UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR LITORAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

DJANETE SALES DA SILVA

PRÉ - PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO VIOLÊNCIA E ABANDONO CONTRA O IDOSO

2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR LITORAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL DJANETE SALES DA SILVA PRÉ . ORIENTADOR: AFONSO TAKAO MURATA MATINHOS 2010 .PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO VIOLÊNCIA E ABANDONO CONTRA O IDOSO PRÉ-PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁSETOR LITORAL.

................................ REFERÊNCIAL TEÓRICO...2....... REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. OBJETIVO GERAL................4................................................ 5......... JUSTIFICATIVA...1............................................................................................... QUESTÃO DE PESQUISA................2........................... 4..................... 8............................ METODOLOGIA...................................... 7........................................................ OBJETIVOS........... 10. MATINHOS 2010 .........................................3..........................................................................................3 SUMARIO 1......................................................1...............................3..................... 5...........5..... 9............ 4.......................................................................... 4........................................................................................................... APRESENTAÇÃO ................................................................................ 4.......... 5................................................ 3...............................1....................................................5........................................................4. 4... 2......................................................................................... 5...................................................... REFERÊNCIA............................................................................ OBJETO/PROBLEMA DE ESTUDO .............. CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................................................................................................................................................... 5...... 6.

no meu estágio interventivo realizado numa das Unidades do Centro de Referência em Assistência Social CRAS. queremos refletir sobre o idoso dentro da família em situação de dependência e as políticas sociais que pouco fazem para minimizar o problema. Este trabalho que está em fase de construção para a elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).APRESENTAÇÃO O presente projeto tem por finalidade atender a exigência da disciplina de Orientação de Trabalho de Conclusão de Curso. estaremos elencando elementos para construção de uma visão crítica da problemática social do idoso na sociedade. pobreza e sem proteção. para que possamos remontar uma situação existente e que necessita de novos caminhos de proteção. vivenciei inúmeras vezes o abandono. na cidade de Paranaguá/PR. a construção do projeto irá abranger diversas áreas da sociedade civil de Paranaguá como: Instituições asilares. MATINHOS 2010 . Através deste projeto de pesquisa. Assim. Conselhos Municipais e demais organizações que possam embasar de forma contributiva. A escolha do tema não foi ao acaso. do 7º período do curso de Graduação em Serviço Social da Universidade Federal do Paraná -Setor Litoral. Foi nesse contexto que surgiu a idéia do tema “Violência e Abandono Contra os Idosos”. a violência e o desrespeito aos idosos.4 1. visto que. possibilitando ampliar de forma reflexiva a nossa visão de sociedade. devido à grande demanda de idosos atendidos pelo CRAS no município de Paranaguá. deixando a família e o idoso em situação de vulnerabilidade. e que seria necessária uma intervenção de pesquisa para conhecermos melhor a dinâmica dos idosos e seus familiares atendidos nesta Instituição. está passando pelo processo de reconhecimento da realidade. onde.

de informações coletadas junto aos próprios idosos. pois o cidadão tem que conhecer seus direitos para poder lutar por eles. asilos e no próprio Conselho Municipal do Idoso. assim como. A abordagem quantitativa esta sendo feita a partir de levantamento dos dados de atendimento do Conselho do idoso . das assistentes sociais e das autoridades responsável. instituições. para assim obter dados para construir o projeto. As informações coletadas correspondem ao atendimento realizado nestes locais. recorrendo assim até o CRAS para fazerem as denuncias. Para a coleta de informações junto aos idosos da cidade está sendo elaborado um questionário com varias questões fechadas e abertas. O projeto pretende com isso levar para a sociedade informações de como e onde buscar ajuda para o idoso em questão. sua relação social com a família. Sendo assim procurei me aprofundar em pesquisas quantitativas e qualitativas através de leituras e entrevistas com autoridades. O Estatuto do Idoso tem como finalidade assegurar os direitos de todos os cidadãos com idade igual o superior ou há 60 anos. pude constatar que diversas pessoas não sabiam onde fazer as denúncias e muito menos o número do telefone da instituição responsável pelo atendimento. Nele.5 Também estaremos abordando o Serviço Social e as Políticas Sociais Públicas que envolvem os idosos.JUSTIFICATIVA Vendo os diversos causos de violência e abandono contra os idosos que eram levados até o Centro de Referência de Assistencia Social – CRAS . 2. tais como Defensoria Pública e a Delegacia Civil. Um ponto muito importante do Estatuto é a MATINHOS 2010 . segurança e violência dentro e fora de casa e à qualidade de vida. as leis que estão postas na defesa dos idosos. constatara perguntas relacionadas à vida social e econômica do idoso. Políticas no atendimento preferencial no Sistema Único de Saúde (SUS) e transporte gratuito em veículos coletivos são algumas das medidas que entraram em vigor em função do Estatuto.

Qual é o perfil sócio-econômico das famílias dos idosos atendidos no CRAS de Paranaguá? 4.OBJETIVOS MATINHOS 2010 . (ALMEIDA. pois. no tocante ao respeito e à luta pela dignidade das pessoas com idade mais avançada em nosso país”. fornecendo meios de controle do Poder Público em relação ao melhor tratamento do idoso e verdadeira educação cidadã.2. e os principais responsáveis são as próprias famílias dos idosos. Como os idosos enfrentam a situação de violência na família? 4.4.Objeto/Problema de Estudo De que forma a violência e o abandono contra o idoso está refletido na cidade de Paranaguá? 4.5.1.6 questão da negligência. mas não é isso o que acontece. Como é a atual política de atendimento e amparo aos idosos no Brasil? 4. várias denúncias chegam diariamente no Conselho do Idoso. Dayse. O artigo 4º diz que nenhum idoso pode sofrer qualquer tipo de negligência. 2003) 3. Como se dá as relações do idoso dependente e sua família? 5.Questões de Pesquisa 4. “A função principal do Estatuto do Idoso é funcionar como carta de direitos.

6. MATINHOS 2010 . Identificar os processos de mudanças familiares que levaram a negligenciar os idosos 5.7 5.1. Caracterizar o perfil sócio-econômico das famílias e dos idosos em situação de violência e abandono 5. OBJETIVO GERAL Analisar os processos de mudanças ocorridas nas famílias dos idosos abandonados e em situação de violência na cidade de Paranaguá.2. serão coletados dados nos asilos.5. mostrando assim o fato de que esse problema existe sim e está escondido dentro das instituições asilares e principalmente dentro de nossos próprios lares.5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS 5.4. Este projeto tem a finalidade de pesquisar essa problemática que é a violência e o Abandono contra o idoso. Conhecer os programas e serviços institucionais e assistências voltadas no município de Paranaguá.METODOLOGIA A pesquisa será através de entrevistas com coleta de dados quantitativa e qualitativa para a problematização desse tema. 5. como delegado e com alguns assistentes sociais. na Defensoria pública junto ao promotor e com outras autoridades locais.2.3.5.2. para entender como as famílias estão enfrentando o processo do envelhecimento e da dependência. Identificar como a política pública aborda a questão da violência contra o idoso.1. 5.

como a igualdade. por seus conjugues. pois. vontade. A violência nega valores universais dos seres humanos. consegue reduzir o valor da vida humana. É o rir de sua demência e aproveitar-se dela. sempre feita por alguém mais jovem e mais forte. ela é praticada por sujeitos sociais livres que podem decidir por não praticála. liberdade e responsabilidade. é o pai que é alojado no último cômodo da casa. Ela se opõe à ética pois trata seres racionais como se fossem coisas. a justiça e a liberdade. As formas mais elementares: é a vizinha que se apodera da pensão da mãe. existe em nossa sociedade. é transgressão contra as coisas que alguém acha justas e direitas. MATINHOS 2010 . pelo medo e pelo terror. com mecanismos de persuasão e coação física e psicológica do idoso. intimidação. É o banho que não foi dado. caracteriza relações intersubjetivas e sociais definidas pela opressão. acontece na casa ao lado. A fralda que não foi trocada. ir contra sua vontade. e se constitui em violação absoluta dos direitos humanos (15). É a agressão física simplesmente. É o abuso sexual das velhas acamadas. A violência contra o idoso é uma atitude vergonhosa e desumana.REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Na definição de Marilena Chauí (19) a palavra violência significa usar a força para ir contra a natureza de algum ser. na casa de nossos amigos e pasmem em nossos próprios lares.8 7. A uma urgência em se tornar visível a violência contra o idoso para que ela seja reconhecida nos atos cotidianos da sociedade e reprovada como atitude a-ética. É o ostracismo do asilo. é a falta de cuidado com a administração da medicação. violência é violação. é o neto que destrata o avô com ameaças. ela é real. desprovidos de razão. É a divisão de bens antes da morte.

A partir do momento em que não se restringem as denúncias apenas aos órgãos específicos. por exemplo. caracterizada como uma mudança nos valores e na estrutura familiar. no entanto. primordiais para o estabelecimento de condutas. a violência e o desrespeito aos idosos. a participação de todos os níveis governamentais na elaboração de planos e políticas nacionais é fundamental para prevenção da violência. que se tenha consciência da dificuldade dos idosos quando precisam tomar a atitude de denunciar os maus-tratos que sofrem. A violência impõe obstáculos ao envelhecimento seguro e digno. Os casos mais denunciados foram os maus-tratos. urgente à mobilização social para este fim. sendo. tendo como destaque a negligência. nos domicílios e nas ruas. Pude ver a inquestionável importância dos serviços voltados para o atendimento aos idosos. É muito importante. com uma diminuição do vínculo entre as gerações de uma família. As poucas Instituições existentes no Município são pouco conhecidas pela população que ao tentar muitas vezes denunciar algum causo de violência ou abandono contra um idoso mal sabe aonde ir. Uma melhor formação dos profissionais da área da saúde. facilitaria bastante à identificação de maus-tratos nas instituições de saúde. É preciso. resultando em privação material e emocional para o idoso. que haja melhor qualificação dos profissionais que lidam diretamente com os idosos para que o cuidado e a proteção de pessoas pertencentes a essa faixa etária sejam realmente eficazes. evita-se a subnotificação dos casos. então. o que favorece maior fidedignidade aos dados epidemiológicos. vivenciei inúmeras vezes o abandono. haja vista que o número de órgãos e instituições voltados para esse problema se encontra ainda reduzido.9 CONSIDERAÇÕES FINAIS Na cidade de Paranaguá. MATINHOS 2010 . Assim. ao estabelecerem importantes parcerias entre os setores e assegurarem a devida alocação de recursos. assim.

por intermédio dos dados desta e das demais pesquisas. é importante que mais campanhas publicitárias sejam desenvolvidas focalizando essa temática. Na ausência do cônjuge um filho assume este papel ou então uma pessoa próxima da família. viabilizam-se o planejamento de estratégias e a implementação de MATINHOS 2010 . observou-se a exposição da violência contra idosos na mídia. 2006). 2007). com vistas a sensibilizar a sociedade quanto ao envelhecimento da população e aos cuidados de que os idosos precisam (SOUZA et al. Essa forma de pensamento a respeito de nossos idosos faz com que aumente cada vez mais as agressões contra eles. outros não conseguem se aproximar da delegacia. ele considerado um velho chato. pois. ressalta-se a necessidade de mais pesquisas e divulgação a respeito desse tema. apesar de afirmarem conhecer. Por fim. na verdade. Entre as intervenções que favorecem maior conscientização e sensibilização da sociedade. o cônjuge freqüentemente assume o papel do cuidador primário. Se ocorrerem necessidades de dependência.10 Muitos. devem ser realizadas dentro do contexto da família. doente. não têm. e muitos padecem do medo de denunciar aqueles que os cuidam. Sob determinadas circunstâncias de alto risco. com o conseqüente aumento do número de denúncias. Dessa forma crianças e adolescentes vão aprendendo a ter comportamentos agressivos. as tensões nas relações entre gerações podem resultar no abuso do idoso (SMELTZER & BARE. Por isso é importante um envelhecimento ativo e participativo em que toda família esteja envolvida nas atividades diárias e vendo que o idoso não é um estorvo e sim alguém que faz parte da família. Dessa forma. O idoso tem a sua imagem destorcida dentro da sociedade. O planejamento para os cuidados e a compreensão das questões psicossociais que a pessoa idosa enfrenta. passivo e incapacitado. a consciência da abrangência de seus diretos.

sendo definida como a recusa ou a falha no cumprimento de qualquer parte das obrigações ou responsabilidade por parte da pessoa que cuida dos idosos (GUIMARÃES E CUNHA.(2006).11 políticas. em ambos os sexos. financeiro e a negligência. Lei 10. gravidade e. Como prevê o Estatuto do Idoso. especialmente do contexto cultural onde ocorra (GUIMARÃES E CUNHA. REFERÊNCIAL TEÓRICO O Idoso precisa e deve ser respeitado. todas as formas de aumentar o respeito. A violência. psicológico. 2004). passou a ser mandatória pelos MATINHOS 2010 . Todas as formas de violência precisam ser enfrentadas. Os tipos mais comuns de violência são os o abuso físico. o abuso ou negligente ocorre em qualquer tipo de classe social. ressaltar que após a promulgação do Estatuto do Idoso. em todos os níveis educacionais e em qualquer etapa do desenvolvimento familiar e pode caracterizar – se a depender da freqüência. Minayo considera que o maior antídoto contra a violência é a ampliação da inclusão na cidadania. duração. precisamos acabar com a violência causada contra o idoso. Está pode ser ativa ou passiva.2003). 2004). intencional ou não. cuidado e qualidade de vida precisam considerar a participação dos idosos. intensidade. O abuso contra a pessoa idosa é uma construção multidimensional que pode ser usada em todo o tipo de conduta abusiva em relação ao idoso. grupo social que desponta como ator fundamental na trama das organizações social do século XXI. as quais devem visar á prevenção dos maus-tratos e da violência contra as pessoas idosas. ou referirse a uma ação específica. todas as políticas públicas voltadas para sua proteção. grupo racial.741 em 1/10/2003 (Brasil. Freitas et al.

No Brasil. No primeiro caso. sócio-antropológicos e epidemiológicos. MATINHOS 2010 . 2003). As violências contra pessoas mais velhas precisam ser vistas sob. dobrou-se o nível de esperança de vida ao nascer em relativamente poucas décadas. em uma velocidade muito maior que os países europeus que levaram cerca de 140 anos para envelhecer (MINAYO. por exemplo. deve-se situar o recente interesse sobre o tema. pelo menos. vinculado ao acelerado crescimento nas proporções de idosos em quase todos os países do mundo. Esse fenômeno quantitativo repercute nas formas de visibilidade social desse grupo etário e na expressão de suas necessidades. três parâmetros: demográficos.12 profissionais de saúde a comunicação à autoridade competente de qualquer suspeição ou confirmação de maus-tratos que tiverem sido testemunhadas (artigo 19) com conseqüências judiciais e administrativas em caso de o profissional de saúde responsável por estabelecimento de saúde ou instituição de longa permanência deixar de comunicar à autoridade competente os casos de crime contra idosos de que tiver conhecimento (artigo 57).

Violência Contra Idosos: do invisível ao Visível.19 n. ____________________ Organização Mundial de Saúde . MATINHOS 2010 . Saúde Pública v. www.html#ixzz17F68lwR2 _________________________ ALMEIDA. Velhice. ano 8. Cad. 1 nov. 2005. Maria Cecília de Souza. 120. Cartilha da Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Teresina. Estatuto do Idoso: real proteção aos direitos da melhor idade?.webartigos.3 Rio de Janeiro jun.Relatório mundial sobre violência e saúde. Violência contra idosos: o avesso do respeito à experiência e à sabedoria.com/articles/16013/1/VIOLENCIA-CONTRA-O-IDOSO-UM-MALQUE-CRESCE-A-CADA-DIA-NA-SOCIEDADE/pagina1. 2003. Jus Navigandi. 2ª edição.13 REFERÊNCIA Berzins MAVS. ____________________ Minayo.Genebra. 2005. Violência contra idosos: relevância para um velho problema. envelhecimento e complexidade. ____________________ MINAYO. MC. 2003. São Paulo: Vetor Editora. n. Watanabe HAW. 2002. Dayse Coelho de.