Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target

CENWeb

SEGURANCA NA EXECUCiio DE OBRAS E SERVICOS DE CONSTRUCAO
@I Procedimento

02943

NBR 7676
JAN11993

SUMARIO
1 Objetivo 2 Normas e/w documentor 3 Defini+s 4 Condi#es gerais 5 Ccmdip6es especificas indice alfatitico complementares

1 1.1

OBJETIVO

Esta

Norma fixa de construqao

as

condtg&s

exlgiveis

de

seguraqsa

e higiene

em

obras

e

ServiGos letivo, 1.2 bras 1.3 lhos

e 0s proceoimentos dessas condi@es

e medidas, na execugao em geral

de carster de tarefas e,

individual especificas. a outras

e

co

para Aplica-se

manuten$o

especialmente

a edifica$es

onde couber,

0

de engenharia. Tern coma finalidade da indkstria servir %s autoridades civil, que tenham jurisdigao sobre traba na

de constrtqao

de urn modo geral

e aos

interessados

preven@
2 NORMAS

de acidentesdo
EIOU DOCUM5NTOS

trabalho.
COMPLEMENTARES

Na aplica$ao Lei 6.367,

desta

Norma i

necess~rio

consultar: - Seguro de acidente de trabalho de acidente do

de lY/lO/lY76 de 24/12/1976

Decreto

79.037,

- Regulamento trabalho

de seguro

Lei

6.514,

de 22/12/1977l

1

Modifica

o capitulo

V,

do titulo

III

da CCT.

Or&m: ABNT - N&252182 CB-2 - Comiti Brasileiro de Constr&!o Civil CE-ZLUi.02 - ComisrZo de Gtudo de Segurawa na ExecugFio Obas de

SISTEMA METROLOGIA,

NACIONAL

DE

ABNT

- ASSOClACAO DE NORMAS cp

BRASILEIRA Ti%ZNlCAS

NORMALIZACAO INDUSTRIAL

E OUALIDADE

NBR3 CDU: 624:614.6 Tador os dinitor -doa

NORMABRASILEIRA

REGISTRADA 112 p&inar

Licença de uso Copia impressa exclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN

Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb

2 Portaria do de n? MinistGrio do Trabalho

NBR 767811883

n? 3214,
Resolug:o NBR

B/6/1978’

7

HIC/CNICC,

de

9/7/1976s Transporte Procedimento e execugao armado na seguranga de obras de con ferroviirio de explosive

5930 6118

NBR

-

Projeto creto

- ProcedimenLo do trabalho Proce -

NBR

7195

- Cor

dimento NBR 7229 - ConstruGao septicas finais e instala$ao dos de fossas

e disposigao - Procedimento

efluentes

3
Para

DEFINI@ES OS efeitos &xJulo maxino exista Hate-c.: desta (10 rt?pnu::c~ corn possibilidade ?<I <?a usado para cravar estacas por percussio. Norma 02 sao &l&o adotadas & lkl7ud,: por as definigoes riir!,l,rvll matcriais constituidos de graos, sew de

3.1 a 3.33.

3.
que

1

Angulo

a horizontal, de

formado desmoronamcnto.

3. 2

Equipamento

3.3

Ccplmba
usado para canter ou transportar materiais.

Recipiente

3.4
Camara seco, terial

co?&7
de sob ou

p?“~ticto
concrete press& executando maior

ou tuLuAi&
armado, que outros a$o ou

pncum;tico
madelra em que abaixo as do pessoas lensol podem d’agua, trabalhar, escavando a ma -

a atmosferica, serviqos.

3.5
ais

c&am
de

dc; comprcssao
ou recipiente sob

e descorr~prcssuo
usado para alta mais

~eclusu,
que

cAzTp;fiuLa)
de para pessoas o ar e livre, materi ou

Compartimento

permitir

a passagem a atmosferica

urn ambiente

pressao

vi w-versa

3.5.1
Camara

&nar~: destinada

DU cclusa 2

de pessoaZ
pascagem exclusiva de pessoas de urn ambiente sob

’ 3

Regulamentou Recomenda c i ta@es tabelecidas

a Lei

n?

6514,

de

22/12/1977 publica seja de higiene incluida e seguran$a nos do editais trabalho de Ii es.1

aos orgaos da , a observkcia pelo Ministerio

administragao dos requisites do Trabalho.

Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb

NBR 767811983

3 0 ar livre, ou

press%o

mais

alta

que

a

atnosfirica

para

vice-versa.

3.5.2 Chara originado dice.

CL;-nara para por

de rccom~ressa;,
a qua1 trabalhos possam sob

?XXYZ soco~m &dim
ser ar removidas comprimido, pessoas para corn pronto qualquer distrirbio me!atendimento

3.5.3
Clara

Chara

de mteriaZ
a entrada e saida de materiais.

destinada

3.6
Local

c&ma
onde

de tmkzZho
estiverem sendo executados trabalhos sob ar comprimido.

3.7
a

Caquueim
ou plataforma a usada estacas. para canter pesos que servem de rea@ forGas apl i cadas

Recipiente

3.8

Fustc
para
^.

Ichamin~l
feita

de tubuZ&
a

ou caimio
de alcangar camadas de solo mais pro

Escava$o fundas

corn

finalidade de funda@o.

construG;io
.

3.9
Ra

Cue~zczente numEr ica msxima de

(fatorl entre a

de se~uran~~
carga de ruptura de uma wv estrutural e a

z:o

ca rga

servigo.

3.10

lkbna&r usado p.3ra provocar detona@o de explosives.

Dispositivo

3.11

Equipmento de

de prote&
uso

individual
corn a finalidade de evitar ou minimizar

Equ+mento as IesGes

individual

pessoais.

Estrutura

constituida

de pisos para izar

horizontais alcanyr

escalonados, niveis diferentes

suportados de maneira

por

nada ou parede, haver necessidade

que serve de util

peGa incli segura, sem

as maos para

escals-la.

3 ~I 3
Escada graus)

~‘scada de m-o
constituida e que, para de wontantes escals-la, ligados a intervalos de usar por peqas transversais (de

haja necessidade

as maos.

20 Estrutura pessoas. de risco. 3.C6pia impressa pelopelo Sistema CENWeb impressa CENWIN Cópia Sistema Target 4 NBR 7678/1983 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 3.19 PeGa Estronca de escoramento nso vertical. 3. e flexlvel usado para conduzir fluidos ou transmitir press& hi . Escada de mao de mib fixada fixa a uma estrutura de forma a 60 poder ser deslocada aciden 3. lugares em case 3. Gaiola de protetora prote@o usada em tot-no de escadas fixas para evitar a queda de 3.14 Escada Escada de mso de m-0 que conjug~vei! pode ser conjugada seguramente para formar uma escada maior.23 Dispositivo corn de Macaco mecsnico de esforgo ica.2 4 Tuba dr&l Mangueira resistente icas.18 Pega Estaca estrutural de esbelta transmitir introduzida esforsos no solo ou do que 6 moldada “in loco”.21 Estrutura Guarda-corpo de prote$ao que serve coma anteparo contra queda de pessoas.17 Escada talmente.22 Cabo C&O ou corda de segwmp de onde resistcncia &I pessoas fixadas para adequada. cintos ancorado de a estrutura ou que fixa sirva e resistente para transportar seguranGa.0 bomba hidr&l 3. 3. corn a finalidade a camadas subsolo. 3. sistemas abaixar de aiavanca ou mover ou corn cargas “SO us. 3. ou human0 hidrkl aplicado ice usado atrav6s para de levantar. 3.15 Escada (corn Escada de degraus mao de rn% de abrir auto-suportivel ou 60) articutadas tendo na uma parte pesa corn degraus e outra de apoio superior. as liga@zs f irmemente de seguros.16 Escada recolhida Escada de mso para de m& que de extens~o pode ser estendida 0 transporte por meios manuais ou mecznicos e depois facilitar e a acomodaG:o.

27 Piso tos PZataforma horizontal ou materiais. 3.” Piso para incl outro.25 Pega Parede de reten@ estrutural usada para canter empuxos horizontais. exotgrmica ” de ml de hidratasao da cal “virgem.. que 6 apl icada em acr&ci - mo . use do equ i pamento .29 Pressso PzwsGo I ida irjlicada nos mostradorts de aparel hos de medigao. 3.1-l tos normas Segumnga Devem de protegao e legisla$ao indiuidual existir na individual vigentes obra. nivelado ou para usado para execu$o de pessoas de trabalhos.30 Rea& “(&. em execu~&~.1. I 4. 4 CONDIC6ES GERAIS 4. passagem e veiculos Parede de reten@o formada por pranchas de madeira. potgravidade ou forsa hidrkl ica.32 Rqilador usado rd~tor para tie pm&i0 reduzir e regular press&s de gases 1 ibcrados de recipi Equipamento entes. 3. 3.26 pega Pi720 empregada para impr imir golpes. materiais e veiculos de urn nivel 3.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 7676/1963 5 3.io superficie na fun& de sustentar pessoas. 3.33 Qualquer Superf&ie tipo de de sustentac. em condi@zs necessaries e mais ss aqueles de utiliza& imediata. inado usado para passagem de pessoas. o 6rgk de seguranga OS equipamen Segundo indicar.2 de prote$o 0 pessoal individual da obra deve necesszrio ser instruido > execu$o e treinado de was no tarefas. suporte entre n7veis de equipamen iguais.5 atmosferica. as atividades que 4.

de plcote5. E obrigatkioio uso. regularmente. a intervalos o seu de 2 m. 4.3.3.5 apropriados. no canteiro de obras.3.1 A execu@o em locais em que haja possibilidade de mais de 3 m.1. ade ambiente.3. de catena’ 0 cabo de seguranca 0 cabo de seguranga a fim de amenizar e ensaiado pender de preferkcia. . adequadamente cinto de seguransa . d) opera@ e) utiliza$o corn esmer il .3 fas A utilizagzo em execu@o. e torte especialmente nos cases a quente.6 0 conjunto a uma forGa o uso de cinto de seguranca. de ligado queda ao cabo 4.a 2.4 quado~ao E obrigat&io risco o use. de seguranta possa em case de queda.3. ser inspecionado ruptura.50 4.5 ambiente. do operzri0.3 4.1. de produtos que possam oferecer perigo aos olhos.cabo de seguranga deve ser capaz de de tragao de 12 000 N sem sofrer deve deve.1. 4.1. corn cinto de a&is segurafi 0 cabo de seguransa aos quais deve ser equipado. sinais o uso de cintos cabos de ou que mostrem de deterioraszo.2 resistir 4. 4. o trabalhador violenta seguramente objeto.Licença de uso C6pia impressaexclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 6 NBR 7676/1663 4. exige de seguranca.1.1.1.3.9 a queda corn o solo ou qualquer Nzo se deve corn defeitos OS cabos livre em nenhuma higtese.obras. ancorados de tal~:maneira que limitem de seguranga devem estar m.1.1. de coliszo permitir.4 ria. de capacete de seguranqa. no canteiro de.8 seguranga 4. e sejam estsveis aos cintos e indeslo&eis. b) torte c) servigo de materiais de perfura$o. de maneira par forga das tare e dew cofreta. e sem possibilidade 4. no canteiro de obras. P. 4.k de: facial ou ocular adequada a) do serviso. em forma o choque de detengzo da queda.1.1.3.6 E obriga&io ao cariter soldagem o uso. devem ser ficar colocados de tal suspenso. que produzem estilhaGos.7 maneira OS a&is que. os trabalhadores possam ligar OS cabos de seguranga adequada de conexzo devem ser seguramente fixados a suportes que possuam resistkia 4.3. de calgado adequado ao risco 4. do equipamento B obrigat&ia de trabalhos de protesao ser feita individual.3.1.1.

1. lho Ao penetrar cuja frente em tineis. acompanhar de perigo. 4. galerias ou escava$Ges profundas de trabalho 60 oferega born contato visual deve estar presa par urn cabo-guia que a dew de pequenas di e exija trab< em case durante individual.1. alertar a pessoa que permita. sido atingidas trabalhando por produtos em obra.10 tenham Nenhuma pessoa.-las folgadas. inflamzveis dew permanecer corn roupas w ou agressivos. roupas us.1. executada. agressiva adequado da tarefa chapa. ou fragmentos. transportador b) fazer-se de cargas. requerem corda.12 Nao deve a) executar ser permitido trabalhos transportar ao pessoal para OS quais da obra: nzo esteja tipo habilitado e autorizado. a) nZo usar. colhidos an&is. usarem luvas. toda imediatamente no local. 4. o encarregado a sua perman&cia 4. produzir atividades fagulhas martelos. 4. braceletes.1.8 As pessoas expostas a ruidos capazes de prejudicar a sacde devem user protetores apropriados. em qualquer de equipamento .7 As pessoas que executam trabalhos que exijam ao carster proteszo das mzos par luvas de seguransa Tarefas aparelhsda devem usar as de tipo de vergalhk. madeira 40 corn manipula$o e subst%cia cabo de aso.11 me&es. len$os c) quando arregasadas de pescoso. justas ccnnpridas e/au e. nesse Se” d) 60 t ido. risco ou qualquer outra ferramenta que g) outras em que haja para a face ou para OS olhos. na necessidade e na’o usar de usar gravatas mangas OU b) na”o usar compridas. usar a 1150 ser que explicitamente orientados 4.1.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811983 7 f) utiliza& possa de talhadeiras. colares. cabelos compridos adotar proteszo adequada. o uso de luvas de seguran$a. 4.9 OS operadores sujeitos a serem atingidos para: rel6gios ornamentos por partes m&eis de m5qu inas e equipamentos devem ser instruidos o trabalho. pelas ou outros que possam ser em mwimento.1. partes durante correntes de pulso.

SAO” ) ‘Yi& bem visiveis. 4. do vi Na instalagao de risco. incluindo priblica. e movimentacao contra a ac. de trabalho.1.2 Seguran~a coktiva na ohm do canteiro que de obras seja legais.2. TOXICO” p1acas ou outros.15 de locais 0 pessoal deve ser instruido perigosos. deve fazg-lo de protecso adequada. 4. tais onde coma haja caixas ou possa d’a’gua haver (corn pintura formadora de gases. de traba deve reduzir-se. corn avisos seguranca. as seguintes prjticas: qualquer comprimido limpar ou equipamento contra secar. da obedie’ncia da obra e services Nso a) b) devem usar.1.14 cabinas que caiam As para mgquinas protegso de escavagso do operador projetados.1. devem “PERIGO apresentar DE ga 15 i EXPLO emanacoes de entrada. . seguranca propriedades de utilidade ser permitidas ngo maneira jatos mesmo apropriada. coma de gases).1 cial slim pessoal zinhas 4.io de cargas do tempo devem e impact0 ser dotadas de objetos de ou sejam 4.de dirigir lho. aa@0 existente. projeto ao msximo. escadas saltando degraus. final idades diferentes daquelas a S%J destinadas. 4.2 4. de tra@ e aberturas no piso. ou equipamentos defeituosos ou inadequados.Licença de uso Petrobrás S/A Copia impressa exclusivo paraTarget CENWeb impressapelopelo Sistema CENWIN Cópia Sistema 8 NBR 767911999 c) d) e) correr farer usar dentro refei$es ferramentas da obra. terefas que dgem lugar entrar a llberagao em ambi ou necessite respirat&ia poluidos. realizado a crtacso o public0 de condicces em geral. c) d) esticar usar que E recomendado 5s e de exig&cias terceiros.16 rias Locais e pocos.13 de poeiras.2. ou ar de de sgua companheiros corn finalidade ou cordas manuais cabos ferramentas s passagem para de companheiros. independentemente 4. em locais subir nao ou descer apropriados. rational que de o poten preveja. para tais ter come o devido aqueles cuidado em que ao existam se aproximar maqu inas da sinal i potencialmente cabos em movimento. entes 0 trabalhador fumes que ou gases estiver prejudiciais provido executando j wide.1.

e o entulho devem ser mantidos a dista^ncia de aberturas e extremidades 4.4 dos Todos e ventilados. muni$o ou explosive. a sua transpar&cia OS vidros possa devem levar ser marcados a supor de maneira a sua inexist&cia. 4. devem ser mantidos adequadamente i lumina 4.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa Sistema Target CENWIN Cópia impressa pelo pelo Sistema CENWeb N6R 7676/1663 9 e) atirar maior ferramentas rapidez. de que nzo haja traba se certificar previamente inseguras.9 4. OS locais natural de trabaiho ou artificialmente. a n% ser we j) ingressar explicitamente autorizado.2.7). Todas as partes perigosas que seja de vista ma’quinas por quantos e equipamentos se aproximem d evem dessas ser partes protc pe corn sinalizaG:o 4.2.2. as ferramentas de pisos. corn pregos em condi@es de causar acidentes. estopas de dep. visivel para 4.7 evitar Apes que a coloca$o.5 te As la^mpadas sujeitas a impactos ou vibra@es devem ser adequadamen protegidas.6 ladas e dispostas ou equipamentos.2.8 OS materiais. de pano embebidos em substkias inflamiveis g) h) fumar ligar lhadores em locais sem onde haja risco de inc&dio. arma. I) deixar tabuas 4. rigosas. intoxica$Zo alc&lica ou a distkcias em estado subs&cia portando de i) executar de qualquer ou proveniente toxica.si ou atear equipamentos desavisados trabalhos outra na obra aos companheiros de trabalho. ainda que se vise a f) deixar fora ou peda$os tos fogo apropriados.2. As instala$es elitricas de forma provisorias a evitar impactos devem de ser pessoas mantidas devidamente i so 4.2. Na obra devem ser mantidas condi$es de ordem.2. limpeza e higiene (ver .3 gidas.

do dia^metro ou por do cabo dos em qualquer fios. 4. extensso por decomposi$o de alma abras% c) rompimento de fios. por em livro pessoas e equipamentos devendo habil ser itadas.1 a operar capazes. devem a fim risco ser inspecionados sua substitui$Zo semanilmente seja de acordo determinada de que de ruptura. atingir 0 os de fios rompidos prejudicado 1.3 OS cabos corn as antes de ago. 30 vezes internas.3. fabricante. 4.5 abaixo: No case de rompimento de fios o crit<rio de rejeiG% deve ser o exposto . no trecho no grsfico passes do cabo do cabo inclusive.es que quando do em servi$o. chegue a apresentar 4.3.contar OS fios partidos em urn passe e em cinco observando-se.3.4 Todo a) b) cabo sinais reduc& sua de a$o deve ser substituldo quando pela inspeGs verificar-se: de corrosso. instruC.es devidamente proprio.3.3 Segunnqa Somente msquinas de miiquinas pessoas e equipamntos experientes em obras.C6pia impressa pelopelo Sistema CENWIN Cópia impressa Sistema Target CENWeb 10 NBR 767811983 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 4.3. na obra e treinadas devem ser autorizadas 4. e equipamentos 4. Essas ser para mantidos esse em condi@es fim.~ namento regulares tradas As msquinas e seguranga. devem feitas. estabelecidos da Figura /FIGURA i . devem inspe$ces ser de born funcio e regis freqUentes inspes. mais (aproximadamente (aproximadamente as rupturas 60 deve seis vezes o dia^metro o dismetro nimero limites do cabo) do cabo).

Rompimento de fios Nota: Procurer na vertical correspondente corn a cww de tor@o ~orre~p~ndente.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa Cópia impressa pelo pelo Sistema CENWeb Sistema Target CENWIN 11 FIGURA 1 . mkimo toler+el de fios partida ao tipo de cabo usado o ponto de inters+& A ordenada date ponto representa o limite .

toda a Legisla$o plataformas outras o piiblico medidas Municipal.9). z constru@o tomadas 5 risca.3. tiva. 5. A comunica$ao atravis de sinais sinaleiro-operador previamente ou vice-versa combinados.4.5. em geral. Segmnpa Deve relativa al<m ser de terceiros seguida.4.3. A exec$o para evitar de tarefas qua deve possam ser confiada colocar a pessoas em risco habilitadas e da obra. (ver ser obedecidas transporte as prescri@es de normas de explosives.7 primeira OS equipamentos vez. e redes necessirias Estadual protetoras i e Fe de tapumes. sensiveis s a$zo do tempo e z projesao de fraq 4. dos equipamentos e obedeci instrw$es 4.2 feita fiscaliza$o Qualquer mediante modificas8o autoriza@o da obra.5 4.1 deral dos.o informar nem se isso inc&odo deve-se de pessoas 2s autoridades e veiculos. inclusive atravk 4.8 e 5.4.1 entes. 4.6.5. telefone.?o for sodas de todo e tomar as medidas o local de da coma afixa@o de cartazes e iluminaqao . em projetos pr&ia e discriminasoes do engenheiro tdcnicas s6 pode e ser da e explfcita respons&el 4. competentes visrveis n. tiveis Devem manuseio. 4.8 mentos OS notores devem ser e equipamentos protegidos.3.3 use.Licença de uso exclusivo Sistema CENWIN C6pia impressa pelo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 12 NSR 7678/1993 4. da msquina para poderG ser a presen$a de sinaleiro orienta$zo visual de rzdio op= audi ou rador. devem ser testados antes de serem postos em agao pela 4.6 das as Devem demais ser respeitados OS iimites fornecidas pelos de capacidade fabricantes.9 Quando o trabalho dificultada deveri ser corn Aquinas por obsticulos. exigida ou equipamentos pela posi$o for tal que ou o operador por condi$es do ou te nha a visao de ilumina&. e legislagzo cilindros referentes de ga’s ao e canbus e armazenagem 5. exper i erros a seguranga 4. precau@io.2 construidos ou sivel. quaisquer incluindo adequa preserva$zo de serem da seguranCa de terceiros.3. OS acessos para carga a nso e descarga oferecer de materiais risco ao pcblico Quando devem ser planejados tornar obstkulo de todo poi e de maneira 2 circulaS.

fragmentos. . nk exime o o pessoal pibl ice da responsabilidade . durante interditado. atividades particulares choques.2 As vias de circula$o.5 gados OS fumes acima que expelidos por motores a vapor seguro. seguran$a inclu+ndo 4. 4.6 mente Deve-se nas horas evitar a produ& .4 da obra em geral A fixa@ de cartazes de aviso pela e alerta de ao p. principal ‘de repouso 4. de ruldos e vibra@es excessivas.3 guinchos ta Nunca se deve permitir que cargas acima levantadas de por gruas.7. em nenhuma hipotese.7. cobertura de protegso apropriada. devem escape ser de descarre gases da constru& possam causar ou em iugar danos ou fumes ou desconforto 4.blico. de obras deve apresentar-se arrumado. a nzo ser guindastes.6 4. a polui@o subst&cia de rios.5. passagens materiais e escadarias novas.5.8 tes redes Nso e curses deve ser permitida.5.5. fer e equipamentos 4. a nolte. que exis ou outro equipamento pairem transeuntes.1 1 ivres 4. devem equipamentos ser mantidas e ferramentas.blico terceiros.7 ~impeza e higiene 0 canteiro e desimpedidas. a 60 Nenhuma ser via pGblica ou acesso expressa a propriedade das autorfdades privada ou pode propri corn autoriza$o 4. a oferecer explosoes. sobras de material. 4. em uma e projegzo obra n% de fragmentos. risco escava&s 5 integridade servisos ou quaisquer de propriedades patrimkio inclusive de abastecimento.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa Cópia impressa pelopelo Sistema CENWeb Sistema Target CENWIN NBR 767811983 13 obra ser etzrios.7 ramentas Deve-se evitar a queda sobre ou proje$o a via pcblica. livres de entulhos. liquidos.5. de restos.6. fon e d’sgua ou a penetraqao de qualquer em canaliza&es de abastecimento. limpo e corn passagens 4.bticos vibrasijes excessivas.1 seguranea Devem-se de propriedades tomar todas as vizinhas medidas e semi~os para que p. 4. ou combustk Deve-se ao evitar p. venham piblico.5.

7. e desinfetados. excessiva 4.7.4 tes.12. cozinhas e alojamentos devem ser mantidos 4.7.7.7.7.7. limpos vestiirios.12 deve A rela$o do mimer0 de sanitzrios para cada vinte para o nknero de trabalhadores na obra ser de urn sanitsrio trabalhadores. . adequadas.7.1 Podem ser usados 1avatGrios e mict&ios 4. a evitar Por ocasizo poeira de sua remogzo.7 4. 0 pessoal da obra deve ser instruido para a utilizaggo apropriada das instala$es sanitirias. suficientes em instalac&es sani t2 de acordo con a legislacao 4. 0 entulho depositado evitando-se fora do canteiro de obra deve ai permanecer risco de o menor aciden tempo possivel.7. 4.9 OS sanitirios devem ser construidos do exterior projetados. e riscos devem ser eventuais. e estejam de tal protegidos maneira da a& que OS ocupantes Go possam ser vistas que caiam ou sejam do tempo e de objetos 4.8 Nzo se deve queimar lixo no interior de uma construgso.11 OS sanitsrios.6 bl ica.5 tar A remog% atirar-se de entulho objeto ou sobras de materiais para outro deve ser feita de forma ao solo.7. N&J G permitida a acumulacgo de entulho ou restos de material na via pi 4.10 rias. Dew haver iluminagao e ventilagk em vigor. a evi rem qualquer para isso de urn piso ou em dire@0 mendando-se equipamentos mec%icos. tipo “cocho”. inconvenientes mais comuns: e esconderijo 4. 4.Licença impressa Copia de uso exclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 14 NBR 767611663 4. refeiGrios.7.13 e Zrea tjr Bevem existir suficientes vestisrios para o pessoal para corn instalacses da obra. poeira OS seus de roedores. 4.7. seguras e em devem nimero exis No interior do vestisrio armsrios individuais guarda de roupas.3 forma 0 entulho e quaisquer sobras de material devem ser regularmente tomados cuidados coletados especiais de e removidos.

4. sempre que o & mere de trabalhadores 4.8 4. menor possibilidade de serem bloqueados . to.dos de coleta de lixo.14 canteiro Devem ser de obras construidas em estado de fscil e mantidas de permanente acesso instalagiies e perfeita o pessoal sanitsrias higiene.8.Cdpia impressa pelo Sistema Target CENWIN pelo Sistema CENWeb Cópia impressa NBR 767Eil663 15 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 4. evitan a presenga de vetores 4. adequadas funcional no idade e seguranga.15. ficarz suficientemente deve ser instalado.15 As instalagzes canteiro sanitsrias de obras. de coletores OS cuidados 5 rede fossa de esgotos.7. da obra.1 Deve-se dar prefer&cia for superior a fossas a vinte. 4.7. seca. de acordo corn as condig&s existentes no canteiro.7. No local do refei&io no minimo. por da a instala ligagkio ser tip0 gao do prcprio provis$ia construida Sempre que possivel.m Este de urn c&odo em local destinado a servir a de refeitGrio fastado das uso dos empregados. de evitando-se larvas de pogas ou curses de sgua 5 proliferaczo e vetores.7. de lixo acumulado e exposto. Na auszncia a todos deve esse obedecendo exigiveis de construgso.8. Nos locais o mesmo deve ser enterrado. retirados do canteiro de obras.7.19 OS restos de comida e todo o lixo da obra devem ser colocados em Go condi pro @es de serem facilmente vi.16 Devem ser adotados a formagso cuidados especiais para destino favorsveis das iguas servidas.7. instalagGes urn lavat&io. 4.17 da obra. sapticas (NDD 7229).20 do-se Nk assim deve ser permitida a existgncia e roedores. 4.1 Medidas de prote@o OS extintores contm inchdio mantidos carregados e em condigks de serem uti devem ser 1 i zados. 4. Deve ser mantida mesmo quando for reserva posslvel fontes suficiente a ligaczo locais de sgua pot&e1 para use do pessoal de abastecimen de examinada corn a rede priblica Agua de poSos ou outras so’ pode ser usada depois e aprovada. 4. em local a todo 4.2 Iizag& OS extintores e acesso devem ser e onde haja sinalizados. colocados em locais de fscil pelo visua fogo. sanitirias.7.7. devem ser construidas na ocasiso se& de feita esgotos.18 0 canteiro para de obras deve dispor tamb.

tom rapidez em n. e exame de risco case. ou tubuIa@es vizinhas idade vi bra$es propriedades possibil @es. e corn en Levantmnento Antes da a’rea outros: a) b) c) d) e) desniveis fragilidades drenos do do canteiro de obras e imedia@es.4 alEm De acordo dos extintores. compete” ati de ser anormalidade. f) proximidade piibl ica.3 postos Devem ser utilizados abrigos para extintores.8. de proteF:o.1 pleto tre CONDI@ES ESPECI-FICAS e vistoria inlcio da obra.1. a desocupa& P 9 em case 5 5.2 Em qualquer vizinhas. perigosas do terreno. de execugzo segura. igrejas e outros lociis de reuniso g) proximidades de linhas de distribuiqao de energia elgtrica.8.8. CM o risco outro de sistema inckdio e o Porte da obra. deve ser feito urn ievantamento para verificar minucioso se existem. 4.6 ficiente. escolas. 0s locais de perman&cia de modo de pessoas que garanta devem dispor de saidas. cinzeiros escritorios coletivos e outras sreas onde seja permitido fumar de colocados de material incombustivel. 5.8. e recomendado inclusive que se fasa de uma vistoria dos completa moradores e alguma das Pro po propriedades prietsrios tencialidade No case tes que corn coleta das estruturas corn as qualquer informa@es verificar na obra as “50 deve cuidadoso . para atividades se existe a ser autoridades ser iniciada relacionada verificada devem ser iniciada. de constru$es vizinhas por escava piblica ou de terceiros. deve ser previsto. de hospitais. de enfraquecimento e explosoes.1. .1 5.5 vem ser Nos alojamentos. 4. perigosos. enterradas em estado de utilidade precirio.mero e seguran SE e localizadas de emerggncia.Licença de uso C6pia impressa exclusivo paraTarget CENWIN impressa pelo Sistema Petrobrás S/A pelo Sistema CENWeb Cópia 16 NBR 7678l1903 4. quando estes estiverem es a intempiries. 4. A obra e OS interessados haja certeza informados.

3. 5.3.2.7 devem tos A estrutura ser executadas de suporte de acordo e as fundasoes normas para de depositos seguransa provis.rias devem estar sob a guar da permanente de pessoal itado. o 1~x0 a menos de igua 5. estar situadas equipamentos de maneira ou materiais.rias movimento devem de pessoas.10 As estruturas met:1 icas. 5. 5.8 ApGs a chave que geral deve funcionar haver tantas chaves quantos sendo sejam obrigat&ia OS circuitos a exist& de derivaG:o cia de circuitos devam independentemente.1 ramento. na obra. 5. 5.2 As escava$es corn profundidade superior a 1.9 mitido tros SG devem alterar artificios. para a iluminag8o. independentes 5.2. Nas escava$es que corn at: a qualidade 1. ligadas 5s re 5.2 As instalagzes a “50 elGtricas poderem ser e hidriulicas atingidas pelo provis. corn o uso na’o de fios sendo ou per ou dispositivos 5.5 m de profundidade do solo ou a presenga pode ser dispensado o exija.2 5.7 5.rios aplic&eis a de sgua depGsi - corn as def ini tivos.2.5 OS consertos em instala$es provisorias so devem ser feitos por pessoas autorizadas. 5. que constituam a existencia obstkulo de fios i ele’tricos descobertos ou e tubula@es passagem de pessoas. ser as utilizados caracteristicas fusiveis destes de resist&cia adequada.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR7676/1663 .2.2.2. msquinas e equipamentos devem ser aterrados.4 As chaves de controle habil de instalaqoes provis.6 des As publicas instala@es devem el<tricas obedecer ss e hidriulicas normas das provis.1 ~nstuta@es As instala@zs ete'tricas elkricas e hidmiuticas e hidriulicas provis&as provisorias devem estar de acordo corn as normas e 1egislagZo vigentes. 5.5 m devem ter seus tal udes .3 pendentes Dew ser evitada.2.rias respectivas quando concessionirias.2.2.2.

cias Qua&o houver necessidade de se fazerem afixados escavac.8 blicas. sistir devem ser construidas aos empuxos de reten&. preventivas.10 Todas as a’reas inclusive de escava$es Z noite. 5. te. durante artificialmen OS trabalhos. escavado deve ser aplicado pelo de corn as caracteristicas da obra. de acordo corn a natureza do talude do solo. construidos . e determinado respon s&e1 5. for Esta exi ao quando o sngulo do terreno. iza$o quando da seguranga do public0 de sinal providenciada a coloca$o de vigia.4 quinas Se houver pesadas necessidade nas proximidades. imediagoes para escava@es.5 Recomenda-se nas escavacoes de solos pu valas. possam vir a contraven ameasa r sempce que as escava@es vizinhas.3. 5. g&cia &gulo serz assegurando dispensada natural estabil idade. assim devem ser demarcadas coma iluminadas natural e sinalizadas ou perma nentemente. nas operar M: de re ou se txxwer paredes adicionais.3. de inclinar$o inferior de talude 5. e projeto em profundidades de escoramento. o IXSO.Licença de uso C6pia impressaexclusivo Sistema CENWIN pelo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 18 N0R 7670l1663 escorados.3. das escava@es. de armazenar materiais trsfego escavados pesado ou nzo.. superiores a 3 m assessoria de engenharia 5. Devem ser reforsos tomadas medidas de funda$ses. a’rvores e obsticulos.6 acordo tknico 0 m6todo de escoramento contrnuo do solo ou descontinuo.3. corn capacidade corn seguranga 5.7 tamento.3.3.9 ter ranGa. esta Norma. a estabilidade das estruturas 5. tais corn0 escoramento.11 Quando necesssrio. de acordo devem corn ser colocados.3. e tomadas e. Quando se executarem sempre uma faixa para escavagzes OS pedestres em calsada ou para ou via p.oes avisos em ca\Fadas as for e vias provid.3. em torno para protegso dos trabalhadores guarda-corpos ou do piblico. pi devem ser necessirias colocadas 5 salvaguarda barreiras. corn meios apropriados.3 As bordas das escava@es de largura devem ser mantidas igual a metade 1 ivres de materiais. 5. deve-se man _ OS velculos transitarem corn seg: 5. em faixa da profundidade.3.blica.

para ma de rebaixamento. ventanias quai squer 5. podem ser operados por Pel 5.12 que Todas permitam estar 1 m. Deve-se fazer ou de nova inspecionadas de escava$es que possam habilitada. de materiais a fim de evi atingidas acidentalmente.3. 5. constru$Ges tal 1 idade. e uitrapassar OS rontantes a borda devem nos. recaiques ser evitado 5s a possibilidade Se for outra verificada solu~~o.17 sapatas gulo Quando estejam de repouso uma escava$o mais pkimas for feita ao lado de estrutura existente.3. as fscii escavasoes acesso de mais e escape de dos 1. e adotada do lenGo de frestico serem possibi para ocas exe io de escava@es.18 cu$io nados deve Quando houver necessidade deve ser de rebaixamento investigada vizinhas.19 baixamento Devem de ser ienS tomadas frestico todas as precau@es que 60 em escava$ges haja interrupgks profundas siibi tas corn no siste re .3.15 as tar pessoas que Durante devem sejam OS trabaihos ser mantidas corn ferramentas a dista^ncia portsteis segura umas e aanuseio das outras. delimitada idade feito pelo cujas .3.es deve acompanhar o seu andamento.3.20 soal OS equipamentos qualificado. mec&icos de escava$o s. da ocorr&cia 0s riscos.14 vem ser inspeG fen6menos Todas as obras de carster freqllentemente depois aumentar preventive. prrotegidos contra por uma sabina de ca ou outras igualmente ruptura .21 adequada. apoiados no fundo da escava+ de. 5.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811993 19 5.% da escava$o escavado. OS operadores telas desses equipamentos prote$es devem ser eficazes. quaiquer e nso que a dist&cia houver deve possibii ser do material que detenha de construgk refor$o ade de uma retengso quado das movimento. 5.5 m de profundidade devem ter das escadas escadas trabaihadores. corn mais de 6 m de profundidade devem ser construldas es 5.16 0 escoramento de escavasi.3.13 cadas Em escava&s provis%ias.3. de chuvas. funda@es da estrutura. pelo me 5.3. 5.3.3. por pessoa coma escoramentos e reforsos. o rebaixamento 5.

28 a maquina Nao se deve permitir que OS operadores deixem a cabina de opera$o corn ligada.3. de operaGa”o corn corrimzos. . a ca$amba deve ficar em de repouso 5.23 ssrio Deve devem hever ser acesso seguro escadas s cabina fixas. substituida. OS defeitos deve ser Todas as Deve devem escavadeiras ser ser dada devem aten$o ser inspecionadas aos freios. 5. na’o estiver em opera~ao. inspecionados e de acordo corn o estabelecido em 4. de material da casamba da escavadeira.3.27 As casambas devem ser inspecionadas diariamente.3.1 Estacas S6 podem trabalhar em serviqos de crav+o de estacas.5. pa se manter 5.30 substituidos OS cabos de ago das escavadeiras devem ser regularmente a 4.26 capacitada.4 5.3. 5. Nzo se devem manobrar que haja escavadeiras certeza da sobre impossibi terreno 1 idade frigil de sibito ou suspeito desequill de a menos 5.25 ra Durante a opera$o a dista^ncia de escavadeiras. de escavadeiras. 5.3.3 5. segura da escavadeira todo o pessoal e do raio deve de a$so ser da avisado lanGa.3.3. 0 aces50 durante de pessoas ngo autorizadas das mesmas. tros qoeda ri scos.3.3.Licença de uso exclusivo Sistema CENWIN C6pia impressa pelo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 20 NBR 767811983 bos.3.24 posi@o Quando uma escavadeira sobre o solo.3. regularmente comandos e a por pt? ssoa especial reparados embreagens.29 nZo Deve se aproxime ser tomado de linhas o m&lmo cuidado para que a cagamba ou nzo colida ou corn lanGa de suporte vi de energia elgtrica constru@es zinhas.4. 5. proje& de fragmentos e ou 5.3. escavadei ra imediatamente se necesssrio. e.31 fragilidade. s plataforma o operador GO de escavadeiras a operagzo conversar.22 de opera$o deve Nzo deve ser permitido e. Se neces construidas 5. 5. pessoas treinadas e experientes. brio.

4 Quando em trabalho na torre.5.4.7 OS cabos a devem ser inspecionados regularmente e substituidos na forma de 4.4. 5.11 estiver Na”o se deve em opera$o. o trabalhador deve usar cinto de seguransa. ou estruturas rigidas proviscrias. to em case de eventual romplmento 5.4. suportados por plataformas devem resis ser contra ou outro Se necessirio.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 7676/1663 21 5.3.6 tentes.10 Para pil&s a vapor. 5. nas guias de maeeira do bate-estacas. devendo 5.4. para a execusso das tarefas a realizar. a reg ia’o da queba deve 5. pelo menos.3 As pessoas segura. usadas cargueiras. deve permanecer em repouso sobre o solo ou no fim da guia de seu curso.12 ver Nos trabalhos noturnos.9 0 pilk.4.4. quando nzo em operaF:o.13 Quando forem est&el. estar devem ser dispensados sempre ao alcance cuidados do operador especiais o controle 5s manguei das man0 ras e conexces.2 Quando as estacas estiverem sendo posicionadas a estaca. a evitar tombamen devem ser passadas correntes que envolvam do cabo. .4. 5. que nso faGam parte da equipe de crava$o devem ser mantidas a dista^ncia 5.4. deve ha ilumina$o suficiente. reparar ou fazer manutengzo do bate-estacas quando o mesmo 5.4.3. bras das v~ivuias. 5.5 Quando for ser necesszrio previamente cortar isolada.8 tas 4. 5. OS topos das estacas ji cravadas. deve ser verificado se as mesmas es& em posi$Zo principalmente durante a operagso de movimenta$o.4.4. Durante a operasso devem ser mantidas. quatro voltas compl e do cabo em torno do tambor.3 5. ventados OS bate-estacas de madeira corn cabos devem estar material firmemente apropriado.4.

deve ser verificado se a segso em cravagzo e o macaco 5.Licença de uso Copia impressaexclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 22 NBR 767611663 5. Em caixks existir e outra em que mais csmaras de passagem.5.19 ser Para colocados trabalhos a dista’ncia nas proximidades minima a ser de rede indicada elctrica.5 Tmbalhos sob or compriddo 5. c. por percussgo deve ser evitada em locais onde o 5. .1 Gmeratidades 5. Deve estar 5. federais.1.1 mido.1.2 pelo Tal veis.4.14 Durante a cravag% es& de estacas em linha prensadas. e a prumo. uma pessoa deve estar competente inteiramente a representar corn as ieis e normas aplici Devem pertinentes Nso ou ser afixadas.3 normas menos pessoa sempre presente na obra. que as cravagges propriedades vizinhas de utilidade 5.4. pelas OS bate-estacas empresas distribuidoras devem de energia. recanenda@es estaduais e legislagso e municipais estabelecidas tipos de trabalho.4 do tubulio 5.17 mento Em obras dew ser onde a torre do bate-estaca aterrado.4.1. 5. devem se deve caixso. e autorizada familiarizada durante o decorrer dos a firma trabalhos. trabalhan (ca^mara de 5.4.16 afetem Devem as ser tomados OS necessirios ou servigos cuidados para evitar piiblica.5 do.5. o tra^nsito houver de trabalhadores transporte de carga de de2 pessoas uma para pelo atravzs estiverem pessoas fuste (chamin6) do mesmo.5.4. contratada.1. tes.5.5. pessoal) materiais. o equip5 eletricamente 5.pias dos artigos de leis e em execuqso.1.5. ses Em qualquer devem ser atividade todas autoridades em que as haja pessoas trabalhando sob ar compr I I pertinen sobre es obedecidas pelas normas.15 ruido A cravaga’o cause grave de estacas inconveni&rcia.18 loca$o Devem ser tomados cuidados D especiais quando da ajustagem da estaca e co do “capacete” (chap&) 5.4. aos trabalhos permitir enquanto ou sempre para tubuloes duas em locais visiveis. seja o ponto mais alto. 5.

1.1. protegidos.5 kgf/cm2). sistemas pt%prios de controle ser acionados . de controle press. do ar de ar . de pessoal.1.11 saida vas e compressor de serem de escapamento No case dos gases corn motor no minima. de contrde de tinel.5. de ar.1. das &mar-as pulmzes ou eclusas. te Tais independentes. instalado 5. das respect a i 3 m acima tomadas de ar. filtros corn mais de 3 m de dia^metro ou de lado devem 5. automatica de 250 kPa adz do sistema.C6pia impressa pelopelo Sistema CENWeb Cópia impressa Sistema Target CENWIN NBR 767alw33 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 5. pain<is de reserva.5. de acumula$o de vazao. da obra. usados deve compressores ficar.5. entre: 5.5.10 dor a estanqueidade entre outros. us0 OS dispositivos que existir s.16 10s e rest05 0 interior que de ca’maras possam molestar de trabalho pessoas deve em serviqo.8 possuir ou caix&zs de pessoal. para obser 5. slim a frente urn visor do estabelecido de trabalho junto ao acima.5.5.1.11.5.5.1.1 sistema 5.1.0 5. temperatura gera e Devem de emergsncia. Cada ca’mara deve de emergcncia.1.9 5.5. ser mantido limpo de obstscu- . E necesssrio a opera$o Deve ser montar plataforma servindo lateral para elevada entrada sonoro e escada e saida e vslvula de seguranp de acesso de pessoal.1. e as painel deve demais ser sreas implantado de apoio.1. ocupantes. entre devem ter sistema aprovado csmara de de ccmwnica@o. de maneira a dificultar 5.5.1.1. porgm lacrados ou de controle e opera$o pelo set-so de seguransa devem da ser &asatlendis e 5. a a Glee ou gasolina. de tiinel a fim de grande de evitar em cases ter seus dizmetro a eventual deve ser prevista eclusa no de &mara process0 de descontinuidade e desccmpressso. garantida utilizados. 5. E necessirio ou similar.13 va$o 5. de modo devem e. peta trabalho fiscalizagzo e csmara atrav<s de telefonia.6 possam externamente dispositivos operador uti 1 izados internamente conservados em emerggncias o seu OS tubulces uma csmara Deve ser ser normalmente inoportuno.5.6 dupla canpress& para No case pessoal.5.7 de opera$zo postos ra.14 quadas para dos de canunicasao As csmaras de controle. a) b) painel painel No case implantar previamente de controle.12 radiofonia e ambulat&io.15 de seguranga urn sistema de a press50 de alarma atingir para o case o 1 imite (2.

material e contraven o carregamento estocar de local &eo. o trabalhador (capacetes.es.26 sob Nao G permitido ar &o canprimido. na frente interior caprimido.5.1. a essa tipo de o empregador atividade.5.1.1.25 lhando 5. OS tubulzes de se 60 menor fazer mesmo de t.1.27 szo para Nso igar houver utilizar tubulses trabalhadores emu qualquer ou caix.5.1.tese ou caixoes interior. pessoa A temperatura de 28OC.1.5.1. devem ser para gasolina estejam de supercanpres- 5.1. onde se deve que 30 m inflamsvel trabalhos a dis sob ar sendo executados camprimido. tempo.5.nel na aus&cia dia^metro deve ser gradativa em ou caixks adequadamente provocar w outro escorados a descida. deve betas.17 cabinas 5.21 abaixo 5. no rn: 5.5. 5. quando traba- 5.5.1. sob ar canprimido.15 turn0 vem ser rio No case sanitsrias No case de sgua 0 ar de trabalho anotados de tiinel de grande dismetro deve ser prevista a instalagao de e a uti1izag.Licença de uso exclusivo Sistema CENWIN Copia impressa pelo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 24 NBR 7676/1663 5. para trabalhar deve provido e outros).1. . resultados 0 .5. deve OS riscos seguidas bebidas especialmen trabalho.5.22 ros.1.28 qualquer 5. 5. ter a garantia de supri- de grande de pot%el no .23 de protegzo servigo um cabo 5.30 ta’ncia antes A desccmpressao situagso. a t&nica usando a t:cnica de desccmpressao 5.5. se deve quando se deve ou aprumar tentar ou alc&licas fazer descer tubuloes no seu hip.k de tcnel de desinfetantes dismetro trabalho deve-se sob ar e desodorizantes.5.5.pria de trabalho de qualquer deve e apk em ficha compressor. ser examinado 0s ap& ada denecessi- de ca^maras a instalaqio pr. dos equipamentos No case preso de a individual (fuste usuais ou case pessoa sobre a serem ingerir em tubulso para igamento.24 fornecer-lhe te quanta fkforos de 50 m3/h. de grande de pessoas. estar luvas cinto fumar devem e isqueiros Durante o trabalho.18 mento 5. 0 consume de ar por ventilado eclusada. de ca’maras usar interior deixados de trabalho dew de refrigeragk.1.29 tados 5.5.5. Cigar ser mantida no tGne1 sob ar comprimido deve ser. base). Nk i ainda permitido no interior que se necessite no ser equipamento de dmaras no exterior. necessirio.1.1. acessivel a qualquer para controle de qualidade. ser usado de seguranga Ao admitir instrugzes 5s precaug&s em ar inerentes nesse gasosas comprimido.20 nimo.

Licença de uso exclusivo Sistema CENWIN Copia impressa pelo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811993 25 5. clinicos gerais por e raios perlodo X.2 5.5. el6tricos utilizados no tubulao aterradas devem e prote- corn tenszo contra convenientemente curtos-circuitos Nota: NO case de execug~o gio de grande port:. por qualquer pelo mot ivo. em corrente de dois continua circuitos de 12 V corn contra explos&s.2.5.5.3 de trabal 5.1 ro.2.2 g&s fone devem mantidas ser de conforto e man6metros visores Dew ho.2.1.1. Guerreiro.5. reagao sorol6gica para neurol6gico slfi das 1 is. chado g&s 5. interna dew ser feita atrav6s . na iluminagao A iluminagk protegidas urn de reserva. maxilares de eclusa.2. Nso o uso de fios descobertos e equipamentos elkricos 5. comprimido deve ser e frontais. trabalhando devem submetidas ser sob ar comprimido aos exames continuamente.4 “ham tes pleto. articula peseoa que por trabalhe de dez e. bem coma 5. escipulo-umerais @alquer parasi raios X do t?kax.32 operar gidas As aspersgo As csmaras de igua instalagks 60 devem sobre ser as pintadas~ mesmas.5.31 vista 5.34 corr defeitos. So podem sido exames: ser t:rmico. m. e deve ser pre- para superior equipamentos a 110 V e ser ou impactos.2. do trabalho ao mais reexaminada de voltar pessoas a seis doze que trabalho. dos otorrinolaringol6gico.35 utilizando Nao deve magarico. tol6gico de fezes. qua para e externo csma ra . 220 V. pr&imo ao local leitura trabalhos 5. comMa- cardiol6gico. cm equipamento de escava superiores 1 imi tadas a 5.1. Assist&&a Para e prover As servigo ca’maras &dim sob medico duplas ar ccunprimido deve-se para &dico iluminadas dos lados instalar atendimento ser e devem interno csmara imediato. de socorro ventiladas. de soldagem ou torte de ago.5. ambulat6rio de sotorros urgentes.5.5.33 lsmpadas sendo 5. hemograma. meses submetidas a exames laboratoriais.1. exteriormente de branco.dico.5. ser permitida dentro qualquer sob atividade ar comprimido.5. as pelo instalagk &dico sob respon&el. independentes. ar comprimido ap& as pessoas aos que te- consideradas clinic0 submetidas segui. permitam observagio.5 se ausente antes As instalado ter acesso aptas geral. . e coxo-femurais seios e prova em ar dias.5. e estejam igual a cada meses.1. em equipadas da boas corn condite1e _ dupla de socor especializado. G permitido de tine1 de grande di%netro admite-se o uso de tens&s ao longo do tGne1. do t&z1 5.

em nenhum case. 5. e de que permanentemen wnstem 05 se te.5 trabalilos kgf/cm2). de socorro midico.dica completa de cada trabalhador. impermeabilizado que as identifique coma tal guintes dados: a) enderego. em qualquer eventualidade. ser encaminhada. imediatamente. que possa ser imediatamente.3 5.7 As pessoas crach: que trabalhem sob ar ccmprimido devem trazer. de tal inferior 1. 5.3. em cada period0 exluido o tempo de de vinte descomdcve de oito 0 tempo total A pressao pelo m&ima admissivel g de 350 kPa para (3.3 nao deve pressao.4 normal fungao A velocidade (0.3. no maxima. a descompressao. hot-as.I de compress:0 ate na Gmara atingir de pessoal de nao dew ser superior e dessa a 10 kPa/min kgf/cm2/min) a velocidade a press20 (0.5. maneira ao que o tempo em seja.7 kgf/on’) exceder de 35 kPa/min kgf/cm2/min) a partir A desccmpressao de descompressao das velocidades deve nzo ser feita em estsgios.5. Ceve haver ficha m.2. permanecer duas no canteiro.8 horas Todo trabalhador ap& submetido a trabalho para sob pressao observagso deve midica. sob ar comprimido.1 e quatro pressso. 5. e descompress& de trabalho ser. sob ar ccmprimido (pressso man&metro) 5. superior a seis meses).5. constantes determinado de reducao da Tabela .Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 26 NBR76768/1663 5. 5.3.3.5. 5. de validade sangulneo (nao e RH.5.5.35 70 kPa (0. especialmente ao endereco a a serem seguidas pessoa deve de emerggncia.2. b) instrugzes de que tal da czmara c) prazo d) grupo telefone e local da Gmara em cases de socorro msdico.2 indicada compress& horas.6 consultada.5.5.2.

84 0.5.97 2.abaixo valente.25 2.23 3.OY 3.55 1.41 1.44 !69 !79 - ‘SI 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 42 44 46 48 50 l/Z 3 6 7 7 7 9 11 13 15 17 19 21 24 28 31 37 43 44 51 58 - - - - 8 3 16 48 73 103 128 137 142 165 188 213 233 253 263 Alim de 8 3 32 63 87 I13 133 151 163 183 204 226 248 273 278 288 293 293 318 248 26C 264 274 309 329 268 268 269 299 319 - 5.5 nel OS tempos totais de descompressao de pessoal.95 3.53 2.52 - 1 3 6 7 7 7 9 12 14 23 28 35 39 44 49 49 56 64 74 89 94 3 6 7 7 8 16 23 29 31 38 43 58 63 73 84 102 118 139 144 164 1 l/2 Tempo de exposi$zo 2 3 6 7 8 15 24 27 34 41 62 85 98 I13 128 143 144 .C6pia impressa pelopelo Sistema CENWIN Cópia impressa Sistema Target CENWeb NBR 767811983 27 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A TABELA 1 -Tempo total de dercompre&io em minute iinica .54 !71 189 toy 3 3 6 7 11 15 38 52 69 98 105 126 151 170 178 183 189 199 214 229 249 4 3 6 7 17 43 68 92 104 127 143 163 178 198 !03 213 !I5 !34 . devem Segundo ser escritos e afixados (Tabela 2) ne paiou equi de controle da ca'mara o modelo.3.69 1.12 1.83 1.39 2.* 5 3 6 17 48 63 93 117 126 143 165 178 195 223 223 233 245 254 269 299 309 6 3 6 33 63 73 103 122 141 153 168 193 218 233 238 (horas) 7 3 16 48 63 83 113 127 142 153 178 203 223 243 253 258 263 269 289 319 -I- kPa 84 98 112 127 141 155 169 183 197 211 225 239 253 267 281 295 309 323 337 352 k:gf/cm2 0.67 2. .27 1.98 1.il 2.37 3.81 2.

(20) (22) 12 1: 30 60 12 2: 70 100 1: 60 30 110 1 1 1 1 1 3 3 . (22) (14) II:. : 5 (14) i16j (18) Iii. 1 1 6 3 : 3 . S6 deve ser feita ventilaqao na eclusa dy rante 0 Patamar. en trada.20) (14) (16) il8j 3 3 3 j 4 I 112 127 14 141 155 98 ii2 127 ::: 98 112 1:: 155 38 7 1:: 141 155 (20) o-2) I I I 1 1 3 . A descompressao no 10 e 20 estigios deve ser Rigorosamente Constante. 2a. para o que o operador de eclusa rs informar: na la en .141 98 (0 .Licença de uso C6pia impressa exclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 28 NBR 7676/1663 TABELA2 Tempo de perman&Cia horas Press& kPa 0 -3 -Tab& do de descompressk tcnel PSI simplificada Tempo Patamar (minutes) 12 12 12 Tempo Z? estsgio (minutes) 1 1 1 1 Tempo 10 estagio (minutes) 0 . Quando urn funcionario entrar no tfinel mais em interval0 inferior a 12 ho de uma vez. en . Em 155 kPa (22 PSI) o Patamar si tua-se em 42 kPa (6 PSIL. 1 1 1 1 1 1 1 Notas: a) At6 b) C) d) e) f) 141 kPa (20 PSI) o Patamar situa-se serif pre em 28 kPa (4 PSI). a tabela para despressurizs-lo serZ ras. Tempo de Perman&cia e Pressso de TineI nao sem podem ser interpolados.interval0 de tempo entre a la.tempo de permanencia no tune1 trada. e a 2a. pelo que dew pre ser adotado o valor imediatamente supe rior. . (14) (16) I::.tempo de perman&cia no tine1 na trada. fornecida por telefone pelo msdico em plan deve _ tao. o-14f (O-20 Pb kPa PSI) 26 kPa (4 PSI 1 T -3x i&n 2’ ESTAGIO 155 lIPa (22PSIl 42 kPa (6 PSI) 2Q EST&IO .

em todas de gases as csmaras no e devem interior ser opedas 5. can use de peso testados adequado de exaustao coma accmulo e reconhecido. de trabalho. quipamentos julgados As linhas bcm funcionamento. continua. de emerg%cia.5.5.5.4.3. 5. provide a ar.3 do. temperatura e press50 necess&ios de ar devem e resfriadores de vazao. em case Esse urn sistema de pane sistema frltros .5. -. refrigerados em circula$o de emerg&cia.5 5.5 duas por ser intercambiiveis.5. em eclusa.2 da entrada 5. certeza de que nzo se todos permitir ao trabalho.5.5. provides nas nos ca^maras cases sistemas de ar de filtragem do ar A nao ser de compressores de sgua a qualquer Deve tempo. de explosiies.6 tando n&rcia Dew de ficha na frente ser estabelecido hora o controle de entrada hora de saida do pessoal na csmara e tempo trabalhando de pessoal.4 radas czmaras existir vslvulas de necessidade.1 Equipamentos OS compressores Devem ser ok compres& de ar devem possuir de fuga comprimido.5. especialmente de pulmoes de ar. haver.5.4.1 que de possa trabalho Medidores Deve ser vista e vc%ukzs medidores pelos de tirnel de presszo trabalhadores de grande permanente.5.5.5 :4 5. sendo exigido o minima de 5.2 pai&is 5. csmara. em condisks de quanta de acumulacao de controde outros e- 5. em “so.5.5 deve os gases em local de trabalho at6 que sob haja ar canprimido. e fumaga tenham . antes 5.6 5. de t&e1 para devem de grande manter ser dismetro press20 devem constante diariamente.5. deve ser mantidispositivos de 5gu.m ao suprimento de ar. de descompressso. painers al.4.4. le geradores de energia. ser instalados em czmaras a qualquer exte&o) de pessoal tempo e outro (inclusive que possa corn na ser most radar f rente vi sto haver em case sob No case do exterior 5. de uma explosao a volta de pessoas side ou fumes 5.5.4.5. de perma- 5.Copia impressa pelo Sistema Target CENWIN pelo Sistema CENWeb Cópia impressa NBR 767811983 29 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 5.4 acionamento complete do sistema deve ser imediato. e compressores ao se” de reserva.4. urn reservat&io sempre. eliminados. tempo cons apropriada.5.s e rjleo adequados de seguranga.3 aferidor observagao de execugao de controle OS medidores ou outro Devem em cases no case Depois automatizados de press% qualquer mitodo no tGne1. A inspeg% dos equipamentos e linhas de ar deve ser freqllente.5.5.

6. que OS pacotes ou pilhas ou outra sejam qualesta- armazenado necessirio.6 5.1. conjunto.6.5.4 se efetue vidas Na execugao atraw% de tine1 de vagonetas junto de grande dismetro. &mar-as visiveis. A altura nas material deve ser quando dos unidades lotes e trunsporte em sacos.5. manuseio Armazenagem Qualquer embalagem e escorados. na forma estabelecida a wl de trabalho.3 OS c. automaticas que imps_ 5.2 5.5.5.5.6. de materiais recipientes.6. e mzquiou amaforma da ser Quaisquer a distsncia Em pisos bordas materiais segura elevados.1.1 5.1 quer SinaZiza@o Devem tempo. i-4611 7195.3 mantidos 5.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 36 NBR7679/1963 Uma pessoa todas nzo deve habilitada as vilvulas mais uma deve ser encarregada de verificar e de ar period0 inspecionar.5 mente minim0 suas Durante sinalizada necessirio. devem armazenados de elevadores n& podem ser que ou de quaisquer empilhados existam contra sinais materiais paredes choques visiveis a dista^ncia que 3 m das 5. de service.5 nas.6.2 Amnazenugem.1. os trabalhos sob ar comprimido a area devers ser convenientea0 e a movimentacao sendo de veiculos e de equipamento dos riscos restringida de acidentes OS operadores esclarecidos e 5.7 5. comprimido.5. devem no piso.6.5. durante a noite. as eclusas.1.1 quer veis 5. de 24 horas e 5.5. as tanto cujo linhas transporte ferreas interna de’ devem corn0 materiais ser proexterna e locomotivas.6.8 term&metro comprimido deve z frente 0 sistema dispor de vslvulas gam o eventual refluxo de ar.6.5.4 de baixo e nso comprometer no interior a estabilidade de construcoes aberturas. . menor suportes. de descarriladores na parte do tineI. Tal deve pessoa ser e medidores que linha oito e equipamentos horas em cada trabalhar de apenas instalado de ar encarregada Deve ser de ar junto comprimido.5. rela por a nao ser ser 00 elementos de veiculos de car amarela na OS materiais cercas protegidos em que haja ou barricadas durante o dia. e luzes vermelhas.5.digos As tubula+s na NBX 6493. ou pilhas de forma lotes deve ser limitada de forma a do nao causer sobrecarga 5. e preta.6.6.5. do piso.6. caixas. 5.6 continuamente. 5. conseqU&cias. 5.1.6 5. ser meios e pmte& instalados de comunicagao de sinais de ar dos equipmentos e mantidos entre devem comprimido ser em condi$es a superficie afixados devem ser de e as em locais pintadas funcionalidade. 5.

1. de 6 m 6 o m&imo corn escoras laterais de madeira que mantenham sua estabilidade.9 1 ida.6. ou ao ar necesssria devem ser livre. no entanto. de manei ra a evi tar likcias 5. o arranjo superior da pilha. devem ser colocadas escoramento. a nzo para devem ter ser as alturas de empilhados corn altura superior a dez (altura aproximda de 2. OS corredores. de fora para dentro.1.14 sxos As madeiras antes ja’ usadas devem ser examinadas e OS pregos salientes reti- da armazenagem. no empilhamento admitido para equipamensufi to meca^nico.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa Sistema Target CENWIN Cópia impressa pelo pelo Sistema CENWeb NBR 7679l1993 5. OS sacos da pilha. 5. ao ar livre deve ser feito sobre terreno para use imediato.15 escalonadas tra’s.13 rados 5.11 t&e1 tas a altura segura.1. do lote coma mantido devem ser empilhados de maneira cruzada e corn a boca voltada . a pilha 2 parte Se a madeira nao deve mais alta ter cow. 5.6. de madeiras for devem ser superior feitas a 1.. as pilhas devem ser desfeitas simulta- 31 em do armazenadas em urn depkito almoxarifado 5. tornar a pilha mais esdispos sa- E necess. em lotes de cinco unidades pilhas quando corn resist&cia sacos suficiente a parte exterior suportar as pressGes. 5. OS saws de cimento nk devem ser m). para ou de que OS opersrios possam alcansar for a parte movimentada superior a &J de p. deve ser Ao serem retirados nivelada. parede sucessivas. houver de sacos 10. rentes para As peGas de amarraszo transversalmente sobre devem ser colocadas a pi Iha. e devem str provides de uma meios de acesso escada.1.1.8 e drenado 5.6.6.17 para dentro As pilhas de 5.10 no tiximo medizrios tando pilha 0 empilhamento e distante de madeira de inflamaveis destinado fir - e de fontes a longa durasao de igni@o.1. 5. etc.1.6. cientemente 5.1. mais por de 5 m de altura exemplo.6.s de maneira a evitar desmoronapeGas de As pilhas e quando sua altura m. o use de peGas de amarra$. 5. mais alta. deve ser feito sobre base sG- 0 empilhamento Se a madeira 1.%o.?rio sem.6.6. ou ao longo de fileiras de corredores das pilhas.6.1.1.1.16 mantida 5.1.6 neamente.s para for retirada a Go G melhor armazens-la providas em pilhas de inter es uma m de altura. Corn exe@ cougoeiras geral.6. as madeiras. separado Ao retirar materiais empilhados. impedir a circula$ao de ar.7 tibuas.12 mentos. assim empilhados.6. da quantidade ou sarrafos. corn a utilizagao e na remo&.1. uma pilha Nos cases em que for utilizado. nos corredores.6.

50 diretamente ser e usadas firme.28 dros madeira tar gura cunhas 2. armazenadas. de devem cima. as pilha para pilhas mais da De prefergncia.6. /FIGURAZ . que 1 m de OS tubos de modo resistente.1.1. mole. o piso Exceto mais que se onde 1.6.19 mido ser ou quando OS tijolos desnivelado. suportes altura. de acordo se$ao corn de ago circular seu di%netro devem ser a possibi corn para concrete e tipo de armado aso.26 alinhadas 5.6.6.18 A cal virgem dew nunca ser devem armazenada ser empilhados devem pavimentado em lugar seco e coberto.1.6. de altura. sobre chao seguras.1.21 nivelado 5.22 mas Durante e o arranjo a retirada dos lados de de tijolos de acordo de para corn use o deve-se initial.1. devem a nao devem de ferro sobre ser obstruir ser devem piso ser armazenadas em pilhas horizontais de nao 5.1.25 mais j.1.6. centrados nas prateleiras corn as pontas armazenados passagens.1. a nunca cada delote partir tiver dentro urn tijolo a menos pi Iha.23 devem 5.1. manter o topo da pilha A armazenagem aplicaveis barras de blocos concrete para alvenaria dew seguir as mes- recomenda&s As ser a tijolos. tais coma pastes. armazenados OS tubas e travados de maneira a impedir seu i-0 5.24 mando-se queda. OS tubas e barras ou a$o devem e outros ser materiais de segao circular mediante elas. especiais.Licença de uso C6pia impressaexclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 32 NBR 767811683 5.1.1.6.27 lamento. entre apresentarem-se a coloca$ao Essas dobradas pegas para de dispostas apresen Ver Fir em suas extremidades.6. Quando de a fora de tijolos que 1 m. apresentar houver m de plataformas 5.6. chapas altura. peGas cilin empilhados transversalmente ou em camadas. Ua nao 5. e apoiados a$o de armazenadas As pefas estruturais principalmente em I devem cuidadosamente I idade as almas precau$es OS perfis nas As contra ser armazenados abas.6. 5. de na desequi posiqao librio horizontal toe (vergalhoes) 5.6.20 vem deve de ter ter 1 m.

33 de evitar o combate 5.1.6. sistema inclusive de captaG cimento.6. materiais a operagso sobre andaimes. a fim facilitar 5.ides.1. 5. de particudeve que gerem las.1. ou ss portas &I prejudi- equipamentos de combate de emergzncia. As pilhas esforsos a inckdio.6.6. A disposigao aos corn 5. coma a “50 devem nao areia.34 car o acesso afastadas possibilitar previstos. platafordesses 5. aerodispers.6.1 Maauseti Quando de mteriais houver manuseio e transporte e transpdrte ser instalado de materiais.6. 5. ser ficar que brita seja ou entulho verificada pelo menos melhor nunca devem ser das paredes.50 m das 5.30 ser escolhido OS tubos hwnogkeas e outros e separados materiais de acordo de se@ can circular o comprimento.6.2 5.1.1.1.2.Empilhamento de tubas 5.29 pilhas material.1.6.C6pia impressa pelopelo Sistema CENWIN Cópia impressa Sistema Target CENWeb NBR lW6/1663 33 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A FIGURA 2 . .31 mas ou empilhar a nao quaisquer ser durante rampas passagem. devem ser estocados e tipo em de dismetro 0 piso sobre o qua1 em conta se armazenarem sua resist&cia tubas e vergalhoes metslicos deve levando Nunca se de deve ‘a compress&. e armazemesmas. de assentamento materiais.22. de acordo OS materiais contra paredes.32 “ados a resistgncia 0. ventilaGao dos materiais deve facilitar a inc&dio a circula$zo.

o use de roupas prGprias.6.2.8 Nzo se deve atirar materiais ou ferramentas. tomar Quando vergalhks precaUC&S forem uti lizados materiais elevadores corn mais partes de carga para transportar tubas. de cal ou cimento devem ser recolhidos e acondicio- 5. ser utilizar 0~ ree- fechadoscontendo de proteczo pulverulentos.6. 5.6.6.2.4 nados. devem ser tomadas precau 5.2.2. 5. de seguranga e a pessoa de ejegao continuaantes da do exterior.6.10 primento. fixas da obra ou que nao atinjam dos elevadores. devem . 5.ria que permita sua quipamentos ligado e cinto remogao ligada ser do devem desligado segu ranga em ca so a urn cabo de seguranga 0 cabo pronta a ele deve de necessidade.9 diregzo.6 mar As pessoas que manuseiam cal e cimento devem ser instruidas para infor qualquer suscetibilidade da pele. devem-se e outros para de 4 m de comprimento. 5.2. 5.6. 0 sistema 5.2.12 barras.7 quaisquer As pessoas trabalhos comprovadamente em que entrem algrgicas em contato nao con cal devem ser encarregadas de ou cimento.50 ao redor.6. 5. sG aproximar extremidades 5.13 Para o transporte de gasolina em quantidades inferiores a 30 L. mente entrada observados de pessoas.5 manuseiem E recomendado cal e cimento.2. e respirat. Ao remover deve-se tubos de uma pilha da pilha formada pelas de elementos e nao colocados pelos em uma iados. OS sacos logo que vazios possivel.3 Oeve-se reduzir ao minimo o manuseio de sacos de cimento.2. eletricos. ros Sempre amarr&lo que se transportar pontos dois distintos ou mais tubas corn mais precaugao de can em dois e tOmar m de con OS companhei- 1.2.6.2 cintos Quando nao puder ser materiais facial evitada a entrada de pessoas tais apropriados pessoas em recipientes devem de local.6.2.6.2.Copia impressa pelo Sistema TargetCENWIN pelo Sistema CENWeb Cópia impressa 34 NBR 767911993 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 5.11 @es para Ao transportar nao haver contato tubas con metilicos cabos ou vergalhses.2.6.6. botas e luvas para pessoas que 5.

ca- dispositivos apropriados.18 entrada co.2.6. controlada durante a sua 5.6.6. OS acessos e saida ao canteiro dew de obra ser devem ser por sinalizados vigia para e iluminados.14 N&J se deve deixar carrinhos de mso em posi$ces inseguras.22 Nos trabalhos servisos seguintes de aplica$ao que medidas de aplicagzo utilizem de laminados solventes e de pisos.15 tomotores Somente em obras.6.2.xicos. o local deve ser impedido proviscria ou conexoes a fiasao capados. sem condi$&s de seguran$a devem ser imediatamente reti- 5.20 grenados tivo OS velculos e as rodas pesados de eixo que fixo estacionarem escoradas em declive corn calGo devem ser freados e en disposi de madeira ou outro apropriado.6. iluminaG:o pressao.19 rados OS veiculos de operagao. motoristas habilitados e experientes podem operar veiculos au- 5. de maneira Em case a deixar de necessidade. 5. d) a quantidade tida de cola e solventes tampados e n& no local deve de aplicasao ultrapassar a deve necess ser em recipientes diario.2. devem bem coma quaisquer ser tomadas a) b) c) as t.2.6. man i dade do consumo .17 bos.2.6. 5.2. NBR 767611993 35 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 5.6. indispenssveis: deve fumar de por no ser local suficientemente de aplicagao. 5.2. cordas As cargas ou outros nos veiculos devem ser atadas e fixadas corn correntes. orientar o pibji- A de velculos passagem. nao pode apresentar trechos desen ventilado.6. materiais sinalizar que exde da carroceria National o CGdigo 5. 5.21 A velocidade nao deve m&ima dos veiculos dentro das sreas de circulaG:o inten- sa de pedestres ultrapassar de 20 km/h. de Tra^nsito.C6pia impressa pelopelo Sistema CENWIN Cópia impressa Sistema Target CENWeb ser utilizados tambores especiais.2. inflam&eis fixados ou por cola.16 cedam acordo Nzo OS limites can se deve carregar urn caminhao do veiculo.2.

6.. nao deve ser feito de maneira que im- pega a visibilidade ou dificulte a locomog~o. Quando o guincho provis&ia nao for instalado para proteger sob uma laje.2 gir A botoeira de comando deve de modo a ser ser dotada de chave por de partida autorizada.2. .5 0 ascensorista e conhecer deve ser habilitado.6. usada apenas pessoa 5.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 36 NBR 767811983 e) devem ser por impact0 for evitados mec&ico.3.3. 5. placas corn utilizar artificial. iluminagso de explosao.3. para restrin- sua utiliza$zo. A base da torre.2 bertura riais.4 No elevador fechadas. no local de algodso de apl i cagso e botinas devem de couro. 5. do botao de parada.6. deve ser instalado urn interruptor para que si.6.6.3.6.4.4 5. 5.1 sentados ser Tmnsporte vertical de materiuis o suporte de concrete pneus para da roldana resistente funcionarem livre e o guincho Sobre devem estar o bloco para asdevem possiveis e nivelado.3.1 vel tador Transporte da base.6. ter sua funcso registrada em cartei ra de trabalho o equipamento e seu funcionamento.23 0 transporte nos acessos ao local de aplicagao RISC0 DE EXPLDSAO. necesssria s prova servigos con riscos de centelhamento inclusive nas proximidades. colocadas roupas h) devem ser OS dizeres: 5.6. inferior para vertical de embarque e desembarque pare pelo deve ser construida pelo contato acima can o A plataforma evitar do nTlimi- que o elevador em vez de o ser na descida acionamento de curso.4. devem ser utilizadas f) quando luminzrias g) todos miscara OS que permsnecerem protetora. o guincheiro deve-se contra instalar a queda uma co de mate e resistente .6.3 tado As portas o uso de portas do elevador pantograficas. devem ser enteladas e de correr. manual de materiais INCENDIO E INTOXICACfiO. num unrco bloco urn ou mais colocados coma amortecedores impactos da prancha. 5.3 5.6. se movimente corn as portas 5. devendo ser evi- 5.

5. ser proibida e dificultada corn barreiras a circulacao de pessoas j.6. A partir guincho para a torre sendo e o guincho o uso de miquinas conhecido tragao corn re de embreagem.4.4. 0 guincho deve ser dotado de prote@es em polias.9 sssoas ro.4.6. que se encontrar por a prancha. se evitar deve ser provida no sentido nos montantes tombamento . 5.3 de por Somente deve dai ser aceita deve a utilizag”ao ser metslica de torre de madeira do tipo de ati a altura 15 m.6.6.4. correias e engrena- 5.12 zontalmente A torre deve ter OS montantes anterior-es amarrados e estroncados hori ao nlvel de cada pavimento. o cabo de sustentacao no mynimo. 5.4. montantes de de cabo de ace de 6 mm a 9 mm (l/4” providos de tragao.4 namento 0 guincho por pessoa deve ngo ser dotado de chave de partida para impossibilitar acio autorizada. recomend&el versao.6.4.14 de tirantes 0 trecho fixados de torre acima da iltima extremes laje para concretada.6.13 posteriores. j. OS elementos eliminando-se metilicos OS oxidados das torres devem ser inspecionados antes da e empenados.6. 5.7 cobertura Entre que o tambor evite do guincho e a base da roldana livre deve ser instalada contatos corn o cabo de sustentacao.6.10 atrav& Deve da torre.8 dew estar Em qualquer enrolado posicao no tambor. a descida.4.4.6.4.5 gens.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 7676l1963 37 5. 5. dispositivo A torre atra&s deve ser estaiada aproximadamente a cada 6 m. 0 guincho conhecido por guincho de embreagem deve ser dotado de acento 5.6.6.4.4. quatro voltas. 5.11 montage”. 0 local can suas do guincho parks m&eis deve ser cercado para evitar para o contato can acidental o guinchei de ou a aproximacao conversar 5.6. nos a j/8”).6 corn encosto.4.

6.4. permitindo vertical. da prancha.7 5. botes sal- em numero .19 postas da torre As quase peGas corn mais de 2 m de extensao para evitar qualquer devem impact0 ser amarradas ou contato a prancha. devem ser instaladas protefornecidas no montante representante.21 inclusive A base do guincho de coluna ou similar deve estar nivelada para garantir o enrolamento do cabo no tambor.4.6.2~ prios para OS guinchos fixa$o. ser dotadas de chapas fixas de conten@ nas laterais.6. Nos acessos mantidas pelo 5 torre. do guincho de coluna ou similar de- a impactos de estilhaGos 5.22 ve resistir A “coifa protetora ” da roda de freio ou fragmentos. minima 5. 5. 0 trajeto.6.4. de carga e descarga. de coluna ou similar devem ser dotados de dispositivos pr& 5. NBR 7676/1963 5.1 coletes Trabalhos Na execw$o salva-vidas sobre a &UU de trabalhos ou outros corn risco de queda sobre a sgua.17 xadas transporte da cobertura $ As naslaterais pranchas devem ser flutuante dotadas de cobertura (anterior e posterior). devem ser usados equipamentos de flutua$o. 5. 5. Contra a queda A fur@0 a opera de materiais de carga 5.6. suficiente nas proximidades e devidamente e em local equipados.4.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 36 contra’rio ao da edifica$o. corn a estrutura durante 5.6.6.4.15 @es m&eis. e uma campainha pa ra comanda r o ao guincheiro.7.2 va-vidas Deve haver sempre.6.18 instalada A prancha junta deve ser dotada a fim de urn botao de garantir poders de alarma comunicaGao ser a viva sonoro kica voz. de fkil acesso. fechadas fabricante em todos exceto ou os pavimentos.16 corn altura As pranchas de devem 1 m. na posi$o de materiais 5 proteger e descarga. “porteiro o deslocamento sistema tip0 A comunica$o utilizando-se eletr&ico”.4. preferencialmente 5. corn mais 0s operarios 2 m de extensao.4. dis- na vertical.7. durante assim fi0 da viga atravGs de de dobradi$as.4.

7.7 Em volta de plataformas e equipamentos flutuantes devem ser instalados guarda-rodas e guarda-corpos. d’sgua.3 “has di$es As plataformas de seguranta meteorol. 5.gicas e outros equipamentos firme utiiizar flutuantes devem ser usadas providos de Iicon ancoradas “20 em terra permitam .7.8.4 Quando forem executados trabalhos noturnos sobre ‘a prova a zgua.7.8. cujas vslvulas qua” apre- to 5 sua condir$o sentem vazamento.8.io disponham de capacete de pro 5. aqueles no recebimento. os equipamentos de salvamento devem ser iluminados corn lsmpadas 5.1. 5.1. sobre a sgua devem 5. ou de outro modo danificados. esteja vencido.7.C6pia impressa pelopelo Sistema CENWeb Cópia impressa Sistema Target CENWIN NBR 767811993 39 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 5. 5. recebidos cilindros que n.1. 5. transporte e use de cilindms pm gases comprimidos inspecionados quando do seu 5. 5.1 de gas devem ser ser recusados rigorosamente devendo corroidos OS ci 1 indros que se apresentem visivelmente defei tuosos.8.5 tas Apesar do con&do do cilindro nzo ser indicado pela car deste. devendo recusados 5.2 tstica 0 cilindro.8 Amazenagem. devem ser ser inspecionadas.3 As vslvulas dos cilindros de veda$o. quando as 5.8.6 Nso se deve deixar materiais e ferramentas soltos sobre plataformas e e- quipamentos flutuantes.8. de manuten& tendo em vista de equipamentos a a& da corrosso.8 ser As inspe&s especialmente e medidas cuidadas. que possam ser embarcasks.5 As superficies de sustent+o de plataformas e equipamentos flutuantes devem ser antiderrapantes.1. 5. as etique- afixadas pelos fornecedores devem ser removidas. cujo prazo ser para realiza+ de nova ensaio de pressao hidros deve recusado e devolvido ao fabricante.1 RecebGento ik ciliadros recebimento.1.7.7.4 te+ N% devem ser (cope) . .

8. local e de materiais conservados afastados tombados e querosene. /TABELA3 .2.2 fonte Go. devem ser pro- diretas. ventilados e mantidos condi$es 5.8. 5. 5.8. superior a 60 rn3.1 siva tas para OS locais esta de armazenagem devendo dos ser cilindros cobertos.3 tegidos Quando contra OS cilindros radia@es de gis solares forem armazenados ao ar livre. 5. em volume inflamsvel. objetos OS cilindros de calor.2. de limpeza. res.2. Devem outro ser.ria feita esta em eprovi- e afastada tratar de gzs em execu$o. onde a distzncia segura de de fscil de qualquer combus elevadopor forjas. de gss devem ter destina$o em excli perfeL finalidade.5 dade abaixo A armazenagem transcrita de gases (Tabela comprimidos deve obedecer 2 tabela de cmpatibili 3).8.4 difica@ d&cia A armazenagem separada quando se de cilindros da obra de gss deve ser preferencialmente sendo obrigat. corn0 Glee como de gas fornalhas.8.C6pia impressa pelo Sistema Target CENWIN pelo Sistema CENWeb Cópia impressa 40 NBR 7678/1983 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 5. ou qualquer passadisos em queda possam ser ou atingidos ou em movimento.2.2. devem ser mantidos caldeiras tambern.

“.V . to F”. P : 5 g g z SNSNNSNNNSNNSNNSSNNNSNNN NSSNNSNNNNNNSNNSSNNNSNNN ssssssssssssssssssssssss N N S S N S S S N S N S 5 N S S S N S S S N N N N N S N S S N N N N N N S N N S N N N N S N N N ssssssssssssssssssssssss NNSSNSSSNSNSSNSSSNSSSNNN Amoniaco Arghio Ciclopropano Cloro Cripthio Etano Eti Flhr Gas Gk G.” ~““uww~~~~II~zzo~~x”“~ ‘.g-!.-a .pc g L.‘z. :‘..Compatibilidade dos gazer comprimidor iso coo2 -tn...-“‘-.o.~%:a . CrLrsr ‘..50 22 I I IN Acet i leno ‘.: 0 & tQJ..0 0 c.o..-I m c L maacoooo 2’g.CR I IN I I IN Iii c N N S S N S S S N N N S S N S S S S S S S N N N ssssssssssssssssssssssss SSSSNSSSNSSSSSSSSSSSSSSS NNSNNSNNNSNNSNNSSSNNSSNN NNSSNSSSNSNSSNSSSNSSSSNN NNSSNSSSNSNSSNSSSNSSSSNN ssssssssssssssssssssssss I I IN I IN C CU = t Inflam&el lnerte s = Pode ser armazenado ccm o gk ou produto i nd i cado N = Nao pode ser armazenado can o 9% ou produto = Ccmburente = Corrosive indicado ..Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811983 41 TABELAS . HfZlio Hidrog&io Metano Ne%io Nitrogznio Oxighio Propano Propi Xenhio leno Carbhico Sulfldrico leno I CK I?1 I I CK Iii NNSSNSSSNSNSSNSSSNSSSNNN N N S N N S N N S N N N S N N S S N N N S H N N SNSSNSSSNSNSSNSSSSSSSSSS N N S N N S N N N N S N S N N S S N N N S N N N N N S S N S S S N S N S S N S S S N S S S N N N ssssssssssssssssssssssss NNSNNSNNNSNNS SNSSSNNSNNN 1. “‘5 2 0.c ..0 aI 0’1% A .z. D a *.lJ m.P.. cno 0 mc c-.L.g.

5. 5.8. de seguranGs do trabalho e ao for imediatamente necedor . prlncipalmente entre cilindros oxige’nio bas- e de acetileno tante segura.2.2.8. 5.8 Glvula OS cilindros para cima.11 ses As instala@es deverzo pessoal el<tricas ser do tipo dos “5 locais prova de armazenagem de explo&“. vula d) colocar deve-se levemente em volta ocorrer proceder aberta. de segua ~51 coma nos cases mas deixar . ou de outro inflamivel. conservados cheios.12 bate OS locais de armazenagem de f&i1 deverao acesso dispor e r& de equipamento passive1 adequado de cons a inckdio.8.8. de gss devem ser e fixados por armazenados em posigao vertical.13 retirado cias: Quando urn cilindro para o ar livre de g& e isolado.8. de cilindros inspecionados de gaperiodi condi- inflamiveis por camente s&s qualificado e mantidas permanentemente em perfeitas de conserva@o e funcionamento.2.2.6 cilindros chados.2.10 permitido Em compartimentos fumar ou usar onde sao armazenados qualquer cilindros de gas nzo deve ser chama para finalidade.7 dro E obrigat6rio em use. a menos que estejam 5.2. separados dos cilindros fechada cheios e rece- e identificados corn a v~lvula bendo OS mesmos cuidados que OS cilindros 5.9 OS cilindros pela vazios anotagao devem ser armazenados ‘YAZIO”. bragadeiras ou outros que impegam o tombamento. o use do capacete de protegzo da valvula quando o cilin- nao estivdr 5.2. do local para onde foi removido o cilindro defeino fusrvel ou em algum dispositivo anteriores.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa Sistema Target CENWIN Cópia impressa pelo pelo Sistema CENWeb 42 NBR 767811983 5.8. apresentar devendo vazamento ser adotadas deve ser imediatamente providcn- as seguintes a) fechar b) informar a v~lvula e afixar etiqueta ao serviFo elucidativa. OS cilindros de acetileno Deve existir de wig&i0 ou de outro uma separa$o gas I?& devem ser armazenados nas proximidades em recintos de a dista^ncia de fe ga’s inflam&el s prova de fogo * . corn dispositivos a correntes. c) se o vazamento ranGa. 5.8.2. em local de bloqueio.8.

de oxig&io e was partes componentes devem ser mantidos 5. assim coma o impact0 de ““5 .8.2.8.3 feito can 0 transporte a utilizagao aos de cilindros de estrados por meio de guindaste igados o use por ou guinchos estropos nao talhas. 5. ajustado.14 isentos OS cilindros de Glee e graxa. 5.3.8. de que segurando-o o referido capacete ou mo es- capacete. ser evitada a queda dos cilindros.8. te amarrados pas ou alavancas cilindros.3. 5.3. ou cutras dadas alertando fontes pelo de contra cdlor nas a prstica proximidades.6 da vertical arrastk.3.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa Sistema Target CENWIN Cópia impressa pelo pelo Sistema CENWeb NBR 7679/1999 43 tuoso e o uso e) seguir letreiros de chamas as instrug.8.2 con OS cilindros somente devem ser transportados colocado. 0 transporte e fazendo-o manual rolar do cilindro sobre pode ser feito deslocando-o Devem-se evitar levemen impactos te e a borda da base.7 0 capacete de protegao “20 pode ser utilizado para sustentar o cilindro em operagces de movimentagao. 0 manuseio violen ou explosao.8.5 vimentando-o teja perfei Antes de se pelo colocar urn cilindro deve-se ter em posigso a certeza vertical.15 para evitar OS cilindros acidentes devem decorrentes ser inspecicnados de vazamento periodicamente on outra em sua armazenagem deficigncia.8. para Nao e permitido dos de eletroimas. estro- a movimentagao cilindros. 5.4 carrinhos para fixar 0 transporte apropriados OS ci lindros de cilindros ou equipamentos e transport:-los deve ser feito preferencialmente que possuam por meio de m&eis similares.3. tamente 5.8 contra 0s Deve outros.8. 5. corn as v~lvulas fechadas e o capacete de protegao devidamente 5.8.3 5. 5. de fumar fornecedor.es bem visiveis.3.1 to pode Tmnsporte OS cilindros provocar devem vazamentos ser que manuseados ocasionem corn grande inc&dio cuidado.2.3. 5.3. dispositivos corn seguranga.8.8. deve diretamen ser adequados.

Copia impressa pelopelo Sistema CENWeb Cópia impressa Sistema Target CENWIN AA Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A NBR 767BI1983 5.4.1. OS dispositivos de seguranga dos cilindros nao devem ser alterados pe- .8. de protegao apropriado. a distkcia de que estejam segur.4. seguramente Case nzo se use car- 05 cilindros devem na posig& vertical. cilindros de cleo e acessorios ou graxa. em lugares Beve-se evi tar muitas onde contato vezes usados possam corn re in- integrante ou malhas de aterramento.8. Em qualquer fechada.8.4.3. soldagem devidamente circuitos ou torte.2 em contato Deve ser evitado o manuseio corn as msos nzo todo deve ou dos cilindros sujas e dos de oleo acessorios. 5.4.8.n que al corn oxigsnio. 5.8. tubulagk de de cilindros el<trico.4.1 mantidos tausar 0s isentos explosk.1.s pro de soldagem placas de material incombustivel. esteja o regulador da vzlvula.4.1. 5.8.10 movido dro Antes e ser de se movimentar instalado o capacete em carrinho a vilvula urn cilindro.8. qualquer ainda outra que vazios. que entram destes em contato materiais can oxigkio devem oxig&io ser pode A rea$ao corn o 5. para e trilhos.3 de operasEes tegidos por Deve-se ter o cuidado ou torte de que e.8.3.8. 5.nio. jam qualquer Geve ou graxa observado ser permitida para a utilizaqao evitar assim que jatos de cilindros de oxig&io equipamentos o cuidado CM 6le0 material contiyninado armazenado produto ou graxa ccmo mazenem ou tenham inflamavel ou oleoso. de pressso a menos case 6 que deve este ser cilin- re- esteja instalado de que importante haver a certeza do cilindro 5.8. II& a que podem nao se ser utilizados cane su- finalidade destinem. OS cilindros rolo ou para de 95s.4. como “terra”.1. ou graxa.1.1. que entram on de ati.1. na OS cilindros impossibilidade permanegam disso.8. 5.4.4 Uso 5.5 E proibida a prkica de testar elgtrodos na parede de cilindros. devem ser protegidos ser contra fixados impactos.1 GeraZ 5.7 10s usuirios.9 porte. 5.6 rinho OS cilindros apropriado. oleo ser luvas Em locais de se manipula oxig.4 constituir des Nao se parte deve permitir a colocagao de urn circuit0 cabos.

nualmente.12 limite m&imo A valvula de 1 l/2 do cilindro volta de acetileno e. notificar 5. 5.1.15 A capacidade &o deve total de cilindros a 60 m3. 3/4 ate de volta.d. para abrir sendo As vzlvulas proibido dos o use endurecidas cilindros de martelos.4. este cilindros para ser conectados a mesma diretamente pressk dor .4.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa Sistema Target CENWIN Cópia impressa pelo pelo Sistema CENWeb N0R767811999 45 5.2.2 tado Nunca deve de ser presszo usado o gss de urn cil Quando deve ser indro vsrios sem que a este estao suportar no esteja conec urn regulador adequado.1. somente assim devem coma ser utilizados ser para adequados o gss 5s papres devem a que 5.8. 5. de press:0 e fabricados.1.8. s mesma pressso em baterias.8 tros objetos OS cilindros que o rapid0 possam n& devem ser as utilizados vslvulas case para pendurar ferramentas de pressso. 5.8.8.8.14 acetiieno locado Somente que estejam devem ser usadas simultaneamente.2.8. cilindros dew ser de co aproximadamente de chama entre urn retentor OS cilindros e o dispositivo corrector ou entre o conector e o regulador.2 5.11 ve fornecida A v~lvula pelo para do cilindro da acetileno a qua1 deve em case ser somente mantida deve ser aberta durante can o a cha “SO fabricante.1.4. o da chave preferencialmente. e w- danificar e reguiadores necesssrio. 5.1.4.13 ta. de projeto dos cilindros projetado deve e o regulador colocado distribui- .1. alsm disso.4.1. deve ser aberta ientamente sci at. e. a urn distribuidor. A valvula do cilindro de oxig’enio em use deve estar totalmente aber- 5. bem coma dificultar fechamento da vslvula.3. fechamento na valvula do cilindro.4. n.4.1 ra o qua1 sees Reguladores OS reguladores foram sejam projetados submetidos. de acetileno usados simultaneamente em uma edifica$o exceder 5.1.10 pactos.io devem chaves ser forgadas ou submetidas a im- Ou artificios Se ngo for posslvel coma mzo-de-fbrga abri-las ma- vslvulas deve-se ou emperradas.4.9 E proibido misturar ou transferir gases entre cilindros.8.4.8. 5.4. rspido de emergencia.8. o fornecedor.4.

em 5.8. Case apresentem vazamntos.8.2.3.8.2.8.2.4 queidade. sim pode tileno. 5.4. em operaczo de pressso no sentido a vslvula presszo a m&imo.8. em seguida. As mangueiras desgaste devem ser inspecionadas corn freqU&cia quanta 5 estan- ou deteriora@es. a conduzir OS gases devem ser do tipo fabri- cado especialmente 5.8.8. tabelecido Para colocar mode: totalmente do relcgio liberar o regulador o parafuso e. 5.6 Ngo se deve tentar reparar ou modificar reguladores de pressso.4. As mangueiras a uma pressgo.8.3.4. de sujeiras a ~zlvula e poeiras. volta e meia do eixo. 5. em opera$o.4.2.8. fechado) at.4.3 5. ap6s o total fechamento 5. de modo a que o ponteiro que ser 0 mano’metro aberta de do man6metro alta pressso ate aberta o alem de alta estabilize. 5.na. limite lentamente.5 apertando S6 se deve as porcas tentar eliminar vazamentos entre a vzlvula da vslvufa.4. de pressso de regulagem girs-lo entzo.8. contrsrio do cilindro.12.2.3 ou outros As cone&s dispositivos devem ser semelhantes. do cilindro Em seguida dew a ser vslvula li a conexso.8.7 se fechar Antes a vilvula de remover urn regulador de pressao de urn cilindro de ggs.4.4 da saida Ningugm deve permanecer a abertura diante dos man&metros. se nova va’lvula Se se ao dos pot levemenAs que afrouxe. abrir.3.1 Mangueiras As mangueiras para destinadas tal fim.2 mento. assim corn.4.8 seguinte lador teiros te.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa Sistema Target CENWIN Cópia impressa pelo pelo Sistema CENWeb 46 NER 7678/1963 5.4. deve-se at6 o seu proceder limite do (reg. fixadas 5s mangueiras por meio de bracadeiras 5.8.1. e o regulador das uniGes.3 geiramente deve ser Antes aberta fechada de ser para e entso conectado eliminagso feita o regulador. n%a deve ser de acecorn es a vilvula de um8.3.4. do orificio do gzs durante da vilvula.2. 5. 5.4.s de quei- . do tratar ciiindro gradualmente. tixima sem vaza- no minimo nunca ao dobro a que devem ser submetidas menor do que 3 000 kPa (30 kgf/cm2).4.e e suas conexzes igual devem ser capazes da press% de resistir. s. deve- do cilindro e despressurizar o regulador.

C6pia impressa pelo Sistema Target CENWIN pelo Sistema CENWeb Cópia impressa
NBR7678/1983 47

Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A

ma ou desgaste reparadas

ou outros tuidas.

defeitos

que as tornem

impr;prias

para

o use,

devem ser

ou substi

5.8.4.3.5 E prefer pontos ivel

Devem-se , contudo,

evitar este

comprimentos inconveniente

desnecessariamente a ter

longos

de mangueiras. OS cilindros at:

que transportar

elevados.

5.8.4.3.6 sejam

As mangueiras pisadas

na’o devem ser elas

dobradas

ou torcidas

e deve-se

evitar

que

ou que sobre

trafeguem

veiculos.

5.8.4.3.7 rada

(luando ocorrer

retrocesso

de chama pela

mangueira,

esta

deve

ser

reti

de use e substituida.

5.8.4.3.8 zamento. conexoes

As mangueiras N& devem ser

devem ser reparadas

imediatamente isolante,

retiradas

de use em case de vae emendadas corn

corn fita

mas cortadas

apropriadas.

5.8.4.3.9 leno) tes

As conexges

para rosta

as nwngueiras “2 esquerda”, ta”.

de gas combustlvel enquanto

(por

exemplo, e gases

aceti i ner

devem apresentar devem ter rosca

as de oxig&io

“a direi

5.8.4.3.lU escapamentos, ensaio

Devem-se conex;es

fazer

inspe$es

freqlfentes

para

comprovar

a inexist6ncia atrav;s

de de

frouxas

e partes em igua.

deterioradas aplicada

ou desgastadas, de trabalho.

consistente

na imersao

a pressso

5.9
5.9,1 5.3.1.1

Arwsenagem, Armazenagem
Locatizn~~Yo

transporte
dos

e use de explosives

pai&
em terrenos firmes, secos, ventos a salvo de inundaG&s,
nao

5.9.1.1.1 sujeitos cumula$o

Devem situar-se a mudansas bruscas

nao a-

de temperatura, estatica.

fortes

e onde

ocorra

de eletricidade

5.9.1.1.2

Devem localizar-se

a mais

de 100 m de escolas,

igrejas,

hospitais,

te

Licença impressa C6pia de uso exclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb

40

NBR 7578il993

atros do for

ou outros o case.

locais

de reuniao

pcblica,

obedecidas

as

Tabelas’

4,

5 a 6

qua”

-

5.9.1.1.3 assegurar,

Devem

obedecer

2s

distsncias menores

minimas danos

previstas materiais

nas

Tabelas,

a fim

de

em cases

de acidentes.

e pessoais.

TABELA 4 - Armazenagem de explmivos iniciadores. espoletar el&tricas, simpler e wtras Quantidade de material em kg Dista’nlias Edificios habi tados Ferrovias minimas, Rodovi em metros, as Pai6is a ou Dep&itos

20 200

75 220 300 370 460 500 530
m&ima que nzo

45 135 180 220 280 300 320

22 70
95 110

20 45
90 90 90 90 90

900
2 200 4 500 6 800

140 150 160

9 ooo(*’
(A) Quantidade

pode

ser

ultrapassada

em case

algum.

TABELA 5 - Amwenagem Quant i dade em quilos (Capacidade do armazgm) Dista’ncias Edificios habi tados

de Pblvoras Quimicas em metros, a

minimas,

Ferrovias

Rodovias

Dep&

i tos

4 500 45 000
go 000

45
90 110

45
90 110

45
90 110

30 60 75 120

225

OOO(*'

180

180

180

(A)

Quantidade

m&ima

que i-60

pode

ser

ultrapassada

em case

algum.

1

Estas

Tabelas

szo

do R.

105 do Ministirio

do Exircito

(SFIDT). /TABELA 6

C6pia impressa pelopelo Sistema CENWIN Cópia impressa Sistema Target CENWeb Nl3R 767811963
49

Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A

TABELA6

- Armazenagem

de explosives de nrplura e p&ora

mechica (Pblvora Negra e “Chocolate”~

Quantidade de material em kg

TEdifrcios habi tados 45 75 110 160 200 220 250 265 280 300 310 345 365 405 435 460 480 490 510 520 530 570 620 660 700 780 860 1 000 1 100 1 150 1 250
mkima

Disthias Ferrovias

mTnimas.

em metros, Rodovias

a Pai&is ou Dap& i tos 20 25 30 35 40 43 45 48 50 52 55 65 70 80 85 50 90 90 90 90 90 90 90 90 90 90 30 125 125 250 250 250
algum.

23 45 90 135 180 225 270 300 360 400 450 680 900 1 300 I 800 2 200 2 700 3 100 3 600 4 000 4 500 6 800 9 000 11 300 13 600 18 100 22 600 34 000 45 000 68 000 go 000 113 300(A)
(A) @antidade

30 45 70 100 120 130 150 160 170 180 190 210 220 240 260 280 290 300 305 310 320 340 370 400 420 470 520 610 670 700 750 790
n% pode ser ultrapassada

15 30 35 4s 60 70 75 80 85 92 95 105 110 120 130 140 145 150 153 155 158 170 185 195 210 230 260 305 335 350 375 400
em case

! 350
, que

oleodutos. Devem ficar afastados de.. vistoriado.9.1.2 As redes elitricas nao podem ser estendidas sobre pai6is.2 que tra inc&dios incgndio. 5. linhas-tronco de distribui$o 5.4 tes.Licença de uso C6pia impressa exclusivo paraTarget CENWIN impressapelo Sistema Petrobrás S/A pelo Sistema CENWeb Cópia 60 NRR 767811983 5. de vegetagzo.1 o canbate Im&dio OS depkitos a inc.2 5. para impedir confaixa folhagens deve ser ao coma prote$Zo numa limpo. trabalhos internos lanternas s-9. feita can Arejamento de armazenagem superior de explosivos mediante devem aberturas ser arejados das ventos. 5.9. corn OS direres “PERIGO-EXPLOSIVOS” e “PROIBIDO apliciveis. 100 m de obras-de-arte de energia elitrica. de todo e isento o paiol.ricas. As zrvores em suas o chao largura nas imedia$&s atinjam mantido redor dos pai6is OS pai6is devem e.9. portas esta obrigatoriamente ou por operagzo sistema s. dias secos aproveitando a presensa e sem fortes dos pai6is. sinais e outros de advertgncia.3 OS pai6is cargas Descargas e depkitos elitricas el&h%?as atmosfth&as devem ser devidamente protegidos contra des- de explosives atmosf.9.e^ndio.1.4 0s dep&itos period0 exaustgo. elhica eldtrica e as s6 l%padas podem ser de iluminag”ao protegidas utilizadas deve por ser sempre externa nos dep& D blindagem contra portsteis. no mlnimo.9.1. 5.9.9. devem ser doeados de sistema eficiente e adequado para 5.1.1.1. 5.9.5 R volta sinatizagio de depkitos de explosivos devem ser colocados FUHAR”.1.9.1.6.1.6 5.1.9.1.2.2. de 20 m de minima .6.1.1 sitos Nos InstdapTic A instala$ao de explosivos. ggua importane g%.5 tade. impactos de pilha.1. ser tambim podadas. viamente quando 0 distanclamento se tratar rnlninw de deposit0 indicado barricade na Tabela 6 pode ser reduzido desde que i mepre- ou entrincheirado.6 pode em de ser nzo a 3 meses. do encarregado 5.

9.1.11.Y Acessos 5. 5.9.9.1.9. e s6 pcdem ser abertos (as quais encarregado ser anotadas em cases do explosivo arejamento e de empaiolamento). e saidas limpeza. w material ou so - 5. protess contra intern e serem ou cadeado.1.1 lor tso. devem as caixas ser dotados de explosivos de estrados de madeira. na face pelo contidos. interna da porta de entrada do qua1 conste urn qud a es no modelo controlado nele encarregado.9.3 pelo devem Somente OS paisis nos devem seguintes no quadro permanecer cases: limpos entradas e fechados. no seu cehtelha interior quando for mau condutor devem atritado ser de cade la e eletricidade. sobre nas condi&s 0s quais esta ou de acess&ios.7.1.1 em boas As vias condi$es e ireas de acesso aos paicis devem ser construidas e mantidas de seguranga de tra^nsito.9.1. 5.9. bronze choque.1.7.9. abrir As portas pat-a devem fora possuir born isolamento dotadas de fechadura tirmico.4 se possam belecidas OS paisis depositar em 5.7.1 . E obrigatkia entendido qualquer a existgncia obstkulo que fisica impega de delimitasso o acesso de da grea pessoas na’o de risco. metilicas que nso usadas produza imperme&el. 5.9.1.4 dro p&ie OS pai6is da devem Figura dos apresentar 3.7 5.9.1.9. autoriza- 5.1. e quantidade explosivos /FIGURA 3 .1.2 centelhamento +a. frer Aepectos comtmtivos Devem ser de material e as outro partes incombustTve1. 5.9.7.9.1.9.9.2.2 assim das.C6pia impressa pelopelo Sistema CENWeb Cópia impressa Sistema Target CENWIN NBR 767811983 51 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 5. extraordinirios 5. 0 piso por deve atrito ser impermeabilizado ou choques corn material liso apropriado a fim de facilitar para evitar a limp2 e acabamento 5.9.3 psries.8 OS reparos Repmos no8 p&ie em pai6is s6 podem ser feitos quando estes estiverem vazios. abertos ‘a noite. podem ser inspe$o.

Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 62 NBR 7678l1993 QUADRO DE CDNTROLE DE ARMAZENAGEM DE EXPLOSIVOS I DATA DE ENTRADA NO PAIDL PRODUTOS ARMAZENADOS Lote e Sublote Espicie Quantidade Categoria OBSERVACOES / / Encarregado do Paiol FIGURA 3 .Modelo do quadro 5.9.1. exceto inspe@es ou opera@% 5.9. OS acessos de entrada permanecer de mate- trancados.5 ao acesso suir OS locais de pessoas de armazenagem 1150 autorizadas. rial. aparelhos e umidade 5.9. a esses de explosivos Somente Todos devem ser Fsolados e vadados pos - pessoas autorizadas devem e saida podem as chaves de acesso durante locais.11 5.1.1.9. principais no empaiolamento dos altos explosives sgo .10 Deve existir destinados Tsmpelvltum no interior ao registro e w&a& do dep?kito de temperatura para armazenagem relativa.mmto As precau@ks umidade e chcque.9. de explosives.1.11.1 contra Medidas gerais para empaiolo.

nos c1a portas.50 m.1.is dlferac 5.3 quais Nas pilhas a espkie de explosives do material e acess&ios e lote devem ser afixadas fichas nas constem do mesmo. 5.9.1.11. e.9.9. nas a’reas A car amarela reservadas s. negra se de devem ser calgados devem ter as costuras para de lado. 5.1.11.13 As caixas de dinamite devem ficar con as tampas para cima.9.2 tes.11. sendo preferida a armazenagem corn explosivos.70 m.5 que torne fkil OS lotes devem ser dispostos. permitidas. a pelo menos. guardados a penetragzo OS barris em pe ou de umidade de p.7 A dista^ncia entre as paredes e as pilhas deve ser de 0.1.1.14 Se ficarem ficarem OS barris de pg.9.9.9. a fim de evitar que o material influ&cia da temperatura.11.10 mo momanto. As dinamites e OS acess&ios devem ser armazenados em pai. 5.4 0.9. antigos.1.11.11. vazias devem ser destruidas por queima e nao devem ser 5.11.70 m entre A altura ela da pilha deve permitir que fique urn espago sofra de. 5.1. 5. 5.1. nos pai.11. ros . de pGlvora negra podem ser evitar baixo.9.is e depkitos.11. 5. deve ser circula$o e delimitando especiais espagos junto (Ver usada em situagoes de risco NER 7195).6 0. de ta1 modo a retirada dos mais 5.9.8 Devem ser pintadas j faixas brancas nos pisos escuros e pretas G. OS explosives e detonadores devem ser mantidos separados ati o Glti 5.12 ou em paiol OS cordiis de espoletas.9.1.11.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767671663 53 5.11.lvora deitados.11. detonantes podem ser armazenados em paiol de explosives.9. e o teto. para .11 corn excegso Na”o se deve de carretas guardar de aluminio em paio1 de explosives nenhum objet0 estranho. de 5.9 aprovei tadas As embalagens ou reparadas.1.1. OS intervalos entre as pilhas dos lotes devem ser.1.1.11. no minima.9.

do liquid0 exsudadosobre forma-se gotas ma uma distintas foiha~de mancha de nitrogiicerina. necessarlo.11. transparente.i. uma pequena do cope d’&ua.19 no interior Nkio 6 permitido de paisis ou nas fumar was nem carregar imedia$es. se se for for corn igua. deve a) ser ou de sais de exsuda@oque ensaios: apresenta esteja saber reaiizado distinguir urn dos ocorrendo. c) ensaio . a Gnica fon < a das de pilha.11.1. ra isso. o papei . esta (nitrates).y.1 Descontamina~i?o de paih Em estocagem (extremamente prolongada em ambientes perigosa).17 no paioi OS cartuchos e sim mantidos de explosives dentro de caixas ou OS acess&ios tampadas. em coiher parafinado. ou pregadas no inte- de urn paioi. .15 rior As caixas de expiosivos de nzo devem ser abertas deie.ll. nam a menos 15 m de dis&cia ~. 5. no miximo.9. . formam-se sobre b) ensaio - de detona@o. quidoexsudadoe ca metsiica. ensaio . w guardar ex 5.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa Cópia impressa pelopelo Sistema CENWeb Sistema Target CENWIN 64 NBR 767811993 vem ser pGivora. nao devem ficar soltos 5. no fundo do cope o iiquido sobrenada.9.ii. pois.consiste papei escura.12.em urn cop0 exsudado.9. se.i6 piosivo Nso escorvado i permitido em paioi. pladeve uma martelada: expiosZ0.12 5. caixas de f&for0 ou isqueiro 5. se for parte Se for exsuda@osalina. roiados ou sacudidos cada 30 ou 60 dias.9.l.1. o tipo seguintes iimidos (I& pode ocorrer exsuda$% risco)..1.1.y.9. 1 iquido de gota.Se~for cope.1. colhe-se se parte deposita a sgua do ilquido do turva- nitroglicerina exsudagaosaiina 6ieo ou parafina.18 te de luz No case permissive1 de haver necessidade lanternas de portkeis IiuminaGZo artificial.11. escorvar expiosivo dentro de paiol. E Pa de nitrogiicerina . ocorrer parafinado nitroglicerina. para impedir a aglutina$ao de 5. em UM do Ii corn urn aifinete. retira-se coioca-se D&se uma ou duas sobre o papei se for gotas.

Durante a operagao fora do raio de destruigso. em camsdas pouco depois de retirados de seus recipientes.9. ComposigSo: do de a serragem que estiver no paiol por nova.3 A quantidade tixima de explosivos de cada vez deve ser de 50 kg. e queimar a an Em case positivo. 5.13.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Cdpia impreSsa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 7678il983 66 5. Em seguida. no minima.9. deve co 500 g de sulfito A solug~o locar-se te. se existe mancha no chzo. (l:l). 700 m das e o local qualquer estradas. am massa. atingidas.1.9. 5. can agua em 5. (serragem). 5.19.5 tado 0 material que aguarda do local destruiggo deve ficar protegido e afas- 100 m. . da destrui$o.13. 1 litro 1 litro d’igua de ilcool ou con uma solu$io da seguinte metilico de s.1 Destm&& de dimmtites deve ser e acess&+ios feita por queima (combustao).9. devem ser sobre urn de espessas. de jlcool-acetona e sabao.13.2 As providcncias seguintes referem-se ao modo especial de fazer a descontaminagso: a) Trocar tiga.1. seco ou outro mate- combustivel. de folhagem. deve es que 1150 devem ser capim de 70 m. lavar corn soluc~o soda ca’ustica.4 gado.12. c) deve serragem lavar e varrer-se cuidadosamente. o explosivo i feita por derrama-se rastilho uma camada de material insensibilizante 5 m de comprimento.9. todo o pessoal deve estar abri- a dista’ncia de aga’o da queima. 5.1.1. no minima. (Glee Inflamgvel diesel).9. deve iavar-se ap& lavar a parte afetada a- Para descontaminaf% corn solug~o bundsncia de pessoas.lb13.1.dio ser espalhada em cima corn sgua sem esfregar. paredes e madei ramento a 10%.g.1. A destruiczo 5.2 espalhados OS explosives. can o m&imo Sobre de 10 cm de largura.13 5.6 caminhos. 0 local habitagses num raio de destruigzo ou regioes deve distar.1. tar rial limpo. b) Veri f icar paiol. A iniciagzo 5 queima no minimo. Finalmen deve-se em abundsncia.9.13.

no minima.9. ou depress. B queimado nzo em fra&s seja infiamada utiiizar sucessivas.15.9. negm em merguihar OS barris n’igua.9.9.9 das precauGes Quando para o material que anterior.14 5.1.13. distantes Outro m&odo e o da combusta”o. 5. coma 5.9. 5.9.1.1.2.1. devem 5.2 tao Para quantidades valas abertas superiores no terreno.9.14.9.1.9.1.15.9. ao ar As caixas Nzo que tenham ser contido queimadas explosives em fog&s devem w ser fornaihas destruidas de par aquecimen iivre.1 vido.1.4 radas mados .9. a 2 000 kg c aconseihivei fazer a combui em paquenas 5.10 queima to. a combustso.9. corn urn rastiiho de 3 m. peio iocais caior devem ou ser residue para tomaem cada uma fragw combustzo carga. da carga E recomend&ei diferentes 5.1 Destrui$o Deve de po'lvara proceder-se quimica indicado em 5.13. .15. de Consiste em espaihar de aproximadamente e iniciada a p6ivora em ter sem fendas entre si em faixas 5 cm de larg.8 ta$o das Davam adjacgncias ser previstos do local meios para combater possiveis inc&dios “a vega- de destrui$zo.15 5.1.9. 5.1. de Pazios.1.7 0 local de destrui& deve ser moihado no fim de cada operaszo. 5.14. iimpo.13.1. o pessoa I deve estar abrigado a UM 5.3 distincia Antes minima de de iniciada 100 m.1.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa Sistema Target CENWIN Cópia impressa pelo pelo Sistema CENWeb 66 NBR7676/1963 5.13. ser Destmi& 0 &todo torna-se a p6ivora de po'lvora seguro ineficiente. A queima material combustive1 corn no minima. 10 m de comprimento.es.1.2 reno ra. vazios 0 nitrato de p6lvora sendo negra dissoi devem consiste iavados abundantemente.15. de seus As cargas invoiucros de projesao e devem depois ser dest&idas scxnente devem ser depois lavados de ou retiquei- estes.14.

de produzir fkforos.9. possibili em peL pa embalagens fixada de explosivos. impesa qualquer deve estar corn exce$o e da fiaG:o corn as em carro$aria ser tal que Toda e dotada zaGgo dade feitas da bateria de contato condi@es. VO’!* 9 d) e) o material OS explosives matte. centelhas. f) em case gerais deve verificaras para o tmnsporte estar em bom estado condi&?s de expbxivos: e acondicionado de todos em embalagem.2.2 !l’ranspO~e 5.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb N6R7676/1663 57 5. ficar por separados treks carros. 5.pmJ Recmmda~ks (\ler a) NBR 5930): OS vag&s motiva b) OS vag. visiveis.es pois remover gemis apZic&eis pam trmsporte & e.2. inspecionados No case derramado. o material cobrindo-o contra a umidade a- e a incidgncia propriada. antes de haver do carregamento derramamento e de deve-se da descarga e eliminar do material. g) deve-se queiros. direta deve-se dos raios proteger solares.dtos e estar em perfeitas que nzo condi@es origine de funcionamento.2. metilicas ou en&o descobertas de aluminio. limpos. de madeira para Nso impedir devem dos elitrica da carga. em posiczo de curto-circuit0 a fiaGzo de firmemente possibilidade isolamento correto ra eliminar qualquer e fogo. o material . adequada.9.3 f. OS equipamentos de seguranga no servigo utilizar de transporte. coma bandeirolas e placas “PER I GO-EXPLOSI de sinaliza$go em lugares afixadas corn OS dizeres deve ser disposto de maneira s6 podem a facilitar ser transportados sua inspe$so.9.1 Aspect06 Bevam Ter tado ria to ser assoalho de paredes inteiramente can as caixas..2 Recomen&&s a) b) o material devem-se empregados c) deve-se aviso. construtivos robusta dos ve&x. ter a e ser carrowem A conta locali do ou metal a queda haver caminhk deve partes de constru$zo bem vedado. centelha proibir corm uma lona a utiliza$ao ou de ferramentas luzes nzo capazes protegidas. chama isou dispositivos no transporte.pzosivos por vk que transportarem explosives devem no minima. separada- e OS detonadores de necessidade. da loco ou de vagzes devem ser de passageiros. laterais fechada.9. 5.

extintode car ta- de combustivel.c). e. OS veiculos motoristas de enguisos ser nos veiculos. f) as manobras para engate e desengate dos vag.4 Regras pam o tmnsporte a) antes plosivos freios. das vag&s indicado pai6is e s6 corn explosivos para evitar 60 que devem sirvam permanecer coma nas jreas intermedizrios na propagaggo d) as portas dos explos&s. durante as paradas devem manter entre si uma distsncia quando em comboios. colocar deve baldeada operagso. estado res de in&ndio. lacradas e sina lizadas e) as portas coma dos a composi$o.2.2 devem podem ser ser devem .2. h) nos cases A carga viagens dos e as viaturas Tais paradas devem ser devem ser inspecionadas em lociis devem ter afastados dois de habitasks.es devem ser feitas sem choque. e ultrapassar coberta a bem coma o manejo explosiva impermeivel deve do equipamento fixada contra ser firmemente ao sogo. instruidos s existgncia b) OS motoristas vados. 5. c) a carga corn lona altura d) devem ser quanta aos cuidados de protesso a serem obser ince^ndio. . “20 ao veiculo podendo resistente da carrogaria.o. de aproximadamente e) a velocidade f) as cargas previstas.Y. va. -chamas no tubo bem coma verificados de descarga. de sua utilizaG. g) para vezem. g) o trem manecer cais especial para teansporte de esta@es de explosivos e sim nso pode parar ou dos peL lo em plataforma em desvios afastados povoados. OS veiculos 80 m. carregados em 5. de retirada ao se a aproximar locomotiser fechadas. devem ser tanques ~o~ov~&o: OS veiculos para destinados ao transporte de ex- vistoriados exame de circuitos da carrogaria quanta e dos elitricos. conservadas abertas depois eechadas. veiculos na’o deve ultrapassar 40 km/h. sinalizasso na estrada. que se re longas. durante estes esta nzo podem ser dew-se rebocados.Licença impressa C6pia de uso exclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 66 NBR 7678/1!383 c) OS vaGes dos pai&is carregados ou depkitos.9.

iminente postos de j) OS veiculos serviso. devem ser metalicas que nao puderem protegidas CM material e) o local apropriado. no veiculo e isolar que transporte 0 local.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767am83 59 i) durante ni$so o abastecimento devem estar de combustlvel.es ser retirar CM edificios a carga explosiva. e tais suas conves. parafusos embutidos. para explosives e cm deve ser for no minima. 5. OS circuitos elitricos de ig desligados.9.025 na embarca& m de espessura. corn o veiculo. ximidades de carregados. nso devem ficar has sreas m) em case de acidente turas a primeira ser ou colis. em case de emerg&cia. na”o podem estacionar onde haja risco em garagens.9. OS explosives corn0 Gltima c) o pot-go ou local rado corn tsbuas designado de 0. nos veiculos que transportem exexplosives.2. sob vigilsncia de guarda capaz a sua remoqso.6 Devem-se vem ser &?mcedimsntos no tnifego evitar feitas paradas paradas desnecessirias em garagens e zonas ou oficinas de trkito de reparos. fluvial ou Za- s6 podem ser de fazer deixados no cais. devem estar ser removidas desimpedidos. aos explosivos e de caldeiras. Nso de- . tiver que passar o explosive. e dep&itos. ou pro- 1) OS veiculos. so devem ser embarcados de carregamento carga. b) no case gemis ap~icciveis cm trmspcrte -*time.2. congestionado. carregados depkito depois dos paiGis ou lugares de in&ndio. d) OS locais tom partes da embarcaggo corredores. misto.5 Rsccmenh&es custre: a) OS explosives especial. por onde portal&. deve-se in em case de inc&dio terromper 0 trsnsito a presenqa o) i proibida de estranhos plosivos. ou viaa ou a’- providkcia colocada deve qua1 deve reas n) a dista’ncia minima de 60 m do veiculo habitadas. deve ser o mais afastado poss Tve 1 reservado de casa de &quinas 5.

ser proibida a utilizagso cap: protegidas.4 ra Antes da descarga de explosivos.9.2 rial confere Deve-se verificar.9. 5.9 5. e desembarque. todos OS equipamentos 5.7 0s ver tor.9.2. 5.9.1 suas Carga e descarga Antes de descarregar. Se houver haver deve material ser avisado.9. avaria deve-se nas derramado para inspecionar a remessa para ou p6lvora verificar negra. deve durante ser a carga interrompido ou descarga.2. de diminuir o risco do chassi de ou 61eo sempre estar ince’ndio.ldio equipados corn dois extintores de inc&dio.8 iniciado Deve ser proibida qualquer repara$so em avaria das viaturas depois de o carregamento.2.9.2. se o mate corn a guia correspondente.9.2. e s6 for derramado depois de qualquer limpo explosio local.9.2.3 Deve-se verificar empregados . r chama ou ferramentas de produzi 5.7 vo. possa embalagens no chso evitar de dinamite entre toda mode que vai fricgk. e qualquer o pessoal descarregar centelhas possibilidade ou chamas. Nso deve ou do hamo em nenhuma limpas. veiculos excess0 Estas ETeveqGo devem de graxa devem contra estar ince. 5.2. parte a fim da carro$aria. 5.2. .9. as de que de condi@es.&s.9. 0 veiculo diretamante corn o pr6prio explosivos. devem ser calGados. de seguransa.9. 5. Quando.8 Nzo fabricante.9.6 rante OS vagGes ou caminhk de material.9.9.9. o trabalho recomegado 5.9.9. dew-se examinar o local previsto pc armazenZ-10s.9. por de expedi$o ocasiao de embarque ou desembarque.2. travados e desligados du- a carga e descarga 5. ou centelha. estritamente transportar dos Procedimentos exceder tie se deve no transporte nominal nem transportar o bom desempenho nzo relacionado da carga do veiculo pessoa especificada slim das que nso transporte pelo sejam deve fumar para artigo nenhuma das se deve a capacidade necessirias qualquer operac. OS volumes. quanto nos servi$os ss condi$Ges de carga adequadas e descarga.Licença de uso exclusivo Sistema CENWIN C6pia impressa pelo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 60 NBR 767611663 5. isqueiros. deve dispositivos.2.2.9.5 de zes luzes &o Nos locais de embarque fkforos.

5 Todas as pessoas estranhas ao trabalho devem ficar afastadas do local.2.2. manuseio.11 As caixas Modo nunca para outra.9.10 Nso se se aplica Pr~ibi&2 deve n& fumar de fmar durante o manuseio de explosives tambim ou em was em qualquer proximidades. 5.9. 5.3.1 Fz=ecau&s Deve haver gerais o menor n&ero possivel de pessoas manuseando explosives.2 0 pessoal deve ser devidamente treinado para tal finalidade.lsso do manuseio: somente na descarga distribui&o . ser os sempre outros. stificiente compreendendo algm do conhecimento e experiGne seperi adequados. haver uma diviszo e circui szo de tarefas de caixas.3 5. 5. pilha seio tadores Nao se ou ferramentas que de explosives.9.9. tos as Quando uma equipe definida trabalha em conjunto. 5. 5.9 sivos devem Salvo ser em cases feitos especiais. no carregamento.C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767611963 61 5.9.3.3 a receber OS paiGis ou entregar devem ter encarregados. levantadas e pousadas cair no de cwn uma manusendo nem deixados metslicas ou barris cuidado. canes de descarga OS explosives dos caminh.2.3.9.9.2. familiarizados no seu possuir deinteligkzia o que G seguro e born sendo. 5. de aluminio havendo para apenas e a utiliza@o de transpor- a descarga.4 perfeitamente acess&ios.9. coma estsgio durante o transporte. de manusear de explosives arrastados devem devem uns usar sobre ganchos uma excegk. e detonagzo.es.9.9. e acesssrios nso sendo wtras pessoas autorizadas explosives de detona@o.9.9.3. escorvamento. de cada de fogo tarefas a equipe saiba urn. nso podem ser empilhados nas proxi mi - 5.3. que toda 5 necessirio transporte tamponamento. e o que i CM explosives.3. os servisos de 7 5s de carga 17 hot-as.9.10 dades dos No desembarque. de modo de explosives ligasso exatamente dos quais abertura e detonagso.6 cia rem goso As pessoas devem que lidam can nivel explosives. e descarga de explo durante o perlodo 5. . 5.

3. afixagso escritas.19 n&cia nas E proibido imediagk a menores de Iocais de 18 anos em que o manuseio de explosivos. dando-se uma consider&e1 de detonaggo risco possivel mais de modo a apresentar ou propriedades esta deve ser nao adjacentes.11.9.9.11 vos estabelecido Ngo se deve permitir tipos.9. 5.9. detonados. conjunta corn de explosi do de ruptura e de outros em 5.9 locais Deve-se onde se remover armazenem toda ou a lama ou areia dos calgados.9.3.12.3.10 que possam E proibido produzir o manuseio centelha.50 aplicados. ser evacuado da do transporte .9. para nas fumo.9.9. de instrug&s e educative.12 movido Deve-se a motor proibir de combustso o transporte interna. o pessoal de exploszo. houver de uma detonagzo qualquer quantidade foi de modo a detectar d) urn furo ser e) todo jrea que de explosivos tom explosivos anteriormente carregado deve aprofundado. Zreas isqueiro em que e f&foro se manipule ou ou qualquer explosivos.14 OS preparativos a) a delimitagzo mento base sempre b) o local menor c) se na srea da a’rea de detonacso de detonagzo devem (onde atender pode deve ao seguinte: haver ser risco determinada de feri corn em pessoas em experiincia e danos a equipamantos) em detona@es de seguranga.3.9. o transporte especialmente e armazenagem OS iniciadores. 5. nao o edificag6es na srea.Licença de uso Copia impressaexclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 62 NBR 7678/1983 5. limpa.1. corn de cartazes promogso corn e distribuigao ‘j-9. de explosives expostos corn equipamento 5.9. exeegao 5. 5. antes de entrar em se manuseiem explosivos. ou perma- s. de explosivo exposto corn ferramentas de metal 5.8 produzir armazene Dew ser proibido tipo portar de chama material ou centelha. determinado adquirida margem deve para ser anteriores.9.7 de reunik regras Deve-se e aulas de seguranfa realizar sobre urn processo seguransa instrutivo corn explosivos. e equipamento antes desnecessario deve do explosive.9.

quaisquer de trabalho principalmente outras for carregada espoletas corn explosivos elitricas. na &ea. inferior das turmas de fura e urn pe carregamento. o) devem-se mento nevitiveis. entre o material deve ser transportado pa- a srea. tempo su- completamente principalmente a primeira deve ir a fumaca. g) deve-se deixar OS trabalhos furos nunca quentes. dos interval0 explosivos. sirenas ou buzi urn sistema envidartodos de uma explosgo de mode OS esfor$os a C&I que ela aberto.3. apitos. a temperatura o carregamento maiores i) para tura dica$o J) quando veis verificada. aproximar do local b) no trabalho depois de uma detona$o munida de uma barra de madeira . especial. deve-se o fabricante de process0 uma frente e espoletas. de escavadeira distribuir ou equipamento OS vigilantes de transporte. subter&eos. possa no sentido levando ser detonada de planejar em conta corn dia o carregz i- OS retardos claro. 00 abrigo adequado para todo o pes- m) deve-se soal n) deve-se nas. riodo h) quando de a fim resfriamento de evitar do furo estabelecendo-se a 1 hors. em servigos pessoa a se e OS ga da explosk. coma.9. nzo por senslpodem ser permitidas operasso I) devem-se rar atividades.15 cri+s: Para o retorno s irea de fogo devem ser obedecidas as seguintes pres- a) ninguim ficiente ses t&icos pode para retornar se dissipar ao local de fogo antes de decorrido a poeira. logo ap& a furagzo. exemplo. houver do necessidade furo deve de carregamento ser cuidadosamente tipo de dinamite.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 7676/1663 63 f) quando ra for usado antes tamponamento. se requeira do que cases for em que superior o carregamento consultar mesmo quando a tempera para a in- a 5S°C. suficiente para asseg% em ncmero a evacua$ao prwidenciar ou equipamento estabelecer da a’rea de detonagzo. protesao que tiver de permanecer de aviso por na srea. se houver sustando-se temperaturas de qualquer 55OC. 5. subterrsneo.

e) de umidade 1 idade. de tra pessoa habilitada. deve-se se empregar ligagao antes elktricas.1 4 m e Rampas. Nas rampas corn inclina& superior a 18O. f) suspeitando-se s% de uma carga.20 5.es 5 de a’rea pode ser nas de a abreviado operas&s trabalho assentar trabalho a frente auxilia podem me1 horadas.10. orientar 5.10. 5.2 pos que As rampas usadas para corn0 passagem corrifio de pessoas em ambos devem OS lados. de fcgo. As o retorno condiS. adequada. minima devem Estes ter largura minima de guarda-rodas m x 0.s. pegas tranl espasadas de 0. e ser guarda-rodas devem fixados de no minima apresentar >s bordas. apresentar guarda-cor- possam funcionar 5. as fontes assegurar estejam que desli- OS de todas de regressar de que por toda de alimentagzo de detonasso.9.xicos. ou notando-se ninguim deve que se houve queima do em local vez de explopelo silo aproximar pela queima deve durante menos altamente lade. 1 hora. para servir devem ser fixadas aos p.i!O de caminhzes m de altura. foi detonada que deve s irea a carga a investigagso qualquer balho defeito de maneira e a correG:o realizar de outra seu pessoa.20 quando m. antes que de mode se d.10.3 versais. sem a interferkcia met6dica. melhorando espoletas corn sgua Essa a visibi e a pilha a poeira d) quando fios gados. As pZatafomas rampas usadas e tupumes para trsnsito O. sondar NBR 767811983 as paredes a tetos das gaierias.9. de material e a fumasa. molhando-se desmontado.10 5. no tiximo.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 64 ou metal as c) nas por pedeas para soltas. desalojando detona@es ventilasso ser subterrlneas. deve ser consultada devido ss firma vibra&s especializada resultanpara de detonacoes o piano de explosivos.4 5. se$ao de madeira devidamente transversal de 0.4. OS gases produzidos que de urn explosive ser muito bem t. o local para venti- permissso aproximaszo. de apoio .1 tes Controte Para de vibra&o evitar danos 5 obra e a terceiros.40 m.

minima em case de madeira.10.mulo de entulho.4 As rampas e plataformas e seguransa. ferramentas ou materiais sobre rampas e plataformas. devem apresentar se$o de 0. devem sar entre 0.20 corn dois travessk. OS pregos e resist&cia usados na constru$ao de rampas e plataformas suficiente devem ser de dido adequadas . ao piso 0 e deve superior ter uma in uma es m em relaG:o de 0.10 m. de 0.10 5. 5. m.10. m. medida de maneira de tra$o 5. Sam que. 5.15 m.10. sendo devem ser mantidas inspecionadas em perfeitas condiG& de fun- cionalidade frequentemente. vedado de materiais ou suspeitos.10. for$a devem ser consde e capazes superior.10. OS montantes devem estar pagados transversal no mkimo.10.10. em ncmero a evitar esfoyos e colocados. no entanto.7 men& possivel.$o ser colocado minima em case de madeira.13 pies As rampas e as plataformas seguros e resistentes para provis6rias que 60 haja devem estar instabilidade assentadas durante a sobre a- passagem de pessoas ou veiculos.~na na diregzo de fixagzo.10. a parte a 1 ivre 5. superiores de guarda-corpos superior deve de rampas e pla ser lisa.8 de pelo As rampas e as plataformas menos O.11 deve sesao estar OS guarda-corpos a ums altura minima.12 taformas leada No case em que OS travess6es tamb&m forem de defei usados tos. a maia altura m x 0.05 m x 0. 5.10 truidos OS corrimks de material e guarda-corpos resistente de rampas a plataformas de suportar em qualquer uma dire&. 5. transversal deve am case de madeira. provis&ias devem ultrapassar OS balansos ultrapassem seus 0. de apoio transversal de.5 As rampas e as plataformas oriundos de carregamento devem ser construldas de maneira a resistir aos esforsos de trabalho.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia imprassa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 737811883 65 5. horizontal 1000 N aplicada no travess~o 5.05 m x 0.5 m e. 0 travesszo deve ter termediirio se.20 suportes m. 5.05 2. bo- coma corri&os.3 Nzo se deve permitir ac.6 escolhido As rampas e as plataformas cuja resistlncia deteriorados assegure provis&ias a estabilidade devem ser construidas sendo de material o uso desejjvel.90 construidos m e 1.05 e. .10.10.

Licença impressa C6pia de uso exclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 66 NBR 7679/1983 5.14 N% se devem construir rampas corn declive de mais de 30’. Em todo ou altura o perimetro equivalente.) de construsso i obrigatkia na altura de edificios a coIoca$o da segunda laje de mais de de qoatro paviprincidoze plataformas de prote$o. em balanqo. 5. I I 159 \ 14” I I I FIGURA 4 . (Ver Figura e repetidas a cada II I i I i I 19p 180 179 16’ I I I .10. 4.10.15 mentos pais lajes.

2 gem da laje timento As plataformas imediatamente secundsrias superior devem ser e retiradas colocadas somente logo ap& iniciado a concreta o reves- quando externo. secundsria deve ter 1.10.15.2 0.1 mento externo. Devem ser na altura colocadas.10.10.40 m de largura e urn complemento na sua extremidade. principal deve ter 3 m de largura e urn complemanto de na sua extremidade.10. e retirada somente 5. tamb<m.16. em primeira 5. de construgk nos de edificios.2. 5.2. 5. a plataforma imediatamen- .15.80 m a A plataforma 45’.1 revestimento tamente Cada plataforma externo. Cada lance de tela pode ser retirado antes at.10. 5.1 de 0.10.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767611963 67 5.17.16.10.10. 5. no mlnimo.17.2 te superior A tela e dew dew estar ser colocada logo de 1. no mkimo.40 apk m a concretagem da face quando externa iniciado da laje imediatamec fi- afastada do edificio.17 forma fechado Todo o perimetro principal.10. te superior.10. corn tela. 5. ou outro de resistgncia equivalente. plataforma. 5. plata ser algm do disposto deve 5.1 A contagem dessas lajes i feita a partir do nivel do terreno. de protegso. oitava plataformas e d&ima secundarias lajes. de iniciado o revesti- desde que a vedagso esteja concluida.80 A plataforrrm m a 45’. 5. esteja desde secundiria que a vedagao pode ser retirada ati antes de iniciado o imedia da periferia a plataforma superior concluida.10.15. o revestimento xada de duas em duas externo.16 balango.1 A tela deve ser de arame galvanizado material n? 14. itens anteriores a partir deste da segunda capitulo. da quinta. da periferia.17. e corn malha de 3 cm. lajes.3 laje A plataforma principal deve ser colocada ap& logo ap& a concretagem do revestimento da imediatamente acima desta superior e retirada somente o tirmino externo.16.

.. ... 39 29 \ IQ P \ 777/////K- 17 ! . da siderando-se principal. a primeira (ver Figura recuado. Nas constru@ies dew ser aplicado cujos pavimentos nos mais itens altos estejam recuados deste (torre ou CO” - o disposto laje...y--J GA 3m T FIGURA 5 29 GA 45” ..18 lamina)... do corpo anteriores para capitulo...Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Cbpia impressa pelo Sistema Target CENWIN pelo Sistema Cópia impressa CENWeb 68 NBR ?678/1983 5.. a coloca$ao plataforma 5).......10.

20 impliquem Nas obras de reforma de predios.1 5.10. 5. e observar minima do passeio.10. a largura msxima de 3 m.1 lajes 0 disposto recuado. corpo.23 E obrigatoria demolisao a colocag. ser executada apes a concretagem . aplica-se no alinhamento tam&n do logradouro em 5. limitada 5. o disposto 5.2 logo devem ser de constru@o guarda- A alvenaria das escadas do lance dos pr.dios de escada em construgao imediatamente deve superior. para dotadas circulagao de rodape e de Pes soas e materiais.2 laje 0 disposto recuado.5 ao impact0 m em rela@So de ao 600 Pa (60 kgf/m*).16 5.10. passagens e aberturas Generalidades As escadas. 5.11 .10.10.10. Gtima e dicima do corpo 5.10. Escadas.Copia impressa pelo Sistema Target CENWIN pelo Sistema CENWeb Cópia impreSSa NBR 7678/1983 69’ Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A 5. sempre que se executarem obras de construgao. em 5. solida. e we em trabalhos na fachada. e do logradouro.11. em 5.10. nao deve ser feita uni - meio de estroncas.10. 5.18. de tapumes.10.21 As plataformas deprotegao devem ser mantidas sem nenhuma sobrecarga que prejudique a estabilidade de sua estrutura.22 camente A fixagao por do suporte de plataforma em balance.17.23.15.10. algm das prote@es 5.l OS tapumes devem ser construfdos de forma a altura a resistir de 2.11.19 Nas construgoes deve ser de tr& construida ou mais galeria pavimentos. (passagem executados coberta). passagens e rampas provisbri~as.10.1. previstas no sobre em alinhamento o passeio.11 5.l.10.18.17 deve ser aplicado a partir da d&ima-terceira do corpo 5.% ou reparos.16 deve ser aplicado na quarta.1 no minim0 nivel 5. 5.

bordas nos montantes.11.5 N& se deve depositar ferramentas ou materiais em degraus de escada..3 ser utilizar lecido feita A transposi$so atravis cordas neste de pisos corn diferenGa ou rampas.2. farpas de Go nk devem ser fabricadas corn peGas apresentando a- ou salicncias.4 penetrar. OS degraus no minimo.rio.11. 5.1.1 qualidade Esoadas As de m-o escadas de mao de madeira ou sinais devem ser fabricadas can material de boa e sem defeitos de deterioratgo.6 A pintura das escadas nao deve torn.2 restas As escadas vivas. de nivel nzo sendo superior permitido nso a 40 cm.11. 5.1.2. encaixados no entanto. de mao portsteis OS montantes simples formar deve Sngu- devendo . saltar deve ou de degraus.11.3 exceder 0 espasamento 30 cm. onde de encaixe devem a- OS orificios a ponto de aproximem de was prejudicar-lhes 5.1. entre montantes em diretzo de escada ‘a base. 5.1.2 5. 5. 5.2. 5.2.11.5 As escadas de m& portzteis simples nzo devem ter mais de 7 m.015 ou se ser m firmemente sem que.2.Licença de uso exclusivo Sistema CENWIN C6pia impressa pelo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 70 NBR 767011983 5.11.2.11.1.11.11.6 aumentar 10s iguais A dista^ncia progressivamente corn a vertical. escadas A eiiste’ncia de elevadores invalida o estabe subitem.11.2.11.1 gidas por Case nzo seja iniciada esta alvenaria. o montante devem 0. houver permanentes OS todos onde devem-se escadas pavimentos permanentes. para esse fim. as escadas devem ser prote- guarda-corpo provis.%las escorregadias. 5.4 ra Quando e OS trabalhos nao tenha em uma constru$o sido construir possivel escadas houverem construir proviskias progredido escadas em todos ati a altu para de 20 m os nso niveis. 5. travessem a resistlncia. de degraus de escadas de mzo dew ser uniforme e Go 5.11.

de 0. a dois pz distintas ela deve assinalados Quando e e disdes necessirio de uma cnica intermediirio. antider usados a natureza 5. ao resistir 5. no minima. ou escoradas escorregamento 5. 5.7 para to tro wcadas essa A distkia de at.11.9 dem tolerar-se evitar para Na impossibilidade pequenas para de colocar alterasoes t&s (case (case de a escada inclinatk. suficientemente OS sentidos larga de subida sendo 5. estsvel para e e- escorregamento.11.8 vem ficar prumo apoio que As escadas de mgo portsteis de forma apoio a que (simples.10 resistente vitar 0 escoramento e. 5. 5.12 apoio As escadas superior.11.02 adicional. que de mso devem: portsteis aos devem esforsos ser fixadas provocados corn travas pela escada laterais kupada. deve ser aumentada.2.2.11.2.2.2. 5.13 vimentos for por cida.2.11.2.11. mais mais na inclinasao que recomendada. escadas de mais de 3 m de compriman m para cada me- distsncia progressivamente.2. firmemente. Em constru@es devem-se.11 rapantes e/w As escadas perfurantes portateis a sewn devem apresentar. usar montante sempre. saliente deve tais ser ccmo degraus ou montanmartelada imediatamente ou arrancada. 3 m de comprimanto.15 Nzo se devem usar escadas de mzo corn montante Gnico.35 m.11. de 0. dispositivos do piso.2. Para dew ser. conforme nos pk. Nzo se devem Qualquer usar ponta escadas de prego corn defeitos. se forem de escadas usados calsos.11.16 Nao se devem emendar escadas de mso nso conjugiveis.2.14 tes rachados. altura superior para ser s correspondente subida e descida.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811983 71 5. entre montantes. na base. . sejam amarradas popara desde proximo proximo tombamento evitar estejam estejam da vertical) da horizontal).11. a distkcia seja urn quart0 de extensso horizontal ou conjugaveis) 5 linha a base dede e o inclinadas passa pelo da base superior da dista’ncia entre superior.11. que usar tenham escadas escada. 5. de mao devem portsteis eles ser deve fixados ser seguro.

lugar escadas de portas de mk: ou circulagks.2. de a) roldanas. 5.11. a 60 ser em cases de absoluta de elevadores onde haja possibilidade de queda de objetos ou 5. c) em qualquer materiais.21 N% se devem usar quando escadas totalmente de mao portsteis estendidas.18 Nso se devem colocar a) nas proximidades b) em pogos ou torres necess idade.26 tal maior As escadas que 9 m.11.11.2.2. sem prejulzo de outras exig&cias. trabalhos pisando sobre urn dos dois Gltimos de de escadas 5.2.11.2.23 vem possuir: As escadas de mzo extensiveis.11.24 tar dispostas As trancas de tal e guias maneira de ferro das escadas apresente de mso extensiveis a mesma resist&cia devem es que a escada que uma escada simples de igual comprimento.2. N&I se deve qua devem set- subir igados.11.90 m o nlvel 5.11. As cordas usadas para estender escadas devem ser inspecionadas fre- 5. em escadas em separado.11.2. 5. 5. a manobra de extenszo.19 graus Nzo se devem executar de Go portiteis. 5. .20 mais elevado Quando a escada os montantes de mao portatil devem ultrapassar for utilizada para acesso desse a um piso.2.2.11. piso de 0.11. trancas para automkicas.25 qllentemente.C6pia impressa pelo Sistema TargetCENWIN pelo Sistema Cópia impressa CENWeb 72 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A NBR767811983 5. de Go portzteis conjugsveis nso podem ter comprimento to .17 riais. b) duas c) corda guias e ancoragens adequadas. de mao carregando ferramentas ou mate- 5. extensiveis CM mais de 18 m de comprimento.22 mais Nzo < permitido o uso de escadas de mzo extensiveis compostas de de duas se&s.2.

30 m de altura da escada. OS montantes dessas escadas devem ultfapassar as plataformas de no .38 minim0 1 m. de 0.2. de 0. 0.2.11.30 m m.es e rigidas. protetoras . de abrir deve 5.34 devem ser 1 m acima As escadas providas do Gltimo fixas (tipo “de marinheiro’l) corn mais de 6 m de altura.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767911993 73 5.2.30 essa m progressi - vamente. s base. quando de de nivelados. fixadas no ‘a minim.11. 5.0 As partes mais da base e intermediirias m de comprimento.2. 5.30 m de comprimento e devem ser 5.11. 5.05 na altura. 5.11.2.15 na base entre m para cada as duas peGas das escadas 0.60 da escada. estsveis e seguras.2. As conex.11. projetando-se m da face 5.11.11. 5.11. sendo que a pesa que contim para 3. no iltimo de- ser de 0.30 ser de.27 podem ter 3. de gaiblas degrau.28 A alsura m&ima de uma escada de abrir . m.11.29 abertas. Norma.5 ma vertical OS degraus e a pega na rela$io 1 na horizontal 1 na horizontal para na relasso 6 na vertical.37 As plataformas de acordo intermedisrias corn esta devem ter.2.32 As escadas de abrir devem ser providas de dispositivo que as mante- nham corretamente abertas.33 As escadas de abrir devem ser rigidas.2.0 deve m de comprimento.36 Deve haver plataformas intermediarias para cada lance de 10 m.11. 5. ve ficar apoio As escadas OS degraus inclinada de abrir fiquem devem ser construidas de tal maneira que. CM guarda-corpos 5. no m&imo.70 m.2. A dis&cia no minima. 0.2. Go de escadas A parte superior de Go Go conjugiveis ter mais &o que que 2.2. 0.35 cada.11.90 m x 0.50 As gaiolas protetoras largura 0. resistentes podem ter menos que 0.11. es Oevem apresentar m e. estendendo-se de 2m acima da base at< 5. aumentando para cada 0.2. de 6 m. em dir&o minima deve entre montagens de escadas de abrir dist%cia. no minima.31 grau (topo A dista^ncia da escada).60 devem ser minima de metal e seguramante de.

nesta As escadas e plataformas corrimaos provikias. Deve haver obst&ulo no minima.39 qualquer ser de. 5.11.3.7 Devem ser para construidos guarda-corpos permanente corn corrimaos que. 5.11.3 veis As dimensGes dos degraus de escadas para provis&ias devem ser compati- corn as normas e especifica$&s escadas permanentes. deve haver cor- .9 rimso Nas escadas intermediirio.40 quando Essas escadas corn altura superior devem ser seguramente fixadas apoios no topo e na base e.8 OS guarda-corpos conforme e corri&os especificado de escadas em 5&10 e plataformas para provissrias de vem ser constru?dos rampas e plataformas. provis&ias. 5.3 5.3.11.3. seguransa. 5.4 As escadas altura provis&ias maior devem ter.11.2. de ainda am nao bos os lados disponham escadas de carater de prote@es laterais definitivas. urn espaso livre de no minim0 0 espago 0. de acordo especificado 5.41 A dis&cia minima entre montantes dessas escadas deve ser de30 crni~ 5.5 Gria. da utili&io. 5. corn mais de 2 m de largura. e 650 devem atingir do que 4 m. no mlnimo. 5.Licença impressa C6pia de uso exclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 74 Nl3R 7678l1993 5.11. As portas salvo quando atingidas e janelas houver pelas nso devem abrir elas diretamente afastamento sobre escada proviserem entre e a escada que evite as pessoas suas folhas. 5.3.3.6 rais.3.11.11.1 Esca&s provis&ias As escadas escadas provis&ias devem ser mantidas am posir$o ate que sejam construidas ou rampas permanentes.11. 1 m de largura intermediario.3.11. aos esfor$os provenientes de uma carga menos 3000 N. Go provis6rios terminadas. a cada 3 m.3.75 m entry livre do outro a escada lado a deve do lado 0.15 m. e guarda-corpos 60 cercadas por corn o paredes late devem apresentar Norma.11.11. por resistentes.2 CM As escadas provisorias devem ser construidas de forma de pelo que resistam.11.3. sem que haja patamar 5.11.2. 5. a 5 m .2.

5. durante a cot0 e a desforma imediatamente 5.11.11.2 a partir OS pocos da sua dos elevadores corn interval0 devem m&imo ser assoalhados de dez metros. de t&s em t&s lajes. ser mantidas limpas.5 Abertums 5.11.12.1 5.10 em condicoes As escadas provis6rias devem e seguranca. OS andaimes classificam-se em: andaimes .11.4. por guarda-corpos ou cordas.fixos. niveis. at& provi 5% 5. 5.11.11.5.11.11. quando devem exceto set- se protegidas uti - de materiais ou outros e equipamentos.4 Passages OS 60s a colocacao de acesso definitiva ss caixas das de elevadores portas.1 ria.1.mdveis.3 c&o OS pocos de formas dos elevadores da devem laje ser mantidos assoalhados superior. . . 5.1 Andaimes CZassificapc% nara a) ds efeitos desta simplesmente Norma.2 laje 0 prisma imediatamente interno superior de ventilagao s que estiver deve ser mantido assoalhado concluida.4. Caso nao deve seja ser executada esta dois imediatamente setprotegida iniciada em alvenaria. devem ter protegao 5.5.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811993 76 5. no nivel da corn a alvenaria 5. desobstruidas e de funcionalidade 5.1 lizadas par meio As nas aberturas passagens nos pisos devem ter fechamento provisorio.12 5 _ 12.11 .3. base.4.3 logo apes A alvenaria a desforma a periferia de periferia da laje deve dos pridios em construgk superior.5. apoiados. dispositivos de guarda-corpos de seguranga.

12.1.2 tar 0 pelo OS andaimes quatro em e seus vezes e componentes a carga devem msxima ser de capazes trabalho. suportados ou por por vigamento em outro seguranga garantida no qualquer de contrabalanpmento 5.50 aqueles e elevados em que por o estrado de cabos i de susten ash em meio movimentando-se leves e pesados. minim0 algm 2 000 Pa pesados do (200 quando peso kgf/m’) estrutura ma no e di - b) OS andaimes mensGes acidental permitem de p&prio. . e manutengao.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 76 NBR 767811993 b) andaimes leves.ncia corn o material na plataforma para execu$o de pequenos serviGos de reparos. no kgf/m2). c) andaimes em balance.3 tado por Andaimes travessas suspensos de madeira no sentido sendo que: sso suportar.pesados. do edificio.2.12. s% considerados suportar. engastamento.4.2 simplesmente Andaimes apoiada. de escadas de duragzo objetivo. simplesmente podendo ser apoiados fixos szo aqueles cuja estrutura sentido trabalha horizontal. corn o mesmo 5. Classificam-se OS andaimes permi tern minim0 pessoas cesszrio 1 impeza considerados al<m (85 leves do peso quando estrutura cargas e acidentais d imens&s de de apenas pinturas.2. de respei sustentando menos esprcificado 5. 850 kgf/m2) Gtil e no maxim0 de trabalho a perman.12.7.12.12.prio. sistema Andaimes cuja em balan$o i szo andaimes por interior fixos.4 balanso. ou deslocarem-seno 5. .2.1 sidade GeneraLidades OS andaimes de executar devem trabalhos ser construidos ou montados elevados tempo que nzo sempre possam ou tipo que ser de haja neces- em lugares e cujo realizados atividade corn seguranGa.1. suspensos mec’anicos. 5.12.4 5. no duas ne- pr.2 5.12. Pa mecsnicos ou de a$o.1. nzo justifique a partir o use do chzo. a) CCMI auxilio de guinchos. e carga tiximc 4 000 Pa (400 5.12. vertical s.

8 tingidas As plataformas por escadas dos andaimes fixadas que estiverem a estrutura.12.12. que OS pregos sofram na diresgo 5.11 escadas tos.2. 5.12.2.2.12. sendo ocupadas ou qualquer devem ser meio asegu - de acesso outro ro equivalente.10 tag& Devem ser tomadas precaugzes especiais quando da montagem ou movimen de andaimes.9 pestade Nso se deve ou fortes permitir que pessoas trabalhem sobre andaimes durante tern ventanias. deve ser feita mais por equipe compedeve-se.12. pr6ximo a redes el<tricas. nas conex.2. ter o uso de implementos rachaduras. 5. de madeira que apresentem ou quaisquer defeitos que possam comprome suas resistkcias. 5.3 carga OS andaimes distribuida nao devem ser sobrecarregados posslvel.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811993 n 5. 5.12.7 Nunca se deve deixar que pregos ou parafusos fiquem salientes em andaL mes de madeira.2.5 lidade OS materiais e mantidos utilizados na construggo condi@es de andaimes devem ser e seguranga. 5. . e experimentada contratar Em cases complexes de prefer&cia. rigo Nao se deve ou caixotes permitir sobre as plataformas mais altos.2.12. e a do modo mais uniforme 5.12.12. 5.13 tente A montagem e manuten& neste tipo firmas de andaimes de trabalho. 5. nk.2.12. 5.m do limite previsto. especializadas. al. seguros sem e ca- zs cargas a que venham a ser submetidos recalques ou deslocamentos.4 pazes OS suportes de resistir e ancoragens m&imas dos andaimes devem ser rigidos.6 esforsos Nunca se deve de tr+o admitir. de boa qua Nso sinais deve de em perfeitas de funcionamento ou metal outros ser admitido deteriorack. ou inckdo ferramentas ou outros materiais que possam oferecer qualquer aos trabalhadores. dos andaimes.12 de pessoas Durante estranhas a montagem de andaimes s equipe responssvel deve pela ser proibido o acesso aos mesm~s montagem.12. de andaimes assim a utiliza@o de de res pe para se atingir pontos come aciimulo fragmentos.2.2.2.es de fixagzo.2.

necessihaver dade sempre de trabaiho tela ou movimentatk de arame material deve admitindo-se protetora de outro n.12. extintores e 5.12. fixadas duas travessas. $0 se de mais 5. devem ser feitas sobre as travessas e nao no5 intervalos .2. ou oriflcios sufici- resistentes 5.12. realizado por pelas en - genheiro habllitado. devem ser nas extremidades.12. sempre que possivel. as pranchas evitar escorregamento. havendo.20 de pessoas Quando dos andaimes. 5.20 houver m de alts e guarda-corpos m a 1.21 tr& As pranchas de andaimes para devem repousar. viadutos projeto for complexa ou inusitada.Licença de uso Copia impreSSa exclusivo para Petrobrás S/A peio Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 79 NBR X79/1983 5.15 m. de madeira prontos para devem uso existir imediato.12. e de modo a oferecer uma superficie horizontal de trabalho 5. 5.16 seguranga Nso dos se deve andaimes.17 quidos seuntes.2. permitindo. inferiores ou ou e litran- OS trabalhadores veda@es em plataformas sem frestas devem providenciadas a impactos.03 rodapk de 0. As emendas das neste case.20 m.2.2.19 As plataformas ou estrados que nao sejam seus suportes de 0.2. detritos.12.2.14 casx ve ser Quando de construggo exigido a estrutura de pontes autoridades de andaimes .90 devem possuir m de altura.22 As pranchas de andaimes devem ser colocadas lado a lado sam deixar ~50s ou intervalos.23 As emendas das pranchas entre as travessas.15 ou hidrantes Nas de proximidades inc&dio de andaimes apropriados.2. coma em de- ou obras estrutural de contengao complete de encostas.12. devem ultrapassar balan$os de pelo menos 0. entemente que Quando possam ser houver atingir risco de queda de objetos pesados.20 po. convenientemente travados nas extremidades. 5. 5.2. pranchas uma travessa devem ser feitas por justaposi$go ou de tocapa sob a emenda.12. m&imo.18 ra minima As plataformas de trabalho de 0.o 14 e malha m no o emprego de resistkcia e caracteristica equivalente. Quando houver sobre apenas travessas. contudo. debaixo de 0. nivelada. violar ou neutralizar a agzo de qualquer dispositivo de 5.2.2. no minima. As emendas devem ser a ser zes de resistir corn seguransa aos esforgos a que possam vir submetidas.12.12.

12. ou deformagoes alguma. fixaczes e fixados sem nso devem 5 cons- corn seguranga deslocamen exceder.2.24 espessura previsto OS estrados minima de acordo dos andaimes m.12. 1.12. ati de madeira de devem 12 m e ser ter uma segao de material transversal conforme o es a altura .7 res a As menor torres dimens. 50s calque Anduimes Quando deve-se e de a’rea ou entre usar simplesmente houver apoiados de apoiar capaz as de OS montantes resistir corn ao solo. do ark e seguranca 5.lO de andaimes m.1 solo.13 5. no minima.9 para fixar OS rodizios das torres de andaimes nao devem ter digmetro menor do que Ill.5 riais.3.3. OS rodizios a torre dos quando andaimes esta nk devem estiver ser provides sendo de dispositivos de trava movimentada.3. OS intervalos horizontal em hipotese a 9 m no sentido e a 8 m no sentido vertical.075 m x 0.12.6 de veiculos Quando necessirio.3.12.3.12.3.12.8 0.3. 5.3. diretamente seguranga sem que aos sobre esforreo necessidade de base distribuir uma placa para suficiente em ruptura.12.20 m de largura.025 corn a sua e corn as 5. para daime.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811983 79 5.10 minima OS montantes de 0. moveis nao devem exceder em altura a quatro ve 5. 5.3. 5. devendo.12.3. Antes deve-se nso haver de serem escolher possibilidade instaladas criteriosamente de se roldanas ou outros aparelhos destes de icar mate- o ponto comprometer de aplicacao a estabilidade aparelhos.. cargas o mesmo 5. pranchas o vao cargas de madeira livre que das ira”o devem pranchas suportar.4 mados.3 As plataformas de trabalho devem ter. OS non&antes de suporte de andaimes devem estar perfeitamente apru- 5. 5. prejudiciais.3 5.12.2 trugzo tos OS andaimes de mode a resistir devem ser adequadamente a todas contraventados as entre solicitagoes.12. resistkia formados al& por disso. ter ser a de 0.12. OS andaimes devem ser protegidos contra o impact0 e equipamentos.& de andaimes da base.

5. de suspensso antes de iniciados devem os ser diariamente inspecionados a trabalhos. suspensos devem ser mantidos em piano 5.12.12. de trabalho. feipr& estejam no mesmo ou atravcs 5.5 horizontal OS estrados durante ou pisos a execusso de andaimes dwtrabalhos. 5. altura os andaimes de madeira devem ser 5. OS andaimes a fim suspensos de se me&icos evitar movimentos devem ser oscilat&ios em an convenientemente 5.12. a mais ligados de 3 m do solo.4. por profissional Acima desta qualificado.12. nivel.4.12.4. e urn cabo de seau equipadas estar corn cintos seguramente da estrutura de seguranga. 5.6 ao tat&or torno Uma das do guincho extremidades e deve de cada haver mais sempre. ta& CondiGes gerais pam suspensos anduties me&icos suspensos devem mec&icos incorporar que sempre evite dispositivo movimende eventual OS andaimes independente do mecanismo de acionamento.1 seguranga.4.12.3. a passagem estejam que direta no mesmo de pessoas entre andaimes deve ser do SUS- independentes. devem ter uma car a e resistsncia de no minim0 1 600 HPa 5.12.4.2 devem guransa.4 5. A passagem nivel. estar quatro firmemente voltas de cabo fixada em do tambor.2.7 qualquer corados Na positso sentido.12. de plataformas da construGao. .4.8 que permitam Todas f&i1 as partes aces50 constitutivas para inspe+s dos andaimes devem oferecer cond i sges e reparos.4 ga de tra$o OS cabos ruptura de seus cinco fios met:licos vezes usados superior para 3 carga suspenszo maxima (160 de andaimes de trabalho kgf/mm2). xiliar estar As pessoas sempre que trabalhem em andaimes suspensos. 5.12. no edificio.11 devem OS andaimes requerer projeto tubulares especifico metslicos aprovado corn altura por profissional superior a 40 m da base. 5. qualificado.12.Licença de uso C6pia impressaexclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb so NBR 7678/1963 pecificado projetados em 5. na posi$o do estrado. ou outra estrutura independente 5.12.4.3 pensos ta prio atravgs piso N% se deve permitir ainda que fixas. fixada a qua1 apropriada deve a constru$ao do andaime.4.9 cada OS dispositivos mudansa de turno. descendente do andaime. baixa cabo de a$o deve pelo menos.4.12.

4.12.5.3 ponto vez A parte de apoio das vigas que se estende ao ponto para fora para dentro da construgao.5.1 As vigas de sustentagao a na 1.15 m dos perpendicularmente 2 m uma da outra. livre dew radar livremente. possibilitando ao estrado de operagso tuar-se de 0. internas de vigas atravk de sustentagao devem ser seguramente e/au da construczo.4 deira As vigas e devem estar de sustentagao devem-se apoiar sobre calgos apropriados contra de ma corn a alma a prumo e seguramente escoradas tombamento. .5.5. nao deve menor do que e meia aquela da construgo. respeitadas condigGes: a) as bragadeiras tagao dos cabos devem ser dispostas de forma que OS aniis de e susten situ- permanegam centralizados corn OS guinchos.4.6 cessar-se seguintes 0 ajuste por dos cabos de ago de suspensao dotadas de anel 5s vigas de suporte deve proas meio de bragadeiras de sustentagao. instaladas servigos metslicos e espagadas de resistgncia no m&imo dos cabos devemser deago emperfil I de 0.12.2 deve ser. z distkcia do balance igual a 1.4.10 tivo sulco A roldana-guia ser no cabo. 5.12.12.12.12.5.50 para vigas das dimensoes acima especificadas si- m.12.11 tentagzo a pessoas. 5.lO m da superficie de trabalho.3.12.5.12.3.5. 5s fachadas Podem ser usados de execucao outros perfis equivalente.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 7678/1963 81 5. que possam e o respec causar de defeitos desgaste 5. 5.3 a 4. 5. ados perpendicularmente a estes. 0 comprimento no m&imo. E proibido o uso de cordas de andaimes de fibras suspensos naturais ou outros ou artificiais dispositivos para sus ou movimentagao destinados 5.5 Anddmes suspensos meciinicos pesados 5. de pegas estruturais de tragso compressgo 5. no minimo.5 fixadas As extremidades ‘a estrutura adequadas.12. ser medida do uma mais externo em balalyo de fixacso. alma.12 cordo OS cabos de ago dos andaimes em 4. suspensos devem ser inspecionados de a- corn o estabelecido 5. mantido do cabo em perfeito de suspensgo estado.

1 OS andaimes suspensos me&icos em balango.6 6 per- 5.1 sistir. leves devem possuir estrados corn largura minima de m e m&ima 5. horizontais leves devem de ago.00 m.tese.6. 5.7.6.6.7.5 rapeito to.12.3 constituido A dista^ncia de estrutura m&ima entre dois guinchos reforgada.5.4 E vedada para esses andaimes a interligagao de estrados de trabalho. de trabalho.7 mitido OS estrados depositar material desses para andaimes use podem imediato. hip.12.12. e neles s.2 0.50 m de dos devem guinchos ser apoiados de elevagao em travessas e possuir. minima utilizada a resistkia deve ser da pega suficiente dew para ser conhe e a segao transversal resistir .12.12.5. A fixagso de ago dos guinchos aos estrados deve ser executada em cada por armagao meio dois de al guin convenientemente dimensionadas. 1.12. xima An&ties em balanpo em balango a uma carga deste pelo tipo menos de andaime igual devem ser vexes capazes a carga de t-2 rnia quatro OS suportes corn seguranga. de cada devem viga.12.5.2 cida Em case de suportes de madeira. 5. 5. aos OS estrados quadros 1.12. 5.50 Andaimes suspensos de 1. fi no largura. ser colocados pa de esbarro 5.12. ser suportados por vigas corn dimensges de adequadas fixagzo podem OS dispositivos esforgos de alvenaria. ao fim provocar a que ganchos se ou disposStivos Em nenhuma a muretas especiais. 0 estrado do guarda-corpo deve estar ao seu seguramente suporte.12. fixado a fim aos estribos de apoio qualquer e o pc de se evitar deslocamen 5.7 5. e’ de 4.6.20 de ago.O m e o estrado deve ser especialmente 5. ou cantoneiras no minima.Licença de uso Copia impressaexclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 82 b) para rafusos evitar NBR 767611983 o deslizamento nas das extremidades bragadeiras.6 Andaimes suspensos meclinicos teves 5.12.5 masses chos. havendo 5.8 xadas mkimo. destinam. m e.12. ser interligados.6.

30 nesta m de largura.025 m de espes corn o estabe e 0. o engaste em apenas 5.13.5 sura lecido As pranchas usadas para o estrado devem ter no mlnimo 0. 5. de serem usados. e gruas devem ser inspecionados de acordo tom o estabelecido em 4. a nao ser do lado de acordo vem ser construidos corn as especificaS.3 5. a) devem ser b) devem ser c) inspecionados frequentemente condig&s e sempre devem ser mantidos $a- em perfeitas de funcionamento 5.3. Norma. sempre guarda-corpos Tais guarda-corpos desta Norma.12. m.12. de forma se deve AS Peps 2.7.3 no msximo.13. e devem ser colocadas e fixadas de acordo 5.4 entes.13 5.6 toda OS andaimes em balan$o devem possuir da construgso. OS operadores Nso se deve de equipamentos permitir de guindar devem ser habilitados operar e experi equi que pessoas nso autorizadas tentem esses pamentos. e devem estar possibilidade seguralaente 5 estrutura horizontais construGzo.0 em balanp Para suPOrte de andaimes fixadas devem ser espaqadas da de.7.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 7673/1903 83 a uma carga igual a oito vezes a carga mkima de trabalho.12.13. e rodapes e rodapis em de- a volta.13. nzo fora ser menor do que uma vez e meia aquela que se es- da construgao.3. NZ.3 a nao haver permitir de movimentos uma parede.5. 5.50 m e a parte que se ao ponto da edificasao deve do ponto de apoio mais externo de fixa$go tende para da mesma.12.7.5 Deve haver o maior cuidado para que as manobras dos equipamentos de guin .1 Equa$xmentos de gui?dm gruas usados e equipamentos dentro dos limites correlates: das was capacidades antes de carga. ou tombamentos. 5.es 5. e seguran OS guindastes.7.4 estende 0 comprimento pat-a dentro do balango deve medida ser no m&imo de 1.2 OS cabos de guindastes a 4.13. 5.3 OS cabos e as correntes devem ser dimensionados para elevar e manter caL gas suspensas corn seguranp.

brago dos estendido.13.13.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 04 dar 5. na posiG:o. 5. . deve colidam corn andaimes.braso carga. efeito de sinaliz&o serao adotadas as instru@es constantes de 0 c?zdigo a) elevar de sinais carga. palma da mao para baixo. colocada em posigk de descanso. Nao se permitir o transporte de pessoas por guindastes.4. e para baixo. recomendado i o seguinte: . mover a ma0 para c) parar. horizontal.13. J7i-l palma da mao para baixo. b) abaixar . formas ou quais ou cabos materiais obstkulos.8 pamentos 5.6.13.7 assim quer 5.antebraG mover na posisZo a mZio em pequeno vertical.13 4. 5.13.14 A oper@o nesse Para trabalho.13.13. quando operando.6 rar nao provoquem As a sua ancoragens estabilidade as Nso coma outros se suas deve descargas e os acidentais contrapesos NBR 7670/1983 das dos situa$ao. manter braso e mao rig1 . estendido cima na horizontal.9 te e fixa@es que as lanGas suficientemente dos equipamentos resistentes. circulo dedo indicador apontando para cima. de engatar e desengatar cargas dew ser feita por pessoas ex 5.13.11 ser o equipamento em opera@o. A ningusm Quando deve ser permitido de guindar andar nao ou permanecer estiver sob cargas suspensas.12 perientes 5. devem cabos asseg! de contra equipamentos Quando devem ser em qualquer ancoragens permitir guindados ventamento.gruas e equi correlates.10 5. de guindar. OS equipamentos e contraventados. dew estar sempre seguramen - apoiados 5. linhas de distribui@o de guindar forem usados de energia. estruturas. a langa deve de guindar.13.

braso m% a lanGa.1 rios dos 5.braGo a lanqa. em 2. mkio e para fechada. e) suspender . que de em a ou sinal. estendido. polegar apontando para cima.13. apontar corn o indicador na dire$o de movimento.r providas de trancas. de que emerg@ncia. h) mover .15 tal deve Quando . e elevar carga.mesmo da devagar.mesmo rapidamente. em 2.14. em elevadores gaiolas e plataformas de elevadores devem 5e. reaproveitamento. cada m%.17 para 5. de de e abaixar simultaneamente. reduzido CJ mesmo a urn gancho use de e cortado equipamentos iGadas a comprometer a impedir devem desprender.. (h/a) !I (h/b) 11 b. CJ sngulo corn a horizoncada mk. por&m corn o polegar apontando para baixo. cabos 60°. a oxida$& de ou maneira de de possam modo 5. baixo. j) abaixar mar simultaneamente.C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR i67811983 d) parada .usar langa a e e lanGa -a e f. porem corn a outra m& colocada atrss ou abaixo m% i) elevar .14 5.13. urn corn carga.16 se+ deve 5.2 evitar Quando transversal ser retiradj OS gancks que e outra qualquer causa sua seu possuir houver seguranga.14. urn corn de contraventamento.mesmo a que laya. pat-a esSe As eleuadores provishios transportar transporte dew pessoas ser feito por guinchos ou elevadores especialmente prov destina i s0 - 6 permitido tal fim. forem maximc a abras%.ser no usados de 5. mover a estendido. fechos de seguranGa guindar se as cargas Guinchos Nao em obras.13. para cima f) abaixar . . g) girar . porsm mover a mk para a direita e para a &querdd .

e elevadores devem a nso ser “OS locais 5. em cada andar. 5.14. de elevadores ferramenou guin- possam cair 5.es objetos para evitar por que materiais.Os inferior altura 5 da cerca ou guarda-corpos.14. tetoras.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 86 NBR 767611963 5.8 res deve deve Quando forem haver construTdos guarda-corpos. do guincho ou elevador. uma altura de 2.12 tas chos.0-m.14.10 possuir Todos OS guarda-corpos tela protetora. 5.9 xima ter Se forem de 0.14. em toda a volta.05 usados portzes.trancas~ sua base a uma largura apropriadas e nao mipodem m do piso. . devem ser fei- CM barras metalicos.5 ramente volta Pode-se fechada. pelo OS lados par telas fechados. 5. ser no local de acesso aos elevado“cancela” uma “cancela” uma tranca para que possa man&-la levantada e abaixada. lateral construir em cases em que haja cabina intei em guarda-corpos.13 xadas As guias de elevadores e guinchos devem ser mantidas devidamente fi- a prumo e desempenadas.14. da abertura dispensar Deve-se.4 AS torresde elevadoresdevem sercircundadas Quando menos.14.14. de prefer&id 5. w Devem-se quaisquer tomar outros precaugi. o fechamento no entanto.3 OS guinchos e elevadores s6 podem ser operados par pessoas autorizadas e experientes. para aberturas de guinchos de acesso. port&s OS mesmos devem ter devem possuir. devem pro- a Go ser ser nas passagens de acesso. usadas apenas “cancelas” atentos < recomendado que se coloquem vigias que devem estar s aproximaczo de pessoas.14.6 tos OS guarda-corpos ou tubas para aberturas de guinchos e elevadores de ace.14. levantada. em cada andar. 5. Tal possuir em posi$o quando 5. 5.14. 5. aberturas restos.11 em cada Se forem andar. isso at: por nao for paredes possivel.7 tentes OS guarda-corpos e fixados para aberturas de guinchos e elevadores devem ser resis de maneira segura.14.

cientificado deve o ser freresponss seguranta da obra de quaisquer 5. e Aquinas capazes cinco.14.19 qllentemente vel pela Todo equipamento inspecionado relacionado por t&nico corn guinchos habilitado.14. pelo de materiais. reparos e elevadores sendo realizados. Osoperadores protegidos de maquinasde contra a a$o guinhos do tempo e elevadores e de objetos devem que estar sempre ou sejam depro caiam 5.14. piso. 5.14.14. e guinchos s.21.14.14. devem a esfoyos corn coeficiente de seguran$a.14 vem ser ximo mitir As plataformas de guinchos de modo a resistir e elevadores a esforsos no minima.14. do carregamento de mode a na’o corn coeficiente a queda de seguranga. de tra@o para mec&ita impedir que de guinchos pessoas nso e elevadores autorizadas eficientemente propositalmente acionem 5. durante para transporte de cargas demzPeL construidas oriundos igual a cinco.20 devem os estar OS motores e dispositivos protegidos ou Go. de de guinchos resistir e elend.21 ra lho.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 7678l1903 87 5.16 tadas por As torres de elevadores competente. devem ser construidas ou mon- pessoa 5. . 5.14. pelo e guinchos menos.18 vadores ximos As estruturas ser de construidas sustentasso de modo de motores a serem menos.17 para As impedir torres montadas externamente a construsges devem ser contraventadas deslocamentos.14. devem ter pot&cia suficiente normal de traba- pz a uma capacidade 150% da capacidade 5. deve existir uma tranca de seguransa para uma carga em suspenszo.23 manter Alim do freio parada dos motores. atender OS motores dos elevadores de.14. 5. e guinchos devem ser dotados de freio eficaz e freio 5. o transporte.22 vidamente j etados.15 telas As protetoras plataformas nos simples lados que de guinchos nso forem e elevadores usados para devem carregar ser fechadas por e descarregar. pelo 5.1 de segurary OS elevadores .

5. colocadas baixo do (luando o houver equipamento pessoas deve protetoras trabalhando ser mantido de pranchas em parado torres e de trancado.14.26 conforme OS cabos disposto de a$o nos itens devem ser regularmente inspecionados e substituidos.28 leiras OS motores em vigor. DO0 kgf/cm’). resist. 4. 5.33 parada I& deve ser permitido 0 acesso de pessoas abaixo da altura minima da de elevadores. 5.30 OS elevadores de pessoal devem ser mantidos iluminados durante 5.14.14.3 a 4. 5. andares elevadores e devem acima e ou ser urn a- plataformas local de dois trabaI.ho.14. devem e sempre OS ter controles cabinas devem que estar protejam den- cabina.14. elgtricos e sua instala@o devem satisfazer 5s Normas Brasi 5.31 inteiramente tro da OS elevadores 0s usuzrios de pessoal do elevador.Licença de uso exclusivo Sistema CENWIN C6pia impressa pelo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 88 NBR 767811983 5.25 apresentar ra OS cabos carga de de de a$o usados para oito guinchos vezes vezes e elevadores superior z 2 2 provis&ios carga carga trasgo.14. 5.32 guinchos.24 dor as deve pessoas Antes dar de urn sinal acionar 0 mOtor de que urn possa elevador ser vista 00 guincho ou ouvido 0 por operatodas preestabelecido nas proximidades. . de ruptura carga e corn elevadores dez superior minima elevadores de pessoal.3.3.27 corn arestas Deve ser evitado que cabos de guinchos e elevadores entrem em contato af i ladas. 5.5.14. de de de trabalho trabalho seus devem pa para fios.14.14.ncia 1 800 MPa (18 5.14.29 vem ser OS portoes ou trancados cancelas e as de acesso a devem eievadores ficar em de poder pessoal de- mantidos e de chaves de pessoa competente conf ianga.

5. que sem prontos imediato. para zinco remoG:o ou dos materiais fumes revel origina - deve-se mesmos s% prejudiciais 2 saiide. t&rico qualificativo. Quando de czdmio. 5. Quando proximidades s for de nGo. Nao de se deve locais deixar onde materiais estejam sendo combustiveis feitos ou soldagens infla&veis ou tortes nas pro corn j.15.15.15.j nas extintor. 5.15. ser soldagens mantido se ou no tortes local um necessZrio.3 raszes dos pre ou Nas de proximidades torte ou de soldagem qualquer deve efetivos locai haver de onde extintores combate se estejam de in&ndio realizando apropria estejam ape outros dispositivos para us0 a ir&ndio.6 ger Devem-se pessoas. usar telas ou outro t ipo de anteparo ef icaz para prote- 5. ser instalados e mantidos 5. 5. e que e materiais hajam side apropriados.9 vem sistente ser Todas as tiquinas de soldayem “aterradas” adequado para operadas corn fio essa par circuitos de forp convenientemente e eletricamente apropriado.15.lj. mecanicamente de re - s. a para fim manusear de evitar elktrodos forma$o deve de ter arcos isolamento el. capaz executar deve de ut i 1 izi-lo.15.tricos .15.4 ximidades tochas.2 de acordo Somente corn e podem as ser utilizados equipamentos vigentes.7 tidos dos.8 em Circuitos concord%c ia para corn as soldagem especif elgtrica ica@es devem apropriadas.15 5. 5.1 fissionais Gperag&s As de code de e soZdagem torte que e e hajam soldagem demonstrado s6 podem suas ser habil executadas idades em par pro teste operas6es competentes. devidamente especifica@es inspecionados aprovados.10 adequado 0 5 dispositivo corrente usado usada. pr5tico.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb N6R ?678/1983 89 5. pois OS forem feitas soldagens toma r precau$es em chumbo.15. e absolutamente materiais “ma pessoa necessario inflam&eis. finalidade.15.

5 riscas instruszes adequado dos do fornecedor.11 devrm usar Trabalhadores &ulos que de seguranGa estejam adequados. lateral.15.13 tetores gisla$.12 relaSZ0 Deve-se aos seyuintes ter o 6ximo cuidado no use de tochas. oxi-acetileno de acordo devem corn usar as Oculos normas pro e le - 5. 5.15 vem lateral. principalmente elm Gpicos: a) sele~ao as apropriada do bico de soldagem. . Sempre todas as ?I que pessoas prova houver nas possibilidades proximidades e proteG:o de devem projegso usar de &ulos de faiscas de ou seguransa corn as tic corn ma5 oc~lares e legisl+o de choque vigentes. para a tocha.15. de pressso acender cuidado que possam ao mudar de bico ou tocha. 5.14 Z3S. devendo ser seguidas.Zo OS soldadores equ i pados viyentes.15. nas proximidades de locais de soldagem 5. ou cortadores corn owlares usando apropriadas. acordo no: 5. do bico reguladores para tomar 5 tocha. para qve o jato de foyo Go esteja ao acender dirigido materiais entrar em combustgo.15.15.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 96 NBR 767811983 n& desejados ou choques ao operador. 0 OS ter kulos por soldadores de baixo e cortadores que operarem s prova e corn de devem arco choque usa-10s eletrico e ao protetao levantar de- seguranga do capacete corn oculares de soldagem capacete. b) c) d) e) ajuste fechamento nunca usar f6sforos tocnas.

5. a 5. se for ser que mantidas permanentemente defeito em devem cond ser i &jes ime - funcionalidade retiradas apresentarem separadas. de use o case.16.NBR 767611663 91 5.16.2 cial aten+ Para a manute@o a0 seguinte: e inspe$o periirdica dos macacos. ferramentas devem ser cortantes guardadas ou em ponteagudas local nos apropriado. desgastes. de maneira bem visivel. A sua ou anormalidade reutiliza@ devem deve ser set- assinalados precedida de palavras: de verificacao perfeito funcionamento. fraturas. bolsos.16. 5.4 do nao Nao se deve sendo portar usadas.Licença impressa C6pia de uso exclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb . .15. deve-se dar espe - a) verifica@‘o ou amassamentos.16.O m em relagao de linhas seguran$a. b) substitui@o xam perfeitamente.16. na obra devem apresentar. da existgncia de possiveis fissuras. As Nunca chaves contra de fenda devem da mao ser que usadas esteja de acordo corn a pe$a OS Iimites de apli a palma firmando a aparafusar. devem Aquelas e. ou reparo’ de peGas que apresentem defeitos ou Go encai - Nota: OS macacos corn as que apresentam FORA defeito i3E JSO.3 de diatamente As ferramentas manuais e seguranqa.16 mais damente de a Trabalhadores que ao executem piso opera@es devem usar de cintos torte de e soldagem seguranqa a altura fixados de adequa - 3. 5..Quan estiverem 5.5 cagao.1 indicasao 0s macacos de sua usados capacidade.

de seguranga adequado quaisquer para que resistir sejam as as pro da estrutura.16.16. ou outra esforgo. 5. As chaws de fenda na’o devem ser utilizadas coma talhadeiras ou aiGapre- 5.16.pido das mangueiras de ar comprimido devem ser periodicamente. de servigo.17. 0 use de ferramentas o suprimento estiver pneumsticas de ar ser exige desligado atengso especial corn as a pressso manguei quando devendo Go e aliviada a ferramenta em “so.16.C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb !a2 NBR 767811983 5.12 mes.16.13 ras de ar.7 ms cabos As chaves de boca devem ser objeto.8 As ferramentas no seu manuais use.17 5. somente devem ser utilizadas por pessoas que te- nham experigncia 5.11 nual.14 somente As ferramentas por devem pessoas ser guardadas em compartimentos fechados a chave e retiradas autorizadas. andal degraus de escadas 5. ferramentas de onde sobre possam cair. nso devem ser utilizadas para finalidades diferel! 5.6 Illas. corn urn fator cargas .15 inspecionadas As conexGes de engate r8.16. 5. 5.lti. Nso usando-se se deve morsa segurar corn a m& para pega essa a ser furada corn maquina de furar M- ou gabarito finalidade.10 P- OS operadores de maquinas de furar manuais devem tsar &ulos de segurac 5.16. 5. Nao se deve abandonar ou pontos ou depositar elevados.16.9 tes As daquelas ferramentas a que manuais se destinam. na’o se pesa Nso devendo que se esteja deve hater sen aumen corn martelo ou outro do atarrachada tar o cabo corn ou desatarrachada tubas ou pesas na”o ceda de metal ao primeiro ou madeira.1 por$Ges m&imas Foms As formas devem ser projetadas e construidas. 5. adequadas case a cada a porca case. parapeitos.16.

3 cante OS suportes a concretagem e escoramentos para evitar de distorcoes formas devem ou colapso. do concrete e forma 5. de concretagem. de suportes. 5. em escala industrial. de lancamento. de equipamentos de equipamentos assi&trico de temperatura. construidas prontos for sendo mas de madeira.8 garantias comprova$o Quando forem usadas formas produzidas pretendido. normaimente oriundos de: te’m-se que levar em considera adicionais impact0 impact0 vibra@es a colocag%o de concrete.17.17. carregamento varia$es retrag& possiveis cargas tipo a cura.17.17.4 para use Devem-se imediato. .5 ta^ncia Quaisquer segura de chamas formas ou dispositivos ou restos de aquecimento de formas. deve deve-se haver exigir do fornecedor de experikia quanto ao use De prefergncia anterior.2 $0 Al& no projeto a) b) c) d) e) f) g) h) i) do carregamento esforgos durante de choques esta’tico. 5.17. durante a concretagem. habil deve itado e estrutural porprofissional experiente no assunto. reusadas devem ser limpas de pregos e ara- mes e removidas 5. ou recalques do vento. devem ser mantidos a dis de madeira 5.6 As formas dos de madeira locais a serem de trabalho. manter nas equipamentos proximidades adequados de locais de extinsso onde estejam de inckdio.17.7 ser Quando apresentado as dimensoes projeto ou complexidade detalhado. ser inspecionados antes e du- 5.9 tadas As coma formas se metalicas estruturas que devam ser reusadas muitas vezes devem ser proje- fossem permanentes. 5.feito das formas assim o exigirem.17.17. do concrete deslocamentos devidas i a@~ durante de concretagem.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811993 93 5.

17. em nenhum case.10 mais linha Todo o pessoal trabalhando estar em montagens corn cinto e desmontagens de seguranta. sob supervisso de profissional e responssvel .17. Quaisquer pe mi- de desforma e na forma podem ser do responsavel 7 ds os tempos cases.12 opera$es la obra. 5. 60 se deve permitir.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb M NBR 767811983 5. s. iniciadas desformas corn autoriza@io A Tabela prematuras. que possam ser e obedecer sem choques programa corn o tipo 5. do estabelecido antes na NBR 6118. As mesmas devem ser antes xadas corn seguranga.11 Durante a desforma. elaborado A desforma de acordo e atracadas ser efetuada da estrutura. da remogzo nimos de cura recomendados de formas em diversos TABELA 7 -Tempos minimos de Eura conventional da desforma Quando a sobrecarga Tipo de pega estrutural maior que 0 peso prcprio do concrete e das~formas for: menor que 0 peso pr& prio do concrete e das formas 7 dias Arcos Fundo de vigas de 3 m de vso Fundo de vigas entre 3 e 6 m Fundo de vigas de 6 m de vao de menos 14 dias 7 dias de vaos 14 dias de mais 21 dias 4 dias 7 dias maiores 10 dias 1 dia 1 dia de vigas ccn Assim que for aplicada 1 dia 4 dias 7 dias 14 dias 3 dias 4 dias 7 dias 1 dia 1 dia 1 dia a protensso final Lajes corn ~50s menores que 3 m Lajes 3e6m corn vaos entre Lajes corn vsos que 6 m Paredes Colunas Formas laterais Lajes protendidas aderkcia posterior Nota: 0s tempos da Tabela aceleradores habi Ii tado quimicos acima podem ser reduzidos quando forem utilizados ou fisicos pela da cura.17. nao se deve escoradas devers deixar cair livremente para seC&s de forabaia mas. ligado a a uma de 3 m do pis~o. obra. dew de seguransa equipado adequada. de formas.

kg/m3 n%o contend0 interna ser pozolanas normal para (via ou de nu’mero por e vibraG$o deve de agul ha a 8 000 pressso a) Para lateral colunas. especificos.13 tzncia.17. a considera$o ou 2% da carga todo o perimetro de cargas eststica da laje. a 4 000 tilizados o acr&cimo A carga mais Pa. 5.17 mas deve Durante ser o igamento aprumada.17. brador seguinte Para concrete corn “Slump de massa Dez” ciclos especifica de 2 400 menor. de formas deslizantes verticais a estrutura das for- mantida 5.18 (sobrecarga.17. 5. devem-se que ter a obra resultados requer.17. de ensaios em corpos de resis re de prova a concretagem.17. coma de opera@& de mostrando macacos ou equipamentos etapas. vertical as dis- nzo devem corn0 inferiores uniforme carga sobre 5.17. 5.16 continua 0 ic. 5.17.Licença de uso exclusivo Copia impressa pelo para Petrobrás S/A Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767011903 95 5.17. de vento.19 mesmas tribuida Nos cases ser em que seja necessaria a 590 agindo Pa. colhidos Antes OIJ outros durante da remo$o ensaios de formas. plataformas e posi& formas em diversas 5.14 arquiteto nhos 0 use de formas deslizantes Deve coloca$ao das dew setdos ser feito supervisionado urn programa por engenheiro e ou dese - experiente detalhes de trabalho no assunto. n& dew considerada mais ser peso nos projetos das formas) estruturais nzo Pa. eststica peso total do concrete. igamento. o menor dos dois). . fresco: a forma projetada de concrete (Mkimo de 144 000 Pa ou 23 500 H.20 ou aditivos.amento e a velocidade de formas de deslizantes i$amento 60 deve deve ser exceder feito de maneira uniforme e s pr&determinada. Segundo).15 ves OS equipamentos de seguransa usados que para possam iGar ser formas acionadas deslizantes em taso devem de falha dispor de de cha energia e trancas au defeito na maquinaria. pode ser de formas inferior forem u- A sobrecarga inferior a 2 000 de concrete E sempre deve ser que carrinhos motorizados ou bombeamento considerado de sobrecarga correspondente.

c) Para paredes corn velocidade I 156 ooo T + 17. A pressso longarinas. o menor dos dois). lascadas.17. lateral do concrete fresco a ser usada para projetar pela formas. P = 23 500 H onde: P = pressso R = taxa lateral em Pascal em m/h nas formas acima em ‘C considerado.8 + de lansamento 244 000 R T + 17. corn buracos SG se devem usar materiais de resistkia .8 de lancamento menor do que 2 m/h. em metros nas formulas consultar as (Pa) de langamento T = temperatura H = altura Se forem acima. pode ser calculada P = 4 7yo + 5. P = 7 200 + (il&imo de 95 800 Pa ou 23 500 H. m&imas CM de e sem deslocamentos ou recalques 5s cargas 5. 5.17. capazes de resistir. As fundagk dos suportes de formas devem ser prejudiciais. conhecida.23 regadas As pecas antes estruturais que hajam sido a resist8ncia plena desformadas de projeto.17.8 entre 2 m/h e 3 m/h. devem ser usados. f6rmula: em formas 524 000 R T + 17.22 seguranga servigo. P = 7 200 + (tl&imo de 95 800 Pa ou 23 500 H. pesas partidas.17. na feitura de formas.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 96 NBR 7678/1983 b) Para paredes corn velocidade 785 000 R T + 17. E necessirio valor-es de temperatura especificas dos do que OS reais.24 Nzo se devem usar. recomenda@es fabricantes. d) Para paredes corn velocidade de laacamento maior do que 3 m/h. nao devem ser sobrecar que atinjam 5. ou deterioradas.21 tirantes. utilizados do concrete fresco de concrete do ponto aditivos retardadores menores de pega.8 deslizantes. o menor dos dois).

es Nso se deve de ago colocar permitir desprotegidas. antes em hipGtese que todas as alguma.keis. que Go guindaspossa haver seguramente por de forma pontos de escorregamento. 5. 5. 5. 5. armacoes pranchas was para concrete que ar garan colocadas de madeira seguro.18.7 tar que OS roles se de arame de ago devem ter was extremidades fixadas.1 bancadas vem-se Arm&es de ago pam concrete e torte apropriadas superflcies amado de aso em obras Tais deve ser ou feita plataformas sobre dee est.5 tes OS feixes ou gruas me&icos de vergalh&s devem ser de ago atados ser que sejam movidos por guinchos. colocadas 5. tam Sempre devem caminhar ser que for necesssrio firmemente caminhar sobre sobre estas.10 concrete aprovadas N& se deve. bancadas A dobragem ou plataformas apoiar sobre de vergalhoes niveladas e na’o escorregadias. 5.es de seguranca. amarrz-las em fei- 5.18. a montagem sobre de formas II% Devem se dew ser oermitir que os pranchas oper~rios adicionais capara as mesmas. OS feixes de maneira devem a evitar suspensos flexio isamento adequadamen - excessiva.18.18 5.18.18.18. 5. pranchas a execugao Nestes de madeira de trabalhos tais elas.18.2 de ago As devem pessoas usar que luvas executem opera$es de manuseio e dobramento de vergalh.18.6 cais As devem arma$es ser de a$o de janelas.9 N.17.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Cdpia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 7678l1983 97 5. sobre pontas ou ainda. armagoes proceder sejam obra.nhem essa Durante diretamente finalidade. ‘a concretagem cuidadosamente de uma pega verificadas de e armado pelo profissional responsavel pela .io se devem fixar OS cintos de seguransa diretamente zs arma@es.18.4 vergalh. 5.18.3 mado.25 m. para evi- desenrolem subitamente. sobre ou devem-se xes.8 rias tais 0 aco coma: a ser apoio utilizado no concrete e cabos nso deve ter outras aplicagks provis6 de andaimes de ancoragem. pontas devem verticais ser recu rvadas de cases. te espagados. evltar muros e outras estruturas verti- apoiadas e escoradas desmoronamento. para colunas. 5.

8 OS condutores. 5. telefhica radiofhica. 5.1 jetadas todas Concretagem As plataformas e rampas de maneira de centrais que sejam de preparo capazes de de concrete resistir CM devem ser pro a e construidas as cargas seguranga de trabalho. 5. devem ser alternadores instalados.19 5. ou equipamento e quando tal nao de transporte.19.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 98 NBR 7678/1%?3 5.9 priados As centrais 2 extin$o de de preparo inckdio. 5.7 tivos As cagambas transportadoras para impedir de concrete descarregamento fresco devem apresentar disposi- de seguranga inesperado.19. de freqllcncia aterrados e outras e mantidos partes de acordo eletrificadas corn as normas de vibradores e recMnenda@es especificas. de emergcncia. urn sinaleiro comunica~ao de concrete j vista.19. . devem ser equipadas corn meios necessaries e apro- 5.3 suir OS dutos trancas e sistemas transportadores e freios fixos de concrete para serem fresco acionados devem em poscase de seguranga i dade.2 quipados nar $es OS dutos e sistemas transportadores que ser emita fixos sinais de concrete audiveis distinguiveis fresco ao devem ser -e corn sistema Tais de sinalizagao sinais executadas devem nas comegar dos de e term1 opera- o transporte.19. simultaneakente nitidamente proximidades.5 dispositivos tiver As conexzes de dutos para transportadores impedir separag& de concrete das partes fresco devem possui es- r de seguranga pressso. 5. de necess 5.19.4 gao ridas As miquinas que emita em 5.19.19.19.19. for possivel.19. quando o sistema sob 5.10 operador ser se usado usar Quando o local de colocag~o da bomba que esteja ou de concrete fresco nso estiver 5 vista do deve deve- do guindaste. sinais de pavimentagk audiveis devem ser equipadas can sistema nas de sinalizacondigzes refe- de comego e final de operagso.19.6 fresco das Todas devem em condisoes as ser pegas e msquinas de sistemas transportadores por ticnicos fixos habilitados de e concrete manti- frequentemente &imas inspecionadas de funcionalidade e seguranca.2. 5.

excessiva das de maneira a) b) c) d) vibra@o evitar: insuficiente. Recomenda-se de cremes 5. Durante atr& as dos operasEes macacos. cases.es ccxno batedores e socadores. corn barreiras deve-se e cartazes.19. 5. apropriada. Cal.12 devem usar As pessoas botas pelo que de cane executem longo. cimento.19. macacos ou outros nao se deve permitir a perman&cia de equipamentos de proten&. 5.1 pessoas Protenaiio de cabos Out-ante atrk ou as opera@es sobre os de protenszo. de protensso. respiradores. ou preparo equipado quando de supercorn &ulos de areia.20 5. 5. tipo nesses necess:rio.14 ficies Quando corn jatos forem feitas operaSEes o pessoal de torte encarregado “escudo”. protetores Deve ser de seguranga. A pessoa de concrete encarregada sob pressso de segurar deve estar a ponta de uma mangueira corn protetores ou duto faciais trans tipo equipada 5. de concrete deve capacetes o acesso estar e.15 nadas tados por As opera@es pessoa de coloca$o p ara Dew-se ou e vibragso haver certeza de concrete de que devem OS trabalhos ser supervisiosa’o execu- habilitada.19. cunhas ou outras dos cabos. de vergalh.19.19.20. manter as roscas.2 os pratos Devem-se ou cones.11 Nso se devem suspender cagambas ou baldes de concrete sobre o pessoal de concretagem. faciais evitado. durante a coloca~~o do concrete. deslocamento deslocamento use de pedasos arma@ks de formas. isolar para a a’rea evitar em volta o acesso e espy de .13 portador “escudo”.20. operaGoes luvas de colocaGao e vibragk para para de evitar evitar concrete leszes derma e vestimenta o use apropriada e lo$es provocadas tites. ancoragens apertadas contra durante o tensionamento 5.3 cialmente pessoas.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767611963 99 5.20. ao lo- de outras pessoas 5.

21.5 chos. deve sempre ser construido abaixo rebitagem de dois urn piso daquele provis&io em que e.21 5.2 chas do para Em qualquer de madeira case.21. 5. 0 transporte OS pontos de de pegas protendidas predeterminados. SC deve ser feito usando-se os gan- isamento bem coma o equipamento recomendado. Deve haver controle rigoroso das ten&es aplicadas e deformsEes conse- 5. feitas baixo. 5.10 nal pensos Em case de ruptura deve tomar de cabos conhecimento seja por ele ou qualquer imediato autorizado. pisos pavimentos torte.20. permanente 5. provissrios em doispavimentos. do Gltimo piso permanentes Nunca se deve ja devem ter ser mais conclui Em constru@es 5 medida oito pavimentos que de estruturas os pavimentos instalados de que do.8 qUentes.C6pia impressa pelo Sistema Target CENWIN impressa pelo Sistema CENWeb Cópia 100 Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A NBR 767911993 5. sejam acima OS pisos construldos.20.20.6 escoradas As peGas protendidas a nso devem haver ser estocadas em local de queda. 5.1 rilontagim de estmcturas metiilicas metslicas.11 luvas As pessoas que manuseiem cabos e equipamentos de protensso devem usar de seguraya.dois operagces de soldagem. evento inesperado.20. em construgao. nergia ou defeito que assegurem do equipamento. Todos OS dispositivos por ser e equipamentos tknicos examinadas habilitados. Glti _ devem existir existente.7 OS macacos e outros equipamentos a permane^ncia de protensao das tenszes. empilhadas e de maneira possibilidade j. 5. devem o profissio ser sus- responsavel ate e OS trabalhos que o reinicio 5. estiverem dai de pran sen de.nomaximo. devem possuir de dispositivos fal ha de e- de trancamento. nivelado. em case j.ate mo piso permanente .2U.20.20. antes usados em protensao principalmente devem antes ser de inspe serem freqllentemente As roscas devem de seu posicionamento.20.4 cionados usados.9 bilitado As opera$es de protensso nesse tipo devem ser supervisionadas por profissional ha- e experiente de trabalho. as e pintura em diante.

salvo as aberturas necessirias 5. necessidade cortada.. de e.21. de fixar aparafusada cintos de seguranga 5 pr6pria ter o (ver peca ei ou rebitada. OS pisos de estarem provis6rios seguros.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Copia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811983 101 5. 5.1).21. rebites quentes e devem ser atirados 5. imediato. de locais deve onde estejam existir sendo feitas oper@es de manta . para espessura deve ser minima calculada de 0. devem ser OS defeitos inspecionados encontrados freqbentemente devem ser para haver car inxadiatamente 5. a pega. de aparafusar. ao serem colocadas em posi gao. 5. a estabilidade deve-se mkimo 4. Para vks coeficiente de trabalho. provisoriamente As colunas escoradas. a espessura ga pelo menos igual seguran o carregamento 5. verificando-se antes da peca.21. deve ser rebitada ou aparafusada fixada.10 Antes de ser soldada.21. de livres para mais de pregos.21. toda a a’rea .21.12 pronto Nas proximidades metslicas.9 trutural cuidado Quando houver a ser soldada. posicionada devem ser par devi equipamento damante adequado. devem apresentar das pranchas a cinco.6 5.21.21. 5. e de resistkia conhecida devem ser 5.7 certeza ri gidos. gem de estruturas para use equipamento de extingso de ince^ndio 5. de As pessoas que executam operagoes piso de mcntagem devem estar de estruturas metslicas de segl a 3 m do solo na forma ou de qualquer equipadas corn cintos de 4.11 parafusos.til da construc~o. pines. de ati 3 m.21.05 corn mkimo de 3.8 mais ranga.m.5 Somente usadas madei ras sem defeitoou na construg~o de pisos deteriorack provis&ios.21. rebitar e manusear pe gas metalicas devem war . Deve haver OS quais recipiente nunca adequado para depositar fora.3 OS pisos provisorios para devem cobrir acesso. corn sua fixa&.13 As pessoas que executem luvas operagoes de seguranga.1. A fixacso das pranchas > estrutura da construcao deve ser segura.21.4 de farpas v&x As pranchas e pontas usadas na construczo devem ser de pisos fixadas proviskios lado a lado devem estar sem fiestas m.

15 ficada Antes e ser da sua examinada utiliza$30. respirat6ria.1 dade Alvenaria Nzo se de carga.22. de materiais. deixar sobre o piso fragmentos de vidro ou alvenaria. e acabmentos deve acumular material de alvenaria em andaimes.1. antes Quando as paredes de alvenaria deve ser puderem ser prejudicadas o necessirio pela agso do ven- da cura da argamassa. 5. Nso se deve atirar utensilios e ferramentas. de 3 m acima na forma do revestimento.22. que pas 5.14 cada etapa Nunca seja se deve prosseguir pelo a montagem profissional de estruturas responrAve1 metslicas e~devidamente antes aprovada. piso exige pintura o uso de cinto e co1oca~~o de segu- de esquadrias ranGa I i gado e vidros 5 1 i nha de seguranga.9 produza zes Go se deve permitir opera@es nasproximidades de soldagem.22.7 sam causar Nso se deve ferimentos.22 5.21.22.5 pera+. a pretext0 de acelerar as o- 5. acima da capaci- 5. de 4.21. Devem-se fazer verifi sistematicas de controle 5.22. e aplica$o deve-se instalar de vernizes ventila$ao em ambientes forgada em que Go equi- ou fornecer pamentos de prote@o 5. providenciado escoramento.8 haja Na execu$o ventilasso de pinturas suficiente.3 A-execu@ de servisos a mais de alvenaria. 5.22. que verificada 5. outra we verni- chamas oucentelhas materiais ou outros infla&veis.22. 5.22. 5.4 deve-se Durante evitar a constru$o a queda de paredes de alvenaria ou execu$ao de acabamentos.C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb rm NBR 767811983 5.22. quanta a peqa a defeitos metslica coma deve empeno ter sua resistgncia veri- ou corrosa’o.6 c&es N&I se deve usar material de alvenarfa de qualidade.2 to. de locais torte onde ou qualquer se usem tintas. . deteriorado.

23. .Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NM 767811993 103 5.1.23.5 de utiliza$o tima copia do projeto deve permanecer na obra at< o tgrmino do period0 do escoramento.23.3 escala tada.1.1.5. a concretagem. complete Sempre industrial deve ser que forem utilizados que equipamentos de escoramento for produzidos complexa ou em inusi - e sempre exigido pelas a estrutura do escoramento urn projeto estrutural autoridades de escoramento e elaborado por-profissional qualificado.1 cargas Escormento Cond+?s uertimt gerais devem corn ser fator projetados de seguranga e construldos adequado.23.1. dos apoios. no dimensionamento esforgos adicio da superposisao 5.2 Alam do carregamento oriundos impacto impact0 de: durante estztico.6 (200 kg/m2) Deve ser considerado vertical no projeto total nso uma sobrecarga deve ser inferior minima a 4 000 de pa 2 ODO Pa (400 kg/m2).8 nais oriundos Devem ser levados em considerasao de escoramentos.1 5.1.23. te^m-se que levar em consideras% esfor SOS adicionais a) b) c) d) e) o lansamento do concrete. j.23.23 5.2 e 5. eleva$o e necesszrios 5 compreensso.23.1. de conforme seguesta em cada 5. que forem adicionais utilizados equipamentos ou sistemas a sobrecarga deve construtivos ser convenien- que ao escoramento.1. de choques assi&trico deslocamentos devidas SaGgo de equipamentos durante ou recalques carregamento possiveis cargas do vento. e a carga 5.7 introduzam temente Sempre esforqos majorada. tortes.23.23. 5. admissiveis por essa 5.23.2. para resistir 2s 0s escoramentos &ximas de serviso.1. devem Norma.23.4 demais 0 projeto detalhes de escoramento deve canter planta baixa. 5.4. 5. ser calculadas tipo corn coeficientes de escoramento.1.23.3.1. 5. s-23.1.9 ranga belecido As cargas especificados em 5.3.23. de concretagem.

C6pia de uso exclusivo para Petrobrás S/A pelo Sistema CENWIN Licença impressa Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb
104

NBR 767811983 As bases prevista ter-se fatores de apoio de escoramento devem ser capazes de suportar prejudiciais. por i n temp& das condi a car-

5.23.1.10
ga &xima E necessirio ries .pes

sem ocorrkcia em conta

de recalques

ou deslocamentos causadas

que eventuais r&

modifica@es

ou outros do solo.

aleat6rios

devem comprometer

a estabilidade

5.23.1.11 lo ou sobre

Devem ser laje

sempre

usados

pranch6es

na base do escoramenfo,

sobre

o

so

de concrete

pouco espessa.

5.23.1.12 boa qualidade Nao deve

OS mateiiais e mantidos admitido outros

utilizados em perfeitas

na construsao condiG&

de escoramentos de funcionamento sinais

devem

ser

de

e seguranga. de deteriorasao

ser

o us0 de implementos defeitos

que apresentem

ou quaisquer

que possam comprometer

a resistincia.

5.23.1.13 antes,

0 escoramento durante e ap&

deve

ser

inspecionado do concrete.

pelo

responsavel

t&nico

da

obra

o IanGamento

5.23.1.14 ramento, aprove

Quando houver por a nova imposi& montagem.

necessidade da obra, antes

de qualquer do projeto

modifica& deve ser

no projeto consultado

de para

esco que

o autor

do lancamento

do concrete.

5.23,1.15 de lateral.

Todo escoramento

deve

ter

o tratamento

apropriado

para

dar

estabilida

5.23.1.16
mitido

0 equipamento da vertical

de escoramento 250.

dew

estar

a premo e o desvio

m5ximo per

6 de 1 para

5.23.1.17 responszvel

0 escoramento t&nico pela

nzo obra.

deve

ser

removido

ou abaixado

sem aotorizasao

do

5.23.1.18 suas

Deve-se

permitir deforma$oes

que as lajes permanentes

e vigas antes

a serem de se fazer

reescoradas o ajuste final

ass umam do es

verdadeiras

coramento.

5.23.1.19 trugao 5.23.1.20 co pela

Enquanto no concrete

se procede parcialmente deve

ao reescoramento curado. ser totalmente se esti

nao se permitem

cargas

de

_ cons

0 reescoramento obra, para para

verificado apropriadamnte sendo

pelo

responsive]

t&n_i_

que se determine suportar as ireas

locado,

e tern capaci

dade de carga

que estao

reescoradas.

C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811983 105

5.23.1.21 devem estar

OS suportes em cantato

de topo firme

e base,

pegas

de extensk,

ou parafusos

de ajuste,

corn o pranchzo

da base e o material

da forma.

5.23.1.22 junta deve

Qualquer ser substi

componente tuido.

que nao puder

ser

perfeitamente

encaixado

ao

CO”

5.23.1.23
tes.

Devem ser

evitadas

cargas

excktricas

nos suportes

ou pegas

semelhan-

5.23.1.24 p&

N&

devem ser

usados

parafusos

de ajuste,

para

suspender

as formas,

d

o lansamento

do concrete.

5.23.1.25 provocar piano

Devem ser o aparecimento

tomadas

preclau@es

especiais

quando ou quando

a forma

das

estruturas parte de

de esforGos

horizontais

o escoramento

inclinado.

5.23.2
5.23.2.1

Escoramento
As torres cargas

corn quadros
formadas admissiveis de seguranga

t&dares
de quadros baseadas de p&lo

soldados
tubulares em cargas menos 2. metslicos obtidas usadas para escoramefi utilizan -

to devem ter do-se

em ensaios,

coeficiente

5.23.2.2 presentar tos.

OS quadros corrosso,

metslicos amassarrento,

e acess6rios empenamento,

usados soldas

para

escoramento

na’o devem

a-

quebradas,

ou outros

defei

5.23.2.3

Nzo deve i vos.

haver

folgas

entre

as extremidades

justapostas

de dois

eleme;

tos consecut

5.23.2.4

Quando forem

usados

dois

ou mais

rkdulos,

cada urn deve

ser

fiKado

a

pe;

lo menos urn element0

adjacente.

5.23.3
5.23.3.1

Escomnto
As torres

corn tub08 e bmgadeiras
de tubos e bragadei ras usadas para escoramento corn coeficiente devem ter car

gas admissiveis Ga de pela menos

baseadas

em cargas

obtidas

em ensaios,

de seguran

3.
e acess6rios uti lizados outros em escoramento defei tos. nso devem apresentar

5.23.3.2 corrosS0,

OS tubas

empenamento,

ou quaisquer

Licença de uso exclusivo Sistema CENWIN Copia impressa pelo para Petrobrás S/A

Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb

106

NBR 767811983

5.23.3.3 madas, 1 igagao.

As

bragadeiras

n%

.devem

ser

usadas defeitos

quando que

estiverem comprometam

quebradas, a seguranga

deform da

ou apresentarem

quaisquer

OUtros

5.23.3.4 go, ferro

0 material maleivel

usado

para

bragadeiras

deve

ser

do tipo

estrutural

coma

a-

ou aluminio.

5.23.3.5 verificadas.

As

jun@es

de tubas

e apertos

das

bragadeiras

devem

ser

cuidadosamente

5.23.4
5.23.4.1

Escomento
Nas

corn mdeim
dos escoramentos prontos de madeira para use devem imediato. existir extintores apropriados,

proximidades de incsndio

ou hidrantes

5.23.4.2 pelo dade menos

A madeira

usada

para admissivel

escoramento de trabalho

deve

ter deve

coeficiente ser coerente

de seguranga corn sua quali-

de

5 e a tens%

e espkie.

5.23.4.3 responsGve1

Todd

madeira pela

a ser obra,

usada antes

para

escoramento dos

dews

ser

inspecionada

pelo

tknico

da execugao

servigos.

5.23.4.4
de I&,

A madeira corn se@es

nzo

deve

ser

utilizada

quando

estiver

rachada, modo danificada.

CM

excess0

removidas,

deteriorada,

ou de algum

5.23.4.5 contra

Devem

ser

usadas da base

cunhas

para

se

obter da forma.

o ajuste

final

e o firme

contato

OS pranchoes

e o material

5.23.4.6
tragao

Nunca na diregzo

se

dew

admitir.

nas

conexoes,

que

OS pregos

sofram

esforgos

de

de fix&o.

5.23.4.7 expostas.

Nunca

se

deve

deixar

que

as extremidades

de pregos

ou parafusos

fiquem

5.23.4.8 de pregos,

Ap&

a retirada

dos

escoramentos dos locais

de madeira, de trabalho.

as

pegas

devem

ser

limpas

arames,

e removidas

5.23.5
5.23.5.1 quado

Escoras
Para para resistir

individuais
estabilidade aos

met&icas
do escoramento, esforgos previsiveis. as escoras devem ter travamento ade-

23.5.5.3 coeficiente As escoras devem ter de pelo cargas menos admissiveis 3. amas ou apresentarem KNDICE ALFAB~TICO .4 sadas.23.2 base OS suportes e o material das da forma.5. As escoras empenadas. nzo devem ser usadas soldas se estiverem partidas. fortdmente corroidas.Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767611963 107 5.23. escoras devem estar em contato firme corn o pranc& da 5. obtidas a partir de ensaios C~III de seguranga 5.

Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 106 NBR 7676/1963 .

....6...... ..............8........ ............. .......... ............... construtivos eletricas amina$ao $ao $ao $ao de de de dinamites polvora ........... .........9............. ............ .......1 ...1. .... .............. ........ ........6 5..........1 5. .............3 5...... ....8 5....... empaiolamento ......... atmos pai6is e acessGr negra quimica ...........................4........ comprimidos Armazenagem Recebimento Transporte Uso de de repouso de aso manuseio . ............ ........... .6 5..9...... ........................................12..6..7 5.. ..2 5.............9.........3 5.......... .........18 5......... 5..................9....... ..... leves pesados suspensos .............. ........... ... .........9 5.3 simplesmente suspensos suspensos gerais 5.....6.....................8......... ................ 5............. .... ci lindros para gases 5.. ....... .. ...... .....8...12...... .......3 . Armazenagem Manuseio Transporte ~Transporte Armazenagem...1 5... ...... .........9........................ .. de materiais de transporte e uso ....... ....4 .....6........... materiais ......... 5........... 5...4........ materiais vertical vertical e transpcrte ..9.1 ....... 5..... .........................8.....................................11 .... ... 5.1..9........ 5. apoiados mecsnicos meca^nicos para andaimes .........8.. 5..... .........1 5........... ..........4....................... ...Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 767811983 I-NDICE ALFABETICO 109 Alvenaria Andaimes Andaimes Anda Anda Anda Cond Clas e acabamentos ....8.........12..... em mes mes mes goes ifica$Zo balan$o ..............................12 5... Armazenagem Acessos Arejamento Aspectos Descargas Descon Destru Destru Destru IncGndio InstalagZo Localizasao Medidas . .1 5. transporte e uso de Armazenagem...... .12. ... ...5 5....... . .................... ..... ou para sngulo concrete e transporte de talude armado de natural .... mec$nicos .. ...12........1 5.......... ...1......................... .2 explosives .. ......1................ ...............4 5..9. i Deb polvora ........... ..................... .. f Gricas ........... ...................... ... ..... ... eletrica dos gerais paihis para .......................2 5... 5...........12.....4 Generalidades Rngulo Armasses Armazenagem.....................2 5........12....22 5......... ......... ........... ..............9.. 5.....2 3... Geral Mangueiras Reguladores .....6 5...........8...

.....9........................12 3. 5...........5 5....... Recomendaqoes de explosives Recomendas6es explosives Regras Bate-estaca Cabo de para ...................... e descompressao para ..9...........14 3................................................ ... -5. ............9.. ....22 CaGam~ba Caixso Csmara Csmara Csmara Csmara Csmara Cargueira Coeficiente Concretagem Detonador Equipamentos Equipamento Escada Escada Escada Escada Escada .........2............. o transporte rodoviario ................ conjugavel de de abrir extensio ...........9 5..............................9.....5...2...............................9....9........................2..........................3 5......2...9...... seguransa ... e vibrasao gerais umidade ..................................2.. socorro medico campanula) ..........6 3........... .................................................. para transporte ........... .......................................10 5.... aplicaveis lacustre aplicsveis ferrea o ao transporte .............9.........3 3...... incandio trafego transporte ...........................2....................................9.............................. (eclusa......4 3...........15 3............. ..5 3...9................. ....5..9................. de de de de rnso mao mso mao ........1....... individual ............... ~3... .......................1........Licença de uso exclusivo Sistema CENWIN C6pia impressa pelo para Petrobrás S/A Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 110 NBR 767811983 Armazenagem Reparos SinalizagZo Temperatura Controle Precausoes Transporte Aspectos Carga Modo de nos pai6is .....1 3. transporte de 5......2 ....2 gerais para .. .........8 5................................2.6 5....................3 5..............7 5...........10 ......16 .............4 5.....8 5....................9........................ pneumatico de compressso de de ou de recompressso material eclusa de ou tubulao pneumstico ...9......9.2. Prevengao Procedimentos Procedimentos ProibiGZo Recomendagoes maritimo...11 5.13 ..7 ..2.......................9....................................................................1..........5......2...... 3..9...................9 5........... .....19 3..... ...... . 3..............2 3........5 5...........13 3............9.. de de guindar protesao ...10 5..2................................1 5....11 3.4 .3 3.............2 3.... trabalho ............... . pessoal .. construtivos e descarga de manusear contra no no de fluvial fumar gerais ou gerais por via dos veiculos 5.......................... (fator) de seguranGa 3.........

... ... . ....... ..... e aberturas.....11....... .3...... ... .. ....... . ......Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb P@Fl7678/i983 Escada de m& Escadas....... ....... .... .....26 Pilao...... . ....8 e higiene.. ....11.. ........... .. .. .... .17 5...... .... s.. . ... .. ... ....... ..... .......... 5.. ... e vistoria.... . .. ........... ... . ...... ... ... ... .. .... .. .18 5.... . .. . . . .. ... . ... . . ....11.. . . ... .. 5...... . .... ....... .............. . . .. .... . . .. .... ...... .. .. .. .. .. .. ..... . .. ......24 4. . ... I.... . ... ...... ... ..... ... ... .. .3 .... .. .5............... Escoramento Condi@es Escoramento Escoras vertical gerais 5.. . .... e soIdagem. ... ...7 3.. Estaca. . . .2 5....... Estacas. ... . ... ...5 de mao.3 Escoramento Escoramento corn quadros corn tubas tubulares e bragadeiras... .. .. .... . ........ Fuste Gaiola (charnine) de tubulao ou caixao... 5........ ..... . ...23... . .. ....4 Escava~oes....... .. .. ........ .......... Estronca... ..... ... ........... .. ... ....... .. ....... ... ... .. .. . ............ . ... . ........ ....... . ... ........ .. ....... .... .. ... .. .....23.... . . .... protetora. . ... ..... . .. Macaco.. . .... ....~...... .. ...... .~........ ............ .. ........23.. . . ......... ... .... . 5.. ............. .. . .....29 ..27 .... ....... .. . .... . .. .. ... . Ferramentas e equipamentos manuais...... .. ... ......8 3... ... .... ... .. . .. ... .......... ... . .. .... . Plataforma. .... .. ....... . ....... .... ...3.. .. .. ..... ..... ..... ..... .. . . ....... .... . ..... .. ..... .. .......23 ....... ...... .. .. . .5... ...... ... .. .. ... ... ... .11...... ... .4 3.................. . ... .. .......................... 5... .. .... .....1 5........ .. ...... ... ...... . ..... . .... .. ....... . 5.......... ...... .... Regulador Seguranqa plataformas redutor coletiva etapumes de pressso %3.. . .... . ... ... .. .... .... . . ............... .. ... .. . ..... . . .... . . . . . . . .. . ......32 na obra.. .. .. .. ... . . .. .. ..... .... . . .... ........ ...... ...... ..31 .. 3. ...2 Formas.. metalicar.. . ...... . . . ... Queima de cal......... ... ..... ..... ....... .... .... ...... ........ .... ..... .....4 corn madeira... ... ..... .. ... ...5. . ... .. . .. 5.... ..... . . .. .. ..... ... . ... .... ... ...... ... . ... .... .. .. . .. . . ...... .. ..... Mangueira.. .. .. Rampas...... ......1 Generalidades... .. .....15 5.......... ....... . . . .. .. .... ..... 111 3. . ....... .... ... ... .. .. ... .. .. ............ .. e hidraulicas provis6rias.. ......... . ... ... . provisorias.... ..23... .. . .. ....3. . . ...... 4...... ... ...23... .. ...14 5. ..... .. ..... .. . ... ......... ........ .... . . .... .. . .. ........ ...30 Kampa ...21 de retengaa. .. . ... . ... ........... ......... . ... ......28 indicada ......... . fixa.... Medidas Montagem Opera@es Parede de protesao de estruturas de torte contra inc&dio.. .. .. metalicas individuais ... ...25 3. ...... .. ... . ........ ..... Pranchada Pressso Protens% ........... .. . . .... .10 .... ... ... .. ..... .. ......11....... .........21 5.. ........ .. ... ...... ..... ... . ..... ... .......20 3.. ..... ...... . ....16 5.. ..._.... .. . .. . ... 3... ... ...... ..... .... ........ ....23 3.... ... .... ..3.. ... .........17 3.....20 de cabos ....... .. ... .. ...... Guinchos lnstala@es Levantamento Limpeza eelevadores eletricas provis~rior...... .. ...... .. .... ......19 5.. ......3 5..... .. 3.............. ..... ....... .. ...... ... ...... .. Passagens. ....... .... ...... Guarda-corpo.. ..5 soldados... .. . ..... .. ..2 .. . ... . .. .... . .... . .. ........ . ....... .... use de......... . . .....2 5..11 passagens Aberturas Escadas Escadas .. . .. .................. ... . ......... . ... . ........ .. .........1 4. .. . . ...... . 5. ... ... .. ..... .... ... ..

.... ...... .......3 5........ ........6 Trabalhos sobre a igua....... . .... .... ........Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A C6pia impressa pelo Sistema CENWIN Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb ...... ....... ...........3 de propriedades 4................ .. .. ..33 5. ...... ........... . ..... .. .... ... . de sustenta~ao...........5.. ..... ... sob ar comprimido... m<dica ..... .. .... NBR 767011983 ~eguran~a ~eguran~a seguranga SeguranGa seguran~a Superficie Trabalhos da pr6pria de mzquinas constru~ao. .... ..... . .......5 Medidores e v~lvulas SinalizaGao e prote$o dos equipamentos.... .5... Assist&cia Compressao Equipamentos Generalidades....... ... 5.... 5. .. ........... ....5...... . . .... .......... .... . ........... . ......... 5.....5.... ... ....7 . ... .. ... ... .. .......2 5.... .. . ...... . ... ... ........... 4..... . ..... . . ... 5.... ..... . . ... .... .... . . ............ . .... ....4 5...1 3......5 4.... . .. ..... .. . ... . ....... e descompressao. ........... . . .... . ........ ..... ..............4 4.................. . .. . individual... .. e equipamentos vizinhas na obra.... ... .. ............. ..5.. ... . ................ de compressao. ...1 .. e servi$os ptiblicos. .. ..6 4. ........... ....... ...5..... ... ..112. ...... ............ ... . ...... ...5 de terceiros.. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful