P. 1
A Abordagem Humanista

A Abordagem Humanista

|Views: 182|Likes:
Publicado porEdson Diniz

More info:

Published by: Edson Diniz on Apr 04, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/12/2012

pdf

text

original

A Abordagem Humanista é fundamentada, principalmente na teoria de Carl Rogers e é a terceira força da Psicologia atual.

Ela nos fala da educação centrada no aluno, em que o professor é o facilitador no processo de aprendizagem e que esta se dá sempre ao tempo de cada aluno e de acordo com os interesses da turma em questão. Bem, essa é a idéia central da Educação Humanista, e o que eu pude tirar de proveito é justamente essa idéia de centrar o processo no aluno e não no professor. É tratarmos cada aluno individualmente, conhecendo-os e analisando suas vivências e experiências anteriores. Embora eu saiba que na prática possa ser difícil, com turmas cada vez mais numerosas, esse processo pode se tornar inviável em sua integridade, mas podemos, de alguma forma, aplicar este método em nosso cotidiano da maneira que for possível, verificando os interesses de nossa turma e trazendo conteúdos e metodologias condizentes com a realidade em que está inserida nossa escola. Esse trabalho ampliou minha visão do que pode ser o trabalho em sala de aula, respeitando o que meus alunos já trazem na sua bagagem como pessoas e possibilitando meios de conhecer e integrar melhor os educandos em um processo que respeita a todos com indivíduos e não como um todo que não se conhece, nem se respeita.

Considerações Finais
A abordagem humanista dá ênfase ao sujeito e na auto-realização, das relações interpessoais é que surge o conhecimento. A única avaliação admissível é a autoavaliação, pois o único capaz de avaliar o quanto determinado assunto acrescentou em seus conhecimentos, é o próprio aluno. O aluno é capaz de construir seu próprio conhecimento e é através da sua percepção e das suas próprias experiências que o aluno aprende, o professor oferece condições que facilitam a auto-aprendizagem, possibilitando o desenvolvimento integral do aluno. O diretivismo no ensino é substituído pelo não-diretivismo, o professor não intervém diretamente no campo cognitivo e afetivo do aluno. As relações EU-ISTO são substituídas por relações EU-TU.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->