P. 1
Apostila do curso de substituiçao tributária

Apostila do curso de substituiçao tributária

|Views: 1.002|Likes:
Publicado porBruna Fernanda

More info:

Published by: Bruna Fernanda on Apr 12, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/08/2012

pdf

text

original

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Câmara de Pesquisa e Desenvolvimento Profissional
Home Page : www.crc.org.br E-mail : cursos@crcrj.org.br

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA – NORMAS GERAIS

Expositor:

Leandro Tavares

Rio de Janeiro Atualização: 10/09/2010

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS – NORMAS GERAIS

1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS.

Conforme prevê o art. 128 da Lei nº 5.172/66 - Código Tributário Nacional (CTN), a responsabilidade pelo pagamento do imposto pode ser atribuída a terceira pessoa vinculada ao fato gerador da respectiva obrigação tributária.

Dessa forma, o CTN permite que os Estados e o Distrito Federal excluam a responsabilidade pelo recolhimento do imposto do contribuinte e a transfira a outro contribuinte, instituindo, assim, o regime de substituição tributária do ICMS em relação às operações e prestações de serviços sujeitos a este imposto.

O presente curso visa apresentar aos participantes os aspectos gerais do regime de substituição tributária no Estado do Rio de Janeiro, com base no Livro II do Decreto nº 27.427/00 (RICMS-RJ) e alterações posteriores.

2. HISTÓRICO O referido instituto foi criado e implementado pelas Unidades da Federação antes do advento da atual Constituição Federal, por intermédio de legislação infraconstitucional, ou seja, de Convênios e Protocolos celebrados entre os secretários de fazenda estaduais. Durante muito tempo, a sua constitucionalidade e legitimidade foi argüida em juízo pelos contribuintes, sob a alegação de falta de previsão constitucional e de lei complementar para a sua implementação. Em face da eficiência desse instituto, uma vez que a sua aplicação fez diminuir a evasão fiscal e facilitou a fiscalização, a atual Constituição Federal, no seu artigo 150, parágrafo 7º, incorporou-o definitivamente e a Lei Complementar nº 87/96 veio a legitimá-la

3. CONCEITO O instituto da substituição tributária é amplamente utilizado pelos Estados e pelo Distrito Federal, e caracteriza-se pelo fato de a legislação atribuir a uma terceira pessoa, vinculada ao fato gerador do

2

ICMS, a responsabilidade pelo recolhimento do imposto que seria devido pelo contribuinte que deu saída à mercadoria naquele momento. A aplicação da substituição tributária não representa somente um recolhimento antecipado do imposto, vez que também altera o responsável pelo recolhimento do imposto. Ou seja, mesmo não tendo dado causa à ocorrência do fato gerador, o Fisco cobrará do responsável tributário o imposto que seria devido pelo contribuinte originário. Por isso, o contribuinte que fica responsável pelo imposto que seria devido por outro (substituto tributário), deve estar atento, sobretudo no que diz respeito aos momentos em que ficará responsável pelo recolhimento desse imposto, bem como em relação aos demais procedimentos contidos na legislação.

4. LEGISLAÇÃO PERTINENTE • • • • • • • • art. 150, § 7º da Constituição Federal/88; art. 128, Código Tributário Nacional (Lei nº. 5.172/66) Convênio ICMS 81/93 (Estatuto da Substituição Tributária) Ajuste SINIEF nº. 04/93 ( Normas Comuns para o cumprimento de Obrigações) Lei Complementar nº 87/96 Livro II, Decreto nº. 27.427/00 (Regulamento do ICMS do Rio de Janeiro) Resolução SER nº. 80/04 Resolução SER nº. 119/04

5. ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO

A substituição tributária das operações subseqüentes (substituição tributária “pra frente”), caracteriza-se pela cobrança antecipada do ICMS.

No regime de recolhimento normal do ICMS o contribuinte pratica o fato gerador do imposto, apura e recolhe o ICMS apenas das operações e/ou prestações que ele próprio realizar. Damos a essa sistemática o nome de Operação Própria.

Já no regime de Substituição Tributária, o Estado atribui a determinado contribuinte, a responsabilidade pela retenção e recolhimento do ICMS incidente nas operações que vierem a ser realizadas pelos

3

7 – SUJEIÇÃO PASSIVA Para melhor entendimento das normas pertinentes ao regime de substituição tributária se faz necessário tecermos comentários sobre a sujeição passiva da substituição tributária.1 – SUBSTITUTO TRIBUTÁRIO Denomina-se substituto tributário o contribuinte eleito como responsável pela retenção e recolhimento do ICMS. quem é considerado pelo regime como substituto tributário e substituído tributário 7. no qual o imposto é cobrado e abatido em várias etapas. por força de dispositivo legal. somente seria devido nas operações subseqüentes 6 – SISTEMA PLUTRIFÁSICO AO MONOFÁSICO A substituição tributária é um regime instituído no âmbito Estadual e/ou interestadual com a finalidade de simplificar a fiscalização do ICMS também conhecido como um tributo “plurifásico”. Nota-se que a aplicação do regime de substituição tributária implica na modificação de um sistema plurifásico. até que esta chegue ao consumidor final. ou seja. Nessa hipótese. além de recolher o ICMS da chamada Operação Própria reterá dos demais contribuintes o ICMS devido pelos fatos geradores que vierem a ocorrer. o contribuinte eleito como responsável. a determinado contribuinte do ICMS. Temos então que Substituição Tributária é a atribuição. a quem chamamos de Substituto Tributário. haja vista que sua incidência ocorre a cada saída de mercadoria do estabelecimento comercial até que encerre a cadeia de comercialização com a sua venda para o consumidor final que poderá ser contribuinte ou não.próximos contribuintes da cadeia de comercialização com a mesma mercadoria. para um sistema monofásico onde o imposto é cobrado em uma única etapa que é a saída do estabelecimento responsável pela retenção e recolhimento do imposto. da responsabilidade pela retenção e recolhimento do imposto que. 4 . regra geral.

mercadoria sujeita à substituição tributária.2 – SUBSTITUÍDO TRIBUTÁRIO É aquele que tem o imposto devido relativo às operações e prestações de serviços pago pelo contribuinte substituto. 38. de dentro ou de fora do Estado.3 – RESPONSÁVEL SOLIDÁRIO O contribuinte que receber. retenção e recolhimento do imposto incidente em operações subsequentes com a mesma mercadoria. 7. desde que não seja varejista. 8 . do Livro II.É o responsável pelo cálculo. fica solidariamente responsável pelo recolhimento do imposto que deveria ter sido retido. b) da saída subsequente por ele promovida.INAPLICABILIDADE DO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Existem situações em que o regime de substituição tributária não será aplicado. b) operação de transferência para outro estabelecimento do contribuinte substituto. 5 . 7. Na hipótese de responsabilidade tributária em relação às operações ou prestações antecedentes. são elas: a) operação que destine mercadoria ao contribuinte eleito como substituto tributário em relação à mesma mercadoria. hipótese em que a retenção e recolhimento ficarão sob a responsabilidade do estabelecimento que promover a saída das mercadorias recebidas em transferência. c) ocorrer qualquer saída ou evento que impossibilite a ocorrência do fato determinante do pagamento do imposto. sem que tenha sido feita a retenção total na operação anterior. ainda que isenta ou não-tributada. inclusive do valor decorrente da diferença entre as alíquotas interna e interestadual nas operações e prestações de destinem mercadorias e serviços a consumidor final. Tais situações estão relacionadas no art. o imposto devido pelas referidas operações ou prestações será pago pelo responsável quando: a) da entrada ou recebimento da mercadoria ou serviço. do RICMS-RJ.

2. 39. da NBM/SH. a sujeição ocorre. nas operações interestaduais. do art. ainda que por equiparação. do RICMS-RJ. 9 .842/2009). quanto às entradas para uso e consumo ou ativo imobilizado desde que o destinatário das mercadorias seja contribuinte do ICMS e nestes casos não incidirá na operação a margem presumida.º da cláusula primeira do Protocolo ICMS 41/2008 (Redação do art. também. pré-definida pelo Governo. partes e acessórios para veículos automotores de que trata os Anexos I e II deste Livro.HIPÓTESES DE APLICAÇÃO DO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA O regime da sujeição passiva por substituição tributária aplica-se nas operações internas e interestaduais em relação às operações subsequentes a serem realizadas pelos contribuintes substituídos. parágrafo 2º. exceto no caso de operação realizada com álcool para uso doméstico. 6 . 6º e 9º. nos termos do § 6. 29. farmacêutico ou industrial.22. (Arts.07. do Livro II.1 – OPERAÇÕES INTERNAS A lei estadual pode atribuir a contribuinte do ICMS ou a depositário a qualquer título a responsabilidade pela retenção e recolhimento por antecipação. posição . hipótese em que esse contribuinte assumirá a condição de substituto tributário. c) operação que destinar mercadoria para utilização em processo de industrialização.Aplica-se a substituição tributária na hipótese de remessa de mercadoria a outro estabelecimento do mesmo titular em operações internas e interestaduais com peças. exceto se o destinatário for estabelecimento industrial. hipótese em que poderá ser adotada a regra do § 2º.764/97). da Lei Complementar nº 87/96) 9. na base de cálculo do regime da ST. em relação a algumas mercadorias.º 41. A remessa de mercadoria submetida ao regime de substituição tributária para outro sujeito passivo por substituição somente dispensa o contribuinte substituto originário de fazer a retenção do imposto na hipótese de o destinatário ser contribuinte substituto de produto da mesma marca e com características idênticas ao produto remetido (Resolução SEF nº. acrescentada pelo Decreto n. Ressalte-se que.

Constituição Federal/88 A atribuição de responsabilidade dar-se-á em relação a mercadorias previstas em lei de cada Estado. § 7 º. Contudo. Esses acordos são denominados Convênios e Protocolos (item 4) . além do disposto em legislação complementar como é o caso da Resolução SER 80/04 (regulamenta e estabelece prazo de recolhimento do ICMS/ST pelo adquirente) e Resolução SER nº. 5. 27. 7 .482/09.427/00. no Livro II e IV. 9. no Regulamento do ICMS.171/07. procedimentos e demais aspectos relacionados ao referido regime.2 – OPERAÇÕES INTERESTADUAIS Preliminarmente. Portanto. O Estado do Rio de Janeiro disciplina a regra básica de aplicação de substituição tributária de acordo com o determinado na Lei nº. também devidamente justificado. por intermédio de ato interno. deve ser celebrado Convênio ou Protocolo no âmbito do CONFAZ. O importante é que haja expressa previsão em lei nesse sentido.657/96. 9º da LC 87/96. inclusive sendo desde logo fixada a margem de lucro (Margem de Valor Agregada – MVA) para fins de determinação da base de cálculo do imposto. em relação a mercadorias ou serviço. Da mesma forma que os convênios. não absorvendo as disposições do Convênio nas operações e prestações. a denúncia deve ser devidamente justificada junto ao CONFAZ. alterado pelo Decreto nº.art. determinado as regras para atribuição de responsabilidade. Assim. Posteriormente a celebração do Convênios os Estados podem denunciar o mesmo. a adoção do regime de substituição tributária em operações interestaduais dependerá de acordo específico celebrados pelos Estados interessados. 119/04 (dispõe sobre a escrituração fiscal pelo contribuinte que receber mercadoria sujeita ao regime de ST). por intermédio de um Decreto estadual. cumpre-nos esclarecer que nos termos do art. 41. o Decreto nº. 2. 150. para que o regime de substituição tributária seja aplicado nas operações interestaduais. alterada pela Lei nº. nas operações internas pode o Estado atribuir a responsabilidade pelo recolhimento do ICMS a título de substituição tributária sobre qualquer mercadoria ou serviço. os protocolos podem ser denunciados pelo Estado signatário.

CONVÊNIOS E PROTOCOLOS Convênios são atos celebrados no âmbito do Confaz. mesmo que um Estado participe de Convênio ou Protocolo. 9. que deliberem a concessão de benefícios. haja vista que. o contribuinte fluminense ao remeter esses produtos para o contribuinte paulista estará obrigado a reter e antecipar o imposto em favor do Estado de São Paulo por que: a) São Paulo e Rio de Janeiro são signatários do Protocolo. Contudo. assinados apenas por alguns Estados para determinar a concessão de benefícios. 9. b) São Paulo aplica o regime internamente. 8 . a responsabilidade pelo recolhimento antecipado do imposto em regra não poderá ser imposta ao contribuinte remetente da mercadoria. incentivos fiscais e regimes de tributação nas operações internas e interestaduais.2 – OBSERVAÇÕES QUANTO ÀS SAÍDAS INTERESTADUAIS Já sabemos que para que haja a aplicação da substituição tributária nas operações interestaduais. tratando-se operação interestadual. Assim. e São Paulo sim. o Estado destinatário terá que dispor de norma interna para sua aplicação. assinados por todos os representantes de cada um dos Estados e Distrito Federal. Nos casos em que a operação interestadual tenha origem em Estado não signatário de acordo para aplicação da substituição tributária em operações interestaduais. ser signatário de determinado Protocolo juntamente com o Estado de São Paulo. um Convênio ou Protocolo.1 . ou seja. é necessário que o Estado remetente e o Estado destinatário seja signatários de Convênio ou Protocolo. O Estado do Rio de Janeiro poderá.2. o Rio de Janeiro poderá não aplicar a substituição tributária internamente para os produtos constantes no Protocolo. Protocolos são atos celebrados no âmbito do Confaz. Alguns contribuintes confundem a aplicação do regime nas operações interestaduais.Assim. o remetente somente estará obrigado à retenção e recolhimento antecipado do imposto se houver entre os Estados remetente e destinatário acordo celebrado para esse fim. por exemplo.2. para que o remetente seja obrigado à aplicação do regime. incentivos fiscais e regimes de tributação que terão aplicação no âmbito de cada ente federativo e também e também no âmbito interestadual.

que poderá levá-lo. 87/96. sendo incabível a obrigatoriedade de retenção. 9.3 – FUNCIONAMENTO NA PRÁTICA Os critérios para aplicação da substituição tributária nas operações interestaduais têm como escopo a regra comum aplicável de acordo com a Constituição Federal. inclusive. não significa que o contribuinte fluminense não deverá observar as regras estabelecidas no Protocolo ao realizar uma operação interestadual para Estado signatário do mesmo. o fato de o Estado do Rio de Janeiro não aplicar o regime de substituição tributária internamente. Diante do exposto. haja vista não haver no Estado do Rio de Janeiro regra para aplicação do regime nas operações internas praticadas por seus contribuintes. Embora um Estado não tenha competência para exigir imposto ou procedimento de contribuinte localizado fora de seu território. em recolher o imposto antecipadamente mediante ressarcimento financeiro efetuado pelo destinatário. os Convênios e Protocolos. a Lei nº. o destinatário). Observe-se que nesta caso: a) São Paulo e Rio de Janeiro são signatários do Protocolo b) Rio de Janeiro não aplica o regime internamente Portanto. o Estado destinatário tem competência para exigir o imposto do contribuinte localizado em seu território (ou seja. 9 . quando um contribuinte paulista estiver remetendo esses mesmos produtos para contribuinte estabelecido no Estado do Rio de Janeiro. Isso porque discutir a responsabilidade pela retenção e recolhimento do imposto pode gerar problemas de ordem comercial com por exemplo. não será aplicada a substituição tributária. a operação será tributada normalmente de acordo com as regras gerais de tributação. Percebe-se que o remetente acaba por ser forçado a recolher o imposto antecipadamente em favor do Estado destinatário muitas vezes sem sequer discutir o aspecto legal da operação. tem sido comum a detenção de carga em postos de fiscalização de fronteira impedindo a entrada da mercadoria no território do Estado destinatário sem que tenha havido a antecipação do imposto.2. Numa situação que não haja Convênio ou Protocolo estabelecendo a obrigatoriedade de retenção e recolhimento antecipado do imposto pelo contribuinte remetente. a cumprimento do prazo de entrega da mercadoria. o remetente opta por meio de acordo comercial com o destinatário.Ao contrário disso. a perder o cliente.

403 quando houver saída posterior dentro ou fora do Estado.403/6. No caso de saída de mercadoria de estabelecimento optante pelo Simples Nacional o valor do imposto a ser recolhido a título de substituição tributária será calculado mediante aplicação da alíquota interna. deverá calcular e reter o imposto incidente pelas operações subsequentes normalmente.3 . fica solidariamente responsável pelo recolhimento do imposto que deveria ter sido retido. aprovado pelo Decreto n° 27. 10 .RESPONSÁVEL SOLIDÁRIO O contribuinte que receber. Ou seja. em operação interna ou interestadual. do RICMS-RJ.427/00. também.4 – OPTANTES PELO SIMPLES NACIONAL O recolhimento unificado dos tributos a que o contribuinte optante pelo SIMPLES Nacional está sujeito não exclui a sua responsabilidade pelo recolhimento do ICMS devido nas operações sujeitas ao regime de substituição tributária alínea “a” do inciso XIII do § 1º do art. submetem-se regularmente à retenção do imposto incidente sobre as operações ou prestações subsequentes. dessas mercadorias pelo responsável solidário. contribuinte do ICMS. será considerado contribuinte substituto de (caráter eventual). apenas nas operações internas. 9.9. destinadas a estabelecimento de contribuinte sujeito às normas do Simples Nacional. 13 da Lei Complementar nº 123/06 As operações ou prestações enquadradas no regime de sujeição passiva por substituição tributária. Desse modo. aplicando-se para a retenção do imposto a alíquota interna a que estiver submetida a mercadoria ou serviço. mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária. A responsabilidade solidária também se aplicará em relação à mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária. enquadrado no Simples Nacional. previstas no anexo II do Livro II. aquele que recolher o imposto na situação de responsável solidário. o estabelecimento contribuinte do ICMS que efetuar saída de mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária para estabelecimento. sem que tenha sido feita a retenção total na operação anterior. devendo ser utilizado os CFOPs 5.

Isto quer dizer que o ICMS-ST devido pela ME ou EPP optante pelo Simples Nacional será recolhido mediante DARJ ou GNRE e não será incluído no cálculo do DAS.427/00. observando-se o disposto no Livro II. da Resolução CGSN nº. 51/08. único. Livro II. p. a ME ou EPP optante pelo Simples Nacional deverá recolher a parcela dos tributos devidos por substituição tributária diretamente ao ente detentor da respectiva competência tributária.sobre a base de cálculo da substituição tributária.1 – ATUAÇÃO DA ME OU EPP COMO SUBSTITUTO TRIBUTÁRIO De acordo com o art. que regula a substituição tributária. Considera-se ocorrido o fato gerador. 3º. § 8º. se for o caso. tão logo a mercadoria seja posta em circulação ou o serviço seja iniciado pelo contribuinte substituto art. 9. 27. 1º.4. do valor da operação ou da prestação subsequente.OCORRÊNCIA DO FATO GERADOR: MOMENTO EM QUE É DEVIDO O ICMS-ST As hipóteses de ocorrência do fato gerador do ICMS estão previstas no art. b) saída de mercadoria do estabelecimento importador. à aplicação da substituição tributária em relação às operações subsequentes. RICMS-RJ. relativo às operações ou prestações subsequentes. 10 . Diante do exposto conclui-se que o estabelecimento optante pelo Simples Nacional tanto sofrerá retenção do imposto (contribuinte substituído). 3º do Livro I do Decreto nº. submetendo-se o optante pelo Simples Nacional. Observa-se no § 13 do referido artigo que o Estado poderá exigir o pagamento antecipado do imposto. que no caso do ICMS é o Estado. quanto será considerado substituto tributário quando a operação estive sujeita ao regime. com fixação. 11 . c) saída para outra UF signatária de Convênio ou Protocolo em conjunto com o Estado do Rio de Janeiro. RICMS-RJ As hipóteses mais comuns de ocorrência do feto gerador do ICMS-ST são: a) saída de mercadoria do estabelecimento industrial. conforme o caso.

retornável ou não até 500 ml .Água gaseificada ou aromatizada artificialmente .Garrafa plástica de 1500 ml .Não retornável até 300 ml .d) na entrada ou recebimento de mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária de outra UF não signatária de Convênio ou Protocolo juntamente com o Estado do Rio de Janeiro. CERVEJA. Operações internas e interestaduais (MVA) Subitem Especificação Industrial.1 Água mineral. gasosa ou não. E GELO Embasamento legal: Protocolo ICMS 11/91 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado. ÁGUA MINERAL.Embalagem com capacidade igual ou superior a 5. sujeita ao regime de substituição tributária internamente. 11 – MERCADORIAS SUJEITAS AO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO I LISTA DAS MERCADORIAS SUJEITAS AO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA E SEUS RESPECTIVOS PERCENTUAIS DE MARGEM DE VALOR AGREGADO (MVA) OPERAÇÕES INTERNAS E INTERESTADUAIS DESTINADAS AO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (artigo 2º do Livro II) 1. GASOSA OU NÃO. ou potável. arrematador ou engarrafador 1. CHOPE. REFRIGERANTE E OUTRAS BEBIDAS. atacadistas.Garrafa de vidro. importador. portanto.000 ml 120% 250% 140% 140% 100% 140% 70% 170% 100% 70% 70% 100% Demais substitutos (tais como. distribuidores) 12 . OU POTÁVEL. naturais em: .

2 1. água mineral e gelo não especificados anteriormente) 100% 140% 70% 70% 140% 140% 140% 40% 70% 100% 140% 140% 70% 115% 2.garrafa c/capacidade igual ou superior a 600 ml .3 1. CIMENTO Embasamento legal: Protocolo ICM 11/85 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado. mesmo contendo sucedâneos de tabaco em qualquer proporção 50% 50% 3.posições 2106. 13 .5 1.Copos plásticos e embalagens plásticas com capacidade até 500 ml 1.1 2402 Charutos.90 da NCM/SH: . CIGARROS E OUTROS DERIVADOS DO FUMO Embasamento legal: Convênio ICMS 37/94 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Convênio supracitado."pre-mix" e "post-mix" 1. bebidas hidroeletrolíticas e energéticas.90 e 2202. de tabaco ou dos seus sucedâneos 2.10.garrafa c/capacidade inferior a 600 ml e lata . Operações Subitem NCM/SH Especificação internas e interestaduais (MVA) 2.6 Gelo em barra ou cubo Demais produtos (refrigerantes. cigarrilhas e cigarros.00 Tabaco para fumar.2 2403.4 Cerveja Chope Refrigerantes e bebidas hidroeletrolíticas (isotônicas) e energéticas ..

1 Filme fotográfico. ENERGIA ELÉTRICA NÃO DESTINADA À COMERCIALIZAÇÃO OU À INDUSTRIALIZAÇÃO Embasamento legal: Convênio ICMS 83/00 Âmbito de aplicação: Operações interestaduais envolvendo os Estados signatários do Convênio supracitado.1 Energia elétrica Operações interestaduais (MVA) Valor da operação de que decorrer a entrada da mercadoria 5. Operações Subitem Especificação internas e interestaduais (MVA) 5. cinematográfico e slides 40% 6. FILME FOTOGRÁFICO. CINEMATOGRÁFICO E SLIDES Embasamento legal: Protocolo ICM 15/85 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado. IMAGEM OU OUTROS FENÔMENOS DIFERENTES DO SOM E DA IMAGEM 14 . VIRGEM OU GRAVADO.1 2523 Cimento de qualquer espécie 20% 4. Subitem Especificação 4. PARA REPRODUÇÃO OU GRAVAÇÃO DE SOM. DISCO. FONOGRÁFICO OU QUALQUER OUTRO DISCO.Operações Subitem NCM/SH internas e Especificação interestaduais (MVA) 3. FITA MAGNÉTICA E QUALQUER OUTRO SUPORTE. VIRGEM OU NÃO.

80% 25% 25% 35.80% 25% 35.29.29 inferior ou igual a 50.em cartuchos ou cassetes . de largura 8523.32 superior a 4 mm 8523.29.21 superior a 4 mm: 8523.outras 6.21 Discos para sistemas de leitura por raio “laser” para reprodução apenas do som 6.29.8 8523.33 Outras fitas magnéticas de largura superior a 6.24 .3 Fitas magnéticas de largura superior a 8523.29.outras 6.80% 35.80% 25% 35.29.80% 25% 35.em cassetes .5 mm: 8523.4 6.5 mm 6.7 Outras fitas magnéticas de largura não 8523.5 8523.29.40.40.discos para sistema de leitura por raio 25% 35.00 Discos fonográficos 8523.80% 25% 35.5 mm 6.39 Outras fitas magnéticas de largura superior a 4 mm mas não superior a 6.29.80% 25% 35.5 mm 6.29.10 Outros suportes: .80.29 .29 .80% 25% 35.1 Fitas magnéticas de largura não 8523.29 Outros discos para sistemas de leitura por raio “laser” 6.80% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 15 .23 6.2 8523.outras 6. MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 6.6 8523.22 Fitas magnéticas de largura superior a 4 mm mas não superior a 6.80% 25% 35.8 mm (2”) .29.9 8523.29.em rolos ou carretéis.Embasamento legal: Protocolo ICM 19/85 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado.em cassetes para gravação de vídeo .

40. APARELHOS DE BARBEAR.1 7.29. não recarregáveis 30% 30% 30% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 41.80% 6. A GÁS.19 6.20.00 Isqueiros de bolso.23% 41. REATOR E "STARTER" Embasamento legal: Protocolo ICM 17/85 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado 16 .40.3 8212.8523.31 Fitas magnéticas para reprodução de fenômenos diferentes do som ou da imagem 25% 35.23% 8.22 Discos para sistemas de leitura por raio "laser" para reprodução de fenômenos diferentes do som ou da imagem 25% 35.40.23% 41.10 Lâminas de barbear 9613.90 .20 Aparelhos de barbear 8212. NÃO RECARREGÁVEIS Embasamento legal: Protocolo ICM 16/85 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 7.80% 7. LÂMINAS DE BARBEAR.10.outros 8523. a gás.10.2 7.12 8523.11 “laser” com possibilidade de serem gravados uma única vez (CD-R) 8523.29. LÂMPADA ELÉTRICA E ELETRÔNICA.11 8523. ISQUEIROS DE BOLSO.

50 Outros interruptores.10% 40% 52.Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Natureza da operação realizada com as mercadorias relacionadas no Protocolo ICMS 41/08 Operações internas (ou aquisições no RJ) Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 17 .39 8. lâmpadas. em unidades seladas" e as lâmpadas e tubos de raios ultravioleta ou infravermelhos. cátodo frio ou fotocátodo (por exemplo. PEÇAS. exceto os da posição 85.00 Reatores para lâmpadas ou tubos de descargas 8.1 8539 Lâmpadas e tubos elétricos de incandescência ou de descarga. tubos e válvulas.2 8540 Lâmpadas. lâmpadas de arco 8.MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 8. de cátodo quente. PARTES E ACESSÓRIOS PARA VEÍCULOS AUTOMOTORES Embasamento legal: Protocolo ICMS 41/08 . seccionadores e comutadores 40% 52.10% 40% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 52. eletrônicos. de vácuo. incluídos os artigos denominados "faróis e projetores. ampolas retificadoras de vapor de mercúrio.10% 9.10. tubos catódicos. de vapor ou de gás. tubos e válvulas. tubos e válvulas para câmeras de televisão).4 8536.10% 40% 52.3 8504.

placas.3 9. 4823. segmentos.93.50% 37.00. de matérias têxteis. mesmo confeccionados 5705.5 9. com plástico 5909.00.I a) Saída de estabelecimento de fabricante de veículos automotores. juntas. não montadas.1 Encerados e toldos 6506.90.00% 52. para atender índice de fidelidade de compra de que trata o art.00 impregnadas. revestidos.00 Tecidos impregnados.10% Mercadorias relacionadas no Protocolo ICMS 41/08 Subitem NCM/SH 9. de plásticos 9.30.10 9.00 Protetores de caçamba 3923.12. ou estratificadas com 9. discos. mesmo plástico ou reforçadas com metal ou com outras matérias 5910. embreagens ou qualquer outro mecanismo de fricção. rolos. incluídos ciclomotores 9.90 gases de escape de veículos 9. cuja distribuição seja efetuada de forma exclusiva.1 Especificação 3815.9 4016. de plástico.13 Guarnições de fricção (por exemplo.12. flanges.40% II Demais casos 40. tratores e máquinas autopropulsadas 4016. molduras e acabamentos 4010.10. 26.2 39. de outras substâncias minerais ou de 18 . gaxetas e outros elementos com função semelhante de vedação.4 9.00 Frisos.10 Partes de veículos automóveis.99.00 9.10 Catalizadores em colméia cerâmica ou metálica para conversão catalítica de 3815.30. anéis.6 3918. mesmo com reforço ou acessórios de outras matérias 9. para uso em motocicletas. 8º da Lei federal nº 6. mediante contrato de fidelidade.11 5903. à base de amianto.90 Tapetes e revestimentos. recobertos ou estratificados.00 Juntas. de proteção. tiras.00 Reservatórios de óleo 3926.00 Capacetes e artefatos de uso semelhante.00 Mangueiras e tubos semelhantes.8 9. para freios.3 Correias de transmissão de borracha vulcanizada.00. cotovelos.12 9.90.9 9.10.729. de 28 de novembro de 1979 b) Saída de estabelecimento de fabricante de veículos. de matérias têxteis.13 6306.14 68. uniões). revestidas ou recobertas. máquinas e equipamentos agrícolas ou rodoviários. decalques. pastilhas).7 4016.10.17 Tubos e seus acessórios (por exemplo.

11.39 9.10 33 8414.90 Peso para balanceamento de roda e outros utensílios de estanho 8301.20 8301.90 Partes das bombas.23.00 Cilindro de aço para GNV (gás natural veicular) 73.00 compressão 9. compressores e turbocompressores dos subitens 31.10.90.34 8413.91.9 Motores dos tipos utilizados para propulsão de veículos automotores Partes reconhecíveis como exclusiva ou principalmente destinadas aos motores das posições 84. 32 e 8414.30 9.18 9.26 9.10.00 Lentes de faróis.60 Fechaduras e partes de fechaduras 9.08.00 8407.70 Chaves apresentadas isoladamente 8302.00 9.10.20 9.21.1 8414.31.3 Triângulo de segurança Motores de pistão alternativo dos tipos utilizados para propulsão de veículos do Capítulo 87 9.35 9.80.22 9.29. mesmo combinadas com têxteis ou outras matérias 9.21.00 Filtros de entrada de ar para motores de ignição por centelha ou por compressão 19 .15 7007.40 8421.19 9. próprias para motores de ignição por centelha ou por compressão 9.38 9.36 8415. lanternas e outros utensílios 7311.29 8408.23 7009.2 Compressores e turbocompressores de ar 9.39 9.90 Filtros a vácuo 8421.20 84.00 Extintores.00) Peso de chumbo para balanceamento de roda 8007.09. de ferro ou aço Obras moldadas.28 9.91.00 Molas e folhas de molas. mesmo carregados 8421. 9.9 Partes dos aparelhos para filtrar ou depurar líquidos ou gases 8424.80.27 8310.00.00 9.90.10.00 Espelhos retrovisores 7014.16 9.20 Máquinas e aparelhos de ar condicionado Aparelhos para filtrar óleos minerais nos motores de ignição por centelha ou por 8421.00.00 Dobradiças.33 8414.00 Vidros de dimensões e formatos que permitam aplicação automotiva 7007.celulose.17 9.30 Bombas para combustíveis. de ferro fundido.37 9.10 Cilindros hidráulicos 84.20 73.31 8412.30.13. ferragens e artigos semelhantes de metais comuns 8302.90.3 8414. guarnições.00 Bombas de vácuo 8414.21 9. lubrificantes ou líquidos de arrefecimento.25 7806.24 9.00. ferro ou aço (exceto 7325.25 8301.07 ou 84.32 9.

apresentados em bolsas. do tipo utilizado para o arranque dos motores de pistão 9.39). variadores de velocidade e freios.82 84.47 9.10 Partes para macacos do Subitem 42 8431.50.61 Aparelhos receptores de radiodifusão que só funcionam com fonte externa de energia 8529.20 8512.19.18 85. magnetos.57 9. juntas de vedação mecânicas (selos mecânicos) 9. motores de arranque). eletromagnéticos 8507.52 8505.10.20 Acoplamentos.40 8512. bobinas de ignição. eixos de esferas ou de roletes.50 84.2 Partes reconhecíveis como exclusiva ou principalmente destinadas às máquinas 8433.46 9.90. engrenagens e rodas de fricção. 9.10 receptor/transmissor) 9.00 Macacos 8431. degeladores e desembaçadores (desembaciadores) elétricos 9. limpadores de pára-brisas.41 9.44 8421.56 9. geradores (dínamos e alternadores.11 Aparelhos e dispositivos elétricos de ignição ou de arranque para motores de ignição por centelha ou por compressão (por exemplo.10.48 9.10.10.00.42 9. por exemplo) e conjuntoresdisjuntores utilizados com estes motores. volantes e polias. incluídas as juntas de articulação 9.12. envelopes ou embalagens semelhantes.9. incluídas as polias para cadernais.49 8481.54 8512. multiplicadores.2 9.20 Depuradores por conversão catalítica de gases de escape 8425.90 Antenas 8534.83 Rolamentos Árvores de transmissão (incluídas as árvores de "cames" e virabrequins) e manivelas.81 8525. caixas de transmissão e variadores de velocidade.59 8527.42.00 Válvulas redutoras de pressão 8481.00 Acumuladores elétricos de chumbo. amplificadores elétricos de audiofrequência e partes Aparelhos de reprodução de som Aparelhos transmissores (emissores) de radiotelefonia ou radiotelegrafia (rádio 8525. embreagens.80.58 8517.51 9.92 Válvulas solenóides 84. mancais e "bronzes".00 Circuitos impressos 20 .53 85.13 Telefones móveis 85. velas de ignição ou de aquecimento.90 agrícolas ou rodoviárias 9.49. redutores.20.90 Válvulas para transmissão óleo-hidráulicas ou pneumáticas 8481. dínamosmagnetos.39.60 9.84 Juntas metaloplásticas. incluídos os conversores de torque. embreagens e dispositivos de acoplamento.60.90 Aparelhos elétricos de iluminação ou de sinalização (exceto os da posição 85.45 9.55 9. jogos ou sortidos de juntas de composições diferentes.43 9.1 Alto-falantes.

78 9.90 Interruptores. de uso em veículos automóveis.00 Jogos de fios para velas de ignição e outros jogos de fios Carroçarias para os veículos automóveis das posições 87.71 9. exceto de raios ultravioleta ou 8539.72 8544.05.99 capacetes.66 8535.00 carrocerias.00 Acendedores Tubos de borracha vulcanizada não endurecida. 64 e 65 9.70 9. 63.21 Amperímetros 9031.9. auto-colantes.81 9. em disco.30. atuando 21 .64 9.65 9.90 Engates para reboques e semi-reboques 9026.00 Relógios para painéis de instrumentos e relógios semelhantes 9401.10 Faróis e projetores.74 9.10.10. bonés de agentes de trânsito e de condutores de veículos.76 9. consumos instantâneo e médio e autonomia (computador de bordo) 9.20.40. 8708.2 infravermelhos 9.84 9.00 Papel-diagrama para tacógrafo. 9. próprias para colocação em 3919.73 9.00 Assentos e partes de assentos 9401.07 as cabinas. motocicletas.69 8536.20.00 Cabos coaxiais e outros condutores elétricos coaxiais 8544.90 9.00 Juntas de vedação de cortiça natural e de amianto 6812. refletores.00 placas metálicas com película de plástico refletora.83 9032. incluídas 87.87 9. ciclomotores. mesmo providos de seus 4009 acessórios.10 Manômetros 90. Fitas.11 Selecionadores e interruptores não automáticos 8536.05.20.90.79 9.19 Medidores de nível 9026.77 9. para medida e indicação de múltiplas grandezas tais como: velocidade média. tiras. 3919.80. adesivos.86 4504.2 Controladores eletrônicos 9104.00.1 8716.29.20.82 9.89.85 9613. seccionadores e comutadores 8539.90. mesmo em rolos. pára-choques de veículos de carga.10 9.01 a 87.08 8714.88 4823.68 9. indicadores de velocidade e tacômetros.75 9. Partes e acessórios dos veículos automóveis das posições 87. Parte e acessórios de motocicletas (incluídos os ciclomotores) 9.50.10.90.29 Contadores.00 Disjuntores 8536.67 9.30.80 87.33.99.80.01 a 87.4 Relés Partes reconhecíveis como exclusivas ou principalmente destinados aos 8538 aparelhos dos subitens 62.00 Fusíveis e corta-circuitos de fusíveis 8536.90. de plástico.63 9.62 9. suas partes e acessórios 9030. em unidades seladas Lâmpadas e tubos de incandescência.40 Aparelhos digitais.

98 9. .30 9.31.como dispositivos refletivos de segurança rodoviários.50.10 9.20 8507.19 Bomba de assistência de direção hidráulica 8413.100 8512.90 Filtros de pólen do ar-condicionado 8501.39.90 8413.59.90 9.82 Sensor de temperatura 9027.40% Aquisições em outro Estado 22 .729.97 8421.00% 52.70. 8507. máquinas e equipamentos agrícolas ou rodoviários.99 9.00 Bomba elétrica de lavador de pára-brisa 8413.92 8414.00 Aparelhos de sinalização acústica (buzina) 9032. 9.10.89 9.91 8413.89.00 Analisadores de gases ou de fumaça (sonda lambda) Baterias de chumbo e de níquel-cádmio.10 Cilindros pneumáticos. 8413.30.00 9. cuja distribuição seja efetuada de forma exclusiva.81.31.50% 37.10 Motoventiladores 8414.96 9.93 9. de 28 de novembro de 1979 b) Saída de estabelecimento de fabricante de veículos. partes e acessórios para veículos automotores não relacionados no Protocolo ICMS 41/08 Responsável solidário) Operações internas (ou aquisições no RJ) I a) Saída de estabelecimento de fabricante de veículos automotores. 8º da Lei federal nº 6.19.00 Bobinas de reatância e de auto-indução.10 Motor de limpador de para-brisa 8504.10.95 9.10% 26.59.Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Outras peças. mediante contrato de fidelidade. para atender índice de fidelidade de compra de que trata o art. II Demais casos 40.50.19 "Máquina" de vidro elétrico de porta 8501.90 8412.94 9.60.

discriminados no Anexo acima no Item 9. intitulado “Peças. partes e acessórios para veículos automotores os produtos classificados em posições. 10. elétricas 40% 40% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 52. PNEUMÁTICOS CÂMARAS DE AR E PROTETORES DE BORRACHA Embasamento legal: Convênio ICMS 85/93 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Convênio supracitado Operações Subitem NCM/SH Especificação internas e interestaduais (MVA) 11. ainda que possam também ser utilizados em processo industrial diverso do setor automotivo. subposições ou códigos da Nomenclatura Comum do Mercosul – Sistema Harmonizado . ACUMULADORES ELÉTRICOS Embasamento legal: Protocolo ICM 18/85 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 10..10% 11.2 8506 Pilhas e baterias de pilhas. ELÉTRICAS.11 Acumuladores elétricos e seus separadores.3 8507.1 10.1 4011 Pneus novos dos tipos utilizados em automóveis de 42% 23 .Submetem-se à disciplina da substituição tributária pertinente às peças. PILHAS E BATERIAS DE PILHA.10% 8507.500kg e capacidade inferior ou igual a 15Ah 10.10% 52.NCM/SH .80.00 Outros acumuladores 40% 52. mesmo de forma quadrada ou retangular de peso inferior ou igual a 2. partes e acessórios para veículos automotores”.30.

de uso misto.passageiros. exceto para bicicleta 45% 12.º 10. ônibus. de construção e conservação de estradas.3 11.º.4 11.1 e 12. a base de cálculo será obtida tomando-se por base o montante formado pelo preço praticado pelo remetente nas operações com o comércio varejista.147.3 (LISTA NEUTRA). sobre o referido montante. na falta deste preço.As mercadorias relacionadas no subitem 12. neste preço incluídos o valor do IPI. aviões. PRODUTOS FARMACÊUTICOS. .Inexistindo os valores acima. fica automaticamente incluído no subitem 12. camionetas e em automóveis de corrida 11. . não podendo resultar em carga de ICMS inferior a 7% (sete por cento). caso algum dos produtos mencionados nos subitens 12.90. EXCETO PARA USO VETERINÁRIO Embasamento legal: Protocolo ICMS 68/07 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo o Estado de São Paulo .5 4011 4011 Pneus novos para motocicletas Outros tipos de pneus novos.90.Preço de tabela sugerido pelo órgão competente para a venda a consumidor e. adicionada a parcela resultante da aplicação. máquinas e tratores agrícolas. do percentual de margem de valor agregado.4 terão a base de cálculo reduzida em 10% (dez por cento). Subitem Especificação MVA – Contribuinte substituto MVA – Responsável solidário 24 . de 21 de dezembro de 2000. máquinas de terraplenagem. pá-carregadeira 11. na forma do seu § 2. TAIS COMO: SOROS E VACINAS.º da Lei federal n. MEDICAMENTOS E OUTROS. o frete e/ou carreto até o estabelecimento varejista e demais despesas cobradas ou debitadas ao destinatário. exceto para bicicleta 60% 45% 45% 32% 4012.2 4011 Pneus novos dos tipos utilizados em caminhões (inclusive para os fora-de-estrada).6 4013 Câmaras de ar de borracha. o valor correspondente ao preço máximo de venda a consumidor sugerido ao público pelo estabelecimento industrial.No que tange as operações internas. .10 Protetores de borracha 4012.90 11.2 seja excluído da incidência das contribuições previstas no inciso I do caput do artigo 1.

41% 32. exceto no código 3003. esparadrapos. esparadrapos.46.64% 25 .24% 50.64% 41.10 (ataduras.90. 3° da Lei Federal nº 10.).00 (preparações químicas contraceptivas à base de hormônios).90. sinapismos. quando beneficiados com a outorga do crédito para o PIS/PASEP e COFINS previsto no art. exceto no código 3004.10.90.18% 12. gazes. sinapismos.Operações internas Operações interestaduais Aquisições no Rio de Janeiro Aquisições em outro Estado 12.10 (dentifrícios).90 (enxaguatórios bucais) e nos códigos 3005.41% 12.00 (preparações químicas contraceptivas à base de hormônios) e 9603.93% 44. gazes.) e 3006.24% 50.56.10.46. exceto no código 3004.30 e 3002. 3006.10 (ataduras.2 LISTA POSITIVA Operações com os produtos classificados nas posições 3002 (soros e vacinas). exceto no código 3003.147/2000 38.56.42% 53. e 3004 (medicamentos). exceto nos itens 3002.90. pensos. exceto nos itens 3002. 3003 (medicamentos). 3306. 3306. 3003 (medicamentos). etc. pensos.42% 53.20 (fios dentais).3 LISTA NEUTRA Operações com provitaminas e 41. etc. e 3004 (medicamentos).93% 44.00 (escovas dentifrícias) 32. nos itens 3306.30 e 3002.18% 38.60.90. e nos códigos 3005.60.1 LISTA NEGATIVA Operações com os produtos classificados nas posições 3002 (soros e vacinas).90.21.

40.10. absorventes higiênicos. água oxigenada. agulhas para seringas (código 9018. homeopático. solução parenteral glicosada ou isotônica 28.4 Demais produtos farmacêuticos e medicinais de uso humano.38% 13.00). fitoterápico.82% 41. produto odontológico. sabão.90. albumina. gazes.90. ataduras. tais como: adoçante artificial.90. xampu.46).).10.82% 28. loção e talco (medicinais).DIU (código 9018. hidratante (emoliente ou anti-séptico).00 e 4014. pensos etc. mamadeiras de borracha vulcanizada.40).3). sinapismos.10.10 e 5601. e contraceptivos dispositivos intra-uterinos .00). óleo mineral medicinal. preservativos (código 4014.90).vitaminas (posição 2936). pasta.1).10).56 e 3004. medicamentos (códigos 3003. chupetas e bicos para mamadeiras e chupetas (código 4014. vidro e plástico (códigos 3924.32. plasma humano. esparadrapos. elixir paregórico etc.10.9) 12.90 e item 7013. de uso interno e externo (código 5601.31). sabonete. produto dermatológico medicinal. contraste radiológico. exceto no código 3005. fraldas descartáveis ou não (posições 6111 e 6209 e códigos 4818. solução para lentes de contato. laxante. oficinal (mercúrio cromo. (posição 3005. colírio oftalmológico.00 e item 4818. RAÇÕES TIPO "PET" PARA ANIMAIS DOMÉSTICOS 26 .90. iodo. seringas (item 9018.10.90.

féculas ou de extratos de malte. grumos. preparações alimentícias de farinhas.1 14. INCLUSIVE SANDUÍCHES DE SORVETES E PREPARADOS PARA FABRICAÇÃO DE SORVETE EM MÁQUINA Embasamento legal: Protocolo ICMS 20/05 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado Operações Subitem NCM/SH Especificação internas e interestaduais (MVA) 14.Embasamento legal: Protocolo ICMS 26/04 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 13. não contendo cacau ou contendo menos de 5%. em peso. não especificadas nem compreendidas em outras posições.04. sêmolas. não contendo cacau ou contendo menos de 40%. calculado sobre uma base totalmente desengordurada.1 2309 Preparações dos tipos utilizados na alimentação de animais 46% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 58.2 14. de cacau. calculado sobre uma base totalmente desengordurada.62% 14. não especificadas nem compreendidas em outras posições 70% 328% 328% 27 . SORVETES DE QUALQUER ESPÉCIE. de cacau. preparações alimentícias de produtos das posições 04.01 a 04. amidos.00 1806 1901 Sorvetes. em peso. mesmo contendo cacau Chocolate e outras preparações alimentícias contendo cacau Extratos de malte.3 2105.

vigente a partir de 26. TELHAS. 30% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 41.11 3921.90. DILUENTE.º 42.424/2010. amianto.14. do Livro II. REMOVEDOR E MERCADORIAS CORRELATAS Embasamento legal: Convênio ICMS 74/94 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Convênio supracitado MVA – Contribuinte Subitem NCM/SH Especificação Substituto (ou Responsável solidário) 28 . TINTA.00 polietileno e fibra de vidro. cumeeira e caixas d’água de cimento. AMIANTO.04.10. fibrocimento.23% 3925. FIBROCIMENTO OU POLIETILENO Embasamento legal: Protocolo ICMS 32/92 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Protocolo supracitado MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) “Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 15.1 68. VERNIZ. alterada pelo Decreto n. CUMEEIRAS E CAIXAS D'ÁGUA DE CIMENTO.4 2106 Preparações alimentícias não especificadas nem compreendidas em outras posições 328% 15.2010) 16. inclusive 3925. SOLVENTE.90 Telhas.00 suas tampas (redação do Item 15 do Anexo I.

2710 (exceto posição 2710.67% 46.8 3211.90.67% 16. imunizantes para 2714. preparações e outros para dar brilho.30. 3907. 3405. encáusticas. 3506.2 2707. 3209 e 3210 16.00. diluir ou remover tintas.67% 16. aditivos. Piche (pez) 2715. 3214. 3807. 2902.00 3815.67% 46.5 2706. Produtos impermeabilizantes.67% 46.67% 29 . 3206 Xadrez e pós assemelhados.67% 46. 3805. exceto pigmentos à base de dióxido de titânio classificados no código NCM/SH 3206.00. 3405. 35% 35% 46.00 35% 46.1 3208. 3204. aglutinantes.00.11. ceras. 3824.67% 16.19. 2715. 3910.20. limpeza. 3405.17.Operações internas (ou aquisições no RJ) 16. 3907. 6807 madeira. líquidos. 3824 Secantes preparados Preparações iniciadoras ou aceleradoras de reação. 2901.00. 3808. colas e adesivos 35% 46. vernizes e outros 35% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 46.11.4 2821.6 2707. 35% Massas. preparações catalísticas. 3905. pastas.30).00. 3810 e 3814 16. vernizes e outros 35% Tintas. 3910 16.3 3404. alvenaria e cerâmica. polimento ou conservação 35% Preparações concebidas para solver.00. 2713.7 16.

o valor da operação praticado pelo substituto não poderá ser inferior ao que serviu de base de cálculo para pagamento do Imposto de Importação e sobre Produtos Industrializados.Em relação aos veículos saídos.Em relação às demais situações o preço máximo ou único de venda utilizado pelo contribuinte substituído. com motor de pistão. de ignição por 30% 30 . fixado pela autoridade competente ou. 3212 pintura ou vedação Corantes para aplicação em bases. real ou simbolicamente das montadoras ou de suas concessionárias com destino a outra unidade da Federação.10 3204. incluindo o motorista. concretos.97% 35% 46. a tabela sugerida pelo fabricante. mástiques.00. o valor da operação praticado pelo substituto. . impostos e outros encargos transferíveis ao varejista. bases.Em se tratando de veículo importado. massas para acabamento. Indutos. incluídos os valores correspondentes a frete. carreto. vernizes. na falta desse preço. Operações Subitem NCM/SH Especificação internas e interestaduais (MVA) 17. VEÍCULOS AUTOMOTORES Embasamento legal: Convênio ICMS 132/92 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Convênio supracitado . 3909.9 3214. rebocos e argamassas 16.00.Nas operações internas e de importação a base de cálculo será reduzida de forma que a carga tributária resulte em 12% (doze por cento). 3506. acrescido do valor resultante da aplicação do percentual de 30%. 3205.00 Veículos automóveis para transporte de 10 pessoas ou mais. cimentos.67% 17. acrescido do valor do frete. . do IPI e dos acessórios. o valor correspondente ao preço de venda a consumidor constante da tabela estabelecida por órgão competente (ou sugerido ao público) ou. .agentes de cura para aplicação em tintas.1 8702. 3910 16.10. tintas e vernizes 50% 62. na falta desta. seguro. 3206.

7 8703. 17. superior a 6m3.4 8703.10 8703. de cilindrada superior a 1500cm3. mas inferior a 9m3.90. carro funerário e automóveis de corrida 17. Exceção: carro celular 17. Exceções: carro celular. carro funerário e automóveis de corrida 17. superior a 6m3.90 Outros automóveis com motor explosão.23. mas não superior a 3000cm3.9 8703. destinado a passageiros e motorista. com capacidade de transporte de pessoas sentadas inferior ou igual a 6. carro funerário e automóveis de corrida 17.32. destinado a passageiros e motorista. com capacidade de transporte de pessoas sentadas inferior ou igual a 6. Exceções: carro celular.10 Automóveis com motor explosão.6 8703. incluído o condutor. de cilindrada superior a 3000cm3 Exceções: carro celular. mas não superior a 1500cm3.24. com volume interno de habitáculo.10 Automóveis com motor explosão. incluindo o motorista. de cilindrada não superior a 1000cm3 17. incluído o condutor. incluído o condutor. com capacidade de transporte de pessoas sentadas inferior ou igual a 6.00 Automóveis com motor explosão. com volume interno de habitáculo.22. mas inferior a 9m3.10 Automóveis com motor explosão. com 30% 30% 30% 30% 30% 30% 30% 30% 30% 31 . de cilindrada superior a 3000cm3.compressão (diesel ou semidiesel).23.90 Outros veículos automóveis para transporte de 10 pessoas ou mais. de cilindrada superior a 1000cm3.8 8703. de cilindrada superior a 1500cm3.24. mas não superior a 2500cm3. mas não superior a 3000cm3 Exceções: carro celular.21. mas não superior a 1500cm3 Exceção: carro celular 17. de cilindrada superior a 1000cm3.5 8703.22. de cilindrada superior a 1500cm3.90 Outros automóveis com motor explosão.3 8703. 17. carro funerário e automóveis de corrida 17.90 Outros automóveis com motor explosão.2 8702.10 Automóveis com motor diesel ou semidiesel.

10 Veículos automóveis para transporte de mercadorias.21. c/motor a explosão. Exceção: caminhão de peso em carga máxima superior a 3. de cilindrada superior a 2500cm3 Exceções: carro celular e carro funerário 17.90 Outros automóveis c/motor diesel ou semidiesel. de peso em carga máxima não superior a 5 ton.31. carro celular e carro funerário 17.15 8704. incluído o condutor Exceções: carro celular e carro funerário 17. chassis e cabina Exceção: caminhão de peso em carga máxima superior a 3.13 8703.21.21.16 8704.30 Veículos automóveis para transporte de mercadorias. c/motor diesel ou semidiesel com caixa basculante.32.33.33. de cilindrada superior a 2500cm3. chassis c/motor diesel ou semidiesel e cabina Exceção: caminhão de peso em carga máxima superior a 3.9 ton 17. de peso em carga máxima não superior a 5 ton c/motor diesel ou semidiesel Exceções: carro-forte p/ transporte de valores e caminhão de peso em carga máxima superior a 3.9 ton 17.14 8704. incluído o condutor.capacidade de transporte de pessoas sentadas inferior ou igual a 6.9 ton 17. frigoríficos ou isotérmicos c/motor diesel ou semidiesel Exceção: caminhão de peso em carga máxima superior a 3.9 ton 17. de peso em carga máxima não superior a 5 ton. carro celular e carro funerário 17.20 Veículos automóveis para transporte de mercadorias. com capacidade de transporte de pessoas sentadas inferior ou igual a 6.21.10 Veículos automóveis para transporte de mercadorias. de peso em carga máxima não superior a 5 ton.90 Outros automóveis c/motor diesel ou semidiesel. Exceções: ambulância.11 8703.12 8703.18 8704.9 ton 30% 30% 30% 30% 30% 30% 30% 30% 32 .17 8704. de peso em carga máxima não superior a 5 ton. mas não superior a 2500cm3 Exceções: ambulância.90 Outros veículos automóveis para transporte de mercadorias. de cilindrada superior a 1500cm3.10 Automóveis c/motor diesel ou semidiesel.

30 Veículos automóveis para transporte de mercadorias.21 8704.Na impossibilidade de inclusão do valor do frete na composição da base de cálculo.Inexistindo esse valor.31. o valor correspondente ao preço de venda a consumidor.Em relação aos veículos importados.17.20 Veículos automóveis para transporte de mercadorias.20 8704. frigoríficos ou isotérmicos c/motor explosão Exceção: caminhão de peso em carga máxima superior a 3. de peso em carga máxima não superior a 5 ton.90 Outros veículos automóveis para transporte de mercadorias.31. incluídos o IPI. . a base de cálculo será obtida tomando-se por base o preço praticado pelo substituto. VEÍCULOS DE DUAS RODAS MOTORIZADOS Embasamento legal: Convênio ICMS 52/93 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Convênio supracitado . bem como da parcela resultante da aplicação sobre esse total do percentual de margem de valor agregado de 34% (trinta e quatro por cento). .Em relação aos veículos nacionais. o preço máximo ou único de venda utilizado pelo contribuinte substituído. .9 ton 30% 17. constante de tabela estabelecida por órgão competente (ou sugerido ao público) ou. pelo fabricante. de peso em carga máxima não superior a 5 ton. o recolhimento do imposto correspondente será efetuado pelo estabelecimento destinatário.9 ton 30% 17. na falta desta. acrescido do valor do frete e dos acessórios. acrescido do valor do frete e dos acessórios. com motor a explosão Exceções: carro-forte para transporte de valores e caminhão de peso em carga máxima superior a 3. c/motor explosão/caixa basculante Exceção: caminhão de peso em carga máxima superior a 3. de peso em carga máxima não superior a 5 ton.9 ton 30% 18. 33 . o frete e as demais despesas debitadas ao estabelecimento destinatário.31.19 8704. fixado pela autoridade competente.

de telefonia celular 19.3 8517.31 Terminais portáteis de telefonia celular Terminais móveis de telefonia celular para veículos automóveis Outros aparelhos transmissores.Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário Operações internas Operações interestaduais (ou aquisições no RJ) 19.42% Subitem NCM/SH Especificação 19.2 8517.223/2010. 19.12. APARELHOS CELULARES Embasamento legal: Convênio ICMS 135/06 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados signatários do Convênio supracitado MVA . Operações Subitem NCM/SH Especificação internas e interestaduais (MVA) 18.19 com aparelho receptor incorporado. alterada pelo Decreto n.12.º 42.. SUAS PARTES E ACESSÓRIOS Embasamento legal: Protocolo ICMS 203/09 34 .00 Cartões inteligentes (smart cards e sim card) 9% 18.52.13 9% 18.4 8523.42% (redação do Item 19 do Anexo I.1 8711 Motocicletas (incluídos os ciclomotores) e outros ciclos equipados com motor auxiliar.Nas operações internas e de importação a base de cálculo será reduzida de forma que a carga tributária resulte em 12% (doze por cento).1 8517.42% 9% (ou aquisições em outro Estado) 18. BICICLETAS E OUTROS CICLOS SEM MOTOR.42% 9% 18.2010) 20. vigente a partir de 11. do Livro II.12.01. carros laterais 34% 19. mesmo com carro lateral.

90% 47.02.2010) 21.00% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 59.1 8712. do Livro II. patinetes.70% (redação do Item 20 do Anexo I.º 42.00 Bicicletas e outros ciclos (incluídos os triciclos) sem motor.9 Partes e acessórios das bicicletas 64.00 Pneus novos de borracha dos tipos utilizados em bicicletas 20. alterada pelo Decreto n.5 8714.00 Triciclos.67% 78.67% 78.4 8512.90% 64.57% 35 .3 4013.67% 78.50.67% 78.90% 64.303/2010. vigente a partir de 22.90% 64.Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados de Minas Gerais e Santa Catarina MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 20. BRINQUEDOS Embasamento legal: Protocolo ICMS 204/09 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados de Minas Gerais e Santa Catarina MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 21. carros de pedais e outros brinquedos semelhantes de 57% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 70.00 Câmaras de ar de borracha novas dos tipos utilizados em bicicletas 20.10.00 Aparelhos de iluminação ou de sinalização visual dos tipos utilizados em bicicletas 20. 20.1 9503.2 4011.20.

do Livro II.02.02.04. modelos reduzidos e modelos semelhantes para divertimento. inclusive box 143. do Livro II.2010) 23. bonecos. alterada pelo Decreto n. carrinhos para bonecos. FERRAMENTAS Embasamento legal: Protocolo ICMS 193/09 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados de Minas Gerais e Santa Catarina (redação do Item 23 do Anexo I.3 9404. outros brinquedos. vigente a partir de 22.303/2010.40% 9404.º 42.87% 83.2 22.303/2010. vigente a partir de 22.16% 99. do Livro II. (redação do Âmbito de Aplicação do Item 22 do Anexo I.2010) MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 22.00 Suportes elásticos para cama 9404.07% 92.10.1 22.02.90. e quebra-cabeças (“puzzles”) de qualquer tipo (redação do Item 21 do Anexo I.303/2010.54% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 164. do Livro II.º 42. vigente a partir de 22. COLCHOARIA Embasamento legal: Protocolo ICMS 190/09 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados de Minas Gerais.424/2010.º 42. vigente a partir de 26.2010) 22.2 Colchões. Santa Catarina. alterada pelo Decreto n.00 Travesseiros e pillow (redação do Item 22 do Anexo I.2010) 36 . Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul. Paraná. alterada pelo Decreto n. Mato Grosso. mesmo animados.rodas.º 42.06% 76. alterada pelo Decreto n.

armações e cabos de ferramentas. para moer. de pedras naturais. e suas partes. forcados e forquilhas. retificar ou cortar. tesouras para sebes. sachos. machados. 32. desfibrar. facas para feno ou para palha.1. sem armação. de madeira 23. tesouras de podar de todos os tipos.00.41% 39. podões e ferramentas semelhantes com gume. triturar.2 4417. mesmo com partes de outras matérias 23.1 (ou aquisições em outro Estado) 4016.92% 44.Contribuinte Subitem NCM/SH Especificação Substituto (ou Responsável solidário) Operações internas Operações interestaduais (ou aquisições no RJ) 23.15% 49% 37.64% 51. foices e foicinhas.00. amolar.10 4417. pedras para amolar ou para polir.1. enxadas.90 Ferramentas de borracha vulcanizada não endurecida 23. polir. manualmente. alviões.15% 49% 37 .99.71% 37.MVA .90 Ferramentas. ancinhos e raspadeiras. picaretas.04 Mós e artefatos semelhantes.1.01 Pás.4 82. de abrasivos naturais ou artificiais aglomerados ou de cerâmica.3 68.1.

98% 55.05 Ferramentas manuais (incluídos os diamantes de vidraceiro) não especificadas nem compreendidas em outras posições.20.20% 40. folhas de serras de todos os tipos (incluídas as fresas-serras e as folhas não dentadas para serrar) 23.37% 30.34% 37. alicates (mesmo cortantes). pinças (exceto as para sobrancelhas NCM 8203.1. chaves de caixa intercambiáveis. tenazes.1.15% 49% 29.42% 38 . corta-pinos. mesmo com cabos 23.1.5 82.17% 41. sargentos e semelhantes.8 82.03 Limas.cunhas e outras ferramentas manuais para agricultura. cisalhas para metais. lamparinas ou lâmpadas de soldar (maçaricos) e semelhantes. saca-bocados e ferramentas semelhantes.90).02 Serras manuais. corta-tubos. manuais (incluídas as chaves dinamométricas). exceto os acessórios ou partes de 42. manuais 23. tornos de apertar.6 82. grosas.04 Chaves de porcas. horticultura ou silvicultura 23.7 82.1.

1. forjas-portáteis. mandrilar. furar.07 Ferramentas intercambiáveis para ferramentas manuais. aparafusar). manuais ou de pedal 23. roscar.05. mesmo mecânicas.10 82. não montados.1. para metais. exceto forma ou gabarito de produtos em epoxy 23.1.02 a 82.69% 35% 46.09 Plaquetas.08 Facas e lâminas cortantes. de ceramais ("cermets") 47. acondicionadas em sortidos para venda a retalho 23.67% 37. pontas e objetos semelhantes para ferramentas. e as ferramentas de perfuração ou de sondagem.1.15% 57. para máquinas ou para aparelhos mecânicos 23.98% 60.11 82. varetas. puncionar.00. incluídas as fieiras de estiragem ou de extrusão. bigornas. ou para máquinasferramentas (por exemplo: de embutir.77% 45. estampar.92% 39 .máquinas-ferramentas. tornear.9 8206.00 Ferramentas de pelo menos duas das posições 82.12 82.07% 48. mós com armação. brochar. fresar.

Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem Operações internas (ou aquisições no NCM/SH Especificação Aquisições em outro Estado 40 .1.1.30 9017. agrimensura.95% 37.48% 49% 23.13 90.23. metros. exceto bússolas.17 9025.70% 42% 23.13 82. micrômetros. exceto as de uso doméstico 30. exceto os clínicos.15% 57.20. suas partes e acessórios 37.90 Termômetros.19 9025. incluídas as podadeiras de lâmina móvel.90. topografia. oceanografia. nivelamento.11.15% 49% Âmbito de aplicação : Operações internas MVA . hidrografia. hidrologia. paquímetros. meteorologia ou de geofísica. telêmetros 44.47% 62. e suas lâminas.18 9025.1.90.1.90 9025. fotogrametria.90 Instrumentos de desenho.15% 49% 23.80 9017.1.90.1. de traçado ou de cálculo. suas partes e acessórios 37.15 Tesouras e suas lâminas Instrumentos e aparelhos de geodésia.15 82.14 23.90 Pirômetros. partes e acessórios 49.11 Facas (exceto as da posição 82. calibres e semelhantes.08) de lâmina cortante ou serrilhada.39% 23.16 9017.00 9017.

84% 48. exceto: (i) os papéis 3703.1 23.RJ) 23.10.84% (redação do Item 23 do Anexo I.226/2010.10 rolo e.01.2 3213.2010) 24. de acumuladores.00 102 mm e comprimento igual ou inferior 4802.20.00.2 8413.90.1 24.00 prata tipo brilhante.º 42. em folha e com largura igual ou superior a 152 mm e comprimento igual ou inferior a 307 mm.13 Bombas para óleo lubrificante Lanternas elétricas portáteis destinadas a funcionar por meio de sua própria fonte de energia (por exemplo: de pilhas.00 Tinta guache 3703. alterada pelo Decreto n. vigente a partir de 12.2. excluídos os aparelhos de iluminação utilizados em ciclos e automóveis 37% 37% 48. do Livro II. PAPELARIA Embasamento legal: Protocolo ICMS 199/09 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados de Minas Gerais e Santa Catarina MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) “Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 24.58% 70.29 fotográficos emulsionados com haleto de 3703.20 a 350 m.10. com largura igual ou superior a 3704.2.30 85.30.10 Papel fotográfico. 34% 57% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 45. de magnetos). matte ou lustre. em 3703. (ii) os papéis fotográficos emulsionados com haleto de prata tipo brilhante ou fosco.57% 41 .10.

magenta e amarela 24.92.08 Canetas-tinteiro e outras canetas.30.01 a 39. porta-lápis e artigos semelhantes.14 24. carvões. que submetido a um processo de aquecimento seja capaz de formar imagens por reação química e combinação das camadas cyan.31% 70.perfil para encadernação.00 Prancheta 3926.16 3407.36% 56% 63% 69.10 24.00 Canetas e marcadores.88% 79.00 Lapiseiras 96. com ponta de feltro ou com outras pontas porosas 49% 65% 61. minas.20. 57% 70.10 Massas ou pastas para modelar.19 Papel celofane 57% 70.90.00 Instrumento de desenho.20. e artefatos semelhantes 57% 70.90. estiletes para duplicadores.4 3824.57% 24.10.15 9608.57% 24.(iii) papel de qualidade fotográfica com tecnologia “Thermo-autoChrome”.09% 4421.00 combinada com algodão 57% 70.00 Borracha de apagar.29 Corretivo 4016.90 24.40.57% 43% 55.9 8214.57% 24. de traçado ou de cálculo 54% 57% 67.57% 24. inclusive caneta borracha e lápis borracha 24.11 9603.00 Apontador de lápis 9017.9 24.48% 77.00 Pincéis de escrever e desenhar 96.00 Espiral .1 4202.09 Lápis.3 24.00. suas partes (incluídas as tampas e prendedores) 75% 57% 90.96% 70.14. canetas porta-penas.5 4202.17 3916.18 3920.20.90.20.13 9608.57% 24.12 24.57% 42 .99. pastéis.26% 24. próprias para recreação de crianças 57% 70.57% 24.00 Canetas esferográficas 9608.6 Maletas e pastas para documentos e de estudante. de plástico e outros materiais das posições 39.00 Barbante de algodão e de fibra sintética 5202.7 5509.8 24.53. gizes para escrever ou desenhar e gizes de alfaiate 50% 57% 62.12% 70.10.

verde e cortiça 4802.00 Papel impermeável 4808.90. de encomendas. de papel ou cartão.90 Papel almaço 4810.58.24 4802. blocos de notas.52% 24. de papel. bilhetes-postais não ilustrados e cartões para correspondência.90 24.22. de papel para cartas.57% 83. contendo um sortido de artigos para correspondência 57% 52% 70.99 Bobina para máquina de calcular ou PDV 4802.22 4802.20.9 Papel seda 57% 57% 49% 70.56.26% 43 . pastas para documentos.17 Envelopes.54.00 68% 82.20. estênceis completos e chapas ofsete.29 4806.90 Bobina para fax 4811.20 24.88% 4421.14% 24.00 Papel crepon 4810.00 Artigos de escritório e artigos escolares de plástico e outros materiais das posições 39. sacos e semelhantes.9 4802. exceto estojos.90 Papel fantasia 48.9 Cartolina escolar e papel cartão.10.23 4802.57% 70.31 4816.14.20 Livros de registro e de contabilidade. de papel ou cartão.57% 65.54.09 48. mesmo acondicionados em caixas 57% 57% 57% 69% 57% 70. recados auto adesivos (LP note).57% 70.10 Papel hectográfico 48.28 24.60% 70.32 48.30 24.10. papéis de presente 57% 70. de apontamentos. caixas.24. capas para encadernação (de folhas soltas ou 65% 79.19 3926.90.25 24.57% 24.57. brancos e coloridos.27 24.21 24.57% 70. papel autocopiativo e outros papéis para cópia ou duplicação (incluídos os papéis para estênceis ou para chapas ofsete).16 Papel-carbono. aerogramas.99 4816.13.57% 24.9 4802.57% 61.00 Quadro branco. cadernos.90.57. de recibos. classificadores. em folhas. agendas e artigos semelhantes. 57% 70.01 a 39.20.26 24.57% 24.

ofício I e II.00 Apagador para quadro 9610. do Livro II.78% 43% 55.36% 25% 35.90 Papel camurça 7607.00.00 Cartões postais impressos ou ilustrados.00 escrita 4202. guarnições ou aplicações (conhecidos como cartões de expressão social . de papel ou cartão.11. álbuns para amostras ou para coleções e capas para livros.57% 70.56 Papel cortado tipos A4.57% 70. estojo para objetos de 4420. e carta 24.40 24.04.outras).91.00 Estojo escolar.10. de papel ou cartão 24. capas de processos e outros artigos escolares. vigente a partir de 26.36 24. em 3506.41 8304.90 bastão ou líquida (redação do Item 24 do Anexo I.00.57% 85.57% 70.90 Cola escolar branca e colorida. com ou sem envelopes.80% 57% 57% 57% 57% 70.10.00 Porta-canetas 3506.90 Papel laminado e papel espelho 9603.38 4802.3 24.2010) 25. mesmo emoldurados 24.39 3926.90.59.00.90.35 24.37 5210. incluídos os formulários em blocos tipo “manifold”.57% 82% 97.34 24. ELETROELETRÔNICOS E ELETRODOMÉSTICOS Embasamento legal: Protocolo ICMS 192/09 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados de Minas Gerais e Santa Catarina 57% 71% 70. alterada pelo Decreto n. mesmo ilustrados.º 42. PRODUTOS ELETRÔNICOS. mesmo com folhas intercaladas de papel-carbono. de escritório ou de papelaria.33 4909. cartões impressos com votos ou mensagens pessoais.de época / sentimento) 24.424/2010.00 Lousas e quadros para escrever ou desenhar.73% 44 .

2 8418.00 Especificação MVA .22% 49.9 Partes das secadoras de roupas e centrífugas de uso doméstico e 27.31 Bebedouros refrigerados para água 28.21.11.59% 38.9 25.99 8418. munidos de portas exteriores separadas 37.3 8418.90.69.6 8418.18% 25. de capacidade não superior a 800 litros 41. descritos nos subitens 25.90% 45 .11% 25. de compressão 34.29.45% 61.81.54% 49.99.30.90 Outros congeladores ("freezers") 37.51% 53.10 8418.49% 46.50.55% 53.00 Congeladores ("freezers") verticais tipo armário.00 7321.00 Mini Adega e similares Máquinas para produção de gelo Partes dos Refrigeradores.14 8421.9 25.69.1 NCM/SH Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 7321.74% 25.85% 38.12 8421.08% 25.98% 50.01% 25.79% 63.90 Outras secadoras de roupas e centrífugas para uso doméstico 37.10.84% 36.Subitem Operações internas (ou aquisições no RJ) 25.00 Refrigeradores do tipo doméstico.28% 25.00 7321.13 8421.22% 49.54% 40.12 Secadoras de roupa de uso doméstico 27.08% 25.19.91% 50.Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Fogões de cozinha de uso doméstico e suas partes 38.01% 25.11% 39.5 8418. de capacidade não superior a 900 litros 40.62% 25.10 25.99% 25.2 a 25.00 Combinações de refrigeradores e congeladores ("freezers").7 8418.50.9 8418.84% 53.00 Outros refrigeradores do tipo doméstico 48.43% 25.00 Congeladores ("freezers") horizontais tipo arca.69. Congeladores e Mini Adegas.11 8418.4 8418.8 8418.40.

dos aparelhos para filtrar ou depurar água, descritos nas posições 8421.12; 8421.19.90 e 8418.69.31. 25.15 8422.11.00 8422.90.10 25.16 8443.31 Máquinas de lavar louça do tipo doméstico e suas partes Máquinas que executem pelo menos duas das seguintes funções: impressão, cópia ou transmissão de telecópia (fax), capazes de ser conectadas a uma máquina automática para processamento de dados ou a uma rede 25.17 8443.32 Outras impressoras, máquinas copiadoras e telecopiadores (fax), mesmo combinados entre si, capazes de ser conectados a uma máquina automática para processamento de dados ou a uma rede 25.18 8443.99 Outras máquinas e aparelhos de impressão por meio de blocos, cilindros e outros elementos de impressão da posição 84.42; e de outras impressoras, máquinas copiadoras e telecopiadores (fax), mesmo combinados entre si, suas partes e acessórios 25.19 8450.11 Máquinas de lavar roupa, mesmo com dispositivos de secagem, de uso doméstico, de capacidade não superior a 10 kg, em peso de roupa seca, inteiramente automáticas 25.20 8452.10.00 Máquinas de costura de uso doméstico 25.21 8450.12 Outras máquinas de lavar roupa, 38,58% 50,56% 44,08% 56,53% 31,06% 42,39% 32,34% 43,78% 34,82% 46,47% 26,19% 37,10% 41,96% 54,23%

46

mesmo com dispositivos de secagem, de uso doméstico, com secador centrífugo incorporado 25.22 8450.19 Outras máquinas de lavar roupa, mesmo com dispositivos de secagem, de uso doméstico 25.23 8450.20 Máquinas de lavar roupa, mesmo com dispositivos de secagem, de uso doméstico, de capacidade superior a 10 kg, em peso de roupa seca 25.24 8450.90 Partes de máquinas de lavar roupa, mesmo com dispositivos de secagem, de uso doméstico 25.25 8451.21.00 Máquinas de secar de uso doméstico, e suas partes, de capacidade não superior a 10kg, em peso de roupa seca 25.26 8451.29.90 Outras máquinas de secar de uso doméstico 25.27 8451.90 Partes de máquinas de secar de uso doméstico 25.28 8471.30 Máquinas automáticas para processamento de dados, portáteis, de peso não superior a 10kg, contendo pelo menos uma unidade central de processamento, um teclado e uma tela 25.29 8471.4 Outras máquinas automáticas para processamento de dados 25.30 8471.50.10 Unidades de processamento, de pequena capacidade, exceto as das subposições 8471.41 e 8471.49.00, podendo conter, no mesmo corpo, um ou dois dos seguintes tipos de unidades: unidade de memória, unidade de entrada e unidade de saída; 22,03% 32,58% 38,73% 50,72% 24,43% 35,18% 40,04% 52,14% 48,07% 60,87% 32,01% 43,42% 31,49% 42,85% 31,70% 43,08% 31,28% 42,63%

47

baseadas em microprocessadores, com capacidade de instalação, dentro do mesmo gabinete, de unidades de memória da subposição 8471.70, podendo conter múltiplos conectores de expansão ("slots"), e valor FOB inferior ou igual a US$ 12.500,00, por unidade 25.31 8471.60.5 Unidades de entrada, exceto as das posições 8471.60.54 25.32 8471.60.90 Outras unidades de entrada ou de saída, podendo conter, no mesmo corpo, unidades de memória 25.33 25.34 8471.70 8471.90 Unidades de memória Outras máquinas automáticas para processamento de dados e suas unidades; leitores magnéticos ou ópticos, máquinas para registrar dados em suporte sob forma codificada, e máquinas para processamento desses dados, não especificadas nem compreendidas em outras posições. 25.35 8473.30 Partes e acessórios das máquinas da posição 84.71 25.36 8504.3 Outros transformadores, exceto os produtos classificados nas posições 8504.33.00 e 8504.34.00 25.37 25.38 8504.40.10 8504.40.40 Carregadores de acumuladores Equipamentos de alimentação ininterrupta de energia (UPS ou "no break") 25.39 25.40 85.08 85.09 Aspiradores Aparelhos eletromecânicos de motor elétrico incorporado, de uso doméstico e suas partes 25.41 8509.80.10 Enceradeiras 43,81% 56,24% 34,13% 41,66% 45,72% 53,90% 58,46% 36,26% 72,15% 48,04% 42,49% 54,80% 32,39% 43,83% 34,45% 27,12% 46,07% 38,11% 37,22% 49,08% 49,61% 62,54%

48

00 8516.51 8517.62.78% 25.78% 33.08% 25.12 Telefones para redes sem fio.44 25.92% 54. descritos nos subitens 25. 8517.53% 37.22% 52.00 Outros aparelhos eletrotérmicos para uso doméstico – Cafeteiras 41. fogareiros (incluídas as chapas de cocção).16.22% 55. mesmo combinados com microfone e conjuntos ou sortidos constituídos por um microfone e um ou mais alto-falantes.11 Aparelhos telefônicos por fio com unidade auscultador-microfone sem fio 38.48 37.9 8517.45 8516. 41. exceto os das posições 8517.87% 49.67% 49.79 Outros aparelhos eletrotérmicos para uso doméstico 37.01% 41.62.93% 49 .18 Microfones e seus suportes. imagem ou outros dados em rede com fio.50. altofalantes.40.54% 32.90.25. mesmo montados nos seus receptáculos.51.46 8516.50 8517.53 40.55% 50.69% 53. grelhas e assadeiras 48.62.49 8516.60. fornos e outros aparelhos eletrotérmicos da posição 85.54 85.71.18.97% 30.10.62.04% 25.43 25. exceto celulares e os de uso automotivo 21.00 Partes das chaleiras.33% 42.53 8517.78% 25.25% 25.40% 42.00 Chaleiras elétricas Ferros elétricos de passar Fornos de microondas Outros fornos.48 8516.52 e 8517.00 8516.00 Outros aparelhos eletrotérmicos para uso doméstico – Torradeiras 30.42 25.72.42 a 25.00 8516.52% 25.15% 25. ferros.87% 49.08% 45.47 8516. fones de ouvido (auscultadores).18% 25.52 25.5 Outros aparelhos telefônicos Aparelhos para transmissão ou recepção de voz.60% 61. amplificadores elétricos de audiofreqüência.

08% 40.93% 50 .29 Câmeras fotográficas digitais e câmeras de vídeo e suas partes 25.80. com um aparelho de gravação ou de reprodução de som.57 8521.51. Exceto os de uso automotivo 25.22% 49. mesmo combinados num mesmo invólucro.60 85. Exceto os de uso automotivo 25.aparelhos elétricos de amplificação de som. aparelhos de reprodução de som.20 8528.55 85.61 8528.20 Outros monitores dos tipos utilizados exclusiva ou 37. suas partes e acessórios. aparelhos de reprodução de som.19 85. Exceto os de uso automotivo 25.58 8523.29 8528. mesmo incorporando um receptor de sinais videofônicos 25.10 Cartões de memória ("memory cards") 25.52% 38.97% 34.26% 52.59.69% 53.62% 23.90 Outros aparelhos videofônicos de gravação ou de reprodução. aparelhos de gravação e de reprodução de som.22% 49. ou com um relógio.49% Monitores e projetores que não incorporem aparelhos receptores de televisão 37.27 Aparelhos receptores para radiodifusão.61.90 Outros aparelhos de gravação de som.49. exceto os classificados na posição 8527.59 8525.60% 49.00 8528.68% 62.68% 27. partes e acessórios.54% 41.81.00 25. aparelhos de gravação e de reprodução de som. partes e acessórios.2 que sejam de uso automotivo 25.62 8528.69.90.51.38% 49.08% 37.22 Aparelhos de gravação de som.56 8519.

72% 37. alterada pelo Decreto n.66 9006.7 Outros aparelhos receptores de televisão não dotados de monitores ou display de vídeo 25.424/2010.46 e 25.82% 29.71 9504.71.22% 49.Televisores de CRT (tubo de ráios catódicos) 25.89.69 25.70 9018.2010) (redação dos Subitens 25.º 42.04.67% 40.08% 49. policromáticos 25.68 25.08% 48. alterada pelo Decreto n.64 8528.2010) 51 .7 Aparelhos receptores de televisão.22% 37. vigente a partir de 22.00 Câmeras fotográficas dos tipos utilizadas para preparação de clichês ou cilindros de impressão 25.00 Câmeras fotográficas para filmes de revelação e copiagem instantâneas 25.50 9019.principalmente com uma máquina automática para processamento de dados da posição 84. mesmo que incorporem um aparelho receptor de radiodifusão ou um aparelho de gravação ou reprodução de som ou de imagens .40. vigente a partir de 26. mesmo que incorporem um aparelho receptor de radiodifusão ou um aparelho de gravação ou reprodução de som ou de imagens .21% 42.88% 37.22% 45.10 Jogos de vídeo dos tipos utilizáveis com receptor de televisão 29.10.65 8528.02.7 Aparelhos receptores de televisão.º 42.00 9032.22% 49. do Livro II.00% 54.08% 37.89% 49.06% 40.10.Televisores de Plasma 25. do Livro II.90.11 Aparelhos de diatermia Aparelhos de massagem Reguladores de voltagem eletrônicos 25.27% (redação do Item 25 do Anexo I.47 do Anexo I.303/2010.22% 36.67 9006.08% 34.63 8528.

DETERGENTE.00 Águas. ÁGUA SANITÁRIA.1 2202. incluídas as águas minerais e as águas gaseificadas. excetuados o refinado e o cristal 4.26. ADICIONADA DE AÇÚCAR OU DE OUTROS EDULCORANTES OU AROMATIZADA Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 27.1 Açúcar. EXCETUADOS O REFINADO E O CRISTAL Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 26. açúcar ou outros edulcorantes e as bebidas prontas para beber à base de leite.67% Aquisições em outro Estado 50% 28. ÁGUA. adicionadas de açúcar ou de outros edulcorantes ou aromatizadas Exceção: os néctares de frutas tornados próprios para consumo por adição de água. PRODUTOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DOMÉSTICA Âmbito de aplicação: Operações internas 52 . de cacau e de leite de soja 36.10. AÇÚCAR.78% Aquisições em outro Estado 15% 27.

essências e concentrados de café. ÁLCOOL PARA USO DOMÉSTICO.89% Aquisições em outro Estado 25% 53 .44% Aquisições em outro Estado 30% 29. com um teor alcoólico em volume igual ou superior a 80% vol. ESSÊNCIAS OU CONCENTRADOS À BASE DE MATE E BEBIDA PRONTA À BASE DE MATE (CHÁS PRONTOS PARA O CONSUMO) Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 30. produtos de limpeza e conservação doméstica 18.1 Água sanitária.MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 28.44% Aquisições em outro Estado 30% 30. com qualquer teor alcoólico 18. álcool etílico e aguardentes. detergente.. FARMACÊUTICO OU INDUSTRIAL Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 29.1 2207 Álcool etílico não desnaturado. desnaturados.1 2101 Extratos. de chá ou de mate e preparações à 13. INCLUSIVE EXTRATOS. ESSÊNCIAS E CONCENTRADOS DE MATE E PREPARAÇÕES À BASE DESTES EXTRATOS. ALIMENTO OU PREPARAÇÕES ALIMENTÍCIAS.

essências e concentrados Exceção: preparados para fabricação de sorvete em máquina 30.3 3824.424/2010.00 e afins 33. ACABAMENTO.1 3824.89% 25% 13.89% 25% (redação do Subitem 30. do Livro II. aditivos para argamassas 3824.07% Aquisições em outro Estado 54 . chicória torrada e outros sucedâneos torrados do café e respectivos extratos. exceto cola bastão.base destes produtos ou à base de café.00 Argamassas e concretos.1 3214.10.40.3 do Anexo I.50. alterada pelo Decreto n.2 2106 Preparações alimentícias não especificadas nem compreendidas em outras posições 30.50.10% revestimento.º 42. vigente a partir de 26.00. massas para 3816. com peso líquido não superior a 1 kilo.00 Argamassas. cola instantânea e cola branca escolar 33. seladoras. não refratários 35. BRICOLAGEM OU ADORNO Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 31.04.53% 40% 45.00 Bebidas prontas à base de mate (chás prontos para consumo) 13.2 31.53% 45. chá ou mate.06 Produtos de qualquer espécie utilizados como colas ou adesivos.07% 52.3 2202.2010) 31.00 31. acondicionados para venda a retalho como colas ou adesivos.90. MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO.

mesmo providos dos respectivos acessórios (por exemplo.20. uniões).62% 46.32% 31.09 Pisos de madeira denominados “oriented strand board” (OSB) e painéis semelhantes (por exemplo.5 31.04% 31. sancas e afins de PVC.28% 51.24% 4410.14 3926.31.09 Tubos de borracha vulcanizada não endurecida.93.34% 38. para uso na construção civil Tubos e seus acessórios (por exemplo. Forro. de plástico 3925.46% 39.22 39.61% 46.10% 31.8 39. para uso na construção civil 30. caixas de descarga e artigos semelhantes para usos sanitários ou higiênicos. para uso na construção civil 38. fitas isolantes e afins Banheiras. lavatórios. janelas e afins. uniões) para uso na construção civil 31.76% 38. boxes para chuveiros.18 39. juntas.00 Juntas.13 31.10 31.90 Fitas emborrachadas 40.21 Painéis de partículas.19 39. de plásticos.10% 31.74% 50.10% 4005.4 31.16 39. flanges.34% 30.14% 40% 41.67% 52.90 Outras obras de plástico. de borracha vulcanizada não endurecida. “waferboard”). flanges.00 Portas. cotovelos. estores (incluídas as venezianas) e artefatos semelhantes e suas partes 35% 40% 46.17 Revestimentos de PVC e outros plásticos.17% 44.6 39.30% 50. de madeira ou de outras matérias lenhosas.9 39. gaxetas e semelhantes.11 3925. sanitários e seus assentos e tampas.17 44. cotovelos. recobertos 34. para uso não automotivo 40% 52. pias.13% 52.16 39.7 31.12 31.16.16 31.11.96% 34.25% 31. painéis 55 . bidês.20 39.15 40.21 Revestimento de pavimento de PVC e outros plásticos Veda rosca.30% 42.00 Postigos.48% 27. lona plástica.97% 28.91. juntas.30. de plásticos 32.

02 Persianas de materiais têxteis Ladrilhos de mármores.na superfície com papel impregnado de melamina.20 57. em ambas as faces. basalto e outras rochas silicáticas. lajotas.19 44.10% 36.25 31. mesmo aglomeradas com resinas ou com outros aglutinantes orgânicos.44% 28.18 44. mesmo confeccionados 31.09 Obras de gesso ou de composições à base de gesso 34. exceto os tufados e os flocados.04 Tapetes e outros revestimentos para pavimentos (pisos).05 Abrasivos naturais ou artificiais. de madeira 31. dos tipos utilizados para pavimentos 31. em pó ou em grãos.41% 56 . diorito.21 57. de matérias têxteis. incluídos os painéis celulares. travertinos. cartão ou outras matérias.10. costurados ou reunidos de outro modo 31. cianito.65% 36.18 Obras de marcenaria ou de carpintaria para construções. e ladrilhos de granito. mesmo confeccionados 31. de feltro. os painéis montados para revestimento de pavimentos (pisos) e as fasquias para telhados “shingles e shakes”. tufados.13% 33.79% 35.67% 46. papel.03 Tapetes e outros revestimentos para pavimentos (pisos). alabastro.00 Manta asfáltica 68. mesmo recortados.26 6807.06% 39.84% 45. ônix e outras rochas carbonáticas.23 63.10% 52.83% 48.64% 40% 40% 52.22 31.03 68.27% 49.11 Pisos laminados com base de MDF (Médium Density Fiberboard) e/ou madeira 31. charnokito.65% 37.83% 48.24 68. aplicados sobre matérias têxteis.90% 47. com película protetora na face superior e trabalho de encaixe nas quatro laterais. quadrotes. com área de até 2m2 31.

mesmo armadas.65% 34.84% 31. laje.46% 47. em chapas.39 7217. não 73. de ferro ou aço.90% 31.19. não isolados para usos elétricos Vergalhões de ferro 33. excluídos os de uso automotivo 7214. não ligados.31. refletora ou não.81% 45.20% 46. pré laje e mourões 35. em chapas ou em folhas. de ferro 39.59% 50.03% 31. cabos.20.41% 46.07 Acessórios para tubos (inclusive uniões.12 revestidos. mesmo com camada absorvente.10% 38. de cerâmica 34.34 31.33 31. mictórios e aparelhos fixos semelhantes para usos sanitários. banheiras.00 Vidros laminados 70. tranças (entrançados).38 31.07 69.13 7214.17% 31. lingas e artefatos semelhantes.00 Barras próprias para construções.27 68.10 Obras de cimento.48% 51.03% 31. galvanizados 73.10 inclusive vergalhões de aço 72.08% 47.20.00 7217.28 69. mas sem qualquer outro trabalho 34.05 Vidro flotado e vidro desbastado ou polido em uma ou em ambas as faces.53% 52.74% 37.56% 40% 27.36 31. caixas de descarga.90 Fios de ferro ou aço não ligados.90 Outros fios de ferro ou aço.73% 33.09 Espelhos de vidro.10. exceto poste acima de 3 m de altura e tubos. 7308.80% 31.31 70. bidês.93% 38.02% 57 .29 69. mas sem qualquer outro trabalho 35.08 Ladrilhos e placas de cerâmica. cotovelos.35 31. mesmo polidos cordas. luvas ou mangas).30 70.90. lavatórios.00 Vidros temperados 7007. colunas para lavatórios.10 Pias.88% 45.29.33% 47. mesmo emoldurados. de concreto ou de pedra artificial. mesmo com camada absorvente. exclusivamente para pavimentação ou revestimento Vidro vazado ou laminado.37 7007.32 31.03 36. sanitários. refletora ou não. folhas ou perfis.20.78% 49.29% 45.

52% 40% 52. porcas.07 Abraçadeiras Barras de cobre instalações de água quente e gás.40 7308. de ferro ou aço arames ou tiras.70% 40% 52.42 7313.50 74.18 Parafusos.10% 42.26 74. cavilhas. para armações 7308. de uso na construção civil 31.00 Correntes de elos soldados. ganchos roscados. (inclusive armações prontas. de ferro fundido. ferro ou aço. ferro ou aço 31. percevejos. para estruturas de concreto armado ou argamassa armada).12 Acessórios para tubos (por exemplo. de ferro ou aço. de ferro ou aço 7317. eletrocalhas e perfilados de ferro fundido. de ferro fundido.90 (cofragens) e para escoramentos.00 Material para andaimes.00 Tachas.45 73. para 58 .10 Tubos de cobre e suas ligas.46 73. luvas ou mangas) de cobre e suas ligas. pinos ou pernos.07% 7411.86% 38. rebites. pregos. exceto cobre 31.10% 31.48 31.10% 36.00 Portas e janelas e seus caixilhos.70% 40% 31. ferro ou aço 31. uniões. contrapinos. próprios para construção 31.00. cotovelos.41 7308. escápulas.85% 41. grampos ondulados ou biselados e artefatos semelhantes.82.00 Arame farpado. mesmo com a cabeça de outra matéria. de fios de ferro ou aço 7315.67% 38. alizares e soleiras de ferro fundido. de ferro fundido.43 31.14 Telas metálicas.47 31.18% 42.10.60% 48. mesmo farpados.40% 40% 52. tira-fundos. dos tipos utilizados em cercas 31.40. retorcidos.10% 29. ferro ou aço 31. arruelas (incluídas as de pressão) e artefatos semelhantes. roscados.85% 41.49 73.07% 29.5% 27.44 31. para uso na 27.67% 52.fundido.30. grades e redes. chavetas. ferro ou aço.

perfis.00 Dobradiças de metais comuns.00. chapas. parafusos. de 40% 52. exceto as construções. de cobre 31. de cobre.96% 45. colunas. de metais comuns excluídos os de uso automotivo 31.20% 46. exceto persianas de alumínio 31.06% 37.19. e artefatos semelhantes. ferragens e artigos semelhantes de metais comuns.01 Cadeados.construção civil 31.20% 46.26% 48.10% 36. pilares.00 Acessórios para tubos (por exemplo. uniões.29% 34.56 76.16 8302.88% 35. de alumínio.19% 39. inclusive puxadores. armações. cavilhas. pré-fabricadas da posição 94.97% 42.55 31.79% 52. percevejos. fechaduras e ferrolhos (de chave.00% 59 . de alumínio. para uso na construção civil 31. contrapinos. balaustradas. com fechadura. luvas ou mangas).10. roscados. alizares e soleiras. pregos. barras. e estruturas de box). incluídas as suas partes fechos e armações com fecho. chavetas. de metais comuns chaves para estes artigos. ganchos roscados.59 8302. torres.15 Tachas. de metais comuns. portas e janelas. de alumínio. ou de ferro ou aço com cabeça de cobre.15% 49. arruelas (incluídas as de pressão). pórticos. escápulas e artefatos semelhantes. estruturas para telhados.10 Construções e suas partes (inclusive pontes e elementos de pontes.53 7607.52 31. incluídas as persianas Outras guarnições.4 Outras obras de alumínio.54 76.51 74. de segredo ou elétricos). pinos ou pernos.88% 30. próprios para construções 31.04% 35.90 Manta de subcobertura aluminizada 7609. porcas. tubos e semelhantes. cotovelos. e seus caixilhos. próprias para construções.16 76.06. rebites. para construções.57 83.

º 42.14% 51. tubos.08% 35% 39. para soldagem (soldadura) ou depósito de metal ou de carbonetos metálicos fios e varetas de pós de metais comuns aglomerados.00 Partes de máquinas e aparelhos para soldadura forte ou fraca e de máquinas e aparelhos para soldar metais por resistência 31.62 8419. caldeiras.11 Fios. mesmo com acessórios. do Livro II.64 8515.66 do Anexo I. alterada pelo Decreto n. de aquecimento instantâneo ou de acumulação 31.2010) (redação do Subitem 31.88% 37. louças sanitárias e de cozinha não especificados nos demais subitens de que trata o Item 31 (redação do Item 31 do Anexo I. para canalizações. vigente a partir de 22. varetas.07 Tubos flexíveis de metais comuns.81 Torneiras. acrescentada pelo Decreto n.424/2010.04. para uso na construção civil 31.18% 41.65 31.83% 60 . reservatórios. do Livro II.67% 40.qualquer tipo 31.70% 23% 43.19% 30. eletrodos e artefatos semelhantes. revestidos exterior ou interiormente de decapantes ou de fundentes.60 83.2010) 31.66 90. para metalização por projeção 31.63 84.02.43% 29.55% 41. cubas e outros recipientes 31.º 42. vigente a partir de 26.90. chapas. válvulas (incluídas as redutoras de pressão e as termostáticas) e dispositivos semelhantes.32% 49.16% 30.61 83.19 Banheira de hidromassagem Outros azulejos. de metais comuns ou de carbonetos metálicos.303/2010.1 Aquecedores de água não elétricos.

pastas secas de farinha. CARAMELO. em folhas. "água e sal". PASTILHA. independentemente de sua denominação 13. CHOCOLATE. BISCOITOS. cápsulas vazias para medicamentos. cobertos ou amanteigados. GOMA DE MASCAR E GULOSEIMAS SEMELHANTES E OVO DE PÁSCOA (exceto preparados para fabricação de sorvete em máquina) Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 32. pastelaria ou da indústria de bolachas e biscoitos. obreias. e produtos semelhantes Exceção: os biscoitos e bolachas dos tipos "cream cracker".1 1905 Produtos de padaria. não adicionados de cacau. BOLACHAS. WAFFLES E WAFERS Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 33. mesmo adicionados de cacau. BALA. "maisena" e "maria" e outros de consumo popular.2 1806 Chocolate e outras preparações alimentícias contendo cacau 23% 35% 23% Aquisições em outro Estado 35% 33. BOMBOM. hóstias. sem cacau (incluído o chocolate branco) 32. amido ou fécula.89 Aquisições em outro Estado 30% 61 . DROPE.1 1704 Produtos de confeitaria. nem recheados.32.

º 42.2010) 18. que não sejam os relacionados no item 31 (redação do Item 34 do Anexo I.comercial 34. FERRO PARA CONSTRUÇÃO CIVIL Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 34. alterada pelo Decreto n. vigente a partir de 22.1 Demais produtos de ferro para a construção civil. INSETICIDA DOMÉSTICO Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 35. do Livro II. LENTES DE CONTATO Âmbito de aplicação: Operações internas Subitem Especificação MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) 62 .48% Aquisições em outro Estado 20% 35.303/2010.1 Inseticida doméstico 23% Aquisições em outro Estado 35% 36.02.

1 Vendas por sistema de marketing direto porta-aporta a consumidor final 30% Aquisições em outro Estado 40% 38. para usos alimentares 18.67% Aquisições em outro Estado 50% 37.1 2209. MÁQUINAS E OUTRAS FERRAMENTAS Embasamento legal : Protocolo ICMS 158/09 63 . VINAGRE PARA USO ALIMENTAR Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 38.1 Lentes de contato 36.00 Vinagres e seus sucedâneos obtidos a partir do ácido acético. OPERAÇÕES RELATIVAS A VENDAS POR SISTEMA DE MARKETING DIRETO PORTA-APORTA A CONSUMIDOR FINAL Âmbito de aplicação: Operações internas MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 37.Operações internas (ou aquisições no RJ) 36.00.44% Aquisições em outro Estado 30% 39.

20.3 8413.84% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado ) 8515.Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 39.90 Bombas volumétricas alternativas 39. geradores de acetileno e geradores semelhantes de gás. excluídas as automáticasNCM 8515.50.11 e 8413.5 39.2 8413.19 39.84% 37% 48.4 8425.Âmbito de aplicação : Operações internas e interestaduais envolvendo o Estado de Minas Gerais MVA .7 9024.1 84.49 Macacos 37% 37% 48.84% 64 .84% 39.1 Talhas. cadernais e moitões 39.84% 48.00 Bombas manuais para líquidos. com ou sem depuradores.00 Máquinas e aparelhos para soldar metais por arco ou jato de plasma.84% 37% 48. exceto das subposições 8413.39. operados a água.20 Máquinas e aparelhos para ensaios de dureza 37% 48.6 8425.05 Geradores de gás de ar (gás pobre) ou de gás de água.31 37% 48. com ou sem depuradores 39.84% 37% 48.10.

suas partes e acessórios.9 9028. contadores de produção.90 gases. podômetros. exceto os das posições 90.20 Contadores de 37% 48. aparelhos e máquinas de medida ou controle. excluídos os taxímetros). exceto aparelhos digitais de uso em veículos 37% 48.84% 39.10 90.11 90.84% 65 .15.10 Contadores de 37% 48.90 líquidos. suas 39. não especificados nem compreendidos em outras posições do presente capítulo.14 ou 90.29 Outros contadores (por exemplo: contadores de voltas. suas partes 39. inclusive suas partes e acessórios 37% 48. totalizadores de caminho percorrido.8 9028. projetores de perfis.90. estroboscópios.39.90.84% e acessórios 9028. indicadores de velocidade e tacômetros.31 Instrumentos.84% partes e acessórios 9028.

aparelhos para análise de têxteis.99% 8415.74% 40.01.5 Ventiladores 35.80.226/2010.81 Aparelhos mecânicos para agricultura ou horticultura 37% 48. acrescentada pelo Decreto n.50 e células de cargaNCM 9031.10 8415.80.00 Coifas com dimensão horizontal máxima não superior a 120 cm 40.84% (redação do Item 39 do Anexo I.40.2010) 40.2 8414. ELÉTRICOS.4 8415.60. do Livro II.3 8414.º 42.12 8424.68% 8414.74% Operações interestaduais (ou aquisições em outro Estado) 47.8 Máquinas e aparelhos de arcondicionado contendo um ventilador 39.automóveis-NCM 9031.74% 62.99% 47. MÁQUINAS E APARELHOS MECÂNICOS.80.60 39. incluídos as máquinas e aparelhos em 66 .90.90.1 40.20 Partes de ventiladores ou coifas aspirantes 35.90% 51. computadorizadosNCM 9031.00 motorizado e dispositivos próprios para modificar a temperatura e a umidade.99% 49. ELETROMECÂNICOS E AUTOMÁTICOS Embasamento legal: Protocolo ICMS 195/09 Âmbito de aplicação: Operações internas e interestaduais envolvendo os Estados de Minas Gerais e Santa Catarina MVA – Contribuinte Substituto (ou Responsável solidário) “Subitem NCM/SH Especificação Operações internas (ou aquisições no RJ) 40. vigente a partir de 12.

21.80% 67 . com capacidade de saída inferior ou igual a 6 litros por minuto 40.15 40.12% 54.79% 38.14 8424.30.13 8424.90.45% 42.10.40% 79. de uso manual 42.84% 64.12% 59.000 frigorias/hora 40.00 Pistolas aerográficas e aparelhos semelhantes 40. hidráulicas ou com motor (elétrico ou não elétrico) incorporado.90 vapor e aparelhos de jato semelhantes e 8424.90 Aparelhos de ar-condicionado com capacidade acima de 30.11% 54.21.67 Ferramentas pneumáticas.10.19 Aparelhos de ar-condicionado com capacidade inferior ou igual a 30.5 8415.00 Aparelhos para filtrar ou depurar água – Filtros de barro 40.10 Máquinas e aparelhos de jato de água e 8424.90 Aparelhos para filtrar ou depurar água – Depuradores de água elétricos 40.19% 45.9 8421. incluídas as balanças para bebês.30 Concentradores de oxigênio por depuração do ar.10.12.90% 51.29% 51.39. balanças de uso doméstico 40.10. dos tipos utilizados em escritórios.89% 70.56% 39.8 8421.21% 59.01% 60.12% 54.20.6 8415.000 frigorias/hora 40.7 8415.30.58% 50. quando não dobradas 40.40% 46.17 84.29. por ofsete. alimentados por folhas de formato não superior a 22 cm x 36 cm.00 Balanças para pessoas.16 8424.10 8421.30.45% 47.40% 42.96% 42.93% 34.12 8423.que a umidade não seja regulável separadamente e suas partes e peças 40.90 suas partes 40.00 Aparelhos para filtrar ou depurar água – Purificadores de água 40.40% 56.99% 48.11 8421.12% 54.11 Aparelhos de ar-condicionado tipo Split System (elementos separados) com unidade externa e interna 40.00 Máquinas e aparelhos de impressão.90 Lavadora de alta pressão 8443.76% 95.

40% 40.12% 54.93% 56. máquinas de cortar o cabelo ou de tosquiar e aparelhos de depilar.10.19 8467.12% 53.12% 54.93% Nota 1 .97% 40.18 40. 12 .45% 56.10 41.00 Secadores de cabelo 8516. Nota 3 – O regime de substituição tributária com as mercadorias arroladas nos itens 31 e 34.”.24 8516.40% 40. entrou em vigor a partir do dia 1º de maio de 2010.32.12% 54.31.90.BASE DE CÁLCULO ICMS-ST A base de cálculo do ICMS-ST para fins de cálculo do valor do imposto a ser retido pelo contribuinte substituto obedecerá aos seguintes critérios: 68 .00 Máquinas e aparelhos a gás e suas 8468.90 8510 Aparelhos ou máquinas de barbear. Nota 2 .22 8515.25 40.00 Furadeiras elétricas 8468.26 8516.20 8468.Na impossibilidade de inclusão do valor do frete na composição da base de cálculo o recolhimento do imposto correspondente será efetuado pelo estabelecimento destinatário.23 8515.40. acrescido da margem de valor agregado.45% 44.21 8214.21. de motor elétrico incorporado e suas partes 42.2 Máquinas e aparelhos para soldar metais por resistência 42.12% 54.20.90.40% 40.90 partes 42. sendo a base de cálculo corresponde ao preço efetivamente praticado na operação.40% 40.1 Máquinas e aparelhos para soldadura forte ou fraca 42.O regime de substituição tributária se aplica também à entrada destinada ao ativo permanente ou ao uso ou consumo do estabelecimento destinatário.00 Outros aparelhos para arranjos do cabelo 44.26% 42.60% 42.40% 40.00 Maçaricos de uso manual e suas partes 8468.47% 54.2 Aparelhos elétricos para aquecimento de ambientes 31.

inciso II. Base de Cálculo = Preço fixado (Pauta Fiscal) b. a base de cálculo será. estabelecida pela UF. seja no valor total. 41. incluindo-se aqueles que por qualquer motivo deixaram de ser cobrados do destinatário art. Dessa forma. 7º.3) no caso de inexistir os valores referidos nos itens “b. 5º. soma dos valores correspondentes ao seguro. frete. Livro II do RICMS-RJ): • • valor da operação ou prestação própria (OP)realizada pelo contribuinte substituto.1” e “b.2” anteriormente citados. Base de Cálculo = OP + frete + seguro + IPI + encargos + MVA 12. do Livro II. há que se observar os valores totais praticados para a determinação da base de cálculo do ICMS ST.a) nas operações antecedentes a base de cálculo corresponderá ao valor das operações ou prestações anteriores (art.1) o preço final da mercadoria ou prestação de serviço. 5º. 5º. alterado pelo Decreto nº. c/c § 4º. pela ordem: b. RICMS-RJ) b) nas operações subsequentes. descontos e quaisquer outras deduções concedidas. seja no valor unitário da mercadoria. 69 . II e art. Base de Cálculo = Preço sugerido pelo fabricante ou importador b. • Margem de Valor Agregado (MVA). do RICMS-RJ). a base de cálculo corresponderá ao somatório dos seguintes valores (art. IPI e outros encargos cobrados ou transferíveis ao adquirente.1– DESCONTOS E BONIFICAÇÕES Não é permitida a exclusão da base de cálculo da substituição tributária os valores correspondentes as mercadorias bonificadas. caso seja fixado por órgão ou entidade competente da administração pública. 5º. do Livro II do RICMS-RJ. § 1º.2) preço final ao consumidor sugerido pelo fabricante ou importador (art. independentemente do valor cobrado na operação. relativa às operações ou prestações subsequentes.175/08. inciso I do Livro II.

1 – MVA AJUSTADA. em substituição às margens de valor adicionado ajustadas constantes no Anexo I do Livro II do RICMS-RJ. c) "ALQ intra" é o coeficiente correspondente à alíquota (reduzidas) prevista para as operações substituídas.MARGEM DE VALOR AGREGADO A margem de valor agregado será determinada com base em preços usualmente praticados no mercado. b) "ALQ inter" é o coeficiente correspondente à alíquota interestadual aplicável à operação (interestadual). 13.ALQ inter) / (1. A mercadoria submetida ao regime de substituição tributária em operação interestadual terá a margem de valor agregado estabelecida em Convênio ou Protocolo. o contribuinte substituto deve adotar a margem obtida com a aplicação da fórmula a seguir. Na hipótese de operação interestadual destinada ao Estado do Rio de Janeiro com os produtos relacionados nos itens 6 a 10. 10 do Livro II do RICMS-RJ 13. aplicada ao valor da operação. ainda que por amostragem ou através de informações e outros elementos fornecidos por entidades representativas dos setores. 16. 39 e 40 em que a alíquota interna aplicável (* nominal ou efetiva) seja inferior ao percentual de 19% (dezenove por cento). já considerado o Fundo Estadual de Combate à Pobreza (FECP). Considerando os valores abaixo.ALQ intra)] -1". * Entende-se por alíquota efetiva aquela que. art. no Estado do Rio de Janeiro (interna). 12. segue exemplo de cálculo para ajuste da MVA. para adequar a Margem de Valor Adicionado Ajustada: "MVA ajustada = [(1+ MVA ST original) x (1 . corresponda à alíquota nominal multiplicada pela respectiva base de cálculo reduzida. 31.13 . onde: a) "MVA ST original" é a margem de valor agregado indicada nos respectivos protocolos. adotando-se a média ponderada dos preços coletados. 19 a 25. 70 . obtidos por levantamento.

o valor devido por sua própria operação (contribuinte substituto). não poderá ser inferior a MVA original prevista no respectivo protocolo ou convênio.a) “MVA ST Original” = 38.1 MVA Ajustada = [1.4015]. deduzindo-se do valor obtido.1 MVA Ajustada = [( 1.3858) . o dispositivo normativo que fundamenta a aplicação da alíquota interna incidente (nominal ou efetiva) inferior a 19%. paga o ICMS em relação aos fatos geradores futuros praticados pelos contribuintes substituídos.87)] . Assim.12) / ( 1-0. sabemos que este terá: 71 . como o contribuinte substituto pratica o fato gerador ao promover a saída das mercadorias de seu estabelecimento e.4015 x 100 = 40. pela sistemática do regime.15% Caso sejam adotadas as disposições descritas acima. 14 – CÁLCULO DO IMPOSTO RETIDO O imposto devido por substituição tributária será calculado mediante a aplicação da alíquota vigente nas operações internas sobre a base de cálculo estabelecida na lei.1 MVA Ajustada = 0.3858) .13)] . a alíquota respectiva e a MVA Ajustada utilizada no cálculo". no campo "Informações Complementares".58%) .1 MVA Ajustada = [( 1 + 0. o contribuinte substituto deve consignar no documento fiscal. ( 1.3858) .1 MVA Ajustada = [( 1. ( 1-12%) / ( 1-13%)] .15 MVA Ajustada = 40.0114)] . Nota: A MVA Ajustada e adequada. ( 1-0. obtida nos termos acima. ( 0.88) / ( 0.58% b) “ALQ Inter” = 12% c) “ALQ Intra” (efetiva) = 13% Exemplo: MVA Ajustada = [( 1 + 38.

.........R$ 500.... eleito pela legislação com contribuinte substituto..R$ 300.... 2º.............. Considerando a venda interna de 10 (dez) produtos no valor de R$ 300... na primeira fase de circulação da mercadoria............1 – ESTABELECIMENTO INDUSTRIAL A responsabilidade pela retenção e recolhimento do ICMS devido nas saídas das mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária fica atribuída ao estabelecimento industrial..1..... contribuinte eleito como responsável pela retenção e recolhimento do ICMS devido pelos fatos geradores que vierem a ocorrer. o imposto devido por substituição tributária será calculado na forma a seguir.......00 • • • • 72 ........ o ICMS devido pelas operações subsequentes realizadas pela estabelecimento distribuidor..... b) o ICMS das operações subsequentes........ em regra...00 alíquota interna ...... mediante aplicação da alíquota interna...... RICMS-RJ.............00 preço unitário (hipotético).... sobre a base de cálculo da substituição tributária e o valor do imposto devido pela operação própria do remetente........ atacadista ou varejista................. 14... a) base fixada Tomemos com exemplo um produto cujo o preço de venda a consumidor esteja fixado em R$ 50.R$ 75... 14..........00 (valor hipotético).......... praticados pelos demais contribuintes................. Assim.00 x 10)......00 temos o seguinte: • valor da operação própria do remetente ...a) o ICMS da operação própria...... Nas operações internas....00 base de cálculo ST (R$50.R$ 50..................... O valor do imposto a ser recolhido a título de sujeição passiva por substituição consiste na diferença entre o valor do imposto calculado...... do Livro II........................... conforme determina o art.......1 – OPERAÇÕES INTERNAS ... será retido e recolhido pelo estabelecimento industrial.......25% ICMS operação própria (300 x 25%)..

.. R$ 4... mediante aplicação da alíquota interna...00 73 ... obtendo-se o valor do ICMS a pagar sobre sua própria operação................ De acordo com a Anexo I do Livro II...........00 b) inexistência de base fixada Neste caso o valor do imposto a ser recolhido a título de substituição tributária será a diferença entre o valor do imposto calculado.. aplicar-se-á a alíquota interna do produto... com destino a outro contribuinte: I ..... subtrair o valor da operação própria (item I)...... R$ 300.... a) Base de cálculo da operação própria valor da mercadoria .. acrescida da MVA e o valor do imposto devido pela operação própria do contribuinte....75. pelo peço unitário de R$ 400...... a MVA especifica corresponde a ao percentual de 40%..... b... sobre a base de cálculo...... R$ 500.......1) como calcular: Vamos admitir hipoteticamente.....Imposto à pagar = 500... do RICMS-RJ...000.00 valor do seguro .....00................ Tomemos como exemplo um estabelecimento fabricante que efetuará saída de mercadoria de sua própria produção sujeita ao regime de substituição tributária........00 valor do frete .... aplicar-se-á a alíquota interna do produto. obtendo-se o valor da base de cálculo da substituição tributária...sobre a base de cálculo relativa a operação própria............ II ....00 x 25% .......00 = R$ 50....... que determinada empresa industrial “A” tenha vendido 10 baterias elétricas para empresa atacadista “B” em operação interna.......... III – sobre o valor da base de cálculo da substituição tributária (item II).... IV – do valor obtido no item III...sobre o preço de venda (incluídas todas as despesas e encargos) soma-se a MVA especifica para o produto..

000..... R$ 720.00 x 19% ICMS OP = 4.800...00 x 19% ..00 + 300.1) ICMS Operação Própria ICMS OP = mercadoria + frete + seguro x alíquota interna ICMS OP = 4.00 OBS: No cálculo do ICMS operação própria.ST BC ICMS-ST = mercadoria + frete + seguro + IPI + encargos + MVA BC ICMS-ST = 5....32 – 912.00 a..valor do IPI (15%)... b) Base de Cálculo ICMS ...520..00 x 19% ICMS OP = 912....00 b...728.728.1) ICMS Retido ICMS Retido = BC ICMS-ST x alíquota interna – ICMS Operação Própria ICMS Retido = 7..........00 ICMS Retido = 556...32 c) Valor Total da Nota Fiscal O valor a ser pago pela empresa atacadista “B” ao industrial “A” corresponderá ao somatório dos valores constantes no item a e o valor do ICMS-ST 74 .468.912....00 + 500.00 ICMS Retido = 1.....00 + 2..208 (MVA 40%) BC ICMS -ST = 7... o valor do IPI não será incluído na base de cálculo por se tratar de mercadoria destinada a revenda.......

.................28) ..... será aplicado o percentual de 1% sobre a diferença entre o valor da base de cálculo do ICMS-ST (item “b”) e o valor da base de cálculo da operação própria (item “a”)....... ao contrário do ICMS normal.00 Diferença (7.. No exemplo tratado acima..076..00 BC Operação Própria .............928......00 + 556. R$ 29..........32 – 29......800.3 – RECOLHIMENTO EM GUIAS DISTINTAS Os valores referentes ao ICMS-ST e ICMS FECP serão recolhidos em guias (DARJ) distintas......... inciso I da Resolução SEF nº...........928...... R$ 29. nos termos do art......28 (DARJ – 750-1) 14...28 14...2 – CÁLCULO DO ICMS-ST: SIMPLES NACIONAL O cálculo do imposto devido por substituição tributária devido pela ME ou EPP optante pelo Simples Nacional. R$ 4.....1... até 31/07/2009 se diferenciava do cálculo efetuado pelo contribuinte normal pelo fato de que 75 ....... R$ 527... que se encontra embutido no preço....................2 – APURAÇÃO DO FECP ..728........520.......... será cobrável “por fora” do destinatário.04 (DARJ – 023-0) ICMS-ST FECP ………..Valor Total da Nota Fiscal = 5.....800.......00 FECP-ST (2... os valores a recolher ficam assim definidos: • • ICMS-ST (556.... como permitem os Convênios e Protocolos específicos..728........00 x 1%) ..556/03...32 OBS: O ICMS retido............. 14.......1......... 4º........................... 6.32 Valor Total da Nota Fiscal = 6............. R$ 2..00 – 4.. R$ 7.00) . BC ICMS-ST .........ST Relativamente às operações internas..

sobre o valor da operação própria do substituto tributário Assim. frete. Também devem ser segregadas as receitas relativas a venda de mercadorias industrializadas pela própria empresa. 51/08) Com o advento da Resolução CGSN nº.00 MVA: 40% Alíquota Interna: 19% Dedução: 19% Imposto Devido = Valor da Operação + MVA x Alíquota Interna – Dedução 76 .000. o valor do imposto devido por substituição tributária.00 Valor do frete: R$ 500. onde: Base de Cálculo MVA Alíquota Interna Dedução É o valor operação própria realizada pela ME ou EPP substituta tributária (mercadorias. pela ME ou EPP optante pelo Simples Nacional será calculado da seguinte forma: ICMS-ST = [base de cálculo x (1. 51/08. sujeitas a substituição tributária. para obtenção dos valores a serem informados na nota fiscal temos o seguinte exemplo ( cálculo a partir de 01/08/2009): • • • • • • • Valor das mercadorias: R$ 4. corresponderá à alíquota incidente na operação determinada na legislação do ICMS dos Estados e do Distrito Federal. Assim.00 + MVA) x alíquota interna – dedução. § 9º da Resolução CGSN nº.00 Despesas acessórias: R$ 300. a dedução.) É a Margem de valor agregado divulgada pelo Estado de destino É a alíquota vigente no Estado de destino Valor resultante da aplicação da alíquota interna ou interestadual. Para o cálculo do imposto. as receitas relativas à operação própria decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária deverão ser segregadas. agora. 3º da Resolução CGSN nº. 3º. que altera o inciso II do § 9º do art. seguro e etc.era permitido o abatimento do imposto somente pelo montante equivalente a 7% aplicado sobre o valor relativo a operação própria (art. 61/09. com efeitos a partir de 01/08/2009.

77 .800.Base de Cálculo (operação própria) MVA Alíquota Interna Dedução 4.00 Substituição Tributária 4.80 – 912.164.00 x 1.3 – OPERAÇÕES INTERESTADUAIS Será considerado contribuinte substituto tributário o contribuinte que promover a remessa de mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária com destino a contribuinte localizado em outra Unidade da Federação.00 x 19% = R$ 912.00 Imposto Devido = 364.00 = (ICMS Retido 364.80 ( 4.00 (MVA: 40%) = 6.276. no corpo do documento fiscal utilizado na operação ou prestação.00 ( 4. fará a indicação alusiva à base de cálculo e ao imposto retido no campo próprio ou.800.00 X 19% = 912.80) VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL: R$ 5.00 + 1.40 x 19%] – dedução Imposto Devido = [6.720.80 COMPOSIÇÃO DA BASE DE CÁLCULO Operação Própria 4.00 + 300.000.00 CÁLCULO DO IMPOSTO Operação Própria 4.00 Imposto Devido = 1.00 Substituição Tributária 6.000.920.00 X 19% = 1.00) • • • • • Imposto Devido = [ 4. em sua falta.720.00) 40% 19% 19% sobre operação própria (4.80) Quando a ME ou a EPP revestir-se da condição de substituta tributária.80 – 912.800.800.276.800. 14.720.00 + 300.00 x (1.00 + 364.00 + 500.00 + 40%) x 19%] – dedução Imposto Devido = [ 4.00 x 19%] – 912.800.800.00 + 500.

.... Para que se proceda de maneira correta quanto ao recolhimento do ICMS devido por substituição tributária para outra UF........ o contribuinte remetente deverá analisar na legislação interna do Estado destinatário as hipóteses de inaplicabilidade do regime de substituição tributária......Diferentemente das operações internas.1 – DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS (DESTINATÁRIO CONSUMIDOR FINAL) Numa operação interestadual praticada pelo contribuinte substituto ou pelo contribuinte substituído com destino a contribuinte consumidor final caberá a aplicação da substituição tributária em relação ao valor do diferencial de alíquotas... deverá reter e recolher o imposto devido pelos fatos geradores que vierem a ocorrer com a mesma mercadoria até que esta chegue ao consumidor/usuário final..... os elementos necessários ao recolhimento do ICMS-ST..... O cálculo será realizado da seguinte forma: valor da mercadoria................. alíquota interna.... forma de recolhimento (GNRE) Além disso. ainda que mesmo que o contribuinte tenha recebido . R$ 4...........00 valor do frete ..... somente será cabível quando a legislação (Convênio ou Protocolo) assim dispuser. Cabe-nos ressaltar que....... na operação de saída interestadual deverá ser feito novo recolhimento.....ercadoria com o imposto retido.......3..... figure como substituído tributário... ou seja..000.. como: formação da base de cálculo................ qualquer contribuinte que remeta para outro Estado mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária com destino a contribuinte do ICMS será revestido da qualidade de contribuinte substituto...... deve-se verificar: a) a existência de Convênio ou Protocolo entre as UF envolvidas na operação b) analisar na legislação interna do Estado de destino da mercadoria................ Contudo......... haja vista o ICMS -ST ser devido ao Estado onde a mercadoria será consumida....00 78 ......... R$ 500..................... ou seja.... 14...

... 18% MVA: Não haverá......................................00 + 480............ R$ 500............... conforme exemplificado a seguir: valor da mercadoria..............................2 – DESTINATÁRIO CONTRIBUINTE COMERCIANTE Nas saídas interestaduais de mercadorias de estabelecimento com destino a contribuinte do ICMS cuja aquisição se destine a comercialização caberá retenção e recolhimento do imposto incidente pelas operações subsequentes antecipadamente a favor do Estado destinatário......................00 CÁLCULO DO IMPOSTO Operação Própria 5.....280.....00 (IPI) = 4..........20 ( 5...................despesas acessórias............ 10% alíquota interestadual .............................40 – 633..................... R$ 300...................000.......................00 X 12% = 633....2% alíquota interna (Estado destinatário)..... R$ 300.................................00 + 500....... COMPOSIÇÃO DA BASE DE CÁLCULO Operação Própria Substituição Tributária 4........................000... 12% alíquota interna (Estado destinatário)..00 + 300.........40 950....................60 (operação própria) = 316...................................00 + 480...00 (IPI) = 5............ 10% alíquota interestadual ........ 18% 79 ...............................................00 + 316......................................280....80 Valor total da nota fiscal: R$ 4......00 IPI ................000........00 IPI .................. 12% MVA ....... 50....00 5................280........................ R$ 4.............00 valor do frete .....60 Substituição Tributária 5......................................280..80 ICMS retido) 14............................00 + 500...280.....................00 + 300................................ O cálculo será efetuado de mo do a se apurar a diferença entre o valor do imposto calculado.......... mediante aplicação da alíquota interna vigente no Estado destinatário.............. sobre a base de cálculo da substituição tributária e o valor do imposto devido pela operação própria do remetente.......00 X 18% = 950.............00 Despesas acessórias.. Tendo em vista que o produto se desatina a usuário final..........................................963....

....800.50 = (4.................00 IPI ...........00 Despesas acessórias....00 (IPI) + 851...............................00 (operação própria) = 851..................... inclusive com relação ao recolhimento do adiciona relativo ao FECP... caberá ao remetente o recolhimento do ICMS-ST obedecendo a legislação do Estado do Rio de Janeiro............00 + 300.......131...56 x 19% = 1........... R$ 4.000........... Exemplo: valor da mercadoria......2.....APURAÇÃO DO FECP No caso de operação interestadual em que o destinatário seja contribuinte localizado no Estado do Rio de Janeiro................ R$ 300...427..........427....000......................................00 (Operação Própria) ICMS devido para o Estado de Destino: 851....................00 + 500............ 19% 80 .....00 valor do frete ...00 + 480................................ 50.50 Valor total da nota fiscal: 6....00 x 12% = 576..........00 + 500.......50 – 576...00 Substituição Tributária 7............50 14....000..............930.....................00 *** IPI não integra a base de cálculo Substituição Tributária 4......... 12% MVA ......00 (IPI) + 2..........00 = 4............. e o remetente esteja localizado em outro Estado com o qual Rio de Janeiro participe de Convênio ou Protocolo........ R$ 500......00 + 300........1 – REMESSAS PARA O ESTADO DO RJ ....... 10% alíquota interestadual ...56 COMPOSIÇÃO DA BASE DE CÁLCULO Operação Própria 4..........50 (ICMS retido)) ICMS devido para Estado de Origem: 576...800 + 480..650.....50 1....................................COMPOSIÇÃO DA BASE DE CÁLCULO Operação Própria 4..........................800........56 (MVA) = 7...........2% alíquota interna (Estado destinatário)...............930..

...... assim definidos: • • • ICMS-ST (930.506.....31 (será recolhido mediante DARJ.....COMPOSIÇÃO DA BASE DE CÁLCULO Operação Própria 4...... código de receita 023-0 ou GNRE*) FECP-ST = 79.......... será obtido aplicando-se o percentual de 1% (um por cento) sobre o valor da base de cálculo de retenção do imposto (BC ICMSST).........80 O valor da parcela do adicional relativo ao FECP em razão da substituição tributária em operações interestaduais que destinem mercadorias ao Estado do Rio de Janeiro......49 (será recolhido mediante DARJ*.56 (MVA) = 7...00 Substituição Tributária 7..31) ICMS ST = 851..2........00 + 300...000......00 (Operação Própria) ICMS devido para o Estado de Destino (RJ) : 930.. origem 023-0) 81 ...00 + 500....00 (IPI) + 930.....800 + 480......800.00 + 480.....131.....00 *** IPI não integra a base de cálculo Substituição Tributária 4..... • • BC ICMS-ST .650..000......00 + 300......930..1.56 x 1%) ...56 FECP ICMS-ST (7....31 14....... código de receita 750-1.........930.00 x 12% = 576..56 COMPOSIÇÃO DA BASE DE CÁLCULO Operação Própria 4...00 = 4..........50 = (4..930.....56 x 19% = 1.00 (IPI) + 2......80 1..........00 + 500.... 79.80 Valor total da nota fiscal: 6.80 (ICMS retido)) ICMS devido para Estado de Origem: 576......2 – RECOLHIMENTO DO IMPOSTO Os valores referentes ao ICMS-ST e ao FECP ICMS-ST serão recolhidos separadamente..80 – 79..... 7...00 (operação própria) = 930.930.506.....800....80 – 576.

além das indicações exigidas na legislação. II . 22.15 – RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA Aquele que receber mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária. do Livro II. o valor que serviu de base de cálculo para a retenção bem como o valor do ICMS retido (art. contendo. 16 -OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS DO CONTRIBUINTE SUBSTITUTO 16. fica responsável pelo recolhimento do mesmo nos seguintes prazos: I . 82 .mercadorias entradas no estabelecimento entre os dias 11 e 20 do mês: até o dia 23 (vinte e três) do mês. sem que tenha sido efetuada a retenção ou o recolhimento antecipado pelo remetente. I.mercadorias entradas no estabelecimento entre os dias 21 até o último dias do mês: até o dia 3 (três) do mês subseqüente. do RICMS-RJ).mercadorias entradas no estabelecimento entre os dias 1. III .1 .º e 10 do mês: até o dia 13 (treze) do mês. por ocasião da saída da mercadoria.EMISSÃO DE NOTA FISCAL O contribuinte-substituto emitirá nota fiscal.

1.16. do RICMS-RJ): a) nas colunas próprias. do Livro II.ESCRITURAÇÃO DO LIVRO REGISTRO DE SAÍDAS A nota fiscal emitida por ocasião da saída da mercadoria será lançada no Livro Registro de Saídas do ICMS da seguinte forma (art. os dados relativos à sua própria operação. 83 .1 . 22. II.

Tributária 6. utilizando o título comum “Substituição Tributária”. 27 a 29.32 ICMS – VALORES FISCAIS IPI – VALORES FISCAIS 17.800 19% 912 4. separadamente. 32 5.800 720 BC ICM ST: 7. os dados da operação realizada pela indústria . na mesma linha do lançamento da nota fiscal. Na hipótese de contribuinte usuário do Sistema Eletrônico de Processamento de Dados. LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS – MODELO 1 VALOR CONTÁBIL ICMS – VALORES FISCAIS COM CRÉDITO VL CFOP CONTÁBIL BC ICMS SEM CRÉDITO ISENTAS OUTRAS IPI – VALORES FISCAIS COM DÉBITO BC IPI SEM DÉBITO ISENTAS OUTRA S OBS 84 . RICMS-RJ. sob o título comum “Substituição Tributária” ou com a utilização do código “ST”.OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS DO CONTRIBUINTE SUBSTITUÍDO O contribuinte substituído que seja estabelecimento distribuidor ou atacadista. LIVRO REGISTRO DE SAÍDAS – MODELO 2 CODIFICAÇÃO VL CONT CONT CFOP COM DÉBITO BC AL ICMS SEM DÉBITO CO DÉBITO SEM DÉBITO ISENTAS OUTRAS DDÉBITO ISENTAS OUTRA BC IPI S Subst. Considerando como exemplo. A nota fiscal de aquisição será lançada no livro Registro de Entradas do ICMS.728 ICMS ST 556.b) na coluna “observações”. do Livro II.2 . os valores da base de cálculo do ICMS-ST e do imposto retido. observará o disposto nos arts.076. os valores relativos à letra “b” serão lançados na linha abaixo do lançamento da operação própria. ao receber mercadoria com ICMS por substituição tributária. com a utilização das colunas “Outras” de “Operações sem Crédito do Imposto”.401 4.

o seguinte cálculo: a) deduzir o valor do ICMS destacado pelo remetente substituto (no nosso exemplo o industrial)......00 Valor do ICMS-ST do substituto .......1 .......00 Resultado: 1......00 cada..00 ICMS Operação Própria do substituído distribuidor (6..... abate-se o valor total do ICMS retido pelo substituto tributário.076........00)............2........... o distribuidor ou atacadista deverá indicar e cobrar a parcela do imposto retido correspondente à operação do varejista..1. R$ 1.....32 16.403 6.. na nota fiscal de saída.......076.. além dos demais requisitos...32 85 ..... R$ 228....NOTA FISCAL DE SAÍDA EMITIDA PELO SUBSTITUÍDO (DISTRIBUIDOR / ATACADISTA) A nota fiscal de saída emitida por ocasião da saída da mercadoria adquirida com ICMS retido pelo estabelecimento distribuidor ou atacadista (substituído)................32 6...00 – 912. R$ 912... Exemplo: Neste exemplo vamos considerar que o distribuidor ou atacadista tenha vendido os mesmos 10 (dez) produtos adquiridos com substituição..... do que seria devido na operação própria do distribuidor ou atacadista em uma operação normalmente tributada. R$ 328. citando o dispositivo legal da legislação que determinou a retenção..............000 x 19%)..... ICMS Operação Própria do substituto industrial .....140. pelo valor unitário de R$ 600. a declaração “Imposto retido por substituição”.......140.......32 – 228....... b) do resultado encontrado... R$ 556..32 Parcela do ICMS retido do varejista (556.. adotando-se para tanto..... Assim.. será feita sem destaque do ICMS e conterá.........00 ..................

de “Operações sem Débito do Imposto” 86 .16.2 .ESCRITURAÇÃO DO LIVRO REGISTRO DE SAÍDAS A nota fiscal de saída do distribuidor ou atacadista será escriturada no livro Registro de Saídas do ICMS com utilização da coluna “Outras”.2.

emitir Nota Fiscal. 87 .405 - - - - 6. No caso de devolução ou remessa interestadual de mercadoria sujeita à substituição tributária.328.32 - - - - 17 – REMESSA INTERESTADUAL COM MERCADORIAS SUJEITAS AO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (RESOLUÇÃO SER 119/04).lançar a Nota Fiscal a que se refere o inciso anterior no livro Registro de Saídas em "Operações com débito do ICMS". anotando na coluna "Observações" que se trata de "devolução/ST" ou "remessa interestadual/ST". as razões que deram causa. este deve adotar o seguinte procedimento: I . c) o valor do ICMS substituição tributária referente à entrada. II . calculado proporcionalmente à quantidade que está sendo devolvida ou remetida para outra unidade federada.328.32 5. com destaque do imposto. indicando no campo "Informações Complementares": a) o número e a data da Nota Fiscal relativa à aquisição. b) no caso de devolução. modelo 1 ou 1-A. d) o valor e a data da GNRE ou do DARJ referente à aquisição original.LIVRO REGISTRO DE SAÍDAS – MODELO 2 CODIFICAÇÃO VL CONT CON T BC AL ICMS ISENTAS OUTRAS BC IPI ISENTA S OUTRAS CFOP COM DÉBITO SEM DÉBITO COM DÉBITO SEM DÉBITO ICMS – VALORES FISCAIS IPI – VALORES FISCAIS 6. cujo imposto por substituição tributária tenha sido pago antecipadamente por GNRE ou por DARJ ou retido e pago pelo adquirente.

do RICMS-RJ). conforme o caso. na forma estabelecida pela Secretaria de Estado de Fazenda e Controle Geral. relação discriminada das operações interestaduais de saída que deram origem ao ressarcimento solicitado. A repartição fiscal visará a nota fiscal emitida para fim de ressarcimento. pelo valor do imposto que lhe foi retido.DOCUMENTOS EXIGIDOS Ao dispor sobre os procedimentos necessários ao cumprimento do previsto na cláusula terceira do Convênio ICMS nº 81/93. LIVRO II. 20. 17. no campo “007 .III .Outros Créditos" do livro Registro de Apuração do ICMS. do livro RAICMS. 17. deve emitir nota fiscal de ressarcimento (CFOP 5603/6903) em nome do estabelecimento que tenha efetuado a retenção (substituto). nota fiscal emitida pelo contribuinte para fim de ressarcimento. RICMS-RJ). facultada a apresentação em meio magnético. na proporção da quantidade saída. total ou proporcionalmente. escriturando-os no quadro "Crédito do Imposto . Observamos que o remetente (substituído) pode creditar-se do imposto relativo à entrada daquela mercadoria. de 3/2/99 sobre os documentos que instruirão o pedido de resssarcimento: I. 20.004. §§ 1º e 2º. e a revenda para fora do Estado. acompanhada das respectivas notas fiscais.RESSARCIMENTO . na mesma folha destinada à apuração relacionada com as suas próprias operações. a qual virá acompanhada de relação que discrimina as operações interestaduais. não podendo o valor a ser ressarcido ser superior ao valor retido na aquisição da respectiva mercadoria (art.1 . II. estabelece a Resolução SEF nº 3. 88 . o imposto destacado na Nota Fiscal de aquisição da mercadoria e ao pagamento antecipado constante no documento relativo ao pagamento do imposto.Outros Créditos”.2. escriturando-o.utilizar como créditos fiscais. O estabelecimento que receber a mercadoria submetida ao regime de substituição tributária com o imposto retido (substituído).RESSARCIMENTO DO IMPOSTO RETIDO (ART. calculando-o sobre o valor que serviu de base de cálculo da operação própria do contribuinte substituto original. no mesmo período de apuração.

extravio.Outros Créditos do livro RAICMS”.427/00. É o que estabelece os arts. 18 – RESTITUIÇÃO DO ICMS RETIDO É assegurado ao contribuinte substituído o direito à restituição do valor do imposto pago por força da substituição tributária correspondente ao fato gerador que não se realizar. aprovado pelo Decreto nº 27. no prazo máximo de 90 dias.06). quebra. relação discriminada das operações interestaduais de entrada vinculadas às supracitadas saídas acompanhadas das respectivas notas fiscais. Em não havendo deliberação no prazo de 90 dias. 89 . cópias da GNRE (Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais) relativas às operações interestaduais vinculadas ao ressarcimento. As notas fiscais emitidas para fim de ressarcimento deverão estar visadas pelo titular do Departamento Especializado de Fiscalização de Subsituição Tributária (DE . desde que o contribuinte forneça arquivo magnético relativo a tais documentos. caracterizado pela inocorrência de operação subseqüente por motivo de perda. consignando-se a expressão “restituição de imposto retido”. observando que. 17. efetuará as verificações cabíveis e autorizará o crédito correspondente ao imposto retido atualizado. o qual será lançado no campo “007 . para que possam produzir o efeito fiscal pretendido. 18 e 19 do Livro II do RICMS-RJ. IV. Observar que a repartição fiscal poderá dispensar a apresentação das notas fiscais a que se referem os incisos II e III citados. roubo.III. Os documentos referidos instruirão o requerimento que será protocolado no Departamento Especializado de Fiscalização de Substituição Tributária (DEF -06). inutilização ou consumo de mercadoria. A não realização do Fato Gerador será comunicada à repartição fiscal de circunscrição do contribuinte. no prazo de dez dias a contar da data em que ocorrer o evento que. o contribuinte substituído poderá efetuar o crédito atualizado objeto do pedido. em havendo decisão contrária irrecorrível deverá efetuar o estorno do crédito no prazo máximo de 15 dias da notificação também devidamente atualizado.

000. da referida mercadoria no dia anterior ao da implantação do regime de substituição tributária.pelo varejista: pelo preço de venda a consumidor.19 .pela Microempresa (ME) e pela Empresa de Pequeno Porte (EPP) optantes pelo Simples Nacional. 3 .00 90 . 2 . deverão ser adotados os seguintes procedimentos: a) levantamento do estoque no dia anterior ao da entrada da mercadoria no regime de substituição tributária. b) cálculo do imposto: 1 . 2 .pelo varejista: mediante a aplicação da alíquota vigente nas operações internas sobre o valor do estoque referido no item 2 do inciso I. calculado conforme a margem de valor agregado prevista no Anexo I.INGRESSO NO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Quando nova espécie de mercadoria for submetida ao regime de substituição tributária.000 X 19% = R$ 570.pelo distribuidor ou atacadista: pelo preço de aquisição mais recente da mercadoria. mediante aplicação da alíquota vigente nas operações internas sobre o valor adicionado à mercadoria em estoque.pelo distribuidor ou atacadista: mediante a aplicação da alíquota vigente nas operações internas. que deverá ser lançado no livro Registro de Inventário.000 X 30% = 3.000 Valor Adicionado: 3. acrescido da margem de valor agregado prevista no Anexo I. 42.00 Alíquota interna: 19% MVA: 30% ICMS-ST: 10. com anotação de quantidades e valores: 1 . 19.1 – SIMPLES NACIONAL: NOVAS REGRAS .00 ICMS-ST = R$ 570. sobre o valor do estoque apurado na forma do item 1 do inciso I.015/09) Para a melhor compreensão entendimento exemplificamos a nova sistemática: • • • • • • Valor das compras: R$ 10.CÁLCULO A PARTIR DE 02/09/2009 (DECRETO Nº.

em DARJ emitido pela repartição fiscal. Caso o contribuinte possua saldo credor apurado em seu livro RAICMS no período. e 750-1 FECP. 36 do Livro II do Decreto n. até 20 (vinte) dias após a data limite para efetuar o levantamento de estoque.º 27. poderá deduzi-lo do valor do imposto devido apurado no levantamento do estoque. será feito mediante DARJ em separado.Nota: A Microempresa (ME) e a Empresa de Pequeno Porte (EPP) optantes pelo Simples Nacional. Nota: Para usufruir do benefício previsto acima o contribuinte deverá requerer. podendo abater o ICMS destacado nas Notas Fiscais dos fornecedores relativas às aquisições mais recentes da mesma mercadoria.ICMS normal. o parcelamento do ICMS devido. 91 . 15/09 19. 2 . devem adotar os procedimentos previstos nos incisos I e II do art. em conformidade com a atividade exercida pelo contribuinte. poderá ser efetuado em quota única ou em até 6 (seis) parcelas mensais. letra “a”). calculado na forma do item 16.2 – PAGAMENTO DO IMPOSTO (LEVANTAMENTO DE ESTOQUE) O pagamento do imposto. se o pagamento for feito em quota única . O pagamento do imposto em virtude do levantamento de estoque. Portaria SSER nº. RICMS-RJ vigente em 31 de agosto de 2009 (itens 1 e 2.no código 021-3 . iguais e consecutivas. da seguinte forma: 1 . na repartição fiscal. se o pagamento for parcelado. estabelecida no Decreto que determinar a inclusão dos produtos no regime de substituição tributária.427/00. com vencimentos na forma que dispuser a legislação. O atraso no pagamento de cada uma das parcelas acarreta cobrança de atualização monetária e dos acréscimos moratórios previstos na legislação. em relação ao estoque das novas espécies de mercadorias submetidas ao regime de substituição tributária existente no estabelecimento em 31 de agosto de 2009. mediante pedido de parcelamento dirigido à repartição fiscal de circunscrição do contribuinte.

a partir do primeiro dia do mês.apurar o estoque da mercadoria existente após o encerramento das operações no último dia do mês anterior. vencendo-se a primeira no mês subseqüente ao pedido de parcelamento. em operações com a mesma mercadoria.3 – PRAZO DE RECOLHIMENTO Nos termos da Resolução SER 213/05.em relação à mercadoria inventariada. e III . efetuando o respectivo lançamento no livro Registro de Inventário. o vencimento das parcelas será sempre no dia 20 (vinte). 36. RICMS-RJ 20 . creditar-se proporcionalmente do ICMS retido e do destacado no documento fiscal correspondente à aquisição mais recente. 27. Caso a quantidade da mercadoria inventariada seja superior à discriminada no documento fiscal referido no inciso II. debitar-se normalmente do imposto por ocasião da saída da mercadoria. na hipótese de pagamento parcelado. na Nota Fiscal imediatamente anterior. o contribuinte deve: I . Na hipótese de pagamento em quota única.427/00. e assim sucessivamente até que todo o estoque mencionado seja levado à crédito. Livro II do Decreto nº. II .19. o crédito da parte remanescente será aproveitado proporcionalmente ao imposto retido e destacado. 21 – TABELA DE CFOP E CÓDIGO DE SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA Os principais CFOPs utilizados na emissão ou escrituração de documentos fiscais realtivos a operações com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária com retenção e recolhimento antecipado do ICMS são os seguintes: 92 . quando solicitado o parcelamento art.SAÍDA DO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Quando da saída de mercadoria do regime de substituição tributária. o pagamento em cota única deverá ser efetuado até a data fixada para o pagamento da 1ª parcela.

em operações com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária. na prestação de serviços ou por usuário final.407 /2. decorrentes de operações com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária. Também serão classificadas neste código as compras por estabelecimento industrial ou produtor rural de cooperativa de mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária. 1.653/2.403 Compras de mercadorias a serem comercializadas.406 Compras de bens destinados ao ativo imobilizado do estabelecimento. 1. na produção rural.651 Compras de combustíveis ou lubrificantes a serem utilizados em processo de industrialização do próprio produto. 1.406 /2. 1.652 Compras de combustíveis ou lubrificantes a serem comercializados.653 /3.a) operações de entrada: CFOP Descrição 1. decorrentes de operações com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária. 1.401/2. Também serão classificadas neste código as compras de mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária em estabelecimento comercial de cooperativa.407 Classificam-se neste código as compras de mercadorias destinadas ao uso ou consumo do estabelecimento.403 /2.652/3 . em operações com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária.401 Compras de mercadorias a serem utilizadas em processo de industrialização ou produção rural. 1.652/2.651/2. b) operações de saída: CFOP Descrição 93 .651/3 .653 Compras de combustíveis ou lubrificantes a serem consumidos em processo de industrialização de outros produtos.

5.401/6.401 Vendas de produtos industrializados ou produzidos pelo próprio estabelecimento em operações com produtos sujeitos ao regime de substituição tributária, na condição de contribuinte substituto. Também serão classificadas neste código as vendas de produtos industrializados por estabelecimento industrial ou produtor rural de cooperativa sujeitos ao regime de substituição tributária, na condição de contribuinte substituto.

5.402/6.402

Vendas de produtos sujeitos ao regime de substituição tributária industrializados no estabelecimento, em operações entre contribuintes substitutos do mesmo produto.

5.403/6.403

Vendas de mercadorias adquiridas ou recebidas de terceiros, na condição de contribuinte substituto, em operação com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária.

6.404

Vendas de mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária, na condição de substituto tributário, exclusivamente nas hipóteses em que o imposto já tenha sido retido anteriormente.

5.405

Vendas de mercadorias adquiridas ou recebidas de terceiros em operação com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária, na condição de contribuinte substituído.

5.651/6.651

Vendas de combustíveis ou lubrificantes industrializados no estabelecimento destinados à industrialização do próprio produto, inclusive aquelas decorrentes de encomenda para entrega futura, cujo faturamento tenha sido classificado no código 5.922 - “Lançamento efetuado a título de simples faturamento decorrente de venda para entrega futura”.

5.652/6.652

Vendas de combustíveis ou lubrificantes industrializados no estabelecimento destinados à comercialização, inclusive aquelas decorrentes de encomenda para entrega futura, cujo faturamento tenha sido classificado no código 5.922 “Lançamento efetuado a título de simples faturamento decorrente de venda para entrega futura”.

5.653/6.653

Vendas de combustíveis ou lubrificantes industrializados no estabelecimento destinados a consumo em processo de industrialização de outros produtos, à prestação de serviços ou a usuário final, inclusive aquelas decorrentes de

94

encomenda para entrega futura, cujo faturamento tenha sido classificado no código 5.922 - “Lançamento efetuado a título de simples faturamento decorrente de venda para entrega futura”.

5.654/6.654

Vendas de combustíveis ou lubrificantes adquiridos ou recebidos de terceiros destinados à industrialização do próprio produto, inclusive aquelas decorrentes de encomenda para entrega futura, cujo faturamento tenha sido classificado no código 5.922 - “Lançamento efetuado a título de simples faturamento decorrente de venda para entrega futura”.

5.655/6.655

Vendas de combustíveis ou lubrificantes adquiridos ou recebidos de terceiros destinados à comercialização, inclusive aquelas decorrentes de encomenda para entrega futura, cujo faturamento tenha sido classificado no código 5.922 “Lançamento efetuado a título de simples faturamento decorrente de venda para entrega futura”.

5.656/6.656

Vendas de combustíveis ou lubrificantes adquiridos ou recebidos de terceiros destinados a consumo em processo de industrialização de outros produtos, à prestação de serviços ou a usuário final, inclusive aquelas decorrentes de encomenda para entrega futura, cujo faturamento tenha sido classificado no código 5.922 - “Lançamento efetuado a título de simples faturamento decorrente de venda para entrega futura”.

O código da situação tributária (CST) é composto de três dígitos, na forma ABB; o primeiro dígito indicará a origem da mercadoria ou serviço, com base na Tabela A, e os dois últimos dígitos a tributação pelo ICMS, com base na Tabela B, constantes do Anexo II do Livro VI do RICMS-RJ.

Veja as tabelas a seguir:

Tabela A - Origem da Mercadoria 0 - Nacional 1 - Estrangeira - Importação direta 2 - Estrangeira - Adquirida no mercado interno

95

Tabela B - Tributação pelo ICMS 00 - Tributada integralmente 10 - Tributada e com cobrança do ICMS por substituição tributária 20 - Com redução de base de cálculo 30 - Isenta ou não tributada e com cobrança do ICMS por substituição tributária 40 - Isenta 41 - Não tributada 50 - Suspensão 51 - Diferimento 60 - ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária 70 - Com redução de base de cálculo e cobrança do ICMS por substituição tributária 90 - Outras

O CST deve ser indicado no documento fiscal que acobertar a circulação da mercadoria ou a prestação de serviço, quando for o caso.

Base legal: Anexo II do Livro VI do RICMS-RJ, aprovado pelo Decreto nº 27.427/00.

96

................................................... não efetuou a retenção/recolhimento antecipado do ICMS-ST................ 17% 400........................................................ para comercialização.................... onde a MVA é 59......... R$ 5..... Valor da Operação (substituto) ..............00 Frete (pago)..................................................... 19% 250........00 2) Determinado contribuinte do ICMS........00 Frete (pago)... Valor da Operação Própria (substituto) ................... contribuinte do ICMS............00 MVA: ............ localizado no Estado de MG......................................................... 52.........................850.... adquire mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária nas operações internas..........................70%........22 – EXERCÍCIOS PROPOSTOS 1) Determinado contribuinte realiza a venda de bicicletas para destinatário...................................... R$ Alíquota interna (RJ)........................... revendedor de bicicletas.............................................................000.R$ 1......... Calcule o ICMS norma e o ICMS-ST..........................10% 97 ..... cujo remetente............................. localizado no Estado do ES................................................................... Diante do exposto adote os procedimentos previstos na legislação fluminense quanto ao recolhimento...... 10% Alíquota interna (MG) .......... R$ IPI ......

06%........00 Frete ......... Ante ao exposto calcule o ICMS a ser recolhido por substituição tributária e informe qual o prazo para recolhimento • • • • Valor da Operação (substituto) .................................. para comercialização..............................R$ 200......00 MVA original ................... 13% 98 .................................................... determinado contribuinte do ICMS adquiriu mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária................................241...... R$ 12.. 29.....................06% Alíquota interna (efetiva) .....................................................................3) No dia 18/01/2010.............. O remetente localizado no Estado de São Paulo............................. não efetuou a retenção/recolhimento antecipado............................ cuja alíquota interna no Estado do Rio de Janeiro é 13%.................. Sabe-se que a MVA original é de 29.....

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->