração financeira? E a Contabilidade auxilia as finanças da empresa.

como você se sente em trabalhar na empresa? ( ) satisfeito ( ) insatisfeito . Sexo: Feminino ( ) Masculino ( ) 2.144 Apêndice B Modelo do questionário aplicado aos oito colaboradores efetivos do Cascata’s Restaurante QUESTIONÁRIO 1. Escolaridade: ( ( ( ) nenhum ) 2º grau incompleto ) 3º grau completo ( ( ( ) 1º grau incompleto ) 2º grau completo ( ) )outro ( ) 1º grau completo ( ) 3º grau incompleto 3. O relacionamento entre as pessoas da sua equipe é: ( ) excelente ( ) bom ( ) ruim 7. Tempo de trabalho na empresa:_____________________ 6. Você se sente realizado com o trabalho que você executa? ( ) sim ( ) não 8. O relacionamento entre você e seu chefe é: ( ) excelente ( ) bom ( ) ruim 10. salário: R$___________________ 4. No geral. Você se sente seguro no seu emprego? ( ) sim ( ) não 9. Idade:________________________ 5.

145 11. Dos itens abaixo marque três que você considera as melhores vantagens da empresa onde você trabalha: preço ( ) qualidade do produto ( ) qualidade do atendimento ( imagem da empresa ( ) equipe de trabalhadores ( ) criatividade ( ) rapidez ( ) clima interno ( ) outros ( ) ) 12. Dos itens abaixo marque três que você considera os fatores de motivação da empresa: instalações ( ) clima organizacional ( ) estabilidade no emprego ( ) gostar do que faz ( ) salário e benefícios ( ) imagem da empresa ( ) relação com o cliente ( ) relação com a liderança ( ) ser valorizado e reconhecido ( ) ser ouvido ( ) outros ( ) .

In Ent Saída Saldo E. Planilha de Controle do Estoque de Carnes RESTAURANTE CASCATA'S/ Controle de carnes mês: outubro 1ª semana Descrição 2ª semana 3ª semana 4ª semana Qte média Unid E. In Ent Saída Saldo E.146 Apêndice C Modelo das Planilhas de Controle de Estoque 1.coxa e sobrecoxa Lingüiça bovina Lingüiça suína Lingüiça de frango Pernil suíno Patinho Peixe Piramutaba Peixe mapará Camarão Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg Kg 0 8 0 0 0 0 0 0 17 5 0 0 0 0 0 0 6 0 10 10 6 0 8 0 0 0 0 0 0 17 5 0 0 0 0 0 0 6 0 10 10 6 0 8 0 0 0 0 0 0 17 5 0 0 0 0 0 0 6 0 10 10 6 0 8 0 0 0 0 0 0 17 5 0 0 0 0 0 0 6 0 10 10 6 0 8 0 0 0 0 0 0 17 5 0 0 0 0 0 0 6 0 10 10 6 0 8 0 0 0 0 0 0 17 5 0 0 0 0 0 0 6 0 10 10 6 0 8 0 0 0 0 0 0 17 5 0 0 0 0 0 0 6 0 10 10 6 0 8 0 0 0 0 0 0 17 5 0 0 0 0 0 0 6 0 10 10 6 0 8 0 0 0 0 0 0 17 5 0 0 0 0 0 0 6 0 10 10 6 . In Ent Saída Saldo E.mín E. In Ent Saída Saldo Lagarto Alcatra Carne moída Carne suína Colchão mole Contra filé Costela bovina Costela suína Cupim Filé de frango Filé de peixe Peito de frango Frango.

147 2.mín Alface Cab Almeirão Peça Couve Peça Rúcula Peça Cebolinha Peça Salsinha Peça Agrião Peça Brócolis Peça Cebola Cab Alho Cab Pepino Kg Pimentão Kg Quiabo Kg Rabanete Kg Tomate Kg Vagem Kg Abóbora Kg Beterraba Kg Berinjela Kg Batata doce Kg Batatinha Kg Cenoura Kg Banana Dúzia Maçã Unid Melancia Unid Laranja Unid Chuchu Unid E. Ent Saída Saldo In Ent Saída Saldo In Ent Saída Saldo In Ent Saída Saldo 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 n/ out E. E. In Ent Saída Saldo Qte Média Descrição Unid E. Planilha de Controle do Estoque de Hortifrutigranjeiros RESTAURANTE CASCATA'S/ Controle de hortifrutigranjeiros mês: outubro 1/out 2/out 3/out 4/out E. In . E.

In 2ª semana Ent Saída Saldo E.5 11 6 2 15 11 11 10 3 21 19 21 11 19 3 10 20 8 4 29 0 10 0 21 34 13 0 18 6 19 14 2.5 11 6 2 15 11 11 10 3 21 19 21 11 19 3 10 20 8 4 29 0 10 0 21 34 13 0 18 6 19 14 2.mín E. Planilha de Controle do Estoque de Alimentos não perecíveis RESTAURANTE CASCATA'S/ Controle de alimentos não perecíveis mês: outubro 1ª semana Descrição Unid E. In 3ª semana Ent Saída Saldo E.5 11 6 2 15 11 11 10 3 21 19 21 11 19 3 10 20 8 4 29 0 10 0 21 34 13 0 18 6 19 14 3 11 6 2 15 11 11 10 3 21 19 21 11 19 3 10 20 8 4 29 0 10 0 21 34 13 0 18 6 19 14 2.5 11 6 2 15 11 11 10 3 21 19 21 .148 3. In Ent Saída Saldo E.5 11 6 2 15 11 11 10 3 21 19 21 11 19 3 10 20 8 4 29 0 10 0 21 34 13 0 18 6 19 14 3 11 6 2 15 11 11 10 3 21 19 21 11 19 3 10 20 8 4 29 0 10 0 21 34 13 0 18 6 19 14 2.5 11 6 2 15 11 11 10 3 21 19 21 11 19 3 10 20 8 4 29 0 10 0 21 34 13 0 18 6 19 14 3 11 6 2 15 11 11 10 3 21 19 21 11 19 3 10 20 8 4 29 0 10 0 21 34 13 0 18 6 19 14 2. In 4ª semana Ent Saída Saldo Qte média Arroz Feijão preto Feijão roxo Açúcar Sal Farinha de trigo Extrato de tomate Macarrão Maionese Palmito em conserva Azeitona em conserva Ovos Óleo Vinagre Café Margarina Creme de leite Leite condensado Detergente Palha de aço Veja Álcool Água sanitária Sabão em pó Azeite Bicabornato Lentilha Ervilha Trigo Leite Leite de coco Pcte Pcte Pcte Kg Kg Pcte Kg Pcte Kg Vidro Vidro Unid Lata Unid Pcte Pote Caixa Lata Unid Fardo Unid Unid Unid Caixa Unid Caixa Pcte Lata Pcte cx latas 6 16 16 5 2 2 2 5 1 1 1 24 8 1 2 2 2 2 3 5 3 3 2 2 2 1 3 2 1 4 4 11 19 3 10 20 8 4 29 0 10 0 21 34 13 0 18 6 19 14 2.

Valor Pago R$ Data Pagto.00 R$ 0.00 .00 Observações - R$ 0. Juros Descontos TOTAL - R$ 0.149 Apêndice D Modelos das planilhas da proposta de finanças 1. Planilha de Contas a Pagar Planilha Contas a pagar Mês/ ano: Credor Data Valor R$ Data Vencto.00 - R$ 0.

00 - R$ 0.00 .00 - R$ 0. Valor Pago R$ Data Pagto. Juros Descontos TOTAL Observações - R$ 0.150 2. Planilha de Contas a Receber Planilha Contas a receber Mês/ ano: Cliente Data Valor R$ Data Vencto.00 R$ 0.

00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.151 3.00 R$ 0.00 R$ 0.00 SALDO ATUAL R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 . Planilha de Controle de Conta Corrente Planilha Controle de Conta-Corrente BANCO: AGÊNCIA: DATA OPERAÇÃO ENTRADA MÊS: C/C: SALDO ANTERIOR: SAÍDA Totais R$ 0.00 R$ 0.

00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 .00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.152 4.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0. Planilha de Fluxo de Caixa Fluxo de caixa Restaurante Cascata's Data Dia Saldo inicial ENTRADAS Contas a receber Saque em c/c Outros recebimentos SAÍDAS Pró-labore Vale transporte Contas a pagar SEPARAR FORNECEDOR DE INSUMOS MANUTENÇÃO Aluguel Salários Contador Outros pagamentos SEPARAR Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Domingo R$ 0.

00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.00 .153 IMPOSTOS ENCARGOS SALDO DO DIA R$ 0.00 R$ 0.00 R$ 0.

154 ANEXOS .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->