P. 1
Forma Conteúdo

Forma Conteúdo

4.67

|Views: 3.745|Likes:
Publicado porpedro albuquerque
Actualização dos anteriores datashows CONSTRUÇÃO DO DESIGNER 1 E 2.
Respectivos textos de desenvolvimento no blog http://albuquerqueblegg.blogspot.com/
Actualização dos anteriores datashows CONSTRUÇÃO DO DESIGNER 1 E 2.
Respectivos textos de desenvolvimento no blog http://albuquerqueblegg.blogspot.com/

More info:

Published by: pedro albuquerque on Nov 28, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/01/2013

pdf

text

original

Forma e Conteúdo na Criatividade

Pedro Albuquerque

forma
Corresponde à composição figurativa do objecto de projecto, seja ele estático, bidimensional, tridimensional, animado ou interactivo. Depende da capacidade em configurar as manchas, os volumes, a textura e a cor com o objectivo de hierarquizar, simplificar e harmonizar os conteúdos de uma peça ou narrativa visual. Este nível tem como base científica a Psicologia da Gestalt.

conteúdo
Corresponde ao significado do objecto de projecto, seja ele uma peça de comunicação, uma logo-marca, uma embalagem, um produto ou um espaço. Depende da capacidade em perceber os símbolos que a sociedade gera, em estabelecer associações de ideias e em gerir conotações de modo a adoptar a linguagem mais eficaz para um determinado perfil de destinatário. Este nível tem como base científica a Semiótica.

forma conteúdo

Os benefícios da actividade criativa dependem do domínio sobre estas duas vertentes.

forma No início do século XX, um grupo de psicólogos alemães e austríacos deram origem a uma nova teoria sobre o modo como percepcionamos as formas: a Gestalt.

Gestalt

Segundo a Teoria da Gestalt, os mecanismos da percepção humana tendem a estabelecer padrões formais de reconhecimento numa tentativa sistemática de organizar o caos.

Gestalt

Partindo sempre da análise ao comportamento natural do cérebro, a Gestalt conclui que a percepção sobre uma organização formal corresponde a uma leitura de todas as suas partes em simultâneo como um todo, e não, à leitura separada das suas partes para se perceber o todo. Assim, perante aquilo que visualizamos, temos tendência para aglutinar várias figuras numa só, várias realidades numa só, vários conceitos num só.

não

sim

Gestalt

O Designer da Forma tem interiorizado as leis da Gestalt. Estas permitem-lhe projectar em função da natureza da percepção aumentando significativamente a facilidade e o tempo de compreensão dos seus conceitos.
ALFA ROMEO AUDI BMW CADILLAC CHEVROLET CHRYSLER CITROEN CORVETTE DAEWOO DAIHATSU FERRARI FIAT FORD HONDA HYUNDAI JAGUAR LAMBORGHINI LANCIA LEXUS LOTUS MAZDA MERCEDES MINI MITSUBISHI MORGAN NISSAN OPEL PEUGEOT PORSCHE RENAULT ROLLS ROYCE ROVER SAAB SEAT SKODA SMART SUBARU SUZUKI TOYOTA VOLKSWAGEN VOLVO

Leis da Gestalt

Semelhança Proximidade Alinhamento Síntese Clausura Experiência

Leis da Gestalt

Elementos semelhantes tendem a ser percebidos como um grupo ou totalidade. A semelhança pode depender das relações entre forma, cor, textura, dimensão ou brilho.

Semelhança

Leis da Gestalt

Semelhança

Leis da Gestalt

Semelhança

Leis da Gestalt

Semelhança

Leis da Gestalt

Semelhança

Leis da Gestalt

Elementos mais próximos no espaço, ou no tempo (animação), tendem a ser percebidos com um todo.

Proximidade

Leis da Gestalt

Proximidade

Leis da Gestalt

Proximidade

Leis da Gestalt

Proximidade

Leis da Gestalt

Proximidade

Leis da Gestalt

Elementos cuja disposição é ordenada por uma linha acabam por estabelecer uma relação entre si.

Alinhamento

Leis da Gestalt

Alinhamento

Leis da Gestalt

Alinhamento

Leis da Gestalt

É o princípio da simplificação natural da percepção. Todos os elementos tendem a ser percebidos pelas suas formas mais simples no sentido da geometrização básica absoluta; rectas, círculos, quadrados, triângulos, esferas, cubos, cones.

Síntese

Leis da Gestalt

Síntese

Leis da Gestalt

Síntese

Leis da Gestalt

Síntese

Caso do Plano

do Metro de Londres revolucionado por Harry Beck

Leis da Gestalt

Síntese

1889

Leis da Gestalt

Síntese

1905

Leis da Gestalt

Síntese

1914

Leis da Gestalt

Síntese

1919

Leis da Gestalt

Síntese

1920

Leis da Gestalt

Síntese

1932

Leis da Gestalt

Síntese

1933
Plano de Harry Beck

Leis da Gestalt

Síntese

2002

Leis da Gestalt

Quando um conjunto de elementos configurados de determinada forma induzem numa figura que não está integralmente registada. O subentendimento resulta da extensão lógica da percepção que preenche os espaços que vazios que faltam para completar a figura.

Clausura

Leis da Gestalt

Clausura

Leis da Gestalt

Clausura

Leis da Gestalt

A compreensão de várias formas só é possível se tivermos consciência da sua existência. Do mesmo modo, a experiência adquirida favorece a compreensão metonímica: se já tivermos interiorizado a forma inteira de um objecto, podemos identificá-lo visualizando apenas uma parte dele.

Experiência

Leis da Gestalt

Experiência

Leis da Gestalt

Experiência

Leis da Gestalt

Experiência

O domínio da forma organização clara e eficiente da informação ser atractiva e agradável ao olhar

conteúdo
Corresponde ao significado do objecto de projecto, seja ele uma peça de comunicação, uma logo-marca, uma embalagem, um produto ou um espaço. Depende da capacidade do designer em perceber os símbolos que a sociedade gera, em estabelecer associações de ideias e em gerir conotações de modo a adoptar a linguagem mais eficaz para um determinado perfil de destinatário. Este nível tem como base científica a Semiótica.

Semiótica

Um dos seus principais percursores foi Ferdinand de Saussure (1857-1913). Para ele, os signos (pertencentes ao mundo da representação) são compostos por significante - a parte física do signo e pelo significado, a parte mental, o conceito.

língua / fala
Seguindo uma das suas leis fundamentais, obtemos uma estrutura que ainda hoje se reflecte, consciente ou inconscientemente, no nosso exercício de concepção projectual: língua e fala

língua
Língua é um conjunto elementos e regras definidas e constantes que nos permitem produzir uma narrativa e que constitui um sistema social comum.

fala
A fala por seu lado, corresponde à produção de frases e de uma narrativa. Ao contrário da língua, é individual, múltipla e imprevisível, depende de como cada um de nós se exprime num determinado, contexto, tempo e estado de espírito.

...mãe, pão, casa, lápis, avião, flor, azul, de, fotografia, paz, amor, faço, haver, sempre, não, sim, efectivamente, infra-estrutura...
+ regras gramaticais

língua

fala

língua

fala

língua

fala

potenciar a criatividade
Em relação ao primeiro campo, o da língua, para obtermos um imaginário rico e um léxico visual amplo dependemos de: 1 recurso a linguagens artísticas 2 influência da ciência 3 percepção dos contextos sociais

criatividade redefinida
A criatividade do designer da semântica é uma dialéctica entre estes dois campos: língua; o léxico visual infinitamente diversificado pré-adquirido ao longo da sua vida ou, como resultado de uma pesquisa específica. Um bem comum a todos. fala; usando o léxico seleccionado no campo anterior para conceber infinitas soluções. Um bem individual.

A criatividade é, afinal, um processo a dois tempos.

potenciar a criatividade - fala implica:

uso da emoção

fusão de conceitos

mudar a percepção

potenciar a criatividade - fala

uso da emoção

Em relação ao segundo campo da criatividade, dependemos essencialmente das emoções, ou seja, de todos os impulsos intuitivos, instintivos e empíricos que possam valorizar a nossa narrativa conceptual. A emoção, é catalisadora do acto criativo. Na Semiótica, a comunicação pressupõe um ciclo: • emissão do emissor > recepção do destinatário

Não há comunicação sem este ciclo se completar e neste processo, a emoção desempenha um papel fundamental.

* reacção do destinatário

potenciar a criatividade - fala

fusão de conceitos

Detectamos com facilidade que uma boa parte das boas ideias são o resultado da fusão de dois, ou mais, conceitos que à partida ninguém os imaginava juntos.

potenciar a criatividade - fala

fusão de conceitos

chocolate + fotografia + antiguidades

potenciar a criatividade - fala

fusão de conceitos

(marca cherry street) cereja + semáforo

potenciar a criatividade - fala

fusão de conceitos

vestidos + postes da rua

potenciar a criatividade - língua / fala alguns projectos seleccionados em 2008 pela Graphis e a Design Annual

potenciar a criatividade - língua / fala alguns projectos seleccionados em 2008 pela Graphis e a Design Annual

potenciar a criatividade - língua / fala alguns projectos seleccionados em 2008 pela Graphis e a Design Annual

potenciar a criatividade - língua / fala alguns projectos seleccionados em 2008 pela Graphis e a Design Annual

potenciar a criatividade - língua / fala alguns projectos seleccionados em 2008 pela Graphis e a Design Annual

potenciar a criatividade - fala

fusão de conceitos

tinta spray + perfume

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção no seu livro “Iconoclast” Gregory Berns - neurocientista que revela "como pensar diferente" "A pessoa que faz algo que os outros dizem ser impossível de fazer" como? mudando a percepção

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

recentemente a neurociência descobriu que a percepção e a imaginação estão directamente relacionadas porque usam os mesmos circuitos neurais para ambas as funções.

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

descobriu também que a actividade dos neurónios tende a ser preguiçosa se a nossa percepção, perante tudo o que nos rodeia, se tornar repetitiva e rotineira.

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre os mesmos percursos

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre as mesmas caras

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre os mesmos locais

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre os mesmos rituais

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre as mesmas notícias

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre os mesmos percursos

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre as mesmas caras

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre os mesmos locais

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre os mesmos rituais

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre as mesmas notícias

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre os mesmos percursos

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre as mesmas caras

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre os mesmos locais

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre os mesmos rituais

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

sempre as mesmas notícias

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

conclusão: se mudarmos a percepção estimulamos a imaginação, ou seja, ficamos mais criativos.

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

o cinema ajuda

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

certas pessoas ajudam

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

as viagens ajudam

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

a mudança de ambiente ajuda

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

as artes plásticas ajudam

potenciar a criatividade - fala

mudar a percepção

a fotografia ajuda

obrigado!

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->