P. 1
Medicamentos Alostéricos - Reformulado

Medicamentos Alostéricos - Reformulado

|Views: 338|Likes:
Publicado porMarília Pio

More info:

Published by: Marília Pio on Apr 15, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/03/2014

pdf

text

original

Universidade Federal da Bahia Instituto de Ciências da Saúde Graduação de Biotecnologia Disciplina de Biologia Celular Professor Marcus Welby Alunos

Aliomar Pacheco e Marília Pio

MEDICAMENTOS ALOSTÉRICOS, UM NOVO CONCEITO DE PRODUÇÃO FARMACOLÓGICA.

Como age uma substância de sinalização celular?

Figura: www.lookfordiagnosis.com

Como são feitos a maioria remédios convencionais?

Figura: Scientific American, setembro de 2009. Um novo Alvo biológico por Melinda Wenner, pág. 56 à 61.

Desvantagem dos medicamentos típicos

Figura: Scientific American, setembro de 2009

Remédios Tradicionais causam efeitos colaterais
- Diarréia ( Histamim, anti-alérgico) - Poliúria (Polaramine, anti-alérgico) - Cefaléia ( Diazepam, antipsitcótico)

Qual a nova estratégia?
Elaborar medicamentos ALOSTÉRICOS ( “outro local” do receptor).

O que são os medicamentos alostéricos?
São reguladores da ação do agonista

Figura: Banco de imagens do google

Como agem os alostéricos?

• Figura: Scientific American, setembro de 2009.

Vantagens dos medicamentos Alostéricos

• Figura: Scientific American, setembro de 2009. Um novo Alvo biológico por Melinda Wenner, pág. 56 à 61.

O Valium (diazepam), na verdade, é alostérico!
• Atualmente, o benzodiazepínico é confirmado como modulador alostérico.

• Figura: http://gerontologiaestudos.blogspot.com/

Como o Valium funciona?
O benzodiazepínico “aumenta o volume” da atividade do receptor GABA.

Farmacologia Dang e Dale. Ilustração de Peter Lamb.

Como esta a produção destes medicamentos?

• Figura: Scientific American, setembro de 2009. Um novo Alvo biológico por Melinda Wenner, pág. 56 à 61.

Desvantagens dos remédios alostéricos.
- Apesar da eficácia, a mesma apresentará toxicidade

- Testes realizados apresentam resultados diferenciados desestimulando as pesquisas.
- Os GPCRs são inúmeros num organismo.

Considerações Finais
• As substâncias alostéricos são mais eficazes que os medicamentos ortoestéricos.

• Agem em locais alternativos dos receptores alvo. • Não ativam ou inibem moléculas. Apenas regulam fornecendo controle de intensidade. • Apresenta um grande desafio para ciência pois ainda apresenta resultados inconstantes nas pesquisa. • Os agente alostéricos podem apresentar novas vias terapêuticas além de desvendar tratamentos para distúrbios que não se possuem atualmente.

Referências
Werner, Melinda. Scientifc American, setembro de 2009 Nelson, L. David; Cox M. Michael. Leningher, Princípios de Bioquímica. Terceira Edição. Rang, H. et al. Farmacologia. Editora Elsevier.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->