Evolução histórica da organização do sistema de saúde no Brasil e a construção do Sistema Único de Saúde - seusprincípios, suas diretrizes e seu arcabouço

legal.Desde o século passado o sistema de saúde vem sofrendo mudanças que são acompanhadas de transformaçõeseconômicas, socioculturais e políticas;Uma trajetória histórica pode ser aponada por 4 principais tendências:1. SANITARISMO CAMPANHISTA - as campanhas sanitárias era sua principal estratégia (início do século XX até 19452. PERÍODO DE 1945-1960 – período de transição3. MODELO MÉDICO-ASSISTENCIAL PRIVATISTA (hegemônico dos anos 1960 até meados dos anos 1980)4. MODELO PLURAL (vigente) inclui como sistema público o Sistema Único de Sáude-SUSI. SANITARISMO CAMPANHISTA Início do século XX até 1920(modelo de inspiração militar que consistia no estilo Tempo da chamada primeira república (economia: agricultura controlar as doenças que prejudicassem as exportações (peste, Diretoria Geral de Saúde Pública (M Justiça e Negócios modelo das campanhas sanitárias destinados a combater endemias urbanas -estudou emParis (Instituto Pasteur), investigou um surto de peste bubônica em Santos-SP - vacinação anti-variólica gerouprotestos pitalar pública: caráter de assistência social (hanseníase e tuberculose)II. De 1920 a 1945sanitarismo campanhista continua como principal característica da política de saúde;atividades: campanha contra a tuberculose (1936), combate às endemias; criação em 1942 do SESP (ServiçoEspecial de Saúde Pública);surgem os primeiros embriões do modelo médico-assistencial;surge a assistência previdenciária (Lei Elói Chaves /1923) criava uma caixa de aposentadoria (CAP) para osrespectivos empregados estrada de ferro;? 1926 - amplia para portuários e marítimoscaracterísticas das CAPs: concessão de benefícios pecuniários (aposentadorias e pensões) e prestação de serviços(assistência médica e

farmacêutica);profundas mudanças a partir de 1930: GV no poder (ditadura/interventor sobre a sociedade); queda da bolsa deNY; longa crise do café (desvalorização do produto); trabalhadores assalariados (transporte e indústria); criação doMinistério do Trabalho;1933: nasce a estrutura de Previdência Social IAPs (por categoria de trabalhadores) estrutura da sociedade civilp/ interior do aparelho de Estado;implantação do regime de capitalização: da contribuição previdenciária, rigidez p/ concessão de benefícios e ¯dos valores concedidos : vultosos recursos sob o controle do Estado;1930: criação do Min da Educação e Saúde (coordena ações de saúde de caráter coletivo)

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDESISTEMA ÚNICO DE SAÚDESISTEMA ÚNICO DE SAÚDESISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

1.Evolução histórica da organização do sistema de saúde no Brasil e a construção do Sistema Único deSaúde - seus princípios, suas diretrizes e seu arcabouço legal.

2. As normas operacionais do SUS.

3. A questão do controle social.

4. O paradigma da promoção da saúde.

5. A estratégia de saúde da família - sua evolução, seus princípios e sua aplicação.

6. Sistemas de Informação em Saúde (SIA, SIH, SIAB, SIM. SINASC, SINAN, SIPNI, SISPRE-NATAL,HIPERDIA, SISCAM). 7. O pacto pela Saúde.
• •

8. O SUS/DF - estrutura, organização

e funcionamento.

Evolução histórica da organização do sistema de saúde no Brasil e a construção do Sistema Único de Saúde - seusprincípios, suas diretrizes e seu arcabouço legal.Desde o século passado o sistema de saúde vem sofrendo mudanças que são acompanhadas de transformaçõeseconômicas, socioculturais e políticas;Uma trajetória histórica pode ser
aponada por 4 principais tendências:1. SANITARISMO CAMPANHISTA - as campanhas sanitárias era sua principal estratégia (início do século XX até 19452. PERÍODO DE 19451960 – período de transição3.

(hegemônico dos anos 1960 até meados dos anos 1980)4. MODELO PLURAL
MODELO MÉDICO-ASSISTENCIAL PRIVATISTA

(vigente) inclui como sistema público o Sistema Único de Sáude-SUSI. SANITARISMO CAMPANHISTA Início do século XX até 1920(modelo de inspiração militar que consistia no estilo repressivo de intervenção médica;

tinha u

? 1926 .vacinação anti-variólica gerouprotestos hospitalar pública: caráter de assistência social (hanseníase e tuberculose)II.surge a assistência previdenciária (Lei Elói Chaves /1923) criava uma caixa de aposentadoria (CAP) para osrespectivos empregados estrada de ferro. combate às endemias. De 1945 a 1966pós-guerra: o desemprego e agram-se as condições sociais do Brasil.atividades: campanha contra a tuberculose (1936).corresponde das campanhas sanitárias destinados a combater endemias urbanas -estudou emParis (Instituto Pasteur).primeira república (economia: agricultura espaços (portos) e controlar as doenças que prejudicassem as exportações (peste. investigou um surto de peste bubônica em Santos-SP . queda da bolsa deNY. dos gastos estatais naárea da saúde.profundas mudanças a partir de 1930: GV no poder (ditadura/interventor sobre a sociedade).1933: nasce a estrutura de Previdência Social IAPs (por categoria de trabalhadores) estrutura da sociedade civilp/ interior do aparelho de Estado.Europa: desenvolveram-se concepções do Estado do Bem-Estar Social ou Welfare State.amplia para portuários e marítimoscaracterísticas das CAPs: concessão de benefícios pecuniários (aposentadorias e pensões) e prestação de serviços(assistência médica e farmacêutica).surgem os primeiros embriões do modelo médico-assistencial.formulação de .1930: criação do Min da Educação e Saúde (coordena ações de saúde de caráter coletivo) III. trabalhadores assalariados (transporte e indústria). criação doMinistério do Trabalho. criação em 1942 do SESP (ServiçoEspecial de Saúde Pública). De 1920 a 1945sanitarismo campanhista continua como principal característica da política de saúde. rigidez p/ concessão de benefícios e ¯dos valores concedidos : vultosos recursos sob o controle do Estado. longa crise do café (desvalorização do produto).implantação do regime de capitalização: da contribuição previdenciária. cólera dirigido pela Diretoria Geral de Saúde Pública (M Justiça e Negócios Interiores).

Persistia a DICOTOMIA entre saúde pública e a atenção médica individual.Modelo Médico-Assistencial Privatista [1960 a 1980]? Início da década de 1960: marcado por insatisfações populares (sociedade industrializada e urbanizada) população clamava por mudanças estruturais. cabendo a estes apenas o papel de financiadores.? .? 1964: impasse: necessidades políticas de atendimento das pediam demandas pelos trabalhadores e a impossibilidade domodelo de contemplá-las.um modelo alternativo de seguridade social.Lei Orgânica da Previdência Social (LOPS): uniformizar os benefícios aos segurados.deficitário a partirde 1960.Assistência preventiva à saúde: práticas de campanhas serviços de combate às endemias.? Estado intervém nos Institutos (racionalidade financeira) unificação: INPS (1967): os trabalhadores sãoexcluídos da gestão da previdência.? área da saúde: reformas de base.crise no sistema previdenciário . golpe militar de 1964. influência na direção grupos:indústria farmacêutica . equipamentos médicodaprevidência de 3 hospitalares e os proprietários de hospitais.1953: Criado o Ministério da Saúde (mesma estrutura do Departamento Nacional de Saúde).aumento dos benefícios não foi acompanhado de da receita .importância da Previdência Social (instrumento político eleitoral)final dos anos 50: assistência médica previdenciária: passa a consumir mais recursos (industrialização do país) provoca acelerada urbanização e assalariamento de parcelas da população.

? “o sanitarismo campanhista. ..Conseqüências do processo de urbanização e industrialização: mudança no quadro nosológico: das doençaspestilenciais . deveria sersubstituído uma por um outro modelo [. crescimento do complexo médico-industrial ehospitalar (contratação de terceiros).].. doenças de massa assume importância .avanço da assistência médica individual (eficácia nodiagnóstico e terapêutica . por não responder às necessidades de economia industrializada.

construído concomitante mente ao crescimento e a mudança qualitativa daPrevidênci .

1993). (Mendes.? Principais característica s desse .a social Brasileira”.

individual.modelo: privilegiame nto da prática médica curativa. assistencialis .

criação de .ta eespecializad a. em detrimento da saúde pública.

Estado é a base do tripé (grande .um complexo médicoindust rial privado (p/ o lucro).

Es tado: financiador e .financiador do sistema e prestador de serviços à população.

prestador de serviços à população Setor privado nacional: prestador de serviços .

deassistência médicaSetor privado internacional : produtor de insumos (equipament .

De 1968 a 1980? Período da ditadura .os biomédicos e medicamento s).

militar (atos institucionais e decretos presidenciais ) alteram a Constituição e os direitos .

decidadania. informação.? Ampliação da . organização social e política.

crise .seguridade social e assistência médica a novas categorias sociais.

c rise no país? Medidas políticas e administrativ .econômica na Previdência.

as (1974): criação do MPAS (INPS. INAMPS. LBA. . FUNABEM.

IAPAS e o CEME.DATAPREV .? M Saúde: execução de medidas e atendimento .

de interesse coletivo (vig sanitária).? M Previdência: voltado ao atendimento .

médicoassistencial individualiza do.? Reforço da dicotomia nas áreas preventiva e .

curativa do sistema de saúde brasileiro.? Final da década de 1970: fim do .

crise generalizada (perda de poder .“milagre econômico”.

aquisitivo dos salários. intenso êxodo rural.? Insatisfação de setores da sociedade: .

greves).IDÉI AS QUE MARACAR AM O MOVIMEN . jornais.(guerrilhas.

TO SANITÁRIO :? Na área da Saúde: busca de reformas nas políticas de saúde: .

formulação de umpensamen to crítico na política de .REFORMA SANITÁRIA .

saúde.SURG EM NOS DEPARTA MENTOS DE MEDICINA PREVENTI .

VA DAS UNIVERSID ADES BRASILEIR AS -idéias sobre a ¯ MEDICINA .

COMUNITÁ RIA e o conceito de ¯ ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE (APS) .

AlmaAta/O MS? PIASS: Programa de Interiorizaçã o das Ações de Saneamento .

do Nordeste: implantar uma estrutura básica desaúde pública com pessoal de .

nível auxiliar com ênfase na detecção de doenças transmissívei s.? PREPS: Programa de .

Preparação Estratégica de Pessoal de Saúde: visava formar grande .

número de pessoal denível médio e elementar e apoiar o desenvolvim .

? A experiência de introduzir o município como um novo ator no .ento de RH nas SES.

Campinas e Niteróiforam os primeiros no Brasil a .sistema de saúde Londrina.

.aplicar os princípios da Atenção Básica à Saúde e da medicina comunitária.

De 1980 a 1990? Enfraquecim ento e queda da ditadura (transição democrática

do país) em 1988 nova e atual Constituição Federal nova política para o

setorsaúde;? Nesse tempo o regime militar (MS MPAS) ainda apresentava alternativas

PREVSAÚDE : Prog Nacional Serviços .para a crise da saúde:1.

Básicos de Saúde2. PACOTE DA PREVIDÊN CIA: estabelece .

3.aumento da contribuição previdenciári a. CONASP: Plano de Reorientação .

da Assistência à saúde no âmbito da Previdência Social desdobramen .

AIS : Ações Integradas de Saúde buscava a .to:Ações Integradas de Saúde4.

.reorganizaçã o institucional da assistência à saúde princípios:un iversalidade.

integralidade e equidade daatenção. regionalizaçã oe hierarquizaçã o dos .

serviços. Prática: receber recursos federais Previdência pelosserviços .

prestados: marco indiscutível e de amplitude. SUDS: Sistema .5.

Unificado e Descentraliza do de Saúde (1987): contribuir para a consolidação .

e desenvolvim entoqualitati vo das AIS (criação doSUDS nos estados) .

reformulação do Sistema Nacional de Saúde conseqüência s : cc de poder e .

desmonte doINAMPS no país: Nova República8ª CONFERÊN CIA .

NACIONAL DE SAÚDE (1986) discutir uma nova proposta de estrutura e de .

política desaúde nacional foi aprovado o relatório que constituiu o Projeto da .

Reforma Sanitária Brasileira Þ processo para amobilização do Movimento .

Sanitário Nacional (sensibilizar constituintes a aprovarem os princípios da .

ReformaSani tária) foi aprovado na Constituição boa parte das conclusões da 8ª .

CNS:“saúde é um direito de todos dever do Estado” e criação do Sistema .

Único de Saúde? COMISSÃO NACIONAL DA REFORMA SANITÁRIA .

: definiu os princípios finalísticos da Reforma:a) Participação: inclusão .

representativ a da população e trabalhadores de saúde no controle e decisão dos .

serviçosb) Equidade: diminuir as desigualdade sc) Descentraliza ção: .

multiplicação dos centros de poder (municipaliz ação)d) Integralidade : superação .

da dicotomia serviços preventivos versus curativo e além da assistência .

individuale) Universaliza ção: igualdade de acesso aos serviços Constituição .

de 1988: Título VII (Ordem Social) Capítulo II.o da Seguridade .

da Previdência Social e da Assistência .Social: Disposições Gerais. da Saúde.

Capítu lo da Seguridade Social: (artigos 196 a 200)? Artigo 196: .Social.

garante o acesso universal e .saúde como direito de todos e dever do Estado.

proteção e recuperação. .igualitário às ações eserviços para sua promoção.

? Artigo 197: define as ações e serviços de saúde como sendo de relevância .

pública? Artigo 198: constitui o Sistema Único de Saúde (SUS) através da .

rede regionalizada e hierarquizada de ações e serviços públicos .

Descentraliza ção: com direção única em cada .desaúde segundo diretrizes:1.

Participação .esfera do governo. Atendimento integral: preventivo/as sistencial3.2.

da comunidade? Artigo 199: mantém a assistência à saúde livre à iniciativa .

privada? Artigo 200: dispõe sobre as competências do Sistema Único de .

Saúde.De 1990 a 2001? Processo de elaboração e aprovação da legislação infraconstitu .

cional denominada: Leis Orgânicas da Saúde (Leinº 8.080 e 8.142)? Leis .

gestão. competências e atribuições de cada esfera de .8080 (direção.

diretrizes .governo) e 8142 (participação dacomunidad e):detalham princípios.

gerais e condições para a organização e funcionamen to do sistema .

MS: no âmbito da União2.SUS É exercidapelo s seguintes órgãos:1. SES: .

âmbito dos estados ou DF3. SMS: nos municípiosFI NANCIAME NTO DO .

33 da Lei 8080:Serão oriundos do orçamento da Seguridade .SUS: ART.

COMPETE AO SUS: prestarassistê .Social e de outros orçamentos da União.

proteção e recuperação .ncia às pessoas porintermédi o de ações de promoção.

epidemiológi ca.da saúde. Inclui ações de vig sanitária.saúde do trabalhador e .

terapêu tica integral.assist. inclusive farmacêutica Proposta uma emenda constituciona .

.l que fixasse os percentuais de destinação dos orçamentos da União.

estados emunicípios para a áreada saúde (desde 1996 vinha sendo discutida).Ap .

rovada no ano 2000: Proposta de Emenda Constitucion al nº 29 (PEC 29), com as

seguintes determinaçõe s:? a União terá que agregar “5%” a mais ao orçamento da

saúde;? os estados teriam que gastar, no mínimo, 7% dos seus orçamentos

com saúde. O % deve chegar a 12%.?os municípios comprometer iam 7% de .

suas contas (chegando a 15%).COND IÇÕES PARA O RECEBIME NTO DE .

FUNDO DE SAÚDE: conta especial p/ depósito e movimento .RECURSOS 1.

dos recursos financeiros do SUS fiscalizado peloconselho de saúde.2. CONSELHO .

de caráter permanente e deliberativo.DE SAÚDE: órgão colegiado. composto por .

profissionais de saúde e usuários. prestadoresd e serviços.representante sdo governo.? .

atua na formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde .

(aspectos econômicos efinanceiros) ? tem finalidade de exercer o controle .

PLANO DE SAÚDE: base das .social sobre a gestão e implementaç ão do SUS3.

programaçõe s e atividades que serão desenvolvida s por cada nível de direção .

RELATÓRI OS DE GESTÃO: acompanham ento da execução do .doSUS.4.

plano e aplicação dos recursos.5. CONTRAPA RTIDA DE RECURSOS para saúde .

no respectivo orçamentoN ORMA OPERACIO NAL BÁSICA NOB Nº .

01/91:Regula mentar o processo de descentraliza ção proposto pelo SUSDescarat .

erizava os princípios do SUS SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Baixar este documento gratuitamenteImprimirCelularColeçõesDenunciar documento Informações e classificação sus Seguir lucianajmo Compa .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful