P. 1
Periodos Clinicos Do Parto

Periodos Clinicos Do Parto

|Views: 6.912|Likes:
Publicado porLisAlves

More info:

Published by: LisAlves on Apr 14, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/10/2013

pdf

text

original

Lei nº. 7.498, 25/06/1986. “ compete ao enfermeiro o acompanhamento da evolução do parto normal, e a execução do parto sem distócia.

Segundo OMS PN é um processo fisiológico, natural e não deve sofrer interferência no seu curso.

o modelo assistencial de saúde adotado negligencia os benefícios advindos do parto normal. Porém. A Organização Mundial de Saúde preconiza que a mulher em trabalho de parto deve ter suporte emocional e atenção à saúde. atualmente.Em alguns países do mundo . para mãe e filho. descaracterizando a essência original de fenômeno existencial e psicológico. no Brasil . Holanda. sem dizer das condições trágicas que se dão os partos. o parto é visto de forma natural e simples. A obstetrícia moderna nasceu sob a tutela da cirurgia e transformou o parto e o nascimento em um evento medicalizado. . apresentando menores taxas de mortalidade materna e complicações no pósparto. Inglaterra e outros. para o grupo familiar e sociedade. diferentemente do Brasil. e acontecimento social. longe de vivenciar tais recomendações. normalmente.Japão.

Trata-se de uma estrutura institucional menor. referentes ao parto humanizado. as Casas de Parto apontam como alternativa viável que proporciona uma assistência humanizada à mulher no ciclo gravídico-puerperal. ou seja: facilita a integração da equipe de trabalho. possibilita a colaboração e respeito mútuo entre o grupo profissional e os clientes) . preconiza a atuação autônoma do enfermeiro obstétrico.Diante dos desafios a serem vencidos.

a IG e classifique quanto a IG 2) MSD será internada? Justifique.com DUM=16/05/2011 .amniótico? 4) Elabore um plano de ações humanizadas para a gestante em trabalho de parto.MSD. comparece ao HR para consulta. G=III P=I(c ) A=I. 3) Como e o que você avalia no I.  . 24anos. fala que a barriga está endurecendo e que perdeu liquido via vaginal. 1) Realize a DPP. referindo dor em baixo ventre.

.

- PARTO Parto cesárea: é uma laparotomia que exige uma série de cuidados clínicos. . técnicos e anestésicos e que associa também a algumas complicações que devem sempre ser ponderadas antes da indicação.

Parto normal ou vaginal : é a expulsão do feto viável para o exterior via vaginal . .

tração e rotação do pólo cefálico fetal. apreensão .Parto forceps: originado do grego quer dizer pinça. Tem como principal função. .

afetivos e emocionais. O parto constitui um dos pontos fundamentais da vida psico-sexual da mulher. medo e isolamento. O medo gera dor e a dor aumenta o medo. .O atendimento ao parto deve ser realizado por meio de práticas humanizadas. respeitosas e embasadas cientificamente. angústia. Quando é vivenciado com dor. pode levar a distúrbios psicológicos.

Restabelecimento mais rápido. .É importante incentivar o parto normal: .Favorece o vínculo afetivo com sua mãe. .Risco de complicações é menor. .A criança tem melhor adaptação pós parto normal. .

DIAGNÓTICO DE TRABALHO DE PARTO: PERÍODO PREMUNITÓRIO: antecede o trabalho de parto (15 DIAS ).TODA PARTURIENTE TEM DIREITO: -Acompanhante de sua escolha e anestesia peridural nos hospitais do SUS. Apagamento do colo de 70 á 80%. . Dilatação do colo uterino de 3 á 4cm. O franco trabalho de parto.    Presença de contrações uterinas regulares (2 á 4 em 10min).

INICIADO O TRABALHO DE PARTO PODEMOS DIVIDÍ-LO EM QUATROS PERÍODOS: .GREENBERG .DILATAÇÃO .EXPULSÃO .DEQUITAÇÃO .

Partograma. Avaliação do BCF. Deambulação.(10cm). . Multíparas (06 a10h).) › › › › › › › › › › › › › Anamnese e exame físico. . Observar a rotura das MO. Duração:Primigesta (10 a16h). Toque vaginal. Acompanhante. Controle da dor e segurança emocional da parturiente e familiares. Tricotomia e enteroclisma. Doulas Técnicas de relaxamento.Carteira do Pré-natal. Sinais vitais. (expontânea ou artificial ) Amniotomia . Controle da diâmica uterina (DU ). ativa e transição. Assistência :(Fases: latência. PA: sempre em DLE. Exames Obrigátorios:HIVeVDRL. Hidratação e nutrição.Inicia-se no FTP e termina com a dilatação total.

.

.

.

Duração :Primigesta (25 a 75min.  Vontade de evacuar (PUXO). BCF e DU. Orientar parturiente e o acompanhante na participação do parto.Inicia-se com a dilatação completa e termina com a expulsão do feto.  Assistência        Aliviar medo e a ansiedade. Manobra de valsalva Episiotomia (EMLD) . Local e posição do parto. Sinais vitais.) Apresenta : contrações (5/10min) com duração de 60 a90 seg.

CORDÃO e MEMBRANAS). . que provocam hemorragia .Inicia-se após a expulsão do feto e termina quando a placenta sai das vias genitais.    Coletar amostra de sangue para TS do RN. Colocar RN para iniciar a amamentação. Riscos: Hipotonia uterina e a retenção de restos placentários . com perda sanguínea que excede 500 mililitros. Verificar (PLACENTA. Duração (05 a 20 min).

 . Caracteriza-se pelo: Miotamponamento e a formação do hematoma no sítio placentário. Estimular a amamentação. SSVV a cada 15 minutos.   Primeira hora após a saída da placenta. Evitar mortalidade materna: Controle de hemarragia.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->