O uso da biorremediação na recuperação de áreas degradas.

Componentes:
Bruno Diniz Felipe Castro Leonardo Mendes Pablo Moraes Tarcisio Caires

Introdução
Degradação ambiental vs desenvolvimento
A revolução industrial levou a um enorme aumento da poluição e da produção de resíduos tóxicos A má gestão dos dejetos gerados pelas atividades humanas tem levado à contaminação de diversos ambientes

Introdução
A degradação ambiental ocasionada por rejeitos tóxicos leva a perda da biodiversidade, Contaminação de águas e solos, Propagação de doenças.

Introdução A preocupação com a contaminação ambiental e suas conseqüências vem aumentando nas ultimas décadas O investimento em técnicas de remediação esta estimado entre 25 e 35 bilhões de dólares por ano Entretanto. pois a maioria dos países ainda não tem condições de identificar e catalogar seus sítios contaminados . é difícil avaliar este mercado em detalhes.

. Quimícos: extração quimica. Dentre as técnicas citadas.. lavagem de solo.Introdução Diversas técnicas de remediação são atualmente utilizadas para recuperação de áreas degradadas tais quais: Métodos físicos: Pump and treat. biopilhas. .. biocélulas... Biológicos: landfarming. incineração.. oxiredução. a biorremediação destaca-se devido a maior eficiência e o baixo custo.

nos próximos anos. pode ser entendida como uma tecnologia que visa a prevenção e minimização de impactos antrópicos negativos e a restauração de habitats naturais contaminados utilizando agentes biológicos A previsão é de que.Introdução A Biorremediação. . em sentido amplo. o mercado mundial da biorremediação atinja mais de US$ 70 bilhões anuais.

enzimas e a interação entre eles. A biorremediação não é novidade.Introdução Atualmente a biorremediação não se restringe apenas na utilização de microorganismos. mas também as plantas. . uma vez que microrganismos e plantas convivem há milhões de anos com compostos orgânicos e metais. coexistindo em ambiente de limitação ou de excesso.

Introdução Do ponto de vista prático. . a biorremediação é fundamentada em três aspectos principais: a) Existência de microrganismos com capacidade catabólica para degradar o contaminante. b) O contaminante deve estar disponível ou acessível ao ataque microbiano ou enzimático. c) Condições ambientais adequadas para o crescimento e atividade do agente biorremediador.

Introdução .

com.Introdução Principais dificuldades: .enzilimp.jpg .Alta concentração do contaminante .Heterogeneidade do rejeito . http://www.br/bancoimg /070215030853peixes8.Condições adequadas para o crescimento microbiano.

arquipelago. para estimular os microrganismos autóctones. para aumentar a atividade microbiana decompositora. http://www. como O2 e CH4. como N e P. Bioventilação bioestimulação por meio da adição de gases estimulantes.jpg .com.Introdução Tipos de biorremediação: Passiva degradação intrínseca ou natural pelos microrganismos autóctones Bioestimuladora adição de nutrientes.br/imagens/estudos_remediacao3.

. hidrocarbonetos clorados e carbonatos.Culturas puras ou consórcio microbiano.Introdução Bioaumentação é a inoculação do local contaminado com microrganismos selecionados para degradação do contaminante.Poucas evidências definitivas de sucesso. transgênicos ou não. . exceto para Agrobacterium radiobacter e Phanerochaete chrysosporum. . .Herbicidas.

Introdução Compostagem é o uso de microrganismos termofílicos aeróbios em pilhas construídas para degradar o contaminante.pt/images/jardice ntro_caixa_compostagem_jck186236. http://www. É um processo barato e fácil de ser monitorado.jpg .jardicentro. incluindo contaminantes explosivos. A elevação da temperatura na massa contaminada é ideal para tratamento de rejeitos e lodos diversos.loja.

Contaminante em forma sólida ou líquida. .Introdução Landfarming aplicação e incorporação de contaminantes ou rejeitos contaminados na superfície de solo não contaminado para degradação. misturado por aração. Muito utilizada no Brasil.

Secreção de substâncias. . Aumento considerável na degradação de contaminantes.Introdução Fitorremediação uso de plantas para descontaminação superficial do solo. Expansão da população de microrganismos.

COMPOSTOS ORGANOCLORADOS http://www.tc.edu/~allch001/1815/pestcide/sim/ddt-long-isl-1945.jpg .umn.

Características gerais Compostos orgânicos que contêm cloro em sua composição Apresentem grande toxicidade Grande persistência no meio ambiente / longo período para biodegradação Lipossolúveis .

toxafeno Resíduos industriais (metalurgia. além do hexaclorobenzeno Produção global excede 100000 toneladas.Histórico Muito usados como pesticidas e fungicidas ao longo do século XX: DDT. Hexaclorobenzeno (HCB). pneus e outras) : bifenilas policloradas. tendo sido a maior parte produzida na década de 70 . dioxinas e furanos.

http://wiseeats.wordpress.com/2009/04/17/breaking-news-genetically-engineered-crops-fail-to-yield/ .

jpg .Impactos causados Efeitos adversos comprovados em diversas espécies Grande persistência + lipossolubilidade = bioacumulação Concentração da substância no nível trófico http://4.bp.blogspot.com/_y3_jji6uWps/SGqb_XTSSwI/AAAAAAAAADY/wIV1VGaJ7cw/s320/CADEIA%2BALIMENTAR.

Alguns efeitos negativos já observados dos organoclorados: Redução na rigidez da casca de ovos de águias. em decorrência de uma fábrica de inseticidas desativada na década de 50. Em regiões industriais de SP. como Cubatão há grandes áreas de solos e água contaminados por organoclorados. populações Lençóis freáticos contaminados por organoclorados são observados hoje. falcões e açores em todo o mundo. RJ. Fracasso na reprodução da truta-do-mar em Laguna Madre (Texas) e da águia-marinha no Báltico. em Duque de Caxias. Grande incidência de câncer gastrointestinal em consumidoras de águas altamente contaminadas na Índia. .

http://www.jpg .scienceclarified.com/images/uesc_04_img0177.

por exemplo PROBLEMA: a contaminação por organoclorados é persistente!! Objetivo atual: banir o uso de organoclorados e a contaminação gerada por eles em escala global.Vários países já proibiram a produção e o uso de uma série de organoclorados. . como o DDT e HCB.

.

.

nutrientes e umidade ao solo a ser recuperado favorecem a atividade dos fungos em questão. HCB). . Adição de O2. lacases (LAC) e peroxidases dependentes do manganês (MnP) Inespecificidade do complexo enzimático que secretam Também capazes de degradar diversos tipos de compostos organoclorados (ex: DDT. H2O e outros produtos não tóxicos. gerando CO2.Biorremediação de Organoclorados Alguns fungos basidimicetos: degradam a ligninina de madeiras Têm as enzimas lignina peroxidase (Lip).

Biorreatores: permitem o controle das condições de atividade dos microorganismos (Temperatura. umidade. nutrientes. Evitam a permanência do poluente no local contaminado por mais tempo.Essa mineralização de organoclorados já foi obtida em pequena escala (30 a 100 g de solo) em laboratório. Em escalas maiores encontram-se dificuldades para obter o mesmo êxito. Mais estudos e ajustes nesses biorreatores provavelmente permitirão no futuro uma biorremediação em grande escala com a mesma eficiência. etc). aeração. .

.

ÁREAS CONTAMINADAS POR METAIS PESADOS Tanque de rejeitos da Companhia Mercantil e Industrial Ingá na Baía de Sepetiba. Itagu .

546 e 200. Quimicamente. chumbo e cádmio não possuem nenhuma função dentro dos organismos e a sua acumulação pode provocar graves doenças.org.estrôncio e zinco) para a realização de funções vitais no organismo.br/vivaterra_metais_pesados. Outros metais pesados como o mercúrio.O QUE SÃO METAIS PESADOS? Metais pesados são metais altamente reativos e bioacumuláveis. Os seres vivos necessitam de pequenas quantidades de alguns desses metais (cobalto. cobre. vanádio.0 g/cm3. são definidos como um grupo de elementos situados entre o cobre e o chumbo na tabela periódica tendo pesos atômicos ente 63. Porém níveis excessivos desses elementos podem ser extremamente tóxicos. sobretudo nos mamíferos.590 e densidade superior a 4.vivaterra. molibdênio. http://www. manganês.htm .

grandes quantidades de chumbo eram obtidas de minérios. como subproduto da fusão da prata e isso provavelmente tenha sido o início da utilização desse metal pelo homem. Há aproximadamente 2. seja pela negligência no seu tratamento antes de despejá-las nos rios ou por acidentes e descuidos cada vez mais freqüentes.com.portogente.000 anos a.Acredita-se que os metais pesados sejam os agentes tóxicos mais conhecidos pelo homem.php?co d=3712 . O elevado desenvolvimento industrial ocorrido nas últimas décadas. tem sido um dos principais responsáveis pela contaminação de nossas águas e solos.br/texto. Disposição de resíduos industriais em área de mangue aterrado. http://www.C..

tintas. aramados. ferro. Soldas. serralheria. fezes e vômitos fosforescentes. esmaltes. rodenticidas (tipo de inseticida usado na lavoura) e fogos de artifício. pintura em cerâmica. câncer Cobalto Cromo Fósforo amarelo Mercúrio Níquel Fumos metálicos Náuseas. baterias e pilhas. Fabricação e reciclagem de baterias de autos. tosse. indústria de tintas. fundição e niquelagem de metais. muscular. soldagem de medicamentos (antiácidos) e tratamento convencional de água. níquel e zinco) da soldagem industrial ou da galvanização de metais. Indústrias de corantes. Baterias. torpor. Vapores (de cobre. lesão nos rins Saturnismo (cólicas abdominais. certas indústrias de cloro-soda. ligas com aço e níquel. lesão renal e cerebral) Fibrose pulmonar (endurecimento do pulmão) que pode levar à morte Asma (bronquite). tabaco. cromagem de metais. lâmpadas fluorescentes. Efeitos Anemia por deficiência de ferro. Preparo de ferramentas de corte e furadoras. fraqueza muscular.vivaterra. coma e até morte Moldes industriais. garimpo de ouro. cádmio. dor Veneno para baratas. gastrite. choque. manganês. odor de alho.br/vivaterra_metais_pesados. Intoxicação do sistema nervoso central Câncer de pulmão e seios paranasais Febre dos fumos metálicos (febre. refinarias. tremores.ht m . intoxicação crônica Câncer (seios paranasais) Câncer de pulmões e próstata. soldagem. Metalurgia.Metais Alumínio Arsênio Cádmio Chumbo De onde vêm Produção de artefatos de alumínio. manufatura de vidros e fundição. cansaço e dores musculares) parecido com pneumonia http://www.org.

ALGUNS CASOS DE CONTAMINAÇÃO. a água e atingem o mangue. falida e desativada há mais 15 anos. contaminando tudo ao seu redor. afetando a vida da população. e dessa forma os terrenos próximos foram inundados. Companhia Mercantil e Industrial Ingá: Indústria de zinco. Atualmente a área foi arrematada pela Usiminas e passa por processo de descontaminação e a empresa pretende instalar ali um terminal portuário de minério. transformou-se na maior área de contaminação de lixo tóxico no Brasil. Os diques construídos para conter a água contaminada não têm recebido manutenção há mais 5 anos. situada a 85 km do Rio de Janeiro. na ilha da Madeira. . Metais pesados como zinco.. cádmio. mercúrio e chumbo continuam poluindo o solo.

ANTES.org.. http://www..br/vivaterra_metais_pesados.vivaterra.ht .

DEPOIS! http://www.com.ecodebate.br/tag/areas-contaminadas/ .

contaminou com chumbo expelido pelas suas chaminés 113 crianças. ovos e outros produtos agrícolas.6 μg.dL–1 de chumbo no sangue corresponde a uma diminuição na audição de 2 dB em todas as frequências). Arquivo SMA/Cetesb .2 para 18. leite. localizada em Bauru-SP no km 112 da Rodovia Bauru-Jaú. resultando em um enorme prejuízo para os proprietários. Foram constatados ainda a contaminação de animais. sendo encontrados índices superiores a 10 miligramas/decilitro de sangue (Em crianças. um aumento de 6.Indústria de Acumuladores Ajax: Uma das maiores fábricas de baterias automotivas do país.

e por seu envolvimento no Desastre de Minamata. usado para monitores LCD. Baía de Minamata Japão www.cetem. doença cerebral causada pela ingestão de mercúrio.. Mal de Minamata.br/.. o caso mais famoso de contaminação por metais pesados.gif .gov.Corporação Chisso: Companhia química japonesa particularmente conhecida como uma fornecedora de cristal líquido./img/imagem_minamata01a.

br/imgres?imgurl=http://farm4.com/3004/3048220666_c a1f37738a.Via de contaminação das pessoas pelo mercúrio em Minamata http://images.jpg&imgrefurl=http://lostinjapan.google.flickr.com.info/2008/11/21/desastre-en-minamata .static.

jpg&imgrefurl=http://lostinjapan.com/3004/3048220666_c a1f37738a.com.br/imgres?imgurl=http://farm4.flickr.google.info/2008/11/21/desastre-en-minamata .static.Vítimas de Minamata pelo consumo de peixe contaminado http://images.

jpg&imgrefurl=http://lostinjapan.com/3004/3048220666_c a1f37738a.info/2008/11/21/desastre-en-minamata .br/imgres?imgurl=http://farm4.Monumento em homenagem às vítimas de Minamata. http://images.flickr.com.static.google.

Em Cubatão, baixada Santista, Estado de São Paulo, houve há cerca de dez anos, denúncias de um alto índice de anencefalia (ausência de cérebro) em recém-nascidos e este problema estaria relacionado com a emissão industrial de metais pesados, notadamente o chumbo. As pesquisas na época não chegaram a ser conclusivas, mas a suspeita permanece até hoje, tanto que se teme que fenômeno semelhante volte a ocorrer em outros pólos industriais, como em Araucária, no Estado do Paraná.

http://letrasdespidas.files.wordpress.com/2009/02/cubatao.jpg

OS MICROORGANISMOS E SEU PAPEL NA RECUPERAÇÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS POR METAIS PESADOS
Metais não são biodegradáveis, podendo somente serem transformados de um estado químico para outro (de um mais tóxico para um menos tóxico); Os microorganismos são capazes de realizar essa transformação por apresentarem uma alta relação entre superfície/volume, a qual permite uma grande área de contato para interações com os metais no ambiente; Muitas microalgas, fungos e bactérias possuem essa habilidade; A capacidade de remoção e os mecanismos de acumulação variam amplamente de acordo com a espécie, com a linhagem e com fatores ambientais (pH, temperatura e nutrientes); Tolerância X Resistência (Gadd, 1992).

Acumulação por ligação na parede celular ou materiais extracelulares

Captação ativa para utilização no metabolismo como nutrientes essenciais

Produção de sulfeto de hidrogênio por bactérias que precipitam sulfetos metálicos em solução

Redução da quantidade de oxigênio livre no ambiente, limitando a biooxidação de metais

Quelação por componentes da membrana (pigmentos, polímeros, quitina)

Remineralização

Complexação com compostos orgânicos produzidos pela célula

Precipitação e Troca iônica

.

Engenharia genética (ICB-USP): Cupriavidus metallidurans CH34.Cupriavidus matallidurans CH34 – UMA SUPER BACTÉRIA Bactéria considerada como a mais resistente a metais pesados encontrada na natureza. criação da Inserção de um gene que codifica uma proteína com alta afinidade por metais pesados Cupriavidus metallidurans . a cepa selvagem não tem a capacidade de conter o metal por muito tempo. Porém.

Metais pesados .

cádmio. manganês e cobalto. essa bactéria obteve bons resultados com chumbo. zinco. O próximo passo será a sua utilização em um biorreator com efluentes reais fornecidos pela Vale. cobre. metais acumulados atrapalharam o É um forte candidato para ser utilizada para tratamento de efluentes industriais.Em testes laboratoriais. . níquel. Nem a proteína nem os desenvolvimento da bactéria.

Histórico do uso do petróleo Usado a + de 3000 anos Construção de palácios e reparo de barcos Egito – Preparo de múmias. cura de doenças e iluminação .

html .53 Produção mundial em 2008: 85.gov/emeu/ipsr/source2.doe.Demanda e produção de petróleo Dados em milhões de barris/dia 159 litros/barril Demanda mundial em 2008: 85.38 EUA: 10% da produção mundial e 23% do consumo EUA vs Brasil 550 bi/ano : 25 bi/ano http://www.eia.

Significa que..2 milhões de toneladas de dióxido de C/ano .26 milhões de barris 14. Exxon-Valdez: 1..25 navios/dia EUA: 2639.

Magoon & Dow. 1996 .A. J.Elementos e Processos do Sistema Petrolífero. 1994.M.G..

hsw.br/ .uol.Extração do petróleo http://www.com.

Transporte do petróleo Reservatórios oceânicos e continentais Oleodutos Caminhões e navios de transporte .

Refino do petróleo Contaminação crônica Descarga de hidrocarbonetos Pequenos derrames .

.

Desastres naturais envolvendo petróleo Navio Prestige (2002) – 10 a 20 mil toneladas de óleo 913 a 1121 km de costa atingida 10 a 15 mil pássaros afetados .

Desastres naturais envolvendo petróleo Exxon-Valdez (1989) Alasca 37 mil toneladas 1 bilhão de multa 15 anos depois ainda há contaminação .

Desastres naturais envolvendo petróleo .

Desastres naturais envolvendo petróleo .6 milhões à PETROBRÁS Pessoal.TEBAR 16 praias de duas cidades R$ 4. areia e costões rochosos. indenizações. limpeza da água.) Valor calculado do prejuízo para Ilhabela . manutenção. compra de materiais. R$ 4.9 milhões à comunidade (Campos Jr.Brasil Vergina II – 86 m3 de petróleo .

Desastres naturais envolvendo petróleo .Brasil TEBAR Maior terminal de recebimento de petróleo do Brasil 26 anos de funcionamento – 236 derrames .

Desastres naturais envolvendo petróleo .Brasil Baía de Guanabara – 9. outras indústrias e 2 mil postos de serviço “Um ambiente desóxico-anóxico extremamente contaminado por petróleo e seus derivados” . 40 estaleiros. 2 portos comerciais. 15 terminais de petróleo.5t/dia de óleo 2 refinarias.

♦ e 10 .MapaSAO Mapa de sensibilidade ambiental para derramamento de óleo Mapa de geomorfologia da área com os índices de sensibilidade do mês de Junho/2000 (ISL 2 .♦ ) . 3 .♦ .

meio ambiente e saúde 9 centros de defesa ambiental – aprimoramento dos sistemas de redução de resíduos e emissão de poluentes na atmosfera RECUPETRO Coordenação no núcleo de estudos ambientais da UFBA BIOPETRO .Programas de prevenção/recuperação PEGASO Segurança.

689 Áreas contaminadas em SP: 255 .Áreas Contaminadas Áreas contaminadas na Alemanha: 362.2002 727 .2003 1336 .2004 .

em terra.Biorremediação. de hidrocarbonetos .

5 Pseudomonas.5 a 8. Penicilum. Bacillus . em terra. silte/argila dificultam Depende de O2 Temperaturas mais altas (40ºC) C:N:P – 100:5:1 pH 5.Biorremediação. de hidrocarbonetos Condições: Umidade abaixo de 30% Areia facilita. Proteus.

Biorremediação. de hidrocarbonetos . em terra.

Biorremediação. de hidrocarbonetos . em terra.

00 a R$12.5 a 1 m3 de solo/ano ao custo de R$9. de hidrocarbonetos Refinaria da PETROBRAS em Curitiba 0.Biorremediação.6% em 14 dias .2% a 88. em terra.60 /mês (landfarming) Terraferm® Otimização dos parâmetros que influenciam diretamente a atividade microbiana necessária para a biodegradação Taxa de degradação entre 70.

Alternativas Óleo de palmeiras Óleo de Palmeiras 2 milhões de hectares satisfazem as necessidades de petróleo do mundo Governo brasileiro cogita considerar palmeiras de óleo como florestas 600 milhões de t de CO2 – pântanos 1.4 bilhões de t de CO2 – incêndio intencional 2 bilhões de t de CO2 – 8% da emissão global .

porém as emissões de carbono aumentaram 19% . pouco monóxido e dióxido de carbono A economia americana cresceu 51% entre 1990 e 2004.Alternativas Etanol 85% de etanol de milho e 10% de gasolina sem chumbo = redução em 35 a 46% de CO2 Não produz benzeno e enxofre.

A. 2004. R. Biorremediação de solos contaminados com organoclorados por fungos basidiomicetos em biorreatores.N. UETA. QUEIROZ.L.K. PEREIRA. SHUHAMA. J. Instituto de Botânica da Secretaria do Meio Ambiente.R.L. Biodegradação de Herbicidas e Biorremediação. NEVES. N. Ambiente & Sociedade – Vol. I. J. 2009. São Paulo.Referências Bibliográficas FLORES.U. Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento .V. RIBEIRO. VII nº2 SILVA. E. A.R. Organoclorados: um Problema de Saúde Pública. Tese de doutorado.

gif http://letrasdespidas..gov.org.ecodebate.br/tag/areas-contaminadas/ http://www.blogspot.fernandosantiago.br/.br/vivaterra_metais_pesados.ig.cetem.br/.htm www.gov.com..fct.br/met90..html http://www..htm http://ceticismo./files/2009/01/bacteria.unl.wordpress./img/imagem_minamata01a.br/publicacao/serie_anais_I_jpci_2007/Ju dith_Liliana.pdf .jpg http://www.vivaterra.net/2008/12/16/bacteria-retem-metais-pesadosde-ambientes-contaminados/ blig.files.cetem.com/2008_09_01_archive.com/2009/02/cubatao.jpg http://www.com.pt/arm11037/Chumbo%20no%20Sangue.p df http://falamarisco.Referências Bibliográficas http://pessoa.com.

G. D.J. CA Impact of herbicides on soil ecosystems...A. J.I. 86. Critical Reviews in Plant Science.H. Degragation of pesticides. WALLNOFER. 1983.8.: p. GREAVES. H. MENGS.105.. 115p. Residue Reviews. Berlin: Heidelberg. 1989. P. ANDERSON. 1976. RITCHER. EDWARDS. n. H. DOMSCH. Achreceptors a-targets.. M. lH. G.A. H. JAGNOW. 1989. ono.R... dessiccation and defoliation. New York. p.65. MARSH. An ecological concept for the assessment of side-effects-agrüchemicals on soil micrüorganisms. DAVIES. Herbieides and soil mierürganisms. G. 2..P. WINGFIELD. SCHOKNECHT. D..Referências Bibliográficas BERGMANN. Criti Reviews in Microbiology. Chemistry of plant protection.221-257. . ENGELHARDT. MARTIN.. R..ed. K..P. v. v.

D. FUHRMANN. 683p. 44 p. New Mareei Dekker. E. 1992. VAN-ELSAS. I.O:.G. 1997. DA (Ed. (Ed. New Jersey: Simon & Sehuster. METIlNG JR. Modem soll mlcroblololJlj. 550p. J.. Microbiologia ambienta!. 1997. Soil microbial ecology: applications in agricultural and environmer-management. TREVORS.J.1:. .. 1998.M. (Ed. J.). SYLVIA. AZEVEDO. P.. Principies and Applications of-Microbiology. Jaguariúna: Embrapa-CNPMA.MH. F.. (Ed.S. ZUBERER. New York: Mareei Dekker.L.Referências Bibliográficas MELO.). 648p..B.). J.\. WELLlNGTON. J. HARTEL.

/agropecuario/artigos/biorremediacao.ambientebrasil.c om/2008/08/introduo-biorremediaoi.blogspot.php3?base=.br/imgres?imgurl=http://1.unicamp.br/~cassianac/ST037/Aula6_Biodegradac ao.ceset.com/reciclagem2000/biorremediacao.Referências Bibliográficas http://www.geocities.htm .ppt#44 http://images.ht ml http://www.html&usg=__7bMsGFgxSuxglp7ay9OBUdAIkAk=&h=150&w=200& sz=7&hl=ptBR&start=21&sig2=FYTEGNamW2mP7S4S9V7FVA&um=1&tbnid=l 7QyJpb8KgQYaM:&tbnh=78&tbnw=104&prev=/images%3Fq%3Dbi orremedia%25C3%25A7%25C3%25A3o%26ndsp%3D18%26hl%3 Dpt-BR%26rlz%3D1T4GGLL_ptBRBR321BR322%26sa%3DN%26start%3D18%26um%3D1&ei=5E e-StiEEpXj8QbmrvmKBA http://www.br/composer.com.com.html&conteudo=.com /_n7IZaFYjR4Y/SKONOe_S2XI/AAAAAAAAAZk/rNg0LNTuxNs/s20 0/exxon_valdez./agropecu ario/index.bp.jpg&imgrefurl=http://portalbrasilambiental.google.blogspot.

iepa.hsw.uol.htm http://ciencia.recupetro.folha.pdf http://www.lume.ufba.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/outubro2003/ju232pag09.br/refino-de-petroleo4.shtml http://www.Referências Bibliográficas http://www.pdf http://www.ufrgs.htm .br/publicacao/serie_anais_XII_jic_2004/22Artigo%20 JIC%202004%20Lucas%20Tupi%20e%20Judith%20Liliana.unicamp.uol.ap. html http://www.gov/ http://www.br/temp1/IEPA/CPAq/PETRORISCO/OUTROS/Ang elicaCastro2_resumo_Petrorisco_RN.gov.doe.pdf?seq uence=1 http://www1.eia.br/bitstream/handle/10183/10900/000590396.br/biopetro_001.com.gov.br/folha/ciencia/ult306u7895.com.cetem.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful