Você está na página 1de 1

Valores ticos x valores estticos Nossa sociedade baseada na herana grega e romana, dando origem assim aos nossos

s conceitos e padres tico-morais. A tica provm dos gregos e pautada na ideia de valores, sendo assimilada como um estudo ou reflexo cientfica ou filosfica sobre os costumes e aes humanas (conduta). Sendo um conceito que mora dentro de ns, e pensar sobre ela contribui para aumentar a reflexo sobre tal, nos fazendo questionar ainda mais sobre nossas atitudes e nos aproximando da realidade que vivemos e nos tornando mais conscientes com nossas aes pela vida. O que belo? Segundo o filsofo Scrates, a beleza seria a concordncia observada entre os olhos e os ouvidos. Em uma viso mais atual da sociedade, a beleza poderia ser encarada e cultuada pelos esteretipos, onde os olhos fsicos admiram somente a casca de uma rvore, e no os frutos, a raiz slida e a sombra tranquila e revigorante que a rvore poderia beneficiar. Desde a Antiguidade cultuamos o belo, no qual a valorizao esttica pode ser vista em relatos histricos que demonstram a rejeio indivduos com deficincias. Nas Artes, podemos acompanhar o culto beleza (esculturas, pinturas e na literatura), porm trazendo consigo qualidades e virtudes humanas. Essa unio entre beleza fsica + qualidade + habilidades, era vista como uma beno dos cus no imaginrio da poca, sendo seres quase angelicais e perfeitos. Os reis faziam o uso de adereos e substncias aromticas como forma de mascarar suas imperfeies e deix-los com uma imagem limpa, pura e at mesmo divina. Com a ascenso da burguesia (sculo XV, XVI), a questo esttica se distanciou do padro divino e passou a ser necessidade e objeto de consumo, as roupas e joias, adereos e cosmticos moldaram a nova concepo sobre a beleza e a quase divindade. Sculo XVII e XIX, criado os padres de beleza irreais, no qual os homens e mulheres se submeteram a procedimentos para se elevarem a um novo status social. Por exemplo, a prpria vestimenta europeia nas colnias de clima tropical (Brasil), e o uso de espartilhos pelas mulheres na condio de se projetarem como magras e bonitas. Com o passar dos sculos, o sonho da beleza ideal e do corpo perfeito se sobreps aos valores ticos. No qual somos todos frutos de um modismo tendencioso que nos diz o que vestir, como deveria estar nosso cabelo, o que dizemos e por ai vai. Na atualidade, nos vemos submersos grandes tonis de cosmticos, desde o xampu at a meia que vestimos, e assim esquecendo princpios que para os gregos e romanos antigos eram primordiais. Os valores estticos se tornaram um mal compulsivo entre os humanos, sendo mais importantes do que os valores ticos. Hoje, somos vistos no pelo que somos, mas sim pelo o que temos, e em rarssimos casos somos comparados seres celestiais, belos por fora e ricos de valores humanos.

Você também pode gostar