113

P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
Matemática 2
Geometria Plana
Capítulo 1
01.
Determine os valores de x nos casos abaixo.
a)
b)
c)
d)
02.
Determine o valor de α na figura abaixo.
03.
Calcule os valores de x, y e z na figura abaixo.
04.
Calcule os valores de x e y na figura abaixo, sabendo-
se que OC
  
é a bissetriz do ângulo AÔD.
05.
Na figura, OD
  
e OB
  
são bissetrizes de EÔC e AÔC
respectivamente. Sendo EÔC = 41° e AÔC = 29°40’,
calcule a medida do ângulo BÔD.
06.
Na figura, os ângulos AÔB e CÔD medem 60°42’ e 27°36’,
respectivamente. Calcule a medida do ângulo BÔC.
07. UEMS
Uma folha de papel retangular foi dobrada conforme
a figura. Assinale a alternativa que representa corre-
tamente o valor de x.
a) 15° d) 40°
b) 20° e) 45°
c) 30°
114
08.
Sendo x a medida em graus de um ângulo agudo, dê
a expressão em função de x:
a) da metade do complemento de x;
b) do complemento do triplo de x;
c) do suplemento da quarta parte de x;
d) da terça parte do suplemento da metade de x;
e) do suplemento do complemento da quarta parte
de x.
09.
A razão entre a medida de um ângulo e o seu comple-
mento é
2
7
. Calcule a medida desse ângulo.
10.
A razão entre o complemento de um ângulo e o suple-
mento desse mesmo ângulo é
2
5
. Calcule a medida
desse ângulo.
11.
O suplemento de um ângulo excede a quarta parte do
complemento desse ângulo, de 135°. Qual a medida
desse ângulo?
12.
O suplemento de um ângulo excede o triplo do com-
plemento desse ângulo em 50°. Determine a medida
do ângulo.
13.
Determine as medidas de dois ângulos suplementares,
sabendo que o dobro de um deles, somado com a
sétima parte do outro, resulta 100°.
14.
Na figura, os ângulos AÔC e BÔD são retos.
Calcule:
a) o valor de x;
b) a medida do ângulo BÔC.
15. UECE
O ângulo igual a
5
4
do seu suplemento mede:
a) 100° d) 80°
b) 144° e) 70°
c) 36°
16. UFES
O triplo do complemento de um ângulo é igual à terça
parte do suplemento deste ângulo. Este ângulo mede:
a)
290
3
°
d)
203
4
°

b)
315
4
°
e)
145
4
°
c)
192
5
°
17.
A terça parte do suplemento de um ângulo excede a
quarta parte do complemento desse ângulo em 35°.
Calcule a medida do ângulo.
18. PUC-PR
Dois ângulos complementares A e B, sendo A < B, têm
medidas na razão de 13 para 17. Conseqüentemente,
a razão da medida do suplemento do ângulo A para o
suplemento do ângulo B vale:
a)
43
47
d)
119
48
b)
17
13
e)
47
43
c)
13
17
19.
Dois ângulos são suplementares. A medida do menor
é igual ao complemento da quarta parte do maior.
Calcule a medida do maior ângulo.
20.
A terça parte do suplemento do complemento da meta-
de de um ângulo é 35°. Qual a medida do ângulo?
21. UFMG
Observe a figura:
Nessa figura, os segmentos AB e BC são perpendi-
culares, respectivamente, às retas r e s. Além disso,
AP PB BQ QC , e a medida do ângulo PÔQ é θ.
Considerando-se essas informações, é correto afirmar
que a medida do ângulo interno AÔC do quadrilátero
AOCB é:
a) 2θ c) 3θ
b)
5
2
θ
d)
3
2
θ
115
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
22.
Sejam A e B dois ângulos suplementares e adjacentes.
Se A = 3x – 30° e B = x + 10°, então A – B vale:
a) 40° d) 70°
b) 50° e) 80°
c) 60°
23.
Mostre que a medida do ângulo formado pelas bissetrizes
de dois ângulos adjacentes e suplementares é 90°.
24.
Escreva um enunciado para um exercício em que se
pede para calcular a medida x de um ângulo e que é
resolvido com a equação:
2 90
90
4
115 °− ( )
° −
+ ° x
x
25.
As bissetrizes de dois ângulos consecutivos formam
um ângulo de 52°. Se um deles mede 40°, qual a
medida do outro?
26. Unicap-PE
São dadas duas retas paralelas r e s e uma reta con-
corrente t, conforme a figura abaixo.
Com relação aos oito ângulos a
` ` ` ` ` ` ` `
, b, c, d, e, f, g e h
podemos afirmar que (V ou F):
( ) a e g
` `
são congruentes
( ) d e g
` `
são suplementares
( ) a e g
` `
são alternos externos
( ) d e g
` `
são colaterais externos
( )
b e f
` `
são correspondentes
27. Unimontes-MG
As proposições abaixo são verdadeiras, exceto:
a) Se, ao interceptar duas retas com uma transversal,
os ângulos correspondentes são congruentes,
então as retas são paralelas.
b) Se duas retas são interceptadas por uma trans-
versal, então, dos oito ângulos formados, quatro
deles são correspondentes aos outros quatro.
c) Se, ao interceptar duas retas com uma transversal,
obtêm-se ângulos alternos internos congruentes,
então as retas são paralelas.
d) Se duas retas são i nterceptadas por uma
transversal, então os ângulos correspondentes
são congruentes.
28.
Sendo r // s, determine x nos casos abaixo.
a)
b)
29. Fazu-MG
Na figura dada, sendo r//s, o valor de x + y é:
a) 80° d) 40°
b) 10° e) 20°
c) 50°
30.
Na figura a seguir, o valor de x – y + z é:
a) 70° d) 40°
b) 60° e) 30°
c) 50°
31. FGV-SP
Considere as retas r, s, t , u, todas num mesmo plano,
com r // u. O valor em graus de (2x + 3y) é:
a) 64° d) 660°
b) 500° e) 580°
c) 520°
116
32. Unisul-SC
Na figura a seguir, temos r//s. Nessas condições, com
relação ao número que expressa a medida y, em graus,
pode-se afirmar que é um:
a) número ímpar.
b) número divisível por 3.
c) múltiplo de 8.
d) número primo.
e) múltiplo comum de 4 e 35.
33. Fuvest-SP
Na figura, as retas r e s são paralelas. O ângulo 1 mede
45° e o ângulo 2 mede 55°. A medida do ângulo 3 é:
a) 50° d) 80°
b) 55° e) 100°
c) 60°
34. Unicsul-SC
Sendo as retas r e s paralelas, α = 45° e β = 55°, a
medida de γ é:
a) 10° d) 30°
b) 20° e) 35°
c) 25°
35. Cesgranrio-RJ
As retas r e s são paralelas. Qual é o valor do ângulo
α, apresentado na figura?
36. Unimontes-MG
Se, na figura abaixo, as retas r e s são paralelas,
então α vale:
a) 50° c) 80°
b) 30° d) 130°
37.
Na figura, sabendo que r // s, determine a medida do
ângulo x.
38.
Sejam r e s retas paralelas. A medida x na figura
abaixo é:
a) 60° d) 90°
b) 70° e) 100°
c) 80°
39. UEPB
Duas retas cortadas por uma transversal formam
ângulos alternos externos expressos em graus pelas
equações 3x + 18° e 5x + 10°. O valor de x de modo
que estas retas sejam paralelas é:
a) 4 d) 10
b) 5 e) 12
c) 8
40.
Sendo r paralela a s na figura, calcule o valor de x.
117
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
41. FGV-SP
Na figura, os pontos A e B estão no mesmo plano que
contém as retas paralelas r e s.
Assinale o valor de α.
a) 30° d) 70°
b) 50° e) 60°
c) 40°
42.
Na figura, as retas r e s são paralelas. Então, qual é
a medida x?
43.
Na figura abaixo, as retas r e s são paralelas. Calcule
o valor de x.
44.
Na figura, calcule a medida do ângulo α, sendo r//s.
45.
Na figura abaixo, mostre que a = d
46.
Sendo r e s retas paralelas e α + β = 90°, calcule x na
figura abaixo.
47.
Um município de 1.930 km
2
possui uma plantação de
café e uma plantação de cana-de-açúcar, como ilus-
trado na figura abaixo. Conforme estatuto do próprio
município, a área ocupada pelas plantações não pode
ultrapassar 1/5 da área total.
Responda, justificando, se o estatuto está sendo
cumprido.
Obs.: Área do círculo de raio r: πr
2
48.
Três folhas de papel retangulares estão sobrepostas
conforme mostra a figura.
Sendo α = β e γ = 30°, calcule x.
118
49.
Mostre que o ângulo formado pelas bissetrizes de dois
ângulos colaterais internos é reto.
50.
A figura mostra um par de esquadros sobre uma folha
retangular. Sabendo que α = 130° e β = 140°, descubra
se os catetos estão paralelos ou não.
51.
Assinale a alternativa verdadeira.
a) Um triângulo escaleno não pode ter um ângulo
obtuso.
b) Um triângulo retângulo nunca possui dois ângulos
congruentes.
c) Todo triângulo isósceles é acutângulo.
d) Um triângulo eqüilátero possui dois lados con-
gruentes.
e) Um triângulo obtusângulo pode possuir dois ângu-
los obtusos.
52. UFPB
Num dado instante, dois navios se encontram afasta-
dos 12 milhas de um farol F nos pontos A e B. Se o
ângulo AFB
`
formado entre os navios e o farol é igual
a 60°, qual é a distância entre os dois navios?
a) 15 milhas.
b) 13 milhas.
c) 10 milhas.
d) 12 milhas.
e) 14 milhas.
53.
Determine o valor de x, nos casos indicados.
a)
b)
c)
Capítulo 2
54. PUC-RJ
Os ângulos de um triângulo medidos em graus são:
3x – 48, 2x + 10 e x – 10
O maior ângulo mede:
a) 86° d) 90°
b) 45° e) 40°
c) 75°
55. UECE
As retas na figura interceptam-se duas a duas nos
pontos P, Q e R. Considerando os valores indicados,
o ângulo α é igual a:
a) 101° c) 103°
b) 102° d) 104°
56. PUC-SP
Na figura, BC = CA = AD = DE. O ângulo CÂD mede:
a) 10°
b) 20°
c) 30°
d) 40°
e) 60°
57. Ibmec-SP
Sejam α, β, γ, λ e θ as medidas em graus dos ângulos
BAC ABC CDF CEF e DFE
´ ` ´ ` `
, , , da figura, respectiva-
mente.
119
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
A soma α + β + γ + λ + θ é igual a:
a) 120º d) 210º
b) 150º e) 240º
c) 180º
58.
Na figura abaixo, AB = AC = BC = CD. Calcule o valor
de x.
59. UFPE
Na figura abaixo, os segmentos AB e CD são paralelos,
e os ângulos BÂD e BCD
´
medem 60°. Se AD mede 20,
indique o comprimento da poligonal ABCDA.
a) 58 d) 64
b) 60 e) 66
c) 62
60. UFU-MG
Na figura abaixo, o ângulo x, em graus, pertence
ao intervalo:
a) (0°, 15°)
b) (15°, 20°)
c) (20°, 25°)
d) (25°, 30°)
61.
Calcule a soma dos ângulos assinalados:
a)
b)
62.
Calcule a soma das medidas dos ângulos assinalados:
a)
b)
c)
63. UFF-RJ
Um pedaço de papel tem a forma do triângulo eqüilá-
tero PQR, com 7 cm de lado, sendo M o ponto médio
do lado PR.
120
Dobra-se o papel de modo que os pontos Q e M coin-
cidam, conforme ilustrado acima.
O perímetro do trapézio PSTR, em cm, é igual a:
a) 9 d) 28
b) 17,5 e) 49
c) 24,5
64.
Observe as figuras I e II:
No retângulo ABCD da figura I foi feita uma dobra PQde
tal forma que o vértice D coincida com D’ no lado AB. O
que podemos concluir sobre os pares de ângulos:
-
´ ´
-
` `
-
´ ´
P Q e P 'Q
D Q e D' Q
D P e P D'
D D
P P
Q Q
65. Mackenzie-SP
Na figura, AB = AC e CE = CF. A medida de β é:
a) 90° d) 130°
b) 120° e) 140°
c) 110°
66.
Na figura abaixo, calcule o valor de x em função de m.
67. UPF-RS
No triângulo abaixo, x é um ângulo interno e a e b
são ângulos externos. Sabendo-se que a + b = 210° e
3a – 2b = 130°, sobre o ângulo x pode-se afirmar que
a) seu suplemento é 110°.
b) seu complemento é 60°.
c) seu complemento é 20°.
d) seu suplemento é 100°.
e) seu suplemento mais seu complemento é 180°.
68. UFMG
Observe esta figura:
Nessa figura, os pontos F, A e B estão em uma reta e
as retas CB e ED são paralelas.
Assim sendo, o ângulo
ABC
`
mede:
a) 39° c) 47°
b) 44° d) 48°
69. FGV-SP
De acordo com a figura a seguir, se a – b = 10 °,
então:
a) cos a −
1
2
d) sen a
3
2
b) sen a
1
2
e) sen a
1
2
c)
cos b −
1
2
121
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
70. UFPE
Na figura ilustrada abaixo, os segmentos AB, BC, CD,
DE e EA são congruentes. Determine, em graus, a
medida do ângulo CAD.
71. FGV-SP
Na figura ao lado, o triângulo AHC é retângulo em H e
s é a reta suporte da bissetriz do ângulo CÂH.
Se c = 30° e b = 110°, então:
a) x = 15° d) x = 10°
b) x = 30° e) x = 5°
c) x = 20°
72. UFRN
A figura ao lado é composta por um triângulo e três
quadrados construídos sobre os seus lados. A soma
dos ângulos α, β e γ é:
a) 400°
b) 360°
c) 300°
d) 270°
73. UFPE
Calcule a soma S dos ângulos internos do polígono em
forma de seta ilustrado na figura abaixo.
74.
Na figura, AC = BC = CD; então BÂD é igual a:
a) 75° d) 100°
b) 80° e) 120°
c) 90°
75.
Na figura AB = BC = CD = DE e BÂC = 15°; então
calcule CDE
´
.
76.
Determine a medida do ângulo do vértice A do tri-
ângulo isósceles ABC, sabendo que os segmentos
BC CD DE EF e FA , , , , são congruentes.
122
77.
Na figura, sendo AB congruente a AC e AE con-
gruente a AD, calcule a medida do ângulo CDE
´
.
Dado: BÂD = 42°.
78. Vunesp
Considere o triângulo ABC da figura.
Se a bissetriz interna do ângulo B
`
forma, com a bisse-
triz externa do ângulo C
´
, um ângulo de 50°, determine
a medida do ângulo interno Â.
79. Fuvest-SP
Na figura abaixo, AB AC CB CD , e  = 36°.
a) Calcule os ângulos DCB e ADC
´ ´
.
b) Prove que AD = BC.
80. Mackenzie-SP
No triângulo abaixo, temos AB = BC e CD = AC. Se x
e y são medidas em grau dos ângulos A
´
e B
`
, respec-
tivamente, então x + y é igual a:

a) 120° d) 95°
b) 110° e) 105°
c) 115°
81.
Calcule o ângulo  indicado na figura, sabendo que
as bissetrizes dos ângulos de vértices B e C formam
um ângulo de 110°.
82.
Na figura abaixo, AB = BC = CD = DE = EF e ainda
GD = DH. Assinale a afirmativa verdadeira.
a) GBé mediana no triângulo AGD.
b) E é o baricentro do triângulo GFH.
c) C é o baricentro do triângulo AGH.
d) Os triângulos AGD e FGD têm a mesma área.
e) O triângulo AGF tem o dobro da área do triângulo
HFD.
83.
Sendo, no triângulo ABC, M e N os pontos médios dos
segmentos BC e AB, respectivamente, e P o ponto
de intersecção dos segmentos AM e CN. Sabendo
que P dista 8 cm do vértice C, calcule a distância de
P ao ponto N.
84.
Considerando congruentes os segmentos com “marcas
iguais”, determine o valor de y/x.
85.
Observe a figura abaixo.
123
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
A e E ⇒ Atiradores de elite
B e D ⇒ Alvos móveis
Sabendo que B e D partiram de C para alcançar A
e E e que estão na metade do caminho quando são
atingidos, determine as distâncias percorridas pelas
balas de A e E até atingir os alvos B e D.
86.
Sendo G o baricentro do triângulo ABC, de área
72 cm
2
, a área em cm
2
do triângulo BGC é:
a) 12 d) 24
b) 16 e) 36
c) 18
87.
O triângulo ABC da figura tem área 120 cm
2
. Sendo
BD = DE = EC e AF = FG = GE, avalie se as afirmati-
vas abaixo são verdadeiras (V) ou falsas (F).
( ) G é baricentro do triângulo ABC.
( ) A área do triângulo AEC é 40 cm
2
.
( ) A área do triângulo BFG é 40 cm
2
.
88.
Seja ABC um triângulo eqüilátero de altura 9 cm em
que O é o ortocentro. Quando mede o segmento
AO ?
89.
No triângulo ABC da figura abaixo, os ângulos B e C
` ´

medem, respectivamente, 70° e 60°. A medida do ân-
gulo agudo formado pelas alturas AH e BP é:
a) 30°
b) 40°
c) 50°
d) 60°
e) 70°
90.
Num triângulo acutângulo ABC, H é o ortocentro e
 = 50°. Determine BHC
´
.
91.
Num triângulo acutângulo ABC, AD e BE são alturas.
Sendo C
´
= 42° e O ortocentro do triângulo, BOD é:
a) 38° d) 52°
b) 48° e) 36°
c) 42°
92. Fuvest-SP
Um triângulo ABC tem ângulos  = 40° e B
`
= 50°. Qual
é o ângulo formado pelas alturas relativas aos vértices
A e B desse triângulo?
a) 30° d) 90°
b) 45° e) 120°
c) 60°
93.
Sendo AM mediana do triângulo ABC e N o ponto
médio de AM, é correto afirmar que:
a) N é o baricentro do triângulo ABC.
b) a área do triângulo ANC é
1
3
da área do triângulo
ABC.
c) a área do triângulo ANC é
1
4
da área do triângulo
ABC.
d) N é o ortocentro do triângulo ABC.
e) o triângulo ABM tem o triplo da área do triângulo
ANC.
94. Unifacs-BA
Na figura, a área do triângulo ABC mede 54 u.a. e
BC EC e EC BD 3 3 . A partir dessa informação,
pode-se concluir que a área sombreada mede:
01. 18 04. 30
02. 20 05. 36
03. 24
95.
Num triângulo acutângulo ABC, H é o ortocentro e
 = a. Determine BHC
´
.
96.
Num triângulo acutângulo duas das alturas formam um
ângulo agudo de medida α. Determine em função de α
um dos ângulos internos do triângulo dado.
124
97.
Um tesouro foi enterrado num campo aberto e o mapa da lo-
calização faz referência às três grandes árvores do local:
O tesouro foi enterrado no terceiro vértice do triângulo
(o jatobá é o primeiro e o jacarandá é o segundo), e a
sibipiruna é o ortocentro do triângulo.
Como é possível localizar o tesouro no local?
98.
Num triângulo isósceles ABC, de base BC, H é o orto-
centro e G é o baricentro. Sendo HG maior que a altura
relativa à base BC, é possível afirmar que:
a) o triângulo é retângulo.
b) o triângulo é obtusângulo.
c) o triângulo também é eqüilátero.
d) a área do triângulo é HG
2
.
e) o baricentro do triângulo ABC é externo ao triângulo.
99.
Num triângulo acutângulo ABC, AH e AM são
respectivamente altura e mediana. Se HM
BC

5
, é
correto afirmar que:
a) o triângulo ABC não é isósceles.
b) H é o ortocentro do triângulo ABC.
c) O ortocentro do triângulo ABC é externo ao
triângulo.
d) a área do triângulo AHM é
1
5
da área do triângulo
ABC.
e) B é o ortocentro do triângulo AHM.
100.
Seja AH a altura do triângulo acutângulo ABC. Sabendo
que O é ponto médio de AH e que HC = 3 BH, determine
a razão entre as áreas dos triângulos AOC e ABC.
101. UFPI
A área do triângulo ABC, na figura abaixo, é igual a A.
Temos também AD AC e EC BC
1
3
1
4
Julgue (V ou F) o que segue:
( ) A área do triângulo DEC é
1
6
da área do triângulo
ABC.
( ) A área do triângulo DEC é 25% da área do triângulo
BCD.
( ) A área do triângulo BDC é o dobro da área do
triângulo ABD.
( ) A área do triângulo DEC é 35% da área do triângulo
BDE.
102. Unioeste-PR
Na figura abaixo estão representados dois triângulos
eqüiláteros, ABC e PQR, cujos lados medem a e 2a,
respectivamente. O vértice P coincide com o baricentro
do triângulo ABC, C pertence ao lado PQ e os lados
PR e AC interceptam-se no ponto D. Assim sendo, é
correto afirmar que:
01. O ângulo PCD mede 30°.
02. O segmento PD mede
a 3
6
.
04. Os pontos B, P e D são colineares.
08. O segmento PC mede
a 3
6
.
103. UPE
No paralelogramo ABCD, o ponto M é o ponto médio
do lado CD. Se AN mede 12 cm, pode-se afirmar que
MN mede:
a) 6 cm d) 8 cm
b) 5 cm e) 7 cm
c) 4 cm
104.
Determine a área do retângulo ABCD da figura, sa-
bendo que M é ponto médio de BC e que a área do
triângulo PMB é 16 cm
2
.
125
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
105.
No triângulo ABC da figura abaixo, as medianas
AM e BM
1 2
são perpendiculares. Sabendo que BC = 8
e AC = 6, calcule AB.
106.
O triângulo ABC da figura tem área 132 cm
2
. Sabendo
que MC é
1
3
de AC e que NC é
1
4
de BC, determine
a área do quadrilátero PMCN.
107.
Classifique em verdadeiro (V) ou falso (F).
a) O incentro é o centro da circunferência inscrita no
triângulo.
b) O circuncentro é o centro da circunferência cir-
cunscrita ao triângulo.
c) O incentro é interno ao triângulo.
d) O baricentro é interno ao triângulo.
e) O ortocentro é interno ao triângulo.
f) O circuncentro é interno ao triângulo.
g) O baricentro é o centro da circunferência inscrita
no triângulo.
108.
Assinale a opção incorreta:
a) Os quatro pontos notáveis de um triângulo podem
estar alinhados.
b) Os quatro pontos notáveis de um triângulo podem
ser coincidentes.
c) Nem todos os pontos notáveis são obrigatoriamen-
te internos ao triângulo.
d) Nenhum ponto notável pode estar no vértice do
triângulo.
e) O circuncentro eqüidista dos vértices do triân-
gulo.
109.
Qual é a classificação do triângulo que satisfaz a
condição dada nos casos:
a) o ortocentro e o baricentro são coincidentes;
b) o incentro e o circuncentro são coincidentes;
c) o ortocentro é um dos vértices;
d) o ortocentro é externo;
e) o circuncentro está em um dos lados;
f) o ortocentro é um ponto interno.
110.
No ∆ABC da figura, Â = 50° e B
`
= 70°.
Sendo S a área do círculo inscrito, determine as áreas
S
1
, S
2
e S
3
dos três setores assinalados.
111.
No triângulo ABC da figura, determine Â, B
`
e C
´
,
sabendo que I é o incentro do triângulo.
112.
No ∆ABC da figura, I é incentro e DE BC // .
Sendo BC = 10 cm e 36 cm o perímetro do triângulo
ADE, calcule o perímetro do ∆ABC.
113.
No ∆ABC da figura, determine Â, B
`
e C
´
sabendo que
O é circuncentro do triângulo.
126
114.
Considere o triângulo ABC da figura e assinale a
afirmativa falsa:
a) F é o ortocentro do ∆ABC.
b) A é o ortocentro do ∆FBC.
c) Os circuncentros dos triângulos BDC e BEC coin-
cidem.
d) BF = 2FE
e) O ∆ABC é acutângulo.
115.
Três casas em uma região plana, não colineares, de-
vem ser iluminadas por um poste que fique localizado
a uma mesma distância das casas. Usando seus co-
nhecimentos de geometria, faça uma figura ilustrativa
da situação descrita acima. Justifique.
116.
Joel, Pedro e Manoel moram em suas respectivas
casas, sendo que as casas não são colineares e estão
localizadas na mesma fazenda. Eles desejam abrir um
poço de modo que ele fique à mesma distância das três
casas. Supondo que a fazenda é “plana”, com seus
conhecimentos de geometria, que sugestão poderia
dar a eles? Justifique seu raciocínio.
117.
A prefeitura de uma cidade mandou colocar, na praça
central, uma estátua em homenagem a Tiradentes. Des-
cubra, na planta a seguir, em que local essa estátua deve
ser colocada, sabendo que ela deverá ficar a uma mesma
distância das três ruas que determinam a praça.
118.
Uma ilha tem a forma de um triângulo. Qual é o ponto
da ilha que é eqüidistante do mar?
119.
Num ∆ABC, isósceles de base BC, a altura relativa a
BC mede 6 cm. Sendo MO = 2 cm, onde M é o ponto
médio de BC, e O é circuncentro de ABC, calcule o
raio da circunferência circunscrita ao triângulo ABC,
considerando os dois casos:
a) ∆ABC é acutângulo.
b) ∆ABC é obtusângulo, com  > 90°.
120.
Num triângulo eqüilátero de altura 9 cm, calcule as
medidas dos raios das circunferências inscrita e cir-
cunscrita ao triângulo.
121. Unifesp
Numa circunferência de raio R > 0 consideram-se,
como na figura, os triângulos eqüiláteros T
1
, inscrito,
e T
2
, circunscrito.
A razão entre a altura de T
2
e a altura de T
1
é.
a) 4
b) 3
c) 5/2
d) 2π/3
e) 2
122.
Na figura, a circunferência de centro O está inscrita
no setor circular ABC. Sendo AB = 15 cm, o raio da
circunferência inscrita mede:
a) 5 cm
b) 5 2cm
c) 10 cm
d) 5 3 cm
e)
5
2
cm
127
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
123.
No ∆ABC da figura, determine Â, sabendo que I é
incentro do triângulo.
124.
No triângulo ABC, I é incentro e  = α. Calcule BI
`
C
em função de α.
125.
No ∆ABC da figura, determine Â, sabendo que O é
circuncentro do triângulo.
126.
Num ∆ABC, M
1
e M
2
são os pontos médios de
AB e AC. Sendo  = 140°, determine M
1
ÔM
2
, onde
O é o circuncentro de ABC.
127.
O triângulo ABC da figura é retângulo em A e os triângulos
OAB, OAC e OBC são equivalentes (mesma área).
Sendo BC = 18 cm, determine OA.
128.
Na figura, AG e AF, dividem o ângulo BAC em três
ângulos congruentes. Da mesma forma CD e CE
dividem o ângulo ACB em três ângulos congruentes.
Assinale a alternativa correta:
a) P é incentro de algum triângulo construído na figura.
b) Q é incentro de algum triângulo construído na figura.
c) R é incentro de algum triângulo construído na figura.
d) S é incentro de algum triângulo construído na figura.
e) Nenhuma das alternativas anteriores é verdadeira.
129.
No triângulo ABC da figura, BÂC = 50°. Se P for o
incentro do triângulo ABC, BPC
`
α; no entanto, se
P for o ortocentro do triângulo ABC, BPC
`
β . Então
α
β
é igual a:
a) 2/3 d) 23/26
b) 4/5 e) 25/32
c) 17/20
130. UFPI
No triângulo ABC (figura abaixo), os lados AB, AC e BC
medem, respectivamente, 5 cm, 7 cm e 9 cm. Se P é o
ponto de encontro das bissetrizes dos ângulos B e C e
PQ//MB, PR//NC e MN//BC, a razão entre os perímetros
dos triângulos AMN e PQR é:
a)
10
9
d)
4
3
b)
9
8
e)
7
5
c)
7
6
128
131.
Na figura r//s, AÊB = 90° e CD = 2AB.
Sendo ADC
´
° 22 , determine ABC
`
.
132.
Considere os triângulos T
1
, T
2
,... etc., a seguir. Assinale
os pares de triângulos congruentes e indique o caso
de congruência.
133.
Os pares de triângulos abaixo são congruentes. Indi-
que o caso de congruência.
a)
b)
c)
d)
e)
f)
g)
134. Unimontes-MG
Se, na figura abaixo, o triângulo PCD é congruente
ao triângulo PBA, onde P P C B e D A ↔ ↔ ↔ , é a
correspondência que define essa congruência, então,
o perímetro do triângulo ADP é igual a
a) 64
b) 70
c) 121
d) 126
129
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
135.
Na figura abaixo, o ∆ABC é isósceles de base
BC
e
EÂB ≅ CÂF. Determine x, y e α.
136. UEL-PR
Para que dois triângulos sejam congruentes, é sufi-
ciente que
a) dois de seus lados sejam respectivamente con-
gruentes.
b) os dois sejam triângulos retângulos.
c) seus três ângulos sejam respectivamente con-
gruentes.
d) seus três lados sejam respectivamente proporcio-
nais.
e) seus três lados sejam respectivamente congruentes.
137. Fuvest-SP
Um avião levanta vôo para ir da cidade A à cidade B,
situada a 500 km de distância. Depois de voar 250 km
em linha reta, o piloto descobre que a rota está errada
e, para corrigi-la, ele altera a direção do vôo de um
ângulo de 90°.
Se a rota não tivesse sido corrigida, a que distância
ele estaria de B após ter voado os 500 km previstos?
138.
Na figura abaixo, sabendo que α β γ δ ≡ ≡ e , prove que
os triângulos ABC e CDA são congruentes.
139.
Na figura abaixo, sabendo que C é ponto médio de BE,
prove que os triângulos ABC e DEC são congruentes.
140. FGV-SP
Na figura a seguir, temos o segmento AD, que é
idêntico a CD, e AB, que é idêntico a BC. Prove que
o ângulo A é idêntico ao ângulo C.
141.
Sendo o ∆ABC e o ∆CDE eqüiláteros de lado 10 cm,
pede-se:
a) prove que os triângulos BFC e EFC são congruentes;
b) determine a área do ∆BFC.

A
base x altura


j
(
,
\
,
(
2

142.
Demonstre que a mediana relativa à base de um
triângulo isósceles é também bissetriz.
143.
Na figura abaixo, OM
¸ , ¸¸¸
é a bissetriz do ângulo AÔB.
Prove que, se P pertence à bissetriz OM
¸ , ¸¸¸
, então P
eqüidista de OA e OB
¸ , ¸¸ ¸ , ¸¸
.
144.
Na figura abaixo, prove que AM BM ≡ .
130
145.
Na figura abaixo, prove que PA = PB
146.
Na figura abaixo temos que PA = PC e AB = CD. Res-
ponda: os triângulos PAD e PCB são congruentes?
Justifique.
147.
Na figura abaixo temos que: AB = AC. Responda:
a) Quantos elementos correspondentes congruentes
têm os triângulos PAB e PAC?
b) Os triângulos PAB e PAC são congruentes? Jus-
tifique.
148.
Na figura a seguir, OA = OC e AB = CD. Prove que
OP
, , ¸¸
é mediatriz de AC.
149.
Prove que as medianas relativas aos lados congruen-
tes de um triângulo isósceles são congruentes.
150.
Considere, na base BC do triângulo isósceles ABC
(AB = AC), os pontos P e Q, que satisfazem a seguinte
condição: BP CQ
BC
>
2
. Prove que o triângulo APQ
é isósceles.
151.
Prove que as bissetrizes relativas aos lados congruen-
tes de um triângulo isósceles são congruentes.
152. UEM-PR
A figura a seguir foi feita por uma criança. No entanto,
sabe-se que ABC e CDE são triângulos congruentes,
os vértices A, C e D são colineares e os vértices B, E
e C também o são.
É correto afirmar que:
a) o segmento BE é congruente ao segmento AC.
b) a reta AD é perpendicular à reta BC.
c) o ângulo BED
`
é congruente ao ângulo ACB.
´
d) o segmento CD é hipotenusa do triângulo CDE.
e) o ponto E é o ponto médio do segmento BC.
153.
Definição: Um quadrilátero que possui lados opostos
paralelos é um paralelogramo.
Mostre que as diagonais de um paralelogramo se
cruzam no ponto médio.
154.
Prove que toda reta que passa pelo ponto médio de um
segmento é equidistante das extremidades do segmento.
155.
Seja a cruz formada por cinco quadrados de lado L.
Prove que o quadrilátero ABCD é um quadrado.
156.
O canto de um quadrado de cartolina foi cortado com
uma tesoura. A soma dos comprimentos dos catetos
do triângulo recortado é igual ao comprimento do lado
do quadrado. Qual o valor da soma dos ângulos α e β
marcados na figura a seguir?
131
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
157. Vunesp
Considere as seguintes proposições.
I. Todo quadrado é um losango.
II. Todo quadrado é um retângulo.
III. Todo retângulo é um paralelogramo.
IV. Todo triângulo equilátero é isósceles.
Pode-se afirmar que:
a) só uma é verdadeira.
b) todas são verdadeiras.
c) só uma é falsa.
d) duas são verdadeiras e duas são falsas.
e) todas são falsas.
158. PUC-SP
Sendo:
A = { x / x é quadrilátero} D = { x / x é losango}
B = { x / x é quadrado} E = { x / x é trapézio}
C = { x / x é retângulo} F = { x / x é paralelogramo}
Então, vale a relação:
a) A ⊃ D ⊃ E
b) A ⊃ F ⊃ D ⊃ B
c) F ⊂ D ⊂ A
d) A ⊃ F ⊃ B ⊃ C
e) B ⊂ D ⊂ A ⊂ E
159.
Num trapézio retângulo, o menor ângulo é
5
7
do maior.
Determine a medida de seus ângulos internos.
160.
Num quadrilátero convexo ABCD os ângulos inter-
nos são expressos por: Â = 2x + 10°, B
`
= 7x – 10°,
C
´
= x + 30°, D
´
= 8x – 30°.
Assinale a afirmativa errada.
a) ABCD é um losango.
b) ABCD é um paralelogramo.
c) ABCD não é um trapézio.
d) ABCD não pode ser um quadrado.
e) ABCD não é um retângulo.
161. UFOP-MG
Assinale a alternativa incorreta:
a) Em todo paralelogramo não retângulo, a diagonal
oposta aos ângulos agudos é menor do que a outra.
b) É reto o ângulo formado pelas bisetrizes de dois
ângulos consecutivos de um paralelogramo.
c) As bissetrizes de dois ângulos opostos de um
paralelogramo são paralelas.
d) Ligando-se os pontos médios dos lados de
um triângulo, este fica decomposto em quatro
triângulos congruentes.
e) Todas as afirmativas anteriores são incorretas.
162. UFRJ
De um retângulo de 18 cm de largura e 48 cm de
comprimento foram retirados dois quadrados de lados
iguais a 7 cm, como mostra a figura.
Qual o perímetro da figura resultante?
163. Mackenzie-SP
As bases de um trapézio isósceles medem 7 e 13. Se
a altura do trapézio é 4, seu perímetro é:
a) 27 d) 30
b) 25 e) 40
c) 20
164.
Sendo ABCD um paralelogramo AP é bissetriz, AB = 7cm
e PC = 3 cm, determine o perímetro do paralelogramo.
165. UECE
Na figura, o retângulo DGHI, o triângulo eqüilátero
DEF e o quadrado ABCI têm todos, perímetro igual
24 cm. Se D é o ponto médio de CI, o perímetro da
figura fechada ABCDEFGHIA é igual a:
a) 48 m c) 50 m
b) 49 m d) 51 m
166. Cesgranrio-RJ
Em um trapézio retângulo, o menor ângulo mede 35°.
O maior ângulo desse polígono mede:
a) 155° d) 142°
b) 150° e) 140°
c) 145°
Capítulo 3
132
167. FGV-SP
A diagonal menor de um losango decompõe esse losango
em dois triângulos congruentes. Se cada ângulo obtuso
do losango mede 130°, quais são as medidas dos três
ângulos de cada um dos triângulos considerados?
168.
A diferença entre as medidas de dois ângulos internos
de um paralelogramo é 36°. Calcule as medidas dos
ângulos internos desse paralelogramo.
169. Unifesp
Em um paralelogramo as medidas de dois ângulos
internos consecutivos estão na razão 1 : 3. O ângulo
menor desse paralelogramo mede:
a) 45° d) 60°
b) 50° e) 65°
c) 55°
170.
Sobre um quadrilátero convexo ABCD a única afirma-
tiva errada é:
a) a soma das medidas dos ângulos internos de
ABCD é 360°.
b) ABCD é um trapézio.
c) ABCD é um paralelogramo.
d) ABCD é um retângulo.
e) ABCD é um quadrado.
171. ITA-SP
Dadas as afirmações:
I. Quaisquer dois ângulos opostos de um quadrilátero
são suplementares.
II. Quaisquer dois ângulos consecutivos de um para-
lelogramo são suplementares.
III. Se as diagonais de um paralelogramo são per-
pendiculares entre si e se cruzam em seu ponto
médio, então esse paralelogramo é um losango.
a) Todas são verdadeiras.
b) Apenas I e II são verdadeiras.
c) Apenas II e III são verdadeiras.
d) Apenas II é verdadeira.
e) Apenas III é verdadeira.
172.
Um trapézio isósceles tem bases 5 cm e 11 cm. De-
termine a sua altura sabendo que as diagonais são
bissetrizes dos ângulos internos agudos.
173.
Assinale a afirmativa verdadeira.
a) Em todo paralelogramo a diagonal maior está nas
bissetrizes dos ângulos agudos
b) Em todo paralelogramo as diagonais não são
perpendiculares.
c) Todo quadrilátero convexo que tem diagonais
perpendiculares é losango.
d) Todo quadrilátero convexo que tem as diagonais
congruentes é retângulo.
e) Um trapézio pode ter diagonal na bissetriz do
ângulo agudo.
174. UFV-MG
Num trapézio isósceles de bases diferentes, uma
diagonal é também bissetriz de um ângulo adjacente
à base maior. Isso significa que:
a) a base menor tem medida igual à dos lados oblíquos.
b) os ângulos adjacentes à base menor não são
congruentes.
c) a base maior tem medida igual à dos lados oblíquos.
d) as duas diagonais se interceptam no seu ponto
médio.
e) as diagonais se interceptam, formando ângulo reto.
175.
Num trapézio isósceles ABCD, AB = BC = CD. Sendo
α a medida dos ângulos agudos do trapézio e 2α a
medida dos ângulos obtusos, determine em graus o
maior ângulo formado pelas diagonais AC e BD.
176.
Num trapézio isósceles ABCD, AB = BC = CD.
Sendo 72° a medida do ângulo agudo formado pelas
diagonais AC e BD, determine as medidas dos ângulos
obtusos do trapézio.
177.
No trapézio ABCD, de bases AB e CD, da figura abai-
xo, sabe-se que: AB = AD = BC e AC = CD. Calcule a
medida do ângulo CAD.
178. Mackenzie-SP
Na figura, ABCD é um quadrado e APD é um triângulo
eqüilátero. A medida do ângulo α, em graus, é:
a) 65
b) 55
c) 80
d) 60
e) 75
179. UFIt-MG
Na figura abaixo, ABCD é um quadrado e ABM é um triân-
gulo eqüilátero. Então, quanto mede o ângulo CMD?
133
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
180. UERJ
Uma folha de papel (figura 1) de formato retangular é
dobrada no segmento MN, de modo que o vértice A
coincida com C (figura 2). Em seguida, dobra-se a folha
no segmento AM, como mostra a figura 3.
Para que os pontos B, M e N fiquem alinhados após a
segunda dobradura, determine:
a) a medida do ângulo AMB
´
;
b) a razão entre o menor e o maior lado do retângulo
ABCD.
181.
Considere o paralelogramo ABCD de área 100 cm
2
da
figura a seguir. Sendo M, N, P e Q pontos médios dos
lados do paralelogramo:
a) classifique o quadrilátero hachurado;
b) determine a área do quadrilátero hachurado.
Capítulo 4
182.
Nas figuras, calcule o valor de x.
a)
b)
183.
Calcule x em cada figura:
a)
b)
184. UFV-MG
Qual é o valor do ângulo α na figura?
a) 55°
b) 65°
c) 35°
d) 110°
e) 130°
185. UFES
Na figura, a medida de α em graus é:
a) 50
b) 52
c) 54
d) 56
e) 58
186. FGV-SP
A medida do ângulo ADC inscrito na circunferência
de centro O é:
a) 125°
b) 110°
c) 120°
d) 100°
e) 135°
187. UFPB
Dividindo uma circunferência qualquer em exatamente
trezentos arcos iguais, considere, como um trento,
a medida do ângulo central correspondente a um
desses arcos.
134
Sendo AB um diâmetro e V um ponto, da circunferên-
cia acima, distinto de A e B, o ângulo AV
´
B inscrito tem,
como medida, em trentos:
a) 25 d) 100
b) 50 e) 125
c) 75
188.
Na circunferência de centro O da figura, o menor arco
com extremidades A e D mede 110°. Calcule x e y.
189. UFPE
Na figura abaixo, o triângulo ABC está inscrito na
circunferência de centro em O, e AB é um diâmetro.
Indique o valor do ângulo α, em graus.
190.
Que representa o ponto I para o triângulo ABC?
191.
Na figura abaixo, AB = 18 cm é o diâmetro da circun-
ferência de centro M.
a) Sendo C um ponto da circunferência distinto de A
e B, mostre que o ângulo BC
´
A é reto.
b) N é um ponto médio do lado AC. Calcule a medida
do segmento PM.
192.
Na figura abaixo, o triângulo ABC é retângulo em A, e
o ângulo AC
´
B mede 20°.
Determine a medida do ângulo agudo formado pela
mediana AM e a altura AH do triângulo.
193. UEM-PR
Considere ABC um triângulo inscrito em uma semicir-
cunferência de diâmetro BC cuja medida do ângulo C é
20°. Determine a medida, em graus, do ângulo formado
pela altura e pela mediana relativas à hipotenusa.
194.
Na figura abaixo, calcule o valor de x.
195.
Na figura abaixo, calcule a medida dos arcos AMB

e CND

.
196.
ABCDE é um pentágono regular, determine x.
197. Cesgranrio-RJ
Em um círculo de raio 5 está inscrito um quadrilátero
ABCD. Sobre a soma dos ângulos opostos BA
´
D e
BC
´
D, podemos afirmar que vale:
a) 5 · 180° d) 180°
b) 3 · 180° e) 90°
c) 2 · 180°
135
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
198. Mackenzie-SP
O quadrilátero ABCD da figura é inscritível. O valor
de x é:
a) 36°
b) 48°
c) 50°
d) 52°
e) 54°
199.
Num quadrilátero ABCD, temos A
´
= 58°, AB
`
D = 40°
e C
´
= 122°.
Calcule a medida do ângulo ACD.
200.
Sejam P, Q e R pontos de uma circunferência de centro
O, tais que P e Q estão no mesmo lado de um diâmetro
que passa por R.
Sabendo que OR
´
P = 20° e RO
´
Q = 80°, calcule o
ângulo PQ
´
O.
201. UFRR
Na figura, a reta TA é tangente à circunferência de
centro O no ponto A, e a medida do ângulo TA
´
B é
40°.
Sabendo que o triângulo ABC é isósceles de base AB,
a medida em graus do ângulo BA
´
C é igual a:
a) 30
b) 45
c) 55
d) 70
e) 85
202. UFES
Na figura, os segmentos de reta AP e DP são
tangentes à circunferência, o arco ABC mede 110
graus e o ângulo CAD mede 45 graus. A medida,
em graus, do ângulo APD é:

a) 15
b) 20
c) 25
d) 30
e) 35
203.
Na figura, determine a medida do ângulo α, sabendo
que o arco AB
¯
mede 100° e que a corda CD mede
R, sendo R o raio do círculo.
204. Uni for-CE
Seja uma circunferência λ de centro O. Por um
ponto P traçam-se uma tangente PT
, , ¸¸
e uma secante
PS
, , ¸¸
, que contém o ponto O, como mostra a figura
seguinte.
Se U ∈ PS, a medida θ, do ângulo assinalado, é:
a) 85°
b) 75° 30’
c) 65°
d) 57° 30’
e) 45°
205. Unifei-MG
Considere a semicircunferência de centro O da figura
abaixo e a reta r, tangente a esta semicircunferência
pelo ponto A.
As relações entre os ângulos α, β e θ são:
Obs.: Use o fato de que 90° =
¬
2
rad.
a) α = β e θ
o
2
.
b) β =
¬ o -
2
e θ =
o
2
.
c) θ =
¬
4
+ β e α = 3θ.
d) β = 2θ e α = β – θ.
136
206.
Na figura, α = 20° e PA têm a mesma medida do raio
da circunferência de centro O. Calcule x.
207. Unicamp-SP
Na figura abaixo, temos uma circunferência de centro O e
raio r. Sabendo que o segmento BC mede r, prove que a
medida do ângulo AB
`
P é 1/3 da medida do ângulo AO
´
P.
208.
Sendo O
1
e O
2
os centros das circunferências da
figura, calcule x.
209. Vunesp
Em um quadrilátero ABCD tem-se AB = AC = AD, conforme
a figura abaixo. Sabe-se que o ângulo BAC mede 20°.
Então o ângulo BDC mede:
a) 5°
b) 10°
c) 15°
d) 20°
e) 40°
210.
Na figura, a reta PQ toca em N o círculo que passa
por L, M e N. A reta LM corta a reta PQ em R. Se
LM = LN e a medida do ângulo PNL é α, α > 60°, quanto
mede o ângulo LRP?
a) 3α – 180° d) 90° – α / 2
b) 180° – 2α e) α
c) 180° – α
211.
As extremidades da hipotenusa de um esquadro,
apoiado em um plano, se deslocam em duas semi-retas
perpendiculares. A trajetória descrita pelo vértice A do
ângulo reto do esquadro é:
a) uma circunferência.
b) um arco de circunferência com medida menor
que 180°.
c) um arco de parábola.
d) um segmento de reta paralelo a Oy.
e) um segmento de reta que pertence a uma semi-
reta que forma com Oy um ângulo congruente a
um dos ângulos do esquadro.
212.
Joãozinho estava subindo em uma escada apoiada em
uma parede. Quando os seus dois pés estavam no meio
da escada, esta começou a escorregar, de modo que a
extremidade superior descreve uma trajetória vertical até
atingir o chão. Se os pés de Joãozinho mantiveram-se
firmes no degrau do meio, indique a trajetória descrita
pelos seus pés enquanto a escada escorregava.
a) d)
b) e)
c)
137
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
213.
As circunferências da figura são tangentes externa-
mente. Se a distância entre os centros é 28 cm e a
diferença entre os raios é 8 cm, determine os raios.
214.
Duas circunferências são tangentes internamente e a
soma dos raios é 30 cm. Se a distância entre os centros
é 6 cm, determine os raios.
215.
Considere duas circunferências de centros A e B com
raios R e r (R > r), respectivamente. Sendo AB = R + r,
quantas circunferências distintas, com raio R, são tangen-
tes simultaneamente às duas circunferências dadas?
216. UEMS
As circunferências C
1
e C
2
estão contidas no plano
,
.
Seus raios são 1 e 2, respectivamente, e a distância
entre seus centros é 3. Quantas são as retas de
,
que
tangenciam C
1
e C
2
?
a) Infinitas d) 1
b) 3 e) 0
c) 2
217.
A distância entre os centros de duas circunferências
tangentes internamente é 5 cm. Se a soma dos raios
é 11 cm, determine os raios.
218.
Duas circunferências tangentes externamente têm
raios r = 2 cm e R = 3 cm.
Calcule o menor raio de uma terceira circunferência,
sabendo que as duas primeiras são tangentes inter-
namente à terceira.
219.
Considere duas circunferências de raios r = 4 cm e
R = 6 cm, com centros distantes 12 cm. Calcule o
raio da menor circunferência tangente externamente
às duas circunferências dadas.
220.
Na figura o ponto Q enxerga AB sob ângulo de 50°.
Determine o(s) ponto(s) de AP que enxerga(m) AB
sob um ângulo:
a) igual a 50°;
b) menor que 50°;
c) maior que 50°.
221.
Na figura os pontos P e Q representam as traves
do gol de um campo de futebol. Entre os pontos A,
B, C, D e E, qual é o que enxerga o gol sob maior
ângulo?

a) A
b) B
c) C
d) D
e) E
222.
Sejam λ
1
e λ
2
duas circunferências coplanares e com
raios iguais. Seja N a quantidade de tangentes comuns
às duas circunferências. Então, o único valor que N
não pode assumir é:
a) 1 d) 4
b) 2 e) ∞
c) 3
223. Vunesp
Paulo fabricou uma bicicleta, tendo rodas de tamanhos
distintos, com o raio da roda maior (dianteira) medindo
3 dm, o raio da roda menor medindo 2 dm e a distância
entre os centros A e B das rodas sendo 7 dm. As rodas
da bicicleta, ao serem apoiadas no solo horizontal,
podem ser representadas no plano (desprezando-se
os pneus) como duas circunferências, de centros A e
B, que tangenciam a reta r nos pontos P e Q, como
indicado na figura.
a) Determine a distância entre os pontos de tangência
P e Q e o valor do seno do ângulo BPQ

.
b) Quando a bicicleta avança, supondo que não haja
deslizamento, se os raios da roda maior descrevem
um ângulo de 60°, determine a medida, em graus,
do ângulo descrito pelos raios da roda menor.
Calcule, também, quantas voltas terá dado a roda
menor quando a maior tiver rodado 80 voltas.
138
224.
Considere duas circunferências de centros A e B e raios
de 4 cm e 2 cm, respectivamente. Sendo AB = 10 cm,
determine:
a) Quantas retas tangentes às duas circunferências
dadas existem?
b) Qual a medida do raio da menor circunferência
tangente comum às duas circunferências dadas?
c) Quantas circunferências distintas de raio 8 cm são
tangentes simultaneamente às duas circunferên-
cias dadas?
225. Unir-RO
Considere o círculo C
1
, de centro O
1
e raio 14 cm e o
círculo C
2
, de centro O
2
e raio 2 cm, totalmente contido
no interior de C
1
, como ilustrado na figura abaixo.
Construímos um círculo C, de centro O, simultane-
amente tangente a C
2
exteriormente e tangente a
C
1
interiormente. O valor da soma das distâncias
entre o centro deste novo círculo aos centros dos
círculos C
1
e C
2
(isto é: OO
1
+ OO
2
), em centíme-
tros, é igual a:
a) 8 d) 14
b) 10 e) 16
c) 12
226.
Duas circunferências de centros A e B são tangentes
externamente e tangenciam internamente uma circun-
ferência de centro C. Sendo AB = 12 m, AC = 17 m e
BC = 13 m, determine os raios dessas circunferências.
Capítulo 5
227.
Considere seis circunferências de raio r = 2 cm tan-
gentes externamente, de modo que qualquer uma seja
tangente exatamente a duas outras. Calcule o raio da
única circunferência que é tangente internamente às
seis circunferências dadas.
228. Unifesp
Na figura, o segmento AC é perpendicular à reta r.
Sabe-se que o ângulo AÔB, com O sendo um ponto
da reta r, será máximo quando O for o ponto onde r
tangencia uma circunferência que passa por A e B.
A
B
C O
r
Se AB representa uma estátua de 3,6 m sobre um pe-
destal BC de 6,4 m, a distância OC, para que o ângulo
AÔB de visão da estátua seja máximo, é:
a) 10 m d) 7,8 m
b) 8,2 m e) 4,6 m
c) 8 m
229. Unioeste-PR
Na figura abaixo está representado um dispositivo em que
OP e PQ são braços móveis de comprimentos respecti-
vamente iguais a 22 cm e 75 cm. Quando o dispositivo
é posto em funcionamento, o ponto P percorre uma
circunferência com centro em O, enquanto Q executa um
movimento de vai-e-vem sobre a reta r. Qual é a distância
percorrida pelo ponto Q, a cada volta completa que P dá
sobre a circunferência, em centímetros?
230.
Calcule o número de diagonais (d) e a soma das
medidas dos ângulos internos (S
i
) de cada um dos
polígonos convexos.
a) Eneágono
b) Dodecágono
c) Tridecágono
231.
Qual o polígono convexo que tem 170 diagonais?
232.
Calcule a razão entre os números de diagonais dos
polígonos que têm 5 e 8 lados, respectivamente.
233.
Qual é o polígono convexo cujo número de diagonais
é o triplo do número de lados?
234.
Um polígono convexo tem 3 lados a mais que o outro.
Descubra esses polígonos, sabendo que juntos têm
64 diagonais.
235.
A diferença entre o número de diagonais de dois po-
lígonos é 27. O primeiro polígono tem 3 lados a mais
que o segundo. Determine os dois polígonos.
139
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
236.
Aumentando-se o número de lados de um polígono de
3, seu número de diagonais aumenta de 21. Determine
o número de lados desse polígono.
237.
A seqüência a seguir representa o número de lados
(n) de um polígono convexo e seu número de diago-
nais (d).
O valor de x é:
a) 60
b) 77
c) 104
d) 90
e) 83
238.
Considere as afirmações sobre polígonos conve-
xos:
I. Existe apenas um polígono cujo número de diago-
nais coincide com o número de lados.
II. Não existe polígono cujo número de diagonais seja
o quádruplo do número de lados.
III. Se a razão entre o número de diagonais e o de
lados de um polígono é um número natural, então
o número de lados do polígono é impar.
a) Todas as afirmações são verdadeiras
b) Apenas (I) e (III) são verdadeiras
c) Apenas (I) é verdadeira
d) Apenas (III) é verdadeira
e) Apenas (II) e (III) são verdadeiras
239.
Qual é a soma das medidas dos ângulos internos do
polígono que tem o número de diagonais igual ao
quádruplo do número de lados?
240.
Qual a razão entre a soma das medidas dos ângulos
internos e a soma das medidas dos ângulos externos
de um dodecágono convexo?
241.
Qual o polígono convexo que tem a soma dos ângulos
internos excedendo a soma dos ângulos externos
em 720°?
242.
Calcule a soma dos ângulos a, b, c, d, e indicados
na figura.
243.
Calcule a razão, em graus, entre a soma das medidas
dos ângulos internos e o número de diagonais de um
octógono convexo.
244.
Qual a razão entre o número de diagonais e o número
de lados de um icoságono convexo?
245.
Quais são os polígonos com os menores números de
lados que têm a razão entre os números de diagonais
igual a
4
7
?
246.
Os números de lados de três polígonos são ímpares
e consecutivos. Sabendo que juntos eles têm 46 dia-
gonais, determine esses polígonos.
247.
Na figura abaixo, calcule o valor de a + b + c + d.
248.
Os números de lados de dois polígonos convexos têm
razão 2. Juntos os ângulos internos dos dois polígonos
totalizam 2.520°. Quais são esses polígonos?
249.
Os números de lados de três polígonos convexos
são consecutivos. Sendo 1.620° a soma de todos os
ângulos internos dos três polígonos, determine esses
polígonos.
250.
Um polígono convexo tem y diagonais e a soma das
medidas de seus ângulos internos é x°. Sendo y igual
a 3% de x, determine x.
251.
Dividindo-se a diferença entre a soma das medidas dos
ângulos internos e a soma das medidas dos ângulos
externos de um polígono convexo pelo seu número de
diagonais, obtêm-se 36°. Que polígono é esse?
140
252. ITA-SP
De dois polígonos convexos, um tem a mais que o
outro 6 lados e 39 diagonais. Então, a soma total do
número de vértices e de diagonais dos dois polígonos
é igual a:
a) 63
b) 65
c) 66
d) 70
e) 77
253.
Calcule a soma dos ângulos assinalados na figura
abaixo.
254.
Todos os ângulos internos de um polígono convexo
têm medidas iguais, exceto um deles, que é menor em
40°. Sendo ímpar o número de lados desse polígono,
determine o seu número de diagonais.
255.
Dado um dodecágono regular ABCDE…, calcule:
a) a medida do ângulo externo;
b) a medida do ângulo interno;
c) o número de diagonais;
d) a medida do ângulo agudo formado pelos prolon-
gamentos dos lados AB e CD.
256. UFV-MG
Sabendo-se que num polígono regular a soma das
medidas dos ângulos internos com as medidas dos
ângulos externos é 900°, calcule:
a) o número de lados desse polígono;
b) o número de diagonais desse polígono;
c) a medida do ângulo interno desse polígono.
257.
Qual a razão entre as medidas dos ângulos internos e
dos ângulos externos de um icoságono regular?
258. Mackenzie-SP
Os ângulos externos de um polígono regular me-
dem 20°. Então, o número de diagonais desse
polígono é:
a) 90
b) 104
c) 119
d) 135
e) 152
259. FAAP-SP
A medida mais próxima de cada ângulo externo do
heptágono regular da moeda de R$ 0,25 é:
a) 60° d) 83°
b) 45° e) 51°
c) 36°
260. FGV-SP
Analise as intruções a seguir.
I. Andar 4 metros em linha reta.
II. Virar x graus à esquerda.
III. Andar 4 metros em linha reta.
IV. Repetir y vezes os comandos II e III.
Se as instruções são utilizadas para a construção de
um pentágono regular, pode-se afirmar que o menor
valor positivo de x · y é:
a) 144 d) 288
b) 162 e) 324
c) 216
261. Uneb-BA
Dizemos que um polígono pavimenta ou ladrilha um plano
se cópias congruentes desse polígono, adaptadas lado a
lado, cobrem o plano sem deixar buracos e sem a necessi-
dade de superposições. Assinale a alternativa que contém
um polígono que pavimenta ou ladrilha um plano.
a) pentágono
b) eneágono
c) pentadecágono
d) hexágono
e) octógono
262. UFSCar-SP
A figura 1 representa um determinado encaixe no plano
de 7 ladrilhos poligonais regulares (1 hexágono, 2 triân-
gulos, 4 quadrados), sem sobreposições e cortes.
Em relação aos 6 ladrilhos triangulares colocados
perfeitamente nos espaços da figura 1, como indicado
na figura 2, é correto dizer que
a) 2 são triângulos equiláteros e 4 são triângulos
isósceles de ângulo da base medindo 15°.
b) 2 são triângulos equiláteros e 4 são triângulos
isósceles de ângulo da base medindo 30°.
c) 2 são triângulos isósceles de ângulo de base me-
dindo 50° e 4 são triângulos isósceles de ângulo
da base medindo 30°.
141
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
d) 2 são triângulos equiláteros e 4 são triângulos
retângulos isósceles.
e) 2 são triângulos equiláteros e 4 são triângulos
escalenos.
263.
Qual o polígono regular que tem ângulos internos
com 156°?
264.
O ângulo externo de um polígono regular é igual ao
dobro do seu ângulo interno.
Determine o número de diagonais desse polígono.
265. Fuvest-SP
Na figura abaixo, ABCDE é um pentágono regular. A
medida, em graus, do ângulo α é:

a) 32°
b) 34°
c) 36°
d) 38°
e) 40°
266. Fuvest-SP
Os pontos B, P e C pertencem a uma mesma circunfe-
rência γ e BC é lado de um polígono regular inscrito em
γ. Sabendo que o ângulo BPC mede 18°, podemos con-
cluir que o número de lados de um polígono é igual a:

a) 5
b) 6
c) 7
d) 10
e) 12
267. Mackenzie-SP
Na figura, ABCDE é um pentágono regular, EF é
paralelo a AB e BF é paralelo a AE. A medida do
ângulo α é:

a) 72°
b) 54°
c) 60°
d) 76°
e) 36°
268.
Determine o número de lados de um polígono regular
convexo cujo ângulo externo é a quinta parte do
ângulo interno.
269.
Num polígono regular a medida de cada ângulo inter-
no excede a medida de cada ângulo externo em 108°.
Quantas diagonais tem esse polígono?
270. Mackenzie-SP
Na figura, α = 30°, O é o centro da circunferência e AB
é o lado do polígono regular inscrito na circunferência.
Se o comprimento da circunferência é 4π, a área desse
polígono é:
a) 4 3
b) 6 3
c) 8 3
d) 12 3
e) 16 3
271.
Determine a medida do ângulo formado pelos pro-
longamentos dos lados AB e CD de um polígono
ABCDE... regular de 30 lados.
272.
As mediatrizes de dois lados consecutivos de um
polígono regular formam um ângulo de 18°.
Determine o número de diagonais desse polígo-
no.
273.
Dado um decágono regular ABCDE..., as bissetrizes
internas dos ângulos A
´
e D
´
interceptam-se no ponto
P; então, a medida do ângulo AP
`
D é:
a) 68°
b) 82°
c) 108°
d) 112°
e) 120°
274.
Na figura, AB é lado do pentadecágono regular e
PQ o lado do hexágono regular, inscritos na mesma
circunferência. Determine AQ
´
P, sendo AB e PQ
paralelos.
142
275. UFRR
Na figura abaixo, AD é o diâmetro da circunferência,
a corda AB é o lado de um pentágono e o ângulo A do
triângulo ABC mede 15°.
O ângulo obtuso que as bissetrizes internas dos ângu-
los B e C do triângulo ABC formam entre si é igual a:
a) 82° 30’ d) 98°
b) 96° e) 98° 30’
c) 97° 30’
276.
Os lados de um polígono regular de n lados, n > 4, são
prolongados para formar uma estrela. Dê a expressão
que fornece a medida de cada um dos ângulos internos
das pontas da estrela.
277.
Os números de lados de três polígonos regulares são
a, b e c e estão dispostos conforme figura a seguir:
a) Prove que
1 1 1 1
2 a b c
+ + =
.
b) Se um polígono regular tem 12 lados e outro
tem 6 lados, quantos lados tem o terceiro po-
lígono?
278. ITA-SP
Considere três polígonos regulares tais que os núme-
ros que expressam a quantidade de lados de cada um
constituam uma progressão aritmética. Sabe-se que
o produto destes três números é igual a 585 e que a
soma de todos os ângulos internos dos três polígonos
é igual a 3.780°. O número total das diagonais nestes
três polígonos é igual a:
a) 63 d) 97
b) 69 e) 106
c) 90
279. UFG-GO
Mostre que, para revestir um piso com ladrilhos cuja
forma é um polígono regular de n lados, é necessário
que
2
2
n
n-
seja um número inteiro.
280.
Na figura, ABCDE é um pentágono regular e AEF é um
triângulo eqüilátero. Seja P um ponto sobre o segmento
BF, no interior de ABCDE, e tal que o ângulo PE
`
A mede
12°, como mostra a figura abaixo.
Calcule a medida, em graus, do ângulo PA
´
C.
Capítulo 6
281.
Determine o valor de x nos casos a seguir, sendo r, s
e t retas paralelas.
a) b)
143
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
c)
d)
282.
Nas figuras, as retas r, s e t são paralelas. Determine
os valores de x e y.
a)
b)
c)
283. UFR-RJ
Pedro está construindo uma fogueira representada
pela figura abaixo. Ele sabe que a soma de x com y é
42 e que as retas r, s e t são paralelas.
A diferença x – y é
a) 2. d) 10.
b) 4. e) 12.
c) 6.
284.
Na figura as retas r, s, t e u são paralelas. Sendo AB = 8;
BC = 9; CD = 10; CG = x; CF = y e EF = k (x + y),
determine k.
a)
8
19
d)
17
27
b)
9
19
e)
8
27
c)
1
2
285.
Três terrenos têm frente para a rua A e para rua B,
como mostra a figura. As divisas laterais são perpen-
diculares à rua A. Qual a medida da frente para a rua
B de cada lote, sabendo-se que a frente total para
essa rua é 120 m?
286. Unicamp-SP
A figura mostra um segmento AD dividido em três par-
tes: AB = 2 cm, BC = 3 cm e CD = 5 cm. O segmento
AD’ mede 13 cm e as retas BB' e CC' são paralelas
a DD'. Determine os comprimentos dos segmento
AB B C e C D ', ' ' ' '.
287.
Um feixe de quatro paralelas determina sobre uma
transversal três segmentos que medem 5 cm, 6 cm e
9 cm, respectivamente. Determine os comprimentos
dos segmentos que esse mesmo feixe determina so-
bre uma outra transversal, sabendo que o segmento
compreendido entre a primeira e a quarta paralela
mede 60 cm.
144
288. UFMG
Observe a fgura.
O triângulo ABC é equilátero, AD DE EF FB = = = ,
DG EH FI BC // // //
, DG EH FI + + = 18.
O perímetro do triângulo ABC é:
a) 12 d) 48
b) 24 e) 54
c) 36
289.
No trapézio da figura AE = 4 cm, ED = 8 cm,
AB = 3 cm e BF = 5 cm. Calcule CD.
290.
Se AS é bissetriz de A

, calcule x nos casos:
a)
b)
c)
291.
Na fgura, calcule os valores de x e y, respectivamente,
sendo BS a bissetriz interna do ângulo
B

.
292.
O perímetro de um triângulo ABC é 100 cm. A bissetriz
interna do ângulo A

divide o lado oposto BC em dois
segmentos de 16 cm e 24 cm. Determine os lados
desse triângulo.
293.
Determine a medida do lado AB do DABC sabendo que
AS é bissetriz, e que o perímetro do DABC mede 75 cm.
294. UFRGS-RS
Na fgura 1, BC é paralelo a DE e, na fgura 2, DE é
paralelo a . Então, x e y valem, respectivamente:
a) ab e
a
b
d)
b
a
e ab
b) ab e
b
a
e)
a
b
e
1
b
c)
a
b
e ab
295. Mackenzie-SP
Na fgura temos r//r’ e s//s’. Então, para todo a > 1, o
valor da abscissa x é:
145
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
a) 2a d) a + 1
b) a
2
e) a +1
c) (a + 1)
2
296. Unicamp-SP
No triângulo abaixo, obter a medida AB.
297.
No triângulo ABC da figura, AB = 5 cm, AC = 10 cm
e BC = 9 cm. Sendo AD bissetriz do ângulo BAC e
DE AB // , calcule DE.
298.
Na figura abaixo, o triângulo ABC é retângulo em A;
AM é a mediana relativa à hipotenusa; AD é a bissetriz
do ângulo BÂC. Então, DM vale:
a) 5/2 d) 5/7
b) 2/5 e) 1
c) 7/20
299.
No triângulo ABC da figura, AB = 5 m e AC = 8 cm. Sendo
BA
´
D = DA
´
E = EA
´
C com EC = 2 BD, calcule
AD
AE
.
300.
Os lados do retângulo da figura medem AB = 3 cm e
BC = 4 cm. Sendo AE
`
B = 45°, determine PD.
301.
Na figura abaixo, I é o incentro do triângulo ABC. Sendo
AB = 9 cm, AC = 12 cm e BC = 7 cm, calcule
AI
DI
.
302. Fuvest-SP
Um triângulo ABC tem lados de comprimentos AB = 5,
BC = 4 e AC = 2. Sejam M e N os pontos de AB tais
que CM é bissetriz relativa ao ângulo ACB e CN
´
e a
altura relativa ao lado AB.
Determinar o comprimento de MN.
303.
No triângulo ABC da figura, AB = 5 cm, AC = 7 cm
e BC = 8 cm. Sendo PQ BC // , QR AB // , RT AC // e
QC = 2 cm, calcule PT.
304.
Na figura abaixo, AM
1
e BM
2
são medianas do
triângulo ABC. Usando o teorema de Tales, mostre
que
AG
GM
1
2 .
305.
Os lados de um decágono regular medem 2 cm. Calcu-
le o raio da circunferência circunscrita ao decágono.
146
306. Unisa-SP
Na figura abaixo, AB = 15 cm, AD = 12 cm e
CD = 4 cm. Sendo EC //AB, o valor de EC //AB , em cm, é:
a) 1 d) 4
b) 2 e) 5
c) 3
307. UFAC
Na figura abaixo, ABC é um triângulo, e o segmentos
de reta BC e MN são paralelos. Dados que BC = 10,
MN = 5 e MB = 6, a medida do segmento AM é:

a) 9
b) 5
c) 6
d) 7
e) 10
308. PUC-SP
Na figura a seguir, os segmentos AB e CD são pa-
ralelos. AB = 136, CE = 75 e CD = 50. Quanto mede
o segmento AE?

a) 136
b) 306
c) 204
d) 163
e) 122
309. UFPA
Na figura a seguir, AB = 15, AD = 12 e CD = 4. Sendo
EC paralelo à AB, qual o valor de EC?
Capítulo 7

a) 1 d) 4
b) 2 e) 5
c) 3
310. UFMS
Na figura abaixo, representa três retas coplanares e
paralelas, r, s e t, tais que a distância entre r e s é igual
a 2 cm e a distância entre s e t é igual a 6 cm.
Sabendo-se que PQ = 3 cm, calcule, em cm
2
, a área
do triângulo ABC.
311. UFV-MG
Para determinar o comprimento de uma lagoa, utilizou-
se o esquema indicado pela figura abaixo, onde os
segmentos AB e CDsão paralelos.
Sabendo-se que AB = 36 m, BP = 5 m e DP = 40 m,
o comprimento CD da lagoa, em metros, é:
a) 248
b) 368
c) 288
d) 208
e) 188
147
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
312. Mackenzie-SP
Na figura AC = 5, AB = 4 e PR = 1,2. O valor de RQ
é:
a) 2
b) 2,5
c) 1,5
d) 1
e) 33
313. Mackenzie-SP
Na figura, ABCD é um quadrado inscrito no triângulo
EFG. Se a medida de FG é 10, o perímetro do qua-
drado é:

a) 20
b) 15
c) 18
e) 16
e) 17
314. UFMG
Nesta figura, o quadrado ABCD está inscrito no triân-
gulo AMN, cujos lados AM e AN medem, respectiva-
mente, m e n:
Então, o lado do quadrado mede:
a)
mn
m n +
b)
m n
2 2
8
+
c)
m n +
4
d)
mn
2
315. UFPE
O triângulo ABC ilustrado na figura abaixo tem lados
medindo AB = 7 e BC = 13. Sabendo-se que BMNO é
um quadrado com todos os vértices sobre os lados do
triângulo ABC, indique a soma dos digitos da medida
do lado do quadrado.
316. Cefet-MG
Na figura, ABC é um triângulo retângulo em A e DEFG
é um quadrado inscrito nesse triângulo. Considerando-
se que BG = 9 e CF = 4, o perímetro desse quadrado
é igual a:
a) 24
b) 28
c) 32
d) 36
317. UEL-PR
O gráfico a seguir mostra a atividade de café, em
milhões de toneladas, em certo município do estado
do Paraná.
De acordo com o gráfico, é correto afirmar que, em
1998, a produção de café nesse município foi, em
milhões de toneladas:
148
a) 9,5 d) 11
b) 9 e) 12,5
c) 10,5
318. UERJ
O gráfico a seguir representa, em bilhões de dó-
lares, a queda das reservas internacionais de um
determinado país no período de julho de 2000 a
abril de 2002.
Admita que, nos dois intervalos do período considera-
do, a queda de reservas tenha sido linear.
Determine o total de reservas desse país, em bilhões
de dólares, em maio de 2001.
319. Unifei-MG
No retângulo ABCD da figura abaixo, os lados
medem AB = 12 cm e AD = 16 cm. Toma-se um
ponto P sobre o lado AD, de modo que AP = x cm.
Por esse ponto P traça-se o segmento PQ , para-
lelo à diagonal AQ . Calcule a medida de PQ em
função de x.
320. Unifra-RS
Na figura abaixo, os ângulos assinalados são iguais,
AC = 2 e AB = 6. A medida de AE é
a)
6
5
d)
3
2

b)
7
4
e)
5
4

c)
9
5
321. Ulbra-RS
Dois postes de alturas, em metros, h e
h
2
estão sepa-
rados por uma distância de 16 m. Se os postes são uni-
dos por dois cabos, conforme mostra a figura, a altura
em que se cruzam os cabos, a partir do solo, é:
a)
h
4
m d) 8 m
b)
h
3
m e) 4 m
c)
3
4
h
m
322. Unifesp
Em um dia de sol, uma esfera localizada sobre um
plano horizontal projeta uma sombra de 10 metros, a
partir do ponto B em que está apoiada ao solo, como
indica a figura.
Sendo C o centro da esfera, T o ponto de tangência
de um raio de luz, BD um segmento que passa por C,
perpendicular à sombra BA, e admitindo A, B, C, D e
T coplanares:
a) justifique por que os triângulos ABD e CTD são
semelhantes;
b) calcule o raio da esfera, sabendo que a tangente
do ângulo BÂD é
1
2
323. UFMG
Nela, AB = 8, BC = 12 e BFDE é um losango inscrito no
triângulo ABC. A medida do lado do losango é:
a) 4 c) 5
b) 4,8 d) 5,2
149
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
324. Cesgranrio-RJ
O losango ADEF está inscrito no triângulo ABC, como
mostra a figura. Se AB = 12 m, BC = 8 m e AC = 6 m,
o lado d do losango mede:
a) 5 m d) 4 m
b) 3 m e) 8 m
c) 2 m
325. Unicamp-SP
Um homem, de 1,80 m de altura, sobe uma ladeira
com inclinação de 30°, conforme mostra a figura. No
ponto A está um poste vertical de 5 metros de altura,
com uma lâmpada no ponto B. Pede-se para:
a) calcular o comprimento da sombra do homem
depois que ele subiu 4 metros ladeira acima;
b) calcular a área do triângulo ABC.
Obs.: Área de A=
· · b c seno
2
, em que b e c são lados
do ∆ e α o ângulo compreendido entre b e c.
326. UFES
Os campos de petróleo Peroá (P) e Golfinho (G)
distam, respectivamente, 56 km e 120 km de um ponto
A do litoral, o qual estamos supondo retilíneo (veja
a figura abaixo). Os pontos A e B são os pontos do
litoral que estão mais próximos, respectivamente, dos
campos P e G. A distância do ponto A ao ponto B é de
88 km. Deseja-se construir no litoral um pólo de gás que
fique situado à mesma distância dos campos P e G.
Nessas condições, pode-se afirmar que o pólo de gás
deve ficar situado a:
a) 74 km de A e a 14 km de B.
b) 64 km de A e a 24 km de B.
c) 44 km de A e a 44 km de B.
d) 24 km de A e a 64 km de B.
e) 14 km de A e a 64 km de B.
327.
Na figura abaixo, consideremos os quadrados de lados
a e b (a > b). Calcule o valor de x.
328. Vunesp
Uma gangorra é formada por uma haste rígida AB,
apoiada sobre uma mureta de concreto no ponto
C, como mostra a figura abaixo. As dimensões são:
AC = 1,2 m, CB = 1,8 m e CD = CE = 1 m. Quando
a extremidade B da haste toca o chão, a altura da
extremidade A em relação ao chão é:
a) 3 m
b)
3
3
m
c)
6 3
5
m
d)
5 3
6
m
e)
2 2
m
Obs.: A altura do triângulo equilátero de lado d é
/ 3
2
.
329. FGV-SP
Os lados do triângulo ABC da figura a seguir são:
AB = 28 cm, AC = 21 cm e BC = 35 cm.
Uma paralela ao lado BC intercepta os lados AB e AC
nos pontos D e E, respectivamente.
Determine a medida dos lados BD, DE e EC do trapézio
BDEC, sabendo que o seu perímetro é 74 cm.
150
330.
Prolongando-se os lados oblíquos às bases do trapézio
ABCD da figura, obtemos um ponto E e os triângulos
ECD e EAB. Determine a relação entre as alturas dos
dois triângulos, relativas aos lados que são bases do
trapézio, sendo 12 cm e 4 cm as medidas das bases
do trapézio.
331. ESPM-SP
Na figura a seguir, os pontos A, B e C estão alinhados.
Se PA = x, PB = y e PC = z, podemos afirmar que:
a) y =
1
x z +

b) y =
x z +
2
c) y
2
= x · z
d)
1 1 1
y x z
= +
e) z =
x y
x y
·
+
332. PUC-SP
Na figura seguinte, demonstre que OP
a b
a b
=
·
+
.
333.
Dois circulos de raios R e r são tangentes exteriormente
no ponto A. Sendo C e D os pontos de tangência de
uma reta t externa, com os dois círculos, determine a
altura do triângulo ACD relativa ao lado CD.
334. ITA-SP
Considere o triângulo ABC, em que AD é a mediana
relativa ao lado BC. Por um ponto arbitrário M do seg-
mento BD, tracemos o segmento
MP
paralelo a AD,
em que P é o ponto de interseção desta paralela com o
prolongamento do lado AC (figura). Se N é o ponto de
interseção de AB com MP, podemos afirmar que:
a) MN MP BM + =2
b) MN MP CM + =2
c) MN MP AB + =2
d) MN MP AD + =2
e) MN MP AC + =2
335. Fuvest-SP
A sombra de um poste vertical, projetada pelo Sol sobre
um chão plano, mede 12 m. Nesse mesmo instante, a
sombra de um bastão vertical de 1 m de altura mede
0,6 m. A altura do poste é:
a) 6 m
b) 7,2 m
c) 12 m
d) 20 m
e) 72 m
336. PUC-RS
Para medir a altura de uma árvore, foi usada uma
vassoura de 1,5 m, verificando-se que, no momento
em que ambas estavam em posição vertical em re-
lação ao terreno, a vassoura projetava uma sombra
de 2 m e a árvore, de 16 m. A altura da árvore, em
metros, é:
a) 3,0
b) 8,0
c) 12,0
d) 15,5
e) 16,0
337. UEMS
A sombra de uma pessoa que tem 1,80 m de altura
mede 60 cm. No mesmo momento, a seu lado, a
sombra projetada de um poste mede 2 m. Se, mais
tarde, a sombra do poste diminui 50 cm, a sombra da
pessoa passou a medir:
a) 30 cm.
b) 45 cm.
c) 50 cm.
d) 80 cm.
e) 90 cm.
338. UCMG
A medida, em metros, do segmento AD da figura
abaixo é de:

a) 4
b) 5
c) 6
d) 8
e) 10
151
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
339. FEI-SP
Na figura, x mede:
a) 3
b)
8
3

c) 4
d)
4
5
e)
5
3
340. Unifor-CE
Na figura abaixo, tem-se AB = 6 cm, BC = 10 cm e
EC = 4 cm.
A medida de DE, em centímetros, é igual a:
a)
12
5
b)
5
2
c) 2 2
d) 3
e)
2 3
341. Fuvest-SP
Um lateral L faz um lançamento para um atacante A,
situado 32 m a sua frente em uma linha paralela à
lateral do campo de futebol. A bola, entretanto, segue
uma trajetória retilínea, mas não paralela à lateral, e
quando passa pela linha de meio do campo está a
uma distância de 12 m da linha que une o lateral ao
atacante. Sabendo-se que a linha de meio do campo
está a uma mesma distância dos dois jogadores, a
distância mínima que o atacante terá que percorrer
para encontrar a trajetória da bola será de:
a) 18,8 m
b) 19,2 m
c) 19,6 m
d) 20 m
e) 20,4 m
342. UFBA
Com base nos conhecimentos sobre geometria plana,
é correto afirmar:
01. Se dois triângulos têm a mesma altura relativa a
um lado comum, então eles são congruentes.
02. Se dois triângulos semelhantes têm a mesma área,
então eles são congruentes.
04. Em um triângulo eqüilátero, o ângulo agudo forma-
do pela altura relativa, a um lado, e pela mediana
relativa, a outro lado mede 60°.
08. Em um paralelogramo, se dois lados formam um
ângulo de 150° e medem 1 cm e 13 cm, então a
menor diagonal mede 1 cm.
16. Se A é um conjunto formado por n pontos coplana-
res, de modo que três pontos quaisquer de A não
são colineares, então o número de triângulos que
se pode formar com vértices pertencentes a A é
igual a
n n n ( )( ) − − 1 2
6
.
Some os números dos itens corretos.
343. UFPE
No trapézio ABCD, calcule a altura IE do triângulo ABI,
sabendo que a altura do trapézio é 8 e que seus lados
paralelos medem 6 e 10.
344. UFBA
Considere a figura em que:
• a distância entre as retas paralelas r e s é igual a 20 uc .
• os segmentos AB e CD medem, respectivamente,
10 uc e 30 uc;
• P é o ponto de interseção dos segmentos AD e
BC.
Com base nesses dados, calcule a àrea do triângulo
APB em ua.
345. Unifei-MG
As ruas bem projetadas e construídas têm sarjetas com
inclinações adequadas, conforme a figura, para que a
enxurrada escoe junto ao meio-fio da calçada. Se, junto
ao meio-fio, a profundidade da enxurrada é de 4 cm e
152
a declividade da sarjeta é de 1 : 5, calcule o perímetro
molhado, isto é, a superfície de contato da água com
a superfície sólida da calçada e da sarjeta.
346. Cefet-SP
Com uma trena e um esquadro em mãos, uma pes-
soa, em A, pode determinar a distância em que se
encontra da base de uma árvore do outro lado do rio.
Para tanto, fixa e estica um barbante de 39 m, de A até
um ponto C qualquer, de modo que a linha visada AP
seja perpendicular à linha AC, onde marca um ponto
B a 3 m de C. Em seguida, a partir de C, ela caminha
perpendicularmente à linha AC, afastando-se do rio
e, quando vê B alinhado com a árvore, marca o ponto
D. Constata, então, que a linha CD tem 4 m. Assim, a
distância d indicada na figura, em metros, é igual a

a) 24,25
b) 27,00
c) 29,25
d) 48,00
e) 52,75
347. FVG-SP
Dados AB = 18 cm, AE = 36 cm e DF = 8 cm, e sendo o
quadrilátero ABCD um paralelogramo, o comprimento
de BC, em cm, é igual a:

a) 20
b) 22
c) 24
d) 26
e) 30
348.
Determine x e y nos casos:
a)
b)
349. UFS-SE
Na figura abaixo, são dados AC = 8 cm e CD = 4 cm.
A medida de BD é, em cm:

a) 9
b) 10
c) 12
d) 15
e) 16
350. UFMT
Considere a posição da escada na figura abaixo.
Sabendo que h = 200 cm, e que o comprimento da
escada é H cm, calcule
H
17
.
351. Fadi-SP
A vista lateral do piso superior de um chalé é em forma
de um triângulo isósceles. Em uma das caídas do te-
lhado principal, há uma janela alojada sob um pequeno
telhado, conforme mostra o desenho.
153
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
O comprimento x da cumeeira deste pequeno telhado
mede, em cm, aproximadamente:
a) 57 d) 77
b) 60 e) 81
c) 63
352. UFRGS-RS
Para estimar a profundidade de um poço com 1,10 m
de largura, uma pessoa cujos olhos estão a 1,60 m do
chão posiciona-se a 0,50 m de sua borda. Dessa forma,
a borda do poço esconde exatamente seu fundo, como
mostra a figura.
Com os dados acima, a pessoa conclui que a profun-
didade de poço é:
a) 2,82 m d) 3,52 m
b) 3,00 m e) 3,85 m
c) 3,30 m
353. Mackenzie-SP
Na figura, se o triângulo ABC é isósceles, a medida
de AE é:

a) 3 d)
2
3
b)
5
3
e) 2 2
c)
4
3
354. UFMG
No paralelogramo ABCD, da figura abaixo, o ponto P,
contido no lado CD, é tal que o segmento PC mede
4 cm, os segmentos AP e PB medem 14 cm cada um
e os ângulos DA
´
P e PA
´
B têm a mesma medida.
Determine a medida do lado AD.
355.
Nos triângulos ABC e A’B’C’ da figura, temos: BC = 3a;
AC = 3b; C
´
= 80°; B’C’ = a; A’C’ = b; B
`
=60° e  = 40°
Qual a razão entre as áreas dos triângulos ABC e
A’B’C’?
356. Cefet-MG
Num triângulo isósceles de altura 8 cm, inscreve-se
uma circunferência de raio 3 cm. A medida da base
do triângulo, em cm, é
a) 9
b) 10
c) 11
d) 12
357. UFRGS-RS
Considere a figura abaixo.
Se os retângulos ABCD e BCEF são semelhantes, e
AD = 1, AF = 2 e FB = x, então x vale:
a) – 1 + 2 2
b) 1
c) 2 2
d) 1 + 2 2
e) 2
358. UFS-SE
Num triângulo isóceles ABC com AB AC , tem-se
BC a 2 e o raio da circunferência inscrita é r (a > r).
Calcule, em função de a e r:
a) a medida do lado AB do triângulo;
b) a medida da altura relativa à base.
359.
Considere um trapézio de base a e b. Calcule
a medida do segmento paralelo às bases, que
divide o trapézio considerado em dois trapézios
semelhantes.
154
360. Mackenzie-SP
Na figura abaixo, vale sempre que:
a) OA · OB = OE · OP
b) OP · OQ = r
2
c) AP · OQ = (OA)
2
d) OA · BQ = (OQ)
2
e) OP · OE = r
2
361.
Considere a circunferência circunscrita a um triângulo
ABC. Seja AE um diâmetro dessa circunferência e AD
a altura do triângulo. Sendo AB = 6 cm, AC = 10 cm e
AE = 30 cm, calcule a altura AD.
362. UFMG
Nesta figura, os ângulos AB
`
C, CD
´
E e EA
´
B são retos e
os seguintes AD, CD e BC medem, respectivamente,
x, y e z:
Nessa situação, a altura do triângulo ADE em relação
ao lado AE é dada por:
a)
x z y
y
2 2
-
c)
y z y
z
2 2
-
b)
x z y
z
2 2
-
d)
z z y
y
2 2
-
363. UFMG
Sejam a e b as medidas de dois lados de um para-
lelogramo, e h
1
e h
2
as medidas de suas respectivas
alturas. Mostre que os números a e b são inversamente
proporcionais aos números h
1
e h
2
.
364.
Na figura, determine x.
365. Cesgranrio-RJ
O conceito de simetria surgiu na Grécia antiga,
como tentativa de explicar a beleza por bases racionais.
Os gregos não eram dados a muita subjetividade – eles
gostavam de achar que havia lógica por trás de tudo.
Por isso, conceberam a idéia de proporção áu-
rea, uma relação matemática segundo a qual a divisão
da medida da maior parte pela menor parte de um
segmento (dividido em duas partes) é igual à divisão
do segmento inteiro pela parte maior. E procuravam
essa proporção mágica em tudo, inclusive em seres
humanos.
Revista Superinteressante, nov. 2003 (adaptado).
Considere um segmento de reta AB dividido em duas
partes, a e b, com b < a. De acordo com a descrição aci-
ma, a proporção áurea se verificaria para a igualdade:
a)
b
a
a b
a b
=
+
-
d)
a
b
a b
a b
=
+
-

b)
b
a
a b
b
=
+
e)
a
b
a b
a
=
+

c)
a
b
a b
a
=
-
366. UFR-RJ
Observe a figura abaixo que demonstra um padrão de
harmonia, segundo os gregos.
Há muito tempo os gregos já conheciam o número
de ouro Φ =
1 5
2
+
, que é aproximadamente 1,618.
155
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
Capítulo 8
Tal número foi durante muito tempo “padrão de harmonia”. Por exemplo, ao se tornar a medida de uma pessoa
(altura) e dividi-la pela medida que vai da linha umbilical até o chão, vê-se que a razão é a mesma que a da medida
do queixo até a testa, em relação à medida da linha dos olhos até o queixo, e é igual ao número de ouro.
Considere a cantora Ivete Sangalo, harmoniosa, segundo os padrões gregos.
Assumindo que a sua distância da linha umbilical até o chão é igual a
22 5 1
25
+ - ( )
metros, determine a altura
da mesma.
367. Cefet-MG
Sabendo que y é parte do segmento DC na circunfe-
rência abaixo, o valor de y é:

a) 1
b) 4
c) 9
d) 18
368. Fuvest-SP
O valor de x na figura é:
a) 20/3 d) 4
b) 3/5 e) 5
c) 1
369. Uespi
Na circunferência abaixo, os comprimentos de DE e EC
são, respectivamente, 3,5 cm e 10 cm. Determinar o com-
primento de AE, em cm, sabendo que EB = AE – 2 cm.
a) 5 cm
b) 6 cm
c) 7 cm
d) 8 cm
e) 9 cm
370. Mackenzie-SP
O ponto P está no interior de uma circunferência de
13 cm de raio e dista 5 cm do centro da mesma. Pelo
ponto P traça a corda AB de 25 cm. Os comprimentos
que P determina sobre a corda AB são:
a) 11 cm e 14 cm d) 5 cm e 20 cm
b) 7 cm e 18 cm e) 8 cm e 17 cm
c) 16 cm e 9 cm
371.
Determine o valor de x na figura.
372.
Na figura abaixo, calcule x.
373. ITA-SP
Seja E um ponto externo a uma circunferência. Os
segmentos EA e ED interceptam essa circunferência
nos pontos B e A e nos pontos C e D, respectivamente.
A corda AF da circunferência intercepta o segmento
ED no ponto G. Se EB = 5, BA = 7, EC = 4, GD = 3 e
AG = 6, então GF vale:
a) 1 d) 4
b) 2 e) 5
c) 3
374. Inatel-MG
Na figura abaixo há uma tangente AT e uma secante
AP a um círculo. Se AT = 12 cm e PR = 10 cm, calcule
o comprimento de AR.
156
375. Ibmec-SP
Na figura, AB é diâmetro da circunferência de raio
10 cm e a reta PA
,, ¸
é tangente a essa circunferên-
cia.
Se a medida do segmento PQ é 3 cm, então o seg-
mento BQ mede, em centímetros;
a)
4 2
b)
3 6
c)
2 10
d) 6
e) 5
376.
Na figura, PA = 16 cm e A, B e C são pontos de tan-
gência. Calcule o perímetro do triângulo PRS.
377.
A circunferência da figura está inscrita no triângulo
ABC e P, Q e R são os pontos de tangência. Sendo
AB = 7 m, BC = 6 m e AC = 8 m, calcule a medida do
segmento PB .
378.
A hipotenusa de um triângulo retângulo mede 10 cm e o
raio do círculo inscrito mede 1 cm. Calcule o perímetro
desse triângulo.
379.
Calcule a medida do lado BC do quadrilátero circunscrito
na circunferência, sendo AB = 10 cm, CD = 15 cm e
AD = 13 cm.
380.
Determine o perímetro do quadrilátero ABCD, circuns-
critível, da figura.
381. UEFS-BA
Na figura, são dados
AE
AC

1
4
, BE = 8 cm e ED = 6 cm.
O comprimento de AC, em cm, é:

a) 10
b) 12
c) 16
d) 18
e) 20
382.
Sejam uma circunferência λ, de raio 6 cm, e um ponto
A externo a λ. Traçando por A uma tangente a λ, ob-
tém-se o ponto de tangência T. Se AT = 8 cm, qual é
a distância de A a λ?
a) 2,5 cm
b) 4 cm
c) 4,5 cm
d) 5 cm
e) 5,5 cm
383.
Determine a medida do segmento DE da figura
seguinte, sabendo que AB é o diâmetro da circun-
ferência, B o ponto de tangência do segmento BC à
circunferência, e DE é paralelo a BC .
157
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
384. AFA-RJ
Seja PQ tangente à circunferência de centro O e raio r.
Se CQ r , pode-se afirmar que PQ PC + é igual a:

a) r +
3
b) 2r + r
3
c) r 3
d) r + r
3
385. Mackenzie-SP
Numa circunferência de raio 5, uma corda perpendi-
cular a um diâmetro separa esse diâmetro em duas
partes, uma das quais mede 2. O comprimento da
corda é:
a) 4 d) 8
b) 6 e) 5
c) 7
386. Mackenzie-SP
Na figura, O é o centro da circunferência;
AB a
;
AC b e OA x . O valor de x, em função de a e
b, é:
a)
a b +
2
b) a – b
c)
2
2 2
a b −

d)
a
b
b
2
2 2

e) impossível de ser calculado por falta de dados.
387. Unicap-PE
Se a flecha de um arco de uma circunferência mede
8 metros e o raio mede 20 metros, qual a medida, em
metros, da corda relacionada com o arco dado?
Obs.: Flecha de um arco de uma cicunferência é a
diferença entre o raio e a distância do centro da circun-
ferência à corda que liga as extremidades do arco.
388. Unifei-MG
A figura abaixo mostra uma circunferência, onde ABé
uma corda perpendicular ao diâmetro CE . Sabe-se
que a corda AB mede a e que a flecha CD mede
b. Esse é um exemplo típico de seção transversal de
uma tubulação pluvial, onde a corda AB representa o
nível d´água, num certo instante.
Nessas condições, pode-se afirmar que o raio R da
circunferência mede:
a) R
b a
a


2 2
4
8
c)
R
a b
b


2 2
4
8
b)
R
a b
b

+
2 2
4
8
d)
R
b a
a

+
2 2
4
8
389. UFOP-MG
Dois pontos A e B de uma circunferência estão à
distância de 80 cm um do outro. O ponto médio M do
segmento
AB
está à distância de 80 cm do ponto C,
que é o ponto da circunferência mais distante de M.
Dessa forma, o perímetro da circunferência vale, em cm:
a) 80 π c) 160 π
b) 100 π d) 2.500 π
Obs.: perímetro de uma circunferência de raio
R: 2p = 2πR
390. Fuvest-SP
Os segmentos AB e CD se interceptam num ponto P e
são cordas perpendiculares de um mesmo círculo. Se
AP = CP = 2 e PB = 6, ache o raio do círculo.
391. UFMA
Em um círculo de raio r, uma corda corta um diâme-
tro, formando com este um ângulo de 45°. A corda
ficou dividida em dois segmentos cujas medidas são
2 15 2 3 cm e
cm. Assim sendo, devemos ter:
a) r = 4 cm d) r = 12 cm
b) r =
5 3 cm
e) r = 6 cm
c) r =
3 5 cm
158
392. Vunesp
Duas circunferências, C
1
e C
2
, se interceptam em dois
pontos X e Y da reta r. Seja P um ponto de r , distinto
de X e de Y. As retas s e t passam por P e interceptam,
respectivamente, C
1
em A e B e C
2
em C e D, como
na figura. Prove que os triângulos PAC e PDB são
semelhantes.
393.
Mostre que, se um quadrilátero convexo é circunscrito
a uma circunferência, a soma de dois lados opostos é
igual à soma dos outros dois.
394.
A figura mostra um campo de futebol com largura 2a
e comprimento 2b. As traves dos gols estão represen-
tadas pelos pontos A
1
, A
2
, B
1
e B
2
.
O comprimento dos gols é A
1
A
2
= B
1
B
2
= 2 l.
O ponto P é o ponto da linha lateral que vê o gol A A
1 2

sob o ângulo máximo. Calcule PT.
395.
Considerando as medidas indicadas na figura e sabendo
que o círculo está inscrito no triângulo, determine x.
Capítulo 9
396. Unicap-PE
Considere o triângulo retângulo em A, representado
pela figura abaixo. Nele as medidas estão em centí-
metros e são dadas: a = 5,0 cm, b = 3,0 cm.
Neste caso, considerando uma casa decimal, tem-se
(V ou F):
( ) m = 1,8 cm
( ) h = 2,4 cm
( ) c = 4,0 cm
( ) n = 3,2 cm
397. Ibmec-SP
Dois irmãos, curiosos para saber a que altura do chão
conseguiam empinar sua pipa, resolveram mandá-la
ao ar presa em duas linhas. Eles fizeram esta expe-
riência num momento em que o sol projetava uma
sombra perfeitamente vertical sobre eles. Cada um
dos irmãos ficou segurando uma das linhas, ambas
supostamente esticadas. Eles observaram que suas
posições estavam alinhadas com a sombra da pipa,
estando a sombra da pipa entre os dois. E mediram 24
metros de distância entre um dos irmãos e a sombra
da pipa e 78 metros de distância entre os dois.
a) Faça um esboço da situação descrita, destacando
as posições dos irmãos, a pipa e de sua sombra.
b) Supondo que as duas linhas formavam um ângulo
reto no nó preso da pipa, calcule a que altura
estava a pipa.
398. UFRGS-RS
O lampião representado na figura está suspenso por
duas cordas perpendiculares presas ao teto. Saben-
do-se que essas cordas medem
1
2
e
6
5
, a distância do
lampião ao teto é:
a) 1,69
b) 1,3
c) 0,6
d)
1
2
e)
6
13

159
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
399.
Determine o valor de x nos trapézios isósceles.
400.
As bases de um trapézio isósceles medem 12 m e
20 m, respectivamente. A soma dos lados não paralelos
é igual a 10 m. Quanto mede a altura?
401. FAAP-SP
No retângulo ABCD de lados AB = 4 cm e BC = 3 cm, o
segmento DM é perpendicular à diagonal AC. Calcule
o comprimento do segmento AM.
402. Unifei-MG
Calcule a distância entre os pontos A e E da figura
abaixo, onde BD = 10 cm, AB = 2 cm e DE = 8 cm.
403. Fuvest-SP
Na figura abaixo, a reta s passa pelo ponto P e pelo
centro da circunferência de raio R, interceptando-a no
ponto Q, entre P e o centro. Além disso, a reta t passa
por P, é tangente à circunferência e forma um ângulo α
com a reta s. Se PQ = 2R, então cos α vale:
a) 2 6
b) 2 3
c) 2 2
d) 2 2 3
e) 3 2 5
404. UECE
Uma escada de 25 m está encostada na parede vertical
de um edifício de modo que o pé da escada está a
7 m da base do prédio. Se o topo da escada escorregar
4 m, quantos metros irá escorregar o pé da escada?
a) 10 m c) 8 m
b) 9 m d) 15 m
405. UERGS-RS
Observe a figura abaixo.
Se, nos triângulos retângulos da figura, AB 1, BC 2,
AD 3, então:
a) AB BC AC + <
b) AB BC AC +
c)
AB BC CD + <
d)
CD BC
e) CD BC AB AD + < +
406.
O quadrado ABCD da figura tem lado 2a. Sendo P
eqüidistante de A, B e CD, a distância de P ao lado
CD é:
a)
3
2
a
d)
13
10
a
b)
6
5
a
e)
3
4
a
a
c)
5
4
a

160
407. Fuvest-SP
Na figura abaixo, os quadrados ABCD e EFGH têm,
ambos, lado a e centro O. Se EP = 1, então a é:
a)
2
2 1 −
b)
2
3 1 −
c)
2
2
d) 2
e)
2
2 1 −
408. UEFS-BA
Na figura abaixo, OA = AB = BC = OM = 3. Logo,
MA · MC é igual a:
a)
OC
b)
MC
c)
MC
2
d) 3MC
e) 3
2
MC
409. UFPB
Na figura a seguir, considere que os segmentos ho-
rizontais AB e CD medem 2 m, o vertical BC mede
3 m e o diâmetro da circunferência, 4 m.
Calcule a distância entre os pontos:
a) C e o centro da circunferêncial;
b) A e D;
c) A e E.
410. UFPE
Caminhando em uma região plana e partindo do ponto
A, João caminha 7 m na direção nordeste, fazendo
um ângulo de 33º com o leste, e em seguida, caminha
24 m na direção noroeste, fazendo um ângulo de 57º
com o oeste, chegando ao ponto B. Qual a distância,
em metros, entre A e B?
411. Favip-PE
Correndo em uma região plana, partindo de um ponto
X, um corredor avança 22 km para o norte; a seguir,
12 km para o leste e, finalmente, 17 km no sentido sul,
atingindo o ponto Y. Qual a distância, em km, entre os
pontos X e Y?
a) 11 km d) 14 km
b) 12 km e) 15 km
c) 13 km
412. UERJ
Terno pitagórico é a denominação para os três números
inteiros que representam as medidas, com a mesma
unidade, dos três lados de um triângulo retângulo.
Um terno pitagórico pode ser gerado da seguinte
forma:
• escolhem-se dois números pares consecutivos ou
dois ímpares consecutivos;
• calcula-se a soma de seus inversos, obtendo-se
uma fração cujos numerador e denominador re-
presentam as medidas dos catetos de um triângulo
retângulo;
• calcula-se a hipotenusa.
a) Utilizando o procedimento descrito, calcule as
medidas dos três lados de um triângulo retângulo,
considerando os números pares 4 e 6.
b) Considere x um número inteiro maior do que 1, e
que (x – 1) e (x + 1) representam dois pares ou
dois ímpares consecutivos.
Demonstre que esses dois números geram um
terno pitagórico.
413.
O perímetro de um triângulo isósceles é de 18 m e
a altura relativa à base mede 3 m. Determine a base.
161
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
414.
Determine o valor de x nos casos.
415.
A hipotenusa do triângulo retângulo ABC está localiza-
da sobre a reta real, conforme indica a figura.
Se x > 0 e a medida da altura BD relativa ao lado AC do
triângulo ABC, é 2 6 , então x é o número real:
a) 2 3
b) 4
c)
3 2
d) 5
e)
3 3
416. UFMS
Em uma região plana, à margem direita de uma ro-
dovia retilínea, moram duas famílias. A casa de uma
dessas famílias, representada, na figura abaixo, pelo
ponto. A, localiza-se na altura do km 20 da rodovia e à
distância de 400 metros dessa rodovia. A casa da outra
família, representada, na figura abaixo, pelo ponto B,
localiza-se na altura do km 21 da rodovia e à distância
de 300 metros dessa rodovia. Para irem à escola, as
crianças das duas famílias utilizam diariamente um
ônibus que passa pela rodovia e só faz uma parada
entre os km 20 e 21. Sendo assim, as famílias decidiram
construir um ponto de ônibus, representado, na figura
abaixo, pelo ponto P, entre os km 20 e 21 da rodovia, de
modo que as crianças possam caminhar exatamente a
mesma distância, em linha reta, para irem de suas casas
até o ponto de ônibus.
Considere d a distância, em metros, do km 20 ao
local onde o ponto de ônibus deverá ser construído
e calcule
1
15
d .
417. UFPE
Um triângulo com lados 2 · 10
50
, 10
100
– 1 e 10
100
+ 1:
a) é isósceles.
b) é retângulo.
c) tem área 10
150
– 1.
d) tem perímetro 4 · 10
150
.
e) é acutângulo.
418. FVG-SP
Na figura abaixo, ABCD é um retângulo e AMCN é
um losango.
Determine a medida do segmento NB, sabendo que
AB = 2AD = 20 cm
419. Fuvest-SP
Queremos desenhar, no interior de um retângulo
ABCD, um losango AICJ com vértice I sobre o lado
AB do retângulo e vértice J sobre o lado CD. Se as
dimensões dos lados do retângulo são AB = 25 cm e
BC = 15 cm, então a medida do lado do losango é:
a) 13 cm
b) 15 cm
c) 17 cm
d) 18 cm
e) 15 2cm
162
420. Fuvest-SP
Os lados de um triângulo medem 5 10 5 , e .
a) Qual é a medida da altura relativa ao maior
lado?
b) Qual a área desse triângulo?
421. Fuvest-SP
Um triângulo retângulo tem catetos AB = 3 e AC = 4. No
cateto AB toma-se um ponto P eqüidistante do ponto
A e da reta BC. Qual é a distância de AP?
422.
Na figura abaixo P Q R S
` ´ ´ ´
90º, ABCD e EFGH
são quadrados com lados 7 cm e 5 cm, respectiva-
mente. Sendo EQ < QF, calcule o perímetro da região
destacada.
423. Fuvest-SP
Uma folha de papel de dimensões 6 × 8 é dobrada
de modo que dois vértices diagonalmente opostos
coincidam. Determine o comprimento do vinco
(dobra).
424. Fuvest-SP
Em um triângulo retângulo OAB, retângulo em O, com
OA = a e OB = b, são dados os pontos P em OA e Q
em OB de tal maneira que AP = PQ = QB = x.
Nestas condições, o valor de x é:
a)
a b a b ⋅ − −
b)
a b ab + − 2

c)
a b
2 2
+
d)
a b ab + + 2

e)
ab a b + +
425.
As retas r e s são perpendiculares a t, como mostra
a figura. Sabe-se que AB = 2a, BC = 3a e que AC é
perpendicular a BD .
Calcule, em função de a, as medidas de AD e DC.
426. Cefet-MG
Na figura abaixo o raio mede 5 cm e a corda AB mede
6 cm. MO é a distância da corda AB ao centro da cir-
cunferência. O valor de MO, em cm, é:
a) 2
b) 3
c) 4
d) 5
427.
Na figura abaixo, temos duas circunferências concêntri-
cas, com raios medindo 4 cm e 5 cm, respectivamente.
Por um ponto P da circunferência menor, traça-se a
reta tangente à mesma, a qual determina os pontos
A e B na circunferência maior. O comprimento do
segmento AB é:

a)
3 2 cm
b) 6 cm
c) 3 3 cm
d) 6,1 cm
e) 5,8 cm
428. UEL-PR
Dois círculos concêntricos têm raios 3 e 5 centímetros.
Desenha-se um segmento de reta, com maior compri-
mento possível, inteiramente contido na região interna
ao círculo maior e externa ao círculo menor. Qual o
comprimento desse segmento?
a) 7,0 cm
b) 7,5 cm
c) 8,0 cm
d) 8,5 cm
e) 9,0 cm
163
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
429.
Por um ponto de uma circunferência de 20 cm de raio,
baixa-se uma perpendicular a um diâmetro. O pé da
perpendicular está a 8 cm do centro. O comprimento,
em cm, da perpendicular é:
a) 4 21
b) 4 15
c) 16
d) 18
e) 4 5
430.
A circunferência de centro O da figura está inscrita no
triângulo ABC.
Sendo AB = 5 cm, AC = 6 cm e BC = 7 cm, calcule PC.
431.
Num triângulo retângulo de catetos com medidas 3 cm e
4 cm, calcule a medida do raio da circunferência inscrita.
432.
Calcule x na figura:
433. Fuvest-SP
No jogo de bocha, disputado num terreno plano, o
objetivo é conseguir lançar uma bola de raio 8 o mais
próximo possível de uma bola menor, de raio 4. Num
lançamento, um jogador conseguiu fazer com que as
duas ficassem encostadas, conforme ilustra a figura
abaixo. A distância entre os pontos A e B, em que as
bolas tocam o chão, é:
a) 8
b)
6 2
c)
8 2
d)
4 3

e)
6 3
434. UFU-MG
Um polígono circunscreve um circulo, conforme figura
abaixo.
Sabendo-se que AB = 4 cm, CD = 5 cm, DE = 6 cm e
FA = 3 cm, então, BC – EF é igual a
a) 2 cm c) 0 cm
b) 1 cm d) 3 cm
435.
A figura mostra um círculo de centro O inscrito em
um trapézio isósceles. Sabendo que as bases desse
quadrilátero medem 16 cm e 36 cm, calcule o raio
do círculo.
436. EFOA-MG
Observe a figura abaixo:
Na figura, AD é o diâmetro da circunferência de centro
O e raio OP. Os pontos A, B, C e D são os vértices
de um trapézio retângulo. Se DC a e AB b , com
a < b então a medida de AD e BD ,em função de a e b, é:
a)
a b +
d)
b a −
b)
ab
e)
4ab
c)
4( ) a b +
164
437.
O lado do quadrado mede 8 cm. Calcule o raio
da circunferência da figura, sendo T ponto de
tangência.
438. UFRGS-RS
Num círculo com raio de 5 m, consideram-se duas
cordas paralelas, afastadas 3 m uma da outra, sendo
uma delas corda máxima. O comprimento da corda
menor é, em metros:
a) 5 d) 8
b) 6 e) 9
c) 7
439. UFF-RJ
Na figura abaixo, o retângulo PQRS, cujos lados
medem / e m, está situado entre duas circunfe-
rências concêntricas de diâmetros iguais a 6 cm e
10 cm. Os pontos P e S pertencem à circunferência
maior e o segmento QR é tangente à circunferência
menor.
a) Escreva a expressão de m em função de /.
b) Determine o valor de m para / = 1 cm.
440. Fuvest-SP
Na figura abaixo, M é o ponto médio da corda PQ da
circunferência e PQ = 8. O segmento RM é perpen-
dicular a PQ e RM
4 3
3
. Calcule:
a) o raio da circunferência;
b) a medida do ângulo PÔQ, em que O é o centro da
circunferência.
441.
Considere duas circunferências tangentes internamen-
te com raios 5 cm e 2 cm. A reta r passa pelo centro O
da circunferência maior e é tangente à circunferência
menor no ponto P. Calcule OP.
442.
Os raios das circunferências de centros A e B medem
5 cm e 2 cm, respectivamente, e a distância entre
seus centros, 9 cm. Sendo P e Q pontos de tangência,
calcule a medida do segmento PQ .
443.
Determine o raio do círculo menor inscrito num qua-
drante do círculo maior, da figura abaixo, sendo 2R o
diâmetro do círculo maior.
444.
Na figura abaixo, a circunferência maior de centro
O tem raio 8 cm. Calcule o raio da circunferência
menor.
445.
Na figura, as três circunferências são tangentes duas
a duas e também tangentes à reta r. Sendo 4a o raio
das duas circunferências maiores, calcule o raio da
circunferência menor.
165
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
446. UFMS
Três círculos C
1
, C
2
e C
3
, são tangentes a uma reta
t, conforme ilustra a figura abaixo. O raio de C
1
mede
40 cm, o de C
2
mede 90 cm e o de C
3
mede r cm.
Sabendo-se que os três círculos são tangentes entre
si, determine 10 r.
447. Fuvest-SP
Um lenhador empilhou 3 troncos de madeira num
caminhão de largura 2,5 m, conforme a figura abaixo.
Cada tronco é um cilindro reto, cujo raio da base mede
0,5 m. Logo, a altura h, em metros, é:
a)
1 7
2
+

b)
1 7
3
+

c)
1 7
4
+
d)
1
7
3
+

e)
1
7
4
+
448. FGV-SP
A secção transversal de uma caixa de latas de ervilhas
é um retângulo que acomoda, exatamente, as latas,
como mostra a figura abaixo:
a) Sabendo que o raio da lata de ervilhas é 3,5 cm,
determine a área da secção transversal.
b) Supondo, ainda, que a altura da lata de ervilhas
seja 8,5 cm e que sejam colocadas 60 latas em
cada caixa, calcule o volume da caixa.
449.
Na figura, cada uma das circunferências externas tem
raio r e cada uma delas é tangente a duas outras e à
circunferência interna de raio 2. Calcule r.
450. Unir-RO
A fórmula que determina a altura H de uma pilha de
tubos, todos com forma cilíndrica circular reta e com
raio externo R, conforme figura, é
a) H R +
( )
3 2
b) H R +
( )
3 2 1
c) H R 2 3
d)
H R +
( )
2 3 1
e)
H R +
( )
2 3
451. PUC-PR
Se a soma dos comprimentos das circunferências de
mesmo raio, do triângulo abaixo, é 12 π, qual a área
do triângulo?
a) 6 1 −
b)
7 3
c)
7 3 12 −

d) 7 3 12 +
e) 7 3 6 −
166
452. Fuvest-SP
A figura representa duas circunferências de raio R
e r com centros nos pontos A e B, respectivamente,
tangenciando-se externamente no ponto D. Suponha
que:
• as retas t
1
e t
2
sejam tangentes a ambas as cir-
cunferências e interceptam-se no ponto C;
• a reta t
2
seja tangente às circunferências no
ponto D.
Calcule a área do triângulo ABC, em função dos raios
R e r.
453. ESPM-SP
Na figura abaixo, os dois círculos de raios unitários são
tangentes aos semicírculos e aos lados do quadrado.
A área desse quadrado é:
a) 42,25 d) 64,00
b) 49,00 e) 70,25
c) 56,25
454. Fuvest-SP
Na figura anterior, as 12 circunferências têm todas o
mesmo raio r, cada uma é tangente a duas outras e
ao quadrado. Sabendo-se que cada uma das retas
suporte das diagonais do quadrado tangencia quatro
das circiunferências (ver figura), e que o quadrado tem
lado 2 7 , determine r.
455.
A figura mostra um maço de 20 cigarros. Cada cigarro
tem raio r e comprimento I. Determine as dimensões
a, b e c do maço.
456. UFMG
Observe esta figura:
Nessa figura, as retas t
1
e t
2
, são tangentes às circun-
ferências C
1
e C
2
, respectivamente, nos pontos T
1
e
T
2
. A reta AB é perpendicular à reta que passa pelos
centros O
1
e O
2
das circunferências.
Sabe-se, também, que
• AT AT
1 2
;
• O raio de C
1
é 5 e o raio de C
2
é 1; e
• O O ,
2
12 .
Assim sendo, calcule OB e O B
1 2
.
167
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
457. Fuvest-SP
Em um triângulo ABC, AB 4 2 e o ângulo C oposto
ao lado AB mede 45°. Determine o raio da circunfe-
rência que circunscreve o triângulo.
458.
Num triângulo ABC, temos AC 4 2 , B
`
° 45 e
C
´
° 60
. Calcule a medida do lado AB .
459. E. E. Mauá-SP
No ∆ABC da figura abaixo, temos:
AB = 4 6 m, ABC 60 e BCA 45
` ´
° °
a) Calcule o lado AC.
b) Calcule a altura relativa ao lado BC.
460. FAGV-MG
A figura representa um triângulo inscrito num círculo
de raio R. O lado AB vale:
a)
3
2
cm
d)
b) 4 cm e) 2 cm .
c) 5 cm
461. UEPA
Sobre uma circunferência de raio r tomamos os pontos
A, B e C (veja figura). O arco AB mede 120° e a corda
AB mede 12 cm. Calcule o valor de r.
462. FGV-SP
Uma estrela regular de 4 bicos está inscrita numa
circunferência de raio 2 m. Levando-se em conta a
medida do ângulo assinalado na figura a seguir, pode-
se afirmar que o perímetro da estrela é de:
Med. Ângulo Seno Cosseno
30º
1
2
3
2
45º
2
2
2
2
60º
3
2
1
2
90º 1 0
a)
2 6
3
d)
16 6
3
b)
4 6
3
e)
32 6
3
c)
8 6
3
463. Vunesp
Cinco cidades, A, B, C, D, e E, são interligadas por
rodovias, conforme mostra a figura.
Capítulo 10
168
A rodovia AC tem 40 km, a rodovia AB tem 50 km, os
ângulos x, entre AC e AB, e y, entre AB e BC, são tais
que sen x = 3/4 e sen y = 3/7. Deseja-se construir uma
rodovia ligando as cidades D e E; dada a disposição
dessas cidades, será paralela a BC.
a) Use a lei dos senos para determinar quantos
quilômetros tem a rodovia BC.
b) Sabendo que AD tem 30 km, determine quantos
quilômetros terá a rodovia DE.
464. UFPE
Uma ponte deve ser construída sobre um rio, unindo
os pontos A e B, como ilustrado na figura abaixo. Para
calcular o comprimento AB, escolhe-se um ponto C, na
mesma margem em que B está, e medem-se os ân-
gulos CBA = 57° e ACB = 59°. Sabendo que BC mede
30 m, indique, em metros, a distância AB.
Dado: use as aproximações sen(59°) ≅ 0,87 e
sen(64°) ≅ 0,90
465. Mackenzie-SP
Três ilhas A, B e C aparecem num mapa, em escala
1 : 10.000, como na figura.
Das alternativas, a que melhor aproxima a distância
entre as ilhas A e B é:
a) 2,3 km
b) 2,1 km
c) 1,9 km
d) 1,4 km
e) 1,7 km
466. Mackenzie-SP
Um triângulo ABC está isncrito numa circunferência de
raio r. Se, num sistema de coordenadas cartesianas,
A = (1; 3), B = (5; 7) e C = (5; 1), então r é igual a
a) 2 5
b) 2 2
c) 3
d)
10
3
e) 10
467.
O quadrilátero ABCD inscrito na circunferência de raio
R da figura é tal que C 2A
´ ´
.
Calcule R, sendo BD = 10 cm
468. UFOP-MG
Em uma das margens de um rio de largura constante,
localizam-se dois pontos A e B, distantes 3 km um do
outro. Na outra margem do rio, localiza-se o ponto C,
conforme a figura.
Calcule:
a) a distância entre os pontos B e C;
b) a largura do rio.
469.
Calcule o raio da circunferência, sabendo que o triân-
gulo está inscrito nela.
169
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
470. FEI-SP
Num triângulo ABC, BC = a, AC = b, Â = 45° e
B
`
° 30
.
Sendo a + b + 1 2 , o valor de a é:
a)
2
d)
3

b) 2 e)
3
2
c) 1
471.
Determine x, sabendo que o trapézio ABCD é isós-
celes.
472. Unicamp-SP
Observadores nos pontos A e B localizam um foco
de incêndio florestal em F. Conhecendo os ângulos
FÂB = 45°, FBA 105
`
° e a distância AB = 15 km,
determine as distâncias AF e BF.
Lembre-se de que:
sen (a + b) = sen a · cos b + sen b · cos a
473.
Na figura abaixo, determine a medida do lado AB .
Obs.: Lembre-se de que:
sen (a + b) = sen a · cos b + sen b · cos a
474.
Na figura abaixo, calcule o valor do seno do ângulo α.
Lembre-se de que sen (2α) = 2 sen α · cos α
475. UFSCar-SP
Na figura, ADB
´
é reto, BÂC = α, CÂD = β,
AC dm e BC dm 4 1
Sabendo-se que cos(α + β) =
4
5
, o valor de sen α é
a)
2
3
d)
1
5
b)
3
5
e)
1
6
c)
2
5
Lembre-se que cos x = sen (90° – x)
476. ITA-SP
A diagonal menor de um paralelogramo divide um dos
ângulos internos em dois outros, um α e outro 2α. A ra-
zão entre o lado menor e o maior do paralelogramo é:
a) 1/cos α d) 1/(2 cos α)
b) 1/cos 2α e) tg α
c) 1/(2 sen α)
Obs.: Lembre-se de que sen (2A
´
) = 2 sen A
´
· cos A
´
477. PUC-SP
A diagonal de um paralelogramo divide um dos ângulos
internos em dois outros, um de 60° e o outro de 45°. A ra-
zão entre os lados menor e maior do paralelogramo é:
a)
3
6
d)
6
3
b)
2
2
e)
3
3
c)
2 3
9

478.
ABCDE. . . é um dodecágono regul ar. Sendo
AE = 12 cm, calcule o raio da circunferência circunscrita
no polígono.
479.
Calcule o raio da circunferência da figura, sabendo
que CE = 10 cm
170
480.
Sejam A, B, C e N quatro pontos em um mesmo plano,
conforme mostra a figura abaixo.
a) Calcule o raio da circunferência que passa pelos
pontos A, B e N.
b) Calcule o comprimento do segmento NB.
481. UFMG
Observe esta figura:
Nessa figura, os comprimentos dos segmentos AB e
AC são iguais. O comprimento do segmento BC é 1.
Considerando essas informações,
a) calcule o comprimento do segmento CP;
b) calcule a área do triângulo ACP.
482.
Na figura a seguir, a circunferência de centro O
1
tem
raio 5 cm e a circunferência de centro O
2
tem raio 4 cm.
Sendo CD = 6 cm, calcule AD.
483. UFJF-MG
Dois lados de um triângulo medem 8 m e 10 m e for-
mam um ângulo de 60°.
O terceiro lado desse triângulo mede:
a) 2 21 m d) 2 51 m
b) 2 31 m e) 2 61 m
c) 2 41 m
484. FGV-SP
Em um triângulo, dois lados medem 5 cm e 6 cm; o
ângulo interno formado por eles vale 60°. Portanto, o
perímetro do triângulo (em cm) vale:
a)
11 29 +
d)
11 32 +
b)
11 30 +
e)
11 33 +
c)
11 31 +
485. UFSCar-SP
Se os lados de um triângulo medem x, x + 1 e x + 2,
então, para qualquer x real e maior que 1, o cosseno
do maior ângulo interno desse triângulo é igual a
a)
x
x +1
b)
x
x + 2
c)
x
x
+
+
1
2
d)
x
x
− 2
3
e)
x
x
− 3
2
486. Unicamp-SP
A água utilizada na casa de um sítio é captada e bom-
beada do rio para a caixa-d’água a 50 m de distância.
A casa está a 80 m de distância da caixa-d’água e o
ângulo formado pelas direções caixa-d’água bomba e
caixa-d’água casa é de 60°. Se se pretende bombear
água do mesmo ponto de captação até a casa, quantos
metros de encanamento serão necessários?
487. UEPA
A figura abaixo mostra o corte lateral de um terreno
onde será construída uma rampa reta, AC , que servirá
para o acesso de veículos à casa, que se encontra na
parte mais alta do terreno. A distância de A a B é de
6 m, de B a C é de 10 m, e o menor ângulo formado
entre AB e BC é de 120°. Então, o valor do compri-
mento da rampa deve ser de:
a) 12 m d) 13,5 m
b) 12,5 m e) 14 m
c) 13 m
171
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
488. FESP
Na figura abaixo, ABC e BDE são triângulos equiláteros
de lados 2a e a, respectivamente. Podemos afirmar,
então, que o segmento CD mede:
a)
a 2
d)
2 5 a

b)
a 6
e)
a 3

c) 2a
489. Fuvest-SP
Um triângulo T tem lados iguais a 4, 5 e 6. O co-seno
do maior ângulo de T é:
a)
5
6
d)
2
3
b)
4
5
e)
1
8
c)
3
4
490. Unicamp-SP
Os lados de um triângulo têm, como medidas, números
inteiros ímpares consecutivos cuja soma é 15.
a) Quais são esses números?
b) Calcule a medida do maior ângulo desse triângulo.
491. UPE
Os lados de um paralelogramo medem 3 cm e 4 cm.
Sabendo-se que o ângulo formado pelos lados mede
120°, pode-se afirmar que a diagonal maior do para-
lelogramo mede:
a)
12 cm

b) 17 cm
c) 19 cm
d) 35 cm
e) 37 cm
492. Fuvest-SP
Na figura abaixo, tem-se AC = 3, AB = 4 e CB = 6.
O valor de CD é:
a) 17/12 d) 25/12
b) 19/12 e) 29/12
c) 23/12
493. UFC-CE
As diagonais de um paralelogramo formam entre si
um ângulo de 30° e seus comprimentos são 2 3 cm
e 4 cm. O perímetro desse paralelogramo, em centí-
metros, é:
a)
2 13
d)
2 2 13 +

b)
4 13
e)
4 2 13 +

c)
1+ 13
494. Fuvest-SP
As páginas de um livro medem 1 dm de base e
1 3 + dm
de altura. Se este livro for parcialmente
aberto, de tal forma que o ângulo entre duas páginas
seja 60°, a medida do ângulo α, formado pelas diago-
nais das páginas, será:
a) 15°
b) 30°
c) 45°
d) 60°
e) 75°
495. Vunesp
Os lados de um triângulo medem
2 3 6 ,
e
3 3 +
.
Determine o ângulo oposto ao lado que mede
6
.
a) 30° d) 90°
b) 45° e) 120°
c) 60°
496. Unimar-SP
Num triângulo qualquer ABC, tem-se que a medida do
ângulo de vértice A é 60°; AB = 4 e BC =
2 6
. Então,
AC é igual a:
a)
2 2 3 +
d)
3
b)
2 3 2 −
e) 2
c) 3 1 +
497. Vunesp
Dois terrenos, T
1
e T
2
, têm frentes para a rua R e
fundos para a rua S, como mostra a figura. O lado BC
do terreno T
1
mede 30 m e é paralelo ao lado DE do
terreno T
2
. A frente AC do terreno T
1
mede 50 m e o
fundo BD do terreno T
2
mede 35 m. Ao lado do terreno
T
2
há um outro terreno, T
3
, com frente para a rua Z, na
forma de um setor circular de centro E e raio ED.
Determine:
172
a) as medidas do fundo AB do terreno T
1
e da frente CE
do terreno T
2
;
b) a medida do lado DE do terreno T
2
e o perímetro
do terreno T
3
.
498. Fuvest-SP
Numa circunferência, c
1
é o comprimento do arco de
π
6
radianos e c
2
é o comprimento da secante deter-
minada por este arco, como ilustrado na figura abaixo.
Então, a razão c
1
/c
2
é igual a
π
6
multiplicado por:
a) 2
b)
1 2 3 +
c)
π 2 3
6
+
d)
2 2 3
6
+
e)
3 3
6
+
499. Ufpel-RS
São cada vez mais freqüentes construções de praças
cujos brinquedos são montados com materiais rústicos.
A criatividade na montagem de balanços, escorrega-
dores e gangorras de madeira vem proporcionando
uma opção de lazer para as crianças. A figura a
seguir mostra um brinquedo simples que proporciona
à criançada excelente atividade física.
Considerando os textos, a distância AB e AC igual a
2,0 m, o ângulo BÂC igual a 75° e seus conhecimentos,
determine:
a) a distância de B até C;
b) a altura do triângulo ABC, relativa ao lado BC.
Dados: cos (a + b) = cos a · cos b – sen a · sen b,
2 14 3 17 , , e
500. Cesupa
No centro de uma praça, existem três postes de
iluminação, distantes um do outro respectivamente 4
metros, 6 metros e 8 metros. Um topógrafo que está
fazendo medições na área resolve, por curiosidade,
verificar os ângulos do triângulo cujos vértices são
os três postes.
Com os dados do problema, podemos concluir que o
topógrafo descobriu que o triângulo é:
a) acutângulo.
b) retângulo.
c) obtusângulo.
d) impossível de ser construído ou inexistente.
501. Mackenzie-SP
Na figura, o raio da circunferância de centro B é o dobro
do raio da circunferência de centro A. Se x é a medida
do ângulo ACB
´
, então:
a) 0 30 < ≤ ° x
b) 45 60 ° < ≤ ° x
c) 30 45 ° < ≤ ° x
d) 60 90 ° < ≤ ° x
e) x > 90°
502. ESPM-SP
A figura a seguir representa uma praça de forma
triangular, sendo que o ângulo  é reto. Duas pesso-
as percorrem o contorno da praça a partir do ponto
A, mas em sentidos contrários, até se encontrarem
num ponto P do lado BC. Sabendo-se que elas per-
correram distâncias iguais, podemos concluir que a
distância do ponto P ao ponto A, em linha reta é de,
aproximadamente:

a) 22 m
b) 25 m
c) 27 m
d) 30 m
e) 32 m
503. Uneb-BA
O lado de um octógono regular, inscrito numa circun-
ferência de raio
2
2
, tem comprimento:
a) 2 2 2 +
b)
2 2
2


c) 1
d)
1
4
e)
1 2 −

173
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
504. ITA-SP
Num losango ABCD, a soma das medidas dos ângulos
obtusos é o triplo da soma das medidas dos ângulos
agudos. Se a sua diagonal menor mede d cm, então
sua aresta medirá:
a)
d
2 2 +

b)
d
2 2 −

c)
d
2 3 −
d)
d
3 3 −
e)
d
3 2 −
505. Fuvest-SP
Na figura abaixo, O é o centro da circunferência de raio
1, a reta é secante a ela, o ângulo β mede 60
o
e
sen α
3
4
.
a) Determine sen OÂB em função de AB.
b) Calcule AB.
506. UFMS
A figura a seguir mostra um retângulo ABCD onde
AB=BM=MN=NC. Calcule 6tgθ + 51.
507. Fuvest-SP
Um triângulo ABC tem lados de comprimentos AB = 5,
BC = 4 e AC = 2. Sejam M e N os pontos
AB
tais que
CMé a bissetriz relativa ao ângulo ACB e CN
´
é a altura
relativa ao lado AB.
Determine o comprimento de MN.
508. FGV-SP
Na figura seguinte, AB = BC = CD = DE = 2 e
A C B D e C E B C D
` ´ ´

2
3 2
π π
.
Calcule a distância entre os pontos A e E.
509. FVG-SP
No triângulo ABC da figura a seguir, sabe-se que:
α β β =
7
3
e sen ; ; °< < °
4 3
7
90 180
Determine o valor do ângulo α.
510. Fuvest-SP
Os lados de um paralelogramo medem a e b e suas
diagonais, d
1
e d
2
. Prove que d d 2a 2b
1
2
2
2 2 2
+ + .
511. Unicamp-SP
Um triângulo retângulo de vértices A, B e C é tal que
AC cm AB cm e BC cm 6 8 10 , . Os segmentos
AC AB e BC ,
também são lados de quadrados
construídos externamente ao triângulo ABC. Seja O
o centro da circunferência que circunscreve o triân-
gulo e sejam D, E e F os centros dos quadrados com
lados BC AC e AB , , respectivamente.
a) Cal cul e os compri mentos dos segmentos
DO EO e FO , .
b) Calcule os comprimentos dos lados do triângulo
de vértices D, E e F.
512.
Calcule o raio x na figura a seguir.
174
513.
Sendo 6 m o lado do triângulo equilátero, determine:
a) a altura do triângulo;
b) o raio R da circunferência circunscrita;
c) o raio r da circunferência inscrita;
d) o apótema do triângulo.
514.
Sendo 8 m o lado do quadrado, determine:
a) a diagonal;
b) o raio R da circunferência circunscrita;
c) o raio r da circunferência inscrita;
d) o apótema do quadrado.
515.
Sendo 6 m o lado do hexágono regular, determine:
a) a diagonal maior;
b) o raio R da circunferência circunscrita;
c) o raio r da circunferência inscrita;
d) a diagonal menor;
e) o apótema do hexágono.
516.
No hexágono regular ABCDEF da figura, o lado mede
5 cm. Calcule:
a) o apótema;
b) o raio do círculo inscrito;
c) a diagonal AC.
517. UFPA
O raio de uma circunferência onde se inscreve um
triângulo equilátero de lado 3 cm é:
a)
3
2

b)
3
4

c)
2 3
3
d) 1
e)
3
518.
Dado um triângulo equilátero de 6 cm de altura,
calcule:
a) o raio do círculo inscrito;
b) o lado;
c) o apótema;
d) o raio do círculo circunscrito.
519.
Calcule o apótema de um quadrado inscrito numa
circunferência de raio 2 2 .
520.
Determine o raio da circunferência circunscrita ao
polígono regular, sabendo que o raio da circunferência
inscrita é 6 m, nos casos:
a) quadrado;
b) hexágono;
c) triângulo.
521. UFC-CE
Na figura abaixo, temos dois triângulos equiláteros
ABC e A’B’C’ que possuem o mesmo baricentro, tais
que AB A B AC A C e BC B C // ' '; // ´ ´ // ' '. Se a medida
dos lados de ABC é igual a 3 3 cm e a distância entre
os lados paralelos mede 2 cm, então a medida das
alturas de A’B’C’ é igual a:
Capítulo 11
175
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
a) 11,5 cm d) 8,5 cm
b) 10,5 cm e) 7,5 cm
c) 9,5 cm
522. Cefet-MG
Se um quadrado está inscrito numa circunferência de
6 cm de raio, então o seu lado e seu apótema me-
dem, respectivamente, em cm:
a) 6 e
3 2

b)
3 2
3
2
2 e

c) 6 2 3 e
d) 6 2 3 2 e
523.
O lado de um triângulo equilátero inscrito numa cir-
cunferência mede 2 6 m. Determine a medida do
raio da circunferência.
524.
Uma diagonal de um quadrado inscrito numa circunfe-
rência mede 8 cm. Calcule, de um hexágono regular
inscrito a essa circunferência, as medidas de um lado
e de um apótema.
525.
Um apótema de um hexágono regular inscrito numa
circunferência mede 5 3 cm.
Calcule, de um triângulo equilátero inscrito nessa
circunferência, a medida de um apótema.
526.
Determine a razão entre o apótema de um quadrado
e o lado de um triângulo equilátero, ambos inscritos
numa circunferência de raio igual a 6 cm.
527.
Determine a razão entre os perímetros do quadrado
circunscrito e do hexágono regular inscrito numa cir-
cunferência de raio R.
528. FGV-SP
O lado de um quadrado inscrito num círculo mede
12 2 m; a medida do lado do triângulo equilátero
circunscrito vale:
a) 20 3 m d) 24 3 m
b) 20 5 m e) 40 m
c) 24 5 m
529.
A razão entre os comprimentos das circunferências
circunscrita e inscrita a um quadrado é:
a)
1
2

b) 2
c) 3
d) 2 2
e) 2
530.
Calcule o lado e o apótema do triângulo eqüilátero
inscrito numa circunferência de raio R.
531.
Determine a relação entre os raios de dois círculos,
sabendo que no primeiro está inscrito um triângulo
equilátero e no segundo está inscrito um quadrado,
e que os perímetros do triângulo e do quadrado
são iguais.
532. Facasper-SP
Determinar a área de um quadrado cujo perímetro é
igual ao perímetro de um hexágono regular inscrito em
uma circunferência de raio
r
2
.
a)
r
2
2
d) r
2
b)
3
4
r
e)
3
16
r

c)
9
16
2
r
533. Mackenzie-SP
Na figura, a circunferência de centro O tem raio 2 e o
triângulo ABC é equilátero.
Se PQ BC // , a área colorida vale:
a)
3
2
d)
3 3
4

b)
3
3
e)
4 3
3
c)
2 3
3
176
534. PUC-PR
Quatro triângulos congruentes são recortados de um
retângulo de 11x13. O octógono resultante tem oito
lados iguais.
O comprimento do lado deste octógono é:
a) 3
b) 4
c) 5
d) 6
e) 7
535. UFMS
Para fabricar uma mesa, cujo tampo é um octógono,
um marceneiro recortou os quatro cantos de um qua-
drado de 100 cm de lado.
Para que ele obtenha um octógono regular, a medida L
dos catetos dos triângulos retirados deverá ser de:
a)
100
1 2 +
cm d)
50
2 2 +
cm
b)
100
2 2 −
cm e) 50 2 2 −
( )
cm
c) 40 2 2 −
( )
cm
536.
Dado o raio R de uma circunferência, calcule o lado e
o apótema do octógono regular inscrito.
537.
a) Se o raio de uma circunferência mede 2 m, deter-
mine o lado l do decágono regular inscrito nela.
b) Determine cos 36°.
Capítulo 12
538. Unifesp
Um inseto vai se deslocar sobre uma superfície
esférica de raio 50 cm, desde um ponto A até
um ponto B, diametralmente opostos, conforme
a figura.
O menor trajeto possível que o inseto pode percorrer
tem comprimento igual a:
a)
π
2
m
b) π m
c)
3
2
π
m
d) 2π m
e) 3π m
539. Ufla-MG
Os raios das rodas traseiras de um trator medem
75 cm e dão 30 voltas, ao mesmo tempo em que
as rodas dianteiras dão 90 voltas. O raio de cada
uma das rodas dianteiras é:
a) 20 cm
b) 30 cm
c) 25 cm
d) 15 cm
e) 22 cm
540.
Quantas voltas dá uma das rodas de um carro num
percurso de 60 km, sabendo que o diâmetro dessa
roda é igual a 1,20 m?
541.
Um carpinteiro vai construir uma mesa redonda para
acomodar seis pessoas sentadas ao seu redor. Deter-
mine o diâmetro dessa mesa para que cada pessoa
possa dispor de um arco de 50 cm na mesa.
542. UEM-PR
Uma pista de atletismo tem a forma circular e seu
diâmetro mede 80 m. Um atleta treinando nessa pista
deseja correr 10 km diariamente. Determine o número
mínimo de voltas completas que ele deve dar nessa
pista, a cada dia.
543. UFRJ
Uma roda de 10 cm de diâmetro gira em linha
reta, sem escorregar, sobre uma superfície lisa e
horizontal.
177
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
Determine o menor número de voltas completas
para a roda percorrer uma distância maior que
10 m.
544.
Um menino brinca com um aro de 1 m de diâmetro.
Que distância percorreu o menino ao dar 100 voltas
com o aro?
545. UEPB
Um ciclista de uma prova de resistência deve percorrer
502,4 km sobre uma pista circular de raio 200 m. O
número de voltas que ele deve dar é:
(Considere π = 3,14)
a) 500
b) 350
c) 450
d) 400
e) 300
546. Vunesp
Em um jogo eletrônico, o “monstro” tem a forma
de um setor circular de raio 1 cm, como mostra a
figura.
A parte que falta no círculo é a boca do “monstro”, e
o ângulo de abertura mede 1 radiano. O perímetro do
“monstro”, em cm, é:
a) π – 1
b) π + 1
c) 2π – 1
d) 2π
e) 2π + 1
547.
Uma pista circular está limitada por duas circunfe-
rências concêntricas cujos comprimentos valem,
respectivamente, 3.000 m e 2.400 m. Determine a
largura da pista.
548.
Os ponteiros de um relógio medem 1 cm e 1,5 cm,
respectivamente. A circunferência descrita pelo ponteiro
maior tem comprimento maior que a circunferência des-
crita pelo ponteiro menor. Determine essa diferença.
549. Mackenzie-SP
O ponteiro dos minutos de um relógio mede 4 cm.
Supondo π = 3, a distância, em centímetros, que a ex-
tremidade desse ponteiro percorre em 25 minutos é:
a) 15
b) 12
c) 20
d) 25
e) 10
550. UFSCar-SP
A seqüência de figuras mostra um único giro do ponto
A, marcado em uma roda circular, quando ela rola,
no plano, sobre a rampa formada pelos segmentos
RQ e QP.
Além do que indicam as figuras, sabe-se que o raio
da roda mede 3 cm, e que ela gira sobre a rampa
sem deslizar em falso. Sendo assim, o comprimento
RQ+QP da rampa, em cm, é igual a:
a) 5 2 3 π + d) 7 3 π −
b)
4 3 5 π +
e)
8 3 5 π −
c) 6 3 π +
551.
Uma corda determina em um círculo um arco que
mede 80°. Sendo 20 cm o comprimento desse arco,
determine a medida do raio desse círculo.
552.
Para ir de um ponto A a um ponto B posso percorrer
a semicircunferência de diâmetro AB e centro O. Se
percorrer as duas semicircunferências de diâmetros
AO e OB, terei percorrido um caminho maior ou
menor? Justifique.
553.
Um ciclista percorreu 26 km em 1 h e 50 minutos.
Se as rodas da bicicleta têm 40 cm de raio, quantas
voltas aproximadamente deu cada roda e quantas
por minuto?
554. UFSCar-SP
Uma pizza circular será fatiada, a partir do seu centro,
em setores circulares. Se o arco de cada setor medir
0,8 radiano, obtém-se um número máximo N de fatias
idênticas, sobrando, no final, uma fatia menor, que é
indicada na figura por fatia N + 1.
178
Considerando π = 3,14, o arco da fatia N + 1, em
radiano, é
a) 0,74
b) 0,72
c) 0,68
d) 0,56
e) 0,34
555. Uesb-BA
O setor de 60º, destacado na figura abaixo, corresponde
à superfície de um canteiro circular plano, no qual pre-
tende-se plantar duas roseiras por metro quadrado.
Se esse canteiro tem 42 m de diâmetro, quantas rosei-
ras deverão ser plantadas? Use π
j
(
,
\
,
(
22
7
.
a) 22
b) 88
c) 231
d) 462
e) 924
556. UCS-RS
A razão entre os comprimentos da Linha do Equador e do
diâmetro da Terra é igual à razão entre os comprimentos
de uma circunferência qualquer e de seu diâmetro.
Essa afirmação é
a) verdadeira, e a razão referida vale
π
2
.
b) verdadeira, e a razão referida vale π.
c) verdadeira, e a razão referida vale
3
2
π
.
d) verdadeira, e a razão referida vale 2π.
e) falsa.
557. Ufla-MG
Amarre um barbante, bem ajustado, em volta de uma
bola de futebol. Agora amarre um barbante, bem ajus-
tado, em volta de uma bola de gude.
Se você aumentar 1 m no comprimento de cada um
dos dois barbantes, haverá uma folga d
1
entre a bola
de futebol e o barbante e uma folga d
2
entre a bola de
gude e o barbante.
Assinale a alternativa correta.
a) d
1
> d
2
b) d
1
< d
2
c) d
1
= d
2
+ 1
d) d
1
= d
2
e) p (d
2
2
– d
1
2
) = 1
558. UFRN
No protótipo antigo de uma bicicleta, conforme figura
ao lado, a roda maior tem 55 cm de raio e a roda menor
tem 35 cm de raio. O número mínimo de voltas com-
pletas da roda maior para que a roda gire um número
inteiro de vezes é:
a) 5 voltas. c) 9 voltas.
b) 7 voltas. d) 11 voltas.
559.
Na figura abaixo, calcule a medida do ângulo central α,
sabendo que os arcos AB e CD
¯ ¯
medem, respectiva-
mente, 100 cm e 80 cm, e que CA = DB = 25 cm.
Os arcos AB e CD
¯ ¯
são centralizados em O.
560. UEG-GO
Na figura abaixo, o segmento AB correspondente lado
de um haxágono regular inscrito, enquanto o segundo
BC corresponde ao lado de um quadrado também
inscrito na círculo de raio 6 cm.
Determine a distância percorrida de A até C, passando
por B.
179
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
561. Unisa-SP
Um hexágono regular de lado 3 cm está inscrito numa
circunferência. Nessa circunferência, um arco de me-
dida 100º tem comprimento:
a)
3
5
π
cm d)
5
3
π
cm
b)
5
6
π
cm
e)
10
3
π
cm
c) π cm
562. UFPI
Numa circunferência na qual está inscrito um quadrado
de lado 10 cm, o comprimento, em cm, de um arco da
mesma, medindo 120º é:
a)
10 2
3
π
d)
10 3
2
π
b)
5
2
π e)
5 2
3
π
c)
5 7
3
π
563. Fatec-SP
Em um motor há duas polias ligadas por uma correia,
de acordo com o esquema abaixo.
Se cada polia tem raio de 10 cm e a distância entre
seus centros é 30 cm, qual das medidas abaixo mais
se aproxima do comprimento da correia?
a) 122,8 cm d) 50 cm
b) 102,4 cm e) 32,4 cm
c) 92,8 cm
564. FGV-SP
Na figura estão representados dois quadrados de lado
d e dois setores circulares de 90º e raio d:
Sabendo que os pontos A, E e C estão alinhados, a
soma dos comprimentos do segmento CF e do arco de
circunferência AD
¯
, em função de d, é igual a
a)
2 3
6
+
( )
π
d d)
12
24
+ ( ) π
d
b)
3
6
+ ( ) π
d e)
2 3
12
+
( )
π
d
c)
4 3
12
+
( )
π
d
565. Unilasalle-RS
Uma peça decorativa de madeira possui a forma do
desenho abaixo. As linhas curvas são arcos de circun-
ferência. Qual é o comprimento de madeira empregado
em sua confecção?
a) 160 1 2 2 + +
( )
π cm
b) 320 1 2 + +
( )
π cm
c) 160
2 2 + +
( )
π
cm
d) 320 2 2 2 + +
( )
π cm
e) 80 4 2 2 + +
( )
π cm
566.
Considere o quadrado de lado 6 cm da figura. Calcule
o comprimento da figura assinalada.
567.
Na figura abaixo, os três círculos têm mesmo raio r
igual a 10 cm. Determine o comprimento da correia
que envolve os três círculos.
568.
Seja um círculo c de centro O, de raio R = 1, diâmetro
AA' e a tangente t em A ao círculo c. AB sendo um
lado do hexágono regular inscrito em c, a mediatriz
de AB corta a reta t em C. Construamos sobre t o
segmento
CD
= 3R. Mostre que o comprimento
A'D

é um valor aproximado de π.
180
569. Fuvest-SP
A figura representa duas polias circulares C
1
e C
2

de raios R
1
= 4 cm e R
2
= 1 cm, apoiadas em uma
superfície plana em P
1
e P
2
, respectivamente. Uma
correia envolve as polias, sem folga. Sabendo-se que a
distância entre os pontos P
1
e P
2
é 3
3
cm, determine
o comprimento da correia.
Capítulo 12
570. UERGS-RS
A diagonal de um quadrado ABCD mede 2 2 cm. Os
pontos médios dos lados desse quadrado formam um
outro quadrado de área igual a:
a) 0,5 cm
2

b) 1 cm
2

c) 2 cm
2

d) 4 cm
2

e) 8 cm
2

571. UFJF-MG
Considere um outdoor de uma propaganda publici-
tária, construído em formato retangular, com área
de 104 m
2
e com um dos lados 5 m maior do que
o outro.
Sobre a medida x do maior dos lados deste outdoor,
pode-se afirmar:
a) 9 ± x ± 11
b) 6 ± x ± 8
c) 12 ± x ± 14
d) x ± 26
e) x ± 6
572. UFRN
Um anúncio de jornal divulga: Vende-se uma gran-
ja a 15 km de Natal com 90 metros de frente por
110 metros de fundos [...]. Sabendo-se que 1 hectare
equivale a 10.000 m
2
e que o preço de 1 hectare,
nessa região, é R$ 5.000,00, o valor da granja em
reais é:
a) 4.900,00
b) 4.950,00
c) 5.000,00
d) 5.050,00
573. UFMG
O comprimento de uma mesa retangular é o dobro
de sua largura. Se a mesa tivesse 45 cm a menos
de comprimento e 45 cm a mais de largura, seria
quadrada.
Assim sendo, a área da mesa é de:
a) 1,62 m
2
b) 1,45 m
2
c) 1,58 m
2
d) 1,82 m
2
574.
Determine a área do trapézio nos casos a seguir, sendo
o metro a unidade das medidas indicadas.
575. Vunesp
A figura a seguir representa um trapézio retângulo em
que a medida de AB é k centímetros, o lado AD mede
2 k e o ângulo DÂE mede 30°.
Nestas condições, a área do trapézio, em função de
k, é dada por:
a) k
2
2 3 +
( )
d) 3 3
2
k
b) k
2
2 3
2
+
j
(
,
,
\
,
(
(
e)
k
2
3
c)
3 3
2
2
k
181
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
576. Unifesp
Um comício deverá ocorrer num ginásio de esportes,
cuja área é delimitada por um retângulo, mostrado
na figura.
Por segurança, a coordenação do evento limitou
a concentração, no local, a 5 pessoas para cada
2 m
2
de área disponível. Excluindo-se a área ocu-
pada pelo palanque, com a forma de um trapézio
(veja as dimensões da parte hachurada na figura),
quantas pessoas, no máximo, poderão participar
do evento?
a) 2.700 d) 1.125
b) 1.620 e) 1.050
c) 1.350
577. Mackenzie-SP
Na figura, a diferença entre as áreas dos quadrados
ABCD e EFGC é 56.
Se BE = 4, a área do triângulo CDE vale:
a) 18,5 d) 24,5
b) 20,5 e) 26,5
c) 22,5
578. UEL-PR
Um arquiteto fez um projeto para construir canteiros
de flores na entrada de um clube. Nesse projeto, os
canteiros têm áreas equivalentes. Um dos canteiros
tem a forma de um hexágono regular de 60 cm de lado.
Outro tem a forma de um quadrado. Qual a medida do
lado desse quadrado?
a) 30
27
4
cm
b) 30
108
4
cm
c) 300
108
4
cm
d) 97 3 cm
e) 5400 3 cm
579. Vunesp
Considere um envelope aberto, disposto como um
triângulo isósceles sobre um retângulo, conforme a
figura, onde h
1
=
1
3
h.
As áreas do triângulo ABC e do retângulo BCDE, denota-
das respectivamente por A
T
e A
R
, podem ser calculadas
em termos de a e de h. Seja a razão p =
A
A
T
R
. Se o valor
de a for multiplicado por 2, qual será a alteração que
ocorrerá na razão p?
a) p é multiplicada por
1
4
.
b) p é multiplicada por 2.
c) p é multiplicada por 4.
d) p é multiplicada por ah.
e) p é invariante, pois independe de a.
580. Acafe-SC
Um cliente encomendou uma lâmina de vidro em forma
de paralelogramo, com perímetro de 50 cm, devendo
um dos lados ter 5 cm de diferença em relação ao
outro e com o menor ângulo interno igual a 15°. Para
fazer o orçamento, o vidraceiro precisa calcular a área
dessa lâmina de vidro.
Dados: sen 15° = 0,26 / cos 15° = 0,96 / tg 15° = 2,70
A área da lâmina, em cm
2
, é:
a) 40,5. d) 144.
b) 26. e) 96.
c) 39.
581. UFC-CE
Na figura a seguir, cada quadradinho da malha tem
lado 1. A área do quadrilátero ABCD é:
a) 18 d) 21
b) 19 e) 22
c) 20
182
582. Ufla-MG
Uma parede é feita com tijolos retangulares de base
10 cm e altura 5 cm, conforme a figura ao lado. Calcule
a área do quadrilátero ABCD.
a) 1.000 cm
2
d) 925 cm
2
b) 875 cm
2
e) 750 cm
2
c) 1.025 cm
2
583. Mackenzie-SP
A figura a seguir representa as peças do Tangram,
quebra-cabeça chinês formado por 5 triângulos, 1
paralelogramo e 1 quadrado. Sendo a área do qua-
drado ABCD igual a 4 cm
2
, a área do sombreado,
em cm
2
, é:
a d
b e
c
) )
) )
)
1
6
1
2
1
8
1
4
1
9
584. UFPE
A figura a seguir compõe-se de quatro retângulos
de base 2 e altura 11. Os lados dos retângulos que
se interceptam formam ângulos retos. Qual a área
da figura?
a) 74
b) 73
c) 72
d) 71
e) 70
585. PUC-RS
Considere a figura abaixo, onde os segmentos AB,
BC, CD, DF, FG, GH são congruentes e medem “x”.
A área da região sombreada é:

a)
9
4
2
x
b)
x
2
4
c)
5
4
2
x
d)
5
2
2
x
e) 2x
2

586. UECE
Considere o retângulo ABCD com área igual a 6 cm
2
.
Sejam: C’ no prolongamento do lado BC para a di-
reita tal que CC' = BC; D’ no prolongamento de CD
para baixo tal que DD' = 2CD; A’ no prolongamento
de DA para à esquerda tal que AA' = 3AD; B’ no
prolongamento de AB para cima tal que BB' = 4AB.
Nestas condições, a área do quadrilátero A’B’C’D’,
em cm
2
, é:
a) 150
b) 132
c) 114
d) 108
Obs.: xy indica a medida do segmento XY
587. UECE
Um quadrado é transformado em um retângulo au-
mentando-se um de seus lados de p% e diminuindo o
outro em p%. Se sua área é então diminuída em 1%,
o valor de p é:
a)
1
2

b) 1
c) 5
d) 10
183
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
588. FGV-SP
Na figura a seguir, ABCD é um retângulo e CFD é um
triângulo retângulo em F.
Calcule a área (S) do retângulo ABCD, sabendo que
AB = 2AD = 4AE e DF = 6 m
589. Cesgranrio-RJ
João possuía um terreno retangular ABCD, de
1.800 m
2
, do qual cedeu a faixa ADEF com 10 m de
largura, em troca de outra, CEGH, com 30 m de largu-
ra, conforme está indicado na figura, e de modo que
ABCD e BHGF tivessem a mesma área. O perímetro
do terreno ABCD media:
a) 210 m d) 186 m
b) 204 m e) 180 m
c) 190 m
590. EFOA-MG
De um piso quadrado de 34 cm de lado recortam-se
pequenos triângulos retângulos isósceles de cateto x,
de modo a obter um piso em forma de octógono regular,
conforme ilustra a figura abaixo.
Considere 2 = 1,4.
a) Determine o valor de x.
b) Calcule a área de um dos triângulos recortados.
c) Calcule a área do octógono.
591. PUC-RJ
Um terreno de 120 m
2
contém uma piscina de 6 m por
8 m. A calçada ao redor da piscina tem largura x con-
forme a figura. Calcule o valor de x em metros.
592. UFPE
Num terreno retângular, medindo 80 m x 50 m, deseja-se
construir um galpão retangular, de forma que cada um de
seus lados seja paralelo a dois lados do terreno, como
ilustrado na figura abaixo. Se a área do galpão deve ser
1.000 m
2
, de quantos metros deve ser o recuo r?

a) 12
b) 13
c) 14
d) 15
e) 16
593. Ibmec-SP
Suponha que A
3
, A
4
e A
6
representam, respectivamente,
as áreas de um triângulo equilátero, um quadrado e um
hexágono regular, todos de mesmo lado.
Se A
3
+ A
4
+ A
6
= A
3
· A
6
, então:
a) A
3
=
7 3 4
4
+
d) A
4
=
14 3 8
9
+
b) A
3
=
7 3 16
4
+
e) A
6
=
7 3 4
9
+
c) A
4
=
14 3 2
9
+
594. PUC-SP
Pretende-se dividir um salão de forma retangular em
quatro salas, também retangulares, como mostra a
figura abaixo.
Se A
1
, A
2
, A
3
e A
4
são as áreas das salas pretendidas e
considerando que A
1
+ A
2
+ A
3
= 36 m
2
, A
1
– A
2
= 12 m
2

e A
3
= 2 · A
2
, a área da quarta sala, em metros
quadrados, é
a) 4 d) 5
b) 4,5 e) 5,5
c) 4,8
184
595. Unifesp
A figura representa um retângulo subdividido em 4
outros retângulos com as respectivas áreas.
O valor de a é:
a) 4 d) 10
b) 6 e) 12
c) 8
596. UEMS
De um retângulo de perímetro 32 cm e lados cujas
medidas são x e y, com x < y, retira-se um qua-
drado de lado medindo x. Assinale a alternativa
correta que identifica a área máxima do retângulo
remanescente.

a) 4 cm
2

b) 8 cm
2

c) 16 cm
2

d) 32 cm
2

e) 64 cm
2

597. Unicamp-SP
Considere dois quadrados congruentes de lado 4 cm.
O vértice de um dos quadrados está no centro do
outro quadrado, de modo que esse quadrado possa
girar em torno de seu centro. Determine a variação da
área obtida pela intersecção das áreas dos quadrados
durante a rotação. Justifique.
598. PUC-SP
A figura abaixo representa um terreno com a forma de
um trapézio isósceles, cujas dimensões indicadas são
dadas em metros.
Pretende-se construir uma cerca paralela ao lado AB, de
modo a dividir o terreno em duas superfícies de áreas
iguais. O comprimento dessa cerca, em metros, deverá
ser aproximadamente igual a:
a) 26
b) 29
c) 33
d) 35
e) 37
599. Fuvest-SP
Considere uma circunferência de centro O e raio 2 cm tan-
gente à reta t no ponto T. Seja x a medida do ângulo AOT,
em que A é um ponto da circunferência e 0 < x <
¬
2
.
Calcule em função de x a área do trapézio OABT, sendo
B o ponto da reta t, tal que AB é paralelo a OT.
600. ITA-SP
Se num quadrilátero convexo de área S o ângulo agudo
entre as diagonais mede
¬
6
radianos, então o produto
do comprimento destas diagonais é igual a:
a) S
b) 2 S
c) 3 S
d) 4 S
e) 5 S
601.
Um terreno quadrangular foi dividido em quatro lotes
menores por duas cercas retas unindo os pontos
médios dos lados do terreno. As áreas de três dos
lotes estão indicadas em metros quadrados no mapa
a seguir.
Qual é a área do quarto lote, representado pela região
escura no mapa?
602. FGV-SP
A seguir, estão representadas as quatro primeiras
figuras de uma seqüência infinita, onde cada quadrado
tem 10 cm de lado.

185
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4

a) Chame de n o número de ordem e de A a área da
superfície pintada de cinza de uma figura qualquer
dessa seqüência.
Determine uma função, por meio de uma equação,
que descreva como área da parte cinza dessas
figuras varia com seu número de ordem na seqü-
ência.
b) Construa um gráfico cartesiano da função obtida
na parte a.
603. Fuvest-SP
Um triângulo tem 12 cm de perímetro e 6 cm
2
de
área. Quanto mede o raio da circunferência inscrita
nesse triângulo?
604. UFG-GO
A figura abaixo representa uma pipa simétrica em
relação ao segmento AB, onde AB mede 80 cm.
Então a área da pipa, em m
2
, é de
a) 3 2 3 ,
b) 16 3 ,
c) 0 32 3 ,
d) 0 16 3 ,
e) 0 8 3 ,
605. FURG-RS
Analise a ilustração e responda à questão abaixo.
A área do triângulo é igual a:
a)
3 3
2
2
+
cm
b)
1 3
2
2
+
cm
c) 2 3
2
+ ( ) cm
d) 3 3
2
+ ( ) cm
e)
3
2
2
cm
606. FGV-SP
Num triângulo isósceles, os lados de mesma medida
medem 2 e o ângulo formado por eles mede 120°. A
área desse triângulo é:
a) 2 d)
1
4
b) 1 e) 3
c)
1
2
607.
Qual dos dois triângulos tem área maior: o de lados 5,
5 e 6 ou o de lados 5, 5 e 8?
608. UFAC
Na figura, ABCD é um retângulo e E é um ponto do
segmento AB. Da figura, podemos concluir que:
I. Se AE = EB, então a área do triângulo ACE é um
quarto da área do retângulo ABCD.
II. O valor da área do triângulo CDE é o mesmo da
soma das áreas dos triângulos ACE e EBD.
III. A área do triângulo CDE é metade da área do
retângulo ABCD, independente da posição que o
ponto E esteja no segmento AB.
Com relação às afirmações I, II e III, pode-se dizer que:
a) Todas são verdadeiras.
b) Todas são falsas.
c) Apenas I é verdadeira.
d) As afirmações II e III são falsas.
e) Apenas II e III são verdadeiras.
609. Unioeste-PR
No retângulo ABCD, representado na figura abaixo,
M é ponto médio de AB e N é ponto médio de BC. A
respeito das áreas das regiões triangulares 1, 2, 3 e
4, designadas por A
1
, A
2
, A
3
e A
4
, respectivamente, é
correto afirmar que:
186
01. A
2
= 2A
1
02. A
3
= 3A
1
04. A
2
= A
3
08. A
4
= 3A
1
16. A
4
= A
1
+ A
3
610. Ibmec-SP
No retângulo ABCD, M, N, P e Q são os pontos médios
dos lados. Se a área do triângulo destacado é K, então
a área do retângulo ABCD é:

a) 4 K d) 32 K
b) 8 K e) 64 K
c) 16 K
611. FGV-SP
Na figura plana a seguir, os triângulos ABC e CDE
são eqüilateros. Os lados medem 4 cm e 6 cm, res-
pectivamente.
Calcule a área do quadrilátero ABDE.
612.
Considere o retângulo ABCD dado a seguir:
As áreas triangulares, em destaque, correspondem à
seguinte fração da área do retângulo ABCD:
a) 1/2
b) 1/3
c) 1/4
d) 1/5
e) 1/6
613. Mackenzie-SP
Na figura, ABCDEF é um hexágono regular de lado 1 cm.
A área do triângulo BCE, em cm
2
, é:
a)
2
3
d) 2 3
b)
3
2
e) 3
c) 3 2
614. Fuvest-SP
Os pontos A, B e C são vértices consecutivos de um
hexágono regular de área igual a 6. Qual a área do
triângulo ABC?
a) 1 d) 2
b) 2 e) 3
c) 3
615. UFRR
Um hexágono regular ABCDEF tem lado igual a 4 cm.
A área do trapézio ADEF, em cm
2
, é igual a:
a) 4 3
b) 2 3 + 4
c) 12
d) 8 + 4 3
e) 12 3
616. Mackenzie-SP
No triângulo retângulo ABC da figura, AM é a media-
na e AH é a altura, ambas relativas à hipotenusa. Se
BC = 6 cm, a área do triângulo AMH, em cm
2
, é:
a)
8 3
9

b)
5 3
8
c)
8 3
5
d)
9 3
4
e)
9 3
8
617. Acafe-SC
A base de um triângulo mede 72 cm e sua altura, em cm,
é h. Se a base for aumentada em 48 cm e a altura em
32 cm, obtém-se um novo triângulo, cuja área é o triplo
da área do primeiro. O valor da altura h, em cm, é:
a) 20 d) 40
b) 64 e) 12
c) 80
187
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
618. Uespi
O hexágono convexo ABCDEF ilustrado abaixo tem
todos os seus ângulos internos medindo 120°. Se
AB = 6, BC = 10, CD = 4 e DE = 14, qual a área
do hexágono?
a) 86 3 d) 83 3
b) 85 3 e) 82 3
c) 84 3
619. Fuvest-SP
Na figura abaixo, a reta r é paralela ao segmento AC,
sendo E o ponto de intersecção de r com a reta determi-
nada por D e C. Se as áreas dos triângulos ACE e ADC
são 4 e 10, respectivamente, e a área do quadrilátero
ABED é 21, então a área do triângulo BCE é:
a) 6 d) 9
b) 7 e) 10
c) 8
620. UFTM-MG
Na circunferência de centro C, indicada a seguir, DE
e EF são cordas congruentes, e o menor arco AB
¯
é
igual à sexta parte da circunferência.
A razão entre a área do triângulo DEF e a área do
triângulo BCA é
a) 4 d) 3
b) 2 3 e)
2 3
3
c)
4 3
3

621. Ibmec-SP
Uma pipa tem a forma de uma estrela regular de 6
pontas (figura). O triângulo eqüilátero, assinalado com
(1), tem área igual a 25 3 cm
2
.
Calcule:
a) a área total da pipa;
b) a disância d, indicada na figura.
622. UFC-CE
A razão
área H
área K
onde H é hexágono regular ABCDEF
(com vértices nomeados no sentido horário) e K é o
hexágono obtido pela interseção dos triângulos ACE
e BDF, é igual a:
a) 2
b) 2,5
c) 3
d) 3,5
e) 4
623.
Considere no retângulo ABCD, de lados a e b (a > b),
um quadrado PBCQ. Sendo M um ponto qualquer
do lado AD traçando MB e MC, temos os pontos I
e J respectivamente. Mostre que a área do triân-
gulo MIJ é constante para qualquer ponto M do
lado AB.
624. UFTM-MG
A figura indica um triângulo equilátero ABC de lado
unitário. Sabe-se ainda que r, s e t são retas paralelas,
com A e B pertencentes a t, e C pertencente a r.
188
Admitindo-se que s esteja se deslocando de r até t, e
que x seja a distância entre r e s, a área sombreada
na figura, em função de x, será igual a
a) – x
2
+
1 3
2
+
¡
\
]
]
¸
)
]
]
x d) –
1
2
x
2
+ x
b) –
3
2
x
2
+
5
4
x e)
1
2
x
c) –
3
3
x
2
+ x
625. FGV-SP
a) Obtenha a área de um triângulo eqüilátero em
função da medida h da altura.
b) Considere um ponto P situado no interior da região
triangular determinada por um triângulo eqüiláte-
ro com lado de medida m. Sejam h
1
, h
2
e h
3
, as
distâncias de P a cada um dos lados. Mostre que
h
1
+ h
2
+ h
3
é constante para qualquer posição
de P e determine essa constante em função
de m.
626. Fuvest-SP
Na figura, ABCD é um quadrado de 6 cm de lado, M é
o ponto médio do lado DC e A é o ponto médio de PC.
Calcule a área do triângulo MDN.
627. Efei-MG
Um triângulo ABC, em que a medida do ângulo A é de
90°, possui área igual a 30 m
2
e está circunscrito a um
círculo de raio 2 m. Pede-se encontrar:
a) a medida de cada um dos lados do triângulo;
b) a relação existente entre o raio R da circunferên-
cia que circunscreve o triângulo ABC e a altura h
relativa à hipotenusa.
628. Mackenzie-SP
São dados dois lados b e c de um triângulo e a sua
área S =
2
5
b · c. O terceiro lado pode ser expresso
por:
a)
b c bc
2 2
6
5
+ -
b) b c bc
2 2
3
4
+ -
c)
b c bc
2 2
+ +
d) b c bc
2 2
3 + +
e)
b c bc
2 2
1
7
+ -
629. UERJ
No triângulo ABC abaixo, os lados BC, AC e AB me-
dem, respectivamente, a, b e c. As medianas AE e BD
relativas aos lados BC e AC interceptam-se ortogonal-
mente no ponto G.
Conhecidos a e b, determine:
a) o valor de c em função de a e b;
b) a razão entre as áreas dos triângulos ADG e BEG.
630. UFC-CE
Na figura ao lado, ABCD é um trapézio cujas diago-
nais AC e BD se cortam no ponto P. Se as áreas dos
triângulos APB e CPD são iguais, respectivamente, a
16 cm
2
e 9 cm
2
, qual será a área do trapézio?
631.
Num triângulo ABC, AB = 5 cm, AC = 8 cm e
BÂC = 120°. Então:
a) calcule a área do triângulo ABC.
b) calcule o raio da circunferência que tem centro
sobre o lado BC e é tangente aos outros lados do
triângulo.
189
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
632. Ibmec-SP
Dado um triângulo como o da figura, suponha que
os lados AC e BC meçam
1
1
1
1 + ( ) − ( ) sen
e
sen θ θ

respectivamente, em que 0 < θ ≤ 45°.
Se a medida do ângulo AC
´
B é igual ao dobro de θ,
então o maior valor que a área do triângulo ABC pode
assumir é:
a)
1
2
d) 1
b)
3
3
e) 3
c)
3
2
633.
Calcule a área de cada superfície destacada.
634. Mackenzie-SP
Na figura, o raio
OA
da circunferência mede 6 cm.
Adotando-se π = 3, a área da região sombreada, em
cm
2
, é igual a:
a)
9 4 3 −
( )
b) 9 3 −
c) 4 3
d)
9 3
e)
4 9 3 −
( )
635.
Calcule a área da região destacada, sabendo que
as duas circunferências menores têm raios de 3 cm
e 1 cm.
636. Cefet-MG
Na figura abaixo, a relação entre a área hachurada e
a área do círculo maior é de:
a) 1/5 d) 2/5
b) 1/4 e) 1/2
c) 1/3
637. PUC-MG
Na figura ao lado, o círculo tem centro O e seu diâme-
tro mede 10 m; a medida da área do triângulo OAC
é 5,41 m
2
e a medida do ângulo AÔC é 60°. Nessas
condições, pode-se estimar que a medida da área da
região ACB em metros quadrados, é:
(Considere π = 3,14)

a) 7,67 c) 9,02
b) 8,21 d) 9,12
190
638. EFOA-MG
Suponha que uma mancha de óleo sobre a superfície
da água tenha a forma de um disco de raio r (em cm).
Se o raio cresce em função do tempo t (em min), obe-
decendo à relação r(t) = 15t + 0,5, a área ocupada pela
mancha, depois de 2 minutos, em cm
2
, será:
a) 940,25 π d) 930,25 π
b) 420,25 π e) 910,25 π
c) 450,25 π
639. Vunesp
Um salão de festas na forma de um hexágono regular,
com 10 m de lado, tem ao centro uma pista de dança
na forma de um círculo, com 5 m de raio.
A área, em metros quadrados, da região do salão de
festas que não é ocupada pela pista de dança é:
a) 25(30 3 – π)
b) 25(12 3 – π)
c) 25(6 3 – π)
d) 10(30 3 – π)
e) 10(15 3 – π)
640. UFPE
Na figura abaixo, as circunferências têm centros nos
pontos A e B e cada uma delas é tangente a três lados
do retângulo. Sabendo que cada círculo tem área 2,
qual é a área do retângulo?

a) 4
b) 12/π
c) 4π
d) 12-π
e) 3
641. Cefet-MG
Se o comprimento de um círculo é de 4 cm, sua área
mede, em cm
2
:
a) 0,63 c) 25,12
b) 1,27 d) 50,24
642. Fuvest-SP
Um comício político lotou uma praça semicircular de
130 m de raio. Admitindo-se uma ocupação média de 4
pessoas por m
2
, qual é a melhor estimativa do número
de pessoas presentes?
a) Dez mil
b) Cem mil
c) Meio milhão
d) Um milhão
e) Muito mais que um milhão
643. Fameca-SP
Na praia, ao meio-dia, com o sol a pino, um guarda-sol
cobre perfeitamente uma mesa quadrada de 1 metro de
lado. A área de sombra fora da mesa, em m
2
, conforme
mostra a figura, é igual a:
a) π – 1. d) 0,5
b)
¬-2
2
e) 10 – π
c) 2π – 1
644. URCA-RS
Na figura 4 abaixo, a região sombreada S é delimitada
por semi-circunferências. Calcule a área S.
a) 2π
b) 4π
c) 5π
d) π
e)
25
2
¬
645. Ibmec-SP
Considere que os ângulos de todos os cantos da figura
abaixo são retos e que todos os arcos são arcos de
circunferências de raio 2, com centros sobre os pontos
em destaque.
A área da região sombreada é igual a:
a) 4 d) 16π
b) 4π e) 64
c) 16
646. UEMS
Ana tem 120 metros de tela e quer usá-la toda na
construção de um cercado para fazer uma horta. Ela
está indecisa quanto a forma, pois quer obter a maior
área útil possível. Vamos ajudá-la!
Use 3 = 1,73; 6 = 2,44 e π = 3,14
a) Ela deve construir com a forma de um triângulo
eqüilátero.
b) Para obter o que deseja, a forma é de um quadra-
do.
c) A construção deve ter a forma de um triângulo
retângulo de lados 50, 40 e 30 metros.
d) Para ter o que quer, o cercado deve ter a forma de
um triângulo isósceles de 20 metros de base.
e) Cercado deverá ter o formato de uma circunferên-
cia.
191
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
647. Ibmec-SP
Na figura a seguir, as circunferências de centros C
1
, C
2

e C
3
e raios de medidas R, 2R e 3R, respectivamente,
são tangentes duas a duas. Sejam P, Q e T os pontos
de tangência, conforme indicado abaixo.
a) Calcule, em função de R, a área do triângulo
C
1
C
2
C
3
.
b) Calcule, em função de R, a área do triângulo
PQT.
648. UFPE
Em um estádio olímpico, ilustrado abaixo, existem um
campo de futebol e uma pista de corrida, com bordas
cujos trechos curvos são semicircunferências centra-
das nos pontos médios dos lados menores do campo.
As medidas do campo são 100 e 60 metros, e a largura
da pista é de 10 m. Usando a aproximação π = 3,14,
calcule a área da pista, em metros quadrados.
649. UFPE
A figura abaixo ilustra um hexágono regular de lado 10
e a circunferência inscrita ao hexágono. Qual o inteiro
mais próximo da área da região hachurada?
Dados: use as aproximações 3 = 1,73 e π = 3,14.
650. Mackenzie-SP
Quatro círculos de raio unitário, cujos centros são
vértices de um quadrado, são tangentes exteriormente
dois a dois. A área da parte hachurada é:
a) 2 3 – π
b) 3 2 – π
c)
¬
2
d) 4 – π
e) 5 – π
651. UFAM
Um setor circular de raio 5 cm tem arco de comprimento
8 cm. Então a sua área é:
a) 30 cm
2
b) 80 cm
2
c) 40 cm
2
d) 20 cm
2
e) 10 cm
2
652. FGV-SP
Em uma cidade do interior, a praça principal, em
forma de um setor circular de 180 metros de raio e
200 metros de comprimento do arco, ficou lotada no
comício político de um candidato a prefeito.
Admitindo uma ocupação média de 4 pessoas por
metro quadrado, a melhor estimativa do número de
pessoas presentes ao comício é:
a) 70 mil
b) 30 mil
c) 100 mil
d) 90 mil
e) 40 mil
653. Ufla-MG
Uma das faces de uma medalha circular tem o desenho
ao lado. A região hachurada é de ouro e a não-hachu-
rada é de prata. Sabendo que os contornos das áreas
hachuradas são semicírculos, quanto valem as áreas
das superfícies de ouro e de prata, respectivamente,
em cm
2
?
192
654. Mackenzie-SP
Na figura, ABCD é um paralelogramo cujo lado BC é
tangente, no ponto B, à circunferência de diâmetro
AD = 6. A área da região assinalada é:
a) 11
b) 12
c) 9
d) 8
e) 10
655. Mackenzie-SP
Na figura, um octógono regular e um quadrado estão
inscritos na circunferência de raio
r 2
. A área da
região sombreada é:
a)
4 2 1 −
( )
d)
8 2
7
b)
2
2
1 + e)
2 11
8
+
c)
4 2 1
5
+
( )
656. Mackenzie-SP
O triângulo ABC é eqüilátero e o círculo de centro O
tem raio
AD
4
. Se a área do círculo é 3π, a área do
triângulo é:
a) 12π d) 9π
b) 16 3 e) 20 3
c) 8 2
657. FGV-SP
O ponto D é o centro de uma circunferência de 26 cm
de diâmetro. O triângulo ABC inscrito nesta circunfe-
rência possui base BC = 10 cm e é isósceles. A área
destacada do círculo é igual a:
a) (169π – 125) cm
2
b) (44π) cm
2
c) (149π – 75) cm
2
d) (130π – 125) cm
2
e) (26π – 25) cm
2
658. UFRN
A figura abaixo é composta por 16 circunferências ins-
critas em 16 quadrados, cujos lados medem 2 cm de
comprimento. Os segmentos de retas que cortam as
circunferências são paralelos e a distância entre dois
segmentos vizinhos quaisquer é sempre a mesma.
A área sombreada da figura mede:
a) 6π cm
2
b) 8π cm
2
c) 9π cm
2
d) 11π cm
2

659. UFSCar-SP
Sobre um assoalho com 8 tábuas retangulares idênti-
cas, cada uma com 10 cm de largura; inscreve-se uma
circunferência, como mostra a figura.
Admitindo que as tábuas estejam perfeitamente en-
costadas umas nas outras, a área do retângulo ABCD
inscrito na circunferência, em cm
2
, é igual a:
a) 800 2
b) 800 3
c) 1.600 3
d) 1.400 2
e) 1.200 3
660. UFTM-MG
Na figura, J, B, D, E, G e I são pontos de tangência de
duas circunferências de raio r em relação aos lados
do retângulo ACFH:
193
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
Sabendo-se que a distância entre os centros das
circunferências é r, a razão entre a área da parte som-
breada da figura e a área do retângulo ACFH é
a)
¬-2
8
d)
4
24

b)
2 1
12
¬-
e)
¬-3
12
c)
¬-2
24
661. UFSCar-SP
Para fins beneficentes, foi organizado um desfile
de modas num salão em forma de círculo com 20
metros de raio. A passarela foi montada de acordo
com a figura, sendo que as passarelas CA e CB são
lados que correspondem a um triângulo equilátero
inscrito na circunferência. No espaço sombreado,
ocupado pela platéia, foram colocadas cadeiras,
sendo uma cadeira por m
2
e um ingresso para
cada cadeira.
Adote 3 = 1,73 e π = 3,14
a) Determine quantos metros cada modelo desfilou
seguindo uma única vez o roteiro BC, CA, AO e
OB.
b) Sabendo-se que todas as cadeiras foram ocupa-
das, calcule quantos ingressos foram vendidos
para esse evento.
662. Fuvest-SP
Na figura a seguir, o triângulo ABC inscrito na circun-
ferência tem AB = AC. O ângulo entre o lado AB e a
altura do triângulo ABC em relação a BC é α. Nestas
condições, o quociente entre a área do triângulo ABC
e a área do círculo da figura é dado, em função de α,
pela expressão:
a)
2
2
π
α cos
b)
2
2
2
π
α sen
c)
2
2
2
π
α α sen ⋅ cos
d)
2
2
π
α α sen ⋅ cos
e)
2
2
2
π
α α sen ⋅ cos
663. FURG-RS
Na figura abaixo está sombreada a região compreen-
dida entre o segmento OP, a circunferência de raio 1,
centreada na origem , e o quadrado circunscrito a essa
circunferência. Os lados do quadrado são paralelos aos
eixos OX e OY. Considere que o segmento OP forma
um ângulo θ com o eixo OX. Quando 0 ± θ ±
¬
4
a área
A (θ) está representada na figura a seguir.
A área A(θ) da região sombreada em função do ângulo
θ é dada por
a) A(θ) =
tg 0
2

0
2
b) A(θ) = 1 –
0
2
c) A(θ) =
tg 0
2
– θ
d) A(θ) =
2
1
2
0
¬
0
-
¡
\
]
¸
)
]
e) A(θ) = θ (4 – π)
194
664. UECE
Na figura as três circunferências são tangentes no pon-
to P e seus raios são expressos, em cm, por números
naturais consecutivos. Se a medida da área limitada
pela circunferência menor for igual à medida da área
compreendida entre a circunferência intermediária e
a maior então a soma dos diâmetros das três circun-
ferências é igual a:
a) 36 cm c) 24 cm
b) 30 cm d) 18 cm
665. UFMS
Na figura abaixo, as circunferências C
1
e C
2
são
tangentes. Sabendo que a distância entre os centros
delas é igual a 1 cm e que a área da região destacada
é igual a cinqüenta por cento da área da circunferência
C
2
, então os raios de C
1
e C
2
são dados, respectiva-
mente, por:
a) (1 + 2) cm e (2 + 2) cm
b) (1 – 2) cm e (2 – 2) cm
c) (3 + 8) cm e (4 + 8) cm
d) (1 + 2 2) cm e (2 + 2 2) cm
e) (2 + 2) cm e (3 + 2) cm
666. UFPE
Na figura abaixo, o ângulo BAC mede 60° e AB = AC.
Se a circunferência tem raio 6, qual o inteiro mais
próximo da área da região destacada?
Dados: use as aproximações: π ≅ 3,14 3 = 1,73
667. Vunesp
A figura mostra um sistema rotativo de irrigação
sobre uma região plana, que gira em torno de um
eixo vertical perpendicular à região. Se denotarmos
a medida em radianos do ângulo AÔB por θ, a área
irrigada, representada pela parte azul do setor cir-
cular, será uma função A, que dependerá do valor
de θ, com 0 ± θ ± 2π.
Se OA = 1 m e AC = 3 m, determine:
a) a expressão matemática para a função A(θ);
b) o valor de θ, em graus, se a área irrigada for de 8 m
2
.
Para facilitar os cálculos, use a aproximação π = 3.
668. Unifesp
Na figura, são exibidas sete circunferências. As seis
exteriores, cujos centros são vértices de um hexágono
regular de lado 2, são tangentes à interna. Além disso,
cada circunferência externa é também tangente às
outras duas que lhe são contíguas.
Nestas condições, calcule:
a) a área da região sombreada, apresentada em
destaque à direita;
b) o perímetro da figura que delimita a região som-
breada.
669.
Calcule a área da coroa circular limitada pelas circun-
ferências inscrita e circunscrita a um pentágono regular
de perímetro 30 cm.
670. Unirio-RJ
Um campo de atletismo está representado na figura
abaixo:
195
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
Em todo o contorno do campo, há uma pista para
corrida com 400 metros de extensão.
a) Expresse a área da parte retangular do campo em
função de r.
b) Quais os valores de x e de r que dão à parte re-
tangular a maior área possível?
671. Ufla-MG
Sobre a figura abaixo, calcule:
a) a área do setor circular ABC;
b) a área do círculo inscrito.
672. UPE
Na figura abaixo, ABC é um triângulo eqüilátero inscrito
em um círculo de centro O e raio igual a 6 cm. Sabendo
que AH é a altura do triângulo e D é o ponto médio
do arco ADC, pode-se afirmar que, em cm
2
, a área da
região hachurada é
a)
3
2
(9 3 + 2π)
b)
3
2
(4 3 + 9π)
c)
3
2
(9 3 +4π)
d)
2
3
(9 3 + 2π)
e)
2
3
(2 3 + 9π)
673. ESPM-SP
A figura abaixo representa uma marca onde os arcos
têm centros nos vértices do quadrado de lado igual a
10 cm. Se as partes clara e escura devem ter a mesma
área, a medida do raio de cada arco deve ser:
Considere 2¬ = 2,5
a) 4,50 cm;
b) 4,40 cm;
c) 4,25 cm;
d) 4,15 cm;
e) 4,00 cm.
674. Unicentro-PR
Qual é a área da região hachurada na figura a seguir,
sabendo-se que o raio da circunferência maior é r?
a) r
2

¬
4
1
2
-
¡
\
]
¸
)
] d) r
2

¬
2
1 -
¡
\
]
¸
)
]
b) r
2

¬
8
1
4
-
¡
\
]
¸
)
] e) r
2

¬- ¡
\
]
¸
)
]
1
2
c) r
2

¬
4
1 -
¡
\
]
¸
)
]
675. Cefet-MG
Na figura, o quadrado ABCD tem área igual a 256 cm
2
.
Sabendo-se que A, B, C, D e E são pontos comuns
entre o quadrado e o círculo, o valor aproximado da
área desse círculo, em cm
2
, é de:
a) 314
b) 322
c) 342
d) 414
676. Fuvest-SP
Na figura abaixo, cada uma das quatro circunferências
externas tem mesmo raio e cada uma delas é tangente
a outras duas e à circunferência interna C.
196
Se o raio de C é igual a 2, determine:
a) o valor de r;
b) a área da região destacada.
677. Mackenzie-SP
Se, na figura, o lado do triângulo eqüilátero ABC mede
6 cm, então a área da região sombreada, em cm
2
, é
igual a:
a) 4π 3
b) 4π
c) 3π
d) 2π 3
e)
5 3
2
π
678. UFPE
Na figura abaixo, o triângulo ABC é equilátero de lado
12, os arcos DE, EF, FD estão contidos em circunfe-
rências de raio 6, e a circunferência de menor raio é
tangente aos três arcos. Qual o inteiro mais próximo
da área da região hachurada? Dados: use as aproxi-
mações π = 3,14 e 3 = 1,73.
679. Vunesp
Considere uma circunferência de raio r = 12 e o he-
xágono regular nela inscrito. Tomando como diâmetro
cada um dos lados do hexágono, considere agora as
seis semicircunferências sobre esses lados, conforme
a figura abaixo. Calcular, então, a área da região ex-
terior à circunferência de raio r e interior a cada uma
das semicircunferências.
680. Ibmec-SP
Considere uma circunferência de raio r inscrita num
trapézio isósceles, conforme figura abaixo.
Suponha que as medidas dos segmentos AB e BC são
respectivamente iguais a 18 e 32. Para seus cálculos,
utilize nesta questão π =
25
8
.
a) Determine o perímetro do trapézio ABCD.
b) Determine o raio r da circunferência.
c) Determine a área da região sombreada na figu-
ra.
681. UFRJ
Um setor circular de ângulo θ e raio 1 foi dividido
em três setores de mesmo ângulo. Cada um desses
setores foi dividido em duas regiões por um arco de
círculo concêntrico com o setor e de raio r, como
ilustrado na figura.
Se A
1
é a soma das áreas das regiões sombreadas
e A
2
é a soma das áreas das regiões claras, deter-
mine o valor de r que torna verdadeira a igualdade
A
1
= A
2
.
682. Unicamp-SP
Uma quadra de um loteamento tem a forma de um
paralelogramo com ângulos internos de 60° e 120°.
Com a finalidade de facilitar o tráfego nas duas esqui-
nas que possuem ângulos de 60°, foram construídos,
tangenciando os lados, arcos de circunferências de
10 m de raio para eliminar os cantos correspondentes
a esses ângulos. Calcule a área eliminada.
197
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
683. Unicamp-SP
No canto A de uma casa de forma quadrada ABCD,
de 4 metros de lado, prende-se uma corda flexível e
inextensível, em cuja extremidadade livre é amarrada
uma pequena estaca que serve para riscar o chão, o
qual se supõe que seja plano. A corda tem 6 metros
de comprimento, do ponto em que está presa até sua
extremidade livre. Mantendo-se a corda sempre estica-
da de tal forma que inicialmente sua extremidade livre
esteja encostada à parede BC, risca-se um contorno
no chão, em volta da casa, até que a extremidade livre
toque a parede CD.
a) Faça uma figura ilustrativa da situação descrita.
b) Calcule a área da região exterior à casa, delimitada
pelo traçado da estaca.
684. UFRGS-RS
Na figura abaixo, os círculos que se interceptam são
tangentes, e as duas retas são tangentes a todos os
círculos. Sabendo que a área do disco menor é 6 m
2

e a do maior é 24m
2
, conclui-se que a área do outro
disco é:
a) 8 m
2
b) 10 m
2
c) 11 m
2
d) 12 m
2
e) 15 m
2
685. ITA-SP
Duas circunferências concêntricas C
1
e C
2
têm raios de
6 cm e 6 2 cm, respectivamente. Seja AB uma corda
de C
2
, tangente à C
1
. A área da menor região delimita-
da pela corda AB e pelo arco AB
¯
mede, em cm
2
:
a) 9(π – 3)
b) 18(π + 3)
c) 18(π – 2)
d) 18(π + 2)
e) 16(π + 3)
686. UFIt-MG
Dentre os setores circulares de perímetro dado 1,
determine o que tem maior área.
687.
A figura abaixo mostra dois triângulos semelhantes. Se
a área do menor é 80 cm
2
, qual é a área do maior?
688.
Na figura seguinte, Â é reto, AB = 6 e AC = 8. Qual a
área do ∆ABN?
689. Fuvest-SP
Num triângulo retângulo T os catetos medem 10 m e
20 m. A altura relativa à hipotenusa divide T em dois
triângulos, cujas áreas, em m
2
, são:
a) 10 e 90 d) 36 e 64
b) 20 e 80 e) 50 e 50
c) 25 e 75
690. UFMG
Na figura, os ângulos AB
`
C, AC
´
D e CÊD são retos. Se
AB = 2 3m e CE = 3 m, a razão entre as áreas dos
triângulos ABC e CDE é:
a) 6
b) 4
c) 3
d) 2
e) 3
691.
ABCD é um jardim de 80 m
2
. Ele foi ampliado, e
agora tem a forma AEFG semelhante à anterior. Se
AB = 12 m e BE = 3 m, calcule a área do novo jardim.
692.
Em um restaurante, uma pizza com 20 cm de diâmetro
custa R$ 3,60. Quanto você espera pagar por uma
outra, do mesmo sabor, com 30 cm de diâmetro?
693. UFPI
Um quadrado ABCD de centro O e diagonais AC e
BD, possui lado igual a 8 cm. Sejam P e Q os pontos
médios dos segmentos AO e BO, respectivamente.
Então, a área do triângulo OPQ é
a) 4 cm
2
d) 7 cm
2

b) 5 cm
2
e) 8 cm
2

c) 6 cm
2

198
694. UFES
Na figura, o segmento BE mede 1 u.c. e as áreas dos
triângulos ABE e CDE são, respectivamente, iguais
a 4 u.a. e 12 u.a. Nessas condições, o segmento EC
mede, em u.c.:
a)
3
2
d) 3
b)
3
e) 4
c) 2
695. FGV-SP
Observe as figuras seguintes. A figura 1 foi ampliada
para a figura 2 e esta também foi ampliada para a
figura 3.
O fator de ampliação da figura 2 para a figura 3 é:
a d
b e
c
) )
) )
)
7
4
5
4
3
2
7
6
4
3
696. Unimep-SP
Pretende-se dividir o triângulo ABC da figura a seguir,
retângulo em B, através do segmento DE, de modo
que o triângulo ABC fique dividido em duas regiões de
mesma área. Quanto mede o segmento AD, sabendo-
se que AB = 3 cm e BC = 4 cm?
a) 2 cm d) 2,5 cm
b) 2 2 cm e)
3 2
2
cm
c) 2 cm
697. Unisul-SC
Um triângulo ABC, M é ponto médio de AC e N é ponto
médio de BC. A razão entre a área do triângulo MNC
e do quadrilátero ABNM será:
a)
2
3

b)
1
2

c)
1
4
d)
2
5
e)
1
3
698.
O triângulo abaixo foi dividido em duas partes por
meio de uma reta paralela a sua base. Sabendo que
a área do triângulo grande é igual a 252, calcule a
área do trapézio.
699. UCS-RS
Uma placa com a forma de triângulo isósceles, posi-
cionada conforme a figura, será pintada de vermelho
até a metade de sua altura e de azul, da metade para
cima. Se a espessura da camada de tinta for constante
e igual nas duas partes, para cada parte de tinta azul
utilizada, serão necessárias ______ partes de tinta
vermelha.
Assinale a alternativa que preenche corretamente a
lacuna do texto acima.
a) 4 d) 2
b) 3,5 e) 2,5
c) 3
700. Fuvest-SP
Num triângulo ABC, sejam P e Q pontos sobre BA e
BC, respectivamente, de modo que a reta PQ seja
paralela à reta AC e a área do trapézio APQC seja o
triplo da área do triângulo PQB.
a) Qual a razão entre as áreas dos triângulos ABC e
PQB?
b) Determine a razão AB/PB
199
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
701. Fuvest-SP
Na figura, ABC é um triângulo retângulo de catetos
AB = 4 e AC = 5. O segmento DE é paralelo a AB,
F é um ponto de AB e o segmento CF intercepta DE
no ponto G, com CG = 4 e GF = 2. Assim, a área do
triângulo CDE é:
a) 16/3
b) 35/6
c) 39/8
d) 40/9
e) 70/9
702.
Determine a razão entre as áreas dos círculos circuns-
crito e inscrito em um quadrado de lado a.
703.
Considere P o baricentro do triângulo eqüilátero ABC.
Se a área do triângulo eqüilátero PQR vale 576 cm
2
,
determine a área do triângulo PDC.
704.
Na figura, a seguir, ABCD é um quadrado e MNPQ é
um retângulo. Os pontos M e P são os pontos médios
dos lados AD e BC, respectivamente.
A razão
área MNPQ
área ABCD
é igual a:
a d
b e
c
) )
) )
)
1
4
1
2
1
3
4
5
2
5
705.
Os lados de dois heptágonos regulares medem 8 m e
15 m. Quanto deve medir o lado de um terceiro hep-
tágono, também regular, para que sua área seja igual
à soma das áreas dos dois primeiros?
706.
A que distância do vértice A de um triângulo ABC, de
altura, relativa a BC, igual a h, devemos conduzir uma
reta paralela a BC, para que a área do trapázio obtido
seja igual a 3 vezes a área do triângulo obtido?
707.
A que distância da base, de um triângulo de altura,
relativa a essa base, igual a h, devemos conduzir uma
reta paralela a essa base para que o triângulo fique
dividido em partes de áreas iguais?
200
01. a) 20° c) 25°
b) 25° d) 15°
02. 120°
03. x = 40°, y = 20°, z = 80°
04. x = 10°, y = 20°
05. 35° 20’
06. 91° 42’
07. D
08. a)
90
2
° − x
b) 90° – 3x
c) 180° –
x
4
d)
1
3
180
2
⋅ ° −
j
(
,
\
,
(
x
e)
180 90
4
° − ° −
j
(
,
\
,
(
x
09. 20° 10. 30°
11. 30° 12. 70°
13. 40° e 140°
14. a) 40°
b) 50°
15. A 16. B 17. 30°
18. E 19. 120° 20. 30°
21. A 22. C
23. Demonstração:

Então 2x + 2y = 180°

O ângulo entre as bissetrizes
mede:

x y
x y
+
+

°
°
2 2
2
180
2
90
24. O dobro do complemento de um
ângulo excede a quarta parte
do complemento desse mesmo
ângulo em 115°.
25. 64° ou 144°
26. V, V, V, V, V
27. D
28. a) 50°
b) 60°
29. C 30. B 31. B
32. E 33. E 34. A
35. 40° 36. C
37. 95° 38. C 39. A
40. 60° 41. D 42. 90°
43. 30° 44. 100°
45.
90° – a = 90° – d ∴ a = d
46. 90°
47. 1/5 · 1.930 = 386 km
2


A A
R
km
café cana
+



π
2 2
2
2
3 1 15
2
348 7
,
,
Como 348,7 km
2
< 386 km
2
, o
estatuto está sendo cumprido.
48. 105°
49.

Sejam 2x e 2y os ângulos co-
laterais internos e α o ângulo
formado por suas bissetrizes.
Mostremos que α é igual a 90°:

a = x + y =
2 2
2
180
2
90
x y +

°
°
50. Os catetos são paralelos, pois
apresentam alternos internos
congruentes.
51. D 52. D
53. a) 50°
b) 110°
c) 50°
54. A 55. A 56. B
57. C 58. 10° 59. B
60. B
61. a) 180°
b) 360°
62. a) 540°
b) 360°
c) 360°
63. B
64. São congruentes.
65. B
66. x = 2m
67. B 68. D 69. B
70. 36° 71. D 72. B
73. 900° 74. C
75. 90° 76. 20°
77. 21° 78. 100°
79. a) DCB = 36° e ADC = 108°
b) BC = CD (I)
∆ADC é isósceles de base
AC ⇒ AD = CD. (II)
80. E
81. Â = 40°
82. C 83. 4
84. 3 85. A = 12, E = 24
86. D 87. F, V, F
88. 6 cm 89. D
90. 130° 91. C
92. D 93. C
94. 04 95. 180° – a
96. C
´
= α
97. Pelo jacarandá, imaginamos
uma reta r perpendicular à
reta determinada pelo jatobá
e pela sibipiruna. Pelo jatobá,
imaginamos uma reta s perpen-
dicular à reta determinada pelo
jacarandá e pela sibipiruna. O
tesouro estará no encontro das
retas r e s.
98. B 99. D 100.
3
8

Matemática 2 – Gabarito
201
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
101. V, V, V, F
102. 01. V, 02. V, 04. V, 08. F
103. A
104. 192 cm
2
105.
x 2 5
106. 17 cm
2
107. a) V e) F
b) V f) F
c) V g) F
d) V
108. D
109. a) ∆ eqüilátero
b) ∆ eqüilátero
c) ∆ retângulo
d) ∆ obtusângulo
e) ∆ retângulo
f) ∆ acutângulo
110. S S S S
S S S S
S S S
1 1
2 2
3 3
120
360
1
3
115
360
23
72
125
360
25

°
°

°
°

°
°

772
S
111. Â = 80°, B e C
` ´
° ° 60 40
112. 46 cm
113. Â = 65°
B
`
= 60°
C
´
= 55°
114. D
115.

O poste deve localizar-se no
circuncentro do triângulo for-
mado pelas casas, ou seja, no
cruzamento das mediatrizes.
116. Pensar nas casas como sendo
três pontos e construir o cir-
cuncentro do triângulo forma-
do. Justificativa: circuncentro
eqüidista dos vértices de um
triângulo.
117. A estátua deve ficar no incen-
tro, ponto de encontro das bis-
setrizes internas do triângulo
determinado pela praça.
118. Incentro do triângulo, pois
eqüidista dos lados do triân-
gulo.
119. a) 4 cm b) 8 cm
120. Respectivamente, 3 cm e 6 cm.
121. E 122. A 123. 80°
124. x x ° − ° + ⇒ °+ 180 90
2
90
2
α α
125. 65° 126. 40°
127. 6 cm 128. D 129. D
130. D 131. 44°
132.
T T LAL T T ALA
T T LAL T T LLL
T T LA
1 8 4
2 6
3
≡ ( ) ≡
≡ ≡




11
7 10
5
( )
( ) ( )
( L L T LAA ) ( )
9 0
≡ T
12
133. a) LAL e) LAA
0
b) LLL f) ALA ou LAL
c) LAA
0
g) HC
d) LAA
0
134. D
135. x = 15, y = 8, α = 20°
136. E 137. 500 km
138.
Hipótese
α β
γ δ

¦
¦
¦
¦
¦

AC é comum
Pelo caso
ALA
os triângulos
ABC e ADC são congruentes.
139.
Demonstração
BC CE C é ponto médio
ACB ECD OPV
B E Dado AB


≡ ° ⇒



( )
( )
( )
´ ´
` `
90 ∆ CC DEC ALA ≡ ∆ ( )
140. Tese: A C
´ ´

¦

AD CD hip
e
AB BC hip
BD BD comum
A C cqd
≅ ( )
≅ ( )
≅ ( )
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦





.
.
´ ´
Demonstração:
∆ABD ≅ ∆CBD (LLL)

AD CD hip
e
AB BC hip
BD BD comum
A C cqd
≅ ( )
≅ ( )
≅ ( )
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦





.
.
´ ´
141. a)

Nos triângulos BFC e EFC
BC CE
BCF FCE
FC
≡ ( )
°
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦

∆ eqüilátero
é comum
Pelo caso
´ ´
60
LLAL
∆BCF ≡ ∆EFC
b)
A cm
BFC ∆

5 5 3
2
25 3
2
2
142.

Hipótese Tese:

AB AC
BM MC
AM é comum

¦
¦
¦
¦
¦
BÂM = CÂM
Pelo caso LLL, os triângulos
AMB e AMC são congruen-
tes.
Logo, BÂM = CÂM
143.

Hipótese OM
Tese
POC
PÔC PÔD
P
PCO PDO 90
PC PD


≡ °
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦
≡ ¦
¸ , ¸¸¸
´ ´
∆ ≡≡ ( )
− ≡
− ≡
− ≡
∆POD casoLAA
0
L PO PO (comum)
A POC POD(hip.)
A PCO PD
0
´ ´
´ ´
OO(hip.)
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦

≡ PC PD
cqd
202
144.

Nos triângulos AMO e BMO,
temos:

OA OB R
AMO BMO
OM é comum
Pelo caso
HC
AMO BMO
Log

°
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦


´ ´
90
∆ ∆
oo AM BM , ≅
145.

OAP OBP
OA OB Raio
OP é comum
´ `
°

¦
¦
¦
¦
¦

90
Pelo caso
⇒ ≡ ∆ ∆ OAP OBP
HC
∴ PA = PB
146.
Pelo caso LAL, os triângulos
PAD e PCB são congruentes.
147. a) Três elementos correspon-
dentes congruentes.
b) Não, pois LLA não caracte-
riza um caso de congruên-
cia.
148.
OA OC Pelo caso
AOC é comum AOD COB
OD OB LAL

¦
¦
¦
¦
¦


´
∆ ∆
∴ OB
`
C = OD
´
A
AB CD Pelo caso
ABP CDP ABP CDP
BPA DPC LAA
O

¦
¦
¦
¦
¦
` ´
` `
∆ ∆
∴ AP = CP
OA OC
AP CP
OP é mediatriz de AC

¦
¦
¦

¸ , ¸¸
149.

Hipótese
ABC é isósceles ⇒ B
`
= C
´


BN
mediana
mediana
CM
N ponto médio
M ponto médio
AM
¦
¦
¦
¦
¦
⇒ ⇒

BM
CN AN
Nos triângulos MBC e NCB

BM CN
B C
BC é comum

¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦

` ´
Pelo caso
LAL
∆ ∆ MBC NCB ≅
Logo CM BN ≡
150.

AB AC Pelo Caso
ABP ACQ ABP ACQ
BP CQ LAL

¦
¦
¦
¦
¦
` ´
∆ ∆

¦
¦
¦
¦
¦
⇒ ≡
AP AQ
APB AQC
APQ é isósceles
` ´

151.
Hip.
ABC é isósceles de base BC
BS e CS sãobissetrizes.
Tese
1 2

¦
¦
¦
¦
¦
BSS1
2
1 2
2 2

¦

j
(
,
,
\
,
(
(

BS
Demonstração:
ABS ACS
B C
AB AC
A é com
` ´
` ´
´
uum
ABS ACS
BS CS cqd
ALA
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦
⇒ ≡
∴ ≡
∆ ∆
1 2
1
2
( )
152. B
153.
Nos triângulos AMB e CMD temos:
AB CD Pelo caso
MAB MCD
AM


(paralelogramo)
(alternos internos)
´ ´
´´ ´
B CMD OP V LAA ( . . .)
0
∆ ∆ AMB CMD ≅
Logo, AM CM ≡ e M é ponto
médio.
203
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
154.
Hipótese
reta r passa por M (genérica)
M é ponto médio de AB
¦¦
¦
¦
¦
¦
¦


Tese
Demonstração:
AM MB M é ponto médio
A P B
d d
M M
1 2.
( )
´ ´
QQ(OPV
A M B M
AMP BMQ LAA
)
( )
( )
P Q
d d cqd
` ´
≡ °
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦

⇒ ≡

90
0
1 2
∆ ∆
155.
Nos triângulos BPC e CQD temos:
BP QC
PC QD
BPC CQD
Pelo caso
LAL


°
¦
¦
¦
¦
¦
¦
¦

2
90
/
/
` ´
∆BPC ≅ ∆CQD
Logo, P C = D Q = a e BC B C CD
` ´

Como a + b = 90°, então ABCD é
quadrado.
156. 63° 157. B 158. B
159. 75°, 90°, 90° e 105°
160. C 161. E
162. 160 cm 163. D
164. 34 cm 165. C 166. A
167. 50°, 65° e 65°
168. 72°, 72°, 108° e 108°
169. A 170. E 171. C
172. 4 cm 173. E 174. A
175. 120° 176. 108°
177. 72° 178. E
179. 150°
180.
a
b
)
)
60
3
3
°
181.
a) O quadrilátero hachurado é um
paralelogramo.
b) 20 cm
2
182. a) 35°
b) 10°
183. a) 50°
b) 50°
184. A 185. E 186. A
187. C 188. x = 35°, y = 20°
189. 37°
190. I é ortocentro do ∆ABC.
191. a) O ângulo BC
´
A tem extre-
midade no diâmetro
AB
da
circunferêcia.
∴ BC
´
A =
180
2
º
= 90°
b) 3 cm
192. 50° 193. 50° 194. 45°
195. Respectivamente, 80° e 20°.
196. 72° 197. D 198. D
199. 40° 200. 60° 201. D
202. B 203. 80° 204. D
205. B 206. 30°
207. Sejam: AB
`
P = x e AO
´
P = y.
Queremos provar que y = 3x.
Então:

1. ∆BOC é isósceles. Temos C
O
´
B = CB
`
O = x
2. AO
´
P = Y é ângulo central.
Temos AP
¯
= y
3. CO
´
B = x é ângulo central.
Temos CD
¯
= x
4. CB
`
D = é ângulo externo.
Temos x =
y x -
2
Logo, 2x = y – x e y = 3x.
208. 19° 209. B 210. A
211. E 212. C
213. 18 cm e 10 cm
214. 18 cm e 12 cm
215. Existem três circunferências
de raio R tangentes às duas
circunferências dadas.
216. B 217. 8 cm e 3 cm
218. 5 cm 219. 1 cm
220. a) O ponto P, pois ele pertence
à circunferência.
b) Os pontos de AP exceto
A e P, pois são os pontos
internos à circunferência.
c) Os pontos de AP
¸ , ¸¸
que não
pertencem a AP, pois são
os pontos externos à cir-
cunferência.
221. A 222. A
223. a)
PQ dm e sen BPQ
( )
4 3
13
13

b) α ° 90 120 e n voltas
224. a) 4 retas
b) 2 cm
c) 3 circunferências
225. E 226. 4 cm e 8 cm
227. 6 cm
228. C
229. 88 cm
230. a) d = 27
S
i
= 1.260°
b) d = 54
S
i
= 1.800°
c) d = 65
S
i
= 1.980°
231. Icoságono
232.
5 5 3
2
8 8 3
2
5 2
8 5
1
4
- ( )
- ( )
= =
·
·
233. Eneágono
234. Octágono e undecágono
235. Eneágono e dodecágono
236. 7 237. D
238. B 239. 1.620°
240. 5 241. Οctágono
242. 180° 243. 54° 244.
17
2
245. Octágono e decágono
246. Pentágono, heptágono e ene-
ágono
247. 220°
248. Hexágono e dodecágono
249. Quadrilátero, pentágono e
hexágono
250. 1.800°
251. Pentágono ou octágono
252. B 253. 540° 254. 5
255. a) 30° c) 54
b) 150° d) 60°
256. a) 5
b) 5
c) 108°
257. 9 258. D 259. E
260. C 261. D 262. D
263. Pentadecágono regular
264. O triângulo regular (eqüilátero)
não possui diagonais.
265. C 266. D 267. A
204
268. 12 269. 35 270. B
271. 156° 272. 170 273. C
274. 9° 275. C
276.
180 720 180 4 º - º
= =
º - ( ) n
n
x
n
n
277. a)
Provar:
1 1 1 1
2 a b c
+ + = ou

bc ac ab
abc
+ +
=
1
2
a
1
+ a
2
+ a
3
= 360°, em que
a
1
é o ângulo interno do
polígono de a lados, a
2
é o
ângulo interno do polígono
de b lados e a
3
é o ângulo
interno do polígono de c
lados.
Então: a
1
+ a
2
+ a
3
= 360°
bc (a – 2) + ac (b – 2) + ab (c – 2) =
= 2 abc
abc = 2 (ab + ac + bc)

ab ac bc
abc
+ +
=
1
2
b) 4
278. D
279.
360º
a
i
deve ser inteiro:

360 360
2 180
360
2 180
2
2
º
=
º
- ( ) º
=
º
- ( ) º
=
- a n
n
n
n
n
n
i
· ·

360 360
2 180
360
2 180
2
2
º
=
º
- ( ) º
=
º
- ( ) º
=
- a n
n
n
n
n
n
i
· ·
que deve ser inteiro.
280. 12°
281. a) 3 c) 15
b) 12 d) 6
282. a)
4
6 5
10
3

x
x
b)
2 3
5 1
4
7
20 4 14 21
25
6
x
x
x x
x
+

⇒ − + ⇒


c)
3
2
5 10
3
3
5 6
18
5


x
x
y
y
283. C 284. A
285.
x y z
x m y m z m
40 30 20
120
90
160
3
40
80
3


286.
AB B C C D
AB cm
B C cm
C D cm
' ' ' ' '
' ,
' ' ,
' ' ,
2 3 5
13
10
2 6
3 9
6 5

¦
¦
¦
¦



¦¦
AB cm B C cm e C D cm ' , , ' ' , ' ' , 2 6 3 9 6 5
287. 15 cm, 18 cm e 27 cm
288. C 289. 12 cm
290. a) 4
b) 15
c)
4 3
5
20
3 x
x ⇒
291.
x y
x y
x
y
x y
x y
x
x y
x
15 12
9
5
4
9
5 4
5
9
9 9

+
¦
¦
¦
¦
¦


+
¦
¦
¦
¦
¦

+

+
+
¦
¦
¦
¦
¦

55
5 4 ⇒ x e y
292. 24 cm, 36 cm e 40 cm
293. 20 cm ou 15 cm
294. A 295. B
296. 5 u.c. 297.
10
9
10
9 3
10
3
⇒ ⇒
x
a
x
x
298. D 299.
m
AD
a
AD
m
a
AD
AE
m
a
m
a


2
8
4
4
5
4
5



300.
5
3 4
3 20 4
20
7

⇒ − ⇒
x x
x x x cm
301. 3
302.
11
30
303.
8
7 2
16
7
5
8
5
8
16
7
10
7
5 2 5 2
10
7
5
20
7
15
7

⇒ ⇒
∴ − − ⋅ −

b
b
a
b
a
a
x a
x cm
304. Traçar MD BM
1 2
//
Pelo teorema de Tales, te-
mos:

CM
MB
CD
DM
1
1 2

Como CM
1
= M
1
B, concluímos
que: CD DM
2
Logo CM
2
= AM
2
= 2DM
2
Mas:

AG
GM
AM
M D
1
2
2

Assim:
AG
GM
DM
M D
1
2
2
2

Então:
AG
GM
1
2
305. R R cm
±
⇒ +
( )
2 5
2
1 5
306. E 307. B 308. C
309. E 310. 48 cm
2
311. C 312. A 313. B
314. A
315. A soma é 14.
316. A 317. D
318. 24,2
319.
20 16
16
5 16
4
5 4
PQ x
PQ
x
cm =
-
= =
- ( )
320. D 321. B
322. a)
b) 10 5 20 −
323. B 324. D
325. a) 2,25 m
b)
125 3
16
m
2
326. B
327.
x
b
a b
=
-
2
328. D
329. BD = 8 cm
DE = 25 cm
EC = 6 cm
330. 3
331. D
332.
∆ACO
=
∆BOD
a
b
x
y
y
bx
a
= = =
∆ABD
=
∆APO
b
OP
x y
x
b
OP
x
bx
a
x
=
+
= =
+
b
OP
ax bx
ax
b
OP
x
bx
a
x
=
+
= =
+
OP
ab
a b
=
+
333.
AH
Rr
R r
=
+
2
334. D 335. D 336. C
337. B 338. C 339. B
340. D 341. B
342. 30 (02 + 04 + 08 + 16)
343. 3
344. 25 ua
345. 4(1 + 26) cm
346. B
347. A
205
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
348. a)
x
x y
x
x x
y
4
9 6
4
5
36
6 6
10
3
2
= =
=
=ì = =
=


x
x y
x
x x
y
4
9 6
4
5
36
6 6
10
3
2
= =
=
=ì = =
=

b)
349. C 350. 55 cm
351. A 352. D
353. B 354. (10 2 – 2) cm
355.
A
A
A
A
ABC
A B C
A B C
ABC ' ' '
' ' '
= = = = 3 9
1
3
1
9
2
2
ou 356. D
357. A
358. a
a a r
a r
b
a r
a r
)
( )
)
2 2
2 2
2
2 2
2
+


359.
x
a
b
x
x ab x ab x ab = = = = =ì = =
2
360. B 361. 2 cm 362. B
363.

O ângulo A
´
do ∆APD é con-
gruente ao ângulo D
´
do ∆DQC
(ângulos correspondentes).
∆APD ~ ∆DQC

b
a
h
h
=
1
2
ah
1
= bh
2

364. 30 365. E
366. 1,76 m 367. B
368. B 369. C 370. C
371. 3 372. 10 373. D
374. 8 cm 375. E
376. 32 cm 377. x =
5
2
m
378. 22 cm 379. 12 cm
380. 20 381. C 382. B
383.
DE
48
5
384. D 385. D
386. D 387. 32 m 388. B
389. B 390. R 2 5 391. E
392. PA · PB = PX · PY = PC · PD
Então, PA · PB = PC · PD
PA
PC
PB
PD
PAC PDB LAL
P

¦
¦
¦
¦
¦
∆ ∆ ~ ( ~)
é comum.
`
393.
Logo, se o quadrilátero conve-
xo está circunscrito, podemos
afirmar que a soma dos lados
opostos é igual.
394.
PT a −
2 2
/
395. 15
396. V, V, V, V
397. a) Na figura a seguir, A e B
representam os irmãos, P,
a pipa, e S, a sua sombra.
b) Na figura, a altura da pipa é
a medida do segmento PS.
Supondo APB
`
reto, pelas
relações métricas no triân-
gulo retângulo APB.
(PS)
2
= AS · BS ⇔
(PS)
2
= 24 · (78 – 24) ⇔ PS = 36 m
Logo a pipa estava a 36 m
de altura.
398. E
399. a) x 4 2
b) 6
400. 3 m
401. AM cm
9
5
ou 1,8 cm
402. 2 34 cm
403. D 404. C 405. D
406. C 407. E 408. D
409. a) 4 m
b) 5 m
c)
AE m 61
410. 25 m
411. C
412. a) 5,12 e 13
b)
1
1
1
1
1 1
1 1
2
1
2
x x
x x
x x
x
x −
+
+

+ + −
− +

− ( )( )

y
2
= (2x)
2
+ (x
2
– 1)
2
y
2
= 4x
2
+ x
4
– 2x
2
+ 1
y
2
= x
4
+ 2x
2
+ 1 = (x
2
+ 1)
2
∴ y = x
2
+ 1
413. 8 m
414. a) 5
b) 4
c)
∴ x
11
4

d) 4
415. B 416. 31 m
417. B
418.
NB cm
5 41
2

419. C
420. a) 1
b) 2,5 ua
421.
x
4
3
422. 34,4 cm
423.
y
15
2
424. B
425. AD
a
e DC
a

4
3
61
3
426. C
427. B 428. C 429. A
430. PC ≅ 4 3 ,
431. 1 cm
432. 3 7
433. C
434. C 435. 12 cm
436. E
437. 5 cm 438. D
439. a)
5
2
3
25
4
3
100 4 3
100 4 3
2
2
2
2
2
2 2
2

j
(
,
\
,
(
+ +
+ + ( )
+ +
− +
m
m
m
m
( )
( )
(
/
/
/
/ ))
( )
( )
,
2
2 2
2 2
2
4 25 3
4 25 6 9
2 16 6 0 2
m
m
m com
− + ,
¸
]
]
− − −
− − < <
/
/ /
/ / / ,
0 < d < 2
b) 6
440. a)
R R R
2 2
2
4
4 3
3
8 3
3
+ −
j
(
,
,
\
,
(
(

b) 120°
441. OP cm 2 3
442. x 4 2 cm
443. R( ) 2 1 −
444. r cm
8
3
445. a
446. 144 cm
206
447. E
448. a) 49 7 7 3 343 1 3
2
+
( )
+
( )
cm
b) 343 1 3 25 5 8746 5 1 3
3
+
( )
⋅ +
( )
, , cm
449. r + 2 2 2
450. D 451. D
452.
S
R r Rr
ABC

+ ⋅ ( )
2
453. D
454.
2 7 4 2
2 7 4 2 2
7 2
7
1 2
14 7
+
+ −
+ ⇒
+

r x então
r r r
r r x
, :
( )
455. a = 14r, b r +
( )
2 3 1 e
c = 1
456.
x y a
x y a
y y
y y y
2 2 2
2 2 2
2 2
2 2
25
12 1
12 24
144 24
+ +
+ − +
¦
¦
¦
¦
¦
− −
− + −
( )
( )
224
24 168 7
7
5
1
2
y y
OB
O B

457. O raio é 4.
458. AB4 3
459. a) 12 cm
b)
sen
h
h
ip
60
3
2 4 6
6 2
° ⇒

cat.op.
h
cm
460. D
461. 4 3 cm
462. D
463. a) 70 km
b) 42 km
464. 29 m 465. E 466. E
467.
BD
senC
2
10
sen120
2
sen
cm
´

°


°

R R
R R
10
60
2
10 3
3
468. a)
x
sen sen
x
x km
45
3
30
2
3 2
2
3 2
°

°

b)
sen
x
x
x
x
x x km
75
3 2
6 2
4 3 2
4 3 2 6 2
4 6 3 6
6 3 1
4
3 3 1
2
°
+
⇒ +
⇒ +

+
( )

+
( )
( )
469. 8 cm 470. A
471.
x
sen sen
x
x
45
12
30
2
2
12
1
2
12 2
°

°

472. BF 15 2km
AF

+
( )
15 6 2
2
km
473. AB −
( )
12 3 1
474.
L.S
sen
sen
sen
sen
2sen cos
sen
o
.
cos ,
5
6
2
2 6
5
6
5
3
5
α
α
α
α
α α
α
α




l ggo senα
4
5
475. D 476. D 477. D
478.
AE
sen
R
sen
R
R
R
α

°

2
12
120
2
12
3
2
2
4 3 479. 10 cm
480. a) 1 km
b)
NB
senA
R
NB sen II
De I e II temos
s
´

∴ ⋅ ⋅ ° −
2
2 1 90 2
2
( ¨ ) cos ( )
( ) ( ), :
α α
een
Assim NB sen km
sposta
a Raio
α α α ⇒ °
°

2 45
2 45
2 2
2
2
cos
,
Re :
)

11
2

k
km
b NB m )
481. a)
x
x
x

+

+

+
( )
3
2
6 2
4
6 2
2 3
2 3 3
6
b)
A x sen
A
A
ACP
ACP
ACP



⋅ ⋅ °

+

+
1
2
120
1
2
2 3
3
3
2
2 3 3
12
482. 7,5 cm
483. A 484. C 485. E
486. 70 m
487. E 488. E 489. E
490. a) 3,5 e 7 b) 2π/3
491. E 492. E 493. D
494. B 495. A 496. A
497. a AB me CE m
b DE me p m
)
) ( )

⋅ +
70 25
45 2 15 6 π
498. C
499. a)
x
x
x
x
2 2 2
2
2
2
2 2 2 2 2 75
8 8
6 2
4
8 2 6 2
8 2 6 2 2 8 2
+ − ⋅ ⋅ ⋅ °
− ⋅

− −
( )
− + − ⋅
cos
22 5 2 14
5 8 5 8
2
, · ,
, ,
+
⇒ x x m
b)
2
2
4
5 8
2
2 55
2 2
2
2
2
+
j
(
,
\
,
(
+
j
(
,
,
\
,
(
(

h
x
h
h m
,
,
500. C 501. D 502. C
503. C 504. B
505. a) sen OAB
AB
´

3
4
b)
AC
sen
OC
sen OÂB
e sen sen
60
90
3
4
1
2
° + ( )
< ° = ⇒ = − =
α
α α α α cos 11
3
16
13
4
60 60 60
60
3
2
13
− =
° + ( ) = ° + °
° + ( ) = ⋅
sen sen sen
sen
α α α
α
cos cos
44
3
4
1
2
3
8
13 1
1
3
8
13 1
1
3
4
1
2
13 1
+ ⋅ = +
( )
+
+
( )
= ⇒ + = +
( )

Assim
AB
AB
AB
AB
A
:
BB =

=
+ 2
13 1
13 1
6
506. 53 507.
11
30
508.
x
x
x
x
2
2
2
16 4 16
3
2
20 8 3
4 5 2 3
2 5 2 3
+ − ⋅


( )
− 509. 60°
510.
Lei dos co-senos:
a
d d d d
I
b
d d
2 1
2
2
2
1 2
2 1
2
2
2 2
2
2 2
2

j
(
,
\
,
(
+
j
(
,
\
,
(
− ⋅ ⋅ ⋅

j
(
,
\
,
(
+
cosα ( )
22
2
2 2
180
4 4
2
2 2
2
1 2
2 1
2
2
2
1 2
j
(
,
\
,
(
− ⋅ ⋅ ⋅ °−
+ − ⋅
d d
II
I a
d d d d
cos( )
.
α ( )
ccos
. cos
α
α
+
+ + ⋅
+ +
+
II b
d d d d
a b
d d
a b
d
2 1
2
2
2
1 2
2 2 1
2
2
2
2 2
4 4
2
2 2
2
4
2
4
11
2
2
2
1
2
2
2 2 2
2 2
2 2
+
+ +
d
d d a b
Lembre que:
Dica: Desenhe e aplique duas
vezes a lei dos co-senos.
511. a) DO = 5 cm, EO = 7 cm e
FO = 7 cm
b) FE cm
FD cm
ED cm

7 2
130
2 29
;
;
512.
2 1 13 4 6 5 2
2 12 6 5 2 2
6 3 5 2
6 15
x x x
x x
x x
x x
+ − − − − ( )
− − − − ( ) − ( )
+ − ( )
+ −
:
66 14 12
6
7
⇒ ⇒

x
x
513. a) H H m ⇒
/ 3
2
6 3
2
3 3
b) R = 2r
c) 3 3 3 3 ⇒ r r m
d) 3 m
514. a) / 2 8 2 m
b) R
d
m
2
8 2
2
4 2
c) 4 m
d) 4 m
515. a) 12 m
b) 6 m
c) r H m
/ 3
2
6 3
2
3 3
d) 3 6 3 m
e) 3 3 m
516 a) m
l
m cm ⇒
3
2
5 3
2

b)
5 3
2
cm
c)
x x cm
2
2
3
5 3
2
15
2

j
(
,
,
\
,
(
(


517. E
518. a) 2 cm
b) AH
l l
l cm ⇒ ⇒
3
2
6
3
2
4 3
c) 2 cm
d) 4 cm
519. 2 cm
520. a) R m 6 2
b)
6
3
2
4 3

R
R m
c) 12 m
521. B 522. D
523.
/
3
3
2 6 3
2 6
3
2 6 3
3 3
2 18
3
2 2





R
R
R R R
R cm
524. Respectivamente, 4 cm e
m
l
m cm

3
2
2 3
525. 5 cm 526.
∴ ⋅


razão
razão
:
:
3 2
6 3
3
3
3 6
6 3
6
6
527.
/
/
4
6
2
4
3



R
R
528. D
529. B
530. / R e a
R
p
3
2
531.
2 2 3 4 3
3
3
4 2
3 4 2
4 6
3
P P
a
a b R r
R r R
r
⇒ ⇒ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⇒
⇒ ⇒
¬
532. C 533. E
534. C 535. E
536. Respectivamente,
l R R
l R R
l R
l R
2 2 2
2 2 2
2 2
2 2
2
2
2 2
2 2
2 2



( )
− e
4 2 2 4
2 2 4
2 2 4
2
2 2
2 2 2 2
2 2 2
2 2
R R R m
R R m
R m
m
R
− +
+
+
( )

+
( )
537. a)
l l
− ±
⇒ −
( )
2 2 5
2
5 1 m
b)
5 2 5 1 8 8
2 2 5 8
1 5 4
36
5 1
4
− + − °
+ °
+ °
°
+
cos 36
cos 36
cos 36
cos
538. A 539. C
540. Aproximadamente 15.924
541.
2
300
R
π
cm
542. 4 voltas
543. 32 voltas
207
P
V
2
D
-
0
7
-
M
A
T
-
2
4
544. Aproximadamente 314 m
545. D 546. E
547. Aproximadamente 95,5 m
548. π cm 549. E 550. A
551. Aproximadamente 14,3 cm
552.
Distância AB
R
R
Distância AO OB
R R
R
¯
¯ ¯

+

+

2
2
2
2
2
2
2
2
π
π
π π
π
∴Terei percorrido o mesmo caminho.
553. Cada roda deu, aproximada-
mente 10.350 voltas, sendo
94 voltas/min.
554. C 555. D 556. B
557. D
558. B
559.
α
α
α α
α
α
α


¦
¦
¦

⋅ − ⋅ − ⇒
− ( ) ⇒
⋅ ⇒

OA
OC
OA OC
OA OC
100
80
100 80
20
25 20
44
5
0 8 ou rad ,
560. 5π cm 561. D 562. A
563. A 564. A 565. C
566. 4π cm
567 20(3 + π) cm
568. No ∆ OAC:
tg
y
y
o
30
1
3
3

CD R y z z + ⇒ −

3 3 3
3
3
9 3
3
No ∆ ADA’:
x x
2 2
2
2
2
9 3
3
4
81 18 3 3
9
+

j
(
,
,
\
,
(
(
+
− +




⇒ ⇒ ⇒
x x
x x x
2 2
2 2
120 18 3
9
89 4
9
9 93
993
100
993
10
,
,
Sabemos que: 31
2
= 961 e
32
2
= 1.024.
⇒ < <
⇒ < < ⇒ <
31 993 32
31
10
993
10
32
10
3 1 3 2 , , .
Como π ≅ 3,14, temos, assim, um
valor de x como aproximação de π.
Dica: Calcule y no ∆OAC, calcule z
e depois Pitágoras no ∆ADA’.
569. L cm +
( )
6 3 π
570. C 571. C
572. B 573. A
574. a) 210 m
2
b) 180 m
2
c) 30 m
2
d) A = 32 3 m
2
e) 21 3 m
2
f) 30 3 m
2

575. B 576. D 577. C
578. B 579. E 580. C
581. A 582. D 583. E
584. C 585. E 586. D
587. D 588. 90 cm
2

589. E
590. a) 10 cm
b) 50 cm
2
c) 956 cm
2
591. 2 m 592. D 593. D
594. A 595. B 596. D
597. A variação da área é nula, pois,
para qualquer posição da figura,
tem-se a mesma área. Logo, o
∆AOB é congruente ao ∆COD
e, portanto, a área passa a ser
a do quadrado BOED.
598. B
599. Aproximadamente:
4 sen x – 2 sen x cos x
600. D 601. 240 m
2

602. a) A parte cinza de cada fi-
gura consiste na união de
triângulos de altura 10 cm
e cuja soma das bases é de
10 cm. Assi m, a área
da super f í ci e pi nt a-
da em cada f i gur a é
A cm

10 10
2
50
2
Deste modo, a função
pedida pode ser dada por
A : N* → R, A (n) = 50
b)

603. r = 1 cm
604. B
605. A
606. E
607. Áreas iguais.
608. A
609. 01. V, 02. F, 04. V, 08. V,
16. V
610. C 611.
19 3
2
cm

612. E
613. B 614. A 615. E
616. E 617. D 618. A
619. B 620. C
621. a) 300 3 cm
2

b) 10 3 cm
622. C
623.
Para mostrar que a área do
∆MIJ é constante para qual-
quer ponto M do lado AD,
devemos mostrar que o ∆MIJ
possui sempre a mesma base
IJ e a mesma altura.
• Qualquer que seja o ∆MIJ a
altura é sempre: (a – b)
• ∆BMC ~ ∆MIJ

b
x
a
a b
x
b
a
=
-
= = (a – b) que
é uma constante
∴ a área do ∆IMJ é constante
para qualquer ponto M do lado
AD.
Dica: calcule IJ usando seme-
lhança de triângulos.
624. C
625. a)
h h
A h
3
3
3
3
2
·
· = =
b)

A
ABC
= A
PAB
+ A
PBC
+ A
PAC


m mh mh mh
2
1 2 3
3
4 2 2 2
= + +
208

m 3
2
= h
1
+ h
2
+ h
3
, ou seja,
h
1
+ h
2
+ h
3
é igual a altura do
triângulo eqüilátero.
626. 6 cm
2
627. a) a = 13, b = 5 e c = 12
b) R
h
=
30
628. A
629. a) c
a b
=
+
2 2
5
b) 1
630. 49 cm
2

631. a) 10 3cm
2
b)
R cm =
20 3
13
632. D
633. a)
¬
4
m
2

b)
¬-2
4
m
2

c)
¬-2
2
2
m
d) 4 – π m
2

634. A 635. 6π cm
2

636. B 637. A 638. D
639. C 640. B 641. B
642. B 643. B 644. D
645. C 646. E
647.
a R
b
R
)
)
6
6
5
2
2
648. 4.198 m
2

649. 4 650. D
651. D 652. A
653. 1,47π e 2,94π
654. C 655. A 656. B
657. A 658. A 659. C
660. D
661. a) 109,2 m
b) 910
662. E 663. A 664. C
665. A 666. 44
667. a) A(θ) =
15
2
· θ
b) 64°
668. a) 2 · (3 3 – π)
b) 4π
669. 9π cm
2
670. a) – 2πr
2
+ 400r
b) x = 100 e r = 100/π
671. a) 24π
b) 16π
672. C 673. E

674. B 675. A
676. a)
O O O O
r r r
sposta
1 2 2 4
2
2 2 2 4 2 2 1
2 2 1
·
\
Re :

+ +
( )
+
( )
b)
S r
r
Como r então
S
sp
( ) − ⋅ − ⋅
+
( )
+ − −
( )
2 4
4
2
2 2 1
8 6 4 2 2 2
2
2
2
π
π
π π
: , :
Re oosta : 8 6 4 2 2 2 + − −
( )
π π
677. D 678. 3
679.
A
A
A
semicircunferência
setor

j
(
,
,
\
,
(
(

( )


π π
π
2
12
2
3
2
12
4
3 3
1
2
2

22 3
6
2
2 3 3
2
( )

− −

π
π A A A
A A
segmento setor
I semicircunferência

−−
− +


( )


( )
A
A A
segmento
H I
3
2
2 3 3
6 3
2
6
6 6 3
2
3 6 3
π
π
π
π
π
Dica: d desenho
680. a) 100
b) 12
c) 150
681.
2
2
682.
200
3
(3 3 – π) cm
2

683.
a)
b) 29π cm
2

684. D 685. C
686. Setor de raio
1
4
e ângulo cen-
tral 2 rad
687. 72 cm
2
688.
A
ABN
=
216
25
689. B 690. B
691. 125 m
2
692. R$ 8,10
693. A 694. B 695. C
696. E 697. E 698. 140
699. C
700. a) 4
b) 2
701. D 702. 2
703. 24 cm
2
704. C 705. 17 m
706.
x
h
=
2
707.
2 2
2
-
¡
\
]
]
¸
)
]
]
h

08. Sendo x a medida em graus de um ângulo agudo, dê a expressão em função de x: a) da metade do complemento de x; b) do complemento do triplo de x; c) do suplemento da quarta parte de x; d) da terça parte do suplemento da metade de x; e) do suplemento do complemento da quarta parte de x. 09. A razão entre a medida de um ângulo e o seu complemento é 2 . Calcule a medida desse ângulo. 7 10. A razão entre o complemento de um ângulo e o suplemento desse mesmo ângulo é 2 . Calcule a medida 5 desse ângulo. 11. O suplemento de um ângulo excede a quarta parte do complemento desse ângulo, de 135°. Qual a medida desse ângulo? 12. O suplemento de um ângulo excede o triplo do complemento desse ângulo em 50°. Determine a medida do ângulo. 13. Determine as medidas de dois ângulos suplementares, sabendo que o dobro de um deles, somado com a sétima parte do outro, resulta 100°. 14. Na figura, os ângulos AÔC e BÔD são retos.

a) b) c)

290° 3 315° 4

d) e)

203° 4 145° 4

192° 5 17. A terça parte do suplemento de um ângulo excede a quarta parte do complemento desse ângulo em 35°. Calcule a medida do ângulo. 18. PUC-PR Dois ângulos complementares A e B, sendo A < B, têm medidas na razão de 13 para 17. Conseqüentemente, a razão da medida do suplemento do ângulo A para o suplemento do ângulo B vale: a) 43 d) 119 48 47 b) c) 17 13 13 17 e) 47 43

19. Dois ângulos são suplementares. A medida do menor é igual ao complemento da quarta parte do maior. Calcule a medida do maior ângulo. 20. A terça parte do suplemento do complemento da metade de um ângulo é 35°. Qual a medida do ângulo? 21. UFMG Observe a figura:

Calcule: a) o valor de x; b) a medida do ângulo BÔC. 15. UECE O ângulo igual a 5 do seu suplemento mede: 4 a) 100° d) 80° b) 144° e) 70° c) 36° 16. UFES O triplo do complemento de um ângulo é igual à terça parte do suplemento deste ângulo. Este ângulo mede:
114

Nessa figura, os segmentos AB e BC são perpendiculares, respectivamente, às retas r e s. Além disso, AP = PB, BQ = QC e a medida do ângulo PÔQ é θ. Considerando-se essas informações, é correto afirmar que a medida do ângulo interno AÔC do quadrilátero AOCB é: a) 2θ 5 b) θ 2 c) 3θ d) 3 θ 2

22. Sejam A e B dois ângulos suplementares e adjacentes. Se A = 3x – 30° e B = x + 10°, então A – B vale: a) 40° d) 70° b) 50° e) 80° c) 60° 23. Mostre que a medida do ângulo formado pelas bissetrizes de dois ângulos adjacentes e suplementares é 90°. 24. Escreva um enunciado para um exercício em que se pede para calcular a medida x de um ângulo e que é resolvido com a equação: 2 ( 90° − x ) = 90° − x + 115° 4 25. As bissetrizes de dois ângulos consecutivos formam um ângulo de 52°. Se um deles mede 40°, qual a medida do outro? 26. Unicap-PE São dadas duas retas paralelas r e s e uma reta concorrente t, conforme a figura abaixo.

28. Sendo r // s, determine x nos casos abaixo.

a)

b)

29. Fazu-MG Na figura dada, sendo r//s, o valor de x + y é:

a) 80° b) 10° c) 50°

d) 40° e) 20°

30. Na figura a seguir, o valor de x – y + z é:

        Com relação aos oito ângulos a, b, c, d, e, f, g e h podemos afirmar que (V ou F):   ( ) a e g são congruentes   ( ) d e g são suplementares  g são alternos externos  g são colaterais externos   ( ) b e f são correspondentes 27. Unimontes-MG As proposições abaixo são verdadeiras, exceto: a) Se, ao interceptar duas retas com uma transversal, os ângulos correspondentes são congruentes, então as retas são paralelas. b) Se duas retas são interceptadas por uma transversal, então, dos oito ângulos formados, quatro deles são correspondentes aos outros quatro. c) Se, ao interceptar duas retas com uma transversal, obtêm-se ângulos alternos internos congruentes, então as retas são paralelas. d) Se duas retas são interceptadas por uma transversal, então os ângulos correspondentes são congruentes.  ( )a e  ( )d e a) 70° b) 60° c) 50° d) 40° e) 30°

31. FGV-SP Considere as retas r, s, t , u, todas num mesmo plano, com r // u. O valor em graus de (2x + 3y) é:

PV2D-07-MAT-24

a) 64° b) 500° c) 520°

d) 660° e) 580°

115

O valor de x de modo que estas retas sejam paralelas é: a) 4 d) 10 b) 5 e) 12 c) 8 40. Cesgranrio-RJ As retas r e s são paralelas. apresentado na figura? 116 . Fuvest-SP Na figura. A medida x na figura abaixo é: a) 50° b) 55° c) 60° 34. as retas r e s são paralelas. Sejam r e s retas paralelas. Qual é o valor do ângulo α. UEPB Duas retas cortadas por uma transversal formam ângulos alternos externos expressos em graus pelas equações 3x + 18° e 5x + 10°. múltiplo de 8. 33. A medida do ângulo 3 é: 38. Nessas condições. Sendo r paralela a s na figura. com relação ao número que expressa a medida y. Unisul-SC Na figura a seguir. α = 45° e β = 55°. temos r//s. O ângulo 1 mede 45° e o ângulo 2 mede 55°. 35. Unimontes-MG Se. número divisível por 3. a medida de γ é: a) 60° b) 70° c) 80° d) 90° e) 100° d) 80° e) 100° a) 10° b) 20° c) 25° d) 30° e) 35° 39.32. calcule o valor de x. Unicsul-SC Sendo as retas r e s paralelas. as retas r e s são paralelas. na figura abaixo. pode-se afirmar que é um: 36. então α vale: a) 50° b) 30° a) b) c) d) e) número ímpar. c) 80° d) 130° 37. Na figura. determine a medida do ângulo x. número primo. sabendo que r // s. em graus. múltiplo comum de 4 e 35.

Sendo α = β e γ = 30°. a área ocupada pelas plantações não pode ultrapassar 1/5 da área total. Responda. como ilustrado na figura abaixo. 47.930 km2 possui uma plantação de café e uma plantação de cana-de-açúcar. calcule x. calcule x na figura abaixo. Na figura abaixo. as retas r e s são paralelas. mostre que a = d Assinale o valor de α. os pontos A e B estão no mesmo plano que contém as retas paralelas r e s. qual é a medida x? 43. Calcule o valor de x. Três folhas de papel retangulares estão sobrepostas conforme mostra a figura. sendo r//s. PV2D-07-MAT-24 117 . Um município de 1. 44. Conforme estatuto do próprio município. a) 30° b) 50° c) 40° d) 70° e) 60° 46. Obs. justificando. as retas r e s são paralelas. 45. se o estatuto está sendo cumprido. Na figura. calcule a medida do ângulo α. 42. FGV-SP Na figura. Então. Na figura abaixo. Sendo r e s retas paralelas e α + β = 90°.41.: Área do círculo de raio r: πr 2 48. Na figura.

UECE As retas na figura interceptam-se duas a duas nos pontos P. Determine o valor de x. qual é a distância entre os dois navios? a) 15 milhas. ABC. Assinale a alternativa verdadeira. β. c) Todo triângulo isósceles é acutângulo. respectivamente. 52. BC = CA = AD = DE. nos casos indicados. Sabendo que α = 130° e β = 140°. PUC-SP Na figura. d) Um triângulo eqüilátero possui dois lados congruentes. e) Um triângulo obtusângulo pode possuir dois ângulos obtusos. b) Um triângulo retângulo nunca possui dois ângulos congruentes. Q e R. CEF e DFE da figura. a) 54. UFPB Num dado instante. CDF. Mostre que o ângulo formado pelas bissetrizes de dois ângulos colaterais internos é reto. PUC-RJ Os ângulos de um triângulo medidos em graus são: 3x – 48. 53. c) 10 milhas. A figura mostra um par de esquadros sobre uma folha retangular.49. dois navios se encontram afastados 12 milhas de um farol F nos pontos A e B. O ângulo CÂD mede: b) a) b) c) d) e) 10° 20° 30° 40° 60° c) 57. Se o  ângulo A FB formado entre os navios e o farol é igual a 60°. λ e θ as medidas em graus dos ângulos      BAC. a) Um triângulo escaleno não pode ter um ângulo obtuso. descubra se os catetos estão paralelos ou não. e) 14 milhas. γ. 50. o ângulo α é igual a: a) 101° b) 102° c) 103° d) 104° 56. 118 . d) 12 milhas. Capítulo 2 51. Considerando os valores indicados. Ibmec-SP Sejam α. b) 13 milhas. 2x + 10 e x – 10 O maior ângulo mede: a) 86° d) 90° b) 45° e) 40° c) 75° 55.

UFU-MG Na figura abaixo. sendo M o ponto médio do lado PR. Se AD mede 20. UFF-RJ Um pedaço de papel tem a forma do triângulo eqüilátero PQR. os segmentos AB e CD são paralelos. a) b) c) d) (0°. b) c) a) 58 b) 60 c) 62 d) 64 e) 66 60. 20°) (20°.  e os ângulos BÂD e BCD medem 60°. Calcule o valor de x. indique o comprimento da poligonal ABCDA. b) 62. Calcule a soma das medidas dos ângulos assinalados: a) 59. em graus. com 7 cm de lado. 15°) (15°.61. o ângulo x. Calcule a soma dos ângulos assinalados: a) A soma α + β + γ + λ + θ é igual a: a) 120º d) 210º b) 150º e) 240º c) 180º 58. 30°) 119 PV2D-07-MAT-24 . AB = AC = BC = CD. pertence ao intervalo: 63. UFPE Na figura abaixo. 25°) (25°. Na figura abaixo.

calcule o valor de x em função de m. UFMG Observe esta figura: No retângulo ABCD da figura I foi feita uma dobra PQ de tal forma que o vértice D coincida com D’ no lado AB . a) b) c) 120 cos a = − sen a = 1 2 1 2 d) e) sen a = sen a = 1 2 3 2 cos b = − 1 2 .5 e) 49 c) 24.Dobra-se o papel de modo que os pontos Q e M coincidam. então: a) 90° b) 120° c) 110° d) 130° e) 140° 66. Sabendo-se que a + b = 210° e 3a – 2b = 130°. seu suplemento mais seu complemento é 180°. é igual a: a) 9 d) 28 b) 17. AB = AC e CE = CF. se a – b = 10 °. Na figura abaixo. O que podemos concluir sobre os pares de ângulos:    P D Q e P D 'Q    D P Q e D' P Q  P e P Q D'   DQ 65. o ângulo A BC mede: a) 39° b) 44° c) 47° d) 48° 69. FGV-SP De acordo com a figura a seguir.  Assim sendo. seu suplemento é 100°. Observe as figuras I e II: 67. UPF-RS No triângulo abaixo. x é um ângulo interno e a e b são ângulos externos. sobre o ângulo x pode-se afirmar que a) b) c) d) e) seu suplemento é 110°. O perímetro do trapézio PSTR. conforme ilustrado acima. seu complemento é 60°. seu complemento é 20°. em cm. A medida de β é: Nessa figura. Mackenzie-SP Na figura. os pontos F. A e B estão em uma reta e as retas CB e ED são paralelas. 68.5 64.

CD. então: a) 75° b) 80° c) 90° d) 100° e) 120° 75. Determine. CD. então BÂD é igual a: 71. sabendo que os segmentos BC. FGV-SP Na figura ao lado. em graus. A soma dos ângulos α. UFRN A figura ao lado é composta por um triângulo e três quadrados construídos sobre os seus lados. DE. e FA são congruentes. a medida do ângulo CAD. então  calcule CDE . AC = BC = CD. DE e EA são congruentes. Se c = 30° e b = 110°. PV2D-07-MAT-24 a) b) c) d) 400° 360° 300° 270° 121 .70. BC. Na figura. 74. os segmentos AB. a) x = 15° b) x = 30° c) x = 20° d) x = 10° e) x = 5° 72. 73. Na figura AB = BC = CD = DE e BÂC = 15°. UFPE Calcule a soma S dos ângulos internos do polígono em forma de seta ilustrado na figura abaixo. β e γ é: 76. Determine a medida do ângulo do vértice A do triângulo isósceles ABC. UFPE Na figura ilustrada abaixo. EF. o triângulo AHC é retângulo em H e s é a reta suporte da bissetriz do ângulo CÂH.

temos AB = BC e CD = AC. e P o ponto de intersecção dos segmentos AM e CN. Dado: BÂD = 42°. calcule a distância de P ao ponto N. Sabendo que P dista 8 cm do vértice C. sendo AB congruente a AC e AE con gruente a AD . Os triângulos AGD e FGD têm a mesma área. Na figura. um ângulo de 50°. com a bisse . C é o baricentro do triângulo AGH. sabendo que as bissetrizes dos ângulos de vértices B e C formam um ângulo de 110°. Fuvest-SP Na figura abaixo. Calcule o ângulo  indicado na figura.   a) Calcule os ângulos DCB e A DC . determine triz externa do ângulo C a medida do ângulo interno Â. a) b) c) d) e) GB é mediana no triângulo AGD. calcule a medida do ângulo CDE . Assinale a afirmativa verdadeira. 83. 81. 78. determine o valor de y/x. respectivamente. Considerando congruentes os segmentos com “marcas iguais”. AB = AC. Observe a figura abaixo. 79. então x + y é igual a: 85. Mackenzie-SP No triângulo abaixo. AB = BC = CD = DE = EF e ainda GD = DH. O triângulo AGF tem o dobro da área do triângulo HFD. Vunesp Considere o triângulo ABC da figura. b) Prove que AD = BC. E é o baricentro do triângulo GFH. 80. M e N os pontos médios dos segmentos BC e AB. a) 120° b) 110° c) 115° 122 d) 95° e) 105° .77.  Se a bissetriz interna do ângulo B forma. Sendo. CB = CD e  = 36°. Na figura abaixo. respectivamente. no triângulo ABC. Se x   e y são medidas em grau dos ângulos A e B . 82. 84.

91. ( ) A área do triângulo BFG é 40 cm2. A medida do ângulo agudo formado pelas alturas AH e BP é: Na figura. avalie se as afirmativas abaixo são verdadeiras (V) ou falsas (F). Num triângulo acutângulo duas das alturas formam um ângulo agudo de medida α. 18 04. c) a área do triângulo ANC é 1 da área do triângulo 4 ABC. 30 02. 86. Unifacs-BA d) 52° e) 36° ( ) G é baricentro do triângulo ABC. 90. e) o triângulo ABM tem o triplo da área do triângulo ANC.A e E ⇒ Atiradores de elite B e D ⇒ Alvos móveis Sabendo que B e D partiram de C para alcançar A e E e que estão na metade do caminho quando são atingidos. 88. ( ) A área do triângulo AEC é 40 cm2. Determine BHC . H é o ortocentro e   = a. 20 05. a área em cm2 do triângulo BGC é: a) 12 d) 24 b) 16 e) 36 c) 18 87. d) N é o ortocentro do triângulo ABC. 70° e 60°. H é o ortocentro e   = 50°. é correto afirmar que: a) N é o baricentro do triângulo ABC. pode-se concluir que a área sombreada mede: 01. BOD é: a) 38° b) 48° c) 42° 92. Sendo AM mediana do triângulo ABC e N o ponto médio de AM. Qual é o ângulo formado pelas alturas relativas aos vértices A e B desse triângulo? a) 30° d) 90° b) 45° e) 120° c) 60° 93. AD e BE são alturas. Determine em função de α um dos ângulos internos do triângulo dado. Determine BHC . e BC = 3 EC e EC = 3 BD . 24 95. b) a área do triângulo ANC é 1 da área do triângulo 3 ABC.  Sendo C = 42° e O ortocentro do triângulo. O triângulo ABC da figura tem área 120 cm2. 94. Seja ABC um triângulo eqüilátero de altura 9 cm em que O é o ortocentro. Quando mede o segmento AO ? 89. respectivamente. 123 PV2D-07-MAT-24 a) b) c) d) e) 30° 40° 50° 60° 70° . Sendo BD = DE = EC e AF = FG = GE. A partir dessa informação. Sendo G o baricentro do triângulo ABC. 36 03. 96. a área do triângulo ABC mede 54 u. determine as distâncias percorridas pelas balas de A e E até atingir os alvos B e D. Num triângulo acutângulo ABC.   No triângulo ABC da figura abaixo. Num triângulo acutângulo ABC. de área 72 cm2. Fuvest-SP  Um triângulo ABC tem ângulos  = 40° e B = 50°. Num triângulo acutângulo ABC. os ângulos B e C medem.a.

cujos lados medem a e 2a. c) o triângulo também é eqüilátero. Num triângulo acutângulo ABC. H é o ortocentro e G é o baricentro. é correto afirmar que: O tesouro foi enterrado no terceiro vértice do triângulo (o jatobá é o primeiro e o jacarandá é o segundo). O ângulo PCD mede 30°. 99. c) O ortocentro do triângulo ABC é externo ao triângulo. é possível afirmar que: a) o triângulo é retângulo. é igual a A. Um tesouro foi enterrado num campo aberto e o mapa da localização faz referência às três grandes árvores do local: ( ) A área do triângulo DEC é 1 da área do triângulo 6 ABC. Se HM = . sabendo que M é ponto médio de BC e que a área do triângulo PMB é 16 cm2. C pertence ao lado PQ e os lados PR e AC interceptam-se no ponto D. b) H é o ortocentro do triângulo ABC. 08. de base BC. é 5 correto afirmar que: a) o triângulo ABC não é isósceles. 101. Sabendo que O é ponto médio de AH e que HC = 3 BH. o ponto M é o ponto médio do lado CD.97. ABC e PQR. determine a razão entre as áreas dos triângulos AOC e ABC. Julgue (V ou F) o que segue: 124 . d) a área do triângulo AHM é 1 da área do triângulo 5 ABC. 100. ( ) A área do triângulo DEC é 25% da área do triângulo BCD. P e D são colineares. 02. Se AN mede 12 cm. Sendo HG maior que a altura relativa à base BC . b) o triângulo é obtusângulo. e) B é o ortocentro do triângulo AHM. a 3 . e) o baricentro do triângulo ABC é externo ao triângulo. Num triângulo isósceles ABC. Como é possível localizar o tesouro no local? 98. Determine a área do retângulo ABCD da figura. 102. Seja AH a altura do triângulo acutângulo ABC. UFPI A área do triângulo ABC. 1 1 Temos também AD = AC e EC = BC 3 4 01. Assim sendo. d) a área do triângulo é HG2. respectivamente. O segmento PC mede 6 103. O segmento PD mede 6 04. AH e AM são BC respectivamente altura e mediana. na figura abaixo. ( ) A área do triângulo DEC é 35% da área do triângulo BDE. ( ) A área do triângulo BDC é o dobro da área do triângulo ABD. UPE No paralelogramo ABCD. a 3 . pode-se afirmar que MN mede: a) 6 cm b) 5 cm c) 4 cm d) 8 cm e) 7 cm 104. Unioeste-PR Na figura abaixo estão representados dois triângulos eqüiláteros. Os pontos B. O vértice P coincide com o baricentro do triângulo ABC. e a sibipiruna é o ortocentro do triângulo.

g) O baricentro é o centro da circunferência inscrita no triângulo. B e C sabendo que O é circuncentro do triângulo. 112. Qual é a classificação do triângulo que satisfaz a condição dada nos casos: a) o ortocentro e o baricentro são coincidentes. calcule o perímetro do ∆ABC. a) O incentro é o centro da circunferência inscrita no triângulo. b) o incentro e o circuncentro são coincidentes. 110. Sendo S a área do círculo inscrito. determine Â.  No ∆ABC da figura. determine a área do quadrilátero PMCN. PV2D-07-MAT-24 125 . 106. d) o ortocentro é externo. determine as áreas S1. e) O ortocentro é interno ao triângulo. d) Nenhum ponto notável pode estar no vértice do triângulo. No ∆ABC da figura.   No ∆ABC da figura. b) Os quatro pontos notáveis de um triângulo podem ser coincidentes. b) O circuncentro é o centro da circunferência circunscrita ao triângulo. 107. S2 e S3 dos três setores assinalados. sabendo que I é o incentro do triângulo. Sabendo que MC é 13 de AC e que NC é 14 de BC. f) O circuncentro é interno ao triângulo. e) O circuncentro eqüidista dos vértices do triângulo. determine Â.105. d) O baricentro é interno ao triângulo. No triângulo ABC da figura abaixo. c) O incentro é interno ao triângulo. 111. I é incentro e DE // BC . as medianas AM1 e BM2 são perpendiculares. 109. c) Nem todos os pontos notáveis são obrigatoriamente internos ao triângulo. Assinale a opção incorreta: a) Os quatro pontos notáveis de um triângulo podem estar alinhados. f) o ortocentro é um ponto interno. e) o circuncentro está em um dos lados. 108. B e C . Sendo BC = 10 cm e 36 cm o perímetro do triângulo ADE. Sabendo que BC = 8 e AC = 6. calcule AB. c) o ortocentro é um dos vértices. Â = 50° e B = 70°. Classifique em verdadeiro (V) ou falso (F). O triângulo ABC da figura tem área 132 cm2.   No triângulo ABC da figura. 113.

Descubra. Supondo que a fazenda é “plana”. que sugestão poderia dar a eles? Justifique seu raciocínio. Justifique. e O é circuncentro de ABC. d) BF = 2FE e) O ∆ABC é acutângulo. A razão entre a altura de T2 e a altura de T1 é. com  > 90°. faça uma figura ilustrativa da situação descrita acima. calcule o raio da circunferência circunscrita ao triângulo ABC. Unifesp Numa circunferência de raio R > 0 consideram-se. Sendo MO = 2 cm. b) ∆ABC é obtusângulo. uma estátua em homenagem a Tiradentes. os triângulos eqüiláteros T1. o raio da circunferência inscrita mede: 118. b) A é o ortocentro do ∆FBC. calcule as medidas dos raios das circunferências inscrita e circunscrita ao triângulo. em que local essa estátua deve ser colocada. A prefeitura de uma cidade mandou colocar. 120. Considere o triângulo ABC da figura e assinale a afirmativa falsa: 119. a) F é o ortocentro do ∆ABC. Joel. Usando seus conhecimentos de geometria. sendo que as casas não são colineares e estão localizadas na mesma fazenda. Na figura. circunscrito. a altura relativa a BC mede 6 cm. como na figura. Eles desejam abrir um poço de modo que ele fique à mesma distância das três casas. 116. isósceles de base BC. e T2. 115. onde M é o ponto médio de BC . considerando os dois casos: a) ∆ABC é acutângulo. devem ser iluminadas por um poste que fique localizado a uma mesma distância das casas. inscrito. Sendo AB = 15 cm. Três casas em uma região plana. Num triângulo eqüilátero de altura 9 cm. com seus conhecimentos de geometria. c) Os circuncentros dos triângulos BDC e BEC coincidem. a) 4 b) 3 c) 5/2 d) 2π/3 e) 2 122. 121. não colineares. a circunferência de centro O está inscrita no setor circular ABC.114. Qual é o ponto da ilha que é eqüidistante do mar? a) 5 cm b) d) e) 126 5 2 cm 5 3 cm 5 cm 2 c) 10 cm . 117. Pedro e Manoel moram em suas respectivas casas. na planta a seguir. Num ∆ABC. na praça central. Uma ilha tem a forma de um triângulo. sabendo que ela deverá ficar a uma mesma distância das três ruas que determinam a praça.

OAC e OBC são equivalentes (mesma área). Nenhuma das alternativas anteriores é verdadeira. Se P é o ponto de encontro das bissetrizes dos ângulos B e C e PQ//MB. os lados AB. AG e AF. S é incentro de algum triângulo construído na figura. No triângulo ABC da figura. 127. no entanto. Se P for o  incentro do triângulo ABC.  No triângulo ABC. 128. Na figura. dividem o ângulo BAC em três ângulos congruentes. a) b) c) d) e) P é incentro de algum triângulo construído na figura.123. O triângulo ABC da figura é retângulo em A e os triângulos OAB. se  P for o ortocentro do triângulo ABC. sabendo que O é circuncentro do triângulo. R é incentro de algum triângulo construído na figura. Sendo BC = 18 cm. Calcule BIC em função de α. UFPI No triângulo ABC (figura abaixo). respectivamente. Q é incentro de algum triângulo construído na figura. determine Â. No ∆ABC da figura. No ∆ABC da figura. Da mesma forma CD e CE dividem o ângulo ACB em três ângulos congruentes. BPC = β . 5 cm. determine Â. Sendo  = 140°. a) 2/3 b) 4/5 c) 17/20 d) 23/26 e) 25/32 126. 7 cm e 9 cm. Num ∆ABC. AC e BC medem. I é incentro e  = α. BÂC = 50°. sabendo que I é incentro do triângulo. 129. M 1 e M 2 são os pontos médios de AB e AC . determine OA. Então α é igual a: β 125. determine M1ÔM2. 130. BPC = α. PR//NC e MN//BC. Assinale a alternativa correta: 124. onde O é o circuncentro de ABC. a razão entre os perímetros dos triângulos AMN e PQR é: a) PV2D-07-MAT-24 b) c) 10 9 9 8 7 6 d) e) 4 3 7 5 127 .

  Sendo A DC = 22°. Indique o caso de congruência. Considere os triângulos T1. c) d) 132.. Assinale os pares de triângulos congruentes e indique o caso de congruência. então. determine A BC . a) b) a) b) c) d) 64 70 121 126 128 . a seguir. o triângulo PCD é congruente ao triângulo PBA.131.. e) f) g) 134. Os pares de triângulos abaixo são congruentes. C ↔ B e D ↔ A é a correspondência que define essa congruência. Na figura r//s. AÊB = 90° e CD = 2AB. o perímetro do triângulo ADP é igual a 133. na figura abaixo. etc... T2. Unimontes-MG Se. onde P ↔ P.

prove que AM ≡ BM . Na figura abaixo. Se a rota não tivesse sido corrigida. para corrigi-la. 140. que é idêntico a BC. 136. c) seus três ângulos sejam respectivamente congruentes. b) os dois sejam triângulos retângulos. pede-se: a) prove que os triângulos BFC e EFC são congruentes. Determine x. Demonstre que a mediana relativa à base de um triângulo isósceles é também bissetriz. 143. Fuvest-SP Um avião levanta vôo para ir da cidade A à cidade B. sabendo que C é ponto médio de BE. 137. Na figura abaixo. é suficiente que a) dois de seus lados sejam respectivamente congruentes. Prove que o ângulo A é idêntico ao ângulo C. prove que os triângulos ABC e DEC são congruentes. ele altera a direção do vôo de um ângulo de 90°. Na figura abaixo.135. se  pertence à bissetriz OM . e) seus três lados sejam respectivamente congruentes. OM é a bissetriz do ângulo AÔB. 139. Sendo o ∆ABC e o ∆CDE eqüiláteros de lado 10 cm. 141. PV2D-07-MAT-24 129 . Depois de voar 250 km em linha reta. b) determine a área do ∆BFC. o ∆ABC é isósceles de base BC e EÂB ≅ CÂF. então P P  eqüidista de OA e OB . prove que os triângulos ABC e CDA são congruentes. 144.   Na figura abaixo. d) seus três lados sejam respectivamente proporcionais. situada a 500 km de distância. temos o segmento AD. que é idêntico a CD. o piloto descobre que a rota está errada e. UEL-PR Para que dois triângulos sejam congruentes.   Prove que. Na figura abaixo. FGV-SP Na figura a seguir. a que distância ele estaria de B após ter voado os 500 km previstos? 138. y e α. sabendo que α ≡ β e γ ≡ δ . base x altura    A∆ =  2   142. e AB.

C e D são colineares e os vértices B. os vértices A. Considere.145. 146. Prove que toda reta que passa pelo ponto médio de um segmento é equidistante das extremidades do segmento. Prove que o quadrilátero ABCD é um quadrado. 130 . Prove que  OP é mediatriz de AC . 155. que satisfazem a seguinte BC condição: BP = CQ > . os pontos P e Q. Qual o valor da soma dos ângulos α e β marcados na figura a seguir? 149. Na figura abaixo temos que: AB = AC. É correto afirmar que: a) o segmento BE é congruente ao segmento AC. A soma dos comprimentos dos catetos do triângulo recortado é igual ao comprimento do lado do quadrado. Seja a cruz formada por cinco quadrados de lado L. 156. UEM-PR A figura a seguir foi feita por uma criança. OA = OC e AB = CD. Definição: Um quadrilátero que possui lados opostos paralelos é um paralelogramo. d) o segmento CD é hipotenusa do triângulo CDE. sabe-se que ABC e CDE são triângulos congruentes. Prove que as medianas relativas aos lados congruentes de um triângulo isósceles são congruentes. prove que PA = PB 151. Na figura abaixo temos que PA = PC e AB = CD. 150. Prove que as bissetrizes relativas aos lados congruentes de um triângulo isósceles são congruentes. Na figura a seguir. e) o ponto E é o ponto médio do segmento BC.   c) o ângulo BED é congruente ao ângulo ACB. 147. O canto de um quadrado de cartolina foi cortado com uma tesoura. Na figura abaixo. 148. b) a reta AD é perpendicular à reta BC. na base BC do triângulo isósceles ABC (AB = AC). 154. 153. Responda: a) Quantos elementos correspondentes congruentes têm os triângulos PAB e PAC? b) Os triângulos PAB e PAC são congruentes? Justifique. 152. Mostre que as diagonais de um paralelogramo se cruzam no ponto médio. E e C também o são. No entanto. Responda: os triângulos PAD e PCB são congruentes? Justifique. Prove que o triângulo APQ 2 é isósceles.

o triângulo eqüilátero DEF e o quadrado ABCI têm todos. o retângulo DGHI. a diagonal oposta aos ângulos agudos é menor do que a outra. Mackenzie-SP As bases de um trapézio isósceles medem 7 e 13. D = 8x – 30°.   = x + 30°. III. B = 7x – 10°. C Assinale a afirmativa errada. b) todas são verdadeiras. determine o perímetro do paralelogramo. Todo quadrado é um retângulo. b) ABCD é um paralelogramo. c) As bissetrizes de dois ângulos opostos de um paralelogramo são paralelas. como mostra a figura. b) É reto o ângulo formado pelas bisetrizes de dois ângulos consecutivos de um paralelogramo. e) Todas as afirmativas anteriores são incorretas. este fica decomposto em quatro triângulos congruentes. AB = 7cm e PC = 3 cm. Todo quadrado é um losango. Todo triângulo equilátero é isósceles. Vunesp Considere as seguintes proposições. UFOP-MG Assinale a alternativa incorreta: a) Em todo paralelogramo não retângulo. seu perímetro é: a) 27 d) 30 b) 25 e) 40 c) 20 164. Cesgranrio-RJ Em um trapézio retângulo. UECE Na figura. 165. e) ABCD não é um retângulo. II. Sendo ABCD um paralelogramo AP é bissetriz. I. 7 Determine a medida de seus ângulos internos. Se a altura do trapézio é 4. IV. Num trapézio retângulo. a) ABCD é um losango. d) duas são verdadeiras e duas são falsas. 160. Todo retângulo é um paralelogramo. c) só uma é falsa. d) Ligando-se os pontos médios dos lados de um triângulo. O maior ângulo desse polígono mede: a) 155° d) 142° b) 150° e) 140° c) 145° 131 .Capítulo 3 157. 158. c) ABCD não é um trapézio. o menor ângulo mede 35°. vale a relação: a) A ⊃ D ⊃ E b) A ⊃ F ⊃ D ⊃ B c) F ⊂ D ⊂ A d) A ⊃ F ⊃ B ⊃ C e) B ⊂ D ⊂ A ⊂ E 159. perímetro igual 24 cm. o perímetro da figura fechada ABCDEFGHIA é igual a: PV2D-07-MAT-24 161. o menor ângulo é 5 do maior. Pode-se afirmar que: a) só uma é verdadeira. Qual o perímetro da figura resultante? D = { x / x é losango} E = { x / x é trapézio} F = { x / x é paralelogramo} 163. a) 48 m b) 49 m c) 50 m d) 51 m 166. 162. PUC-SP Sendo: A = { x / x é quadrilátero} B = { x / x é quadrado} C = { x / x é retângulo} Então. d) ABCD não pode ser um quadrado. UFRJ De um retângulo de 18 cm de largura e 48 cm de comprimento foram retirados dois quadrados de lados iguais a 7 cm. Se D é o ponto médio de CI. e) todas são falsas. Num quadrilátero convexo ABCD os ângulos inter nos são expressos por: Â = 2x + 10°.

b) Apenas I e II são verdadeiras. 175. No trapézio ABCD. é: a) b) c) d) e) 65 55 80 60 75 179. quais são as medidas dos três ângulos de cada um dos triângulos considerados? 168.167. b) os ângulos adjacentes à base menor não são congruentes. então esse paralelogramo é um losango. ABCD é um quadrado e ABM é um triângulo eqüilátero. A diferença entre as medidas de dois ângulos internos de um paralelogramo é 36°. em graus. 172. uma diagonal é também bissetriz de um ângulo adjacente à base maior. determine as medidas dos ângulos obtusos do trapézio. AB = BC = CD. d) as duas diagonais se interceptam no seu ponto médio. c) Todo quadrilátero convexo que tem diagonais perpendiculares é losango. 178. formando ângulo reto. FGV-SP A diagonal menor de um losango decompõe esse losango em dois triângulos congruentes. A medida do ângulo α. Determine a sua altura sabendo que as diagonais são bissetrizes dos ângulos internos agudos. e) Apenas III é verdadeira. c) a base maior tem medida igual à dos lados oblíquos. Sendo 72° a medida do ângulo agudo formado pelas diagonais AC e BD. ABCD é um quadrado e APD é um triângulo eqüilátero. d) Todo quadrilátero convexo que tem as diagonais congruentes é retângulo. a) Todas são verdadeiras. quanto mede o ângulo CMD? . de bases AB e CD. c) ABCD é um paralelogramo. a) Em todo paralelogramo a diagonal maior está nas bissetrizes dos ângulos agudos b) Em todo paralelogramo as diagonais não são perpendiculares. O ângulo menor desse paralelogramo mede: a) 45° d) 60° b) 50° e) 65° c) 55° 170. e) ABCD é um quadrado. sabe-se que: AB = AD = BC e AC = CD. Quaisquer dois ângulos opostos de um quadrilátero são suplementares. Sobre um quadrilátero convexo ABCD a única afirmativa errada é: a) a soma das medidas dos ângulos internos de ABCD é 360°. Num trapézio isósceles ABCD. da figura abaixo. Um trapézio isósceles tem bases 5 cm e 11 cm. Sendo α a medida dos ângulos agudos do trapézio e 2α a medida dos ângulos obtusos. b) ABCD é um trapézio. e) as diagonais se interceptam. Isso significa que: a) a base menor tem medida igual à dos lados oblíquos. Mackenzie-SP Na figura. Num trapézio isósceles ABCD. II. III. 176. 177. Se as diagonais de um paralelogramo são perpendiculares entre si e se cruzam em seu ponto médio. UFV-MG Num trapézio isósceles de bases diferentes. Assinale a afirmativa verdadeira. c) Apenas II e III são verdadeiras. d) ABCD é um retângulo. Unifesp Em um paralelogramo as medidas de dois ângulos internos consecutivos estão na razão 1 : 3. e) Um trapézio pode ter diagonal na bissetriz do ângulo agudo. Calcule a medida do ângulo CAD. ITA-SP Dadas as afirmações: I. determine em graus o maior ângulo formado pelas diagonais AC e BD. Calcule as medidas dos ângulos internos desse paralelogramo. 171. d) Apenas II é verdadeira. Quaisquer dois ângulos consecutivos de um paralelogramo são suplementares. 169. 173. Então. Se cada ângulo obtuso do losango mede 130°. AB = BC = CD. 132 174. UFIt-MG Na figura abaixo.

UFES Na figura. de modo que o vértice A coincida com C (figura 2). FGV-SP A medida do ângulo ADC inscrito na circunferência de centro O é: a) a) b) c) d) e) 125° 110° 120° 100° 135° PV2D-07-MAT-24 b) 187. determine:  a) a medida do ângulo A MB . Capítulo 4 182. como mostra a figura 3. calcule o valor de x. M e N fiquem alinhados após a segunda dobradura. UERJ Uma folha de papel (figura 1) de formato retangular é dobrada no segmento MN. Calcule x em cada figura: 186. 184. a medida de α em graus é: b) a) b) c) d) e) 50 52 54 56 58 183. a medida do ângulo central correspondente a um desses arcos. P e Q pontos médios dos lados do paralelogramo: a) classifique o quadrilátero hachurado. N. UFV-MG Qual é o valor do ângulo α na figura? a) b) c) d) e) 55° 65° 35° 110° 130° a) 185. Nas figuras. Considere o paralelogramo ABCD de área 100 cm2 da figura a seguir. b) a razão entre o menor e o maior lado do retângulo ABCD. Sendo M. Para que os pontos B. UFPB Dividindo uma circunferência qualquer em exatamente trezentos arcos iguais. considere. b) determine a área do quadrilátero hachurado. 133 . como um trento. Em seguida. dobra-se a folha no segmento AM.180. 181.

em graus. da circunferên cia acima. Sobre a soma dos ângulos opostos B A D e  BC D. e  o ângulo AC B mede 20°.  Na figura abaixo.a) Sendo C um ponto da circunferência distinto de A  e B. Na figura abaixo. como medida. Indique o valor do ângulo α. 189. Calcule a medida do segmento PM. o triângulo ABC é retângulo em A. podemos afirmar que vale: a) 5 · 180° d) 180° b) 3 · 180° e) 90° c) 2 · 180° 134 . UFPE Na figura abaixo. UEM-PR Considere ABC um triângulo inscrito em uma semicircunferência de diâmetro BC cuja medida do ângulo C é 20°. o triângulo ABC está inscrito na circunferência de centro em O. do ângulo formado pela altura e pela mediana relativas à hipotenusa. o menor arco com extremidades A e D mede 110°. calcule o valor de x. e CND 190. ABCDE é um pentágono regular. Na circunferência de centro O da figura. 191. Calcule x e y. Cesgranrio-RJ Em um círculo de raio 5 está inscrito um quadrilátero  ABCD. 197. mostre que o ângulo BCA é reto. b) N é um ponto médio do lado AC. 193. Determine a medida do ângulo agudo formado pela mediana AM e a altura AH do triângulo. em graus. Na figura abaixo. e AB é um diâmetro. 192. distinto de A e B. o ângulo AV B inscrito tem. Que representa o ponto I para o triângulo ABC? 196. em trentos: a) 25 d) 100 b) 50 e) 125 c) 75 188. Na figura abaixo. calcule a medida dos arcos AMB . 195. determine x. AB = 18 cm é o diâmetro da circunferência de centro M. 194. Sendo AB um diâmetro e V um ponto. Determine a medida.

os segmentos de reta AP e DP são tangentes à circunferência. Sejam P. Por um   ponto P traçam-se uma tangente PT e uma secante   PS . O valor de x é: a) b) c) d) e) 36° 48° 50° 52° 54° 203. Unifor-CE Seja uma circunferência λ de centro O. que contém o ponto O. a reta TA é tangente à circunferência de  centro O no ponto A.   Sabendo que OR P = 20° e RO Q = 80°.198. o arco ABC mede 110 graus e o ângulo CAD mede 45 graus. UFRR Na figura. tais que P e Q estão no mesmo lado de um diâmetro que passa por R. e a medida do ângulo TA B é 40°. Q e R pontos de uma circunferência de centro O. Unifei-MG Considere a semicircunferência de centro O da figura abaixo e a reta r. calcule o  O. sabendo  que o arco AB mede 100° e que a corda CD mede R. em graus. do ângulo assinalado. 204. 199. do ângulo APD é: a) b) c) d) e) 15 20 25 30 35 PV2D-07-MAT-24 As relações entre os ângulos α.: Use o fato de que 90° = rad. é: a) 85° b) 75° 30’ c) 65° d) 57° 30’ e) 45° 205. determine a medida do ângulo α. 2 2  c) θ = + β e α = 3θ. β e θ são:  Obs. 4 d) β = 2θ e α = β – θ. tangente a esta semicircunferência pelo ponto A.   Num quadrilátero ABCD. Na figura. a medida θ. Se U ∈ PS. 200. 135 . Mackenzie-SP O quadrilátero ABCD da figura é inscritível. UFES Na figura. Calcule a medida do ângulo ACD. ABD = 40°  e C = 122°. temos A = 58°.  a medida em graus do ângulo BA C é igual a: a) 30 b) 45 c) 55 d) 70 e) 85 202. Sabendo que o triângulo ABC é isósceles de base AB. como mostra a figura seguinte. 2  a) α = β e θ . 2    b) β = eθ= . sendo R o raio do círculo. ângulo PQ 201. A medida.

209. e) um segmento de reta que pertence a uma semireta que forma com Oy um ângulo congruente a um dos ângulos do esquadro. calcule x. Unicamp-SP Na figura abaixo. indique a trajetória descrita pelos seus pés enquanto a escada escorregava. 212. Se LM = LN e a medida do ângulo PNL é α. Vunesp Em um quadrilátero ABCD tem-se AB = AC = AD. Calcule x. Se os pés de Joãozinho mantiveram-se firmes no degrau do meio. As extremidades da hipotenusa de um esquadro. Na figura. a reta PQ toca em N o círculo que passa por L. quanto mede o ângulo LRP? b) e) c) a) 3α – 180° b) 180° – 2α c) 180° – α 136 d) 90° – α / 2 e) α . c) um arco de parábola. Sabe-se que o ângulo BAC mede 20°. a) uma circunferência. Então o ângulo BDC mede: a) b) c) d) e) 5° 10° 15° 20° 40° a) d) 210. A trajetória descrita pelo vértice A do ângulo reto do esquadro é: 207. Quando os seus dois pés estavam no meio da escada. conforme a figura abaixo. b) um arco de circunferência com medida menor que 180°. α > 60°. temos uma circunferência de centro O e raio r. 211. Na figura. M e N. Sabendo que o segmento BC mede r. d) um segmento de reta paralelo a Oy. prove que a   medida do ângulo ABP é 1/3 da medida do ângulo AOP. Joãozinho estava subindo em uma escada apoiada em uma parede. A reta LM corta a reta PQ em R. apoiado em um plano. Sendo O1 e O2 os centros das circunferências da figura. 208.206. de modo que a extremidade superior descreve uma trajetória vertical até atingir o chão. se deslocam em duas semi-retas perpendiculares. α = 20° e PA têm a mesma medida do raio da circunferência de centro O. esta começou a escorregar.

Se a distância entre os centros é 6 cm. Na figura os pontos P e Q representam as traves do gol de um campo de futebol. quantas voltas terá dado a roda menor quando a maior tiver rodado 80 voltas. respectivamente. 220. Entre os pontos A. Calcule o raio da menor circunferência tangente externamente às duas circunferências dadas. Na figura o ponto Q enxerga AB sob ângulo de 50°. e a distância entre seus centros é 3. 218. Quantas são as retas de  que tangenciam C1 e C2? a) Infinitas d) 1 b) 3 e) 0 c) 2 217. supondo que não haja deslizamento. com centros distantes 12 cm. com raio R. tendo rodas de tamanhos distintos. Seja N a quantidade de tangentes comuns às duas circunferências. que tangenciam a reta r nos pontos P e Q. Se a distância entre os centros é 28 cm e a diferença entre os raios é 8 cm. PV2D-07-MAT-24 A B C D E 222. B. Duas circunferências tangentes externamente têm raios r = 2 cm e R = 3 cm. ao serem apoiadas no solo horizontal. c) maior que 50°. como indicado na figura. são tangentes simultaneamente às duas circunferências dadas? 216. se os raios da roda maior descrevem um ângulo de 60°. As circunferências da figura são tangentes externamente. do ângulo descrito pelos raios da roda menor. b) Quando a bicicleta avança. respectivamente. podem ser representadas no plano (desprezando-se os pneus) como duas circunferências. com o raio da roda maior (dianteira) medindo 3 dm. Duas circunferências são tangentes internamente e a soma dos raios é 30 cm. Então. Determine o(s) ponto(s) de AP que enxerga(m) AB sob um ângulo: a) Determine a distância entre os pontos de tangência  P e Q e o valor do seno do ângulo BPQ . Calcule. o raio da roda menor medindo 2 dm e a distância entre os centros A e B das rodas sendo 7 dm. sabendo que as duas primeiras são tangentes internamente à terceira. determine os raios. C. Sendo AB = R + r. UEMS As circunferências C1 e C2 estão contidas no plano . Calcule o menor raio de uma terceira circunferência. Considere duas circunferências de centros A e B com raios R e r (R > r). determine os raios. 221.213. o único valor que N não pode assumir é: a) 1 d) 4 b) 2 e) ∞ c) 3 223. Vunesp Paulo fabricou uma bicicleta. Seus raios são 1 e 2. D e E. também. Considere duas circunferências de raios r = 4 cm e R = 6 cm. de centros A e B. em graus. A distância entre os centros de duas circunferências tangentes internamente é 5 cm. b) menor que 50°. As rodas da bicicleta. 219. 137 . determine os raios. Sejam λ1 e λ2 duas circunferências coplanares e com raios iguais. 214. a) igual a 50°. qual é o que enxerga o gol sob maior ângulo? a) b) c) d) e) 215. quantas circunferências distintas. Se a soma dos raios é 11 cm. determine a medida.

Unifesp Na figura. O primeiro polígono tem 3 lados a mais que o segundo. Quando o dispositivo é posto em funcionamento. A diferença entre o número de diagonais de dois polígonos é 27. O valor da soma das distâncias entre o centro deste novo círculo aos centros dos círculos C1 e C2 (isto é: OO1 + OO2 ).4 m. Unioeste-PR Na figura abaixo está representado um dispositivo em que OP e PQ são braços móveis de comprimentos respectivamente iguais a 22 cm e 75 cm.6 m c) 8 m 229. em centímetros. totalmente contido no interior de C1. com O sendo um ponto da reta r.224. enquanto Q executa um movimento de vai-e-vem sobre a reta r. Calcule o raio da única circunferência que é tangente internamente às seis circunferências dadas. a distância OC. respectivamente. Descubra esses polígonos. Sendo AB = 10 cm. Qual é a distância percorrida pelo ponto Q. Um polígono convexo tem 3 lados a mais que o outro. como ilustrado na figura abaixo. em centímetros? Capítulo 5 230. AC = 17 m e BC = 13 m. de modo que qualquer uma seja tangente exatamente a duas outras. Calcule o número de diagonais (d) e a soma das medidas dos ângulos internos (Si) de cada um dos polígonos convexos. Qual é o polígono convexo cujo número de diagonais é o triplo do número de lados? 234.2 m e) 4. simultaneamente tangente a C2 exteriormente e tangente a C1 interiormente. 235. a) Eneágono b) Dodecágono c) Tridecágono 231. o ponto P percorre uma circunferência com centro em O. Duas circunferências de centros A e B são tangentes externamente e tangenciam internamente uma circunferência de centro C. para que o ângulo AÔB de visão da estátua seja máximo. A B r O C Construímos um círculo C. a cada volta completa que P dá sobre a circunferência. Considere duas circunferências de centros A e B e raios de 4 cm e 2 cm.8 m b) 8. 138 . Determine os dois polígonos. 227. 228. de centro O. 233. de centro O1 e raio 14 cm e o círculo C2. Unir-RO Considere o círculo C1. sabendo que juntos têm 64 diagonais. é: a) 10 m d) 7. Calcule a razão entre os números de diagonais dos polígonos que têm 5 e 8 lados. Sendo AB = 12 m. Considere seis circunferências de raio r = 2 cm tangentes externamente. será máximo quando O for o ponto onde r tangencia uma circunferência que passa por A e B. de centro O2 e raio 2 cm.6 m sobre um pedestal BC de 6. respectivamente. determine os raios dessas circunferências. o segmento AC é perpendicular à reta r. Qual o polígono convexo que tem 170 diagonais? 232. Se AB representa uma estátua de 3. Sabe-se que o ângulo AÔB. é igual a: a) 8 d) 14 b) 10 e) 16 c) 12 226. determine: a) Quantas retas tangentes às duas circunferências dadas existem? b) Qual a medida do raio da menor circunferência tangente comum às duas circunferências dadas? c) Quantas circunferências distintas de raio 8 cm são tangentes simultaneamente às duas circunferências dadas? 225.

520°. II. 248. seu número de diagonais aumenta de 21. determine esses polígonos. O valor de x é: a) 60 b) 77 c) 104 d) 90 e) 83 238. Quais são os polígonos com os menores números de lados que têm a razão entre os números de diagonais 4 igual a ? 7 246. determine x. determine esses polígonos. Considere as afirmações sobre polígonos convexos: I. 247. em graus. Que polígono é esse? 139 PV2D-07-MAT-24 . Se a razão entre o número de diagonais e o de lados de um polígono é um número natural. Os números de lados de dois polígonos convexos têm razão 2. Um polígono convexo tem y diagonais e a soma das medidas de seus ângulos internos é x°. obtêm-se 36°. a) Todas as afirmações são verdadeiras b) Apenas (I) e (III) são verdadeiras c) Apenas (I) é verdadeira d) Apenas (III) é verdadeira e) Apenas (II) e (III) são verdadeiras 239. Não existe polígono cujo número de diagonais seja o quádruplo do número de lados. Sabendo que juntos eles têm 46 diagonais. 237. Calcule a razão. Os números de lados de três polígonos convexos são consecutivos. Calcule a soma dos ângulos a. d. Os números de lados de três polígonos são ímpares e consecutivos. III. A seqüência a seguir representa o número de lados (n) de um polígono convexo e seu número de diagonais (d).620° a soma de todos os ângulos internos dos três polígonos. Qual é a soma das medidas dos ângulos internos do polígono que tem o número de diagonais igual ao quádruplo do número de lados? 240. Dividindo-se a diferença entre a soma das medidas dos ângulos internos e a soma das medidas dos ângulos externos de um polígono convexo pelo seu número de diagonais. Qual a razão entre a soma das medidas dos ângulos internos e a soma das medidas dos ângulos externos de um dodecágono convexo? 241. Na figura abaixo. b. Sendo 1. entre a soma das medidas dos ângulos internos e o número de diagonais de um octógono convexo. 244. Existe apenas um polígono cujo número de diagonais coincide com o número de lados. Qual o polígono convexo que tem a soma dos ângulos internos excedendo a soma dos ângulos externos em 720°? 242. Qual a razão entre o número de diagonais e o número de lados de um icoságono convexo? 245. e indicados na figura.236. Sendo y igual a 3% de x. Quais são esses polígonos? 249. 250. então o número de lados do polígono é impar. calcule o valor de a + b + c + d. Aumentando-se o número de lados de um polígono de 3. 251. Juntos os ângulos internos dos dois polígonos totalizam 2. 243. Determine o número de lados desse polígono. c.

Calcule a soma dos ângulos assinalados na figura abaixo. c) a medida do ângulo interno desse polígono. UFSCar-SP A figura 1 representa um determinado encaixe no plano de 7 ladrilhos poligonais regulares (1 hexágono. 2 triângulos. b) o número de diagonais desse polígono.25 é: 140 260. adaptadas lado a lado. c) o número de diagonais. Dado um dodecágono regular ABCDE…. Então. Sendo ímpar o número de lados desse polígono. Qual a razão entre as medidas dos ângulos internos e dos ângulos externos de um icoságono regular? 258. ITA-SP De dois polígonos convexos. 256. Virar x graus à esquerda. 255. b) 2 são triângulos equiláteros e 4 são triângulos isósceles de ângulo da base medindo 30°. Em relação aos 6 ladrilhos triangulares colocados perfeitamente nos espaços da figura 1. b) a medida do ângulo interno. determine o seu número de diagonais. FAAP-SP A medida mais próxima de cada ângulo externo do heptágono regular da moeda de R$ 0. UFV-MG Sabendo-se que num polígono regular a soma das medidas dos ângulos internos com as medidas dos ângulos externos é 900°. c) 2 são triângulos isósceles de ângulo de base medindo 50° e 4 são triângulos isósceles de ângulo da base medindo 30°. Mackenzie-SP Os ângulos externos de um polígono regular medem 20°. um tem a mais que o outro 6 lados e 39 diagonais. d) a medida do ângulo agudo formado pelos prolongamentos dos lados AB e CD . é correto dizer que a) 2 são triângulos equiláteros e 4 são triângulos isósceles de ângulo da base medindo 15°. I. FGV-SP Analise as intruções a seguir. II. . Então. Uneb-BA Dizemos que um polígono pavimenta ou ladrilha um plano se cópias congruentes desse polígono. calcule: a) o número de lados desse polígono. pode-se afirmar que o menor valor positivo de x · y é: a) 144 d) 288 b) 162 e) 324 c) 216 261. sem sobreposições e cortes. 257. o número de diagonais desse polígono é: a) 90 b) 104 c) 119 d) 135 e) 152 259. Andar 4 metros em linha reta. IV. Assinale a alternativa que contém um polígono que pavimenta ou ladrilha um plano. a) pentágono b) eneágono c) pentadecágono d) hexágono e) octógono 262. 4 quadrados). que é menor em 40°. a) 60° b) 45° c) 36° d) 83° e) 51° 254. Todos os ângulos internos de um polígono convexo têm medidas iguais. cobrem o plano sem deixar buracos e sem a necessidade de superposições. Repetir y vezes os comandos II e III. Andar 4 metros em linha reta. como indicado na figura 2.252. calcule: a) a medida do ângulo externo. exceto um deles. III. Se as instruções são utilizadas para a construção de um pentágono regular. a soma total do número de vértices e de diagonais dos dois polígonos é igual a: a) 63 b) 65 c) 66 d) 70 e) 77 253.

sendo AB e PQ paralelos. Na figura.. Determine o número de diagonais desse polígono. 273. as bissetrizes   internas dos ângulos A e D interceptam-se no ponto  P. 141 . 272. O é o centro da circunferência e AB é o lado do polígono regular inscrito na circunferência. Determine AQ P.. regular de 30 lados. A medida do ângulo α é: a) b) c) d) e) 72° 54° 60° 76° 36° 274. α = 30°... Mackenzie-SP Na figura. 263. Fuvest-SP Na figura abaixo. Determine a medida do ângulo formado pelos prolongamentos dos lados AB e CD de um polígono ABCDE. ABCDE é um pentágono regular. Dado um decágono regular ABCDE. ABCDE é um pentágono regular. então.. Quantas diagonais tem esse polígono? 270. O ângulo externo de um polígono regular é igual ao dobro do seu ângulo interno. podemos concluir que o número de lados de um polígono é igual a: a) b) c) d) e) 5 6 7 10 12 271. inscritos na mesma  circunferência.d) 2 são triângulos equiláteros e 4 são triângulos retângulos isósceles. PV2D-07-MAT-24 268. Sabendo que o ângulo BPC mede 18°. A medida. a área desse polígono é: a) b) c) d) e) 32° 34° 36° 38° 40° a) b) c) 4 3 6 3 8 3 d) 12 3 e) 16 3 266. e) 2 são triângulos equiláteros e 4 são triângulos escalenos. EF é paralelo a AB e BF é paralelo a AE. em graus. do ângulo α é: 269. a medida do ângulo APD é: a) b) c) d) e) 68° 82° 108° 112° 120° 267. Determine o número de lados de um polígono regular convexo cujo ângulo externo é a quinta parte do ângulo interno. As mediatrizes de dois lados consecutivos de um polígono regular formam um ângulo de 18°. P e C pertencem a uma mesma circunferência γ e BC é lado de um polígono regular inscrito em γ. Qual o polígono regular que tem ângulos internos com 156°? 264. 265. Mackenzie-SP Na figura. Num polígono regular a medida de cada ângulo interno excede a medida de cada ângulo externo em 108°. Determine o número de diagonais desse polígono. Se o comprimento da circunferência é 4π. Fuvest-SP Os pontos B. AB é lado do pentadecágono regular e PQ o lado do hexágono regular.

ABCDE é um pentágono regular e AEF é um triângulo eqüilátero. quantos lados tem o terceiro polígono? O ângulo obtuso que as bissetrizes internas dos ângulos B e C do triângulo ABC formam entre si é igual a: a) 82° 30’ d) 98° b) 96° e) 98° 30’ c) 97° 30’ 276. a) b) 142 . Capítulo 6 281. Determine o valor de x nos casos a seguir. Na figura. n 2 280. 277. a b c 2 b) Se um polígono regular tem 12 lados e outro tem 6 lados. b e c e estão dispostos conforme figura a seguir: 278. Dê a expressão que fornece a medida de cada um dos ângulos internos das pontas da estrela. são prolongados para formar uma estrela. para revestir um piso com ladrilhos cuja forma é um polígono regular de n lados. UFG-GO Mostre que. e tal que o ângulo PEA mede 12°. Seja P um ponto sobre o segmento  BF. Os números de lados de três polígonos regulares são a. do ângulo PA C. a) Prove que 1 1 1 1    . em graus. é necessário 2n que seja um número inteiro. O número total das diagonais nestes três polígonos é igual a: a) 63 d) 97 b) 69 e) 106 c) 90 279.275. s e t retas paralelas.780°. como mostra a figura abaixo. a corda AB é o lado de um pentágono e o ângulo A do triângulo ABC mede 15°. Os lados de um polígono regular de n lados. UFRR Na figura abaixo. no interior de ABCDE. sendo r.  Calcule a medida. n > 4. Sabe-se que o produto destes três números é igual a 585 e que a soma de todos os ângulos internos dos três polígonos é igual a 3. ITA-SP Considere três polígonos regulares tais que os números que expressam a quantidade de lados de cada um constituam uma progressão aritmética. AD é o diâmetro da circunferência.

sabendo que o segmento compreendido entre a primeira e a quarta paralela mede 60 cm. t e u são paralelas. d) 10. Unicamp-SP A figura mostra um segmento AD dividido em três partes: AB = 2 cm. Determine os valores de x e y. e) 12. as retas r. respectivamente. CG = x. b) 4. 6 cm e 9 cm. como mostra a figura. O segmento AD’ mede 13 cm e as retas BB' e CC' são paralelas a DD'. Sendo AB = 8. Na figura as retas r. Determine os comprimentos dos segmentos que esse mesmo feixe determina sobre uma outra transversal. sabendo-se que a frente total para essa rua é 120 m? b) c) 286. BC = 9. UFR-RJ Pedro está construindo uma fogueira representada pela figura abaixo. Determine os comprimentos dos segmento AB '.c) 284. Um feixe de quatro paralelas determina sobre uma transversal três segmentos que medem 5 cm. 143 . CF = y e EF = k (x + y). d) a) b) 282. CD = 10. Três terrenos têm frente para a rua A e para rua B. Qual a medida da frente para a rua B de cada lote. BC = 3 cm e CD = 5 cm. a) c) 8 19 9 19 1 2 d) e) 17 27 8 27 285. c) 6. determine k. 283. As divisas laterais são perpendiculares à rua A. s. Ele sabe que a soma de x com y é 42 e que as retas r. s e t são paralelas. PV2D-07-MAT-24 A diferença x – y é a) 2. s e t são paralelas. 287. Nas figuras. B ' C ' e C ' D '.

Determine os lados desse triângulo. Mackenzie-SP Na figura temos r//r’ e s//s’. O perímetro do triângulo ABC é: 292. UFMG Observe a figura. Na figura. DG + EH + FI = 18. respectivamente.  sendo BS a bissetriz interna do ângulo B. ED = 8 cm. O perímetro de um triângulo ABC é 100 cm. na figura 2. DE é paralelo a . AD = DE = EF = FB . DG // EH // FI // BC . Então. Determine a medida do lado AB do DABC sabendo que AS é bissetriz. o valor da abscissa x é: 291. No trapézio da figura AE = 4 cm. 289. Então. 144 . e que o perímetro do DABC mede 75 cm.  Se AS é bissetriz de A. 294. Calcule CD. O triângulo ABC é equilátero. calcule x nos casos: a) b) a b b b) ab e a a c) e ab b a) ab e d) e) b e ab a a e 1 b b c) 295. BC é paralelo a DE e. AB = 3 cm e BF = 5 cm. respectivamente: 290. para todo a > 1. UFRGS-RS Na figura 1. calcule os valores de x e y. A bissetriz  interna do ângulo A divide o lado oposto BC em dois segmentos de 16 cm e 24 cm. x e y valem.288. a) 12 b) 24 c) 36 d) 48 e) 54 293.

mostre AG que =2. GM1 299. calcule . BC = 4 e AC = 2. DM vale: No triângulo ABC da figura. o triângulo ABC é retângulo em A. a) 5/2 b) 2/5 c) 7/20 d) 5/7 e) 1 Na figura abaixo. 304. calcule PT. AB = 5 cm. Os lados de um decágono regular medem 2 cm. AB = 9 cm. Fuvest-SP Um triângulo ABC tem lados de comprimentos AB = 5. Unicamp-SP d) a + 1 e) a +1 300. Então. AC = 12 cm e BC = 7 cm. RT // AC e QC = 2 cm. Os lados do retângulo da figura medem AB = 3 cm e  BC = 4 cm.a) 2a b) a2 c) (a + 1) 2 296. No triângulo abaixo. calcule DI 297. Sendo AI . Sendo AD    BAD = DAE = EAC com EC = 2 BD. I é o incentro do triângulo ABC. No triângulo ABC da figura. AD é a bissetriz do ângulo BÂC. 145 . Usando o teorema de Tales. Na figura abaixo. Sejam M e N os pontos de AB tais  que CM é bissetriz relativa ao ângulo ACB e CN e a altura relativa ao lado AB . AB = 5 cm. obter a medida AB. AB = 5 m e AC = 8 cm. determine PD. Na figura abaixo. 301. AM é a mediana relativa à hipotenusa. QR // AB . AC = 7 cm e BC = 8 cm. calcule DE. Sendo PQ // BC. Sendo AEB = 45°. AC = 10 cm e BC = 9 cm. AE PV2D-07-MAT-24 305. No triângulo ABC da figura. Sendo AD bissetriz do ângulo BAC e DE // AB . AM1 e BM2 são medianas do triângulo ABC. Calcule o raio da circunferência circunscrita ao decágono. 302. 298. 303. Determinar o comprimento de MN .

a área do triângulo ABC. s e t. em metros. PUC-SP Na figura a seguir. em cm. a medida do segmento AM é: 310. r. Quanto mede o segmento AE? a) b) c) d) e) 136 306 204 163 122 309. BP = 5 m e DP = 40 m. UFMS Na figura abaixo. e o segmentos de reta BC e MN são paralelos. utilizouse o esquema indicado pela figura abaixo.Capítulo 7 306. Dados que BC = 10. AB = 15 cm. onde os segmentos AB e CD são paralelos. o comprimento CD da lagoa. UFAC Na figura abaixo. representa três retas coplanares e paralelas. UFPA Na figura a seguir. Sendo EC //AB . em cm2. qual o valor de EC? Sabendo-se que AB = 36 m. Sendo EC paralelo à AB . 311. o valor de EC . é: a) 248 b) 368 c) 288 d) 208 e) 188 146 . AD = 12 e CD = 4. Unisa-SP Na figura abaixo. a) b) c) d) e) 9 5 6 7 10 Sabendo-se que PQ = 3 cm. MN = 5 e MB = 6. AB = 136. AD = 12 cm e //AB CD = 4 cm. CE = 75 e CD = 50. 308. ABC é um triângulo. os segmentos AB e CD são paralelos. UFV-MG Para determinar o comprimento de uma lagoa. calcule. tais que a distância entre r e s é igual a 2 cm e a distância entre s e t é igual a 6 cm. é: a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 307. AB = 15.

o quadrado ABCD está inscrito no triângulo AMN. em milhões de toneladas. a produção de café nesse município foi.312. UFMG Nesta figura. Então. Sabendo-se que BMNO é um quadrado com todos os vértices sobre os lados do triângulo ABC. cujos lados AM e AN medem. respectivamente. Mackenzie-SP Na figura. o lado do quadrado mede: PV2D-07-MAT-24 a) b) mn m n m 2  n2 8 De acordo com o gráfico. é correto afirmar que. m e n: a) b) c) d) 24 28 32 36 317. Cefet-MG Na figura. AB = 4 e PR = 1. Se a medida de FG é 10. ABCD é um quadrado inscrito no triângulo EFG. Mackenzie-SP Na figura AC = 5. O valor de RQ é: c) d) m n 4 mn 2 315. em certo município do estado do Paraná.5 1. o perímetro do quadrado é: a) b) c) e) e) 20 15 18 16 17 316.2. em milhões de toneladas: 147 . em 1998. a) b) c) d) e) 2 2. indique a soma dos digitos da medida do lado do quadrado. o perímetro desse quadrado é igual a: 314. Considerandose que BG = 9 e CF = 4. UFPE O triângulo ABC ilustrado na figura abaixo tem lados medindo AB = 7 e BC = 13.5 1 33 313. ABC é um triângulo retângulo em A e DEFG é um quadrado inscrito nesse triângulo. UEL-PR O gráfico a seguir mostra a atividade de café.

Ulbra-RS h estão sepa2 rados por uma distância de 16 m. nos dois intervalos do período considerado. uma esfera localizada sobre um plano horizontal projeta uma sombra de 10 metros. a partir do solo. perpendicular à sombra BA. C. UERJ O gráfico a seguir representa. a queda das reservas internacionais de um determinado país no período de julho de 2000 a abril de 2002.a) 9. de modo que AP = x cm. 320. b) calcule o raio da esfera. 319. A medida do lado do losango é: a) 4 c) 5 b) 4. BC = 12 e BFDE é um losango inscrito no triângulo ABC. Calcule a medida de PQ em função de x. a altura em que se cruzam os cabos. e admitindo A. em maio de 2001. UFMG a) b) c) 6 5 7 4 9 5 d) e) 3 2 5 4 Nela. a queda de reservas tenha sido linear. Unifesp Em um dia de sol. h e 318. AB = 8. conforme mostra a figura. os lados medem AB = 12 cm e AD = 16 cm. A medida de AE é Sendo C o centro da esfera. em bilhões de dólares.8 d) 5. Unifra-RS Na figura abaixo. Por esse ponto P traça-se o segmento PQ .5 b) 9 c) 10. a) b) c) Admita que. é: Dois postes de alturas. h m 4 h m 3 3h m 4 d) 8 m e) 4 m 322. BD um segmento que passa por C. Unifei-MG No retângulo ABCD da figura abaixo. os ângulos assinalados são iguais. D e T coplanares: a) justifique por que os triângulos ABD e CTD são semelhantes. em bilhões de dólares. como indica a figura. em metros. Se os postes são unidos por dois cabos.5 d) 11 e) 12. paralelo à diagonal AQ . Determine o total de reservas desse país. B. AC = 2 e AB = 6.5 321. a partir do ponto B em que está apoiada ao solo. T o ponto de tangência de um raio de luz. Toma-se um ponto P sobre o lado AD .2 148 . sabendo que a tangente 1 do ângulo BÂD é 2 323.

respectivamente.: A altura do triângulo equilátero de lado d é 329. PV2D-07-MAT-24 Uma paralela ao lado BC intercepta os lados AB e AC nos pontos D e E. a) 5 m b) 3 m c) 2 m d) 4 m e) 8 m 325. b) calcular a área do triângulo ABC. sobe uma ladeira com inclinação de 30°. dos campos P e G. 56 km e 120 km de um ponto A do litoral.80 m de altura. como mostra a figura abaixo. o lado d do losango mede: Nessas condições. Unicamp-SP Um homem. 2 Obs. As dimensões são: AC = 1. a altura da extremidade A em relação ao chão é: a) b) 3m 3 3 m c) d) e) a) calcular o comprimento da sombra do homem depois que ele subiu 4 metros ladeira acima. c) 44 km de A e a 44 km de B.2 m. Na figura abaixo. Vunesp Uma gangorra é formada por uma haste rígida AB. como mostra a figura.8 m e CD = CE = 1 m. d) 24 km de A e a 64 km de B. 327. DE e EC do trapézio BDEC. No ponto A está um poste vertical de 5 metros de altura. BC = 8 m e AC = 6 m. com uma lâmpada no ponto B.: Área de   2 do ∆ e α o ângulo compreendido entre b e c. de 1. consideremos os quadrados de lados a e b (a > b). 6 3 m 5 5 3 m 6 2 2 m  3 . Quando a extremidade B da haste toca o chão. pode-se afirmar que o pólo de gás deve ficar situado a: a) 74 km de A e a 14 km de B. Calcule o valor de x. Pede-se para: 328. b c  sen . UFES Os campos de petróleo Peroá (P) e Golfinho (G) distam. o qual estamos supondo retilíneo (veja a figura abaixo). respectivamente. 149 . conforme mostra a figura. e) 14 km de A e a 64 km de B. CB = 1. FGV-SP Os lados do triângulo ABC da figura a seguir são: AB = 28 cm. sabendo que o seu perímetro é 74 cm. b) 64 km de A e a 24 km de B. Deseja-se construir no litoral um pólo de gás que fique situado à mesma distância dos campos P e G. respectivamente. 326. Se AB = 12 m. AC = 21 cm e BC = 35 cm. Cesgranrio-RJ O losango ADEF está inscrito no triângulo ABC.324. Determine a medida dos lados BD. A distância do ponto A ao ponto B é de 88 km. apoiada sobre uma mureta de concreto no ponto C. em que b e c são lados Obs. Os pontos A e B são os pontos do litoral que estão mais próximos.

Se. mede 12 m. a sombra da pessoa passou a medir: a) 30 cm. PUC-RS Para medir a altura de uma árvore. em que P é o ponto de interseção desta paralela com o prolongamento do lado AC (figura). Na figura seguinte. B e C estão alinhados.5 e) 16. obtemos um ponto E e os triângulos ECD e EAB. demonstre que OP  a b 333. podemos afirmar que: 1 a) y = xz b) y = xz 2 335. A altura do poste é: a) 6 m b) 7. a sombra projetada de um poste mede 2 m. sendo 12 cm e 4 cm as medidas das bases do trapézio. No mesmo momento. PB = y e PC = z. relativas aos lados que são bases do trapézio.0 337. 338. determine a altura do triângulo ACD relativa ao lado CD . a sombra de um bastão vertical de 1 m de altura mede 0. UCMG A medida. em que AD é a mediana relativa ao lado BC . PUC-SP a b . projetada pelo Sol sobre um chão plano.0 d) 15. a) b) c) d) e) MN  MP  2BM MN  MP  2CM MN  MP  2AB MN  MP  2AD MN  MP  2AC 331. em metros. Prolongando-se os lados oblíquos às bases do trapézio ABCD da figura.0 b) 8. 334. é: a) 3.2 m c) 12 m d) 20 m e) 72 m 336. ESPM-SP Na figura a seguir. no momento em que ambas estavam em posição vertical em relação ao terreno. e) 90 cm. Fuvest-SP A sombra de um poste vertical. Por um ponto arbitrário M do segmento BD . UEMS A sombra de uma pessoa que tem 1. verificando-se que. a vassoura projetava uma sombra de 2 m e a árvore. Dois circulos de raios R e r são tangentes exteriormente no ponto A. b) 45 cm. Nesse mesmo instante.6 m. Sendo C e D os pontos de tangência de uma reta t externa. mais tarde.80 m de altura mede 60 cm. com os dois círculos. Se N é o ponto de interseção de AB com MP . Determine a relação entre as alturas dos dois triângulos. do segmento AD da figura abaixo é de: c) y 2 = x · z d) 1 1 1   y x z xy xy e) z = 332. Se PA = x.5 m. c) 50 cm. em metros. tracemos o segmento MP paralelo a AD . d) 80 cm.330. podemos afirmar que: a) b) c) d) e) 4 5 6 8 10 150 . de 16 m. a sombra do poste diminui 50 cm. a seu lado. os pontos A. A altura da árvore. foi usada uma vassoura de 1.0 c) 12. ITA-SP Considere o triângulo ABC.

a outro lado mede 60°. BC = 10 cm e EC = 4 cm. Com base nesses dados. a distância mínima que o atacante terá que percorrer para encontrar a trajetória da bola será de: 344. a um lado. de modo que três pontos quaisquer de A não são colineares. Unifor-CE Na figura abaixo. 342. mas não paralela à lateral. é correto afirmar: 01. para que a enxurrada escoe junto ao meio-fio da calçada. 16. Se. a) b) c) d) e) 18. calcule a altura IE do triângulo ABI. conforme a figura. A bola.6 m 20 m 20. Sabendo-se que a linha de meio do campo está a uma mesma distância dos dois jogadores. situado 32 m a sua frente em uma linha paralela à lateral do campo de futebol. 343. • os segmentos AB e CD medem. tem-se AB = 6 cm. sabendo que a altura do trapézio é 8 e que seus lados paralelos medem 6 e 10.339. FEI-SP Na figura. UFPE No trapézio ABCD.4 m 345. então eles são congruentes. Em um triângulo eqüilátero. UFBA Com base nos conhecimentos sobre geometria plana.8 m 19. o ângulo agudo formado pela altura relativa. Em um paralelogramo. então a menor diagonal mede 1 cm. • P é o ponto de interseção dos segmentos AD e BC. em centímetros. 10 uc e 30 uc.2 m 19. entretanto. a profundidade da enxurrada é de 4 cm e 151 PV2D-07-MAT-24 . junto ao meio-fio. segue uma trajetória retilínea. 02. Unifei-MG As ruas bem projetadas e construídas têm sarjetas com inclinações adequadas. se dois lados formam um ângulo de 150° e medem 1 cm e 13 cm. Fuvest-SP Um lateral L faz um lançamento para um atacante A. 04. então o número de triângulos que se pode formar com vértices pertencentes a A é igual a n(n − 1)(n − 2) . Se dois triângulos têm a mesma altura relativa a um lado comum. Se A é um conjunto formado por n pontos coplanares. 6 Some os números dos itens corretos. calcule a àrea do triângulo APB em ua. respectivamente. UFBA Considere a figura em que: • a distância entre as retas paralelas r e s é igual a 20 uc . é igual a: a) b) c) e) 12 5 5 2 2 2 2 3 d) 3 341. x mede: a) 3 8 3 c) 4 b) d) e) 4 5 5 3 340. e quando passa pela linha de meio do campo está a uma distância de 12 m da linha que une o lateral ao atacante. A medida de DE. 08. e pela mediana relativa. Se dois triângulos semelhantes têm a mesma área. então eles são congruentes.

a declividade da sarjeta é de 1 : 5. marca o ponto D. a superfície de contato da água com a superfície sólida da calçada e da sarjeta. de modo que a linha visada AP seja perpendicular à linha AC. a distância d indicada na figura.25 27. e sendo o quadrilátero ABCD um paralelogramo. Determine x e y nos casos: a) 152 . AE = 36 cm e DF = 8 cm. é igual a: a) b) c) d) e) 20 22 24 26 30 Sabendo que h = 200 cm. o comprimento de BC. é igual a a) b) c) d) e) 24. onde marca um ponto B a 3 m de C. 17 351. calcule o perímetro molhado.00 29.75 349. FVG-SP Dados AB = 18 cm.00 52. de A até um ponto C qualquer. ela caminha perpendicularmente à linha AC. em metros. Constata. isto é. uma pessoa. então. 348. Fadi-SP A vista lateral do piso superior de um chalé é em forma de um triângulo isósceles. em cm. conforme mostra o desenho.25 48. UFMT Considere a posição da escada na figura abaixo. 347. pode determinar a distância em que se encontra da base de uma árvore do outro lado do rio. UFS-SE Na figura abaixo. Em seguida. Para tanto. Cefet-SP Com uma trena e um esquadro em mãos. fixa e estica um barbante de 39 m. em A. em cm: a) b) c) d) e) 9 10 12 15 16 350. são dados AC = 8 cm e CD = 4 cm. Em uma das caídas do telhado principal. calcule . que a linha CD tem 4 m. b) 346. quando vê B alinhado com a árvore. Assim. há uma janela alojada sob um pequeno telhado. afastando-se do rio e. e que o comprimento da H escada é H cm. a partir de C. A medida de BD é.

359. uma pessoa cujos olhos estão a 1. UFRGS-RS Para estimar a profundidade de um poço com 1. o ponto P. A’C’ = b. b) a medida da altura relativa à base. Mackenzie-SP Na figura. em cm. PV2D-07-MAT-24 Determine a medida do lado AD. em função de a e r: a) a medida do lado AB do triângulo. inscreve-se uma circunferência de raio 3 cm.10 m de largura. B’C’ = a.85 m c) 3. C = 80°. Dessa forma. em cm. aproximadamente: a) 57 d) 77 b) 60 e) 81 c) 63 352. Calcule a medida do segmento paralelo às bases. é a) 9 b) 10 c) 11 d) 12 357. UFS-SE Num triângulo isóceles ABC com AB = AC . Cefet-MG Num triângulo isósceles de altura 8 cm. os segmentos AP e PB medem 14 cm cada um   e os ângulos DAP e PAB têm a mesma medida. que divide o trapézio considerado em dois trapézios semelhantes. como mostra a figura. contido no lado CD.52 m b) 3. Considere um trapézio de base a e b.60 m do chão posiciona-se a 0.30 m 353. então x vale: 2 a) – 1 + 2 a) b) c) 5 3 4 3 3 d) 2 3 b) 1 c) 2 2 2 d) 1 + 2 e) 2 358. Calcule. a pessoa conclui que a profundidade de poço é: a) 2. B =60° e  = 40° Qual a razão entre as áreas dos triângulos ABC e A’B’C’? 356. 153 .00 m e) 3. 355. e AD = 1. UFRGS-RS Considere a figura abaixo. temos: BC = 3a. a borda do poço esconde exatamente seu fundo. Nos triângulos ABC e A’B’C’ da figura.82 m d) 3. Com os dados acima. AF = 2 e FB = x.   AC = 3b.50 m de sua borda. UFMG No paralelogramo ABCD. a medida de AE é: Se os retângulos ABCD e BCEF são semelhantes. tem-se BC = 2 a e o raio da circunferência inscrita é r (a > r).O comprimento x da cumeeira deste pequeno telhado mede. se o triângulo ABC é isósceles. da figura abaixo. e) 2 2 354. A medida da base do triângulo. é tal que o segmento PC mede 4 cm.

360. Mackenzie-SP Na figura abaixo, vale sempre que:

363. UFMG Sejam a e b as medidas de dois lados de um paralelogramo, e h1 e h2 as medidas de suas respectivas alturas. Mostre que os números a e b são inversamente proporcionais aos números h1 e h2.

364. Na figura, determine x. a) OA · OB = OE · OP b) OP · OQ = r 2 c) AP · OQ = (OA) 2 d) OA · BQ = (OQ) 2 e) OP · OE = r 2 361. Considere a circunferência circunscrita a um triângulo ABC. Seja AE um diâmetro dessa circunferência e AD a altura do triângulo. Sendo AB = 6 cm, AC = 10 cm e AE = 30 cm, calcule a altura AD . 365. Cesgranrio-RJ O conceito de simetria surgiu na Grécia antiga, como tentativa de explicar a beleza por bases racionais. Os gregos não eram dados a muita subjetividade – eles gostavam de achar que havia lógica por trás de tudo. Por isso, conceberam a idéia de proporção áurea, uma relação matemática segundo a qual a divisão da medida da maior parte pela menor parte de um segmento (dividido em duas partes) é igual à divisão do segmento inteiro pela parte maior. E procuravam essa proporção mágica em tudo, inclusive em seres humanos. Considere um segmento de reta AB dividido em duas partes, a e b, com b < a. De acordo com a descrição acima, a proporção áurea se verificaria para a igualdade: a) b) c) b a b  a a b b a b  a b a a b  b a d) e) a a b  b a b a a b  b a
Revista Superinteressante, nov. 2003 (adaptado).

362. UFMG    Nesta figura, os ângulos ABC, CDE e EA B são retos e os seguintes AD, CD e BC medem, respectivamente, x, y e z:

366. UFR-RJ Observe a figura abaixo que demonstra um padrão de harmonia, segundo os gregos.

Nessa situação, a altura do triângulo ADE em relação ao lado AE é dada por: a) b)
154

x z2  y 2 y x z2  y 2 z

c) d)

y z2  y 2 z z z2  y 2 y

Há muito tempo os gregos já conheciam o número 1 5 , que é aproximadamente 1,618. de ouro Φ = 2

Tal número foi durante muito tempo “padrão de harmonia”. Por exemplo, ao se tornar a medida de uma pessoa (altura) e dividi-la pela medida que vai da linha umbilical até o chão, vê-se que a razão é a mesma que a da medida do queixo até a testa, em relação à medida da linha dos olhos até o queixo, e é igual ao número de ouro. Considere a cantora Ivete Sangalo, harmoniosa, segundo os padrões gregos. Assumindo que a sua distância da linha umbilical até o chão é igual a da mesma. 22   5 1 25 metros, determine a altura

Capítulo 8
367. Cefet-MG Sabendo que y é parte do segmento DC na circunferência abaixo, o valor de y é: 370. Mackenzie-SP O ponto P está no interior de uma circunferência de 13 cm de raio e dista 5 cm do centro da mesma. Pelo ponto P traça a corda AB de 25 cm. Os comprimentos que P determina sobre a corda AB são: a) 11 cm e 14 cm d) 5 cm e 20 cm b) 7 cm e 18 cm e) 8 cm e 17 cm c) 16 cm e 9 cm 371. Determine o valor de x na figura.

a) b) c) d)

1 4 9 18

368. Fuvest-SP O valor de x na figura é:

372. Na figura abaixo, calcule x.

a) 20/3 b) 3/5 c) 1

d) 4 e) 5 373. ITA-SP Seja E um ponto externo a uma circunferência. Os segmentos EA e ED interceptam essa circunferência nos pontos B e A e nos pontos C e D, respectivamente. A corda AF da circunferência intercepta o segmento ED no ponto G. Se EB = 5, BA = 7, EC = 4, GD = 3 e AG = 6, então GF vale: a) 1 d) 4 b) 2 e) 5 c) 3 374. Inatel-MG Na figura abaixo há uma tangente AT e uma secante AP a um círculo. Se AT = 12 cm e PR = 10 cm, calcule o comprimento de AR.

369. Uespi Na circunferência abaixo, os comprimentos de DE e EC são, respectivamente, 3,5 cm e 10 cm. Determinar o comprimento de AE, em cm, sabendo que EB = AE – 2 cm.

PV2D-07-MAT-24

a) b) c) d) e)

5 cm 6 cm 7 cm 8 cm 9 cm

155

375. Ibmec-SP Na figura, AB é diâmetro da circunferência de raio 10 cm e a reta PA é tangente a essa circunferência.

 

378. A hipotenusa de um triângulo retângulo mede 10 cm e o raio do círculo inscrito mede 1 cm. Calcule o perímetro desse triângulo. 379. Calcule a medida do lado BC do quadrilátero circunscrito na circunferência, sendo AB = 10 cm, CD = 15 cm e AD = 13 cm.

Se a medida do segmento PQ é 3 cm, então o segmento BQ mede, em centímetros; a) 4 2 b) 3 6 c) 2 10 d) 6 e) 5 376. Na figura, PA = 16 cm e A, B e C são pontos de tangência. Calcule o perímetro do triângulo PRS.

380. Determine o perímetro do quadrilátero ABCD, circunscritível, da figura.

381. UEFS-BA Na figura, são dados AE 1 = , BE = 8 cm e ED = 6 cm. AC 4

O comprimento de AC, em cm, é: a) b) c) d) e) 10 12 16 18 20

382. Sejam uma circunferência λ, de raio 6 cm, e um ponto 377. A circunferência da figura está inscrita no triângulo ABC e P, Q e R são os pontos de tangência. Sendo AB = 7 m, BC = 6 m e AC = 8 m, calcule a medida do segmento PB . A externo a λ. Traçando por A uma tangente a λ, obtém-se o ponto de tangência T. Se AT = 8 cm, qual é a distância de A a λ? a) 2,5 cm b) 4 cm c) 4,5 cm d) 5 cm e) 5,5 cm 383. Determine a medida do segmento DE da figura seguinte, sabendo que AB é o diâmetro da circunferência, B o ponto de tangência do segmento BC à circunferência, e DE é paralelo a BC .
156

387. uma corda perpendicular a um diâmetro separa esse diâmetro em duas partes. Se CQ = r. Fuvest-SP Os segmentos AB e CD se interceptam num ponto P e são cordas perpendiculares de um mesmo círculo. uma das quais mede 2. onde AB é uma corda perpendicular ao diâmetro CE . Se AP = CP = 2 e PB = 6. em cm: c) 160 π a) 80 π d) 2. UFOP-MG Dois pontos A e B de uma circunferência estão à distância de 80 cm um do outro. O valor de x. pode-se afirmar que o raio R da circunferência mede: a) b) R= R= b2 − 4a2 8a a2 + 4b2 8b c) d) R= R= a2 − 4b2 8b b2 + 4a2 8a 389. Unicap-PE Se a flecha de um arco de uma circunferência mede 8 metros e o raio mede 20 metros. PV2D-07-MAT-24 e) r = 6 cm . O comprimento da corda é: a) 4 d) 8 b) 6 e) 5 c) 7 386. Sabe-se que a corda AB mede a e que a flecha CD mede b. Esse é um exemplo típico de seção transversal de uma tubulação pluvial. é: 3 b) 2r + r 3 Nessas condições.: perímetro de uma circunferência de raio R: 2p = 2πR 390. 391. formando com este um ângulo de 45°. o perímetro da circunferência vale. AFA-RJ Seja PQ tangente à circunferência de centro O e raio r.: Flecha de um arco de uma cicunferência é a diferença entre o raio e a distância do centro da circunferência à corda que liga as extremidades do arco. em função de a e b. 384. em metros. O é o centro da circunferência. pode-se afirmar que PQ + PC é igual a: a) r + c) r 3 d) r + r 3 385. que é o ponto da circunferência mais distante de M. O ponto médio M do segmento AB está à distância de 80 cm do ponto C. Mackenzie-SP Na figura. ache o raio do círculo. Mackenzie-SP Numa circunferência de raio 5.388. Assim sendo. num certo instante. onde a corda AB representa o nível d´água. devemos ter: a) r = 4 cm d) r = 12 cm b) r = 5 3 cm c) r = 3 5 cm 157 a2 b − 2b 2 e) impossível de ser calculado por falta de dados. Unifei-MG A figura abaixo mostra uma circunferência. qual a medida. AB = a .500 π b) 100 π Obs. uma corda corta um diâmetro. da corda relacionada com o arco dado? Obs. UFMA Em um círculo de raio r. A corda ficou dividida em dois segmentos cujas medidas são 2 15 cm e 2 3 cm. AC = b e OA = x . a+b 2 b) a – b a) c) d) 2 a −b 2 2 Dessa forma.

Nele as medidas estão em centímetros e são dadas: a = 5. calcule a que altura estava a pipa. O ponto P é o ponto da linha lateral que vê o gol A1A 2 sob o ângulo máximo. resolveram mandá-la ao ar presa em duas linhas.0 cm ( ) n = 3. Saben1 6 do-se que essas cordas medem e . tem-se (V ou F): ( ) m = 1. se interceptam em dois pontos X e Y da reta r. estando a sombra da pipa entre os dois. 393. Unicap-PE Considere o triângulo retângulo em A. Vunesp Duas circunferências. A figura mostra um campo de futebol com largura 2a e comprimento 2b. determine x. C1 e C2. distinto de X e de Y. Eles fizeram esta experiência num momento em que o sol projetava uma sombra perfeitamente vertical sobre eles. representado pela figura abaixo.3 c) 0. considerando uma casa decimal. b) Supondo que as duas linhas formavam um ângulo reto no nó preso da pipa. a) Faça um esboço da situação descrita. curiosos para saber a que altura do chão conseguiam empinar sua pipa. As retas s e t passam por P e interceptam. Considerando as medidas indicadas na figura e sabendo que o círculo está inscrito no triângulo.6 d) e) 1 2 6 13 . Calcule PT.8 cm ( ) h = 2. 158 a) 1. B1 e B2. se um quadrilátero convexo é circunscrito a uma circunferência. 395. E mediram 24 metros de distância entre um dos irmãos e a sombra da pipa e 78 metros de distância entre os dois. Ibmec-SP Dois irmãos. b = 3. como na figura. 394.69 b) 1. C1 em A e B e C2 em C e D. O comprimento dos gols é A1A2 = B1B2 = 2 l. As traves dos gols estão representadas pelos pontos A1. Seja P um ponto de r . A2. ambas supostamente esticadas.392. Mostre que.0 cm.0 cm.2 cm 397. a distância do 2 5 lampião ao teto é: Neste caso. 398. a soma de dois lados opostos é igual à soma dos outros dois. respectivamente. Prove que os triângulos PAC e PDB são semelhantes. Capítulo 9 396. Cada um dos irmãos ficou segurando uma das linhas. destacando as posições dos irmãos.4 cm ( ) c = 4. Eles observaram que suas posições estavam alinhadas com a sombra da pipa. a pipa e de sua sombra. UFRGS-RS O lampião representado na figura está suspenso por duas cordas perpendiculares presas ao teto.

B e CD. interceptando-a no ponto Q. AD = 3. respectivamente. Unifei-MG Calcule a distância entre os pontos A e E da figura abaixo. As bases de um trapézio isósceles medem 12 m e 20 m. a reta s passa pelo ponto P e pelo centro da circunferência de raio R. então: a) b) c) d) e) AB + BC < AC AB + BC = AC AB + BC < CD CD = BC CD + BC < AB + AD 406. Fuvest-SP Na figura abaixo. Se PQ = 2R. AB = 2 cm e DE = 8 cm. UECE Uma escada de 25 m está encostada na parede vertical de um edifício de modo que o pé da escada está a 7 m da base do prédio. FAAP-SP No retângulo ABCD de lados AB = 4 cm e BC = 3 cm. nos triângulos retângulos da figura. a reta t passa por P. então cos α vale: a) PV2D-07-MAT-24 b) c) 3a 2 6a 5 5a 4 d) e) 13a 10 3a a 4 159 . a distância de P ao lado CD é: 403. 402. Se. Além disso. Determine o valor de x nos trapézios isósceles. AB = 1.399. é tangente à circunferência e forma um ângulo α com a reta s. Quanto mede a altura? 401. BC = 2. Calcule o comprimento do segmento AM. O quadrado ABCD da figura tem lado 2a. UERGS-RS Observe a figura abaixo. a) b) c) d) e) 2 6 2 3 2 2 2 2 3 3 2 5 400. 404. onde BD = 10 cm. o segmento DM é perpendicular à diagonal AC. quantos metros irá escorregar o pé da escada? a) 10 m c) 8 m b) 9 m d) 15 m 405. Sendo P eqüidistante de A. A soma dos lados não paralelos é igual a 10 m. Se o topo da escada escorregar 4 m. entre P e o centro.

finalmente. Qual a distância. Favip-PE Correndo em uma região plana. e que (x – 1) e (x + 1) representam dois pares ou dois ímpares consecutivos.407. b) Considere x um número inteiro maior do que 1. c) A e E. obtendo-se uma fração cujos numerador e denominador representam as medidas dos catetos de um triângulo retângulo. • calcula-se a hipotenusa. Um terno pitagórico pode ser gerado da seguinte forma: • escolhem-se dois números pares consecutivos ou dois ímpares consecutivos. João caminha 7 m na direção nordeste. UFPE Caminhando em uma região plana e partindo do ponto A. a) b) c) d) 2 e) 2 2 −1 2 3 −1 2 2 2 2 −1 408. chegando ao ponto B. 413. Qual a distância. e em seguida. O perímetro de um triângulo isósceles é de 18 m e a altura relativa à base mede 3 m. considere que os segmentos horizontais AB e CD medem 2 m. Demonstre que esses dois números geram um terno pitagórico. Fuvest-SP Na figura abaixo. ambos. caminha 24 m na direção noroeste. 12 km para o leste e. UEFS-BA Na figura abaixo. partindo de um ponto X. OA = AB = BC = OM = 3. 17 km no sentido sul. em metros. atingindo o ponto Y. um corredor avança 22 km para o norte. em km. b) A e D. Determine a base. a) Utilizando o procedimento descrito. Logo. dos três lados de um triângulo retângulo. UFPB Na figura a seguir. com a mesma unidade. 4 m. lado a e centro O. 410. • calcula-se a soma de seus inversos. a seguir. UERJ Terno pitagórico é a denominação para os três números inteiros que representam as medidas. MA · MC é igual a: a) b) c) d) e) OC MC MC 2 3MC 3 MC 2 409. entre A e B? 411. Se EP = 1. entre os pontos X e Y? a) 11 km d) 14 km b) 12 km e) 15 km c) 13 km 412. fazendo um ângulo de 33º com o leste. calcule as medidas dos três lados de um triângulo retângulo. o vertical BC mede 3 m e o diâmetro da circunferência. fazendo um ângulo de 57º com o oeste. então a é: Calcule a distância entre os pontos: a) C e o centro da circunferêncial. os quadrados ABCD e EFGH têm. 160 . considerando os números pares 4 e 6.

414. então x é o número real: a) 2 3 419. Determine a medida do segmento NB. UFPE Um triângulo com lados 2 · 1050. de modo que as crianças possam caminhar exatamente a mesma distância. as crianças das duas famílias utilizam diariamente um ônibus que passa pela rodovia e só faz uma parada entre os km 20 e 21. localiza-se na altura do km 21 da rodovia e à distância de 300 metros dessa rodovia. Determine o valor de x nos casos. Fuvest-SP Queremos desenhar. A casa da outra família. e) é acutângulo. pelo . para irem de suas casas até o ponto de ônibus. A hipotenusa do triângulo retângulo ABC está localizada sobre a reta real. c) tem área 10150 – 1. Se x > 0 e a medida da altura BD relativa ao lado AC do triângulo ABC. representada. um losango AICJ com vértice I sobre o lado AB do retângulo e vértice J sobre o lado CD. pelo ponto P. do km 20 ao local onde o ponto de ônibus deverá ser construído 1 e calcule d. sabendo que AB = 2AD = 20 cm 415. em metros. na figura abaixo. 15 417. A. na figura abaixo. Se as dimensões dos lados do retângulo são AB = 25 cm e BC = 15 cm. então a medida do lado do losango é: a) 13 cm b) 15 cm c) 17 cm d) 18 cm e) 15 2 cm 161 b) 4 c) 3 2 d) 5 e) PV2D-07-MAT-24 3 3 416. A casa de uma dessas famílias. à margem direita de uma rodovia retilínea. pelo ponto B. entre os km 20 e 21 da rodovia. b) é retângulo. é 2 6 . localiza-se na altura do km 20 da rodovia e à distância de 400 metros dessa rodovia. Para irem à escola. d) tem perímetro 4 · 10150. representado. Sendo assim. na figura abaixo. conforme indica a figura. as famílias decidiram construir um ponto de ônibus. no interior de um retângulo ABCD. em linha reta. 10100 – 1 e 10100 + 1: a) é isósceles. UFMS Em uma região plana. 418. ABCD é um retângulo e AMCN é um losango. Considere d a distância. representada. moram duas famílias. FVG-SP Na figura abaixo. ponto.

inteiramente contido na região interna ao círculo maior e externa ao círculo menor. Sabe-se que AB = 2a. respectivamente. Fuvest-SP Em um triângulo retângulo OAB. Sendo EQ < QF. No cateto AB toma-se um ponto P eqüidistante do ponto A e da reta BC. traça-se a reta tangente à mesma. em cm. com maior comprimento possível. retângulo em O.     Na figura abaixo P = Q = R = S = 90º. 10 e 5. 426. Fuvest-SP Uma folha de papel de dimensões 6 × 8 é dobrada de modo que dois vértices diagonalmente opostos coincidam. Qual o comprimento desse segmento? a) 7. Qual é a distância de AP? 422. O comprimento do segmento AB é: a) 3 2 cm b) 6 cm c) 3 3 cm d) 6. como mostra a figura. BC = 3a e que AC é perpendicular a BD . O valor de MO. ABCD e EFGH são quadrados com lados 7 cm e 5 cm. o valor de x é: 427. a qual determina os pontos A e B na circunferência maior.420. calcule o perímetro da região destacada. MO é a distância da corda AB ao centro da circunferência. Desenha-se um segmento de reta. Determine o comprimento do vinco (dobra). Na figura abaixo. em função de a. as medidas de AD e DC . respectivamente.5 cm e) 9. com raios medindo 4 cm e 5 cm. Calcule. temos duas circunferências concêntricas.0 cm b) 7.8 cm a) b) c) d) e) 162 a⋅b − a − b a + b − 2ab a2 + b2 a + b + 2ab ab + a + b 428. Fuvest-SP Um triângulo retângulo tem catetos AB = 3 e AC = 4. Por um ponto P da circunferência menor.5 cm c) 8. As retas r e s são perpendiculares a t. a) Qual é a medida da altura relativa ao maior lado? b) Qual a área desse triângulo? 421. Cefet-MG Na figura abaixo o raio mede 5 cm e a corda AB mede 6 cm. 425. 424.0 cm .1 cm e) 5.0 cm d) 8. UEL-PR Dois círculos concêntricos têm raios 3 e 5 centímetros. Nestas condições. é: a) b) c) d) 2 3 4 5 423. Fuvest-SP Os lados de um triângulo medem 5 . com OA = a e OB = b. são dados os pontos P em OA e Q em OB de tal maneira que AP = PQ = QB = x.

calcule a medida do raio da circunferência inscrita. Sendo AB = 5 cm. o objetivo é conseguir lançar uma bola de raio 8 o mais próximo possível de uma bola menor. baixa-se uma perpendicular a um diâmetro. de raio 4. da perpendicular é: a) 4 21 b) 4 15 c) 16 d) 18 e) 4 5 434. O pé da perpendicular está a 8 cm do centro. 433. Se DC = a e AB = b. Num triângulo retângulo de catetos com medidas 3 cm e 4 cm. Por um ponto de uma circunferência de 20 cm de raio. em que as bolas tocam o chão. CD = 5 cm. A figura mostra um círculo de centro O inscrito em um trapézio isósceles. calcule o raio do círculo. Sabendo que as bases desse quadrilátero medem 16 cm e 36 cm. 432. DE = 6 cm e FA = 3 cm. A circunferência de centro O da figura está inscrita no triângulo ABC. AD é o diâmetro da circunferência de centro O e raio OP. conforme ilustra a figura abaixo. com a < b então a medida de AD. então. BC – EF é igual a a) 2 cm c) 0 cm b) 1 cm d) 3 cm 431. Num lançamento. calcule PC.429. EFOA-MG Observe a figura abaixo: a) 8 b) PV2D-07-MAT-24 6 2 8 2 4 3 6 3 Na figura. disputado num terreno plano. Os pontos A. Sabendo-se que AB = 4 cm. A distância entre os pontos A e B. 430. é: e BD a) b) c) a+b ab 4(a + b) 163 c) d) e) d) e) b−a 4 ab . Calcule x na figura: 435. é: 436. Fuvest-SP No jogo de bocha. AC = 6 cm e BC = 7 cm.em função de a e b. B. O comprimento. C e D são os vértices de um trapézio retângulo. um jogador conseguiu fazer com que as duas ficassem encostadas. UFU-MG Um polígono circunscreve um circulo. em cm. conforme figura abaixo.

b) Determine o valor de m para  = 1 cm. calcule a medida do segmento PQ . UFF-RJ Na figura abaixo. a) Escreva a expressão de m em função de . as três circunferências são tangentes duas a duas e também tangentes à reta r. Calcule o raio da circunferência menor. b) a medida do ângulo PÔQ. 441. Os raios das circunferências de centros A e B medem 5 cm e 2 cm. O lado do quadrado mede 8 cm. O segmento RM é perpen4 3 dicular a PQ e RM= . Na figura. Sendo 4a o raio das duas circunferências maiores. está situado entre duas circunferências concêntricas de diâmetros iguais a 6 cm e 10 cm. Na figura abaixo. calcule o raio da circunferência menor. 444. 442. em que O é o centro da circunferência. em metros: a) 5 d) 8 b) 6 e) 9 c) 7 439. sendo T ponto de tangência. e a distância entre seus centros. da figura abaixo. Calcule: 3 a) o raio da circunferência. UFRGS-RS Num círculo com raio de 5 m. Sendo P e Q pontos de tangência. sendo uma delas corda máxima. O comprimento da corda menor é. Considere duas circunferências tangentes internamente com raios 5 cm e 2 cm. Calcule OP. M é o ponto médio da corda PQ da circunferência e PQ = 8. 445. 164 .437. 438. cujos lados medem  e m. A reta r passa pelo centro O da circunferência maior e é tangente à circunferência menor no ponto P. Calcule o raio da circunferência da figura. Determine o raio do círculo menor inscrito num quadrante do círculo maior. 440. Fuvest-SP Na figura abaixo. consideram-se duas cordas paralelas. 443. respectivamente. 9 cm. a circunferência maior de centro O tem raio 8 cm. Os pontos P e S pertencem à circunferência maior e o segmento QR é tangente à circunferência menor. afastadas 3 m uma da outra. o retângulo PQRS. sendo 2R o diâmetro do círculo maior.

ainda. exatamente. conforme ilustra a figura abaixo. 449. O raio de C1 mede 40 cm. que a altura da lata de ervilhas seja 8.5 m. cujo raio da base mede 0. as latas. conforme figura. C2 e C3. Calcule r. determine 10 r. em metros. Cada tronco é um cilindro reto. conforme a figura abaixo. PV2D-07-MAT-24 6 −1 7 3 7 3 − 12 7 3 + 12 7 3 −6 165 c) d) e) . Na figura. como mostra a figura abaixo: a) b) a) Sabendo que o raio da lata de ervilhas é 3. calcule o volume da caixa. FGV-SP A secção transversal de uma caixa de latas de ervilhas é um retângulo que acomoda. são tangentes a uma reta t. é a) b) c) d) e) 1+ 7 2 1+ 7 3 1+ 7 4 1+ 1+ 7 3 7 4 a) b) c) d) e) H=R ( H = 3R H = 2R H=R H = 2R 3 ( ( 3 +2 ) 2 +1 3 +1 2 +3 ) ) ( ) 451. a altura h. cada uma das circunferências externas tem raio r e cada uma delas é tangente a duas outras e à circunferência interna de raio 2. do triângulo abaixo. o de C2 mede 90 cm e o de C3 mede r cm. determine a área da secção transversal. todos com forma cilíndrica circular reta e com raio externo R. b) Supondo. Sabendo-se que os três círculos são tangentes entre si. Unir-RO A fórmula que determina a altura H de uma pilha de tubos.5 cm e que sejam colocadas 60 latas em cada caixa. UFMS Três círculos C1.446. qual a área do triângulo? 448. PUC-PR Se a soma dos comprimentos das circunferências de mesmo raio. 447. é 12 π. Fuvest-SP Um lenhador empilhou 3 troncos de madeira num caminhão de largura 2. é: 450.5 m. Logo.5 cm.

00 c) 56.25 b) 49.452. tangenciando-se externamente no ponto D.25 454. O2 = 12. os dois círculos de raios unitários são tangentes aos semicírculos e aos lados do quadrado.00 e) 70. Fuvest-SP d) 64. A área desse quadrado é: 456. que • AT1 = AT2 . UFMG Observe esta figura: a) 42. 166 . Assim sendo. 455. as retas t1 e t2.25 Nessa figura. e que o quadrado tem lado 2 7 . também. 453. determine r. A reta AB é perpendicular à reta que passa pelos centros O1 e O2 das circunferências. e • O. • a reta t 2 seja tangente às circunferências no ponto D. Fuvest-SP A figura representa duas circunferências de raio R e r com centros nos pontos A e B. respectivamente. Sabe-se. Calcule a área do triângulo ABC. • O raio de C1 é 5 e o raio de C2 é 1. Cada cigarro tem raio r e comprimento I. b e c do maço. Suponha que: • as retas t1 e t2 sejam tangentes a ambas as circunferências e interceptam-se no ponto C. nos pontos T1 e T2. calcule O1B e O2B. são tangentes às circunferências C1 e C2. ESPM-SP Na figura abaixo. cada uma é tangente a duas outras e ao quadrado. Na figura anterior. Sabendo-se que cada uma das retas suporte das diagonais do quadrado tangencia quatro das circiunferências (ver figura). em função dos raios R e r. respectivamente. A figura mostra um maço de 20 cigarros. as 12 circunferências têm todas o mesmo raio r. Determine as dimensões a.

Ângulo 30º Seno 1 2 2 2 3 2 1 Cosseno 3 2 2 2 1 2 0 60º 90º a) Calcule o lado AC. E. UEPA Sobre uma circunferência de raio r tomamos os pontos A. ABC = 60° e BCA = 45° 45º 462. Mauá-SP No ∆ABC da figura abaixo. b) e) b) 4 cm c) 5 cm 461. A. FAGV-MG A figura representa um triângulo inscrito num círculo de raio R. Levando-se em conta a medida do ângulo assinalado na figura a seguir. podese afirmar que o perímetro da estrela é de: Med. 458. E. temos AC = 4 2 . temos:   AB = 4 6 m. D. c) PV2D-07-MAT-24 167 . B e C (veja figura). Vunesp Cinco cidades. AB = 4 2 e o ângulo C oposto ao lado AB mede 45°. Fuvest-SP Em um triângulo ABC. 8 6 3 463. e E. C. Calcule o valor de r.  Num triângulo ABC. Determine o raio da circunferência que circunscreve o triângulo. O lado AB vale: a) 3 cm 2 2 6 3 4 6 3 d) 16 6 3 32 6 3 a) d) e) 2 cm . conforme mostra a figura. FGV-SP Uma estrela regular de 4 bicos está inscrita numa circunferência de raio 2 m. B. 460. Calcule a medida do lado AB . B = 45° e  = 60° .Capítulo 10 457. são interligadas por rodovias. b) Calcule a altura relativa ao lado BC. O arco AB mede 120° e a corda AB mede 12 cm. C 459.

A rodovia AC tem 40 km. 469. UFPE Uma ponte deve ser construída sobre um rio. os ângulos x. são tais que sen x = 3/4 e sen y = 3/7. e medem-se os ângulos CBA = 57° e ACB = 59°. 7) e C = (5. conforme a figura.4 km 1. será paralela a BC. então r é igual a 168 . a que melhor aproxima a distância entre as ilhas A e B é: Calcule: a) a distância entre os pontos B e C. a) b) c) d) e) 2. determine quantos quilômetros terá a rodovia DE. B = (5. dada a disposição dessas cidades. localiza-se o ponto C. na mesma margem em que B está. distantes 3 km um do outro. A = (1. b) a largura do rio. 3). Das alternativas. Calcule o raio da circunferência. b) Sabendo que AD tem 30 km. como na figura. e y. Dado: use as aproximações sen(59°) ≅ 0. Sabendo que BC mede 30 m. UFOP-MG Em uma das margens de um rio de largura constante.3 km 2.9 km 1.000. 465. a) Use a lei dos senos para determinar quantos quilômetros tem a rodovia BC. Calcule R. Se. em metros. sendo BD = 10 cm 468. Para calcular o comprimento AB. unindo os pontos A e B. 1).1 km 1. Deseja-se construir uma rodovia ligando as cidades D e E. indique. sabendo que o triângulo está inscrito nela.7 km 466. a rodovia AB tem 50 km.87 e sen(64°) ≅ 0. como ilustrado na figura abaixo. entre AB e BC. O quadrilátero ABCD inscrito na circunferência de raio   R da figura é tal que C = 2A .90 a) b) d) e) 2 5 2 2 10 3 10 c) 3 467. entre AC e AB. Mackenzie-SP Três ilhas A. Mackenzie-SP Um triângulo ABC está isncrito numa circunferência de raio r. escolhe-se um ponto C. B e C aparecem num mapa. 464. a distância AB. em escala 1 : 10. num sistema de coordenadas cartesianas. Na outra margem do rio. localizam-se dois pontos A e B.

é um dodecágono regular. PUC-SP A diagonal de um paralelogramo divide um dos ângulos internos em dois outros. ITA-SP A diagonal menor de um paralelogramo divide um dos ângulos internos em dois outros. AC = 4 dm e BC = 1 dm Sabendo-se que cos(α + β) = a) 472. BC = a. um de 60° e o outro de 45°. um α e outro 2α. Unicamp-SP Observadores nos pontos A e B localizam um foco de incêndio florestal em F. AC = b. 2 d) e) 3 3 2 475. FEI-SP  Num triângulo ABC. 2 3 9 478. Â = 45° e B = 30° . 477.470.. calcule o valor do seno do ângulo α. Determine x. sabendo que o trapézio ABCD é isósceles. determine as distâncias AF e BF. Na figura abaixo. A razão entre os lados menor e maior do paralelogramo é: a) b) c) 3 6 2 2 d) e) 6 3 3 3 Obs. o valor de sen α é 5 1 d) 5 1 e) 6 476. calcule o raio da circunferência circunscrita no polígono.: Lembre-se de que sen (2A) = 2 sen A · cos A Lembre-se de que: sen (a + b) = sen a · cos b + sen b · cos a 473.: Lembre-se de que: sen (a + b) = sen a · cos b + sen b · cos a 474. UFSCar-SP  Na figura. 2 3 3 b) 5 2 c) 5 Lembre-se que cos x = sen (90° – x) 4 . FBA = 105° e a distância AB = 15 km. 479. BÂC = α. Conhecendo os ângulos  FÂB = 45°. Sendo AE = 12 cm. A razão entre o lado menor e o maior do paralelogramo é: a) 1/cos α b) 1/cos 2α d) 1/(2 cos α) e) tg α c) 1/(2 sen α)    Obs. Sendo a + b = 1+ 2 . sabendo que CE = 10 cm PV2D-07-MAT-24 Lembre-se de que sen (2α) = 2 sen α · cos α 169 . Calcule o raio da circunferência da figura. CÂD = β. Na figura abaixo. o valor de a é: a) b) 2 c) 1 471. ABCDE. ADB é reto. determine a medida do lado AB ..

O comprimento do segmento BC é 1. 482. calcule AD. os comprimentos dos segmentos AB e AC são iguais. b) Calcule o comprimento do segmento NB.480. UFJF-MG Dois lados de um triângulo medem 8 m e 10 m e formam um ângulo de 60°. a circunferência de centro O1 tem raio 5 cm e a circunferência de centro O2 tem raio 4 cm. que servirá para o acesso de veículos à casa. A distância de A a B é de 6 m. para qualquer x real e maior que 1. UFSCar-SP Se os lados de um triângulo medem x. o perímetro do triângulo (em cm) vale: a) b) c) 11 + 29 11 + 30 11 + 31 d) e) 11 + 32 11 + 33 a) Calcule o raio da circunferência que passa pelos pontos A. dois lados medem 5 cm e 6 cm. que se encontra na parte mais alta do terreno. de B a C é de 10 m. x + 1 e x + 2. UFMG Observe esta figura: 485. Considerando essas informações. o ângulo interno formado por eles vale 60°. UEPA A figura abaixo mostra o corte lateral de um terreno onde será construída uma rampa reta. AC . 484. Na figura a seguir. Portanto. Sejam A. B. C e N quatro pontos em um mesmo plano. a) calcule o comprimento do segmento CP. então. A casa está a 80 m de distância da caixa-d’água e o ângulo formado pelas direções caixa-d’água bomba e caixa-d’água casa é de 60°. o cosseno do maior ângulo interno desse triângulo é igual a x a) x + 1 b) c) d) e) x x+2 x +1 x+2 x−2 3x x−3 2x Nessa figura. Sendo CD = 6 cm.5 m c) 13 m d) 13. 481. Se se pretende bombear água do mesmo ponto de captação até a casa. quantos metros de encanamento serão necessários? 487. 486. Então.5 m e) 14 m . e o menor ângulo formado entre AB e BC é de 120°. FGV-SP Em um triângulo. o valor do comprimento da rampa deve ser de: 483. conforme mostra a figura abaixo. b) calcule a área do triângulo ACP. O terceiro lado desse triângulo mede: a) b) c) 170 2 21 m 2 31 m 2 41 m d) e) 2 51 m 2 61 m a) 12 m b) 12. Unicamp-SP A água utilizada na casa de um sítio é captada e bombeada do rio para a caixa-d’água a 50 m de distância. B e N.

Vunesp Dois terrenos.488. como medidas. O valor de CD é: 497. a) 30° d) 90° b) 45° e) 120° c) 60° 496. Ao lado do terreno T2 há um outro terreno. números inteiros ímpares consecutivos cuja soma é 15. em centímetros. O lado BC do terreno T1 mede 30 m e é paralelo ao lado DE do terreno T2. UPE Os lados de um paralelogramo medem 3 cm e 4 cm. tem-se que a medida do ângulo de vértice A é 60°. Se este livro for parcialmente aberto. Fuvest-SP Um triângulo T tem lados iguais a 4. 6 e 3 + 3 . 5 e 6. a medida do ângulo α. com frente para a rua Z. na forma de um setor circular de centro E e raio ED. O co-seno do maior ângulo de T é: 5 a) 6 4 b) 5 c) 3 4 d) e) 2 3 1 8 490. Então. Fuvest-SP Na figura abaixo. A frente AC do terreno T1 mede 50 m e o fundo BD do terreno T2 mede 35 m. formado pelas diagonais das páginas. AB = 4 e CB = 6. é: a) b) c) 2 13 4 13 1+ 13 d) 2 + 2 13 e) 4 + 2 13 494. UFC-CE As diagonais de um paralelogramo formam entre si um ângulo de 30° e seus comprimentos são 2 3 cm e 4 cm. Determine o ângulo oposto ao lado que mede 6 . como mostra a figura. T3. Unimar-SP Num triângulo qualquer ABC. será: a) b) c) d) e) 15° 30° 45° 60° 75° 489. T1 e T2. de tal forma que o ângulo entre duas páginas seja 60°. têm frentes para a rua R e fundos para a rua S. pode-se afirmar que a diagonal maior do paralelogramo mede: a) b) c) d) e) 12 cm 17 cm 19 cm 35 cm 37 cm 495. FESP Na figura abaixo. AB = 4 e BC = 2 6 . Fuvest-SP As páginas de um livro medem 1 dm de base e a) a 2 b) a 6 c) 2a d) 2a 5 e) a 3 1+ 3 dm de altura. Vunesp Os lados de um triângulo medem 2 3. então. 491. Podemos afirmar. Unicamp-SP Os lados de um triângulo têm. que o segmento CD mede: 493. PV2D-07-MAT-24 a) 17/12 b) 19/12 c) 23/12 d) 25/12 e) 29/12 Determine: 171 . O perímetro desse paralelogramo. respectivamente. ABC e BDE são triângulos equiláteros de lados 2a e a. tem-se AC = 3. Sabendo-se que o ângulo formado pelos lados mede 120°. AC é igual a: a) b) c) 2+2 3 2 3 −2 3 +1 d) e) 2 3 492. a) Quais são esses números? b) Calcule a medida do maior ângulo desse triângulo.

em linha reta é de. 2 = 1. podemos concluir que o topógrafo descobriu que o triângulo é: a) acutângulo. Dados: cos (a + b) = cos a · cos b – sen a · sen b. distantes um do outro respectivamente 4 metros. ESPM-SP A figura a seguir representa uma praça de forma triangular. sendo que o ângulo  é reto. inscrito numa circunferência de raio a) b) c) 1 d) 1 4 2+2 2 2− 2 2 2 .a) as medidas do fundo AB do terreno T1 e da frente CE do terreno T2. Fuvest-SP Numa circunferência. 498. podemos concluir que a distância do ponto P ao ponto A. π Então. Ufpel-RS São cada vez mais freqüentes construções de praças cujos brinquedos são montados com materiais rústicos. 4 e 3 = 1. b) a altura do triângulo ABC. c1 é o comprimento do arco de π radianos e c2 é o comprimento da secante deter6 minada por este arco. o raio da circunferância de centro B é o dobro do raio da circunferência de centro A. tem comprimento: 2 e) 1 − 2 . 501. Sabendo-se que elas percorreram distâncias iguais. a razão c1/c2 é igual a multiplicado por: 6 a) 2 b) c) d) e) 1+ 2 3 π 2+ 3 6 2+2 3 6 Com os dados do problema. mas em sentidos contrários.0 m. c) obtusângulo. Mackenzie-SP Na figura. escorregadores e gangorras de madeira vem proporcionando uma opção de lazer para as crianças. 6 metros e 8 metros. b) a medida do lado DE do terreno T2 e o perímetro do terreno T3. a) b) c) d) e) 0 < x ≤ 30° 45° < x ≤ 60° 30° < x ≤ 45° 60° < x ≤ 90° x > 90° 502. Se x é a medida  do ângulo A CB. então: 3+ 3 6 499. a distância AB e AC igual a 2. Uneb-BA O lado de um octógono regular. A figura a seguir mostra um brinquedo simples que proporciona à criançada excelente atividade física. por curiosidade. verificar os ângulos do triângulo cujos vértices são os três postes. existem três postes de iluminação. determine: a) a distância de B até C. aproximadamente: a) b) c) d) e) 22 m 25 m 27 m 30 m 32 m Considerando os textos. A criatividade na montagem de balanços. 7 500. Um topógrafo que está fazendo medições na área resolve. Duas pessoas percorrem o contorno da praça a partir do ponto A. 172 503. como ilustrado na figura abaixo. o ângulo BÂC igual a 75° e seus conhecimentos. relativa ao lado BC. b) retângulo. até se encontrarem num ponto P do lado BC. d) impossível de ser construído ou inexistente. Cesupa No centro de uma praça.

BC = 4 e AC = 2. Prove que d2 + d2 = 2a 2 + 2b 2. sabe-se que: α= 7 4 3 e. Sejam M e N os pontos AB tais que  CM é a bissetriz relativa ao ângulo ACB e CN é a altura relativa ao lado AB. Um triângulo retângulo de vértices A. a) Calcule os comprimentos dos segmentos DO. 510. Se a sua diagonal menor mede d cm. a reta 3 sen α = . E e F os centros dos quadrados com lados BC. b) Calcule os comprimentos dos lados do triângulo de vértices D. 507. AB = BC = CD = DE = 2 e   A BC = BCD = 2π π  e CDE = . FVG-SP No triângulo ABC da figura a seguir. 1 2 511. O é o centro da circunferência de raio é secante a ela. d1 e d2. Seja O o centro da circunferência que circunscreve o triângulo e sejam D. AB e BC também são lados de quadrados construídos externamente ao triângulo ABC. Fuvest-SP Na figura abaixo. Unicamp-SP a) Determine sen OÂB em função de AB. FGV-SP Na figura seguinte. Calcule o raio x na figura a seguir. AC e AB . respectivamente. ITA-SP Num losango ABCD. EO e FO . UFMS A figura a seguir mostra um retângulo ABCD onde AB=BM=MN=NC. a soma das medidas dos ângulos obtusos é o triplo da soma das medidas dos ângulos agudos. B e C é tal que AC = 6 cm. 509. Determine o comprimento de MN. E e F. AB = 8 cm e BC = 10 cm. Os segmentos AC. PV2D-07-MAT-24 512. 90°< β < 180° 3 7 505. 508.504. Calcule 6tgθ + 51. 3 2 173 . então sua aresta medirá: a) b) c) d) e) d 2+ 2 d 2− 2 d 2− 3 d 3− 3 d 3− 2 Calcule a distância entre os pontos A e E. 4 Determine o valor do ângulo α. b) Calcule AB. Fuvest-SP Os lados de um paralelogramo medem a e b e suas diagonais. Fuvest-SP Um triângulo ABC tem lados de comprimentos AB = 5. 506. o ângulo β mede 60o e 1. sen β = .

o lado mede 5 cm. Calcule: 174 . determine: 518. b) o lado. Se a medida dos lados de ABC é igual a 3 3 cm e a distância entre os lados paralelos mede 2 cm. AC // A´C´ e BC // B ' C '. d) o raio do círculo circunscrito. c) o raio r da circunferência inscrita. o apótema do hexágono. a diagonal menor. No hexágono regular ABCDEF da figura. b) hexágono. Calcule o apótema de um quadrado inscrito numa circunferência de raio 2 2 . 520. UFC-CE Na figura abaixo. temos dois triângulos equiláteros ABC e A’B’C’ que possuem o mesmo baricentro. o raio r da circunferência inscrita. 517. c) a diagonal AC . 2 3 3 d) 1 e) 3 Sendo 8 m o lado do quadrado. tais que AB // A ' B '. b) o raio do círculo inscrito. b) o raio R da circunferência circunscrita. determine: a) o apótema. nos casos: a) quadrado. 516. UFPA O raio de uma circunferência onde se inscreve um triângulo equilátero de lado 3 cm é: a) b) c) 3 2 3 4 514. d) o apótema do quadrado. Dado um triângulo equilátero de 6 cm de altura. 515.Capítulo 11 513. Sendo 6 m o lado do hexágono regular. o raio R da circunferência circunscrita. c) o apótema. o raio r da circunferência inscrita. Sendo 6 m o lado do triângulo equilátero. calcule: a) o raio do círculo inscrito. 519. o raio R da circunferência circunscrita. a) b) c) d) a altura do triângulo. 521. o apótema do triângulo. sabendo que o raio da circunferência inscrita é 6 m. Determine o raio da circunferência circunscrita ao polígono regular. c) triângulo. então a medida das alturas de A’B’C’ é igual a: a) b) c) d) e) a diagonal maior. determine: a) a diagonal.

então o seu lado e seu apótema medem.5 cm b) 10. Mackenzie-SP Na figura. ambos inscritos numa circunferência de raio igual a 6 cm. Uma diagonal de um quadrado inscrito numa circunferência mede 8 cm. 527. 528. 531. 526. sabendo que no primeiro está inscrito um triângulo equilátero e no segundo está inscrito um quadrado. FGV-SP O lado de um quadrado inscrito num círculo mede 12 2 m. 532. Determine a medida do raio da circunferência. 524. a medida do lado do triângulo equilátero circunscrito vale: a) b) c) 20 3 m 20 5 m 24 5 m d) 24 3 m e) 40 m Se PQ // BC . A razão entre os comprimentos das circunferências circunscrita e inscrita a um quadrado é: 1 a) 2 b) 2 c) d) a) 11. Determine a razão entre o apótema de um quadrado e o lado de um triângulo equilátero. Calcule. Um apótema de um hexágono regular inscrito numa circunferência mede 5 3 cm. a medida de um apótema. Determine a relação entre os raios de dois círculos. de um triângulo equilátero inscrito nessa circunferência. as medidas de um lado e de um apótema. a área colorida vale: a) b) c) 3 2 3 3 2 3 3 175 d) e) 3 3 4 4 3 3 PV2D-07-MAT-24 . em cm: a) 6 e 3 2 b) 3 2 e 3 2 2 c) 6 2 e 3 d) 6 2 e 3 2 523. 525. Cefet-MG Se um quadrado está inscrito numa circunferência de 6 cm de raio. Calcule.5 cm d) 8. a circunferência de centro O tem raio 2 e o triângulo ABC é equilátero. 2 r2 a) d) r 2 2 3r 3r b) e) 16 4 9r 2 c) 16 533. Facasper-SP Determinar a área de um quadrado cujo perímetro é igual ao perímetro de um hexágono regular inscrito em r uma circunferência de raio . Calcule o lado e o apótema do triângulo eqüilátero inscrito numa circunferência de raio R.5 cm c) 9.529.5 cm e) 7. Determine a razão entre os perímetros do quadrado circunscrito e do hexágono regular inscrito numa circunferência de raio R.5 cm 3 2 2 e) 2 530. e que os perímetros do triângulo e do quadrado são iguais. respectivamente. de um hexágono regular inscrito a essa circunferência. 522. O lado de um triângulo equilátero inscrito numa circunferência mede 2 6 m.

a) Se o raio de uma circunferência mede 2 m. conforme a figura. UFRJ Uma roda de 10 cm de diâmetro gira em linha reta. calcule o lado e o apótema do octógono regular inscrito. Capítulo 12 538. sabendo que o diâmetro dessa roda é igual a 1. desde um ponto A até um ponto B.534. 543. O comprimento do lado deste octógono é: a) b) a) b) c) d) e) 3 4 5 6 7 c) 100 1+ 2 100 2− 2 cm cm d) e) cm 50 2+ 2 cm 50 2 − 2 ( ) cm 40 2 − 2 ( ) 535. UEM-PR Uma pista de atletismo tem a forma circular e seu diâmetro mede 80 m. Para que ele obtenha um octógono regular. Um carpinteiro vai construir uma mesa redonda para acomodar seis pessoas sentadas ao seu redor. Determine o diâmetro dessa mesa para que cada pessoa possa dispor de um arco de 50 cm na mesa. cujo tampo é um octógono. O octógono resultante tem oito lados iguais. O menor trajeto possível que o inseto pode percorrer tem comprimento igual a: π a) m 2 b) π m 3π c) m 2 d) 2π m e) 3π m 539. a medida L dos catetos dos triângulos retirados deverá ser de: 536. PUC-PR Quatro triângulos congruentes são recortados de um retângulo de 11x13. 537. Ufla-MG Os raios das rodas traseiras de um trator medem 75 cm e dão 30 voltas. diametralmente opostos. determine o lado l do decágono regular inscrito nela. ao mesmo tempo em que as rodas dianteiras dão 90 voltas. 542. Dado o raio R de uma circunferência. b) Determine cos 36°. UFMS Para fabricar uma mesa. uma das rodas dianteiras é: a) 20 cm b) 30 cm c) 25 cm d) 15 cm e) 22 cm 540. Quantas voltas dá uma das rodas de um carro num percurso de 60 km. Unifesp Um inseto vai se deslocar sobre uma superfície esférica de raio 50 cm. Um atleta treinando nessa pista deseja correr 10 km diariamente.20 m? 541. sem escorregar. O raio de cada 176 . um marceneiro recortou os quatro cantos de um quadrado de 100 cm de lado. a cada dia. Determine o número mínimo de voltas completas que ele deve dar nessa pista. sobre uma superfície lisa e horizontal.

Um ciclista percorreu 26 km em 1 h e 50 minutos. 549. PV2D-07-MAT-24 177 . Uma pista circular está limitada por duas circunferências concêntricas cujos comprimentos valem. no plano. e que ela gira sobre a rampa sem deslizar em falso. respectivamente.000 m e 2. 3. que a extremidade desse ponteiro percorre em 25 minutos é: a) 15 b) 12 c) 20 d) 25 e) 10 Além do que indicam as figuras.400 m. a distância. sabe-se que o raio da roda mede 3 cm. em setores circulares. Se percorrer as duas semicircunferências de diâmetros AO e OB. quantas voltas aproximadamente deu cada roda e quantas por minuto? 554. em centímetros. Se o arco de cada setor medir 0.550. O perímetro do “monstro”.8 radiano. terei percorrido um caminho maior ou menor? Justifique. marcado em uma roda circular. Que distância percorreu o menino ao dar 100 voltas com o aro? 545. no final. é: a) π – 1 b) π + 1 c) 2π – 1 d) 2π e) 2π + 1 547. Sendo 20 cm o comprimento desse arco. Um menino brinca com um aro de 1 m de diâmetro. Determine a largura da pista. Determine essa diferença. respectivamente. como mostra a figura. UFSCar-SP A seqüência de figuras mostra um único giro do ponto A. UFSCar-SP Uma pizza circular será fatiada. A parte que falta no círculo é a boca do “monstro”. Uma corda determina em um círculo um arco que mede 80°. é igual a: a) b) c) 5π + 2 3 4π + 3 5 6π + 3 d) e) 7π − 3 8π − 3 5 551. 548. o comprimento RQ+QP da rampa. sobre a rampa formada pelos segmentos RQ e QP.4 km sobre uma pista circular de raio 200 m. a partir do seu centro. A circunferência descrita pelo ponteiro maior tem comprimento maior que a circunferência descrita pelo ponteiro menor. Sendo assim. O número de voltas que ele deve dar é: (Considere π = 3. uma fatia menor. em cm. obtém-se um número máximo N de fatias idênticas. 544.14) a) 500 b) 350 c) 450 d) 400 e) 300 546. UEPB Um ciclista de uma prova de resistência deve percorrer 502. Determine o menor número de voltas completas para a roda percorrer uma distância maior que 10 m.5 cm. Se as rodas da bicicleta têm 40 cm de raio. Para ir de um ponto A a um ponto B posso percorrer a semicircunferência de diâmetro AB e centro O. quando ela rola. sobrando. que é indicada na figura por fatia N + 1. Os ponteiros de um relógio medem 1 cm e 1. determine a medida do raio desse círculo. 553. Supondo π = 3. Mackenzie-SP O ponteiro dos minutos de um relógio mede 4 cm. e o ângulo de abertura mede 1 radiano. Vunesp Em um jogo eletrônico. em cm. o “monstro” tem a forma de um setor circular de raio 1 cm. 552.

d) 11 voltas. e) falsa. 560. em volta de uma bola de gude. enquanto o segundo BC corresponde ao lado de um quadrado também inscrito na círculo de raio 6 cm. a roda maior tem 55 cm de raio e a roda menor tem 35 cm de raio. bem ajustado. Assinale a alternativa correta. 559. o arco da fatia N + 1. Uesb-BA O setor de 60º.Considerando π = 3.34 555. e a razão referida vale . em radiano. o segmento AB correspondente lado de um haxágono regular inscrito.68 d) 0. Determine a distância percorrida de A até C. haverá uma folga d1 entre a bola de futebol e o barbante e uma folga d2 entre a bola de gude e o barbante. e a razão referida vale 2 d) verdadeira. 556. e a razão referida vale 2π. 7    a) 22 b) c) d) e) 88 231 462 924 a) 5 voltas. destacado na figura abaixo. Agora amarre um barbante. corresponde à superfície de um canteiro circular plano. 100 cm e 80 cm. Ufla-MG Amarre um barbante. e que CA = DB = 25 cm. c) verdadeira. UCS-RS A razão entre os comprimentos da Linha do Equador e do diâmetro da Terra é igual à razão entre os comprimentos de uma circunferência qualquer e de seu diâmetro. respectivamente. e a razão referida vale π. 2 b) verdadeira. a) d1 > d2 b) d1 < d2 c) d1 = d2 + 1 d) d1 = d2 e) p (d22 – d12) = 1 558.   Os arcos AB e CD são centralizados em O.   sabendo que os arcos AB e CD medem.56 e) 0. é a) 0. em volta de uma bola de futebol. Se você aumentar 1 m no comprimento de cada um dos dois barbantes.14.72 c) 0. UFRN No protótipo antigo de uma bicicleta. Essa afirmação é π a) verdadeira. UEG-GO Na figura abaixo. bem ajustado.74 b) 0. 178 . no qual pretende-se plantar duas roseiras por metro quadrado. quantas rosei22   ras deverão ser plantadas?  Use π = . b) 7 voltas. conforme figura ao lado. calcule a medida do ângulo central α. c) 9 voltas. passando por B. O número mínimo de voltas completas da roda maior para que a roda gire um número inteiro de vezes é: Se esse canteiro tem 42 m de diâmetro. 3π . 557. Na figura abaixo.

de um arco da mesma. um arco de medida 100º tem comprimento: 3π 5π cm cm a) d) 5 3 5π 10 π cm b) 6 cm e) 3 c) π cm 562.4 cm e) 32. Determine o comprimento da correia que envolve os três círculos. em cm. em função de d. de acordo com o esquema abaixo. os três círculos têm mesmo raio r igual a 10 cm. Na figura abaixo.561. diâmetro AA' e a tangente t em A ao círculo c. Nessa circunferência. FGV-SP Na figura estão representados dois quadrados de lado d e dois setores circulares de 90º e raio d: 567. Unisa-SP Um hexágono regular de lado 3 cm está inscrito numa circunferência. 566. Fatec-SP Em um motor há duas polias ligadas por uma correia.8 cm d) 50 cm b) 102. 568. As linhas curvas são arcos de circunferência. UFPI Numa circunferência na qual está inscrito um quadrado de lado 10 cm. Qual é o comprimento de madeira empregado em sua confecção? a) 160 1 + 2π + 2 cm b) 320 1 + π + 2 cm c) d) e) ( ) ( ) 160 ( 2 + π + 2 ) cm 320 ( 2 + π + 2 2 ) cm 80 ( 4 + π + 2 2 ) cm 563. de raio R = 1.8 cm 564. Seja um círculo c de centro O. a soma dos comprimentos do segmento CF e do arco de  circunferência AD . Mostre que o comprimento A'D é um valor aproximado de π. AB sendo um lado do hexágono regular inscrito em c. Unilasalle-RS Uma peça decorativa de madeira possui a forma do desenho abaixo.4 cm c) 92. a mediatriz de AB corta a reta t em C. medindo 120º é: a) b) c) 10 2 π 3 5 π 2 5 7 π 3 d) e) 10 3 π 2 5 2 π 3 565. Se cada polia tem raio de 10 cm e a distância entre seus centros é 30 cm. Construamos sobre t o segmento CD = 3R. Sabendo que os pontos A. E e C estão alinhados. é igual a a) PV2D-07-MAT-24 (2 3+π 6 )d d) e) (12 + π ) 24 d b) c) (3 + π) (4 6 12 d (2 3+π 12 )d 3+π )d 179 . qual das medidas abaixo mais se aproxima do comprimento da correia? a) 122. Considere o quadrado de lado 6 cm da figura. o comprimento. Calcule o comprimento da figura assinalada.

00 b) 4.050.. respectivamente. Uma correia envolve as polias. construído em formato retangular.000.000 m2 e que o preço de 1 hectare.000. Se a mesa tivesse 45 cm a menos de comprimento e 45 cm a mais de largura. Sobre a medida x do maior dos lados deste outdoor.62 m2 b) 1. a área do trapézio.00 573. nessa região.82 m2 180 574. a área da mesa é de: a) 1. sendo o metro a unidade das medidas indicadas. em função de k. Os pontos médios dos lados desse quadrado formam um outro quadrado de área igual a: a) 0.45 m2 c) 1. UFRN Um anúncio de jornal divulga: Vende-se uma granja a 15 km de Natal com 90 metros de frente por 110 metros de fundos [. Nestas condições. UFJF-MG Considere um outdoor de uma propaganda publicitária. apoiadas em uma superfície plana em P1 e P2. Vunesp A figura a seguir representa um trapézio retângulo em que a medida de AB é k centímetros. Sabendo-se que a distância entre os pontos P1 e P2 é 3 3 cm.00 d) 5. é R$ 5. com área de 104 m2 e com um dos lados 5 m maior do que o outro. Sabendo-se que 1 hectare equivale a 10. é dada por: a) k2 2 + 3 ( ) d) 3k 2 3 b) c) 2+ 3  k2   2     3k 2 3 2 e) k 2 3 .58 m2 d) 1. pode-se afirmar: a) 9  x  11 b) 6  x  8 c) 12  x  14 d) x  26 e) x  6 572.569.00. sem folga. UFMG O comprimento de uma mesa retangular é o dobro de sua largura.00 c) 5.950.5 cm2 b) 1 cm2 c) 2 cm2 d) 4 cm2 e) 8 cm2 571. o lado AD mede 2 k e o ângulo DÂE mede 30°. Capítulo 12 570.]. Assim sendo. UERGS-RS A diagonal de um quadrado ABCD mede 2 2 cm.. o valor da granja em reais é: a) 4. Fuvest-SP A figura representa duas polias circulares C1 e C2 de raios R1 = 4 cm e R2 = 1 cm. seria quadrada. determine o comprimento da correia. Determine a área do trapézio nos casos a seguir. 575.900.

pois independe de a. no máximo. cuja área é delimitada por um retângulo. UEL-PR Um arquiteto fez um projeto para construir canteiros de flores na entrada de um clube.96 / tg 15° = 2. a área do triângulo CDE vale: As áreas do triângulo ABC e do retângulo BCDE. 3 Por segurança. cada quadradinho da malha tem lado 1. d) 144. b) 26. Excluindo-se a área ocupada pelo palanque.5 b) 20. qual será a alteração que ocorrerá na razão p? 1 a) p é multiplicada por .576.620 e) 1. Para fazer o orçamento. 580. Outro tem a forma de um quadrado.700 d) 1. Mackenzie-SP Na figura. no local. podem ser calculadas A em termos de a e de h. os canteiros têm áreas equivalentes. conforme a 1 figura. Acafe-SC Um cliente encomendou uma lâmina de vidro em forma de paralelogramo. com a forma de um trapézio (veja as dimensões da parte hachurada na figura). e) p é invariante. Dados: sen 15° = 0. Seja a razão p = T . c) 39. denotadas respectivamente por AT e AR. e) 96. a coordenação do evento limitou a concentração.350 577. Qual a medida do lado desse quadrado? 4 a) 30 27 cm 4 b) 30 108 cm PV2D-07-MAT-24 4 c) 300 108 cm d) 97 3 cm e) 5400 3 cm a) 18 b) 19 c) 20 d) 21 e) 22 181 . a 5 pessoas para cada 2 m 2 de área disponível.70 A área da lâmina. Nesse projeto. UFC-CE Na figura a seguir. Vunesp Considere um envelope aberto. mostrado na figura. Se BE = 4. Unifesp Um comício deverá ocorrer num ginásio de esportes. quantas pessoas. A área do quadrilátero ABCD é: a) 18. 4 b) p é multiplicada por 2. com perímetro de 50 cm. Se o valor AR de a for multiplicado por 2. 579. é: a) 40. onde h1 = h.5. a diferença entre as áreas dos quadrados ABCD e EFGC é 56.5 c) 22. em cm2. d) p é multiplicada por ah. Um dos canteiros tem a forma de um hexágono regular de 60 cm de lado. 581. poderão participar do evento? a) 2. c) p é multiplicada por 4.26 / cos 15° = 0. devendo um dos lados ter 5 cm de diferença em relação ao outro e com o menor ângulo interno igual a 15°. o vidraceiro precisa calcular a área dessa lâmina de vidro.125 b) 1.5 e) 26.050 c) 1. disposto como um triângulo isósceles sobre um retângulo.5 d) 24.5 578.

UFPE A figura a seguir compõe-se de quatro retângulos de base 2 e altura 11. Calcule a área do quadrilátero ABCD. Mackenzie-SP A figura a seguir representa as peças do Tangram.000 cm2 b) 875 cm2 c) 1. FG. a área do sombreado. 1 paralelogramo e 1 quadrado.582. Qual a área da figura? a) 150 b) 132 c) 114 d) 108 Obs. D’ no prolongamento de CD para baixo tal que DD' = 2CD. A’ no prolongamento de DA para à esquerda tal que AA ' = 3AD. em cm2. onde os segmentos AB. GH são congruentes e medem “x”. a) b) c) d) e) 74 73 72 71 70 585. A área da região sombreada é: 9x2 4 x2 4 5x2 4 a) a) 1. Ufla-MG Uma parede é feita com tijolos retangulares de base 10 cm e altura 5 cm. CD. o valor de p é: 1 a) 2 b) 1 c) 5 d) 10 182 . Nestas condições.: xy indica a medida do segmento XY 587. Sejam: C’ no prolongamento do lado BC para a direita tal que CC' = BC.025 cm2 d) 925 cm2 e) 750 cm2 b) c) d) 583. BC. a área do quadrilátero A’B’C’D’. PUC-RS Considere a figura abaixo. UECE Considere o retângulo ABCD com área igual a 6 cm2. é: 1 6 1 b) 8 1 c) 9 a) 1 2 1 e) 4 d) 584. Sendo a área do quadrado ABCD igual a 4 cm2. quebra-cabeça chinês formado por 5 triângulos. DF. B’ no prolongamento de AB para cima tal que BB' = 4AB. UECE Um quadrado é transformado em um retângulo aumentando-se um de seus lados de p% e diminuindo o outro em p%. Os lados dos retângulos que se interceptam formam ângulos retos. em cm2. conforme a figura ao lado. é: 5x2 2 e) 2x 2 586. Se sua área é então diminuída em 1%.

b) Calcule a área de um dos triângulos recortados. de 1. A1 – A2 = 12 m2 e A3 = 2 · A2. Se A1. Ibmec-SP Suponha que A3. PUC-RJ Um terreno de 120 m2 contém uma piscina de 6 m por 8 m. também retangulares. todos de mesmo lado. EFOA-MG De um piso quadrado de 34 cm de lado recortam-se pequenos triângulos retângulos isósceles de cateto x. O perímetro do terreno ABCD media: 592. é a) 4 d) 5 b) 4. e de modo que ABCD e BHGF tivessem a mesma área. PUC-SP Pretende-se dividir um salão de forma retangular em quatro salas. Cesgranrio-RJ João possuía um terreno retangular ABCD. conforme ilustra a figura abaixo.5 c) 4. CEGH. com 30 m de largura. as áreas de um triângulo equilátero. do qual cedeu a faixa ADEF com 10 m de largura. A2. respectivamente. Calcule o valor de x em metros. de forma que cada um de seus lados seja paralelo a dois lados do terreno. a área da quarta sala. medindo 80 m x 50 m. Calcule a área (S) do retângulo ABCD. como mostra a figura abaixo.588. Se a área do galpão deve ser 1.5 e) 5. conforme está indicado na figura. de quantos metros deve ser o recuo r? a) b) c) d) e) 12 13 14 15 16 593. PV2D-07-MAT-24 a) Determine o valor de x. FGV-SP Na figura a seguir. c) Calcule a área do octógono. em metros quadrados. Considere 2 = 1. de modo a obter um piso em forma de octógono regular. ABCD é um retângulo e CFD é um triângulo retângulo em F. A3 e A4 são as áreas das salas pretendidas e considerando que A1 + A2 + A3 = 36 m2.000 m2. 589. como ilustrado na figura abaixo. UFPE Num terreno retângular.8 183 .4. 594. em troca de outra. então: a) A3 = b) A3 = c) A4 = 7 3 4 4 7 3 16 4 14 3  2 9 d) A4 = e) A6 = 14 3  8 9 7 3 4 9 a) 210 m b) 204 m c) 190 m d) 186 m e) 180 m 590.800 m2. deseja-se construir um galpão retangular. sabendo que AB = 2AD = 4AE e DF = 6 m 591. Se A3 + A4 + A6 = A3 · A6. um quadrado e um hexágono regular. A calçada ao redor da piscina tem largura x conforme a figura. A4 e A6 representam.

cujas dimensões indicadas são dadas em metros. Pretende-se construir uma cerca paralela ao lado AB. de modo a dividir o terreno em duas superfícies de áreas iguais. deverá ser aproximadamente igual a: 184 . com x < y. onde cada quadrado tem 10 cm de lado. Unicamp-SP Considere dois quadrados congruentes de lado 4 cm. Determine a variação da área obtida pela intersecção das áreas dos quadrados durante a rotação. UEMS De um retângulo de perímetro 32 cm e lados cujas medidas são x e y. retira-se um quadrado de lado medindo x. Seja x a medida do ângulo AOT. Fuvest-SP Considere uma circunferência de centro O e raio 2 cm tangente à reta t no ponto T. Assinale a alternativa correta que identifica a área máxima do retângulo remanescente. Justifique. a) b) c) d) e) 4 cm2 8 cm2 16 cm2 32 cm2 64 cm2 Calcule em função de x a área do trapézio OABT. 597. Unifesp A figura representa um retângulo subdividido em 4 outros retângulos com as respectivas áreas.  em que A é um ponto da circunferência e 0 < x < . FGV-SP A seguir. Qual é a área do quarto lote. As áreas de três dos lotes estão indicadas em metros quadrados no mapa a seguir. ITA-SP Se num quadrilátero convexo de área S o ângulo agudo  radianos. PUC-SP A figura abaixo representa um terreno com a forma de um trapézio isósceles. de modo que esse quadrado possa girar em torno de seu centro. Um terreno quadrangular foi dividido em quatro lotes menores por duas cercas retas unindo os pontos médios dos lados do terreno. a) b) c) d) e) 26 29 33 35 37 O valor de a é: a) 4 b) 6 c) 8 d) 10 e) 12 599. O comprimento dessa cerca. 600. então o produto entre as diagonais mede 6 do comprimento destas diagonais é igual a: a) S b) 2 S c) 3 S d) 4 S e) 5 S 601. estão representadas as quatro primeiras figuras de uma seqüência infinita. em metros.595. 2 596. 598. O vértice de um dos quadrados está no centro do outro quadrado. sendo B o ponto da reta t. representado pela região escura no mapa? 602. tal que AB é paralelo a OT.

Com relação às afirmações I.A área do triângulo é igual a: a) b) c) a) Chame de n o número de ordem e de A a área da superfície pintada de cinza de uma figura qualquer dessa seqüência. Todas são falsas. 2 3 1. d) e) 3 3 cm2 2 1 3 cm2 2 2  3  cm2 3  3  cm2 3 cm2 2 606. Apenas I é verdadeira. os lados de mesma medida medem 2 e o ângulo formado por eles mede 120°. Quanto mede o raio da circunferência inscrita nesse triângulo? 604. 603. III. Apenas II e III são verdadeiras. que descreva como área da parte cinza dessas figuras varia com seu número de ordem na seqüência. II e III. 5 e 8? 608. Qual dos dois triângulos tem área maior: o de lados 5. M é ponto médio de AB e N é ponto médio de BC. As afirmações II e III são falsas. ABCD é um retângulo e E é um ponto do segmento AB. O valor da área do triângulo CDE é o mesmo da soma das áreas dos triângulos ACE e EBD. 32 3 0. A respeito das áreas das regiões triangulares 1. então a área do triângulo ACE é um quarto da área do retângulo ABCD. 6 3 0. 8 3 a) b) c) d) e) Todas são verdadeiras. Se AE = EB. PV2D-07-MAT-24 609. Fuvest-SP Um triângulo tem 12 cm de perímetro e 6 cm2 de área. em m2. é de a) b) c) d) e) 3. FGV-SP Num triângulo isósceles. é correto afirmar que: 185 . A3 e A4. b) Construa um gráfico cartesiano da função obtida na parte a. respectivamente. A área do triângulo CDE é metade da área do retângulo ABCD. Da figura. podemos concluir que: I. 605. Determine uma função. designadas por A1. II. pode-se dizer que: Então a área da pipa. A área desse triângulo é: 1 a) 2 d) 4 b) 1 e) 3 1 c) 2 607. Unioeste-PR No retângulo ABCD.16 3 0. FURG-RS Analise a ilustração e responda à questão abaixo. UFG-GO A figura abaixo representa uma pipa simétrica em relação ao segmento AB. A2. 3 e 4. onde AB mede 80 cm. 5 e 6 ou o de lados 5. UFAC Na figura. representado na figura abaixo. independente da posição que o ponto E esteja no segmento AB. 2. por meio de uma equação.

FGV-SP Na figura plana a seguir. As áreas triangulares. os triângulos ABC e CDE são eqüilateros. P e Q são os pontos médios dos lados. em destaque. é h. Qual a área do triângulo ABC? a) 1 b) 2 c) 3 d) e) 2 3 615. N. Se BC = 6 cm. Considere o retângulo ABCD dado a seguir: c) d) e) 8 3 9 5 3 8 8 3 5 9 3 4 9 3 8 611. obtém-se um novo triângulo. AM é a mediana e AH é a altura. Mackenzie-SP Na figura. ambas relativas à hipotenusa. em cm. Acafe-SC A base de um triângulo mede 72 cm e sua altura. é: a) 20 d) 40 b) 64 e) 12 c) 80 . então a área do retângulo ABCD é: a) b) c) 2 3 3 2 3 2 d) 2 3 e) 3 614. B e C são vértices consecutivos de um hexágono regular de área igual a 6. M. A3 = 3A1 04. O valor da altura h. A área do triângulo BCE. em cm2. é: 01. é igual a: a) 4 K b) 8 K c) 16 K d) 32 K e) 64 K a) 4 3 b) 2 3 + 4 c) 12 d) 8 + 4 3 e) 12 3 616. respectivamente.613. em cm 2. em cm. ABCDEF é um hexágono regular de lado 1 cm. UFRR Um hexágono regular ABCDEF tem lado igual a 4 cm. Fuvest-SP Os pontos A. A2 = A3 08. Mackenzie-SP No triângulo retângulo ABC da figura. Calcule a área do quadrilátero ABDE. A2 = 2A1 02. Se a base for aumentada em 48 cm e a altura em 32 cm. Os lados medem 4 cm e 6 cm. é: a) b) 612. Se a área do triângulo destacado é K. a área do triângulo AMH. em cm2. A4 = A1 + A3 610. correspondem à seguinte fração da área do retângulo ABCD: a) 1/2 b) 1/3 c) 1/4 d) 1/5 e) 1/6 186 617. A área do trapézio ADEF. A4 = 3A1 16. Ibmec-SP No retângulo ABCD. cuja área é o triplo da área do primeiro.

Se AB = 6. UFC-CE área H onde H é hexágono regular ABCDEF área K (com vértices nomeados no sentido horário) e K é o hexágono obtido pela interseção dos triângulos ACE e BDF. assinalado com (1). A razão entre a área do triângulo DEF e a área do triângulo BCA é a) 4 d) 3 PV2D-07-MAT-24 b) 2 3 c) 4 3 3 e) 2 3 3 624. Ibmec-SP Uma pipa tem a forma de uma estrela regular de 6 pontas (figura). O triângulo eqüilátero. então a área do triângulo BCE é: a) 6 b) 7 c) 8 d) 9 e) 10 623. 187 . DE  e EF são cordas congruentes. qual a área do hexágono? 621. b) a disância d. Uespi O hexágono convexo ABCDEF ilustrado abaixo tem todos os seus ângulos internos medindo 120°.5 3 3. Se as áreas dos triângulos ACE e ADC são 4 e 10. Fuvest-SP Na figura abaixo. temos os pontos I e J respectivamente. Sendo M um ponto qualquer do lado AD traçando MB e MC. UFTM-MG Na circunferência de centro C. CD = 4 e DE = 14. a reta r é paralela ao segmento AC. UFTM-MG A figura indica um triângulo equilátero ABC de lado unitário. e C pertencente a r. BC = 10. é igual a: A razão a) b) c) d) e) 2 2.5 4 619. 620. indicada na figura. um quadrado PBCQ. Sabe-se ainda que r. 622. indicada a seguir. e o menor arco AB é igual à sexta parte da circunferência. e a área do quadrilátero ABED é 21. com A e B pertencentes a t. Mostre que a área do triângulo MIJ é constante para qualquer ponto M do lado AB. sendo E o ponto de intersecção de r com a reta determinada por D e C. respectivamente. de lados a e b (a > b). Calcule: a) 86 3 b) 85 3 c) 84 3 d) 83 3 e) 82 3 a) a área total da pipa. s e t são retas paralelas. Considere no retângulo ABCD. tem área igual a 25 3 cm2.618.

Mackenzie-SP São dados dois lados b e c de um triângulo e a sua 2 b · c. a área sombreada na figura. UERJ No triângulo ABC abaixo. a 16 cm2 e 9 cm2. Calcule a área do triângulo MDN. Fuvest-SP 629.628. qual será a área do trapézio? Na figura. 626. as distâncias de P a cada um dos lados. UFC-CE Na figura ao lado. possui área igual a 30 m2 e está circunscrito a um círculo de raio 2 m. será igual a  1 3  1 a) – x 2 +  d) – x 2 + x  2 x  2   b) – c) – 3 2 5 x + x 4 2 3 2 x +x 3 e) 1 x 2 c) d) e) 625. As medianas AE e BD relativas aos lados BC e AC interceptam-se ortogonalmente no ponto G. Sejam h1. AB = 5 cm. 188 631. b) a razão entre as áreas dos triângulos ADG e BEG. O terceiro lado pode ser expresso área S = 5 por: 6 b2  c 2  bc 5 3 b2  c 2  bc 4 b2  c 2  bc b2  c 2  3bc 1 b2  c 2  bc 7 a) b) Admitindo-se que s esteja se deslocando de r até t. 630. ABCD é um quadrado de 6 cm de lado. ABCD é um trapézio cujas diagonais AC e BD se cortam no ponto P. AC = 8 cm e BÂC = 120°. respectivamente. Então: a) calcule a área do triângulo ABC. M é o ponto médio do lado DC e A é o ponto médio de PC. b) a relação existente entre o raio R da circunferência que circunscreve o triângulo ABC e a altura h relativa à hipotenusa. Num triângulo ABC. AC e AB medem. FGV-SP a) Obtenha a área de um triângulo eqüilátero em função da medida h da altura. b) calcule o raio da circunferência que tem centro sobre o lado BC e é tangente aos outros lados do triângulo. em que a medida do ângulo A é de 90°. . b) Considere um ponto P situado no interior da região triangular determinada por um triângulo eqüilátero com lado de medida m. a. b e c. Efei-MG Um triângulo ABC. h2 e h3. Conhecidos a e b. em função de x. Mostre que h1 + h2 + h3 é constante para qualquer posição de P e determine essa constante em função de m. os lados BC. Se as áreas dos triângulos APB e CPD são iguais. respectivamente. 627. determine: a) o valor de c em função de a e b. e que x seja a distância entre r e s. Pede-se encontrar: a) a medida de cada um dos lados do triângulo.

pode-se estimar que a medida da área da região ACB em metros quadrados. o raio OA da circunferência mede 6 cm. então o maior valor que a área do triângulo ABC pode assumir é: a) b) c) 1 2 3 3 3 2 636.02 d) 9. suponha que 1 1 os lados AC e BC meçam e 1 + sen ( θ ) 1 − sen ( θ ) respectivamente. Cefet-MG Na figura abaixo. a área da região sombreada.41 m2 e a medida do ângulo AÔC é 60°. Mackenzie-SP Na figura. é igual a: 637. PUC-MG Na figura ao lado.67 b) 8. Nessas condições. em que 0 < θ ≤ 45°. a relação entre a área hachurada e a área do círculo maior é de: d) 1 e) 3 633. Calcule a área de cada superfície destacada. em cm2.12 189 . a) 1/5 b) 1/4 c) 1/3 d) 2/5 e) 1/2 634.14) PV2D-07-MAT-24 a) 7. Adotando-se π = 3.  Se a medida do ângulo A C B é igual ao dobro de θ. sabendo que as duas circunferências menores têm raios de 3 cm e 1 cm. a medida da área do triângulo OAC é 5. é: (Considere π = 3.632. o círculo tem centro O e seu diâmetro mede 10 m. Calcule a área da região destacada. Ibmec-SP Dado um triângulo como o da figura. a) b) c) d) e) 9 4− 3 9− 3 4 3 9 3 4 9− 3 ( ) ( ) 635.21 c) 9.

qual é a área do retângulo? a) b) c) d) 2π 4π 5π π 25  e) 2 645. 2 b) 2 c) 2π – 1 d) 0. 6 = 2. A área de sombra fora da mesa.638. a) b) c) d) e) 4 12/π 4π 12-π 3 A área da região sombreada é igual a: a) 4 d) 16π e) 64 b) 4π c) 16 646. com centros sobre os pontos em destaque. Se o raio cresce em função do tempo t (em min). sua área mede. Fameca-SP Na praia. URCA-RS Na figura 4 abaixo. UFPE Na figura abaixo.73. d) Para ter o que quer. c) A construção deve ter a forma de um triângulo retângulo de lados 50.14 a) Ela deve construir com a forma de um triângulo eqüilátero.27 d) 50. com 5 m de raio. EFOA-MG Suponha que uma mancha de óleo sobre a superfície da água tenha a forma de um disco de raio r (em cm). obedecendo à relação r(t) = 15t + 0. tem ao centro uma pista de dança na forma de um círculo. 641. pois quer obter a maior área útil possível.25 π 639. Fuvest-SP Um comício político lotou uma praça semicircular de 130 m de raio. ao meio-dia.25 π e) 910. a região sombreada S é delimitada por semi-circunferências.25 π b) 420. da região do salão de festas que não é ocupada pela pista de dança é: a) 25(30 3 – π) b) 25(12 3 – π) c) 25(6 3 – π) d) 10(30 3 – π) e) 10(15 3 – π) 640. com 10 m de lado.12 b) 1. Vamos ajudá-la! Use 3 = 1. 40 e 30 metros. é igual a: a) π – 1. 643. o cercado deve ter a forma de um triângulo isósceles de 20 metros de base.63 c) 25. a área ocupada pela mancha. Admitindo-se uma ocupação média de 4 pessoas por m2. b) Para obter o que deseja. Sabendo que cada círculo tem área 2. Cefet-MG Se o comprimento de um círculo é de 4 cm. em metros quadrados.24 642. a forma é de um quadrado.44 e π = 3. Calcule a área S. as circunferências têm centros nos pontos A e B e cada uma delas é tangente a três lados do retângulo. em cm2. e) Cercado deverá ter o formato de uma circunferência. um guarda-sol cobre perfeitamente uma mesa quadrada de 1 metro de lado. Ela está indecisa quanto a forma.5. em m2. depois de 2 minutos.25 π c) 450.25 π a) 940. em cm2: a) 0. conforme mostra a figura. qual é a melhor estimativa do número de pessoas presentes? a) Dez mil b) Cem mil c) Meio milhão d) Um milhão e) Muito mais que um milhão 190 . Ibmec-SP Considere que os ângulos de todos os cantos da figura abaixo são retos e que todos os arcos são arcos de circunferências de raio 2. Vunesp Um salão de festas na forma de um hexágono regular. UEMS Ana tem 120 metros de tela e quer usá-la toda na construção de um cercado para fazer uma horta. A área.5 e) 10 – π 644. será: d) 930. com o sol a pino.

são tangentes exteriormente dois a dois. conforme indicado abaixo. a) 2 3 – π b) 3 2 – π  c) 2 d) 4 – π a) Calcule.73 e π  3. Admitindo uma ocupação média de 4 pessoas por metro quadrado. respectivamente. PV2D-07-MAT-24 650.647. em forma de um setor circular de 180 metros de raio e 200 metros de comprimento do arco. calcule a área da pista. Ibmec-SP Na figura a seguir. respectivamente. quanto valem as áreas das superfícies de ouro e de prata. Usando a aproximação π  3. em cm2? 649. ficou lotada no comício político de um candidato a prefeito. cujos centros são vértices de um quadrado. Então a sua área é: a) 30 cm2 b) 80 cm2 c) 40 cm2 d) 20 cm2 e) 10 cm2 652.14. A área da parte hachurada é: 191 . A região hachurada é de ouro e a não-hachurada é de prata. ilustrado abaixo. 2R e 3R. Q e T os pontos de tangência. Sejam P. UFPE Em um estádio olímpico. em metros quadrados. 648. e) 5 – π 651. em função de R.14. UFAM Um setor circular de raio 5 cm tem arco de comprimento 8 cm. são tangentes duas a duas. Sabendo que os contornos das áreas hachuradas são semicírculos. com bordas cujos trechos curvos são semicircunferências centradas nos pontos médios dos lados menores do campo. a área do triângulo C 1C 2C 3. a melhor estimativa do número de pessoas presentes ao comício é: a) 70 mil b) 30 mil c) 100 mil d) 90 mil e) 40 mil 653. Mackenzie-SP Quatro círculos de raio unitário. Qual o inteiro mais próximo da área da região hachurada? Dados: use as aproximações 3  1. Ufla-MG Uma das faces de uma medalha circular tem o desenho ao lado. as circunferências de centros C1. a praça principal. FGV-SP Em uma cidade do interior. e a largura da pista é de 10 m. UFPE A figura abaixo ilustra um hexágono regular de lado 10 e a circunferência inscrita ao hexágono. C2 e C3 e raios de medidas R. em função de R. a área do triângulo PQT. existem um campo de futebol e uma pista de corrida. b) Calcule. As medidas do campo são 100 e 60 metros.

UFSCar-SP Sobre um assoalho com 8 tábuas retangulares idênticas. é igual a: a) 800 2 b) 800 3 c) 1. como mostra a figura. A área da região assinalada é: a) b) c) d) e) 11 12 9 8 10 a) b) c) d) e) (169π – 125) cm2 (44π) cm2 (149π – 75) cm2 (130π – 125) cm2 (26π – 25) cm2 655. em cm2. ABCD é um paralelogramo cujo lado BC é tangente.600 3 d) 1. cujos lados medem 2 cm de comprimento. A área da região sombreada é: 658. c) ( 2 +1 5 ) 656. cada uma com 10 cm de largura. a) 4 ( 2 −1 ) d) 8 2 7 2 + 11 8 b) 2 +1 2 4 e) A área sombreada da figura mede: a) 6π cm2 b) 8π cm2 c) 9π cm2 d) 11π cm2 659. E.200 3 660. D. UFRN A figura abaixo é composta por 16 circunferências inscritas em 16 quadrados. G e I são pontos de tangência de duas circunferências de raio r em relação aos lados do retângulo ACFH: a) 12π b) 16 3 c) 8 2 d) 9π e) 20 3 657. J. FGV-SP O ponto D é o centro de uma circunferência de 26 cm de diâmetro. a área do tem raio 4 triângulo é: Admitindo que as tábuas estejam perfeitamente encostadas umas nas outras.400 2 e) 1. Mackenzie-SP Na figura. no ponto B.654. à circunferência de diâmetro AD = 6. Mackenzie-SP O triângulo ABC é eqüilátero e o círculo de centro O AD . a área do retângulo ABCD inscrito na circunferência. B. Se a área do círculo é 3π. inscreve-se uma circunferência. um octógono regular e um quadrado estão inscritos na circunferência de raio r = 2 . UFTM-MG Na figura. A área destacada do círculo é igual a: 192 . Mackenzie-SP Na figura. O triângulo ABC inscrito nesta circunferência possui base BC = 10 cm e é isósceles. Os segmentos de retas que cortam as circunferências são paralelos e a distância entre dois segmentos vizinhos quaisquer é sempre a mesma.

calcule quantos ingressos foram vendidos para esse evento. sendo que as passarelas CA e CB são lados que correspondem a um triângulo equilátero inscrito na circunferência. 4 Adote 3 = 1. AO e OB. a razão entre a área da parte sombreada da figura e a área do retângulo ACFH é a) b) c) 2 8 2  1 12 2 24 d) e) 4  24  3 12 a) b) c) d) e) 2 cos2 α π 2 sen2 2α π 2 sen2 2α ⋅ cos α π 2 sen α ⋅ cos 2α π 2 sen 2α ⋅ cos2 α π 661. O ângulo entre o lado AB e a PV2D-07-MAT-24 A área A(θ) da região sombreada em função do ângulo θ é dada por tg   – a) A(θ) = 2 2  b) A(θ) = 1 – 2 c) A(θ) = d) A(θ) = tg  –θ 2 2  1    2 altura do triângulo ABC em relação a BC é α. a circunferência de raio 1. e o quadrado circunscrito a essa circunferência. Os lados do quadrado são paralelos aos eixos OX e OY.Sabendo-se que a distância entre os centros das circunferências é r.73 e π = 3. CA. pela expressão: e) A(θ) = θ (4 – π) 193 . UFSCar-SP Para fins beneficentes. centreada na origem . Quando 0  θ  a área A (θ) está representada na figura a seguir. FURG-RS Na figura abaixo está sombreada a região compreendida entre o segmento OP.14 a) Determine quantos metros cada modelo desfilou seguindo uma única vez o roteiro BC. A passarela foi montada de acordo com a figura. em função de α. ocupado pela platéia. 663. sendo uma cadeira por m 2 e um ingresso para cada cadeira. 662. o triângulo ABC inscrito na circunferência tem AB = AC. foi organizado um desfile de modas num salão em forma de círculo com 20 metros de raio. Considere que o segmento OP forma  um ângulo θ com o eixo OX. No espaço sombreado. Nestas condições. b) Sabendo-se que todas as cadeiras foram ocupadas. o quociente entre a área do triângulo ABC e a área do círculo da figura é dado. foram colocadas cadeiras. Fuvest-SP Na figura a seguir.

calcule: a) a área da região sombreada. Unifesp Na figura. Se OA = 1 m e AC = 3 m. que gira em torno de um eixo vertical perpendicular à região. Calcule a área da coroa circular limitada pelas circunferências inscrita e circunscrita a um pentágono regular de perímetro 30 cm. então os raios de C1 e C2 são dados. Sabendo que a distância entre os centros delas é igual a 1 cm e que a área da região destacada é igual a cinqüenta por cento da área da circunferência C2. cujos centros são vértices de um hexágono regular de lado 2. se a área irrigada for de 8 m2. em cm. b) o valor de θ. UECE Na figura as três circunferências são tangentes no ponto P e seus raios são expressos. UFMS Na figura abaixo.14 3  1. respectivamente. Unirio-RJ Um campo de atletismo está representado na figura abaixo: 194 . que dependerá do valor de θ. representada pela parte azul do setor circular. Para facilitar os cálculos. por: a) (1 + 2 ) cm e (2 + 2 ) cm b) (1 – 2 ) cm e (2 – 2 ) cm c) (3 + 8) cm e (4 + 8) cm d) (1 + 2 2 ) cm e (2 + 2 2 ) cm e) (2 + 2 ) cm e (3 + 2 ) cm 666. b) o perímetro da figura que delimita a região sombreada.664. qual o inteiro mais próximo da área da região destacada? Dados: use as aproximações: π ≅ 3. 668. apresentada em destaque à direita. 669. use a aproximação π = 3. determine: a) 36 cm b) 30 cm c) 24 cm d) 18 cm a) a expressão matemática para a função A(θ). são exibidas sete circunferências. Se denotarmos a medida em radianos do ângulo AÔB por θ. Se a medida da área limitada pela circunferência menor for igual à medida da área compreendida entre a circunferência intermediária e a maior então a soma dos diâmetros das três circunferências é igual a: 667.73 Nestas condições. o ângulo BAC mede 60° e AB = AC. cada circunferência externa é também tangente às outras duas que lhe são contíguas. as circunferências C1 e C2 são tangentes. Vunesp A figura mostra um sistema rotativo de irrigação sobre uma região plana. Se a circunferência tem raio 6. 670. com 0  θ  2π. por números naturais consecutivos. As seis exteriores. Além disso. são tangentes à interna. 665. a área irrigada. UFPE Na figura abaixo. em graus. será uma função A.

b) Quais os valores de x e de r que dão à parte retangular a maior área possível? 671. 672. 195 .Considere 2 = 2. B.25 cm. D e E são pontos comuns entre o quadrado e o círculo. em cm2. UPE Na figura abaixo. o valor aproximado da área desse círculo. cada uma das quatro circunferências externas tem mesmo raio e cada uma delas é tangente a outras duas e à circunferência interna C. Ufla-MG Sobre a figura abaixo. 4. Cefet-MG Na figura. ABC é um triângulo eqüilátero inscrito em um círculo de centro O e raio igual a 6 cm. ESPM-SP A figura abaixo representa uma marca onde os arcos têm centros nos vértices do quadrado de lado igual a 10 cm. a área da região hachurada é 3 (9 2 3 b) (4 2 3 c) (9 2 2 d) (9 3 2 e) (2 3 a) PV2D-07-MAT-24   d) r 2  1 2    1 e) r 2    2  675.5 a) b) c) d) e) 4. pode-se afirmar que. calcule: 674. Unicentro-PR Qual é a área da região hachurada na figura a seguir. 4. Sabendo que AH é a altura do triângulo e D é o ponto médio do arco ADC. Em todo o contorno do campo. C. b) a área do círculo inscrito. em cm2.00 cm. Se as partes clara e escura devem ter a mesma área. 4. é de: 3 + 2π) 3 + 9π) 3 +4π) 3 + 2π) 3 + 9π) a) b) c) d) 314 322 342 414 673.40 cm. o quadrado ABCD tem área igual a 256 cm2. 4.50 cm. Sabendo-se que A.15 cm. há uma pista para corrida com 400 metros de extensão. a) Expresse a área da parte retangular do campo em função de r. Fuvest-SP Na figura abaixo. sabendo-se que o raio da circunferência maior é r?   1 a) r 2     4 2   1 b) r 2     8 4   c) r 2  1 4  a) a área do setor circular ABC. a medida do raio de cada arco deve ser: 676.

na figura. então. Calcular. Tomando como diâmetro cada um dos lados do hexágono. os arcos DE. determine: a) o valor de r. em cm2. o triângulo ABC é equilátero de lado 12. Com a finalidade de facilitar o tráfego nas duas esquinas que possuem ângulos de 60°. o lado do triângulo eqüilátero ABC mede 6 cm.14 e 3  1. UFRJ Um setor circular de ângulo θ e raio 1 foi dividido em três setores de mesmo ângulo. Se A 1 é a soma das áreas das regiões sombreadas e A 2 é a soma das áreas das regiões claras. tangenciando os lados. considere agora as seis semicircunferências sobre esses lados. Calcule a área eliminada. EF. Cada um desses setores foi dividido em duas regiões por um arco de círculo concêntrico com o setor e de raio r. 25 utilize nesta questão π  . 677. conforme figura abaixo. 681. b) a área da região destacada. c) Determine a área da região sombreada na figura. 196 682. é igual a: 680. FD estão contidos em circunferências de raio 6. UFPE Na figura abaixo. Unicamp-SP Uma quadra de um loteamento tem a forma de um paralelogramo com ângulos internos de 60° e 120°. arcos de circunferências de 10 m de raio para eliminar os cantos correspondentes a esses ângulos. Ibmec-SP Considere uma circunferência de raio r inscrita num trapézio isósceles. . a área da região exterior à circunferência de raio r e interior a cada uma das semicircunferências. conforme a figura abaixo. Vunesp Considere uma circunferência de raio r = 12 e o hexágono regular nela inscrito. b) Determine o raio r da circunferência. então a área da região sombreada. Para seus cálculos.73. a) 4π 3 b) 4π c) 3π d) 2π 3 5 3 e) π 2 678. 679. Suponha que as medidas dos segmentos AB e BC são respectivamente iguais a 18 e 32. 8 a) Determine o perímetro do trapézio ABCD. foram construídos. como ilustrado na figura. Mackenzie-SP Se. e a circunferência de menor raio é tangente aos três arcos. determine o valor de r que torna verdadeira a igualdade A1 = A2.Se o raio de C é igual a 2. Qual o inteiro mais próximo da área da região hachurada? Dados: use as aproximações π  3.

Se AB = 12 m e BE = 3 m. a) Faça uma figura ilustrativa da situação descrita. Ele foi ampliado. A figura abaixo mostra dois triângulos semelhantes. UFIt-MG Dentre os setores circulares de perímetro dado 1. os ângulos ABC. b) Calcule a área da região exterior à casa.60. A altura relativa à hipotenusa divide T em dois triângulos. do mesmo sabor. A área da menor região delimita da pela corda AB e pelo arco AB mede. conclui-se que a área do outro disco é: a) b) c) d) e) 8 m2 10 m2 11 m2 12 m2 15 m2 689. os círculos que se interceptam são tangentes. 684. ABCD é um jardim de 80 m 2. qual é a área do maior? 691. ITA-SP Duas circunferências concêntricas C1 e C2 têm raios de 6 cm e 6 2 cm. Â é reto. de 4 metros de lado. UFMG   Na figura. Quanto você espera pagar por uma outra. Na figura seguinte. risca-se um contorno no chão. o qual se supõe que seja plano. AB = 6 e AC = 8. A corda tem 6 metros de comprimento. em volta da casa. uma pizza com 20 cm de diâmetro custa R$ 3. calcule a área do novo jardim. 687. e as duas retas são tangentes a todos os círculos. tangente à C1. delimitada pelo traçado da estaca. Sejam P e Q os pontos médios dos segmentos AO e BO. Seja AB uma corda de C2. prende-se uma corda flexível e inextensível. Então. Se a área do menor é 80 cm2. respectivamente. a razão entre as áreas dos triângulos ABC e CDE é: a) b) c) d) e) 6 4 3 2 3 685. com 30 cm de diâmetro? 693. a área do triângulo OPQ é d) 7 cm2 a) 4 cm2 b) 5 cm2 e) 8 cm2 c) 6 cm2 PV2D-07-MAT-24 688. respectivamente. Mantendo-se a corda sempre esticada de tal forma que inicialmente sua extremidade livre esteja encostada à parede BC. Unicamp-SP No canto A de uma casa de forma quadrada ABCD. Sabendo que a área do disco menor é 6 m2 e a do maior é 24m2. em cm2: a) 9(π – 3) b) 18(π + 3) c) 18(π – 2) d) 18(π + 2) e) 16(π + 3) 686. Se AB = 2 3 m e CE = 3 m. do ponto em que está presa até sua extremidade livre. em cuja extremidadade livre é amarrada uma pequena estaca que serve para riscar o chão. são: a) 10 e 90 d) 36 e 64 b) 20 e 80 e) 50 e 50 c) 25 e 75 690. Em um restaurante. UFRGS-RS Na figura abaixo.683. em m2. determine o que tem maior área. Fuvest-SP Num triângulo retângulo T os catetos medem 10 m e 20 m. e agora tem a forma AEFG semelhante à anterior. UFPI Um quadrado ABCD de centro O e diagonais AC e BD. até que a extremidade livre toque a parede CD. ACD e CÊD são retos. Qual a área do ∆ABN? 197 . 692. possui lado igual a 8 cm. cujas áreas.

de modo que a reta PQ seja paralela à reta AC e a área do trapézio APQC seja o triplo da área do triângulo PQB. da metade para cima. iguais a 4 u. e 12 u.: a) 3 2 d) 3 e) 4 3 b) c) 2 695. sejam P e Q pontos sobre BA e BC. respectivamente.5 e) 2. de modo que o triângulo ABC fique dividido em duas regiões de mesma área. em u. Unisul-SC Um triângulo ABC. UCS-RS Uma placa com a forma de triângulo isósceles.a. 698. retângulo em B. Quanto mede o segmento AD. FGV-SP Observe as figuras seguintes. respectivamente. posicionada conforme a figura.694. a) Qual a razão entre as áreas dos triângulos ABC e PQB? b) Determine a razão AB/PB a) 2 cm b) 2 2 cm c) 198 d) 2.c. através do segmento DE. calcule a área do trapézio. a) 4 d) 2 b) 3. Unimep-SP Pretende-se dividir o triângulo ABC da figura a seguir. O triângulo abaixo foi dividido em duas partes por meio de uma reta paralela a sua base. M é ponto médio de AC e N é ponto médio de BC. UFES 697. e as áreas dos triângulos ABE e CDE são. Sabendo que a área do triângulo grande é igual a 252. Nessas condições. para cada parte de tinta azul utilizada. Fuvest-SP Num triângulo ABC. sabendose que AB = 3 cm e BC = 4 cm? 699.c. O fator de ampliação da figura 2 para a figura 3 é: 7 5 a) d) 4 4 3 7 b) e) 2 6 4 c) 3 696. Se a espessura da camada de tinta for constante e igual nas duas partes. A figura 1 foi ampliada para a figura 2 e esta também foi ampliada para a figura 3. A razão entre a área do triângulo MNC e do quadrilátero ABNM será: a) b) c) d) e) 2 3 1 2 1 4 2 5 1 3 Na figura. o segmento BE mede 1 u. Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna do texto acima.5 cm e) 3 2 cm 2 2 cm .5 c) 3 700. serão necessárias ______ partes de tinta vermelha. será pintada de vermelho até a metade de sua altura e de azul. o segmento EC mede.a.

também regular. devemos conduzir uma reta paralela a BC. Assim. a área do triângulo CDE é: 704. de altura. relativa a BC. A razão área MNPQ é igual a: área ABCD a) b) c) d) e) 16/3 35/6 39/8 40/9 70/9 1 4 1 b) 3 2 c) 5 a) 1 2 4 e) 5 d) 702. com CG = 4 e GF = 2. determine a área do triângulo PDC. Considere P o baricentro do triângulo eqüilátero ABC. 703. ABCD é um quadrado e MNPQ é um retângulo. Fuvest-SP Na figura. A que distância do vértice A de um triângulo ABC. para que sua área seja igual à soma das áreas dos dois primeiros? 706. Determine a razão entre as áreas dos círculos circunscrito e inscrito em um quadrado de lado a. a seguir. Se a área do triângulo eqüilátero PQR vale 576 cm2. Na figura. Quanto deve medir o lado de um terceiro heptágono.701. Os pontos M e P são os pontos médios dos lados AD e BC. para que a área do trapázio obtido seja igual a 3 vezes a área do triângulo obtido? 707. igual a h. F é um ponto de AB e o segmento CF intercepta DE no ponto G. A que distância da base. devemos conduzir uma reta paralela a essa base para que o triângulo fique dividido em partes de áreas iguais? PV2D-07-MAT-24 199 . 705. Os lados de dois heptágonos regulares medem 8 m e 15 m. relativa a essa base. de um triângulo de altura. igual a h. ABC é um triângulo retângulo de catetos AB = 4 e AC = 5. respectivamente. O segmento DE é paralelo a AB.

Matemática 2 – Gabarito
01. a) 20° c) 25° b) 25° d) 15° 02. 120° 03. x = 40°, y = 20°, z = 80° 04. x = 10°, y = 20° 05. 35° 20’ 06. 91° 42’ 07. D 08. a) 90° − x 2 b) 90° – 3x c) 180° – x 4 d) 1 ⋅  180° − x   3  2  x e) 180° −  90° −   4   09. 11. 13. 14. 15. 18. 21. 23. 20° 10. 30° 30° 12. 70° 40° e 140° a) 40° b) 50° A 16. B E 19. 120° A 22. C Demonstração: 90° – a = 90° – d ∴ a = d 46. 90° 47. 1/5 · 1.930 = 386 km2 37. 95° 40. 60° 43. 30° 45. 38. C 41. D 44. 100° 39. A 42. 90° 50. Os catetos são paralelos, pois apresentam alternos internos congruentes. 51. D 52. D 53. a) 50° b) 110° c) 50° 54. A 55. A 56. B 57. C 58. 10° 59. B 60. B 61. a) 180° b) 360° 62. a) 540° b) 360° c) 360° 63. B 64. São congruentes. 65. B 66. x = 2m 67. B 68. D 69. B 70. 36° 71. D 72. B 73. 900° 74. C 75. 90° 76. 20° 77. 21° 78. 100° 79. a) DCB = 36° e ADC = 108° b) BC = CD (I) ∆ADC é isósceles de base AC ⇒ AD = CD. (II) 80. E 81. Â = 40° 82. C 83. 4 84. 86. 88. 90. 92. 94. Sejam 2x e 2y os ângulos colaterais internos e α o ângulo formado por suas bissetrizes. Mostremos que α é igual a 90°: 3 85. A = 12, E = 24 D 87. F, V, F 6 cm 89. D 130° 91. C D 93. C 04 95. 180° – a =α 96. C 97. Pelo jacarandá, imaginamos uma reta r perpendicular à reta determinada pelo jatobá e pela sibipiruna. Pelo jatobá, imaginamos uma reta s perpendicular à reta determinada pelo jacarandá e pela sibipiruna. O tesouro estará no encontro das retas r e s. 98. B 99. D 100. 3 8

17. 30° 20. 30°

A café + A cana = = πR2 3,1⋅ 152 = ≅ 348, 7 km2 2 2

Então 2x + 2y = 180°

Como 348,7 km2 < 386 km2, o estatuto está sendo cumprido. 48. 105° 49.

O ângulo entre as bissetrizes mede: x+y= 2x + 2y 180° = = 90° 2 2

24. O dobro do complemento de um ângulo excede a quarta parte do complemento desse mesmo ângulo em 115°. 25. 64° ou 144° 26. V, V, V, V, V 27. D 28. a) 50° b) 60° 29. C 30. B 31. B 32. E 33. E 34. A 35. 40° 36. C
200

a=x+y=

2x + 2y 180° = 90° = 2 2

101. 102. 103. 104.

V, V, V, F 01. V, 02. V, 04. V, 08. F A α 192 cm2 x = 180° − 90° + 2 x=2 5 105. 106. 17 cm2 107. a) V e) F f) F b) V c) V g) F d) V 108. D 109. a) ∆ eqüilátero b) ∆ eqüilátero c) ∆ retângulo d) ∆ obtusângulo e) ∆ retângulo f) ∆ acutângulo 120° 1 110. S1 = S S1 = S⇒ 360° 3 115° 23 S2 = S ⇒ S2 = S 360° 72 125° 25 S3 = S ⇒ S3 = S 72 360°   111. Â = 80°, B = 60° e C = 40° 112. 46 cm 113. Â = 65°  B = 60°  C = 55° 114. D 115.

119. a) 4 cm b) 8 cm 120. Respectivamente, 3 cm e 6 cm. 121. E 122. A 123. 80° α ⇒ x = 90° + 124. 2 125. 65° 126. 40° 127. 6 cm 128. D 129. D 130. D 131. 44° 132. T1 ≡ T8 (LAL ) T4 ≡ T11 ( ALA )
T2 ≡ T7 (LAL ) T3 ≡ T5 (LAL ) T6 ≡ T10 (LLL ) T9 ≡ T12 (LAA 0 )

141. a)

Nos triângulos BFC e EFC
BC ≡ CE ( ∆ eqüilátero )     BCF = FCE = 60°  FC é comum   Pelo caso ⇒ LAL

133. a) b) c) d) 134. D

LAL LLL LAA0 LAA0

∆BCF ≡ ∆EFC e) LAA0 b) f) ALA ou∆LAL= 5 ⋅ 5 3 = 25 3 cm2 A BFC 2 2 g) HC 142.

135. x = 15, y = 8, α = 20° 136. E 137. 500 km 138.

Hipótese Hipótese
α ≡ β Pelo caso  ⇒ os triângulos γ = δ  ALA AC é comum 

Tese:

 AB = AC  BÂM = CÂM BM = MC   AM é comum Pelo caso LLL, os triângulos AMB e AMC são congruentes. Logo, BÂM = CÂM 143.

ABC e ADC são congruentes. 139.

O poste deve localizar-se no Demonstração circuncentro do triângulo for- BC ≡ CE (C é ponto médio) mado pelas casas, ou seja, no ACB ≡ ECD (OPV )   cruzamento das mediatrizes.   B ≡ E (Dado 90°) ⇒ ∆ABC ≡ ∆DEC ( ALA ) 116. Pensar nas casas como sendo   três pontos e construir o cir- 140. Tese: A ≅ C cuncentro do triângulo forma AD ≅ CD ( hip.)  do. Justificativa: circuncentro e    A ≅ C cqd eqüidista dos vértices de um AB ≅ BC ( hip.)  triângulo.  BD ≅ BD ( comum )  Demonstração: 117. A estátua deve ficar no incen-

{

 PÔC ≡ PÔD     Hipótese  P ∈ OM    PCO ≡ PDO = 90°  Tese {PC ≡ PD ∆ POC ≡ ∆POD ( casoLAA 0 )
L − PO ≡ PO (comum)   PC ≡ PD    A − POC ≡ POD (hip.)  ⇒ cqd  ≡ PDO (hip.)  A 0 − PCO  

PV2D-07-MAT-24

tro, ponto de encontro das bissetrizes internas do triângulo determinado pela praça.

∆ABD ≅ ∆CBD (LLL)
  e    A ≅ C cqd AB ≅ BC ( hip.)   BD ≅ BD ( comum )  AD ≅ CD ( hip.)

118. Incentro do triângulo, pois eqüidista dos lados do triângulo.

201

144.

148.

BM ≡ CN     B = C   BC é comum 

Pelo caso ⇒ LAL

∆MBC ≅ ∆NCB Logo CM ≡ BN 150. Nos triângulos AMO e BMO, temos:
OA ≡ OB = R Pelo caso     HC  AMO = BMO = 90° ⇒  OM é comum  ∆AMO ≅ ∆BMO Logo, AM ≅ BM

  ∴ OB C = ODA

Pelo caso OA = OC   ∆AOD = ∆COB  AOC é comum ⇒ OD = OB LAL 

145.
Pelo Caso  AB = AC    ⇒ ∆ABP = ∆ACQ  A BP = A CQ  BP = CQ LAL 

  O A P = OBP = 90°  OA = OB = Raio ⇒  OP é comum Pelo caso ⇒ ∆OAP ≡ ∆OBP HC ∴ PA = PB 146.

Pelo caso  AB = CD    ∆ABP = ∆CDP  A BP = CDP ⇒    BP A = DPC LAA O 

 AP = AQ  ⇒ ∆APQ ≡ é isósceles ∴    A PB = A QC 

151.

∴ AP = CP

∆ABC é isósceles de base BC  Hip.    BS1 e CS2 sãobissetrizes. Tese BS1 ≡ BS

{

2

Demonstração:

 OA = OC ⇒ OP é mediatriz de AC   AP = CP

149.

     B C  ABS1 ≡ ACS2  =      2 2  ( ALA )   AB ≡ AC  ⇒ ∆ABS1 ≡ ∆ACS2   A é comum    

∴ BS1 ≡ CS2 cqd

152. B 153.

Hipótese Pelo caso LAL, os triângulos PAD e PCB são congruentes. 147. a) Três elementos correspondentes congruentes. b) Não, pois LLA não caracteriza um caso de congruência.
202

  ABC é isósceles ⇒ B = C
BN mediana  N ponto médio  ⇒ ⇒ CM mediana  M ponto médio  ⇒ AM = BM
AN = CN

Nos triângulos AMB e CMD temos:
AB ≡ CD (paralelogramo) Pelo caso   MAB = MCD (alternos internos) ⇒   AMB = CMD (O.P.V.) LAA 0

Nos triângulos MBC e NCB

∆AMB ≅ ∆CMD Logo, AM ≡ CM e M é ponto médio.

A 188. E 162. Icoságono 5  y = 3x. 88 cm 230. 208. 9 260. b) Os pontos de AP exceto A e P. a) d = 27 b) d = 54 c) d = 65 Si = 1. 108° e 108° 169. pentágono e hexágono 250. C 266. O triângulo regular (eqüilátero) não possui diagonais. a) O ângulo BCA tem extremidade no diâmetro AB da circunferêcia. 18 cm e 10 cm 214. 19° 211. 50° 196. C 229. E 262.800° 251. 34 cm 165. D 164. ∆BOC é isósceles. E 227. A 170. 54° ∆BPC ≅ ∆CQD   Logo. Queremos provar que5  3 52 1 2 Então:  232. 108° 177. 180  ∴ BCA = = 90° 2 b) 3 cm 192. a) 4 retas b) 2 cm c) 3 circunferências 225.  Temos CD = x  D = é ângulo externo. PBC = DCQ = a e BC ≡ CD Como a + b = 90°.  Temos AP = y 240. 231. Respectivamente. x = 35°. 17 2 245. 90° e 105° 160. E 186. 8 cm e 3 cm 219. A 187. 7 238. CO B = x é ângulo central. ( ) α = 90° e n = 120 voltas 224. pois são os pontos internos à circunferência. 80° 194. a) O quadrilátero hachurado é um paralelogramo. Pentágono ou octágono 252. B 158. então ABCD é quadrado. 40° 202.800° 226. 1. D 201. E 171. 30° Si = 1. a) 5 b) 5 c) 108° 257. 5 cm 217. 4 cm 173. Octágono e decágono 246. D 261. 45° 198. B 212. C 166. b) 20 cm2 220. 1. 221. 265. a) 60° 3 b) 3 244. C 185. 263. D 195. A 213. Eneágono 2 234. C 258. 2x = y – x e y = 3x. Pentágono.  191.260° Si = 1. E 209. 4 cm e 8 cm 155. a) 35° b) 10° 183. 216. Sejam: ABP = x e AO P = y. Existem três circunferências de raio R tangentes às duas circunferências dadas. D 259. AO P = Y é ângulo central. pois são os pontos externos à circunferência. 72° 178.154. a) b) 222. 80° e 20°. C 172. D 239. 6 cm 228. A 167. B 205. 75°. E 179. 4. B 159. Hexágono e dodecágono 249. I é ortocentro do ∆ABC. C 210. B 1. Quadrilátero. D 253. 150° 180. Temos C   OB = CBO = x  2. 37° 190. 156. y = 20°   c) Os pontos de AP que não pertencem a AP. 63° 157. 60° 203. 5 242. 540° 254. 1 cm PV2D-07-MAT-24 181. Demonstração: AM ≡ MB (M é ponto médio )     AMP ≡ BMQ (OP V ) ⇒   M ≡ BQM (90°)  AP   ⇒ ∆AMP ≡ ∆BMQ (LAA 0 ) ∴d1 = d2 cqd 189. A  13 PQ = 4 3dm e sen BPQ = 13 reta r passa por M (genérica)  Hipótese   M é ponto médio de AB Tese {d1 = d2. B 193. A 203 .980°   207. Pentadecágono regular 264. 160 cm 163. D 200. 65° e 65° 168. 18 cm e 12 cm 215. a) O ponto P. 120° 176. C 161. Οctágono 243.  8 8  3  8  5 4 233. A 223. 50°. 72° 199. 5 c) 54 d) 60°  3. A 175. B 255. pois ele pertence à circunferência. 220° 248. 50° 197. B 218. 72°. 182. 90°. CB yx Temos x = 2 Logo. 72°. heptágono e eneágono 247. D 204. a) 50° b) 50° 184. a) 30° b) 150° 256.620° 241. Eneágono e dodecágono 236. 180° 237. Nos triângulos BPC e CQD temos:  BP ≡ QC = 2  Pelo caso   ⇒  PC ≡ QD =     LAL  BPC = CQD = 90° 206. E 174. Octágono e undecágono 235. D 267.

A 40 5 16  x  164 PQ   80  319. 24. D 337. 3 331. 180 n  4 ' B ' C ' C ' D ' 13 AB   x = = = → B ' C ' = 3. concluímos 278. 4(1 + 26) cm 346. 30 (02 + 04 + 08 + 16) 204 . BD = 8 cm DE = 25 cm EC = 6 cm 330. D 329. 2 2x + 3 104 4 x = ⇒ 20 x − 4 = 14 x + 21306. a) x = 6 5 5x − 1 3 7 309. x = 3 3 286. a) n n 2 5 10 3  C ' D ' = 6. A soma é 14. 6 cm 320. 20 cm ou 15 cm bc  ac  ab 1  294. 35 272. B 336. B 6 314. 5 e 27 AB ' = 2. 170 275. 48 cm2 25 ⇒ b) x = 311. e cm. A 295. Traçar M1D // BM2 = 2 abc Pelo teorema de Tales. 12 cm 268. 9 cm 322. a) 287. D 9 9 ⇒ = 291. D 332. D 321. B 2 abc a1 + a2 + a3 = 360°. 360 deve ser inteiro: Logo CM2 = AM2 = 2DM2 a Provar: i x 5 y x x + y 5 + 4 b) 15= =  =  ⇒ x 5 15 12 ⇒  y 4  4 3 20 b) 10 5 − 20  x + y = 9 c) x + y = 9 x + y = 9 = ⇒x =  x 5  3 323.∴ AD = 299. ∆ACO  ∆BOD a x bx   y b y a ∆ABD  ∆APO bx x b xy b a    OP OP x x bx x b ax  bx b a    x OP ax OP ab OP  a b 333. AD = 8 ⇒ x = = a ⇒5 u. C 341. A 335. 12 271.25 m 1 x 5 ou b) 125 3 m2 16 326. a1 é o ângulo interno do 9 a 9 3 3 4m polígono de a lados. B ' C ' = 3. D 338. E 310. 5 cm 277. 7 5 3 4 5 a a 10 lados.c. B ( ) 342. C 30 20 90 205 284. a) 3 c) 15 b) 12 d) 6 R = 2 ± 5 ⇒ R 1 + 5 cm 305. a2 é o a = ângulo interno do polígono 298. AB ' = 2. b x a b 290. 2Rr AH  R r 334. A 313. em que 10 x 10 x m = 2a ⇒ AD10 4 m =296. B 324. 4 D 8 b 5m AE b = 16 5 de b lados e a3 é o ângulo = 20 ⇒ 5−x x x interno = polígono de 4 x ⇒ 7 = 2 cm a7 do ⇒ 3 x = 20 − c 300. 12° =2 Então: GM1 281. A 3 5 10 = c) x = ⇒ 315. C 339. B 347. 9 cm 15C ' D ' 186cmcm cm 288. a) 4 328. 156° 274. B 308. 36 cm e 40 cm a b c 2 293. C Mas: 360n 360 360 2n    AG AM2 n  2180 n  2180 n  2 = ai GM1 M2D n 360 2n 360n   AG 2DM2 n  2180 n  2180 n  2 = Assim: GM1 M2D n que deve ser inteiro. 297.x y z 120 = = = ⇒ 283. C 289. 9° 269. 6 cm. D = ⇒y= 5 6 5 318. 24 cm. C 312. B 273. 2 x 3 3 y 18 316. E ⇒ 307. 25 ua 345. B 2 327. a) 2. B n  720 276. B 340. 3 344.2 1 1 1    292. D 343. A 317. x = 5 e y = 4 ⇒ 325. 3 7 11 20 10 302. = ⇒ = ⇒a= 8 b 8 16 7 Então: a1 + a2 + a3 = 360° 301. AG 280. ∴x =30− 2a = 5 − 2 ⋅ 5 =5− 7 7 15 x= cm 303. cm 160 4 16 x ⇒ m y = 40 PQ z = m m 285. C 270. teabc = 2 (ab + ac + bc) mos: ab  ac  bc 1  CM1 CD = abc 2 M1B DM2 b) 4 Como CM1 = M1B. 7 bc (a – 2) + ac (b – 2) + ab (c – 2) = 304. D que: CD = DM2 279. C = ⇒ 282. = .

E 370. se o quadrilátero convexo está circunscrito. B A A 'B ' C ' 1 1 355. B 363. a sua sombra. C 2 2  D 4 3  405. 12 cm 2 2 436. A e B representam os irmãos. 1. a) 4 m b) 5 m c) AE = 61 m 410. a pipa. a) b) 6 5  6 5 4 y  4 y 10 y10  3 y 3 393. 5 cm 2 =438.= 15 424. 5 41 cm NB = 2 419.4 cm 423. C m2 = 100 − 4( + 3)2 434. B 371. 32 cm 377. 8 m 414. a) m = 2 16 − 6 −  2 .5 ua  O ângulo A do ∆APD é con gruente ao ângulo D do ∆DQC (ângulos correspondentes). B y 2 4a a 61 e DC = 425. B 418. (10 2 – 2) cm 356. D  2 − 6 − 9) m 4(25 − 439. D 406. + 429. x = 4 2 a) b) 6 400. 22 cm 379.76 m 367. D 366.  Supondo APB reto. 442. a) 5 b) 4 c) ∴x = 11 4 416. E 404. 12 cm 380. C 420. C 2 427. AD = 3 3 426. D Logo. com 0 <  < 2 0<d<2 b) 6 2 5 376. 10 375. P. e S. E 399. E 369. D 389.  A ABC 32 9 357. 25 m 411. A 353. B 52 =  m  C ( + 3)2 A 428. 360.= 4 2 cm x 443. C 384. E m = 4 25 − ( + 3)    437. C 373. a) = 8 3 R = 4 + R −  ⇒R  407. B 390. 350. a) 5. C 435. 397. R( 2 − 1) 8 r = cm 444. PA · PB = PC · PD PV2D-07-MAT-24  PA PB = ⇒ ∆PAC ~ ∆PDB (LAL ~)   PC PD P é comum. PC ≅ 4. 48 DE = 5 386. D 382. B 381. podemos afirmar que a soma dos lados opostos é igual. 394. 55 cm 352. 3 7 100 = m2 + 4( + 3)2 433. ∆APD ~ ∆DQC b h1  a h2 ah1 = bh2 364. 30 368.6  x  6  a) x 6  x  6 b) 349. C 351.   . C 412. 144 cm 205 392.x 9  x 9 4 x  4 2 x x  36 x 2  36 x 348. 4 x= 3 b) Na figura. 2 cm 362. 8 cm 365. a) Na figura a seguir. x = m 2 378.8 cm 5 422.12 e 13 b) 1 1 2x x + 1+ x − 1 + = = x − 1 x + 1 ( x − 1)( x + 1) x 2 − 1 387. V 395. pelas relações métricas no triângulo retângulo APB. 3 374. a 446. C 409. 1 cm = m + (  + 3 )2 25 4 432. PA · PB = PX · PY = PC · PD Então. B 385. 3 2  2 431. B 421. V. AM = 9 cm ou 1. d) 4 415. 2 5 R= 391. 3 m 401.    430. 2 34 cm 403. 15 y2 = (2x)2 + (x2 – 1)2 y2 = 4x2 + x4 – 2x2 + 1 y2 = x4 + 2x2 + 1 = (x2 + 1)2 ∴ y = x2 + 1 413. 398. E 408. B b  x  ab  x  ab 359. C 372. A 358. a) 1 b) 2. 3 445. 34. a altura da pipa é a medida do segmento PS. PT = a2 −  2 396. D 3  3   b) 120° OP = 2 3 cm 441. (PS)2 = AS · BS ⇔ (PS)2 = 24 · (78 – 24) ⇔ PS = 36 m Logo a pipa estava a 36 m de altura. 440. V. V. 20 383. D 354. D 402. 31 m 9 ou a(a2 + r 2 ) a2 − r 2 2a2r a2 − r 2 361. 32 m 388. B 417.

b = 2 8 4 AB 2 2 4 AB 3 2 c=1 x = 16 + 4 − 16 ⋅ 5 3 2 b) 13 + 1 2 b) cm 456. E 492. R 3 Lei dos co-senos: 10 b)242⇒ = R km R⇒ 2 2 RR 3 = 2 6 =b) 4 3 m d d sen120° d  d  x a 2 =  1  +  2  − 2 ⋅ 1 ⋅ 2 ⋅ cos α (I) 464. D 519. temos : sen Iαe ( De ) ⇒ 3R = 4 2r ⇒ R = 2 531. 14 − 7 = 2 1+ 2 3 3 l 3 5 3  +1 24 y = 168 ⇒ y = 7 r 3 + 1 e 13505. 5 sen 5 2 + 4 R2 − 2 R 3 2R2 =24= 2 R2 − R2 2 l m 12 en4 = 2 cos α ⇒ α = 45° 2 s = 2R α 532. R cos 36° e = R 478. a) 2 cm 510. a) 2 b) r 558 = ABC = h = 22. E en 75° = 2 2 2  2  2 c) 12 m 2 6 3 6 2 18 2 2 x 3 2 3 3 R= ⇒R= ⇒R= d d d  d  =R = 10 521. = 2 km 6+ 2 2 D l= 2− 2 511.AC OC 490. 300 cm 2R = b) R = 2r 483. x 2 = 3 ⋅  5 3  ⇒ c)= 15 cm x2 = 4 x 457. )m ° 515. A 2 = h2496.= 2 5 − 2 3 509. 32 voltas 487. 5 1 + 3 cm3α < 90° e sen α = 5 4   16 4 497.op. 2 cm 3 R 6= 463.924 12  3 6 3 H= = 513. C 1 504. E ) ) ( ( ) ) ( ) ( ) ( )( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) 206 .b)= 8746. 29 m 465. E ( ( 447.= H m  3 = 6 3 = 3 3 m  2 2 4 4 c) x. a = 1 4 r. O1B = 7 ∴ ∴ AB = = 2−1 2 6 13 = 20 − 8 3 x O2B = 5 2 11   506. en 60° =458. D 2 2 c) 2 cm 461. C b) 6 m 13 3 3 1  3  ( 2 r 2 a2  xR + y) ⋅ =Rr + 25 ⋅ = +α 13 + 1 sen (= 5°8 ⇒ )x== 5. 5 + 2 ·1. 4 cm e ⇒ 4 x = 6 3 ⇒ x = 3 2 km +6 3 2 3 2 2 + ∴ razão : ⋅ m = 2 3 cm 6 3 3 2 2 6 3 +1 3 3 +1 d d d d II. 4 voltas 486. x = 1 ⋅ 2 3 + 3 3 3 − 6 ⇒ 29 = 12 x + 6 = 15 xED = 2 14 xcm ⇒ b) cos 36° = A ∆ACPa)= ⋅ 2 3 2 4 6 512. C 535. EO = 7 cm e 536. C 501. A 539.⋅8 m + S452. cm 3 b 2 =  1  +  2  − 2 ⋅ 1 ⋅ 2 ⋅ cos(180° − α ) (II) 3 3 6 2 ° sen45= xsen 30x = 3 2 ( 6 + 2 ) 2 2 3 2  2  ⇒4° 2 2 ∴ R = l2 32 cm = 523. A 484. 49 7 + 7 3a)= 343 1 + 3 cm R2 = = b)= 4 2 m 6− 2   x2 = 8 − 8 ⋅ B 2 3 494. 6 ⇒ x= 538. então : 2 2  2 2  x + (12 − y ) = a + 1 Assim : 500. a) = 524. D d 8 2 448. D 471. 10 cm Re= 4 23 4 R5 − 2 5 +1= 8 − 8 2 x + 1− 13FO = = − 6 ( 5 x − 2 ) − 4 x 7 cm 2+ 2 m= 480. a) 12 m α = sen α π8  b DE 60° cos 4 = h2 + 6 cos 60   450. 499.2 E 2 2 474.65=cm ⇒ 526. 3 495. 4 3 cm d) 4 cm 462. B 522. l = x− = 2 2 + 5 +1 481. a 2 = 1 + 2 − 2 1 ⋅ 2 cos α 2 2 2 4 4 468. . a) sen OAB = 3 516 m = cm m= ⇒ a) 455.30° sen 8 cm 470. 30  2  2   cat. Respectivamente. 42  498. 4 528. a) AB4= 70m e CE = 25m d) 4 m 2 x2 = 8 − 2 6 − 2 449.5 cm 2 2 541. B 1 + AB AB 7 y 2 − 144 + 24 y − y 2 = 24 e) 3 3 m 13 + 1 = ⇒ 1 + AB = ⇒ x = 454. D  x 2 = 8 − 2 6 + 2 2 = 8 − 2 ⋅ 2. D 502. 2 = 8 2 m x 2 602 + α2 sen 2 ⋅ cos sen (= 2° + 2 ) − 2 ⋅ 2 ⋅ OÂB 75° 2 491.sposta : 479. x ⋅ . 4 3 2 d d d d m x 3 2 I. : ( −2 ) b) − 6 = x 2 ) A ∆)ACPb) = ⋅ xkm 120° = 2 sen −2 ± 2 5 b NB 2 2 ⋅3 537. A 6⋅3 6 2 2 2d 2d x 12 a2 + b2 = 1 + 2 527. D ° = 477. ⇒ = ⇒ x = 12 2 4 4 3 2 2 2 1 d1 d2 2 2 a +b = + 6 2 472. C 2 3 +3 b) 7 A ∆ACP = 540. E 493. D 451. C d) 3 =6 3m 2r − r ) 453. 7. C 533. 3 h = ⇒ h = 6 2 cm b) l 3 l 3 2 AH = ⇒6= ⇒ b)= 4 3 cm l 4 6 460. a) DO = 5 cm. Assim NB 2 sen 45 R = 2 + 2 = 4 m2 2 D 475. E hip 459. Respectivamente. C 485.(120°II). E 2 2 2 vezes a lei dos co-senos. a) 1 6 + 2 km a) Raio = 1 km 2 2 + 2 5 = 8 cos 36° x= 1 − 2 x − 12 = FE ( 57 − 2cm. E 488.  razão : R en 45° 469.= 4 ⇒ AB 3 508. E 489. E π 3 3 = 3rc) r = 3 m ⇒ 542. a) 3.xA 2 2 13 = ⇒ cos2 = 1 +  2  α = 1 − c) 4 m − sen α 3 1 + 3 ⋅ 25.  = R 3 3 ap 2 e = Lembre que: 2 2 °¨ −α ) = 2 cos α (II) 2 l = 2 R2 − 2 R2 ∴ NB = 2 ⋅ ⋅ 6 6 ⋅ 2 sen α12cos α12sen (90 = =R ⇒ 2 ⇒ AB = 12 3 − 1 4 6r 473. a) 1 + 55 = 4m 36° ⇒ l= − 1 cos x + 6 = 3 ( 5 FD2 ) 130 cm. O raio é 4.5 e 7 b) 2π/3  a) 514. x 2 60. 53 5 − 2 3 507. a) 12 cm 518. 60° x 517. 2D (12 − y )2 = 24 y − 503. B NB 2 sen 2 α 3 = R15 6 + 2 d1 + d2 = 2a 2 + 2b 2 = 22R 2  ⋅R = 4 ⋅r ⋅ 2 ⇒ 2Pa = 2P ⇒ 3 a = 4b ⇒ 3 ⋅ sen A R sen αAF = km 530. logo sen α = Dica: Desenhe e aplique duas 2 R + 2R = 4 m l2 = R2 2 − 2 3 5 534. BF = 15 2 km 2 2 2 ⇒ AE 529.= 2 + 2 2 r sen ( 60° + α ) =)sen = 45m e 2p + 15 ⋅ ( +5. a) 70 km  3 = Ra)= 62 2 m 520. 70 m d) 3 m 543. E 466. b 2 = 1 + 2 + 2 1 ⋅ 2 cos α  4 = 2R ⇒ 12 x = x ⇒ b) = km 4 4 2 2 3 6 6 4= 2 = 525. a)= 3 3 m ⇒H 482. Aproximadamente 15. 3 =476.⋅ D3 =+2R ⇒467.

V 610.350 voltas. A 621. 2. 4 ⇒ x2 = 9 9 993 993 ⇒x= 100 10 devemos mostrar que o ∆MIJ possui sempre a mesma base ∆AOB é congruente ao ∆COD IJ e a mesma altura. Áreas iguais. C 585. V. 08. E 618. 90 cm2 589. A 547. C 572. 5π cm 561. E 607.3 cm 569. r = 1 cm 604. D 594. D 597. E 580. pois. 553. E 619.024. aproximadaOA = 100 α ⋅ mente 10. assim. E 550. A (n) = 50 b) b) ⇒ x 2 = 9. Dica: Calcule y no ∆OAC. D − OC ) = 20 ⇒ α ( OA 558. tem-se a mesma área. B altura é sempre: (a – b) 599.14. da superfície pintaDica: calcule IJ usando semeda em cada figura é lhança de triângulos. E 584. portanto.  2πR = πR Distância AB = 2 2π ⋅ R 2π ⋅ R 2+ 2 = πR  + OB =  Distância AO 2 2 ∴Terei percorrido o mesmo caminho. B 573. temos. para qualquer posição da figura. D 588. E 590. 4π cm 567 20(3 + π) cm 568. 10 10 10 603. No ∆ OAC: tg 30o = y 3 ⇒y= 1 3 3 9− 3 = 3 3 Para mostrar que a área do ∆MIJ é constante para qualquer ponto M do lado AD. A 606. C 571. 16. 04. E 586. • Qualquer que seja o ∆MIJ a 598. Aproximadamente 95. 4 ou 0. A 565. L = 6 ( 3 + π ) cm 570. B 596.544.5 m 551. α⋅ C 554. Assim. e. A variação da área é nula. 02. C 564. 01. a área passa a ser a do quadrado BOED.1 < 3. D 620. F. a) 10 cm b) 50 cm2 c) 956 cm2 591. C 615. C 578. 19 3 cm 614. B 605. Aproximadamente: • ∆BMC ~ ∆MIJ 4 sen x – 2 sen x cos x b a b  x  (a – b) que  600. D 593. Aproximadamente 314 m 545. a área AD.25 = 20 ⇒ α⋅ B 559. a) A parte cinza de cada fié uma constante gura consiste na união de ∴ a área do ∆IMJ é constante triângulos de altura 10 cm para qualquer ponto M do lado e cuja soma das bases é de 10 cm. D 601. 546. A 617.OA − α ⋅ OC = 100 − 80 ⇒ B 555. V. 93 ⇒ x 2 = Sabemos que: 312 = 961 e 322 = 1. D 583. Aproximadamente 14. Logo. A 566. C A= = 50 cm2 2 h 3 625. D 587. C 581. ⇒ 31 < 993 < 32 ⇒ 31 993 32 < < ⇒ 3. 2 m 592. C 612. um PV2D-07-MAT-24 valor de x como aproximação de π. A 609. 8 rad α= 5 560. A 582. A CD = 3R = 3 = y + z ⇒ z = 3 − No ∆ ADA’: 9− 3  2 81 − 18 3 + 3 x 2 = 22 +  x = 4+ ⇒  3   9   2 ⇒ x2 = 120 − 18 3 89. V. E 613. o 608. 240 m2 x a b a 602. C 623. Cada roda deu. a) 210 m2 b) 180 m2 c) 30 m2 d) A = 32 3 m2 e) 21 3 m2 f) 30 3 m2 575. 562. B 576. a) 3 2 Deste modo. A 574. B 579. A 595. D 563. E 549. D 577. π cm 552. B 2 611. Como π ≅ 3. 10 ⋅ 10 624. 557. AABC = APAB + APBC + APAC m2 3 mh1 mh2 mh3    4 2 2 2 207 . a) 300 3 cm2 b) 10 3 cm 622. D 548. calcule z e depois Pitágoras no ∆ADA’. D 556. B 616. sendo −  OC = 80 α ⋅ 94 voltas/min. a função h  A h 3 3 pedida pode ser dada por A : N* → R.

B 677. a) 2 · (3 3 – π)  π 12  3π b) 29π cm2 A semicircunferência =   = 20 3 b) 4π 2 2  2 684. 24 cm2 b) 12 6R2 704.47π e 2. D  2 2  707. 216 671. R$ 8. 6 cm2 627. E 663. a) A(θ) = ·θ 2 b) 64° 682. 683.2 m b) 910 662. E 701. ou seja. D 652. A 660. a) 200 (3 3 – π) cm2 3 664. B 643. A 666. C = A H = 6 ⋅ AI = 639. então : segmento 691. 3 2 700. B 641. C = a) 4 −2 π22+ 1 3 2 π 2− +π − = 3 2 S =sposta : 2 8 6 634. D 661. 17 m c) 150 b) 5 2 706. + tral 2 rad 4 633. D = 679. C R cm 13 22 669. B 659. B 2 d) 4 – π m2 675.198 m2 2 2 649. E 697. A 638. C 705. A 3π 6 3π 693. B 637. A 694. C 653. 626. A 635. D 702. 4. A 657. a) 109. h x 681. A 656. C= A 673. 2 680. E = AI 2 semicircunferência − A : 2 +1 2 +1 Como=r 2r=+24 \ r = 2 . D   b) 685. b = 5 e c = 12 30 b) R  h 628. a) 4 642. a) c  b) 1 630. a) 6R 703. B 690. E 698. 1. 140 636. 648. C 646. 2 h1 + h2 + h3 é igual a altura do triângulo eqüilátero. C 640.94π 654. 4 650. 9π cm 1 12 632. a) a = 13. 6π cm Re676. D Re sposta : 8 6 + 4 62 6 2π− π 2 π b) − 3 − 699. D 678. C 655. 49 cm2 a b 5 2 2 651. A 629. a) 10 3 cm2 ( ) ( ) ( ( ( ( )( ) ( ) ) ) ) ( ) 208 . 125 m2 692.m 3 = h1 + h2 + h3. B c)   2 m2 672. 3 6 3 − π b) 2 645.  h  2     631. A 665. a) 24π A ABN  6 25 4 πr 2 2 S = ( 2rA b) 4 ⋅ = A setor 22 A ∆ = 2π − 3 3 ) 2−=16π − π ⋅ − O1O2 · segmentoO4 O2 4 689. 72 cm2 4 b) xπ ⋅ 1002e 2r ⋅= 100/π = 1 3 A setor = 2π b)   2 m2 688. A 658. D 686. 44 15 667. Setor de raio e ângulo cen4 3 A a) – 2πr 2= 3400r ∆ 670. C 2 668. B 695.10 2r 674. B 644. a)  m2 687. a) 100 Dica: desenho 2 647. +2 2 696.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful