P. 1
Limpeza-Descontaminação Artig.Médico-Hospitalares

Limpeza-Descontaminação Artig.Médico-Hospitalares

|Views: 329|Likes:
Publicado porEnneMattos

More info:

Published by: EnneMattos on Apr 16, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/26/2015

pdf

text

original

BÁSICO de ESTERILIZAÇÃO, LIMPEZA e DESINFECÇÃO ARTIGOS MÉDICO-HOSPITALARES ATIVIDADE 2: APOSTILA VIRTUAL

www.tspv.com.br

OBJETIVOS DO MÓDULO Apesar de a maioria das infecções hospitalares, serem causadas pelos próprios microrganismos da microbiota do indivíduo, associados à queda dos mecanismos de defesa locais e sistêmicos, as infecções de origem exógena merecem a atenção dos profissionais da área da saúde. A utilização de normas técnicas cientificamente estabelecidas e regulamentadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) deve servir de base para a elaboração de rotinas a serem recomendadas como critérios mínimos de controle de qualidade nos processos de limpeza, desinfecção e esterilização de artigos médico-hospitalares. A limpeza é o primeiro passo para o processamento de artigos, e está intimamente ligada à qualidade final do processo. Quanto mais limpo estiver o artigo, menores as chances de falhas na esterilização. Atenção: Todo artigo odonto-médico-hospitalar contaminado deve ser limpo precedendo ou não a desinfecção ou esterilização. Veja no Material de Apoio: - Processamento de Artigos Superfície DESCONTAMINAÇÃO DE ARTIGOs Descontaminação e desinfecção não são sinônimos. A descontaminação tem por finalidade reduzir o número de microorganismos presentes nos artigos sujos, de forma a torná-los seguros para manuseá-los, isto é, ofereçam menor risco ocupacional. O uso de agentes químicos desinfetantes como glutaraldeído, formaldeído, hipoclorito de sódio e outros no processo de descontaminação, prática largamente utilizada, não tem fundamentação. O agente químico é impedido de penetrar nos microorganismos, pois há tendência das soluções químicas ligarem-se com as moléculas de proteínas presentes na matéria orgânica, não ficando livres para ligarem-se aos microorganismos nas proporções necessárias dando uma “falsa segurança” no manuseio do material como descontaminado. Além disso, o uso desses agentes na prática da descontaminação causa uma aderência de precipitado de matéria orgânica no artigo, prejudicando sobremaneira a posterior limpeza.

1

A descontaminação de artigos poderá ser feita por qualquer uma das seguintes alternativas: - Fricção Auxiliada por esponja, pano, escova, embebidos com produto para esta finalidade, ou: - Imersão Completa do artigo em solução desinfetante acompanhada ou não de fricção com escova/esponja, ou: - Pressão de Jatos D’Àgua com temperatura entre 60 e 90 graus centígrados, durante 15 minutos ( maquinas lavadoras sanitizadoras, esterilizadoras de alta pressão, termodesinfetadoras e similares), ou: - Imersão do Artigo na água em ebulição por 30 minutos, ou: - Autoclavagem previa do artigo ainda contaminado, sem o ciclo de secagem. A escolha da alternativa deve ser baseada nas possibilidades do estabelecimento, obedecendo à natureza do artigo em processamento. LIMPEZA A limpeza é essencial antes da desinfecção e esterilização. Limpe com água e sabão ou detergentes. O principal objetivo é a remoção de matéria orgânica do instrumental. Este processo deve ser iniciado o mais rápido possível. Logo que os instrumentos acabem de ser utilizados, os mesmos devem ser submetidos a processo de limpeza para remoção de resíduos orgânicos (sangue, pus, gorduras), substâncias químicas (água oxigenada, álcool, éter, iodo, etc.) e outras secreções. Quanto mais tempo demorar para se iniciar este processo tanto mais dificuldade se terá para remover os resíduos fixados aos instrumentos. Naqueles instrumentos com áreas críticas de limpeza e áreas de difícil acesso pode ocorrer à retenção de tecidos orgânicos e depósito de secreções ou soluções químicas e desinfetantes. Os Instrumentos novos que nunca foram utilizados e instrumentos que estejam retornando de manutenção ou conserto devem ser primeiramente, lavados e inspecionados antes de serem levados à esterilização. Limpeza é o processo de remoção de sujidade e detritos que mantém em estado de asseio os artigos, reduzindo a população microbiana. O procedimento de remoção constitui o núcleo de todas as ações referentes aos cuidados de higiene com os artigos hospitalares. A limpeza deve preceder os procedimentos de desinfecção ou de esterilização, pois reduz a carga microbiana através remoção da sujidade e da matéria orgânica presentes nos materiais.

2

Estudos têm demonstrado que a limpeza manual ou mecânica, com água e detergente ou produtos enzimáticos reduz aproximadamente 105 do bioburden. O excesso de matéria orgânica aumenta não só a duração do processo de esterilização, como altera os parâmetros para este processo. O avanço tecnológico tem lançado no mercado equipamentos complexos dotados de estreitos lúmens que tornam a limpeza um verdadeiro desafio. Assim, é lícito afirmar que a limpeza rigorosa é condição básica para qualquer processo de desinfecção ou esterilização. Atenção: É possível limpar sem esterilizar, mas não é possível garantir a esterilização sem limpar. Veja no Material de Apoio: - Limpeza de Artigos - Limpeza de Artigos: Exemplos Didáticos Aproveite ao máximo, transforme informação em conhecimento. APOSTILA VIRTUAL 2 Também, está disponível no Material de Apoio, para impressão ou salvar.

3

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->