Ciências- 7º ano

Professor Marlos Otoni

Unidade 1
Vida: geração de diversidade e conservação de padrões

Capítulo 1- A Biologia evolutiva e a diversidade da vida
• A diversidade da vida: • Animais e vegetais

Microcosmos .

ele habita) é um conceito usado em ecologia que inclui o espaço físico e os fatores abióticos que condicionam um ecossistema e por essa via determinam a distribuição das populações de determinada comunidade .Habitat • (do latim.

• Um bioma é o conjunto da flora e fauna que vive num determinado habitat e ocupa uma determinada região geográfica e topográfica. . • Um micro-habitat é a vizinhança imediata do local onde vive um determinado espécime animal ou vegetal.• Um biótopo é a menor parcela ecológica que é possível discernir geograficamente (por exemplo: um dos biótopos da truta é a Ribeira das Casas na ilha das Flores).

do meio. ampliando ou reduzindo suas dimensões.Interação entre os seres vivos e o meio do qual fazem parte • Recursos são fatores bióticos e abióticos que podem ser usufruídos pelos seres vivos. • Interações são fatores bióticos que pressionam os limites do nicho de forma tanto positiva quanto negativa. que afetam a aptidão de um organismo. • Condições são fatores abióticos. Mais comumente utiliza-se o termo para alimentos e nutrientes. .

usufruem. com outros organismos. n-dimensional limitado ou pode-se dizer que cada expandido devido as interações tipo de alimento. pH. que temperatura. etc são fisiológicas às condições do meio. como: • O nicho ecológico é a forma de vida de determinada espécie ou população dentro de um ecossistema. Nicho ecológico .• Espaço gráfico hipervolumétrico e • De forma simplificada. envolve todas as respostas competidores. além do impacto podemos tentar definir o causado por estes no meio em que que é nicho ecológico vivem. Sabendo disso. que determina o seu efeito noutras espécies ou populações. tipos diferentes de depende da disponibilidade de dimensões existentes no recursos e como os organismos os nicho.

Os Naturalistas • Naturalismo (não confundir com naturismo) é uma escola literária conhecida por ser a radicalização do Realismo. . mostrando que o indivíduo é determinado pelo ambiente e pela hereditariedade. baseando-se na observação fiel da realidade e na experiência. A escola esboçou o que se pode declarar como os primeiros passos do pensamento teórico evolucionista de Charles Darwin.

.Charles Darwin • foi um naturalista britânico que alcançou fama ao convencer a comunidade científica da ocorrência da evolução e propor uma teoria para explicar como ela se dá por meio da seleção natural e sexual.

no ramo da biologia. é a mudança das características hereditárias de uma população de uma geração para outra. . genética ou orgânica).• Evolução (também conhecida como evolução biológica. Este processo faz com que as populações de organismos mudem ao longo do tempo. • Seleção natural é um processo da evolução proposto por Charles Darwin para explicar a adaptação e especialização dos seres vivos conforme evidenciado pelo registro fóssil.

plantas e outros seres vivos. leite.Seleção artificial • Seleção artificial é o processo conduzido pelo ser humano de cruzamentos seletivos com o objetivo de selecionar características desejáveis em animais. seda ou frutas. lã. . Estas características podem ser por exemplo um aumento da produção de carne.

.Seleção Natural • Seleção natural (AO 1945: Selecção natural) é um processo da evolução proposto por Charles Darwin para explicar a adaptação e especialização dos seres vivos conforme evidenciado pelo registro fóssil. O conceito básico de seleção natural é que características favoráveis que são hereditárias tornam-se mais comuns em gerações sucessivas de uma população de organismos que se reproduzem. A seleção natural age no fenótipo. de tal forma que indivíduos com fenótipos favoráveis têm mais chances de sobreviver e se reproduzir do que aqueles com fenótipos menos favoráveis. e que características desfavoráveis que são hereditárias tornam-se menos comuns. ou nas características observáveis de um organismo.

Seleção Natural .

então. que. • A especiação é o processo pelo qual uma espécie divide-se em duas.Especiação • Especiação é o processo evolutivo pelo qual as espécies vivas se formam. A etapa crítica na formação de uma nova espécie é a separação do conjunto gênico da espécie ancestral em dois conjuntos separados . evoluem em diferentes linhagens. Este processo pode ser uma transformação gradual de uma espécie em outra (anagênese) ou pela divisão de uma espécie em duas por cladogênese.

Implicações sociais da Teoria de Darwin • O meio seleciona os mais aptos que sobreviverão. Interpretações diversas surgiram. Ciência X Outras culturas .

uma vez que se verificam somente entre eles. existem outros aspectos que devem ser considerados. . por exemplo. necessitam de alimento.Seres vivos: vida celular e auto-organização • Além da característica de que os seres vivos são formados de células. passam por um ciclo de vida e são capazes de se reproduzir.Capítulo 2. Os seres vivos.

Reinos • O Reino é a categoria superior da classificação científica dos organismos introduzida por Linnaeus no século XVIII. Lineu considerou as coisas naturais no mundo divididas em três reinos: • Mineral .os "minerais" • Animalia .os "animais" (com movimento próprio) • Plantae . Originalmente.as "plantas" (sem movimentos) .

saprófitos.autotróficos .) • Animalia .Reino dos animais • e mais dois reinos para os organismos unicelulares ou coloniais: • Protista . bolores etc.Reino das Algas Unicelulares e dos Protozoários • Monera .Reino dos fungos (como cogumelos.heterotróficos .Reino das Plantas • Fungi . .Reino dos Seres Vivos • Plantae .Reino das Bactérias e Cianobactérias (ou algas azuis) .

. Cianobactérias) • O reino monera é composto pelas bactérias e cianobactérias (algas azuis). como na água. que podem viver tanto em ambientes oxigenados ou não.Reino Monera (Bactérias. como parasitas. as anaeróbias obrigatórias. que precisam de oxigênio para viver. Elas podem viver em diversos locais. ou seja. ou ainda. dentro de animais e plantas. que não conseguem viver em presença do oxigênio. mas existem também algumas bactérias autótrofas (produzem sem alimento. • A maioria se seus representantes são heterótrofos (não conseguem produzir seu próprio alimento). e as anaeróbias facultativas. ar. • Existem bactérias aeróbias. via fotossíntese por exemplo). solo.

vibriões. e em cachos. e formarem colônias.• As formas físicas das bactérias podem ser de quatro tipos: cocos. Os cocos. . podem se agrupar. bacilos. e espirilos. formam um estafilococo. Grupos de dois cocos formam um diplococo. enfileirados formam um estreptococos.

são os mais importantes produtores nesses ecossistemas aquáticos. • Podem ser autótrofos (do grego: "autos". ou seja. Protistas autótrofos. existem também outros protistas que são heterótrofos. no entanto. nutrição. ou seja. protistas que possuem clorofila e fazem a fotossíntese. literalmente "seres que alimentam a si mesmos"). constituem a maior parte do plâncton marinho e dulcícula. . por si mesmo + "trophé". incapazes de fazer fotossíntese e que se alimentam de matéria orgânica.Reino Protista no Reino Protista são unicelulares ou • Os micro-organismos classificados pluricelulares e eucariotas.

Protistas .

animais e bactérias. e pelos seus modos de vida no solo. .Reino Fungi • O reino Fungi é um grande grupo de organismos eucariotas. • Abundantes em todo mundo. a maioria dos fungos é inconspícua devido ao pequeno tamanho das sua estruturas. seja como cogumelos ou como bolores. e outros fungos. bem como os mais familiares cogumelos. • Podem tornar-se notados quando frutificam. Os fungos desempenham um papel essencial na decomposição da matéria orgânica e têm papéis fundamentais nas trocas e ciclos de nutrientes. e como simbiontes de plantas. que inclui microorganismos tais como as leveduras e bolores. cujos membros são chamados fungos. na matéria morta. Os fungos são classificados num reino separado das plantas. animais.

