Introdução

A erosão é um processo de deslocamento de terra ou de rochas de uma superfície. A erosão pode ocorrer por ação de fenômenos da natureza ou do ser humano. A erosão é um processo natural de desagregação, decomposição, transporte e deposição de materiais de rochas e solos que vem agindo sobre a superfície terrestre desde os seus princípios. Contudo, a ação humana sobre o meio ambiente contribui exageradamente para a aceleração do processo, trazendo como conseqüências, a perda de solos férteis, a poluição da água, o assoreamento dos cursos d'água e reservatórios e a degradação e redução da produtividade global dos ecossistemas terrestres e aquáticos. Entende-se por erosão o processo de desagregação e remoção de partículas do solo ou fragmentos de rocha, pela ação combinada da gravidade com a água, vento, gelo ou organismos (IPT, 1986). Os processos erosivos são condicionados basicamente por alterações do meio ambiente, provocadas pelo uso do solo nas suas várias formas, desde o desmatamento e a agricultura, até obras urbanas e viárias, que, de alguma forma, propiciam a concentração das águas de escoamento superficial. este fenômeno de erosão vem acarretando, através da degradação dos solos e, por conseqüência, das águas, um pesado ônus à sociedade, pois além de danos ambientais irreversíveis, produz também prejuízos econômicos e sociais, diminuindo a produtividade agrícola, provocando a redução da produção de energia elétrica e do volume de água para abastecimento urbano devido ao assoreamento de reservatórios, além de uma série de transtornos aos demais setores produtivos da economia. A quebra do equilíbrio natural entre o solo e o ambiente (remoção da vegetação), muitas vezes promovida e acelerada pelo homem conforme já exposto, expõe o solo a formas menos perceptíveis de erosão, que promovem a remoção da camada superficial deixando o subsolo (geralmente de menor resistência) sujeito à intensa remoção de partículas, o que culmina com o surgimento de voçorocas (SILVA, 1990). Quando as voçorocas não são controladas ou estabilizadas, além de inutilizar áreas aptas à agricultura, podem ameaçar obras viárias, áreas urbanas, assorear rios, lagos e reservatórios, comprometendo por exemplo o abastecimento das cidades, projetos de irrigação e até a geração de energia elétrica.

A voçoroca é a feição mais flagrante da erosão antrópica. impõe a adoção de estruturas pouco permeáveis. uso e manejo inadequado das áreas agrícolas. importante a identificação das áreas cujos solos sejam suscetíveis a esse tipo de erosão. outros processos. No desenvolvimento da voçoroca atuam. seguido pela adução e concentração das águas pluviais na implantação de obras civis (saída de coletores de drenagem em estradas. diretamente a partir de um ponto de elevada concentração de águas pluviais (IPT. sulco e ravina). interceptado pela voçoroca. quando causada por concentração das linhas de fluxo das águas de escoamento superficial. como conseqüência da própria explosão demográfica. fazendo com que ocorra diminuição da infiltração e aumento da quantidade e da velocidade de escoamento das águas superficiais. 1991).Torna-se.C. podendo ser formada através de uma passagem gradual da erosão laminar para erosão em sulcos e ravinas cada vez mais profundas. além da erosão superficial como nas demais formas dos processos erosivos (laminar. visando a obtenção de uma metodologia de controle do mesmo. considera que existe uma corrida entre a explosão demográfica e o desgaste das terras. G. ferrovias. a pressão populacional sobre as áreas já ocupadas. A presença do lençol freático. 1994). A urbanização. A erosão acelerada (ação antrópica) pode ser laminar ou em lençol.A. bem como o estudo dos fatores e processos que possam agravar este fenômeno. ou então.. porém somando-se os efeitos. VASCONCELOS SOBRINHO (1978). formando "tubos" vazios que . conduzem-nas à deterioração cada vez mais rápida. barramento de águas pluviais pela construção de estradas forçando sua concentração nas linhas de drenagem). em regiões onde não existem planos de conservação (PARZANESE. quando causada por escoamento difuso das águas das chuvas resultante na remoção progressiva dos horizontes superficiais do solo. portanto. trilhas de gado. arruamento urbano. e erosão linear. 1986). ravinas e voçorocas (OLIVEIRA. pois. induz ao aparecimento de surgências d’água. forma mais drástica do uso do solo. estradas vicinais. condicionados pelo fato desta forma erosiva atingir em profundidade o lençol freático ou nível d’água de subsuperfície. resultando em incisões na superfície do terreno na forma de sulcos. operando em sentido oposto. sobretudo. Os processos erosivos se iniciam pela retirada da cobertura vegetal. acarretando o fenômeno conhecido como "piping" (erosão interna que provoca a remoção de partículas do interior do solo.

As voçorocas formam-se geralmente em locais de concentração natural de escoamento pluvial. O efeito do vento na erosão é ocasionado pela abrasão proporcionada pela areia e partículas mais finas em movimento. as surgências d’água nos pés dos taludes da voçoroca provocam sua instabilização e descalçamento. um agente (água ou vento) e o material (solo). sem dúvida. A água é o mais importante agente de erosão. transportam partículas de solo e nutrientes em suspensão. chuva. esse transporte de partículas de solo se verifica. As enxurradas.provocam colapsos e escorregamentos laterais do terreno. onde há água em movimento. antes de tudo. Segundo LIMA (1987). também por ação do vento. como também o estabelecimento de técnicas compatíveis ao combate do problema. todos carregam solo. . de fato. Outras vezes. A erosão do solo constitui. desprendendo e desagregando as partículas e transportando-as. tais como cabeceiras de drenagem e embaciados de encostas. ou não se infiltraram. provenientes das águas de chuva que não ficaram retidas sobre a superfície. Esta primeira ação do impacto é complementada pela ação do escoamento superficial. A erosão é o processo de desprendimento e arraste acelerado das partículas do solo causado pela água e pelo vento. sobre o qual agirá. o estabelecimento de qualquer processo erosivo requer. as ondas erodem as costas dos continentes e lagos. desagregando suas partículas. a partir do acúmulo de água em volume suficiente para propiciar o arraste das partículas liberadas (IPT. rios. A interação entre material e agente consiste na busca de um estado de maior equilíbrio. ela está erodindo os seus limites. córregos. antes desfeito de forma natural ou devido a efeitos antrópicos. a principal causa da degradação acelerada das terras. A importância do estudo dos fenômenos associados à formação de voçorocas é estabelecer medidas de prevenção e controle. Os processos erosivos iniciam-se pelo impacto da massa aquosa com o terreno. Além deste mecanismo. alargando a voçoroca. 1991). ou criando novos ramos).

hidrelétricas. prédios. provocando o soterramento de casas e mortes de pessoas. · Realizar o reflorestamento de áreas devastadas. em grande quantidade. Ao retirar a cobertura vegetal de um solo. Quando um vulcão entra em erupção quase sempre ocorre um processo de erosão. principalmente em regiões de encosta. o deslocamento de terra. O vento e a mudança de temperatura também são causadores importantes da erosão. Causas humanas O ser humano pode ser um importante agente provocador das erosões. também podem provocar erosão. Desta forma. que antes era absorvida pelas raízes das árvores e plantas. passa a infiltrar no solo. pois é comum as erosões provocarem fechamento de rodovias. Prejuízos ao ser humano A erosão tem provocado vários problemas para o ser humano. Esta infiltração pode causar a instabilidade do solo e a erosão. provoca o deslocamento de terra. principalmente de regiões montanhosas. Os prejuízos econômicos também são significativos. · Planejar qualquer tipo de construção (rodovias. etc) para que não ocorra. pois a quantidade de terra e rochas deslocadas é grande. túneis. podemos citar as chuvas como principal causadora da erosão. no momento ou futuramente.Causas naturais No que se refere às ações da natureza. Ao retirar uma grande quantidade de terra de uma jazida de minério. ocorrem deslizamentos de terra em regiões habitadas. pois a água. infiltrações e mudanças na consistência do terreno. A mudança na composição química do solo também pode provocar a erosão. Formas de evitar · Não retirar coberturas vegetais de solos. este perde sua consistência. Atividades de mineração. · Monitorar as mudanças que ocorrem no solo. Constantemente. de forma desordenada. Ao atingir o solo. principalmente em regiões carentes. os solos próximos podem perder sua estrutura de sustentação. . ferrovias e outras vias de transporte. provoca deslizamentos.

pois as formas de se combater um processo erosivo dependerá de que tipo de erosão estamos enfrentando. principalmente nos casos em que amplas boçorocas já estão instaladas na paisagem. A força do impacto também força o material mais fino para abaixo da superfície. Esta ação é acelerada quando a água encontra o solo desprotegido de vegetação. Na erosão remontante acontece exatamente o contrário: a retirada do material se dá de baixo para cima. isto é. a retirada do solo se dá de cima para baixo. como é o caso das boçorocas. aumentando o fluxo superficial e a erosão. Necessário se faz em separar claramente as ravinas formadas somente por erosão superficial das formadas pelo processo de erosão remontante. Este é capaz de provocar a desagregação dos torrões e agregados do solo. . lagos e represas. As principais formas de erosão pluvial são: a) erosão laminar: quando a água corre uniformemente pela superfície como um todo. Muitos processos indicados para evitar ou combater erosão pluvial. no entanto. o que provoca a obstrução da porosidade (selagem) do solo.Tipos de erosão Erosão pluvial A erosão pluvial é provocada pela retirada de material da parte superficial do solo pelas águas da chuva. A primeira ação da chuva se dá através do impacto das gotas d'água sobre o solo. fenômeno conhecido como salpicamento. Uma ravina de origem pluvial pode progredir em direção a uma boçoroca. A ação da erosão pluvial aumenta à medida que mais água da chuva se acumula no terreno. não é somente uma questão de rigor científico. Muitos autores e textos didáticos têm erroneamente confundido estes fenômenos. não funcionam quando se trata de combater erosão remontante. pois esta depende do fluxo subterrâneo e não do fluxo superficial. Da mesma forma podemos ter a progressão de boçorocas independente da erosão pluvial. Separá-los. transportando as partículas sem formar canais definidos. Apesar de ser uma forma mais amena de erosão. lançando o material mais fino para cima e para longe. mas uma necessidade prática. é responsável por grande prejuízo às terras agrícolas e por fornecer grande quantidade de sedimento que vai assorear rios. mas não necessariamente.

Se esta se verificar para além de várias populações serem afectadas. no Arpoador este fenômeno tem sido responsável pela variação cíclica da largura da faixa de areia da praia. na região de Aveiro. esse trabalho constante atua sobre o litoral transformando os relevos em planície e deve-se praticamente à ação de dois fatores presentes na termodinâmica : calor e frio. Em Portugal. uma camada de pedregulhos e seixos atapetando a superfície erodida. correntes e marés . silte). vive-se atualmente uma situação preocupante. nas segundas ocorre o recuo da praia. podem ser tomadas diversas medidas de protecção.Erosão marinha A erosão marinha é um longo processo de atrito da água do mar com as rochas que acabam cedendo transformando-se em grãos. No Brasil. onde o sedimento removido pelas ondas é transportado lateralmente pelas correntes de deriva litoral. Erosão eólica Erosão eólica é um tipo de erosão pelo vento com a retirada superficial de fragmentos mais finos. Os danos causados podem ir desde a destruição das habitações e infra-estruturas humanas. permanecendo. está perigosamente perto da ruptura. muitas vezes. até a graves problemas ambientais. Nas primeiras a acção erosiva do mar forma as falésias. Nas praias arenosas a erosão constitui um grave problema para as populações costeiras. responsáveis pelo surgimento das ondas. irá ocorrer uma drástica mudança na salinidade da laguna. Para retardar ou solucionar o problema. sendo as principais as construções pesadas de defesa costeira (enrocamentos e esporões) e a realimentação de praias. Tanto ocorre nas costas rochosas bem como nas praias arenosas. afectando todo o ecossistema. A diminuição da velocidade do vento ou deflação ocorre freqüentemente em regiões de campos de dunas com a retirada preferencial de material superficial mais fino (areia. . A estreita faixa costeira que separa o mar da laguna.

provocando erosão e sedimentação glacial. secos na maior parte do tempo. água. quando o vento deposita os materiais que carrega. e que com as escassas chuvas formam lagos rasos (playa). O vento é um poderoso agente erosivo que atua principalmente nos desertos e nas praias. conforme a direção do vento. a água e os dejetos orgânicos reagem com as rochas e as destroem. Erosão química Envolve todos os processos químicos que ocorrem nas rochas. planaltos pedregosos ou formações com aspectos exóticos. escavando-as com violência). etc. a humidade. argila e calcário . Este tipo de erosão depende do clima. Em locais de forte e constante deflação podem se formar zonas rebaixadas. Desses processos resultam as grandes depressões. se junto ao mar. que compreende a deflação (quando o vento retira e transporta partículas finas das rochas) e a corrosão (quando essas partículas são lançadas pelo vento contra outras rochas. muitas vezes essas playas. O trabalho de erosão do vento ocorre de duas maneiras: • Pela destrução. Ao longo dos anos. amarelados e muito férteis formados por quartzo. deixando um vale em forma de U ou um fiorde. O trabalho mais típico de acumulção dos ventos são as dunas.O Loess. compostos biológicos e reações químicas da água nas rochas. em meio a regiões desérticas. pois mudam de lugar. • Pela acumulação. Outra consequência desse trabalho é a formação de sedimentos muito finos.Pode ocorrer forte erosão associada à deflação. lama endurecida ou camadas de sal atapetam. esculpindo nas rochas formas ruiniformes e outras feições típicas de deserto|regiões desérticas e outras assoladas por fortes ventos. frio. Erosão glacial As geleiras (glaciares) deslocam-se lentamente. grandes elevações de areias que podem ser fixas ou móveis. em climas polares e secos. no sentido descendente. as rochas se destroem pela troca de temperatura. Há intervenção de fatores como calor. Sua área de ocorrência mais conhecida é a China meridional. como cogumelos. e em climas tropicais quentes e temperados. taças. o gelo pode desaparecer das geleiras. .

• Erosão Fluvial: erosão resultante da acção dos rios sobre a superfície da Terra. após um certo tempo. e congela novamente no inverno seguinte. essa água congela e sofre dilatação. • Erosão Glaciar: erosão provocada pela acção dos gelos dos glaciares sobre os vales das montanhas enquanto deslizam lentamente em direcção a regiões de menor altitude. e consequentemente. aos poucos. • Erosão Marítima: erosão sobre a costa provocada pela acção das ondas e das marés e pelos materiais que estes transportam e ainda pela acção química da água do mar. o gelo funde. entre outros. às duas ou às rochas em forma de cogumelos. dando origem. a erosão fluvial pode ser lateral (quando o desgaste é efectuado nas margens. levando à formação dos grandes paredões ou fiordes. desagregará. No inverno. No verão. Terminado o inverno. causando o desmoronamento de parte da rocha. . a rocha. pressionando as paredes dos poros. a água acumula-se nas cavidades dessas rochas. Tipos de Erosão Consoante o agente que provoca a erosão. provocando o alargamento dos vales) ou vertical (quando a erosão actua no aprofundamento do leito dos rios).Pode também ocorrer devido à susceptibilidade das glaciações em locais com predominância de rochas porosas. esta adquire diferentes designações: • Erosão Eólica: erosão provocada pela acção directa do vento e das partículas por ele transportadas. Esse processo ocorrendo sucessivamente.

a construção de favelas em encostas que. ventos e processos químicos. . a ocupação do solo. desagregam solos e rochas formando sedimentos que serão transportados. devido ao escoamento superficial e das grandes emissões gasosas. com isso. além de desmatar. Porém o homem vem acelerando este antigo processo através dos desmatamentos. Os processos erosivos. O assoreamento não chega a estagnar um rio. A deposição de sedimentos em reservatórios é um grande problema no Brasil. O assoreamento é um fenômeno muito antigo e existe há tanto tempo quanto existem os mares e rios do planeta. o assoreamento pode aumentar o nível de terra submersa e ajuda a aumentar os níveis das enchentes. impedindo grandes áreas de terrenos de cumprirem com seu papel de absorvedor de águas e aumentando. Apesar de não "matar" os rios. devido à redução de profundidade.Assoreamento Assoreamento é a obstrução. quando se promovem desmatamentos extensivos para dar lugar a áreas plantadas. O depósito destes sedimentos constitui o fenômeno do assoreamento. O assoreamento pode acabar com lagos. causados pelas águas. ou canal. tem a erosão acelerada devido à declividade do terreno. e este processo já encheu o fundo dos oceanos em milhões de metros cúbicos de sedimentos. por sedimentos. mas pode mudar drasticamente seu rumo. que expõe as áreas à erosão. No Brasil é uma das causas de morte de rios. pois a maioria da energia consumida vem de usinas hidroelétricas. a potencialidade do transporte de materiais. Pode ser causador de redução da correnteza. foi calculado em 400 anos o tempo necessário para o assoreamento total do reservatório da barragem. areia ou detritos quaisquer. No caso da Usina hidrelétrica de Tucuruí. antrópicos e físicos. de um estuário. por exemplo. rio. as técnicas agrícolas inadequadas.