P. 1
apostila_brigada

apostila_brigada

|Views: 962|Likes:
Publicado porGiselda Delmondes

More info:

Published by: Giselda Delmondes on Mar 14, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/04/2013

pdf

text

original

Há milhares de anos, ao bater uma pedra contra outra, gerava uma faísca que, junto a gravetos, iniciava
uma fogueira. O homem controlava a ignição e o domínio do fogo permitiu um grande avanço no
conhecimento: cozimento dos alimentos, fabricação de vasos e potes de cerâmica ou objetos de vidro,
forja do aço, fogos de artifício, geração de energia, etc.. Por outro lado, sempre houve perdas de vidas e
de propriedades devido a incêndios.
Conhecemos a origem do fogo, pois trata se de fenômeno químico onde o fogo é o processo de
combustão caracterizado pela emissão de calor e acompanhado por fumaça, chama ou ambos.
O fogo é um tipo de queima, de oxidação rápida essa oxidação significa uma transformação de um
composto ou material da qual participa o oxigênio. Ela pode ser:

LENTA, como no caso da ferrugem, que é uma queima sem chamas.

RÁPIDA, como na queima de uma folha de papel, onde há chamas e calor.

INSTANTÂNEA, como na explosão de uma dinamite.

Esta reação química que libera luz e calor é chamada de COMBUSTÃO.

Portanto, a combustão é a reação química auto sustentada entre o oxigênio do ar e um combustível,
processada em alta velocidade, que resulta na produção de energia na forma de luz e calor.
A combustão pode ser representada pelo tetraedro do fogo, exposto a seguir:

COMBUSTÍVEL

É o elemento que alimenta o fogo e facilita a sua propagação e, compreende todos os materiais
sólidos, líquidos e gasosos.

LÍQUIDOS: gasolina, álcool, éter, acetona, etc..

SÓLIDOS: madeira, papel, papelão, plásticos, tecidos, etc..

GASOSOS: butano, metano, propano, etc..

A maioria dos materiais de origem orgânica devem sofrer transformações para a forma de vapores
ou gases antes de ocorrer a combustão.

O combustível também é chamado de agente redutor.

COMBURENTE

Trata-se do oxigênio (O2) presente na atmosfera, na proporção de 21% ao nível do mar, sendo o
restante constituído por 78% de nitrogênio e 1% de outros gases, ele possibilita vida ás chamas e
intensifica a combustão.
Existem substancias que possui na sua estrutura molecular o oxigênio, denominadas de agentes
oxidantes. (ex.alcool).
Existem outras substancias que por possuir oxigênio em quantidades suficiente nas estruturas
molecular, não precisar do oxigênio para queimar, pode manter combustão em ambiente onde não
existe oxigênio em proporções adequadas, pois a partir da oxidação da celulose (madeira) existe
na molécula de celulose é suficiente para oxidar a madeira tornando-a carvão, pois já sofreu pré-
queima ou um combustível pré-oxidado.

CALOR

É o elemento que dá início ao fogo, que o mantém e amplia a sua propagação tornando-se um
incêndio.
Ele eleva a temperatura de um combustível até um ponto no qual uma quantidade suficiente de
vapores seja obtida para ocorrer à combustão ou a ignição a fim de iniciar o fogo.
O calor pode ter varias fontes de ignição, tais como:
Elétrica: é o calor gerado através da resistência, arco voltaico, eletricidade estática e descarga
atmosférica;
Química: a energia se produz através de uma reação química do tipo exotérmica dada por
diluição, decomposição, etc;
Mecânica: quando a energia é obtida de um fenômeno físico de caráter mecânico, tais
compressão, fricção, impacto, atrito.:
Nuclear: quando a energia se produz como consequência de um processo de cisão dos núcleos de
átomos;
Reação Química: o fogo é uma reação química em cadeia, quando o combustível e o oxigênio
atingem condições favoráveis , misturando-se em proporções ideais, na presença de uma fonte de
ignição, acontece uma reação química em cadeia e então, surge o fogo.

2

Podemos então concluir que para que possamos ter fogo, é necessário que tenhamos os três
elementos - COMBUSTÍVEL, CALOR E COMBURENTE – na proporção exata para a queima e
se retirarmos qualquer um deles não haverá a combustão.

PONTO DE FULGOR

É a temperatura mínima necessária para que um combustível comece a desprender vapores ou
gases inflamáveis que, combinados com o oxigênio do ar e em contato com uma chama
comecem a queimar.
O principal aspecto deste ponto é que se retiramos a chama, o fogo se apagará devido a pouca
quantidade de calor para produzir gases suficientes para manter a transformação em cadeia, ou
seja, o fogo.

PONTO DE COMBUSTÃO

É a temperatura mínima necessária para que um combustível desprenda vapores ou gases
inflamáveis que combinados com o oxigênio do ar e ao entrarem em contato com uma chama
se inflamem e, mesmo que se retire a chama, o fogo não se apagará, pois a temperatura faz
gerar do combustível, vapores e gases suficientes para manutenção da combustão ou
transformação em cadeia.

PONTO DE IGNIÇÃO

É a temperatura mínima em que os materiais, desprendendo gases ou vapores, entram em
combustão apenas ao contato com o oxigênio do ar, independente de qualquer fonte de calor.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->