. mais recentemente. a cerveja. que são tóxicos para animais e humanos. São também usados como agentes biológicos no controlo de ervas daninhas e pragas agrícolas. As estruturas frutíferas de algumas espécies contêm compostos psicotrópicos. • Muitas espécies produzem compostos bioativos chamados micotoxinas. várias enzimas produzidas por fungos são usadas industrialmente e em detergentes. como agentes levedantes no pão. como o vinho. os fungos são usados na produção de antibióticos.Fungi • São desde há muito tempo utilizados como uma fonte direta de alimentação. • Desde a década de 1940. e na fermentação de vários produtos alimentares. e o molho de soja. e. como no caso dos cogumelos e trufas. como alcaloides e policetídeos.

Fungi .

etc). arbustos.000 espécies conhecidas. São. plantas microscópicas. . árvores. incluindo uma grande variedade de ervas. em geral. organismos autotróficos cujas células incluem um ou mais organelos especializados na produção de material orgânico a partir de material inorgânico e da energia solar. os cloroplastos.Reino Plantae • O Reino Plantae ouMetaphyta (Vegetal) é um dos principais grupos em que se divide a vida na Terra (com cerca de 350.

Órgãos Vegetais .

Fotossíntese • Fotossíntese é um processo físico-químico realizado pelos seres vivos clorofilados. 12H2O + 6CO2 → 6O2 + 6H2O + C6H12O6. em que eles utilizam dióxido de carbono e água. . para obter glicose através da energia da luz.

• Cloroplasto é a organela onde se realiza a fotossíntese. . como as algas e alguns protistas. • Possui clorofila.Cloroplasto • Cloroplasto é uma organela presente nas células das plantas e outros organismos fotossintetizadores. pigmento responsável pela sua cor verde.

Reino Animallia • O reino Animalia. por outras palavras. com capacidade de responder ao ambiente que os envolve ou. heterotróficos. cujas células formam tecidos biológicos. pelos animais. . Reino Animal ou Reino Metazoa[1] é composto por seres vivos pluricelulares.

devido à presença de clorofila (pigmento verde). os carnívoros e os decompositores. capazes de sintetizar matéria orgânica a partir de substâncias minerais e fixar a energia luminosa sob a forma de energia química. as cianófitas ou cianofíceas (algas verde-azuladas ou azuis) e algumas bactérias que. . • Os herbívoros são os organismos do segundo nível trófico. e este grupo inclui os herbívoros. Estes organismos são também conhecidos por produtores primários. Os organismos deste nível são as plantas verdes. aqueles que obtêm a energia de que precisam de substâncias orgânicas produzidas por outros organismos. ou seja. que se alimentam diretamente dos produtores (por exemplo. podem realizar a fotossíntese. • Os níveis seguintes são compostos por organismos heterotróficos. a vaca).Níveis tróficos: cadeia alimentar • O primeiro nível trófico é constituído pelos seres autotróficos. Todos os animais e fungos são seres heterotróficos. também conhecidos por produtores. Eles são chamados de consumidores primários.

como a batata. que sintetizam de novo matéria orgânica. O seu papel num ecossistema é muito importante uma vez que transformam as substâncias orgânicas de que se alimentam em substâncias minerais. e seres herbívoros como a vaca. que se alimentam de outros animais (por exemplo o leão). • Os decompositores são organismos que se alimentam de matéria morta e excrementos. Existem seres vivos que se alimentam em diferentes níveis tróficos. é chamado de consumidor secundário. provenientes de todos os outros níveis tróficos. fechando assim o ciclo de utilização da matéria. Estas substâncias minerais são novamente utilizáveis pelas plantas verdes. . Este grupo inclui algumas bactérias e fungos.Níveis tróficos: cadeia alimentar • Os carnívoros ou predadores são os organismos dos níveis tróficos seguintes. que come o herbívoro. tal como o Homem que inclui na sua alimentação seres autotróficos. O carnívoro.

tais como os seres humanos. Outros organismos. São as unidades estruturais e funcionais dos organismos vivos.O padrão dos seres vivos : a célula • A célula representa a menor porção de matéria viva. são unicelulares (consistem em uma única célula). tais como as bactérias. são pluricelulares . A maioria dos organismos.

(núcleo definido e protegido pelo envoltório nuclear) que contém um ou mais nucléolos. É constituída por muitas organelas citoplasmáticas.Composição da célula • Uma célula eucariótica possui verdadeiro núcleo. . ao contrário das células procarióticas. E podem ser animais ou vegetais. • As células procarióticas são relativamente simples (comparativamente às eucarióticas) e são as que se encontram nas bactérias e cianófitas ("algas" azuis ou cianobactérias). Procariotos são organismos unicelulares.

• O envoltório nuclear. também conhecido como invólucro nuclear. pois é formado na verdade por duas membranas). responsável por separar o conteúdo do núcleo celular (em particular o DNA) do citosol. Carioteca ou membrana nuclear . cariomembrana ou membrana nuclear (este termo não é muito apropriado. envelope nuclear. carioteca. é uma estrutura que envolve o núcleo das células eucarióticas.

Citoplasma

• O citoplasma é o espaço intra-celular entre a membrana plasmática e o envoltório nuclear em seres eucariontes, enquanto nos procariotos corresponde a totalidade da área intracelular. O citoplasma é preenchido por uma matéria coloidal e semi-flúida denominada citosol, e neste fluido estão suspensos os organelos celulares.

DNA-Ácido desoxiribonucléico
• É um composto orgânico cujas moléculas contêm as instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento de todos os seres vivos e alguns vírus. O seu principal papel é armazenar as informações necessárias para a construção das proteínas e ARNs. Os segmentos de ADN que contêm a informação genética são denominados genes.

• Na biologia, o ácido ribonucleico (sigla em português: ARN e em inglês, RNA, ribonucleic acid), é o responsável pela síntese de proteínas da célula. O RNA é um polímero de nucleotideos, geralmente em cadeia simples, que pode, por vezes, ser dobrado. As moléculas formadas por RNA possuem dimensões muito inferiores às formadas por DNA.

RNA- Ácido ribonucléico

. Cada trinca é chamada códon e define cada aminoácido constituinte da proteína. codificada na forma de trincas de bases nitrogenadas.RNA mensageiro • As moléculas de RNA mensageiro(RNAm) sintetizadas a partir dos genes têm a informação para a síntese de proteínas.

Esse tipo de RNA é chamado de transportador por ser o responsável pelo transporte das moléculas de aminoácidos até os ribossomos.RNA transportador • As moléculas de RNA transportador (RNAt) também são sintetizadas a partir de segmentos de DNA presentes em certas regiões específicas dos cromossomos. . onde elas se unem para formar as proteínas.

ou retículo endoplasmático (formando assim o retículo endoplasmático rugoso ou granular). e podem ser encontrados espalhados no citoplasma.Ribossomo s • Os ribossomos ou ribossomas originamse nas células eucarióticas e procarióticas do núcleo. presos uns aos outros por uma fita de RNA formando polissomas (também chamados de polirribossomas). Já nas células procarióticas são encontradas livres no hialoplasma. onde tem sua origem .

.Retículo Endoplasmático Rugoso • O retículo endoplasmático rugoso (RER). o que lhe confere aspecto granular. também chamado retículo endoplasmático granuloso ou ergastoplasma (do grego ergozomai. que significa "elaborar". "sintetizar"). é formado por sistemas de vesículas achatadas com ribossomos aderidos à membrana.

como uma espécie de sistema central de distribuição na célula. Funciona. empacotamento e remessa de substâncias. e sua função primordial é o processamento de proteínas ribossomáticas e a sua distribuição por entre essas vesículas. .Complexo Golgiense • É formado por dobras de membranas e vesículas. portanto. atuando como centro de armazenamento. transformação.

Seu objetivo é cumprido através da digestão intracelular. . assim como a reciclagem de outras organelas e componentes celulares envelhecidos.Lisossomos • Lisossomos ou lisossomas citoplasmáticas são organelos celulares que têm como função a degradação de partículas advindas do meio extracelular.

Mitocôndria A mitocôndria é um dos organelos celulares mais importantes. Responsável pela produção de energia na célula. . sendo extremamente relevante para a respiração celular.

Célula animal .

Capítulo 3 – A ciência e a diversidade biológica A vida no planeta Terra .

Os elementos e a vida .

A vida primitiva: Coacervados .

quer por ingestão. quer como um parasita. • Exemplos : Mitocôndria e cloroplasto . os elementos originais teriam desenvolvido uma interação biológica mutualmente benéfica que mais tarde se tornou numa simbiose obrigatória.Endossimbiose • As células eucarióticas nasceram como comunidades de organismos em interação. Os elementos procarióticos poderiam ter entrado numa célula hospedeira. Com o tempo. que se uniram numa ordem específica.

podem ser elevadas ao status de leis. • Publicada em Inglês . em casos específicos. juntamente com as hipóteses. devido à simplicidade e ampla abrangência.Teoria científica(lei) • Fatos que integram um conjunto de evidências que. alicerçam o conceito de teoria científica. As hipóteses.

Classificação dos Seres Vivos .

os cloroplastos. etc). árvores. Metaphyta ou Vegetabilia[2] (Vegetal) é um dos principais grupos em que se divide a vida na Terra (com cerca de 350. plantas microscópicas. organismos autotróficos cujas células incluem um ou mais organelos especializados na produção de material orgânico a partir de material inorgânico e da energia solar. São. em geral.000 espécies conhecidas. incluindo uma grande variedade de ervas. .As Plantas • O Reino Plantae. arbustos.

rizóides e filóides. São constituídos por caulóides. ou que não possuem flores. e preferem lugares com sombra (umbrófitas). cuja fase dominante é a gametofítica). isto é.• Os musgos são representantes do grupo das briófitas e como tal são desprovidos de vasos de condução e tecidos. Briófitas . São plantas criptógamas. Geralmente atingem poucos centímetros de altura justamente por não possuírem vasos de condução de seiva. Preferem viver em lugares úmidos (são dependentes da água para a reprodução. que possui o órgão reprodutor escondido.

caule e folhas.Pteridófitas • As pteridófitas são um grupo de vegetais vasculares sem sementes. com o cormo(sm (gr kormós) 1 Bot Expansão bulbiforme subterrânea do caule de certas plantas. que produz folhas membranosas ou escamosas e gomos na superfície superior.) composto por raiz. e raízes comumente na inferior. Incluem as samambaias e cavalinhas. tais como gladíolo e açafrão. Age como uma estrutura vegetativa reprodutora. . entre outras.

Gimnospermas • As gimnospérmicas ou gimnospermas (do grego gimnos = nu / sperma = semente) são plantas vasculares com frutos não carnosos (frutos sem polpa) e cujas sementes não se encerram num fruto. .

Angiospermas • As Angiospermas ou angiospérmicas (do grego: angos "urna" e sperma (ςπέρμα) "semente") são plantas espermatófitas cujas sementes são protegidas por uma estrutura denominada fruto. .

• • • • • • • Dicotiledônea Raíz axial ou pivotante permitindo assim atingir maiores profundidades Folhas com nervuras geralmente reticuladas Flores tetrâmeras ou pentâmeras (múltiplas de 4 ou 5) Semente com 2 cotilédones Ciclo de vida longo Crescimento secundário Podem apresentar caule lenhoso . • Flores trímeras (múltiplas de 3). • Ciclo de vida curto (por causa da raiz pequena). • Sementes com 1 cotilédone. • Crescimento primário.Angiospermas Monocotiledônea • Raízes fasciculadas.

Unidade 2 A expressão da biodiversidade .

dando continuidade à sua espécie.Reprodução: conservação de padrões e diversidade Reprodução. . sem que haja recombinação de material genético. caso em que a reprodução é processada artificialmente. refere-se à função através da qual os seres vivos produzem descendentes. como no ato de plantar plantas por estaca. ainda que possa ocorrer naturalmente. Reprodução assexual (ou "assexuada") é um processo biológico através do qual um organismo produz uma cópia geneticamente igual a si próprio. Um exemplo simples consiste na clonagem. em biologia.Capítulo 4.

Reprodução Sexuada • Nos animais. que se desenvolverá num embrião e. • A reprodução sexual (ou sexuada) implica a combinação de material genético (normalmente o DNA) de dois seres distintos (os progenitores) através da conjugação de duas células haplóides (os gâmetas) por cariogamia. da fêmea. . posteriormente. o macho e a fêmea. ou espermatozóides. ou óvulo. Os gâmetas masculinos. a reprodução envolve geralmente a união de dois seres de sexos diferentes. e são produzidas em órgãos sexuais chamados gónadas. As células sexuais produzidas pelo macho e pela fêmea são designadas por gâmetas. no novo filho. fecundam o gâmeta feminino. dando origem ao ovo.

fornecimento de água e nutrientes e a adaptação da planta às condições do solo. . estacas de raízes de batata-doce e estacas de folhas de violeta africana • Enxertia A enxertia é a união dos tecidos de duas plantas. o qual tem como funções básicas o suporte da planta.Reprodução Assexuada: • Estaquia A estaquia. O garfo. que vai produzir os frutos da variedade desejada e o cavalo ou porta-enxerto é o sistema radicular. Utilizam-se. estacas de caule de roseiras. plantados em um meio úmido. é um método de reprodução assexuada de plantas. por exemplo. geralmente de diferentes espécies. clima e doenças. se desenvolvem em novas plantas. ou "multiplicação por estacas". passando a formar uma planta com duas partes: o enxerto (garfo) e o porta-enxerto (cavalo). raízes ou folhas que. consiste no plantio de pequenas estacas de caule. cana-de-açúcar e mandioca. cavaleiro ou enxerto é a parte de cima.

formam-se as raízes. assim. • Alporquia Este método consiste em estimular o crescimento de raízes em um ramo ou no caule principal de uma planta envolvendo um pedaço de um ramo por terra ou musgo em um pedaço de plástico ou pano umedecido. uma planta independente. Após algum tempo.Reprodução Assexuada • Mergulhia Mergulhia é o tipo de multiplicação vegetativa que consiste em dobrar um ramo da planta-mãe até enterrá-lo no solo. e o ramo pode ser destacado para ser plantado . A parte enterrada irá ganhar raízes e quando está enraizada pode separar-se da plantamãe. obtendo-se.

• Em animais • Células tronco na cura de muitas doenças • Clonagem animal • Produção de tecidos específicos .Cultura de tecidos: • Em Plantas . em condições assépticas. de células. 2.Cultura de tecidos: Refere-se às técnicas de cultura em meio nutritivo. sob condições controladas de luminosidade e temperatura. tecidos ou órgãos de plantas. Clonagem: Propagação assexuada de células ou organismos de modo a manter o genótipo idêntico àquele do ancestral comum.

.Clonagem terapêutica • A Clonagem Terapêutica é um procedimento cujos estágios iniciais são idênticos à clonagem para fins reprodutivos mas que difere no fato da blástula (segundo estado de desenvolvimento do embrião) não ser introduzida no útero: esta é utilizada em laboratório para a produção de células estaminais a fim de produzir tecidos ou órgãos para transplante.

se interrompe a sua reprodução ou inibe seu metabolismo . permitindo ao sistema imunológico combatê-los com maior eficácia. na maioria das vezes. embora possa ser utilizado em sentido mais amplo (contra fungos. bactérias. quando tem efeito letal sobre a bactéria ou bacteriostático. fungos. • O termo antibiótico tem sido utilizado de modo mais restrito para indicar substâncias que atingem bactérias. • A resposta do hospedeiro é a inflamação. • Ele pode ser bactericida. são seres microscópicos tais como vírus. parasitas (muitos macroscópicos). • Antibiótico é nome genérico dado a uma substância que tem capacidade de interagir com micro-organismos unicelulares ou com seres pluricelulares que causam infeções no organismo. matando-os ou inibindo seu metabolismo e/ou sua reprodução. • Os antibióticos interferem com os micro-organismos.Infecções bacterianas: antibioticoterapia • Os agentes infecciosos. por exemplo). virions e príons.

também ocorre outro fenómeno .Reprodução Sexuada(animais) • A reprodução sexuada envolve a fusão de dois gâmetas (masculino e feminino). • Depois que estes processos ocorrerem. forma-se o ovo ou zigoto que. por mitoses sucessivas. Quando se dá a fecundação. processo que se denomina por fecundação. vai originar um novo indivíduo. .a cariogamia que consiste na fusão dos núcleos dos dois gâmetas. • Os gâmetas são células haplóides que se formam nas gónadas por meiose.

Fecundação • Externa • Interna .

Capítulo 5. sendo maior nas regiões tropicais do que nos climas temperados. espécies. populações e genes em uma área definida. Ela pode ser entendida como uma associação de vários componentes hierárquicos: ecossistema. A biodiversidade varia com as diferentes regiões ecológicas. . comunidade.Biodiversidade: a diversidade da vida • Pode ser definida como a variedade e a variabilidade existente entre os organismos vivos e as complexidades ecológicas nas quais elas ocorrem.

• Depende da abundância de água . • Ela inclui. • A espécie humana depende da biodiversidade para a sua sobrevivência. ou biológicos. assim. e dos recursos genéticos. e seus componentes.:"medida da diversidade relativa entre organismos presentes em diferentes ecossistemas".A importância da biodiversidade • Def. a totalidade dos recursos vivos.

apresentando uma diversidade compatível com as características daquele ambiente. o ecossistema apresenta um equilíbrio com o meio. de determinado ecossistema. As primeiras plantas que se estabelecem (líquens. desde a colonização até a comunidade clímax. gramíneas) são denominadas pioneiras. Nesta fase.Sucessão Ecológica • Sucessão ecológica é o nome dado à sequência de comunidades. Estas comunidades vão sofrendo mudanças ordenadas e graduais. e vão gradualmente sendo substituídas por outras espécies de porte médio (arbustos). até que as condições ambientais chegam uma comunidade clímax (árvores grandes). .

então esta espécie é considerada uma espécie exótica para aquele local. • Em geral o endemismo é resultado da separação de espécies. endêmicas e exóticas • Espécie nativa ou silvestre é a que ocorre de forma natural em um determinado ecossistema ou região. dando origem a espécies com formas diferentes de evolução(só existe em determinado lugar). Quando uma espécie não ocorre de forma natural.Espécies nativas. isto é. que passam a se reproduzir em regiões diferentes. . quando ela foi introduzida pelo homem em um determinado local.

por parte da indústria madeireira. • A destruição de habitat é um processo de mudança no uso da terra. as plantas e animais que utilizavam o local.Desflorestamento e fragmentação de hábitat • Desflorestação. . são deslocalizados ou destruídos. Geralmente isto resulta na alteração ou redução da biodiversidade. desflorestamento ou desmatamento é o processo de desaparecimento de massas florestais. principalmente devido à destruição de florestas para a obtenção de solo para cultivos agrícolas ou para extração de madeira. No processo da mudança. fundamentalmente causada pela atividade humana. A desflorestação é diretamente causada pela ação do homem sobre a natureza. através do qual um tipo de habitat é removido e substituído por outro.

). etc. proporcionando à fauna o livre trânsito entre as áreas protegidas e. a troca genética entre as espécies. agricultura. clareiras abertas pela atividade madeireira.Corredores ecológicos • Corredor ecológico ou corredor de biodiversidade é o nome dado à faixa de vegetação que liga grandes fragmentos florestais ou unidades de conservação separados pela atividade humana (estradas. conseqüentemente. .

Obrigado!! .

Master your semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Cancel anytime.