Cintilografia pulmonar A cintilografia pulmonar é um exame de Medicina Nuclear que é feito para se identificar certas condições pulmonares.

Não é necessário preparos especiais para este exame, como jejum ou dietas especiais. Há dois tipos de cintilografia pulmonar: ventilação e perfusão. A cintilografia pulmonar de ventilação ou inalação avalia a entrada e saida do ar nos pulmões. A cintilografia de perfusão avalia o fluxo do sangue dentro dos pulmões. Geralmente estes exames são realizados em conjunto e a sua principal indicação é o diagnóstico de embolia pulmonar. Na embolia pulmonar a cintilografia pulmonar de ventilação encontra-se normal e a cintilografia de perfusão é anormal. Quando isto acontecesse, dizemos que existe um não pareamento das imagens. Em ambos os exames administra-se um radio fármaco para a sua realização. Para a cintilografia perfusional injeta-se uma substância chamada de macroagregado de albumina ou microesferas de albumina marcadas com tecnécio. Para a cintilografia de inalação o paciente inala, através de um nebulizador especial, uma suspensão de fitato ou DTPA, marcados com tecnécio. Após a administração dos radio fármacos o paciente é levado até a sala da Gama Câmera, onde os exames serão realizados. A duração de todo o procedimento (inalação, injeção e tomada das imagens) é de mais ou menos 45 minutos. Exemplos de cintilografia de perfusão e inalação normais: Cintilografia pulmonar de perfusão normal Cintilografia pulmonar de inalação normal _____________________________________________

Trazer outros exames relacionados (raio-x. periféricos numa área de ventilação normal e sem anormalidades significativas no raio X de tórax ou cintilografia inalatória. você será conduzido (a) a uma sala que contém um equipamento que não emite nenhuma espécie de radiação. . • Indicado menos freqüentemente para avaliação dos transplantes pulmonares. Os aerossóis nebulizados de DTPAseguem o fluxo de ar até as vias aéreas periféricas. • Em geral.Para realizar cintilografias pulmonares não é necessário fazer jejum. tomografia. cintilografia. .As imagens serão realizadas após a injeção intravenosa (no caso da cintilografia perfusional) ou inalação do material (no caso da cintilografia inalatória). vasculites.Em caso de dúvida.). Entretanto. . O que devo fazer antes do exame? CINTILOGRAFIA PULMONAR PERFUSIONAL E INALATÓRIA . estamos ao seu inteiro dispor. Exclui embolia pulmonar clinicamente significativa e a necessidade de . lesão expansiva obstruindo artéria pulmo¬nar. avaliação pré-operatória e avaliação de shunt direita-esquerda. . . • A cintilografia de perfusão/inalatória é classificada pela probabilidade de tromboembolismo pulmonar (TEP): – Normal. • DTPA(Ácido dietileno triamino pentacético) ou fitato. Indicações • Determinar a probabilidade de embolia pulmonar..Para que as imagens sejam realizadas. ------------------------------------------------------------------------------------------------------PARA O PNEUMOLOGISTA Radiofármacos • MAA(macroagregado de albumina humana marcada com tecnécio-99m). Interpretação • Na suspeita de embolia pulmonar a cintilografia de perfusão anormal deve ser comparada à cintilografia inalatória e a um raio X de tórax recente (intervalo máximo de um dia antes ou após a realização da cintilografia).. Em pacientes com embolias de repetição é necessária a comparação com as cintilografias anteriores.CINTILOGRAFIA PULMONAR / Pneumologia A cintilografia de perfusão/inalação tem como sua principal indicação o diagnóstico de embolia pulmonar sendo útil também na avaliação pré-operatória de pneumectomias e na quantificação de shunts. qualquer obstrução ao fluxo sangüíneo arterial pulmonar pode causar um defeito na perfusão com ventilação normal na mesma área (embolia pulmonar aguda ou antiga. pessoalmente ou pelo telefone. radioterapia). Registra a distribuição do fluxo sangüíneo arterial pulmonar. Essas partículas ficam retidas nas arteríolas pré-capilares pulmonares.Anotar o nome ou trazer os medicamentos que utiliza. . onde se depositam nos bronquíolos terminais e nos alvéolos e são lentamen¬te absorvidos pelo sangue capilar. suspeita-se de embolia pulmonar quando são visualizados defeitos perfusionais segmentares ou subsegmentares.

___________________________________________ . – Intermediária (indeterminada): 20-79%. – Alta probabilidade de TEP. Valor preditivo positivo do teste > 80%. – Probabilidade baixa: risco de TEP < 19%.anticoagulação. É necessária a realização de investigação complementar com angiografia pulmonar ou estudo venoso das extremidades para confirmar ou excluir TEP.

Qualquer área que não seja irrigada ficará pálida (zona fria) na imagem obtida. De outro modo poderá haver obstrução de um brônquio ou bronquíolo (apenas zona fria na ventilação). como em casos de tromboembolia pulmonar. A cintigrafia de ventilação indica as áreas do pulmão que ventilam convenientemente. é provável o diagnóstico de tromboembolismo pulmonar. A parte de perfusão é uma avaliação do fluxo sanguíneo por todo o pulmão. se há obstruções nos vasos. O resultado do exame vem da comparação entre as zonas frias (pouco radioativas) da perfusão e as da ventilação. ou outras condições.Pneumologia: Cintilografia Pulmonar  Cintilografia de Perfusão e Ventilação: são duas técnicas que devem ser executadas sempre que possível (frequentemente de emergência). Ela é feita pela inalação de marcadores radioativos gasosos ou sob a forma de aerossóis. ou outras condições. sempre feitas simultaneamente. ou seja. Ela é efectuada pela injecção de aglomerados de albumina marcados com tecnécio-99m no sangue. É o principal método de avaliação da grave condição potencialmente mortal que é a tromboembolia pulmonar. freqüentemente de emergência. Se houver grandes e múltiplas defeitos de perfusão não consonantes com áreas de defeitos de ventilação. como em casos de tromboembolia pulmonar. Qualquer área que não seja irrigada ficará pálida (zona fria) na imagem obtida. De outro modo poderá haver obstrução de um brônquio ou bronquíolo (apenas zona fria na ventilação). ou seja. É o principal método de avaliação da grave condição potencialmente mortal que é a tromboembolia pulmonar. se há obstruções nos vasos. Ela é feita pela inalação de marcadores radioactivos gasosos ou sob a forma de aerossóis. ------------------------------------------------------------------------------------------- . como isótopos de gases nobres radioativos ou micro-partículas marcadas com Tecnécio. Pulmões: Cintigrafia Pulmonar Cintigrafia de Perfusão e Ventilação: são duas técnicas. é provável o diagnóstico de tromboembolismo pulmonar. A cintigrafia de ventilação indica as áreas do pulmão que estão arejadas. A parte de perfusão é uma avaliação do fluxo sanguíneo por todo o pulmão. Ela é efetuada pela injeção de aglomerados de albumina marcada com tecnécio-99m no sangue. O resultado do exame vem da comparação entre as zonas frias (pouco radioactivas) da perfusão e as da ventilação. como isótopos de gases nobres radioactivos ou microparticulas marcadas com tecnécio (technegas). Se houver grandes e múltiplos defeitos de perfusão e não houver defeitos de ventilação ou estes forem em regiões diferentes.

Todo o processo demora cerca de 45 minutos. Se a cintilografia de ventilação for normal e a de perfusão não. Na cintilografia de ventilação. ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++ . onde não chega o sangue. com o objetivo de detetar possível obstrução. Realização do exame O exame é realizado em duas partes seguidas. a de ventilação e a de perfusão. é injetado aglomerados de albumina marcados com tecnécio-99 m no sangue. é um exame realizado aos pulmões. que impeça a passagem de ar ou do fluxo sanguíneo nestes provocando uma tromboembolia pulmonar. Ambas necessitam de administração de um radiofarmaco e são feitas numa sala de gama câmara. As possíveis zonas do pulmão. Há dois tipos de cintilografia de acordo com a técnica usada. que são as pouco reativas. O exame mostra se há zonas do pulmão que não estão a ventilar. ficam mais claras (zona fria). A primeira serve para ver se o pulmão ventila. A realização do teste não implica qualquer preparação. uma com inalação de aerossóis (cintilografia de ventilação) e outra com perfusão de marcadores (cintilografia de perfusão). da ventilação e da perfusão. e a outra mostra se há fluxo sanguíneo em todo o pulmão. O resultado deste exame é feito através da comparação das zonas frias. a pessoa inala (respira) através de inalador próprio. ou seja. é um exame realizado com alguma urgência devido à necessidade de diagnóstico e tratamento. marcadores radioativos gasosos.A cintilografia pulmonar de ventilação/perfusão. onde não há entrada e saída de ar. se faz as trocas gasosas. aerossóis ou micropartículas marcadas com tecnécio. Na cintilografia de perfusão. é sinal de tromboembolismo pulmonar.

como em casos de tromboembolia pulmonar. A parte de perfusão é uma avaliação do fluxo sanguíneo por todo o pulmão. frequentementede emergência. Esta é efectuada pela injecção de um conjunto de proteínas marcadas com tecnécio-99m no sangue. sempre feitas simultaneamente.cintilografia pulmonar Cintilografia pulmonar A Cintilografia de Perfusão e Ventilação: são duas técnicas.com/cintilografia-pulmonar/ . http://areadeprojecto9b. ou seja.wordpress. se há obstruções nos vasos. Qualquer área que não seja irrigada ficará pálida na imagem obtida. É o principal método de avaliação da grave condição potencialmente mortal que é a tromboembolia pulmonar.

inclusive após intervenções cirúrgicas. As imagens obtidas demonstram a distribuição do fluxo sanguíneo na microcirculação a partir da artéria pulmonar. reservandose a arteriografia para pacientes com instabilidade hemodinâmica. acompanhando o desvio de fluxo sangüíneo. laterais e oblíquas de tórax. Trombo embolismo pulmonar: O quadro-clínico radiológico é geralmente insuficiente para firmar o diagnóstico de embolia pulmonar. impactam na rede capilar pulmonar quando administradas por via endovenosa. sendo entretanto um exame de difícil realização em crianças abaixo de 5 anos e pacientes entubados. . Esta microembolia não traz repercussões clínicas.1% dos vasos. posterior. As partículas de albumina. O estudo é iniciado após a administração endovenosa do radiofármaco. posterior.estudo de inalação Radiofármaco: Aerossol de 99mTc-DTPA (ácido dietileno-triamino pentacético) Não é necessário preparo. As imagens são realizadas nas incidências anterior. sendo demonstrada a distribuição do material inalado nas cintilografias. por impactação e sedimentação. a cintilografia é o método de eleição para estes casos.Pneumologia  1-Cintilografia Pulmonar . Aplicações clínicas As alterações perfusionais pulmonares são observadas de forma pouco específica em diferentes patologias (processos parenquimatoso. A porcentagem de radiofármaco captado no pulmão em relação ao corpo inteiro serve como parâmetro quantitativo de avaliação e acompanhamento. Shunt pulmonar: Em pacientes com cardiopatias cianóticas ou fístulas artério-venosas pulmonares parte do macroagregado de albumina administrado impacta na circulação sistêmica e não na pulmonar. vasculares e mesmo secundário a alterações ventilatórias). Embolia pulmonar de outras origens. compressão vascular extrínseca e hipertensão pulmonar secundária à embolia também podem ser avaliados cintilograficamente. vasculites. laterais e oblíquas de tórax após a inalação do radiofármaco O aerosol de DTPA deposita-se em vias aéreas e alvéolos.  2-Cintilografia Pulmonar . sendo muitas vezes necessária a análise conjunta dos estudos de perfusão e ventilação. O padrão cintilográfico observado é de áreas segmentares ou subsegmentares de hipoperfusão com ventilação normal (padrão discordante). nas incidências anterior. por ser transitória e envolver menos que 0. indicação cirúrgica ou com cintilografia inconclusiva. devido a seu diâmetro.estudo de perfusão Radiofármaco: 99mTc-MAA (macroagregado ou microesferas de albumina) Não é necessário preparo. Por ser um método pouco invasivo e com alta sensibilidade e especificidade.

sendo eliminado pelos rins. avaliação terapêutica ou confirmação de atividade inflamatória pulmonar (processos intersticiais. alterações de permeabilidade vascular e extravasamento de proteínas ligadas ao gálio.). assim como a presença de receptores de ferro e transferrina nestes sítios. Imagens sequenciais de tórax permitem calcular a velocidade de clareamento do radiofármaco dos pulmões.Permeabilidade da membrana alvéolo-capilar: Após ser inalado o DTPA atravessa a membrana alvéolo-capilar e cai na circulação sistêmica. Esta permeabilidade se encontra aumentada principalmente em processos inflamatórios. O gálio comporta-se como análogo ao ferro e após sua administração é transportado por proteínas séricas. .  3-Cintilografia pulmonar com Galio 67 Radiofármaco: Gálio 67 (citrato de gálio) Não é necessário preparo. determinada pela permeabilidade da membrana alvéolo-capilar. Aplicações clínicas A cintilografia com gálio é um método não invasivo e com alta sensibilidade na detecção e acompanhamento de processos inflamatórios pulmonares. Pode ser empregada para diagnóstico. principalmente transferrina. O método é especialmente importante para pacientes sintomáticos e sem alterações radiológicas ou para pacientes com alterações radiológicas que no entanto podem ser atribuídas apenas a seqüelas de doenças prévias. Imagens nas incidências anterior e posterior de tórax são adquiridas 48 horas após a administração endovenosa do radiofármaco. etc. A captação observada em processos inflamatórios se deve ao aumento de aporte sanguíneo. fibrose pulmonar.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful