Você está na página 1de 3

Sabe porque festejamos o Natal?

Conhece os principais
símbolos desta festa? Descubra aqui algumas interessantes
curiosidades natalícias.

As celebrações do mês de Dezembro remontam há muitos séculos. No


Norte da Europa, Odin, o maior dos deuses vikings, e outros deuses
eram festejados. Saturno era o deus evocado pelos Romanos, nesta
altura, enquanto que no Egipto e na Pérsia se celebravam os deuses
da abundância.

Apesar de o Natal de hoje ser motivado pela celebração cristã do


nascimento de Jesus Cristo, acontecimento que marca igualmente o
início da era cristã ou era comum, há já muito tempo que a influência
desta festa extravasou a esfera religiosa. Hoje, o Natal é tido como
uma festa da família que evoca emoções e sentimentos positivos,
como a paz, o amor e a prosperidade.

Árvore de Natal

É um dos mais conhecidos


símbolos do Natal.
Normalmente é usado um
pinheiro para construir a
árvore de Natal. Mais ou
menos enfeitada e colorida,
sóbria ou divertida, elegante
ou tradicional e até mesmo
pintada ou desenhada, a
árvore de Natal está em todo
o lado. Já agora, nunca é
demais lembrar a necessidade
de proteger a floresta: para
ter a sua árvore de Natal,
existem muitas alternativas
ao corte de árvores.

Na Índia, as bananeiras e as
mangueiras é que são
enfeitadas e, em algumas
casas, usam-se as suas folhas
para fazer decorações
natalícias.

A versão mais aceite é a de que quem “inventou” a Árvore de Natal


foi Martinho Lutero, o também responsável pela Reforma Protestante
do Século XVI.
Pai Natal

O Pai Natal, inspirado em S. Nicolau (Bispo de Myra - actualmente o


sudoeste da Turquia - nascido em 280 d. C.) é o simpático responsável
pelas prendas no sapatinho, ou na meia, ou debaixo da árvore de
Natal, embora em Portugal,
exista quem prefira atribuir tão
boa tarefa ao Menino Jesus.

Em França, cada região adaptou


a lenda de S. Nicolau à sua
maneira e deu-lhe um nome
diferente

Chalande, na Savoie;
Père janvier, na Bourgogne e em
Nivernais;
Olentzaro, no País Basco;
Barbassionné, na Normandia.

Para os americanos, S. Nicolau é


Sinter Klaas mais conhecido por
Santa Claus e na Alemanha
chama-se Santa Klaus.

Já os nossos vizinhos espanhóis, distribuem presentes por altura da


Festa dos Reis, uma semana depois do Natal, recordando o ouro, o
incenso e a mirra que os Magos ofereceram a Jesus.

Presépio
Por excelência, o
símbolo cristão do
Natal. Maria, José e o
Menino são os
protagonistas
principais, mas há
quem se esmere e
construa presépios,
mais ou menos
tradicionais, com
centenas de figuras: pastores, animais, os Reis Magos, anjos e muitas
outras.