Você está na página 1de 1

59ª Reunião Anual da SBPC

Belém - PA
Sociedade
Brasileira para o
Progresso da
Ciência

Metodologia Experimental para Medição do Perfil de Corrosão


em Juntas Soldadas da Liga Al-Mn (AA 3003) Imersas em HNO3
a
Tiara Pimentel de Oliveira
a
Adriano José Dias Pereira
b
Sérgio Rodrigues Barra , Dr. Eng.
a
Graduando do Curso Superior de Tecnologia em Inspeção de Equipamentos e de Soldagem
b
Professor do Curso Superior de Tecnologia em Inspeção de Equipamentos e de Soldagem
Faculdade de Tecnologia SENAI Cimatec
Salvador - BA
barra@cimatec.fieb.org.br
Área: B.1.9. - Engenharia Mecânica
INTRODUÇÃO
Uma preocupação do setor industrial que utiliza o ácido
nítrico (HNO3) como insumo no seu processo produtivo é a
possibilidade de falha por corrosão na região de juntas
soldadas de tanques de armazenamento e tubulações, (A) (b) (c)
decorrente do mecanismo de perda localizada da passividade Figura 2 - Aparato utilizado no ensaio acelerado de corrosão. (a) Imersão da
ao meio (vide figura 1). amostra, (b) Agitador mecânico e (c) Detalhe das amostras e termomômetro.

Etapa 3 - Regiões analisadas


Corrosão
localizada na Depósitos, contendo metal de base, zona termicamente
região da raiz
afetada e zona fundida (vide figura 3);
Medição da rugosidade através de rugosímetro portátil
(vide figura 3).
1- Meta de Base
2 2- Reforço da Solda
1 3 3- Centro da Solda
Figura 1 - Detalhe da localizão da falha por corrosão. 4
4- Raiz da Solda
(a) (b)
Em termos de acompanhamento do fenômeno, o entrave Figura 3 - (a) Detalhe das regiões de levantamento do perfil de rugosidade e (b)
experimental é definir qual o melhor processo/metodologia Vista superior da bancada para medição de rugosidade.
de ensaio acelerado de corrosão que se adapte à avaliação do
desempenho de uniões soldadas, de ligas comerciais de RESULTADOS
alumínio, submetidas à solução concentrada de HNO3.
Assim, o presente trabalho avalia a aplicabilidade da A pesquisa permitiu avaliar as dificuldades inerentes à
metodologia de acompanhamento da evolução do processo modelação de experimentos (condições de contorno,
corrosivo, por meio de medição da rugosidade superficial inconsistências experimentais e análise dos resultados).
(variação desvio médio aritmético, Ra). A figura 4(a) mostra a validação da metodologia através da
diferenciação temporal do perfil de rugosidade e a figura 4(b)
METODOLOGIA apresenta o aspecto do substrato ao final do ensaio.
Metal de Base Reforço da Solda

Para o processo de desenvolvimento e avaliação da


9 9
Rugosidade Superficial (µm)

CP 01 CP 01
Rugosidade Superficial (µm)

8 8
CP 02 CP 02
7 7
CP 03 CP 03

metodologia proposta, foram realizadas as seguintes etapas:


6 6
CP 04 CP 04

CP 01
5 5
CP 05 CP 05
4 4
CP 06 CP 06

Etapa 1 - Definição da forma de monitoração do processo


3 3
CP 07 CP 07
2 2
CP 08 CP 08
1 1

corrosivo
0 0
0 1 2 3 4 0 1 2 3 4
Tempo (Horas) Tempo (Horas)

Nesta etapa foram avaliadas três possibilidades de Centro da Solda Raiz da Solda

rastreabilidade do processo da evolução da corrosão na 9 9


Rugosidade Superficial (µm)

CP 01
Rugosidade Superficial (µm)

CP 01
8 8
CP 02 CP 02
7 7

região do depósito soldado, submetido ao meio de HNO3.


CP 03 CP 03
6 6

CP 08
CP 04 CP 04
5 5
CP 05 CP 05
4 4

Proposição 1 - Medição da perda de espessura mm/ano


CP 06 3 CP 06
3
CP 07 2 CP 07
2
CP 08 1 CP 08
1

(norma ASTM G 31 - 72). 0 0


0 1 2 3 4 0 1 2 3 4

Tempo (Horas) Tempo (Horas)

Proposição 2 - Medição da variação da perda de massa em (a) (b)


função do tempo (g/h), oriunda do processo corrosivo. Figura 4 - Perfil e aspecto de rugosidade obtidos pelo procedimento proposto.
Proposição 3 - Adaptação da metodologia utilizada por Barra
(2002) no processo de monitoração da erosão através do CONCLUSÕES
acompanhamento do acréscimo da rugosidade da superfície
de interesse. A metodologia proposta permite avaliar de maneira indireta
Etapa 2 - Definição da severidade do meio corrosivo a capacidade de resistência à corrosão do substrato;
Concentração de HNO3 para 20%; A técnica de mapeamento da rugosidade superficial
constitui-se numa ferramenta interessante quando a perda
Temperatura do eletrólito abaixo da temperatura de ebulição
de massa localizada for o parâmetro de interesse;
do HNO3;
A resolução de problemas tecnológicos necessita da
Agitação mecânica do eletrólito a 40 Hz e 13 mm de amplitude correlação de diferentes áreas de conhecimento.
(vide equipamento da figura 2).
FONTE DE FOMENTO