Função fática ocorre quando o emissor deseja verificar se o canal de comunicação está funcionando ou se ele esta sendo compreendido

pelas pessoas que o ouvem: ex: “ alô!”, “ entenderam?”. é também a função empregada, quando no decorrer de uma conversa, emitimos sons: ex: “ heim! “, “ hum-hum!”.

Ocorre a função conativa, ou apelativa, quando o emissor tenta convencer o receptor a praticar determinada ação. É comum o uso do verbo no Imperativo, como "Compre aqui e concorra a este lindo carro". "Compre aqui..." é a tentativa do emissor de convencer o receptor a praticar a ação de comprar ali.

Quando o emissor demonstra seus sentimentos ou emite suas opiniões ou sensações a respeito de algum assunto ou pessoa, acontece a função emotiva, também chamada de expressiva. Ex.: Nós o amamos muito, a Angelina Jolie. A política não vale nada.

• Função Referencial (ou denotativa ou cognitiva) informativa ou cognitiva: podemos dizer que é a comunicação pura e simples, ou seja, aponta para o sentido real das coisas e dos seres. A maior preocupação, neste caso, é a mensagem; e o emissor apenas se limita a informar. Exemplos:

O Espírito Santo é um estado devedor. À noite, vemos as estrelas no céu. O sol é uma estrela de quinta grandeza.

• Função Conativa (ou apelativa ou imperativa): esta função está ligada no receptor da mensagem, isto é, no sujeito receptor e é eminentemente persuasivo, sedutor.

Exemplos:
Inspira- me ó lua! • Mamãe olha o mar!... • Você acha que o Zezé conseguirá passar no vestibular?

• Função Metalinguística: ligada diretamente no código, trazendo sempre uma explicação, procurando definir o que não está claro. Verificando se o emissor e o receptor estão usando o mesmo repertório. Exemplos: • A lua é o satélite da terra. • O que é a saudade? É a presença do ausente. • O que é o amor? É o despertador do coração.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful