Você está na página 1de 1

Resenha Crítica

De acordo com o texto “Introdução: As Raízes do Brasil Musical e o seu ensino na História da Música” e o documentário o Brasil tem três raízes principais, indígena, européia, africana. O Brasil é o resultado dessa fusão de raízes, cada matriz antes da fusão já tinham desenvolvido sua organização social, cultura e religião. Portugal em particular, parte da raiz européia, já tinha absorvido e incorporado a sua cultura muitos costumes e conhecimentos de outros povos da Europa e da Asia. Com culturas de tal porte o Brasil somou, adaptou e desenvolveu junto, formando uma so massa cultural. Por certos motivos históricos uma de nossas raízes foi sendo deixada de lado, a matriz indígena. Mas alguns costumes que incorporamos são muito fortes em nossa cultura, como o costume de tomar banho todos os dias. O povo indígena não distingui trabalho e arte, tudo o que eles produzem ou manifestam, desde trabalhos artesanais a rituais de morte, tudo é muito bonito e feito com perfeição. A raiz européia ou a principio portuguesa foi muito importante para o desenvolvimento da cultura brasileira. O idioma, música a cultura em geral foram trazidos pelos Portugueses, mas a origem de muitos desses conhecimentos não chega nem perto de Portugal. São conhecimentos antes incorporados pelos Portugueses e ate essenciais para possibilitar a chegada ao Brasil, conhecimentos de navegação e engenharia naval fornecidos pelos Árabes por exemplo. Outra matriz essencial para chegar ao resultante que nos encontramos hoje é a matriz africana. Povo que já tinha conhecimento metalúrgico e sobre escravidão antes do contato com os Portugueses. Foram incentivados pela repressão a valorizar e desenvolver sua cultura no novo país, Brasil. O desenvolvimento do Brasil se deu sem limites nenhum em relação a miscigenação, assim possibilitando uma troca de cultura monumental. Nos desenvolvemos em um povo único pela enorme mistura de raças. No âmbito da música vemos com clareza elementos de diferentes matrizes que se desenvolveram juntos em um ambiente novo. Contudo, ambos os autores retratam a colonização ocorrida no Brasil como fonte destruidora de patrimónios culturais etno-raciais apesar das nuancias “afro_brasileiras” e “euro-brasileiras” terem crescido vigorosamente e resultado no que conhecemos a música brasileira como ela é hoje.