P. 1
Reator Tubular

Reator Tubular

|Views: 840|Likes:
Publicado porboryus

More info:

Published by: boryus on Apr 08, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/22/2013

pdf

text

original

Reator Tubular

Características Principais

Este reator recebe na literatura os nomes de reator com escoam (PFR – Plug Flow Reactor), reator tubular ideal (Ideal Tubular com escoamento sem mistura (Unmixed Flow). Consiste de um tubo vazio por onde passa a mistura reacional. Os reagentes são continuamente consumidos à medida que avançam no reator ao longo de seu comprimento. Normalmente encontrado tanto na forma de um tubo longo, quanto na de vários reatores menores em um feixe de tubos. É utilizado especialmente em reações em fase gasosa.

Principais Utilizações

 

Vantagens

Manutenção relativamente fácil Produz a conversão mais alta por volume de reator dentre os re escoamento.

Desvantagens

Difícil de controlar a temperatura do reator, podendo ocorrer p quando a reação é exotérmica.

Exemplos de aplicação na web

Fotodegradação de dimetil sulfeto em fase gasosa utilizando re contendo TiO2/H5PW10V2O40 - Laboratório de Ciências Quí Universidade Estadual do Norte Fluminense - Trabalho inscrito Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química. Imobilização da enzima ascorbato oxidase em reator tubular pa quantificação amperométrica de ácido ascórbico em amostras d Núcleo de Pesquisa em Instrumentação e Separações Analítica Departamento de Química, Instituto de Ciências Exatas, UFJF - Trabalho inscrito na 32ª Reunião Anu Sociedade Brasileira de Química.

Trabalhos relevantes desenvolvidos com este reator

Inspeção de Reatores Tubulares por Correntes Parasitas - Indús petroquímicas que atuam no ramo de fabricação do PVC têm, e plantas, um equipamento de fundamental importância no proce chama reator tubular... Flutuações Estocásticas para a Distribuição de Tempos de Resi Reator Tubular de Polimerização - A caracterização da fluidod reator tubular de polimerização foi realizada através da técnica estímulo, sendo usada a perturbação com traçador... Estudo da intensidade luminosa no cultivo de Arthrospira (Spir platensis em reator tubular utilizando sulfato de amônio como f nitrogênio por processo descontínuo alimentado - Neste trabalh

Desenvolvimento de processo contínuo de copolimerização em reator tubular .O objetivo deste trabalho é apresentar o desenv uma copolimerização em emulsão de acetato de vinila e acrilat uma coluna pulsada com pratos perfurados (CPPP). A fim de a flexibilidade operacional.. 1995). SIMULAÇÃO DE UM REATOR TUBULAR PARA A OBTENÇÃO DE ÁCIDO SULFÚRICO INTRODUÇÃO Na nova era.. a informação e o conhecimento assumem grande importância na preparação dos indivíduos e empresas ao entendimento e a adaptação a realidade. Esse . Simulação da combustão de carvão pulverizado em reator tubu condições das ventaneiras do alto-forno . Esta técnica abriu opções.  verificados a influência de diferentes intensidades luminosas e alimentação utilizando o sulfato de amônio. realizar as atividades que se propõe. operação e gerenciamento do trabalho e do sistema de produção de bens e/ou serviços (Gavira. Através dela eles podem adquirir capacidade de identificar.. A simulação é então uma das ferramentas que permite aos diversos profissionais.. em cultivos realiza reatores tubulares por processo descontínuo alimentado.. 2003). A simulação de sistemas é um método numérico de resolução de sistemas. formular e solucionar problemas ligados às atividades do projeto.. organização e construção do conhecimento e da visão sistemática. A simulação computacional pode ser utilizada para a aquisição.A injeção de carvão p através das ventaneiras é uma boa maneira de substituir coque estabilidade de um alto-forno. que consiste na observação do desempenho de um modelo que representa um sistema definido a partir do problema a ser resolvido (Clovis. a coluna é composta de 5 seções.

1990). as características do sistema original (Gavira. a simulação se baseia num reator tubular. o analista precisa selecionar a estrutura conceitual na qual o modelo vai se apoiar para a descrição do sistema (Soares. Para a projeção do reator. É um modelo empregado para estudar o desempenho de um sistema por meio da formulação de um modelo matemático. de maneira mais fiel possível. 223 1 2 SO + O → SO (1) Portanto. de fluxo continuo. ou seja. conforme demonstrado na Equação 1. Neste trabalho.recurso favorece a educação e o treinamento das pessoas. o dióxido de enxofre é convertido a trióxido de enxofre (SO3). sua adaptação às rápidas mudanças da sociedade. A primeira etapa consiste na queima de enxofre em uma fornalha para a formação de dióxido de enxofre (SO2). cujas paredes são resfriadas por um líquido em ebulição a . foi necessário o uso de equações diferencias ordinárias devido à complexidade da expressão da taxa de reação. Desta forma. O presente trabalho descreve o comportamento de um reator utilizado na fabricação de ácido sulfúrico. que possui no interior de seus tubos o catalisador e. 2003). estuda-se o desenvolvimento e a aplicação de um programa computacional de simulação na linguagem FORTRAN utilizando uma sub-rotina chamada IVPRK. Após este passo. o qual é a base de vanádio suportado. utilizando um catalisador. o qual deve reproduzir. e consequentemente.

Devido ao fato do reator simulado neste projeto operar em regime estacionário. como os superfosfatos e o sulfato de amônio. a quantidade de ácido sulfúrico produzido e consumido em um país avaliava o grau de desenvolvimento industrial do mesmo. Na década de 60. de outros ácidos. Neste reator os reagentes são consumidos à medida que avançam ao longo de seu comprimento (Fogler. O ácido sulfúrico é o ácido mais importante economicamente. como os açúcares. Este produto químico tem destaque na produção de fertilizantes agrícolas. de corantes. o amido e a celulose. na produção de compostos orgânicos.temperatura constante. quando concentrado. principalmente desidratante. como é o caso do reator simulado. O reator tubular é um tipo de reator muito usado na indústria. na limpeza de metais e ligas metálicas. o que ocorre devido a desidratação desses materiais (Usberco e Salvador. É ainda utilizado nas indústrias petroquímicas (no refino de petróleo). . 1996). e nos acumuladores de chumbo (baterias de automóveis) (Usberco e Salvador. ele carboniza os carboidratos. Assim. 2002). pode-se afirmar que a conversão dos reagentes em produtos é independente do tempo em cada ponto do sistema (Incropera e DeWitt. consistindo em um tubo cilín-drico geralmente operando em regime estacionário. Uma das principais propriedades do ácido acima citado é a sua ação oxidante e. de papel. 2002).

Figura 1 – Modelo estruturado do programa desenvolvido RESULTADOS E DISCUSSÃO Pela Figura 2 é possível observar que. sendo necessárias algumas mudanças nas condições do reator para aumentar a eficiência do processo. pouco mais que a massa total do catalisador. ou seja. a temperatura já permanece praticamente constante. mais produto vai sendo formado. Porém a taxa de conversão é pequena.Gráfico da temperatura em função da massa do catalisador.2002). Principal Inicial IVP RK FCN Dados Entalpia Somatório Pressões Taxa Constantes Figura 2 – Gráfico da conversão em função da massa do catalisador. ou seja. Figura 3 . a medida que os reagentes passam pela massa de catalisador. É possível observar que aproximadamente a partir das 17 lb de catalisador. quase linearmente. A Figura 3 demonstra o perfil da temperatura à medida que os reagentes passam pela massa de catalisador. aumenta a conversão. .

lbmol -1 . CONCLUSÃO Com a realização do programa apresentado é possível dizer que os resultados obtidos são coincidentes com os esperados teoricamente. a medida que os reagentes passam através do catalisador dentro do reator aumenta quase que linearmente a formação dos produtos. é possível apenas uma mudança na sub-rotina especifica. na taxa de reação ou em algum outro ponto do projeto. Figura 4 – Visualização do programa rodado Caso seja necessária alguma alteração nos dados iniciais. na segunda coluna a massa do catalisador utilizado. já que no caso da produção de acido sulfúrico. para a obtenção de um programa com características ou diferentes. . Neste programa é encontrada. NOMENCLATURA ∆Cp = somatório das capacidades caloríficas dos reagentes e do produto (Btu. D = diâmetro do reator (ft). Isto foi observado através do gráfico construído a partir dos dados obtidos no programa desenvolvido.O programa computacional desenvolvido apresenta as características observadas na Figura 4. na terceira coluna a conversão da matéria prima em produto e a temperatura é observada na quarta coluna. na primeira coluna a numeração de passos.°R -1 ).

s -1 .tubo 1 ). dW dX = derivada da taxa de conversão dos reagentes em função da massa do catalisador.dCp = variação da capacidade capacidade calorífica.lb -1 cat -1 .lbmol SO2 -1 ). atm . k = constante de velocidade (lbmol SO2. dW dT = derivada da temperatura em função da massa do catalisador. ε = coeficiente de expansão.h -1 . ∆H = variação da entalpia (Btu. FA0 = vazão molar de alimentação (lbmol.

°R -1 ). O2 P = pressão parcial do reagente O2 (atm).-1 ). T = temperatura (°R). PA0 = pressão total de alimentação (atm). Kp = constante de equilíbrio (atm -1/2 ).lbmol -1 .ft 3 ). 2 PSO = pressão parcial do reagente SO2 (atm). rA = taxa de reação (lbmol/ft 3 ). . mL = massa específica do leito de partículas (lb. R = constante dos gases ideais (Btu. 3 PSO = pressão parcial do produto SO3 (atm).

ft -3 ). SO2 Θ = fração de SO2 de alimentação do reator.ft -2 . 3 ΘSO = fração de SO3 de alimentação do reator. Este modelo de fluxo é referido como .°R -1 ) Reator Tubular Ideal (PFR) É aquele no qual elementos de fluido reagentes (plugs) movem-se através de um tubo.°R -1 ).Ta = temperatura do fluído refrigerante (°R). ∑ΘiCpi = somatório das frações de alimentação de cada composto multiplicada pela capacidade calorífica de cada componente (Btu. 2 Θo = fração de O2 de alimentação do reator. como plugs movendo paralelo ao eixo do tubo.lbmol -1 . X = taxa de conversão dos reagentes (mol. U = coeficiente de transferência de calor (Btu.h 1 .

plug flow ou fluxo empistonado. O perfil de velocidade em uma dada seção transversal é achatado e assume-se que não existe difusão axial ou mistura de elementos de fluido. As variáveis como temperatura e composição variam com a posição ao longo do comprimento do reato .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->