NORMAS PORTUGUESAS/EUROPEIAS EXISTENTES Numer Categoria o Parte ASTM-D ASTM-D DIN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN

EN EN EN EN EN EN EN 143 2017 4030 58 98 99 101 102 103 104 207 287 287 288 288 288 288 301 338 350 490 491 518 519 588 639 642 771 771 772 934 998 1008 1169 1338 1339 1340 1342 1425 1426 1427 1991 1993 1993 1993 1993 1993 1993 1993 1993 1993 1993 1993 1993 1998 10025 10025 10025 10025 10025 10028 10028 10028 10029 10034 10045 10051 10079 94 81 2

Ano 2000 1994 1991 2004 1991 1991 1991 1991 1991 1991 1993 1992 1992 1992 1992 1992 1992 1992 1995 1994 1994 1994 1995 1995 1996 1994 1994 2003 2003 1998 1997 2003 2002 1999 2003 2003 2003 2000 1999

Titulo Standard test methods for small clear speciments of timber Standard method of accelerated laboratory test of natural... Assessment of water, soil and gases for their Bitumen and bituminous binders - Sampling bituminous binders Ceramic tiles . Determination of dimensions Ceramic tiles. Determination of water asorption Ceramic tiles. Determination of stratch hardness Ceramic tiles .Determination of resistance Ceramic tiles . Determination of linear thermal Ceramic tiles. Determination of resistance to thermal Personal eye.protection . Filters and eye Cortiça. Terminologia Approval testing of welders Approval testing of welders Approval testing of welders Specification and approval of welding procedures Specification and qualification of welding procedures Adhesives, phenolic and aminoplastic Structural timber. Strengh classes Durability of wood and wood.based products Concrete roofing tiles and fittings - product specifications Concrete roofing tiles and fittings Structural timber. Grading. Requirements for visual strength grading standards. Structural timber. Grading. Requirements for machine strength graded timber and grading machines. Fibre cement pipes for sewers and drains Common requirements for concrete pressure pipes Prestressed concrete pressure pipes, cylinder ... Specification for masonry units - part 3- aggregate... Specification for masonry units July 2003 Methods of tests for masonry units Admixtures for concrete, mortar and grout Specification for mortar for masonry Mixing water for concrete... Precast concrete products, general rules for factory... Concrete paving blocks - requeriments ans test methods Concrete paving flags - Requirements and test methods Concrete kerbs units - requirements and test methods Setts of natural stone for external paving Bitumen and bituminous binders – Characterization of perceptible properties Bitumen and bituminous binders – Determination of needle penetration Bitumen and bituminous binders – Determination of softening point – Ring and Ball method Eurocode 1: Actions on structures. Part 1-1: General actions - Densities, self-weight, imposed loads for buildings. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 1-12: Additional rules for the extension of EN 1993 up to steel grades S 700. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 1-3: General rules - Supplementary rules for cold-formed members and sheeting. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 1-4: General rules - Supplementary rules for stainless steels. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 1-6: Strength and Stability of Shell Structures. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 1-7: Plated structures subject to out of plane loading. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 3-1: Towers, masts and chimneys - Towers and masts. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 3-2: Towers, masts and chimneys - Chimneys. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 4-1: Silos. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 4-2: Tanks. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 4-3: Pipelines. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 5: Piling. Eurocode 3 - Design of steel structures. Part 6: Crane supporting structures. Eurocode 8: Design of structures for earthquake resistance. Part 5: Foundations, retaining structures and geotechnical aspects. Hot rolled products of structural steels Hot rolled products of structural steels - Part 2 Hot rolled products of structural steels - Part 3 Hot rolled products of structural steels - Part 4 Hot rolled products of structural steels - Part 6 Flat products made of steels for pressurepurposes. Part 1: Generale requirements Flat products made of steels for pressure purposes. Part 2: Non-alloy steels with specified elevated temperature Flat products made of steels for pressure purposes. Part 3: Weldable fine grain steels normalizrd. Hot roled steel plates 3 mm Structural steel i and H sections Metallic materials, charpy impact test Continuously hot.rolled uncoated plate Definition of steel products

2 1 3 4 2 1

2

1

3-A1 3 2 2 2

1-1 1-12 1-3 1-4 1-6 1-7 3-1 3-2 4-1 4-2 4-3 5 6 5 1 2 3 4 6 1 2 3

2002 2007 2006 2006 2007 2007 2006 2006 2007 2007 2007 2007 2007 2004 2004 2004 2004 2004 2004 1992 1992 1992 1991 1993 1992 1991 1992

2

EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN ENV ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO/DIS ISO/DIS ISO/DIS ISO/DIS ISO/DIS ISO/DIS ISO/DIS ISO/IEC NP NP NP NP

10083 10083 10113 10113 10113 10130 10131 10142 10147 10155 10163 10163 10163 10164 10188 10200 10202 10204 12371 12407 12591 12594 12597 12620 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12839 12878 13055 13369 13755 14199 14399 14399 14399 14399 14399 14399 14399 14399 15326 20225 20273 20898 20898 26520 29658 45501 1168 12597 12597 12597 12597 12597 13108 13108 13369 13848 1170 31 31 140 140 898 2631 2631 2859 3951 4316 4866 4866 7150 7150 7980 8501 9000 10137 12572 14001 14010 14011 14012 14024 14031 14040 14041 14042 14043 15630 15630 15630 140 140 140 140 140 140 3382 7892 10013 1803 6284 7078 7898 8375 3443 9001 17050 48 52 56 62

Queenched and tempered steels Queenched and tempered steels Hot roled products in weldable fine grain structural Hot roled products in weldable fine grain structural Hot roled products in weldable fine grain structural Cold roled low carbon steel flat products for cold Cold rolled uncoated low carbon and high yield Continuously hot.dip zinc coated low carbon steel Continuously hot.dip zinc coated Structural steels with improved atmospheric 1 "" "" "" 2 Delibery requirements for surface condition 3 Delivery requirements for surface condition Steel products with improved deformation Chemical analysis of ferrous meterials Chemical analysis of ferrous meterials Cold reduced electrolytic chromium Metallic products, types of inspection documents Natural stone test methods Natural stone test methods . Petrographic examination Bitumen and bituminous binders – Specifications for paving grade bitumens Bitumen and bituminous binders – Preparation of test sample Bitumen and bituminous binders - Terminology Aggregates for concrete Bituminous mixtures. Test methods for hot mix asphalt 1 Soluble binder content 2 Determination of particle size distribution 3 Bitumen recovery: Rotary evaporator 5 Determination of the maximum density. 6 Determination of bulk density of bituminous specimens 8 Determination of void characteristics of bituminous 12 Determination of the water sensitivity of bituminous 22 Wheel tracking 23 Determination of the indirect tensile strength of bituminous specimens 24 Resistance to fatigue 25 Cyclic compression test. 26 Stiffness. 30 Specimen preparation by impact compactor 31 Specimen preparation by gyratory compactor. 33 Specimen prepared by roller compactor 34 Marshall test 35 Laboratory mixing 39 Binder content by ignition. 2001 Precast concrete products 1999 Pigments for the colouring of building... 1 2002 Lightweight aggregates 2004 Common rules for precast concrete products 2001 Natural stone test methods. Determination ... 2005 Execution of special geotechnical works 1 2005 High strength structural bolting for preloading. Part 1 2 2005 High strength structural bolting for preloading. Part 2 2 2005 High strength structural bolting for preloading. Part 3 4 2005 High strength structural bolting for preloading. Part 4 5 2005 High strength structural bolting for preloading. Part 5 5 2006/AC High strength structural bolting for preloading. Part 5-AC 6 2005 High strength structural bolting for preloading. Part 6 6 2006/AC High strength structural bolting for preloading. Part 6-AC Bitumen and bituminous binders - Measurement of density and specific gravity - Capillary-stoppered pyknometer method 1991 Fasteners. Bollts, screaws, studs and nuts 1991 Fasteners. Clearence holes for bolts and screws 2 1993 Mechanical properties of fasteners 6 1992 Nechanical properties of fasteners 1991 Classification of imperfections in metallic 1991 Steel. Determination of aluminium content 1992 Metrological aspects of non.automatic weighing A1:2005 2008 Precast concrete products 10 2001 Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 10: Compactibility 27 2000 Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 27: Sampling Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 28: Preparation of samples for 28 2000 determining binder content, water content and grading Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 29: Determination of the dimensions of 29 2002 a bituminous specimen 38 5 5:2006/A C AC:2004 5 8 1-10, 12,13 7 3 4 2 2 1 1 2004 2006 2008 2007 2008 1996 1998 1992 1995 1998 1992 1989 1997 1989 1989 1977 1990 1996 1986 1984 1986 1988 1997 2007 2001 1996 1996 1996 1996 1999 1999 1997 1998 2000 2000 2002 2002 2002 1997 2000 1998 1998 1998 1997 1997 1988 1995 1984 1984 1984 1985 ? 1984 2000 2004 1968 1962 1963 1961 Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 38: Test equipament and calibration Bituminous mixtures – Material specifications – Part 5: 5: Stone Mastic Asphalt Bituminous mixtures – Material specifications – Part 5: 5: Stone Mastic Asphalt Common rules for precast concrete products Railway applications - Track - Track geometry quality Test method for glass-fibre reinforced cement... Quantities and units Acoustics Acoustics. Acoustics. Mechanical properties of fasteners. Part 2. Evaluation of human exposure Mechanical vibration and shock Sampling procedures for inspection by attributes Sampling procedures and charts for insoection Surface active agents Mechanical vibration and shock Mechanical vibration and shock Water quality: determination Water quality: determination of ammonium Water quality: determination of calcium Rust grades and preparation grades of uncoated steel... Quality management and quality assurance standards Bases for design of structures. Serviceability of buildings and wallkways Hygrothermal performance of building materials and products Environmental management systems Guidelines for environmental auditing Guidelines for environmental auditing - audit procedures Guidelines for environmental auditing - qualification criteria ... Environmental Labels and declaration Environmental management Environmental management Environmental management Environmental management Environmental management Reinforcing bars, wire rod and wire Welded fabric Prestressing steel Acoustics. Acoustics. Acoustics. Acoustics. Acoustics. Acoustics. Acoustics Vertical building elements Guidelines for developing quality manuals Tolerances pour le batiment: Vocabulaire Tolerances pour le batiment: Indication des tolerances Building construction Construction imobilière Structures en bois Tolerances pour les batiment Sistemas de gestão da qualidade Avaliação da conformidade.Declaração de conformidade do fornecedor. Parte 1: Requisitos gerais Desenho Técnico Azulejos e ladrilhos Assentamento de azulejos e ladrilhos Desenho Técnico

2 1 3 2 1

1991 1991 1993 1993 1993 1991 1991 1990 1991 1993 1991 1991 1991 1993 1989 1991 1989 1988 2001 2000 1999 2007 2000 2002

2 2 1 1 2

1 2 3 1 12 5 6 7 8

2

1

NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP

63 67 68 80 81 83 84 85 86 87 89 105 106 107 108 109 110 114 115 116 141 142 143 144 147 155 174 189 190 204 205 243 244 245 246 247 248 249 250 251 252 259 260 264 265 267 270 271 272 273 297 298 299 304 307 308 309 310 314 317 318 321 323 324 327 328 330 331 332 333 334 337 338 339 377 386 400 401 405 406 409 410 411 412 413 414 415 416 417 418 419 420 421 422 423 424 439 440 441 448 449 450 481 482 486 494 495 496 497 498 498 499 500 501 502 503 504 505 506 507 508 509 513 514 520 521 525 526 527 534 550 559 560 561 562 563

1974 1974 1967 1964 1964 1965 1965 1964 1972 1964 1963 1965 1990 1962 1963 1968 1983 1967 1967 1962 1990 1968 1969 1968 1969 1985 1969 1962 1963 1968 1970 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1969 1969 1962 1962 1962 1962 1962 1962 1970 1963 1974 1974 1988 1962 1962 1962 1962 1962 1963 1963 1964 1963 1963 1964 1964 1983 1976 1976 1976 1975 1964 1964 1964 1967 1990 1983 1983 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1964 1967 1967 1967 1966 1966 1969 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 2008 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1967 1967 1967 1967 1967 1968 1968 1969 1970 1988 1988 1988 1997 1969 1969 1988 1969 1969 1969

Tipos comerciais de cortiça Cortiça, aglomerados puros Aglomerados de cortiça Tijolos para alvenaria Materiais betuminosos Solos Solos Areias para argamassa de betoes Inertes para argamassas Consistencia do betao Desenho Técnico Metais Materiais metalicos Tolerancias e ajustamentos Equivalencia metrica da polegada Dimensões lineares nominais Roscas metricas de perfil Granulado de cortiça Granulado de cortiça Materiais de construçao Materiais metalicos Misturas betuminosas Solos Tubos de Gres Ceramico Blocos maciços Elementos de ligaçao roscados Tubos de Gres Ceramico Sistemas de tolerancias Sistemas de tolerancias . Simbologia Desenho Técnico . Legendas Desenho Técnico . Listas de peças Arame de cobre para rebites Arame de latão Rebites semi.tubulares Rebites semi.tubulares Rebites semi.tubulares Rebites bifurcados com cabeça contrapunçoada Parafusos com cabeça esférica Parafusos com cabeça contrapunçoada plana Parafusos com cabeça cilindrica Furos para rebites Cortiça (caracteristicas) Cortiça (Ensaios) Rebites Cotas não toleranciadas Linhas electricas Tubos de fibrocimento Tubos de fibrocimento Tubos de fibrocimento Cortiça. Terminologia Desenho técnico Cortiça em prancha Cortiça virgem Aço vazado Azulejos Ladrilhos. Ensaio de choque Ladrilhos. Ensaio de desgaste Ladrilhos. Ensaio de resistencia as manchas Ardósia Gessos. Colheita de amostras Gesso. Determinaçao de agua de presa Gesso. Determinaçao do principio de presa Gesso Gesso Desenho técnico. Representaçao de vistas Desenho tecnico.Cortes e secções Produtos siderurgicos Aço laminado a quente Aço laminado a quente Aço laminado. Vergalhão Aço laminado. Barra Aço laminado. Perfil Aço laminado Aço laminado Recipientes metalicos estanques Materiais metalicos Roscas métricas de perfil Roscas métricas de perfil. ISO para usos gerais. Dimensões nominais. Referencias bibliograficas Desenho tecnico Água . Colheita das amostras Agua. Determinaçao da temoeratura Agua. Determinaçao do valor do ph Agua. Determinaçao do teor em anidrido Agua. Determinaçao do teor em sulfato Consistencia do betao Soldadura por arco Soldadura por arco Sumario de publicaçoes Analises bibliograficas Apresentaçoes em artigos em publicaçoes Gesso Água . Determinaçao da alcalinidade Água. Determinação da acidez Água. Determinação do teor em cloretos Água. Determinação das durezas Água.Determinaçao de teor em silica Água. Determinação do teor em cobre Água Determinação do teor em alumínio Tubos de aço Tubos de aço Tubos de aço Madeiras serradas de resinosas Madeiras serradas de resinosas. Mediçoes nominais Madeiras serradas de resinosas. Tolerâncias nas dimensões. Telhas cerâmicas. Caracteristicas e recepção Telhas cerâmicas. Ensaios de permeabilidade Telhas ceramicas.Ensaio de resistência ao frio Telhas cerâmicas. Ensaio de flexão Telhas cerâmicas. Ensaio de orelha de aramar Telhas cerâmicas. Ensaio da orelha de aramar. Telhas cerâmicas.Ensaio de absorção da água Tubos de Gres Ceramico Tubos de Gres Ceramico.Determinação das dimensões Tubos de Gres Ceramico. Ensaio de pressão Tubos de Grés Ceramico.Ensaio de compressão diametral Tintas e vernizes Água. Determinaçao do teor em resíduos Água. Determinação do teor em cálcio Água. Determinação do teor em magnésio Água. Determinação do teor em nitratos Água. Determinação do teor em arsénio Tubos de aço. Designação e caracteristicas Tubos de aço. Comprimentos mínimos das uniões Tubos de fibrocimento para canalizações Tubos de fibrocimento Produtos zincados Produtos zincados. Verificação da aderencia Produtos zincados. Verificação da uniformidade Texteis Tubos de aço Aços de ferro fundido Aços e ferros fundidos Aços e ferros fundidos Aços e ferros fundidos Aços e ferros fundidos

Determinação da oxidabilidade Água.Ensaio de enrolamento Materiais metálicos. . Determinação do teor em oxigénio dissolvido Inspecção radiográfica de soldaduras Folhas de titulos de publicações Indices de publicações Materiais metálicos Materiais metálicos.NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 564 581 603 604 605 606 607 614 615 616 617 618 619 620 621 622 623 624 625 626 627 660 661 662 663 664 669 671 674 676 677 678 689 691 692 708 710 711 713 714 716 717 718 729 729 730 731 732 733 737 738 739 740 741 747 748 761 761 771 772 773 774 775 815 818 819 835 836 837 838 839 850 851 852 854 879 880 880 881 1 1 1969 1969 1967 1967 1967 1967 1972 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1972 1972 1972 1972 1972 1972 1972 1972 1972 1974 1973 1974 1973 1973 1968 1973 1972 1972 1983 1968 1990 1968 1968 1968 1968 1968 1969 1969 1969 1969 1969 1969 1969 1969 1969 1990 1990 1969 1969 1969 1969 1970 1970 1970 1970 1970 1970 1970 1970 1971 1971 1971 1971 1971 1989 1989 1989 1971 1971 1971 1971 1971 Aços e ferros fundidos Inertes para argamassas e betões Aglomerados de cortiça Aglomerados de cortiça Granulado de cortiça Granulado de cortiça Água Madeiras. Ensaio de tracçao transversal Madeira. Ensaio de corte Água. Ensaio de dobragem Materiais metálicos. Câmaras de visita . Determinação do teor em potássio Água. Condutas adutores Abastecimento de água . Determinaçao do teor em fósforo Aços e ferros fundidos. Estações de tratamento Redes de esgoto. ensaio de permeabilidade Tintas e vernizes Produtos siderúrgicos Tubos de polietileno Tubos de polietileno de massa volúmica baixa. Determinação do teor em cobre Aços e ferros fundidos. Determinação do teor em crómico Aços e ferros fundidos. Determinaçao do teor em tetânio Acústica Desenho técnico Tubos e acessórios de ferro fundido Redes de esgoto. Determinaçao do teor da cor verdadeira Aços. Ensaio de dureza Vickecs Pavimentos de edificios. Determinação de deformação sob pressão constante. Ensaio de fendimento Madeira. Ensaio de compressão Madeiras. Determinaçao do grau de turvação Água. Sarjetas tipos. Determinação do teor em sódio Água. Determinação do teor em nitritos Água. Desenho técnico Desenho técnico. Anteprojectos Abastecimento de água a aglomerados Abastecimento de água. Determinaçao do teor de dureza Madeiras. Determinaçao do teor em crómio Aços e ferros fundidos. Acústica Embalagens de madeira Materiais metálicos Aglomerados de cortiça Aglomerados de cortiça em placas. Boletim de análise físico.química) Artigos de metais não ferrosos Sistemas de esgotos projectos Sistemas de esgotos. Determinaçao da retracção Madeiras. Flexão estática Madeira. Determinação da massa volumica Madeiras. Tacos de madeira Pavimentos de edificios. Reservatórios Materiais metálicos. Determinaçao do teor em azoto Água.Ensaio de flexão dinâmica Madeiras. Sarjetas . Determinação do grau de turvação Água. Escala Desenho técnico. Determinação do teor em chumbo Água. Determinação da condutividade eléctrica Água. Esquadrias Água. características Redes de esgoto. Redes de distribuição Abastecimento de água.Ensaios de pressão anterior. Ensaio de torção Cintos de segurança Tubos de betão Abastecimento de água Abastecimento de água. Determinação do teor em água Madeiras. Origem e captação da água Abastecimento de água. Tacos de pinho bravo Teoria das estruturas Teoria das estruturas (vocabulário) Água (correcção da agressividade) Água (Comportamento em contacto) Água (Requisição da análise) Água.

Definição de soldabilidade Soldadura. Vocabulário. Parte 6: Meios de evacuação e salvamento. Juntas soldadas Produtos siderurgicos. Inertes para argamassas e betões. Grão ferrítico Segurança e saude no trabalho Ferro fundido Aços e ferros fundidos Acústica. Parte 6: Preparação e manuseamento dos dados Contadores de agua potavel Produtos siderurgicos Tubos de fibrocimento Tubos de fibrocimento. Quimico de oxigénio Águas. Simbólica nos desenhos Soldadura. Parte 18: Processamento de dados distribuído. Protecção da audição Ferro fundido de grafite lamelar Ferro fundido.fabricados Redes de esgoto. Compressão e flexão Betões. Topo a topo Soldadura. Isolamento sonoro Avaliação da influência em construçoes . Aos ruídos aéreos Roscas métricas de perfil.. Vocabulário. Parte 20: Desenvolvimento de sistemas. Determinação do cloro Agua. Maleável Aços . Parte 27: Automatização de escritórios. Parte 31: Inteligência artificial . Vocabulário. Betão fresco Betões. Inertes para argamassas e betões. Convencional dos aços Produtos siderurgicos. Processo por espectrofotometria de chama Betões.Classificação dos aços Redes de distribuição de gases Metais ferrosos Acústica Aço Metais ferrosos Acústica. Inertes para argamassas e betões. Espessura de camadas Produtos siderurgicos. Verificação da estanquidade Inertes para argamassas e betões Inertes para argamassas e betões. Parte 4: Equipamentos e meios de extinção de incêndios. Determinaçao do teor em manganésio Tacos em madeira Inertes para argamassas Pedras naturais Aglomerados de cortiça Cortiça virgem Cortiça em prancha Cortiça virgem. Teor em sulfatos Inertes para argamassas. De grafite esferoidal Ferro fundido.Qualidade média Roscas métricas de perfil. Tecnologias da informação. Determinaçao dos teores em água total e em água superficial de areias Agua. Processo da barra de argamassa. Águas de amassadura Águas. Dissolvidos de águas Soldadura. Ensaio de estanquidade Tubos de fibrocimento. Parte 5: Desenfumagem (controlo de fumo). Tolerâncias Roscas métricas de perfil. Esforço de tensão Soldadura. Secção de amostragem e plataforma para chaminés ou condutas. Parte 19: Computação analógica. Inertes para argamassas e betões. Vocabulário. Parte 1: Termos fundamentais. Vocabulário. Ruído aéreo emitido pelas máquinas Acústica. Fusão de peças de aço Soldadura. Composição de betão Betões. Colheita das amostras Parafusos de cabeça cilindrica Pafarusos de cabeça menisco Pafarusos de cabeça lentilha Parafusos de cabeça embeber Aço laminado a quente Soldadura Metais de edição para soldadura Metais de edição para soldadura de gás Soldadura em aço Agregados Inertes para argamassa e betões nertes para argamassas e betões. Teor em sulfuretos Produtos siderurgicos Aço laminado a quente Materiais plasticos Produtos siderúrgicos Emissões de fontes fixas. Degraus das Câmaras Madeiras Redes de esgoto. Determinaçao das massas volúmicas e da absorção de água de areias Inertes para argamassas e betões. Determinação do teor de álcalis solúveis.. Teor de ar do betão Betões. Qualidade da agua Qualidade da agua Qualidade da agua Qualidade da agua Produtos siderurgicos. 2 3 4 (Errata) 1 18 19 20 27 31 8 1 5 6 6 4 5 . Determinaçao dos teores em água total e em água superficial.Categorias de exigências Soldadura. Metal depositado Soldadura. Segurança contra incêndios. Tecnologias da informação. Imagem radiográfica Soldadura. Terminologia.Aprendizagem máquina. Refugo e aparas Cortiça em prancha. Carbono de cálcio Água. Dimensionais e tolerâncias Tecnologias da informação. Tempos de presa Revestimentos metálicos Revestimentos metálicos Revestimentos metálicos Revestimentos metálicos Revestimentos metálicos Águas. Reacção humano ao ruído Acústica. Desvios Parafusos de aço sem cabeça Parafusos de cabeça Metais ferrosos Cimentos Acústica. Ruído emitido pelos veículos Acústica. Construção e conservação Redes de esgoto. Ensaio de reactividade potencial com os álcalis do ligante. Tecnologias da informação. Vocabulário. Determinaçao da baridade. Parte 5: Representação de dados. Vocabulário. Equipamento de ensaio Produtos siderúrgicos Produtos siderúrgicos. Tecnologias da informação. Vocabulário. Determinação do teor de partículas friáveis. Diversos rendimentos Aços e ferros fundidos Produtos laminados Soldadura. Tecnologias da informação. Tecnologias da informação. Vocabulário. Avaliação da influência em construçoes de vibrações Avaliação do ruído do escape de ar Preservação de madeiras Inertes para argamassas. Terminologia. Amostras de provetes Contadores de água potável fria Contadores de água potável fria. Ensaios de pressas em obra Segurança contra incêndio. Circulam sobre carris Acústica. Terminologia. Tecnologias da informação. Tecnologias da informação. Material via férrea Garantia de qualidade Aços. Totais de água Água. Parte 8: Segurança.NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 882 883 892 893 894 953 954 955 956 957 966 967 969 1039 1040 1042 1043 1044 1045 1046 1094 1095 1096 1097 1186 1205 1318 1319 1320 1378 1379 1380 1381 1382 1383 1384 1385 1386 1387 1388 1389 1390 1391 1392 1414 1415 1416 1417 1418 1446 1447 1448 1449 1467 1470 1493 1494 1515 1516 1517 1578 1616 1617 1638 1643 1674 1680 1697 1730 1733 1758 1759 1760 1787 1796 1805 1806 1888 1889 1895 1896 1897 1899 1900 2025 2064 2067 2069 2073 2074 2074 2076 2080 2106 2107 2115 2116 2123 2132 2167 2201 2201 2201 2202 2259 2269 2413 2451 2468 2470 2911 2912 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3318 3773 3856 3857 3858 3874 3874 3874 1971 1971 1972 1972 1972 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1974 1974 1974 1974 1974 1974 1974 1975 1975 1975 1975 1975 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1988 1988 1988 1988 1976 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1978 1979 1979 1979 1979 1997 1980 1980 1981 1981 1981 1981 1984 1981 2004 1984 1981 1982 1986 1982 1982 1982 1982 1982 1983 1983 1983 1983 1983 1983 1983 1983 1985 1984 1984 1983 1983 1983 1984 2007 1997 1997 1997 2001 1987 1984 1984 1988 1997 1998 1987 1987 1996 1997 1997 1997 2004 2003 1997 1996 1999 1997 1988 1991 1991 1991 1994 1994 1994 Redes de esgoto. Elementos pré. Segurança contra incêndio.

da segurança e saúde no trabalho Segurança contra incêncios Modelo europeu para a classificação dos aparelhos que utilizam combustiveis gasosos. Segurança contra incêndio. características tecnológicas e características metrológicas. Parte 3: Detecção e alarme de incêndio.NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 3874 3874 3874 3874 3992 4000 4072 4095 4182 4215 4220 4305 4334 4343 4346 4354 4357 4360 4361 4362 4386 4410 4413 4415 4433 4434 4435 4438 4438 4439 4440 4467 4468 2 3 1 7 1993 1997 1995 1994 1994 1997 1990 1997 2001 1993 1993 1995 1997 1998 1998 1998 1997 1999 2001 1997 2001 2004 2003 2006 2005 2005 2004 2005 2005 2005 2005 2007 2007 Segurança contra incêndio. Terminologia. Parte 2: Método geral de cálculo. Guia para a verificação da conformidade Sistemas de tubagens de plástico para abastecimento de água. Contadores de água potável fria Materiais metálicos Contadores de água potável Produtos petroliferos Sistemas de saneamento basico Pozolanas para betão Madeira serrada de pinheiro bravo Acústica Qualidade da agua Qualidade da agua Qualidade da água. Parte 2: Protecção estrutural contra incêndio. Parte 1 Sistemas de tubagens de plastico para inst. Parte 1: Termos gerais. Terminologia. Guia para a verificação da conformidade. Arquivo. Qualidade da agua Equipamento de segurança Sistemas de gestão. Segurança contra incêndio. Caudalímetros electromagnéticos. Arquivo. Parte 7: Meios de detecção e supressão de explosões. Acústica. Linhas de orientação para a documentação de sistemas de gestão Reutilização de águas residuais urbanas tratadas na rega Cimentos Informação e documentação: gestão de doc. 2 2 1 . Sinais de segurança. Polietileno (PE). Segurança contra incêndio. Polipropileno (PP) Sistemas de tubagens de plástico para abastecimento de combustíveis gasosos.. Polietileno reticulado PE-X Sistemas de tubagens de plastico para inst. Parte 2 Informação e documentação: gestão de doc. Terminologia. Fenómenos do fogo. Atenuação do som na sua propagação ao ar livre. Terminologia. Acústica Contadores de água potável fria. De agua quente e fria . Terminologia. De agua quente e fria . Polietileno (PE). Segurança contra incêndio. Técnicas de avaliação e controlo dos meios de cultura utilizados na contagem de colónias em ensaios de controlo de qualidade da água. definições..

NORMAS ASTM EXISTENTES Categoria ASTM-D ASTM-D Numero 2017 143 Parte 81 94 Ano 1994 2000 .

NORMAS ASTM EXISTENTES Titulo Standard method of accelerated laboratory test of natural... Standard test methods for small clear speciments of timber .

NORMAS DIN EXISTENTES Categoria Numero DIN 4030 Parte 2 Ano 1991 .

NORMAS DIN EXISTENTES Titulo Assessment of water. soil and gases for their .

NORMAS EUROPEIAS EXISTENTES Categoria EN prEN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN prEN prEN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN prEN EN EN EN prEN prEN prEN prEN prEN+EN prEN+EN EN EN EN EN EN EN EN EN Numero 58 74 98 99 101 102 103 104 207 287 287 288 288 288 288 301 338 350 351 384 490 491 518 519 588 639 642 771 771 772 772 772 772 934 998 1008 1015 1015 1052 1052 1052 1052 1168 1169 1338 1339 1340 1342 1363 1363 Parte Ano 2004 1986 1991 1991 1991 1991 1991 1991 1993 1992 1992 1992 1992 1992 1992 1992 1995 1994 1995 1994 1994 1994 1995 1995 1996 1994 1994 2003 2003 1998 2000 1 2 1 2 3 4 2 1 1 3 3-A1 2 16 6 1 2 2 2001 1992 1997 2003 2002 6 1995 11 1995 3 1996 4 1995 1 1995/1998 2 1996/1999 :2005:A1 2008 1999 2003 2003 2003 2000 1 1999 2 1999 .

EN EN EN EN EN EN EN prEN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN 1364 1 1364 2 1365 1 1425 1426 1427 1634 1 1912 1991 1-1 1993 5 1993 6 1993 3-1 1993 4-1 1993 3-2 1993 4-2 1993 1-3 1993 4-3 1993 1-4 1993 1-6 1993 1-7 1993 1-12 1995 1-1 1999 1999 1999 1999 2007 2007 2000 1995 2002 2007 2007 2006 2007 2006 2007 2006 2007 2006 2007 2007 2007 2004 1995 1-1:2004/AC (errata) 2006 1998 10025 10025 10025 10025 10025 10028 10028 10028 10029 10034 10045 10051 10079 10083 10083 10113 10113 10113 10130 5 1 2 3 4 6 1 2 3 2004 2004 2004 2004 2004 2004 1992 1992 1992 1991 1993 1992 1991 1992 1991 1991 1993 1993 1993 1991 2 1 2 1 2 3 .

EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN 10131 10142 10147 10155 10163 1 10163 2 10163 3 10164 10188 10200 10202 10204 12101 2 12371 12407 12591 12594 12595 12597 10 12597 27 1991 1990 1991 1993 1991 1991 1991 1993 1989 1991 1989 1988 2003 2001 2000 1999 2007 2007 2001 2000 EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN 12597 28 12597 29 12597 38 12597 12597 12620 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 12697 2000 2002 2004 10:2001/AC2007 2000 2002 1 2005 2 2007 3 2000 5 2007 6 2007 8 2003 12 2003 22 2007 23 2003 24 2007 25 2007 26 2004 30 2007 31 2007 33 2007 34 2007 35 2007 39 2004 2005 2001 12697 42 12697 12839 .

EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN EN prEN prEN EN EN prEN prEN EN EN EN EN EN EN EN EN 12878 13055 13108 5 1 1999 2002 2006 13108 5:2006/AC 2008 13369 AC:2004 2007 13369 2004 13755 2001 13823 13848 14199 14399 14399 14399 14399 14399 14399 14399 14399 14399 14399 14679 14679 15048 15078 2010 2008 2005 2005 2005 2005 2005 2005 2006/AC 2005 2006/AC 2006 2006 2005/AC 2005 2006 2006 2007 1991 1991 1993 1992 1991 1991 1992 5 1 2 3 4 5 5 6 6 7 8 1 2 15326 20225 20273 20898 2 20898 6 26520 29658 45501 .

Determination of linear thermal Ceramic tiles. Part 3 Adhesives. Determination of resistance to thermal Personal eye..based Durability of wood and wood based products Structural timber Concrete roofing tiles and fittings: product specifications Concrete roofing tiles and fittings Structural timber. Determination of dimensions Ceramic tiles.requirements and test methods Setts of natural stone for external paving Fire resistance tests. Concrete paving blocks . Part 6: determination of bending tensile strength of aggregate concrete masonry units Méthodes d'essai pour elements de maçonnerie Admixtures for concrete.protection . Specification for masonry units July 2003 Specification for masonry units .. Methods of tests for masonry units Methods of test for masonry units.. Part 16: determination of dimensions Methods of test for masonry units...part 3. Part 2 Specification and approval of welding procedures .Requirements and test methods Concrete kerbs units . Grading … Structural timber. Grading.. Filters and eye Approval testing of welders Approval testing of welders Specification and qualification of welding procedures Specification and approval of welding procedures.NORMAS EUROPEIAS EXISTENTES Titulo Bitumen and bituminous binders . Ceramic tiles ... general rules for factory..requeriments ans test methods Concrete paving flags . Part 2: Alternative and additional procedures FORMATO PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF . phenolic and aminoplastic Structural timber.Determination of resistance Ceramic tiles . Part 1: General requirements Fire resistance tests..aggregate. Method of test for masonry Method of test for masonry Method of test for masonry Method of test for masonry Precast concrete products Precast concrete products. Methods of test for mortar for masonry Methods of test for mortar for masonry. Requirements for machine Fibre cement pipes for sewers and drains Common requirements for concrete pressure pipes Prestressed concrete pressure pipes. cylinder . Determination of water asorption Ceramic tiles. Determination of stratch hardness Ceramic tiles..Part 1 Specification and approval of welding procedures .Sampling bituminous binders Raccords. coujons d'assemblage et . mortar and grout Specification for mortar for masonry Mixing water for concrete. Strengh classes Durability of wood and wood..

Eurocode 3 . Part2 Flat products made of steels for pressure. selfweight. strengh classes Eurocode 1: Actions on structures.Design of steel structures. Eurocode 3 . retaining structures and geotechnical aspects.Fire resistance tests for non-loadbearing elements. Part 5: Foundations. Part 1 Flat products made of steels for pressure.Design of steel structures. Part 4-1: Silos. Part 4-3: Pipelines.Design of steel structures.Part 1-1: general . Part 1-3: General rules . Part 1: Fire doors and shutters Structural timber. Part 3 Hot rolled products of structural steels.Design of steel structures. Eurocode 3 . Part 1-4: General rules . Part 3-2: Towers.common rules and rules for buildings Eurocode 5: design of timber structures .Densities. Part 6: Crane supporting structures. masts and chimneys Towers and masts.Design of steel structures.Supplementary rules for stainless steels. Part 1: Walls Fire resistance tests for non-loadbearing elements: Part 2: Ceilings Fire resistance tests for loadbearing elements. imposed loads for buildings. Eurocode 3 .Design of steel structures.Design of steel structures. masts and chimneys Chimneys. Part 3 Hot roled steel plates 3 mm Structural steel i and H sections Metallic materials. Part 3-1: Towers. Eurocode 3 . Part 1: Walls Bitumen and bituminous binders – Characterization of perceptible properties Bitumen and bituminous binders – Determination of needle penetration Bitumen and bituminous binders – Determination of softening point – Ring and Ball method Fire resistance tests for door and shutter assemblies. charpy impact test Continuously hot. Part 1-6: Strength and Stability of Shell Structures.rolled uncoated plate Definition of steel products Queenched and tempered steels Queenched and tempered steels Hot roled products in weldable fine grain structural Hot roled products in weldable fine grain structural Hot roled products in weldable fine grain structural Cold roled low carbon steel flat products for cold PDF-ACIV PDF PDF-ACIV PDF PDF PDF PDF-ACIV PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF . Part 4 Hot rolled products of structural steels. Part 4-2: Tanks.Supplementary rules for cold-formed members and sheeting.Design of steel structures. Eurocode 5: design of timber structures .Part 1-1: general . Eurocode 3 . Part 1-1: General actions . Part 6 Flat products made of steels for pressure. Part 1-7: Plated structures subject to out of plane loading. Eurocode 3 .Design of steel structures. Eurocode 3 . Hot rolled products of structural steels Hot rolled products of structural steels. Eurocode 3 . Part 5: Piling. Eurocode 3 . Eurocode 3 . Part 2 Hot rolled products of structural steels.Design of steel structures. Part 1-12: Additional rules for the extension of EN 1993 up to steel grades S 700.Design of steel structures. Eurocode 3 .common rules and rules for buildings Eurocode 8: Design of structures for earthquake resistance.Design of steel structures.

Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 10: Compactibility Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 27: Sampling Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 28: Preparation of samples for determining binder content. Part 42: Amount of coarse foreign matter in reclaimed asphalt Bituminous mixtures. Natural stone test methods: Determination of frost res. Test methods for hot mix asphalt. types of inspection documents Smoke and heat control systems. Determination of kinematic viscosity. Natural stone test methods. Stiffness. Petrographic examination Bitumen and bituminous binders – Specifications for paving grade bitumens Bitumen and bituminous binders – Preparation of test sample Bitumen and bituminous binders.dip zinc coated Structural steels with improved atmospheric Delivery requirements for surface condition Delivery requirements for surface condition Delivery requirements for surface condition Steel products with improved deformation Chemical analysis of ferrous meterials Chemical analysis of ferrous meterials Cold reduced electrolytic chromium Metallic products. Bituminous mixtures. Test methods for hot mix asphalt Precast concrete products PDF MSIU PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF . water content and grading Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 29: Determination of the dimensions of a bituminous specimen Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 38: Test equipament and calibration Bituminous mixtures – Test methods for hot mix asphalt – €“ Part 10:Compactibility Bitumen and bituminous binders . Specimen preparation by impact compactor Specimen preparation by gyratory compactor. Specimen prepared by roller compactor Marshall test Laboratory mixing Binder content by ignition.Terminology Aggregates for concrete Soluble binder content Determination of particle size distribution Bitumen recovery: Rotary evaporator Determination of the maximum density.dip zinc coated low carbon steel Continuously hot.Cold rolled uncoated low carbon and high yield Continuously hot. Determination of bulk density of bituminous specimens Determination of void characteristics of bituminous Determination of the water sensitivity of bituminous Wheel tracking Determination of the indirect tensile strength of bituminous specimens Resistance to fatigue Cyclic compression test. Part 2: Specification for natural smoke and heat exhaust ventilators.

. Part 2 (Final Draft) Bitumen and bituminous binders . screaws.Track . Part 6-AC High strength structural bolting for preloading.Building products excluding floorings exposed to the thermal attack by a single burning item Railway applications . Part 2 High strength structural bolting for preloading. Part 5 High strength structural bolting for preloading. Part 6 High strength structural bolting for preloading. Part 8 (draft) Execution of special geotechnical works Execution of special geotechnical works Non preloaded structural bolting assemblies. studs and nuts Fasteners. Part 1 High strength structural bolting for preloading..automatic weighing PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF MSIU PDF PDF PDF . Clearence holes for bolts and screws Mechanical properties of fasteners Mechanical properties of fasteners Classification of imperfections in metallic Steel. Part 3 High strength structural bolting for preloading. Reaction to fire tests for building products . Determination . Part 5-AC High strength structural bolting for preloading.Pigments for the colouring of building.Track geometry quality Execution of special geotechnical works High strength structural bolting for preloading.. Part 4 High strength structural bolting for preloading. Bollts. Part 7 (draft) High strength structural bolting for preloading.. Determination of aluminium content Metrological aspects of non. Lightweight aggregates Bituminous mixtures – Material specifications – Part 5: 5: Stone Mastic Asphalt Bituminous mixtures – Material specifications – Part 5: 5: Stone Mastic Asphalt Common rules for precast concrete products Common rules for precast concrete products Natural stone test methods. Part 1(Final Draft) Non preloaded structural bolting assemblies.Measurement of density and specific gravity Capillary-stoppered pyknometer method Fasteners.

.

.

.

.

.

.

.

NORMAS EUROPEIAS EXISTENTES Categoria ENV Numero 1170 Parte 8 Ano 1996 .

ROPEIAS EXISTENTES Titulo Test method for glass-fibre reinforced cement... .

NORMAS ISO EXISTENTES Categoria Numero ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO/DIS ISO ISO ISO ISO ISO/DIS ISO ISO ISO ISO ISO/DIS ISO/DIS ISO ISO ISO ISO/DIS ISO ISO/DIS ISO ISO ISO/DIS ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO Parte Ano 1992 1998 1997 2000 1995 1998 1998 1998 1998 1997 1992 2006 2010 2010 1984 1997 1989 1989 1997 1984 1989 1977 1996 1990 1984 1984 1984 1986 1988 1985 1986 ? 1988 1997 2000 2010 1995 2007 2010 2011 2001 1996 1996 1996 1996 1999 1999 1997 31 7 31 1 to 10. 12 and 13 Part 140 1 140 12 140 3 140 4 140 5 140 6 140 7 140 8 898 2 1099 1182 1716 1803 2 2631 1 2631 2 2859 1 3382 3443 3 3951 4316 4866 2 4866 6284 7078 7150 1 7150 2 7892 7898 7980 8375 8501 1 9000 2 9001 9239 10013 10137 11925 11925 12572 14001 14010 14011 14012 14024 14031 14040 1 2 2-Cor 1:2011 .

ISO ISO ISO ISO ISO ISO ISO/IEC 14041 14042 14043 15630 15630 15630 17050 1 2 3 1 1998 2000 2000 2002 2002 2002 2004 .

Acoustics.Part 2: Single-flame source test. Serviceability of buildings and wallkways Reaction to fire tests -. Quality management and quality assurance standards Sistemas de gestão da qualidade Reaction to fire tests for floorings -. Corrigendum Hygrothermal performance of building materials and products Environmental management systems Guidelines for environmental auditing Guidelines for environmental auditing .Determination of the gross heat of combustion (calorific value) Tolerances pour le batiment: Vocabulaire Mechanical vibration and shock Evaluation of human exposure Sampling procedures for inspection by attributes Acoustics Tolerances pour les batiment Sampling procedures and charts for insoection Surface active agents Mechanical vibration and shock Mechanical vibration and shock Tolerances pour le batiment: Indication des tolerances Building construction Water quality: determination of ammonium Water quality: determination Vertical building elements Construction imobilière Water quality: determination of calcium Structures en bois Rust grades and preparation grades of uncoated steel. Part 2.qualification criteria .Non-combustibility test Reaction to fire tests for products -.Part 2: Single-flame source test Reaction to fire tests -.Titulo Acoustics Quantities and units Acoustics.Part 1: Determination of the burning behaviour using a radiant heat source Guidelines for developing quality manuals Bases for design of structures. Acoustics. Acoustics.audit procedures Guidelines for environmental auditing . Metallic materials -.. Mechanical properties of fasteners.Ignitability of products subjected to direct impingement of flame -.Axial force-controlled method Reaction to fire tests for products -. Acoustics. Acoustics.Ignitability of products subjected to direct impingement of flame -..Fatigue testing -. Environmental Labels and declaration Environmental management Environmental management .. Acoustics. Acoustics..

Requisitos gerais .Declaração de conformidade do fornecedor. wire rod and wire Welded fabric Prestressing steel Avaliação da conformidade.Environmental management Environmental management Environmental management Reinforcing bars.Parte 1.

Formato PDF PDF PDF MSIU MSIU PDF PDF PDF PDF PDF MSIU MSIU MSIU .

PDF PDF PDF .

.

NORMAS DIN EXISTENTES Categoria umero N OIML R 117 Parte Ano 1995 .

NORMAS DIN EXISTENTES Titulo
Measuring systems for liquids other than water

NORMAS PORTUGUESAS EXISTENTES
Categoria Numero Parte NP 1 NP 48 NP 49 NP 52 NP 56 NP 62 NP 63 NP 67 NP 68 NP 80 NP 81 NP 83 NP 84 NP 85 NP 86 NP 87 NP 89 NP 105 NP 106 NP 107 NP 108 NP 109 NP 110 NP 114 NP 115 NP 116 NP 141 NP 142 NP 143 NP 144 NP 147 NP 155 NP 174 NP 189 NP 190 NP 204 NP 205 NP 243 NP 244 NP 245 NP 246 NP 247 NP 248 NP 249 NP 250 NP 251 NP 252 NP 259 NP 260 NP 264 NP 265 NP 267 Ano 1996 1968 1968 1962 1963 1961 1974 1974 1967 1964 1964 1965 1965 1964 1972 1964 1963 1965 1990 1962 1963 1968 1983 1967 1967 1962 1990 1968 1969 1968 1969 1985 1969 1962 1963 1968 1970 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1961 1969 1969 1962 1962 1962

NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP

270 271 272 273 297 298 299 304 307 308 309 310 314 317 318 321 323 324 327 328 330 331 332 333 334 337 338 339 347 377 386 400 401 405 406 409 410 411 412 413 414 415 416 417 418 419 420 421 422 423 424 439 440 441 448 449

1962 1962 1962 1970 1963 1974 1974 1988 1962 1962 1962 1962 1962 1963 1963 1964 1963 1963 1964 1964 1983 1976 1976 1976 1975 1964 1964 1964 2 1999 1967 1990 1983 1983 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1964 1967 1967 1967 1966 1966 1969 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1966 1966

NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 450 481 482 486 494 495 496 497 498 499 500 501 502 503 504 505 506 507 508 509 513 514 520 521 525 526 527 534 550 559 560 561 562 563 564 581 603 604 605 606 607 614 615 616 617 618 619 620 621 622 623 624 625 626 627 660 1966 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1968 1967 1967 1967 1967 1967 1968 1968 1969 1970 1988 1988 1988 1997 1969 1969 1988 1969 1969 1969 1969 1969 1967 1967 1967 1967 1972 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1972 1972 1972 1972 1972 .

NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 661 662 663 664 669 671 674 676 677 678 689 691 692 708 710 711 713 714 716 717 718 729 729 730 731 732 733 737 738 739 740 741 747 748 761 761 771 772 773 774 775 815 818 819 835 836 837 838 839 850 851 852 854 879 880 1972 1972 1972 1972 1974 1973 1974 1973 1973 1968 1973 1972 1972 1983 1968 1 1990 1968 1968 1968 1968 1968 1969 1969 1969 1969 1969 1969 1969 1969 1969 1990 1 1990 1969 1969 1969 1969 1970 1970 1970 1970 1970 1970 1970 1970 1971 1971 1971 1971 1971 1989 1989 1989 1971 1971 1971 .

NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 880 881 882 883 892 893 894 953 954 955 956 957 966 967 969 1039 1040 1042 1043 1044 1045 1046 1094 1095 1096 1097 1186 1205 1318 1319 1320 1378 1379 1380 1381 1382 1383 1384 1385 1386 1387 1388 1389 1390 1391 1392 1414 1415 1416 1417 1418 1971 1971 1971 1971 1972 1972 1972 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1973 1974 1974 1974 1974 1974 1974 1974 1975 1975 1975 1975 1975 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1976 1988 1988 1988 1988 1976 1977 1977 1977 1977 1977 .

NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 1446 1447 1448 1449 1467 1470 1493 1494 1515 1516 1517 1578 1616 1617 1638 1643 1674 1680 1697 1730 1733 1758 1759 1760 1787 1796 1805 1806 1808 1888 1889 1895 1896 1897 1899 1900 2025 2064 2067 2069 2073 2074 2074 2076 2080 2106 2107 2115 2116 2123 2132 2201 2201 2201 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1977 1978 1979 1979 1979 1979 1997 1980 1980 1981 1981 1981 1981 1984 1981 2004 1984 1981 1998 1982 1986 1982 1982 1982 1982 1982 1983 1983 1983 1983 1983 1983 1983 1983 1985 1984 1984 1983 1983 1983 1984 2 1997 3 1997 4 1997 .

NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 2202 2247 2248 2259 2269 2413 2451 2468 2470 2911 2912 2938 2939 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3318 3773 3856 3857 3858 3874 3874 3874 3874 3874 3874 3874 3992 4000 4072 4095 4182 4215 4220 (Errata ) 2001 1998 1998 1987 1984 1984 1988 1997 1 1998 1987 1987 1999 1999 26 2001 6 1999 21 23 25 9 31 1 5 8 18 19 20 27 31 1999 1999 1999 1999 2004 1997 1996 2003 1996 1997 1997 1997 2004 1997 1988 1991 1991 1991 3 1997 7 1994 1 1995 2 1993 4 1994 5 1994 6 1994 1994 1997 1990 1997 2001 1993 1993 .

NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 4303 4305 4334 4343 4346 4354 4357 4360 4361 4362 4378 4379 4386 4397 4410 4413 4435 4438 4438 4434 4433 4439 4440 4415 4467 4468 4470 1994 1995 1997 1998 1998 1998 1997 1999 2 2001 1997 1999 1999 2001 2001 2004 2003 2004 2 2005 1 2005 2005 2005 2005 2005 2006 2007 2007 2007 NP NP NP NP 4471 2938 2167 498 2007 2008 2007 2008 NP NP NP NP NP NP NP 4478 2939 4469 4463 1037 1037 1037 2008 2008 1 2008 2009 1 2009 2 2009 3 2009 .

NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP NP 1037 2243 4426 4483 2626 4491 4413 4492 4220 4469 1385 1387 4 2009 2009 2003 Em 1 2009 2009 826 2009 2009 2006 2010 2010 2 2010 2010 2010 .

tubulares Rebites semi. Legendas Desenho Técnico . Listas de peças Arame de cobre para rebites Arame de latão Rebites semi.tubulares Rebites bifurcados com cabeça contrapunçoada Parafusos com cabeça esférica Parafusos com cabeça contrapunçoada plana Parafusos com cabeça cilindrica Furos para rebites Cortiça (caracteristicas) Cortiça (Ensaios) Rebites Cotas não toleranciadas Linhas electricas .tubulares Rebites semi. aglomerados puros Aglomerados de cortiça Tijolos para alvenaria Materiais betuminosos Solos Solos Areias para argamassa de betoes Inertes para argamassas Consistencia do betao Desenho Técnico Metais Materiais metalicos Tolerancias e ajustamentos Equivalencia metrica da polegada Dimensões lineares nominais Roscas metricas de perfil Granulado de cortiça Granulado de cortiça Materiais de construçao Materiais metalicos Misturas betuminosas Solos Tubos de Gres Ceramico Blocos maciços Elementos de ligaçao roscados Tubos de Gres Ceramico Sistemas de tolerancias Sistemas de tolerancias . Simbologia Desenho Técnico .NORMAS PORTUGUESAS EXISTENTES Titulo Documentos normativos nacionais Desenho Técnico Desenho Técnico Azulejos e ladrilhos Assentamento de azulejos e ladrilhos Desenho Técnico Tipos comerciais de cortiça Cortiça.

Ensaio de resistencia as manchas Ardósia Gessos. Colheita de amostras Gesso. Determinaçao do valor do ph Agua.Cortes e secções Produtos siderurgicos Aço laminado a quente Aço laminado a quente Aço laminado. Determinação do teor em cloretos Água.Tubos de fibrocimento Tubos de fibrocimento Tubos de fibrocimento Cortiça. Dimensões nominais. Vergalhão Aço laminado. Ensaio de choque Ladrilhos. Colheita das amostras Agua.Determinaçao de teor em silica Água. Determinaçao do teor em anidrido Agua. Ensaio de desgaste Ladrilhos. Determinaçao do principio de presa Gesso Gesso Desenho técnico. Determinaçao da temoeratura Agua. Determinaçao do teor em sulfato Consistencia do betao Soldadura por arco Soldadura por arco Sumario de publicaçoes Analises bibliograficas Apresentaçoes em artigos em publicaçoes Gesso Água . Determinaçao de agua de presa Gesso. Determinação das durezas Água. Representaçao de vistas Desenho tecnico. Barra Aço laminado. Perfil Aço laminado Aço laminado Calçado de trabalho Recipientes metalicos estanques Materiais metalicos Roscas métricas de perfil Roscas métricas de perfil triangular ISO para usos gerais. Terminologia Desenho técnico Cortiça em prancha Cortiça virgem Aço vazado Azulejos Ladrilhos. Determinaçao da alcalinidade Água. Determinação da acidez Água. Referencias bibliograficas Desenho tecnico Água . Determinação do teor em cobre Água Determinação do teor em alumínio Tubos de aço Tubos de aço .

Caracteristicas e recepção Telhas cerâmicas. Determinação do teor em água Madeiras. Determinaçao do teor em resíduos Água. Determinaçao do teor da cor verdadeira Aços. Ensaio de pressão Tubos de Grés Ceramico. Determinaçao do teor de dureza Madeiras. Verificação da uniformidade Texteis Tubos de aço Aços de ferro fundido Aços e ferros fundidos Aços e ferros fundidos Aços e ferros fundidos Aços e ferros fundidos Aços e ferros fundidos Inertes para argamassas e betões Aglomerados de cortiça Aglomerados de cortiça Granulado de cortiça Granulado de cortiça Água Madeiras. Ensaio de flexão dinâmica Madeira. Determinação do teor em sódio Água. Determinação do teor em magnésio Água. Comprimentos mínimos das uniões Tubos de fibrocimento para canalizações Tubos de fibrocimento Produtos zincados Produtos zincados. Tolerancias nas dimensões Telhas cerâmicas. Determinação do teor em nitratos Água.Ensaio de absorção da água Tubos de Gres Ceramico Tubos de Gres Ceramico. Ensaio de compressão Madeiras. Determinação do teor em arsénio Tubos de aço. Ensaio de corte Água. Ensaio de orelha de aramar Telhas cerâmicas. Determinação do teor em nitritos Água. Verificação da aderencia Produtos zincados. Determinação da massa volumica Madeiras. Determinação do teor em cálcio Água. Determinação do teor em potássio Água.Determinação das dimensões Tubos de Gres Ceramico. Ensaio de flexão Telhas cerâmicas. Determinação do teor em crómico .Tubos de aço Madeiraa serradas de resinosas Madeiras serradas de resinosas. Designação e caracteristicas Tubos de aço.Ensaio de compressão diametral Tintas e vernizes Água. Ensaios de permeabilidade Telhas ceramicas.Ensaio de resistência ao frio Telhas cerâmicas. Mediçoes nominais Madeiras serradas de resinosas. Determinaçao da retracção Madeiras. Ensaio de tracção transversal Madeira. Flexão estática Madeira. Ensaio de fendimento Madeira.

Determinação da deformação sob pressão constante.Aços e ferros fundidos. Acústica Embalagens de madeira Materiais metálicos Cortiça. Sarjetas tipos. Determinação do teor em chumbo Água. Boletim de análise físico. Tubos de polietileno de massa volúmica baixa.Ensaio de enrolamento Materiais metálicos. Determinaçao do teor em azoto Água. ensaio de permeabilidade Tintas e vernizes Produtos siderúrgicos Tubos de polietileno de massa volúmica baixa para canalizaçoes de agua e de esgoto. Anteprojectos Abastecimento de água a aglomerados Abastecimento de água. Determinaçao do teor em crómio Aços e ferros fundidos. Desenho técnico Desenho técnico. Tacos de pinho bravo Teoria das estruturas (vocabulário) Teoria das estruturas Água (correcção da agressividade) Água (Comportamento em contacto) Água (Requisição da análise) Água. Ensaio de dobragem Materiais metálicos.química) Artigos de metais não ferrosos Sistemas de esgotos projectos Sistemas de esgotos. características Redes de esgoto. Aglomerados de cortiça puros expandidos em placas. Ensaio de torção Cintos de segurança Tubos de betão Abastecimento de água. Ensaios de pressão interior. Redes de distribuição Abastecimento de água. Escala Desenho técnico. Determinação do teor em cobre Aços e ferros fundidos. Ensaio de dureza Vickecs Pavimentos de edificios. Origem e captação da água Abastecimento de água. Tacos de madeira Pavimentos de edificios. Determinação do teor em oxigénio dissolvido Inspecção radiográfica de soldaduras Folhas de titulos de publicações Indices de publicações Materiais metálicos Materiais metálicos. Determinação do grau de turvação Água. Determinaçao do teor em tetânio Acústica Desenho técnico Tubos e acessórios de ferro fundido Redes de esgoto. Reservatórios Materiais metálicos. Estações de tratamento . Esquadrias Água. Sarjetas . Cortiça. Colheita de amostras. Condutas adutores Abastecimento de água . Determinação da condutividade eléctrica Água. Determinação da oxidabilidade Água. Determinaçao do grau de turvação Água.Granulados. Determinaçao do teor em fósforo Aços e ferros fundidos.

Carbono de cálcio Água. Inertes para argamassas e betões. Colheita das amostras Parafusos de cabeça cilindrica Pafarusos de cabeça menisco Pafarusos de cabeça lentilha Parafusos de cabeça embeber Aço laminado a quente Soldadura Metais de edição para soldadura Metais de edição para soldadura de gás Soldadura em aço Agregados Inertes para argamassa e betões Inertes para argamassas e betões. Totais de água Água. Betão fresco Betões. Ensaio de reactividade potencial com os álcalis do ligante. Quimico de oxigénio Águas. Verificação da estanquidade Inertes para argamassas e betões Inertes para argamassas e betões. Teor de ar do betão Betões. Construção e conservação Redes de esgoto.fabricados Redes de esgoto. Determinação das massas volúmicas e da absorção de água de areias. Determinaçao dos teores em água total e em água superficial. Determinaçao dos teores em água total e em água superficial de areias Agua. Inertes para argamassas e betões. Inertes para argamassas e betões. Determinaçao da baridade. Processo da barra de argamassa. Processo por espectrofotometria de chama Betões. Composição de betão Betões. Determinaçao do teor em manganés Tacos em madeira Inertes para argamassas Pedras naturais Aglomerados de cortiça Cortiça virgem Cortiça em prancha Cortiça virgem. Tempos de presa Revestimentos metálicos Revestimentos metálicos Revestimentos metálicos Revestimentos metálicos Revestimentos metálicos Águas. Águas de amassadura Águas. Refugo e aparas Cortiça em prancha. Determinação do cloro Agua.Abastecimento de água Redes de esgoto. Determinação do teor de álcalis solúveis. Dissolvidos de águas . Compressão e flexão Betões. Elementos pré. Determinação do teor de partículas friáveis. Câmaras de visita Redes de esgoto. Degraus das Câmaras Madeiras Redes de esgoto. Inertes para argamassas e betões. Inertes para argamassas e betões.

Metal depositado Soldadura.Qualidade média Roscas métricas de perfil. Protecção da audição Ferro fundido de grafite lamelar Ferro fundido. Preparação da amostra e dos provetes para ensaio. De grafite esferoidal Ferro fundido. Simbólica nos desenhos Soldadura. Tolerâncias Roscas métricas de perfil. Esforço de tensão Soldadura. Avaliação do ruído do escape de ar Preservação de madeiras Inertes para argamassas. Ruído emitido pelos veículos Acústica.. Circulam sobre carris Acústica.Soldadura. Topo a topo Soldadura.. Convencional dos aços Produtos siderurgicos. Ensaios químicos. Diversos rendimentos Aços e ferros fundidos Produtos laminados Soldadura. Grão ferrítico Segurança e saude no trabalho Ferro fundido Aços e ferros fundidos Têxteis. Desvios Parafusos de aço sem cabeça Parafusos de cabeça Metais ferrosos Cimentos Acústica. Acústica. Ruído aéreo emitido pelas máquinas Acústica. Juntas soldadas Produtos siderurgicos. Teor em sulfatos Inertes para argamassas. Fusão de peças de aço Soldadura. Imagem radiográfica Soldadura.Categorias de exigências Soldadura.Classificação dos aços Redes de distribuição de gases Metais ferrosos Acústica Aço Metais ferrosos Acústica. Reacção humano ao ruído Acústica. Maleável Aços . Teor em sulfuretos Produtos siderurgicos Aço laminado a quente Materiais plasticos Produtos siderúrgicos Qualidade da agua Qualidade da agua Qualidade da agua . Aos ruídos aéreos Roscas métricas de perfil. Isolamento sonoro Avaliação da influência em construçoes de vibrações Avaliação da influência em construçoes . Definição de soldabilidade Soldadura.

Tecnologias da informação. Parte 9: Comunicação de dados. Parte 27: Automatização de escritórios. Parte 1: Termos fundamentais. Terminologia. Terminologia. Eliminação prévia de matérias não fibrosas. Amostras de provetes Contadores de água potável fria Contadores de água potável fria. Vocabulário. Sinais de segurança. Tecnologias da Informaçao Contadores de agua potavel Produtos siderurgicos Tubos de fibrocimento Tubos de fibrocimento. Parte 18: Processamento de dados distribuído. Vocabulário. Equipamento de ensaio Produtos siderúrgicos Produtos siderúrgicos. Segurança contra incêndio. Tecnologias da informação. Vocabulário. Parte 3: Detecção e alarme de incêndio. Ensaios de pressas em obra Segurança contra incêndio. Contadores de água limpa. Vocabulário. Tecnologias da informação. Segurança contra incêndio. Segurança contra incêndio. Eliminação prévia de matérias não fibrosas. Tecnologias da informação. comercial ou da indústria ligeira. Tecnologias da informação. Parte 8: Segurança. Vocabulário. Misturas de fibras. Parte 2: Protecção estrutural contra incêndio. Tecnologias da informação. Terminologia. Terminologia. Tecnologias da informação. Vocabulário. Segurança contra incêndio. Parte 6: Meios de evacuação e salvamento. comercial ou da indústria ligeira. Material via férrea Garantia de qualidade Aços. Parte 25: Redes locais. Vocabulário. Vocabulário. Dimensionais e tolerâncias Contadores de água limpa. Controlo estatístico de recepção. Fenómenos do fogo. Misturas de fibras. Parte 6: Preparação e manuseamento dos dados Tecnologias da informação. Espessura de camadas Produtos siderurgicos. Vocabulário. Parte 21: Interfaces entre sistemas informáticos de processo e processos técnicos. Vocabulário. Verificações metrológicas. Parte 5: Representação de dados. Tecnologias da informação. Tecnologias da informação. Segurança contra incêndio. Contadores de água potável fria Materiais metálicos Contadores de água potável Produtos petroliferos Sistemas de saneamento basico Pozolanas para betão . Tecnologias da informação. Parte 31: Inteligência artificial . Terminologia.Aprendizagem máquina. Análise quantitativa. Parte 7: Meios de detecção e supressão de explosões. Análise quantitativa. Parte 19: Computação analógica. Vocabulário. Critérios de aceitação e rejeição. para uso doméstico. Parte 26: Interconexão de sistemas abertos. Terminologia. para uso doméstico. Tecnologias da informação. Parte 5: Desenfumagem (controlo de fumo). Parte 4: Equipamentos e meios de extinção de incêndios. Terminologia. Parte 1: Termos gerais. Produtos siderurgicos. Vocabulário. Vocabulário. Ensaio de estanquidade Tubos de fibrocimento. Vocabulário. Parte 20: Desenvolvimento de sistemas Tecnologias da informação. Segurança contra incêndio. Segurança contra incêndios. Tecnologias da informação.Qualidade da agua Têxteis. Parte 23: Processamento de texto. Têxteis.

Ventilaçao mecanica centralizada (VMC) de fluxo simples. Polietileno (PE). Ventilação e evacuação dos produtos da combustão dos locais com aparelhos a gás. Ventilação natural. Tintas aquosas lisas para paredes interiores de edifícios. para uso doméstico.. Acústica.Parte 1: Edifícios de habitação. Qualidade da agua Tintas e vernizes. Parte 2 Informação e documentação: gestão de doc. Método de ensaio para determinar o desempenho acústico. Caudalímetros electromagnéticos. Acústica Contadores de água potável fria. Polipropileno (PP) Modelo europeu para a classificação dos aparelhos que utilizam combustiveis gasosos.Parte 2: Edificios de habitação. Características intrínsecas Valores locais da difracção sonora Dispositivos de redução de ruído de tráfego rodoviário. Método de ensaio para determinar o desempenho acústico. comercial ou da indústria ligeira. Sistemas de tubagens de plástico para abastecimento de combustíveis gasosos. Equipamento de segurança Sistemas de gestao Sistemas de gestão. Dispositivos de redução de ruído de tráfego rodoviário. Secção de amostragem e plataforma para chaminés ou condutas.Parte 3: Volume dos locais. Guia para a verificação da conformidade Sistemas de tubagens de plástico para abastecimento de água. Arquivo. características tecnológicas e características metrológicas. Posicionamento dos aparelhos a gás. para uso doméstico. De agua quente e fria . Requisitos particulares para a aplicação da ISO 9001:2000 à produção emsérie e de peças de manutenção na indústria automóvel Contadores de água limpa. Ensaio da orelha de aramar. Critérios de aceitação e rejeição Sistema de gestao da responsabilidade social: parte 1. Especificação.requisitos e linhas de orientaçao Linhas de orientação sobre técnicas estatísticas para a ISO 9001:2000 (ISO/TR 10017:2003).da segurança e saúde no trabalho Segurança contra incêncios Cimentos Informação e documentação: gestão de doc. Sistema de designação dos aços.Equipamento de segurança e de combate a incêndio. Classificação e especificação. Símbolos gráficos para as plantas de projecto de segurança contra incêndio. Arquivo. Madeira serrada de pinheiro bravo Acústica Qualidade da agua Qualidade da agua Qualidade da água. comercial ou da indústria Ligeira. Verificações metrológicas Emissões de fontes fixas. Símbolos adicionais para os nomes dos aços. . Contadores de água limpa. Parte 1 Reutilização de águas residuais urbanas tratadas na rega Linhas de orientação para a documentação de sistemas de gestão Sistemas de tubagens de plastico para inst. De agua quente e fria . Atenuação do som na sua propagação ao ar livre. Guia para a verificação da conformidade. Parte 2: Método geral de cálculo. Polietileno (PE). Terminologia. Sistemas de gestão da qualidade. Características intrínsecas Valores de reflexão sonora e isolamento sonoro aéreo no local. Ventilação e evacuação dos produtos da combustão dos locais com aparelhos a gás. Telhas cerâmicas. Técnicas de avaliação e controlo dos meios de cultura utilizados na contagem de colónias em ensaios de controlo de qualidade da água. definições. Polietileno reticulado PE-X Sistemas de tubagens de plastico para inst.. Ventilação e evacuação dos produtos da combustão dos locais com aparelhos a gás. Controlo estatístico de recepção.

Características dimensionais e métodos de ensaio. Requisitos para a prestação de serviços de manutenção.Parte 4: Instalação e ventilação das cozinhas profissionais. Sistema de gestão da responsabilidade social. Definições. Betões. Betões. argamassas e caldas. Pozolanas para betão. Protecção de estruturas e de zonas abertas mediante pára-raios com dispositivo ionizante não radioactivo. Determinação dos tempos de presa. Guardas para edifícios. . Guia para a implementação do sistema de gestão da manutenção Vocabulário Electrotécnico Internacional. Capítulo 826: Instalações eléctricas. requisitos e verificação da conformidade. Determinação da composição do betão fresco.Ventilação e evacuação dos produtos da combustão dos locais com aparelhos a gás. Contadores de gás volumétricos de paredes deformáveis para uso doméstico. controlo estatístico e critérios de aceitação e rejeição. Segurança contra incêndios. Ensaios. Manutenção de extintores. Parte 2: Guia de orientação para a implementação.

Formato .

.

.

.

- .

PDF .

.

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

NORMAS PORTUGUESAS/EUROPEIAS EXISTENTES Categori Numer a o Parte Ano NP EN 2 1993/A1 2005 NP EN 2 1993 NP EN 3 1 1997 NP EN 3 2 1997 NP EN 3 4 1997 NP EN 3 5 1997 NP EN 3 6 1997 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN 26 54 54 54 54 54 54 54 81 70 81 72 81 81 120 124 132 132 133 134 134 134 135 135 136 138 140 144 144 145 145 148 149 165 166 172 175 196 196 196 196 196 196 197 197 197 197 206 206 206 206 206 206 206 A3 1 4 5 6 7 8 9 2008 1997 1999 1990 1990 1990 1990 1990 2009 2007 1/A2 2007 2/A2 2007 2002 1995 2000 2004 2004 1997 1999 2004 2000 2004 1999 1997 2000 1 1997 2 2000 2000A/1 2005 2000 3 1997 1997 1997 1997 1997 2000 2 1996 6 2010 7 2008 8 2010 9 2010 3+A2009 2005 1 2001 2 2001 1/A1 2005 2001-A3 Parte1 2008 1 2005 1 2005 2005/A 1 2 1 2007 1 2007 9 2010 2010 1:2007+Emenda 2 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 206 207 208 300 303 7 310 312 312 312 312 312 312 312 313 314 315 316 317 319 322 323 324 324 325 326 326 335 335 336 340 344 345 346 347 352 352 352 373 374 374 374 379 1-E2 2007 2000 2000 2002 2008 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2001 2002 2001 2001 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 1 2 3 4 5 6 7 1 2 1 2 1 3 1 1994 2 1994 2001 1996 2 2 2 2 2 3 1999 1999 1999 1999 1996 1999 4 2003 1999 1 1998 2 1998 3 1998 1996/A1 2000 1996 2010 1999 2000 2000 2002 2002 1999 1997 1996 2001 2010 2007 2007 2000 2008 2000 2008 2011 2000 2008 379 380 381 3 381 8 381 9 390 392 393 A1 397 420 421 437 2003+A1 437 437 445 445 446 446 447 008 Errata 2 447 447 .

6 480 480 480 11 480 480 480 480 13 480 480 481 482 482 490 490 490 491 491 492 494 494 512 516 516 517 523 523 523 524 524 524 524 524 524 6 2 2007 4 2007 5 2007 2007 10 1998 10 2009 2003 11 2007 12 2001 12 2007 2003 13 2003 14 2007 2004 2004 2008 2000 1999 2010 2000 1995 2010 A3 2008 1998 1996 1999 2009 2009 2000 2005 2007 2000 2000 2000 2000 2000 2000 1 2 3 4 5 6 .NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN (Errata) NP EN NP EN NP EN 1:2005+A 450 1 450 457 459 1 459 2 459 3 460 464 466 467 468 470 471 476 480 480 2008 1995 1997 2002 2002 2002 1995 1998 1 2000 2000 1998 1 2000 1999 2000 1 2000 1 2007 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 480 480 480 480 480.

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 531 532 533 534 539 539 544 545 547 547 547 578 580 588 588 598 614 614 2 625 635 635 635 635 636 636 636 637 638 639 642 642 671 671 671 2 671 3 689 702 705 714 715 727 728 743 744 752 752 752 752 752 752 752 761 763 771 771 772 772 772 772 5 1997 1997 2000 2009 1 2007 2 2007 2010 2000 1999 2000 2000 1996 1997 2000 2000 2000 1996 2004 2009 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 1997 1996 1 2 3 1 1 1 1 2 3 5 1 2 3 2000 2001 2000 1 2003 2 2003 2003/A 1 2005 2008 2001 1998 1997 1996 2000 2000 1996 1998 1999 2000 2000 2001 2000 2000 2001 1997 1997 2010 2007 2002 2001 1998 2007 1 2 3 4 5 6 7 3 6 1 2 2 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 772 772 772 772 772 773 789 795 802 803 804 812 813 817 842 844 844 845 859 872 878 881 882 883 888 894 897 901 911 917 932 932 932 932 5 932 933 933 933 933 933 933 933 933 933 933 933 934 1 934 934 934 2 934 934 934 934 934 5 934 937 949 6 11 13 16 20 2002 2002 2002 2002 2002 2000 2002 1999 1996 1996 1997 2000 2000 2010 1998 1 2001 2 2001 1:2003+A 1 2009 2000 2000 2000 2000 2000 2000 2002 2 2000 2001 2002 1998 2000 1 2002 2 2002 3 2002 2003 6 2002 1 2000 2 1999 3 2002 4 2002 4 2002 5 2002 7 2002 7 2002 8 2002 9 2002 9 2002 2008 2 2000 2 2003 2008 2 2009 3 2010 4 2003 4 2009 2008 6 2003 2003 2000 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 951 960 966 976 976 977 978 981 997 998 998 1008 1014 1015 19 1018 1019 1051 1052 1052 1052 1053 1054 1055 1056 1057 1059 1061 1072 1073 1082 1 1082 2 1082 3 1084 1085 1091 1097 1097 1097 1097 1097 1097 1097 4 1097 1097 6 1097 1097 8 1097 1 2 1 2 3 2000 1997 1998 2002 2002 2002 2002 2000 2005 2010 2010 2003 2000 2008 2003 1998 2007 2000 2000 2005 1997 1997 1997 1998 1998 2002 2000 2001 2000 2000 2002 2002 2001 2000 2000 2002 2002 2002 2002 2002 1 1 2 3 1 1 1 2 2 3 3 2002 2003 5 2002 2003 7 2002 2003 9 2002 1097 1:2002/A1 2010 1097 2 E 2006 1097 6:2003/A1 1107 1 1108 1109 1110 1119 1123 1124 1146 2010 2001 2001 2001 2001 1999 1 2009 1 2009 2000/A2 2005 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 1146 2000/A3 2004 2000 2002 2001 2009 2008 2001 2002 1 2000 2 2000 3 2000 4 2000 5 2000 5 2000 6 2000 7 2000 2000 2002 2000 1999 2001 2007 2007 2007 2007 2007 2002 2002 2001 2004 1146 1149 2 1150 1168 2005+A1 1168 1169 1169 1170 1170 1170 1170 1170 1170 1170 1170 1193 1194 1195 1228 1229 1253 1253 1253 1253 1253 1265 1278 1293 1296 1 2 3 4 5 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 1297 1299 1302 1302 1304 1317 1329 1 1338 1339 1340 1342 1343 1359 1367 1 1367 1367 1393 1394 1401 1401 1405 1406 1407 1408 2008 2002 Errata 2007 2002 2007 3 2007 2002 2009 2010 2009 2004 2005 2010 2003 2 2002 4 2002 2000 2000 1 2000 3 2002 2002 2002 2003 2003 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 1409 1410 1413 1420 1 1421 1423 1424 1425 1426 1427 1433 1446 1447 1448 1449 1450 1451 1452 1452 1452 1452 1453 1457 1463 1463 1467 1468 1496 1497 1498 1504 1504 1504 1504 1504 2002 2004 1999 2004 2001 2008 2008 2010 2010 2010 2008 1998 1998 2000 2000 1998 2000 1 2001 1 2001 2002 2003 2004 2007 2007 2008 2006 2006 1999 1999 1999 2006 2006 2006 2006 2006 2008 2008 2006 9 2009 1 2 3 1 1 2 1 2 3 4 5 1504 6 1504 7 1504 8 1504 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 1504 10 1540 1543 1548 1559 1566 1597 2 1610 1636 1636 1670 1671 1704 1716 1731 1731 2008 2004 2000 2008 2 2002 1 2000 2000 2008 5 2001 6 2002 2000 2000 1999 2000 1997 1999 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 1737 1741 1745 1746 1766 1775 1790 1793 1 1793 2 1793 3 1794 2 1806 1824 1836 1848 1 1849 1 1850 1 1852 1 1:2002/A 1852 1 1856 2 1857 2003!A1 1862 1866 1866 1869 1871 1891 1912 1912 1916 1925 1926 1926 1928 1931 1931 1936 1936 1938 1989 1990 1991 1991 1991 1991 1991 1- 2000 2000 2005 2000 2008 2010 2006 2008 2008 2008 2008 2008 2008 1999 2001 2001 2001 2002 2003 2010 2010 2001 2002 2000 1998 2008 2000 2000 2003 2010 2000 2000 2008 2004 2004 2004 2001 2008 2000 2002 2009 1-1 1-2 1-3 1-4 1-5 2009 2010 2009 2010 2009 NP EN NP EN 1991 4:2005/A1 2010 1992 1-1 2010 NP EN NP EN 1992 1992 1-1 2010 1-2 2010 NP EN NP EN 1992 1993 1-2 2010 1-1 2010 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 1993 1993 1993 1993 1997 1-2 2010 1-8 2010 1-9 2010 1-10 2010 1 2010 NP EN NP EN 1997 1998 1 2010 1 2010 NP EN NP EN 1998 1998 1 2010 5 2010 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN A1 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN (Errata) NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 1998 3003 4357 4485 10001 10002 10002 1 10002 10002 10002 10020 10020 10025 10027 10027 10028 1 10028 7 10034 10036 10045 10045 10048 10048 10051 10052 10056 10056 10071 10079 10087 10090 10095 10109 10109 10111 10131 10132 10132 10132 10132 5 2010 8 2003 1997 2008 1991 1 1990 2006 2 1992 4 1999 5 1992 1989 2002 A1 1994 1 1993 2 1993 2002 2002 1998 1991 1 1990 2 2007 E 2002 1999 1994 1998 1 2000 2 1998 1991 1994 2000 2000 2002 1 1998 3 1999 2000 1994 2002 2002 2002 2002 1 2 3 4 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 10136 10137 10137 10137 10140 10142 10147 10147 10149 10149 10149 10152 10177 10178 10181 10203 10204 10205 10207 10210 10210 10210 10210 10211 10222 10222 10222 10228 10228 10228 10228 10238 10240 10243 10243 10250 10250 10250 10250 10254 10268 10269 10272 10273 10277 10277 10277 10277 10277 10278 10279 10545 2 12002 1991 1 1999 2 1999 3 1999 2000 2002 1994 2002 1 1999 2 1999 3 1999 1998 1991 1991 1990 1993 1994 1994 1994 1 1998 1 2008 2 2000 2 2008 1999 2002 2000 2002 2002 2000 2000 2002 2000 1998 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2000 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2002 2008 2007 2 3 5 1 2 3 4 1 2 1 2 3 4 1 2 3 4 5 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN

12003 12004 12039 12059 12083 12094 12095 12099 12100 12106 12108 12117 12118 12200 12201 12201 12201 12236 12237 12254 12255 12255 12255 12255 12255 12255 12255 12255 12255 12255 12255 12256 12261 12294 12295 12309 12310 12311 12316 1 12317 12326 12326 1 E 12332 1 1 2 5

2007 2008 2001 2009 2000 8 2002 1998 2000 2001 2000 2006 2002 2002 2006 2004 2004 2004 2008 2008 2000 2007 2007 2007 2007 10 2007 2008 12 2007 13 2007 14 2007 15 2009 16 2009 2000 2010 2002 2002 2 2009 1 2001 1 2001 2004 1 2001 1 2009 2006 1 2000

1 5 8 9 11

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP-EN NP-EN

12341 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350 12350

1 1 2 2 3 3 4 4 5 5 6 6 7 7 8 9 10

2010 2002 2009 2002 2009 2002 2009 2002 2009 2002 2009 2002 2009 2002 2009 2010 2010 2010

NP-EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN

12350 12350 12352 12370 12371 12371 12372 12372 12390 12390 12390 12390 12390 12390 12390 12390 12390 12390 12390 12390 12390 12390 12390
2:2009 Errata

11 2010 12 2010 2008 2001 2006 2010 2001 2008 1 2003 1 2 2 3 3 4 5 5 6 7 7 8 8 2010 2003 2009 2003 2009 2003 2003 2009 2003 2003 2009 2003 2009

2010 1:2005 + 12405 A2 2010 12407 2008 12446 2010 12467 2009 12477 2003 12504 1 2003 1 2009 12504 12504 2 2003 3 2007 12504 4 2007 12504 12519 2008 12566 1 2008 3:2005+A 12566 1 2010 12568 2000 12590 2002 12592 2010 12594 2009 12595 2010 12607 12619 12620 12675 12676 12676 2 12691 12691 12697 1 2010 2009 2004 2008 1 2007 2006 2004 2008

42 2010 2:2002 + 12697 A1 2010 30:2004+ 12697 A1 2009 34:2004 + A1 2010 6:2003 + 12697 A1 2010 12697 12730 2004 12764 2004+A1 2009

NP EN NP EN

12767 2008 12794 2005+A1 2010

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP-EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN

12798 12802 12808 12808 12808 12808 12808 12825 12843 12859 12873 1 12873 2 12889 12902 12903 12904 12909 12932 12941 12942 2000/A1 12942 12951 12966 12966 12966 12976 12976 13015 1 2 3 4 5

2010 2008 2007 2007 2007 2007 2007 2008 2010 2008 2008 2008 2008 2002 2004 2002 2002 2008 2000 2005 2000

1 2 3 1 2

2010 2008 2008 2008 2007 2007 A1 2009

13043 2004_AC 2010 13043 2004 13052 1 2006 13063 13063 13069 13084 13084 13108 20 13108 21 13111 13121 1 13139 13141 1 13141 2 13142 13161 13163 13172 2001/A1 13212 13224 2004+A1 13225 13238 13244 1 3 2010 A1 2008 2008 5 2010 7 2010 2008 2008 2004 2006 2005 2006 2008 2009 2006 2003 2006 2008 2010 2010 2003 2004

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 13244 13244 13255 13263 13263 13263 13263 13277 13284 13284 13285 13286 13356 13361 13362 13364 13369 13369 13373 13375 13380 2 5 2004 2004 2006 1 2007 2 2007 1+A2009 2005 2+A2009 2005 4 2003 1 2009 1:Errata 2009 2009 2008 1 2009 2003 A1 2008 2007 2006 2003 2010 2006 2008 2007 2007 1 2010 2007 2008 2009 13380 13383 13384 1 13384 2 13384 3 NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 1:2002+A 2 2010 2:2003+A 13384 1 2009 13407 2008 13416 2004 13384 13422 13439 13450 2007 2008 2005 NP EN 13476 1 2008 NP EN 13476 2 2008 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN 13476 3 13491 13492 13492 13493 13501 1 13502 2008 A1 2008 A1 2008 2007 2007 2004 2010 NP EN NP EN 13526 13528 1 2009 2006 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 13528 13528 13564 13564 13564 13577 13583 13596 13649 13707 13707 13738 13738 13747 13747 13748 13755 13755 13782 13791 13814 13830 13836 3 1 2 3 2 2009 2011 2007 2007 2007 2008 2004 2008 2010 2005 2008 2007 2007 1:2005+Err ata 2009 2009 2008 1 2010 2005 2008 2009 2008 2009 2009 2008 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 13859 1 2008 13859 2 2008 1:2005+A 13859 1 2009 2:2004+A 13859 1 2009 13863 13863 13863 13877 13877 13877 13919 13948 1 2010 2 2010 3 1 2 3 2010 2009 2009 2009 2007 2008 2008 2008 2008 2005 2006 2007 2008 2008 2008 2007 2005 2007 2007 2005 2008 2008 NP EN 13970 NP EN ISO14040 NP EN ISO14063 NP EN 14066 NP EN 14146 NP EN 14147 NP EN 14154 1+A1 NP EN 14154 2+A1 NP EN 14154 3+A1 NP EN 14157 NP EN 14158 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 14196 14205 14216 14223 14224 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP-EN NP EN NP EN NP EN 14231 14236 14296 14326 14339 14351 1 14387 14389 2 14411 14411 14428 14457 14471 14487 14487 14488 14488 2006 2010 2008 2010 2008 2008 2004 2008 2005 2008 2010 2009 2008 2008 2008 2008 2008 2008 2008 2008 2008 2008 2008 2008 2008 2008 2007 2007 2007 2010 2010 2010 2010 2010 2010 2010 2010 2010 2010 2010 2010 1 2 1 2 14488 3 14488 14488 14488 14488 14516 14527 14528 14530 14579 14580 14581 14617 14617 14617 14617 14617 14617 14617 14617 14617 14617 14617 14617 14617 14647 14654 14691 5 6 7 4+A1 1 2 4 5 6 8 9 10 11 12 13 15 16 2010 2010 1 2009 2008 NP EN 14692 2008 NP EN 14693 2008 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 14694 14718 14782 14783 14843 14845 1 2008 2008 2008 2009 2009 2008 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN (Errata) NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 14845 2 14889 1 14889 2 14944 14963 14964 14967 14991 14992 15012 15037 1 15050 15069 15167 1 15167 2 15285 15368 2008+A1 15388 15743 20140 2 20140 20140 21683 24829 24937 24946 25663 25667 25923 25978 26184 26184 26184 26184 26189 27027 27201 27201 27566 27574 29004 29053 29408 30012 45020 50126 50193 50266 50266 50266 50266 50266 2008 2008 2008 1 2009 2008 2009 2008 2009 2010 2009 2008 2008 2010 2008 2008 2010 2010 2010 2010 2008 3 1998 9 1996 1997 2 1992 1992 1992 1997 1 1997 1996 1995 1994 1994 1994 1995 1996 1997 1 1995 2 1995 1997 1 E 1997 2 1994 2009 1997 1 1996 2001 2000 2007 1 2009 2-1 2009 2-2 2009 2-3 2009 2-4 2009 1 2 3 4 .

53 2010 2 .51 2010 2 .73 2010 2_21 2010 2009 2008 2007 1997 2-3 2009 1 2009 2 2009 1997 2010 2007 60335 2-103 60335 PDF 60379 60551 60598 61034 61034 61049 61140 61770 934 4 934 6 2008 12873 3 2011 13659 2004+A1 2011 .NP EN NP EN NP EN 50266 50267 50267 2-5 2009 1 2009 2-1 2009 NP EN 50267 2-2 2009 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 50267 60332 60332 60332 60332 2-3 2009 1-1 2009 2-1 2009 1-2 2009 2-2 2009 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 60332 60335 60335 60335 60335 2 60335 60335 60335 60335 60335 60335 60335 1-3 2 2 2 2009 2007 2007 2008 2008 2007 2007 2007 2007 2007 2007 2007 2 2 2 2 2 2 2 NP-EN NP EN NP EN NP EN NP-EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 60335 60335 60335 60335 60335 2-40 2010 2 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 14989 845 1 2011 2 2011 1367 3:2005/AC 2011 13242 2002+A1 2010 15824 2011 1076 1231 1232 12919 2011 2010 2011 2011 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 14989 459 459 13670 196 459 933 1168 13978 14844 200 816 1112 12792 2 2011 1 2011 2 2011 2011 5 2011 3 2011 3 2011 2005 + A2 2011 1 2011 2006 + A1 2011 2011 2011 2011 2011 NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 13476 12697 12697 13036 13108 14188 413 3: 2007 + A1 2011 1 2011 28 2011 7 2011 1 2011 1 2011 1 2011 480 1: 2006+A1 2011 480 2009+A1 2011 13: 1097 1744 1744 13055 13230 13230 13230 13230 13230 1917 5 2011 5 2011 6 2011 2 1 2 3 4 5 2011 2011 2011 2011 2011 2011 2011 .

NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN NP EN 14907 12972 2011 2011 1113 2008+A1 2011 13036 13063 12591 13108 13924 1 2011 3 2010 2011 8 2011 2011 .

. desempenho... desempenho. incluindo pessoas com deficiência Regras de segurança para o fabrico e instalação de elevadores. Parte 9: calor de hidratação. Parte 2: Ascensores hidráulicos. Parte 1: Especificação. Máscaras completas.NORMAS PORTUGUESAS/EUROPEIAS EXISTENTES Titulo Classes de Fogos Classes de Fogos Extintores de incêndio Extintores de incêndio Extintores de incêndio Extintores de incêndio Extintores de incêndio Aparelhos de produção instantânea de água quente para aplicações sanitárias equipados com queimadores atmosféricos que utilizam combustíveis gasosos... Parte 72: Ascensores de bombeiros Regras de segurança para o fabrico e instalação de elevadores. desempenho. produção e conformidade. Regras de segurança para o fabrico e instalação de elevadores. Betao : Parte 1: Especificaçao. Parte 6: determinação da finura. Métodos de ensaio de cimentos. A2: Locais de máquinas e de rodas. Parte 3: Determinação do tempo de presa e da expansibilidade Cimento: Parte 1: Composição especificações e critérios Cimento Cimento: Parte 1: Composição especificações e critérios de conformidade para cimentos correntes Cimento: Parte 1: Composição especificações e critérios Betão. desempenho. Placas de derivados de madeira Dispositivos de entrada de sumidouros e dispositivos.. Aparelhos de protecção Aparelhos de protecçao respiratória Aparelhos de protecção respiratória Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção respiratória Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção respiratória Aparelhos de protecção respiratória. desempenho. Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção respiratória. produção e conformidade Betão.. Emenda 2 Betão Parte 1: Especificação. Parte 1: Especificação. Características. Método da dissolução. aparelhos autónomos Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção Protecção dos olhos Protecção dos olhos Protecção dos olhos Aparelhos de protecção Metodos de ensaio de cimentos Métodos de ensaio de cimentos. A2: Locais de máquinas e de rodas. Aplicações particulares para ascensores e ascensores de carga. Método semi-adiabático. Métodos de ensaio de cimentos. Sistemas de detecção de alarme de incendio Sistemas de detecção de alarme de incendio Sistemas de detecção de alarme de incendio Sistemas de detecção de alarme de incendio Sistemas de detecção de alarme de incendio Sistemas de detecção de alarme de incendio Sistemas de detecção de alarme de incendio Regras de segurança para o fabrico e instalação de elevadores. produção e conformidade Betão . Parte 70: Acessibilidade aos ascensores para pessoas.. Parte 1: Especificação. Aplicações particulares para ascensores e ascensores de carga. Parte 7: Métodos de colheita e de preparação de amostras de cimento Métodos de ensaio de cimentos. . desempenho. ensaios e marcação. Parte 9: Regras adicionais para betão autocompactável (BAC). Métodos de ensaio de cimentos. Parte 1: Ascensores eléctricos. Parte 8: calor de hidratação. Betão. Emenda 1 Betao : Parte 1: Especificaçao.

de protecção e de trabalho para uso profissional./Emenda 2 Protecção individual dos olhos. Parte 1: Generalidades. Requisitos de segurança Protectores auditivos. Gases de ensaio. Requisitos gerais para luvas.50N. Pressões de ensaio. produção e conformidade. Madeira para estruturas Vestuário de protecção. Categorias de aparelhos. Requisitos básicos. Categorias de aparelhos. Especificações para filtros de soldadura com factor de transmissão no visível comutável e filtros de soldadura com duplo factor de transmissão no visível. Vestuário de protecção para utilizadores de moto-serras Vestuário de protecção para utilizadores de moto-serras Vestuario de protecçao Madeira lamelada. Calçado de segurança para uso profissional. Princípios gerais para ensaios estáticos de carga. de fibras Placas de derivados de madeira Placas de derivados de madeira Placas de derivados de madeira Placas de derivados de madeira Placas de derivados de madeira Placas de derivados de madeira Placas de derivados de madeira Durabilidade da madeira e de produtos derivados. Parte 2: Especificações adicionais. Requisitos de segurança e ensaios. . Vestuário de protecção. Pressões de ensaio.colada Madeira lamelada. Caldas de injecçao Caldas de injecção para armaduras de pré-esforço. Avaliação da resistência dos materiais à projecção de metal fundido. com potência nominal inferior ou igual a 1 000 kW. Parte 2: Especificações adicionais Calçado de trabalho Protectores auditivos. Capacetes de protecção para a indústria. Definição das classes de risco de ataque biológico. Gases de ensaio. Parte 7: Caldeiras de aquecimento central equipadas com queimador de ar forçado que utilizam combustíveis gasosos. Calçado de segurança.Betão Parte 1: Especificação. Definição das classes de risco de ataque biológico. Parte 2: Requisitos adicionais e métodos de ensaios. Caldas de injecção para armaduras de pré-esforço. Métodos de ensaio Caldas de injecçao para armaduras de pré-esforço Caldas de injecção para armaduras de pré-esforço.. Caldas de injecçao Caldas de injecção para armaduras de pré-esforço. desempenho. Luvas de protecçao Luvas de protecçao Luvas de protecçao Especificações para filtros de soldadura com factor de transmissão no visível comutável e filtros de soldadura com duplo factor de transmissão no visível. Parte 2: Aplicação à madeira maciça. Parte 2: Tampões auditivos Protectores auditivos. Métodos de ensaio. Procedimentos de injecção. Categorias de aparelhos.colada Coletes de salvação e equipamentos individuais de flutuação. Pressões de ensaio. Requisitos gerais. Estruturas de madeira. Requisitos básicos. Parte 4: Protectores auriculares dependentes do nível sonoro. Durabilidade da madeira e de produtos derivados. Filtros e protectores oculares contra as radiações laser (óculos de protecção laser). Requisitos de segurança e ensaios. Placas de derivados de madeira Aglomerado de particulas de madeira Aglomerado de particulas de madeira Aglomerado de particulas de madeira Aglomerado de particulas de madeira Aglomerado de particulas de madeira Aglomerado de particulas de madeira Aglomerado de particulas de madeira Contraplacado Contraplacado Contraplacado Aglomerado de fibras de madeira Aglomerado de particulas de madeira e aglomerado Aglomerado de particulas de madeira e aglo. Equipamentos auxiliares de flutuação . Calçado de protecção para uso profissional. Luvas de protecçao Gases de ensaio. Protecção individual dos olhos Aglomerado de particulas de madeiras longas e orientadas Caldeiras de aquecimento central.

Parte 10: Determinação do teor de cloretos solúveis em água Adjuvantes para betão Adjuvantes para betão. Parte 4: Determinação da resistência Baínhas de aço para armaduras de pré-esforço. Parte 2: Determinação do comportamento à Baínhas de aço para armaduras de pré-esforço.Adjuvantes para betão. requisitos e controlo da qualidade Baínhas de aço para armaduras de pré-esforço. Adjuvantes para betão. Protecção contra produtos químicos líquidos. argamassa e caldas de injecção Métodos de ensaio :part 6: análise por espectrofotometria de infravermelhos Adjuvantes para betão Adjuvantes para betão.. Métodos de ensaio.. Adjuvantes para betão. Parte 3: Ensaios de dobragem alternada Baínhas de aço para armaduras de pré-esforço. Tubos e juntas para canalizações sob pressão Acessórios préfabricados para coberturas. Métodos de ensaio. planos de marcha e degraus. Parte 5: Determinação da resistência à carga Baínhas de aço para armaduras de pré-esforço. Parte 12: Determinação do teor de álcalis dos adjuvantes. especificações e critérios de conformidade. Adjuvantes para betão Adjuvantes para betão. Acessórios prefabricados para coberturas. Parte 4: Determinação da Exsudação do betão. Métodos de ensaio. argamassa e caldas de injecção. Adjuvantes para betão. Adjuvantes para betão. Telhas de betao e acessorios Telhas de betao e acessorios Soletos de fibrocimento e respectivos acessórios. Métodos de ensaio. Métodos de ensaio. argamassa e caldas de injecção. incluíndo aerossóis e partículas Vestuário de protecção. argamassa e caldas de injecção. Passadiços. argamassas e caldas .. Métodos de ensaio. Acessórios prefabricados para coberturas. Cinzas volantes para betao Segurança de máquinas Cal de Construção Cal de Construção Cal de Construção Durabilidade da madeira e de produtos derivados. Parte 11: Determinação das características dos vazios do betão endurecido com ar introduzido Adjuvantes para betão. Métodos de ensaio. Parte 4: Determinação da Exsudação do betão. Parte 1: Definição. argamassa e caldas de injecção. Métodos de ensaio. Métodos de ensaio. Parte 12: Determinação do teor de álcalis dos adjuvantes. Instalações para acesso e coberturas. Parte 1: Betão de referência e argamassa de referência para ensaio.. Durabilidade natural da madeira Vestuário de protecção contra produtos líquidos e gasosos..Cinzas volantes para betão. Terminologia. Características do produto e métodos de ensaio. Especificação de produto e métodos de ensaio. Parte 6: Determinação da estanquidade . Adjuvantes para betão. argamassa e caldas de injecção. argamassa e caldas de injecção. Placas perfiladas e acessórios de fibrocimento. argamassa e caldas de injecção. Parte 5: Determinação da absorção capilar. requisitos e controlo da qualidade Bainhas de aço para armaduras Bainhas de aço para armaduras de pré-esforço Terminologia. Métodos de ensaio. Baínhas de aço para armaduras de pré-esforço. Adjuvantes para betão. Métodos de ensaio. Adjuvantes para betão. Especificações do produto. Parte 2: Determinação do tempo de presa. Métodos de ensaio. Parte 1: Requisitos de desempenho para vestuário Vestuario de protecçao Vestuário de protecção contra produtos químicos líquidos. Atmosferas dos locais de trabalho Atmosferas dos locais de trabalho Atmosferas dos locais de trabalho Requisitos gerais do desempenho dos procedimentos de medição de agentes químicos Telhas de betão e acessorios Telhas de betão e acessorios Telhas e acessórios em betão para telhados e revestimento de paredes interiores e exteriores. argamassa e caldas de injecção. Método de ensaio: Determinação da Vestuario de protecçao Vestuario de sinalizaçao Requisitos gerais dos. Ganchos de segurança para telhados. Produtos de fibrocimento. Especificação de produto e métodos de ensaio Chapas perfiladas de fibrocimento e acessórios para coberturas. Métodos de ensaio. argamassa e caldas de injecção. Parte 1: Determinação da forma e das Baínhas de aço para armaduras de pré-esforço. Métodos de ensaio. argamassas e caldas . Métodos de ensaio. Adjuvantes para betão. argamassa e caldas de injecção.. Instalações para acesso ao telhado. Parte14: Medição da susceptibilidade à corrosão do aço em betão armado pelo ensaio electroquímico potenciostático. Métodos de ensaio.

Determinação das propriedades em tracção.Tubos e acessórios. Parte 1: Ensaio de impermeabilidade Telhas cerâmicas para colocação descontínua. acessorios e compon Segurança de máquinas Segurança de máquinas Caldeiras de aquecimento central que utilizam combustíveis gasosos. Tubos termoplásticos. incluindo juntas. Telhas betuminosas com armaduras minerais e/ou sintéticas. acessorios e compon Segurança de máquinas Segurança de máquinas Segurança de máquinas Sistemas de tubagens em materiais plásticos . Protecção contra calor e o fogo.Vestuário de protecção para trabalhadores expostos ao calor (excluindo vestuário para bombeiros e Vestuário de protecção. Requisitos específicos da função água quente sanitária em caldeiras de dois serviços com caudal térmico nominal inferior ou igual a 70 kW Contraplacado Contraplacado Contraplacado Contraplacado Contraplacado Contraplacado Contraplacado Sistemas de tubagens em plastico Sistemas de tubagens e condutas em plástico. Sistemas armados. Tubos. Instalações fixas de combate a incêndio Instalaçoes fixas de combate a incêndio Atmosferas dos locais de trabalho Guia para a apreciação da exposição por inalação a agentes químicos por comparação com valores limite e estratégia de medição Vestuário de protecção Sistemas de tubagens em plastico Sistemas de tubagens termoplásticas Sistemas de tubagens de materiais termoplásticos. Especificação dos produtos e métodos de ensaio. Tubos termoplásticos.. Determinação da deformação longitudinal a quente. Determinação das características físicas. Parte 2: Ensaios de resistência ao gelo. com ou sem alma de aço Tubos de betão pré-esforçado. Tubos e acessórios em poliolefina. Determinação d Sistemas de tubagens em plastico Tubos de fibrocimento Tubos de fibrocimento Tubos. Parte 3: Blocos de betão de agregados (agregados correntes e leves). Determinação do tempo de indução à oxidação Sistemas de tubagens e condutas em plástico. Método de ensaio para a propagação Vestuario de protecçao Placas onduladas betumadas. Especificações de produto e métodos de ensaio.. Especificações para unidades de alvenaria Parte 6: Unidades de alvenaria em pedra natural Métodos de ensaio de blocos para alvenaria Métodos de ensaio de blocos para alvenaria Métodos de ensaio de blocos para alvenaria Métodos de ensaio para unidades de alvenaria Parte 5: Determinação do teor de sais solúveis activos de tijolos cerâmicos para alvenaria . Telhas cerâmicas para colocação descontínua. acessórios e peças especiais. Tubos de betão pré-esforçado. Uniões com efeito de fundo entre tubos de pressão de pequeno diâmetro e Sistemas de tubagens e condutas em plástico Sistemas de tubagens e condutas em plástico. Sistemas de tubagens e condutas Sistemas públicos de drenagem de aguad residuais Sistemas públicos de Sistemas públicos de Sistemas públicos de drenagem de aguas residuais Sistemas publicos de Sistemas públicos de Sistemas publicos de Sistemas de tubagens em plástico Sistemas de tubagens e condutas Especificações para unidades de alvenaria. com ou sem alma de aço Instalaçoes fixas de combate a incendio Instalaçoes fixas de combate a incendio. Requisitos comuns para tubos de betão para condutas sob pressão. Determinação das características físicas.

Parte 5: Adjuvantes para betão projectado.. Anulada em 2009/04/03 Torneiras sanitárias. Especificações técnicas gerais. Portas.. Parte 3: Adjuvantes para argamassa de alvenaria Definições.. conformidade. Sistemas de tubagens e condutas em plástico. Métodos de ensaio para determinação da resistência à pressão interior Ensaios das propriedades gerais dos agregados Ensaios das propriedades. Definições.. Adjuvantes para betão. requisitos. Ensaios das propriedades geométricas.. Determinação da resistência ao choque de um corpo macio . Requisitos e ensaios. argamassa e caldas de injecção. concepção e ensaios... argamassa. argamassa... argamassas e caldas de injecçao Adjuvantes para betão. Parte 2: Adjuvantes para betão.. Ensaios das propriedades geometricas dos agregados Ensaios para determinação das caracteristicas geometricas. Parte 4: Adjuvantes para caldas de injecção para baínhas de préesforço. Válvulas termoplásticas. Produtos quimicos utilizados no tratamento da agua Segurança de máquinas Produtos quimicos utilizados no tratamento da agua Produtos químicos utilizados no tratamento da água. Acessórios termoplásticos injectados. marcação e rotulagem Adjuvantes para betão. Parte 1 : Ligadores. Parte 1: Requisitos gerais Adjuvantes para betão. Método de ensaio da Sistemas de tubagens em materiais plásticos.. argamassa e caldas de injecção. Ensaios das propriedades. janelas. fachadas-cortina e elementos de cerramento de vãos. Produtos químicos utilizados no tratamento da água. marcação e etiquetagem. Produtos quimicos utilizados no tratamento da agua. Equipamento de protecção individual para prevenção de quedas em altura. pendurais e cachorros de apoio. Sinais visuais de perigo. Misturadoras monocomando (PN 10). com anel de estanquicidade para tubagens sob pressão. argamassa e caldas de injecção. Sistemas de tubagens em plástico Bonés de protecção para a indústria. Ensaios das propriedades geométricas dos agregados Ensaios das propriedades geométricas dos agregados Ensaios das propriedades geométricas dos agregados Ensaios das propriedades geométricas dos agregados Ensaios das propriedades geométricas dos agregados Ensaios das propriedades geométricas dos agregados Ensaios das propriedades geométricas dos agregados Ensaios das propriedades geométricas dos agregados Adjuvantes para betão. Juntas com anel de estanquidade e juntas mecânicas para tubagens termoplásticas com pressão. Acessórios termoplásticos injectados. Adjuvantes para betão. Dispositivos de amarração.104 Adjuvantes para betão. Definições. Adjuvantes para betao... argamassas e caldas de injecçao Adjuvantes para betão. Definições.. marcação e etiquetagem. requisitos... conformidade.. Parte 2: Adjuvantes para betão. Aluminato de sódio. Definições. Segurança de máquinas Qualidade da agua Produtos químicos utilizados no tratamento da água destinada a consumo humano. Sulfato de alumínio. Arneses de cintura e pernas. Ensaios das propriedades gerais dos agregados Ensaios das propriedades. argamassa e caldas de injecção. marcação e etiquetagem. grampos de amarração. requisitos.. para condutas sob pressão. Sistemas de tubagens em plástico. conformidade. requisitos. argamassa e caldas de injecção... Estruturas de madeira Protecção contra as quedas de altura. Segurança de máquinas.. conformidade. CT .. Adjuvantes para betao... Madeira redonda e serrada Madeira redonda e serrada Especificações de acessórios para alvenarias. marcação e etiquetagem.Métodos de ensaio de blocos para alvenaria Metodos de ensaio de blocos para alvenaria: Parte 11 Metodos de ensaio de blocos para alvenaria: Parte 13 Métodos de ensaio de blocos para alvenaria Metodos de ensaio de blocos para alvenaria: Parte 20 Requisitos gerais dos.. Produtos quimicos utilizados Produtos químicos utilizados no tratamento da água destinada a consumo humano. requisitos. Requisitos gerais. argamassa e caldas de injecção. Método Sistemas de tubagens em plástico. conformidade.

controlo da qualidade. Vestuário de protecçao. Parte 7: Determinação da massa volúmica do fíler. Métodos de Tubos e acessórios de tubos com costura de aço galvanizado a quente.. Ensaios das propriedades mecanicas e fisicas dos agregados Ensaios das propriedades mecânicas e físicas dos agregados.... Vidro na construção. Depósitos enterrados em plástico reforçado... Membranas de impermeabilizaçao flexiveis Sistemas de tubagens em plástico. Ensaios das propriedades mecânicas e físicas .. Parte 1: Determinação da resistência ao desgaste (microDeval). Capacetes Capacetes para desportos aéreos Depósitos enterrados em plástico reforçado. Cobre e ligas de cobre. Ensaios das propriedades mecânicas e físicas dos agregados.Métodos de amostragem e de análise Métodos de ensaio de argamassas para alvenaria. Ensaios das propriedades mecânicas e físicas dos agregados.. Dióxido de enxofre. Parte 1: Determinação da resistência à compressão Métodos de ensaio para alvenaria. Segurança de máquinas Sanitas independentes e conjuntos de sanita e cisterna. Depósitos enterrados em plástico reforçado. Métodos para a determinação da resistência Ensaios das propriedades mecanicas e fisicas dos agregados . Especificações de argamassas para alvenarias. Parte 1: requisitos. Parte 1 : Argamassas para rebocos interiores e exteriores. Tijolos de vidro e blocos de vidro para pavimento Parte 1: Definições e descrição Métodos de ensaio para alvenaria. Contraplacado Tratamento águas residuais: Vocabulário Sistemas publicos Ensaios das propriedades mecânicas e fìsicas dos agre Ensaios das propriedades mecanicas e fisicas dos agregados Parte 2.. Creosote e madeira creosotada .Parte 3.. Parte 1: requisitos. a espessura e verificar a esquadria Cabeças de ensaio . Agua de amassadura para betão Produtos preservadores de madeira. Sistemas de tubagens Sistemas de tubagens Sistemas de tubagens Sistemas de tubagens e condutas em materiais plásticos. Ensaios das propriedades mecânicas e físicas dos agregados. Aparelhos de protecção respiratória . para sistemas de drenagem de águas residuais. de boca e ponta lisa.. Parte 6: Determinação da massa volúmica e da absorção de água. ensaios. Depósitos enterrados em plástico reforçado. luvas e protectores de braços ... Método do picnómetro Ensaios das propriedades mecânicas e físicas . Parte 2: Determinação da resistência à flexão Métodos de ensaio de alvenaria. Produtos químicos utilizados no tratamento da água destinada a consumo humano. Tubos e acessórios em plástico. Parte 19: Determinação da permeabilidade ao vapor de água de argamassas de reboco endurecidas Produtos químicos utilizados no tratamento da água. Parte 5: Determinação do teor de humidade por secagem em estufa ventilada.. Parte 3: Determinação da resistência inicial ao corte... de boca e ponta lisa. Determinação da baridade e do volume de vazios Ensaios para determinação das propriedades mecânicas e físicas dos agregados... a largura. Parte 2 : Argamassas para alvenarias. Tubos e acessórios de tubos com costura de aço inoxidável.. controlo da qualidade. Parte 9: Determinação da resistência ao desgaste provocado por pneus com correntes Ensaios das propriedades mecânicas e físicas dos agregados. Especificações de argamassas para alvenarias. luvas e protectores de braços . Método de exposição directa à intempérie. Juntas para tubos e acessórios de plástico termoendurecível reforçado com fibra de vidro (PRFV). Método para medir a altura. Parte 3: Método para determinação da massa volúmica e dos vazios. Membranas de impermeabilizaçao flexiveis Membranas de impermeabilizaçao flexiveis Membranas de imp... Tubos de cobre sem soldadura para sistemas de distribuição de água e de gás em aplicações sanitárias e de Estruturas de madeira Aparelhos de protecção Contraplacado Vestuario de protecçao Vestuário de protecção Vestuário de protecçao. Ensaios das propriedades mecanicas e fisicas .. ensaios.Folhas de portas.. para sistemas de drenagem de águas residuais.

Regras gerais para o controlo da produção em fábrica de compósitos de cimento reforçado com fibra de vidro. Produtos prefabricados de betao Produtos prefabricados de betão. Produtos quimicos utilizados no tratamento da água . Parte 3: Amortecedor de choque. Método de ensaio para cimento reforçado com fibra de vidro. Método de ensaio para cimento reforçado com fibra de vidro. Método de ensaio para cimento reforçado com fibra de vidro.. Método de ensaio para cimento reforçado com fibra de vidro. Drenagem e esgoto Sistemas de tubagens em plastico Produtos quimicos utilizados no tratamento da agua Produtos quimicos utilizados no tratamento da agua Produtos químicos utilizados no tratamento da água. método "ensaio simplificado de Produtos prefabricados de betão. Parte 4: Medição da resistência por flexão. Produtos prefabricados de betão. Parte 5: Medição da resistência por flexão.. Método de ensaio para cimento reforçado com fibra de vidro. de plástico e de borracha armadas para impermeabilização de coberturas. Método de ensaio para cimento reforçado com fibra de vidro. Sistemas de tubagens em plástico. Ensaios das propriedades térmicas e de meteorizaçao Ensaios das propriedades termicas e de meteorizaçao Ensaios das propriedades térmicas e de meteorizaçao Sistemas de tubagens Sistemas de tubagens Sistemas de tubagens . Parte 5: Medição da resistência por flexão. Aparelhos de protecção respiratória isolantes autónomos de circuito aberto de ar comprimido. Determinação da rigidez Sistemas de tubagens Ralos para edifícios Parte 1: Requisitos Ralos para edifícios Parte 2: Métodos de ensaio Ralos para edifícios Parte 3: Controlo da qualidade Ralos para edifícios Parte 4: Coberturas de acesso Ralos para edifícios Parte 5: Ralos com dispositivo de impedimento da passagem de líquidos pouco densos Código de ensaio acústico para máquinas e equipamento Produtos quimicos utilizados no tratamento da agua Requisitos gerais dos componentes utilizados em ramais de descarga. Contadores de paredes deformáveis.. Lages alveoladas Produtos prefabricados de betão.. com capuz Vestuario de protecçao. critérios de aceitação do ensaio de choque e métodos de ensaio Sistemas de tubagens em plastico para esgoto Blocos prefabricados de betão para pavimentos.Aparelhos de protecção respiratória de evacuação Aparelhos de protecção respiratória para evacuação. método "ensaio completo de Produtos prefabricados de betão. Método de ensaio para cimento reforçado com fibra de vidro. Métodos de análise. de plástico e de borracha para impermeabilização de coberturas Membranas de impermeabilização flexíveis. Desempenho de pavimentos estruturais.. Membranas betuminosas. Lajes alveoladas. Telhas cerâmicas e acessórios . Produtos prefabricados de betão. Método de ensaio para cimento reforçado com fibra de vidro. Classes de desempenho. . propriedades electrostaticas Vestuario de protecçao Produtos prefabricados de betão. Parte 1: Medição da consistência da matriz. Coagulantes à base de alumínio. Membranas betuminosas. Lajetas prefabricadas de betão. Cubos e paralelepípedos de pedra natural Guias de pedra natural para pavimentos exteriores Contadores de gás. Produtos químicos utilizados no tratamento da água. à temperatura elevada e à água.. Requisitos e métodos de ensaio. método "ensaio completo de Produtos prefabricados de betão.. Lancis prefabricados de betão. Estruturas de madeira Estruturas de madeira Estruturas de madeira. Parte 7: Avaliação das variações dimensionais extremas em função do teor de água. Produtos prefabricados de betão. Requisitos e métodos de ensaio. ramais de ligação e Membranas de impermeabilização flexíveis. Definições e especificações dos produtos Sistemas de retenção rodoviários. Tubos de plástico termoendurecível reforçado com fibra de vidro (PRFV)... Método de envelhecimento artificial por exposição combinada de longa duração à radiação UV. "ensaio de lavagem Produtos prefabricados de betão. Produtos prefabricados de betão. Requisitos e métodos de ensaio. Parte 6: Determinação da absorção de água por imersão e determinação da massa volúmica seca. Métodos de ensaio. Parte 2: Medição do teor de fibra no GRC fresco. Vibrações mecânicas e choque Produtos químicos utilizados no tratamento da água destinada a consumo humano. Parte 3: Medição do teor de fibra no GRC projectado.

.. Definições.. Componentes em plástico termoendurecível reforçado com fibra de vidro (PRFV). Parte 9: Princípios gerais para a utilização de produtos e sistemas Produtos e sistemas para a protecção e reparação de estruturas de betão Definições. Blocos em bruto.. Betumes e ligantes betuminosos. Determinação do desenvolvimento da resistência à tracção nos polímeros. Microesferas de vidro de pré-mistura Betumes e ligantes betuminosos. Sistemas de tubagens em plastico para drenagem. controlo da qualidade e avaliação da conformidade. 8: Controlo da qualidade e avaliação da conformidade Produtos e sistemas para a protecção e reparação de estruturas de betão. Canais de drenagem para zonas de circulação de peões e veículos. Cintas de salvamento.. requisitos..automóveis Acústica. Influência dos materiais orgânicos na água destinada Produtos quimicos utilizados Materiais para marcação rodoviária. Resistência à corrosão. Tubos termoplásticos. Produtos químicos utilizados no tratamento da água. Determinação da resistência à Sistemas de tubagens em plástico.. Métodos de ensaio para comprovar a concepção de uniões coladas macho-fêmea. Atmosferas dos locais de trabalho Produtos e sistemas para a protecção e reparação de estruturas de betão. Parte 7: Protecção contra a corrosão das armadura Produtos e sistemas para protecção e reparação de estruturas de betão. 4: Colagem estrutural Produtos e sistemas para protecção e reparação de estruturas de betão 5: Injecção do betão Produtos e sistemas para a protecção e reparação de estruturas de betão Definições. Têxteis. Produtos e sistemas para protecção e reparação de estruturas de betão. Método do anel e bola.1: Definições Produtos e sistemas para protecção e reparação de estruturas de betão. Anulada em 2009/04/01 Sistemas de tubagens em plástico. Caracterização de propriedades perceptíveis. Parte 2: Especificações para o ensaio de campo.. Métodos de ensaio para verificação da Sistemas de tubagem de plastico Sistemas de tubagens Sistemas de tubagens Sist. agregados antiderrapantes e mistura destes dois componentes Materiais para marcação rodoviária.. Tubos de plástico termoendurecível reforçado com fibra de vidro (PRFV). Materiais de projecção. Sistemas de tubagens em plástico. controlo da qualidade e avaliação da conformidade. Métodos de ensaio. Marcadores retrorreflectores. requisitos de construção e de ensaio.. Fundição Sistemas de tubagens em plastico. 2: Sistemas de protecção superficial do Produtos e sistemas para protecção e reparação de estruturas de betão. Determinação do pH do extracto aquoso. marcação e avaliação da conformidade Sistemas de tubagens e condutas em plástico. Pedra natural... Componentes de plástico termoendurecível reforçado com fibra de vidro (PRFV).. Determinação da temperatura de amolecimento. requisitos. De tubagens em plastico para abastecimento de. controlo da qualidade e avaliação da conformidade. Placas em bruto Equipamento de salvamento. Determinação da penetração com agulha. Sistemas de tubagens em plástico. controlo da qualidade e avaliação da conformidade. Dispositivos de salvamento por elevação.. Sistemas públicos de drenagem Sistemas de tubagem de plastico Sistemas de tubagens Acústica. Consumiveis parta soldadura.Produtos químicos utilizados no tratamento da água... Parte 6: Ancoragem de armaduras de aço. Requisitos e métodos de ensaio Materiais para marcação rodoviária Marcadores retrorreflectores Parte 1: Requisitos de desempenho inicial Materiais para marcação rodoviária. Sistemas de tubagens em plástico para drenagem.3: Reparação estrutural e não estrutural Produtos e sistemas para protecção e reparação de estruturas de betão. Betumes e ligantes betuminosos. Metodos de ensaio. Equipamento de salvamento. Equipamento de salvamento. requisitos. Método de exposição ao betume. Requisitos e métodos de ensaio. Classificação. Pedra natural. Arneses de salvamento. Membranas de impermeabilização flexíveis. Parte 2: Preparaçao de Construção e ensaio de ramais de ligação e colectores de águas residuais. Ferragens. Microesferas de vidro. Componentes em plástico termoendurecível reforçado com fibra de vidro. Sistemas de tubagens em plástico para abastecimento Sistemas de tubagens em plástico de tubos de parede Chaminés Condutas interiores em terracota/cerâmica. Membranas de plástico e de borracha para impermeabilização de coberturas.automóveis . Parte 10: Aplicação de produtos e sistemas e controlo da qualidade da obra. Produtos e sistemas para a protecção e reparação de estruturas de betão Definições. Determinação da flexibilidade anelar. requisitos.

Parte 1-4: Acções gerais.. pesos próprios. Eurocódigo 1 . Acções do vento. Dispositivos de redução do ruído de tráfego rodoviário. Alimentação de gás.Acções em estruturas. Anexo 1 Eurocódigo 2 .Projecto de estruturas de betão.. Métodos de ensaio para pedra natural Métodos de ensaio para pedra natural. Eurocódigo 1 . Dispositivos de redução do ruído de tráfego rodoviário. Métodos de ensaio para pedra natural Métodos de ensaio para pedra natural. Segurança de máquinas Produtos e sistemas para a protecção e reparação de estruturas de betão. Determinação da resistência à compressão Métodos de ensaio para pedra natural. Parte 2: Requisitos gerais para segurança e protecção ambiental Chaminés.. Protecçao individual dos olhos Sistemas de tubagens em plástico. Parte 1-2: Acções gerais.. Pressão máxima de serviço inferior ou igual a 5 bar Recomendações funcionais. Membranas de impermeabilizaçao flexiveis Membranas de imp. Acções do vento Eurocódigo 1 – Acções em estruturas. Métodos de ensaio. Parte 1-5: Acções gerais. Parte 1-1: Acções gerais. Tubos e acessórios de betão não armado. Verificação da resistência ao fogo Eurocódigo 2 . Classes de resistência. Madeira para estruturas. Chaminés. Atribuição de classes de qualidade e espécies. Parte 2: Tubagens interiores e elementos de ligação metálicos. Atribuição de classes de qualidade e espécies. Parte 1-4: Acções gerais. Método de ensaio para determinação do desempenho acústico Parte 1: Características intrínsecas da absorção sonora Dispositivos de redução do ruído de tráfego rodoviário Método de ensaio para determinação do desempenho acústico. Propriedades físicas Protecção contra quedas Madeira para estruturas. Método de ensaio para determinação do desempenho acústico.Determinação da resistência ao corte de juntas soldadas de redes de arame para componentes prefabricados de betão celular autoclavado ou Determinação da resistência ao corte de juntas entre os componentes prefabricados de betão celular autoclavado ou de betão de agregados Alvenarias e elementos de alvenaria. sobrecargas em edifícios. de plástico e de Membranas de impermeabilização flexíveis. Membranas betuminosas. Eurocódigo 1 . para. Desempenho não acústico. Fugas de chaminés em betão Sistemas de tubagens em plástico Extintores de incêndio moveis (Errata) Extintores de incêndio moveis Mantas de incêndio Materiais para marcação rodoviária. Fugas em terracota/cerâmica para chaminés de parede simples.Acções em estruturas. betão com fibras de aço e betão armado.Acções em estruturas. Eurocódigo 1 .Acções em estruturas.. Componentes. Métodos para determinação de valores térmicos. Pesos volúmicos. Parte 1-1: Regras gerais e regras para edifícios . Determinação da resistência à compressão uniaxial. para drenagem Chaminés.Parte 3: Espectro normalizado do ruído de tráfego. Parte 2: Características intrínsecas do isolamento a sons aéreos. Sistemas de tubagens em plástico. Óculos solares e filtros de protecção contra as radiações solares para uso geral. Parte 1-2: Regras gerais. Betões de referência para ensaio.Bases para o projecto de estruturas. Parte 1-1: Regras gerais e regras para edifícios Eurocódigo 2 .Projecto de estruturas de betão. Eurocódigo . Membranas de impermeabilização flexíveis... Acções térmicas. Requisitos para chaminés metálicas. Materiais para marcação rodoviária. Parte 1-3: Acções gerais. Membranas betuminosas. Determinação das massas volúmicas real e aparente e das porosidades total e aberta. Verificação da resistência ao fogo Eurocódigo 3 .Projecto de estruturas de aço. Parte 1-2: Regras gerais. enterrados. Ensaios de campo Protecção individual dos olhos. Tubagens de gás para os edifícios.. Marcas rodoviárias prefabricadas Dispositivos de redução do ruído de tráfego rodoviário.Acções em estruturas. Classes de resistência. Membranas de imp.Projecto de estruturas de betão.. de plástico e de borracha para impermeabilização de coberturas Métodos de ensaio para.Projecto de estruturas de betão. Sistemas de tubagens em plástico. Acções da neve. Acções em estruturas expostas ao fogo Eurocódigo 1 . Requisitos e métodos de ensaio Materiais para marcação rodoviária. Parte 1-1: Regras gerais e regras para edifícios Eurocódigo 2 .

Definição e classificação dos aços. Parte 1: Designação simbólica. E.Projecto de estruturas de aço. F. Definição e classificação dos aços Produtos laminados a quente em aços de construção não ligados.Projecto geotécnico.. estruturas de suporte e aspectos geotécnicos Tecnologias da informaçao Acústica. Parte 1: Regras gerais Eurocódigo 8 . Parte 4: Verificação dos extensómetros utilizados em ensaios uniaxiais Materiais metálicos. Verificação da resistência ao fogo. Parte 1: Regras gerais. C. Aços e ligas para válvulas para motores de combustão interna. Parte 5: Método de ensaio a temperatura elevada. Análise química de materiais siderúrgicos. Ensaio de choque em provete entalhado Charpy Banda estreita de aço laminada a quente. Parte 1-10: Tenacidade dos materiais e propriedades segundo a espessura Eurocódigo 7 . Materiais metálicos. Ensaio de dureza. D. Determinação do teor de carbono total nos aços e ferros fundidos. Condições técnicas de fornecimento de produtos semi-fabricados. N.Projecto de estruturas para resistência aos sismos. Parte 2: Tolerâncias de forma e dimensões Análise química de materiais siderúrgicos. laminadas a quente em contínuo. Chapas. B. Tolerâncias de dimensões e de forma. Determinação do teor de manganês nos aços e ferros fundidos. Método gravimétrico de combustão em corrente de oxigénio Materiais metálicos. D. Condições técnicas de fornecimento Produtos planos laminados a frio. E. Parte 1: Método de ensaio (a temperatura ambiente). Parte 1: Regras gerais Eurocódigo 7 . Ensaio de tracção. Método de titulação potenciométrica. Eurocódigo 3 . Materiais metálicos. Definição dos produtos de aço Aços de corte fácil. Cantoneiras de abas iguais e desiguais de aço de construção. Materiais metálicos. Selecção das classes de iluminação Definição e classificação das gusas. e de barras e fios laminados a quente.Projecto de estruturas de aço. estruturas de suporte e aspectos geotécnicos Eurocódigo 8 . Ensaio de choque em provete entalhado Charpy.. 30T e 45T).Projecto de estruturas para resistência aos sismos. Condições técnicas de fornecimento (aditamento A1:1993 incluído). Sistemas de designação dos aços. Parte 5: Fundações. Parte 2: Verificação do sistema de medição da força da máquina de ensaio de tracção Materiais metálicos. Tolerâncias nas Folhas de aço laminadas a frio para tratamento térmico Folhas de aço laminadas a frio para tratamento térmico Folhas de aço laminadas a frio para tratamento térmico Folhas de aço laminadas a frio para tratamento térmico . Parte 1: Regras gerais. 30N.Projecto de estruturas de aço. Parte 1: Dimensões. Parte 5: Fundações. Chapas e bandas de aço com baixo teor de carbono laminadas a quente de forma contínua para enformação a frio. Ensaio de tracção. não revestidos. Ensaio de tracção.Projecto de estruturas para resistência aos sismos. Banda estreita de aço laminada a quente. de aços ligados e nãoligados. K) e ensaio Rockwell superficial (escalas 15N. Vocabulário de termos de tratamento térmico para produtos ferrosos. bandas largas e bandas cortadas longitudinalmente.. B. 1a. Ensaio de dureza.Projecto geotécnico. C. K. Parte 1-9: Fadiga Eurocódigo 3 . Aços e ligas de níquel refractárias Materiais metálicos. H. T). G. Ensaio de tracção. Parte 1-8: Projecto de liga Eurocódigo 3 . Parte 1-2: Regras gerais. F. acções sísmicas e regras para edifícios Eurocódigo 8 . Parte 3: Calibração dos blocos de referência para as máquinas de ensaio Rockwell (Escalas A. Materiais metálicos. símbolos principais Sistemas de designação dos aços.Projecto de estruturas para resistência aos sismos.recepção de engrenagens Iluminação pública. Parte: Método de ensaio Materiais metalicos. Tolerâncias das dimensões e da forma. Parte 1: Método de ensaio (a temperatura ambiente). H. Tolerâncias de forma e dimensões. 15T. Ensaio de tracção. Cantoneiras de abas iguais e desiguais de aço de construção. acções sísmicas e regras para edifícios Eurocódigo 8 . Parte 1: Ensaio Rockwell (escalas A.Eurocódigo 3 . Tolerâncias de dimensões e de forma. G.Projecto de estruturas de aço. Parte 2: Sistema numérico Produtos planos em aço para aparelhos de pressão Produtos planos em aço para aparelhos de pressão Perfis estruturais I e M de aço de construção. 45N. de aço macio e de aço de alto limite de elasticidade para embutição e dobragem a frio.

Perfis em U em aço laminados a quente Pavimentos e revestimentos cerâmicos. Perfis ocos acabados a quente de aços de construçao. destinada à fabricação de folha-de-flandres electrolítica ou folha cromada electrolítica. Tolerâncias nas dimensões e de forma. Especificações para os revestimentos de galvanização por imersão a quente em instalações automatizadas Peças forjadas por estampagem Peças forjadas por estampagem em aço Peças forjadas em aço para uso geral Peças forjadas em aço para uso geral Peças forjadas em aço para uso geral Peças forjadas em aço para uso geral Peças estampadas em aço Produtos planos laminados a frio de aço microligado de alto limite de elasticidade para enformação a frio.Análise química de materiais siderúrgicos. Parte 2: Condições de fornecimento de aços obtidos por laminagem Produtos planos laminados a quente de aços de alto limite de elasticidade para enformação a frio. Parte 3: Bandas de aço estreitas laminadas a frio.. Revestimentos para protecção interior e/ou exterior de tubos de aço.. Parte 1: Condições técnicas de fornecimento. Condições técnicas de fornecimento Análise química de materiais siderúrgicos. Método de espectrometria de absorção atómica de chama Análise química de materiais siderúrgicos. Dosagem do titânio nos aços e nas gusas. Método de espectrometria de absorção atómica de chama. Parte 2: Determinação das dimensões e da qualidade de superfície (ISO 105452:1995. Parte 1: Condições Chapas e placas de grandes dimensões de aços de construção de alto limite de elasticidade. Determinação do teor de níquel nos aços. Parte 3: Condições de fornecimento de aços normalizados ou com Produtos planos de aço laminados a frio. Análise química de materiais siderúrgicos. temperados e revenidos ou endurecidos por precipitação. temperados e revenidos ou endurecidos por precipitação. Barras em aço inoxidável para aparelhos de pressão Barras laminadas a quente em aços soldáveis Produtos em aço transformados a frio Produtos em aço transformados a frio Produtos em aço transformados a frio Produtos em aço transformados a frio Produtos em aço transformados a frio Dimensões e tolerâncias dos produtos em aço. Perfis ocos estruturados acabados a quente de aços não ligados e de grão fino.. Parte 2: Condições Chapas e placas de grandes dimensões de aços de construção de alto limite de elasticidade... Determinação do teor de nióbio nos aços. Parte 2: Tolerâncias. Determinação do teor de chumbo nos aços.. Determinação da deformação transversa de cimentos-cola e de argamassas . Determinação do teor de cálcio nos aços. Perfis ocos estruturais acabados a quente de aços não ligados e de grão fino. incluindo a Corrigenda Técnica 1:1997) Colas para ladrilhos. revestidos de zinco por via electrolítica. Bandas e chapas de aços ligeiramente galvanizados Bandas e chapas de aços de construção Bandas e chapas de aços de construção Produtos planos laminados a quente de aços de alto limite de elasticidade para enformação a frio.. bandas e barras. Perfis ocos acabados a quente de aços de construçao. Método de espectrometria de absorção atómica de chama Chapas e placas de grandes dimensões de aços de construção de alto limite de elasticidade. Método espectrofotométrico Análise química de materiais siderúrgicos. dimensões e características do perfil. Método de espectrometria de absorção atómica de chama Folha-de-flandres electrolítica Produtos metálicos (Errata) Chapa preparada laminada a frio. Aços para recipientes sob pressão simples. Condições técnicas de fornecimento de chapas. Peças forjadas em aço para aparelhos a pressão Peças forjadas em aço para aparelhos a pressão Peças forjadas em aço para aparelhos a pressão Ensaios não destrutivos de peças de aço Ensaios não destrutivos de peças de aço forjado Ensaios não destrutivos de peças de aço forjado Ensaios não destrutivos de peças de aço forjado Produtos de aço de construção decapados a jacto e pré-pintados com primário de espera automaticamente. Parte 1: Condições gerais de fornecimento Produtos planos laminados a quente de aços de alto limite de elasticidade para enformação a frio.. Condições técnicas de fornecimento Aços e ligas de níquel para elementos de fixação . temperados e revenidos ou endurecidos por precipitação.. em bobinas.

Sistemas de tubagens em plastico Sistemas de tubagens em plastico Sistemas de tubagens de plástico para água pluviais para uso externo e acima do solo. Métodos pressiométricos. Requisitos para a resistência mecânica. Produtos em pedra natural. no interior da estrutura de edifícios.Parte 14: Desinfecção Estações de tratamento de águas residuais. Contadores de gás de turbina. Parte 3:Ensaio Vêbê Ensaios do betão fresco. Método de ensaio para determinação da resistência da braçadeira Sistemas de tubagens Sistemas de tubagens em plastico Sistemas de tubagens Sistemas de tubagens de plástico.Colas para ladrilhos Determinação da resistência ao corte de colas de resinas de reacção Colas para ladrilhos. Parte 8: Betão autocompactável. Membranas de imp. Parte 16: Filtração física (mecânica). Ardósias e produtos em pedra para coberturas descontínuas e revestimentos de paredes Tecidos revestidos a borracha ou plástico. Parte 1: Amostragem. Sistemas de tubagens Contadores de gás. Ensaios de betão fresco Ensaios do betão fresco. Suportes e suspensões de condutas. Ensaios do betão fresco Ensaios do betão fresco. Parte 2: Utilização racional de energia. Ensaio de escoamento na caixa L. Método de referência e procedimentos de ensaio de campo para demonstrar a equivalência dos métodos de medição ao método de referência. Parte 7: Determinação do teor de ar. acessório e sistema Sistemas de tubagens em plástico para abastecimento Sistemas de tubagens em plástico para abastecimento Sistemas de tubagens em plástico para abastecimento Ventilação de edifícios. . Parte 4: Grau de compactabilidade Ensaios do betão fresco. Ensaio de escoamento no funil V. Parte 5: Ensaio da mesa de espalhamento. Estações de tratamento de águas residuais. Parte 5: Ensaio da mesa de espalhamento Ensaios do betão fresco. Parte 4: Grau de compactabilidade. classificação e designação. Requisitos. Ensaios do betão fresco. Aparelhos de protecção Sistemas fixos de combate a incendio Sistemas de tubagens em plástico. Parte 3: Ensaio Vêbê. Trabalhos de pedra de cantaria. Parte 10: Betão autocompactável. avaliação da conformidade. Sistemas de condutas. Requisitos. Resistência e estanquidade das condutas metálicas circulares. Ventilação de edifícios. Determinação da fracção PM10 de partículas em suspensão. 1 – ERRATA Estações de tratamento de águas residuais Parte 5: Lagunagem Estações de tratamento de águas residuais Parte 8: Armazenagem e tratamento de lamas Estações de tratamento de águas residuais Parte 9: Controlo dos odores e ventilação Estações de tratamento de águas residuais. Membranas de impermebilização Membranas de impermebilização Membranas de impermebilização Membranas de impermebilização Ardósias e produtos em pedra para coberturas descontínuas e revestimento de paredes. com caudal térmico menor ou igual a 70 kW. Parte 6: Massa volúmica Ensaios do betão fresco. Ensaio de espalhamento. Parte 10: Princípios de segurança Estações de tratamento de águas residuais . Braçadeiras para sistemas de tubagens de águas pluviais.Parte 11: Informações gerais requeridas Estações de tratamento de águas residuais Parte 12: Controlo e automação Estações de tratamento de águas residuais Parte 13: Tratamento químico Tratamento das águas residuais por precipitação/floculação Estações de tratamento de águas residuais . Parte 2: Ensaio de abaixamento. Parte 1: especificações dos produtos. P. Práticas e técnicas recomendadas …. Parte 9: Betão autocompactável. Ensaios do betão fresco. Determinação da resistência ao rebentamento. 1: especificações para tubos. Parte 6: Massa volúmica. Parte 7: Determinaço do teor de ar Ensaios do betão fresco. Parte 15: Medição da capacidade de transferência de oxigénio em água limpa em tanques de arejamento de lamas activadas. Ensaios do betão fresco. Ecras para postos Estações de tratamento de águas residuais. Parte 1: Método da esfera de aço Qualidade do ar. Sistemas de tubagem de plastico Sistemas de tubagens em plastico Aparelhos de climatização e bombas de calor a gás.

Requisitos de segurança funcional Dispositivos anti-encandeamento para estradas Parte 1: Desempenho e características Dispositivos anti-encadeamento para estradas. Parte 5: Resistência à flexão de provetes Ensaios do betão endurecido. Parte 3: Resistência à compressão dos provetes. Membranas betuminosas. Ensaios do betão endurecido. Preparação de amostras de ensaio. Pequenas instalações de tratamento de águas residuais até 50 PTE. dimensões e outros requisitos para o ensaio de provetes e para os moldes. Dispositivos de conversão. . Parte 34: Ensaio Marshall. Ensaios do betão endurecido. Ensaios do betão endurecido. Parte 4: Determinação da velocidade de propagação dos ultra-sons Janelas e portas pedonais. Misturas betuminosas. Determinação da solubilidade. Resistencia ao gelo Métodos de ensaio para pedra natural. Parte 2: Execução e cura dos provetes para ensaios de resistência mecânica. Extracção. Betumes e ligantes betuminosos. Misturas betuminosas. Determinação da viscosidade cinemática. dimensões e outros requisitos para o ensaio de provetes e para os moldes. Parte 8: Profundidade de penetração da água sob pressão. Vocabulário. Sinalização luminosa de aviso e segurança Metodos de ensaio para pedra natural Métodos de ensaio para . Métodos de ensaio para misturas betuminosas a quente. Métodos de ensaio para misturas betuminosas a quente. Ensaio de espalhamento no anel J. Ensaios do betão endurecido. de plástico e de borracha para impermeabilização de coberturas Determinação da resistência ao choque. Determinação da concentração mássica de carbono orgânico gasoso total de efluentes gasosos em baixas concentrações. exame e ensaio à compressão. Elementos para paredes exteriores em betão. Métodos de ensaio para misturas betuminosas a quente. Parte 8: Profundidade de penetração da água sob pressão. Ensaio de segregação no peneiro. Parte 2: Execução e cura dos provetes para ensaios de resistência mecânica Ensaios do betão endurecido. Métodos de ensaio para misturas betuminosas a quente. Ensaios do betão endurecido. Parte 3: Estações de tratamento de águas residuais domésticas compactas e/ou monta Protectores de pés e pernas Texteis Betumes e ligantes betuminosos. Parte 2: Determinação da granulometria Misturas betuminosas. Contadores de gás. Parte 2: Execução e cura dos provetes para ensaios de resistência mecânica Ensaios do betão endurecido. Determinação da resistência ao Aplicações sanitárias. Parte 7: Massa volúmica do betão endurecido. Características do produto e métodos de ensaio. Equipamento de controlo de tráfego. Componentes. Método em contínuo de detecção por ionização de chama Agregados para betão. Parte 6: Determinação da baridade de provetes betuminosos. de plástico e de borracha para impermeabilização de coberturas. Ensaios do betão endurecido. Ensaios de betao nas estruturas Ensaios do betão nas estruturas: Parte 3: Determinação da força de arranque Ensaios do betão nas estruturas. Ensaios do betão endurecido. Parte 12: Betão autocompactável. Parte 1: Método RTFOT.Características das máquinas de ensaio Ensaios do betão endurecido. Part. Determinação da resistência à flexão sob carga centrada. Emissões de fontes fixas. Betumes e ligantes betuminosos. Parte 42: Percentagem de matéria estranha nas misturas betuminosas recuperadas. Parte 1: Carotes. Estudo petrográfico Chaminés. Chapas de fibrocimento. Parte 11: Betão autocompactável. Parte 5: Resistência à flexão de provetes. Parte 1: Conversão de volume. Parte 1: Fossas sépticas prefabricadas. Parte 1: Forma. Ensaios do betão endurecido. Métodos de ensaio para misturas betuminosas a quente. Membranas betuminosas. Métodos de ensaio para pedra natural. 2: Métodos de ensaio Membranas de impermeabilização flexiveis Membranas de impermeabilização flexíveis. Parte 1: Forma. Anulada em 2009/04/03 Controladores de sinais de regulação de trânsito. Misturas betuminosas. Ensaios do betao endurecido. Determinação da resistência ao gelo. Luvas de protecçao Ensaios do betão nas estruturas Ensaio do betão nas estruturas. Ensaios do betão endurecido. Misturas betuminosas.Ensaios do betão fresco. Métodos de ensaio para pedra natural Métodos de ensaio para pedra natural. Membranas de impermeabilização flexíveis. Parte 3: Resistência à compressão dos provetes Ensaios do betão endurecido. Parte 6: Resistência à tracção por compressão de provetes. Pequenas instalações de tratamento de águas residuais até 50 PTE. Parte 30: preparação de provetes por compactador de impacto. Parte 4: Resistência à comrpessão . Betumes e ligantes betuminosos. Ensaios do betão fresco. Determinação da resistência ao envelhecimento sob a influência do calor e do ar. Especificação para banheiras de ondas. Parte 7: Massa volúmica do betão endurecido.

Sistemas de chaminés com fugas interiores em terracota/cerâmica. Materiais para marcação rodoviária. Paredes exteriores em terracota/cerâmica para sistemas de chaminés. Especificações dos materiais .. Elementos nervurados para pavimentos. Mastros e postes. para. Barreiras complementares de estanquidade à água sob revestimentos descontínuos de coberturas e de paredes.. Parte 20: Ensaios de Tipo Misturas betuminosas. Especificações dos materiais . Estacas de fundação. Parte 3: Requisitos e métodos de ensaio para sistemas de chaminés com mistura de ar Chaminés. Instalações prefabricadas. Transporte rodoviário. Métodos laboratoriais para identificação Colas e argamassas de juntas para ladrilhos. Sistemas de chaminés com fugas interiores em terracota/cerâmica. Parte 2: Especificações e métodos de ensaio em condições de humidade. 2:Met. Parte 1: Req. Parte 2: Determinação da resistência à abrasão. Influência devido à migração. Anulada em 2009/04/01 Aparelhos de protecção Aparelhos de protecção respiratória Aparelhos de protecção Acessórios pré-fabricados para telhados. De ensaio Manutenção de elevadores e de escadas mecânicas. Chaminés. Parte 3: Determinação da resistência à flexão e à compressão Argamassas de juntas para ladrilhos.. Misturas betuminosas. Parte 4: Determinação da retracção Argamassas de juntas para ladrilhos. Parte 21: Controlo da Produção em Fábrica Membranas de impermeabilização flexíveis. Painéis de mensagem variável .. Parte 5: Materiais para condutas interiores em cerâmica. Parte 2: Ensaio de tipo inicial Sinalização rodoviária vertical: Painéis de mensagem variável Parte 3: Controlo da produção em fábrica Instalações solares térmicas e seus componentes.Parte 1: Norma de produto Sinalização rodoviária vertical: Painéis de mensagem variável. Placas de gesso.Segurança passiva das estruturas de suporte de equipamentos para estradas. com pressão.. Influência dos materiais na água destinada a consumo humano Influência devida à migração. Métodos de ensaio para pedra natural. Regras para as instruções de manurtenção Agregados para misturas betuminosas e tratamentos superficiais para estradas. Chaminés independentes. Produtos utilizados no tratamento da agua destinada. Requisitos e métodos de ensaio Produtos prefabricados de betão. Especificações e métodos de ensaio.. Instalações prefabricadas. Ensaios de reacção ao fogo para produtos de construçao Sistemas de tubagens de plástico. Resistência à flexão Produtos de isolamento térmico para aplicação em edificios Produtos de isolamento termico Equipamento de controlo de tráfego . Produtos prefabricados de betão. requisitos e métodos de ensaio. 1: Matérias-primas. Produtos químicos utilizados no tratamento da água destinada a consumo humano. Elementos estruturais lineares. Chaminés independentes. Definições. Componentes/produtos para a ventilação residencial.Dicloroisocianurato de sódio. Especificação de produto e métodos de ensaio. Determinação da Reservatórios e depósitos de PRFV para utilização acima do solo. Parte 5: Determinação da absorção de água Pavimentos sobreelevados. Construção em galeria e ensaio de ramais de ligação e colectores de águas residuais. aeroportos e outras áreas de circulação.. Produtos prefabricados de betão. Part. Agregados para argamassas Ventilação de edificios: ensaios de desempenho dos componentes Ventilação de edifícios . Especificações do produto. . Gerais Instalações solares térmicas e seus componentes. Parte 7: Especificações de produto aplicáveis às fabricações cilíndricas em aço para utilização em chaminés de parede simples em aço e condutas interiores em aço. Características de desempenho requeridas e opcionais. Parte 2: Método de ensaio para materiais não metálicos e não cimentícios aplicados no local. Ensaios de desempenho dos componentes/produtos para ventilação de edifícios de habitação Parte 2 – Aberturas de admissão de ar e aberturas de extracção de ar Ventilação de edifícios. Anulada em 2009/04/01 Argamassas de juntas para ladrilhos.. Argamassas de juntas para ladrilhos. Sinalização vertical rodoviária . Escadas de telhado para fixação permanente. Influência dos materiais na água destinada a consumo humano. Requisitos relativos ao sistema de gestão da qualidade destinados a complementar a EN ISO 9001 tendo em conta a segurança do transporte de mercadorias perigosas. Sinalização luminosa de aviso e segurança Produtos prefabricados de betão. Produtos utilizados no tratamento da água destinada Produtos utilizados no tratamento da agua destinada. Parte 1: Método de ensaio para materiais não metálicos e não cimentícios de fabrico industrial.Produtos químicos utilizados em situações de emergência. Agregados para misturas betuminosas Influência dos Materiais na água destinada a consumo humano Chaminés. Sistemas de gestão da qualidade dos transportes. transporte ferroviário e transporte por via fluvial. dihidratado. Produtos utilizados no tratamento da agua destinada. Parte 1: Determinação da resistência química de argamassas de resinas de reacção.

com pressão. sem pressão.Sistemas de tubagens de plástico. Urinois de parede. para.. amostradores por difusão para a determinação de concentrações de gases e vapores . Parte 3: Métodos de elaboração de diagramas e de quadros para as condutas de evacuação dos produtos da combustão Condutas de evacuação dos produtos da combustão. requisitos gerais e amostragem. Chaminés. Parte 1: Requisitos gerais e características de desempenho... Parte 3: Especificações para os tubos e acessórios com superfície interior lisa e superfície exterior perfilada e o sistema. Definição e método de cálculo Agregados para balastro de via férrea Sistemas de tubagens de plástico. Parte 2: Condutas de evacuação dos produtos da combustão servindo vários aparelhos Condutas de evacuação dos produtos da combustão. Carga de ruptura….. polipropileno (PP) e polietileno (PE). Parte 1: Método gravimétrico manual Misturas não ligadas.. Acessorios de visibilidade para uso profissional Métodos de ensaio de argamassas para alvenaria. Métodos de ensaio para pedra natural.Taxa de valorização energética. para. Condutas de evacuação dos produtos de combustão. Parte 2: Condutas de evacuação dos produtos da combustão servindo vários aparelhos. Regras de amostragem e preparação de provetes. enterrados. Barreiras geossintéticas. Cones e balizas cilíndricas Embalagem. Determinação da concentração mássica de partículas em baixas concentrações. Determinação da concentração mássica de carbono orgânico gasoso total em efluentes gasosos resultantes de processos com utilização de solventes. para drenagem e saneamento Sistemas de tubagens de parede estruturada de poli(cloreto de vinilo) não plastificado (PVC-U). Parte 2: Avaliação da conformidade Equipamento de protecçao. Requisitos gerais dos componentes utilizados na renovação e na reparação de colectores e de ramais de ligação de sistemas públicos de drenagem de águas residuais Requisitos gerais dos componentes utilizados na renovação e na reparação de colectores e de ramais de ligação de sistemas públicos de drenagem de águas residuais Enroncamentos. Sistemas de tubagens de plástico. Parte 1: condutas de evacuação dos produtos da combustão servindo apenas um aparelho. Métodos de cálculo térmico e aerodinâmico.. Métodos de cálculo térmico e aerodinâmico do escoamento. polipropileno (PP) e polietileno (PE). portáteis e deformáveis. Sistemas de tubagens de plástico. Tipo B. Parte 19: Determinação da permeabilidade ao vapor de água de argamassas de reboco endurecidas Barreiras geossintéticas: características requeridas para a utilização na construção de canais Métodos de ensaio para pedra natural.Características requeridas para a utilização na construção de estradas e outras zonas de tráfego (excluindo vias férreas e pavimentos betuminosos) Barreiras geossintéticas: características requerentes para a utilização na construção de estruturas Classificação do desempenho face ao fogo de . Determinação da concentração mássica de partículas em baixas concentrações. Misturas não ligadas e misturas tratadas com ligantes hidráulicos. Impermeabilização de tabuleiros de pontes de betão e de outras superfícies de betão transitáveis por veículos. Parte 2: Especificações para tubos e acessórios com superfícies interiores e exteriores lisas e o sistema do Tipo A. polipropileno (PP) e polietileno (PE). para drenagem e saneamento Sistemas de tubagens de parede estruturada de poli(cloreto de vinilo) não plastificado (PVC-U).. Especificações. Requisitos e métodos de ensaio. Parte 1: método gravimétrico manual. Método térmico e dinâmico dos gases. para drenagem e saneamento Sistemas de tubagens de parede estruturada de poli(cloreto de vinilo) não plastificado (PVC-U). Parte 1: Definições. Características requeridas para a utilização como barreira aos líquidos na construção de túneis e estruturas subterrâneas. sem pressão. sem pressão. Emissões de fontes fixas. Características requeridas para a utilização como barreira aos líquidos na construção de túneis e estruturas subterrâneas. Emissões de fontes fixas. Parte 1: Especificações. Introdução. Dispositivos de aviso e balizamento. requisitos e critérios de conformidade Sílica de fumo para betão. Barreiras geossintéticas. Terminais de condutas em terracota/cerâmica.. Condutas de evacuação dos produtos da combustão: métodos de cálculo térmico e aerodinâmico Condutas de evacuação dos produtos da combustão. Características geométricas… Membranas de impermeabilização flexíveis. enterrados. Método em contínuo de detecção por ionização de chama Qualidade do ar ambiente . Regras gerais para produtos prefabricados de betão Regras gerais para produtos prefabricados de betão. Parte 1: métodos de ensaio para a determinação da baridade e do teor de água. enterrados. Geotêxteis e produtos relacionados . Métodos de cálculo térmico e dinâmico dos gases. Geotêxteis e produtos relacionados Sílica de fumo para betão: Parte 1 Sílica de fumo para betão: Parte 2 Sílica de fumo para betão. Requisitos funcionais e métodos de ensaio Membranas de impermeabilizaçao flexiveis Sinalização vertical rodoviária. Sistemas de tubagens de plástico. com pressão. Emissões de fontes fixas.

Parte 1: Especificações gerais. Segurança Avaliação da resistência à compressão do betão nas estruturas e em produtos prefabricados. Métodos de ensaio para pedra natural Metodos de ensaio para pedra natural. Válvulas de retenção para edifícios Parte 3: Controlo da qualidade Membranas de impermeabilização flexíveis. Comunicação ambiental. Impermeabilização de tabuleiros de pontes de betão e de outras superfícies de betão transitáveis por veículos. Gestão ambiental. Definições e características. Parte 2: Barreiras flexíveis para paredes. Pavimentos de betão. Válvulas de retenção para edifícios Parte 1: Requisitos Válvulas de retenção para edifícios Parte 2: Métodos de ensaio Válvulas de retenção para edifícios Parte 3: Controlo da qualidade Ataque químico do betão. Contadores de água. Emissões de fontes fixas. Definição e características de barreiras flexíveis colocadas sob paredes. Membranas de impermeabilização flexíveis. Métodos de ensaio para pedra natural Métodos de ensaio para pedra natural Determinação do módulo de elasticidade … Métodos de ensaio para pedra natural. Determinação da resistência ao arranque no solo Produtos prefabricados de betão. Definição e características de barreiras flexíveis colocadas sob paredes. Princípios e enquadramento (ISO 14040:2006). Estruturas temporárias. Determinaçao. Determinação da resistência ao envelhecimento por nevoeiro salino. Definição e características de barreiras flexíveis colocadas sob revestimentos de coberturas. Pavimentos em betão. Determinação da dureza de Knoop.Qualidade do ar ambiente. Parte 1: Método de ensaio para a determinação da espessura de um pavimento em betão por nivelamento. Determinação da resistência ao arranque no solo Geotêxteis e produtos relacionados.Parte 3: Guia para selecção. Metodos de ensaio para pedra natural Métodos de ensaio para pedra natural. Requisitos e métodos de ensaio . Caldeiras de tipo B com caudal termico nominal superior ou igual a 300KW mas inferior ou igual a 1000KW Membranas de impermeabilização flexíveis. Parte 1: Ladrilhos hidráulicos para utilização em interiores. Parte 2: Condições de instalação e utilização. Determinação da resistência à colagem. Membranas betuminosas. Métodos de ensaio para a determinação da massa por unidade de área das barreiras geossintéticas argilosas Métodos de ensaio para pedra natural. Prelajes para pavimentos. Determinação da resistência à penetração de raízes. Geossintéticos. Amostradores por difusão para a determinação de concentrações de gases e vapores. Máquinas e estruturas para arraiais e parques de diversão. Impermeabilização de tabuleiros de pontes de betão e de outras superfícies de betão transitáveis por veículos. Pavimentos em betão. Parte 1: Barreiras para coberturas com elementos descontínuos. Fachadas-cortina. Método por carvão activado e desadsorção de solventes. Gestão ambiental. Parte 1: materiais. Determinação da absorção da água Membranas de impermeabilização flexíveis. Geotêxteis e produtos relacionados. Pavimentos em betão. Contadores de água. Membranas de impermeabilização flexiveis Membranas de impermeabilização flexíveis.. Membranas betuminosas armadas para impermeabilização de coberturas. Linhas de orientação e exemplos (ISO 14063:2006). Impermeabilização de tabuleiros de pontes de betão e de outras superfícies de betão transitáveis por veículos. Parte 3: Métodos e equipamentos de ensaio. Determinação da absorção de água à pressão atmosférica. Contadores de água. Definição e características de barreiras flexíveis colocadas sob revestimentos de coberturas. Anulada em 2009/04/01 Membranas de impermeabilização flexíveis. de plástico e de borracha para impermeabilização de coberturas. Parte 2: barreiras flexíveis para paredes. Métodos de ensaio para pedra natural Determinação da resistência ao envelhecimento por acção de SO2 na presença de humidade Membranas de impermeabilização flexíveis. Parte 2: Método de ensaio para a determinação da aderência entre duas camadas. Parte 1: barreiras para coberturas com elementos descontínuos. Norma de produto Caldeiras de aquecimento central que utilizam combustíveis gasosos. Membranas betuminosas usadas como barreiras ao vapor de água. Prelajes para pavimentos Ladrilhos hidráulicos. Pavimentos em betão. Determinação da resistência à fissuração do suporte.Parte 2: Requisitos específicos e métodos de ensaio Qualidade do ar ambiente. Parte 3: Métodos de ensaio para a determinação da espessura de um pavimento de betão a partir de carotes. Membranas de impermeabilização flexíveis. Definições e características. Parte 2: requisitos funcionais para pavimentos em betão. uso e manutenção. Produtos prefabricados de betão. Tendas. . Cimento: Composiçao especificaçoes e criterios de conformidade para cimentos Membranas de impermeabilização flexíveis. Parte 3: especificações para varões de transferência utilizados nos pavimentos em betão. Avaliação do ciclo de vida. Determinação da concentração de dióxido de carbono agressivo da água. Amostradores por difusão para a determinação de concentrações de gases e vapores. Requisitos e métodos de ensaio . Pavimentos em betão.. Determinação da concentração mássica de compostos orgânicos gasosos individuais. Membranas de impermeabilização flexíveis.

última e residual) de vigas reforçadas com fibras. Métodos de ensaio. Determinação da velocidade de propagação do som Métodos de ensaio para pedra natural. revestimentos exteriores e interiores. Gestão e controlo das operações de limpeza de ramais de ligação e de colectores. Pedra aglomerada. Métodos de ensaio de fibras no betão. especificações e critérios de conformidade. Definições. Parte 5: Determinação da resistência ao gelo e degelo. Parte 1: Definições. Procedimentos para avaliação do desempenho a longo prazo. Betão projectado. Parte 16: Determinação das dimensões. Pedra aglomerada. Parte 1: Amostragem do betão fresco e endurecido. Parte 1: limpeza de colectores. Determinação do coeficiente de dilatação linear térmica Pedra aglomerada. Parte 12: Determinação da estabilidade dimensional. Atmosferas dos locais de trabalho Doseamento das partículas emitidas por motores diesel Métodos de ensaio para pedra natural. das características geométricas e da qualidade da superfície de ladrilhos modulares. Chaminés. Resistência ao escorregamento Contadores de gás domésticos ultrasónicos. Determinação do módulo de elasticidade estástico Métodos de ensaio para pedra natural. Ensaios físico-mecânicos. Ensaios do betão projectado. Métodos de ensaio. Lavabos colectivos. Ensaios do betão projectado. Parte 9: Determinação da resistência ao impacto. Parte 13: Determinação da resistividade eléctrica. Requisitos e métodos de ensaio. Especificação de produto e requisitos.Métodos de ensaio para pedra natural. Banheiras para usos domésticos Bases de chuveiro para usos domésticos. Parte 15: Determinação da resistência à compressão. Membranas de impermeabilização flexíveis. Hidrantes de incêndio enterrados. Pedra aglomerada. Método de ensaio Chapas metálicas autoportantes para coberturas. Impermeabilização de tabuleiros de pontes de betão e de outras superfícies de betão transitáveis por veículos. Parte 5: Determinação da capacidade de absorção de energia de provetes de lages reforçadas com fibras. Pedra aglomerada. Métodos de ensaio. Parte 1: Betões de referência. . Ensaios do betão projectado. Couro. Pedra aglomerada. Métodos de ensaio. Parte 11: Determinação do coeficiente de dilatação térmica linear. Pavimentos e revestimentos cerâmicos Pavimentos e revestimentos cerâmicos. Parte 6: Espessura de betão sobre um substrato. Métodos de ensaio. Pedra aglomerada. Determinação da resistência à compactação de uma camada de betão asfáltico. Especificação de produto e requisitos Chapas e bandas metálicas totalmente apoiadas para cobertura. Parte 7: Dosagem de fibras no betão reforçado com fibras. Determinação da compatibilidade de uma membrana de betume-polímero durante a aplicação da massa asfáltica Membranas de impermeabilização flexíveis Impermeabilização de tabuleiros de pontes de betão e de outras superfícies de betão transitáveis por veículos. Determinação da resistência à propagação horizontal de chama. Determinação da resistência à pressão dinâmica da água. Métodos de ensaio. após degradação por prétratamento. Escadas. especificações e conformidade. Métodos de ensaio. Janelas e portas. Métodos de ensaio. Ensaios do betão projectado. revestimentos exteriores e divisórias interiores. Determinação da compatibilidade por envelhecimento térmico. Pedra aglomerada. Ensaios de betão projectado. Membranas de impermeabilização flexíveis Impermeabilização de tabuleiros de pontes de betão e de outras superfícies de betão transitáveis por veículos. Requisitos funcionais e métodos de ensaio. Aparelhos de protecção respiratória Dispositivos de redução do ruído de tráfego rodoviário. Requisitos gerais dos componentes utilizados sem recurso a abertura de vala de ramais de ligação e colectores de águas residuais. Pedra aglomerada. Betão projectado. classificação. características de desempenho Parte 1: Janelas e portas pedonais exteriores sem características de resistência ao fogo e/ou de estanquidade ao fumo. Parte 6: Determinação da resistência ao choque térmico. Pedra aglomerada. Pedra aglomerada. Parte 8: Determinação da resistência às ancoragens (nos orifícios para cavilhas). Membranas de impermeabilização flexíveis. Parte 2: Determinação da resistência à flexão (encurvamento). Cimento de aluminato de cálcio. Parte 1: Determinação da massa volúmica aparente e da absorção de água. Parte 4: Determinação da resistência ao desgaste. Norma de produto. características e marcação. Composição. Métodos de ensaio. Bidés. Métodos de ensaio. Produtos prefabricados de betão. Métodos de ensaio. Requisitos funcionais e métodos de ensaio. Parte 3: Resistência à flexão (máxima. Parte 2: Características não-acústicas. Parte 4: Resistência de aderência em carotes à tracção simples. Parte 10: Determinação da resistência a agentes químicos. Determinação da carência de cloro. Métodos de ensaio. Parte 2: Resistência à compressão do betão projectado jovem. Ensaios do betão projectado. Parte 2: Execução. Impermeabilização de tabuleiros de pontes de betão e de outras superfícies de betão transitáveis por veículos. Sistemas de chaminés com fugas em plástico. Aparelhos sanitários. Pedra aglomerada. Ensaios do betão projectado. Pedra aglomerada. Resguardos de chuveiro. Métodos de ensaio. Influência dos materiais orgânicos na água destinada ao consumo humano.

Chapas e produtos à medida para tampos de bancadas de casas de banho e de cozinhas. Definições. Grandezas preferenciais de referência para os níveis sonoros (ISO 1683:1983). Definições e características.0%. Parte 2: Fibras poliméricas. Produtos prefabricados de betão. Pedra aglomerada. especificações e critérios de conformidade. especificações e critérios de conformidade. Parte 1: Generalidades e definições Gestão da qualidade e elementos do sistema da qualidade.Categoria C . Elementos de fundação. Hidrocarbonetos halogenados. Influência dos produtos cimentícios na água destinada a consumo humano. Ensaio de propagação vertical de chama em feixes de condutores ou cabos montados verticalmente. Clarabóias contínuas em plástico com ou sem esquadria. Dióxiodo de carbono (ISO 5923:1989). Elementos de parede. Fibras para betão. especificações e conformidade. Membranas de impermeabilização flexíveis. Agentes extintores. Determinação da resistência ao escoamento de ar.. Sistemas de tubagens de plástico. Determinação de silício total... Ensaio de propagação vertical de chama em feixes de condutores ou cabos montados verticalmente. Acústica . Definição. Métodos de ensaio. Ensaio de propagação vertical de chama em feixes de condutores ou cabos montados verticalmente. Qualidade da agua Segurança contra incêndio.. Aços e ferros fundidos Determinação do teor de cobre em aços e ferros fundidos. acessórios e suas uniões. Parte 1: Especificações para halons 1211 e 1301 (ISO 7201-1:1989). argamassa e caldas de injecção Parte 2: Avaliação da conformidade. Parte 1: Aparelhagem Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo. argamassa e caldas de injecção Parte 1: Definições.Métodos de ensaio de fibras no betão. Produtos prefabricados de betão. Audiometria tonal liminar por condução aérea para efeitos de preservação da audição (ISO 6189:1983).. requisitos e método de ensaio Placas subtelha rígidas para coberturas descontínuas. Método espectrométrico de absorção molecular (complexo silicomolibdato reduzido). Materiais para aplicações acústicas. Qualidade da agua Qualidade da agua Segurança contra incêndio. verificação e aplicaçao de dados de exactidão Acústica. Acústica .. especificações e conformidade.. Produtos prefabricados de betão. Segurança contra incêndio. Parte 2-2: Procedimentos .Categoria A F/R Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo. Pedra aglomerada. especificações e critérios de conformidade. Hidrocarbonetos halogenados. Parte 2: Fibras de aço. Bandas betuminosas contra a ascensão capilar em paredes. Determinação da resistência ao blocking (ISO 5978:1990). Classificação. Fibras para betão. Parte 2: Influência sobre a resistência.Edificios Acústica. Sistemas de protecção contra as explosões Sistemas de protecção contra as explosões Sistemas de protecção contra as explosões Sistemas de protecção contra as explosões Acústica. Tecidos revestidos a plástico ou borracha. Parte 2-1: Procedimentos . Parte 2-4: Procedimentos . Ensaio de propagação vertical de chama em feixes de condutores ou cabos montados verticalmente. Têxteis. Parte 1: Teor de silício entre 0. Sistemas de descarga de esgoto e águas residuais no interior da estrutura de edifícios. Características de desempenho para tubos.Medição do isolamento sonoro de edifícios e de elementos de construção: Parte 2: Determinação. (ISO 9053:1991) Qualidade da agua Requisitos de garantia da qualidade para o equipamento Normalização e actividades correlacionadas Aplicaçoes ferroviárias. Pavimentos com vigotas e blocos de cofragem. Elementos de pontes Válvulas de segurança para a ligação de aparelhos de uso doméstico que utilizam combustíveis gasosos e alimentados por tubos metálicos ondulados. Calibração Acústica. Agentes extintores.05 e 1. Definições e características. Parte 2: Especificações para a manipulação de segurança e métodos de trasfega (ISO 7201-2:1991). Composição. Ladrilhos modulares para pavimentos e degraus (interiores e exteriores) Ligante hidráulico para aplicações não estruturais. Parte 1: Vigotas Produtos prefabricados de betão. Ensaio de propagação vertical de chama em feixes de condutores ou cabos montados verticalmente. Escória granulada de alto forno moída para betão. Parte 2: Linhas de orientação para serviços (ISO 9004-2:1991 Acústica. Aços e ferros fundidos. Métodos estatísticos para determinação e controlo dos valores declarados de emissão sonora das máquinas e equipamentos.. Errata (Maio 2006) Aquecedores de água eléctricos instantâneos fechados Métodos de medição da aptidão ao uso Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo.. Parte 1: Influência dos produtos cimentícios de fabrico industrial nos parâmetros organolépticos Elementos de cobertura. Definições. Cimento supersulfatado.Edificios Acústica. Escória granulada de alto forno moída para betão. Parte 2-3: Procedimentos .Categoria A Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo.Categoria B Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo. Agentes extintores.

(IEC 61034-1:2005) Medição da densidade dos fumos libertados pelos cabos queimados em condições definidas. Ensaios aos gases resultantes da combustão dos materiais dos cabos. Secção 3: Luminárias para iluminação pública Medição da densidade dos fumos libertados pelos cabos queimados em condições definidas. Segurança. (IEC 61034-2:2005) Condensadores para uso em circuitos com lâmpadas tubulares fluorescentes e outras lâmpadas de descarga. Aparelhos electrodomésticos e análogos. Aparelhos electrodomésticos e análogos. Protecção contra choques eléctricos. Ensaios aos gases resultantes da combustão dos materiais dos cabos. os climatizadores e os desumidificadores (IEC 60335-2-40:2002. Parte 2-1: ensaio de propagação vertical da chama sobre condutor ou cabo isolado de pequena secção – aparelhagem de ensaio. Parte 2-5: Procedimentos . Parte 2-53: Requisitos particulares para os aparelhos de aquecimento de sauna.Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo. Parte 2-105 Aparelhos electrodomésticos e análogos. Segurança Parte 2-51: Requisitos particulares para as bombas de circulação fixas para instalações de aquecimento e de distribuição de água. Parte 2-103: Regras particulares para os sistemas accionadores de portões. Aparelhos electrodomésticos e análogos. Parte 2-51 Aparelhos electrodomésticos e análogos Segurança. Influência dos materiais na água destinada a consumo humano. (IEC 60332-2-1:2004) Ensaios a cabos eléctricos e fibras ópticas submetidas ao fogo. modificada). Parte 2-73 Aparelhos electrodomésticos e análogos Segurança. modificada + A1:2004 + A2:2008). modificada + A1:2005. Aparelhos electrodomésticos e análogos Segurança. (IEC 60332-1-3:2004) Aparelhos electrodomésticos e análogos Segurança. modificada + A2:2005. Parte 2-2: ensaio de propagação vertical da chama sobre condutor ou cabo isolado de pequena secção – procedimento para uma chama difusa. adjuvantes para caldas de injecção para baínhas de pré-esforço Parte 4: Definições. : Parte 2-88 Aparelhos electrodomésticos e análogos Segurança.Determinação do grau de acidez dos gases dos cabos através do valor médio ponderado de pH e da condutividade Ensaios a cabos eléctricos e fibras ópticas submetidas ao fogo. controlo da conformidade e avaliação da conformidade. (IEC 60332-1-1:2004) Ensaios a cabos eléctricos e fibras ópticas submetidas ao fogo. Parte 2-40: Regras particulares para as bombas de calor eléctricas. Parte 3: Método de ensaio para resinas de permuta iónica e resinas de adsorção. Aspectos comuns para instalações e equipamentos. modificada). Influência devido à migração. Aparelhos electrodomésticos e análogos. requisitos. portas e janelas (IEC 60335-2-103:2002). Segurança. Fuga do sifão traseiro e falha das mangueiras de acoplamento Adjuvantes para betão. Parte 2-21 Aparelhos electrodomésticos e análogos Segurança.Categoria D Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo. Parte 1: aparelhagem de ensaio. Parte 1-3: ensaio de propagação vertical da chama sobre condutor ou cabo isolado – procedimento para a determinação de partículas/gotas inflamáveis. Parte 1-2: ensaio de propagação vertical da chama sobre condutor ou cabo isolado – procedimento para uma chama composta de 1 kW. (IEC 60332-2-2:2004) Ensaios a cabos eléctricos e fibras ópticas submetidas ao fogo.Determinação do grau de acidez dos gases dos materiais por medição do pH e da condutividade Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo.Parte 2-97 Aparelhos electrodomésticos e análogos. Parte 2-53 Aparelhos electrodomésticos e análogos Segurança. Ensaio de propagação vertical de chama em feixes de condutores ou cabos montados verticalmente. Ensaios aos gases resultantes da combustão dos materiais dos cabos. marcação e rotulagem. Parte 2-83 Aparelhos electrodomésticos e análogos. argamassa e caldas de injecção Parte 6: Amostragem. Parte 2-21: Requisitos particulares para os termoacumuladores (IEC 60335-2-21:2002. Parte 1: Aparelhagem Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo. Parte 2-73: Requisitos particulares para os aquecedores de imersão fixos. Parte 2-1: Procedimentos . Segurança. modificada). modificada Luminárias. Segurança. Segurança. conformidade. Parte 2: Regras particulares. Adjuvantes para betão. Segurança. Cerramento de vãos. Parte 2-84 Aparelhos electrodomésticos e análogos Segurança. Parte 1-1: ensaio de propagação vertical da chama sobre condutor ou cabo isolado – aparelhagem de ensaio. Ensaios aos gases resultantes da combustão dos materiais dos cabos. Parte 2-2: Procedimentos .Determinação da quantidade de gases ácidos halogenados. Parte 2-35 Métodos de medição da aptidão ao uso dos termoacumuladores para usos domésticos Medição do nível da potência sonora emitida pelos transformadores e pelas bobinas de indutância (IEC 551:1987. (IEC 60332-1-2:2004) Ensaios a cabos eléctricos e fibras ópticas submetidas ao fogo. Segurança. os climatizadores e os desumidificadores (IEC 60335-2-40:2002. Aparelhos eléctricos ligados à alimentação de água. Parte 2-40: Requisitos particulares para as bombas de calor eléctricas. Prescrições de desempenho (IEC 1049:1991 + Errata 1992. Parte 2: procedimento de ensaio e requisitos. Parte 2-30 Aparelhos electrodomésticos e análogos Segurança. Métodos de ensaio comuns para cabos submetidos ao fogo. Parte 2-3: Procedimentos . Requisitos de desempenho incluindo os de segurança. Aparelhos electrodomésticos e análogos. modificada + A1:2005. . Aparelhos electrodomésticos e análogos. argamassa e caldas de injecçãoa.

Parte 1: Betão de referência e argamassa de referência para ensaio. Atmosferas dos locais de trabalho. betão com fibras de aço e betão armado. Parte 28: preparação das amostras para determinação da percentagem de ligante. Símbolos. Aplicações ferroviárias. Parte 13: Argamassa de alvenaria de referência para o ensaio de adjuvantes para argamassa. Estacas de fundação. Ensaios das propriedades mecânicas e físicas dos agregados. Torneiras sanitárias. Chaminés. Parte 1: Definições. Caixas fechadas enterradas (box culverts) Torneiras sanitárias.Travessas de betão.Travessas de betão. Parte 5: Ensaio de pozolanicidade dos cimentos pozolânicos.Chaminés. especificações e critérios de conformidade. Sistemas de tubagens de plástico. Tipo B. Torneiras simples e misturadoras para os sistemas de alimentação de água dos tipos 1 e 2. Parte 2 : Lintéis. polipropileno (PP) e polietileno (PE). terminologia e simbologia gráfica. do teor de água e da granulometria. Parte 3: Travessas bi-bloco de betão armado. sem pressão. Parte 1: Teor de ligante betuminoso solúvel. Requisitos e métodos de ensaio. Métodos de ensaio. Parte 1: Requisitos para garagens de betão armado. Ensaios das propriedades químicas dos agregados. Adjuvantes para betão. Métodos de ensaio para misturas betuminosas a quente. Misturas betuminosas. Parte 3: Determinação da forma das partículas. Via . Misturas betuminosas. Garagens prefabricadas de betão. Via . Parte 1: Requisitos para selantes aplicados a quente. Requisitos e métodos de ensaio. monolíticas ou compostas por elementos individuais com a dimensão de uma garagem. Ensaios das propriedades térmicas e de meteorização dos agregados. Agregados leves. Especificações técnicas gerais. Parte 3: Especificações para os tubos e acessórios com superfície interior lisa e superfície exterior perfilada e o sistema.Travessas de betão. Aplicações ferroviárias. Parte 1: Composição. Parte 2: Métodos de ensaio. Métodos de ensaio de cimentos. . Métodos de ensaio. Sistemas de tubagens de parede estruturada de poli(cloreto de vinilo) não plastificado (PVC-U). Parte 6: Determinação da influência do extracto de agregados reciclados no tempo de início de presa do cimento. Válvulas de fecho automático PN 10. Produtos prefabricados de betão. Câmaras de visita e câmaras de ramal de betão não armado. Cal de construção. Ventilação de edifícios. Parte 4: Travessas de betão pré-esforçado para aparelhos de via. Chuveiros para torneiras sanitárias para os sistemas de alimentação de água dos tipos 1 e 2. Métodos de ensaio. para drenagem e saneamento. Execução de estruturas de betão. Cal de construção. Índice de achatamento. Parte 2: Travessas monobloco de betão pré-esforçado. Parte 5: Elementos especiais. Agregados para materiais não ligados ou tratados com ligantes hidráulicos utilizados em trabalhos de engenharia civil e na construção rodoviária Especificações para rebocos exteriores e interiores com base em ligantes orgânicos.Travessas de betão. Produtos prefabricados de betão. Via . Adjuvantes para betão. Parte 1: Betão betuminoso. Especificações dos materiais. Via . Parte 3: Avaliação da conformidade. argamassa e caldas de injecção. Características superficiais de pavimentos de estradas e de aeroportos. Aplicações ferroviárias. Parte 5: Determinação do teor de água por secagem em estufa ventilada. Parte 3: Ensaio de ebulição para basaltos "Sonnenbrand". Produtos de selagem para juntas. Aplicações ferroviárias. Parte 2: Condutas de fumos e de fornecimento de ar para aparelhos estanques. Especificações para componentes auxiliares de alvenaria. argamassa e caldas de injecção. Aplicações ferroviárias. Especificações técnicas gerais. Requisitos e métodos de ensaio. Parte 5: Determinação de sais de cloreto solúveis em ácido. Via . Misturas betuminosas. Parte 2: Agregados leves para misturas betuminosas e tratamentos superficiais e para aplicações em camadas de materiais não ligados ou tratados com ligantes hidráulicos. Ensaios das propriedades geométricas dos agregados. Procedimentos para medição de gases e vapores utilizando bombas de amostragem. Atmosferas dos locais de trabalho. Atmosferas dos locais de trabalho. Requisitos e métodos de ensaio para chaminés metálicas e condutas de fornecimento de ar de todos os materiais para aparelhos de aquecimento estanques. Requisitos e métodos de ensaio. Cal de construção. Produtos prefabricados de betão. Parte 1: Requisitos gerais. Parte 7: Medição da irregularidade das camadas do pavimento: ensaio com régua. Ensaios das propriedades químicas dos agregados. Sistemas de medição por tubo detector de curta duração.Travessas de betão. enterrados. Requisitos e métodos de ensaio para chaminés metálicas e condutas de fornecimento de ar de todos os materiais para aparelhos de aquecimento estanques. Cimento de alvenaria . especificações e critérios de conformidade. Exposição no local de trabalho. Bombas para amostragem pessoal de agentes químicos. Métodos de ensaio para misturas betuminosas a quente. Bombas para amostragem individual dos agentes químicos de caudal volúmico superior a 5 L/min. Torneiras sanitárias. Parte 1: Terminais verticais ar/fumos para aparelhos do tipo C6.

. Método padrão gravimétrico de medição para a determinação da fracção PM2. Torneiras sanitárias. Especificações para betumes duros de pavimentação. Sistemas de chaminés com fugas interiores em terracota/cerâmica. Especificações dos materiais. Métodos de ensaio.Qualidade do ar ambiente. Ensaios. Betumes e ligantes betuminosos. inspecção e marcação de cisternas metálicas. Especificações para betumes de pavimentação. Misturas betuminosas. Betumes e ligantes betuminosos. Parte 1: Medição da profundidade da macrotextura da superfície do pavimento através da técnica volumétrica da mancha.5 das partículas em suspensão Cisternas destinadas ao transporte de mercadorias perigosas. Especificações técnicas gerais Características superficiais de pavimentos de estradas e de aeroportos. Parte 3: Requisitos e métodos de ensaio para sistemas de chaminés com mistura de ar. Tubos flexíveis para chuveiros de torneiras sanitárias para os sistemas de alimentação de água dos tipos 1 e 2. Chaminés. Parte 8: Misturas betuminosas recuperadas.

Form ato PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF Papel Lab. Solos PDF Papel Lab. Solos PDF .

Solos PDF PDF PDF CT 12 .PDF PDF PDF PDF PDF Papel Lab. Solos PDF Papel Lab. Solos PDF Papel Lab.

PDF PDF PDF - PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF

PDF

PDF

PDF PDF PDF PDF PDF PDF

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF

PDF

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF

PDF PDF PDF

PDF

PDF PDF PDF PDF PDF

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF

PDF PDF PDF

PDF

PDF PDF PDF PDF

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

01 X09 X11 X12 Z01 Z02 1 4 4 5 5 6 6 7 8 7: 2008 Errata 1 4 17 1997 1997 1997 1997 2002 1996 1997 1997 1997 1997 1997 1997 1997 1997 1997 1997 1996 1997 1997 2001 2000 2009 2000 2009 2000 2000 2008 2008 NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISSO 140 389 683 2010 2000 2002 2009 2009 1999 2000 717 1 717 2 1127 1421 1452 1452 1 2 2010 2011 .NORMAS NP EN ISO EXISTENTES Categoria Numero Parte Ano NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 105 140 140 140 140 140 140 140 140 140 E01 E02 X10 B05 B08 D02 E03 E04 E08 E10 E11 E13 E14 G.

NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISSO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO/IEC NP EN ISO 1973 2060 2061 2062 2505 3104 3105 3696 3771 4043 4674 4957 5079 6330 6506 2 7500 1 8498 8499 8662 7 8662 8 8662 10 9000 1 9000 9000 9001 2008/AC 9001 9001 9001 9004 1 9004 9237 9963 1 10012 10015 10113 10370 10473 10545 1-Errata 10819 11204 11469 11688 1 12185 (Errata) 12185 12944 5 13428 2 1997 1996 1997 1997 2006 1999 2001 2000 1999 2000 2000 2002 1997 2002 2011 2006 1999 1999 2001 2001 2000 1995 2000 2005 2010 1995 2000 2008 1995 2000 1997 2000 2005 2002 1999 2001 2010 2001 2001 1999 2002 2000 2002 2002 1999 2007 .

NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO 13479 13783 13783 13792 13844 13845 13846 14001 2004/AC 14001 14001 14001 14010 14011 14012 14020 14024 14031 14040 14040 14044 14184 2 14956 15025 15874 15874 15874 15875 15875 15875 2002 2002 2002 2007 2002 2002 2002 2010 1999 2004 2004 2000 2000 2000 2005 2006 2005 2005 2008 2010 2000 2006 2009 2005 2005 2005 2005 2005 2005 1 2 5 1 2 5 NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO/IEC NP EN ISO/IEC NP EN ISO/IEC NP EN ISO/IEC NP EN ISO NP EN ISO/IEC NP EN ISO/IEC NP EN ISO/IEC NP EN ISO/IEC NP EN ISO/IEC NP EN ISO 16017 16017 16032 17000 17011 17011 17020 17021 17025 17025 17025 17050 17050 19011 1 2 2009 2006 2009 2005 2006 2006 2006 2006 2007 2000 2005 2006 2006 2003 AC 1 2 .

NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO NP EN ISO 21003 21003 21003 22391 9004 3382 9004 12944 1 2 5 1 2009 2010 2010 2010 2011 2 2011 2011 5 2011 NP EN ISO NP EN ISO 1452 22391 5 2 2011 2011 NP EN ISO 4:2009 140 Errata 1 5:2009 140 Errata 1 7:2008 140 Errata 2 13473 1 2011 NP EN ISO 2011 NP EN ISO NP EN ISO 2011 2011 .

Medição do isolamento sonoro de edifícios e de elementos de construção. Medição do isolamento sonoro de edifícios e de elementos de construção. Parte 8: medição em laboratório da redução de transmissão sonora de revestimento de piso em pavimento normalizado. Determinação da resistência à tracção e do alongamento à ruptura (ISO 1421:1998). com pressão. Parte 5: Medição in situ do isolamento sonoro a sons aéreos de fachadas e de elementos de fachada (ISO 140-5:1998). Medição do isolamento sonoro de edifícios e de elementos de construção. Sistemas de tubagens de plástico para abastecimento de água. Dimensões. para drenagem e saneamento. enterrado ou aéreo. com pressão.. Acustica Acustica Acústica Medição do isolamento sonoro de edifícios e de elementos de construção. Parte 1: Isolamento sonoro a sons de condução aérea (ISO 717-1:1996 + A1:2006. Acústica. Acustica Acústica. Determinação do isolamento sonoro em edifícios e de elementos de construção. . Parte 1: Generalidades. Acustica Aços para tratamento térmico. Parte 4: Medição in situ do isolamento sonoro a sons aéreos entre compartimentos (ISO 140-4:1998). para drenagem e saneamento. Parte 7: Medição in situ. Determinação do isolamento sonoro em edifícios e de elementos de construção. Parte 2: Isolamento sonoro a sons de percussão Tubos de aço inoxidável. aços ligados. do isolamento sonoro de pavimentos a sons de percussão Acústica. Policloreto de vinilo não plastificado (PVC-U). in situ.NORMAS NP EN ISO EXISTENTES Titulo Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Texteis Acustica Acustica Acústica. Parte 2: Tubos (ISO 1452-2:2009).. enterrado e aéreo. do isolamento sonoro de pavimentos a sons de percussão. Medição do isolamento sonoro de edifícios e de elementos de construção. Sistemas de tubagens de plástico para abastecimento de água. Policloreto de vinilo não plastificado (PVC-U). Tecidos revestidos a borracha ou plástico. tolerâncias e massas convencionais por unidade de comprimento (ISO 1127:1992). Acústica. Parte 7: Medição. Acústica.

Método de Materiais plásticos Acustica Petróleos brutos e produtos petroliferos Errata... Parte 2: Verificação e calibração das máquinas de ensaio (ISO 6506-2: 2005). Materiais metalicos..Fibras têxteis. Qualidade da agua Sistemas de gestão da medição Gestao da qualidade Linhas de orientação para auditorias de gestão da . Determinação da força de rotura e alongamento de rotura de fibras individuais (ISO 5079:1995 Texteis Materiais metálicos. Determinação da massa linear (massa por unidade de comprimento). Determinação da viscosidade cinemática e cálculo da viscosidade dinâmica (ISO 3104:1994). Fibras. Determinação da resistência ao rasgo. Requisitos. Verificaçao de maquinas de ensaios estaticos uniaxiais Tecidos Tecidos Ferramentas motorizadas. Produtos petroliferos Cabines moveis Tecidos revestidos a borracha ou plástico. Líquidos transparentes e opacos.. Deformação longitudinal. Linhas de orientação para melhoria de desempenho (ISO 9004:2000). Medição dos níveis de pressão sonora de emissão nos postos de trabalho e noutras posições especificadas. Determinação da densidade linear. Requisitos. Método da meada (ISO 2060:1994). Método e parâmetros de ensaio Produtos petrolíferos. Ensaio de dureza Brinell. Determinação da resistência à tracção e do alongamento à ruptura (ISO 1421:1998).(ISO 9001: 2008/Cor 1: 2009) Sistemas da qualidade Sistemas de gestao de qualidade.. Normas para gestao de qualidade Sistemas de gestao da qualidade Sistemas de gestao de qualidade Sistemas de gestão da qualidade. Tubos termoplásticos. Têxteis. Protecção anticorrosiva de estruturas de aço por esquemas de pintura Geossintéticos Determinação da eficácia de protecção de um geossintético contra danos por impacto . Fios sob a forma de enrolamento. Método gravimétrico e método do vibroscópio (ISO 1973:1995). Têxteis. Método de contagem directo (ISO 2061:1995). Viscosimetros cinematicos capilares Tecidos revestidos a borracha ou plástico. Método por absorção de radiação beta. Pavimentos e revestimentos cerâmicos Vibraçoes e choques mecânicos Acústica.. Determinação da torção de fios. Gestao da qualidade Sistemas de gestão da qualidade. Anulada em 2009/04/03 e substituída pela EN NP ISO 9001:2008 Sistemas de gestão de qualidade. Têxteis. Medição da massa de partículas num filtro. Fios. Produtos petroliferos Ar ambiente. Parte 2: Método do pêndulo balístico (ISO 4674-2:1998). Ferramentas motorizadas. Determinação da permeabilidade dos tecidos ao ar (ISO 9237:1995). Têxteis. Ruído emitido por máquinas e equipamentos.. Determinação da força de rotura e alongamento de rotura (ISO 2062:1993). Ferramentas motorizadas.. Requisitos. Petróleos brutos Tintas e vernizes. Aços para ferramentas Têxteis.

Método de ensaio para a propagação de chama limitada Sistemas de tubagens de plastico para instalações Sistemas de tubagens de plástico para inst. avaliação da conformidade de um procedimento de medição por comparação com uma incerteza de medição requerida Vestuário de protecção.2006 Linhas de orientação para auditorias de gestão da .. Gestão ambiental. De tubagens em plastico . Parte 2: Tubos (ISO 15875-2:2003).Tubos em poliolefinas para o transporte de fluidos Sistemas de tubagens em plástico Sistemas de tubagem em plastico Comportamento térmico de edifícios Cálculo das temperaturas interiores de uma divisão sem arrefecimento mecânico no VerãoMétodos simplificados Sistemas de tubagens em plastico Sistemas de tubagens em plastico. Polietileno reticulado (PE-X).. Requisitos para organismos que procedem à auditoria e certificação de sistemas de gestão Requisitos gerais de competência para laboratórios de ensaio e alibração Requisitos gerais de competência para laboratórios Requisitos gerais de competência para laboratórios Avaliação da conformidade.Avaliação do desempenho ambiental Gestao ambiental. ar ambiente e ar de locais de trabalho. Emenda 1 . Parte 2: Formaldeído libertado (método por absorção de vapor) (ISO 14184-2:1998). Linhas de orientação para auditorias de gestão da . Parte 1: Generalidades (ISO 15875-1:2003). Requisitos e linhas de orientação (ISO 14044:2006) Têxteis. Avaliação do ciclo de vida Gestão ambiental. Ar interior. Protecção contra o calor e a chama.. Avaliação do ciclo de vida.. Unioes e juntas com e Sistemas de gestão ambiental. Medição do nível de pressão sonora de equipamentos de serviço em edifícios. ar ambiente e ar nos locais de trabalho Acústica.. Avaliação do ciclo de vida. Qualidade do ar. De agua quente e fria . Parte 1: amostragem com bomba (ISO 16017-1:2000) Ar interior. Linhas de orientação para auditorias de gestão da . . Declaração de conformidade do fornecedor: Parte 1 Avaliação da conformidade. Determinação do formaldeído. Polipropileno (PP) Sistemas de tubagens de plastico para instalações de água Sistemas de tubagens de plástico para instalações de água quente e fria. Sistemas de tubagens de plástico para instalações de água quente e fria. Declaração de conformidade do fornecedor: Parte 2 . Requisitos gerais para organismos de acreditação que procedam à acreditaçaõ de organismos de avaliação conformidade Critérios gerais para o funcionamento de diferentes tipos de organismos de inspecção Avaliação da conformidade. Amostragem e análise de compostos orgânicos voláteis por tubos de adsorção/desadsorção térmica/cromatografia gasosa capilar. Princípios e enquadramento (ISO 14040:2006)..Documentação de suporte Linhas de orientação para auditorias de gestão da . Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização. (ISO 14001: 2004/Cor 1: 2009) Sistemas de gestão ambiental Sistemas de gestao ambiental Sistemas de gestao ambiental . Polietileno reticulado (PE-X).. Sistemas de tubagens de plástico para instalações de água quente e fria. Unioes por emboca Sist. A avaliaçao da conformidade Avaliação da conformidade. Polietileno reticulado (PE-X).. Método de Engenharia (ISO 16032:2004). Rótulos e declarações ambientais Rótulos e declarações ambientais Gestão ambiental. Requisitos gerais para organismos de acreditação que procedam à acreditaçaõ de organismos de avaliação conformidade Avaliação da conformidade.

Acústica. Acústica. . Uma abordagem da gestão da qualidade Acústica. Parte 4: Medição in situ do isolamento sonoro a sons aéreos entre compartimentos (ISO 140-4:1998). Polietileno de resistência melhorada à temperatura (PE-RT). Parte 5: Medição in situ do isolamento sonoro a sons aéreos de fachadas e de elementos de fachada (ISO 140-5:1998). Sistemas de tubagens de plástico para instalações de água quente e fria. Parte 1: Determinação da profundidade média do perfil (ISO 13473-1:1997). com pressão. Medição do isolamento sonoro de edifícios e de elementos de construção. Gestão do sucesso sustentado de uma organização. Parte 5: Esquemas de pintura (ISO 12944-5:2007). Medição de parâmetros de acústica de salas. Parte 1: Generalidades. Sistemas de tubagens de plástico para abastecimento de água para drenagem e saneamento. Tintas e vernizes. Parte 1: Generalidades Sistemas de tubagens multicamada para instalações de água quente e fria no interior de edifícios. Parte 5: Aptidão ao uso do sistema Sistemas de tubagens de plástico para instalações de água quente e fria. Medição do isolamento sonoro de edifícios e de elementos de construção. Parte 2: Tubos (ISO 22391-2:2009). Polietileno de resistência melhorada à temperatura (PE-RT). Protecção anticorrosiva de estruturas de aço por esquemas de pintura. Medição do isolamento sonoro de edifícios e de elementos de construção. Acústica. Gestão do sucesso sustentado de uma organização. Uma abordagem da gestão pela qualidade (ISO 2004:2009). Parte 4: Medição in situ do isolamento sonoro a sons aéreos entre compartimentos (ISO 140-4:1998).Sistemas de tubagens multicamada para instalações de água quente e fria no interior de edifícios. Parte 2: Tubos Sistemas de tubagens multicamada para instalações de água quente e fria no interior de edifícios. versão corrigida 2010-03-01). Caracterização da textura do pavimento a partir de perfis da superfície. Parte 2: Tempo de reverberação em salas correntes (ISO 3382-2:2008). Policloreto de vinilo não plastificado (PVC-U). enterrado e aéreo. Parte 5: Aptidão ao uso do sistema (ISO 1452-5:2009.

Formato PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

NORMAS PORTUGUESAS/EUROPEIAS EXISTENTES Categoria NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV NP ENV 1992 1993 Numero 206 342 343 635 1170 1401 1452 13670 13670 13670 13801 1317 1991 2-2 1992 1-1 1992 1-2 4 Parte Ano 1993 2001 2001 2002 2000 2002 2006 2005 2005 2007 2005 2007 2000 1998 2000 2000 4 8 3 6 1 1 1 4 1-1:Errata12003 1993 1-1 1993 1-2 1995 1-2 1996 1-1 1996 1-2 1997 1 1997 2 1998 1-1 1998 1-2 1998 1-3 1998 2000 2000 2000 2000 1999 2006 2000 2000 2002 2000 2007 1994 1-2 13670 1 E .

Parte 4: Classes de desempenho. Eurocódigo 8: Disposições para projecto de estruturas sismo-resistentes.1: Regras gerais e regras para edifícios. Verificação da resistência ao fogo.NORMAS PORTUGUESAS/EUROPEIAS EXISTENTES Titulo Betão Vestuario de protecçao Vestuario de protecçao Contraplacado Métodos de ensaio para Sistemas de tubagens em plástico enterrados para. Parte 1-2: Regras gerais. Eurocódigo 2: Projecto de estruturas de betão. Eurocódigo 2: Projecto de estruturas de betão. Eurocódigo 8: Disposições para projecto de estruturas sismo-resistentes. Execução de estruturas em betão. Parte 1-2: Regras gerais.1: Regras gerais e regras para edifícios. Verificação da resistência ao fogo. Acções em estruturas expostas ao fogo. Sistemas de tubagens de plástico para abastecimento de água …(PVC-U) Execução de estruturas em betão Execuçao de estruturas em betão .. Parte 4: Estruturas de reservatórios e de contenção. Errata Eurocódigo 3: Projecto de estruturas de aço. Eurocódigo 3: Projecto de estruturas de aço. Verificação da resistência ao fogo. Parte 1-1: Regras gerais Acções sísmicas e requisitos gerais para as estruturas. Parte 1-2: Regras gerais Regras gerais para edifícios. Parte 1-1: Regras gerais para edifícios. Eurocódigo 5: Projecto de estruturas de madeira.. Eurocódigo 4: Projecto de estruturas mistas aço-betão. Emenda 1 Execução de estruturas em betão Parte 1: Regras gerais Sistemas de tubagens em plástico para descarga e esgoto(temperatura baixa e elevada) Sistemas de retenção rodoviários. Parte 2: Projecto assistido por ensaios laboratoriais. Parte 1: Regras gerais. Eurocódigo 2: Projecto de estruturas de betão. Parte 1-2: Regras gerais. Parte 1-2: Regras gerais. Eurocódigo 6: Projecto de estruturas de alvenaria. Parte 1-3: Regras gerais Regras específicas para vários materiais e elementos. Parte 1-2: Regras gerais. Eurocódigo 8: Disposições para projecto de estruturas sismo-resistentes. Eurocódigo 7: Projecto geotécnico. Verificação da resistência ao fogo. Eurocódigo 3: Projecto de estruturas de aço. Parte 1. Eurocódigo 7: Projecto geotécnico. Verificação da resistência ao fogo. Parte 1. Parte 1. Emenda . critérios de aceitação dos ensaios de choque e métodos de ensaio para terminais e transições de barreiras de segurança Eurocódigo 1: Bases de Projecto e acções em estruturas. Parte 2-2: Acções em estruturas.1: Regras gerais e regras para edifícios. Eurocódigo 6: Projecto de estruturas de alvenaria. Regras para alvenaria armada e não armada.

Formato PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

NORMAS PORTUGUESAS / ISO EXISTENTES Categoria NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO NP ISO Numero 2603 3105 3771 4043 8498 8499 8662 10013 10015 10007 14050 10006 14015 10002 10019 10014 129 10001 22391 22391 6938 7769 11620 14063 14064 10005 8756 11222 13752 7168 14025 1996 1996 26000 1 Parte Ano 2000 2001 1999 2000 1999 1999 2000 1999 2002 2005 2006 2006 2006 2007 2007 2007 2007 2008 2008 2008 2002 10 1 1 2 2005 2008 2008 2007 2009 2009 2009 2009 2009 2011 2011 2011 2 1 2 .

Linhas de orientaçao para a gestao da configuraçao Gestao ambiental Sistemas de gestao de qualidade. medição e avaliação do ruído ambiente. Determinação da incerteza da média temporal das medições de qualidade do ar. de pressão e de humidade. Principios e procedimentos. Troca de dados. Linhas de orientação e exemplos (ISO 14063:2006). Qualidade do ar. Descrição de defeitos. Gestão ambiental. Gases com efeito de estufa. Satisfação dos clientes. Parte 2: Tubos Têxteis. Descrição dos defeitos. Parte 2: Determinação dos níveis de pressão sonora do ruído ambiente. Parte 2: Formato condensado de dados Rótulos e declarações ambientais. Satisfação do cliente .NORMAS PORTUGUESAS / ISO EXISTENTES Titulo Cabines de interpretaçao simultania Viscosímetros cinemáticos capilares de vidro. Linhas de orientação para a obtenção de benefícios financeiros e económicos Desenhos técnicos: indicação de cotas e tolerâncias Gestão da qualidade. Qualidade do ar. Características gerais e equipamento. Vocabulário. Declarações ambientais Tipo III. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das Sistemas de tubagens de plástico para instalações de água quente e fria . medição e avaliação do ruído ambiente. Tratamento de dados de temperatura. Indicadores de desempenho de bibliotecas Gestão ambiental. Parte 1: Especificações com linhas de orientação ao nível da organização para a quantificação e comunicação de emissão e remoção de gases com efeito de estufa (ISO 14064-1:2006).Parte 1: Generalidades Sistemas de tubagens de plástico para instalações de água quente e fria . Qualidade do ar. Polietileno de resistência melhorada à temperatura (PE-RT) . Acústica. Descrição. Polietileno de resistência melhorada à temperatura (PE-RT) . Linhas de orientação da responsabilidade social. Avaliação da incerteza do método de medição em ensaio de campo utilizando um segundo método de referência. Vocabulário Ferramentas motorizadas Linhas de orientaçao Gestão da Qualidade Sistemas de gestao de qualidade. . Especificações e instruções de operação.. Avaliação ambiental de sítios e organizações (AASO) Gestão da qualidade. Nomes genéricos e definições Têxteis. Método de avaliação do aspecto dos vincos após lavagem e secagem domésticas em artigos tratados com "prensagem permanente Informação e documentação. Linhas de orientação para tratamento Linhas de orientação para a selecção de consultores de sistemas de gestão da qualidade e para a utilização dos seus serviços Gestão da qualidade. Sistemas de gestão da qualidade Linhas de orientação para planos da qualidade Qualidade do ar. Fibras naturais. Tecidos. Viscosimetros cinematicos Cabinas móveis e interpretação simultânea. Linhas de orientaçao para a gestao da qualidade .. Tecidos de malha. Descrição. Parte 1: Grandezas fundamentais e métodos de avaliação Acústica. Comunicação ambiental.

Formato PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

pre NORMAS PORTUGUESAS EXISTENTES Categoria umero N prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNp prNP prNP prNP prNP prNP 1796 3000 3000 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 3003 4043 4057 4057 4182 4346 4352 4352 4354 4360 4365 4371 4376 4386 4410 4413 4422 4423 3 4 1 2 1 2 4 5 6 8 14 15 17 23 24 26 28 31 32 Parte Ano 2003 1985 1985 2003 2003 1998 2001 2001 2003 2003 1998 2003 1999 1999 2001 2003 1997 1998 1998 2002 1997 1997 1997 1997 1997 1997 1998 1998 1999 2002 2002 2002 2003 .

prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP prNP 4425 4425 4428 4433 4434 4435 4397 4463 4469 4483 1037 4491 4492 4469 4414 4501 4503 1800 4413 2 1 2 2003 2003 2003 2003 2004 2004 2000 2007 2007 2008 2008 2009 2009 2 2010 2002 2010 2011 2011 2011 .

Representaçao de dados Tecnologia da Informaçao Tecnologias da informaçao Tecnologias da informaçao Tecnologias da informaçao:Linguaagens de programaçao Tecnologias da informaçao:.pre NORMAS PORTUGUESAS EXISTENTES Titulo Segurança e saude no trabalho Garantia da qualidade Garantia da qualidade Tecnologias da informaçao: Organizaçao de dados Tecnologias da informaçao: .Bases de dados Tecnologia da Informaçao Tecnologias da informaçao: Fabrico integrado por compu Tecnologias da informaçao: Fabrico integrado por compu Tecnologias da informaçao: Fabrico integrado por compu Tecnologias da informaçao Tecnologias de informaçao: Correio electronico Qualidade da água Sistemas de tubagem em plastico Sistemas de tubagem em plastico Produtos Petroliferos Qualidade da água Explosivos Explosivos Qualidade da água Contadores de agua potavel Acustica Explosivos Qualidade da água Equipamentos de segurança Sistemas de gestao Segurança contra incendios Qualidade da água Acústica .

Requisitos para a prestação de serviços de manutenção.. Manutenção de extintores. Ventilação e evacuação dos produtos da combustão dos locais com aparelhos a gás. Características dimensionais e métodos de ensaio.Sistemas de tubagens em plastico. Requisitos para betumes com borracha reciclada de pneus usados Transporte público de passageiros.. Sistema de gestão da responsabilidade social. Vigotas para pavimentos de vigotas e blocos de cofragens Betume borracha. Parte 2: guia de orientação para a implementação. Fuga do sifão traseiro e falha das mangueiras de acoplamento Sistemas de gestão de manutenção. Segurança contra incêndio. Ventilaçao mecanica centralizada (VMC) de fluxo simples. Agentes extintores. Reutilização de águas residuais urbanas tratadas Cimentos Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Linhas de orientação sobre técnicas estatísticas para a ISO 9001 Aparelhos eléctricos ligados à alimentação de água.. Requisitos. Linhas de orientaçao para a documentaçao do sistema. – prNP1800 Segurança contra incêndios. Selecção segundo as classes de fogos.. –prNP4413 . Características e fornecimento do serviço.. Produtos prefabricados de betão.. Sistemas de tubagens em plastico Linhas de orientação para a gestão das questões. Linha de eléctricos urbanos. Guardas para edifícios.Parte 2: Edificios de habitação.

.

PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF PDF .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

DOCUMENTOS NORMATIVOS PORTUGUESES DNP CEN/TR 12566 2 2011 DNP CEN/TR 14740 DNP CEN/TR 196 2011 4 2011 .

Produção de ozono. Recomendações relativas às instalações e requisitos mínimos para condições de funcionamento Métodos de ensaio de cimentos.DOCUMENTOS NORMATIVOS PORTUGUESES Pequenas instalações de tratamento de águas residuais até 50 PTE Parte 2: Sistemas de infiltração no solo Produtos químicos utilizados no tratamento da água destinada a consumo humano. Parte 4: Determinação quantitativa dos constituintes .

PDF PDF PDF .