Você está na página 1de 30
UERJ
UERJ

Saúde Bucal Coletiva

O que é saúde?

• Completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de enfermidades ou
• Completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de
enfermidades ou doenças;
• Resulta de um equilíbrio entre agentes patológicos e o ser humano;
• Resultante das condições de alimentação, educação, habitação, renda,
meio-ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade, acesso e
posse da terra, e acesso a serviços de saúde.
• As características do agente e do hospedeiro e sua interação estão
diretamente relacionadas e dependem, grandemente, do meio-ambiente
físico, social, econômico, cultural e biológico;
Papel do meio-ambiente
Papel do meio-ambiente
Papel do meio-ambiente Papel importantíssimo na origem das doenças. Serve para fazer a aproximação entre certos

Papel importantíssimo na origem das doenças.

Serve para fazer a aproximação entre certos agentes e o hospedeiro e influenciar suas características e inter-relações.

e influenciar suas características e inter-relações. Físicos, biológicos, fatores mecânicos e químicos Toda
e influenciar suas características e inter-relações. Físicos, biológicos, fatores mecânicos e químicos Toda
Físicos, biológicos,
Físicos,
biológicos,

fatores

mecânicos e

químicos

Toda condição de saúde /doença no ser humano tem

sua origem em outros processos, antes mesmo que o

próprio ser humano seja envolvido.

Saúde Pública

“ciência

e a arte de prevenir a doença, prolongar a

vida e promover a saúde e a eficiência física e mental

mediante esforços organizados da comunidade para

o saneamento do meio, o controle das doenças transmissíveis, a educação dos indivíduos sobre higiene pessoal, a organização dos serviços médicos e de enfermagem para o tratamento preventivo e diagnóstico precoce das enfermidades, o

desenvolvimento de um mecanismo social que

assegure a cada indivíduo um nível de vida

adequado à conservação da saúde, organizando estes benefícios de tal modo que cada cidadão se

encontre em condições de gozar de seu direito

natural à saúde e longevidade.

(WINSLOW apud CHAVES, 1986)

Saúde Pública

Médico / Dentista Indivíduo Sanitarista Comunidade

Atitude

CLÍNICO

SANITARISTA

Exame
Exame
Diagnóstico
Diagnóstico
Inquérito ou Levantamento da situação Análise dos dados obtidos no Inquérito Planejamento do Programa Execução
Inquérito ou Levantamento
da situação
Análise dos dados obtidos
no Inquérito
Planejamento do Programa
Execução do Programa
Financiamento do
Programa
Avaliação
Plano de Tratamento Tratamento em Si Pagamento de Honorários
Plano de Tratamento
Tratamento em Si
Pagamento de Honorários
Avaliação
Avaliação
O que é a Odontologia Social?
O que é a Odontologia Social?
 É uma disciplina de Saúde Pública.
 É uma disciplina de Saúde Pública.

“É o conhecimento sistematizado, totalizante e
“É o conhecimento sistematizado, totalizante e

participativo que investiga, interpreta, propõe soluções,

as executa e as retro-avalia, frente às questões de
as executa e as retro-avalia, frente às questões de
relação dialética de causa-efeito entre os problemas
relação dialética de causa-efeito entre os problemas
odontológicos e os da sociedade.”
odontológicos e os da sociedade.”

(NEVES, 1996)

Áreas de Atuação:
Áreas de Atuação:
 Investigativa
 Investigativa
 Epidemiologia  Pesquisa Qualitativa  Pesquisa Quantitativa
 Epidemiologia
 Pesquisa Qualitativa
 Pesquisa Quantitativa
 Interpretativa
 Interpretativa
 Estatística  Ciências Sociais  Ciências da Odontologia
 Estatística
 Ciências Sociais
 Ciências da Odontologia
Áreas de Atuação:  Proponente de Soluções
Áreas de Atuação:
 Proponente de Soluções
 Planejamento de Serviços e Projetos Sociais  Planejamento de Currículo para Formação de Recursos
 Planejamento de Serviços e Projetos Sociais
 Planejamento de Currículo para Formação
de Recursos Humanos Auxiliares: ACD e THD
 Executora  Formação de Recursos Humanos  Programas de Ação em Dimensões Coletivas 
 Executora
 Formação de Recursos Humanos
 Programas de Ação em Dimensões Coletivas
 Organização e Gerenciamento de Serviços
 Educação e Saúde
Áreas de Atuação:
Áreas de Atuação:
Áreas de Atuação:  Retro-avaliadora  Controle de Qualidade Odontologia de mão dupla; Heurística;

Retro-avaliadora

Áreas de Atuação:  Retro-avaliadora  Controle de Qualidade Odontologia de mão dupla; Heurística;
 Controle de Qualidade
 Controle de Qualidade

Odontologia de mão dupla;

Heurística;

Participativa.

SOCIAL = SOCIUS = COMPANHEIRO

CARACTERIZAÇÃO DOS PROBLEMAS EM ODONTOLOGIA SOCIAL  Constitui causa comum de morbidade ou
CARACTERIZAÇÃO DOS PROBLEMAS
EM ODONTOLOGIA SOCIAL
 Constitui causa comum de morbidade ou
mortalidade;
mortalidade;
 Existem métodos eficazes de prevenção e
 Existem métodos eficazes de prevenção e
controle;
controle;
 Existem métodos eficazes de prevenção e controle;  Tais métodos não estão sendo utilizados de

Tais métodos não estão sendo utilizados de

modo adequado pela comunidade.
modo adequado pela comunidade.

(SINAI, apud CHAVES, 1986)

Doenças que constituem risco para a Saúde Bucal
Doenças que constituem risco
para a Saúde Bucal
 Doença Cárie
 Doença Cárie
Doença Periodontal
Doença Periodontal
Câncer de Boca
Câncer de Boca
Maloclusões
Maloclusões
Lábio Leporino
Lábio Leporino
Fluorose
Fluorose
Seqüelas de Traumatismos Faciais
Seqüelas de Traumatismos Faciais
Leporino Fluorose Seqüelas de Traumatismos Faciais  Estigmas da Sífilis Congênita Doenças Ocupacionais

Estigmas da Sífilis Congênita

Doenças Ocupacionais com Manifestações Bucais
Doenças Ocupacionais com Manifestações
Bucais

(OMS, 1954; STRIFFLER; 1956)

HIERARQUIZAÇÃO DOS PROBLEMAS

EM ODONTOLOGIA SOCIAL

Resultado da opinião crítica da realidade.

PRIORIDADE EXCLUSIVIDADE

crítica da realidade. PRIORIDADE  EXCLUSIVIDADE ÊNFASE Danos; Grupos populacionais por faixa etária e por

ÊNFASE

Danos; Grupos populacionais por faixa etária e

por situação econômica; Tipo de serviço.

HIERARQUIZAÇÃO DOS PROBLEMAS EM

ODONTOLOGIA SOCIAL
ODONTOLOGIA SOCIAL
1º Número de pessoas atingidas;
1º Número de pessoas atingidas;
2º Seriedade do dano causado;
2º Seriedade do dano causado;
3º Possibilidade de atuação eficiente;
3º Possibilidade de atuação eficiente;
4º Custo per capita;
4º Custo per capita;
5º Grau de interesse da comunidade.
5º Grau de interesse da comunidade.

Qual é a doença bucal que

normalmente é a Número Um em Odontologia Social?

Qual é a doença bucal que normalmente é a Número Um em Odontologia Social?
Fatores Sociais Comportamento / estilo de vida Fatores Sócio- econômicos Política de Saúde Fluoretação das
Fatores Sociais
Comportamento /
estilo de vida
Fatores Sócio-
econômicos
Política de Saúde
Fluoretação das águas
de abastecimento
Etc.
Microbiota/ Dieta Política Placa Comportamento / Fatores Sócio- Doença Cárie econômicos estilo de vida de
Microbiota/
Dieta
Política
Placa
Comportamento /
Fatores Sócio-
Doença
Cárie
econômicos
estilo de vida
de Saúde
Hospedeiro
Suscetibilidade/Resistência
econômicos estilo de vida de Saúde Hospedeiro Suscetibilidade/Resistência Fluoretação das águas de abastecimento

Fluoretação das águas

de abastecimento

RAZÕES ?     

RAZÕES ?

RAZÕES ?     
RAZÕES ?     

RAZÕES ?     
RAZÕES ?     

RAZÕES ?     
RAZÕES ?     

RAZÕES ?     
RAZÕES ?     
MÉTODOS
MÉTODOS
 Resoluções
 Resoluções
Níveis de Prevenção
Níveis de Prevenção
Níveis de Aplicação
Níveis de Aplicação

História Natural da Doença

3 períodos específicos:

Pré-patogênese

Patogênese

3 períodos específicos : Pré-patogênese Patogênese Específica Inespecífica Precoce Avançada - Hereditários
3 períodos específicos : Pré-patogênese Patogênese Específica Inespecífica Precoce Avançada - Hereditários

Específica

Inespecífica
Inespecífica
: Pré-patogênese Patogênese Específica Inespecífica Precoce Avançada - Hereditários - Socias -
: Pré-patogênese Patogênese Específica Inespecífica Precoce Avançada - Hereditários - Socias -
: Pré-patogênese Patogênese Específica Inespecífica Precoce Avançada - Hereditários - Socias -
: Pré-patogênese Patogênese Específica Inespecífica Precoce Avançada - Hereditários - Socias -

Precoce

Patogênese Específica Inespecífica Precoce Avançada - Hereditários - Socias - Econômicos -

Avançada

- Hereditários

- Socias

- Econômicos

- Meio-ambiente

Seqüelas

Reabilitação
Reabilitação
Inespecífica Precoce Avançada - Hereditários - Socias - Econômicos - Meio-ambiente Seqüelas Reabilitação
Níveis de Prevenção
Níveis de Prevenção
Níveis de Prevenção 1 ° Nível de Prevenção 2 ° Nível de Prevenção 3 ° Nível

1° Nível de Prevenção

2° Nível de Prevenção 3° Nível de Prevenção

4° Nível de Prevenção

5° Nível de Prevenção

1° Nível de Prevenção

Promoção de Saúde

2° Nível de Prevenção

Proteção Específica

3° Nível de Prevenção

Diagnóstico Precoce e Pronto Tratamento

4° Nível de Prevenção

Limitação do Dano

5° Nível de Prevenção

Reabilitação

Diagrama ilustrativo do conceito de Níveis de Prevenção

Diagrama ilustrativo do conceito de Níveis de Prevenção Pré-Patogênese Fase Clínica Seqüelas As seqüelas ou

Pré-Patogênese

Fase Clínica

Seqüelas

As seqüelas ou

conseqüências da doença

Seqüelas As seqüelas ou conseqüências da doença podem ser reparadas, com mais ou menos eficiência,
podem ser
podem ser

reparadas, com

mais ou menos eficiência, permitindo a reabilitação do

mais ou menos eficiência, permitindo a reabilitação do indivíduo Inespecífica Condições gerais do indivíduo ou
indivíduo
indivíduo
Inespecífica
Inespecífica

Condições gerais

do indivíduo ou

do ambiente que predispõe a uma ou várias doenças

Específica
Específica
Precoce
Precoce
Avançada
Avançada
A presença de Da situação A doença uma constelação anterior segue sua de fatores causais
A presença de
Da situação
A doença
uma constelação
anterior
segue sua
de fatores causais
num instante
dado favorece o
aparecimento de
resultou uma
doença cujos
sinais e
sintomas se
evolução
própria,
terminando
com a morte,
uma doença
tornam
com a cura
aparentes
completa ou
deixando
seqüelas

Prot. Específica

Diagnóstico Precoce Prev. Sec.
Diagnóstico
Precoce
Prev. Sec.
Limitação do Reabilitação Dano
Limitação do
Reabilitação
Dano
Prevenção Terciária
Prevenção Terciária

Promoção de

Saúde

Prevenção Primária
Prevenção Primária
Níveis de Aplicação
Níveis de Aplicação

Execução das Tarefas

1° Nível de Aplicação

2° Nível de Aplicação 3° Nível de Aplicação

4° Nível de Aplicação

5° Nível de Aplicação

1° Nível de Aplicação

Ação Governamental Ampla

2° Nível de Aplicação

Ação Governamental Restrita

3° Nível de Aplicação

Paciente / Profissional (3º. Grau)

4° Nível de Aplicação

Paciente / Profissional (Auxiliar)

5° Nível de Aplicação

Ação Individual

Níveis de Aplicação dos Métodos

Individual

++++

Bipessoal

++

+++

Coletiva

+

++++

Diagrama ilustrativo das relações entre Níveis de Prevenção e Aplicação

5°
4°
3°
entre Níveis de Prevenção e Aplicação 5° 4° 3° 2° 1° Aplicação NÍVEIS Prevenção 1° 2°
entre Níveis de Prevenção e Aplicação 5° 4° 3° 2° 1° Aplicação NÍVEIS Prevenção 1° 2°
entre Níveis de Prevenção e Aplicação 5° 4° 3° 2° 1° Aplicação NÍVEIS Prevenção 1° 2°
2°
1°
Aplicação
Aplicação
NÍVEIS
NÍVEIS
Prevenção
Prevenção
1°
2°
3°
4°
5°

OBRIGADA

KATLIN

DARLEN

MAIA

E-MAIL: KDARLEN@GMAIL.COM.BR

Blog da Disciplina de Saúde Bucal Coletiva UERJ:

saudebucalcoletivauerj.wordpress.com

Bibliografia recomendada:

CHAVES, M. Odontologia Social. São Paulo: Artes

Médicas. 3.ed. 1986. PINTO, V. G. Saúde Bucal Odontologia Social e Preventiva. São Paulo: Santos. 1994.

PINTO, V. G. Saúde Bucal Coletiva. São Paulo: Santos.

4.ed. 2000.