P. 1
A simbologia das cores

A simbologia das cores

5.0

|Views: 2.824|Likes:
Publicado porCláudia Sofia

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Cláudia Sofia on Apr 20, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/16/2015

pdf

text

original

A simbologia das cores

“Todas as cores concordam no escuro.”
Sir Francis Bacon

O cérebro é constituído por dois hemisférios – o esquerdo e o direito. Estes são capazes de fazer quase tudo o que o outro sabe fazer, se bem que algumas aptidões são individuais. Desta feita, o hemisfério direito, o mais emocional, é bom na apreensão de “generalidades”, como captar contextos, ideias gerais ou emoções. O hemisfério esquerdo, o mais racional, é bom na análise, como seguir o enredo de uma estória ou resolver um problema matemático. Como consequência, as cores são percecionadas pelos hemisférios de forma distinta. Enquanto o hemisfério direito tenderá a interpretar as cores de uma forma intuitiva – as cores podem provocar alterações comportamentais –, o hemisfério esquerdo reconhecerá a cor apenas como cor vermelha, azul ou cinzenta, sem se deixar impressionar por elas a nível emocional. A cor deriva da luz, como se pode verificar quando se lança luz branca sobre um prisma. O prisma refracta a luz e divide-a em oito cores – vermelho, laranja, amarelo, verde, turquesa, azul, violeta e magenta. Cada uma destas cores, possui a sua própria frequência de vibração, os seus atributos positivos e negativos e a sua cor complementar. Assim que a influências das cores se tornou consciente para o ser humano – os antropólogos desconfiam que a visão das cores não estava desenvolvida no Homem préhistórico –, este aprendeu a usá-las em seu benefício. Desta forma, a cor, que até então apenas tinha uma utilidade estética, passou a ter também uma utilidade prática. Posto isto e no contexto deste artigo, torna-se imprescindível refletir sobre a simbologia de cada cor, desde as três cores primárias, as restantes cinco que constituem com as anteriores o espectro e as cores neutras. O Vermelho, o Amarelo e o Azul são as três cores primárias, uma vez que não podem obterse pela mistura de outras cores. VERMELHO: é símbolo da vida, da força e da vitalidade, uma vez que o elemento desta cor é o fogo, para além de representar o sangue. Esta cor é também a cor da paixão e do sentimento. Simboliza o amor, o desejo e também do orgulho, da violência, da agressividade e do poder. Está associado ao calor e à excitação, à iniciativa e disposição para agir com espírito pioneiro. - Aspetos favoráveis: sugere motivação, atividade e vontade. / Aspetos desfavoráveis: sugere brutalidade, crueldade, rancor e revolta. AMARELO: é o símbolo da mente e do intelecto, uma vez que o elemento desta cor é o ouro, para além de representar o sol. Esta cor representa o poder do pensamento e estimula a atividade mental. O amarelo é uma cor associado ao Verão que transmite otimismo, energia, calor e luz. - Aspetos favoráveis: sugere esperança, otimismo, brilho, jovialidade e alegria. / Aspetos desfavoráveis: sugere deceção, afastamento, controle, discrição, maldade, vingança, bajulação. AZUL: é símbolo de inspiração, devoção, paz e tranquilidade, uma vez que o elemento desta cor é o ar, para além de representar o céu. Esta cor representa o espírito e o pensamento e simboliza a lealdade, a fidelidade, a personalidade, a subtileza, o ideal e o sonho. O azul é uma cor popular associada também ao dever, à beleza e à habilidade,

demonstrando-se um forte promotor da devoção e da fé, muito devido à sua quietude e confiança. - Aspetos favoráveis: inteligência, comunicação, confiança, eficiência, serenidade, dever, lógica, frescura, reflexão, calma. / Aspetos desfavoráveis: frieza, frivolidade, ausência de emoções, ausência de simpatia. O Laranja, Verde, Turquesa, Violeta e Magenta são as restantes cinco cores do espectro, sendo vistas como as cores secundárias, uma vez que são obtidas através da mistura das três cores primárias. Assim, o azul e o amarelo produzem a cor verde, o vermelho e o amarelo produzem a cor laranja, o vermelho e o azul produzem a cor violeta, etc. LARANJA: é símbolo da energia feminina, a energia da criação, devido à mistura do vermelho com o amarelo, uma vez que o amarelo torna o vermelho mais dócil. Como se situa entre a cor vermelha e a amarelo, o laranja favorece tanto a vitalidade física (vermelho) como a vitalidade mental (amarelo). Assim, esta cor reflete entusiasmo com vivacidade impulsiva e natural. Mantém a capacidade expansiva e afirmativa do vermelho, se bem que é mais construtiva. Significa movimento e espontaneidade. – Aspetos favoráveis: sugere boa saúde, vitalidade, alegria, criatividade, confiança, coragem animação, espontaneidade e atitude positiva perante a vida. / Aspetos desfavoráveis: sugere atitude autoritária e esmagadora, descontentamento, melancolia, tristeza, perda da vitalidade, abatimento e destrutividade. VERDE: é a cor situada no meio do espectro, afastada dos extremos quente e frio, mesmo sendo obtida através da mistura do azul (cor fria) e o amarelo (cor quente). Significa vigor, juventude, frescor, esperança e calma. Esta cor atenua as emoções, facilita o raciocínio correto e amplia a consciência e compreensão. O verde está associado ao equilíbrio, à harmonia e à simpatia. – Aspetos favoráveis: sugere espaço, liberdade, harmonia, renovação, natureza, harmonia, crescimento e fertilidade. / Aspetos desfavoráveis: sugere avareza, indiferença, insegurança, raciocínio precário, cautela excessiva e suspeita, ciúmes, inveja, egoísmo, preconceito, estagnação e degeneração. TURQUESA: é a última cor da metade azul do espectro, tendo uma aura de vivacidade e perceção, que confere mais clareza de expressão. A cor turquesa tem uma qualidade atenciosa e recetiva, que irradia bem-estar. – Aspetos favoráveis: sugere liberdade, triunfo, oportunidade de mudança, conhecimento, mente, integridade, poder, seriedade, generosidade, saúde, cura, frescor e limpeza. / Aspetos desfavoráveis: sugere imaturidade, confusão, incapacidade de progredir na vida, isolamento, separação, sensações de vazio e falta de clareza ao nível emocional, mental e espiritual. VIOLETA: é tida como a cor do luto, uma vez que se encontra nos altares cristãos na altura da semana santa quando se comemora a Paixão e a Ressurreição de Jesus. Enfim, é uma cor pertencente à espiritualidade, ao autorrespeito e à dignidade. A flor com o seu nome é a flor da modéstia. É uma cor associada à realeza, dons artísticos, tolerância, consideração, humildade, tranquilidade, integração e unidade. – Aspetos favoráveis: sugere sabedoria, criatividade, independência, dignidade, serenidade e mudança. / Aspetos desfavoráveis: sugere transgressão, esquecimento, falta de persistência, irreflexão, desrespeito, atitude autoritária, idealismo sem sentido prático, isolamento, corrupção, desintegração, orgulho e arrogância. MAGENTA: é a cor da libertação. Pelo menos possibilita libertar de ideias e padrões de pensamento que já não são corretos para nós. Esta é uma cor protetora, nutritiva, quente e suave, que expressa o amor espiritual e incondicional. É a última cor do espectro e traz consigo um grau elevado de compreensão e maturidade, em consequência da sua passagem por todas as outras cores. – Aspetos favoráveis: sugere dedicação, reverência, gratidão, comprometimento, entrega, bondade, calma, criatividade, independência,

2

Sophia’s Essays

dignidade e serenidade. / Aspetos desfavoráveis: sugere snobismo, arrogância, isolamento, comportamento fanático, monopolizador e autoritário, falta de amor-próprio, desprezo pelas necessidades alheias, insegurança e autoestima exacerbada. Posto isto, falta ainda as chamadas cores neutras: o branco e o preto. A primeira é a cor a partir da qual emanam todas as outras cores, como adiantado anteriormente. Já o preto é a ausência de cor, uma vez que não havendo luz as cores não surgem. BRANCO: é a cor complementar do preto. É a cor da iluminação, da pureza, da inocência, da castidade, da santidade, da sacralidade e da redenção. A cor branca simboliza a suprema realidade, a consciência de Deus. – Aspetos favoráveis: luz, bondade, inocência, pureza, virgindade, otimismo, perfeição, isolamento e frio. / Aspetos desfavoráveis: isolamento, dificuldade em reagir a contrariedades e ciúme. PRETO: nas sociedades ocidentais é tido como a cor da morte, do luto e da penitência. A verdade é que a cor preta é ao mesmo tempo proteção e mistério, estando relacionada com o silêncio e a força passiva feminina e misteriosa. – Aspetos favoráveis: austeridade, vida interior, previsão e ordem. / Aspetos desfavoráveis: constrangimento, solidão e isolamento. O efeito que as cores têm sobre o comportamento humano é hoje em dia reconhecido por todo o mundo. A incidência sobre o inconsciente é forte, chegando mesmo a provocar recordações felizes que estejam associadas a uma determinada cor. Desta feita, pode concluir-se, que através da escolha da cor mais adequada, o ser humano pode contribuir para uma vida mais equilibrada e harmónica, potenciando a atitude positiva, a saúde e o otimismo.
“A saudade é um filme sem cor que meu coração quer ver colorido.”
Zeca Baleiro
Referências Bibliográficas: Baer, Lorenzo (1999) Produção Gráfica. São Paulo: Editora Senac. Luz, Maria (2006) Viver em harmonia com as cores. Edição de Autor. Wills, Pauline (1993) Cromoterapia. Lisboa: Editorial Estampa. _______________________ (1994) As bases da pintura artística. Barcelona: Círculo de Leitores. _______________________ (n.a.) O Poder do Cérebro – Mente Sã, Corpo São. Selecções do Reader's Digest.

3

Sophia’s Essays

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->