MATRIZ DO CASE

Título da atividade: A influência dos negros na cultura Afro-Brasileira Aluno: Luciene Fernandes Matos Curso: Cultura Afro-Brasileira Introdução A cultura afro-brasileira é o resultado do desenvolvimento da cultura africana no Brasil, trazida pelos escravos africanos, incluindo as contribuições, influências recebidas de suas culturas que se manifestaram em diversas expressões como língua, religião, culinária, música e dança. Os afrodescendentes sempre foram negados pela representação, dominante, da história do Brasil, mas vale dizer que a influência que deixaram desde a época da escravaturza existe até os dias atuais e pelo visto jamais finalizará. Falar um pouco sobre essas influências é o objetivo deste artigo. Justificativa Escrever sobre a influência dos negros na cultura afro-brasileira é devido aos traços fortes da cultura africana que podem ser encontrados hoje em variados aspectos da cultura brasileira, como a música e dança, a religião, a culinária, a linguagem e as festividades populares, portanto, escrever um pouco sobre cada aspecto destes citados anteriormente serve para confirmar a influência negra exercida na cultura brasileira.

Desenvolvimento A contribuição do negro para a cultura brasileira vai além da povoação, pois vindos de diversas partes da África, os negros escravos trouxeram suas culturas e transformaram não apenas a sua religião, mas todas as suas raízes em uma cultura de forte resistência social. A influência negro-africana além de muito profunda é ampla e nem sempre percebida, de tão enraizada que esta no nosso dia-a-dia. Várias são as contribuições que os negros nos deixaram: na linguagem, na religião, na música e dança e na culinária. A contribuição na linguagem se deu desde o início visto que os negros africanos que vinham escravizados eram de diversos lugares, e não falavam a mesma língua, portanto, na ausência de uma língua em comum, os mesmos foram obrigados a criar uma em comum para que pudessem se comunicar uns com os outros. A influência africana no português brasileiro, veio da língua iorubá, falada pelos negros vindos da Nigéria e atualmente notada principalmente na culinária e na religião. A contribuição na religião, também chamada de afro-brasileira, surgiu na época da colonização do Brasil com a chegada dos escravos. Os cultos afro-brasileiros vêm da prática religiosa das tribos africanas, por isso cada culto tem sua forma particular de se referir a Deus e se expressar inclusive através de símbolos, contar sua história, promover seus cultos e celebrar seus rituais. Os europeus naquela época, na tentativa de catequizar os escravos negros, promoveram uma mistura que resultou nas religiões afro-brasileiras, tais como a Umbanda e o Candomblé. Atualmente existem na Bahia/Brasil poucas casas de candomblé puro, porém o candomblé de caboclo,

fazem parte da culinária brasileira. que é o culto afro-brasileiro mais difundido no Rio de Janeiro. que são originalmente usados como comidas de santos (comidas que são oferecidas às divindades religiosas cultuadas pelos negros). podemos citar o aracajé. quibebe. música e dança. acrescentando novos temperos. os aspectos da cultura brasileira de origem africana passaram por um processo de revalorização a partir do século XX que continua até os dias de hoje e se eternizará. novos ingredientes e assim novos hábitos culinários. luta e música o qual se pode citar a capoeira que surgiu com os negros que a utilizavam como arma de defesa. se prestarmos atenção. maracatu. uso de panelas de barro e colheres de pau. o angu. agogô. além de terem trazidos alguns instrumentos musicais tais como: berimbau. . instrumentos musicais. samba. pimentas. no Rio de Janeiro. Estudiosos dessas religiões estimam que no mínimo um terço da população brasileira freqüenta um centro. e por este motivo adotam diferentes formas. pagode. Percebemos que a influência africana aumenta e faz parte do nosso dia-a-dia cada vez mais. farofa. Em relação às contribuições na música e na dança. a pamonha. culinária. Sobre a contribuição culinária. Atualmente. especialmente em São Paulo. dança e luta para enganarem os senhores de engenho. Desta forma foram surgindo o cuscuz. A fé nos deuses – orixás – acabou se misturando à fé nos santos católicos o que gerou o jeito brasileiro de se praticar a religião. Para não deixar sua crença de lado.. Ainda que tradicionalmente desvalorizados na época da colonização e no século XIX. os negros deram ritmos à música brasileira. inferiorizado e discriminado. atabaque dentre outros instrumentos de percussão. tais como samba. Desta forma os deuses estariam preservados da imposição da igreja católica e os negros não deixavam de cultuar sua religião. chorinho.. mas devido sua inteligência. e em alguns casos lhe deram nomes. seus gostos. em todos os estados do Brasil existe algo marcante que provém dos escravos. Conclusão O escravo negro sempre fora desumanizado. tanto assíduos quanto esporádicos (que muitas vezes tem ligação em outra religião). Naquela época foram privados a viverem sem cultuar sua religião. a feijoada (sobras de carnes das refeições dos senhores de engenho). vatapá. na Bahia e no Rio Grande do Sul. O melhor de tudo é que os escravos misturavam instrumentos musicais. mungunzá dentre outros pratos.que é outra variante do candomblé. seja a religião. seus anseios por serem escravizados. Atualmente. ritmo musical ou arte. que por sua vez acreditavam que eles estavam apenas dançando. manifestaram de maneira inteligente uma forma de não deixarem morrer todos esses quesitos e aos poucos foram sendo introduzidos na cultura brasileira. Havia também mistura de dança. Aos poucos as religiões afro-brasileiras foram se espalhando nos estados brasileiros. rituais e principalmente cultos. tornou-se a raiz da umbanda. os negros africanos buscaram alternativas que pudessem preservar seus deuses. Em alguns ritmos musicais a raiz negra está: afoxé. Surgiu como alternativa o sincretismo através de imagens simbólicas como forma de defesa dos negros africanos. culinária. Naquela época as escravas negras africanas que trabalhavam para cozinhar para seus senhores de engenho introduziram novas técnicas de preparo de comidas. As religiões afro-brasileiras têm atualmente forte penetração no Brasil. uso do azeite de dendê. cuíca.

com.html http://www.net/religiao_religioes_afrobrasileiras.sapo.wikipedia.abril. 1993.no.shtml http://projetoculturaafro.com.blogspot. 2008.girasdeumbanda.com/educacaoesportes/historia_da_capoeira. Folha de São Paulo.%20portugues.grupouninter. African gods in the candomblé of Bahia.org/wiki/Cultura_afro-brasileira. http://pt.terrabrasileira._entrevista_com_a_pro fa.pdf http://www.htm http://super.suapesquisa. Marcelo.com/dmdocuments/Artigos/Historia%20Agora %20n11/ha11_entrevista1_debatendo_o_candombl_e_a_cultura_afrobrasileira.com.html http://www.php/tel/article/viewArticle/2629 http://revista.portalbrasil. O Terreiro da Contradição.portalafro.php?edicao_id=60&menu_id=27&id=337 www. Salvador: Bigraf.de/Seite%203.asp http://www.br/candomble.pt/origem.htm http://www.com/samba/ www.suapesquisa._dra.historiagora. http://www. 2ªedição. Os Deuses africanos no candomblé da Bahia. CARYBE.uepg.html http://www.htm http://arodacapoeira.com.net/folclore/regioes/5ritmos/maracatu.br .com/2011/02/candomble-afinal-o-que-e.revistas2.br/index.br/religiao/candomble-brasil-orixas-tradicoes-festas-costumes-441075.br/index.%20historia%20maracatu.maracatu-nacao-colonia.Referências bibliográficas BERABA._magali_da_silva_almeida.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful