P. 1
O Livro de Abrao

O Livro de Abrao

5.0

|Views: 4.704|Likes:

More info:

Published by: Rondinelle Almeida Oliveira on Dec 02, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/26/2013

pdf

text

original

LIVRO DE

ABRAÃO
TRADUZIDO DO PAPIRO POR JOSEPH SMITH
Tradução de alguns registros antigos das catacumbas do Egito, que chegaram a nossas mãos. Os escritos de Abraão enquanto se encontrava no Egito, chamados Livro de Abraão, escritos do próprio punho em papiro. (History of the Church 2:235–236, 348–351.)

FAC-SÍMILE DO LIVRO DE ABRAÃO Nº 1

EXPLICAÇÃO
Fig. 1. O anjo do Senhor. Fig. 2. Abraão amarrado sobre um altar. Fig. 3. O sacerdote idólatra de Elquena tentando oferecer Abraão em sacrifício. Fig. 4. O altar de sacrifício dos sacerdotes idólatras diante dos deuses de Elquena, Libna, Mamacra, Corás e Faraó. Fig. 5. O deus idólatra de Elquena. Fig. 6. O deus idólatra de Libna. Fig. 7. O deus idólatra de Mamacra. Fig. 8. O deus idólatra de Corás. Fig. 9. O deus idólatra do Faraó. Fig. 10. Abraão no Egito. Fig. 11. Desenhado para representar os pilares do céu, como os entendiam os egípcios. Fig. 12. Rauqueeian, que significa expansão, ou seja, o firmamento sobre nossa cabeça; mas neste caso, em relação a este assunto, os egípcios davam-lhe o sentido de Saumau, estar no alto, ou seja, os céus, que corresponde à palavra hebraica Saumaieem.

1

FAC-SÍMILE DO LIVRO DE ABRAÃO Nº 2

EXPLICAÇÃO
Fig. 1. Colobe, que significa a primeira criação, a mais próxima do celeste, ou seja, da morada de Deus. A primeira em governo, a última pertencente ao cálculo de tempo. O cálculo segundo o tempo celestial, tempo celestial esse que significa um dia por côvado. Um dia em Colobe é igual a mil anos, de acordo com o cálculo desta Terra, que é chamada pelos egípcios Ja-o-e. Fig. 2. Fica perto de Colobe, chamada pelos egípcios Oliblis, que é a seguinte grande criação governante próxima do celeste, que é o lugar onde Deus reside; também possui a chave do poder em relação a outros planetas; como revelado por Deus a Abraão quando oferecia sacrifício sobre um altar que ele construíra ao Senhor. Fig. 3. Feita para representar Deus sentado em seu trono, revestido de poder e autoridade, com uma coroa de luz eterna na cabeça; representa também as importantes palavras-chave do Santo Sacerdócio, como reveladas a Adão no Jardim do Éden, e também a Sete, Noé, Melquisedeque, Abraão e a todos a quem o Sacerdócio foi revelado. Fig. 4. Corresponde à palavra hebraica Rauqueeian, que significa expansão, ou seja, o firmamento dos céus; também um algarismo que, em egípcio, significa mil; corresponde à medida de tempo de Oliblis, que é igual a Colobe em sua revolução e em sua medida de tempo. Fig. 5. Chamada, em egípcio, Enis-go-on-dos; este também é um dos planetas governantes e os egípcios dizem ser o Sol e tomar emprestada a luz de Colobe, por meio de Cae-e-vanrás, que é a Chave suprema ou, em outras palavras, o poder governante, que governa quinze outros planetas ou estrelas fixos, assim como também Floeese, ou seja, a Lua, a Terra e o Sol em suas revoluções anuais. Este planeta recebe seu poder por meio de Cli-flos-is-es, ou Há-co-cau-beam, as estrelas representadas pelos números 22 e 23, recebendo luz das revoluções de Colobe. Fig. 6. Representa esta Terra em seus quatro cantos. Fig. 7. Representa Deus sentado em seu trono, revelando através dos céus as supremas palavras-chave do Sacerdócio; como também o sinal do Espírito Santo a Abraão, na forma de uma pomba. Fig. 8. Contém escritos que não podem ser revelados ao mundo; mas que se encontram no Templo Santo de Deus. Fig. 9. Não deve ser revelada no momento. Fig.10. Idem. Fig.11. Idem. Se o mundo conseguir descobrir estes números, que assim seja. Amém. As figuras 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20 e 21 serão reveladas no próprio e devido tempo do Senhor. A tradução acima é dada até onde temos direito de fazê-lo atualmente.

2

FAC-SÍMILE DO LIVRO DE ABRAÃO Nº 3

EXPLICAÇÃO
Fig. 1. Abraão sentado no trono do Faraó, por cortesia do rei, com uma coroa na cabeça representando o Sacerdócio como emblema da grande Presidência no Céu; na mão leva o cetro de justiça e juízo. Fig. 2. O rei Faraó, cujo nome é dado nos caracteres acima de sua cabeça. Fig. 3. Significa Abraão no Egito, como aparece também na figura 10 do fac-símile número 1. Fig. 4. Príncipe de Faraó, Rei do Egito, como escrito acima da mão. Fig. 5. Sulem, um dos principais servos do rei, como representado pelos caracteres acima de sua mão. Fig. 6. Olinla, escravo pertencente ao príncipe. Abraão está arrazoando sobre os princípios da astronomia na corte do rei.

3

A informação aqui contida ajudará o crítico de uma aproximação inovativa a compreender o simbolismo egípcio contido no Livro de Abraão. Joseph Smith era um profeta verdadeiro e esse registro é uma história verdadeira escrita pela mão de Abraão em papiro há muito tempo atrás. O senhor revelou a Joseph Smith a história perdida de Abraão por meio do papiro que caiu nas mãos do profeta e pelo dom de tradução dado aos profetas de Deus, assim o trabalho de Abraão foi restaurado. Eu acredito também que o alfabeto e a gramática egípcia criada por Joseph Smith e seus assistentes fiéis para ser um trabalho inspirado, é uma restauração parcial de uma língua extinta que tiveram os antigos habitantes do planeta. O papiro recebido por Joseph Smith não era o papiro original feito pelo pai Abraham e Joseph Smith não traduziu o texto hieróglifo usando meios convencionais. A produção do livro foi causada milagrosamente por meios espirituais usando o simbolismo acoplado com inspiração. Joseph Smith usou sua habilidade afiada de compreender as imagens e a religião egípcia em um nível convencional, como um sinal que esteve inspirado por Deus. Então, revelou muitas coisas maravilhosas sobre o ministério de Abraão. Deus pode fazer limpo que o que deseja, como fez na visão de Pedro aos animais que foram proibidos sob a lei mosaica; do mesmo modo, Deus clareou as imagens egípcias para seu próprio propósito. FAC-Símile No. 1

Fig. 1. O anjo do Senhor.

4

Fig. 2. Abraão preso em cima de um altar. Fig. 3. O sacerdote idólatra de Elkenah que tenta oferecer Abraão como sacrifício. Fig. 4. O altar de sacrifícios e em baixo os deuses de Elkenah, de Libnah, de Mahmackrah, de Korash, e de Pharaoh. Fig. 5. O deus idólatra de Elkenah. Fig. 6. O deus idólatra de Libnah. Fig. 7. O deus idólatra de Mahmackrah. Fig. 8. O deus idólatra de Korash. Fig. 9. O deus idólatra de Pharaoh. Fig. 10. Abraham no Egito. Fig. 11. Projetou representar as colunas do céu, como compreendido pelos egípcios. Fig. 12. Raukeeyang, significando a extensão, ou o firmamento sobre nossas cabeças; mas neste caso, com relação a este assunto, os egípcios significaram-no Shaumau, para ser elevado, ou os céus, respondendo à palavra hebraica, Shaumahyeem.

Ponta de asa ou uma mão? Você seja o juiz!

5

Na outra mão...
As perguntas imploram por respostas: Que se a mão na pergunta fosse realmente uma asa do pássaro e a ilustração restaurada de Joseph Smith não era após a forma do papiro original que sofreu os danos nas áreas chaves na pergunta? E se não houver originalmente uma faca na mão do sacerdote na parcela faltante do papiro como foi restaurado no fac-símile de Joseph Smith? E se o sacerdote realmente prendia um copo oferecendo? E, para cobri-lo fora; que se a cabeça faltante no papiro rasgado for originalmente uma cabeça de chacal e não uma cabeça humana ao qual Joseph Smith restaurou?

Isto ou aquilo?

A Cabeça do sacerdote "o sacerdote idólatra de Elkenah"... (Joseph Smith)

O fac-símile no. 1 foi fornecida pelo Senhor e ajuda a restaurar a história perdida de Abraão. Esse papiro é uma produção do período atrasado do Egito, perto da extremidade da Dinastia Egípcia. Abraão não extraiu literalmente este retrato. É entretanto, baseado na narrativa, uma cena similar ao que Abraão extraiu originalmente bem sobre mil anos antes do tempo onde o papiro de Joseph Smith. A cena do sacrifício original é preservada no fac-símile no. 1, tendo características originais e pode certamente ter sido passada para baixo com as idades no livro dos mortos, daqui de um tipo de transmissão do trabalho original de Abraão; mas isto é muito improvável. A cabeça faltante era provavelmente uma cabeça de chacal porque o corpo e a aparência são indicativos de Anúbis... o deus do embasamento. O fac-símile fornece uma “cama de leão”, um sacerdote, um homem na “cama de leão”, deuses lá abaixo, e alguns outros detalhes. Embora a cena carregasse com ela marcas registradas antigas, pareceria diferente no dia de Abraão porque os egípcios tinham evoluído durante todas as dinastias e as mudanças marcadas diferenciam os períodos de tempo na pergunta. Uns acham que a cena representa uma cena ritualística do livro dos mortos e não poderia possivelmente representar uma cena de sacrifício como dita no livro de Abraão. De algum modo, os críticos estão sob a impressão que se Joseph Smith não restaurou a cena. Os críticos tiram conclusões baseadas em sua própria vista (que é estreita)... podemos pelo menos saber com certeza... a parte boa foi restaurada. Parece que todos estão começando um processo acima demasiado para saberem se a cabeça deve ser um chacal ou não. Simplesmente não importa! O fac-símile serve como uma idéia (dispositivo automático de entrada) visual, não uma assinatura genuína produzida pela própria mão empoeirada de Abraão. Nós não temos o artefato original, mas o que nós temos é uma produção atrasada de papiro funerário egípcio que carrega algumas diferenças peculiares quando comparado a outras cenas. Representa Abraão no altar quando hospedado pela história original dita pelo próprio Abraão. Conseqüentemente, não importa se a lacuna no papiro era originalmente um homem que usando uma máscara de chacal ou um homem com nenhuma máscara. Recorde, nós estamos tratando de imagens baseadas em representações e não no literalismo. As credenciais de Joseph Smith como um profeta, não estão em menos bocados diminuídos simplesmente porque desenhou uma cabeça humana quando o original pode ser de uma máscara de chacal.

6

Os deuses do sacrifício humano

Fig. 4. O altar de sacrifícios do sacerdote idólatra, estando antes dos deuses de Elkenah, de Libnah, de Mahmackrah, de Korash, e de Pharaoh. Fig. 5. O deus idólatra de Elkenah. Fig. 6. O deus idólatra de Libnah. Fig. 7. O deus idólatra de Mahmackrah. Fig. 8. O deus idólatra de Korash. Fig. 9. O deus idólatra de Pharaoh. Aqui nós vemos, estando orgulhosamente debaixo da cama do leão, quatro embarcações de pedra na imagem dos quatro filhos de Hórus alinhados acima em seu dever, como guardadores das vísceras da múmia. Toda a esta naturalmente é associada diretamente com o livro dos mortos, que fornece o necessário de informações para permitir a ressurreição do benfeitor no pós-vida.

7

8

O papiro de Joseph Smith vem à vida quando comparado ao bonito Livro dos mortos!

Andorinha em um monte

Falcão Divino

Caixão

9

Ptah & Scepter

Blessed

Oliver Cowdery, a segunda pessoa mais velha da igreja, assistente do Presidente Joseph Smith, aprendeu sobre o simbolismo dos papiros em primeira mão pelo homem que o traduziria por presente de Deus, de um profeta, de um vidente, e de um revelador. Oliver Cowdery neste tempo estava perto do profeta e compartilhou destes prazeres e ricas bênçãos. Nós devemos muito a estes homens que trabalharam como agentes de Deus em trazer os tesouros perdidos a luz do conhecimento. Os estudiosos modernos poderiam nunca ter lido o livro de Abraão sem um Urim & um Thummim. Oliver disse que viu uma chave nas mãos de Miguel o arcanjo, que segura a chave, que trava ou destrava a porta do poço em que Satanás e seus anjos residem. Que nós podemos pensar da chave olhada nas mãos de uma figura egípcia em cima do papiro? Há somente uma resposta que vem automaticamente se ocupar. Era um ankh , o símbolo da vida, que foi presa na mão por aquelas que desejaram viver para sempre como mostrado em caixões de múmias. O diabo muitas vezes é representado por uma serpente (como mostrado em muitos papiros).

10

Traduzindo

"a violação túmulo;ninguém pode sempre infringir,ninguém pode sempre infringir! A múmia desta alma está na mão de seu proprietário no mundo espiritual para sempre."

11

Fileira Fileira Fileira Fileira

1: 2: 3: 4:

sp do sDrw m de i.nTr.i nbt pinta Ta do tpii nTr.i aA dwAt mw.f aA bA Wsir SAs(nq) do anx do ti

"O Deus, O daqueles que dormem na morte desde o começo do tempo. O Deus Grande, Senhor do céu, da terra, do mundo espiritual, e dos mares grandes. Baixa, a alma de Osíris Shoshenq viverá."

Coluna 1: wnn n.k do iw Coluna 2: imii nTr.i pn Coluna 3: Ddw "você estará na presença deste Deus que é Osíris de Djedu (Busiris)."

Obs.: “Acredito eu que Osíris nada mais é que uma representação de Elohin, pai de Jesus Cristo (Jeová). E Horus seria O Filho?!” (Luciano Azevedo Lucas)

12

Os quatro filhos de Horus
FIGURA 6 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO "representa esta terra em seus quatro cantos ." (Joseph Smith) Os quatro filhos de Horus (filho de Osíris) estão na figura seis do fac-símile no. 2 do papiro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, da esquerda para a direita: 1. Imseti (homem) 2. Hapy (babuíno) 3. Duamutef (cão) 4. Qebehsenuef (falcão) PERGUNTA: Como a imagem de quatro deuses egípcios representa os "quatro cantos" ou os quatro pontos cardeais... do norte, do leste, do sul, e do oeste, como explicado pelo profeta Joseph Smith? RESPOSTA: O caixão dos defuntos era uma representação simbólica do mundo físico que encerrou ou cercou o corpo dos mortos. Sob o caixão estava o deus da terra chamado Geb e acima do caixão estava à deusa do céu (esposa de Geb). Os quatro filhos de Horus eram guardiãs do caixão do mundo e cada deus foi afixado em um canto do caixão como sentinelas divinas do mundo. Esta imagem está representada também no livro de Apocalipse (Revelações de João) quando os quatro anjos controlam os quatro ventos direcionais da terra nos quatro cantos (Apocalipse 7:1). Alguns caixões médios do reino demonstram os quatro pontos caldeais religiosos dos quatro filhos de Horus que fazem exame de seu lugar nos quatro cantos do caixão. No painel o mais próximo à extremidade principal no lado esquerdo da caixa os olhos pintados olha para fora o excesso as portas aparafusadas do caixão... o caixão, que veio ser considerado como um microcosmo do mundo , sua tampa que simboliza os céus.

"as quatro colunas do céu em épocas mais atrasadas representaram os quatro pontos cardeais, e as colunas foram pensadas para ser mantida em posição pelos quatro deuses que estiveram por eles. Estes quatro deuses eram as crianças de Horus, que foram chamadas Amset, Hap, Tuamutef, e Qebhsenuf” conectou com um dos formulários de Horus, originalmente, eram os quatro deuses dos pontos cardeais, ou ' os quatro espíritos. Cada deus governou sobre um quarto do mundo ". (o livro dos mortos; E.A. Wallis Mover-se, p. 130,131) “Suponho que João viu ali (em Apocalipse) seres de mil formas que haviam sido salvos dez mil vezes de dez mil terras como esta: animais estranhos dos quais nenhum conceito temos; todos poderão existir no céu. O grande segredo foi mostrar a João o que havia no céu. João entendeu que Deus se glorifica a si mesmo, salvando tudo o que suas mãos fizeram, sejam animais, aves, peixes ou homens; e ele se glorificará a si mesmo com eles... João ouviu as palavras dos animais que glorificam a Deus, e as entendeu. Deus, que fez as bestas, pode entender tudo o que elas falam. Os 4 animais que João viu eram 4 dos animais mais nobres que haviam cumprido a medida de sua criação, e sido salvos de outros mundos, porque eram perfeitos: eram como anjos em sua própria esfera. Não nos é dito de onde vieram, nem eu, tampouco, o sei; porém, João os viu, e os ouviu glorificando a Deus... não há revelação que comprove que não existem no céu as coisas que expliquei, ou que indique que os animais representam algo mais que animais; e jamais poderemos entender as coisas de Deus e dos céus, exceto pela revelação...” (Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, pág. 283-284)

13

Coroa da luz
FIGURA 3 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO

"... é feito para representar Deus... com uma coroa de luz eterna ...” (Joseph Smith)

O fato que Joseph Smith reconheceu o disco do sol acima da cabeça do falcão-deus, embora representada crua no papiro, é uma indicação principal que o profeta sabia o que falava. Abaixo deste parágrafo está uma pintura do túmulo do mesmo deus com um desenho melhor do disco solar que é envolvido pela cobra, protegendo o disco (uraeus).

PERGUNTA Por que o disco solar (Aten) é extraído acima da cabeça de um deus egípcio considerado ser uma coroa da luz eterna no papiro de Joseph Smith? RESPOSTA A coroa da luz celestial pertence ao Deus de Abraão. Joseph que Smith decifrava princípios que teve Abraão enquanto ensinou à corte egípcia, que o criador esteve coroado certamente pela luz do sol. O Sol-deus é também o senhor do cosmos. Sua vida que dá raios emana do disco circular do sol que dá a luz a todo o mundo. O deus claro do rolamento fornece a vida, temporal e espiritual a toda a humanidade. Abr 3:13 diz que Shinehah , que é o sol ... A coroa de luz em cima da cabeça Deus representa a gloria do reino celestial que é comparada a gloria do sol. Eu acredito que o Senhor Jesus Cristo é o Deus-Sol real cujas asas são esticadas para fora e pode voar no meio do céu. É o falcão ressuscitado é Cristo. O DeusSol acende sobretudo, pois pode encher todas as coisas por seu próprio poder. Nisto nós vemos que Cristo monta os céus na glória que enche a imensidão do espaço. Com o espírito da representação deste deus Falcão, que é realmente Jesus Cristo, mesmo que desceu nas partes mais inferiores da terra como um cordeiro.

Veja: D&C 11:28 / D&C 88:7 / D&C 88:12 / D&C 88:13

14

Coroa Lunar
O FAC-Símile No. 2 - NÚMERO 22 & 23, EXPLANAÇÃO 5 "... as estrelas representadas pelos números 22 e 23, recebendo a luz das voltas de Kolob” (Joseph Smith) O babuíno era uma manifestação visível da deidade conhecida como Thoth. Embora o formulário físico de Thoth seja o babuíno, é descrito geralmente como um ser humano com a cabeça de um pássaro de íbis. Thoth é o deus da lua cuja coroa é o crescente e os discos lunares, e é creditado como inventor do hieroglífico, o calendário lunar, a medida do tempo, e a matemática. PERGUNTA: Por que é a lua em "estrelas chamadas cabeça" de Thoth por Joseph Smith e como recebem a luz das voltas de Kolob? RESPOSTA: Obviamente aos egípcios a lua era parte do sistema da estrela mas parecida ser muito maior do que as estrelas distantes. Os egípcios não fizeram uma distinção entre planetas e estrelas, mas considerada-lhes por serem corpos astrais ajustados no céu-oceano, aonde o deus-sol montou em cima de sua barca através do céu. A lua era simplesmente parte dos céus. Figura de um babuíno divino com o braço levantado, pendendo para fora do olho sagrado ao deus-sol na barca solar...Um retrato desta cena é fornecido no "vale das múmias douradas" p. 192, sido o autor Dr. Zahi Hawass. A seguinte figura é um exame do livro dos mortos, Papyrus de Ani, chapa 10 (note as duas estrelas, uma para cada babuíno):

Com consideração à astronomia revelada pelo profeta Joseph Smith; as voltas de Kolob são associadas com os poderes da gravidade e da repulsão que existe em nossa galáxia enquanto gira através do tempo e do espaço. Há os relacionamentos que seguem as leis matemáticas a respeito da órbita das estrelas, dos planetas, e das luas. Todo o isto é trazido à passagem por Thoth que governa a lua enquanto recebe a luz de Kolob em alguma maneira que nós não podemos compreender neste tempo. “Verdade essa que brilha. Essa é a luz de Cristo. Como também ele está no sol e é a luz do sol e o poder pelo qual foi feito. Como também ele está na lua e é a luz da lua e o poder pelo qual foi feita; Como também a luz das estrelas e o poder pelo qual foram feitas; E também a Terra e seu poder, sim, a Terra sobre a qual estais. E a luz que brilha, que vos ilumina, vem por meio daquele que ilumina vossos olhos; e é a mesma luz que vivifica vosso entendimento; Luz essa que procede da presença de Deus para encher a imensidade do espaço— A luz que está em todas as coisas, que dá vida a todas as coisas, que é a lei pela qual todas as coisas são governadas, sim, o poder de Deus, que se assenta em seu trono, que está no seio da eternidade, que está no meio de todas as coisas.” (D&C 88:7 - 13)

Esta imagem é parte de um bonito peitoral encontrado no túmulo de Tutankhamun. O rei é flanqueado por dois deuses de Thoth e todas as três figuras estão desgastando a coroa da lua que combina lua crescente com o disco para mostrar que Thoth está no controle dos ciclos lunares. "no livro das portas, quatro babuíno abrem forçosamente a porta celestial no fim da viagem noturna e anunciam a aparência renovada do sol ao mundo estático. O sol emerge da escuridão acompanhado por oito divindades que montam em serpentes e carregam estrelas em suas mãos enquanto elogiam a criança do sol." (Idéia Na Imagem; Eric Hornung; p. 113)

15

Cetro Composto
FIGURA 1 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO "Kolob, significando a primeira criação ... primeiramente no governo" (Joseph Smith)

O cetro composto sagrado prendido na mão do deus do criador chamado Khnum é uma representação de três ícones específicos da religião egípcios. São os mais sagrados símbolos, combinados juntos sumariam o poder dos deuses egípcios formulando três hieróglifos sagrados no cetro do deus. Estes símbolos são: 1. Era o cetro (tipo um cajado) 2. Ankh (a chave da vida) 3. Coluna de Djed

1. 2. 3.

Existiam cetros da equipe de funcionários: de domínio, do líder, e do poder. O ankh é o germe da vida por que todas as coisas vivas são sustentadas por ela. Djed (a coluna) é um sinal da resistência e da estabilidade com a ressurreição.

Obs.: “Notem que ankh se parece com uma cruz (que lembra a morte de Cristo) e algo parecendo um círculo se elevando dessa “cruz” (lembrando para mim, a ressurreição do Salvador). Seria a “chave da vida eterna”???” (Luciano Azevedo Lucas)

16

FIGURA 1 do FAC-Símile Nº 2 & Cena Similar de Joseph Smith com o “Papyri Papyrus”
PERGUNTA Como a representação da figura acima de um deus criador para os egípcios carrega o cetro composto significa a "primeira criação" e o "primeiro governo" de Kolob? RESPOSTA Eu penso de que as definições acima dos três símbolos, estão sendo combinadas para criar uma elasticidade divina do cetro e criar a idéia geral. A idéia conceptual a combinar: a vida, o domínio, e a estabilidade à criação e ao governo são exatamente o que Joseph Smith expressava. A interpretação do profeta é direta sobre.

17

Tutankhamun

Olhos do deus (“o olho que tudo vê”?)
F AC-SIMILE. 2 - FIGURA 3, EXPLANAÇÃO "é feito para representar deus ... vestido com o poder... representa também uma palavra-chave do santo sacerdócio..." (Joseph Smith)

Estes olhos são chamados "udjat" e são entre os símbolos os mais poderosos da religião egípcia. Um olho do udjat era pintado freqüentemente na proa dos barcos como um símbolo da habilidade de deus de detectar o diabo. Há uns traços fracos de um olho (udjat) pintado na proa da barca de Deus no papiro de Joseph Smith. Um outro aspecto importante que pertence aos olhos “udjat” da religião egípcia é no conceito simbólico que o olho direito é o sol e o olho esquerdo é a lua. Esta imagem é representa muito claramente no livro egípcio dos mortos.

PERGUNTA Como o olho de Horus se relaciona ao poder de Deus e da sua habilidade de revelar coisas sagradas a seus profetas desde Adão? RESPOSTA Deus sabe tudo e sua onisciência é universal. Nós somos ensinados nas escrituras que luz é verdade e o conhecimento é poder. Deus tem revelado hoje muitas coisas importantes a seus profetas... o olho de Horus, não é nada menos do que as revelações de Jesus Cristo. "poderoso aparece, o horizonte brilha, Atum (criador) aparece... a Luz do deus-sol levantou-se no céu... que a majestade do olho sagrado é na frente do Ennead (nove deuses da criação), sua majestade brilha como na primeira ocasião, e o olho sagrado está em sua cabeça." (livro egípcio dos mortos -- indo adiante por Dia; capítulo 140; traduzido por Raymond Faulkner) “E se vossos olhos estiverem fitos em minha glória, todo o vosso corpo se encherá de luz e em vós não haverá trevas; e o corpo que é cheio de luz compreende todas as coisas.” (D&C 88:67)

18

"eu chego no consolo dos Moradores do Horizonte, saio pela porta santa... que é a porta através de que meu pai Atum (criador) passou quando prosseguiu ao horizonte oriental do céu" (livro dos mortos; traduzido por Faulkner)

Navio dos 1.000 Anos ou Barca Solar
FAC-Símile No. 2 - NÚMERO 4, EXPLANAÇÃO "... significa a extensão , ou o firmamento dos céus; também uma figura numérica, em egípcio significa mil ; correspondendo à medida da época de Oliblish, que é igual com Kolob em sua volta e na sua medição do tempo." (Joseph Smith) O falcão divino na barca em vôo montou em cima do céu-oceano dentro do cosmos no escuro da noite, enquanto viajou através do céu estrelado, daqui atravessando o universo.

PERGUNTA Como esta figura na revelação de Joseph Smith do número "1.000", quando cada egiptólogo sabe que a planta do lótus (folha, caule e raiz) é o hieróglifo padrão para mil? RESPOSTA O número 1.000 era em um sentido um número afortunado ou um da fortuna boa. Nos túmulos de muitos dos egípcios antigos era pintado cenas em qual os mortos abençoados são fornecidos simbolicamente com as provisões e sustentos suficientes para sua pós-vida. A lista padrão inclui 1.000 de cada um do seguinte: Pão, cerveja, bois, alabastro, pano de linho, etc.

19

Quando considerando as estrelas na extensão do céu nós pudermos justa lhe aplicar figura 1.000 porque em uma noite desobstruída uma pode poder ver bem sobre mil estrelas na noite. A língua egípcia carrega isto para fora como o fato. A seguinte palavra para "o céu estrelado" no dicionário egípcio médio de Faulkner é chamada "kha-bas" quando "kha" (primeiro sinal abaixo) significa o número 1.000:

O conceito egípcio das barcas do dia e da noite que sobrevoam através dos céus em uns únicos 24 períodos da hora era uma parte principal da religião egípcia. Havia 12 horas concedidas para a barca do dia e uns outros 12 para a barca da noite. Daqui, os deuses fizeram a viagem em torno do universo em um dia. Mas, podemos nós dizer que um dia do tempo celestial perto de Kolob é igual a um 24 períodos da hora do tempo da terra? Absolutamente NÃO! “Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.” (II Pedro 3:8) “E o Senhor disse-me, pelo Urim e Tumim, que Kolob seguia, em suas revoluções, o padrão do Senhor quanto a suas épocas e estações; que uma revolução era um dia para o Senhor, segundo sua maneira de calcular, sendo mil anos conforme o tempo designado para onde te encontras. Esse é o cálculo do tempo do Senhor, de acordo com o cálculo de Kolob. E o Senhor disse-me: O planeta que é a luz menor, menor que aquele que é para governar o dia e que governa a noite, está acima ou é maior, em questão de cálculo, do que aquele no qual te encontras, porque se move numa ordem mais vagarosa; isto segue a ordem, porque ele fica acima da Terra na qual te encontras; portanto o cálculo de seu tempo não é tão grande no que se refere ao número de seus dias e de meses e de anos. E o Senhor disse-me: Ora, Abraão, estes dois fatos existem, eis que teus olhos vêem; a ti é dado conhecer o cálculo dos tempos e o tempo estabelecido, sim, o tempo estabelecido da Terra na qual te encontras; e o tempo estabelecido da luz maior, que foi posta para governar o dia, e o tempo estabelecido da luz menor, que foi posta para governar a noite. Ora, o tempo estabelecido da luz menor é um tempo mais longo, quanto ao seu cálculo, do que o cálculo do tempo da Terra na qual te encontras. E onde esses dois fatos existirem haverá um outro fato acima deles, isto é, haverá outro planeta cujo cálculo de tempo será ainda mais longo; E assim haverá o cálculo do tempo de um planeta acima de outro, até que te aproximes de Kolob; e Kolob segue o cálculo do tempo do Senhor e Kolob está perto do trono de Deus a fim de governar todos os planetas pertencentes à mesma ordem daquele em que te encontras. E a ti é dado saber o tempo estabelecido de todas as estrelas que foram postas para dar luz, até que te aproximes do trono de Deus.” (Abraão 3:4 - 10) As barcas, freqüentemente têm flores de lótus em ambas as extremidades como um símbolo de 1.000. (?) A barca do vôo de Joseph Smith não dá o detalhe de um lótus na extremidade dos navios, mas então outra vez, nós não temos o original a comparar. Olhe por favor com cuidado e observe a figura a baixo:

Agora, vamos fazer exame de um olhar no mesmo navio 1.000 da estrela em um Hypocephalus similar no museu britânico e ver como se compara com o navio de Joseph Smith:

20

Aqui nós temos nosso lótus, um símbolo de 1.000

Chave do poder
No. 2, EXPLANAÇÃO "... onde o deus reside; segurando a chave do poder ... " (Joseph Smith)

FIGURA 2 do FAC-Símile

Deus na figura 2 segura a "chave do poder" que é associado com o reino celestial e aos outros planetas que fazem parte das criações vastas de Deus. Nós podemos entender que esta chave é uma representação do poder de Deus para executar um trabalho. PERGUNTA Como a "chave do poder" esta associada com outros planetas que existem em todo o cosmos? RESPOSTA O Deus está conectando a imagem egípcia aos ensinos verdadeiros de Abraão que ensinou a corte real egípcio sobre a astronomia, como mencionado em Josephus, livro 1; 8:2. É evidente que a "chave do poder" segurada por Deus está associada diretamente com a habilidade de Jesus Cristo de ganhar a vitória sobre a morte e de trazer a ressurreição universal dos mortos para todos os mundos criados por Cristo. A chave na mão de Deus é realmente um totem ou um padrão usado por Anúbis (o chacal preto).

21

O papel de Anúbis era principalmente aquele de um deus mortuário que embalsamava ritualisticamente os mortos em um funeral de uma futura múmia, guardava os túmulos, e recebe o título, de “Senhor de Necrópole”. Parece que no papiro de Joseph Smith a múmia está sob o cuidado protetor padrão de Anúbis que espera a promessa de ressurreição pela chave do poder.

Múmia & Anúbis Cuidando de Uma Múmia

É pelo poder de Anúbis que a estrada da ressurreição (no após-vida) foi aberta e o defunto se apresenta na presença de Osíris para o ressurreição e a vida eterna. Tudo naturalmente aponta Jesus Cristo, que se encaixa em todos os papéis que os deuses egípcios executam.

Pomba do Deus
FIGURA 7 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO "... como, também, o sinal do Espírito Santo até Abraham, na de forma de uma pomba." (Joseph Smith) O desenho de uma pomba no hypocephalus de Joseph Smith está em variação ao outro papiro similar que caracterizam como um deus-serpente (ithyphallic) com os pés que estão antes do trono de Deus. Esta seção do papiro original é pensada por muitos para ter sido danificada enquanto somente a cabeça da imagem coberta sobreviveu com os séculos. Esta figura no hypocephalus de Joseph Smith é certamente original. Não importa o que realmente seja. Uma pomba a ser representada no papiro e na interpretação disso como revelação ou outra coisa. Conseqüentemente, nós somos obrigados focalizar na POMBA que é o terceiro membro da trindade, e de uma testemunha do novotestamento, melhor que da imagem de uma divindade-serpente do pantheon egípcio no velho-testamento. Não obstante, nós sabemos que a imagem de uma serpente pode representar o poder da vida e protetor de Deus como foi usado por Moisés quando levantou a serpente de bronze como um protótipo de Cristo. Conseqüentemente, nós sabemos que Deus pode se manifestar a seus povos com simbolismos de animais de acordo com sua vontade divina, sem se prender à detalhes de como o homem irá interpretar.

22

Altar De Abraham
FIGURA 2 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO "... enquanto (Abraham) ofereceu o sacrifício em cima de um altar , que construísse até o senhor." (Joseph Smith) O altar sketchy do templo indicado à esquerda não é facilmente reconhecido no meio do papiro à exceção de alguém quem tem um olho treinado para as coisas egípcias. O altar é flanqueado por dois vasos de libação e coberto por flores de lótus que aparece fragmentada devido ao esboço pobre. Faltam artigos de alimentos que uma tabela generosa dos ofertantes pode fornecer em uma cena típica.

Os altares gêmeos do templo cobertos com flores do lótus Osíris em cima de seu trono recebendo uma oferta

Oliblish

23

FIGURA 2 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO

"está ao lado de Kolob, chamado pelos egípcios Oliblish , que é a criação governante... próximo ao celestial ou ao lugar onde o Deus reside..." (Joseph Smith)

Nós temos notado que o Deus cósmico aqui desenhado com duas faces do criador que está na figura nº 2, está associado com o reino celestial e outros planetas do universo que fazem acima as criações vastas de Deus. Este deus tem uma coroa com chifres cobertos com plumas é identificado, porque Amen-amen-Re (ou Amon-Rá) era o deus dos deuses supremos de Egito. Talvez sua aparência pode ser comparada com a habilidade de Deus de ver tudo (cabeça olhando para todos os lados) -- o passado, o presente, e o futuro. Os hieróglifos verticais à esquerda da imagem são traduzidos como:

"o nome desse deus é grande" (transliterado como: nTr pf aA do rn n)
Oliblish poderia ser uma estrela ou a gloria do mundo, talvez o céu mais baixo chamado "o reino terrestrial" como descrito na seção 76 do D&C. Parece que Kolob está em cima do lugar de Oliblish que é "a criação governante seguinte" o mais próximo ao lugar onde o deus reside. Nós podemos entretanto com segurança admitir que no esquema grande das coisas o mundo terrestrial é a criação governante seguinte que é a mais próxima ao reino celestial.

“E há muitos reinos; pois não existe espaço em que não haja reino; e não existe reino em que não haja espaço, seja um reino maior ou um reino menor.” (D&C 88:37)

Kolob
FIGURA 1 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO "Kolob, significando a primeira criação , a mais próxima ao celestial, ou à residência de Deus. Primeiro no governo, último pertencer à medida do tempo, que tempo celestial significa um dia a um cúbito. Um dia em Kolob é igual a mil anos de acordo com a medida desta terra, que é chamada pelos egípcios Jah-oh-jah-oh-eh." (Joseph Smith)

Khnum é um dos deuses criador do pantheon, o mesmo que forma a humanidade com suas próprias mãos, como se um homem fosse um potenciômetro de argila que está sendo trazido à vida pela primeira vez. Um desenho do esboço do papiro original de Joseph Smith não tem nenhuma cabeça no corpo do deus ajoelhando-se. O papiro original foi danificado aparentemente e Joseph Smith desenhou as duas cabeças com os chifres, similares ao deus na figura diretamente acima. Não obstante, um Khnum multi-dirigido é o deus típico mostrado nesta posição central no outro papiro do hypocephalus, qual demonstre a habilidade afiada de Joseph Smith para as coisas egípcias. PERGUNTA

24

Como é um dia em Kolob igual a 1.000 anos do tempo da terra como é explicado também em Abrão 3:4? RESPOSTA Éste assunto é extremamente difícil de analisar... é muito misterioso. Parece seguro comparar a Terra que gira em torno do Sol na órbita quando o Sol gira em torno de Kolob. Eu medito sobre a impressão das explanações de Joseph Smith, que diz que tudo no universo de Deus gira em torno de seu Trono Celestial. O hypocephalus circular pode ser uma figura simbólica do princípio, que tudo gira em torno do Senhor, em um curso de um círculo eterno. Note bem que o criador Khnum está centrado no meio do hypocephalus e que as escritas e outros símbolos parecem girar em torno do retrato central, como se estivessem em órbita.

Este é Deus que se manifesta a toda criação em poder, em domínio, e em justiça... em uma vida que resista para sempre. Senta-se em cima do trono de gloria de eternidade em eternidade, e é-se o criador dos mundos que giram em cima de suas voltas no meio das estrelas. Deus criou o céu e a terra, e por sua luz de poder, brilha em cima de cada um dos mundos organizados entre os céus estrelados. Deus organizou este mundo dentro da jurisdição da estrela mais poderosa de todas, Kolob.

Trono de Deus
FIGURA 7 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO Representa o Deus sentado em cima de seu trono , revelando as palavras chaves do sacerdócio...” (Joseph Smith)

Esta figura não é o do rei e não é um membro da família real, nem é um oficial elevado. Aqui é DEUS em seu trono!

"cada princípio que vêm de Deus é eterno e todo o princípio que não for eterno é do diabo. O sol não tem nenhum começo ou extremidade; os raios que são emitidos dele não têm nenhum limite, são conseqüentemente eternos." o “conhecimento através de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é a grande chave que destrava as glórias e os mistérios do reino dos céus."

25

"há determinadas palavras chaves e uns sinais que pertencem ao sacerdócio que deve ser observado a fim obter as bênçãos.”

Aqui o Espírito Santo (a pomba) abraça o “olho que tudo vê”.Este símbolo próximo aos pés de Deus (embaixo do pássaro), parece ser três cabeças de chacais. A palavra egípcia para este ícone prestigioso é o "wsrw" que significa a força & o poder. Observe Deus com seu braço levantado em ângulo reto... depois olhe para sua mão esquerda.Aqui embaixo já parece ser a asa e a cauda de um falcão unido ao corpo de Deus. Alguma ligação com Horus?

A Vaca
FIGURA 5 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO

"é chamado em egípcio de Ensih-v-em -dosh; este é um dos planetas governando também, e é dito pelos egípcios ser o sol , e recebe sua luz de Kolob por meio de Kae-e-vanrash, que é a grande chave, ou, ou seja o poder governante, que governa outros quinze planetas ou estrelas fixas, como também Floeese ou a lua, a terra e o sol em suas voltas anuais. Este planeta recebe seu poder por meio de Kli-flos-est-kli-flos-is-es, ou Hah-ko-kau-feixe. As estrelas representadas pelos números 22 e 23, recebendo a luz das voltas de Kolob." (Joseph Smith)

De acordo com as revelações de Joseph Smith, nós estamos tratando estritamente de astronomia e os princípios que governam corpos astrais. A explanação acima é completamente audaz para a época de Joseph Smith (por volta do ano de 1830). Nós vemos na imagem da figura 5 uma vaca divina (Hathor) com uma coroa e em seguida uma assistente que prende adiante um lótus (símbolo da

26

criação). A coroa parece um disco solar que descansa entre os chifres. O seguinte desenho abaixo é de um hypocephalus similar que descreve a mesma cena mas mostra claramente o disco do sol em cima da cabeça:

Joseph Smith começou sua interpretação da figura indicando que ela representava o Sol , assim a vaca carrega o disco do sol em cima de sua cabeça. O profeta Joseph Smith declarou este fato apesar de seu papiro não mostrar um círculo pequeno entre os chifres para representar o sol como na outra imagem que vimos. Era isto um a suposição afortunada ou o profeta estava sendo inspirado? Há uma outra divindade relacionada com o símbolo da “vaca”, chamado Mehet-weret, que foi fundido com Hathor e é associado diretamente com o cosmos. Mehet-weret significa “a inundação grande” , uma referência ao oceano celestial.

Poder de Deus
FIGURA 3 do FAC-Símile No. 2, EXPLANAÇÃO "é feito para representar Deus , sentando-se em cima de seu trono, vestido com o poder e a autoridade" (Joseph Smith)

O deus-sol assentado nesta seção do Hypocephalus é o deus falcão celestial e está com uma régua grande (um cetro), para medir a terra e o céu. O trono em que ele está sentado é reservado para as deidades e os reis somente. E assim também era o cetro nas mãos de Deus. O cetro simboliza o domínio, o poder, e a autoridade... como explicado originalmente por Joseph Smith. A imagem contida nesta figura era extremamente sagrada para os sacerdotes egípcios e Joseph Smith estava ciente disto pelo poder da revelação.

27

"representando também as palavras chaves do santo sacerdócio, como revelado a Adão no jardim de Éden..." (Joseph Smith)

Tudo sobre este retrato significa a autoridade do sacerdócio, e Joseph Smith, assim como os egípcios, ensinaram que o sacerdócio se originou com Deus. De acordo com a religião egípcia, foi dado aos reis primordiais do Egito e de acordo com a religião bíblica foi dado aos profetas que começam com Adão, "que era o filho do Deus" (Lucas 3:38). O amuleto simbólico na mão direita é o ankh, o sinal da vida em hieróglifos egípcios. Assim, nós vemos Deus e o poder do sacerdócio -- a vida eterna, que é doutrina chave ensinada nos templos mórmons hoje e dia, como revelado na explanação da figura no. 8.

Deus com ankh e o cetro nas mãos

EXPLANAÇÃO DE JOSEPH SMITH Fig. 1. Abraão sentado no trono do Faraó, por cortesia do rei, com uma coroa na cabeça representando o Sacerdócio como emblema da grande Presidência no Céu; na mão leva o cetro de justiça e juízo. Fig. 2. O rei Faraó, cujo nome é dado nos caracteres acima de sua cabeça. Fig. 3. Significa Abraão no Egito, como aparece também na figura 10 do fac-símile número 1. Fig. 4. Príncipe de Faraó, Rei do Egito, como escrito acima da mão. Fig. 5. Sulem, um dos principais servos do rei, como representado pelos caracteres acima de sua mão. Fig. 6. Olinla, escravo pertencente ao príncipe. Abraão está arrazoando sobre os princípios da astronomia na corte do rei.

28

Isis ou Faraó?

A explanação de Joseph Smith diz que esta é, o "Rei Pharaoh, cujo nome é dado nos caracteres acima de sua cabeça." Como pode ser isto? Os hieróglifos acima da mão não se assemelham àquele do nome de um rei e não são contidos em um cartucho real! O que Joseph Smith tentou falar aproximadamente? O desenho foi feito simplesmente para representar o rei egípcio da época de Abrão? O Senhor deu ao profeta Joseph Smith a inspiração a fim de abrir sua mente até a história de Abrão? Em um sentido, o fac-símile pode simplesmente ser consultado como a um suporte ou a um dae (dispositivo automático de entrada) visual para idealizar um ajuste antigo após a maneira dos egípcios. Para Joseph Smith o desenho não era nada mais e nada menos do que o rei de Egito.

29

O Senhor Osíris?
A explanação de Joseph Smith Fig. 1, diz, "Abraão que se senta em cima do trono do Faraó... com o cetro da justiça e do julgamento em sua mão." A imagem de Osíris é feita por este meio para representar Abraão, como um princípio simbólico (Apocalipse 5:6). Esta era a visão dada à mente de Joseph Smith ao restaurar o livro de Abraão. No que diz respeito aos símbolos sagrados segurados nas mãos do deus Osíris que foram segurados do mesmo modo pelos faraós que procuraram imitar a ordem patriarcal de Adam (Abraão 1:26), talvez seja a interpretação do representacionalismo simbólico. O deus egípcio da ressurreição é Osíris (como chamado em grego) mas Ausar em egípcio. Osíris na mitologia egípcia é o primeiro homem a ressuscitar. Osíris é o símbolo de Cristo no Egito. Primeiramente, o cajado de pastor, usado para recolher os carneiros (Isaias 40:11). Este cetro real é segurado geralmente em uma mão em um ângulo de 45 graus através da parte dianteira do corpo. Isto simboliza a mercê do deus. Em segundo, o chicote (Provérbios 26:3) é usado para dirigir o gado. Este cetro real é segurado na outra mão em um ângulo de 45 graus através da parte dianteira do corpo. Isto simboliza a justiça de deus. Estes dois instrumentos segurados nas mãos, recolhem os carneiros e dirige o gado para ir onde é compelido a ir. Assim nós vemos que há uma oposição em todas as coisas (2 Néfi 2:10,11). Conseqüentemente, o símbolo da mercê em uma mão e o símbolo da justiça na outra. Esta é a razão porque Osíris prendeu estes cetros em suas mãos e fez assim também os reis. Grande e maravilhoso são os mistérios de Deus. Somente em um estado de exaltação poderemos nós inteiramente compreender a natureza gloriosa da vida eterna. E glória seja ao Deus, o pai e a seu Filho Jesus Cristo, que se senta em cima do trono flamejante no Reino Celestial e fez a vida eterna possível para nós.

Deusa ou príncipe?

30

A deusa egípcia da verdade? Ma’at?
A explanação de Joseph Smith diz que esta figura é, o "príncipe do Faraó, rei de Egito, como escrito acima da mão." Os hieróglifos escritos acima da mão não parecem ter alguns dos emblemas necessários para denotar um príncipe de Egito. Seria a deusa egípcia chamada Ma'at?

Empregado?

Um egípcio apresentando-se diante de Osíris?
A explanação de Joseph Smith diz que esta é, Shulem, um dos empregados do rei, e como representado pelos caracteres acima de sua mão. Bem, para dizer a verdade, os caracteres acima da mão não significam esta informação em hieróglifos convencionais. Aqui nós vemos que um homem abençoado de paz, vem adiante e é cumprimentado por Osíris, senhor da vida. O que estaria realmente significando? Qual é o mistério aqui contido? Quem essa figura estaria realmente representando?

Anúbis ou um escravo?

31

A explanação de Joseph Smith diz que esta é, "Olimlah, um escravo que pertencia ao príncipe." Teria por acaso essa figura, a cabeça de um chacal? Seria na verdade a representação de Anúbis?

Coroa de Atef

Senhor Osíris usa uma coroa de Atef
A explanação de Joseph Smith diz, "com uma coroa em cima de sua cabeça, representando o sacerdócio... usada como símbolo da presidência nos céus, ou seja, da trindade.

Coroa branca (do Egito superior - sul) Coroa vermelha (do Egito mais baixo - norte)

32

A coroa dobro (do Egito unido combina coroas vermelhas & brancas)

Coroas Vermelhas & Brancas

Unir-se das duas coroas dá forma à coroa dobro:

Coroa Dobro

A coroa branca é exaltada, é o símbolo do poder de Deus . A coroa vermelha é um símbolo do trono e da influência de Deus, o Espírito de Deus é mostrado como uma onda que se estende para fora da coroa. A coroa dobro mostra todos os três elementos da trindade cristã, o qual consiste do Pai, do Filho, e do Espírito Santo.

33

As escritas da fig. 8. (que é recebida no templo mórmon) são traduzidos apropriadamente como: "baixo, a alma de Osíris Shoshenq viverá." ; bA Wsir SAs(nq) do anx do ti. A tradução convencional dos caracteres neste registro encontra-se certamente no templo mórmon através de um portador do sacerdócio, com a promessa e a esperança de vivermos para sempre na ressurreição. A conexão feita por Joseph Smith é notável e não pode refutado pelos críticos. As escritas da fig. 11, podem um tanto ser considerada uma tradução parcial (em termos frouxos). A tradução real destes caracteres, junto com uma junção do primeiro caractere da segunda fileira em Egiptologia convencional é: de "deus O daqueles que dormem na morte do começo do tempo.” tpii do sp do sDrw m de i.nTr.

34

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->