P. 1
Kit Recolha Patrimonio Imaterial[1]

Kit Recolha Patrimonio Imaterial[1]

|Views: 11.755|Likes:
Publicado porsadoveiro

More info:

Published by: sadoveiro on Apr 22, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/31/2013

pdf

text

original

PASSOS FUNDAMENTAIS

Uma árvore genealógica é um esquema grá-

fico que nos permite saber, com toda a exatidão,

qual a relação de uma pessoa com cada um dos

seus familiares. A árvore genealógica de uma

família é elaborada utilizando os seguintes sím-

bolos:

Regra geral, uma árvore genealógica deve

ser elaborada por referência a uma única pessoa.

Como tal, essa pessoa deve ser sinalizada com

uma cor diferente, para mais facilmente se perce-

ber que a árvore genealógica é lida a partir dela.

Por exemplo, se fizeres a tua árvore genealó-

gica deves começar sempre por ti, desenhando

depois os teus pais, os teus irmãos, os teus avós,

etc. Em vez dos símbolos acima indicados, podes,

é claro, compor a uma árvore genealógica com

fotografias dos teus familiares, mas certamente

vais precisar de uma cartolina bem grande! Se

quiseres utilizar fotos, talvez seja preferível faze-

res um álbum fotográfico, de que a árvore será o

índice.

Utiliza sempre uma folha em formato A3, ou

maior, se desejares indicar todos os parentes em

grau mais afastado (exemplo: os filhos dos teus

tios-avós, que são teus primos em terceiro grau).

Se desejares podes utilizar diferentes cores

para melhor identificar os membros de cada

geração: bisavós; avós e tios-avós; pais e tios; tu,

os teus irmãos e os teus primos; ou ainda, os

filhos dos teus primos, etc.

Sempre que possível, e sobretudo no caso

das relações de fraternidade (entre irmãos), deves

ordenar pela ordem do nascimento (*) as pessoas

unidas por uma relação familiar.

Exemplo:

HOMEM

MULHER

RELAÇÃO DE FILIAÇÃO

(ENTRE PAIS E FILHOS)

RELAÇÃO FRATERNAL

(ENTRE IRMÃOS)

RELAÇÃO CONJUGAL

(CASAMENTO / UNIÃO)

Pai
(* 1965)

Rita
(* 1994)

Miguel
(* 1997)

Clara
(* 2001)

Joana
(* 2001)

Mãe
(* 1967)

72

73

UMA ÁRVORE QUE SERVE

PARA COMPREENDER MUITAS COISAS

Pede a ajuda dos teus pais, avós e tios para

conseguires recuar o mais possível no tempo e

identificares todos os teus antepassados, como

os teus trisavós (isto é os pais dos teus bisavós)

ou mesmo os teus tetravós (que são os pais dos

teus trisavós)!

Sempre que possível anota junto do símbolo

de cada teu parente não apenas o nome próprio

mas também o apelido. Descobre como os

nomes passam de geração… Vais surpreender-te!

Por exemplo, de quem herdaste o apelido? Do

teu avô materno ou do avô paterno?

E os nomes próprios? Quantas pessoas na

tua família têm o mesmo nome? Descobre se os

nomes próprios das gerações mais antigas conti-

nuam a ser usados na tua própria geração. É bem

possível que descubras na tua família nomes que

já não se usam há muito tempo. Ou o contrário:

nomes que foram utilizados na geração dos teus

avós, que não foram utilizados na geração dos

teus pais e tios, e que agora voltaram a ser usa-

dos na tua geração, dos teus irmãos e primos.

Para além do nome, podes também anotar,

se tiver existido, a respetiva alcunha de cada

pessoa. Sabes que em várias regiões de Portugal

muitas alcunhas passaram, com o tempo, a

nomes próprios ou apelidos?

É também muito útil que possas anotar, para

cada pessoa da tua família, o ano do nascimento

e, sempre que o saibas, o local onde nasceu. Vais

poder assim verificar se os teus familiares têm

residido no mesmo sítio desde há várias gera-

ções, ou se provêm de diferentes locais do país,

ou mesmo de outros países. Em qualquer dos

casos, procura sempre saber a razão.

A COMPREENSÃO
DO PATRIMÓNIO IMATERIAL

Como sabes, o Património Imaterial varia

consoante cada comunidade. É por isso que se

usa o provérbio “cada terra com seu uso, cada

roca com seu fuso”. E a família é célula, ou uni-

dade fundamental de cada comunidade.

O uso do diagrama de parentesco (outro

nome utilizado para “árvore genealógica”) é,

pois, muito importante para compreender como

se transmite o Património Imaterial, dado que a

família é, muitas vezes, o lugar da aprendizagem

dos saberes tradicionais com os mais velhos e o

lugar do seu ensino aos mais novos. É esta razão

desta Ficha poder ser utilizada em conjunto com

outras fichas deste Kit: as de Pessoas, Ofícios/

Saberes Tradicionais e Histórias de Vida.

A construção de árvores genealógicas é assim

um instrumento importante no estudo dos sabe-

res tradicionais, que são uma componente funda-

mental do Património Imaterial. Nestes casos, é

fundamental anotar, para cada pessoa, a respetiva

profissão, para perceber como determinados

saberes e técnicas têm passado de geração em

geração. Sabes que, até anos recentes, era comum

avós, pais e netos terem sempre o mesmo ofício

(agricultor, pescador, cesteiro, oleiro, etc.)?

SÍMBOLOS COMPLEMENTARES

Se quiseres tornar-te um profissional a fazer

diagramas de parentesco, podes ainda utilizar

outros símbolos. Por exemplo, no caso das gera-

ções mais recuadas, em que se tem a certeza do

número de tios, primos, etc., mas se desconhece

ao certo quantos eram do género masculino ou

do feminino, utiliza-se o símbolo para uma

dessas pessoas, como no caso da árvore genealó-

gica do João, na página seguinte.

Utilizam-se também os símbolos

para

identificar as pessoas (respetivamente homem,

mulher ou pessoa de género desconhecido) já

falecidas.

O símbolo

utiliza-se no caso em que

duas pessoas se divorciaram. Finalmente, e como

podes ver na página seguinte, em baixo, na árvore

genealógica da Maria podes ainda utilizar uma

ramificação da relação entre irmãos para indicar

que são gémeos.

73

ÁRVORE GENEALÓGICA DO JOÃO

?

?

?

?

?

?

Avô
Antero

Avô
Jaime

Bisavô
Ermenegildo

A minha Geração

Pais e Tios

Avós

Tios-Avós

Bisavós

Bisavô
Fernando

Bisavó
Cândida

Bisavó
Maria do Céu

Tio
Filipe

Tio
Jaime

Prima
Clara

Primo
Vicente

João

Avó
Genoveva

Avó
Maria

Tia-Avó
Cristina

Tio-Avô
Armando

Tio-Avô
Augusto

Tio-Avô
António

Tio-Avô
Fernando

Tia
Graça

Tia
Alexandra

Pai

Mãe

Família paterna

Família materna

ÁRVORE GENEALÓGICA DA MARIA

A minha Geração

Pais e Tios

Avós

Tios-Avós

Bisavós

Avô
Filipe

Avô
Jaime

Bisavô
António

Bisavô
Augusto

Bisavô
Fernando

Bisavô
Carlos

Bisavó
Josefa

Bisavó
Virgínia

Bisavó
Maria do Céu

Bisavó
Ana

Tio
Paulo

Tio
Pedro

Tia
Lúcia

Primo
Rodrigo

Primas
Sara e Marta
(gémeas)

Prima
Francisca

Maria
(eu!!!!)

Irmão
Bernardo

Avó
Maria

Avó
Maria

Tia-Avó
Júlia

Tia-Avó
Joana

Tio-Avô
Francisco

Tio-Avô
João

Tia
Teresa

Tia
Carla

Pai

Mãe

À DESCOBERTA DA MEMÓRIA FAMILIAR

A construção de uma árvore genealógica é

um bom instrumento para perpetuar conheci-

mentos e memórias sobre todos os membros de

uma família. Podes até vir a descobrir que na tua

própria família existem muito mais pessoas do

que aquelas que já conheces. Por isso: bom traba-

lho de detetive!

75

75

1. TÍTULO DO PROJETO:

2. NÚMERO DE ELEMENTOS DA EQUIPA:

de
recolha
de património
imaterial

Kit

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->