Você está na página 1de 14

A eficácia da Bandagem Funcional em Entorse de Tornozelo

Mônica Yuri Girata , Nelson Kian , Luciana Venhofen Martinelli
1 2 3

1. Fisioterapeuta (AEMS-Faculdades Integradas de Três Lagoas), aluna de Pós Graduação UCDB. 2. Fisioterapeuta, Mestre em Psicologia, Especialização em Métodos e Técnicas de Ensino, Especialista em Ortopedia e Traumatologia – COFFITO, Osteopatia – IDOT, Professor – UCDB. 3. Fisioterapeuta, Mestre em Ciências da Saúde – UFMS, especialista em Ortopedia e Traumatologia – COFFITO, Terapia Manual – UCDB, osteopata IDOT. Professora Supervisora do estágio de Ortopedia e Traumatologia UCDB, professora metodológica da Pós graduação – UCDB.

RESUMO Entorse de tornozelo é uma lesão que resulta em estiramento ou ruptura dos ligamentos da articulação, podendo levar a restrição da amplitude de movimento e a graus elevados de dor. Em atividades esportivas, os movimentos corporais sofrem mudanças inesperadas, precisando se manter íntegro afim de evitar qualquer tipo de lesão. A bandagem funcional atua tanto no tratamento como na prevenção, sendo eficaz no amortecimento de impacto. O objetivo deste trabalho foi analisar por meio de revisão bibliográfica a eficácia da bandagem funcional em entorses de tornozelo. Foram utilizados como fonte de pesquisa livros, artigos científicos, e sites como SCIELO e LILACS, com a coleta de informações referente ao tema e de acordo com as palavras chave. De acordo com os critérios de inclusão e exclusão foram selecionados onze revistas científicas considerados importantes para execução deste trabalho. De acordo com os artigos lidos e relatados neste trabalho, verificou-se que, embora o efeito da bandagem seja diminuído com o exercício, a bandagem é eficaz na prevenção de entorse. Palavras chave: entorse, tornozelo, bandagem funcional. ABSTRACT The ankle sprain is an injury that results in stretching or rupture of the ligaments of the joint, which can lead the restriction of range of motion and high degree of pain. In sports activities, the body movements suffer unexpected changes, requiring to remain intact order to avoid any type of injury. The bandage functional acts both in the treatment and prevention, being effective dampening impact. The objective of this work parse by literature review the effectiveness the bandage functional the ankle sprain. We used as a research source books, scientific articles, and websites as SCIELO e LILACS, with the collection of information referring to the theme and according to the keywords. According to the criteria for inclusion and exclusion were selected eleven scientific magazines considered important to execute this work. According to the articles read and reported in this work, it was found that, although the effect of bandage is reduced with exercise, the bandage is effective in preventing sprain. Key words: sprain, ankle, bandage functional.

sendo definida como uma causa do tornozelo deslocar durante atividades normais26.23.17.4.27.27.25. e a instabilidade funcional.22.19. onde o tornozelo apresenta movimento além de sua amplitude de movimento normal devido à frouxidão anormal dos ligamentos.20. grau 2 ou moderado (resultante de ruptura parcial dos ligamentos). basquete e futebol1. Os principais comprometimentos que ocorrem com a lesão em grau 1 e 2 são alteração da capacidade proprioceptiva (déficit) instabilidade articular21.1. e desta forma. tendo como conseqüência tempo insuficiente para responder ao evento. tornando-o menos funcional que antes da lesão26. onde os ligamentos estão normais. INTRODUÇÃO A entorse é caracterizada por ser um movimento violento. A entorse é classificada de acordo com o tipo de lesão e a intensidade do trauma em: grau 1 ou leve (resulta em estiramento ligamentar). A instabilidade crônica de tornozelo é freqüente em pessoas que sofreram entorse31.6.28. e grau 3 ou grave (ocorre ruptura completa dos ligamentos)15.5. mas apresentam função anormal devido a presença de déficits proprioceptivos e neuromusculares29.3. Há dois tipos de instabilidade: a instabilidade mecânica.24. Tal lesão ocorre com maior freqüência durante a atividade esportiva em atletas de vôlei. o aparelho locomotor precisa se manter íntegro afim de evitar qualquer tipo de lesão14.30. os movimentos corporais sofrem mudanças inesperadas de grande impacto. Em atividades esportivas. podendo resultar em estiramento ou ruptura de ligamentos de uma articulação 1.7-13. A instabilidade do tornozelo geralmente acontece devido a ocorrência de entorse de tornozelo anteriormente. A entorse de tornozelo afeta principalmente indivíduos jovens fisicamente ativos1.2. e comprometimento do equilíbrio.16.28.18. e em lesão de grau 3 pode-se ter movimento excessivo ou . na qual o tornozelo apresenta entorses recorrentes. As entorses de tornozelo geralmente são causadas pela diminuição da reação proprioceptiva resultando desta forma em uso inadequado dos movimentos musculares antecipatórios de equilíbrio.

ou devido a comandos inadequados de suporte muscular35.Verificar a incidência das entorses e suas recorrências.1. sendo então eficaz no amortecimento de impacto38. Objetivo Geral Verificar a eficácia da bandagem funcional na entorse de tornozelo. em intensidade além do normal durante a descarga de peso no membro acometido15. E a entorse em eversão esta relacionada com um encaixe plantar inadequado sobre o solo.Avaliar o mecanismo de lesão mais comum. Ela possui a função de proteção e estabilização de estruturas articulares e ligamentares37.32.A entorse por inversão pode resultar em lesão dos ligamentos talofibular anterior.31. O mecanismo de lesão em inversão na maioria dos casos ocorre devido a supinação excessiva do complexo pé-tornozelo31. 2. sendo estes ligamentos os responsáveis pela estabilidade lateral do tornozelo15.33. pode-se colocar uma camada de espuma entre a pele e a fita minimizando um possível desconforto36. OBJETIVOS 2.34. E para se conhecer mais sobre a entorse de tornozelo e sua relação com a bandagem funcional. METODOLOGIA . verificar a eficácia da bandagem em entorse de tornozelo.34.2.Descrever a função da bandagem funcional no tornozelo. 2. 3. Para evitar desconforto e irritação na aplicação da fita adesiva sobre a pele. Objetivo Específico . e desta forma. surgiu o interesse em verificar a função e utilização da bandagem. .37.34. posterior e do ligamento calcaneofibular15. A bandagem Funcional é utilizada tanto na prevenção como no tratamento de entorse de tornozelo36. que ocorre quando o tornozelo se encontra em flexão plantar com inversão excessiva do pé. .

4.6. quando uma pessoa anda em superfícies não uniformes ou escorrega em uma calçada40.7-13. As entorses de tornozelo em inversão são comuns nas atividades esportivas e também podem ocorrer no nosso dia-a-dia. Segundo sete artigos abordados. Após análise dos artigos foram selecionados para revisão bibliográfica onze Revistas Científicas.43. sendo estas transcritas de maneira semelhante ao autor referido. Após análise dos artigos.Foi realizada revisão bibliográfica com a coleta de informações do tema a ser executado e escolhido como fonte de informação livros e artigos relacionados à área da Fisioterapia. LILACS. sendo utilizados sessenta e nove artigos considerados relevantes e de fácil interpretação. sendo incluídos artigos em Língua Portuguesa e Inglesa dos últimos 10 anos nos sites SCIELO e LILACS. Estima-se que as lesões por inversão do tornozelo ocorram à razão de uma para cada 10 mil pessoas por dia. com o objetivo de buscar informações referentes ao tema. Em seguida foi realizada a leitura do material bibliográfico selecionado. foi realizado a partir dos sites SCIELO.41. basquete e vôlei1. sendo isso compatível com cerca de 27 mil entorses do tornozelo que ocorrem diariamente39. E foram excluídos os artigos não relacionados ao tema proposto. e estima-se que as entorses de tornozelo correspondam de 10 a 33% de todas as lesões desportivas42.44 e o mecanismo por inversão ocorre . e que apresentavam informações repetidas. artigos que não possuíam resultado satisfatório devido à falta de dados expostos. por meio do banco eletrônico especializado de dados. correspondendo a cerca de 10% a 15% de todas as lesões do esporte 1. desde a introdução até a conclusão. além de banco eletrônico especializado de dados.12. e que fossem relacionados à entorse de tornozelo e bandagem funcional. RESULTADOS E DISCUSSÃO Dos artigos lidos. quatro descreveram que a entorse ocorre com maior frequência nos atletas de futebol. foram selecionados como critérios de inclusão os artigos com qualidade metodológica. e na Biblioteca da Universidade Católica Dom Bosco. as entorses correspondem a 75% das lesões9. O levantamento.

Três artigos apontaram que.000 jogos em jogadores de basquete que não utilizavam a bandagem. permitindo uma carga funcional e imobilizando apenas os tecidos lesados ou predispostos a lesão37.000 em jogadores que a utilizavam51. ao se analisar o efeito da bandagem funcional durante testes de equilíbrio. A incidência de lesões de tornozelo é de 30. com isso o sistema músculo-esquelético consegue adaptar-se e responder melhor às sobrecargas. De acordo com quatro artigos estudados. foi descrito que uma das formas de prevenção e tratamento mais utilizadas nas entorses de tornozelo é a bandagem funcional36. ao evitar a sobrecarga através da estabilização das estruturas articulares. Segundo as estatísticas dos clubes de futsal. pois tem a função de proteção contra traumatismos. cápsula e ligamentos. Aproximadamente 70% dos corredores com lesões nos membros inferiores tratados com dispositivos ortóticos apresentaram melhora52.41.48.em 85% a 90% dos casos9. A bandagem atua no amortecimento do impacto 38. tendo a sobrecarga distribuída mais uniformemente entre os segmentos do membro inferior. têm maior probabilidade de lesionar o mesmo local anatômico 42. pois a força de reação do solo aumenta de modo mais lento durante a aterrissagem. os resultados encontrados indicam este recurso em atividades dinâmicas. e de 6. .4/1. sendo que entre 40% e 72% das pessoas com entorse de tornozelo experimentam problemas crônicos46. gerando limitação persistente da função46. as lesões do tornozelo estão entre as três de maior incidência e normalmente relacionadas à entorse por inversão45.5/1.49.53.12. Em um estudo realizado. que é um dos principais fatores apontados como predisponentes a recorrência dessas lesões42. coordenação e salto entre indivíduos saudáveis.47 que pode resultar em instabilidade articular.37. A bandagem funcional potencializa a força direcionada ao salto vertical durante a impulsão e durante a aterrissagem proporcionando um tempo maior para absorção do impacto em jogadores de basquete53. Para os autores deste estudo. a bandagem funcional tem um importante papel na reabilitação de entorses e na prevenção de lesões do tornozelo por proporcionar coordenação e propriocepção com a habilidade de reproduzir movimentos em cadeia cinética fechada durante a aterrissagem de um salto com segurança50.47. atletas que sofrem entorse de tornozelo.

CONCLUSÃO De acordo com os artigos lidos. sendo necessária sua remoção e reposição para recuperar tal eficácia61. é comum a recorrência de tal lesão devido à instabilidade do tornozelo. como a corrida e as mudanças de direção57. E poucos dados existem para ajudar a compreender como as bandagens funcionais podem agir para controlar a amplitude articular durante atividades dinâmicas. o mecanismo de lesão mais comum foi a entorse por inversão. Na maioria dos casos.Há poucos estudos que envolvem o uso de bandagens funcionais em atletas e que objetivaram analisar a influência deste sobre as estruturas da articulação do tornozelo durante situações estáticas54. Embora alguns estudos tenham demonstrado que a eficácia da bandagem diminui com o exercício. imobilização de tecidos lesados. prevenção de lesões e reabilitação de entorses. e que em muitos casos. Em um estudo que analisou a durabilidade do efeito e a eficácia da bandagem na prevenção de entorse. essa técnica se mostrou eficaz como método preventivo e seu efeito não diminuiu durante os primeiros 20 minutos de corrida67. onde se demonstrou que em uma corrida sem bandagem o atleta possui maior risco de desequilíbrios resultando em maior risco de lesão devido a pouca estabilidade durante sua locomoção68.56. de acordo com os resultados. Em um estudo realizado observou-se que em uma situação de corrida com uma velocidade entre 10 e 14 km\h o uso da bandagem funcional resultou em maior estabilidade em relação à corrida sem bandagem. 5. outros estudos constataram que a . Entre os artigos lidos constatou-se que a função da bandagem é o amortecimento de impacto. Os autores de um estudo demonstraram que a eficácia da bandagem decai rapidamente com o exercício (12% a 50% de sua eficácia na estabilização de tornozelo são perdidos após 10 minutos de exercício) 58-66.55. porém a bandagem funcional de tornozelo tem sido demonstrada como eficaz na redução do movimento de inversão64. verificou-se que as entorses de tornozelo são mais comuns em atividades esportivas.

Brown WC. In: Entorse de tornozelo. 4:527-44. 2009. Sheth P. Revista da Associação Médica Brasileira . Niterói.bandagem é eficaz na prevenção de entorse promovendo maior estabilidade para a articulação.vol.vol. 2009. Rehabilitation of the ankle. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisao Sistematica da Literatura. Fernandez WG. Am J Sports Med 1997. 5. n°5. Epidemiology of collegiate injuries for 15 sports: summary and recommendations for injury prevention initiatives. página: 326 . página: 233. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisao Sistematica da Literatura. J Athl Train 2007. Dick R.vol.Nov-Dez. 55. Rev Bras Med Esporte . IN: Analise da Performance Funcional em Individuos com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisao Sistematica da Literatura. 6.42:311-9.14:641-5. Rev Bras Med Esporte . 1999. 25: 538-43. 1999.vol. Ankle injuries: same joint. Mauffulli N. 2009. IN: Lesões ligamentares do tornozelo. Yu B. Nº 1. Davidson PL. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisao Sistematica da Literatura.15 n° 3. Niterói. McConkey JP.20:629-40. consequences and mimics. página: 14 – Jan/Fev. McBride D. Epidemiology of lower extremity injuries among U. Rev Bras Med Esporte . Ankle sprains. Rev Bras Med Esporte . 7. Nº 1. high school athletes. n° 6. página: 14 – Jan/Fev. Rev Bras Med Esporte Vol. Clin Sports Med 1985. Wilson BD. Med Sci Sports Exerc 1999. Med Sport Sci 1987. Derscheid GL. 4. Injury to the lateral ligaments of the ankle. 9. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de . Hootman JM. Lower limb injuries in New Zealand Defence Force personnel: descriptive epidemiology. Rev Bras Med Esporte – vol 11. Niterói. Rev Bras Med Esporte vol. 2. Malone TR. São Paulo. Laskowski ER. 8. 11: 659-62. 5. Epidemiology of sprains of the lateral ankle ligament complex. IN: Lesões ligamentares do tornozelo. 2005. Niterói.15 n° 3. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. MacAuley D. Chalmers DJ. 31:S409-11. Acad Emerg Med 2007.15 n° 3. Agel J. Yard EE. 6. Lassiter Jr TE. página: 233.23:39-55. página: 510. Aust N Z J Public Health 2008. 2009. Comstock RD.32:167-73.Vol. different sports. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 1. Ferran NA. 3. Ankle disk training influences reaction times of selected muscles in a simulated ankle sprain.15 n° 3. Foot Ankle Clin 2006. 5. Orthop Clin North Am 1989.S. Garrett WE. página: 233. 2009. Na KN. página: 233.

Bahr R. n. n° 6. Incidência de lesões traumáticas em atletas competitivos de dez tipos de modalidades esportivas. Rev Bras Med Esporte . Gilberto Waisberg. n° 6. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. M. Editora Atlântica. Rev Bras Med Esporte -Vol. Rev Bras Med Esporte – vol 11. Volleyball injuries – A colour atlas of volleyball traumatology. 2004. Scand J Med Sci Sports 1997. 10. 2005. S. D. Lausanne. n° 1. 27: 745-58. 15. Campos LAN. 111-118. 1994. 2005.IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Papandrea P.16:126-9. Suisse: Federation Internationale de Volleyball. Fernandes. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Rev Bras Med Esporte – vol 11. Schirmann A. n° 6. Saunders. Rev Bras Ortop 1992. 2009. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. São Paulo. Fisioterapia Brasil. Nº 6. página: 326 . 14. 18. prevention and rehabilitation. página: 325 – Nov/Dez. 2005 . IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Bernett P./abr. nº 6. O’Donoghue DH. vol 55. Franca. Rev Bras Med Esporte – vol 11. Tetzlaff J. 2005. 12. 1970. 2007.voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Clin Sports Med 1982. página: 326 . 16. Rev Bras Med Esporte – vol 11. página: 326 . 11. Sports Med 1993. De Carli A. Acupuntura cinética como efeito potencializador dos elementos moduladores do movimento no tratamento de lesões desportivas.7:166-71.Nov-Dez. vol 55.Nov-Dez.. Ferretti A.Nov-Dez. 2005. Revista da Associação Médica Brasileira. Atualização em entorse de tornozelo. 2. São Paulo.Jan. Fábio Lucas Rodrigues. 2009. Incidence of acute volleyball injuries: a prospective cohort study of injuries mechanisms and risk factors. Nº 6. 2005. Bahr IA. Common injuries in volleyball. Rev Bras Med Esporte – vol 11.1:3-12. 13. Balduini FC. v. Acute Sporting injuries of the ankle joint.B. Carazzato SG.Nov-Dez..Nov-Dez. Philadelphia: W.11. 11. C. 2005. mar. IN: Iniciação Científica CESUMAR . IN: Entorse de Tornozelo. 17. páginas: 510511. página: 326 . n° 6. 5. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Treatment of injuries to athletes. p. página: 325 – Nov/Dez. Historical perspectives on injuries of the ligaments of the ankle. V. Schafle MD./Jun.Vol. página: 641. Wanderley Marques Bernardo.vol 09. 27-41. páginas: 46 50 . Revista da Associação Médica Brasileira. n°5. Cortez. Treatment. página: 326 . Carazzato JG. n° 6.

Kilbreath SL. The Cumberland ankle instability tool: a report of validity and reliability testing. página: 325 – Nov/Dez. Freeman MA. Olesen S. nº 3. Nº 6. Per AFH. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Nº 6. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. página: 576. página: 325 . Sterling JC. Torg E. 2005. Lesões ligamentares do tornozelo. Jerosch J.Vol. Torg JT. 21. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Rev Bras Med Esporte . 1965. Reinhert LB. Nº 6.Nov/Dez.Vol 15. 2005.. Rev Bras Med Esporte .11. Nº 6. Rev Bras Med Esporte . J Bone Joint Surg Br. .26:72-7. Arch Phys Med Rehabil 2006. 87: 1235-41.5:13-23. Am J Sports Med 1998. 47:669-77. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Rev Bras Med Esporte -Vol. Hansen HM. Andersen JC.4:171-9. 25. Nº 6. Knee Surg Sports Traumatol Arthrosc 1996. Brunt D. Rev Bras Med Esporte 1999. 2005 20. página: 325 – Nov/Dez. Vegso TJ. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos Com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisão Sistematica da Literatura. 11. Rev Bras Med Esporte . Ankle sensoriomotor control and eversion strength after acute ankle inversion injuries. J Sports Med Phys Fitness 1999. Watson AW. 11. Balduini FC. Thorell AC. nº 3.39:66-70. Renström. Instability of the foot after injuries to the lateral ligamento of the ankle.Vol. 2005. Konradsen L. Nº 6. Huntsman B. Proprioception and joint stability. 11. Kisner. 2005. Rev Bras Med Esporte -Vol 15. Colby. Rev Bras Med Esporte . 22. Exercicios terapêuticos: Fundamentos e Técnicas. Parte II. página: 325 – Nov/Dez. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Ankle sprains in players of the field-game Gaelic football and hurling. Hebert RD. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos Com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisão Sistematica da Literatura. 26. 23. 2005. 11. C.24:171-6. página: 325 – Nov/Dez. Management and rehabilitation of ligamentous injuries to the ankle. Capítulo: 14 – O Tornozelo e o Pé. Sports Med 1987. 27.Vol.Vol. Lynch SA.4:364-80. Postural responses to lateral perturbation in healthy subjects and ankle sprain patients.11.19. Med Sci Sports Exerc 1992. Rev Bras Med Esporte -Vol. 4ª edição. LA. página: 233 May/June 2009. Hiller CE. Refshauge KM. 24. página: 233 -May/June 2009. São Paulo: Manole. Prymka M. página: 325 – Nov/Dez. 2005. Bundys AC. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo.

página: 233 ./dez. página: 235 ..4 p. n° 3. 30. n. Interventionsfor Preventing Ankle Ligament Injuries. nº 3. páginas: 510-511. D.May/June 2009. S. Rowe B. The Cochrane Library. Delahunt E. Med Sports Exerc 1999. de Bie R. . 36:131-7. Rowe BH. n° 3. M. 33. Commentary: Functional Ankle Instability Revisited. Olmsted-kramer LC.13 n.May/June 2009. J Musculoskel Med 1989. 2000. Journal of Athletic Training. J Eval Clin Pract 2004. n° 3.Vol 15. & de Bie.Vol 15.55.Vol 15. 35. Handoll.vol.Vol 15. L. Haywood KL. Kaveney MF. Lateral ankle sprains: a comprehensive review: part 1: etiology. Drez DJ. Hertel J. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos Com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisão Sistematica da Literatura. Rev Bras Med Esporte . histopathogenesis. Safran MR. Rev Bras Med Esporte . IN: Lesões Ligamentares de Tornozelo. K. Rev Bras Med Esporte . IN: Analise da Performance Funcional em Individuos Com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisão Sistematica da Literatura.May/June 2009. 31.. Knight. Simplifying the star excursion balance test: analyses of subjects with and without chronic ankle instability. Motriz. S. Hargreaves J. 2007. Handoll HH. Practical guidelines for examination and treatment. página: 233 . Ankle function during gait in patients with chronic ankle instability compared to controls.312-323. São Paulo. Dallas. Mandelbaum BR. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos Com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisão Sistematica da Literatura. J Orthop Sports Phys Ther 2006. out. IN: Suportes de pé e tornozelo: efeitos na biomecânica e na prevenção de lesões desportivas. página: 233 .28. Caulfield B. Rio Claro. 10:339-52. 35. 29. Rev Bras Med Esporte -Vol 15. and diagnosis. Struijs PA. Clin Biomech 2006. Hale SA. Schulthies. página: 14 – Jan/Fev.May/June 2009. Ricard. Oxford. K. 5. Quinn. J Athl Train 2002. 21: 168-74. 31-37. 37:512-5.. Multi-item outcome measures for lateral ligament injury of the ankle: a estructured review. Kerkhoffs GM. Tropp H. Monaghan K.May/June 2009. M. p. 31:S429-37. n° 3. Bartolozzi AR. R (2001).Vol. Nº 1. 1. v. página: 233 .6:21-36. Ankle ligament injuries. pathoanatomy.. Braham RA. Lamb SE. 34. Sherwood. Revista da Associação Médica Brasileira . Benedetti RS. IN: Entorse de Tornozelo. v. Surgical versus conservative treatment for acute injuries of the lateral ligament complex of the ankle in adults. 36.. Rev Bras Med Esporte . 2009. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos Com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisão Sistematica da Literatura. Rev Bras Med Esporte . IN: Analise da Performance Funcional em Individuos Com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisão Sistematica da Literatura. S. 1999. n° 5. Effects of tape and exercise on dynamic ankle inversion. 32. H.

4 páginas: 312-323. 1994. D. Curran. 2010/2. p. 413–417. IN: Efeitos das Bandagens Funcionais na estabilidade dinâmica em atletas de futsal. Anderson. Piercy. Athanasopoulos. D. P. Thomson. Rio Claro. IN: Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo. Nº 24. The role of ankle bracing in injury prevention.13. p. London. Ano XII.329-387. Hans Jürgen. Fisioterapia de Tidy. S. Williams GN. páginas: 312-323. Ano XII. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos Com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisao . 33. 2007. Rizzo Jr. páginas: 312-323. 2005.cap. 2007. Skinner. out. Persistent disability associated with ankle sprains: a prospective examination of an athletic population. M.19:653-60. Osborne. YI. 2007. páginas: 312323./dez. Taylor DC. 15. A. 1. Sports Medicine. I. Pincivero DM... IN: Suportes de pé e tornozelo: efeitos na biomecânica e na prevenção de lesões desportivas. 40.. 14. IN: Suportes de pé e tornozelo: efeitos na biomecânica e na prevenção de lesões desportivas. S. Bollen. J Orthop Sports Phys Ther 1997. n° 4. São Paulo. Papadopoulos. The Foot. Jorge. p. Sacco.. v. 2003. 42. Rio Claro. Páginas: 87 a 93.vol13 n. 2010. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 2004. 6. Miller MC. athletic performance and muscular control: a review of literature. Lephart SM. 39. Et al. Rev Bras Med Esporte – vol 11. Ebig M. 15. Montag. G. Gerber JP. O pé e o tornozelo./dez. n. 38. R. Ankle injuries in sport. Sheffield. Foot Ankle Int 1998. 12ª . Motriz. Ciência em Movimento. vol 13. S. n.. Barcelona: Grass Ediciones. The effect of sudden inversion stress on EMG activity of the peroneal and tibialis anterior muscles in the chronically unstable ankle. Auckland. páginas: 98 105. 44. 1145-1150. vol 13 n° 4. 2005. T. out. Peter D. (Org) Reabilitação em medicina esportiva: um guia abrangente . Páginas: 89 a 91. 10. 43. M. Motriz. E. 2000. Prevention and treatment of ankle sprain in athletes. Sao Paulo: Santos. Influência de implementos para o tornozelo nas respostas biomecânicas do salto e aterrissagem no basquete. E. Rio Claro. n. IN: Suportes de pé e tornozelo: efeitos na biomecânica e na prevenção de lesões desportivas./dez. P. out. Nicolopoulos. G.13 n° 4. Nº 24. A. São Paulo: Manole. 2007.26:73-7. Motriz. n° 6. N. Ernst. Motriz.. 2001. 46. J. p. Tecnicas de Vendajes. Arciero RA. Ciência em Movimento. C. página: 325 . v. v. Current Orthopaedics. 1992. IN: Efeitos das Bandagens Funcionais na estabilidade dinâmica em atletas de futsal – Estudo de dois casos. IN: Suportes de pé e tornozelo: efeitos na biomecânica e na prevenção de lesões desportivas. C. n.37. Scoville CR. 1-6. Entorses de Tornozelo no Futsal. 41. v. Burdett RG.Nov-Dez. Asmussen. Rio Claro . In: CANAVAN. S.ed. S. v. 6. Hurwitz. out. 45./dez. . Renato Miguel.

15 n° 3. 51. Lower Extremity Kinematics and Ground Reaction Forces After Prophylactic Lace-Up Ankle Bracing. 2009.). v. jun. Auckland. Br J Sports Med 1999. 26. Paginas: 87 a 93 . Ciência em Movimento. Nº 5. 53. 10. nº 6. Rio Claro. out. Ciência em Movimento. Análise da Influência da Bandagem Funcional de Tornozelo no Tempo de Reação do Fibular Longo. Adriana Moré. out. 169-176. Athens. IN: Influência de implementos para o tornozelo nas respostas biomecânicas do salto e aterrissagem no basquete.33:409-13. 2007. Rev Bras Med Esporte – Vol. São Paulo. 2008. 2009. Nº 5. N. 49. Niterói. v. 2004. 2007.2010.2010.15 n° 3. Rev Bras Med Esporte – Vol. Arch Fam Med 1999. IN: Suportes de pé e tornozelo: efeitos na biomecânica e na prevenção de lesões desportivas. Liu H.3. Rev Bras Med Esporte vol. Mcnair P. páginas: 312-323. et al./dez. al./dez.. B. 1998. Rev Bras Med Esporte vol. Am J Sports Med. Ozer. The Effect on Neuromuscular Stability. p. Burks RT. Marcus R. Rev Bras Med Esporte vol.Sistematica da Literatura. The Foot. 52. et al. Niterói . Nigg. Ankara.10. IN: Analise da Performance Funcional em Individuos Com Instabilidade do Tornozelo: Uma Revisao Sistematica da Literatura. 2009. Lindsay J. Analisys of athletic performance with prophylactic ankle devices. Derya. Hintermann. Elliot BC. Braun BL. Niterói. páginas: 233-234. 6. Landing in netball: effects of taping and bracing the ankle. 3. 15. aug. Bean BG. v. n./Dec. IN: Efeito do Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol.8:143-8. 2004. Taping or Preventative Bracing. Gross MT. páginas: 233-234. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. IN: Efeitos das Bandagens Funcionais na estabilidade dinâmica em atletas de futsal. páginas: 312-323. 50. Barker HB. C. Hopper DM. Nº 24. 205-210. Performance. B. n. In: Congresso Brasileiro de . Sacco. Paginas: 89 a 91 . 2009. p.33:572-6. v. Pacheco. 47. Influência de implementos para o tornozelo nas respostas biomecânicas do salto e aterrissagem no basquete. IN: Efeito do Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol. 2003. IN: Efeitos das Bandagens Funcionais na estabilidade dinâmica em atletas de futsal. Nº 24. Pronation in runners: implications for injuries. Distefano. M. n. Ano XII. 55. 15. 54.Nov. IN: Suportes de pé e tornozelo: efeitos na biomecânica e na prevenção de lesões desportivas. Motriz. Sports Medicine. p. Journal of Athletic Training. 2009. Ano XII. 234-241. n° 4. et al. páginas: 347-348 – Set/Out. 48. multijoint Coordination and Proprioception of Barefoot. Motriz. The role of ankle bracing for prevention of ankle sprain injuries. 43. Effects of ankle sprain in a general clinic population 6 to 18 months after medical evaluation. I. et. 19. J Orthop Sports Phys Ther. vol 13 n° 4. 1991.19:104-6. página: 448. Rio Claro. vol 13. páginas: 347-348 – Set/Out.

Rev Bras Med Esporte – Vol. páginas: 347-348 – Set/Out. Hennig EM. et al. Anderson DL. Terre Haute. McBride J. Kate. 4. 1994. Medicine and Science in Sports and Exercise. 2009. 1990. 2007. 1995. Horodyski M. Sitler M.21:147-52. Nº 5. Greene TA. Sitler MR.5:18-24. n. 61. 874-879. 2009. p. Ano XII. Sports Med. Nº 5. Nº 5. 62. Mitchell PW. Am J Sports Med. 2007. Efficacy of Prophylactic Ankle Support: An Experimental Perspective.22:454-61. may. Sanderson DJ. dec. IN: Efeito do Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol. Sitler M. Rev Bras Med Esporte vol.20:53-7. 57. IN: Efeitos das Bandagens Funcionais na estabilidade dinâmica em atletas de futsal. 15.18:498-506. The role of external nonrigid ankle bracing in limiting ankle inversion. 2009. 781-787. The Placebo Effect of Ankle Taping in Ankle Instability.Niterói Nov. Estância de São Pedro.22:78-82. 2009. Ryan J. J Orthop Sports Phys Ther. Sidney. Nº 24. Am J Sports Med. 60. Ciência em Movimento. IN: Efeito do . Rev Bras Med Esporte – Vol. 1994. Paginas: 89 a 91 .2010. 58. Tsenter M. IN: Efeito do Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol. Rev Bras Med Esporte – Vol. IN: Influência de implementos para o tornozelo nas respostas biomecânicas do salto e aterrissagem no basquete. 446-457. Anderson J. 2007. Paginas: 89 a 91 ./Dec. Paginas: 89 a 91 2010. Cordova. IN: Efeitos das Bandagens Funcionais na estabilidade dinâmica em atletas de futsal. Kabo JM. 37. p. et al. Shapiro MS. Horodyski M. 59. Clin J Sports Med. Ano XII. 1995. páginas: 347-348 – Set/Out.2010. Ankle sprains prophylaxis: an analysis of the stabilizing effects of braces and tape.10. Arciero R. n°. Sawkins.6 . 15. páginas: 347-348 – Set/Out. n. Wheeler B. 15. p. Anais do XIICongresso Brasileiro de Biomecânica. Kimura I. Ano XII. v. and after exercise. 2002. 2004. 1995. 56. Journal of Athletic Training. Nº 5. Mitchell L. MacPherson K. Hillman SK. Nº 24. 39. et al. 63. Loren G. Comparison of support provided by a semirigid orthosis and adhesive ankle taping before. 5. IN: Efeito do Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol.Biomecânica. Effectiveness of prophylatic ankle stabilizers for prevention of ankle injuries. Effects of a semirigid and softshell prophylatic ankle stabilizer on select performance test among high school football players. Nº 24. 15. Am J Sports Med. IN: Efeito do Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol. v. Ciência em Movimento. IN: Efeitos das Bandagens Funcionais na estabilidade dinâmica em atletas de futsal. during. Rev Bras Med Esporte – Vol. Ciência em Movimento. The efficacy of a semirigid ankle stabilizer to reduce acute ankle injuries in basketball: a randomized clinical study at west point. páginas: 347-348 – Set/Out.

Pilland CS.. Palmieri RM. Rafael Marques. 19-22. 64. IN: Efeito do Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol. 2009. n° 24. Leonardo Alexandre. n° 1. 2007. 126. Comparison of Donjoy Ankle Ligament Protector and subtalar sling ankle taping in restricting foot and ankle motion before and after exercise. Efficacy of prophylatic ankle support: an experimental perspective./Jun. páginas: 347-348 – Set/Out. páginas: 347-348 – Set/Out. 2009. Nº 5. L.37:446-57. Cordova ML. 68. Gross MT.19:33-41. n. IN: Efeito do Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol. maio/jun. Efeitos das Bandagens Funcionais na estabilidade dinâmica em atletas de Futsal. páginas: 347-348 – Set/Out. A. páginas: 46-50. 2003. 15. 1994. Cox BD. Ano XII. Ciência em Movimento. Andrade Junior. Clemence LM. Bandagem funcional na prevenção da entorse de tornozelo por inversão. Rev Bras Med Esporte – Vol. Lamm AL. J. J Orthop Sports Phys Ther. 2009. Lorren JL. Effect of ankle orthosis on functional performance for individuals with recurrent lateral ankle sprains.2010. Stapait. Rev Bras Med Esporte – Vol. Peyré. Rev Bras Med Esporte – Vol. J Athl Train. 15. Nº 5. Gross MT. 2009. Pacheco. Batten AM. et al. McMillan HP. Davis JM et al. B.25:245-52. Gustavo. Portella. 2002. 67. Ferrer. IN: Incidência de lesões em atletas praticantes de futsal. IN: Efeito do Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol. J Orthop Sports Phys Ther. Páginas: 87 a 93 . 15. IN: Efeitos das Bandagens Funcionais na estabilidade dinâmica em atletas de futsal – Estudo de dois casos. C. .Uso do Estabilizador Active Ankle System na Altura do Salto Vertical em Jogadores de Voleibol. Meadows AF. p. Iniciação Científica CESUMAR -. 1997. 65. Rev Bras Med Esporte – Vol. Sprint magazine. Stevens JJ. páginas: 347-348 – Set/Out. 66. Adriana Moré.Jan.vol 09. Nº 5. 15. Ingersol LCD. Nº 5.