1

AULA 1 – ARITMÉTICA

Múltiplo e divisor de um número

Sendo x e y números inteiros,
dizemos que x é múltiplo de y se existir
um número inteiro k tal que x y.k = .
Quando x é múltiplo de y, dizemos
também que y é divisor de x. Por
exemplo, os múltiplos de 3 pertencem
ao conjunto ( ) { } M 3 0, 3, 6, 9, ... = ± ± ± .

Critérios de divisibilidade

Se um número inteiro x é
múltiplo de outro número inteiro y,
dizemos também que x é divisível por
y. Existem regras para se saber que
um número é divisível por outro. As
principais regras são:
Divisibilidade por 2: Um número é
divisível por 2 se o algarismo das
unidades for 0 (zero), 2, 4, 6 ou 8. Todo
número divisível por 2 é denominado
par.
Divisibilidade por 3 (ou por 9): Um
número é divisível por 3 (ou por 9) se a
soma dos seus algarismos for um
número divisível por 3 (ou por 9).
Divisibilidade por 4: Um número é
divisível por 4 se o número formado
pelos algarismos das unidades e das
dezenas for divisível por 4.
Divisibilidade por 5: Um número é
divisível por 5 se o algarismo das
unidades for 0 (zero) ou 5.
Divisibilidade por 6: Um número é
divisível por 6 se for divisível
simultaneamente por 2 e por 3.
Divisibilidade por 10: Um número é
divisível por 10 se o algarismo das
unidades for 0 (zero).

Números primos

Um número N é denominado
primo se seus únicos divisores forem 1,
–1, N e –N. Observe alguns números
primos positivos:
2, 3, 5, 7, 11, 13, 17, 19, 23, 29, 31, 37,
41, 43, 47, 53, 59, 61, 67, 71, 73, 79,
83, 89, 97, ...
Um número que não é primo é
denominado composto. As exceções
são os números 0, 1 e –1, que não são
primos nem compostos.


2
Decomposição em fatores primos

Um número composto pode ser
decomposto em fatores primos. Para
isso, utilizamos as divisões sucessivas
por meio dos critérios de divisibilidade.
Exemplo: Decomponha o número 60
em fatores primos.
60 2
30 2
15 3
5 5
1
Assim, 60 = 2
2
.3.5

Divisores e quantidade de divisores
de um número

Por meio da decomposição em
fatores primos, podemos determinar os
divisores e também a quantidade de
divisores de um número inteiro. Como
exemplo, observe o número 60.
1
60 2 2
30 2 4
15 3 3, 6, 12
5 5 5, 10, 20, 15, 30, 60
1 Divisores positivos de 60

Assim, os divisores do número 60 são
±1, ±2, ±3, ±4, ±5, ±6, ±10, ±12, ±15,
±20, ±30, ±60.

Para determinarmos a quantidade de
divisores do número 60 não é
necessário escrever todos eles. Basta
observar que todo divisor de 60 é um
número da forma 2
a
.3
b
.5
c
, onde
ae{0, 1, 2}, be{0, 1} e ce{0, 1}. Assim,
temos 3 possibilidades para o número
a, 2 para o número b e 2 para o
número c, perfazendo 3.2.2 = 12
divisores positivos e 24 divisores
(positivos ou negativos).

Números primos entre si

Dois números são denominados
primos entre si se os únicos divisores
comuns forem 1 e –1. Por exemplo, os
números 15 e 16 são primos entre si,
pois os divisores de 15 são ±1, ±3, ±5,
±15, enquanto que os divisores de 16
são ±1, ±2, ±4, ±8, ±16.

Máximo divisor comum (MDC)

O maior número que é divisor
simultaneamente de dois ou mais
números é denominado máximo divisor
comum. Existem várias maneiras de se
determinar o MDC de dois ou mais
números. Uma delas consiste em se
decompor cada um dos números em
seus fatores primos e em seguida
comparar os expoentes de cada fator,
tomando-se os menores. O produto
dos fatores primos com os menores
expoentes será o MDC.



3
Exemplo: Determine o máximo divisor
comum dos números 36 e 24.
Inicialmente observe que:
36 = 2
2
.3
2

24 = 2
3
.3
O máximo divisor comum dos números
36 e 24, representado por mdc{36, 24}
é igual a 2
2
.3 = 12.

Mínimo múltiplo comum (MMC)

O menor número positivo que é
múltiplo simultaneamente de dois ou
mais números é denominado mínimo
múltiplo comum. Para determinar o
MMC, podemos decompor cada um
dos números em seus fatores primos e
em seguida comparar os expoentes de
cada fator, tomando-se os maiores. O
produto dos fatores primos com os
maiores expoentes será o MMC.

Exemplo: Determine o mínimo múltiplo
comum dos números 36 e 24.
Inicialmente observe que:
36 = 2
2
.3
2

24 = 2
3
.3
O mínimo múltiplo comum dos números
36 e 24, representado por mmc{36, 24}
é igual a 2
3
.3
2
= 72.

Existe um método prático para
se determinar o MDC e o MMC. Após
decompor simultaneamente os dois (ou
mais) números, multiplicam-se todos os
fatores primos para se obter o MMC e
os fatores primos que são divisores
comuns para se obter o MDC.

Exemplo: Determine o mínimo múltiplo
comum e o máximo divisor comum dos
números 36 e 24.
36, 24 2 (comum)
18, 12 2 (comum)
9, 6 2
9, 3 3 (comum)
3, 1 3
1, 1

mmc{36, 24} = 2
3
.3
2
= 72
mdc{36, 24} = 2
2
.3 = 12

Observação: Como o mínimo múltiplo
comum é obtido multiplicando-se os
fatores primos com os maiores
expoentes e o máximo divisor comum
é obtido multiplicando-se os fatores
primos com os menores expoentes,
então podemos escrever a seguinte
relação:
mmc{a, b}.mdc{a, b} = a.b

Exercícios em aula:

1) Considere os números: 15, 32, 213,
396, 565, 1219, 2149, 4000, 6378,
9165.
a) Quais são divisíveis por 2?


b) Quais são divisíveis por 3?



4
c) Quais são divisíveis por 4?


d) Quais são divisíveis por 6?



2) Qual a quantidade total de divisores
do número 360?





3) Qual o máximo divisor comum e o
mínimo múltiplo comum dos números
80 e 120?





4) (UTFPR) Dois ciclistas, A e B,
partem simultaneamente, numa pista
circular, em sentidos contrários. O
ciclista A dá 4 voltas em 840 segundos
e o ciclista B dá 6 voltas em 1170
segundos. O número de voltas que os
ciclistas A e B devem dar para se
encontrarem pela primeira vez no ponto
de partida é, respectivamente:
a) 65 e 70 b) 39 e 28 c) 35 e 48
d) 13 e 14 e) 19 e 17




5) (UEL – PR) Para levar os alunos de
certa escola a um museu, pretende-se
formar grupos que tenham iguais
quantidades de alunos e de modo que
em cada grupo todos sejam do mesmo
sexo. Se nessa escola estudam 1350
rapazes e 1224 garotas e cada grupo
deverá ser acompanhado de um único
professor, o número mínimo de
professores necessários para
acompanhar todos os grupos nessa
visita é:
a) 18 b) 68 c) 75
d) 126 e) 143






Exercícios propostos:

1. O mínimo múltiplo comum dos
números 12, 15 e 18 é:
a) 36 b) 72 c) 90 d) 120 e) 180




2. O máximo divisor comum dos
números 36, 48 e 72 é:
a) 2 b) 4 c) 12 d) 18 e) 24






5
3. A quantidade de divisores positivos
do número 1350 é igual a:
a) 8 b) 12 c) 16 d) 24 e) 48




4. O mmc{A, B}, sendo A = 2
3
.3
2
.5 e
B = 2.3
2
.5
2
é igual a:
a) 2
3
.3
2
.5
2
b) 2.3
2
.5 c) 2
3
.3
2
.5
d) 2.3
2
.5
2
e) 2
4
.3
4
.5
3





5. Subtraindo-se uma unidade do
quadrado do número 12, obtemos um
número:
a) primo b) divisível por 2
c) divisível por 3 d) divisível por 7
e) divisível por 13



6. (FCC – SP) Considere o número de
9 algarismos, dos quais o algarismo
das unidades é n e todos os demais
são iguais a 2. (Isto é: o número
22222222n). O valor de n a fim de que
este número seja divisível por 6 é:
a) 2 ou 8 b) 2 ou 7 c) 0 ou 6
d) 3 ou 9 e) 4




7. Se o número total de divisores do
número N = 2
3
.3
2
.5
x
é 72, o valor de x
é:
a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5




8. (UNIFESP – SP) O número de
inteiros positivos que são divisores do
número N = 21
4
x 35
3
, inclusive 1 e N,
é:
a) 84 b) 86 c) 140 d) 160 e) 162





9. (UTFPR) Três vendedores
encontraram-se num certo dia na
cidade de Medianeira – PR e jantaram
juntos. O primeiro vendedor visita esta
cidade a cada 6 dias, o segundo a cada
8 dias e o terceiro a cada 5 dias. Estes
três vendedores marcaram de jantar
juntos novamente no próximo encontro.
Este deverá acontecer após:
a) 480 dias b) 120 dias c) 48 dias
d) 80 dias e) 60 dias








6
10. (UNESP – SP) Uma faixa
retangular de tecido deverá ser
totalmente recortada em quadrados,
todos do mesmo tamanho e sem deixar
sobras. Esses quadrados deverão ter o
maior tamanho (área) possível. Se as
dimensões da faixa são 105 cm de
largura por 700 cm de comprimento, o
perímetro de cada quadrado, em
centímetros, será:
a) 28 b) 60 c) 100
d) 140 e) 280






11. (UEL – PR) Em 1982 ocorreu uma
conjunção entre os planetas Júpiter e
Saturno, o que significa que podiam ser
vistos bem próximos um do outro
quando avistados da Terra. Se Júpiter
e Saturno dão uma volta completa ao
redor do Sol aproximadamente a cada
12 e 30 anos, respectivamente, em
qual dos anos seguintes estiveram em
conjunção no céu da Terra?
a) 1840 b)1852 c) 1864
d) 1922 e) 1960






12. (UEM – PR) Para distribuir 105
litros de álcool, 120 litros de azeite e 75
litros de água em barris de mesma
capacidade, de modo que a quantidade
de barris seja a menor possível, a
capacidade de cada barril, em litros,
deve ser de:
a) 25 b) 15 c) 18 d) 12 e) 9




DESAFIO

(FUVEST – SP) Os números inteiros
positivos são dispostos em quadrados
da seguinte maneira:
1 2 3 10 11 12 19 . .
4 5 6 13 14 15 . . .
7 8 9 16 17 18 . . .

O número 500 se encontra em um
desses quadrados. A linha e a coluna
em que o número 500 se encontra são,
respectivamente:
a) 2 e 2 b) 3 e 3 c) 2 e 3
d) 3 e 2 e) 3 e 1




GABARITO:
1. e 2. c 3. d 4. a
5. e 6. a 7. b 8. d
9. b 10. d 11. d 12. b
DESAFIO: a


7
AULA 2 – EXPRESSÕES NUMÉRICAS

Toda sequência de operações
com números reais é denominada
expressão numérica. Para resolver
uma expressão numérica, seguimos
uma ordem tanto dos símbolos quanto
das operações.
Os símbolos são eliminados na
seguinte ordem:
● parênteses
● colchetes
● chaves
As operações são realizadas na
seguinte ordem:
● potenciação ou radiciação
● multiplicação ou divisão
● adição ou subtração

Exercícios em aula:

1) ( ) { }
28 13 6 4 1 2 1 ( + ÷ ÷ + + ÷ =
¸ ¸






2) | |
2
5 9 20 ( 4) 3 + ÷ ÷ ÷ + =








3) ( ) ( ) ( )
2
16 64 4 2 3 3. 1 6 2 ÷ ÷ ÷ + + ÷ + ÷ =





4)
1 5 2 7 6
1 1 .
4 2 9 3 5
( | | | |
+ ÷ + ÷ ÷ =
| | (
\ . \ . ¸ ¸







5)
2
1 3 49 1
1 .
3 5 64 8
| |
| |
÷ + =
|
|
|
\ .
\ .







6)
1 1
2 1
3 2
1 1
1 2
2 3
+ ÷
+ =
+ ÷











8
Exercícios propostos:

1. A expressão 2 (1 7) 3 169 + ÷ ÷ + é
igual a:
a) 11 b) 13 c) 15 d) 17 e) 19



2. (PUC – SP) O valor da expressão
numérica
1 5 2
.
2 2 5
+ é:
a)
6
5
b)
17
5
c)
3
2
d)
1
2





3. (PUC – SP) O valor da expressão
1 1 4
.
3 10 3
÷ é:
a)
4
21
b)
1
5
c)
14
15
d)
7
30





4. (PUC – RJ) A expressão
1 9 2 1
. 3
2 7 4 6
| | | |
÷ ÷ +
| |
\ . \ .
representa um
número compreendido entre:
a) 2 e 3 b) 3 e 4 c) 4 e 5
d) 5 e 6 e) 1 e 2






5. (CESGRANRIO – RJ) O valor da
expressão
1 1 3 1
1
5 3 5 15
| | | |
+ + ÷ ÷
| |
\ . \ .
é:
a)
9
10
b) 2 c)
15
9
d) 1





6. (FUVEST – SP) O valor da
expressão
a b
1 a.b
+
÷
para
1
a
2
= e
1
b
3
= é:
a) 5 b) 0 c) 3 d) 1





7. (PUC – SP) O valor da expressão
3
10 5 ( 4)
9 ( 2)
(
÷ + ÷ ÷
(
+ ÷
¸ ¸
é:
a) –1 b) –2 c) 2 d) 1





8. (MACK – SP) A expressão
1
1 1 2
2 3 3
÷
| |
+ +
|
\ .
é igual a:
a)
13
15
b)
28
15
c)
1
4
d)
12
5
÷ e) 1





9
9. (FUVEST – SP) O valor da
expressão
2
1 1
1
6 3
1 1 3
6 2 2
| |
÷ ÷
|
\ .
| |
+ +
|
\ .
é:
a)
1
2
b)
3
4
c)
3
5
d)
3
5
÷ e) 1






10. (UFSM – RS) Dados os números
reais
2 1
a
3 2
= + ,
5 1
b
4 2
= ÷ e c = 0,12,
pode-se afirmar que:
a) c b a < < b) a b c < <
c) c a b < < d) b c a < <
e) b a c < <






11. (UPF – RS) O valor da expressão
4 3 6
7
1 1 1
. 2
2 2 2
÷
(
| | | | | |
÷ ÷ ÷ ÷ + (
| | |
\ . \ . \ . (
¸ ¸
, é:
a) –2 b) –1 c) 0 d)
1
2
e) 2





12. (UTFPR) Simplificando
2 3
2 2
2 4
4 8
÷ ÷
÷ ÷
+
+
,
obtém-se:
a)
1
54
b)
1
16
c)
3
8
d)
13
11
e)
17
5





























GABARITO:
1. b 2. c 3. b 4. c
5. b 6. d 7. a 8. b
9. c 10. a 11. c 12. e

10
AULA 3 – EXPRESSÕES ALGÉBRICAS I


Além das operações com
números, estudaremos operações que
podem ser generalizadas. Dentre as
inúmeras generalizações, destacamos
três, denominados produtos notáveis.

Quadrado de uma soma

O quadrado da soma de dois
termos é igual ao quadrado do primeiro
termo, mais o dobro do produto do
primeiro pelo segundo termo, mais o
quadrado do segundo termo.
( ) ( ) ( )
( )
( )
2
2
2
2 2
a b a b . a b
a b a.a a.b b.a b.b
a b a a.b a.b b
+ = + +
+ = + + +
+ = + + +

( )
2
2 2
a b a 2.a.b b + = + +

Quadrado de uma diferença

O quadrado da diferença de
dois termos é igual ao quadrado do
primeiro termo, menos o dobro do
produto do primeiro pelo segundo
termo, mais o quadrado do segundo
termo.
( ) ( ) ( )
( )
( )
2
2
2
2 2
a b a b . a b
a b a.a a.b b.a b.b
a b a a.b a.b b
÷ = ÷ ÷
÷ = ÷ ÷ +
÷ = ÷ ÷ +

( )
2
2 2
a b a 2.a.b b ÷ = ÷ +

Produto da soma pela diferença

O produto da soma pela
diferença de dois termos é igual ao
quadrado do primeiro termo menos o
quadrado do segundo termo.
( )
( )
2 2
a b .(a b) a.a a.b b.a b.b
a b .(a b) a a.b a.b b
+ ÷ = ÷ + ÷
+ ÷ = ÷ + ÷

( ) ( )
2 2
a b . a b a b + ÷ = ÷

Exercícios em aula:

1) Desenvolva os produtos notáveis a
seguir:
a)
2
(x 2) + =

b)
2
(x 3y) ÷ =

c) (2a 3b).(2a 3b) + ÷ =


2) Simplifique a expressão a seguir:
( ) ( ) ( ) ( )
2 2
2 2
E a b a b a b . a b a b = + ÷ ÷ ÷ + ÷ + ÷




3) Sendo
2 2
N 1999 1998 = ÷ , calcule a
soma dos algarismos de N.




11
4) Se x y 14 + = e
2 2
x y 100 + = ,
calcule o valor de x. y .





5) (MACK – SP) Se
1 1
2 2
10
a a
3
÷
+ = ,
então
1
a a
÷
+ vale:
a)
100
9
b)
82
3
c)
82
9

d)
100
82
e)
16
9








Exercícios propostos:

1. O desenvolvimento de ( )
2
3x 2y ÷ é
igual a:
a)
2 2
9x 4y ÷ b)
2 2
3x 12xy 2y ÷ +
c)
2 2
9x 6xy 4y ÷ + d)
2 2
9x 12xy 4y ÷ +
e)
2 2
9x 4y +






2. A expressão ( ) ( )
2 2
x 3 x 3 + + ÷ é
equivalente a:
a) 0 b) 6x c) 12x
d)
2
2x e)
2
2x 18 +





3. (PUC – SP) Simplificando a
expressão ( ) ( )
2 2
2a b a b + ÷ ÷ , obtemos:
a)
2 2
3a 2b + b)
2
3a 6ab +
c)
2 2
4a 4ab b + + d)
2 2
4a 2ab +
e)
2
3a 2ab +




4. (FCC – SP) A expressão
( ) ( )
2 2
x y x y ÷ ÷ + é equivalente a:
a) 0 b)
2
2y c)
2
2y ÷
d) 4xy ÷ e) ( )
2
2. x y ÷ +




5. (UFSC) Calcule ( )
2
a b ÷ , sendo a e b
números reais positivos, sabendo que:
2 2
a b 117
a.b 54
¦
+ = ¦
´
= ¦
¹



12
6. (FGV – SP) Seja N o resultado da
operação
2 2
375 374 ÷ . A soma dos
algarismos de N é:
a) 18 b) 19 c) 20 d) 21 e) 22




7. Se ( )
2
a b 900 + = e ab 200 = , o
valor de
2 2
a b + é:
a) 300 b) 400 c) 500
d) 700 e) 1300




8. (CEFET – RJ) Qual a expressão que
deve ser somada a
2
x 6x 5 ÷ + para
que resulte o quadrado de ( ) x 3 ÷ ?
a) 3x b) 4x c) 3
d) 4 e) 3x + 4x




9. (ESPM – SP) A expressão
( )
2
a b c + + é igual a:
a)
2 2 2
a 2ab b c + + +
b)
2 2 2
a b c 2ab 2ac 2bc + + + + +
c)
2 2 2
a b c 2abc + + +
d)
2 2 2
a b c 4abc + + +
e)
2 2 2
a 2ab b 2bc c + + + +

10. (UEL – PR) Se ae e a 0 > , a
expressão
2
1
a
a
| |
+
|
\ .
é equivalente a:
a) 1 b) 2 c)
2
a 1
a
+

d)
4
2
a 1
a
+
e)
2
a 2a 1
a
+ +






11. (UTFPR) A expressão
( ) ( ) ( ) ( )
2 2
3 5 3 5 3 5 . 3 5 + + ÷ + + ÷
é equivalente a:
a) 14 4 15 + b) 14 4 15 ÷
c) 14 d) 0 e) 19




12. (UFES) O número
2 2
N 2002 .2000 2000.1998 = ÷ é igual
a:
a)
6
2.10 b)
6
4.10 c)
6
8.10
d)
6
16.10 e)
6
32.10




GABARITO:
1. d 2. e 3. b 4. d
5. 9 6. c 7. c 8. d
9. b 10. e 11. c 12. e


13
AULA 4 – EXPRESSÕES ALGÉBRICAS II


Muitas vezes não basta que
saibamos efetuar multiplicações ou
desenvolver produtos notáveis. É
necessário utilizar o procedimento
contrário, denominado fatoração.
Fatorar é transformar em produto.
Estudaremos os três principais casos.

Fator comum

( )
forma fatorada
a. x b. x x. a b + = +

Agrupamento

( ) ( )
( ) ( )
forma fatorada
a. x b. x a. y b. y
x. a b y. a b
a b . x y
+ + + =
= + + + =
= + +


Produtos notáveis

( )
( )
( ) ( )
forma fatorada
forma fatorada
2
2 2
2
2 2
2 2
forma fatorada
a 2.a.b b a b
a 2.a.b b a b
a b a b . a b
+ + = +
÷ + = ÷
÷ = + ÷


É importante conhecer os casos
de fatoração para simplificar algumas
expressões algébricas. Observe a
seguir os exemplos.

a)
2
2x 6x 2x.(x 3) ÷ = ÷

b)
( ) ( )
( ) ( )
2 2
2 2
2
3a 3 ba b
3. a 1 b. a 1
a 1 . 3 b
+ + + =
= + + + =
= + +


c) ( )
2
2
x 2x 1 x 1 + + = +

d)
2 2
x 10x 25 (x 5) ÷ + = ÷

e)
( )
( ) ( )
2
2
2
81 4x
9 2x
9 2x . 9 2x
÷ =
= ÷ =
= + ÷


Exercícios em aula:

1) Fatore as expressões a seguir:

a) 7a 7b ÷ =

b)
3 2
a a ÷ =

c)
2 5 7
3x 12x 15x + + =

d) 5am ay 5bm by + + + =

e) 8x 3xy 8 3y ÷ + ÷ =



14
f)
2
64 a ÷ =

g)
2
9x 1 ÷ =

h)
2
4x 12x 9 + + =

i)
2
a 6a 9 ÷ + =

j)
3 2
x x 9x 9 + ÷ ÷ =


2) Simplifique as expressões a seguir:

a)
2
x x
x 1
÷
=
÷


b)
2
x 4
x 2
÷
=
÷


c)
2
x 6x 9
2x 6
+ +
=
+


d)
2
a 2
a 4a 4
÷
=
÷ +


e)
2 2
2 2
x 2xy y
x y
÷ +
=
÷


f)
2 2
ax ay
x 2xy y
+
=
+ +


g)
2
2
6ab 3a
4b 2ab
÷
=
÷


h)
2 2
2 2
a 2ab b a b
a b a b
+ + ÷
÷ =
+ ÷

Exercícios propostos:

1. Fatore cada uma das expressões a
seguir:
a)
2
x 2x ÷ =

b)
2 2
x y xy + =

c)
2
m 4m 4 + + =

d)
2
x 8x 16 ÷ + =

e)
2
y 49 ÷ =


2. Associe as duas colunas e assinale
a alternativa que apresenta a
sequência correta de cima para baixo.
( ) ( ) ( )
( ) ( ) ( )
( )
( ) ( ) ( )
2 2
2
2 2
2 2
2
1. x 2 x 3
2. 81x 4 9x 2 . 9x 2
3. x 6x 9 2x 2
4. x 1 x 1 x 4x 4
÷ +
÷ + ÷
+ + +
+ + ÷ ÷ +
a) 2, 1, 3, 4 b) 3, 2, 1, 4
c) 3, 4, 2, 1 d) 3, 2, 4, 1
e) 4, 2, 3, 1



3. A expressão
2
x 9
x 3
÷
÷
, onde x 3 = , é
equivalente a:
a) x 3 ÷ b) x 9 ÷ c) x 9 +
d) x 3 + e) 6



15
4. (CEFET – RJ) A expressão mais
simples de
2 2
2 2
a 2ab b
a b
+ +
÷
é:
a) –1 b) 2ab c)
a b
a b
+
÷

d) 2ab ÷ e)
1
b
a
÷




5. A expressão
2 2 2
2 2
x x y
.
xy y x xy
÷
÷ +
, onde
x 0, y 0 = = e x y = ± , é equivalente a:
a)
y
x
b)
x
y
c)
x y
x y
÷
+

d)
x y
x y
+
÷
e)
2
2
x
y






6. Se a 4 = ± , a expressão algébrica
2
3a 4 1
a 4 a 16
÷
÷
÷ ÷
é equivalente a:
a)
1
a 4 +
b)
1
a 4 ÷
c)
2
a 4 ÷

d)
2
a 4 +
e)
( ) ( )
2
a 4 . a 4 + ÷






7. (CESGRANRIO – RJ) Simplificando
3
4x x
2x 1
÷
+
, obtemos:
a)
2
x 1 + b)
2
x 1 ÷ c)
2
2x 1 ÷
d)
2
2x x ÷ e)
2
2x 1 +





8. (PUC – MG) O valor da fração
2 2
2 2
a b
a 2ab b
÷
+ +
, quando a 51 = e b 49 = ,
é:
a) 0,02 b) 0,20 c) 2,00 d) 20,0





9. (UTFPR) Simplificando a expressão
4 3 3 4
3 2 2 3
6x y 4x y
12x y 8x y
÷
÷
, obtém-se:
a)
2 2
x y
2
b) 2 c) 0
d) 3x 2y ÷ e)
xy
2










16
10. (ACAFE – SC) A expressão
2
36y 16x y
2.(2x 3)
÷
+
é equivalente a:
a) ( ) 2y. 3 2x ÷ b)
2y
3 4x ÷
c) ( ) y. 2x 3 ÷
d)
y x
2x 3
÷
+
e) 4x 6 ÷





11. (FATEC – SP) A expressão
2
2 2y x xy
4 x
+ ÷ ÷
÷
, para x 2 = , é
equivalente a:
a)
y 1
2 x
÷
÷
b)
y 1
2 x
÷
+
c)
y
x

d)
y 1
x 2
+
+
e)
y 1
2 x
+
÷








12. (CEFET – CE) Sabendo-se que
p q 4 + = e pq 5 = , então o valor de
3 3 2 2
E p q p q pq = + + + é:
a) 24 b) 26 c) 30 d) 34 e) 36






DESAFIO

(UNIMEP – SP) Se m n p 6 + + = ;
mnp 2 = e mn mp np 11 + + = , podemos
dizer que o valor de
2 2 2
m n p
mnp
+ +
é:
a) 22 b) 7 c) 18 d) 3 e) 1
















GABARITO:
1. * 2. d 3. d 4. c
5. b 6. d 7. d 8. a
9. e 10. a 11. d 12. a
DESAFIO: b

* a) ( ) x. x 2 ÷
b) ( ) xy. x y +
c) ( )
2
m 2 +
d) ( )
2
x 4 ÷
e) ( ) ( ) y 7 . y 7 + ÷


17
AULA 5 – EQUAÇÕES DO PRIMEIRO GRAU

O matemático Diofante de
Alexandria é considerado o maior
algebrista grego. Pouco se sabe sobre
sua vida, até mesmo a data exata em
que nasceu.

Capa da obra: Aritmética de Diofante
O único registro sobre quantos
anos viveu encontra-se em seu túmulo
por meio de versos. Uma versão
simplificada é:
Sob esta lápide repousam os restos de Diofante,
Mestre dos números, homem de mente brilhante.
Sua infância ocupou um sexto de sua existência,
Da qual um doze avos passaram na adolescência.
Depois, mais um sétimo de sua vida transcorreu,
Quando sua cerimônia de casamento aconteceu.
Mestre dos números, homem de mente brilhante.
A quem, pobre coitado, o destino permitiu viver
Metade apenas dos dias que ao genitor decidiu
conceder.
Por mais quatro anos a perda do filho lamentou,
Até que diante de Deus também se apresentou.

Quantos anos Diofante viveu?

Se chamarmos de x a idade total de
Diofante quando morreu, podemos
escrever a seguinte igualdade.
1 1 1 1
. x . x . x 5 . x 4 x
6 12 7 2
+ + + + + =
Antes de resolvermos a equação
anterior, vamos compreender a
definição a seguir:
Denomina-se equação do primeiro grau
uma igualdade matemática que é ou
pode ser escrita na forma a. x b 0 + = ,
em que a e b são números reais e
a 0 = .
São exemplos de equações do primeiro
grau:
2x 4 0
3x 7 1
5x 3 x 4
1 1
. x 3 . x 1
2 3
2. x 1 2
÷ =
÷ + =
+ = ÷ +
+ = ÷
÷ =

Uma equação pode ser
comparada com uma balança de dois
pratos em equilíbrio.

18

● Se adicionarmos ou subtraírmos a
mesma quantidade dos dois pratos, a
balança continuará em equilíbrio.
2x 10 20
2x 10 20
2x
10 1
30
0 + +
÷ =
÷ =
=

● Se multiplicarmos ou dividirmos as
quantidades dos dois pratos pelo
mesmo número, a balança continuará
em equilíbrio.
2
2x 30
2x 30
x 1
2
5
=
=
=

Desta forma, o número 15 é aquele que
mantém a balança em equilíbrio. Esse
número é chamado solução ou raiz da
equação.
Observe mais dois exemplos:
5x 3 3x 7
5x 3 3x 7
5x 3x 4
5x 3x 4
8x 4
8x 4
1
x
3 3
3x 3x
8 8
2
- + = ÷ +
+ = ÷ +
= ÷ +
= ÷ +
=
+
=
+
=
÷ ÷

x x
20
2 3
- + =
O mínimo múltiplo comum dos números
2 e 3 é 6.
x x
20
2 3
3x 2x 120
5x 120
5x 120
x 2
.6 .6
5
4
5
| |
+ =
|
\ .
+ =
=
=
=

Agora podemos descobrir quantos
anos tinha Diofante quanto morreu.
1 1 1 1
. x . x . x 5 . x 4 x
6 12 7 2
+ + + + + =
O mínimo múltiplo comum dos números
6, 12, 7 e 2 é 84.
1 1 1 1
. x . x . x 5 . x 4 x
6 12 7 2
14x 7x 12x 420 42x 336 84x
75x 756 84x
75
.84 .84
7 x 756 84x 75x
7
5x 75
56 9x
756 9x
84
9
x
x
9
| |
+ + + + + =
|
\ .
+ + + + + =
+ =
+ = ÷
=
=
÷
=
÷

Assim, segundo os versos
gravados em seu túmulo, Diofante de
Alexandria viveu 84 anos.





19
Exercícios em aula:

1) Resolva a equação a seguir:
( ) ( ) 7. x 1 5. 2x 4 3 + ÷ ÷ =




2) Represente matematicamente cada
uma das sentenças a seguir.
a) O oposto de um número x:
b) O inverso de um número x:
c) O triplo de um número x:
d) A terça parte de um número x:
e) A metade de um número x
aumentada de três unidades:
f) A metade de um número x
aumentado de três unidades:

3) A metade de um número adicionada
de 5 unidades é igual ao dobro desse
número subtraído de 7 unidades.
Calcule a terça parte desse número
aumentado de 1 unidade.


4) (UNICAMP – SP) Roberto disse a
Valéria: “pense um número, dobre esse
número; some 12 ao resultado divida o
novo resultado por 2. Quanto deu?”
Valéria disse “15”, ao que Roberto
imediatamente revelou o número
original que Valéria havia pensado.
Calcule esse número.



5) (UTFPR) Em um cassino, uma
pessoa introduz em uma máquina um
determinado número de fichas e recebe
dela o dobro da quantidade original
decrescido de dez unidades. Em uma
segunda máquina, coloca essa nova
quantidade e recebe novamente o
dobro, mas agora decrescido de trinta
unidades. Finalmente, em uma terceira
máquina, coloca a nova quantidade
obtida e recebe mais uma vez o dobro,
menos quarenta unidades.
Coincidentemente, o valor final é o
mesmo que a quantidade introduzida
na primeira máquina. Essa quantidade
original de fichas era de:
a) 5 b) 10 c) 15 d) 20 e) 25





20
Exercícios propostos:

1. A solução da equação
( ) ( ) 5. x 3 2. x 1 20 + ÷ ÷ = é um número:
a) primo b) par c) negativo
d) divisível por 3 e) divisor de 7



2. (MACK – SP) O conjunto solução da
equação
x 2
2
x
+
= em
*
, é:
a) { } S 1 = b) { } S 2 = c) { } S 2 = ÷
d) S = C e) { } S 1 = ÷



3. (PUC – SP) A raiz da equação
( ) ( ) 2. x 1 3. 2 x + = ÷ é um número
racional:
a) menor que 1 ÷
b) compreendido entre 1 ÷ e 0
c) compreendido entre 0 e 1
d) maior que 1
e) igual a 1

4. (UFRS) A solução da equação
( ) ( ) 2. x 3 5. 2x 1
1
5x
3 2 6
+ ÷
+ + = é:
a)
1
2
b)
1
2
÷ c) 2 d) 2 ÷ e) 1




5. O dobro de um número, mais a sua
metade, mais a sua terça parte é igual
a 51. Esse número é:
a) 6 b) 12 c) 18 d) 24 e) 30




6. (CEFET – CE) Sabendo que um
número somado com a sua terça parte
é igual à metade desse mesmo número
mais 30, então esse número é:
a) 18 b) 26 c) 42 d) 36 e) 38






21
7. (OBM) Considere um número inteiro
x e faça com ele as seguintes
operações sucessivas: multiplique por
2, some 1, multiplique por 3 e subtraia
5. Se o número for 220, o valor de x é:
a) um número primo;
b) um número par;
c) um número entre 40 e 50;
d) um número múltiplo de 3;
e) um número cuja soma dos
algarismos é 9.


8. (ACAFE – SC) Achar um número
inteiro tal que os seus
4
5
diminuídos de
7 seja igual a metade aumentada de 2.
a) 30 b) 20 c) 18 d) 14 e) 10



9. (UFGO) Diminuindo-se 6 anos da
idade de minha filha obtém-se os
3
5
de
sua idade. A idade de minha filha, em
anos, é:
a) 10 b) 15 c) 12 d) 18 e) 20


10. (UEPG – PR) Ache o valor de x na
equação
2
2m. x 4m x 2m ÷ = ÷ .
a) 2m b) m 1 ÷ c) 2m 1 +
d) 2m 1 ÷ e) 2m ÷



11. (UFSC) Certo número x foi dividido
por 7, tendo como resto 5. O quociente
obtido foi multiplicado por 38, obtendo-
se, assim um valor igual a 5x 11 + . O
número x é:



12. (UEM – PR) José gastou tudo o
que tinha no bolso em três lojas. Em
cada uma gastou 1 (um) real a mais do
que a metade do que tinha ao entrar.
Quanto tinha José quando entrou na
primeira loja?





GABARITO:
1. e 2. b 3. c 4. a
5. c 6. d 7. a 8. a
9. b 10. a 11. 89 12. *
* R$ 14,00

22
AULA 6 – SISTEMAS LINEARES

“A diferença entre as idades
de duas pessoas é de 5 anos. Há 10
anos, a idade da mais velha era o
dobro da idade da mais nova.”
O problema anterior pode ser
resolvido por meio de duas equações.
Se denominarmos as idades de x e y
temos que:
( )
x y 5
x y 5
x 10 2. y 10 x 2y 10
÷ = ¦ ÷ = ¦ ¦
¬
´ ´
÷ = ÷ ÷ = ÷
¦ ¹
¹

As duas equações anteriores, x y 5 ÷ =
e x 2y 10 ÷ = são lineares. Uma
equação é linear se puder ser escrita
na forma
1 1 2 2 n n
a . x a . x ... a . x b + + + = ,
onde
1 2 n
x , x , ..., x são as incógnitas,
1 2 n
a , a , ..., a são os coeficientes e b é o
termo independente. Um sistema
linear é um conjunto de equações
lineares. Nesta aula, vamos enfatizar
os sistemas lineares com duas
incógnitas, ou seja, sistemas lineares
2 2 × . Abordaremos dois principais
métodos: SUBSTITUIÇÃO E ADIÇÃO.

Método da substituição

Esse método consiste em isolar
uma das incógnitas em função da outra
em uma das equações e substituir na
outra equação.
( )
( )
x y 5 I
x 2y 10 II
¦ ÷ =
¦
´
÷ = ÷
¦
¹

Isolando x na equação ( ) I , temos:
( ) x 5 y III = +
Substituindo ( ) III em ( ) II , temos:
5 y 2y 10 y 15 y 15 + ÷ = ÷ ¬÷ = ÷ =
Substituindo o valor de y na equação
( ) III , temos:
x 5 15 x 20 = + =
Assim, as pessoas têm 20 e 15 anos.

Método da adição

Esse método consiste em tornar
os coeficientes de uma das incógnitas
opostos nas duas equações.
x y 5
x 2y 10
÷ = ¦
´
÷ = ÷
¹

Multiplicando a segunda equação por
1 ÷ , temos:
x y 5
x 2y 10
÷ = ¦
´
÷ + =
¹

Somando as duas equações, temos:

23
x y 5
x 2y 10
y 15
÷ = ¦
¦
´
÷ + =
¦
¹
=

Substituindo, por exemplo, na primeira
equação, temos:
x 15 5 x 20 ÷ = =

Exercícios em aula:

1) Resolva os sistemas lineares a
seguir:
a)
x y 7
x y 1
+ = ¦
´
÷ =
¹



b)
2x y 8
3x 2y 5
+ = ¦
´
÷ =
¹





2) Em um estacionamento existem
carros e motos, totalizando 68 veículos.
Se o número total de rodas é 238,
calcule a razão entre o número de
carros e o número de motos.

3) (UEL – PR) Somando-se os
2
3
de
um número x com os
3
5
de um número
y, obtém-se 84. Se o número x é a
metade do número y, então a diferença
y x ÷ é igual a:
a) 18 b) 25 c) 30 d) 45 e) 60





4) (FUVEST – SP) Um casal tem filhos
e filhas. Cada filho tem o número de
irmãos igual ao número de irmãs. Cada
filha tem o número de irmãos igual ao
dobro do número de irmãs. Qual é o
total de filhos e filhas do casal?
a) 3 b) 4 c) 5 d) 6 e) 7









24
Exercícios propostos:

1. (UFV – MG) A solução do sistema
2x y 3
x y 3
÷ = ¦
´
+ =
¹
é:
a) x 1, y 1 = = b) x 2, y 1 = =
c) x 1, y 2 = = d) x 1, y 0 = =
e) x 3, y 0 = =



2. (CESGRANRIO – RJ) Se ( ) x, y é
solução de
x 2y 5
4x y 2
+ = ¦
´
÷ =
¹
, então o valor
de x y + é:
a) 4 b) 3 c) 2 d) 1 e) 0



3. (PUC – SP) A solução do sistema
3x y 1
2x 2y 1
+ = ¦
´
+ =
¹
é:
a)
1
0,
4
| |
|
\ .
b)
1
, 0
2
| |
÷
|
\ .
c)
1
, 1
2
| |
÷
|
\ .

d)
1 1
,
2 4
| |
|
\ .
e)
1 1
,
4 4
| |
|
\ .



4. (ITA – SP) Suponha que x e y são
números reais, satisfazendo
simultaneamente as equações
2x 3y 21 + = e 7x 4y 1 ÷ = . Nestas
condições, se S x y = + , então:
a) S 10 = b) S 8 = c) S 5 =
d) S 8 = ÷ e) S 15 =



5. (UFSE) Numa caixa há bolas
brancas e pretas num total de 360. Se
o número de brancas é o quádruplo do
de pretas, então o número de bolas
brancas é:
a) 72 b) 120 c) 240 d) 288 e) 296




6. (ESAL – MG) Em um quintal há
galinhas e coelhos perfazendo o total
de 14 cabeças e 38 pés. Calcule o
número de galinhas.





25
7. (UNESP – SP) Maria tem em sua
bolsa R$ 15,60 em moedas de 10
centavos de 25 centavos. Dado que o
número de moedas de 25 centavos é o
dobro do número de moedas de 10
centavos, o total de moedas na bolsa é:
a) 68 b) 75 c) 78 d) 81 e) 84





8. (UEL – PR) Um comerciante
varejista comprou 80 calças de dois
tamanhos diferentes, pequeno e médio,
gastando R$ 4.300,00. Cada calça de
tamanho pequeno custou R$ 50,00 e
cada calça de tamanho médio custou
R$ 60,00. Quantas calças de tamanho
pequeno e médio, respectivamente, ele
comprou?
a) 30 e 50 b) 37 e 43 c) 40 e 40
d) 43 e 37 c) 50 e 30






9. (UNIMEP – SP) Uma pessoa
comprou bicicletas de duas rodas e
guarda-chuvas de 12 varetas. Se o
total de rodas e varetas é 38000 e o
número de guarda-chuvas é o triplo do
de bicicletas, então o número de
guarda-chuvas corresponde a:
a) 1000 b) 9500 c) 3800
d) 3000 e) 19000




10. (OBM) Um time de futebol ganhou
8 jogos mais do que perdeu e empatou
3 jogos menos do que ganhou, em 31
partidas. Quantas partidas o time
venceu?
a) 11 b) 14 c) 15 d) 17 e) 23









26
11. (UNESP – SP) Um orfanato
recebeu uma certa quantidade x de
brinquedos para serem distribuídos
entre as crianças. Se cada criança
receber três brinquedos, sobrarão 70
brinquedos para serem distribuídos;
mas para que cada criança possa
receber cinco brinquedos, serão
necessários mais 40 brinquedos. O
número de crianças do orfanato e a
quantidade x de brinquedos que o
orfanato recebeu são, respectivamente:
a) 50 e 290 b) 55 e 235
c) 55 e 220 d) 60 e 250
e) 65 e 265













12. Eu tenho o dobro da idade que
você tinha quando eu tinha a idade que
você tem. Quanto você tiver a idade
que eu tenho, a soma das nossas
idades será de 81 anos. A minha idade
é:
a) 36 anos b) 32 anos c) 27 anos
d) 24 anos e) 18 anos




DESAFIO

(FUVEST – SP) Resolva o sistema
2 3
8
u v
1 1
1
u v
¦
+ =
¦
¦
´
¦
÷ = ÷
¦
¹








GABARITO:
1. b 2. b 3. e 4. b
5. d 6. 9 7. c 8. e
9. d 10. b 11. b 12. a
DESAFIO:
1
u 1 e v
2
= =

27
AULA 7 – CONJUNTOS I

O que é um conjunto? Apesar
de não existir uma definição formal,
temos a ideia intuitiva do que seja um
conjunto. Por exemplo, a sala de aula
em que você estuda é um conjunto de
alunos. O alfabeto é um conjunto de
letras. Um conjunto está associado a
uma coleção ou grupo.

Representação de um conjunto

Existem várias maneiras de
representar um conjunto:
● Por meio de diagramas (curvas
fechadas) com os elementos em seu
interior.
Exemplo: Conjunto das vogais do
nosso alfabeto.


● Por meio da nomeação dos seus
elementos entre chaves.
{ } A a, e, i, o, u =

● Por meio de uma propriedade que
caracterize seus elementos.
{ } A vogais do alfabeto = ou
{ } A x / x é vogal do nosso alfabeto =

Elementos de um conjunto

Para representar quais são os
elementos que fazem parte de um
conjunto, utilizamos os símbolos
e (pertence) e e (não pertence).
● Quando um elemento x faz parte de
um conjunto A, dizemos que x pertence
ao conjunto A.
x pertence ao conjunto A
x A
+
e

● Quando um elemento x não faz parte
de um conjunto A, dizemos que x não
pertence ao conjunto A.
x nãopertence ao conjunto A
x A
+
e

Exemplo: Se { } A 1, 2, 5, 8, 9 = , temos
que 5 A e e 3 A e .



28
Conjunto vazio

Um conjunto que não possui
elemento algum é denominado
conjunto vazio. Existem duas maneiras
para se representar um conjunto vazio:
{ } ou C
Observação: Não se pode representar
o conjunto vazio por { } C .

Subconjuntos

Se todos os elementos de um
conjunto A pertencem a outro conjunto
B, diz-se que A é subconjunto de B ou
ainda que A está contido em B. Se nem
todo elemento do conjunto A pertence
ao conjunto B diz-se que A não é
subconjunto de B ou que A não está
contido em B.
Se considerarmos o conjunto L
das letras do nosso alfabeto e V o
conjunto das vogais, temos a seguinte
representação:

Observe que toda vogal é uma letra do
alfabeto, ou seja, o conjunto V está
contido no conjunto L. Simbolicamente
temos:
VestácontidoemL LcontémV
V L ou L V
+ +
c

Considere agora os conjuntos:
{ }
{ }
{ }
A 1, 3, 7
B 2, 5, 8
C 1, 2, 3, 4, 5, 6, 8, 9
=
=
=

Podemos dizer que B C c (B está
contido em C) e que A C . (A não está
contido em C), pois todo elemento de B
pertence ao conjunto C, mas como
7 C e , nem todo elemento de A
pertence ao conjunto C.
Observações:
● Todo conjunto é subconjunto dele
próprio. Em símbolos, A A c .
● O conjunto vazio é subconjunto de
qualquer conjunto. Em símbolos,
A Cc . Essa propriedade justifica-se
pelo fato de não existir algum elemento
do conjunto vazio que não pertença ao
conjunto A.






29
Igualdade de conjuntos

Dois conjuntos são iguais se
apresentarem os mesmos elementos.
Diz-se também que os conjuntos A e B
são iguais se A B c e B A c .
se, esomentese,
A B A B e B A
* :
= · c c
·


União de conjuntos

Dados os conjuntos A e B,
define-se a união dos conjuntos A e B o
conjunto A B , formado por todos os
elementos que pertencem a A ou a B.
{ } A B x / x Aoux B = e e
Exemplo: Dados os conjuntos
{ } A 1, 2, 5 = e { } B 1, 3, 5, 8 = , temos
que { } A B 1, 2, 3, 5, 8 = .

Observações:
A A A
A A
Se A B, então A B B.
- =
- C =
- c =




Intersecção de conjuntos

Dados os conjuntos A e B, define-se a
intersecção dos conjuntos A e B o
conjunto A B · , formado por todos os
elementos que pertencem a A e a B.
{ } A B x / x Aex B · = e e
Exemplo: Dados os conjuntos
{ } A 1, 2, 5 = e { } B 1, 3, 5, 8 = , temos
que { } A B 1, 5 · = .

Observações:
A A A
A
Se A B, então A B A.
- · =
- ·C = C
- c · =


Diferença de conjuntos

Dados os conjuntos A e B, define-se a
diferença entre A e B, nesta ordem, o
conjunto A B ÷ , formado por todos os
elementos que pertencem a A e não
pertencem a B.
{ } A B x / x Aex B ÷ = e e
Exemplo: Dados os conjuntos
{ } A 1, 2, 5, 7 = e { } B 0, 2, 5, 8 = , temos
que { } A B 1, 7 ÷ = .

30
Exercícios em aula:

1) Sejam A, B e C os conjuntos
representados no diagrama.

Determine:
A B
A C
B C
A B C
A B
A C
B C
A B C
A B
A C
B C
B A
C A
C B
=
=
=
=
· =
· =
· =
· · =
÷ =
÷ =
÷ =
÷ =
÷ =
÷ =


2) Sendo { } A 1, 3, 5, 6 = , { } B 3, 5, 6, 7 =
e { } C 2, 5, 6, 9 = , determine o conjunto
( ) B C A ÷ · .


3) Considere os conjuntos formados
por elementos não negativos:
{ }
{ }
{ }
M x / x é múltiplo de 3
N x / x é ímpar
P x / x é divisor de 24
=
=
=

Determine o conjunto ( ) P M N ÷ .


4) Dado o conjunto { } A 1, 3, 4, 5, 7 = ,
assinale V ou F conforme cada
afirmação seja verdadeira ou falsa
respectivamente.
( )
( )
( ){ }
( ){ }
( )
( )
( ){ }
3 A
5 A
3, 5 A
3, 5 A
A
A
3, 5, 6, 7 A
e
c
e
c
Ce
C c
c


Exercícios propostos:

1. Se { } A 1,2,3,4,5 = , { } B 1,1,2,5,7 = ÷ e
{ } C 0,2, 4,6,8 = , o número total de
elementos do conjunto ( ) A B C · ÷ é:
a) 0 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4


31
2. (PUC – PR) Dados os conjuntos
{ } A 1,4,7,10,13 = e { } B 2,4,6,8,10,12 = ,
podemos afirmar que:
a) A é subconjunto de B.
b) B é subconjunto de A.
c) a intersecção de A e B é vazia.
d) a intersecção de A e B é não vazia.
e) a união de A e B é vazia.

3. (MACK – SP) Sendo { } A 1,2,3,5,7,8 =
e { } B 2,3,7 = , então o complementar de
B em A é:
a) C b) { } 8 c) { } 8,9,10
d) { } 9,10,11,... e) { } 1,5,8
OBSERVAÇÃO: Se B A c , chama-se
complementar de B em A e representa-
se por
B
A
C o conjunto A B ÷ .


4. (UFAL) Se A e B são dois conjuntos
não vazios tais que: { } A B 1,3,6,7 ÷ = ,
{ } B A 4,8 ÷ = e { } A B 1,2,3,4,5,6,7,8 = ,
então A B · é o conjunto:
a) C b) { } 1, 4 c) { } 2,5
d) { } 6,7,8 e) { } 1,3,4,6,7,8
5. (UTFPR) Se { } A B 0,1,2,3,4 = ,
{ } A B 2,3 · = e { } A B 0,1 ÷ = , então:
a) { } { } A 1,2,3 e B 0,2,3,4 = =
b) { } { } A 2,3 e B 0,1,2,3,4 = =
c) { } { } A 2,3,4 e B 0,1,2,3 = =
d) { } { } A 0,1,2,3 e B 2,3,4 = =
e) { } { } A 0,1,2,3,4 e B 2,3 = =


6. (UTFPR) Sendo { } A 0,1,2,3 = ,
{ } B 2,3, 4,5 = e { } C 4,5,6,7 = , então o
conjunto ( ) A B C ÷ · é:
a) { } 0,1 b) { } 2,3 c) { } 6,7
d) { } 4,5 e) C


7. (UFSE) Sejam A e B subconjuntos
de um conjunto X, tais que
{ } X A 0,1,5,6 ÷ = e { } X B 0,4,6 ÷ = . Se
{ } A B 2,3 · = , o conjunto A B é igual
a:
a) { } 1, 4,5 b) { } 0,2,3,5
c) { } 1,2,3,4 d) { } 1,2,3,4,5
e) { } 0,2,4,5,6


32
8. (ITA – SP) Considere as seguintes
afirmações sobre o conjunto
{ } U 0,1,2,3,4,5,6,7,8,9 = :
I. U e n(U) 10 Ce =
II. U e n(U) 10 Cc =
III. { } 5 U e 5 U e c
IV. { } { } 0,1,2,5 5 5 · =
Pode-se dizer, então, que é(são)
verdadeira(s):
a) apenas I e III b) apenas II e IV
c) apenas II e III d) apenas IV
e) todas as afirmações

9. (MACK – SP) Se { } 1; 2x y; 2;3;1 ÷ + =
{ } 2;4; x y; 1;3 = ÷ , então:
a) x y > b) x y < c) x y =
d) 2x y < e) x 2y >



10. (CESGRANRIO – RJ) O número de
conjuntos X que satisfazem
{ } { } 1,2 X 1,2,3,4 c c é:
a) 3 b) 4 c) 5 d) 6 e) 7

11. (PUC – PR) A região assinalada no
diagrama representa:

a) ( ) A B C · b) ( ) ( ) A B B C ÷ ÷
c) ( ) ( ) A C B C ÷ · ÷ d) ( ) ( ) A B C B ÷ · ÷
e) ( ) ( ) A B B C ÷ ·

12. (FUVEST – SP) Seja a diferença
simétrica dos conjuntos A e B, definida
pela igualdade: ( ) ( ) A B A B B A A = ÷ ÷ .
Se { } A a,b,c = e { } B b,c,d,e,f = , então
A B A é o conjunto:
a) { } a,d,e,f b) { } b,c,d,f c) C
d) { } a e) A B ·






GABARITO:
1. c 2. d 3. e 4. c
5. d 6. e 7. d 8. c
9. b 10. b 11. c 12. a

33
AULA 8 – CONJUNTOS II

Na aula anterior, aprendemos
que um conjunto pode ser subconjunto
de outro. Por exemplo, o conjunto
{ } A 1, 2 = é subconjunto do conjunto
{ } B 0, 1, 2, 3 = , da mesma forma que o
conjunto { } C 0, 2, 3 = também o é.
Quais são todos os subconjuntos do
conjunto B? Qual o número total de
subconjuntos do conjunto B?

Conjunto das partes de um conjunto

Dado um conjunto A qualquer, o
conjunto cujos elementos são todos os
possíveis subconjuntos (ou partes) do
conjunto A é representado por P(A) e
denominado conjuntos das partes de A.
Exemplos:
{ } A 1, 5 - =
Lembrando que o conjunto vazio e o
próprio conjunto é subconjunto de
qualquer conjunto, temos:
{ } { } { } { }
P(A) 1 , 5 , , 1, 5 = C
O conjunto A possui 2 elementos e o
conjunto P(A) possui 4 elementos, ou
seja, A possui 4 subconjuntos.
{ } { } { } { } {
{ } { } { } { } }
B 1, 5, 7 P(B) 1 , 5 , 7 ,
, 1, 5 , 1, 7 , 5, 7 , 1, 5, 7 ,
- = ¬ =
C

O conjunto B possui 3 elementos e o
conjunto P(B) possui 8 elementos, ou
seja, B possui 8 subconjuntos.
Observe que todos os
subconjuntos de um conjunto são
elementos do conjunto das partes
desse conjunto. Assim, se { } A 1, 5 = ,
temos, por exemplo, que { } 5 A c e
{ } 5 P(A) e .
Existe uma relação entre o
número de elementos de um conjunto
A e o número de elementos de P(A) .
Considere o conjunto { } B 1, 5, 7 = e o
elemento 5. Esse elemento pode ou
não pertencer a algum elemento do
conjunto P(B) . Por exemplo, { } 5 1, 5 e ,
mas { } 5 1, 7 e . Dessa forma, podemos
dizer que para o elemento 5 existem
duas possibilidades com relação a
ocorrência em um elemento de P(B) .
Analogamente, para os elementos 1 e
7 também existem duas possibilidades.
Assim, se cada elemento admite duas
possibilidades, temos que o número de
elementos do conjunto P(B) é igual a
3
2.2.2 2 8 = = .

34
Em geral, se um conjunto A possui n
elementos, o conjunto P(A) possui
n
2
elementos, ou seja, o conjunto A possui
n
2 subconjuntos.
n
n elementos
A
2 subconjuntos
¦
¦
´
¦
¹


Número de elementos da união

Considere os conjuntos:
{ } A 2, 3, 5, 7 = e { } B 0, 1, 2, 3, 4, 5 =
Se representarmos o número de
elementos de um conjunto A por n(A) ,
temos que n(A) 4 = e n(B) 6 = . Se
questionarmos várias pessoas sobre o
número de elementos da união dos
conjuntos A e B, talvez algumas
respondam 10, ou seja, 4 6 + . Não
confunda união com soma. Observe o
diagrama a seguir:

Observa-se anteriormente que:
n(A) 4, n(B) 6, n(A B) 3, n(A B) 7 = = · = =
Os números anteriores podem ser
relacionados da seguinte maneira:
n(A B) n(A) n(B) n(A B)
7 4 6 3
+ + + +
= + ÷ ·

O número de elementos de A B é
igual ao número de elementos de A
mais o número de elementos de B
menos o número de elementos de
A B · .
n(A B) n(A) n(B) n(A B) = + ÷ ·
Observação: Se os conjuntos A e B
forem disjuntos, ou seja, se A B · = C,
temos que n(A B) n(A) n(B) = + , pois
n(A B) 0 · = .

Produto cartesiano

Dados dois conjuntos A e B,
define-se o produto cartesiano de A por
B e representa-se por A B × , o conjunto
formado por todos os pares ordenados
(x, y) , nos quais x A e e y B e .
{ } A B (x, y) / x A e y B × = e e
Exemplo: Se { } A 1, 5 = e { } B 3, 7, 8 = ,
determine A B × e B A × .
{ }
{ }
A B (1, 3), (1, 7), (1, 8), (5, 3), (5, 7), (5, 8)
B A (3, 1), (3, 5), (7, 1), (7, 5), (8, 1), (8, 5)
× =
× =

Observações:
Em geral, A B B A.
n(A B) n(A).n(B)
- × = ×
- × =


35
Exercícios em aula:

1) Se o conjunto A possui 5 elementos,
B possui 4 elementos e A B · possui 2
elementos, calcule o número de
subconjuntos de A B .


2) Sendo o conjunto { } { }
A 3, 5, 3, 5 = ,
determine P(A) e analise a veracidade
de cada uma das afirmações a seguir.
( ) 5 A e ( ) { } 5 A e
( ) { } 5 A c ( ) { } 5 P(A) e
( ) { } 3, 5 A e ( ) { } 3, 5 P(A) e
( ) { } { }
3, 5 A c ( ) A Ce
( ) A Cc ( ) P(A) Ce


3) (PUC – RJ) Num universo de 800
pessoas, é sabido que 200 delas
gostam de samba, 300 de rock e 130
de samba e rock. Quantas não gostam
nem de samba nem de rock?
a) 800 b) 730 c) 670 d) 560 e) 430


4) (PUC – PR) Em um levantamento
com 100 vestibulandos da PUC,
verificou-se que o número de alunos
que estudou para as provas de
Matemática, Física e Português foi o
seguinte: Matemática, 47; Física, 32;
Português, 21; Matemática e Física, 7;
Matemática e Português, 5; Física e
Português, 6; as três matérias, 2.
Quantos dos 100 alunos incluídos no
levantamento não estudaram nenhuma
das três matérias?
a) 16 b) 28 c) 9 d) 13 e) 0





Exercícios propostos:

1. (FGV – SP) Seja A um conjunto com
8 elementos. O número total de
subconjuntos de A é:
a) 8 b) 256 c) 6 d) 128 e) 100

2. (UFMG) Os conjuntos A, B e A B
têm, respectivamente, 10, 9 e 15
elementos. O número de elementos de
A B · é:
a) 2 b) 3 c) 4 d) 6 e) 8

36
3. (MACK – SP) Sendo
{ } { } { } { }
A 1 , 2 , 1, 2 = , pode-se afirmar que:
a){ } 1 A e b) { } 1 A c c) { } { } 1 2 A · .
d) 2 A e e) { } { } 1 2 A e



4. Com relação aos conjuntos
{ } A 1, 2, 3, 4, 5 = e { } B 3, 5, 6, 7 = ,
analise as afirmações a seguir.
● Os conjuntos A B × e B A × são
iguais.
● (3, 7) A B e ×
● { } A B 1, 2, 4, 6, 7 ÷ =
● { } 5 A B c ·
● O número de elementos de A B × é
20.
O número exato de afirmações
verdadeiras é:
a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5




5. (FATEC – SP) Se { } A 0, 1 = ,
{ } { } { }
B 1 , 0, 1 = e { } { } { }
C 0, 1, 1 , 0, 1 = ,
então:
a) A B c b) { } A B 0, 1 · =
c) A B ÷ = C d) C (A B) B ÷ .
e) (A C) B · e


6. (UFV – MG) Sabe-se que os
conjuntos A e B têm, respectivamente,
64 e 16 subconjuntos. Se A B tem 7
elementos, então A B · tem:
a) nenhum elemento b) três elementos
c) dois elementos d) um elemento
e) quatro elementos


7. (UDESC – SC) Uma pesquisa foi
realizada junto a 930 pessoas a
respeito da prática dos esportes futebol
e vôlei: Foi constatado que o vôlei era
praticado por 340 pessoas e que 65
praticavam ambos os esportes. Foi
constatado ainda que 15 pessoas não
praticavam nenhum desses esportes. O
número de pessoas que praticavam
apenas futebol é:
a) 565 b) 525 c) 535 d) 510 e) 575


37
8. (UNIFOR – CE) Os editores das
revistas Fotomania e Musical fizeram
uma pesquisa entre os 400 alunos de
uma escola. A pesquisa revelou que,
desses alunos, 210 lêem a revista
Musical, 190 lêem a revista Fotomania
e 50 não lêem revistas. O número de
alunos que lêem somente a revista:
a) Musical é 160 b) Fotomania é 150
c) Musical é 170 d) Fotomania é 130
e) Musical é 180


9. (UNESP – SP) Numa classe de 30
alunos, 16 gostam de Matemática e 20,
de história. O número de alunos desta
classe que gostam de Matemática e de
História é:
a) exatamente 16 b) exatamente 10
c) no máximo 6 d) no mínimo 6
e) exatamente 18


10. (MACK – SP) Dados os conjuntos
A, B e C, tais que:
( ) ( )
( ) ( )
( )
n B C 20 n A B C 1
n A B 5 n A B C 22
n A C 4
= · · =
· = =
· =

Então ( ) n A B C ( ÷ ·
¸ ¸
é igual a:
a) 0 b) 1 c) 4 d) 9 e) 12
11. (AFA – SP) Em um grupo de n
cadetes da Aeronáutica, 17 nadam, 19
jogam basquetebol, 21 jogam voleibol,
5 nadam e jogam basquetebol, 2
nadam e jogam voleibol, 5 jogam
basquetebol e voleibol e 2 fazem os
três esportes. Qual o valor de n,
sabendo-se que todos os cadetes
desse grupo praticam pelo menos um
desses esportes?
a) 31 b) 37 c) 47 d) 51




12. (MACK – SP) Numa escola há n
alunos. Sabe-se que 56 lêem o jornal
A, 21 lêem os jornais A e B, 106 lêem
apenas um dos jornais e 66 não lêem o
jornal B. O valor de n é:
a) 249 b) 137 c) 158 d) 127 e) 183





GABARITO:
1. b 2. c 3. e 4. c
5. e 6. b 7. e 8. a
9. d 10. d 11. c 12. c

38
AULA 9 – CONJUNTOS NUMÉRICOS E INTERVALOS

Nesta aula estudaremos os
seguintes conjuntos numéricos:
● números naturais
● números inteiros
● números racionais
● números irracionais
● números reais

Números naturais

Foram os primeiros números
que surgiram, possivelmente pela
necessidade do ser humano em
fiscalizar seus bens. Os números
naturais estão associados às
quantidades. Os símbolos, também
chamados de algarismos, são
utilizados para a representação de
quantidade de elementos. A cada uma
destas quantidades é associado um
símbolo que representa um número
natural. Desta forma, o conjunto dos
números naturais é dado por:
{ } 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, ... =

O sistema de numeração decimal
utiliza dez algarismos para representar
qualquer número. Cada algarismo tem
um valor absoluto e um valor relativo. O
valor absoluto coincide com o valor
atribuído ao algarismo, mas o valor
relativo depende da posição ocupada
pelo algarismo no correspondente
número.
Exemplo:
5732



O número 5732 é formado por 5
unidades de milhar, 7 centenas, 3
dezenas e 2 unidades, ou seja:
3 2 0
forma polinomial do número 5732
5732 5000 700 30 2
ou
5732 5.10 7.10 3.10 2.10
= + + +
= + + +


Números inteiros

Os números naturais não foram
suficientes, ao longo da história, para
responder determinadas perguntas. Por
exemplo, qual o resultado de 3 7 ÷ ?
Para representar quantidades perdidas,
quantidades que representam débitos,
dívidas, fez-se necessário um novo
conjunto, uma vez que o conjunto dos
2
7.10
2
= 700
5.10
3
= 5000
3.10 = 30

39
números naturais não é fechado em
relação à subtração. Para representar o
oposto de certa quantidade, utilizamos
o símbolo “–“ antes do número natural.
Os números naturais e seus opostos
formam o conjunto dos números
inteiros.
{ } ..., 4, 3, 2, 1, 0, 1, 2, 3, 4, ... = ÷ ÷ ÷ ÷
O uso da letra Z, para representar o
conjunto dos números inteiros, deve-se
ao fato de ser a primeira letra da
palavra Zahl, que significa número em
alemão.
Observação:
Como todo número natural é inteiro,
temos que c .

Números racionais

Nem sempre a divisão entre
dois números inteiros tem como
resultado outro número inteiro. Por
exemplo, você e seus amigos vão a
uma pizzaria e pedem uma pizza
dividida em oito pedaços iguais.

Se você degustar um dos pedaços,
como representar essa quantidade?
Como a pizza foi dividida em 8
pedaços, podemos representar um dos
pedaços pelos número
1
8
. Surge,
portanto, um novo conjunto numérico.
Define-se como número racional todo
número que é quociente entre dois
números inteiros.
*
p
/ p e q
q
¦ ¹
= e e
´ `
¹ )

Os números racionais sempre podem
ser representados por um número
decimal exato ou periódico.
1
0,125 número decimal exato
8
- = ÷
3
3 número inteiro
1
- = ÷
número
decimal
periódico
5
0,555... 0,5
9
- = =
número
decimal
periódico
123
1,242424... 1,24
99
- = =
Observação:
Como todo número inteiro é racional,
temos que c .





40
Números irracionais

Observe na figura um quadrado
cujos lados medem 1.

Por meio do teorema de Pitágoras,
temos que d 2 = . Utilizando uma
calculadora, 2 1,41421356237... = . O
número anterior não é decimal exato
nem periódico. Temos, portanto, um
novo conjunto de números.
Define-se como número irracional todo
número que não é quociente entre dois
números inteiros.

*
p
I x / p e q
q
¦ ¹
= = e e
´ `
¹ )

São exemplos de números irracionais:
3
3 1,73205080...
3,14159265...
5 1,70997594...
e 2,71828182...
=
t =
=
=

Observação:
Como não existe número racional e
irracional simultaneamente, I · = C.


Números reais

O conjunto dos números reais,
representado por , é definido como a
união entre os conjuntos dos números
racionais e irracionais.
I =
O diagrama a seguir ilustra todos os
conjuntos estudados até aqui.

Os números reais podem ser
representados em uma reta.

Assim, como todos os números reais
“preenchem” a reta, esta é denominada
reta real.

Intervalos

Intervalos são subconjuntos dos
números reais determinados por
desigualdades.


41
: maior do que
: menor do que
: maior do que ou igual a
: menor do que ou igual a
>
<
>
s


Intervalo Fechado
É um subconjunto dos números reais
tais que a x b s s , ou seja, formado por
todos os números de a até b.

Representação:
| | { } a, b x / a x b = e s s

Intervalo Aberto
É um subconjunto dos números reais
tais que a x b < < , ou seja, formado por
todos os números entre a e b.

Representação:
( ) | | { } a, b a, b x / a x b = = e < <

Exercícios em aula:

1) Observe os números da tabela.
0 2,3 –2
t
2 3 ÷
0,777... e 3
2
3
8
÷
4
2

0,1234...

Faça um diagrama representando os
conjuntos numéricos estudados e
disponha os números da tabela.



2) Dados os intervalos ( ) A , 2 = ÷· e
( | B 0, 5 = , determine A B · e A B .


3) Assinale V ou F conforme cada
afirmação seja verdadeira ou falsa,
respectivamente.
( ) A soma de dois números naturais
é um número natural.
( ) A soma de dois números racionais
é um número racional.
( ) O produto de dois números
irracionais é um número irracional.
( ) A soma de dois números
irracionais pode ser um número
racional.
( ) O quociente de dois números
irracionais é um número irracional.

42
Exercícios propostos:

1. (FGV – SP) Assinalando V ou F, se
as sentenças são verdadeiras ou
falsas,
; ; ; · = = = ,
obtemos:
a) F,V,F,V b) V,V,V,V c) F,V,V,F
d) F,V,V,V e) V,V,V,F

2. (CESGRANRIO – RJ) Sejam
| | A , 2 = ÷· e | | B 0, = · intervalos de
números reais. Então A B · é:
a) { } 1 b) | | , 0 ÷· c) vazio
d) { } 0, 1, 2 e) | | 0, 2


3. (UNIFAL – MG) Seja o conjunto
dos números reais, o conjunto dos
números naturais e o conjunto dos
números racionais. Qual a afirmativa
falsa?
a) c b) · c
c) = d) · =
e) · = C



4. (PUC – SP) Um número racional
qualquer:
a) tem sempre um número finito de
ordens (casas) decimais.
b) tem sempre um número infinito de
ordens (casas) decimais.
c) não pode expressar-se em forma
decimal exata.
d) nunca se expressa em forma de uma
decimal inexata.
e) nenhuma das anteriores.

5. (PUC – MG) Se | | A 2, 3 = ÷ e
| | B 0, 5 = , então os números inteiros
que estão em B A ÷ são:
a) 1e 0 ÷ b) 1 e 0 c) 4 e 5
d) 3, 4 e 5 e) 0, 1, 2, e 3



6. (UEMT) Dados os intervalos
( | A 2, 1 = ÷ e | | B 0, 2 = , então A B · e
A B , são respectivamente:
a) ( ) ( ) 0, 1 e 2, 2 ÷ b) | | ( | 0, 1 e 2, 2 ÷
c) | ) | |
0, 1 e 2, 2 ÷ d) ( | ( |
0, 1 e 2, 2 ÷
e) | ) | ) 0, 1 e 2, 2 ÷




43
7. (UNESP – SP) Se
{ } A x / x 4n = e = , com ne , e
*
20
B x / n
x
¦ ¹
= e =
´ `
¹ )
, com ne , então
o número de elementos de A B · é:
a) 3 b) 2 c) 1 d) 0
e) impossível de determinar







8. (FGV – SP) Sejam os intervalos
( | A , 1 = ÷· , ( | B 0, 2 = e | | C 1, 1 = ÷ . O
intervalo ( ) C A B · é:
a) ( |
1, 1 ÷ b) | |
1, 1 ÷ c) | |
0, 1
d) ( | 0, 1 e) ( | , 1 ÷· ÷







9. (FATEC – SP) Sejam a e b números
irracionais. Das afirmações
I) a.b é um número irracional
II) a b + é um número irracional
III) a b ÷ pode ser um número racional
pode-se concluir que:
a) as três são falsas;
b) as três são verdadeiras;
c) somente I e III são verdadeiras;
d) somente I é verdadeira;
e) somente I e II são falsas.




10. (UFSC) Dados os conjuntos
{ } A x / 1 x 17 = e < < ,
{ } B x / x é ímpar = e ,
{ } C x / 9 x 18 = e s s , determine a
soma dos elementos que formam o
conjunto ( ) A B C · ÷ .




44
11. (FGV – SP) Quaisquer que sejam o
racional x e o irracional y, pode-se dizer
que:
a) x. y é irracional
b) y. y é irracional
c) x y + é racional
d) x y 2 ÷ + é irracional
e) x 2y + é irracional






12. (FUVEST – SP) Os números x e y
são tais que 5 x 10 s s e 20 y 30 s s .
O maior valor possível de
x
y
é:
a)
1
6
b)
1
4
c)
1
3
d)
1
2
e) 1









DESAFIO

Todo número real x verifica a condição
n x n 1 s < + , onde n é um número
inteiro. O número n é denominado
parte inteira de x e é representado por
| | x . Calcule o valor da expressão a
seguir.
| | | |
13
y 3,5 2,3
3
(
= + ÷ ÷
(
¸ ¸




















GABARITO:
1. a 2. e 3. c 4. e
5. c 6. b 7. b 8. b
9. e 10. 15 11. e 12. d
DESAFIO: 10

45
AULA 10 – POTENCIAÇÃO

É muito comum nos depararmos
com cálculos matemáticos que, por
serem excessivamente trabalhosos,
demandam muito tempo. Algumas
propriedades nos auxiliam a tornar
esse trabalho menos árduo. Nesta
aula, estudaremos a potenciação.

Definição

Dado um número real a
qualquer e n um número natural não
nulo, define-se a potência
n
a como
sendo o produto de n fatores iguais ao
número a, ou seja:
n
n fatores
a a.a.a.(...).a =

Exemplos:
5
7
3
2 2.2.2.2.2
5 5.5.5.5.5.5.5
3 3.3.3
=
=
=

Observação: A definição anterior é
válida para expoentes naturais não
nulos. Entretanto, é possível definir
uma potência para números inteiros
quaisquer. Antes, porém, vamos
estudar algumas propriedades.
Propriedade 1
Se multiplicarmos potências com a
mesma base, a potência resultante é
obtida conservando-se a base e
adicionando-se os expoentes.
m n m n
a .a a
+
=
Exemplo:
4 3 4 3 7
3 .3 3 3
+
= =

Propriedade 2
Se dividirmos potências com a mesma
base, a potência resultante é obtida
conservando-se a base e subtraindo-se
os expoentes.
m
m n
n
a
a
a
÷
=
Exemplo:
5
5 2 3
2
4
4 4
4
÷
= =

Agora já podemos obter dois resultados
importantes:
n
n n
n
0
0 n
0
n
n n
a 1
1
a
a
a (a 0)
a
a
a (a 0)
a a
÷
÷ ÷
- = = = =
- = = = =


46
Propriedade 3
Na potência de potência, a potência
resultante é obtida conservando-se a
base e multiplicando-se os expoentes.
( )
n
m m.n
a a =
Exemplo:
( )
4
3 3.4 12
2 2 2 = =

Observação: Não confunda
( )
n
m
a
com
n
m
a , pois são diferentes.
Exemplo:
( )
2
2
3 3.2 6
3 9
5 5 5
5 5
= =
=


Propriedade 4
A potência de um produto de dois ou
mais fatores é igual ao produto das
potências desses mesmos fatores.
( )
n
n n
a.b a .b =
Exemplo:
( )
5
5 5
2.3 2 .3 =



Propriedade 5
A potência de um quociente é igual ao
quociente das potências do numerador
e do denominador.
n
n
n
a a
(b 0)
b b
| |
= =
|
\ .

Exemplo:
5
5
5
2 2
3 3
| |
=
|
\ .


Potências de base 10

As potências de base 10 são
muito utilizadas não apenas na
Matemática, mas também em outras
ciências como Física e Química, devido
a existem de grandezas macroscópicas
e microscópicas. Dois casos devem ser
considerados.

O expoente é inteiro e positivo

n
n zeros
10 1000(...)00 =
Exemplos:
1 4
2 5
3 6
10 10 10 10000
10 100 10 100000
10 1000 10 1000000
= =
= =
= =


47
O expoente é inteiro e negativo

n
n
n casas decimais
1
10 0, 000(...)001
10
÷
= =
Exemplos:
1 4
2 5
3 6
10 0,1 10 0,0001
10 0,01 10 0,00001
10 0,001 10 0,000001
÷ ÷
÷ ÷
÷ ÷
= =
= =
= =


Notação científica

Para representar grandes ou
pequenas medidas, utilizamos uma
forma especial denominada notação
científica.
Um número escrito em notação
científica deve estar na seguinte forma:
n
.10 , onde 1 10 o s o <

Por exemplo, a massa de um
elétron e a distância média da Terra ao
Sol são iguais, respectivamente a
0,000000000000000000000000000911 g
e 149600000000 m. Escrevendo esses
números em notação científica, temos
28
9,11.10 g
÷
e
11
1,496.10 m.

Exercícios em aula:

1) Assinale V ou F conforme cada
afirmação seja verdadeira ou falsa,
respectivamente.
( )
7 2 9
2 .2 2 = ( )
3
2
5
10
10
10
÷
=
( )
9
5
4
3
3
3
= ( )
x 2 x 2
7 7 .7
+
=
( )
5
2
3
4
4
4
÷
= ( )
( )
2 2
3 3
2 2 =
( )
x
x 3
3
5
5
5
÷
= ( )
2 3
3 2
2 2 =
( )
( )
2
3 5
7 7 = ( )
( ) ( )
2 3
3 2
2 2 =

2) (CEFET – CE) Se
x 2
20 25
+
= , então
x
20
÷
é igual a:
a) 25 b)
1
25
c) 16 d)
1
16
e)
16
25



3) Simplifique a expressão a seguir:
n 3 n
n 2
3 3.3
4.3
+
+
÷





48
Exercícios propostos:

1. Assinale V ou F conforme cada
afirmação seja verdadeira ou falsa,
respectivamente.
( )
2
2 4 ÷ =
( ) ( )
2
2 4 ÷ =
( ) ( )
2 1
2
4
÷
÷ =
( )
2
1
2
4
÷
÷ = ÷
( )
x 1
1 x
5 1
25 5
÷
+
=
( ) ( )
3
3x x
2 2 =
( ) ( )
5
3 8
2 2 =
( )
x 2 x 2 x
2 .2 4
+ ÷
=
( )
7
0,000000375 3,75.10
÷
=
( )
10
718000000000 7,18.10 =


2. O valor da expressão
( )
3
2
2 7
5
5 .5
÷
é:
a)
2
5
÷
b)
1
5
÷
c) 5 d)
2
5 e)
3
5

3. A expressão
3 1 4
2 5
5.10 .10 .10
10 .10
÷
÷
é igual
a:
a) 5 b) 50 c) 500
d) 5000 e) 50000


4. (OBM) A razão
( )
( )
8
4
2
8
2
4
é igual a:
a)
1
4
b)
1
2
c) 1 d) 2 e) 4


5. (UTFPR) Assinale a afirmativa
correta:
a)
( )
2 2
3 3
4 4 = b)
( )
2 2
3 3
4 4 =
c)
( )
2
3 9
4 4 = d)
( ) ( )
2 3
3 2
4 4 =
e)
2 3
3 2
4 4 =

6. (PUC – SP) O número de elementos
distintos no quadro a seguir é:
( )
( ) ( )
4
4 2
2 4
2
2 4 2
4 4 2
÷
÷
÷
÷ ÷

a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5



49
7. (UNESP – SP) Se
( ) ( )
2 1
5 3 2 6
m 3 .4 . 3 .4
÷
÷
= , então:
a)
( )
2
3 2
m 3 . 4 = b)
( )
4
2 3
m 3 . 4 =
c)
( )
2
7 3
m 3 .4
÷
÷
= d)
( )
2
10 18
m 3 .4
÷
÷
=
e)
( )
4
6 2
m 3 . 4
÷
=



8. (OSEC – SP) Se
2x
10 25 = , então
x
10
÷
é igual a:
a) 5 b)
1
5
c) 25 d)
1
25
e) 5 ÷


9. (EPCAR) Se
3 2
2
5 6
A
7
÷ ÷
=
÷
e
( ) ( )
( )
3 2
2
5 6
B
7
÷ + ÷
=
÷
, então
K
A B
49
÷ = ,
onde k ... =
a) 250 b) 72 c) 72 ÷
d) zero e) 178



10. (OMERJ) O valor de
4 4 9 9
4 .9 .4 .9 é
igual a:
a)
13
13 b)
3
13 c)
13
36
d)
36
36 e)
26
1296


11. (UNESP – SP) Se
3
x 10
÷
= , então
( ) ( )
( )
1
0,1 . 0,001 .10
10. 0,0001
÷
é igual a:
a) 10. x b) 1 c) x d)
x
10
e)
x
100




12. (PUC – SP) Se N é o número que
resulta do cálculo de
19 15
2 .5 , então o
total de algarismos que compõem N é:
a) 17 b) 19 c) 25 d) 27
e) maior do que 27





GABARITO:
1. * 2. c 3. d 4. c
5. b 6. b 7. b 8. b
9. a 10. c 11. d 12. a
* F, V, V, V, V, V, F, V, V, F

50
AULA 11 – RADICIAÇÃO I

Existem operações matemáticas
que podem ser definidas a partir de
outras. Por exemplo, a subtração a b ÷
é igual à adição a ( b) + ÷ e a divisão
a
b

é igual à multiplicação
1
a.
b
. Na aula
anterior estudamos as potências com
expoentes inteiros. Vamos agora
ampliar esse conceito para expoentes
racionais.
( )
1
n
y
1
y
n
n. y 1
n
y
n
x a
Sendo x a , temos :
a a
1
y
n
n. y 1
Assim:
a a
a a
x a
=
=
=
=
=
=
=
=

Ao número x da igualdade
n
x a =
chamaremos raiz enésima de a e
representaremos pelo símbolo
n
a em
que a é o radicando e n é o índice.
( )
n n
*
a x x a
a : radicando
n: índice do radical n
x : raiz enésima de a
= · =
e


Exemplos:
3 3
5 5
2
4 4
7 7
8 2, pois 2 8
243 3, pois 3 243
16 4, pois 4 16
625 5, pois 5 625
1 1, pois 1 1
- = =
- = =
- = =
- = =
- = =

Observações:
● Se o índice é um número par e o
radicando é um número positivo, a raiz
considerada é sempre a positiva.
Assim, 25 5 = e não 25 5 = ± .
● Se o índice é um número par e o
radicando é um número negativo, a raiz
não está definida no conjunto dos
números reais.
● Como
1
n
x a = implica em
n
x a = que
implica em
n
x a = , então
1
n
n
a a = .

Propriedade 1
m
n m
n
a a =
Exemplos:
2
3 2
3
1
2
5 5
7 7
=
=



51
Propriedade 2
n n
n
a.b a. b =
Observação: Se o índice for par, os
radicandos devem ser não negativos.
Exemplos:
3 3
3
16.25 16. 25 4.5 20
8.27 8. 27 2.3 6
= = =
= = =


Propriedade 3
n
n
n
a a
b b
=
Observação: Se o índice for par, os
radicandos devem ser não negativos.
Exemplos:
3
3
3
16 16 4
25 5 25
8 8 2
27 3 27
= =
= =


Propriedade 4
n.m
n m
a a =
Exemplos:
3.2
3 6
3.4
3 4 12
5 5 5
2 2 2
= =
= =

Observação: Se o índice for par, o
radicando deve ser não negativo.
Exercícios em aula:

1) Assinale V ou F conforme cada
afirmação seja verdadeira ou falsa,
respectivamente.
( ) ( )
( ) ( )
( ) ( )
( ) ( )
( )
( )
1
3
2
2 2
3 2 0,5
64 4 3 3
2 3 5 2. 3 6
0,25 0,5 10 9 1
4 2 8 9 7
13 7 2 4 4
0, 444... 0,222...
= =
+ = =
= ÷ =
= ± + =
+ + + =
=


2) Justifique as propriedades a seguir:
n.p
n m.p m
n n n
a a
a. b a .b
- =
- =




3) Determine o valor de x na expressão
( )
2
x 7 4 3 7 4 3 = + + ÷ .


4) Escreva os números a seguir em
ordem crescente:
3 5
2, 4 e 8


52
Exercícios propostos:

1. O valor da expressão
3 4
8 81 4
9 16
+ +
+

é:
a) 1 b) 0,6 c) 0,8 d) 1,2 d) 1,4


2. (PUC – SP) Simplificando
75
12
,
obteremos:
a)
5
2
b)
5
3
c)
5
3
d)
5
2
e)
25
4




3. (UNIRIO – RJ) O valor de
15 32 25 81 ÷ + ÷ é:
a) 1 b) 2 c) 3 d) 4


4. (ESPCEX) Efetuando
( )
2. 2 2 +
você encontrará:
a) 2 b) 2 c) 2 2 d) 1 e) 4

5. (UFAL) Simplificando
( )
1
1
6
3
2
2
(
(
(
¸ ¸
,
obtemos:
a)
4
2 b)
3
2 c) 2 d)
4
2 2 e)
6
2


6. (EPCAR) Se A 3 = ,
4
B 5 = e
3
C 4 = , então será verdadeiro afirmar:
a) C B A < < b) C A B < <
c) B A C < < d) A B C < <
e) A C B > >



7. (PUC – MG) O valor da expressão
3 3 3
y 8. 10 .5.10
÷ ÷
= é:
a) 40 b)
2
40.10 c)
2
40
÷

d)
3
4.10
÷
e)
3
40.10
÷



8. (UFMG) Simplificando a expressão
6 3
9.10 . 0,0049. 2,5.10
÷
, obtém-se:
a) 105 b) 10,5 c) 1,05
d) 0,105 e) 0,0105


53
9. (UFRN) O valor que devemos
adicionar a 5 para obtermos o
quadrado de 2 3 + é:
a) 3 b) 6 c) 2 2
d) 2 3 e) 2 6




10. (ESAL – MG) O resultado da
divisão
2
3
6
5
a
b
a
b
é:
a)
5 7
6
a .b b)
5
6
7
a
b
c) a.b
d)
a
b
e)
b
a










11. (UFMS) O número
( )
1
3 2
2
3
10 . 10 . 1000
1
.10
100
÷
está compreendido
entre:
a) 1e 0 ÷ b) 0 e 0,1 c) 0,1e 1
d) 10 e 100 e) 100 e 1000




12. (UTFPR) O valor da expressão
( )
2 1
5 2 3
3 4
3 2
3 2
81 . 32 .125
2 9
27 . .
3 4
÷ ÷
| | | |
| |
\ . \ .
é:
a) 525 b) 330 c) 400
d) 300 e) 600







GABARITO:
1. e 2. d 3. c 4. e
5. a 6. e 7. d 8. e
9. e 10. c 11. e 12. d


54
AULA 12 – RADICIAÇÃO II

Quando estamos diante de uma
soma polinomial, podemos reunir em
um só termo aqueles termos que sejam
semelhantes.
2 2
2 2
2
2
E 5x 2x 2x 3x
E 5x 2x 2x 3x
E x.(5 2) x .(2 3)
E 3x 5x
= + ÷ +
= ÷ + +
= ÷ + +
= +

Com radicais o procedimento não é
diferente. Podemos reunir radicais
semelhantes.

Adição e subtração de radicais

Dois ou mais radicais são
considerados semelhantes quando
tiverem o mesmo índice e o mesmo
radicando.
Exemplos:
3 3 3 3 3
3 5 2 5 5.(3 2) 5 5
2 5 7 5 3 5 5.(2 7 3) 2 5
- + = + =
- ÷ + = ÷ + = ÷

Observe mais um exemplo.
8 32 50 + ÷

Se observarmos rapidamente, diremos
que os radicais anteriores não são
semelhantes. No entanto, manipulando
algebricamente os radicais, temos:
8 4.2 2 2
32 16.2 4 2
50 25.2 5 2
= =
= =
= =

Retornando à soma inicial, temos:
8 32 50 2 2 4 2 5 2
2.(2 4 5) 2
+ ÷ = + ÷ =
= + ÷ =

Caso os radicais não sejam
semelhantes, não é possível reduzir a
soma ou a subtração a apenas um
radical. Por exemplo, para realizar a
soma 2 3 + podemos utilizar uma
calculadora e aproximar o resultado.
2 3 1,414 1,732 3,146 + ~ + =

Multiplicação de radicais

Para multiplicar dois ou mais
radicais, temos dois casos. Se os
radicais são de mesmo índice, a
multiplicação é feita de acordo com a
propriedade da aula anterior.
n n
n
a. b a.b =

55
Exemplos:
3 3 3
3
2. 8 2.8 16 4
2. 3 2.3 6
- = = =
- = =

Se os radicais não são de mesmo
índice, devemos inicialmente igualar os
índices.
Exemplo:
3 4
5. 3 ? =
O mínimo múltiplo comum dos números
3 e 4 (índices dos radicais) é 12. Para
transformar o índice 3 em 12, basta
multiplicá-lo por 4. Para transformar o
índice 4 em 12, multiplicamos por 3.
Assim, temos:
3.4 4.3
12 12 4 3 4 3 3 4
4 3 3 4 12
5. 3 5 . 3 5 . 3
5. 3 5 .3
= =
=


Divisão de radicais

Muitas vezes, as operações
numéricas tornam-se mais simples se o
denominador for racional, ou seja, não
apresentar radicais. Se o denominador
não for racional, utilizamos um
procedimento que consiste em
racionalizar (tornar racional) o
denominador. Vamos considerar três
casos.

Primeiro caso
O denominado apresenta um
único radical da forma a (a 0) > .
2
N N a N. a N. a
.
a a a a
a
= = =
Exemplo:
1 1 2 2
.
2 2 2 2
= =

Segundo caso
O denominador apresenta um
único radical da forma
n m
a .
n n n n m n m n m
n n n n m m n m n
N N a N. a N. a
.
a
a a a a
÷ ÷ ÷
÷
= = =
Exemplo:
3 2 3
3
3 3
3 2
2 2 2 2 4
. 4
2 2 2
2
= = =

Terceiro caso
O denominador apresenta uma
soma ou uma subtração de radicais.
( )
N. a b
N N a b
.
a b a b a b a b
÷
÷
= =
÷ + + ÷

Exemplo:
1 1 2 3 2 3
. 2 3
4 3 2 3 2 3 2 3
÷ ÷
= = = ÷
÷ + + ÷


56
Exercícios em aula:

1) (UFMG) O número
3 8 4 18 27 3 48 2 98 + ÷ ÷ ÷
é igual a:
a) 10 2 9 3 ÷ b) 14 2 15 3 ÷
c) 18 2 29 3 ÷ d) 4 2 15 3 ÷



2) (UEL – PR) Seja o número real
500 3 20 2 2 5
x
5 1
÷ + ÷
=
÷
.
Escrevendo-se x na forma x a b c = + ,
tem-se que a b c + + é igual a:
a) 5 b) 6 c) 7 d) 8 e) 9



3) (CEFET – RJ) Sabe-se que n é um
número natural e maior do que 1. Então
o valor da expressão
2n 2n 2
2 2
5
+
+
é:
a)
1
5
b) 2 c)
n
2 d)
n
2
e)
n
5



4) (PUCCAMP – SP) Efetuando-se
3 2 2 2 2 3
3 2 2 3 2 2
+ ÷
+
÷ +
, obtém-se:
a)
22
5
÷ b)
8 6
5
÷ c) 0
d) 4 6 11 ÷ + e)
( )
2. 4 6 11
5
÷ +





Exercícios propostos:

1. (UFGO) O número 18 8 2 ÷ ÷ é
igual a:
a) 8 b) 4 c) 0
d) 10 2 ÷ e) 18 6 ÷


2. (PUC – SP) A expressão com
radicais 8 18 2 2 ÷ + é igual a:
a) 2 b) 12 c) 8 ÷
d) 3 2 ÷ e) 3 2



57
3. (ACAFE – SC) Se x 3 = e
y 12 243 2 27 = + ÷ , então:
a) y x = b) y 5x = c) y 7x =
d) y 8x = e) y 17x =


4. (FUVEST – SP) O valor da
expressão
2 2
2 1
÷
÷
é:
a) 2 b)
1
2
c) 2
d)
1
2
e) 2 1 +


5. (CESGRANRIO – RJ) Se a 8 = e
b 2 = , então o valor de
1 1
a b
÷ ÷
+ é:
a)
3 2
4
b)
3
2
c)
2
2

d)
8
2
e)
1
10







6. (FUVEST – SP)
2 3
3
+
=
a)
2 2 6 3
3
+ +
b)
5 2 6
3
+

c)
2 6
6
+
d)
3 6
3
+

e)
6 3
6
+




7. (UFV – MG) A expressão
7
7 a a + ÷
, onde a é um número real
positivo, equivale a:
a) 7 b) 7 a a + + c) 7
d)
7
7
e) 1


8. (UFRS) A expressão
3 5
5 3
+ é
igual a:
a)
8
15
b)
3
5
c) 1
d)
34
15
e)
8 15
15




58
9. (PUC – RJ) Assinale a alternativa
INCORRETA:
a) o dobro de 8 é 32
b) 100 64 6 ÷ =
c) 2 8 3 2 + =
d) 60 16 8 + =
e) 2 3 5 24 + = +





10. (UTFPR) A expressão
9 8
5 2 ÷
é
equivalente a:
a) 18 10 b) 6 10 4 +
c) 2 10 12 + d) 6 10 12 +
e) 6 10







11. (COLÉGIO NAVAL) A expressão
3 3
3
0,25 2
2
÷
é equivalente a:
a)
3
2 ÷ b)
3
2
4
c) 1 ÷
d)
1
2
÷ e)
3
0,5




12. (ESPM – SP) Simplificando a
expressão
13 16
15
2 2
2
+
obtemos:
a) 2 b) 1,5 c) 2,25
d)
7
2 e) 1










GABARITO:
1. c 2. a 3. b 4. a
5. a 6. d 7. b 8. e
9. b 10. d 11. d 12. b

59
AULA 13 – EQUAÇÕES DO SEGUNDO GRAU I

“Dois números são tais que
sua soma é igual a 5 e seu produto é
igual a 6. Quais são os números?”

Sendo x e y os números procurados,
temos:
x y 5
x. y 6
+ = ¦
´
=
¹

Isolando y na primeira equação e
substituindo na segunda equação,
temos:
2
2
y 5 x
x.(5 x) 6
5x x 6
x 5x 6 0
= ÷
÷ =
÷ =
÷ + =

Observe que a equação
2
x 5x 6 0 ÷ + =
não é do primeiro grau, pois o maior
expoente da variável x é igual a 2.
Trata-se, portanto, de uma equação do
segundo grau. Antes de resolvermos a
equação anterior, vamos definir uma
equação do segundo grau.
Denomina-se equação do segundo
grau uma igualdade matemática que é
ou pode ser escrita na forma
2
a. x b. x c 0 + + = , em que a, b e c
são números reais e a 0 = .

Exemplos:
2
2
2
x 6x 8 0
2x 7x 0
x 16 0
- ÷ + =
- + =
- ÷ =


Equações incompletas

2
a. x b. x 0
A equação pode ser fatorada.
- + =

Exemplo:
2
2x 7x 0
x.(2x 7) 0
7
x 0 ou 2x 7 0 x
2
7
S 0,
2
+ =
+ =
= + = = ÷
¦ ¹
= ÷
´ `
¹ )


2
a. x c 0
A variável x pode ser isolada.
- + =

Exemplo:
{ }
2
2
x 16 0
x 16
x 16
x 4
S 4, 4
÷ =
=
= ±
= ±
= ÷




60
Equações completas
2
2
2 2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
a. x b. x c 0
b
a. x . x c 0
a
b b b
a. x . x c 0 a.
a 2a 2a
b b
a. x c
2a 4a
b b 4ac
a. x
2a 4a
b b 4ac
x
2a 4a
b b 4ac
x
2a 4a
b b 4ac
x
2a 2a
- + + =
| |
+ + =
|
\ .
| |
| | | |
+ + + = + |
| |
|
\ . \ .
\ .
| |
+ = ÷
|
\ .
÷ | |
+ =
|
\ .
÷ | |
+ =
|
\ .
÷
+ = ±
÷
= ÷ ±

2
2
b b 4ac
a 0 x
2a 2a
b b 4ac
a 0 x
2a 2a
÷
- > ¬ = ÷ ±
÷
- < ¬ = ÷

Assim, temos que:
2
b b 4ac
x
2a
÷ ± ÷
=
O número
2
b 4ac ÷ é denominado
discriminante e é representado pela
letra grega A (delta). De acordo com o
valor do discriminante, temos as
seguintes possibilidades:
0 : As raízes são reais e distintas.
0 : As raízes são reais e iguais.
0 : As raízes não são reais.
A >
A =
A <


Exercícios em aula:

1) Resolva a equação
2
x 5x 6 0 ÷ + = .



2) (UFF – RJ) Uma das soluções da
equação
2
2x x
2x 1
11
+
= + é um número
múltiplo de:
a) 2 b) 3 c) 5 d) 7 e) 11



3) Determine o valor de m de modo
que a equação
2 2
x (2m 2). x m 0 + + + =
admita duas raízes iguais.



4) Determine o conjunto solução da
equação
2
2 1
1
x 1 x 1
+ = ÷
+ ÷
.




61
Exercícios propostos:

1. O conjunto solução da equação
2
3x 2x 1 0 ÷ ÷ = é:
a)
1
1,
3
¦ ¹
÷
´ `
¹ )
b)
1
1,
3
¦ ¹
÷ ÷
´ `
¹ )
c)
1
1,
3
¦ ¹
÷
´ `
¹ )

d)
1
1,
3
¦ ¹
´ `
¹ )
e) C




2. (PUC – SP) Quantas raízes reais
tem a equação
2
2x 2x 1 0 ÷ + = ?
a) 0 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4



3. (PUC – SP) Uma das raízes da
equação
2
0,1. x 0,7. x 1 0 ÷ + = é:
a) 0,2 b) 0,5 c) 7 d) 2 e) 0,7




4. (FUVEST – SP) Se
1
x.(1 x)
4
÷ = ,
então:
a) x 1 = b)
1
x
2
= c) x 0 =
d)
1
x
4
= e)
1
x
2
= ÷




5. O valor de k para que o número 3
seja raiz da equação
2
k. x 7x 3 0 ÷ + =
é:
a) 1 b) 2 c) 1 ÷ d) 2 ÷ e) 3



6. (CESGRANRIO – RJ) Se x é positivo
e se o inverso de x 1 + é x 1 ÷ , então x
é:
a) 2 b) 3 c) 2 d) 3 e) 2 2





62
7. (FGV – SP) Quais valores de x
satisfazem a equação
2
2 1
1
1 x (1 x)
+ =
+ +
?
a)
{ }
1, 2 b)
{ }
2, 2 ÷ ÷ c) { } 1, 2
d)
{ }
2, 2 ÷ e)
{ }
2, 2 ÷



8. (UTFPR) Seja a a raiz positiva e b a
raiz negativa da equação
2
2x 7x 15 0 ÷ ÷ = . Então o valor de
a 2.b + é igual a:
a)
17
2
÷ b) 1 c) 1 ÷ d) 2 e) 0





9. (UEL – PR) Os valores de m, para os
quais a equação
2
3x mx 4 0 ÷ + = tem
duas raízes reais iguais, são:
a) 5 e 2 5 ÷ b) 4 3 e 4 3 ÷
c) 3 2 e 3 2 ÷ d) 2 e 5
e) 6 e 8 ÷


10. (UFPE) Se x é um número real
positivo, tal que, ao adicionarmos 1 ao
seu inverso, obtemos como resultado o
número x, qual é o valor de x?
a)
1 5
2
÷
b)
1 5
2
+
c) 1
d)
1 3
2
+
e)
1 2
2
+







11. (UEL – PR) A soma de um número
racional não inteiro com o dobro do seu
inverso multiplicativo é
33
4
. Esse
número está compreendido entre:
a) 5 e 6 b) 1 e 5 c)
1
2
e 1
d)
3 1
e
10 2
e) 0 e
3
10







63
12. (PUC – BA) Um professor dispunha
de 144 doces para dividir igualmente
entre os alunos de sua classe. Como
no dia da distribuição faltaram 12
alunos, ele dividiu os 144 doces
igualmente entre os presentes,
cabendo a cada aluno 1 doce a mais. O
número de alunos presentes no dia da
distribuição era:
a) 36 b) 40 c) 42 d) 48 e) 50

















DESAFIO

Determine o conjunto solução da
equação
2
mx mx 2 0 + + = , sabendo
que subtraindo uma unidade do valor
de m, obtém-se outra equação com
raízes reais e iguais.




















GABARITO:
1. c 2. a 3. d 4. b
5. b 6. c 7. d 8. d
9. b 10. b 11. e 12. a
DESAFIO:
2 1
S ,
3 3
¦ ¹
= ÷ ÷
´ `
¹ )



64
AULA 14 – EQUAÇÕES DO SEGUNDO GRAU II

Na aula anterior, você aprendeu
a determinar as soluções (raízes) de
uma equação do segundo grau. Vamos
agora estudar algumas propriedades
que relacionam essas raízes.

Soma das raízes

Sendo
1
x e
2
x as raízes da equação
2
a. x b. x c 0 + + = , temos:
2 2
1 2
2 2
1 2
1 2
b b 4ac b b 4ac
x x
2a 2a
b b 4ac b b 4ac
x x
2a
2b
x x
2a
÷ + ÷ ÷ ÷ ÷
+ = +
÷ + ÷ ÷ ÷ ÷
+ =
÷
+ =
1 2
b
x x
a
+ = ÷

Produto das raízes

Sendo
1
x e
2
x as raízes da equação
2
a. x b. x c 0 + + = , temos:
( )
( )
( )
2 2
1 2
2
2
2
1 2
2
2 2
1 2
2
1 2
2
b b 4ac b b 4ac
x . x .
2a 2a
b b 4ac
x . x
4a
b b 4ac
x . x
4a
4ac
x . x
4a
| | | |
÷ + ÷ ÷ ÷ ÷
| |
=
| |
\ . \ .
÷ ÷ ÷
=
÷ ÷
=
=

1 2
c
x . x
a
=

A partir dos resultados anteriores, é
possível escrever uma equação do
segundo grau a partir da soma S e do
produto P.
( )
2
2
2
2
a. x b. x c 0
1 1
. a. x b. x c .0
a a
b c
x . x 0
a a
b c
x . x 0
a a
+ + =
+ + =
+ + =
| |
÷ ÷ + =
|
\ .

2
x S. x P 0 ÷ + =

Exercícios em aula:

1) Determine a soma e o produto das
raízes da equação
2
2x 7x 4 0 ÷ + = .


65
2) Sendo o e | as raízes da equação
2
3x 5x 1 0 ÷ + = , calcule:
a) o+| =
b) . o | =
c)
1 1
+ =
o |

d)
2 2
o +| =


3) Escreva uma equação do segundo
grau cujas raízes são 2 3 + e 2 3 ÷ .




4) (UNESP – SP) Um valor de m para o
qual uma das raízes da equação
2
x 3mx 5m 0 ÷ + = é o dobro da outra,
é:
a)
5
2
÷ b) 2 c) 2 ÷ d) 5 ÷ e)
5
2





5) Determine mentalmente as raízes
das equações a seguir.
a)
2
x 5x 6 0 ÷ + =

b)
2
x 4x 3 0 + + =

c)
2
x x 6 0 ÷ ÷ =

d)
2
x 10x 25 0 ÷ + =

e)
2
x 2x 8 0 ÷ + ÷ =


Exercícios propostos:

1. (UnB – DF) A soma das raízes da
equação
2
3x 6x 9 0 + ÷ = é igual a:
a) 4 b) 1 c) 2 ÷ d) 3 ÷ e) 4 ÷






66
2. (PUC – PR) A soma e o produto das
raízes da equação
2
x x 1 0 + ÷ = são
respectivamente:
a) 1e 0 ÷ b) 1e 1 ÷ c) 1e 1 ÷
d) 1e 1 ÷ ÷ e) 1 e 1



3. (UFSM – RS) A soma e o produto
das raízes da equação
2
2x 7x 6 0 ÷ + = ,
respectivamente, são:
a) 7 e 6 ÷ b)
7
e 3
2
÷ c)
7
e 3
2
÷ ÷
d)
7
e 3
2
e) 7 e 6 ÷



4. (UFBA) A razão entre a soma e o
produto das raízes da equação
2
2x 14x 9 0 ÷ + = é:
a)
14
9
b)
2
9
c) 14 ÷ d)
63
2
e)
63
2
÷




5. (FGV – SP) Se a soma das raízes da
equação
2
kx 3x 4 0 + ÷ = é 10, podemos
afirmar que o produto das raízes é:
a)
40
3
b)
40
3
÷ c)
80
3

d)
80
3
÷ e)
3
10
÷




6. Se o e | são as raízes da equação
2
x x 1 0 + ÷ = , o valor de
1 1
+
o |
é:
a) 1 b) 1 ÷ c) 2 d)
1
2
e) 2 ÷



7. (UFGO) O valor de k para que a
soma das raízes da equação
2
(k 2). x 3kx 1 0 ÷ ÷ + = seja igual ao seu
produto é:
a)
1
2
b)
1
3
c)
2
3
d)
3
2
÷ e)
1
3
÷




67
8. (CEFET – CE) Sejam
1
x e
2
x as
raízes da equação
2
2x 6.x P 2 0 ÷ + ÷ = .
Se ( )
2
1 2 1 2
x x x . x + = , então P é igual a:
a) 1 b) 3 c) 5 d) 7 e) 8




9. (FEI – SP) Sendo a e b as raízes da
equação
2
2x 5x m 3 ÷ + = , então, se
1 1 4
a b 3
+ = , o valor de m é:
a)
3
4
b)
4
3
÷ c)
27
4
d) 0 e)




10. (CESGRANRIO – RJ) Se m e n são
as raízes da equação
2
7x 9x 21 0 + + = ,
então (m 7).(n 7) + + vale:
a) 49 b) 43 c) 37 d) 30 e)
30
7





11. (PUCCAMP – SP) Se v e w são as
raízes da equação
2
x ax b 0 + + = ,
onde a e b são coeficientes reais, então
2 2
v w + é igual a:
a)
2
a 2b ÷ b)
2
a 2b + c)
2 2
a 2b ÷
d)
2 2
a 2b + e)
2 2
a b ÷




12. (FUVEST – SP) A soma e o
produto das raízes da equação de
segundo grau
2
(4m 3n). x 5n. x (m 2) 0 + ÷ + ÷ = valem,
respectivamente,
5
8
e
3
32
. Então m n +
é igual a:
a) 9 b) 8 c) 7 d) 6 e) 5








GABARITO:
1. c 2. d 3. d 4. a
5. a 6. a 7. b 8. c
9. c 10. b 11. a 12. a


68
LEITURA COMPLEMENTAR

Você deve ter percebido que, para
determinar mentalmente as raízes de uma
equação do segundo grau, é interessante
que o coeficiente do termo em
2
x seja
igual a 1. E se isso não acontecer?
Observe, por exemplo, a equação
2
3x 2x 1 0 + ÷ = . O coeficiente de
2
x é
diferente de 1. Se dividirmos a equação por
3, teremos
2
2 1
x . x 0
3 3
+ ÷ = . Agora o
coeficiente de
2
x é igual a 1, porém os
outros coeficientes não são inteiros, o que
também dificulta a obtenção mental. Existe
um método prático para resolver
mentalmente esse tipo de equação. Dada a
equação
2
a. x b. x c 0 + + = , temos:
● Dividimos o coeficiente de
2
x e
multiplicamos o termo independente por a,
obtendo assim, uma equação auxiliar.
● Resolvemos mentalmente essa equação
auxiliar.
● Sendo
1
x ’ e
2
x ’ as raízes da equação
auxiliar e
1
x e
2
x as raízes da equação
original, temos que:
1
1
x ’
x
a
= e
2
2
x ’
x
a
= .





Exemplos:
2
EQUAÇÃO ORIGINAL
1 2 2
por 3 2 por 3
EQUAÇÃO AUXILIAR
3x 2x 1 0
x ’ 1
3x 2x 1 0 x 2x 3 0
x ’ 3
× ÷
+ ÷ =
= ¦
+ ÷ = ¬ + ÷ =
´
= ÷
¹
Como
1 2
1 2
x ’ x ’ 1 3
x e x 1
3 3 3 3
÷
= = = = = ÷ , o
conjunto solução da equação original é
1
1,
3
¦ ¹
÷
´ `
¹ )
.

2
EQUAÇÃO ORIGINAL
1 2 2
por 64 2 por 64
EQUAÇÃO AUXILIAR
64x 63x 1 0
x ’ 64
64x 63x 1 0 x 63x 64 0
x ’ 1
× ÷
÷ ÷ =
= ¦
÷ ÷ = ¬ ÷ ÷ =
´
= ÷
¹
Como
1 2
1 2
x ’ x ’ 64 1 1
x 1e x
64 64 64 64 64
÷
= = = = = = ÷ , o
conjunto solução da equação original é
1
,1
64
¦ ¹
÷
´ `
¹ )
.













69
AULA 15 – EQUAÇÕES REDUTÍVEIS E EQUAÇÕES IRRACIONAIS

Algumas equações podem ser,
por meio de substituição de variáveis,
reduzidas às do segundo grau.
Observe os exemplos:
( )
( )
{ }
4 2
2
4 2
2
2 2
2
2
2
2
2
x 13x 36 0
Observando que x x , temos:
x 13x 36 0
Troca de variável: x y
y 13y 36 0
( 13) ( 13) 4.1.36
y
2.1
13 5
y
2
y 4 ou y 9
y 4 x 4 x 2 ou x 2
y 9 x 9 x 3 ou x 3
S 3, 2, 2, 3
- ÷ + =
=
÷ + =
=
÷ + =
÷ ÷ ± ÷ ÷
=
±
=
= =
= ¬ = = = ÷
= ¬ = = = ÷
= ÷ ÷


( ) ( )
( )
{ }
x x
x 2
x 2 x
2
x x
x
2
2
x x 2
x x 3
4 12.2 32 0
Observando que 4 2 2 , temos:
2 12.2 32 0
Troca de variável: 2 y
y 12y 32 0
( 12) ( 12) 4.1.32
y
2.1
12 4
y
2
y 4 ou y 8
y 4 2 4 2 2 x 2
y 8 2 8 2 2 x 3
S 2, 3
- ÷ + =
= =
÷ + =
=
÷ + =
÷ ÷ ± ÷ ÷
=
±
=
= =
= ¬ = ¬ = =
= ¬ = ¬ = =
=

Equações irracionais

São equações que apresentam
a incógnita sob algum radical.
Exemplos:
( )
( )
{ }
2
2
2
2
2 x x
Condição de existência: x 0
2 x x
2 x x
x x 2 0 x 1 ou x 2
Como x 0, então S 1 .
- ÷ =
>
÷ =
÷ =
+ ÷ = = = ÷
> =

( )
( )
{ }
2
2
2
2
2 2
2
2
25 x 7 x
Condição de existência: 7 x 0 x 7
25 x 7 x
25 x 49 14x x
2x 14x 24 0
x 7x 12 0 x 3 ou x 4
Como x 7, então S 3, 4 .
- ÷ = ÷
÷ > s
÷ = ÷
÷ = ÷ +
÷ + ÷ =
÷ + = = =
s =

( ) ( )
( )
{ }
2 2
2
2
3x 4 3x 3 1
3x 4 1 3x 3
3x 4 1 3x 3
3x 4 1 2. 3x 3 3x 3
2. 3x 3 6
3x 3 3
3x 3 3
3x 3 9
3x 12 x 4
S 4
- + ÷ ÷ =
+ = + ÷
+ = + ÷
+ = + ÷ + ÷
÷ =
÷ =
÷ =
÷ =
= =
=


70
Exercícios em aula:

1) Resolva a equação
4 2
x 2x 3 0 + ÷ =
em .



2) A equação
6 3
x 9x 8 0 ÷ + = possui:
a) apenas 1 raiz real e positiva;
b) apenas 1 raiz real e negativa;
c) apenas 2 raízes reais e positivas;
d) apenas 2 raízes reais e negativas;
e) apenas 2 raízes reais e de sinais
contrários.


3) Resolva as seguintes equações
irracionais.
a)
2
x 12 2 x ÷ = ÷


b) x 1 x 7 2 + ÷ ÷ =



Exercícios propostos:

1. O conjunto solução da equação
4 2
x 5x 4 0 ÷ + = é:
a) { } 1, 2 b) { } 1, 2 ÷ ÷ c) { } 1, 4
d) { } 1, 1, 2, 2 ÷ ÷ e) C



2. (UEL – PR) A raiz da equação
1
x 3
x 3
= ÷
÷
é um número:
a) ímpar b) divisor de 2
c) divisor de 3 d) múltiplo de 4
e) divisor de 10




3. (PUC – SP) A solução da equação
x 2x 2 3 ÷ + = é:
a) 1 b) 2 c) 3 d) 5 e) 7




71
4. (PUC – PR) O conjunto verdade da
expressão 4x 1 2x 1 + = ÷ é:
a) { } 2 b) { } 0, 2 c) { } 0
d)
1
0,
2
¦ ¹
´ `
¹ )
e)
1
2
¦ ¹
´ `
¹ )





5. (FGV – SP) Com relação à equação
x 2 2x 7 + = + , podemos afirmar que o
conjunto solução é:
a) { } 3, 1 ÷ b) { } 3 ÷ c) { } 1, 3 ÷
d) { } 1 e) C




6. (PUC – MG) A solução da equação
x 2 4 x + = ÷ pertence ao intervalo:
a) | |
2, 7 b) | |
2, 3 c) | |
0, 1
d) | | 1, 3 ÷ e) | | 1, 1 ÷




7. (FGV – SP) A equação
2
x 1 x 1 ÷ = ÷ ÷ :
a) tem duas raízes reais;
b) tem três raízes reais;
c) não tem raízes reais;
d) não tem raízes;
e) tem uma única raiz real.




8. (FUVEST – SP) Subtraindo-se 3 de
um certo número, obtém-se o dobro de
sua raiz quadrada. O número é:
a) um cubo perfeito;
b) um quadrado perfeito;
c) um número primo;
d) um número irracional;
e) um múltiplo de 6.






72
9. (PUC – SP) O conjunto verdade da
equação x 1 2x 2 2 ÷ + + = é:
a) { } 9 b) { } 4 c) { } 3
d) { } 3, 9 e) C



10. A equação
3
x x = :
a) não possui solução real;
b) possui apenas uma solução real;
c) possui apenas duas soluções reais;
d) possui apenas três soluções reais;
e) possui infinitas soluções reais.



11. (ACAFE – SC) Para que valores de
x, temos
( ) ( )
2
2 2
x 1 7. x 1 10 0 + ÷ + + = ?
a) { } 1, 2 ÷ ÷ b) { } 2, 1
c) { } 2, 1, 1, 2 ÷ ÷ d) { } 5, 2
e) { } 5, 2, 2, 5 ÷ ÷



12. (UFPA) A solução da equação
x 2 2x 2 1 + ÷ + = ÷ é um número:
a) múltiplo de 5;
b) divisor de 2;
c) múltiplo de 3;
d) primo;
e) múltiplo de 2.





DESAFIO

Resolva a equação:
2 2
3x 4x 6 3x 4x 18 ÷ ÷ + ÷ =




GABARITO:
1. d 2. d 3. e 4. a
5. d 6. d 7. e 8. b
9. c 10. c 11. c 12. d
DESAFIO:
5
S , 3
3
¦ ¹
= ÷
´ `
¹ )



73
AULA 16 – GRANDEZAS PROPORCIONAIS

Razão
Denomina-se razão entre dois
números o quociente do primeiro pelo
segundo. O primeiro é denominado
antecedente e o segundo consequente.

a
b

a
A razão é lida: "a está para b"
b


Proporção
Denomina-se proporção a
igualdade entre duas ou mais razões. A
igualdade
a c
b d
= é uma proporção. Os
números a e c são denominados
antecedentes e os números b e d
consequentes. Outra denominação
possível é meios (b e c) e extremos (a
e d) da proporção.

Propriedade 1
Em uma proporção, o produto
dos meios é igual ao produto dos
extremos.
a c
a.d b.c
b d
= · =

Propriedade 2
Uma proporção é mantida se
adicionarmos os antecedentes e os
consequentes.

a c a c
b d b d
+
= =
+


Propriedade 3
Uma proporção é mantida se
subtrairmos os antecedentes e os
consequentes.
a c a c
b d b d
÷
= =
÷


Grandezas diretamente proporcionais
Diz-se que duas grandezas são
diretamente proporcionais se existir
uma correspondência entre elas de tal
forma que, multiplicando-se uma delas
por um número, a outra fica
multiplicada pelo mesmo número. Se x
e y são grandezas diretamente
proporcionais, temos que:
y
y k. x ou k
x
= =



antecedente
consequente

74
Grandezas inversamente proporcionais
Diz-se que duas grandezas são
inversamente proporcionais se existir
uma correspondência entre elas de tal
forma que, multiplicando-se uma delas
por um número, a outra fica dividida
pelo mesmo número. Se x e y são
grandezas inversamente proporcionais,
temos que:
k
y ou y. x k
x
= =

Regra de três
A regra de três é um processo
prático para resolver problemas cujas
grandezas envolvidas são diretamente
ou inversamente proporcionais.
Existem muitos métodos para utilizar a
regra de três. Um deles consiste em:
Organizar em colunas as grandezas
envolvidas no problema.
Em relação a grandeza que possui
a incógnita, verificar se as demais
são diretamente ou inversamente
proporcionais.
Escrever a grandeza que possui a
incógnita em função das d
-
-
-
emais.
Determinar a constante de
proporcionalidade.
Solucionar o problema.
-
-




Exemplos:
1) Um veículo consumiu 50 litros de
gasolina para percorrer 600 km. Qual
será o consumo de gasolina para esse
veículo percorrer 840 km?
Consumo Distância
50 600 km
x 840 km
• Quanto maior a distância percorrida,
maior o consumo de gasolina. Logo,
distância e consumo são diretamente
proporcionais.
Sendo C o consumo e D a distância
percorrida, temos:
C k.D
C 50 e D 600 50 k
=
= = ¬ =
1
.600 k
12
1
C x e D 840 x .840 x 70
12
=
= = ¬ = =

2) Uma obra é construída por 12
operários em 90 dias. Em quantos dias
essa obra seria construída por 18
operários?
Tempo Número de operários
90 dias 12
x 18
• Quanto maior o número de operários,
menor o tempo. Logo, número de
operários e tempo são inversamente
proporcionais.
Sendo T o tempo e N o número de
operários, temos:
k
T
N
k
T 90 e N 12 90 k 1080
12
T
=
= = ¬ = =
1080
x e N 18 x x 60 dias
18
= = ¬ = =


75
3) Um ciclista percorre 300 km em 4
dias, pedalando 3 horas por dia. Em
quantos dias, pedalando 4 horas por
dia, esse ciclista iria percorrer 800 km?
N
Dias Distância Horas por dia
4 300 km 3
x 800 km 4
• Quanto maior a distância, maior o
número de dias.
• Quanto maior o número de horas por
dia, menor o número de dias.
Sendo N o número de dias, D a distância
e H o número de horas por dia, temos:
k.D
N
H
=
=
k.300 1
4, D 300 e H 3 4 k
3 25
1
.800
25
N x, D 800 e H 4 x x 8
4
Assim, o ciclista demoraria 8 dias.
= = ¬ = =
= = = ¬ = =

Exercícios em aula:

1) Calcule os valores de x e y tais que
x y 20 + = e
x y
2 3
= .


2) Divida o número 180 em três partes
diretamente proporcionais aos números
2, 3 e 4.


3) Um livro de 240 páginas possui 30
linhas em cada página. Se o mesmo
livro fosse reimpresso com os mesmos
caracteres, utilizando 40 linhas em
cada página, quantas páginas teria o
novo livro?



4) Se dois gatos caçam dois ratos em
dois minutos, quantos gatos são
necessários para caçar 60 ratos em 30
minutos?



5) (UEL – PR) José limpa o vestiário de
um clube de futebol em 30 minutos,
enquanto seu irmão, Jair, limpa o
mesmo vestiário em 45 minutos.
Quanto tempo levarão os dois para
limpar o vestiário juntos?
a) 15 minutos e 30 segundos
b) 18 minutos
c) 20 minutos
d) 36 minutos
e) 37 minutos e 30 segundos



76
Exercícios propostos:

1. Na proporção
2x 1 4
3 5
+
= , o valor de
x é:
a) 0,5 b) 0,7 c) 0,8 d) 0,9 e) 1,2



2. (PUC – SP) Para que se verifique a
igualdade
9 x 5
y 8 20
= = , os valores de x
e y devem ser, respectivamente:
a) 2 e 5 b)
1 1
e
4 5
c) 2 e 36
d) 5 e 35 e) 1 e 5



3. (UFRN) Uma gravura de forma
retangular, medindo 20 cm de largura
por 35 cm de comprimento, deve ser
ampliada para 1,2 m de largura. O
comprimento correspondente será:
a) 0,685 m b) 6,85 m c) 2,1 m
d) 1,35 m e) 0,21 m



4. (PUC – MG) São necessários sete
litros de leite para fabricar um quilo e
meio de manteiga. Nessas condições,
o volume de leite necessário para
fabricar doze quilos de manteiga é:
a) 42 litros b) 56 litros
c) 62 litros d) 84 litros


5. (MACK – SP) Dividindo 70 em partes
proporcionais a 2, 3 e 5, a soma entre a
menor e a maior parte é:
a) 35 b) 49 c) 56 d) 42 e) 28



6. (UEL – PR) Numa gráfica, 5
máquinas de mesmo rendimento
imprimem um certo número de cópias
de certo folheto em 8 horas de
funcionamento. Se duas delas
quebrassem, em quanto tempo de
funcionamento as máquinas restantes
fariam o mesmo serviço?
a) 4 horas e 8 minutos
b) 4 horas e 48 minutos
c) 13 horas e 20 minutos
d) 13 horas e 33 minutos
e) 20 horas

77
7. (UPF – RS) Um veículo de
transporte coletivo tem capacidade
para transportar 30 adultos ou 36
crianças. Se 20 adultos já estão no
coletivo, quantas crianças a viatura
ainda poderá transportar?
a) 18 b) 8 c) 10 d) 12 e) 16



8. (FUVEST – SP) Uma família de 6
pessoas consome em 2 dias 3 kg de
pão. Quantos quilos serão necessários
para alimentá-la durante 5 dias estando
ausentes duas pessoas?
a) 3 b) 5 c) 4 d) 6 e) 2



9. (UFPR) Uma piscina possui duas
bombas ligadas a ela. A primeira
bomba, funcionando sozinha, esvazia a
piscina em 2 horas. A segunda,
também funcionando sozinha, esvazia
a piscina em 3 horas. Caso as duas
bombas sejam ligadas juntas,
mantendo o mesmo regime de
funcionamento, a piscina será
esvaziada em:
a) 1 hora b) 1,2 horas c) 2,5 horas
d) 3 horas e) 5 horas
10. (PUCCAMP – SP) Considere o
número D de dias que N máquinas, de
igual rendimento R, funcionando
ininterruptamente durante H horas por
dia, levariam para produzir P peças
iguais. Se k é uma constante real, é
verdade que:
a)
k
D
H.N.P.R
= b)
k.P
D
H.N.R
=
c)
k.N.P
D
H.R
= d)
k.H.P
D
N.R
=
e)
k.P.R
D
H.N
=




11. (UFPE) Se
2
x gatos caçam
3
x
ratos em x dias, em quantos dias 10
destes gatos caçam 100 ratos?
a) 1 dia b) 10 dias c) 20 dias
d) 40 dias e) 50 dias







78
12. (PUC – MG) Duas costureiras
fazem 5 cortinas em 5 dias. Se duplicar
o grau de dificuldade, três costureiras,
com a mesma capacidade, farão três
cortinas em:
a) 3 dias b) 4 dias c) 6 dias
d) 8 dias e) 10 dias



















DESAFIO

Um fazendeiro possui ração suficiente
para alimentar suas 16 vacas durante
62 dias. Após 14 dias, ele vende 4
vacas. Passando mais 15 dias ele
compra 9 vacas. Quantos dias, no total,
durou sua reserva de ração?















GABARITO:
1. b 2. c 3. c 4. b
5. b 6. c 7. d 8. a
9. b 10. b 11. b 12. b
DESAFIO: 57 dias

79
AULA 17 – PORCENTAGEM

Razão centesimal
Uma razão cujo consequente é
igual a 100 é denominada razão
centesimal.
Exemplos:
3 21 87
, ,
100 100 100


Porcentagem
Porcentagem ou percentagem é
uma razão centesimal, representada
pelo símbolo %, lido como “por cento”.
Exemplos:
3
0,03 3%
100
21
0,21 21%
100
87
0,87 87%
100
- = =
- = =
- = =


Assim, por exemplo, 25% de
320 é igual a
25
.320 80
100
= . Para que
um valor seja aumentado de 25%,
devemos multiplicá-lo por
125
1,25
100
= .
Se um valor deve ser diminuído de
25%, devemos multiplicá-lo por
75
0,75
100
= .
Exercícios em aula:

1) Calcule:
a) 22%de 500 =

b) 31%de 800 =

c) 60%de 900 =

d) 120%de 240 =

e) 185%de 300 =


2) (FGV – SP) Trinta por cento da
quarta parte de 6400 é igual a:
a) 480 b) 640 c) 240 d) 160 e) 120





80
3) (UDESC – SC) De 150 candidatos
que participaram de um concurso, 60
foram aprovados. Isso significa que:
a) 20% reprovaram
b) 30% foram aprovados
c) 40% reprovaram
d) 50% foram aprovados
e) 60% reprovaram




4) (PUC – SP) Uma certa mercadoria,
que custava R$ 12,50 , teve um
aumento, passando a custar R$ 14,50 .
A taxa de reajuste sobre o preço antigo
é de:
a) 2,0% b) 20,0% c) 12,5%
d) 11,6% e) 16,0%


5) (CESGRANRIO – RJ) Se o seu
salário subiu 56%, e os preços subiram
30%, de quanto aumentou o seu poder
de compra?
a) 20% b) 21% c) 23%
d) 25% e) 26%




Exercícios propostos:

1. Os valores pelos quais um número
qualquer deve ser multiplicado, para
aumentá-lo em 30% e diminuí-lo de
20% são, respectivamente:
a) 0,3 e 0,2 b) 0,3 e 0,8 c) 1,3 e 0,2
d) 1,3 e 0,8 e) 1,03 e 0,8

2. (OBM) Uma loja de CD’s realizará
uma liquidação e, para isso, o gerente
pediu para Anderlaine multiplicar todos
os preços dos CD’s por 0,68. Nessa
liquidação, a loja está oferecendo um
desconto de:
a) 68% b) 6,8% c) 0,68%
d) 3,2% e) 32%


81
3. (FUVEST – SP) ( )
2
10% é igual a:
a) 1% b) 10% c) 20%
d) 100% e) 2%



4. (CESGRANRIO – RJ) Numa turma,
80% dos alunos foram aprovados, 15%
reprovados e os 6 alunos restantes
desistiram do curso. Na turma havia:
a) 65 alunos b) 95 alunos
c) 80 alunos d) 120 alunos
e) 150 alunos
OBS: O autor da questão quis se referir
ao número exato de alunos da turma.




5. (PUC – RJ) 30%de 30% são:
a) 3000% b) 300% c) 900%
d) 9% e) 0,3%





6. (UFMS) Cíntia e Fábio querem dividir
R$ 3600,00 de modo que Cíntia
receba 80% da quantia que Fábio
receberá. A parte que caberá a Fábio
será:
a) R$1500,00 b) R$1600,00
c) R$1800,00 d) R$2000,00
e) R$2400,00



7. (UFC) O preço de um aparelho
elétrico com um desconto de 40% é
igual a R$36,00. Calcule, em reais, o
preço deste aparelho elétrico, sem este
desconto.



8. (ESAL – MG) Suponhamos que a
taxa de inflação tenha sido igual a 20%
nos meses de abril, maio e junho. Isto
significa que a inflação acumulada
nesses meses foi de:
a) 60% b) 50% c) 68%
d) 70% e) 72,8%



82
9. (FUVEST – SP) Que número deve
ser somado ao numerador e ao
denominador da fração
2
3
para que ela
tenha um aumento de 20%?
a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5



10. (UFES) Se hoje Rafael tem 20 anos
e Patrícia tem 18 anos, então ela terá
92% da idade dele daqui a quantos
anos?
a) 6 b) 5 c) 4 d) 3 e) 2




11. (UFCE) Numa sala há 100
pessoas, das quais 97 são homens.
Para que os homens representem 96%
das pessoas contidas na sala, deverá
sair que número de homens?
a) 2 b) 5 c) 10 d) 15 e) 25



12. (MACK – SP) Numa faculdade com
48 professores, apenas 25% são
doutores. Foram contratados novos
professores sem o título de doutor e,
com isso, a porcentagem de
professores doutores diminuiu para
24%. Nessas condições, o número
atual de professores da faculdade é:
a) 84 b) 62 c) 60 d) 52 e) 50




DESAFIO

(UNICAMP – SP) Uma quantidade de
6240 litros de água apresentava um
índice de salinidade de 12%. Devido à
evaporação esse índice subiu para
18%. Calcule, em litros, a quantidade
de água que evaporou.






GABARITO:
1. d 2. e 3. a 4. d
5. d 6. d 7. R$60,00 8. e
9. b 10. b 11. e 12. e
DESAFIO: 2080 litros


83
AULA 18 – MEDIDAS

Medir é comparar.
O ato de medir consiste em realizar uma comparação entre o objeto de
interesse e uma unidade padrão pré-estabelecida. Vamos estudar as seguintes
unidades de medida:
• Unidades de comprimento
• Unidades de área
• Unidades de volume
• Unidades de capacidade
• Unidades de medida de ângulos
• Unidades de medida de tempo
• Unidades agrárias

Unidades de comprimento
A unidade padrão de medida de comprimento é o metro.

Unidades de área
A unidade padrão de medida de área é metro quadrado.


84
Unidades de volume
A unidade padrão de medida de volume é o metro cúbico.

Unidades de capacidade
A unidade padrão de medida de capacidade é o litro.

Um litro é equivalente a um cubo cujas arestas medem 1 dm.

Assim,
3
1dm 1L = .
Como conseqüência, temos que:
3
3
1cm 1mL
1m 1000 L
- =
- =


85
Unidades de medidas de ângulos
A principal unidade é o grau. O
grau, representado pelo símbolo °, é
um ângulo que corresponde a
1
360
de
uma circunferência.

O grau admite submúltiplos:
1
minuto: 1' 1 60'
60
1'
segundo: 1'' 1' 60''
60
°
- = ¬ ° =
- = ¬ =


Unidades de medidas de tempo
A principal unidade é a hora. A
hora, representada pela letra minúscula
h, corresponde a
1
24
de um dia. A hora
admite submúltiplos.
1h
minuto: 1min 1h 60 min
60
1min
segundo: 1 s 1min 60 s
60
- = ¬ =
- = ¬ =





Unidades agrárias
Apenas como curiosidade, as
unidades a seguir são utilizadas para
medir superfícies de terra em áreas
rurais do país.
2
2
1hectare 10000 m
1alqueire 24200 m
- =
- =


Exercícios em aula:

1) Transforme as medidas em metros.
a) 12 km=
b) 25 dm=
c) 80 cm=

2) Transforme as medidas em metros
quadrados.
a)
2
2 km =
b)
2
7 dm =
c)
2
36 cm =

3) (UFRJ) Uma chapa de vidro tem
0,15 metros quadrados. Quanto mede
a sua área em centímetros quadrados?
Justifique.


86
4) (UFPE) Uma empresa de exportação
de gasolina comunicou à ANP o
desaparecimento de 7,2 milhões de
litros de gasolina dos seus depósitos.
Se um caminhão-tanque tem
capacidade de
3
32 m , quantos
caminhões seriam necessários para
transportar a gasolina desaparecida?
a) 205 b) 210 c) 215
d) 220 e) 225




5) (UFRN) A velocidade de 27 km/s,
quando expressa em cm/h, é
equivalente a:
a)
6
972 10 × cm/h b)
7
972 10 × cm/h
c)
6
270 10 × cm/h d)
5
270 10 × cm/h
e)
4
270 10 × cm/h








Exercícios propostos:

1. Para transformar uma distância
qualquer, expressa em metros, para
quilômetros e centímetros, multiplica-
se, respectivamente, por:
a)
3 2
10 e 10
÷
b)
2 3
10 e 10
÷

c)
2 2
10 e 10
÷
d)
3 3
10 e 10
÷

e)
2 3
10 e 10
÷


2. Um automóvel vai de Curitiba a São
Paulo, percorrendo um total de 400 km.
Podemos afirmar que essa distância é
equivalente a:
a) 40000 m b) 4000 dam
c) 400000 hm d) 400000 m
e) 40 hm


3. (PUC – MG) A escada representada
na figura tem sete degraus e altura
1,54 m. A altura e cada degrau, em cm,
é:
a) 18 b) 22 c) 25 d) 28 e) 32


87
4. Para transformar a área de uma
superfície qualquer, expressa em
metros quadrados, para quilômetros
quadrados e centímetros quadrados,
multiplica-se, respectivamente, por:
a)
6 2
10 e 10
÷
b)
6 3
10 e 10
÷

c)
3 2
10 e 10
÷
d)
6 4
10 e 10
÷

e)
6 4
10 e 10
÷



5. A área de uma chapa metálica é
igual a 2,5 metros quadrados. A área
dessa chapa, expressa em centímetros
quadrados, é igual a:
a) 250 b) 2500 c) 25000
d) 250000 e) 2500000


6. Assinale V ou F, conforme cada
afirmativa seja verdadeira ou falsa,
respectivamente.
( )
( )
( )
( )
3
3
3
3
1m 1L
1 dm 1L
1 cm 1mL
1mm 0,001L
=
=
=
=

A sequencia correta, de cima para
baixo, é:
a) F,V,F,V b) F,V,V,F c) F,V,V,V
d) F,F,V,V e) V, V, V,V
7. (UFRS) Considerando que um dia
equivale a 24 horas, 1,8 dias equivale
a:
a) 1 dia e 8 horas
b) 1 dia e 18 horas
c) 1 dia e 19 horas
d) 1 dia, 19 horas e 2 minutos
e) 1 dia, 19 horas e 12 minutos




8. (UEGO) Um reservatório de uma
distribuidora de gás tem capacidade
para
3
88,4 m do produto. Sabendo-se
que o botijão, usado nas cozinhas, vem
embalado na forma líquida
(transformando-se em gás depois) e
que cada botijão tem capacidade para
13 litros, a capacidade total do
reservatório da distribuidora equivale a:
a) 7110 botijões de gás;
b) 7010 botijões de gás;
c) 6900 botijões de gás;
d) 6880 botijões de gás;
e) 6800 botijões de gás;


88
9. (UFRS) Durante os jogos Pan-
Americanos de Santo Domingo, os
brasileiros perderam o ouro para os
cubanos por 37 centésimos de
segundo nas provas de remo. Dentre
as alternativas, o valor mais próximo
desse tempo, medido em horas, é:
a)
4
1,03.10
÷
b)
4
1,3.10
÷

c)
3
1,03.10
÷
d)
3
1,3.10
÷

e)
2
1,03.10
÷




10. (UNIRIO – RJ) Uma área de
4 2
2.10 km , numa certa região do
Estado do Rio, possui 20% de terras
cultiváveis e improdutivas. Essas terras
cultiváveis e improdutivas deverão ser
usadas no assentamento de famílias de
agricultores sem terra. Considerando
que cada família receba 40 hectares
( )
4 2
1ha 10 m = , o número total de
famílias será de:
a) 40000 b) 20000 c) 10000
d) 4000 e) 1000




11. (UERJ – RJ) Pedro foi comprar
papel para a impressora e observou
que em cada pacote havia a seguinte
especificação:
100 folhas de papel 75 g/m
2
no formato
215 mm x 315 mm
O valor mais próximo, em kg, do
conteúdo de cada pacote é:
a) 0,5 b) 1,6 c) 2,3 d) 5,0 e) 2,0


12. (UFRS) Observe a tabela abaixo,
usada em informática.
1byte 8 bits
1kilobyte 1024 bytes
1megabyte 1024 kilobytes
1 gigabyte 1024 megabytes
1 terabyte 1024 gigabytes
=
=
=
=
=

A medida, em gigabytes, de um arquivo
de 2000 bytes é:
a)
3
2
÷
b)
3 30
5 .2
÷
c)
3 30
10 .2
÷

d)
3 26
5 .2
÷
e)
3 26
10 .2
÷





GABARITO:
1. a 2. d 3. b 4. e
5. c 6. c 7. e 8. e
9. a 10. a 11. c 12. d


89
AULA 19 – GEOMETRIA PLANA BÁSICA: ÁREAS

Vamos agora estudar algumas
figuras geométricas, algumas de suas
relações e suas áreas.

Paralelogramo
É um quadrilátero que possui os
lados opostos paralelos.

Área b.h =

Retângulo
É um quadrilátero que possui os
quatro ângulos congruentes (mesma
medida).

Área b.h =



Losango
É um quadrilátero que possui os
quatro lados congruentes.

D.d
Área
2
=

Quadrado
É um quadrilátero que possui os
quatro lados congruentes e os quatro
ângulos congruentes.

2
Área L
d L 2
=
=





90
Trapézio
É um quadrilátero que possui
dois lados paralelos.

B b
Área .h
2
+ | |
=
|
\ .


De acordo com as definições
anteriores, podemos concluir que:
● Todo quadrado é um retângulo.
● Todo quadrado é um losango.
● Todo retângulo e todo losango são
paralelogramos.
● Todo paralelogramo é um trapézio.
Em diagramas, temos:



Triângulo

b.h
Área
2
=

Circunferência e círculo

CIRCUNFERÊNCIA
Comprimento 2 .R = t


2
CÍRCULO
Área .R = t






91
Exercícios em aula:

1) (PUC – SP) A área do quadrado
sombreado é:

a) 36 b) 40 c) 48 d) 50 e) 60



2) (UFPR) Qual o valor da área da
figura?

a) 95 b) 144 c) 169 d) 119 e) 109





3) (FUVEST – SP) Aumentamos a
altura de um triângulo em 10% e
diminuímos a sua base em 10%. Então
a área do triângulo:
a) aumenta 1% b) aumenta 0,5%
c) decresce 0,5% d) decresce 1%
e) não se altera.



4) (MACK – SP) Quatro círculos de raio
unitário, cujos centros são vértices de
um quadrado, são tangentes
exteriormente dois a dois. A área da
parte sombreada é:

a) 2 3 ÷ t b) 3 2 ÷ t c)
2
t

d) 4 ÷ t e) 5 ÷ t






92
5) (UFES) A figura sombreada abaixo é
limitada por semicircunferências e
inscrita num quadrado de lado 2 m = .
Sua área vale:

a)
2
2 m b)
2
(4 ) m ÷ t
c)
2
2 m
2
t | |
÷
|
\ .
d)
2
(2 4) m t ÷
e)
2
( 2) m t ÷




Exercícios propostos:

1. (CESGRANRIO – RJ) A área da sala
representada na figura é:

a)
2
15 m b)
2
17 m c)
2
19 m
d)
2
20 m e)
2
21m
2. (CESGRANRIO – RJ) Se as duas
diagonais de um losango medem,
respectivamente, 6 cm e 8 cm, então a
área do losango é:
a)
2
18 cm b)
2
24 cm c)
2
30 cm
d)
2
36 cm e)
2
48 cm


3. (CESGRANRIO – RJ) A base de um
retângulo de área S é aumentada de
20% e sua altura é diminuída de 20%.
A área do novo retângulo formado é:
a) 1,04S b) 1,02S c) S
d) 0,98S e) 0,96S



4. (FUVEST – SP) Os lados de um
retângulo de área
2
12 m estão na
razão 1:3. Qual o perímetro do
retângulo?
a) 8 m b) 12 m c) 16 m
d) 20 m e) 24 m




93
5. (PUC – MG) As dimensões de um
terreno retangular estão na razão
5
8
.
Se a área do terreno é de
2
1000 m ,
então sua menor dimensão em metros
é de:
a) 15 b) 20 c) 25 d) 30 e) 35




6. (FATEC – SP) A diagonal de um
quadrado é k 2 . O perímetro de um
outro quadrado, com
1
4
da área do
primeiro é:
a) 2k b) k c)
k
2
d)
k
4
e) 4k



7. (UFPA) A área de um círculo é
2
5 cm t . Sua circunferência mede:
a) 10 cm t b) 5 cm t c)
5
cm
2

d) 5 cm t e) 2 5 cm t

8. (PUC – BA) Na figura abaixo temos
dois círculos concêntricos, com raios
5 cm e 3 cm.

A área da região sombreada, em
centímetros quadrados, é:
a) 9t b) 12t c) 16t
d) 20t e) 25t



9. (UFRS) A região representada na
figura é limitada por 4
semicircunferências de raio R. A área
da região é:
a)
2
4R .( 1) t + b)
2
2R .( 2) t +
c)
2
R .(2 1) t + d)
2
4 R t e)
2
2 R t





94
10. (UECE) Em um trapézio a soma
das bases é 24 cm, a altura é igual à
metade da base maior e a base menor
é igual à altura. A área desse trapézio,
em
2
cm , é:
a) 60 b) 72 c) 84 d) 96




11. (CESGRANRIO – RJ) A região
sombreada R da figura é limitada por
arcos de circunferência centrados nos
vértices do quadrado de lado 2 . A
área de R é:
a)
2
2
t
b)
( )
2
2 2 t ÷
c)
2
4
3
| |
t ÷
|
\ .
d)
2
(4 ) ÷ t e)
2
2





12. (PUC – BA) Na figura, ABCD é um
losango e A é o centro da
circunferência de raio 4 cm. A área
desse losango, em centímetros
quadrados, é:
a) 4 3 b) 8 c) 12 d) 8 3 e) 12 3



















GABARITO:
1. d 2. b 3. e 4. c
5. c 6. a 7. e 8. c
9. b 10. d 11. d 12. d

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful